UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ SERLI MARIA PIRES DE OLIVEIRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ SERLI MARIA PIRES DE OLIVEIRA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ SERLI MARIA PIRES DE OLIVEIRA COACHING NO PROCESSO DE LIDERANÇA CURITIBA 2012

2 UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ SERLI MARIA PIRES DE OLIVEIRA COACHING NO PROCESSO DE LIDERANÇA Artigo apresentado ao curso de Gestão Estratégica de Pessoas, da Universidade Tuiuti do Paraná, como requisito avaliativo para conclusão de pós-graduação. Professora: Vergínia Stella Serenato. CURITIBA 2012

3 COACHING NO PROCESSO DE LIDERANÇA 1 Serli Maria Pires de Oliveira RESUMO: A mudança que o mercado globalizado atrai obriga as organizações a se readequarem constantemente. É preciso buscar novas habilidades, conhecimentos e técnicas que auxiliam na busca por resultados e tornam a organização mais competitiva. O foco atualmente é o ser humano, empresas que alcançam a excelência em seus resultados já compreenderam que são os colaboradores os responsáveis pelo sucesso conquistado. Diante desta tendência que permeia o cenário organizacional, as velhas teorias de gestão e liderança não conseguem suprir as novas necessidades e, assim, abrem espaço para novos conceitos e formas eficientes de atingir os objetivos. Estudos apontam a liderança baseada nos princípios do coaching como uma nova tendência nos modelos de gestão. Este artigo pontua reflexões sobre os temas liderança, líder e coaching, relacionando-os com o intuito de analisar esta nova tendência no ambiente organizacional. Palavras-chave: Liderança, líder e coaching 1 Graduada em Comunicação Social Habilitação Relações Públicas pela Universidade Federal do Paraná e Pós Graduada em Gestão Estratégica de Pessoas pela Universidade Tuiuti do Paraná. 2

4 1. INTRODUÇÃO Com a grande competitividade as organizações precisam buscar um diferencial que a mantenham vivas no mercado, e é perceptível que organizações que adotam uma postura mais humana, com o foco voltado para as pessoas tendem a se desenvolver mais facilmente e tornam-se mais competitivas. O segredo está em saber lidar com as pessoas, organizações inteligentes já entenderam que os colaboradores são o principal elemento que leva ao sucesso, pois eles são a própria empresa, seu trabalho e empenho é que garantem a sobrevivência da organização, não esquecendo, é claro, de oferecer bons produtos e serviços. A liderança é dentro dessa conjuntura apresentada, um mecanismo vital capaz de sustentar a relação empresa/colaborador, por isso, é necessário o líder estar preparado para que conquiste sua equipe e lidere de modo proativo, ou seja, ele precisa ter conhecimento e técnicas que irão auxiliá-lo a gerenciar de maneira eficiente. O tema liderança apesar de muito estudado ainda é fonte de pesquisas, pois é um assunto complexo, uma vez que seu principal ingrediente são as pessoas, seres que estão sempre em transformação e não podem ser programados para agirem conforme as necessidades da equipe ou mesmo da organização. Outro fator que gerou mudanças e abre mais espaço para pesquisas sobre este assunto foi o mercado globalizado, que obrigou as empresas a se redefinirem internamente para conseguir competir com outras organizações que já estavam à frente, tanto na qualidade de seus produtos, serviços, atendimento, bem como no algo a mais, no diferencial que as tornavam mais competitivas. E esse algo a mais pode ser traduzido como inovação e, quem inova são as pessoas, por isso o foco está no colaborador e no redesenho dos cargos e das atribuições. O líder de hoje trabalha num ambiente que muda a todo instante e necessita estar preparado e consciente de seu papel, ele precisa ser um agente de mudanças dentro da organização, ao contrário do considerado líder de algum tempo atrás, que buscava manter e controlar o que já estava pronto. Para os gestores dessa época o ambiente nunca mudaria, pois acreditavam que assim como a organização, o mercado continuaria estagnado. E embalados por este pensamento foram apanhados de surpresa ao perceberem que o mercado globalizou e trouxe muitas 3

5 mudanças, que seriam agora uma constante. Todo esse contexto que se desenhou ditou os modelos do novo líder, aquele que gosta de desafios, está sempre disposto a mudar, busca o seu próprio desenvolvimento e incentiva as pessoas de sua equipe a também desenvolverem-se. Alguns autores apontam que no mercado faltam líderes com este potencial, em meio a essa necessidade surge uma ferramenta relativamente nova, o coaching, que tem por objetivo desenvolver a pessoa para que essa desenvolva outras, é uma ferramenta que apoia a pessoa para que ela seja o melhor que ela pode. O coaching é um processo estruturado que utiliza ferramentas e metodologias cientificamente validadas. Além disso, é fundamentado em conceitos e conhecimentos oriundos de diversos campos do saber humano. (SOCIEDADE BRASILEIRA DE COACHING, acesso em 22 de agosto 2012). O processo de coaching desmistifica o conceito de que o líder é nato, pois através dessa ferramenta é possível o individuo desenvolver qualidades que lhe fazem falta. Este artigo busca compreender como o coaching pode contribuir para que o processo de liderança se torne mais eficiente e proporcione desenvolvimento para o líder e sua equipe, buscando assim, maximizar o potencial de cada pessoa. 2. REFLEXÕES SOBRE A LIDERANÇA A liderança sempre foi um tema que despertou a atenção de muitos estudiosos que se dedicaram a tentar entender esse fenômeno que surgiu a partir do momento que as pessoas começaram a se organizar. Várias teorias nasceram ao longo do tempo e, buscavam explicar qual a maneira mais eficiente de liderar e porque a liderança era tão importante para as organizações e para a sociedade em geral, mas todas essas pesquisas giravam em torno das necessidades próprias de determinado momento. A teoria de Maquiavel acreditava que a preocupação maior do líder era manter o poder, segundo este estudo existem dois métodos para manter o poder: A lei, que é o método próprio dos seres humanos, e a força, que é o método típico dos animais. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p.3). Para Maquiavel, é preciso usar a força 4

6 quando a lei não é suficiente para manter o poder. Outra corrente de pensamento bastante difundida foi a Teoria dos traços, que explicava que três traços eram responsáveis pela qualidade da liderança, entre eles o físico, (altura, peso, etc.), o mental (inteligência, habilidades verbal, etc.) e psicológico (controle emocional, autoconfiança, etc.), para os pesquisadores desta teoria os lideres são natos. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p.4). O Behaviorismo e Estilos de Liderança foi um estudo que mudou o enfoque dos traços de personalidade para o comportamento do líder, esta teoria deu origem aos três estilos básicos de liderança, o autocrático, o democrático e o liberal. A teoria situacional concentrou seus estudos na eficácia do líder e sua interação com a equipe. As teorias transacionais que vieram em seguida deixaram de lado a figura do líder e se dedicaram a entender as influências que existem na relação líder e liderados, para este pensamento a liderança é um processo de trocas e recompensas. Já a Teoria Transformacional veio com um enfoque mais profundo sobre a relação líder e liderados e entende que a liderança de fato acontece quando ambos (líder e equipe) têm um mesmo propósito e crescem juntos nesse processo, transformando-se um ao outro. A teoria das abordagens cognitivas, diferente das abordagens até aqui colocadas, entende que a figura do líder e a qualidade da liderança dependerá da percepção dos liderados, ou seja: A teoria pressupõe que a avaliação do comportamento do líder depende mais da cultura dos seguidores do que do comportamento do líder propriamente dito. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p.5). As teorias aqui rapidamente apresentadas procuram mostrar as diferentes faces da liderança e as perspectivas que caminham junto com esse tema, que tem consumido tempo e energia de várias pessoas no intuito de chegar a uma conclusão sobre o que é liderar e qual a melhor maneira de conduzir esta liderança. Para os autores Oliveira e Marinho (2005, p.6) essas correntes falham por não ter um olhar mais humano. A grande lacuna nas teorias de liderança é a falta de atenção ao estudo dos lideres e seus seguidores como pessoas humanas, com seus valores, necessidades e motivos.... Mas, apesar das lacunas deixadas, essas teorias serviram de base para os estudos atuais sobre liderança. 5

7 Hoje, a liderança deve caminhar junto com as mudanças e na velocidade estabelecida pelo mundo globalizado. Na atualidade, as exigências aumentaram e as mudanças acontecem a todo instante, a grande competitividade gera a obrigação em ser o melhor, pois ficar na média não significa nada, a mediocridade não tem espaço em tempos que só quem oferece o melhor produto, atendimento e serviços consegue sobreviver. As organizações precisam estar preparadas e isso significa preparar pessoas, por isso o olhar das empresas mudou e seu foco está, se assim pode ser chamado, mais humano. E a liderança precisa atender essa expectativa organizacional, buscando desenvolver nas pessoas um espírito de cooperação que chegue até aos objetivos propostos. O processo de liderança tem mão-dupla. Não abrange apenas o cargo do líder, necessita da cooperação das pessoas, e o objetivo final só se concretizará se as ações pretendidas pelo líder forem assimiladas e correspondidas pelos subordinados. (BENNIS, 2004, p.29). A liderança é fator determinante para o sucesso da organização, para Stephen Covey apud José Luiz Tejon ( p. 17, 2006), a liderança é um leme, ou seja, a direção fundamental para a organização, capaz de orientá-la para a rota do sucesso ou levála ao naufrágio. Líderes buscam resultados, ou melhor, trazem resultados, são pessoas que fazem acontecer, que percebem a oportunidade e conseguem mudar. Para Tejon (2006,p.19): Liderar significa atuar consciente da sua capacidade de transformar o mundo externo. Observa-se que liderança são atitudes, ações que geram renovação, distante um pouco do discurso e mais visível nos comportamentos. O líder é inovador, um ser atento ao ambiente em que atua, que consegue através de sua capacidade atingir metas, mas além de ser atuante ele precisa tornar sua equipe atuante, neste caso, liderança é tornar as pessoas engajadas e preparadas para atingir objetivos. Liderar exige que, além de ser bom no que faz, você consiga que outros sejam bons em suas funções. (TEJON, 2006, p.49). 6

8 Ao observar as mudanças no mercado, verifica-se que as organizações carecem de pessoas completas, que não se resumem a fiéis executores, passivos e telespectadores do contexto que os cerca, a essas pessoas ditas completas, podese chamar líderes. E o conceito de líder vem ao longo dos anos sofrendo algumas mudanças, devido a própria exigência do mercado para as organizações. É preciso buscar ser o melhor todos os dias, pois o lugar conquistado ontem não está garantido hoje. Assim, o líder é responsável pelo que faz, pelo que não faz e, principalmente, pelo que impede de fazer!. (TEJON, 2006,p.21). E tudo isso em uma velocidade acelerada. Tejon cita e discorre em sua obra sobre liderança em tempos de caos. O mundo atual exige uma postura inédita das pessoas, um modo original de olhar. Para ser bem claro, precisamos de novos olhos. De uma nova atitude. Porque sucesso, hoje, significa saber trabalhar debaixo de muita cobrança. Significa saber pensar, decidir e agir sob pressão. (TEJON, 2002, p. 39). Esse ambiente tumultuado e agitado do mercado estabelece as novas regras, nada mais é incontestável a não ser a própria mudança, assim sendo o conceito de líder e liderança vem passando por uma configuração, um ajuste entre as qualidades do ser humano e os desafios que surgem diariamente no cenário corporativo. Por muito tempo, a escada do sucesso limitou-se a uma construção de cimento e pedra. Hoje, como tudo se modernizou, nossa escada é rolante. Só que existe um problema: a escada rolante da nossa carreira só roda para baixo. Para que eu fique na mesma altura, preciso fazer força. Para subir tenho que fazer muito mais do que sempre fiz. Preciso ser sensacional. Tenho de me reinventar permanentemente.(tejon, 2006, p.63). A palavra de ordem é reinventar, buscar novas possibilidades para as exigências atuais, os autores John Hoover e Angelo Valenti trazem a visão sobre liderança compartilhada em que cada pessoa assume responsabilidades. 7

9 Acreditamos que cada um precisa assumir a responsabilidade de liderança por aquilo que faz, seja um trabalho simples ou significativo. Nas organizações de excelência em desempenho, atitudes de liderança não apenas são encorajadas em todos; são também exigidas. Deixam de ser opcionais. Leve em consideração: como sua organização funcionaria se cada um demonstrasse responsabilidade de liderança por seu trabalho? (JOHN HOOVER E ANGELO VALENTI, 2006, p.31). O cenário atual apresenta vários desafios e uma configuração exigente, tanto da parte das organizações como também dos indivíduos, todos muito cobrados e o objetivo é sempre a excelência, o melhor, o topo. As mudanças são tão rápidas que o que foi sucesso ontem, hoje pode ser um fracasso. E essa transformação radical faz com que nem organização, nem indivíduo fiquem na zona de conforto, se houve tempos em que as empresas ditavam as regras que regulavam o relacionamento organização versus colaboradores, ou vice versa, agora ambas as partes precisam buscar algo novo, um diferencial que atraia os olhares do mercado e simultaneamente conquistem diariamente sua confiança. Nesse contexto o conceito de liderança se ampliou e está aberto a possibilidades que gerem resultado. Os autores John Hoover e Angelo Valenti defendem que todos devem estar preparados para liderar: Acreditamos em desenvolver o potencial de liderança em todos para que possam adotar atitudes e comportamentos de liderança precisamente onde estão, exatamente agora. (2006, p.36). Eles acrescentam ainda que a liderança não pode ser uma exceção para poucos, uma vez que as responsabilidades devem ser compartilhadas com todos, pois, as pessoas têm e são as respostas dentro da organização. Essa visão leva a uma unidade de interesses, pois as pessoas têm necessidades que ao serem supridas geram novas necessidades, a pirâmide de Maslow exemplifica isso, a realização e o sucesso são mais que objetivos para os profissionais, são necessidades. A organização, por sua vez, tem a prioridade de se manter viva, atuante e rentável e precisa das pessoas para atingir seu objetivo, assim como os profissionais veem nas empresas uma oportunidade de desenvolvimento. É perceptível que ambos, profissionais e organização se complementam em suas necessidades, uma pessoa que tem a possibilidade de se desenvolver é mais comprometida. 8

10 Os sentimentos de orgulho, participação e propriedade fazem aumentar ainda mais o desempenho e a produtividade. Os melhores resultados ocorrem quando crescimento e desenvolvimento pessoal e profissional são encorajados e apoiados como uma questão de política e prática organizacional. (JOHN HOOVER, ANGELO VALENTI, 2006, p.38). As qualidades de um líder são muito importantes para a organização, a seguir John Hoover e Angelo Valenti citam as mais importantes características que os líderes devem possuir. Preocupação genuína para com o bem da organização, assim como para com o individual. Boa vontade em pagar um custo pessoal para atingir o sucesso em proveito próprio e dos outros. Capacidade de aceitar e agir de acordo com a verdade do passado, a condição insubstituível do momento e a inevitabilidade do futuro, com toda a sua promessa e seu potencial. A liderança deve ser incentivada e cultivada dentro das equipes de trabalho, este espirito inovador que gera resultados deve ser buscado por todos, mas atente para o fato de que liderança compartilhada não é somente acreditar que todos podem ser colocados em posições de gerenciamento, porque isso pode ser uma armadilha fatal para a organização. Uma pessoa pode muito bem desempenhar com excelência uma tarefa solitariamente, mas pode não conseguir motivar, inspirar e guiar os outros a realizarem o melhor de suas habilidades. (JOHN HOOVER, ANGELO VALENTI, 2006, p.42). Liderança compartilhada significa cada pessoa dentro da organização assumir responsabilidades pelo seu próprio trabalho, ter autonomia dentro de sua área de atuação para a tomada de decisão. O líder efetivo deve proporcionar essa liberdade para sua equipe. o líder busca transferir tanta responsabilidade de liderança e senso de participação quanto possível para aqueles que fazem o trabalho, independentemente de que trabalho seja. (HOOVER, VALENTI, 2006, p.43). Os autores citados apontam a liderança compartilhada como um meio de atingir resultados para a organização, pois se o profissional tem autonomia, oportunidade 9

11 de desenvolvimento o seu rendimento vai ser superior se comparado com profissionais que não podem expor suas ideias, sendo meros executores operacionais, é preciso compreender a liderança como um meio eficiente para gerir a organização. Liderança é um círculo, não uma escada: uma das finalidades primordiais da liderança é incrementar e fortalecer as conexões entre as pessoas dentro e fora da organização e evitar potenciais desconexões. Conforme são formados os anéis de responsabilidade em torno de funções e iniciativas organizacionais essenciais, torna-se mais crítica a necessidade de participação e de um senso de propriedade da parte de cada um. Pessoas que se postam num círculo não olham para cima ou para baixo, uma para outra; olham diretamente para a tarefa. (HOOVER, VALENTI, 2006, p. 45). A liderança não pode ser vista como responsabilidade de uns poucos, pois se assim for compreendida estará se perdendo conhecimento, informação e energia daquelas pessoas que se tornam o resto da população organizacional. Na visão de Hoover e Valenti, todas as pessoas que fazem parte do corpo organizacional devem desenvolver o espírito de líder, não importando a função na qual atuam e nem o cargo ao qual pertencem, pois é preciso que utilizem sua energia e conhecimento na solução de problemas que fazem parte de sua rotina diária, mas para isso, necessitam ter liberdade e autonomia. A liderança dentro da organização não é para apontar rigorosamente o caminho que deve ser seguido, mas sim mostrar aonde se deve chegar, pois este trajeto até o resultado esperado pode ser melhor percorrido por aqueles que vivenciam a situação e podem oferecer a solução, o caminho mais perto e, assim economizar tempo e aumentar a produtividade. Todos os dias é possível abrir espaço e dar oportunidade para as pessoas desenvolverem a liderança, mas para que isso aconteça é necessário que os líderes efetivos, ou seja, aqueles que administrem pessoas se libertem das amarras dos velhos modelos hierárquicos de organogramas, e, incluam a agilidade, flexibilidade e autonomia em seu novo modelo de gestão. (HOOVER, VALENTI, 2006, p.58). Outro fator que os autores citam e que pode trazer estragos na administração de pessoas é o controle. 10

12 Muitos administradores e outras pessoas em posições de liderança estabelecem e mantêm o controle sobre os demais quase como se mantivessem a ordem em um presídio, presumindo que seus subordinados se rebelarão e provocarão o caos na primeira oportunidade. O controle parece estar no topo da agenda de muitos líderes. Na ausência de mais esclarecimento e métodos efetivos de interação com os outros e de influenciação de comportamento humano, exercitar algum tipo de controle sobre os outros parece ser a primeira opção em estilo de administração. (HOOVER, VALENTI, 2006, p. 131). Os autores denominam liderança preguiçosa e, ou liderança defensiva a esse estilo que impõe controle e consegue minar nas pessoas qualquer desejo ou expectativa de exercitar a liderança. Explorando este mesmo pensamento a citação a seguir de Tejon (2006, p.146), ilustra esta forma de liderar. Quem não tem capacidade para conquistar seus liderados acaba usando a força do cargo para se impor e ser respeitado. Na marra, um líder nada consegue. As pessoas podem obedecer por necessidade de sobrevivência ou por medo de perder o emprego. No fundo, porém, o líder sabe que não pode contar com esses liderados. Não há cumplicidade entre eles. É como um general que comanda uma tropa de mercenários. Se surgir uma oportunidade, os soldados se bandeiam para o lado que pagar mais. A liderança é exatamente para conquistar e estabelecer a cooperação, a aliança entre as pessoas com a finalidade de atingir os objetivos organizacionais, bem como os pessoais. Quando alguém que administra pessoas consegue aliar os objetivos e o que as pessoas sabem fazer com as necessidades da empresa, o sucesso vem sem muito esforço, pois é natural que o profissional faça o seu melhor quando é reconhecido, tem chance de crescer e, consegue aplicar suas ideias. Ao contrário, quando o líder utiliza de controle exagerado faz com que a equipe sinta-se ameaçada e deixe de cooperar, resultando em baixa produtividade. Tejon (2006, p.34) enfatiza a importância da figura do líder servidor, aquele que compreende o seu papel diante da equipe: Quando você diz Eu quero ser líder, Eu quero ser gerente, Eu quero ser diretor, Eu quero ser presidente, não está falando sobre ter mais poder sobre as pessoas. Na verdade, está falando: Eu quero servir mais gente. 11

13 Observa-se que em sua obra, Tejon (2006) pesquisa e aprofunda-se mais sobre a influência que a figura do líder exerce sobre as pessoas e como essa influência, que pode ser entendida como modo de agir é vital para a sobrevivência da empresa. Seu estudo assemelha-se muito com a obra de John Hoover e Angelo Valenti, mas esses últimos propõem ainda a abordagem da liderança compartilhada, visão que não está limitada somente a prática do líder, mas se estende a todas as pessoas que fazem parte da organização, porque acredita que a liderança deve estar acessível a todos. Os seguidores da velha escola procuram por potencial de liderança. Isso quer dizer que procuram por qualidades excepcionais em indivíduos e os separam do rebanho para serem ungidos como líderes. Os teóricos da nova escola de liderança creem que todos têm potencial de liderança e que podem ser preparados para se elevar acima do rebanho e para liderar sob as circunstâncias exatas. (HOOVER, VALENTI, 2006, p. 45). Nesta citação os autores esclarecem que as pessoas podem ser preparadas, ou seja, desenvolvidas para exercer a liderança, esta linha de raciocínio leva ao coaching, uma ferramenta gerencial que visa o desenvolvimento e crescimento das pessoas. 3. COACHING E LIDERANÇA A palavra coaching está se popularizando no Brasil, é um termo emprestado da língua inglesa e se refere ao processo que engloba o coach que se refere ao treinador na área esportiva que atua como um companheiro, ajudando sua equipe e o coachee que é a pessoa, a qual o coach ajuda a desenvolver habilidades e competências. O coaching é uma ferramenta que tem conquistado espaço no universo organizacional, devido a grande necessidade atual desenvolvimento de pessoas. Coaching não significa comprometer-se apenas com os resultados, mas com a pessoa como um todo, com a sua realização e o seu 12

14 desenvolvimento. Por meio do processo de coaching, novas competências e possibilidades surgem, tanto para o coach quanto para o seu colaborador. Coaching é mais do que treinamento, o coach permanece com a pessoa até ela atingir o resultado. Sua função é de lhe dar poder para que ela produza, para que suas intenções se transformem em ações que, por sua vez, se traduzam em resultados. (ARAUJO, 1999, p.26). O coaching muda o enfoque e quebra paradigmas na área da liderança, o controle e as cobranças cedem espaço para o companheirismo entre líder e liderados que dividem sucessos e aprendizados. Coaching é a arte de facilitar o desempenho, aprendizado e desenvolvimento de outra pessoa. (DOWNEY, 2010, p.17). Coaching é uma metodologia nova que busca atender as seguintes necessidades humanas: atingir metas, solucionar problemas e desenvolver novas habilidades. (INSTITUTO BRASILEIRO DE COACHING. Disponível em: Acesso em 14 de outubro de 2012). O coaching é um processo que visa não somente o profissional, mas tem uma preocupação especial com a pessoa em si, e, talvez essa maneira especial de enxergar o ser humano fez com que o coaching conquistasse o espaço que tem no contexto atual. Pois, como em nenhum outro momento as organizações buscam por pessoas bem resolvidas, confiantes, seguras, criativas e inovadoras, capazes de transformar o ambiente em que estão inseridas. O coaching liberta a pessoa das amarras que a impedem de agir livremente no ambiente organizacional, amarras que o próprio antigo estilo de liderança deixou nas pessoas. José Roberto Marques diretor presidente do Instituto Brasileiro de Coaching define este processo da seguinte forma: De maneira sintética e objetiva, Coaching pode ser caracterizado como o processo conduzido por um profissional Coach, visando identificar o estado atual de seu Coachee (cliente) e caminhar junto com ele até um estado desejado (Disponível em >http://www.ibccoaching.com.br Acesso em 14 de outubro de 2012). Com os conceitos de coaching acima expostos é possível estabelecer uma relação entre esta ferramenta e a maneira de compreender a liderança nas organizações atuais. Para o autor Downey (2010), as pessoas estão amarradas, presas no local 13

15 de trabalho pelas cobranças, exigências e descartabilidade dos recursos humanos, isso limita a criatividade, a energia e empobrece o ser humano e a organização ao qual faz parte. Para ele as pessoas conseguem atingir resultados extraordinários quando, livres do medo, conseguem utilizar todas as suas capacidades. O coaching pode acessar os recursos do ser humano como um todo, para o benefício do indivíduo como funcionário e da própria organização. (DOWNEY, 2010). O autor Stéfano (2005) aponta o coaching como a ferramenta do líder do futuro, pois a competitividade do mercado atual exige profissionais bem formados e preparados que busquem soluções e possam ser desafiados, líderes ineficientes conseguiram sobreviver em um período em que o mercado não era tão acirrado, mas no contexto da atualidade são obrigados a se desenvolver. Em épocas de mercado emergente, onde a demanda pelo produto da empresa é alta, ou quando se atua em algum local sem competição, é possível que líderes ineficientes passem despercebidos, pois a empresa prospera simplesmente por existir, simplesmente por ter um produto de alta necessidade no mercado. Mas quando o mercado se torna maduro, quando a concorrência aumenta e se globaliza, quando cada ponto percentual de market share requer planejamento eficiente, apenas o líder efetivo se sobressai, e os que estavam despercebidos agora se tornam um peso além de serem altamente desafiados a desenvolverem-se. (DI STÉFANO, 2005, p. 09). A liderança nas organizações, conclusão retirada da pesquisa até agora elaborada, tem papel determinante nos resultados que a empresa alcança ou que deixa de alcançar. As pessoas são a própria organização, sua força, inteligência, determinação geram os números que a corporação necessita para continuar viva e, lutando por uma fatia no mercado. A energia que a liderança traz impulsiona todo processo interno da organização, e todos os colaboradores são chamados a desenvolver esse espírito de liderança nos modelos de gestão atual, aliás, mais do que chamados, pois nas organizações que alcançam a excelência em seu desempenho, atitudes de líder não são só esperadas, são também encorajadas. 14

16 O que interesse para um líder não é o número de pessoas que o obedecem, mas o número de pessoas que tenham espaço para usar o seu potencial. Um grande líder é aquele que forma minilíderes à sua volta, com tamanha capacidade de resolução que ele tem mais tempo livre para ser líder. (STÉFANO, 2005, p.22). O coaching é uma ferramenta que pode auxiliar nesse processo de desenvolvimento de líderes dentro da organização, pois tem por objetivo desenvolver a pessoa para que ela possa atuar da melhor forma possível. No mundo corporativo, ninguém pode se dar ao luxo de não aprender, de não melhorar, de não se adaptar. Devido à competitividade crescente, integrou-se na cultura empresarial a ideia de que o ser humano pode e deve ser desenvolvido, e hoje sabe-se que para este desenvolvimento ocorrer é imprescindível haver um treinamento estruturado para o desenvolvimento das competências necessárias. (STÉFANO, 2005, p.4). O autor citado acredita que a formação de novos líderes não é mais uma, entre várias opções para as organizações, mas sim a única opção. Para ser competitiva hoje em dia, a organização não pode se dar ao luxo de não desenvolver líderes. (STÉFANO, 2005, p.11). E esse desenvolvimento não é restrito a alguns cargos, mas deve abranger todos na organização. Mesmo nas atividades mais comuns, não importando o quão bom alguém seja, ele sempre pode melhorar. (DOWNEY, 2010, p.9). Para o autor Stéfano o bom líder pode ser desenvolvido, ele acrescenta que coaching é sinônimo de liderança e que todo líder deve ser um coach, e aquele que não for não vai conseguir expandir-se profissionalmente. (2005, p.4). O líder - coach busca o próprio desenvolvimento e proporciona o desenvolvimento de sua equipe. O líder efetivo de hoje é aquele que entende o potencial de seus liderados e reconhece o seu papel no desenvolvimento destes. (STÉFANO, 2005, p.10). O coaching se torna um apoio para que o líder desenvolva seus potenciais profissionais e humanos, e esse conhecimento reflete no ambiente organizacional, favorecendo a aprendizagem e o crescimento de todos os membros da equipe. Mas 15

17 Stéfano (2005, p.10) alerta: Criar uma organização onde o líder tenha hábitos de líder-coach, aquele que gera aprendizado e desenvolvimento, não é uma tarefa fácil e suave, mas, se a sua organização não está gerando outros líderes, qual o futuro que se pode esperar? As organizações que conseguiram visualizar com a devida antecedência a urgência em mudar os estilos de gestão e consequentemente de liderança, se anteciparam ao mercado e, antes que uma crise se instalasse já estavam preparadas para enfrentá-la. Para organizações que precisam correr atrás do tempo perdido o autor Stéfano (2005) adverte que o líder coach é o estilo de liderança mais efetivo para que este processo aconteça usando o tempo de forma mais econômica possível. Todo esse processo de mudança que é inevitável e que de certa forma humanizou as organizações veio suplantar as antigas formas de pensar a liderança em que havia um líder e vários liderados que deviam obedecer ordens e não causar problemas. A liderança era baseada na força, no autoritarismo, na capacidade de controlar as pessoas, aqui retoma-se a colocação de Downey (2010), na qual as pessoas estão presas ao local de trabalho devido as exigências e cobranças, perdendo-se assim muita energia. A palavra humanizou, aqui colocada, expressa mais do que a simples necessidade de o líder efetivo ser agradável, simpático para com as pessoas, mas sim deve ser compreendida como uma preocupação com o crescimento da equipe. É preciso que o líder seja um motivador, um mobilizador e que sempre ofereça a oportunidade de desenvolvimento. A autonomia é fundamental nesse processo, é importante que as pessoas se sintam livres para expor suas ideias e tomar decisões, assim, a equipe mesmo vai construindo sua capacidade de liderança. (STÉFANO, 2005, p.17). O líder coach - liderança modelada nos princípios do Coaching é um processo no qual as competências são estimuladas, os projetos conduzidos em parceria, as habilidades desenvolvidas, as opiniões ouvidas e levadas em conta, os colaboradores têm a confiança em seu trabalho. Este tipo de líder sabe delegar com assertividade, uma vez que identifica as capacidades individuais de cada um de seus liderados e as utiliza para potencializar seus resultados. (INSTITUTO 16

18 BRASILEIRO DE COACHING. Disponível em: Acesso em: 14 de outubro de 2012). Este modelo de liderança pode ser relacionado com a teoria da liderança servidora, estudo proposto por Robert Greenleaf e que atualmente tem sido pesquisada por vários estudiosos. Nesta corrente de pensamento o líder é percebido como um servo, alguém que trabalha em favor das pessoas e busca o bem estar de toda equipe. No líder com a visão de servir, as habilidades e os resultados são distribuídos entre todos os membros da equipe, cujas ações são apoiadas, capacitadas e inspiradas pelo líder. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p. 10). Essa forma de entender a liderança supera os estudos tradicionais e até mesmo alguns atuais que focalizam somente o comportamento e a personalidade do individuo como fatores de sucesso na liderança, mas deixam de pensar este individuo como um ser humano, que tem valores, princípios e motivos interiores que são responsáveis pelo que realmente as pessoas são. Para esta teoria a própria essência da liderança é o desenvolvimento das pessoas e sua realização pessoal, cujo crescimento e bem estar são o objetivo último da liderança. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p.13). Destaca-se também na teoria da liderança servidora o compromisso prioritário com o crescimento de todos os membros da equipe e com o desenvolvimento do potencial de cada um, o líder não é o centro, ele apenas dissemina o conhecimento, mais do que isso ele gera um ambiente de aprendizado que abrange a todos. O líder coach é aquele que tem um compromisso com a mudança, com a busca de novas estratégias para atingir os objetivos dos liderados, bem como da organização. O líder coach é sinônimo de líder servidor, sabe que precisa ajudar no desenvolvimento e crescimento das pessoas, pois acredita que o sucesso de sua equipe é também o seu sucesso, bem como o da organização. O crescimento de um grupo de liderados resulta inevitavelmente no crescimento de seu líder, produzindo um crescimento mais completo de ambos. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p. 13). 17

19 A teoria acima apresentada reflete muito os princípios que norteiam a abordagem do líder coach, pois o coaching no processo de liderança prevê um líder que concentra esforços para capacitar as pessoas, o foco não está na liderança e sim nos liderados. O líder coach está mais preocupado em desenvolver os membros da equipe do que em controlar o comportamento ou fiscalizar o trabalho deles. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p.65). 4. CONCLUSÃO Um processo irreversível de mudanças está instalado no cenário atual das organizações, o foco está voltado para as pessoas, as máquinas e até mesmo as tecnologias perderam espaço, pois a sociedade chegou a um patamar de conhecimento que aprendeu a valorizar o bem mais precioso que existe: os seres humanos, único ser capaz de criar, transformar e inovar. E esse cenário que afetou também o ambiente organizacional, trouxe muitas reflexões que acabaram em quebras de paradigmas. Se antes, o colaborador devia somente obediência as ordens que lhe eram impostas, sendo passivo no ambiente de trabalho, agora ele precisa ser crítico, inovador, questionar e ao mesmo tempo buscar respostas. O processo de mudança foi inevitável e ameaça muitas organizações que ainda não conseguiram se readequar e por isso estão deixando de ser competitivas. A qualidade da liderança é determinante neste novo cenário, pois liderar apenas com o foco voltado para o cumprimento de tarefas, esquecendo-se das pessoas não traz mais resultados num momento que exige a inovação. A necessidade de desenvolver as pessoas se tornou intensa e, devido a isso vários estudos e pesquisas foram realizados com o intuito de analisar e apresentar a melhor maneira de atingir esse objetivo, que atende a uma meta maior: a sobrevivência no mercado. A forma de enxergar a liderança se ampliou, é preciso que o líder consiga motivar, instaurar um ambiente de aprendizagem e despertar nos liderados a vontade de aprender. Por isso, a liderança baseada nos princípios do coaching ganhou destaque, pois consegue atender as necessidades que as 18

20 empresas têm de fomentar a cooperação, as parcerias e o desenvolvimento entre os colaboradores. A relação entre o líder e sua equipe deve ser permeada por sentimentos de confiança, respeito e companheirismo, a relação chefe subordinado deve deixar de existir para que as organizações atinjam o seu máximo em resultados. No melhor sentido da palavra, coaching nada mais é do que amar a equipe e ser amigo dela, de tal maneira que o líder transmita à equipe toda a sua experiência e orientação profissional por meio de um relacionamento amigo e de confiança mútua. É por isso que liderança de equipes, do começo ao fim, nada mais é do que uma relação de amizade, uma paixão pelo crescimento da equipe e o desenvolvimento profissional mútuo, ou, em outras palavras, um caso de amor!. (OLIVEIRA, MARINHO, 2005, p.66). Ao fim deste trabalho chega-se a conclusão que a liderança baseada nos princípios do coaching é um modelo de grande eficiência para as organizações, o líder coach estabelece uma liderança de alto nível, responsável por manter a perpetuação e expansão das empresas. E além de resultados organizacionais ressalta-se a preocupação com as pessoas, tanto no âmbito profissional como também no pessoal, crescimento, desenvolvimento, cooperação, generosidade, inovação, motivação são palavras que fazem parte da rotina na relação líder coach e liderados, essa forma de liderança enxerga as pessoas com sentimento, estabelece uma relação psicológica que vai além da simples relação de trabalho, que já está ultrapassada e não responde as expectativas atuais. A seguir uma citação vem resumir e exemplificar a importância do coaching no processo de liderança. Aquele que lidera pela admiração é o líder efetivo no longo prazo, pois tem a lealdade de seus liderados. Ele os respeita e contribui para o seu desenvolvimento, tornando-se um modelo de referência para a sua equipe. O líder coach consegue criar esta qualidade de interação, pois naturalmente criamos um vínculo forte com as pessoas que nos ajudaram a crescer. Aliado a estes fatores existe também o desejo natural do ser humano de não querer desapontar a quem admiramos o que contribui para que a equipe deste líder tenha um nível alto de empenho e motivação. (STÉFANO, 2005, p. 45). 19

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Como se tornar um líder de Sucesso!

Como se tornar um líder de Sucesso! Como se tornar um líder de Sucesso! Os 10 mandamentos do Como se tornar um líder de Sucesso! O líder é responsável pelo sucesso ou fracasso de uma organização. A liderança exige de qualquer pessoa, paciência,

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho Glaucia Falcone Fonseca O que é um excelente lugar para se trabalhar? A fim de compreender o fenômeno dos excelentes locais de trabalho, devemos primeiro considerar o que as pessoas falam sobre a experiência

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

A importância do líder para os projetos e para as organizações.

A importância do líder para os projetos e para as organizações. Instituto de Educação Tecnológica Pós-Graduação Gestão de Projetos - Turma nº150 21 de Agosto e 2015 A importância do líder para os projetos e para as organizações. Dêmille Cristine da Silva Taciano Analista

Leia mais

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL

COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL COMPETÊNCIAS E COMPORTAMENTO DOS LÍDERES NO CENÁRIO ATUAL 1.Osnei FranciscoAlves 2. Jéssica Barros 1. Professor das Faculdades Integradas Santa Cruz. Administrador, MBA Executivo em Gestão de Pessoas e

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 2 Professora: Zeila Susan Keli Silva 2º semestre 2012 1 Contexto Economia globalizada; Mudanças contextuais; Alto nível de complexidade do ambiente; Descoberta da ineficiência dos

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY

ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY ESCOLAS E FACULDADES QI MBA DE GESTÃO DE PESSOAS E NOGÓCIOS PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E OS SISTEMAS DE GESTÃO DE PESSOAS TIANE RIBEIRO BERNY O COACH NO MUNDO CORPORATIVO GRAVATAÍ 2011 TIANE RIBEIRO BENRY

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância:

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância: LIDERANÇA EMPRESARIAL EVIDÊNCIAS DO COACHING COMO ESTRATÉGIA DE SUCESSO Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel

Leia mais

O SECRETARIADO EXECUTIVO E A FUNÇÃO DE GESTÃO 1

O SECRETARIADO EXECUTIVO E A FUNÇÃO DE GESTÃO 1 O SECRETARIADO EXECUTIVO E A FUNÇÃO DE GESTÃO 1 Adriane Lasta Alexandra da Silva 2 1 Considerações Iniciais A área secretarial está conhecendo um novo profissional, o secretário gestor, que é capaz de

Leia mais

LIDERANÇA DA NOVA ERA

LIDERANÇA DA NOVA ERA LIDERANÇA DA NOVA ERA Liderança da Nova Era Liderança é a realização de metas por meio da direção de colaboradores. A liderança ocorre quando há lideres que induzem seguidores a realizar certos objetivos

Leia mais

PRO PERFORMANCE EMPRESAS

PRO PERFORMANCE EMPRESAS Uma proposta cultural única aprimore o seu potencial Crie um versão melhor de is mesmo Conheça, pratique, supere-se, aprimore-se PRO PERFORMANCE EMPRESAS Programa de Excelência e Alta Performance para

Leia mais

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO

ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO 1 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO COM O PÚBLICO INTERNO Por Regina Stela Almeida Dias Mendes NOVEMBRO 2004 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA 2 ENDOMARKETING COMO FERRAMENTA DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

31 descobertas sobre liderança

31 descobertas sobre liderança ALTA GERÊNCIA 31 descobertas sobre liderança Estudo Leadership Forecast 2005-2006, realizado pela firma de consultoria Development Dimensions International (DDI), buscou analisar como são percebidas em

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS

CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS CONDUZINDO MUDANÇAS TRANSFORMADORAS por David Miller The European Business Review, março/abril 2012 As mudanças estão se tornando mais frequentes, radicais e complexas. Os índices de falha em projetos

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis

XI Semana de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação - SEPesq Centro Universitário Ritter dos Reis - SEPesq PLANO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO - TALENTOS E LIDERANÇAS EM UMA COOPERATIVA DE ELETRIFICAÇÃO RURAL Aline Regina Bohn Bacharela em Administração Faculdade Três de Maio SETREM E-mail: aline.bohn@yahoo.com.br

Leia mais

Líderes do Coração. A prática do amor no desenvolvimento de pessoas e equipes

Líderes do Coração. A prática do amor no desenvolvimento de pessoas e equipes Líderes do Coração A prática do amor no desenvolvimento de pessoas e equipes O que é? Líderes do Coração é um programa que cria espaços de estudo, reflexão e prática da arte da liderança, partindo do pressuposto

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

LIDERANÇA: UMA CHAVE PARA O SUCESSO DA ADMINISTRAÇÃO

LIDERANÇA: UMA CHAVE PARA O SUCESSO DA ADMINISTRAÇÃO 1 LIDERANÇA: UMA CHAVE PARA O SUCESSO DA ADMINISTRAÇÃO Elisângela de Aguiar Alcalde (Docente MSc. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Linda Jennyfer Vaz (Discente do 2º ano do curso de Administração-

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Leader coach e estratégia Disney

Leader coach e estratégia Disney 34 Leader coach e estratégia Disney As organizações enfrentam grandes desafios. Surge a necessidade de adaptação. Um dos principais fatores que fazem a diferença são seus líderes. Os líderes precisam adotar

Leia mais

Faça amizades no trabalho

Faça amizades no trabalho 1 Faça amizades no trabalho Amigos verdadeiros ajudam a melhorar a saúde, tornam a vida melhor e aumentam a satisfação profissional. Você tem um grande amigo no local em que trabalha? A resposta para essa

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

COACHING: ESTUDO DOS BENEFÍCIOS QUE A TÉCNICA PODE OFERECER A UMA REDE DE IMOBILIÁRIAS E A SEUS PARCEIROS

COACHING: ESTUDO DOS BENEFÍCIOS QUE A TÉCNICA PODE OFERECER A UMA REDE DE IMOBILIÁRIAS E A SEUS PARCEIROS COACHING: ESTUDO DOS BENEFÍCIOS QUE A TÉCNICA PODE OFERECER A UMA REDE DE IMOBILIÁRIAS E A SEUS PARCEIROS RESUMO Priscila Alves Moreira Robésio Teixeira Gomes Partindo do pressuposto de que o coaching

Leia mais

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM

Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM Aquecimento para o 3º Seminário Internacional de BPM É COM GRANDE PRAZER QUE GOSTARÍAMOS DE OFICIALIZAR A PARTICIPAÇÃO DE PAUL HARMON NO 3º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE BPM!! No ano passado discutimos Gestão

Leia mais

Aula 5. Teorias sobre Liderança

Aula 5. Teorias sobre Liderança Aula 5 Teorias sobre Liderança Profa. Ms. Daniela Cartoni daniela.cartoni@veris.edu.br O que é Liderança Capacidade de influenciar um grupo em direção ao alcance dos objetivos. Desafios para o líder: desenvolvimento

Leia mais

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL Daniele Cristine Viana da Silva 1 Maria José Vencerlau 2 Regiane da Silva Rodrigues 3 André Rodrigues da Silva 4 Fábio Fernandes 5 RESUMO O Artigo Científico tem

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

PAP (Perfil de Avanço Profissional)

PAP (Perfil de Avanço Profissional) PAP (Perfil de Avanço Profissional) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:03:23 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/10 Índice analítico Índice

Leia mais

UM CAMINHAR DA ADMINISTRAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: LIDERANÇA, MOTIVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES.

UM CAMINHAR DA ADMINISTRAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: LIDERANÇA, MOTIVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES. UM CAMINHAR DA ADMINISTRAÇÃO E O DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: LIDERANÇA, MOTIVAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE EQUIPES. Eder Gomes da Silva 1 Resumo: O presente artigo trazer um estudo teórico buscando adquirir

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

Direção. Liderança. O que é Liderança? Liderança - definições. Liderança. Três componentes do processo da liderança:

Direção. Liderança. O que é Liderança? Liderança - definições. Liderança. Três componentes do processo da liderança: O Processo Administrativo O que é? Direção Um processo social; Trata sobre a influência de alguém sobre o comportamento dos outros; Lider influência Seguidor Texo base: MAXIMIANO, ACA Introdução à administração

Leia mais

A Abordagem Lean na Integração da TI com o negócio, parte quatro: O Líder Lean Aprendiz

A Abordagem Lean na Integração da TI com o negócio, parte quatro: O Líder Lean Aprendiz A Abordagem Lean na Integração da TI com o negócio, parte quatro: O Líder Lean Aprendiz Steve Bell Enquanto me preparava para escrever o quarto artigo desta série, cheguei a um importante marco. Semana

Leia mais

Por que a ausência do pensar e da visão estratégica tendem a anular a ética? Há dois fatores que limitam e amortecepm a consciência ética:

Por que a ausência do pensar e da visão estratégica tendem a anular a ética? Há dois fatores que limitam e amortecepm a consciência ética: presumo Aula-tema 04: Pensamento Ético e Visão Estratégica. Comecemos por uma indagação: Por que a ausência do pensar e da visão estratégica tendem a anular a ética? Há dois fatores que limitam e amortecepm

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 3 - A organização O conceito fundamental para a administração é o de ORGANIZAÇÃO, uma vez que toda a aplicação administrativa vai ocorrer numa organização e

Leia mais

Uma resposta às mudanças organizacionais através do trabalho em equipes multifuncionais: um estudo de caso na indústria de fertilizantes

Uma resposta às mudanças organizacionais através do trabalho em equipes multifuncionais: um estudo de caso na indústria de fertilizantes Uma resposta às mudanças organizacionais através do trabalho em equipes multifuncionais: um estudo de caso na indústria de fertilizantes Adriane Hartman (CEFET-PR-PG) adriane.h@terra.com.br Prof. Dr. Dálcio

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

Programa de Desenvolvimento de Competências Comportamentais

Programa de Desenvolvimento de Competências Comportamentais Treinamentos Comportamentais Palestras Motivacionais Processos de Coaching Programa de Desenvolvimento de Competências Comportamentais 1) Objetivos Gerais Desenvolver com a equipe o perfil comportamental

Leia mais

PERFIL DO EMPREENDEDOR

PERFIL DO EMPREENDEDOR INTRODUÇÃO Em nossa vida, é necessário planejarmos com cuidado em que direção pretendemos focar nossos esforços. Após o planejamento, vem a ação. Desta forma, é fundamental conhecermos os caminhos que

Leia mais

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão

Disciplinas Liderança Organizacional Inteligência de Execução Produtividade em Gestão Disciplinas Liderança Organizacional O processo de formação e desenvolvimento de líderes. Experiências com aprendizagem ativa focalizando os conceitos e fundamentos da liderança. Liderança compartilhada.

Leia mais

Nós, alunos do 2º A, queremos tratar as pessoas com respeito e amor, estudar com muita dedicação e sempre pensar antes de tomar decisões.

Nós, alunos do 2º A, queremos tratar as pessoas com respeito e amor, estudar com muita dedicação e sempre pensar antes de tomar decisões. Como tratar as pessoas: de uma maneira boa, ajudar todas as pessoas. Como não fazer com os outros: não cuspir, empurrar, chutar, brigar, não xingar, não colocar apelidos, não beliscar, não mentir, não

Leia mais

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹

A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ A APRENDIZAGEM DE LOGÍSTICA, RH, OSM, ÉTICA: OPINIÃO DE ADMINISTRADORES E GRADUANDOS SOBRE A METODOLOGIA DE ENSINO ¹ DIOSKELLY ABDO² LORHANNY RODRIGUES SANTOS³ LILIANA ARAUJO⁴ MARCO AURÉLIO CAIXETA⁵ PEDRO

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Todos os profissionais da área de agenciamento de viagens.

PÚBLICO ALVO: Todos os profissionais da área de agenciamento de viagens. 6. Gestão Empresarial 6.1 Inovando para crescer: turismo nos novos tempos INSTRUTOR(A): Carlos Silvério Todos os profissionais da área de agenciamento de viagens. Proporcionar uma reflexão sobre o panorama

Leia mais

Inteligência. Emocional

Inteligência. Emocional Inteligência Emocional Inteligência Emocional O que querem os empregadores?? Atualmente, as habilitações técnicas específicas são menos importantes do que a capacidade implícita de aprender no trabalho

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Os Sete Níveis de Consciência da Liderança

Os Sete Níveis de Consciência da Liderança Os Sete Níveis de Consciência da Liderança Existem sete níveis bem definidos de liderança, que correspondem aos sete níveis de consciência organizacional. Cada nível de liderança se relaciona com a satisfação

Leia mais

QUALIDADE NA EDUCAÇÃO

QUALIDADE NA EDUCAÇÃO QUALIDADE NA EDUCAÇÃO Flavia Donel 1, Denise P. Botega 2, Raquel C. Scher 2, João Helvio Righi de Oliveira 3 Engenharia de Produção UFSM 1 Tuiuti, 19/ Santa Maria; RS donel@bol.com.br Universidade Federal

Leia mais

Av. Antônio Sales, 2371 loja 113 Dionísio Torres Fortaleza, CE

Av. Antônio Sales, 2371 loja 113 Dionísio Torres Fortaleza, CE Av. Antônio Sales, 2371 loja 113 Dionísio Torres Fortaleza, CE www.epossivelsim.com.br 3224.4940/3088.6161 INTRODUÇÃO Em nossa vida, é necessário planejarmos com cuidado em que direção pretendemos focar

Leia mais

Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes

Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes Bert Hellinger soube muito bem como integrar conhecimentos de várias

Leia mais

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching

Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counseling: Desmistificando o Coaching Diferenças entre Coaching, Mentoring e Counsuling: Desmistificando o Coaching Inquietações... O que é? Para que serve? Quem

Leia mais

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio?

Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Como motivar e liderar uma equipe de alta performance no agronegócio? Matheus Kfouri Marino Camila Dias de Sá* A competitividade do agronegócio brasileiro é incontestável e resulta em taxas expressivas

Leia mais

A Influência do Líder: uma análise da influência do líder no ambiente no qual está inserido

A Influência do Líder: uma análise da influência do líder no ambiente no qual está inserido A Influência do Líder: uma análise da influência do líder no ambiente no qual está inserido Fabiana Cristine Grotmann Hey Psicóloga pela Universidade Tuiuti do Paraná Fabiane De Lara Tecnóloga em Gestão

Leia mais

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação em Gestão de Projetos - Turma 150 Agosto/2015 Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Lucas Rossi Analista de Negócios lucasrossi_@hotmail.com

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

A Evolução do Profissional de TI Brasileiro

A Evolução do Profissional de TI Brasileiro Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Tecnologia da Informação 31 de Março de 2015 A Evolução do Profissional de TI Brasileiro Bruno Henrique dos Santos Noronha RESUMO O presente estudo

Leia mais

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna

A importância dos. RECURSOS HUMANOS na empresa moderna A importância dos RECURSOS HUMANOS na empresa moderna Organizações: cenário atual Empresas vêm passando por impactos revolucionários: Dimensão globalizada Aumento da competitividade Mudanças constantes

Leia mais

A minha missão é potencializar resultados e promover o desenvolvimento humano com a socialização dos saberes

A minha missão é potencializar resultados e promover o desenvolvimento humano com a socialização dos saberes DALMIR SANT'ANNA TREINAMENTOS LTDA AVENIDA NEREU RAMOS, 897 CENTRO 88.380-000 BALNEÁRIO PIÇARRAS SC APRESENTAÇÃO Espero que este material, ao chegar em suas mãos e de sua equipe de trabalho, encontrem

Leia mais

BPM - Sem Processos, Sem Nada!

BPM - Sem Processos, Sem Nada! BPM - Sem Processos, Sem Nada! Márcio Teschima email: marcio@teschima.com Cientista da Informação, Pós Graduado em Qualidade, Processos e Projetos e com MBA em Gestão Empresarial, busco a oportunidade

Leia mais

Discutir liderança feminina em pleno século

Discutir liderança feminina em pleno século Liderança feminina Discutir liderança feminina em pleno século XXI parece ultrapassado, mas apenas agora as mulheres começam a ser reconhecidas como líderes eficazes. Somente neste século o reconhecimento

Leia mais

CURSO ONLINE LIDERANÇA

CURSO ONLINE LIDERANÇA CURSO ONLINE LIDERANÇA 1 2 ESSE CURSO FOI CRIADO E É PROMOVIDO PELA INSTITUIÇÃO Todos os Direitos Reservados 3 1 LIDERANÇA _O que é Liderança _Liderança Formal e Informal _Funções do Líder 4 O QUE É LIDERANÇA?

Leia mais

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES

CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES CAPACITAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS: O TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL DENTRO DAS ORGANIZAÇÕES Aline Martins Mendes Luciano José Vieira Franco Luis Guilherme Esteves Leocádio Sônia Madali Bosêja

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL LIDERANÇA

ADMINISTRAÇÃO GERAL LIDERANÇA ADMINISTRAÇÃO GERAL LIDERANÇA Publicado em 12/10/2015 LIDERANÇA A liderança é um fenômeno que ocorre exclusivamente em grupos sociais. Ela é definida como uma influência interpessoal exercida em dada situação

Leia mais

Objetivo. Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão.

Objetivo. Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão. Liderança Objetivo Apresentar uma síntese das principais teorias sobre liderança e suas implicações para a gestão. 2 Introdução O que significa ser líder? Todo gestor é um líder? E o contrário? Liderança

Leia mais

Liderança. Potencial PSI. Competências. Liderança: Qual é a definição? Conhecimento. -Com pares - Com subordinado - Com clientes -Com Gestor

Liderança. Potencial PSI. Competências. Liderança: Qual é a definição? Conhecimento. -Com pares - Com subordinado - Com clientes -Com Gestor Liderança Competências Conhecimento Habilidade Atitude - - Relacionamento - - -Com pares - Com subordinado - Com clientes -Com Gestor Crise Liderança: Qual é a definição? Principal fator de saída da empresa

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

Como transformar Grupos em Equipes

Como transformar Grupos em Equipes Como transformar Grupos em Equipes Caminhos para somar esforços e dividir benefícios Introdução Gestores de diversos segmentos, em algum momento de suas carreiras, deparam-se com desafios que, à primeira

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos.

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos. Gestão de Recursos Humanos Aula 2 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Organização da Aula Liderança Competências gerenciais Formação de equipes Empreendedor Liderança X Gerenciamento Conceito e estilos

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER

PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER PREPARANDO-SE PARA EMPREENDER C. Bringhenti, M. Eng.* E. M. Lapolli, Dra.** G. M. S. Friedlaender, M. Eng* * Doutorandos do Curso de Pós Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa

Leia mais

Os Desafios da Gestão e da Liderança Marco Antonio Ornelas

Os Desafios da Gestão e da Liderança Marco Antonio Ornelas Os Desafios da Gestão e da Liderança Marco Antonio Ornelas Marco Antonio Ornelas Psicólogo com Especialização em Comportamento Organizacional pela Califórnia American University. Formação em Coaching pelo

Leia mais

Prefeitura de Porto Alegre. Perfil de Competências

Prefeitura de Porto Alegre. Perfil de Competências Prefeitura de Porto Alegre Perfil de Competências Perfil de Competências Gestão Inovadora A Prefeitura de Porto Alegre, desde 2005, adota um modelo de gestão inovador com uma administração moderna focada

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado.

claro que o emprego existe enquanto houver trabalho para cada empregado. Automotivação Antes de abordarmos a importância da motivação dentro do universo corporativo, vale a pena iniciarmos esta série de artigos com uma definição sobre esta palavra tão em voga nos dias atuais.

Leia mais

A filosofia ganha/ganha

A filosofia ganha/ganha A filosofia ganha/ganha Interdependência Talvez nunca tenha existido, na história da humanidade, uma consciência tão ampla sobre a crescente interdependência entre os fatores que compõem nossas vidas,

Leia mais

Business & Executive Coaching - BEC

Business & Executive Coaching - BEC IAC International Association of Coaching Empresas são Resultados de Pessoas José Roberto Marques - JRM O Atual Cenário no Mundo dos Negócios O mundo dos negócios está cada vez mais competitivo, nesse

Leia mais

LIDERANÇA. "Um exército de ovelhas liderado por um leão derrotaria um exército de leões liderado por uma ovelha." (Provérbio Árabe)

LIDERANÇA. Um exército de ovelhas liderado por um leão derrotaria um exército de leões liderado por uma ovelha. (Provérbio Árabe) LIDERANÇA "O grande líder é aquele que está disposto a desenvolver as pessoas até o ponto em que elas eventualmente o ultrapassem em seu conhecimento e habilidade." Fred A. Manske "Um exército de ovelhas

Leia mais

09/07/2013. Apresenta

09/07/2013. Apresenta Apresenta 1 por Diana Santos 2 Muitos estudos sobre políticas de gestão de pessoas com vistas a melhorar o desempenho dos colaboradores; Durante toda existência humana, as equipes constituíram a forma

Leia mais

34º Café da Gestão. Resultados. Ana Paula Alcantara 06/12/2013

34º Café da Gestão. Resultados. Ana Paula Alcantara 06/12/2013 34º Café da Gestão Atitudes para Resultados Ana Paula Alcantara 06/12/2013 Fim de Ano Momento de Reflexão Rever Planos e Atitudes Senado Federal Fazendo Diferença Ficar Imóvel Como Evitar? Criar Alianças

Leia mais

O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA

O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA O PROCESSO NO GERENCIAMENTO DE EQUIPES NA EMPRESA RS CALDEIRARIA Ana Priscila da Silva Vieira 1 Elizabete Rodrigues de Oliveira 2 Tatiana Nogueira Dias 3 Élcio Aloisio Fragoso 4 Edson Leite Gimenez 5 RESUMO

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Liderança CONCEITO DE LIDERANÇA

Liderança CONCEITO DE LIDERANÇA Tipos de Liderança Liderança CONCEITO DE LIDERANÇA LIDERANÇA é o processo de influenciar outros de modo a conseguir que eles façam o que o líder quer que seja feito, ou ainda, a capacidade para influenciar

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME O PLANEJAMENTO ESTRATÉGIO EM RECURSOS HUMANOS: Um Estudo de Caso das Melhores Empresas para se Trabalhar segundo o Guia VOCÊ S/A EXAME Felipe Barbetta Soares da Silva 1, Vilma da Silva Santos 2, Paulo

Leia mais