Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 14. Edição. Dezembro Índice:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 14. Edição. Dezembro 2014. Índice:"

Transcrição

1 Edição número 14 Dezembro 2014 Data de publicação: 30 de Março de 2015 Índice: Terra Report... 1 Introdução... 2 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais... 3 Mercado Brasileiro de Resseguros... 5 Resultado das Resseguradoras Locais Resultado das linhas de negócio Grupo: Patrimonial Grupo: Riscos Financeiros Grupo: Rural Grupo: Responsabilidades.. 24 Anexo 1: Segmentos conforme Ramos SUSEP Anexo 2: Lista de Termos Técnicos Anexo 3: Principais Índices das Resseguradoras Locais. 27 Agradecimentos A.M. Best B++ Global (Investment Grade) Standard & Poor s bra+ Local Em 2014, o volume do mercado brasileiro de resseguros (bruto de comissão) foi de R$ 9,11 bilhões frente a R$ 8,26 bilhões de 2013, um crescimento anual de 10,3%. O IRB encerrou 2014 com uma participação de mercado de 33%, enquanto as outras resseguradoras locais encerraram o período detendo 38% do mercado e as resseguradoras estrangeiras 29%. O ano de 2014 foi de recuperação para as resseguradoras locais em relação ao ano anterior, apresentado uma melhora da sinistralidade, e com um Combined Ratio próximo de 100%, além de uma melhora da rentabilidade medida pelo ROE (return on equity). Em 2014, as Resseguradoras Locais apresentaram lucro de R$ 685 milhões, ante um lucro de R$ 271 milhões registrado em Neste período, o IRB lucrou R$ 602 milhões e as demais resseguradoras R$ 83 milhões. Terra Report Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros Analisando a evolução do patrimônio líquido das Resseguradoras Locais, notamos que houve significativa mudança na relação de resseguro emitido e patrimônio líquido nos últimos 10 anos. De uma relação de cerca de 2 para 1 entre resseguro emitido e patrimônio líquido passamos a ter uma relação de cerca de 1 para 1. A mesma tendência foi observada no mercado internacional, onde as combinações de padrões mais rígidos de solvência e excesso de liquidez monetária também reduziram a relação de prêmio para patrimônio líquido. Evolução do Patrimônio Líquido e Resseguro Bruto das Resseguradoras Locais Acionistas: Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re

2 Introdução Caro Leitor, Nesta edição do Terra Report analisamos o comportamento do mercado Brasileiro de Resseguros para o ano de Como já era indicado no terceiro trimestre, 2014 provou-se um ano de recuperação, com melhoria na sinistralidade bruta, no Combined Ratio e no resultado das Resseguradoras Locais, tanto do IRB quanto das demais resseguradoras. Tivemos um mês de dezembro atípico. Neste período observou-se um volume de resseguro cedido muito abaixo do usual, o que contribuiu para a redução da taxa de crescimento do ano para cerca 10%, frente uma taxa de crescimento de cerca de 20% para os 12 meses findos em novembro de Resta observar se esta redução é um efeito contábil temporário ou se estamos realmente diminuindo o ritmo de crescimento, em linha com a diminuição observada no mercado de seguros. Incluímos nesta edição uma análise sobre a evolução do patrimônio líquido do mercado e sua relação com o resseguro emitido. Como se pode imaginar, o crescimento acelerado de resseguro emitido que observamos na última década não passou despercebido e atraiu grande quantidade de capital, principalmente na forma de novas Resseguradoras Locais. Mostramos que nos últimos 10 anos, a relação entre resseguro emitido e patrimônio líquido passou de 2 para 1, para perto de 1 para 1. Esta dinâmica não é particular do mercado Brasileiro. No mercado internacional, a combinação de maior rigidez nas regras de solvência e grande liquidez monetária também contribuiu para uma grande compressão da relação entre prêmio de resseguro e patrimônio. Boa leitura, Rodrigo Botti, ARe Diretor de Finanças e Operações Terra Brasis Resseguros 2

3 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais O segmento de Seguros Gerais, conforme metodologia apresentada no Anexo 1, apesar de manter a trajetória de crescimento de volume de prêmios, observou uma queda significativa em seu ritmo de crescimento. Para os 12 meses findos em dezembro de 2014, o mercado brasileiro gerou R$ 83,9bi em prêmio de seguro, em comparação aos R$ 78,5bi do mesmo período do ano anterior, representando uma taxa de crescimento anual de 6,9% frente a 18,6% de Evolução dos prêmios emitidos de seguros (R$ bi) Crescimento de prêmios emitidos de seguros A sinistralidade, obtida pela razão dos sinistros ocorridos sobre o prêmio ganho da Demonstração de Resultado de todas as Seguradoras do mercado brasileiro, manteve-se basicamente estável em 2014, ficando em 49,0% em 2014 frente a 48,6% de Sinistros/Prêmio Ganho Despesa Comercial/Prêmio Ganho Obs: Valores percentuais referentes ao mercado oficial de seguros Obs: Valores percentuais referentes ao mercado oficial de seguros No período, o índice de despesa comercial foi de 23,4% em 2014 frente a 23,0% do ano de 2013, comportamento estável no período. 3

4 O índice de despesa administrativa (incluindo despesa com impostos e outras) encerrou 2014 em 15,1% contra os 13,2% apresentados em A conta outras receitas e despesas operacionais que em dezembro de 2013 apresentou queda expressiva, em dezembro de 2014 apresentou valor em linha com o esperado, fazendo com que a série voltasse a patamares próximos da média histórica. Conforme comentamos na edição de abril de 2014, acreditamos que o resultado da conta outras receitas e despesas operacionais em Dezembro de 2013 é explicado por eventos não recorrentes e desta maneira não nos surpreendeu o movimento de alta de equivalente magnitude no final de (Despesa Administrativa, Impostos e Outras) /Prêmio Ganho Resultado de Resseguro/Prêmio Ganho Obs: Valores percentuais referentes ao mercado oficial de seguros Obs: Valores percentuais referentes ao mercado oficial de seguros O índice de resultado de resseguro, obtido pela razão do resultado de resseguro sobre o prêmio ganho, apresentou estabilidade, encerrando 2014 em 2,0%, frente a 2,1% de O Combined Ratio, incluindo o índice de resultado de resseguro, encerrou 2014 em 89,5% frente a 86,9% de 2013, evidenciando uma piora na comparação anual. Em grande parte este aumento de deveu a correção, acima mencionada, do índice de despesa administrativa. Combined Ratio, incluindo o índice de resultado de resseguro 4

5 Mercado Brasileiro de Resseguros Em 2014, o volume do mercado brasileiro de resseguros (bruto de comissão) foi de R$ 9,11bi frente a R$ 8,26bi de 2013, um crescimento anual de 10,3%. Acreditamos que a queda acentuada do ritmo de crescimento ocorrido em dezembro de 2014 seja em parte decorrente de alteração no calendário de renovações de algumas seguradoras brasileiras, que prorrogaram o prazo para os primeiros meses de 2015, uma vez que temos notado um início de ano mais forte que o usual. Prêmio cedido em resseguro acumulado de 12 meses (bruto de comissão, R$ bi) A proporção de resseguro cedido sobre prêmio de seguro sofreu uma pequena queda no último trimestre de 2014, terminando o ano em 10,9%. Entretanto, este índice ainda permanece acima do intervalo de 9% a 10% presente desde, pelo menos, a abertura do mercado em Crescimento do prêmio cedido em resseguro Resseguro cedido/prêmio de seguros gerais 5

6 O volume de prêmio de cosseguro acumulado em 2014 foi de R$ 2,36bi frente aos R$ 2,05bi do mesmo período do ano anterior, um crescimento anual de 15,2%. Prêmio cedido em cosseguro acumulado de 12 meses (R$ bi) Em 2014, o prêmio de cosseguro representou 2,8% do volume de prêmio do segmento de seguro gerais frente aos 2,6% de Crescimento do prêmio cedido em cosseguro Prêmio de Cosseguro / prêmio de seguros gerais Em 2014, o volume de resseguro (bruto de comissão) emitido por resseguradoras locais foi de R$ 6,49bi, aumento de 16,1% em relação aos R$ 5,58bi apresentados em Resseguro aceito (bruto de comissão) pelas Resseguradoras Locais 6

7 O mercado local encerrou o ano de 2014 detendo 71,2% do volume de prêmio cedido por cedentes brasileiras, acima dos 67,7% registrados em Crescimento do prêmio cedido em resseguro para resseguradoras locais por cedentes brasileiras Prêmio bruto de resseguro cedido para resseguradoras locais como porcentagem do prêmio total cedido Do total do volume de resseguro (bruto de comissão) emitido por resseguradoras locais, o IRB emitiu um volume de prêmio 5% maior que o apresentado em 2013, enquanto as demais resseguradoras locais apresentaram um crescimento de 28%, influenciado em grande parte pelo aumento do volume de operação das resseguradoras locais mais jovens, que possuem início de operação entre 2012 e No mesmo período, o volume de resseguro emitido por resseguradoras estrangeiras caiu 1%. Prêmio cedido por Cedentes Brasileiras e recebido pelas Resseguradoras Locais (R$ mi) Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Em 2014, o mercado local foi destino de 71% do volume de resseguro cedido pelo mercado brasileiro ante 68% de 2013, com uma retenção de 58% desse valor, representando R$ 3,8bi ante R$ 3,2bi do de Na página seguinte ilustramos o fluxograma anual de prêmios a partir de 2007, o último ano de regime monopolista de resseguro. 7

8 Fluxo anual de resseguros no mercado brasileiro desde 2007 (bruto de comissão, R$ mi) Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ milhão, números brutos de comissão de resseguros 8

9 O IRB encerrou 2014 com uma participação de mercado de 33%, enquanto as outras resseguradoras locais encerraram o período detendo 38% do mercado e as resseguradoras estrangeiras 29%. Market Share de resseguro (bruto de comissão) cedido pelas Cedentes brasileiras Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Prêmio bruto de resseguro oriundo das cedentes brasileiras (R$ bi) Participação no prêmio bruto de resseguro oriundo das cedentes brasileiras Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses 9

10 Resultado das Resseguradoras Locais O ano 2014 foi de recuperação para as resseguradoras locais em relação ao ano anterior, apresentado uma melhora da sinistralidade, e com um Combined Ratio próximo de 100%, além de uma melhora da rentabilidade medida pelo ROE (return on equity). Para os 12 meses findos em dezembro de 2014, a sinistralidade ( Loss Ratio ) experimentada pelo mercado ressegurador local ficou em 78%, queda de 10 pontos percentuais frente ao nível de 88% de Cabe ressaltar que este é o Loss Ratio bruto, calculado como as perdas ocorridas brutas dividido pelo prêmio ganho bruto (i.e. bruto de retrocessão, líquido de comissão). Loss Ratio: Sinistro de Competência/prêmio ganho Despesas comerciais/prêmio ganho O índice de despesas comerciais, nos doze meses findos em dezembro de 2014, apresentou uma melhora, encerrando o período em 2,1% frente a 2,9% do ano de O índice de despesas administrativas (incluindo impostos e outras despesas) encerrou 2014 em 11,9% frente a 9,6% de 2013, apresentando uma piora no período. (Despesas administrativas, impostos e outros) / prêmio ganho Resultado de retrocessão /prêmio ganho O índice de resultado de retrocessão, para os 12 meses findos em dezembro de 2014, atingiu 6,9% frente a 2,4% do ano de

11 O Combined Ratio (incluindo o índice de resultado de retrocessão) atingiu 99,0% em 2014, uma melhora em relação aos 103,1% de Combined Ratio, com resultado de retrocessão Observa-se também que o Combined Ratio melhorou em 2014 tanto para o IRB, quanto para o conjunto das demais resseguradoras locais. Esta melhora no Combined Ratio das outras resseguradoras locais ocorreu, mesmo com o início de funcionamento de uma série de novas resseguradoras entre 2013 e 2014 que, como toda resseguradora em início de operação, possuem altíssimo nível de Combined Ratio. Combined Ratio Mercado Local de Resseguros Combined Ratio IRB e outras Locais Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re 11

12 Em 2014, as Resseguradoras Locais apresentaram lucro de R$ 685 milhões, ante um lucro de R$ 271 milhões registrado em Neste período, o IRB lucrou R$ 602 milhões e as demais resseguradoras R$ 83 milhões. Lucro líquido (R$ mi) Total Resseguradoras Locais Lucro líquido (R$ mi) IRB e Outras Locais Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Analisando a evolução do patrimônio líquido das Resseguradoras Locais, notamos um crescimento significativo deste montante, tanto em função do crescimento orgânico do IRB quanto pela entrada de novas resseguradoras locais. O gráfico abaixo a esquerda detalha este crescimento e ilustra o fato que ao final de 2014, o patrimônio líquido do IRB se aproxima muito do patrimônio líquido somado das demais Resseguradoras Locais. Evolução do Patrimônio Líquido do IRB e das demais Resseguradoras Locais (R$ bi) Patrimônio Líquido (R$ bi), Resseguro (Bruto de Comissão, R$ bi) e evolução da relação entre eles para todas as Resseguradoras Locais Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Houve significativa mudança na relação de resseguro emitido e patrimônio líquido nos últimos 10 anos, conforme ilustrado no gráfico acima à direita. De uma relação de cerca de 2 para 1 entre resseguro emitido e patrimônio líquido passamos a ter uma relação de cerca de 1 para 1. Vale notar que essa mesma tendência foi observada no mercado internacional onde a combinação de padrões mais rígidos de solvência e excesso de liquidez monetária também reduziu a relação de prêmio para patrimônio líquido. 12

13 Abaixo mostramos um resumo do resultado do mercado ressegurador local em 2014 e Resumos dos resultados e principais métricas das resseguradoras de janeiro a dezembro de 2014 e de Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, números em R$ milhões Conforme comentado em edições anteriores, o bloco das Outras Resseguradoras Locais atualmente não é homogêneo e, portanto, sua análise se torna mais complexa. Desta maneira, continuamos a análise das resseguradoras baseado no seu início de operação ao qual apelidamos de classe. Comparando o ano de 2013 com 2014 nota-se uma melhora no Combined Ratio em todas as Classes, incluindo o IRB. Entretanto, as razões por trás desta melhora são distintas. No IRB e nas Classes mais antigas, de 2008 e 2010, ocorreu uma significativa queda na sinistralidade bruta. 13

14 Resumos dos resultados e principais métricas Resseguradoras de janeiro a dezembro de 2014 e de 2013 por Classe Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Na classe de 2012, a melhora no Combined Ratio se deveu a diminuições nos índices de despesa administrativa, resultado de retrocessão e impostos. Isto é esperado na medida em que os portfolios destas jovens resseguradoras começam a serem formados. A sinistralidade da Classe de 2012 aumentou em 2014 comparado a Métricas das Resseguradoras Locais classificado por Classe Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Nota-se também que em termos de produção o IRB e as classes de 2008 e 2010 parecem terem entrado em regime, com pouca mudança de prêmio entre 2014 e Nota-se também para estes grupos que, em 2014, o prêmio emitido está bem próximo do prêmio ganho, outro sinal de estabilidade. O crescimento de prêmio em 2014 deve-se majoritariamente a classe de

15 As tabelas abaixo representam a demonstração de resultado das Resseguradoras Locais de 2014 e Demonstração de resultado Resseguradoras Locais de 2014 e 2013 (R$ mi) Mercado Local Total, IRB e Outras Locais Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re (1) R.O.E. Aqui definido como lucro líquido anualizado dividido pelo patrimônio líquido do fim do período 15

16 Demonstração de resultado Resseguradoras Locais de 2014 e 2013 (R$ mi) JM, Munich, Mapfre e XL Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re (1) R.O.E. Aqui definido como lucro líquido anualizado dividido pelo patrimônio líquido do fim do período 16

17 Demonstração de resultado Resseguradoras Locais de 2014 e 2013 (R$ mi) ACE, Austral, AIG e Zurich Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, (1) R.O.E. Aqui definido como lucro líquido anualizado dividido pelo patrimônio líquido do fim do período 17

18 Demonstração de resultado Resseguradoras Locais de 2014 e 2013 (R$ mi) Markel, Swiss, Terra Brasis e Allianz Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, (1) R.O.E. Aqui definido como lucro líquido anualizado dividido pelo patrimônio líquido do fim do período 18

19 Demonstração de resultado Resseguradoras Locais de 2014 e 2013 (R$ mi) BTG, Scor e AXA Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, (1) R.O.E. Aqui definido como lucro líquido anualizado dividido pelo patrimônio líquido do fim do período 19

20 Resultado das linhas de negócio Nesta sessão analisamos as diferentes linhas de negócio do mercado Brasileiro. Para analisar as diferentes linhas de negócio foram utilizadas informações provenientes da Tabela de Operações (TO) do banco de dados da SUSEP, diferente das sessões anteriores deste relatório que é baseado em dados provenientes das Demonstrações Financeiras de seguradoras e resseguradoras locais. Prêmios de Seguro Gerais e Resseguro para setembro de 2014 e 2013 (R$ mi) Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, dados obtidos através da tabela de operações (TO) É importante mencionar que existem divergências entre os valores da Tabela de Operações e a Demonstração de Resultado (DRE) das companhias de seguro e resseguro. Conforme ilustrado no gráfico abaixo, até o final do ano de 2011 as duas séries históricas eram bastante próximas. A partir de 2012, as séries começam a divergir. Resseguro cedido obtido por diferentes fontes Na confecção de nossas análises preferimos, sempre que possível, utilizar dados provenientes das Demonstrações de Resultados. Uma vez que estes são alvo de auditorias periódicas, acreditamos que a consistência destes dados seja superior aos dados contidos da tabela de operação. Entretanto, para a análise das linhas de negócio nas páginas seguintes, a única fonte disponível é a tabela de operações. 20

21 Grupo: Patrimonial Prêmio de seguro Crescimento do prêmio de seguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro Crescimento do prêmio de resseguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro/prêmio de seguro Divisão de prêmio de resseguro por tipo de cia Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Loss Ratio: Seguradoras Loss Ratio: Resseguradoras 21

22 Grupo: Riscos Financeiros Prêmio de seguro Crescimento do prêmio de seguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro Crescimento do prêmio de resseguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro/prêmio de seguro Divisão de prêmio de resseguro por tipo de cia Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Loss Ratio: Seguradoras Loss Ratio: Resseguradoras 22

23 Grupo: Rural Prêmio de seguro Crescimento do prêmio de seguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro Crescimento do prêmio de resseguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro/prêmio de seguro Divisão de prêmio de resseguro por tipo de cia Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Loss Ratio: Seguradoras Loss Ratio: Resseguradoras 23

24 Grupo: Responsabilidades Prêmio de seguro Crescimento do prêmio de seguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro Crescimento do prêmio de resseguro Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Prêmio de resseguro/prêmio de seguro Divisão de prêmio de resseguro por tipo de cia Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re, R$ bilhões, acumulado 12 meses Loss Ratio: Seguradoras Loss Ratio: Resseguradoras 24

25 Anexo 1: Segmentos conforme Ramos SUSEP Abaixo se encontram as definições da Terra Brasis dos segmentos referentes às diferentes linhas de negócios supervisionadas pela SUSEP. Linhas em cinza denotam linhas de negócio desativadas ou em rundown. Nesse relatório para a definição de Seguros Gerais, foram excluídos os ramos relacionados à DPVAT, pois acredita-se que tais ramos deveriam ser uma categoria independente. Também foram excluídos os ramos relacionados ao VGBL os quais a Terra Brasis acredita que deveriam ser apresentados junto a outras modalidades de Previdência. Segmentação do mercado brasileiro de seguros sob supervisão da SUSEP Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re 25

26 Anexo 2: Lista de Termos Técnicos Aqui segue uma lista inicial com as definições que utilizamos neste relatório para certos termos de resseguro. Imaginamos ir crescendo a lista e acreditamos que isso seja de valia uma vez que diversos termos de resseguros tem sido utilizados com sentidos diversos. Mercado Brasileiro de Seguros Gerais: É o mercado formado pelas operações de seguros conforme segmentação oficial da SUSEP, exceto aquelas classificadas na modalidade DPVAT e VGBL. Mercado Brasileiro de Resseguros: É formado pelos negócios cedidos pelas seguradoras brasileiras às resseguradoras autorizadas a operar no Brasil e classificadas como locais, admitidas ou eventuais. Mercado Local de Resseguros: É formado pelos negócios recebidos pelas Resseguradoras Locais. Prêmio Emitido ou Prêmio Emitido Bruto: É o valor do prêmio emitido pelas Cedentes ou resseguradoras, antes da dedução de resseguro ou retrocessão. No caso das resseguradoras, a partir de maio de 2011, as comissões pagas as Cedentes são deduzidas deste valor. Prêmio Emitido Líquido: É o prêmio emitido deduzido o prêmio cedido em resseguro ou retrocessão. Prêmio de Resseguro ou Prêmio de Resseguro Bruto: Mesmo que prêmio emitido ou prêmio emitido bruto pelas resseguradoras. Apesar de por definição as comissões serem deduzidas deste valor, temporariamente no Terra Report indicamos sempre se o prêmio de resseguro é líquido ou bruto de comissão. Prêmio de Resseguro Líquido: É o prêmio emitido pela resseguradora menos o prêmio de retrocessão cedida. Da mesma forma que para o Prêmio de Resseguro, temporariamente no Terra Report indicamos sempre se o prêmio de resseguro é líquido ou bruto de comissão. Comissão: É o valor que a resseguradora ou retrocessionária paga para a cedente, com o objetivo de cobrir parte dos gastos incorridos na administração e angariação de negócios. Corretagem: É o valor pago ao corretor ( broker ), como remuneração pela intermediação da operação de seguros, resseguro ou retrocessão. Overriding: É a parte da comissão paga a Cedente em adição aos gastos de comercialização incorridas por ela. 26

27 Anexo 3: Principais Índices das Resseguradoras Locais Fonte: SUSEP, Terra Brasis Re Principais Índices das Resseguradoras Locais de Janeiro a Dezembro de 2014 e

28 Agradecimentos É com entusiasmo que continuamos a publicar nosso relatório de mercado, o Terra Report, um trabalho de acompanhamento do Mercado Brasileiro de Resseguro, que compartilhamos com nossos clientes, parceiros e colegas. Somos imensamente agradecidos a SUSEP por disponibilizar seu banco de dados ao público. Agradecemos também a ANS e a CNSeg por informações usadas aqui. O relatório também contém análises e ajustes feitos internamente pela Terra Brasis e desta maneira pedimos desculpas antecipadas por eventuais imprecisões contidas nesta publicação. Esperamos que nossos leitores apreciem este trabalho tanto quanto nós apreciamos desenvolvê-lo. Sem dúvida alguma é extremamente gratificante estar envolvido no mercado brasileiro de resseguros nesse momento tão importante do seu desenvolvimento. Qualquer crítica, comentário ou sugestão a esse trabalho é muito bem-vinda. 28

29 Contatos Nome Cargo Telefone Paulo Eduardo de Freitas Botti Diretor Presidente Carlos Roberto De Zoppa Diretor Vice Presidente Técnico Bernardo Nolasco Diretor de Investimentos Rodrigo Botti, ARe Diretor de Finanças e Operações Luiz Pestana Diretor Comercial Paulo Hayakawa Diretor de Subscrição Priscila Grossi Analista de Riscos

30 Escritório São Paulo Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 1700, 12º Andar Itaim Bibi, São Paulo, SP Este documento foi elaborado pela Terra Brasis Resseguros S.A. ( Terra Brasis Re ) para fins meramente informativos. A Terra Brasis Re, seus sócios, sociedades sob o mesmo controle, seus diretores, empregados e representantes não expressam nenhuma opinião, não garantem e nem assumem qualquer responsabilidade pela suficiência, consistência ou completude de qualquer das informações aqui apresentadas, ou por qualquer omissão com relação a este relatório. Este relatório também não tem o intuito de ser uma declaração completa ou um resumo sobre mercados ou estratégias abordados neste documento. Nenhuma das pessoas mencionadas neste parágrafo será responsável por quaisquer perdas ou danos de qualquer natureza que decorram do uso das informações contidas neste documento, ou que eventualmente sejam obtidas por terceiros por qualquer outro meio. A Terra Brasis Re não assume responsabilidade pelas operações descritas neste documento e seu conteúdo não deve ser interpretado como aconselhamento financeiro, fiscal ou jurídico. As informações contidas neste documento foram obtidas junto a fontes públicas, sendo que a Terra Brasis Re não realizou uma verificação independente destas informações. Quaisquer projeções ou previsões contidas neste relatório são baseadas em suposições e estimativas subjetivas sobre eventos e circunstâncias que ainda não ocorreram e estão sujeitos a variações significativas. Dessa forma, não é possível assegurar que quaisquer resultados oriundos de projeções ou previsões constantes deste documento serão efetivamente verificados. Esta publicação é válida somente nesta data, sendo que eventos futuros podem prejudicar suas conclusões. A Terra Brasis Re não assume nenhuma responsabilidade em atualizar, revisar, retificar ou anular este relatório em virtude de qualquer acontecimento futuro, exceto se previamente solicitado. Não é obrigação da Terra Brasis Re implementar os procedimentos apresentados neste documento, bem como a Terra Brasis Re não é responsável por qualquer falha em quaisquer negociações ou operações relativas a este relatório. Nenhum investimento ou decisão financeira deve ser baseado exclusivamente nas informações aqui apresentadas. Quaisquer opiniões relacionadas ao objeto deste documento que sejam eventualmente manifestadas pela Terra Brasis Re devem ser consideradas exclusivamente como uma sugestão de melhor maneira de conduzir os diversos assuntos relacionados ao objeto deste relatório. Todas as informações contidas nesta apresentação devem ser mantidas de forma estritamente confidencial e só podem ser divulgadas, citadas ou reproduzidas, no todo ou em parte, com a prévia e expressa anuência da Terra Brasis Re para pessoas que tenham concordado em tratar tais informações de forma confidencial.

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 11. Edição. Abril 2014

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 11. Edição. Abril 2014 Edição número 11 Abril 2014 Data de publicação: 24 de Julho de 2014 Terra Report Índice: Introdução... 3 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais... 4 Mercado Brasileiro de Resseguros... 8 Resultado das Resseguradoras

Leia mais

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 13. Edição. Setembro 2014. Índice:

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 13. Edição. Setembro 2014. Índice: Edição número 13 Setembro 2014 Data de publicação: 22 de Dezembro de 2014 Índice: Introdução... 2 Resseguradoras Operando no Brasil... 3 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais... 4 Mercado Brasileiro de

Leia mais

Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros

Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros Edição número 12 Junho 2014 Data de publicação: 22 de Setembro de 2014 Terra Report Índice: Terra Report... 1 Introdução... 3 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais... 4 Mercado Brasileiro de Resseguros...

Leia mais

O RESSEGURO NO BRASIL PRESENTE E FUTURO. 4º Encontro de Resseguros do Rio de Janeiro Abril 2015

O RESSEGURO NO BRASIL PRESENTE E FUTURO. 4º Encontro de Resseguros do Rio de Janeiro Abril 2015 O RESSEGURO NO BRASIL PRESENTE E FUTURO 4º Encontro de Resseguros do Rio de Janeiro Abril 2015 Resseguro no Brasil Presente e Futuro Tópicos: - O Mercado Brasileiro de Resseguros - O Que Melhorar para

Leia mais

Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil

Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil Análise Econômica do Mercado de Resseguro no Brasil Estudo encomendado a Rating de Seguros Consultoria pela Terra Brasis Resseguros Autor: Francisco Galiza Sumário 1. Introdução... 3 2. Descrição do Setor...

Leia mais

Terra Report Índice: Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 10. Edição. Setembro 2013

Terra Report Índice: Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 10. Edição. Setembro 2013 Edição número 10 Setembro 2013 Data de publicação: 6 de Janeiro de 2014 Terra Report Índice: Introdução... 3 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais... 4 Mercado Brasileiro de Resseguros... 6 Resultado das

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS (SUSEP) COMISSÃO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO (CED)

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS (SUSEP) COMISSÃO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO (CED) SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS (SUSEP) COMISSÃO DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO (CED) 3º RELATÓRIO DE ANÁLISE E ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS SUPERVISIONADOS RIO DE JANEIRO, 30 DE NOVEMBRO DE 2015 1.

Leia mais

1- INTRODUÇÃO: 2- RESULTADOS SUSEP JAN 2015:

1- INTRODUÇÃO: 2- RESULTADOS SUSEP JAN 2015: 1- INTRODUÇÃO: A SUSEP liberou no dia 07/03/2015 os números do Mercado de Seguros e Previdência referente ao mês de janeiro 2015. Cabe ainda lembrar que esses números se referem ao banco de dados SES o

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 15. Edição. Março Índice:

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 15. Edição. Março Índice: Edição número 15 Março 2015 Data de publicação: 16 de Junho de 2015 Índice: Introdução... 2 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais... 3 Mercado Brasileiro de Resseguros... 7 Resultado das Resseguradoras

Leia mais

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS RISCOS DE ENGENHARIA JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS RISCOS DE ENGENHARIA JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS RISCOS DE ENGENHARIA JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Como sabemos a SUSEP, no intuito de aperfeiçoar as avaliações

Leia mais

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS RISCOS NOMEADOS E OPERACIONAIS JAN A MAIO 2014 NÚMEROS SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Como sabemos a SUSEP, no intuito de aperfeiçoar

Leia mais

Operadora: Alexandre Dias:

Operadora: Alexandre Dias: Operadora: Boa tarde, senhoras e senhores. Sejam bem-vindos à teleconferência de resultados do 3T da Anhanguera Educacional. Hoje nós temos a presença do Sr. Alexandre Dias, CEO da Companhia, Sr. Ricardo

Leia mais

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004

Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 Porto Seguro Anuncia Lucro Líquido de R$ 44,2 milhões no 4T04 Crescimento de 22% dos Prêmios Auferidos em 2004 São Paulo, 25 de fevereiro de 2005 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia hoje seus

Leia mais

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 7. Edição. Dezembro 2012

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 7. Edição. Dezembro 2012 Edição número 7 Dezembro 2012 Data de publicação: 26 de Abril de 2013 Terra Report Índice: Introdução... 2 Principais Segmentos do Mercado de Seguros Brasileiro... 3 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais...

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Valores Redutores da Necessidade de Cobertura das Provisões Técnicas por Ativos Garantidores Orientações da Susep ao Mercado

Valores Redutores da Necessidade de Cobertura das Provisões Técnicas por Ativos Garantidores Orientações da Susep ao Mercado Valores Redutores da Necessidade de Cobertura das Provisões Técnicas por Ativos Garantidores Orientações da Susep Julho/2015 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1. Área Responsável... 3 1.2. Base Legal... 3 1.3.

Leia mais

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%.

A Taxa Média de Retorno do Patrimônio Líquido foi equivalente a uma aplicação financeira com remuneração anual de 34,69% contra 24,94%. 1- INTRODUÇÃO: A SUSEP liberou no dia 07/03/2015 os números do Mercado de Seguros e Previdência referente ao mês de janeiro 2015. Cabe ainda lembrar que esses números se referem ao banco de dados SES o

Leia mais

Apresentação Institucional Setembro 2013

Apresentação Institucional Setembro 2013 Apresentação Institucional Setembro 2013 BB Seguridade Maior Companhia de Seguros, Previdência e Capitalização da América Latina* Rápido Crescimento com Alta Rentabilidade Maior Corretora de Seguros da

Leia mais

Demonstrações Financeiras

Demonstrações Financeiras Demonstrações Financeiras MAPFRE Vera Cruz Seguradora S.A. e relatório dos auditores independentes sobre as demonstrações financeiras Senhores Acionistas, MAPFRE VERA CRUZ SEGURADORA S.A. RELATÓRIO DA

Leia mais

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado.

Mas do ponto de vista do grosso, o grande percentual de discussões acumuladas e passadas que tínhamos, já está absolutamente eliminado. Carlos Macedo, Goldman Sachs: Bom dia. Obrigado pela oportunidade. Duas perguntas, a primeira se refere à sinistralidade em seguro de saúde. Na página sete do release, vocês falam de uma despesa extraordinária

Leia mais

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS GARANTIAS JAN A DEZ 2014 NÚMEROS SUSEP - SES (02/03/2015)

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS GARANTIAS JAN A DEZ 2014 NÚMEROS SUSEP - SES (02/03/2015) ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS JAN A DEZ 2014 NÚMEROS SUSEP - SES (02/03/2015) lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Como sabemos a SUSEP, no intuito de aperfeiçoar as avaliações

Leia mais

Electro Aço Altona S/A

Electro Aço Altona S/A Electro Aço Altona S/A Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ n.º 82.643.537/0001-34 IE n.º 250.043.106 Rua Eng.º Paul Werner, 925 CEP 89030-900 Blumenau SC Data base: 30 de Junho de 2011 1 Destaques

Leia mais

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A.

TRX Securitizadora de Créditos Imobiliários S.A. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em Reais) (reclassificado) (reclassificado) Ativo Nota 2012 2011 Passivo Nota 2012 2011 Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa 4 61.664 207.743 Fornecedores

Leia mais

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação.

BTG Fundo de Fundos. 5ª Emissão. Janeiro, 2013. Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. 5ª Emissão Janeiro, 2013 Para informações adicionais, leia atentamente os Avisos Adicionais no final da apresentação. SEÇÃO 1 Características Características Fundo Carteira Remuneração FUNDO FII fechado

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ABERDEEN BRASIL EQUITY FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO

CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA PARA DIVULGAÇÃO DA CARTEIRA DO FUNDO BRB FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO EM RENDA FIXA DI LONGO PRAZO 500 FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Competência: 19/01/2016 CNPJ 05.086.234/0001-17 PERIODICIDADE MÍNIMA

Leia mais

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização Panorama e Perspectivas / Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização 1. Sumário Executivo... 2 2. Seguradoras do grupo de seguros gerais... 2 2.1 Ramos do grupo de seguros gerais...

Leia mais

SINCOR-SP 2016 FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS FEVEREIRO 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 6 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

SINCOR-SP 2015 NOVEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 NOVEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS NOVEMBRO 20 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09

DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 Divulgação de Resultados 3T09 DIRECIONAL ANUNCIA RECORDE HISTÓRICO DE VENDAS NO 3T09 - VENDAS CONTRATADAS DE R$242,7 MILHÕES NO 3T09, COM VSO 45% - - EBITDA DE R$35,0 MILHÕES, COM 31,1% DE MARGEM EBITDA

Leia mais

CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS e BM&F BOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS 28/03/2014. Prezados Senhores.

CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS e BM&F BOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS 28/03/2014. Prezados Senhores. À CVM COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS e BM&F BOVESPA BOLSA DE VALORES, MERCADORIAS E FUTUROS 28/03/2014 Prezados Senhores. Em atendimento ao art.21 inciso VIII da Instrução CVM 480/09, segue abaixo as

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004.

RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004. RESOLUÇÃO Nº 193, DE 16 DE DEZEMBRO DE 2008 Altera os arts. 1º e 11 e o inciso I do art. 2º da Resolução CNSP No 118, de 22 de dezembro de 2004. A SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS - SUSEP, no uso da

Leia mais

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO INVESTCO S.A. PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO Aos Srs. Acionistas Investco S.A. Anexo I - Comentários dos Diretores da Companhia Contas dos Administradores referentes ao exercício social encerrado em 31.12.2012.

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento Ações Petrobras (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de 2014 com Relatório dos Auditores

Leia mais

SINCOR-SP 2016 ABRIL 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2016 ABRIL 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS ABRIL 2016 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 Sumário Palavra do presidente... 4 Objetivo... 5 1. Carta de Conjuntura... 6 2. Estatísticas dos Corretores de SP... 7 3. Análise macroeconômica...

Leia mais

De fato a situação poderá se complicar em função da situação econômica do País.

De fato a situação poderá se complicar em função da situação econômica do País. 1- INTRODUÇÃO: A SUSEP liberou no dia 21/09/2015 os números do Mercado de Seguros e Previdência referente ao período de jan a julho de 2015. Cabe ainda lembrar que esses números se referem ao banco de

Leia mais

RELATÓRIO DO OMBUDSMAN DA BM&FBOVESPA 2012

RELATÓRIO DO OMBUDSMAN DA BM&FBOVESPA 2012 RELATÓRIO DO OMBUDSMAN DA BM&FBOVESPA 2012 São Paulo, fevereiro de 2013. 2 ÍNDICE Apresentação Pag. 3 Função Reativa Dados consolidados do ano de 2012 Pag. 4 Função Pró-ativa Uma retrospectiva de 2012

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 31. Ativo Não Circulante Mantido para Venda e Operação Descontinuada

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 31. Ativo Não Circulante Mantido para Venda e Operação Descontinuada COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 31 Ativo Não Circulante Mantido para Venda e Operação Descontinuada Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IFRS 5 Índice OBJETIVO

Leia mais

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS TRANSPORTES NACIONAIS JAN A JULHO 2014 NÚMEROS SUSEP SES

ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS TRANSPORTES NACIONAIS JAN A JULHO 2014 NÚMEROS SUSEP SES ANÁLISE MERCADO DE SEGUROS TRANSPORTES NACIONAIS JAN A JULHO NÚMEROS SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Como sabemos a SUSEP, no intuito de aperfeiçoar as avaliações

Leia mais

PanAmericana de Seguros S.A. Relatório da Administração 2011. 10 de Fevereiro de 2012

PanAmericana de Seguros S.A. Relatório da Administração 2011. 10 de Fevereiro de 2012 PanAmericana de Seguros S.A. Relatório da Administração 2011 10 de Fevereiro de 2012 Relatório da Administração 2011 SENHORES ACIONISTAS De acordo com os dispositivos legais e estatutários, submetemos

Leia mais

Regulatory Practice Insurance News

Regulatory Practice Insurance News kpmg Abril 2006 INSURANCE Regulatory Practice Insurance News FINANCIAL SERVICES SUSEP Destaques do mês Fundos de investimento Carta-Circular DECON 7, de 04.04.2006 Identificação de fundos no sistema CETIP

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ABS Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Aliança do Brasil Seguros S.A., anteriormente denominada Santa Catarina Vida e Previdência

Leia mais

Outros créditos (Nota 8.4) 368 420 Provisões técnicas - seguros (Nota 18) 728.719 671.251

Outros créditos (Nota 8.4) 368 420 Provisões técnicas - seguros (Nota 18) 728.719 671.251 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. o relatório da administração e as demonstrações financeiras relativas aos exercícios findos em 31 de dezembro e, acompanhadas do relatório dos auditores

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros Danos d. Automóvel II PROVISÕES TÉCNICAS E ATIVOS REPRESENTATIVOS

Leia mais

SINCOR-SP 2015 DEZEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 DEZEMBRO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS DEZEMBRO 20 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis BNB Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento Renda Fixa Curto Prazo (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20) 31 de março de

Leia mais

Gostaria agora de passar a palavra ao Sr. Alexandre Afrange, que iniciará a apresentação. Por favor, Sr. Afrange pode prosseguir.

Gostaria agora de passar a palavra ao Sr. Alexandre Afrange, que iniciará a apresentação. Por favor, Sr. Afrange pode prosseguir. Operadora: Bom dia, senhoras e senhores. Sejam bem-vindos à teleconferência dos resultados referentes ao 2T08 da Le Lis Blanc. Estão presentes conosco o Sr. Alexandre Afrange, Presidente, e o Sr. Marcelo

Leia mais

Demonstrações Financeiras Intermediárias Terra Brasis Resseguros S.A.

Demonstrações Financeiras Intermediárias Terra Brasis Resseguros S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Terra Brasis Resseguros S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias 30 Junho de 2013 (milhares de reais) Relatório da Administração Senhores Acionistas: Submetemos

Leia mais

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO

SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A. INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO SIDERÚRGICA J. L. ALIPERTI S/A INSTRUÇÃO CVM Nº 481 Anexo 9-1-II DESTINAÇÃO DO LUCRO LÍQUIDO 1 Informar o lucro líquido do exercício - O montante do lucro líquido do exercício é de R$ 8.511.185,59 (oito

Leia mais

(MLRV) TRANSPORTES NACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) TRANSPORTES NACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 TRANSPORTES NACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Lamentavelmente a SUSEP alterou a estrutura de resultados não mais detalhando os prêmios

Leia mais

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS RESULTADOS DE JAN A OUT-03. 1- Resultados:

MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS RESULTADOS DE JAN A OUT-03. 1- Resultados: 1- Resultados: O Mercado Brasileiro de Seguros encerrou o período de jan a out-03 apresentando um resultado (somatizado) de R$ 2,8 bilhões contra R$ 1,9 bilhão do ano anterior, demonstrando um crescimento

Leia mais

BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015

BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015 BRB ANUNCIA RESULTADOS DE 2015 Brasília, 22 de março de 2016 O BRB - Banco de Brasília S.A., sociedade de economia mista, cujo acionista majoritário é o Governo de Brasília, anuncia seus resultados do

Leia mais

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016.

BR INSURANCE CORRETORA DE SEGUROS S.A. ANUNCIA OS RESULTADOS DO 1 TRIMESTRE DE 2016. RELEASE DE RESULTADOS Relações com Investidores Marcelo Moojen Epperlein Diretor-Presidente e de Relações com Investidores (55 11) 3175-2900 ri@brinsurance.com.br Ana Carolina Pires Bastos Relações com

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO FIP REFERENTES AO CAPITAL ADICIONAL PARA COBERTURA DO RISCO DE CRÉDITO meses de referência: jan a maio/11

MANUAL DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO FIP REFERENTES AO CAPITAL ADICIONAL PARA COBERTURA DO RISCO DE CRÉDITO meses de referência: jan a maio/11 MANUAL DE PREENCHIMENTO DOS QUADROS DO FIP REFERENTES AO CAPITAL ADICIONAL PARA COBERTURA DO RISCO DE CRÉDITO meses de referência: jan a maio/11 Com o objetivo de aperfeiçoar as informações recebidas pela

Leia mais

1- INTRODUÇÃO: 2- RESULTADOS SUSEP JAN A SET 2015:

1- INTRODUÇÃO: 2- RESULTADOS SUSEP JAN A SET 2015: 1- INTRODUÇÃO: A SUSEP liberou no dia 26/10/2015 os números do Mercado de Seguros e Previdência referente ao período de jan a setembro de 2015. Cabe ainda lembrar que esses números se referem ao banco

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T14 em português TOTVS (TOTS3 BZ) 31 de julho de 2014

Transcrição da Teleconferência Resultados 2T14 em português TOTVS (TOTS3 BZ) 31 de julho de 2014 Operadora: Bom dia. Sejam bem-vindos à teleconferência da TOTVS referente aos resultados do 2T14. Estão presentes os senhores Alexandre Mafra, Vice-Presidente Executivo e Financeiro e Vice-Presidente de

Leia mais

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000

A TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. DIVULGA O RESULTADO DO QUARTO TRIMESTRE DE 2000 E DO ANO DE 2000 TELE NORTE CELULAR PARTICIPAÇÕES S.A. João Cox Vice Presidente de Finanças e Diretor de Relações com Investidores jcox@telepart.com.br 0XX61-429-5600 Leonardo Dias Gerente de Relações com Investidores

Leia mais

Formulário de Referência - 2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. 1.1 - Declaração e Identificação dos responsáveis 1

Formulário de Referência - 2015 - SUL AMERICA S/A Versão : 1. 1.1 - Declaração e Identificação dos responsáveis 1 Índice 1. Responsáveis pelo formulário 1.1 - Declaração e Identificação dos responsáveis 1 2. Auditores independentes 2.1/2.2 - Identificação e remuneração dos Auditores 2 2.3 - Outras informações relevantes

Leia mais

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35%

SEGUROS DIRETOS R$ 15.575.883 43,36% R$ 18.153.604 43,69% 16,55% DPVAT R$ 1.267.600 3,53% R$ 1.436.782 3,46% 13,35% MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS JAN A ABRIL 2011 Tomando por base os números divulgados hoje pela SUSEP através do sistema de informações SES (que tem como fonte os FIPS enviados pelas empresas) o mercado

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Banco do Nordeste Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento DI Institucional Longo Prazo (Administrado pelo Banco do Nordeste do Brasil S.A. - CNPJ: 07.237.373/0001-20)

Leia mais

Análise Econômico-Financeira

Análise Econômico-Financeira Universidade Federal do Pará Curso de Ciências Contábeis Departamento de Contabilidade Análise Econômico-Financeira Gilvan Pereira Brito 0301007601 Belém-Pará 2007 1 Universidade Federal do Pará Curso

Leia mais

Avaliação Atuarial 2013 - Período Base 2012 Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros e Previdência Complementar Aberta

Avaliação Atuarial 2013 - Período Base 2012 Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros e Previdência Complementar Aberta Avaliação Atuarial 2013 - Período Base 2012 Orientações da SUSEP ao Mercado de Seguros e Previdência Complementar Aberta Janeiro/2013 Sumário 1. ÁREA RESPONSÁVEL... 2 2. BASE LEGAL... 2 3. ABRANGÊNCIA...

Leia mais

Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A.

Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A. Demonstrações Financeiras Consolidadas Yasuda Seguros S.A. com Relatório dos Auditores Independentes sobre as demonstrações financeiras consolidadas. Demonstrações financeiras consolidadas Índice Relatório

Leia mais

Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada

Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada Resultados das Seguradoras Brasileiras e Mercado Mundial Uma Análise Comparada Novembro/2001 SUMÁRIO: I) Introdução II) Análise Comparada III) Projeções e Conclusões Francisco Galiza Consultor e Mestre

Leia mais

Companhia de Seguros Aliança do Brasil RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013

Companhia de Seguros Aliança do Brasil RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO JUNHO DE 2013 Senhores Acionistas, Submetemos à apreciação de V.Sas. as Demonstrações Financeiras da Companhia de Seguros Aliança do Brasil, relativas ao semestre findo em 30

Leia mais

MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO GARANTIA - TOTAL R$ 2010 % 2011 % %11/10. Prêmios Líquidos Emitidos R$ 260.843.284 100,0% R$ 313.271.

MERCADO SEGURADOR BRASILEIRO GARANTIA - TOTAL R$ 2010 % 2011 % %11/10. Prêmios Líquidos Emitidos R$ 260.843.284 100,0% R$ 313.271. MERCADO BRASILEIRO DE SEGUROS GARANTIA JAN A MAIO 2011 Esse foi um dos conjuntos que sofreram alterações em classificação de produtos. Pelo relatório da SUSEP passamos a ter somente dois ramos: Garantia

Leia mais

Relatório de Monitoramento

Relatório de Monitoramento Relatório de Monitoramento............................................................................. Fundo de Investimento em Direitos Creditórios da Companhia Pernambucana de Saneamento - Compesa Data

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional APIMEC 2011 Crescimento nos próximos 115 anos SULAMÉRICA HOJE Uma Empresa de Seguros Única Maior grupo segurador independente do Brasil não pertencente a um banco #1 Sólida reputação

Leia mais

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes

Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental. 31 de dezembro de 2012 e 2011 com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações Financeiras Centro de Apoio Sócio Ambiental com Relatório dos Auditores Independentes Demonstrações financeiras 31 de dezembro de 2012 Índice Relatório dos auditores independentes sobre as

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS CIRCULAR SUSEP N o 462, DE 31 DE JANEIRO DE 2013. Dispõe sobre a forma de cálculo e os procedimentos para a constituição das provisões técnicas das sociedades seguradoras,

Leia mais

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras

Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras EletrosSaúde Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras Em 31 de dezembro de 2011 e de 2010 Em milhares de reais 1 Contexto Operacional A Fundação Eletrobrás de Seguridade Social ELETROS é uma entidade

Leia mais

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010

Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 Curitiba, 25 de agosto de 2010. SUBSÍDIOS À CAMPANHA SALARIAL COPEL 2010 DATA BASE OUTUBRO 2010 1) Conjuntura Econômica Em função dos impactos da crise econômica financeira mundial, inciada no setor imobiliário

Leia mais

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 17. Edição. Setembro Índice: Ratings:

Terra Report. Relatório do Mercado Brasileiro de Resseguros. número 17. Edição. Setembro Índice: Ratings: Edição número 17 Setembro 2015 Data de publicação: 11 de Janeiro de 2016 Índice: Introdução... 2 Brasil Exportador de Resseguros... 3 Mercado Brasileiro de Seguros Gerais... 5 Mercado Brasileiro de Resseguros...

Leia mais

Demonstrações Contábeis Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes CNPJ 00.857.

Demonstrações Contábeis Referentes ao Exercício Findo em 30 de Junho de 2012 e Relatório dos Auditores Independentes CNPJ 00.857. Banpará Renda Fixa Tradicional Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento ongo Prazo (Administrado pela BB Gestão de Recursos Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. - BB DTVM)

Leia mais

Artigo publicado. na edição 34. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. maio e junho de 2013

Artigo publicado. na edição 34. www.revistamundologistica.com.br. Assine a revista através do nosso site. maio e junho de 2013 Artigo publicado na edição 34 Assine a revista através do nosso site maio e junho de 2013 www.revistamundologistica.com.br Paulo Guedes :: opinião Gastos e Custos Logísticos diferenciar para compreender

Leia mais

Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009

Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009 Transcrição da Teleconferência Resultados do 3T09 - Inpar 18 de novembro de 2009 Bom dia, e obrigada por aguardarem. Sejam bem-vindos à teleconferência da Inpar para discussão dos resultados referentes

Leia mais

EXEMPLO COMPLETO DO CÁLCULO DO FLUXO DE CAIXA COM BASE EM DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS

EXEMPLO COMPLETO DO CÁLCULO DO FLUXO DE CAIXA COM BASE EM DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS EXEMPLO COMPLETO DO CÁLCULO DO FLUXO DE CAIXA COM BASE EM DEMONSTRATIVOS FINANCEIROS! O pagamento de juros conjunturais! O pagamento de juros estruturais! O recebimento de dividendos! A contratação de

Leia mais

Circular Susep nº 327 de 29.05.2006

Circular Susep nº 327 de 29.05.2006 Circular Susep nº 327 de 29.05.2006 D.O.U.: 01.06.2006 Dispõe sobre os controles internos específicos para o tratamento de situações relacionadas à prática dos crimes previstos na Lei nº 9.613, de 3 de

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269.

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269. Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes

Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração. Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Associação Brasileira de Metalurgia, Materiais e Mineração Demonstrações Contábeis acompanhadas do Relatório dos Auditores Independentes Em 31 de dezembro de 2012 Índice Página Relatório dos auditores

Leia mais

ANÁLISE PRODUTOS 2014 SEGURO GARANTIA I TRIMESTRE DE 2014

ANÁLISE PRODUTOS 2014 SEGURO GARANTIA I TRIMESTRE DE 2014 ANÁLISE PRODUTOS 2014 SEGURO GARANTIA I TRIMESTRE DE 2014 lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Lamentavelmente esse estudo será restrito ao volume de prêmios não tendo, por

Leia mais

Press Release Novembro/07

Press Release Novembro/07 Press Release Novembro/07 Lucro Líquido de R$395,4 milhões ou R$ 5,14 por ação, de Janeiro a Novembro de 2007. São Paulo, 02 de janeiro de 2008 - A Porto Seguro S.A. (Bovespa: PSSA3) anuncia seu resultado

Leia mais

Relatório Analítico 19 de abril de 2012

Relatório Analítico 19 de abril de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa AM BV4 Segmento de Atuação Principal Alimentos Categoria segundo a Liquidez 1 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 80,99 Valor Econômico por Ação (R$) 81,05 Potencial

Leia mais

GTD PARTICIPAÇÕES S.A.

GTD PARTICIPAÇÕES S.A. GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS REFERENTES AOS EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2009 E 2008 E PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES GTD PARTICIPAÇÕES S.A. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS

Leia mais

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio.

Roteiro para apresentação do Plano de Negócio. Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Roteiro para apresentação do Plano de Negócio Preparamos este roteiro para ajudá-lo(a) a preparar seu Plano de Negócio. Abaixo encontra-se a estrutura recomendada no Empreenda! O Plano de Negócio deverá

Leia mais

(MLRV) TRANSPORTES INTERNACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1

(MLRV) TRANSPORTES INTERNACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES. lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 TRANSPORTES INTERNACIONAIS JAN A JUNHO DE 2015 SUSEP SES lcastiglione@uol.com.br - 011-99283-6616 Página 1 1- INTRODUÇÃO: Lamentavelmente a SUSEP alterou a estrutura de resultados não mais detalhando os

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DA OCDE

MELHORES PRÁTICAS DA OCDE MELHORES PRÁTICAS DA OCDE PARA A TRANSPARÊNCIA ORÇAMENTÁRIA INTRODUÇÃO A relação entre a boa governança e melhores resultados econômicos e sociais é cada vez mais reconhecida. A transparência abertura

Leia mais

CAIXA SEGURADORA S.A. CNPJ: 34.020.354/0001-10 Relatório da Administração 1º semestre de 2011

CAIXA SEGURADORA S.A. CNPJ: 34.020.354/0001-10 Relatório da Administração 1º semestre de 2011 CAIXA SEGURADORA S.A. CNPJ: 34.020.354/0001-10 Relatório da Administração 1º semestre de 2011 Aos acionistas, clientes e colaboradores Temos a satisfação de submeter à apreciação de V.Sas. as demonstrações

Leia mais

ASPECTOS AVANÇADOS NA ANÁLISE

ASPECTOS AVANÇADOS NA ANÁLISE ASPECTOS AVANÇADOS NA ANÁLISE! O que é Necessidade de Capital de Giro (NCG)! Como se determina a NCG! Reclassificação das contas do Ativo e Passivo Circulante! Causas das variações da NCG Autores: Francisco

Leia mais

DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A.

DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. DOMMO EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. CNPJ/MF Nº 04.034.792/0001-76 NIRE 35.300382161 Companhia Aberta Proposta da Administração a ser submetida à aprovação da Assembleia Geral Ordinária a ser realizada

Leia mais

Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A.

Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A. Demonstrações Financeiras Intermediárias Austral Seguradora S.A. Em com Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Financeiras Intermediárias Demonstrações financeiras intermediárias

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FORPUS FIC FIA. CNPJ/MF: 21.917.184/0001-29 Informações referentes a Dezembro de 2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FORPUS FIC FIA. CNPJ/MF: 21.917.184/0001-29 Informações referentes a Dezembro de 2015 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o. As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

PARECER DE ORIENTAÇÃO CVM Nº 17, DE 15 DE FEVEREIRO DE 1989.

PARECER DE ORIENTAÇÃO CVM Nº 17, DE 15 DE FEVEREIRO DE 1989. 1. INTRODUÇÃO EMENTA: Procedimentos a serem observados pelas companhias abertas e auditores independentes na elaboração e publicação das demonstrações financeiras, do relatório da administração e do parecer

Leia mais

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO

ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO ANO 4 NÚMERO 25 MARÇO DE 2014 PROFESSORES RESPONSÁVEIS: FLÁVIO RIANI & RICARDO RABELO 1 - CONSIDERAÇÕES INICIAIS Em geral as estatísticas sobre a economia brasileira nesse início de ano não têm sido animadoras

Leia mais

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva 13 Fev 2015 17h00 Fitch Ratings - Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2015: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 SUR - REDE UNIVERSITÁRIA DE DIREITOS HUMANOS QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO Nota Nota ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes

Leia mais