Plano de treino Triatlo de Cascais 2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de treino Triatlo de Cascais 2015"

Transcrição

1 Plano de treino Triatlo de Cascais 2015 Coach Paulo Conde Ironconde Academy

2 INTRODUÇÃO Esta planificação de treino para o triatlo é genérica, será dirigida a todas as pessoas que praticam triatlo de forma não profissional, combinando o seu pouco tempo disponível para treinar, com a sua vida laboral/familiar, onde o objetivo principal é cortar a linha de chegada nas três distâncias definidas na competição (Triatlo Sprint 750m- 20Km-5K / Triatlo Olímpico 1,5Km-40Km-10Km e Half-Ironman 1,9Km-90Km-21,1Km). Trata-se de um planeamento geral, que de forma gradual subirá o volume e intensidade, com a finalidade de atingirmos os nossos objetivos. Recomendamos a todos os atletas que sigam este plano de treinos, realizem uma prova de esforço antecipadamente, a fim de prevenir/salvaguardar quaisquer problemas de saúde. O planeamento de cada microciclo poderá ser descarregado diretamente da página oficial do site:

3 INTRODUÇÃO Referência do macrociclo, mesociclo e microciclo; Distância acumulada total, semanal e diária; Objetivo semanal (Geral e Específico de cada disciplina); Competições; Comentários (directrizes técnicas gerais de cada microciclo semanal); O microciclo tem uma estrutura lógica, onde se incluem sessões de descanso e de grande volume/intensidade, estrategicamente estabelecidos para uma óptima supercompensação. Preparação da prova: Identificar o percurso da competição; Previsão meteorológica, quando estiver perto da prova; Nadar nas mesmas condições da competição. Compare todos esses componentes da prova com seus próprios pontos fortes e fracos.

4 NATAÇÃO No planeamento apresentado aparece uma planificação de treinos de natação, a qual pressupõe que o atleta já saiba nadar, daí a exigência de algumas tarefas. Nas tarefas mais importantes terá uma breve indicação da intensidade do esforço a ser realizado. Se a natação for a sua maior dificuldade e achar que não consegue cumprir este planeamento, aconselhamos a que contacte uma Escola de Triatlo ou um Clube de Natação para elevar o seu nível de nado com a supervisão de um professor.

5 CICLISMO E CORRIDA Os treinos delineados para a realização do seu primeiro triatlo nestes segmentos são mais básicos do que os da natação. O único factor a dar mais atenção é a intensidade que está descrita e que deverá ser respeitada.

6 TRANSIÇÕES "O Triatlo é um desporto combinado de resistência no qual o atleta efectua, individualmente, um segmento de Natação, um segmento de Ciclismo e um segmento de Corrida, por esta ordem e sem paragem do cronómetro durante as transições". Em função desta condicionante da modalidade é necessário treinar transições, não só para uma adaptação muscular especifica às exigências da modalidade, como à rapidez necessária em cada uma delas. Os treinos de transição planeados são de crucial importância e devem ser realizados simulando uma competição.

7 MATERIAL Para o seu primeiro Triatlo não consideramos que deva fazer um grande investimento. Deve tentar treinar e competir com uma bicicleta adaptada à sua morfologia, de preferência de ciclismo. Um par de sapatos de corrida é suficiente para treinar e competir, não esquecendo que deverá colocar uns elásticos em vez dos atacadores, para tornar a transição onde os calça mais fácil e rápida. O resto do equipamento de prova resume-se a um capacete, uma camisola e um calção de natação. O segmento de natação, por vezes, pode ser um problema devido à necessidade de fato isotérmico em algumas provas realizadas em águas mais frias. De qualquer forma, julgamos que nesta prova o problema do frio não se verificará. Caso vá tentar a realização de um Triatlo um pouco maior e no mar, tente pedir um fato isotérmico emprestado. A maior preocupação em termos de equipamento deve ser o conforto, para este não comprometer a realização do seu primeiro Triatlo.

8 A PROVA No dia da competição encare o seu desafio com naturalidade e sem medo, pois se cumpriu o planeamento irá terminar o seu primeiro Triatlo com grande facilidade. Dicas para cada modalidade: Natação Crie situações parecidas com as quais encontrará no dia da prova, como a ondulação, água escuras em diferentes temperaturas; Nunca se esqueça da técnica de natação para ser mais eficiente e evitar também as lesões.

9 A PROVA Ciclismo: A segurança está sempre em primeiro lugar, não se esqueça do capacete, calções confortáveis, sapatos de ciclismo adequados e uma bicicleta que o faça utilizar o mínimo de força, se possível invista num avanço para favorecer a aerodinâmica; Fique atento ao ajuste da bicicleta para maximizar a força e diminuir a possibilidade de lesões; Certifique sempre as principais posições na bicicleta, como altura do assento em relação aos pedais e ao guiador; Quando determinar a posição como óptima, marque tudo com uma fita adesiva para determinar mais facilmente as posições ideais caso tenha de proceder a alterações/ajustes na bicicleta.

10 A PROVA Corrida: Correr é, sem dúvida, a modalidade do triatlo que lhe poderá causar maiores lesões, devido ao impacto constante dos pés contra o solo. Por isso, todo cuidado é pouco. Troque de ténis frequentemente. Este não é o segmento onde deverá economizar gastos. Se correr mais que 25 km por semana, seis meses já é um período muito longo para um par de ténis; Tenha pelo menos dois pares de ténis para intercalar durante a semana; Determine que tipo de passada tem: neutro, pronador ou supinador para comprar o par de ténis ideal. A melhor coisa é consultar uma boa clínica desportiva; Antes de começar a correr realize um bom aquecimento de corrida. Inicie os treinos de corrida com uma frequência cardíaca baixa e aumente-a gradualmente; Os alongamentos deverão ser realizados diariamente;

11 AQUECIMENTO O aquecimento faz parte da estrutura de qualquer sessão de treino. O aquecimento consiste em preparar o corpo para a carga de treino/trabalho que se vai realizar. Ele aumenta a eficiência do seu principal equipamento o corpo além de prevenir lesões pelo mau uso do mesmo; O aquecimento é encarado com uma dupla função muito importante. Por um lado, previne lesões, em segundo lugar, melhora o desempenho da actividade física praticada;

12 Aquecimento adequado para cada segmento. Na água (piscina / mar / rio) A natação é um dos desportos em que o pré-aquecimento antes da entrada na água é o mais importante. Em primeiro lugar, porque sendo um desporto de maior envolvimento da parte superior do corpo e tende a ter uma maior inactividade em relação à parte inferior, além disso, o facto de podermos desenvolver esta atividade em ambiente frio ou temperado, ocorre uma grande perda o calor do corpo, o que pode aumentar o risco de lesão se não aquecermos bem. O aquecimento fora de água deve durar entre minutos e incluir os seguintes exercícios: Exercícios de mobilidade articular, o que vai ajudar a estimular a circulação: movimentos suaves do pescoço, ombros ir para cima e para baixo, círculos com os ombros, rodar os braços para a frente e para trás. Exercícios tonificação. Exercícios com banda elástica suave/elásticos promovendo o aquecimento de determinadas estruturas musculares especificas - (deltóide, dorsal, ombros, bíceps, rotadores externos e internos do ombro...). Exercícios de alongamento. Uma vez feito o aquecimento correto ao pé da piscina, é altura para o aquecimento específico dentro água.

13 Aquecimento adequado para cada segmento. Aquecimento na Bicicleta Aquecimento Geral: Os principais objetivos fisiológicos do aquecimento geral são: obter um aumento da temperatura corporal, da temperatura muscular e preparação do sistema cardiovascular e pulmonar para a atividade a realizar. Aquecimento Específico: O aquecimento específico deve ser realizado após o aquecimento geral. Este tipo de aquecimento é fundamental nas modalidades desportivas. Consiste em exercícios que se assemelham tecnicamente aos que serão executados na atividade posterior. Com exercícios direcionados aos principais grupos musculares da atividade. Duração do aquecimento: Uma boa sessão de aquecimento dura de 15 a 25 min, dependendo do tipo de sessão de treino/competição e da disponibilidade de tempo, reservando de 40 a 50% para o aquecimento geral.

14 Aquecimento adequado para cada segmento. Como fazer na prática: A primeira parte do aquecimento (Geral) pode ser feita já na bicicleta, pedalando confortavelmente. Se já utiliza um medidor de frequência cardíaca, regule o esforço para 60 a 70%, utilizando o ritmo da pedalada para tal (lembre-se disso também ao passar por elevações/declives). O aquecimento específico pode começar com alternância de ritmo da pedalada (cadência). Numa relação mais leve que a do aquecimento geral, poderá fazer intervalos de 1 min, aumentando a cadência, seguidos de 1 minuto de recuperação com a uma cadência mais reduzida.

15 Aquecimento adequado para cada segmento. Aquecimento na corrida O aquecimento na corrida pode variar de acordo com o treino que irá realizar e o tempo que dispõe. Necessita de pelo menos 15 a 20 minutos de atividade fácil, o que lhe permite aumentar a frequência cardíaca e respiratória, aumento do fluxo sanguíneo nas partes musculares solicitadas, de forma progressiva, preparando o organismo para ser o mais eficiente possível quando enfrentar uma atividade física mais intensa, a fim de evitar lesões. Para uma sessão de treino mais intensa é recomendado, além de corrida ligeira, 4 a 6 progressões entre os 60 e os 80 metros e uma sessão de alongamento leve, a fim de promover a irrigação muscular e preparar o corpo para uma atividade de maior intensidade.

16 NUTRIÇÃO As questões alimentares, tanto no dia-a-dia, como no que toca aos aportes energéticos necessários durante o treino e competições, por si só são um tema bastante extenso e de grande importância. Como desporto de endurance e de longa duração, o Triatlo Sprint /Triatlo Olímpico ou o Triatlo half-ironman exige do organismo a capacidade de produzir uma grande quantidade de energia, durante um curto/longo período de tempo. Em prova/treino deverão ser ingeridos alimentos ricos em hidratos de carbono e pobres em proteínas e fibras, bom exemplo desta composição é o gel energético que as grandes marcas de nutrição desportiva produzem. A quantidade de calorias que deve ingerir por hora depende do seu peso e das suas necessidades energéticas, sendo que a média deverá rondar cerca de 200/400 calorias por hora. Outro aspecto fundamental da nutrição em prova/treino, e mais importante que os hidratos de carbono ingeridos, é a hidratação.

17 NUTRIÇÃO Não é por acaso que se diz que uma má performance se deve apenas a uma de duas razões: andar acima do nosso ritmo e à desidratação. A hidratação em prova/treino é fundamental para o sucesso de qualquer atleta. A ingestão dos suplementos deverá ser testada em treino, da mesma marca e sabor, e o mais próximo possível da velocidade de competição esperada. As competições integradas no planeamento são uma óptima forma de se habituar e testar, como também para treinar o transporte e técnica de ingestão necessária em pleno esforço.

18 HIDRATAÇÃO Durante os treinos Mantenha-se hidratado com bebidas energéticas; Consuma entre as sessões de treino alimentos com elevado índice glicémico, barras e géis; Após treinos longos e pesados ingira bebidas de recuperação / fastrecovery; Não use suplementos de vitaminas e minerais e/ou complementos proteicos ou de aminoácidos sem orientação do nutricionista. Antes da prova Aumentar o consumo de hidratos de carbono até 3 semanas antes comendo massas/arroz, por exemplo, sem molhos gordurosos, sobretudo no jantar da noite anterior à prova. Dia da competição Os alimentos sólidos são aconselhados até quatro horas antes da prova; Utilize alimentos de baixo índice glicémico, 30 a 60 minutos antes da competição; 2 horas antes da competição beba 500 ml de água; Até 30 minutos antes do início da prova tome de 100 a 300 ml de água.

19 HIDRATAÇÃO Durante a competição A cada 20 minutos ingerir 200 a 300 ml de água; Após uma 1h de competição consuma bebidas energéticas, na diluição indicada pelo fabricante quando em pó, evitando com isso problemas gastrointestinais. Essas soluções devem ser isotónicas com 6% a 8% de hidrato carbono (ler rótulo); Use géis e barras, coma pequenas quantidades destes suplementos na bicicleta podem ser uma boa estratégia durante a prova.

20 ZONAS DE TREINO Cada um dos planos de treino vai indicar a zona de treino a treinar, irá treinar em 5/6 zonas distintas de acordo com o objetivo de cada sessão. Irei diferenciar os níveis de velocidade em Z1 Z2 Z3 Z4 Z5/6. Zona 1 Zona 2 Zona 3 Zona 4 Zona 5 Zona 6 Zonas de Treino Aeróbio Regenerativo Aeróbio Extensivo (AII) Aeróbio Intensivo(AIII) Capacidade Aeróbia (LAN) Potência Aeróbia (VO2) Anaeróbio Láctico (LAC) Descrição Muito lento para recuperar e aquecer ou quando cansado e a seguir a dias duros; Treino à velocidade "normal". Treino contínuo comum; Ritmo um pouco mais forte para treinos em grupo mais exigentes; Ritmo de competição (Prova); Um pouco acima do ritmo de competição ou ritmo possível para a distância em causa; Muito próximo do máximo possível para a distância em causa; Zona 1 (Recuperação) Treinos muito suaves de recuperação ativa, aquecimento e descanso entre os treinos de maior intensidade. É muito importante respeitar estas sessões quando são solicitadas no planeamento. Sem descanso não há melhorias.

21 ZONAS DE TREINO Zona 2 Treinos fáceis, a ritmos constantes e podem ser longa duração. Treinos de construção e melhoria da nossa resistência aeróbia. Treino em que irá conseguir facilmente manter uma conversação. Zona 3 O treino nesta zona beneficiará o seu coração, e a capacidade respiratória. Treinar nesta zona irá aumentar a capacidade aeróbia, aumento da capacidade pulmonar. Ritmo Inferior às intensidades de competição. Existe algum "desconforto, que se consegue suportar por longos períodos. (Ritmo de competição num Half-ironman). Zona 4 Nesta zona o organismo aprende a metabolizar o ácido láctico. Zona de treino dura, onde não deveremos permanecer mais de 1 hora. Ritmo máximo constante de competição para provas com cerca de 1h00 de duração Ritmo Típico para Provas na Distância Sprint/olímpico. Zona 5/6 Não deverá treinar nesta zona a não ser que esteja em óptima forma. Se treinar nesta zona, deverá permanecer por períodos de tempo muito curtos.

22 ZONAS DE TREINO Para todas as tarefas de intensidade mais elevada para a corrida, assinaladas a laranja/amarelo, deve aquecer 20 minutos, realizar de seguida a tarefa proposta e efectuar um retorno á calma de 10 minutos no final. Para todas as Tarefas de intensidade mais elevada para o ciclismo, assinaladas a laranja/amarelo, deves aquecer 30 minutos, realizar de seguida a tarefa proposta e efectuar um retorno á calma de 15 minutos no final. 1, 2, 3 - Ordem de realização das tarefas nas situações de transição (natação ciclismo corrida)

23 LEGENDA NATAÇÃO L Livres/Crol B Bruços C Costas M Mariposa PRL Batimento Pernas Crol. EE Estilo à Escolha. Bil Respiração Bilateral (para os 2 lados alternado 3 em 3). E Estilos (M+C+B+L) CA Cotovelo Alto (Dedos aponta fundo piscina na fase subaquática e Cotovelo bem alto na recuperação aérea). RTRI Cada ciclo Respiratório olha frente bóia na recuperação. Barb. Barbatanas Se possível flexíveis, específicas de natação. TEFI Na saída da mão atrás esticar bem o braço e acabar braçada antes da recuperação aérea.

24 LEGENDA NATAÇÃO RO Roda os Ombros-Rotação particularmente grande da cintura escapular. Int. Intervalo entre Repetições. TecL. Exercícios Técnicos em Crol. CU Catch Up (inicia braçada depois de uma mão se juntar à outra, à frente da cabeça). ACE Aceleração Gradual da velocidade ao longo da distância proposta para cada repetição.

25

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO OLÍMPICO INTERMÉDIO

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO OLÍMPICO INTERMÉDIO A Triathlon Performance Solutions apresenta: O plano de corrida de doze semanas Distância de corrida: Olímpica Nível atlético: Atleta intermédio com pelo menos dois anos de experiência de competição de

Leia mais

Por Personal Trainer Rui Barros

Por Personal Trainer Rui Barros Por Personal Trainer Rui Barros MANTER O PONTO DE EQUILIBRIO E NÃO RESISTIR À MUDANÇA Uma vez que estamos a terminar o nosso ciclo de treinos de verão, gostava de deixar ao leitor uma mensagem de conforto

Leia mais

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE 1 ESTRUTURA DA PLANILHA ESTRUTURA DA PLANILHA Dia da Semana: Procure seguir a ordem da planilha. Descrição detalhada do seu PRIMEIRO TREINO: Aqui

Leia mais

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO DE SPRINT INTERMÉDIO

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO DE SPRINT INTERMÉDIO A Triathlon Performance Solutions apresenta: O plano de corrida de doze semanas Distância de corrida: Sprint Nível atlético: Atleta intermédio com pelo menos dois anos de experiência em sprint ou em triatlo

Leia mais

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO OLÍMPICO PRINCIPIANTE

PROGRAMA DE TREINO DE 12 SEMANAS PARA TRIATLO OLÍMPICO PRINCIPIANTE A Triathlon Performance Solutions apresenta: O plano de corrida de doze semanas Distância de corrida: Olímpica Nível atlético: Atleta principiante no primeiro ou segundo ano de competição de triatlo de

Leia mais

Equipamento adequado. Tênis. Objetivo do tênis

Equipamento adequado. Tênis. Objetivo do tênis A corrida é uma atividade aeróbica que traz diversos benefícios para o nosso corpo e nossa mente. Quando praticada com regularidade, nos ajuda a perder peso e a aumentar a massa magra, além de aumentar

Leia mais

Período de Preparação Período de Competição Período de Transição

Período de Preparação Período de Competição Período de Transição PERIODIZAÇÃO Desde que a chamada "Ciência do Esporte" passou a sistematizar e metodizar o Treinamento Desportivo, a periodização passou a ser a única forma de se organizar todo o trabalho realizado durante

Leia mais

CHEGUE ELEGANTE À PRAIA E TENHA MAIS SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA

CHEGUE ELEGANTE À PRAIA E TENHA MAIS SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA CHEGUE ELEGANTE À PRAIA E TENHA MAIS SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA Por Personal Trainer Rui Barros BENEFICIOS DO EXERCICIO FISICO E INFLUÊNCIA NA QUALIDADE DE VIDA: Os benefícios de um estilo de vida fisicamente

Leia mais

O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS

O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS PEDRO MAIA FITNESS & CYCLING BIKE PERSONAL TRAINER O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS PLANEAMENTO OS PRINCÍPIOS DE TREINO Quando treinamos, temos como principal objetivo melhorar alguns dos aspetos das nossas

Leia mais

http://ganharpeso.info

http://ganharpeso.info Saiba Porque Não Consegue Ganhar Peso Já pensou inúmeras vezes na sua vida porque é que não consegue ganhar peso nem massa muscular) e, em 90% dos casos, terá pensado que se deve à sua genética. Se os

Leia mais

Organização do treino de Badminton

Organização do treino de Badminton Organização do treino de Badminton Introdução O treino tem sempre uma variabilidade de factores enorme, qual o objectivo, a quem se destina, iniciação ou alto rendimento, qual a altura da época que nos

Leia mais

O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS

O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS O TREINO DEPOIS DOS 50 ANOS COMO SUPERAR O SEU RECORD PESSOAL Depois de quebrada a barreira de muitos km a pedalar e terminadas com algum conforto as primeiras provas de Granfondo e Ultra Endurance, surge

Leia mais

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores que contribui efetivamente para uma melhor qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

MÉTODOS DE TREINAMENTO INTERVALADOS 2 COMPONENTES DO MÉTODO DE TREINO INTERVALADO

MÉTODOS DE TREINAMENTO INTERVALADOS 2 COMPONENTES DO MÉTODO DE TREINO INTERVALADO MÉTODOS DE TREINAMENTO INTERVALADOS 1 INTRODUÇÃO O método de treino por intervalos caracteriza-se por exercícios onde o organismo é submetido a períodos curtos, regulares e repetidos de trabalho com períodos

Leia mais

Efeitos da Inactividade e Readaptação Física do Desportista após uma lesão

Efeitos da Inactividade e Readaptação Física do Desportista após uma lesão Efeitos da Inactividade e Readaptação Física do Desportista após uma lesão por Mestre Francisco Batista Escola Superior de Educação de Almeida Garrett - Lic. Educação Física 1 Introdução Como sabemos uma

Leia mais

PEDRO MAIA FITNESS & CYCLING

PEDRO MAIA FITNESS & CYCLING TREINOS INDOOR Vá para fora cá dentro Assim dizia um slogan turístico há uns anos atrás e que se aplica na perfeição a este género de treino. Apesar deste ano estarmos a ter um Inverno frio mas clemente

Leia mais

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS 1 MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS Prof. Dr. Valdir J. Barbanti Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo A musculação refere-se à forma de exercícios que envolvem

Leia mais

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível.

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível. VALÊNCIAS FÍSICAS RESISTÊNCIA AERÓBICA: Qualidade física que permite ao organismo executar uma atividade de baixa para média intensidade por um longo período de tempo. Depende basicamente do estado geral

Leia mais

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bemestar.

A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bemestar. Actividade Física A actividade física e o desporto: um meio para melhorar a saúde e o bemestar. Saiba mais... Importância da actividade física Programa básico de exercício Determinar o grau de preparação

Leia mais

BIKE PERSONAL TRAINER O TREINO DE CICLISMO DEPOIS DOS 50 ANOS

BIKE PERSONAL TRAINER O TREINO DE CICLISMO DEPOIS DOS 50 ANOS O TREINO DE CICLISMO DEPOIS DOS 50 ANOS Tendo em conta o que foi descrito no artigo anterior, vamos então pôr em prática os conceitos necessários para tornar reais as adaptações benéficas ao treino e sobretudo

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde.

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Professora de Educação Física HelenaMiranda FITNESSGRAM O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Todos os elementos incluídos no Fitnessgram foram

Leia mais

Por Personal Trainer Rui Barros

Por Personal Trainer Rui Barros Por Personal Trainer Rui Barros 1ª Parte do ( 3ª Semana) Treino cardiovascular, que visa a queima de gorduras em excesso em todas as regiões do corpo. Esta semana como estamos em plena época de praia vamos

Leia mais

e dos testes de avaliação

e dos testes de avaliação TEMA 3 FILME 01 TEMA 3 Treino dos fatores físicos e dos testes de avaliação Documento bruno Boucher 1 e dos testes de avaliação Os tempos de referência O catálogo do treino O circuito II de musculação

Leia mais

DIVISÃO DESENVOLVIMENTO SOCIAL GABINETE DE DESPORTO

DIVISÃO DESENVOLVIMENTO SOCIAL GABINETE DE DESPORTO DIVISÃO DESENVOLVIMENTO SOCIAL GABINETE DE DESPORTO TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO PARA IDOSOS Introdução Uma velhice tranquila é o somatório de tudo quanto é beneficio do organismo, como por exemplo, exercícios

Leia mais

treinofutebol.net treinofutebol.net

treinofutebol.net treinofutebol.net Alimentação do Desportista A alimentação pode influenciar positiva ou negativamente o rendimento dum atleta, devendo consequentemente ser orientada no sentido de não só melhorar a sua capacidade desportiva,

Leia mais

Perder Peso Pedalando

Perder Peso Pedalando Perder Peso Pedalando Pedalar: Caminho para um estilo de vida saudável. Tudo o que você precisa saber. Quase todo mudo quer perder peso para melhorar a aparência e também para a melhora geral da saúde.

Leia mais

O QUE CONTA É A QUALIDADE DO PESO E NÃO A QUANTIDADE Pode parecer magro e afinal estar obeso!!!

O QUE CONTA É A QUALIDADE DO PESO E NÃO A QUANTIDADE Pode parecer magro e afinal estar obeso!!! O QUE CONTA É A QUALIDADE DO PESO E NÃO A QUANTIDADE Pode parecer magro e afinal estar obeso!!! Por Personal Trainer Rui Barros PESO / ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO CORPORAL VS. PESO IDEAL O peso ideal é aquele

Leia mais

A, B Preto, Branco etc.

A, B Preto, Branco etc. 1 2 Qualidade a desenvolver Velocidade Reacção Velocidade máxima Conteúdos e métodos a utilizar Jogos de reacção (Barra do lenço, A e B) com distâncias entre 10 e 15 metros Jogos e repetições curtas Distâncias

Leia mais

Dr. Milton Mizumoto Diretor Médico da Corpore

Dr. Milton Mizumoto Diretor Médico da Corpore Manual do corredor n Este manual tem como objetivo orientar o corredor iniciante que pretende praticar corridas em busca de bem estar e condicionamento físico. n São dicas aprendidas em livros e observações

Leia mais

Desafio de Perda de Peso da Herbalife

Desafio de Perda de Peso da Herbalife Desafio de Perda de Peso da Herbalife Um grupo de apoio para quem quer saber mais sobre nutrição equilibrada e controlo de peso. Nutrição para uma vida melhor. O que é que tem a perder? Não se trata apenas

Leia mais

SUGESTÕES DE PROGRAMAS DE TREINAMENTO FISICO PARA OS CANDIDATOS AOS CURSOS DE OPERAÇÕES NA SELVA

SUGESTÕES DE PROGRAMAS DE TREINAMENTO FISICO PARA OS CANDIDATOS AOS CURSOS DE OPERAÇÕES NA SELVA MINISTÉRIO DA DEFESA EXÉRCITO BRASILEIRO COMANDO MILITAR DA AMAZÔNIA CENTRO DE INSTRUÇÃO DE GUERRA NA SELVA CENTRO CORONEL JORGE TEIXEIRA SUGESTÕES DE PROGRAMAS DE TREINAMENTO FISICO PARA OS CANDIDATOS

Leia mais

Colunista da Revista W Run e colaborador das Revistas The Finisher e Revista O2

Colunista da Revista W Run e colaborador das Revistas The Finisher e Revista O2 CURRÍCULO HELENO FORTES RIBEIRO CREF:004375-GMG Diretor Técnico e Idealizador da HF Treinamento Esportivo Pós-Graduado em Treinamento Esportivo (lato sensu) UGF 2006 Graduado em Educação Física (Bacharel

Leia mais

4 edição. Conteúdo exclusivo com dicas e orientações para pedalar melhor

4 edição. Conteúdo exclusivo com dicas e orientações para pedalar melhor a 4 edição Conteúdo exclusivo com dicas e orientações para pedalar melhor Nanna Pretto Equipe técnica desta edição @ nannapr www.dicademae.com É sócia-diretora da agência GaP Conteúdo, que há mais de três

Leia mais

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A alimentação adequada e nutricionalmente equilibrada é um dos fatores importantes e essenciais para a otimização do desempenho, sendo

Leia mais

ITS / CTA. Autores Ademir Alonso & Alberto Carlos

ITS / CTA. Autores Ademir Alonso & Alberto Carlos ITS / CTA Escola Técnica Volume Simonsen I Capítulo I Autores Ademir Alonso & Alberto Carlos 1 ITS / CTA Sumário SUMÁRIO Volume I Capítulo I Unidade I Capítulo I - Beneficios da Educação Física Capítulo

Leia mais

TRIPLO SALTO VELOCIDADE FORÇA OUTRAS VELOCIDADE EXECUÇAO (MOV. ACÍCLICO) FORÇA RESISTÊNCIA HIPERTROFIA CAPACIDADE DE ACELERAÇÃO EQUILÍBRIO

TRIPLO SALTO VELOCIDADE FORÇA OUTRAS VELOCIDADE EXECUÇAO (MOV. ACÍCLICO) FORÇA RESISTÊNCIA HIPERTROFIA CAPACIDADE DE ACELERAÇÃO EQUILÍBRIO TRIPLO SALTO O TRIPLO SALTO É UMA DISCIPLINA TÉCNICA MUITO COMPLEXA QUE OBRIGA A UM GRANDE APERFEIÇOAMENTO EM VÁRIAS VERTENTES, VISTO O SEU DESENVOLVIMENTO DEPENDER DE UMA COMBINAÇÃO DE VÁRIAS HABILIDADES

Leia mais

PROGRAMA DE ENSINO Ano Lectivo 2014/2015

PROGRAMA DE ENSINO Ano Lectivo 2014/2015 ENSINO Ano Lectivo 2014/2015 ENSINO 2014/2015 BEBÉS Este processo é caracterizado como uma adaptação a um meio novo, com uma afectividade e desenvolvimento integrador, e não de aprendizagem das técnicas

Leia mais

O Treino no BTT. COALA Clube Orientação Aventura Litoral Alentejano

O Treino no BTT. COALA Clube Orientação Aventura Litoral Alentejano COALA Clube Orientação Aventura Litoral Alentejano O Treino no BTT Para todos aqueles que se iniciam no BTT, e até no caso de alguns veteranos, existe a tendência natural para copiar esquemas e métodos

Leia mais

FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO:

FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO: FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO: Ed Burke, Phd. Fisiologista do Esporte da Universidade do Colorado (USA). DEFINIÇÃO: Causas de fadiga muscular: - Desidratação: Transpiração, respiração, produção de urina. -

Leia mais

Mesomorfo, Ectomorfo ou Endomorfo? Qual o seu tipo físico?

Mesomorfo, Ectomorfo ou Endomorfo? Qual o seu tipo físico? Mesomorfo, Ectomorfo ou Endomorfo? Qual o seu tipo físico? Você provavelmente já notou que seu corpo não é o mesmo que o de seus amigos ou colegas de trabalho. Algumas pessoas tendem a ser mais magras

Leia mais

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet

Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet Portal da Educação Física Referência em Educação Física na Internet MENSURAÇÃO DAS CAPACIDADES ENERGÉTICAS Existe um nível mínimo de energia necessária para manter as funções vitais do organismo no estado

Leia mais

Organização da Carreira Desportiva no Pentatlo Moderno

Organização da Carreira Desportiva no Pentatlo Moderno Organização da Carreira Desportiva no Pentatlo Moderno ETAPA IDADES ESCALÕES PROVAS INICIAÇÃO ATÉ 9 ANOS APRENDIZES TRIATLO 9 A 10 ANOS BENJAMINS TRIATLO APRENDIZAGEM 11 A 12 ANOS INFANTIS TRIATLO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Métodos Treino e. CEF Cardio - Resumo

Métodos Treino e. CEF Cardio - Resumo Métodos Treino e Máquinas Cardiovasculares CEF Cardio - Resumo 3 Vias de ressíntese Energia (revisão) Conceito Resistência (fadiga) Níveis de Intensidade Metabólica Métodos de Treino Cardiovascular Máquinas

Leia mais

SAÚDE. Apresentação do tema: Saúde. É um completo bem estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença ou enfermidade.

SAÚDE. Apresentação do tema: Saúde. É um completo bem estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença ou enfermidade. Apresentação do tema: Saúde É um completo bem estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença ou enfermidade. 1.Desenvolvimento das Capacidades Motoras - Resistência - Força - Velocidade

Leia mais

Treinar primeiro os grandes grupos musculares (tab. 1) Alternar os movimentos de flexão / extensão (tab. 2) Alternar tronco e m. superiores / m.

Treinar primeiro os grandes grupos musculares (tab. 1) Alternar os movimentos de flexão / extensão (tab. 2) Alternar tronco e m. superiores / m. CONSTRUÇÃO de PROGRAMAS de TREINO 8 Objectivos Selecção dos Exercicíos Organização dos exercicíos Frequência de Treino Selecção das Cargas Selecção do nº. de Repetições Selecção do nº. de Séries e Pausas

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

Cultura Física Autor: Ricardo Wesley Alberca Custódio 1 1

Cultura Física Autor: Ricardo Wesley Alberca Custódio 1 1 1 Atividades Recreativas Cultura Física Autor: Ricardo Wesley Alberca Custódio 1 1 Educador Físico, Pós graduação: Fisiologia do exercício(unifesp) MBA em Gestão e Estratégia Empresarial, Membro de 2 grupos

Leia mais

UMA ESCOLA DE MARCHA EM RIO MAIOR? Jorge Miguel Treinador

UMA ESCOLA DE MARCHA EM RIO MAIOR? Jorge Miguel Treinador UMA ESCOLA DE MARCHA EM RIO MAIOR? Jorge Miguel Treinador A MINHA FILOSOFIA DE TREINADOR Estar sempre motivado Motivar os atletas e dar-lhes objectivos realistas Procurar condições de treino e estabilidade

Leia mais

PLANEAMENTO DO TREINO: DA FORMAÇÃO AO ALTO RENDIMENTO

PLANEAMENTO DO TREINO: DA FORMAÇÃO AO ALTO RENDIMENTO PLANEAMENTO DO TREINO: DA FORMAÇÃO AO ALTO RENDIMENTO António Vasconcelos Raposo Treinador de Mérito de Natação Pura Desportiva Formador da Solidariedade Olímpica Internacional Formador FINA Formador da

Leia mais

Frio» Recomendações gerais

Frio» Recomendações gerais No domicílio Antes do Inverno, verifique os equipamentos de aquecimento da sua casa; Se tiver lareira mande limpar a chaminé, se necessário; Mantenha a casa arejada, abrindo um pouco a janela/porta para

Leia mais

Importância do planejamento de treinamento e das avaliações físicas

Importância do planejamento de treinamento e das avaliações físicas Importância do planejamento de treinamento e das avaliações físicas Definir a carga de treinamento é o primeiro passo para entender a complexidade do treinamento físico (Monteiro, Lopes, 2009). O entendimento

Leia mais

Dicas de Saúde. Quero e preciso emagrecer! Uma Abordagem Realista

Dicas de Saúde. Quero e preciso emagrecer! Uma Abordagem Realista Dicas de Saúde Quero e preciso emagrecer! O sucesso no emagrecimento e manutenção de peso saudável depende de metas e expectativas sensatas. Se você traçar para si mesmo metas sensatas, terá maior probabilidade

Leia mais

Relaxar a musculatura dos braços. Entrelace os dedos de ambas as mãos com suas palmas para cima e levante os braços por 10 segundos.

Relaxar a musculatura dos braços. Entrelace os dedos de ambas as mãos com suas palmas para cima e levante os braços por 10 segundos. por Christian Haensell A flexibilidade do corpo e das juntas é controlada por vários fatores: estrutura óssea, massa muscular, tendões, ligamentos, e patologias (deformações, artroses, artrites, acidentes,

Leia mais

Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico

Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico Fundamentos do Treino de Jovens no Ténis: O Desenvolvimento Técnico Pedro Felner 2012 Aspectos Decisivos para o Desenvolvimento de uma Técnica Eficiente FLUIDEZ NO MOVIMENTO Aproveitamento do Peso da Raquete:

Leia mais

FORTALECENDO SABERES EDUCAÇÃO FÍSICA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Aula 3.1 Conteúdo: Atividade física preventiva.

FORTALECENDO SABERES EDUCAÇÃO FÍSICA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Aula 3.1 Conteúdo: Atividade física preventiva. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 3.1 Conteúdo: Atividade física preventiva. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Entender os benefícios

Leia mais

saúde Sedentarismo Os riscos do Saiba as causas e consequências de ficar parado e mexa-se!

saúde Sedentarismo Os riscos do Saiba as causas e consequências de ficar parado e mexa-se! saúde Sinal Canal de Comunicação da Sistel para os Usuários de Saúde Ano I - Nº 4 - Dezembro 2014 Os riscos do Sedentarismo Saiba as causas e consequências de ficar parado e mexa-se! O sedentarismo é resultado

Leia mais

Orientações para montagem

Orientações para montagem Orientações para montagem das aulas de condicionamento CONCEITO CORAÇÃO RELAXAMENTO ESTRUTURA Finalidade do treinamento disponibilização de mais energia química aos músculos em velocidades maiores reposição

Leia mais

PARABÉNS! Parabéns por dar o primeiro passo para começar a sua jornada de fitness e conquistar o corpo que tanto deseja.

PARABÉNS! Parabéns por dar o primeiro passo para começar a sua jornada de fitness e conquistar o corpo que tanto deseja. INTERVAL TRAINING PARABÉNS! Parabéns por dar o primeiro passo para começar a sua jornada de fitness e conquistar o corpo que tanto deseja. Com este material você vai conhecer o caminho mais rápido para

Leia mais

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf ELÁSTICO OU BORRACHA Sugestão: 1 kit com 3 elásticos ou borrachas (com tensões diferentes: intensidade fraca, média e forte) Preço: de

Leia mais

Estágio Ironconde Abril 2015

Estágio Ironconde Abril 2015 Estágio Ironconde Abril 2015 www.ironconde.com Estágio Ironconde Abril de 2015 Este estágio de triatlo oferece a oportunidade de treinar com um dos melhores treinadores triatlo de Portugal. Nosso objectivo

Leia mais

Manual do. Corredor Unimed. Dicas para você ganhar as pistas e mais saúde.

Manual do. Corredor Unimed. Dicas para você ganhar as pistas e mais saúde. Manual do Corredor Unimed Dicas para você ganhar as pistas e mais saúde. Manual do Corredor Unimed Dicas para você ganhar as pistas e mais saúde. Colaboração: Assessoria Gold Runners - Joinville - SC

Leia mais

Plano de Exercícios Clinic ABL Antes e Depois do Treino com Bola

Plano de Exercícios Clinic ABL Antes e Depois do Treino com Bola Plano de Exercícios Clinic ABL Antes e Depois do Treino com Bola Introdução São vários os estudos de investigação que atualmente avaliam as necessidades dos atletas e os diferentes pontos de vista a respeito

Leia mais

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano

Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano Educação Física 1.ª etapa- 9. o ano CONHECENDO MEU CORPO DURANTE O EXERCÍCIO DESCUBRA PORQUE É TÃO IMPORTANTE ACOMPANHAR OS BATIMENTOS CARDÍACOS ENQUANTO VOCÊ SE EXERCITA E APRENDA A CALCULAR SUA FREQUÊNCIA

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

Avaliação da unidade Pontuação: 7,5 pontos

Avaliação da unidade Pontuação: 7,5 pontos Avaliação da unidade Pontuação: 7,5 pontos QUESTÃO 01 (1,5 ponto) As principais mudanças no corpo de uma pessoa ocorrem na adolescência. É nesta fase que as meninas e os meninos desenvolvem o amadurecimento

Leia mais

António Graça Quantificação do Limiar anaeróbio Controlo Através da Lactatémia

António Graça Quantificação do Limiar anaeróbio Controlo Através da Lactatémia António Graça Quantificação do Limiar anaeróbio Controlo Através da Lactatémia 1. Introdução Organizar e colocar em prática o planeamento do treino requer a sua confirmação através de meios de avaliação.

Leia mais

8 DICAS PARA COMEÇAR A EMAGRECER CORRENDO

8 DICAS PARA COMEÇAR A EMAGRECER CORRENDO 8 DICAS PARA COMEÇAR A EMAGRECER CORRENDO Pâmela Torriani Sou Pâmela Torriani, 27 anos, profissional de Educação Física e corredora de rua. Atuo como Personal Trainer e ajudo diversos alunos a enfrentar

Leia mais

Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura

Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura Diminua seu tempo total de treino e queime mais gordura Neste artigo vou mostrar o principal tipo de exercício para acelerar a queima de gordura sem se matar durante horas na academia. Vou mostrar e explicar

Leia mais

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos

Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos Ficha Informativa da Área dos Conhecimentos 1 Organização das Aulas Uma aula de Educação Física é composta por três partes sequenciais, cada uma com objetivos específicos. 1.1 Parte Inicial A parte inicial

Leia mais

TEORIA DO TREINAMENTO DE NATAÇÃO Ernest W. Maglischo, Ph.D.

TEORIA DO TREINAMENTO DE NATAÇÃO Ernest W. Maglischo, Ph.D. TEORIA DO TREINAMENTO DE NATAÇÃO Ernest W. Maglischo, Ph.D. INTRODUÇÃO A proposta deste artigo é apresentar um plano de treinamento dos sistemas de energia nas provas de natação. As informações serão apresentadas

Leia mais

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999)

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) 1. Levantar e Sentar na Cadeira Avaliar a força e resistência dos membros inferiores (número de execuções em

Leia mais

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA A NATAÇÃO *

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA A NATAÇÃO * TREINAMENTO FUNCIONAL PARA A NATAÇÃO * Heahter Sumulong. Você está procurando alcançar uma margem competitiva sobre seus oponentes? O desenvolvimento de uma musculatura central forte junto com um treinamento

Leia mais

A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas

A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira A criança, o adolescente e a prática de atividades físicas A juventude americana não participa de

Leia mais

MÉTODOS DE TREINAMENTO AERÓBICO *

MÉTODOS DE TREINAMENTO AERÓBICO * MÉTODOS DE TREINAMENTO AERÓBICO * Marlos Rodrigues Domingues Qualidades físicas divididas fisiologicamente e pedagogicamente em: - Orgânicas: as principais são as resistências aeróbica, anaeróbica lática

Leia mais

Objetivo Desenvolver as modalidades de força especifica para cada tipo de nadador e prova.

Objetivo Desenvolver as modalidades de força especifica para cada tipo de nadador e prova. MUSCULAÇÃO APLICADA A NATAÇÃO Finalidades: Desenvolver as modalidades de força especifica para cada tipo de nadador e prova. Montagem da Sessão de Treinamento: Sessão de treino é a realização de todos

Leia mais

Deseja Descobrir Como Ganhar Massa Muscular Agora?

Deseja Descobrir Como Ganhar Massa Muscular Agora? ATENÇÃO! A informação contida neste material é fornecida somente para finalidades informativas e não é um substituto do aconselhamento por profissionais da área da saúde como médicos, professores de educação

Leia mais

PEDRO MAIA - FITNESS & CYCLING

PEDRO MAIA - FITNESS & CYCLING PEDRO MAIA - FITNESS & CYCLING PERSONAL TRAINER DESCANSO OBRIGATÓRIO A Importância da Alimentação Depois de termos descrito e elaborado alguns dos conceitos mais utilizados para treinarmos da forma mais

Leia mais

Alongamentos para a Parte Inferior das Costas e Quadril para Fazer em sua Mesa

Alongamentos para a Parte Inferior das Costas e Quadril para Fazer em sua Mesa Flexibilidade Total Saiba como Melhorar sua Flexibilidade através de Alongamentos Específicos por Joey Atlas Alongamentos para a Parte Inferior das Costas e Quadril para Fazer em sua Mesa Rotina de 6 minutos

Leia mais

www.receitasganharmassamuscular.com

www.receitasganharmassamuscular.com Esse e-book é oferecido como bônus na compra do e- book Receitas Anabólicas no site: www.receitasganharmassamuscular.com INTRODUÇÃO Nesse e-book você vai aprender a montar uma dieta para musculação personalizada,

Leia mais

O TREINO DO CAVALO DE RESISTENCIA COMO ADAPTAR-SE A VELOCIDADE SEM RISCO PARA O CAVALO

O TREINO DO CAVALO DE RESISTENCIA COMO ADAPTAR-SE A VELOCIDADE SEM RISCO PARA O CAVALO O TREINO DO CAVALO DE RESISTENCIA COMO ADAPTAR-SE A VELOCIDADE SEM RISCO PARA O CAVALO BASES DO TREINO Adaptação mental Musculação, flexibilidades Resistência metabólica Aguante resistência Reduzir a sua

Leia mais

Praticando vitalidade. Sedentarismo. corra desse vilão!

Praticando vitalidade. Sedentarismo. corra desse vilão! Praticando vitalidade Sedentarismo corra desse vilão! O que é sedentarismo? Sedentarismo é a diminuição de atividades ou exercícios físicos que uma pessoa pratica durante o dia. É sedentário aquele que

Leia mais

Estratégias de gestão dos sintomas

Estratégias de gestão dos sintomas Estratégias de gestão dos sintomas Existem várias abordagens para ajudar a controlar e a lidar com o stress: técnicas cognitivo-comportamentais, treino de aptidões sociais, técnicas de relaxamento, a terapêutica

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES PARA DESPORTISTAS Nº: 29/DA DATA: 04/08/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental INTRODUÇÃO

Leia mais

Alimentação e Desporto. Samuel Amorim Centro Hospitalar Tondela-Viseu Viseu, 30 Novembro 2011

Alimentação e Desporto. Samuel Amorim Centro Hospitalar Tondela-Viseu Viseu, 30 Novembro 2011 Alimentação e Desporto Samuel Amorim Centro Hospitalar Tondela-Viseu Viseu, 30 Novembro 2011 Panorama nacional Apesar dos números relativos à obesidade infantil estarem continuamente acrescer O número

Leia mais

DESCUBRA UM GUIA PARA CONSTRUIR UMA BASE FORTE POR JOHN SMITH

DESCUBRA UM GUIA PARA CONSTRUIR UMA BASE FORTE POR JOHN SMITH DESCUBRA A S U A P A S S A D A UM GUIA PARA CONSTRUIR UMA BASE FORTE POR JOHN SMITH COMO USAR ESTE GUIA ESTE GUIA ENSINARÁ TÉCNICAS PARA VOCÊ APERFEIÇOAR A FORMA COMO VOCÊ CORRE AUMENTANDO EQUILÍBRIO,

Leia mais

Tricoscopia do couro cabeludo 10 DICAS

Tricoscopia do couro cabeludo 10 DICAS Tricoscopia do couro cabeludo 10 DICAS para sair do sedentarismo e INTRODUÇÃO De acordo com dados apurados em 2013 pelo Ministério da Saúde, 64% da população brasileira está com excesso de peso devido

Leia mais

Cellagon www.olabemestar.eu

Cellagon www.olabemestar.eu A minha energia é T.GO. Cellagon www.olabemestar.eu Após inúmeras conversas com atletas e Campeões de desportos de inverno, tenistas, jogadores de golfe, praticantes de atletismo, ciclistas, corredores

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Actividade física para manter a independência MEXA-SE MAIS!

ENVELHECER COM SABEDORIA Actividade física para manter a independência MEXA-SE MAIS! ENVELHECER COM SABEDORIA Actividade física para manter a independência MEXA-SE MAIS! 1. BENEFÍCIOS DA ACTIVIDADE FÍSICA A actividade física apresenta benefícios em todas as idades, para além de contribuir

Leia mais

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada 1 Água ALIMENTE-SE DE FORMA EQUILIBRADA E SAUDÁVEL. A alimentação influi na sua segurança ao volante. Uma alimentação incorreta pode gerar fadiga,

Leia mais

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA Uma cadeira e uma garrafa de água O que podem fazer por si Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA A prática de uma actividade física regular permite a todos os indivíduos desenvolverem uma

Leia mais

DISCIPLINA: PESO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

DISCIPLINA: PESO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS PESO 220 DISCIPLINA: PESO DOMÍNIO DAS TÉCNICAS (LANÇADORES DESTROS) FASE III APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO B FASES / NÍVEIS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS - Adquirir noções gerais do lançamento do peso, através de

Leia mais

POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA

POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA O nosso corpo é uma máquina fantástica, que não foi feita para ficar parada. Se você estiver realmente decidido a ter uma atitude positiva em relação a sua saúde e ao seu

Leia mais

CAPÍTULO II REVISÃO DA LITERATURA

CAPÍTULO II REVISÃO DA LITERATURA CAPÍTULO II REVISÃO DA LITERATURA 1. INTRODUÇÃO Neste capítulo apresentamos um estudo de revisão bibliográfica acerca das componentes da viragem, que demonstra, através de referências fundamentais, a importância

Leia mais

Disciplina: Controle Motor e Fisiologia do Movimento. Flávia Porto RELEMBRANDO...

Disciplina: Controle Motor e Fisiologia do Movimento. Flávia Porto RELEMBRANDO... Disciplina: Controle Motor e Fisiologia do Movimento Flávia Porto RELEMBRANDO... A mais importante característica do treinamento é sua divisão em fases e sua contínua adequação e periodização dos estímulos.

Leia mais

Variáveis Manipuláveis do Treino de Força

Variáveis Manipuláveis do Treino de Força Variáveis Manipuláveis do Treino de Força Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas VARIÁVEIS MANIPULÁVEIS

Leia mais

BICICLETA HORIZONTAL MAGNÉTICA DELUXE

BICICLETA HORIZONTAL MAGNÉTICA DELUXE BICICLETA HORIZONTAL MAGNÉTICA DELUXE MANUAL DO USUÁRIO IMPORTANTE! Por favor, leia todas as instruções cuidadosamente antes de usar este produto. Guarde este manual para referência futura. As especificações

Leia mais

Bebida hidratante. suplementação

Bebida hidratante. suplementação Texto > Paula Cristóvão Santos e Custódio César* Bebida hidratante A razão de ser isotónica Há mais do que uma boa razão para ingerir bebidas isotónicas antes, durante ou após o exercício. E a recomendação

Leia mais

Exercícios e bem estar na gestação

Exercícios e bem estar na gestação na gestação Sete motivos para você exercitar-se durante a gravidez. Aumente sua energia. Melhore a qualidade do seu sono. Reduza o desconforto. Prepare-se para a chegada do bebe. Reduza a ansiedade. Melhore

Leia mais

A TREINABILIDADE DO JOVEM JOGADOR DE HÓQUEI EM PATINS JORNADA TÉCNICO - PEDAGÓGICA DEZEMBRO 2005 PROF. LUIS SÉNICA

A TREINABILIDADE DO JOVEM JOGADOR DE HÓQUEI EM PATINS JORNADA TÉCNICO - PEDAGÓGICA DEZEMBRO 2005 PROF. LUIS SÉNICA A TREINABILIDADE DO JOVEM JOGADOR DE HÓQUEI EM PATINS JORNADA TÉCNICO - PEDAGÓGICA DEZEMBRO 2005 PROF. LUIS SÉNICA EVOLUÇÃO/DESENVOLVIMENTO DO JOVEM PRATICANTE Processo constante mas descontínuo, por ciclos

Leia mais