Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência"

Transcrição

1 Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência Apostila da Disciplina de Metodologia de Pesquisa Científica baseada nas normas ABNT NBR , 6023, 6024, 6027, 6028, Monografia 2011

2 APRESENTAÇÃO, ESTRUTURA E CONTEÚDO DA MONOGRAFIA. Pré- textuais Textuais Pós- textuais Capa (obrigatório) Lombada (obrigatório) Folha de rosto (obrigatório) Ficha Catalográfica (obrigatório) Errata (opcional) Folha de aprovação (obrigatório) Dedicatórias (opcional) Agradecimento(s) (opcional) Epígrafe (opcional) Resumo em português (obrigatório) Resumo em língua estrangeira (obrigatório) Lista de ilustrações (opcional) Lista de tabelas (opcional) Lista de abreviaturas (opcional) Lista de símbolos (opcional) Sumário (obrigatório) Introdução (Objetivos, Justificativa e Revisão Bibliográfica) (obrigatório) Método (obrigatório) Resultados (obrigatório) Discussão (obrigatório) Conclusão (obrigatório) Referências (obrigatório) Glossário (opcional) Apêndice (opcional) Anexo (opcional) Índice (opcional) 1. Capa (obrigatório) 1.1 Capa preta e dura 1.2 Letras douradas, Times New Roman, tamanho Folha A Informações na seguinte ordem: (NBR , Subitem 4.1.1). Nome da instituição; Nome do autor; Título; Subtítulo se houver;

3 Número de volumes (se houver mais de um, constar em cada capa a especificação do volume); Curso Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; Ano de entrega da monografia. 1.6 A ABNT na norma NBR não especifica a disposição na folha A-4 dos itens citados acima (em cm), para facilitar sugerimos a disposição a seguir:

4 3 cm da borda superior INSTITUTO DE PSICOLOGIA E ACUPUNTURA ESPAÇO CONSCIÊNCIA 9 cm da borda superior Nome do aluno 15 cm da borda superior TÍTULO PRINCIPAL: Subtítulo, se houver 3 cm 2 cm 23 cm da borda superior ESPECIALIZAÇÃO EM ACUPUNTURA 32 cm da borda superior São Paulo cm

5 2. Lombada (obrigatório) - NBR Subitem e NBR Nome do autor; título do trabalho; local de realização do curso impresso longitudinalmente do alto para o pé da lombada e elementos numéricos (ano de entrega da monografia) e alfanuméricos (caso tenha). Para melhor visualização apresento abaixo os caracteres da lombada que deve também ser preta com letras douradas e a moldura não é necessária: Nome do autor Título da Monografia SÃO PAULO 3. Folha de Rosto (obrigatório)- (NBR Subitens e ) Informações em letra Times New Roman, tamanho 16, na seguinte ordem: Nome da instituição; Nome do autor; Título; Subtítulo se houver; Número de volumes (se houver mais de um, constar em cada capa a especificação do volume); Curso; Natureza do trabalho, objetivo, nome da Instituição, nome do orientador; Local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado; Ano de entrega da monografia. Veja o exemplo de folha de rosto a seguir:

6 3 cm INSTITUTO DE PSICOLOGIA E ACUPUNTURA ESPAÇO CONSCIÊNCIA Nome do aluno 8 cm da borda superior 13 cm da borda superior TÍTULO PRINCIPAL: Subtítulo, se houver 19 cm da borda superior 3 cm ESPECIALIZAÇÃO EM ACUPUNTURA 2 cm 23 cm da borda superior Monografia apresentada ao Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência, 33 como cm da borda exigência superior parcial para obtenção do grau de Especialização em Acupuntura, sob orientação da Ms. Carolina de Alvarenga Sales São Paulo cm

7 4. Ficha Catalográfica (obrigatório) - Conforme o Código de Catalogação Anglo- Americano (verso da folha rosto)- NBR Subitem Centralizada na parte inferior da folha. Consiste num cartão que informa os dados fundamentais, o que facilita a identificação rápida e o arquivamento do documento em obras de referências ou em bases de dados. O tipo de letra é Times New Roman, com tamanho 10 e deve estar contido num retângulo de 12,5 x 7,5 cm, de localização inferior, no verso da página de rosto, com centralização distando 4,5 cm das margens laterais. A normalização para margens e espaços deverá ser, rigorosamente, conforme a descrição a seguir: - Início com 3 espaçamentos superior e 4 espaços na margem, esquerda, com o sobrenome do autor, com a primeira letra em maiúscula, seguida de vírgula e um espaço. A seguir o nome completo com somente as iniciais em maiúsculas, seguido de ponto; - Título da monografia escrito em itálico, seguindo alinhamento da quarta letra. O titulo da monografia termina com ponto, seguido de três espaços; - Cidade onde foi apresentada à monografia, seguida de vírgula e um espaço, o ano da defesa, seguido de ponto; - Na linha seguinte, alinhando a linha anterior, o número de páginas da monografia, seguido da letra "p" e ponto; - Na linha seguinte, alinhando-se a linha anterior, escrever: Monografia Instituto de Psicologia e Acupuntura / Espaço Consciência - Curso de Especialização em Acupuntura, seguido de ponto; - Na linha seguinte, alinhando-se a linha anterior, colocar os descritores/palavras-chave, numerando-os, deixando 2 espaços entre cada um. Para os descritores/palavras-chave, seguir rigorosamente o DCS - Descritores em Ciências da Saúde, que pode ser encontrado na BIREME. No mínimo de 3 e no máximo de 5 descritores/palavras-chave devem ser digitados. A seguir, exemplo de ficha catalográfica: (colocada no verso da folha de rosto, centralizada na parte inferior, distando 4,5 cm de cada margem lateral, contida num retângulo de 12,5 x 7,5 cm, com Times New Roman 10, iniciando com 3 espaços (de 1,5 linhas) superiormente e 4 espaços da margem esquerda. O titulo da monografia em itálico, seguindo o alinhamento da quarta letra). Xxxxx, Xxxx. X xxxx xxxxx xxxx xxx xx xxxxxxxxxxxxxxxxx xxxxxxxxxx xxxxxxxxxxx xxxxxxxxxx. Xxxx xxxxxxxxxxxx xx xxxx. São Paulo, p. Monografia Instituto de Psicologia e Acupuntura / Espaço Consciência - Curso de Especialização em Acupuntura 1.Xxxx Xxxxxx. 2. Xxxxxx. 3. Xxxxxxxx Xxxxxx. 4. Xxxxx. 5.Xxxxxxxxx

8 NLMC WC500 A NLMC é a classificação estabelecida pela "National Library of Medicine Classification" para o primeiro descritor. O número é encontrado na BIREME, no DCS - Descritores em Ciências da Saúde. 5. Errata (opcional) - NBR Subitem Inserida após a folha rosto. Ex: Folha Linha Onde se lê Leia-se 32 3 publicação publicação 6. Folha de aprovação (obrigatório) - NBR Subitem Deve constar nome do autor, título do trabalho e subtítulo (se houver), natureza, objetivo, nome da instituição a que é submetido, nome, titulação e assinatura dos professores que corrigirão o trabalho e instituições a que pertencem. A data de aprovação e assinaturas dos professores são colocados após a aprovação do trabalho. Todas as informações devem ser apresentadas em letra Times New Roman, tamanho 12, espaçamento 1,5. Exemplo a seguir:

9 (Nome) Fulano de Tal (Título) Xxxxxxx xxxxxxx xxxxxxx: xxxxxxxxxxx xxxxxxxxx (Natureza, objetivo, nome da instituição a que é submetido) Monografia apresentada ao Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência, como exigência parcial para obtenção do grau de Especialização em Acupuntura, sob orientação da Ms. Carolina de Alvarenga Sales. Nota: Data:

10 7. Dedicatória Principal, outras dedicatórias (opcional) - NBR Subitem Prestação de homenagem ou dedicação do seu trabalho. Não se deve mencionar a palavra dedicatória. Posicionar no canto direito inferior. 8. Agradecimentos (opcional) - NBR Subitem A palavra Agradecimentos deve ficar em letras maiúsculas, no canto superior direito da página - Os agradecimentos devem ser oferecidos a todos que colaboraram de maneira relevante para a realização do trabalho, inclusive a instituição que forneceu apoio financeiro para a realização da pesquisa (se for o caso). Utilizar a titulação correta de cada um, se houver. 9. Epígrafe Pensamento - (opcional)- NBR Subitem Devendo ficar numa folha a parte e no canto direito inferior. Apresentação do pensamento/citação relacionado ao tema seguida da indicação da autoria. 10. Resumo em Português (obrigatório) - (NBR Subitem e NBR-6028 Subitem 2.6 e item 3 e seus subitens) É a síntese do trabalho e não assunto estudado. Composto de uma seqüência de frases concisas, afirmativas, objetivas e relevantes da monografia, sem parágrafo, não é a enumeração de tópicos. Deve dar uma idéia geral do conteúdo da pesquisa ao leitor. Deve conter: frase de apresentação do tema, objetivo, método (delineamento, participantes e procedimento na pesquisas de campo e embasamento teórico nas pesquisas bibliográficas), resultado(s) (nas pesquisas de campo) ou desenvolvimento (nas pesquisas bibliográficas) e conclusão(ões). Quando se lê o resumo é possível (para o leitor) antecipadamente saber exatamente do que se trata a monografia, bem como subsídios para conclusão. O tempo verbal utilizado é o passado e deve ter entre 150 e 500 palavras. Tudo em Time News Roman tamanho 12, sendo o título em negrito, centralizado, com a primeira letra maiúscula e as demais minúsculas e o texto normal, justificado. Há apenas um parágrafo, sem o recuo de tabulação. Não se utiliza parágrafo, é um texto corrido apenas com frase sequenciais. A palavra Resumo é centralizada. Tempo verbal: PASSADO Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do singular. Os símbolos e contrações que não sejam de uso corrente, fórmulas, equações, diagramas etc só podem ser utilizados quando imprescindíveis para o entendimento. Dica para verificação de quantidade de palavras - Use o menu Ferramentas e Contar palavras. 11. Resumo em Língua Estrangeira (Abstract) (obrigatório) - NBR Subitem e NBR Subitem 2.6 e item 3 e seus subitens. O mesmo conteúdo do resumo em língua portuguesa (tradução fiel, porém não literal), digitada em folha separada e em inglês. 12. Palavras-chave - e /ou descritores (obrigatório) - NBR Subitem 4.1.9, e NBR Subitens 2.1, Palavras representativas do conteúdo, escolhidas, preferentemente em vocabulário controlado. Separados entre si por ponto, separadas por 2 espaços e finalizadas por ponto. Deve ficar abaixo do resumo antecedida da expressão Palavras-chave. O mesmo procedimento para Abstract abaixo deste com a expressão Key Words e as palavras em inglês. Para os

11 descritores/palavras-chave, seguir rigorosamente o DCS - Descritores em Ciências da Saúde, que pode ser encontrado na BIREME. Os descritores devem ser consultados no site da Bireme (www.bireme.br) no link Descritores em Ciências da Saúde e devem ser iguais aos descritores da ficha catalográfica. No mínimo de 3 e no máximo de 5 descritores/palavras-chave devem ser digitados. Ex.: Palavras-chave: Medicina Tradicional Chinesa. Acupuntura. Psoríase. 13. Lista de Ilustrações (opcional) - (desenhos, esquemas, fluxogramas, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros fotos e outros) - NBR Subitem Elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, em folha separada. Cada item designado por seu nome específico, acompanhado pelo número da página. Requer lista própria para cada tipo de ilustração. 14. Lista de Tabelas (opcional) - NBR Subitem Elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, em folha separada. Cada item designado por seu nome específico, acompanhado pelo número da página. 15. Lista de Abreviaturas e Siglas (opcional) - NBR Subitem Relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no texto, seguida das palavras ou expressões correspondentes grafadas e por extenso. Recomenda-se a elaboração de lista própria para cada tipo. 16. Lista de Símbolos (opcional) - NBR Subitem Sinal que substitui o nome de uma coisa ou de uma ação. Elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto e com o devido significado. Ex.:...Marca registrada 17. Sumário (obrigatório) - NBR Subitem , e NBR Subitem 3.3, item 5 e seus subitens e NBR É a numeração das principais divisões, seções e outras partes da monografia, na mesma ordem e grafia na qual aparece. Regras para apresentação: - Digitar a palavra Sumário no centro superior da página, com Time News Roman 12, em negrito, com a primeira letra maiúscula e as demais minúsculas. Após estes procedimentos 2 espaçamentos de 1,5; - Os elementos pré-textuais (Resumo, Abstract) não devem constar; - Os indicativos das seções/itens que compõem o sumário devem ser alinhados à esquerda - Utilizar a mesma grafia e fonte (Times New Roman, 12) para as seções primárias/itens (Títulos). Caso haja subdivisões/subitens (1.1, 1.2 etc), sucedem os indicativos das seções. Utilizar mesma fonte e grafia conforme consta no texto (Times New Roman 12) e recomenda-se que sejam alinhados pela margem. NBR Subitem 3.4 até 3.8.1; - Não se utiliza ponto, travessão ou qualquer sinal após o indicativo da seção. NBR Subitem 3.6;

12 - Destaca-se gradativamente os títulos das seções, utilizando os recurso de negrito, itálico, grifo, caixa alta etc. O título devem vir logo após sua numeração, separado dessa por um espaço. NBR Subitem 3.7; - Títulos sem indicativos numéricos: referências bibliográficas, glossário, apêndice, anexos e índices; - Paginação: utilizar algarismos arábicos numerando desde a contra-capa, mas com a numeração impressa apenas a partir da Introdução até a última folha impressa. Deve indicar os capítulos do trabalho em letras maiúsculas e a respectiva página inicial (Ex. 27) ou inicial e final separados por hífen (Ex ). NBR Subitem Dica para a digitação - Para evitar o não enquadramento dos pontilhados utilize o recurso (Word) da formatação da tabulação. Após o texto e antes da página use o menu Formatar e Tabulação. Definir os parâmetros: marca de tabulação 16,5 cm, alinhamento direito e preenchimento 2 e após este procedimento pressione a tecla Tab. - A parte pré-textual, com exceção da capa é contada, mas não numerada, sem nenhum tipo de algarismo; - Para cada tipo de pesquisa há forma diferente de distribuir os itens, bem como os subitens. Veja os modelos a seguir:

13 Sumário 1 Introdução Objetivo Metodologia Tipo de Pesquisa Local de Estudo Instrumento e coleta de dados Tratamento dos dados Resultados Discussão Conclusões Referências Glossário ANEXO A Fluxograma da abordagem da prevenção de DST nos níveis individual e populacional ANEXO B Impacto das doenças contagiosas e maternas no mundo em desenvolvimento... 34

14 Sumário 1 Introdução Visão Psicológica Visão Psicossomática Somatização e Conceitos Limítrofes: Delimitação de Campos Personalidades Depressivas Acupuntura Os Cinco Elementos Classificação dos Cinco Elementos na Natureza Classificação dos Cinco Elementos no Ser Humano Substâncias Vitais Sangue Essência ou Jing Fluídos Corpóreos ou Jim Ye Energia Psíquica O Tratamento da Depressão pela Acupuntura Conclusão Referências

15 Sumário 1 Introdução Descrição Clínica da Doença Segundo a Visão Ocidental Ciclos da Psoríase Formas Clínicas da Doença Diagnóstico Ocidental Qualidade de Vida e Aspectos Psicológicos Quanto aos Tratamentos Acupuntura Segundo a Medicina Tradicional Chinesa Interdependência e Oposição do Yin e Yang A Escola dos Cinco Elementos Elemento Madeira Vesícula Biliar Elemento Metal Intestino Grosso Ponto Aberto Psoríase Segundo a MTC Relato do Caso História Clínica Hipótese Diagnóstica Terapêutica Proposta Terapêutica Procedimento Terapêutico Discussão Conclusão Referências ANEXO A Termo de Consentimento Livre Esclarecido...33

16 As pesquisas Bibliográficas devem apresentar: Introdução, Capítulos (desenvolvimento) e Conclusão (ões). As pesquisas Documentais, de Levantamento, Estudo de Caso, Estudo de Caso Clínico devem apresentar: Introdução, Capítulos (desenvolvimento), Método, Resultados e Discussão e Conclusão(ões). As pesquisas Experimentais devem apresentar: Introdução, Objetivos, Capítulos (desenvolvimento), Método, Resultados e Discussão e Conclusão(ões). 18. Introdução (obrigatório) - Porta de entrada pela qual o autor apresenta o tema de forma objetiva delimitando as fronteiras da pesquisa. - Contextualização do tema estudado: expõe o assunto, situando-o entre pesquisas já realizadas, ressaltando sua importância no contexto social, político, cultural, de saúde ou científico, na atualidade. Aponta o referencial teórico que norteou a descrição e a discussão, por exemplo, identifica a linha psicologia (psicanálise, analítica, cognitiva-comportamental, transpessoal etc) utilizada para descrever determinado estado emocional ou psicopatologia (depressão, ansiedade, esquizofrenia). - Justificativa para realização do estudo - Objetivo(s): apresenta a proposição clara e bem formulada das intenções do pesquisador em relação pesquisa. Corresponde a busca da resposta ao problema proposto que deverá ser respondida na(s) conclusão(ões). É o que se deseja RESPONDER com a pesquisa e não os benefícios que se pretende alcançar com ela. Por exemplo, pode ser um objetivo: identificar a ação da acupuntura no tratamento de pacientes com hipertensão com idade entre 60 e 65 anos. Porém, não pode ser objetivo de pesquisa: beneficiar pacientes com hipertensão por meio do tratamento com acupuntura. Isso é o que se deseja alcançar, caso os resultados das pesquisa concluam que ação do tratamento de acupuntura é positiva para a população nessa faixa etária com essa patologia. O objetivo precisa ser claro, sucinto, objetivo e completo. Deve apresentar o objetivo geral e os específicos (caso tenha). - Método: expõe o delineamento e (pesquisa bibliográfica, documental, experimental, levantamento, estudo de caso, estudo de caso clínico) o procedimento (linhas teóricas, no caso de pesquisa bibliográfica, formas de coleta de informações, participantes, instrumentos, quando a pesquisa for de campo). Na pesquisa bibliográfica o método é descrito apenas aqui, nos demais tipos de delineamento, faz-se apenas uma apresentação breve, pois há um capítulo dedicado para a descrição do método. Assim, nas pesquisas bibliográficas essa parte precisa ser mais detalhada. - Sequência da apresentação do trabalho: faz uma descrição sucinta da estrutura do trabalho, incluindo a sequência de apresentação dos capítulos, apenas para guiar o leitor sobre como o foi conduzido e o que irá encontrar. Pode ainda acrescentar o(s) questionamento(s) que persistiram mesmo após o estudo realizado e a(s) pergunta(s) que será(ão) ser respondida(s) na(s) conclusão (ões). NÃO DEVE CONTER RESULTADOS. De forma geral uma introdução não deve ser prolixa, sugerimos de 2 a 4 páginas. 19. Objetivo (s) (obrigatório somente para pesquisa experimental) Apenas na pesquisa experimental faz-se esse item separadamente, nas demais coloca-se o objetivo na introdução. O objetivo apresenta a proposição clara e bem formulada das intenções do pesquisador em relação pesquisa. Corresponde a busca da resposta à pergunta apresentada na introdução como questionamento e que deverá ser respondido no capítulo final da conclusão/ões. Pode determinar um objetivo geral e as citações das variáveis ou objetivo geral e os específicos ou

17 não descriminar tipos de objetivos quando se apresentam poucos. O tempo verbal no pretérito perfeito empregando a voz passiva, com exceção nos objetivos utilizar o verbo no infinitivo e preciso. Caso exista mais de um objetivo, coloque Objetivos separando o geral dos específicos, com subitens (Ex.:2.1 Objetivo Geral Objetivos Específicos: e neste caso devem ser destacados os objetivos específicos com o uso de alíneas acompanhadas por parênteses e digitação do objetivo especifico em letras minúsculas. Ex.:a) xxxxxxx; b) xxxxxx; c) xxxxxx ). (Ou então caso tenha poucos objetivos o aluno poderá também não discriminar entre geral e específico) 20. DESENVOLVIMENTO (obrigatório) Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto, divide-se em seções e subseções (tratará de um subtema derivado do tema geral proposto). Redação composta de seus capítulos e/ou partes redacionais e comunicativas, sendo que em cada capítulo precisa envolver objetividade, clareza e precisão. Pesquisa Bibliográfica Na pesquisa bibliográfica é esperado que se cumpra três estágios nessa parte do trabalho: explicação; discussão; demonstração. Esta fase é da fundamentação lógica do tema, é reconstrução racional, que tem por objetivo explicar (tornar evidente o que estava implícito, obscuro ou complexo - é descrever classificar e definir), discutir (é aplicar as várias posições que se entrechocam dialeticamente), demonstrar (é aplicar a argumentação apropriada à natureza do trabalho é partir de verdades garantidas para novas verdades). Pode-se fazer a discussão e demonstração por um dos três caminhos abaixo, conforme escolha do autor ou o que for mais apropriado ao tema. - Oposição - técnica dialética de exposição de uma temática em aspectos que se opõem, fazse a análise separada de cada um deles para depois fazer um confronto entre eles e sintetizálos em um todo. - Progressão - consiste em apresentar os diferentes argumentos numa seqüência lógica, sempre haver uma relação evidente entre um elemento e seu antecedente. - Ordem cronológica - A exposição dos vários aspectos de uma problemática, situação de tempo e espaço em que o tema-problema é estudado. 21. MÉTODO (obrigatório em Pesquisa Documental, Experimental, Levantamento, Estudo de Caso, Estudo de Caso Clínico) Descreve o procedimento seguido para a execução da pesquisa, mostra a seqüência de realização dos procedimentos que demonstrarão as soluções ao problema levantado. O tempo verbal é o passado empregando a voz passiva e o pretérito perfeito (exemplo: realizava-se a retirada dos...). Caso os procedimentos da pesquisa já tenham sido referidos em outra pesquisa, estes devem ser apenas referidos por citação. Todo trabalho científico tem um capítulo denominado MÉTODO (NÃO deve ser denominado Metodologia, que é o estudo do método). Quando a pesquisa for bibliográfica pode-se colocar as informações sobre o método na introdução ao invés de fazer um capítulo separado, mas todas as informações a seguir devem constar. Apesar de detalhado, este capítulo deve ser claro e sintético Nele descreve-se: - Delineamento adotado: Pesquisa Documental, Experimental, Levantamento, Estudo de Caso, Estudo de Caso Clínico, com a definição e a justificativa da escolha do delineamento. - Participantes/ população, amostra: número de participantes, forma de seleção, caracterização (idade, sexo, origem etc), amostragem e as técnicas de amostragem. - Local e período de realização - Instrumentos para coleta dos dados/informações: documento, protocolo, entrevista, formulário, teste. Comenta-se sobre o(s) instrumento e apresenta-o anexo,

18 - Forma de análise dos dados: quantitativa/ estatística, qualitativa/ interpretativa, com base no conteúdo, quanti quali. - Forma de apresentação dos resultados e discussão: tabela, gráfico, falas, confronto com a teoria - Considerações éticas e Termo de Consentimento Livre e Esclarecido: obrigatório nas pesquisas que envolvem seres humanos ou animais (consentimento do dono). A primeira é descrita no texto e o segundo apresentado anexo, e indicado no texto. Sobre o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido TCLE O respeito devido à dignidade humana exige que toda pesquisa se processe após consentimento livre e esclarecido dos sujeitos, indivíduos ou grupos que por si e / ou por seus representantes legais manifestem a sua anuência à participação na pesquisa. 1 - Exige-se que o esclarecimento dos sujeitos se faça em linguagem acessível e que inclua necessariamente os seguintes aspectos: a) a justificativa, os objetivos e os procedimentos que serão utilizados na pesquisa; b) os desconfortos e riscos possíveis e os benefícios esperados; c) os métodos alternativos existentes; d) a forma de acompanhamento e assistência, assim como seus responsáveis; e) a garantia de esclarecimentos, antes e durante o curso da pesquisa, sobre a metodologia, informando a possibilidade de inclusão em grupo controle ou placebo; f) a liberdade do sujeito se recusar a participar ou retirar seu consentimento, em qualquer fase da pesquisa, sem penalização alguma e sem prejuízo ao seu cuidado; g) a garantia do sigilo que assegure a privacidade dos sujeitos quanto aos dados confidenciais envolvidos na pesquisa; h) as formas de ressarcimento das despesas decorrentes da participação na pesquisa; e i) as formas de indenização diante de eventuais danos decorrentes da pesquisa. 2 - O termo de consentimento livre e esclarecido obedecerá aos seguintes requisitos: a) ser elaborado pelo pesquisador responsável, expressando o cumprimento de cada uma das exigências acima; b) ser aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa que referenda a investigação; c) ser assinado ou identificado por impressão dactiloscópica, por todos e cada um dos sujeitos da pesquisa ou por seus representantes legais; e d) ser elaborado em duas vias, sendo uma retida pelo sujeito da pesquisa ou por seu representante legal e uma arquivada pelo pesquisador. 3 - Nos casos em que haja qualquer restrição à liberdade ou ao esclarecimento necessários para o adequado consentimento, deve-se ainda observar: a) em pesquisas envolvendo crianças e adolescentes, portadores de perturbação ou doença mental e sujeitos em situação de substancial diminuição em suas capacidades de consentimento, deverá haver justificação clara da escolha dos sujeitos da pesquisa, especificada no protocolo, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa, e cumprir as exigências do consentimento livre e esclarecido, através dos representantes legais dos referidos sujeitos, sem suspensão do direito de informação do indivíduo, no limite de sua capacidade; b) a liberdade do consentimento deverá ser particularmente garantida para aqueles sujeitos que, embora adultos e capazes, estejam expostos a condicionamentos específicos ou à influência de autoridade, especialmente estudantes, militares, empregados, presidiários,

19 internos em centros de readaptação, casas-abrigo, asilos, associações religiosas e semelhantes, assegurando-lhes a inteira liberdade de participar ou não da pesquisa, sem quaisquer represálias; c) nos casos em que seja impossível registrar o consentimento livre e esclarecido, tal fato deve ser devidamente documentado, com explicação das causas da impossibilidade, e parecer do Comitê de Ética em Pesquisa; d) as pesquisas em pessoas com o diagnóstico de morte encefálica só podem ser realizadas desde que estejam preenchidas as seguintes condições: - documento comprobatório da morte encefálica (atestado de óbito); - consentimento explícito dos familiares e/ou do responsável legal, ou manifestação prévia da vontade da pessoa; - respeito total à dignidade do ser humano sem mutilação ou violação do corpo; - sem ônus econômico financeiro adicional à família; - sem prejuízo para outros pacientes aguardando internação ou tratamento; - possibilidade de obter conhecimento científico relevante novo e que não possa ser obtido de outra maneira; e) em comunidades culturalmente diferenciadas, inclusive indígenas, deve-se contar com a anuência antecipada da comunidade através dos seus próprios líderes, não se dispensando, porém, esforços no sentido de obtenção do consentimento individual; f) quando o mérito da pesquisa depender de alguma restrição de informações aos sujeitos, tal fato deve ser devidamente explicitado e justificado pelo pesquisador e submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa. Os dados obtidos a partir dos sujeitos da pesquisa não poderão ser usados para outros fins que os não previstos no protocolo e/ou no consentimento. A seguir há um modelo das Considerações Éticas e um esquema do termo. Ressalta-se que uma postura ética na presente pesquisa implicou em uma relação de respeito e confiança não manipulativa e não coercitiva, a solicitação do consentimento informado para o participante, a garantia de privacidade e sigilo e a proteção contra possíveis danos ao mesmo. O relatório em sua forma final também está disponível ao participante e instituições que tenham colaborado com a realização da pesquisa, podendo o participante desistir de sua colaboração quando lhe aprouver.

20 Estrutura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido Dados de identificação Título do Projeto: Pesquisador Responsável: Instituição a que pertence o Pesquisador Responsável: Telefones para contato: ( ) - ( ) - ( ) Nome do voluntário: Idade: anos R.G. Responsável legal (quando for o caso): R.G. Responsável legal: O Sr. (ª) está sendo convidado(a) a participar do projeto de pesquisa (nome do projeto), de responsabilidade do pesquisador (nome). Especificar, a seguir, cada um dos itens abaixo, em forma de texto contínuo, usando linguagem acessível à compreensão dos interessados, independentemente de seu grau de instrução: - Justificativas e objetivos - descrição detalhada dos métodos (no caso de entrevistas, explicitar se serão obtidas cópias gravadas e/ou imagens) - desconfortos e riscos associados - benefícios esperados (para o voluntário ou para a comunidade) - explicar como o voluntário deve proceder para sanar eventuais dúvidas acerca dos procedimentos, riscos, benefícios e outros assuntos relacionados com a pesquisa ou com o tratamento individual - esclarecer que a participação é voluntária e que este consentimento poderá ser retirado a qualquer tempo, sem prejuízos à continuidade do tratamento - garantir a confidencialidade das informações geradas e a privacidade do sujeito da pesquisa - explicitar os métodos alternativos para tratamento, quando houver - esclarecer as formas de minimização dos riscos associados (quando for o caso) - possibilidade de inclusão em grupo controle ou placebo (quando for o caso) - nos casos de ensaios clínicos, assegurar - por parte do patrocinador, instituição, pesquisador ou promotor - o acesso ao medicamento em teste, caso se comprove sua superioridade em relação ao tratamento convencional - valores e formas de ressarcimento de gastos inerentes à participação do voluntário no protocolo de pesquisa (transporte e alimentação), quando for o caso - formas de indenização (reparação a danos imediatos ou tardios) e o seu responsável, quando for o caso Eu,, RG nº declaro ter sido informado e concordo em participar, como voluntário, do projeto de pesquisa acima descrito. Ou Eu,, RG nº, responsável legal por, RG nº declaro ter sido informado e concordo com a sua participação, como voluntário, no projeto de pesquisa acima descrito. São Paulo, de de Nome e assinatura do paciente ou seu responsável legal Nome e assinatura do responsável por obter o consentimento Testemunha Testemunha

21 Modelo 1 Termo de consentimento livre e esclarecido Xxxxxx Xxxxxx, aluno(a) do curso de especialização em Acupuntura no Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência (tel ) e, sob a orientação do professor Delvo Ferraz da Silva, CRP-06/XXX, está realizando pesquisa que objetiva xxxx (descrição do objetivo). Para isso, faz-se necessária a realização de uma entrevista (preencimento de um formulário) e X sessões de acupuntura com pacientes com queixa de xxxx (descrição dos participantes). Essas entrevistas serão gravadas em áudio e as sessões serão fotografadas para posterior análise. As fitas dessas gravações serão destruídas após a conclusão da pesquisa. Todo e qualquer dado de identificação dos colaboradores serão mantidos em sigilo, guardado pela ética profissional e desenvolvimento da pesquisa. Haverá dois grupos de participantes, que receberão tratamentos diferentes, pois pretende-se verificar qual é mais eficaz (caso um seja placebo, é necessário colocar). Isso será definido aleatoriamente (ou por sorteio) Caso seja identificada a necessidade de continuidade de tratamento, o voluntário será informado e encaminhado ao ambulatório do Instituto. As atividades a serem desenvolvidas na pesquisa não pretendem oferecer risco aos participantes e o projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética do Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência, sob o protocolo xxxxx. A participação é livre, sem nenhum custo, e o colaborador poderá, a qualquer momento, retirar seu consentimento e deixar de participar. Informamos, ainda, que os resultados apurados poderão ser apresentados em eventos científicos da área, guardando-se todo e qualquer dado de identificação pessoal. Caso concorde em colaborar com o desenvolvimento dessa pesquisa, solicitamos que preencha o termo abaixo. Termo de Consentimento Livre e Esclarecido Pelo presente instrumento, que atende a exigências legais, eu portador(a) da célula de identidade RG, participante da pesquisa realizada pela aluna Xxxxxxx Xxxxxxx, sob a orientação dos professores Delvo Ferraz da Silva, CRP-06/XXX, e Carolina de Alvarenga Sales, CRP 06/65384 após ter lido a carta de informação sobre a Pesquisa, não restando nenhuma dúvida acerca do exposto, firmo meu Consentimento Livre e Esclarecido de concordância em participar da pesquisa proposta. O presente termo foi emitido em duas vias, permanecendo uma com o colaborador da pesquisa e outra com os pesquisadores. Assinatura: Cidade: Data:

22 Modelo 2 Consentimento livre e esclarecido A presente pesquisa, por meio de sessões de acupuntura com xxxx (descrição dos participantes), tem por objetivo xxxxx (descrever o objetivo da pesquisa). Este estudo será desenvolvido pelo(a) psicólogo(a) (enfermeira(a)) Xxxx Xxxx (CRP xx/xxxx) como uma das atividades acadêmicas que compõem o curso de especialização em Acupuntura pelo Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência, sendo orientada pelo professor Delvo Ferraz da Silva (CRP 06/xxxx). Sua participação é voluntária e sem custo; sendo assim, o Sr. (a Sra.) tem liberdade para recusar-se a participar, como também solicitar a exclusão de seus dados, retirando seu consentimento sem qualquer penalização ou prejuízo. Caso seja identificada a necessidade de continuidade de tratamento, o Sr. (a Sra.) será informado(a) e encaminhado(a) ao ambulatório do Instituto. Não é esperado causar-lhe dano algum e a pesquisa não envolve riscos. Sua identidade será mantida em sigilo, não constando nome ou qualquer outro dado que possa identificá-lo no relatório ou em qualquer publicação posterior. Poderão ser tiradas fotografias que também manterão preservada sua identidade. O Sr. (a Sra.) terá acesso às informações sempre que solicitado. Após a conclusão da pesquisa, prevista para xxxx de 2010, um relatório final, contendo todos os dados de conclusão, estará à disposição para consulta na Biblioteca do Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência. Tendo ciência de tais informações contidas neste Termo de Consentimento, eu,, portador(a) do R.G. nº., autorizo a utilização, nesta pesquisa, dos dados por mim fornecidos. São Paulo, de de 2010.

23 22. Resultados e Discussão (obrigatório em Pesquisas Documentais, Experimental, Levantamento, Estudo de Caso, Estudo de Caso Clínico). Nas pesquisas Bibliográficas não há esse item, esse conteúdo deverá estar no desenvolvimento do trabalho. Resultados e discussão podem ser apresentados juntos ou separadamente, é uma opção do autor. Quando resultados e discussão são feitos juntos é interessante fazer primeiramente toda a apresentação dos resultados sem interpretações e depois, voltar parte a parte confrontando com bibliografia e acrescentando as interpretações. O computador permite e facilita que se faça dessa forma, voltando no texto e acrescentando os comentários do autor e sua discussão com o que outros autores apresentaram sobre o tema. Apenas para facilitar o entendimento será apresentado o que deve constar em um e em outro, sabendo que podem ser juntos, sobrepondo-se a discussão após a escrita do texto dos resultados. 22a. Resultados (obrigatório) Os resultados são obtidos a partir das informações coletadas dos protocolos de atendimento, respostas ao formulário, entrevista ou teste, evolução de caso clínico, resposta às sessões de acupuntura. Em pesquisa quantitativa é feito um tratamento estatístico desses dados e em pesquisa qualitativa é realizado um tratamento do conteúdo das informações. No Estudo de Caso Clínico é nesse momento que se apresenta a história clínica, a hipótese diagnóstica, a proposta terapêutica e procedimento terapêutico e os resultados. Nesse capítulo podem der apresentadas figuras (ilustrações, fotografias, gráficos), tabelas, e quadros levantados a partir dos dados coletados, que devem aparecer o mais próximo possível do texto a que se referem. As figuras (sem distinção ao tipo de figura, menos tabelas e quadros) devem ser numeradas em algarismos arábicos juntamente com a legenda (que deve ser breve e clara), ambas posicionadas inferiormente, justificadas pela esquerda. O tempo verbal sugerido é o presente. Representação Gráfica / Figura: - permite ver a tendência rápida e global do fato estudado; - não substitui a tabela (e vice-versa) - deve ser simples e claro; - quando contiver 2 ou mais linhas, usar legendas, diferentes cores ou traços; - escala - da esquerda para direita e de baixo para cima; - expressa as unidades usadas na escala; - título - horizontalmente na parte inferior; - fonte canto inferior esquerdo; - a linha de emolduramento (moldura) é opcional. Exemplos:

24 FF FN FO Fonte: Clinica de Fonoaudiologia da USP. Figura 2 - Representação gráfica das alterações ressonantais (Foco Predominante) por análise perceptual da qualidade vocal da população de sujeitos deficientes auditivos profundos estudada. FF Foco Faríngeo; FN Foco Nasal; FO Foco Oral. 37,55% Sim Não 62,45% Fonte: CR - DST/AIDS de Vila Prudente - São Paulo, SP. Figura 3 - Distribuição por porcentagem dos casos pesquisados, segundo a matrícula no Serviço de Aconselhamento do CR - DST/AIDS de Vila Prudente - São Paulo, SP, no período de Set. a Nov. de 2007.

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e

Os trabalhos acadêmicos devem ser divididos em: elementos pré-textuais, textuais e NORMAS PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Curso de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda NORMAS PARA ELABORAÇÃO / APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 1 ESTRUTURA A estrutura e a disposição dos elementos de um trabalho acadêmico são as

Leia mais

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica

NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL) Apresentação Gráfica UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Faculdade de Educação UAB/UnB Curso de Especialização em Educação na Diversidade e Cidadania, com Ênfase em EJA Parceria MEC/SECAD NORMAS DE FORMATAÇÃO DO TRABALHO FINAL (PIL)

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE DISSERTAÇÃO (FORMATO

Leia mais

Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência

Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência Instituto de Psicologia e Acupuntura Espaço Consciência Apostila da Disciplina de Metodologia de Pesquisa Científica baseada nas normas ABNT NBR- 14724, 6023, 6024, 6027, 6028, 12225. Seminários 2011 Sumário

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III

UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III UNIVERSIDADE PAULISTA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSOS DE GESTÃO TECNOLÓGICA PIM - III Projeto Integrado Multidisciplinar Cursos Superiores Tecnológicos G. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Trabalho

Leia mais

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1

BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 BIBLIOTECA DE CIÊNCIAS JURÍDICAS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE DOCUMENTOS CIENTÍFICOS: TRABALHOS ACADÊMICOS Aula 1 Paula Carina de Araújo paulacarina@ufpr.br 2014 Pesquisa Pesquisa Atividade básica da ciência

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO MATERIAL DIDÁTICO DA ABNT www.abnt.org.br Objetivos da normalização Comunicação Simplificação Níveis de normalização Menos exigente (Genérica) INTERNACIONAL REGIONAL

Leia mais

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA

DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA 1 DIRETRIZES PARA A REDAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOENGENHARIA O projeto gráfico é de responsabilidade do autor do trabalho, ou seja, o que não consta no texto destas

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT. ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ - UESC PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BOTÂNICA - PPGBOT ANEXO 1 Normas de editoração e estruturação de dissertações 1ª edição Ilhéus BA 2012 SUMÁRIO SUMÁRIO... 2 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO 1 REGRAS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Os seguintes padrões atendem às exigências da FTC Feira de Santana, em conformidade com a NBR 14724:2002/2005 da Associação Brasileira de Normas Técnicas

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica

TRABALHO ACADÊMICO. Apresentação gráfica 2012 2 Núcleo de Apoio à Pesquisa na Graduação- NAP/UNIMAR Projeto de Pesquisa; Apresentação gráfica TRABALHO ACADÊMICO Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO INSTRUÇÃO NORMATIVA N 002/2009/PEQ-UFS ANEXO I NORMAS PARA A ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO 1. INTRODUÇÃO A Dissertação é a apresentação escrita do trabalho de pesquisa desenvolvido no âmbito do Programa de

Leia mais

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.

5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5. 5 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIAS OU TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)... 478 5.1 Ordenamento dos elementos da monografia ou TCC... 48 5.2 Capa... 48 5.3 Folha de rosto... 51 5.4 Errata... 53

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS F A C UL DA DE DE P R E S I DE N T E V E N C E S L A U REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS APRESENTAÇÃO GRÁFICA - CONFIGURAÇÃO DAS MARGENS Ir ao menu Arquivo, escolher a opção Configurar

Leia mais

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC

Escola de Administração Biblioteca. Normas para elaboração do TCC Universidade Federal do Rio Grande do Sul Escola de Administração Biblioteca Normas para elaboração do TCC O que é um Trabalho de Conclusão de Curso? O TCC, é um trabalho acadêmico feito sob a coordenação

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP

CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP CURSO DE PEDAGOGIA MANUAL DO TCC ARUJÁ SP 2011 ESTRUTURA 1 ELEMENTOS DE PRÉ-TEXTO 1.1 Capa 1.2 Lombada descendente 1.3 Folha de rosto 1.4 Folha de aprovação 1.5 Dedicatória 1.6 Agradecimentos 1.7 Epígrafe

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA BIOMÉDICA Regulamento do TCC ANEXO A TERMO DE COMPROMISSO DE ORIENTAÇÃO DO TRABALHO DE Nome do Aluno: Matricula: Título do TCC CONCLUSAO DE CURSO (TCC) Solicito que seja designado como meu Orientador do Trabalho de Conclusão de Curso

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SANT ANA LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PONTA GROSSA 2011 LUCIO MAURO BRAGA MACHADO MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA

ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA ANEXO II PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA A elaboração da monografia deve ter como referência a ABNT NBR 14724/ 2006, a qual destaca que um trabalho acadêmico compreende elementos pré-textuais,

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 APRESENTAÇÃO Tanto o artigo quanto a monografia são trabalhos monográficos, ou seja, trabalhos que apresentam resultados de pesquisa sobre um

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC. Título UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC CENTRO DE CIÊNCIAS NATURAIS E HUMANAS Programa de Pós-Graduação em Biotecnociência Título Santo André dd/mm/aaaa Normas para Dissertações Mestrado em Biotecnociência - UFABC.

Leia mais

Normas para Redação da Dissertação/Tese

Normas para Redação da Dissertação/Tese Normas para Redação da Dissertação/Tese Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou monografia compreende três partes fundamentais, de acordo com a ABNT (NBR 14724): elementos prétextuais, elementos

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA!

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO. REVISTA DiCA! CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE AGUDOS - FAAG BIBLIOTECA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO REVISTA DiCA! Biblioteca - FAAG Tel. (14) 3262-9400 Ramal: 417 Email: biblioteca@faag.com.br http://www.faag.com.br/faculdade/biblioteca.php

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ

GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA - UFSJ UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI UFSJ CAMPUS CENTRO-OESTE DONA LINDU CCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA GUIA PARA ELABORAÇÃO DISSERTAÇÃO DE MESTRADO (SEGUNDO ABNT-NBR 14724) PROGRAMA

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA

INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GOIÁS IESGO FACULDADES IESGO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS DE CONCLUSÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA FORMOSA/GO

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE 1 INSTRUÇÕES PARA FORMATAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE INSTRUÇÕES GERAIS: papel branco A4, fonte Arial tamanho 12, com espaçamento de 1,5 cm entre as linhas,

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório.

2- DETALHES SOBRE A ESTRUTURA DO RELATÓRIO A seguir estão orientações sobre como formatar as diversas partes que compõem o relatório. 1 - ESTRUTURA DO RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO O relatório do Estágio Supervisionado de todos os cursos do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Minas Gerais Campus Formiga - irá mostrar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM I. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I Projeto Integrado Multidisciplinar PIM I - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e Análise de Práticas de Gestão Organizacional em uma Empresa. OBJETIVOS: Favorecer aos alunos ingressantes

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

Normas para Apresentação de Monografias

Normas para Apresentação de Monografias UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE DEPARTAMENTO DE SISTEMAS E COMPUTAÇÃO COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Normas para Apresentação de Monografias Campina Grande, dezembro 2010

Leia mais

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros

PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ. Prof. Marat Guedes Barreiros PROJETO MULDISCIPLINAR DO CURSO DE BACHAREL EM ADMINISTRAÇÃO DA UNIESP FACULDADE DO GUARUJÁ Prof. Marat Guedes Barreiros GUARUJÁ 2º semestre de 2013 PROJETO MULDISCIPLINAR Curso superior de BACHAREL em

Leia mais

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011]

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] Professora Alcione Mazur 25/07/11 Cancela e substitui a edição anterior. ABNT NBR 14724: 2005 Não houve alterações na estrutura do trabalho, mas em uma

Leia mais

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar

GESTÃO HOSPITALAR. PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO HOSPITALAR PIM VI Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Elaborar um estudo acerca Estrutura e Funcionamento do Sistema de Saúde Pública e Privada no Brasil.

Leia mais

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação AGO 2002 NBR 14724 ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 2º andar CEP 20003-900 Caixa Postal

Leia mais

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura

Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Trabalhos Científicos Usuais: Caracterização e Estrutura Iniciação à Pesquisa em Informática Profª MSc. Thelma E. C. Lopes e-mail: thelma@din.uem.br 2 Texto Científico: o que é? A elaboração do texto científico

Leia mais

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) 1 Guia de Orientação para o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Gepós Unidade de Gestão de Pós Graduação Como requisito obrigatório para a obtenção do certificado de pós-graduação, o TCC deve ser desenvolvido

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP MODELO DE PROJETO DE PESQUISA DA ADJETIVO CETEP REPRESENTAÇÕES GRÁFICAS DOS TRABALHOS Formato: A4 Cor preta Espaçamento entre linhas: 1,5cm Fonte texto: Times New Roman, 12 ou Arial, 11 Margem superior

Leia mais

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos

(Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO. Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos Revisto e atualizado de acordo com a NBR 15287/2011 Brasília 2011 1 APRESENTAÇÃO De acordo

Leia mais

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso

Manual de Trabalho de Conclusão de Curso CENTRO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Manual de Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Engenharia de Produção NATAL RN 2010 Apresentação O curso de Engenharia de Produção institui

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO ORIENTAÇÕES GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO Prezado(a) Aluno(a): Esta pequena orientação e o modelo de relatório em anexo foram produzidos com o objetivo de facilitar a elaboração do Relatório

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003)

PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) PROCEDIMENTOS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGO EM PUBLICAÇÃO PERIÓDICA CIENTÍFICA (NBR 6022:2003) Maio de 2012. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Biblioteca Universitária. Programa de capacitação. 2 NORMAS

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2

DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA TCC2 UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS COORDENAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA COORDENAÇÃO ADJUNTA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DIRETRIZES BÁSICAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 39 INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DA MONOGRAFIA OU DO TRABALHO CIENTIFICO 1. MONOGRAFIA Monografias são exposições de um problema ou assunto específico, investigado cientificamente, assim, não exige originalidade,

Leia mais

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1

universia.com.br/materia/img/tutoriais/ /01.jsp 1/1 5/12/2008 Monografias - Apresentação Fazer um trabalho acadêmico exige muito de qualquer pesquisador ou estudante. Além de todo esforço em torno do tema do trabalho, é fundamental ainda, adequá-lo às normas

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002)

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (ABNT/NBR-14724, AGOSTO 2002) DIRETOR: Profº. Daniel Jorge dos Santos Branco Borges COORDENADORA PEDAGÓGICA: Profª. Paloma Martinez Veiga Branco COORDENADORA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS 0 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS MANUAL PARA FORMATAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS DA UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE PIRENÓPOLIS PIRENÓPOLIS 2012 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas

Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá. Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas Ministério da Educação Universidade Federal do Amapá Pró-Reitoria de Pós-Graduação Curso de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Segundo a NBR 15287:2011

Leia mais

Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005

Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005 Manual para Elaboração Trabalhos Acadêmicos Conforme a NBR 14724:2005 Produzido pelos bibliotecários da Rede de Bibliotecas do Senac/RS com a finalidade de orientar os usuários na elaboração de seus trabalhos

Leia mais

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto

TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5. Formatação do Texto TRABALHO ACADÊMICO: Guia fácil para diagramação: formato A5 Antes de iniciar a digitação de seu trabalho acadêmico configure seu documento com as especificações a seguir, facilitando a visualização e sua

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ - Unioeste PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS - PPGCA Normas para elaboração de Dissertações do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais MODELO

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica

PROJETO DE PESQUISA. Apresentação gráfica 2012 PROJETO DE PESQUISA Apresentação gráfica Revisto e atualizado segundo alterações ABNT: NBR 15287:2011 Projeto de Pesquisa; NBR 14724:2011 Trabalhos Acadêmicos. Profa. Dra. Wakiria Martinez Heinrich

Leia mais

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF)

MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) (Publicações da Biblioteca; 4) ORGANIZAÇÃO Weber Vasconcellos Gomes Maria Consuelene Marques Maurinete dos Santos MANUAL PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISAS (PADRÃO UDF) 3ª edição Revisto e atualizado

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE QUÍMICA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO -TCC 1 APRESENTAÇÃO As recomendações a seguir resumem os princípios para a elaboração

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS BIBLIOTECA PROF. DR. ALFONSO TRUJILLO FERRARI GUIA PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS: diretrizes para normalização Rosemeire Zambini Bibliotecária CRB5018

Leia mais

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE CIÊNCIAS BÁSICAS DA SAÚDE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MICROBIOLOGIA AGRÍCOLA E DO AMBIENTE Comissão Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO

FACULDADE DOM BOSCO. Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO FACULDADE DOM BOSCO Credenciada através da Portaria nº 2.387, D.O.U. em 12/08/2004 Cornélio Procópio/Paraná MANUAL DE TRABALHO DE CURSO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012 Como elaborar um TC 1 Introdução Objetiva-se

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte Faculdade de Educação ORIENTAÇÕES GERAIS PARA NORMALIZAÇÃO DA MONOGRAFIA 2014 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS Campus de Belo Horizonte

Leia mais

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS DE REDAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/ DE 30 DE MAIO DE 2011/ PRODEMA-UFS DE Estas normas de redação foram definidas como diretrizes básicas pelo Colegiado do Núcleo de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Leia mais

NORMAS INTERNAS PARA ELABORAÇÃO DAS DISSERTAÇÕES E TESES

NORMAS INTERNAS PARA ELABORAÇÃO DAS DISSERTAÇÕES E TESES UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS VETERINÁRIAS NORMAS INTERNAS PARA ELABORAÇÃO DAS DISSERTAÇÕES E TESES Material de apoio para elaboração padronizada

Leia mais

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL

NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL NORMAS PARA REDAÇÃO E IMPRESSÃO DE DISSERTAÇÕES E TESES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRONOMIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM PRODUÇÃO VEGETAL AQUIDAUANA MS 2009 1. PAPEL E PROCESSO DE MULTIPLICAÇÃO O papel

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DOS CAMPOS GERAIS - CESCAGE FACULDADES INTEGRADAS DOS CAMPOS GERAIS COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL DE NORMATIZAÇÃO PARA ARTIGOS CIENTÍFICOS PONTA GROSSA 2010 2 SUMÁRIO 1

Leia mais

Guia para apresentação do trabalho acadêmico:

Guia para apresentação do trabalho acadêmico: BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para apresentação do trabalho acadêmico: de acordo com NBR 14724/2005 São Carlos 2010 Guia para apresentação do trabalho acadêmico As orientações abaixo são de acordo com a

Leia mais

Manual TCC Administração

Manual TCC Administração 1 Manual TCC Administração 2013 2 Faculdade Marista Diretor Geral Ir. Ailton dos Santos Arruda Diretora Administrativo-Financeiro Sra. Rafaella Nóbrega Coordenador do Curso de Administração e Gestão de

Leia mais

Estrutura, redação e apresentação do relatório de pesquisa 7

Estrutura, redação e apresentação do relatório de pesquisa 7 UNIDADE 7 Estrutura, redação e apresentação do relatório de pesquisa 7 Objetivos de aprendizagem Identificar os componentes que integram os elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais de um relatório

Leia mais

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde

Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde Universidade Federal de São Paulo Instituto Saúde e Sociedade Programa de Pós-Graduação Alimentos, Nutrição e Saúde ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE DOCUMENTO DE QUALIFICAÇÃO E DISSERTAÇÃO PARA O PROGRAMA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DE PONTA PORÃ NOME DO(S) AUTOR (ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO

FACULDADES INTEGRADAS DE PONTA PORÃ NOME DO(S) AUTOR (ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO FACULDADES INTEGRADAS DE PONTA PORÃ NOME DO(S) AUTOR (ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO DO TRABALHO Cidade Ano NOME DO(S) AUTOR (ES) EM ORDEM ALFABÉTICA TÍTULO DO TRABALHO: SUBTÍTULO

Leia mais

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I

FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA. MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I FACULDADE PAN AMAZÔNICA CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA MANUAL ESPECÍFICO Projeto Integrado Multidisciplinar I PIM I Este manual atende todos os cursos de gestão 1º semestre, turmas ingressantes em fevereiro

Leia mais

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO

MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - RELATÓRIO DE ESTÁGIO MODELO DE RELATÓRIO DE ESTÁGIO DO CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL Estrutura formal do relatório Estrutura Elemento Capa Folha de Rosto Pré-textuais Folha de Identificação Sumário 1. Introdução Textuais 2. Atividades

Leia mais

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT

Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT FACULDADE CRISTÃ DE CURITIBA Guia de Orientação para Apresentação de Projeto de Pesquisa para Alunos da FCC de acordo com as Normas da ABNT Elaborado pela bibliotecária Teresinha Teterycz - CRB 9 / 1171

Leia mais

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA PIM II Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: O aluno deverá escolher uma empresa de qualquer porte ou segmento e, com base no cenário

Leia mais

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III Projeto Integrado Multidisciplinar PIM III - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrição e análise de práticas de gestão em empresas hospitalares de médio porte. OBS: O Projeto deverá ser

Leia mais