SATURAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA: ESTIMATIVA EMPÍRICA DE DIMENSIONAMENTO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SATURAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA: ESTIMATIVA EMPÍRICA DE DIMENSIONAMENTO"

Transcrição

1 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page HERMANO ROBERTO THIRY-CHERQUES SATURAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA: ESTIMATIVA EMPÍRICA DE DIMENSIONAMENTO SATURATION IN QUALITATIVE RESEARCH: EMPIRICAL SIZING ESTIMATION RESUMO A saturação é o istrumeto epistemológico que determia quado as observações deixam de ser ecessárias, pois ehum ovo elemeto permite ampliar o úmero de propriedades do objeto ivestigado.a dificuldade maior que o emprego do critério de saturação apreseta é o do dimesioameto ex-ate da pesquisa. Não há como progosticar com rigor o tamaho e o tempo ecessários à saturação. Neste texto discute-se a possibilidade de costruir uma estimativa da extesão e do dispêdio de recursos com observações, a partir da predição do poto de saturação baseada em idicadores determiados empiricamete. PALAVRAS-CHAVE: Saturação, dimesioameto, pesquisa qualitativa. ABSTRACT Saturatio is the epistemological model that defies whe observatios become uecessary, sice o ew elemet allows icreasig the umber of properties of the object uder observatio.the greatest difficulty preseted by applyig the saturatio criterio to research is the ex-ate sizig. The size ad time required to reach the saturatio poit caot be rigorously predicted. This article presets a discussio of the possibility of projectig the extesio ad sped of resources o observatios, from the predictio of the saturatio poit based o empirically-determied idicators. HERMANO ROBERTO THIRY- CHERQUES GRADUADO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS PELA ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINIS- TRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS DA FUN- DAÇÃO GETÚLIO VARGAS (RIO DE JANEI- RO); MESTRE EM FILOSOFIA PELO INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS SOCIAIS DA UNI- VERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (IFCS-UFRJ) E DOUTOR EM CIÊNCIAS PELA COPPE DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (COPPE-UFRJ). É PROFES- SOR TITULAR DA ESCOLA DE ADMINISTRA- ÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS DA FUNDA- ÇÃO GETULIO VARGAS (RIO DE JANEIRO); PESQUISADOR DO CNPQ; CONFERENCISTA E CONSULTOR NO CAMPO DOS VALORES HUMA- NOS PARA EMPRESAS, AGÊNCIAS GOVERNAMEN- TAIS E ORGANIZAÇÕES INTERNACIONAIS E MEM- BRO DE CONSELHOS EDITORIAIS, DENTRE OU- TROS DE COMUNICAÇÃO, MÍDIA E CONSUMO. KEY WORDS: Saturatio, sizig, qualitative research.

2 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page SATURAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA: ESTIMATIVA EMPÍRICA DE DIMENSIONAMENTO. INTRODUÇÃO Este artigo apreseta um modelo de progóstico de dimesioameto de pesquisas qualitativas fudado a estimativa da cessação do acréscimo de iformações ovas as observações e experimetos: o poto de saturação. O método utilizado foi iteiramete empírico.a partir de modelos teóricos como o de Romey;Batchelder e Weller () foram replicados os experimetos de vários autores relatados por Guest; Buce e Johso () sobre a base observacioal das próprias pesquisas.verificou-se que em diferetes campos com dimesões diversas o poto de saturação é atigido em, o máximo, quize observações. Cocluiu-se que a ão ocorrêcia de saturação detro desse limite é idicativo de que o critério de levatameto ou os quesitos escolhidos são iadequados e que devem ser revistos. A saturação desiga o mometo em que o acréscimo de dados e iformações em uma pesquisa ão altera a compreesão do feômeo estudado. É um critério que permite estabelecer a validade de um cojuto de observações. O esquema de saturação é objetivamete válido à medida que ele satisfaz as exigêcias lógicas de julgameto em um uiverso determiado. Equato a validade empírica é a correspodêcia de uma hipótese ou de uma teoria à realidade factual, a validade objetiva é a adequação de uma cojectura ou de uma teoria a uma explicação lógica. É alcaçada mediate iferêcias a partir de um argumeto em que as premissas são cosideradas legitimas (TRIBBLE; SAINTONGE:). A iferêcia é a operação pela qual a verdade de uma proposição é aceita ão diretamete, mas em virtude da sua ligação com outras proposições. Uma iferêcia é válida se a coclusão que ela produz é dedutível das suas premissas, seja através de uma implicação probabilística, ou mediate iferêcia idutiva, isto é, mediate a passagem de premissas sobre um caso particular a uma coclusão geral (TOULMIN, :). A especificidade dos levatametos as pesquisas qualitativas. A teoria e a prática do critério de saturação. O dimesioameto do úmero de observações, que levam à discussão algus elemetos empíricos sobre a aplicação válida do critério de saturação.. OBSERVAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA O termo observação desiga qualquer técica idôea de aquisição de dados que irão costituir o baco de prova de pesquisas de caráter cietífico. As hipóteses e teorias factuais podem ser comprovadas mediate observação, medição ou experimetação. A observação limita-se à costatação dos dados tal como se apresetam. Difere da medida porque a medida supõe a fixação prévia de um padrão para determiar as dimesões ou o valor de uma gradeza da mesma espécie. Difere da experimetação porque o experimeto supõe a iterveção ativa sobre o objeto pesquisado para a verificação das modificações que resultam desta iterveção. O cohecimeto derivado da observação apreseta-se por si próprio, equato o derivado da medida e do experimeto é fruto de uma ação destiada a saber o que um objeto é ou ão é.a observação é um mometo ecessário da medição e do experimeto, mas a recíproca ão é verdadeira. A orma de validade das observações em pesquisas de caráter qualitativo difere substacialmete da de uma pesquisa de caráter quatitativo. A lógica que rege a pesquisa quatitativa é, em geral, a da implicação probabilística a partir da hipótese, equato a lógica da pesquisa qualitativa é, geralmete, a da iferêcia idutiva a partir de uma teoria.. LEVANTAMENTO O rigor a pesquisa quatitativa decorre de juízos de validade e de cofiabilidade da adequação a uma realidade provável. O rigor a pesquisa qualitativa decorre da credibilidade da adequação a uma realidade possível. O critério de saturação pertece às esferas de validação objetiva e de iferêcia idutiva.tem legitimidade lógica, mas apreseta algumas limitações de ordem técica. Aplica-se somete a casos específicos o âmbito das pesquisas de caráter qualitativo, depede da coceitualização precisa das categorias e das propriedades ivestigadas e os seus limites ão podem, por defiição, ser dimesioados a priori.a alterativa de estimação, como aqui é avetada, deve ser empírica, fudada a replicação dos experimetos. Nesse texto são apresetados os aspectos teóricos esseciais da saturação e procura-se cotribuir para a superação da pricipal dificuldade de ordem prática o seu emprego, a do dimesioameto da pesquisa mediate um modelo de estimativa do poto de saturação. Dividiu-se a exposição em três partes, as quais são tratadas: O valor da pesquisa quatitativa reside a capacidade de uiversalização dos resultados obtidos. O valor da pesquisa qualitativa é fução da adequação dos resultados obtidos a grupos ou idivíduos que guardam similaridades com os examiados. O critério de saturação é um processo de validação objetiva em pesquisas que adotam métodos, abordam temas e colhem iformações em setores e áreas em que é impossível ou desecessário o tratameto probabilístico da amostra. É uma das formas de lidar com o paradoxo da amostragem. O paradoxo da amostragem se expressa da seguite forma: a amostra é iútil se ão for verdadeiramete represetativa da população. Para saber se a amostra é represetativa é preciso cohecer as características da população, o que dispesa ão só a amostra, mas a realização da pesquisa. O paradoxo se resolve pelo etedimeto

3 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page HERMANO ROBERTO THIRY-CHERQUES de que represetatividade ão é uma propriedade da amostra, mas do procedimeto que leva à sua determiação (KAPLAN,:). Para que se discrimie cietificamete um objeto é ecessário, portato, cohecer ou cojeturar alguma coisa sobre ele. Com base esses cohecimetos ou essas cojeturas se formulam as hipóteses a serem testadas ou as teorias a serem validadas. Nos métodos quatitativos a ivestigação é cosiderada efetiva quado os levatametos e as aálises permitem geeralização. Nos métodos qualitativos, que têm raiz a feomeologia e o estruturalismo, a ivestigação é cosiderada efetiva quado permite descrever o objeto em seu cotexto. Os métodos qualitativos servem à compreesão do feômeo estudado e a trasferibilidade (MANTZOUKAS, ),a capacidade de trasferêcia para outros grupos e idivíduos dos resultados obtidos, ão à geeralização.. SELEÇÃO INTENCIONAL DAS OBSERVAÇÕES As técicas probabilísticas operam a partir de uma amostragem correspodete à fração de um uiverso estatístico. Podem ser simples, quado se cosidera o grupo como um todo, ou estratificada em subgrupos, quado ão é possível colher dados suficietes sobre o uiverso cosiderado. São compostas por elemetos quaisquer da população, selecioados ao acaso. Obedecem a critérios de represetatividade de um cojuto ideal de idivíduos de um grupo, em que se podem ecotrar as características fudametais que devem ser estudadas em todo o grupo. Nas técicas ão probabilísticas os idivíduos são selecioados de acordo com critérios julgados relevates para um objeto particular de ivestigação estabelecido idutivamete. Não se trabalha com amostragem, mas com elemetos (uidades elemetares, básicas) e com categorias (uidades de iformação) que atedem requisitos estabelecidos de acordo com as ecessidades e o escopo da pesquisa (COHEN; MANION; MORRISON, :). Os dois tipos mais usuais de seleção de categorias são:. Seleção acidetal ou por coveiêcia, em que os sujeitos são os que se podem acessar e os dados são os possíveis de se obterem.. Seleção itecioal ou por julgameto, em que sujeitos-tipo são selecioados por represetarem as características relevates da população em estudo. As estratégias mais comus de seleção itecioal (parcialmete baseado em PATTON, :-) são: Determiação da variação máxima, isto é, dos casos-limite, a partir do qual o projeto qualitativo será revisto ou abadoado. A variação pode ser demográfica (uma fração da população), feomêica (a amplitude da categoria) ou teórica (as propriedades de uma categoria) (SANDELOWISKI,:). Seleção de casos típicos, extremos, desviates, chave e críticos, ou seja, a limitação do campo de pesquisa de modo a fazer com que o uiverso pesquisado possa ser iteiramete cohecido e descrito sem que sejam ecessárias técicas de estatísticas, como a da amostragem. Foco em padrões de variação, subgrupos homogêeos e cadeias de iformação (sowball) em que os iformates idicam outros iformates. Triagulação ou combiação de várias estratégias e técicas, iclusive probabilísticas. A técica de saturação é uma das formas de validação de seleção itecioalmete determiada, qualquer ou quaisquer que seja(m) a(s) estratégia(s) utilizada(s) para sua costituição.. SATURAÇÃO. CONCEITO Um feômeo é um objeto tal como captado pela sesibilidade ou recohecido pela cosciêcia imediata. Uma categoria é cada um dos coceitos geéricos,abstratos,fudametais,de que se pode servir a mete para elaborar e expressar juízos. A pesquisa prática ou teórica trata de elucidar e trazer à evidêcia feômeos e categorias. Os feômeos e as categorias represetam uidades de iformação compostas de evetos, dados, elemetos e istâcias.a seleção itecioal estabelecida por saturação é cosiderada represetativa quado a etrevista ou a observação ão acresceta ada ao que já se cohece sobre o feômeo ou categoria ivestigado (saturação teórica), suas propriedades e suas relações com outras categorias. O coceito de saturação deriva das Ciêcias Naturais. Na Química, idica o limite em que a maior quatidade possível de uma substâcia foi absorvida por uma solução em uma temperatura dada. Na Física, deomia a codição de um material ou substâcia cuja itesidade do campo magético foi suficietemete aumetada, a poto de um ovo aumeto dessa itesidade ão alterar o seu estado. Em Ótica, idica o grau de uma cor que determia a sua pureza e a diferecia de outras de idêtico matiz. A ideia de saturação é usada em Ecoomia e em Marketig o termo saturação de mercado (market saturatio) para descrever o grau de difusão (distribuição) de um produto em um dado uiverso. O ível de saturação de mercado é calculado a partir do poder de cosumo, da competição, dos preços e da tecologia. Como critério de aprovação da amostragem em pesquisa qualitativa, o coceito de saturação deriva da Física e, mais proximamete, da Estatística, ode idica o grau em que um fator aparece em relação a uma dada variável uma aálise de correlação etre esse fator e um cojuto de variáveis aleatórias.

4 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page SATURAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA: ESTIMATIVA EMPÍRICA DE DIMENSIONAMENTO A oção fudametal é a de saturação teórica que ocorre quado Nehum dado adicioal é ecotrado que possibilite ao pesquisador acrescetar propriedades a uma categoria. (...), isto é, (...) quado o pesquisador tora-se empiricamete cofiate de que a categoria está saturada Glaser e Strauss (:). PONTO DE SATURAÇÃO. PONTO DE SATURAÇÃO No uso prático do critério de saturação os objetos de estudo são ivestigados em suas propriedades até o surgimeto de um poto de saturação. Associado ao coceito de saturação está a oção de competêcia cultural, fartamete explorada detro da teoria do habitus, por Pierre Bourdieu (THIRY-CHERQUES, a), que explica como e por que o adestrameto social leva a harmoização com a cultura em que se vive.a ideia, comprovada empiricamete, é de que a sobrevivêcia em uma esfera social ou campo se dá mediate a aquisição e icorporação de codutas determiadas, ieretes àquele campo específico. Aqueles que ão icorporam o habitus do campo ou que o cotestam são excluídos. Outra associação pode ser feita com ateoria do Coseso (ROM- NEY; BATCHELDER; WELLER, ), que demostra, matematicamete, que em um dado cotexto, os especialistas tedem a cocordar etre si, mais do que os oviços e os leigos sobre o tema da sua expertise.trata-se de uma tedêcia à coformidade, de uma adesão atural ao estabelecido e verificado. É, em lihas gerais, uma ideia paralela a da dicotomia campo-habitus da filosofia social de Bourdieu. Os etrates e os alheios à esfera de cohecimeto cosiderada são icapazes de idetificar as regras do jogo e os saberes estabelecidos. As categorias ou feômeos represetativos da cultura, do habitus e do coseso são cosiderados estabelecidos quado se atige o poto de saturação da pesquisa. O poto de saturação é aquele em que o úmero de respostas ão pode ser acrescido mediate o acréscimo o úmero de observações/etrevistas. Coforme demostrado o Gráfico, é o poto em que a icliação da curva de saturação de ovas respostas e de acréscimo de propriedades, se matém costate. As garatias da represetatividade são dadas pelas codições geéricas de ivestigação: As observações/etrevistas são feitas isolada e privadamete. Os participates ão cohecem as respostas us dos outros. As questões formuladas estão circuscritas a um domíio coerete de cohecimetos. NÚMERO ACUMULADO DE NOVAS RESPOSTAS NÚMERO DE ENTREVISTAS GRÁFICO Curva de saturação. A forma de utilização mais comum do critério de saturação é a da aplicação de etrevistas semi-estruturadas de forma sequecial, com respostas em aberto. O pesquisador idetifica os tipos de resposta e aota as repetições. Quado ehuma ova iformação ou ehum ovo tema é registrado, atigiu-se o poto de saturação. O esquema de ivestigação é simples, porém, a prática, apreseta a dificuldade de se fudametar o critério para cessação do levatameto ou iterrupção das etrevistas, isto é, da adequação da amostra.. TAMANHO E ADEQUAÇÃO O tamaho da amostra probabilística é estimado matematicamete. Com base em parâmetros pré-selecioados (itervalo de cofiaça) e ível de erro máximo admissível. O tamaho ou úmero de observações da seleção itecioal obedece a critérios ex-post.é fução das respostas obtidas. Sedo assim, ão existem istrumetos matemáticos ou lógicos de delimitação prévia do poto de saturação e, por cosequêcia, do úmero de observações requerido. Também ão há como afirmar com certeza absoluta se o poto de saturação será atigido em um úmero praticável de observações (MORSE et al., ).O que é possível fazer é, mediate a acumulação de experiêcias, estimar o poto em que as iformações de observações saturam, sejam elas realizadas mediate etrevistas abertas, semi-estruturadas, estruturadas, questioários ou observações de coteúdos e de discursos. A maior parte das dificuldades o dimesioameto dos levatametos resulta de erros a formulação dos quesitos e má costrução do protocolo de pesquisa. Para que a técica de saturação dê resultado é preciso elimiar, mediate esaios, os fatores que im-

5 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page HERMANO ROBERTO THIRY-CHERQUES pedem exaurir as possibilidades de variação dos temas em um cojuto dado de iformações. Basicamete esses fatores abragem: Formulação dúbia dos quesitos. Amplitude das respostas ou das observações possíveis. Grau de variabilidade de difereciação (uace) das respostas ou observações. Essas providêcias ajudam a aumetar o rigor e a reduzir o úmero de observações ecessárias à saturação, mas ão resolvem o problema de se determiar com seguraça o quato ivestigar e quado iterromper os levatametos.. QUANTO INVESTIGAR A limitação das observações tem implicações de prazo e de orçameto. Tem, também, implicações a ecoomia itera das pesquisas. No cotidiao dos trabalhos de campo as decisões sobre quado prosseguir e quado desistir de uma liha de ivestigação, quado reformular ou quado abadoar os quesitos podem ser extremamete peosas. É tido como certo que um escopo de pesquisa de maior amplitude irá requerer mais observações para que se alcace a saturação. O estreitameto do foco reduz,logicamete, o úmero de observações ecessárias, mas ão permite estimar o poto em que a categoria satura, isto é, o poto além do qual ão é iútil seguir realizado observações ou etrevistas. Não é possível, teoricamete, determiar quatas observações serão ecessárias em existem elemetos teóricos que iformem sobre quado cessar as observações. Em tese, uma ova propriedade da categoria ivestigada pode ser idetificada tato a primeira, quato a milioésima observação.a prática, o etato, tem propiciado algumas idicações empíricas sobre o úmero de observações/etrevistas ecessárias e suficietes para saturar uma categoria; sobre quato ivestigar e quado iterromper. O tema tem sido exaustivamete estudado. O estado da arte é reportado por Guest; Buce e Johso () que, estudado o viés a desejabilidade social, procuraram determiar quatas etrevistas seriam ecessárias para torar cofiável a pesquisa. Examiado as experiêcias iteracioais em várias disciplias,verificaram que as recomedações da literatura técica para o tamaho míimo de observações variavam etre e. Cruzado esses relatos com as suas próprias experiêcias de campo, cocluíram que a saturação ocorre,geralmete, até aªetrevista, e que os elemetos básicos de metatemas aparecem até a ªetrevista.Avariabilidade dos dados segue o mesmo padrão.. QUANDO INTERROMPER Nas pesquisas realizadas o campo das Ciêcias da Gestão são cofirmados esses resultados. Mais do que isso, foi verificado que, combiado as diversas sugestões sobre o dimesioameto dos levatametos à experiêcia do autor deste artigo o emprego da técica de saturação, foi possível estimar com bastate seguraça o mometo em que o poto de saturação foi atigido. Costatou-se que, cosiderado as recomedações de ão realizar meos do que observações e de ão esteder além do limite de o úmero de observações, com a prática de estreitar o foco depois da terceira observação, as categorias saturam quado o equivalete a/ das observações já efetuadas ão acresceta ovas propriedades.. RESULTADOS Foram realizadas três pesquisas para verificar empiricamete quais seriam os potos de saturação. O Gráfico represeta os resultados dessas pesquisas de caráter diversos em termos de potos de saturação mais /. NÚMERO ACUMULADO DE NOVAS CATEGORIAS ª PESQUISA ª PESQUISA ª PESQUISA PONTOS DE SATURAÇÃO + / DAS OBSERVAÇÕES NÚMERO DE OBSERVAÇÕES GRÁFICO Potos de saturação.

6 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page SATURAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA: ESTIMATIVA EMPÍRICA DE DIMENSIONAMENTO A primeira pesquisa refere-se a uma ivestigação que relacioou a percepção sobre o sistema de carreiras ao idividualismo e à produção de bes e serviços. Pergutou-se sobre o efeito positivo, eutro ou egativo dos plaos de carreira sobre a produção/geração em termos da eficiêcia, eficácia, efetividade, produtividade, retabilidade e/ou valor agregado da produção. Foram realizadas etrevistas preparatórias e preechidos questioários cosiderados válidos (THIRY-CHERQUES, b). Os percetuais obtidos são os que costam a Tabela. Na primeira liha costa o úmero de etrevistas, as demais o úmero acumulado de respostas positivas para os quesitos do levatameto. Na última liha costa o surgimeto de ovas respostas. O poto assialado esta liha idica que, a partir da etrevista referida a colua, ão foi itroduzida mais ehuma resposta diferete das ateriores. TABELA ª Pesquisa Saturação das respostas sobre efeitos dos plaos de carreira. Etrevistas Eficiêcia Eficácia Efetividade Produtividade Retabilidade Valor agregado Total Novas categorias A seguda pesquisa, demostrada a Tabela, refere-se a uma pesquisa o campo da semiologia, que correlacioou os sigos que compõem as Itraets com a ordeação política das orgaizações. Foram cosideradas Itraets empresariais e de orgaismos goverametais e sistemas de costrução de Itraets (THIRY- CHERQUES, c). TABELA ª Pesquisa Saturação dos sitagmas costates as Itraets. Sigos Desktop,portal,home Posto de trabalho virtual (e-office ou e-buro) Boletim de otícias (evet caledar) Ferrameta de busca Diretório Edereços Cotatos Correio Formulários de gestão de RH Orgaizador de tarefas Bloco de otas Sub-sites (chat rooms,e-rooms,commet trails) Lixeira Novos sigos

7 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page HERMANO ROBERTO THIRY-CHERQUES A terceira e última pesquisa, demostrada a Tabela, refere-se a uma pesquisa que aalisou modelos de trabalho (idividual, equipe, virtual e suas combiações) em relações prospectivas. Diferetemete das ateriores, as alterativas foram prédetermiadas. Cosideraram-se as respostas de executivos represetates de empresas atuates o Rio de Jaeiro (THIRY-CHERQUES, ). Foram realizadas etrevistas preparatórias. TABELA ª Pesquisa Saturação das alterativas de modelos de trabalho. Etrevistas Idividual () Combiação Idividual / equipe (&) Combiação Equipe / idividual (&) Equipe () Combiação Equipe / virtual (&) Combiação Virtual / equipe (&) Virtual () Combiação Virtual / idividual (&) Combiação Idividual / virtual (&) Meção a uma ova categoria ATabela sitetiza a saturação e a margem de seguraça de / das observações, com base as três pesquisas realizadas, sem que ovos elemetos, categorias ou modelos fossem acrescetados. TABELA Potos de saturação e margem de seguraça. OBSERVAÇÕES Novas categorias de efeito sobre a produção Novos sigos a Itraet Novos modelos de trabalho. CONCLUSÕES Esses resultados idicam que, para que se atija a saturação, é ecessário que o protocolo de pesquisas cotemple: Um míimo de observações, correspodetes ao míimo das recomedadas, acrescidas das ecessárias à cofirmação da saturação. Um máximo de observações, correspodetes ao limite das recomedadas, acrescidas de / de observações. Ultrapassado esse limite, evidecia-se que o poto de saturação é imprevisível e que, portato, o critério é iapropriado.. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BERTAUX, D. L approche biographique: sa validité méthodologique, ses potetialités. Cahiers Iteratioaux de Sociologie,v. LXIX, p. -,. COHEN, Louis; MANION, Lawrece; MORRISON, Keith. Research methods i educatio. Lodo: Routledge Falmer,. GLASER, Barey G.; STRAUSS, Aselm.The discovery of grouded theory. New York: Aldie Publishig,. GUEST, Greg; BUNCE, Arwe; JOHNSON, Laura. How may iterviews are eough: a experimet with data saturatio ad variability. Field Methods: Sage, [; -]. Recuperável em: <http://fmx.sagepup.com>. KAPLAN,Abraha. A coduta a pesquisa: metodologia para as ciêcias do comportameto. Tradução de Leôidas Hegeberg e Octay Vieira da Mota. São Paulo: Edusp, p.,. MANTZOUKAS, Stefaos. Issues of represetatio withi qualitative iquiry. Qualitative Research Health, p.,,. MORSE, Jaice M.; BARRET, Michael; MAGRI, Maria; OLSEN, Kari; SPIERS, Jude. Verificatio strategies for establishig reliability ad validity i qualitative research. Iteratioal Joural of Qualitative Methods. (), Sprig, p.-,.

8 Af-Revista Completa cores:layout // : PM Page SATURAÇÃO EM PESQUISA QUALITATIVA: ESTIMATIVA EMPÍRICA DE DIMENSIONAMENTO PANDIT, Naresh R. The creatio of theory: a recet applicatio of the grouded theory method. The Qualitative Report, v.,., Dec.. Dispoível em: <http://www.ova.edu/ssss/qr/qr-/padit.html>. PATTON, Michael Qui. Qualitative evaluatio ad research methods. Lodo: Sage Publicatios,. ROMNEY, A. Kiball; BATCHELDER,William H.; WELLER, Susa C. Recet applicatios of cultural cosesus theory. America Behavioral Scietist,., p., -,. SANDELOWISKI, Margarete. Sample size i qualitative methods. Research i Nursig & Health.USA: Joh Wiley,., p. -,. THIRY-CHERQUES, Hermao Roberto. Pierre Bordieu: a teoria a prática. Revista de Admiistração Pública,., p. -, a... Idividualismo e carreira: o duplo costragimeto. I: Gestão e carreiras: dilemas e perspectivas. Moisés Balassiao (org.). São Paulo: Atlas, b.. A segregação virtual: uma aplicação do istrumetal da semiótica estruturalista à aálise do impacto da Itraet sobre a vida o trabalho. I: XXX ENAMPAD. Salvador, c..o trabalho idividualizado: uma discussão estruturalista da aplicação da categoria da dádiva de Marcel Mauss as relações orgaizacioais. I: Th Iteratioal Meetig of the Iberoamerica Academy of Maagemet. Lisboa, p. -,. TRIBBLE, Deise St-Cyr; SAINTONGE, Lie. Réalité, subjectivité et crédibilité e recherche qualitative: quelques questioemets. Recherches Qualitatives, v., [-]. TOULMIN, Stephe. Os usos do argumeto.tradução de Reialdo Guaray. São Paulo: Martis Fotes,.

CAPÍTULO 8 - Noções de técnicas de amostragem

CAPÍTULO 8 - Noções de técnicas de amostragem INF 6 Estatística I JIRibeiro Júior CAPÍTULO 8 - Noções de técicas de amostragem Itrodução A Estatística costitui-se uma excelete ferrameta quado existem problemas de variabilidade a produção É uma ciêcia

Leia mais

Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Departamento de Matemática A Colocação por mínimos quadrados e a sua aplicação à Geodesia Física

Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Departamento de Matemática A Colocação por mínimos quadrados e a sua aplicação à Geodesia Física Faculdade de Ciêcias da Uiversidade de Lisboa Departameto de Matemática A Colocação por míimos quadrados e a sua aplicação à Geodesia Física João Catalão Lisboa, Colocação por míimos quadrados Ídice. Itrodução....

Leia mais

Pela Aplicabilidade -com um maior Rigor Científico- dos Estudos de Caso em Sistemas de Informação

Pela Aplicabilidade -com um maior Rigor Científico- dos Estudos de Caso em Sistemas de Informação Pela Aplicabilidade -com um maior Rigor Científico- dos Estudos de Caso em Sistemas de Informação Marlei Pozzebon Henrique M. R. de Freitas RESUMO O objetivo deste trabalho é aprofundar o conhecimento

Leia mais

Manual sobre o Valor do Dinheiro no Tempo

Manual sobre o Valor do Dinheiro no Tempo Maual sobre o Valor do Diheiro o Tempo...Dai de graça o que de graça recebeste... A oção de que um dólar hoje é preferível a um dólar em algum mometo o futuro é bastate ituitiva para a maioria das pessoas

Leia mais

Revista de Contabilidade e Organizações, vol. 6 n. 14 (2012) p. 127-144

Revista de Contabilidade e Organizações, vol. 6 n. 14 (2012) p. 127-144 Revista de Contabilidade e Organizações Revista de Contabilidade e Organizações, vol. 6 n. 14 (2012) p. 127-144 ESTUDOS DE CASO E SUA APLICAÇÃO: PROPOSTA DE UM ESQUEMA TEÓRICO PARA PESQUISAS NO CAMPO DA

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA: um manual para a realização de pesquisas em administração

METODOLOGIA CIENTÍFICA: um manual para a realização de pesquisas em administração UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS CATALÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO METODOLOGIA CIENTÍFICA: um manual para a realização de pesquisas em administração Prof. Maxwell Ferreira de Oliveira CATALÃO-GO 2011

Leia mais

Conceitos de resultado: lucro ou prejuízo - a divulgação adequada para o controle e avaliação de estratégias

Conceitos de resultado: lucro ou prejuízo - a divulgação adequada para o controle e avaliação de estratégias 185 Conceitos de resultado: lucro ou prejuízo - a divulgação adequada para o controle e avaliação de estratégias Silvio Aparecido Crepaldi (Mestre) Faculdade de Administração - Unifenas Guilherme Simões

Leia mais

Método do Estudo de Caso (Case Studies) ou Método do Caso (Teaching Cases)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração.

Método do Estudo de Caso (Case Studies) ou Método do Caso (Teaching Cases)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração. Método do Estudo de Caso (Case Studies) ou Método do Caso (Teaching Cases)? Uma análise dos dois métodos no Ensino e Pesquisa em Administração. Autoria: Ana Maria Roux Valentini Coelho Cesar Doutora em

Leia mais

OBTENÇÃO DE GRAVIOLA EM PO PELO PROCESSO DE LIOFILIZAÇÃO

OBTENÇÃO DE GRAVIOLA EM PO PELO PROCESSO DE LIOFILIZAÇÃO Revista Brasileira de Produtos Agroidustriais, Campia Grade, Especial, v.7,.2, p.165-172, 2005 165 ISSN 1517-8595 OBTENÇÃO DE GRAVIOLA EM PO PELO PROCESSO DE LIOFILIZAÇÃO Mario Eduardo R.M. Cavalcati Mata

Leia mais

COLÉGIO TÉCNICO HENRIQUE HENNRY (tam. 18, centralizado, negrito, caixa alta)

COLÉGIO TÉCNICO HENRIQUE HENNRY (tam. 18, centralizado, negrito, caixa alta) COLÉGIO TÉCNICO HENRIQUE HENNRY (tam. 18, centralizado, negrito, caixa alta) CURSO TÉCNICO EM PROJETO TÉCNICO CIENTÍFICO (tam. 16, centralizado, negrito, caixa alta) TÍTULO DO PROJETO (tam.

Leia mais

Quantitativo-Qualitativo: Oposição ou Complementaridade?

Quantitativo-Qualitativo: Oposição ou Complementaridade? ARTIGO / ARTICLE Quantitativo-Qualitativo: Oposição ou Complementaridade? Quantitative and Qualitative Methods: Opposition or Complementarity? Maria Cecilia de S. Minayo 1 Odécio Sanches 2 MINAYO, M. C.

Leia mais

http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm?fuseaction=artigo&id=1459&secao=pwc&volume=1 &Numero=2&Ano=2002

http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm?fuseaction=artigo&id=1459&secao=pwc&volume=1 &Numero=2&Ano=2002 A GESTÃO DO CONHECIMENTO: CONECTANDO ESTRATÉGIA E VALOR PARA A EMPRESA Por: RAE-eletrônica, Volume 1, Número 2, jul-dez/2002. http://www.rae.com.br/eletronica/index.cfm?fuseaction=artigo&id=1459&secao=pwc&volume=1

Leia mais

ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NA TEORIA DE MAX WEBER: CONSIDERAÇÕES EM TORNO DO TEMA

ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NA TEORIA DE MAX WEBER: CONSIDERAÇÕES EM TORNO DO TEMA S o c i o l o g i a ESTRATIFICAÇÃO SOCIAL NA TEORIA DE MAX WEBER: CONSIDERAÇÕES EM TORNO DO TEMA MARCELO RODRIguES LEMOS Mestre em Ciências Sociais pela universidade Federal de uberlândia (ufu), graduado

Leia mais

Um novo modelo de pesquisa de clima organizacional

Um novo modelo de pesquisa de clima organizacional Carlos Alberto Ferreira Bispo Um novo modelo de pesquisa de clima organizacional CARLOS ALBERTO FERREIRA BISPO EESC USP Resumo O objetivo deste artigo é apresentar um novo modelo de pesquisa de clima organizacional

Leia mais

Como Escrever um Relato de Experiência

Como Escrever um Relato de Experiência Agenda WAMPS 2011 - VII Workshop Anual do MPS Como Escrever um Relato de Experiência Introdução Estrutura do Texto de um Relato Preparação do Texto Ética e Plágio Processo de Revisão de um Artigo Apresentação

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão Miriam Belchior INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes Diretor-Executivo

Leia mais

ORGANIZAÇÕES INOVADORAS: EXISTE UMA CULTURA ESPECÍFICA QUE FAZ PARTE DESTE AMBIENTE?

ORGANIZAÇÕES INOVADORAS: EXISTE UMA CULTURA ESPECÍFICA QUE FAZ PARTE DESTE AMBIENTE? ORGANIZAÇÕES INOVADORAS: EXISTE UMA CULTURA ESPECÍFICA QUE FAZ PARTE DESTE AMBIENTE? ARTIGO ADMINISTRAÇÃO GERAL Denise Del Prá Netto Machado Professora do Departamento de Administração e do Programa de

Leia mais

Estudos quantitativos em educação

Estudos quantitativos em educação Estudos quantitativos em educação Bernardete A. Gatti Fundação Carlos Chagas Resumo O artigo trata de estudos em educação, realizados no Brasil nas últimas três décadas, utilizando abordagens quantitativas.

Leia mais

Documentary research: theoretical and methodological clues

Documentary research: theoretical and methodological clues Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas Documentary research: theoretical and methodological clues Jackson Ronie Sá-Silva 1 Cristóvão Domingos de Almeida 2 Joel Felipe Guindani 3 Resumo: O

Leia mais

Autoria: Daniela Aparecida Araújo, Ricardo César Alves, Jorge Sundermann, Ramon Silva Leite

Autoria: Daniela Aparecida Araújo, Ricardo César Alves, Jorge Sundermann, Ramon Silva Leite Organizações Sem Fins Lucrativos e a Gestão Estratégica: Um Estudo da Eficiência Operacional pelo Modelo de Análise da Competitividade do Instituto Alemão de Desenvolvimento - IAD Autoria: Daniela Aparecida

Leia mais

Qual o sentido de Rawls para nós?

Qual o sentido de Rawls para nós? Qual o sentido de Rawls para nós? Luiz Eduardo de Lacerda Abreu Sumário 1. Introdução. 2. Uma teoria da justiça como o exercício de uma filosofia crítica. 3. As concepções políticas de justiça e as doutrinas

Leia mais

MOTIVAÇÃO NO TRABALHO: UMA APLICAÇÃO DO MODELO DOS DOIS FATORES DE HERZBERG

MOTIVAÇÃO NO TRABALHO: UMA APLICAÇÃO DO MODELO DOS DOIS FATORES DE HERZBERG MOTIVAÇÃO NO TRABALHO: UMA APLICAÇÃO DO MODELO DOS DOIS FATORES DE HERZBERG Prof. MSc. Saulo Emmanuel Vieira Maciel UFPB Campus IV. Prof a Dr a Maria Auxiliadora Diniz de Sá UFPB Campus I. Resumo No intuito

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAMESC

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAMESC 1 MANUAL DE NORMATIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAMESC Quissamã RJ 2012 2 FACULDADE METROPOLITANA SÃO CARLOS MANUAL DE NORMATIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA FAMESC Manual para utilização dos trabalhos

Leia mais

Tomada de Decisão Usando o Analytic Hierarchy Process (AHP) para a Seleção de um Curso para Concurso Público

Tomada de Decisão Usando o Analytic Hierarchy Process (AHP) para a Seleção de um Curso para Concurso Público Disponível em http:// TAC, Rio de Janeiro, v. 2, n. 1, art. 2, pp. 19-32, Jan./Jun. 2012 Tomada de Decisão Usando o Analytic Hierarchy Process (AHP) para a Seleção de um Curso para Concurso Público Decision-making

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM PROJETO DE PESQUISA

ELABORAÇÃO DE UM PROJETO DE PESQUISA ELABORAÇÃO DE UM PROJETO DE PESQUISA INTRODUÇÃO: A elaboração de trabalhos acadêmicos é uma habilidade pontual na formação de qualquer profissional que empreende pesquisas e constrói conhecimentos no decorrer

Leia mais

Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação

Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação Metodologia da Pesquisa e Elaboração de Dissertação UFSC Universidade Federal de Santa Catarina http://www.ufsc.br Reitor Rodolfo Joaquim Pinto da Luz Vice-Reitor Lúcio Botelho CTC Centro Tecnológico http://www.ctc.ufsc.br

Leia mais

Análise da Dialética Ferramenta-Objeto na Construção do Conceito de Função

Análise da Dialética Ferramenta-Objeto na Construção do Conceito de Função LOURIVAL PEREIRA MARTINS Análise da Dialética Ferramenta-Objeto na Construção do Conceito de Função MESTRADO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PUC/SP São Paulo 2006 1 LOURIVAL PEREIRA MARTINS Análise da Dialética

Leia mais

EQUILÍBRIO DE COMPLEXAÇÃO

EQUILÍBRIO DE COMPLEXAÇÃO EQUILÍBRIO DE COMPLEXAÇÃO De acordo com a Teoria de Lewis, ácidos são espécies receptoras de pares de elétros e bases são espécies doadoras de pares de elétros. De acordo com as reações e abaixo, ota-se

Leia mais

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo:

Quanto aos meios, trata-se de uma pesquisa bibliográfica, documental, telematizada e pesquisa de campo, conforme descrito abaixo: 3 METODOLOGIA Apresenta-se a seguir a descrição da metodologia utilizada neste trabalho com o objetivo de expor os caminhos que foram percorridos não só no levantamento dos dados do estudo como também

Leia mais

VALOR ECONÔMICO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL: ESTUDO DE CASO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA MONUMENTA

VALOR ECONÔMICO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL: ESTUDO DE CASO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA MONUMENTA 92. VALOR ECONÔMICO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL: ESTUDO DE CASO DE AVALIAÇÃO DO PROGRAMA MONUMENTA Fernanda Gabriela Borger Universidade Católica de Santos - Unisantos f.gabrielaborger@ig.com.br Walter

Leia mais