INTERNATIONAL RUGBY BOARD COACHING NIVEL 1 INTRODUCAO AO RUGBY

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTERNATIONAL RUGBY BOARD COACHING NIVEL 1 INTRODUCAO AO RUGBY"

Transcrição

1 INTERNATIONAL RUGBY BOARD INTRODUCAO AO RUGBY Manual e apostila do curso International Rugby Board 2013

2 Coaching Nivel 1 Introducão ao Rugby Conteudo do curso Revisão Cinco passos para o Bem Estar do Jogador Unidade um - Conhecimento do jogo: Principios do jogo, metodos de coaching e desenvolvimento de habilidades Módulo 1 Entendendo o jogo e seus princípios Tarefa 1 - Video Entendendo o jogo e Guia do principiante no Rugby Tarefa 2 - Identifique os exemplos dos principios do Rugby Tarefa 3 - Metodos de coaching para introducao e pratica do jogo..11 Módulo 2 Aplicando os principios do jogo para desenvolvimento das habilidades Tarefa 4 - Use os principios do jogo para analisar o desempenho da equipe Tarefa 5 - Praticando o jogo e improvisando as habilidades deficientes Unidade dois - Planejamento Módulo 3 Planejamento e demostracao de uma pratica Trefas 6 e Tarefa opcional - Analise do crescimento do jogador e seu desenvolvimento Módulo 4 Gerenciamento Tarefas 8, 9 e Módulo trabalho pre-curso (favor se apresentar com certificados on line solicitados): Complete o curso on line no Complete o teste das leis do jogo no Baixe e leia o Guia do principiante no Rugby (www.irbrugbyready.com/downloads) Módulo trabalho pos-curso recomendado: Complete o curso on line Complete os modulos de educacao sobre Concussão no Esteja atento sobre as informacoes e recursos para treinadores e jogadores no 2

3 Revisão Conteudo Cursos de Treinamento e Educacao IRB Introducao ao Coaching Nivel Informacoes gerais do curso Cronograma do curso Aprendizagem proveniente do curso Prefácio Bem-vindo ao curso IRB Nível 1 de Coaching. Este curso é projetado para capacitar treinadores com as habilidades básicas de modo que possam ensinar os jogadores novos ao jogo a competir de maneira segura e divertida. A presença do esporte na vida de uma pessoa gera benefícios enormes para o desenvolvimento social, físico e pessoal ao passo que amplia a consciência cultural. O Rugby é um esporte excepcionalmente inclusivo, e você como treinador, tem uma posição de influência genuína sobre o nível do desenvolvimento pessoal do jogador e sua percepção de comunidade e autovalorização. O curso Coaching nível 1 IRB tem o objetivo de desenvolver treinadores que sabem como treinar e o que treinar. O curso é ministrado usando a seguinte estrutura: Primeiramente, usa os princípios do ataque e defesa para dar uma visão geral do jogo; Segundo, usa a análise de fatores chave para permitir que você explique, demonstre, pratique, execute e analise as habilidades do jogo; Terceiro, os módulos do conhecimento do jogo são sustentados pelos módulos genéricos que cobrem o planejamento, a gestão de riscos, o papel do treinador, comunicação, crescimento da criança e do adolescente, força e condicionamento do Rugby e as leis do jogo. Durante todo o curso, você será incentivado a praticar suas habilidades de treinador agarre esta oportunidade para ter feedback de seu educador IRB e de seus pares. Eu espero sinceramente que você aproveite o curso e tire benefícios de sua participação. Atenciosamente, Reconhecimentos O compromisso com a tarefa e os esforços do autor e da equipe editorial, bem como da equipe de consultoria com sua contribuição para o desenvolvimento deste programa educacional são altamente apreciados. Autor: Douglas Langley Equipe de Consultoria 2007: Lee Smith & Mark Harrington (IRB), Jock Peggie (SRU), Simon Jones (RFU) e Gerry Roberts (WRU) Equipe de Consultoria 2012: Mark Harrington (IRB), Fred Ollows (KRU), Gene Tong (IRB RTC Asia), Jean-Luc Barthes (IRB), Mike Luke (IRB RTC NACRA), Denver Wannies (IRB RTC CAR) Projeto e produção: Sport Development Contato Adam Pearson Sobre este material Este material é um manual de curso e livro de exercícios. Uma cópia deve ser entregue para cada participante do curso. Notas do educador serão disponibilizadas separadamente do IRB. Mark Harrington, Gerente de treinamento, International Rugby Board 3

4 Cursos de Treinamento e Educação IRB Trainer Educador Treinador Oficial da partida S&C Médico Equipe Educacional Primeiros socorros em Rugby Nível 1 Cuidados imediatos no Rugby Níveis 2, 3 Equipe Médica Administrators Administradores Certificação baseada em competências Todas as partes interessadas Força e condicionamento Níveis 1, 2 Sevens Níveis 1, 2 Treinadores Fifteens Níveis 1, 2, 3 Treinadores e oficiais de partida identificados por talento Programa do Otimização de Talento Oficiais de jogo Fifteens Níveis 1, 2, 3 Sevens Níveis 1, 2 Treinamento de árbitros/oficiais da partida Níveis 1, 2 Os cursos de treinamento e educação IRB evoluíram desde meados dos anos 1990, e são atualizados regularmente desde então, usando os conhecimentos de Clubes membros e as habilidades de um número seleto dos trainer IRB que são também peritos em conteúdo. Desde 2006, a provisão IRB foi ampliada para servir a mais partes interessadas, como demonstrado no portfólio acima. Agora, todos os cursos são baseados em competências, projetados para oferecer aprendizagem e treinamento adequados aos contextos em que os treinadores e árbitros atuam. Além disso, os cursos IRB agora somente podem ser ministrados pelos educadores licenciados IRB que demonstraram suas habilidades técnicas e de facilitadores de acordo com os padrões estabelecidos. Todos os registros e certificações são emitidos pela matriz do IRB em Dublin, Irlanda. 4

5 Introdução ao Coaching nível 1 O Rugby oferece grandes possibilidades para o desempenho individual e da equipe. O objetivo principal do jogo é fornecer a oportunidade de obter alegria e satisfação com o desempenho eficaz a partir de uma ampla gama de habilidades: habilidades individuais como correr, passar, receber, chutar, tacklear, e de habilidades coletivas como mauls e rucks e scrums, a fim de jogar com sucesso e ganhar a competição. Enquanto estas habilidades são predominantemente técnicas, os jogadores também necessitam tomar boas decisões individuais e coletivas sobre o que fazer e quando, e precisam ter um nível apropriado de condicionamento físico para jogar bem. Este material "Apresentando o Rugby" ajuda a explicar maneiras de desenvolver uma compreensão básica do jogo, e como os jogadores e treinadores podem aplicar os princípios do jogo, na prática e em jogo. Cada módulo do curso começa com uma explicação e demonstração, e ilustra práticas utilizando diferentes metodologias de treinamento. Tanto quanto possível, a ênfase será colocada na prática de coaching e no ensino dos novos jogadores, o que significa que todas as sessões de treinos devem ser adaptadas para atender a capacidade e a cultura dos jogadores em nível introdutório. Esta abordagem promove um jogo em que todos os jogadores são incentivados a participar de maneira plena, usando suas habilidades e conhecimento para marcar o máximo de pontos possíveis dentro das leis do jogo. Cronograma do curso Unidade 1 - conhecimento do jogo Informação geral do curso Materiais necessários para o curso (impresso ou disponível eletronicamente) Guia do principiante para o Rugby Fatores chaves para Coaching Manual do curso de Coaching nível 1 Avaliação Para receber o Certificado de Presença IRB, o participante deve comparecer a todos os módulos do curso. Métodos de entrega do curso Este curso será ministrado usando: Apresentações Análises de vídeo Testes de Resolução de problemas Cenários Aulas práticas utilizando explicação, demonstração e prática. Módulo 1 Módulo 2 Compreendendo o jogo, seus princípios e metodologias de treinamento Aplicando os princípios e habilidades ao desempenho da equipe 2hrs 15mins 1hrs 15mins Unit 2 Planning Módulo 3 Planejamento de prática e Demonstração de prática 3hrs 15mins Módulo 4 Conclusão Leis do jogo, jogos modificados, gestão de riscos e o papel do treinador 45mins 30mins Duração total: 8hrs (curso de 1 dia) 5

6 Resultados de aprendizagem do curso Ao concluir o curso, você será capaz de: 1. Planejar uma sessão prática que atenda às necessidades dos jogadores. 2. Entregar a sessão planejada. 3. Ao planejar e entregar a sessão, mostrar competência nas áreas: planejamento. gerenciamento de grupo. comunicação. conhecimento de jogo e habilidades. Ao concluir o curso, você poderá: (a) Planejar e entregar uma sessão relevante (i) Definir o que pretende realizar na sessão, isto é, existem resultados de aprendizagem. (ii) Planejar o uso de progressão de habilidade usando jogos modificados. (iii) Identificar os principais pontos de coaching. (iv) Plano relevante para as necessidades do grupo. (v) planejar, fornecer e utilizar equipamento. (b) Entregar uma sessão relevante (i) Gerenciamento do grupo 1. Garantir um ambiente seguro e agradável. 2. Maximizar a participação. 3. Reagir às necessidades do grupo. 4. Realizar atividades relevantes que atingem os resultados de aprendizagem. 5. Gerir o tempo de forma adequada. 6. Assegurar o ritmo da prática. 7. Assegurar o fluxo da prática. (ii) Comunicação 1. Fornecer explicações e orientações claras. 2. Verificar a compreensão através da escuta. 3. Demonstrar variedade vocal - ritmo, tom, volume. 4. Dar feedback- relevante, oportuno, específico. 5. Demonstrar técnicas de questionamento usando perguntas fechadas e abertas. 6. Demonstrar linguagem corporal positiva. 7. Concluir a sessão revisitando os resultados de aprendizagem e principais pontos de coaching. (c) Conhecimento do jogo (i) Os princípios do Rugby 1. Identificar os princípios e as habilidades necessárias para jogar. 2. Aplicar os princípios do jogo para jogar em equipe. (ii) Análise de habilidades 1. Observar o jogo para identificar o padrão de desempenho de habilidades. 2. Analisar o desempenho das habilidades usando os Pontos chave de Coaching. 3. Implementar métodos adequados para melhorar as habilidades. 6

7 Cinco passos para o Bem-Estar do Jogador Seja um salva-vidas; conheça o seu A-B-C A: via Aérea, B: Respiração, C: Circulação Salvar uma vida sempre começa com A Se você não tiver um A você não terá um B ou um C via Aérea: abra, desobstrua, mantenha Se eles estiverem no chão, pense no pescoço Não os agite, não os rolem, não os façam sentar Pense na coluna vertebral, mantenha a coluna reta e não se apresse Pare o jogo e pergunte sobre dor Um jogador inconsciente tem uma lesão no pescoço até que se prove o contrário Treine para evitar lesões Não mude de repente seu treinamento Proteja os jogadores que retornam após uma lesão eles apresentam risco aumentado de lesão Realizar treinamento de alto risco (contato, piques), em momentos de baixo risco (quando não cansados) Prevenção de lesões: Está no equilíbrio (exercícios) Tackleie a Concussão Não perca a cabeça, leia os sinais Não faz sentido jogar com uma Concussão - um jogador com concussão pode ficar confuso - ele terá maior risco de lesões e deve ser removido do jogo Reconheça e remova Caso tenha dúvida, espere fora do jogo Não arrisque seu cérebro para ganhar um jogo Combata infeccções Não compartilhe de seu sangue na roupa e nas toalhas; o sangue transmite infecções; lave ou descarte roupas sujas de sangue Uma ferida negligenciada é uma ferida infectada A solução para a poluição é diluição - lave a ferida com água abundante Limpe-a, e a seguir cubra-a 7

8 Unidade 1 - Conhecimento do jogo: princípios do jogo, métodos de treinamento e desenvolvimento de habilidades Módulo um - Compreendendo o jogo e os princípios do jogo Resultado de aprendizagem Ao final deste módulo, você poderá apresentar uma compreensão básica do jogo e os princípios do jogo, baseados na observação do vídeo Entendendo o Rugby e no Guia do principiante para o Rugby. Você também será capaz de desenvolver uma simples análise de aspectos do jogo e, a partir dessa análise, escolher um método de treinamento apropriado para ajudar os jogadores a jogar de forma mais eficaz. Tarefa 1 - O vídeo "Entendendo o Rugby" e "Guia de iniciante para o Rugby Agora você assistir o filme 'Entendendo o Rugby ", que servirá como uma introdução ao jogo de Rugby. No "Guia de iniciante para o Rugby", existem pontos chave ligados ao filme, que você poderá usar como ponto de referência ao longo deste curso Nível 1. 8

9 Uma breve introdução ao Rugby Variações do jogo podem ser jogadas em qualquer espaço retangular seguro, desde que existem linhas laterais, linhas de gol e uma área de in-goal para marcar os tries. As dimensões devem ser adequadas para o número e a idade dos jogadores. Menos jogadores e jogadores jovens necessitam de menos espaço do que o campo inteiro utilizado para Rugby 15-a-side e o Rugby 7-a-side adulto. As dimensões e o peso da bola podem variar de acordo com a idade e as capacidades físicas dos jogadores. Uns jogadores mais novos usam uma bola menor e mais leve do que a bola regulamentar. Como guia, a bola deve ser de um tamanho que os jogadores consigam pegar usando duas mãos. Eles não devem ter que pegála em seus braços, porque isso dificultaria a execução das habilidades do jogo. O jogo e os jogadores Consulte o Guia do principiante para o Rugby Com o tempo, os jogadores perceberão que eles tornam-se mais aptos para uma determinada posição na equipe. Isto será consequência de suas características e atributos físicos, de suas habilidades e preferências. Especialização posicional deve ser abordada com cautela. Conforme o jogador cresce, ele pode tornar-se inadequado para a posição em que se especializou em uma idade precoce, e pode ficar perdido para o jogo. A equipe por posição de jogo Consulte o Guia de iniciante para o Rugby Em todo este material, posições serão referidas pelo número do jogador nessa posição. Isto evitará confusão quando mais de um nome é dado para uma posição específica. A estrutura do jogo Aplicação das leis no jogo geral Consulte o Guia de iniciante para o Rugby Formações Fixas Consulte o Guia de iniciante para o Rugby Formações Fixas são usadas para iniciar e reiniciar o jogo quando ocorrem paralisações. Funções do jogador em um jogo Consulte "Fatores chave de Coaching" com relação ao manejo de bola - "handling", "Correr para dar apoio ao portador da bola", "Tackle lateral" e "tackle frontal". 9

10 Tarefa 2 - Identifique exemplos dos princípios do Rugby Após ter discutido suas conclusões dos materiais consultados, e ao término do filme, identifique e explique exemplos de cada princípio completando a seguinte tabela. Use os exemplos dados para acionar mais exemplos de cada princípio. Princípios Exemplos Contestando a posse, a fim de atacar, por exemplo, ganhar a bola após ela ser chutada. Atacar, movendo a bola para a frente, por exemplo, chutando e recuperando a bola. Mantendo a posse usando o jogo de fase para criar espaço, por exemplo ruckeando. Defendendo para recuperar a posse, por exemplo, linha de defesa avançando em conjunto. Um jogo multifacetado, por exemplo, diferentes tipos de corpo. Prêmios e Castigos, por exemplo, recompensa - jogando em um lateral quando a equipe força a oposição para chutar a bola para fora. Penalidade - não jogar a bola no scrum, quando um jogador bate na bola. 10

11 Tarefa 3 - Métodos de Coaching para introduzir e praticar o jogo O principal papel do treinador de novos jogadores é ajudá-los a compreender a lógica básica do jogo e desenvolver as habilidades necessárias para um bom desempenho. Então, antes de introduzir o jogo para novos jogadores, todos os treinadores precisam determinar as suas opiniões sobre o seguinte: Seu entendimento sobre como funciona o jogo (como obter a posse da bola e mantê-la por tempo suficiente para marcar e, para a oposição, como pegar a bola de volta quando estão na defesa) As principais funções de cada um dos jogadores no jogo em geral e em jogadas definidas Como e quando intervir para explicar ou demonstrar uma habilidade fundamental Há muitas maneiras de jogar e diferentes métodos de treinamento para ajudar os jogadores a desenvolver suas habilidades. Alguns colocam mais ênfase em práticas destinadas a desenvolver habilidades individuais isoladamente, enquanto outros se concentram mais em práticas situacionais de jogo destinadas a desenvolver uma melhor tomada de decisão no contexto do jogo: jogos para a compreensão, o sentido do jogo, todo-parte-todo ", zoom in e zoom out", são apenas alguns exemplos. Existem duas abordagens amplas para introduzir o jogo para novos jogadores: o primeiro, seguindo as instruções do treinador, é baseado em praticar e aperfeiçoar habilidades técnicas individuais e coletivas, como passar e pegar a bola, chutar com precisão, tackles, etc. Esta abordagem é explícita e não adaptativa. A segunda, uma abordagem mais centrada no jogador, prioriza jogadores praticando/treinando em situações de jogo, onde se espera que os jogadores reajam ao inesperado, e façam a relação do bom entendimento com a tomada de decisão com execução técnica adequada. É uma abordagem implícita e adaptável, de acordo com as necessidades dos jogadores em qualquer momento de sua aprendizagem para jogar de forma eficaz. Se e quando o treinador observa que existem deficiências nas habilidades dos jogadores, isso sinaliza que há uma necessidade de abordagem mais explícita e não adaptativa. Unir treino e jogo O que sabemos é que uma vez que os novos jogadores começam a jogar, eles se deparam com uma série de situações, com ou sem bola, com oponentes ou não, e têm que decidir o que fazer rapidamente em seguida para só então pôr em prática aquela habilidade. Portanto, qualquer que seja o método adotado pelo treinador, precisa levar esta realidade em consideração. Por exemplo, ao treinar e jogar, os jogadores precisam ser colocados em situações em que tenham que decidir e realizar pelos menos uma das seguintes situações: levar a bola para contato ou correr e conseguir espaço? correr e ganhar espaço ou passar para um jogador mais bem localizado? 11

12 avançar com os jogadores de apoio por perto ou passar a bola para outros jogadores em campo? avançar e entrar em contato ou procurar a bola na defesa? tacklear o jogador que está com a bola ou dar cobertura para o jogador de apoio ou o próximo a receber a bola? Os princípios do jogo, descritos no começo deste módulo, sugerem o seguinte: Uma vez que seu time tenha a posse da bola, ele pode atacar o adversário de qualquer parte do campo Levar a bola para o ataque com o maior número possível de jogadores, em uma formação organizada vai fazer com que o time mantenha a posse de bola e vai acabar permitindo que (com a posse de bola) cruzem a linha do gol, marcando o gol Saber o que está acontecendo ao seu redor no jogo a todo momento ajudará os jogadores a explorar os pontos fracos do jogo do adversário. Isso vale tanto para o ataque quanto para a defesa A pressão constante acabará por interromper qualquer jogada da equipe adversária Conseguir sentir onde estão os pontos fracos no time adversário mostrará à equipe como e onde atacar. Isso vale tanto para o ataque quanto para a defesa No módulo 2 há exemplos de ambos os treinos. Todos esses treinos precisam respeitar o ciclo de aprendizagem apresentado no modelo abaixo: TREINO SIMULADO Habilidades e/ou situações de jogo Respeitar os princípios do jogo (Ver o que cada jogador já consegue fazer) COM O TEMPO, INTENSIFIQUE A PROGRESSÃO DOS TREINOS Faça com que os treinos sejam mais complexos e desafiadores IDENTIFICAR HABILIDADES DEFICIENTES Ver o que precisa ser corrigido ou aprimorado AVALIAR MELHORIA NO DESEMPENHO Individual < > coletivo FACILITAR NOVOS TREINOS Melhorar o desempenho: Coletivo < > individual 12

13 RECOMENDAÇÕES: O IRB recomenda que a melhor maneira de aprender a jogar de maneira segura e eficaz é jogar de forma modificada, respeitando os princípios e regras mais importantes. O ideal seria incluir também o contato condicionado (depois de um aquecimento adequado), considerando que o ambiente de treino e jogo sejam seguros o bastante para isso. É melhor começar com jogos de pequenos grupos em áreas menores (de 6 a 8 jogadores cada). Esse formato funciona bem com iniciantes, já que cada jogador se torna mais ativo ao se aproximar da bola, envolvendo-se mais. O jogo modificado deve ter o máximo possível de passes e pegadas e pouco ou nenhum chute já que isso possibilita que todos os jogadores tenham a oportunidade de correr e passar a bola, podendo tacklear oponentes e ser tackleado por eles, com relativamente pouco momento linear. O tamanho do campo deve ser ajustado de acordo com número de jogadores em cada time. Tarefa 3.1 Começar descrevendo um treino para desenvolver uma habilidade técnica simples como pegar a bola e avançar. Usando as recomendações listadas acima, descreva como se pode usar um treino simulado baseado em uma abordagem mais adaptativa e implícita, criada para permitir que os jogadores melhorem a mesma habilidade por meio de um jogo modificado. Usando uma abordagem implícita e adaptativa, o treinador atua como uma facilitador para o desenvolvimento da habilidade de reação para o inesperado dos jogadores, para unir a compreensão básica de como o jogo funciona com o processo de tomada de decisão e execução segura das habilidades individuais e de equipe. Tendo essa abordagem em mente, vamos considerar como seria um treino típico nas mãos de um treinador: Início: Explicação do(s) tema(s) do treino, baseado no último treino ou o desempenho na última partida. Aquecimento: O ideal é que o aquecimento esteja diretamente relacionado ao(s) tema(s) do treino. Principais partes da sessão: Várias situações de jogo relacionadas ao(s) tema(s) chave do treino: equipe contra equipe ou grupo grande contra grupo grande, no contexto do movimento geral do jogo; a presença do adversário cria as situações que exigem algumas respostas táticas; os jogadores devem ser colocados em situações em que haja pelo menos algumas opções disponíveis; situações semelhantes com números menores, enfatizando mais detalhes (6 a 8 jogadores por grupo); 13

14 1 x 1 para detalhar o treino: 1 x 1, 1 x 1 + 1, 2 x 1, 2 x 1 + 1; voltar para a equipe inteira em uma situação de jogo para avaliar se as habilidades foram aprimoradas voltar para o desaquecimento e reavaliar o treino. Tarefa 3.2 Debater quando uma abordagem mais explícita e não-adaptativa for mais apropriada a suprir as necessidades dos jogadores e respeitar a necessidade de criar um ambiente de treino seguro. 14

15 Unidade um - Conhecimento do jogo: princípios do jogo, métodos de treinamento e desenvolvimento de habilidade Módulo dois - Aplicação dos princípios do jogo para o desenvolvimento de habilidades Resultado da aprendizagem Ao concluir este módulo, será possível analisar o jogo de uma equipe usando os princípios da modalidade e as habilidades necessárias para respeitar cada princípio, com visão, para então planejar e fazer treinos para suprir a necessidade dos jogadores. Tenha sempre a mão o recurso dos Principais Fatores do Treinamento. Tarefa 4 - Use os princípios do jogo para analisar o desempenho da equipe Para esta tarefa, organizem-se em duplas para que um avalie como o time utiliza os princípios do Rugby (bem ou mal) (Tarefa 4.1) enquanto o outro associa os princípios das habilidades realizadas para obtê-las (Tarefa 4.2). 15

16 Tarefa 4.1 Use a tabela abaixo para identificar se uma das equipes usa bem ( ) ou mal (X) os princípios. Disputar a posse de bola para atacar Respeitar os princípios do jogo de Rugby Atacar levando a bola para frente Manter a posse de bola usando o para criar espaço Defender para reaver a posse de bola Tarefa 4.2 Aplicar os princípios e as habilidades do jogo para o desempenho de uma equipe. Use a seguinte tabela para estabelecer uma ligação entre os princípios e as habilidades do jogo. Habilidades Dos princípios às habilidades (marque a coluna correta) Busca pela posse de bola Ataque Posse de bola Defesa Passe Corrida com a bola Levantando a bola do chão Chute Drop Chute de conversão Queda no tackle Tackling Apoio Rucks Mauls Ataque Padrão de defesa Scrums Laterais Chutes de saída - drop Ataque com 3/4s Ataque no jogo aberto Defesa com 3/4s Defesa no jogo aberto 16

17 Tarefa 5 - Praticar e melhorar as habilidades deficientes Depois de acompanhar o desempenho da equipe e dos jogadores individualmente durante um treinamento ou jogo, considere o seguinte: Quais os principais fatores que precisam ser aprimorados pelos jogadores para melhorar seu desempenho? Crie um ou dois treinos relacionados ao jogo que ajudarão os jogadores a aprimorarem sua habilidade e discuta com os auxiliares treinador quando e se for revisar os fatores importantes em questão. Há alguns exemplos de jogos modificados abaixo para auxiliá-lo nessa tarefa. Nos seguintes exemplos, presume-se que os jogadores tenham feito um breve aquecimento e tenham habilidades básicas de corrida, passe e técnica (avançar, bola nas duas mãos, interceptação do passe com as mãos para o alto etc.). Alguns fatores chave para ter em mente na criação e implementação dos treinos simulados: incentivar os jogadores a jogar a bola lateralmente, ampliando a área de treino treinar o jogador que carrega a bola para entrar em contato, reduza a área de treino para facilitar que os atacantes passem pelos defensores, reduza o número de defensores para dificultar que os atacantes passem a bola adiante, aumente o número de defensores avance a partir da defesa condicionada (simplesmente ocupando a área na frente dos atacantes e não tentar recuperar a bola, para ter total contato dentro das regras e um esforço de recuperar a bola de volta depois do tackle) praticar diferentes habilidades, variando a forma com que a bola é entregue aos atacantes. Ex.: um passe fácil, passe na altura do ombro, bola parada no chão, rolar a bola no chão etc. se os defensores conseguirem recuperar a bola, deixe que contra-ataquem varie o lado do campo para treino com bola, para que os jogadores se acostumem a se movimentar para ambos os lados Crie uma área apropriada para o treino: Para jogos de jogadores, uma área de 25m x 25m Diga o seguinte aos jogadores: No ataque, os treinos são de passe, corrida e apoio aos companheiros Na defesa, os treinos são para impedir que os atacantes avancem com a bola, forçando-os a decidir quando e como continuam a levar a bola adiante Quando estiverem na função de levar a bola, devem olhar para onde estão os defensores e os jogadores de apoio Quando não estiverem na função de levar a bola, eles devem estar olhando para onde estão os defensores e decidir se devem ir em apoio àquele que está com a bola ou se devem ir para a área onde possam receber um passe 17

18 Durante esses treinos, as indicações do treinador/coach devem ser simples, como descrito abaixo: Para quem tiver a bola: - Onde estão os defensores? - Onde está o espaço para avançar com a bola? - Onde estão seus jogadores de apoio? - Não fique com a bola por muito tempo para não virar alvo Para o(s) jogador(es) de apoio: - Onde está o jogador com a bola: - Onde estão os defensores? - Como você pode dar apoio ao jogador com a bola? - Peça a bola quando estiver em uma melhor posição do que aquele que detém a posse da bola Para defensores: - Onde está o jogador com a bola: - Onde estão os jogadores de apoio? - Como você pode impedir que a bola avance? - Como você pode recuperar a bola? Treino No.1 Avançar com a bola e dar apoio ao jogador que está com ela Comece com 2 atacantes contra 1 defensor e aumente para 3 x 2, 4 x 3 Os atacantes recebem a bola do treinador/coach depois de dar a volta no primeiro cone Defensores dão a volta no cone na metade da área de treino 18

19 Treino No.2 Avançar com a bola e dar apoio ao jogador que está com ela Até 8 contra 8, mas pode começar com grupos menores, se necessário Atacantes começam em um canto grande da área de treino O treinador entrega a bola ao primeiro atacante enquanto os defensores dão a volta no cone na metade da área de treino e, então, confrontam os atacantes No começo, permita que apenas a defesa e os atacantes condicionados mantenham a posse de bola Avance para o contato total com a opção de os defensores trabalharem ativamente para recuperar a bola 19

20 Treino No.3 Avançar com a bola e dar apoio ao jogador que está com ela Como mencionado acima, mas o treinador põe uma segunda bola em jogo, quando e se o movimento da bola desacelerar ou parar totalmente após o ataque inicial do jogador com a posse de bola 20

21 Treino No.4 Ver onde estão os defensores e avançar com a bola Dois grupos de jogadores seguem o treinador durante o treino, a uma distância de 3-4 metros O treinador vira para um grupo de jogadores que devem receber a bola, e eles se tornam atacantes Os atacantes devem reagir e ir aonde estão os defensores e tentar avançar com a bola Os defensores tentam parar o ataque 21

22 Treino #5 Atacar os defensores quando estiverem espalhados na área de treino Até 8 contra 8 Os atacantes recebem a bola do treinador e avançam com ela Os defensores dão a volta em um dos dois cones ao longo da área de treino. Em um grupo de 8 defensores, 5 correm pelo primeiro cone e confrontam os atacantes e 3 dão a volta no segundo cone 22

23 Treino #6 Correr para ganhar do defensor isolado O atacante corre em volta do primeiro cone e recebe a bola O defensor escolhe dar a volta no 1o, 2o ou 3o cone Quando e se o atacante passar do defensor, este deve correr atrás do jogador com a bola até o fim da área de treino 23

24 Treino #7 Jogar em uma área larga e em uma estreita Os atacantes vêm com a bola para a área mais larga com um defensor logo atrás Dois defensores dão a volta no cone no fim da área de treino e tentam impedir que a bola avance Quando e se os atacante conseguirem alcançar a área de treino com a bola, eles voltam para a área de treino usando somente o campo de treino estreito Os defensores atravessam a área de treino estreita a fim de deter o avanço dos atacantes 20m 10m 30m 24

Rugby de contato, bom ou ruim?

Rugby de contato, bom ou ruim? Vejo muitos treinadores reclamar do quanto seus jogadores jogam rugby de contato antes do treino ou nas horas vagas. Talvez tenham medo de que os jogadores criem maus hábitos e não se dediquem aos fundamentos

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico Aplicação em Jogos 1. Pontaria - Acerte o Alvo 2. Pontaria - Acertar o alvo 3. Movimentação - Arranca fita 4. Revezamento - Estafetas 5. Lançamento e recepção - Rolando a

Leia mais

Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil 2011

Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil 2011 Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil 2011 OBJETIVOS As Leis de Jogo do Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil, têm como base ideológica o Regulamento Nacional de Rugby Infantil

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico Movimentações e habilidades 1. Movimentação - Sem bola 2. Adaptação à bola - Manipulação da bola 3. Movimentação - Com bola 4. Habilidades de lançamento - Rolamento 5. Habilidades

Leia mais

INTERNATIONAL RUGBY BOARD NÍVEL 1 OFFICIATING APRESENTAÇÃO DO OFFICIATING

INTERNATIONAL RUGBY BOARD NÍVEL 1 OFFICIATING APRESENTAÇÃO DO OFFICIATING INTERNATIONAL RUGBY BOARD NÍVEL 1 OFFICIATING APRESENTAÇÃO DO OFFICIATING Manual do curso e livro de atividades International Rugby Board 2012 Apresentação da Arbitragem Conteúdo do curso Visão Geral........................................................

Leia mais

APOSTILA DE RUGBY O RUGBY BRASILEIRO

APOSTILA DE RUGBY O RUGBY BRASILEIRO APOSTILA DE RUGBY O RUGBY BRASILEIRO História do Rugby no Brasil -O RUGBY chegou ao BRASIL no século retrasado. -Charles Miller teria organizado em 1895 o primeiro time de rugby brasileiro, em São Paulo.

Leia mais

RELATÓRIO HOGAN JUDGMENT

RELATÓRIO HOGAN JUDGMENT DECODIFICANDO SEUS ESTILOS DE PENSAMENTO E TOMADA DE DECISÃO 30, Junho, 2015 RELATÓRIO HOGAN Jane Doe ID UH565487 SUMÁRIO EXECUTIVO Este relatório examina os estilos de julgamento e de tomada de decisão

Leia mais

COMO CONTRATAR OS MELHORES REPRESENTANTES DE ATENDIMENTO AO CLIENTE

COMO CONTRATAR OS MELHORES REPRESENTANTES DE ATENDIMENTO AO CLIENTE COMO CONTRATAR OS MELHORES REPRESENTANTES DE ATENDIMENTO AO CLIENTE Por que se importar 3 O melhor representante de atendimento 4 SUMÁRIO Escrevendo um anúncio de vaga de emprego Carta de apresentação

Leia mais

Como Eu Começo meu A3?

Como Eu Começo meu A3? Como Eu Começo meu A3? David Verble O pensamento A3 é um pensamento lento. Você está tendo problemas para começar seu A3? Quando ministro treinamentos sobre o pensamento, criação e uso do A3, este assunto

Leia mais

FESTIVAL INFANTIL DE RUGBY Etapa Jacareí

FESTIVAL INFANTIL DE RUGBY Etapa Jacareí FESTIVAL INFANTIL DE RUGBY Etapa Jacareí Regulamento O Festival tem como base ideológica o processo formativo dos participantes, tendo os seguintes delineamentos como parte inerente das atividades: Utilizar

Leia mais

METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL

METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL 2012 Todo material didático-pedagógico contido neste documento é fruto da experiência de diversos profissionais, principalmente professores de educação

Leia mais

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE 1 ESTRUTURA DA PLANILHA ESTRUTURA DA PLANILHA Dia da Semana: Procure seguir a ordem da planilha. Descrição detalhada do seu PRIMEIRO TREINO: Aqui

Leia mais

LEIS DO JOGO DE RUGBY INFANTIL (M11 / M12 / M13 / M14)

LEIS DO JOGO DE RUGBY INFANTIL (M11 / M12 / M13 / M14) LEIS DO JOGO DE RUGBY INFANTIL (M11 / M12 / M13 / M14) 2012 Introdução Rugby é um esporte com contato físico que tem como filosofia básica para sua prática a lealdade, além do respeito aos rivais, companheiros,

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico JOGOS DE BATER E DE LANÇAR 1 - Pegar 2 - Marque em gol 3 - Arremesso ao alvo 4 - Corrida rápida e pegada segura 5 - Elimine-os 6 - Lançando e rolando a bola ao alvo 7 - Ir

Leia mais

Confederação Brasileira de Futsal

Confederação Brasileira de Futsal Emendas e correções às Regras do Futsal para os jogos a partir de 01/01/2015 Prezados Desportistas, Em colaboração com a International Football Association Board ( IFAB) e o Departamento de Arbitragem

Leia mais

SESSÃO 2: Explorando Profissões

SESSÃO 2: Explorando Profissões SESSÃO 2: Explorando Profissões CURRÍCULO DE PROGRAMA Muitas meninas adolescentes (e adultos também) dizem que não tem ideia do que querem fazer com o resto de suas vidas. Embora que algumas meninas sonham

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico JOGOS DE INVASÃO 1 - Baú dos tesouros 2 - Portal 3 - Ache um gol 4-1-2-3-4 5 - Cinco 6-4 x 1 7 - Ache o espaço 8 - Passando de zona 9-3-aro-bola 10 - O jogo do ala 11 - Incluindo

Leia mais

Guia de Orientação a concussão para o público geral

Guia de Orientação a concussão para o público geral FATOS DE UMA CONCUSSÃO A concussão é uma lesão cerebral. Todas as concussões são graves. Os abalos podem ocorrer sem perda de consciência. Todo atleta com os sintomas de uma lesão na cabeça deve ser removido

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Esportes de Invasão. Aula 3. Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo aquático. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Invasão. Aula 3. Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo aquático. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Invasão Aula 3 Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria INVASÃO. 2 Conhecer a história desses esportes e a sua entrada

Leia mais

didáticas para jogos e brincadeiras na educação física escolar

didáticas para jogos e brincadeiras na educação física escolar Título do artigo: A construção de sequências didáticas para jogos e brincadeiras na educação física escolar Disciplina: Educação Física Selecionador: Marcos Santos Mourão (Marcola) Categoria: Professor

Leia mais

A COMPETIÇÃO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA. Prof. Dr. Renato Sampaio Sadi DCEFS-UFSJ 2012

A COMPETIÇÃO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA. Prof. Dr. Renato Sampaio Sadi DCEFS-UFSJ 2012 A COMPETIÇÃO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA Prof. Dr. Renato Sampaio Sadi DCEFS-UFSJ 2012 Apresentação Produtividade do Grupo de Estudos e Pesquisas em Pedagogia do Esporte - GEPE Variáveis físicas, psicológicas

Leia mais

OS SINAIS DO ÁRBITRO. Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde

OS SINAIS DO ÁRBITRO. Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde OS SINAIS DO ÁRBITRO Entender o árbitro para entender o jogo. Tradução : Xavier Vouga & Pierre Paparemborde Os 49 sinais do árbitro têm como objetivo facilitar a comunicação com os jogadores e o público

Leia mais

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo ANTF Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo Fases do Jogo VÍTOR URBANO FASES DO JOGO No Futebol Moderno, todos os jogadores da equipa, sem

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível.

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível. VALÊNCIAS FÍSICAS RESISTÊNCIA AERÓBICA: Qualidade física que permite ao organismo executar uma atividade de baixa para média intensidade por um longo período de tempo. Depende basicamente do estado geral

Leia mais

Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência

Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência Liga Desportiva de Taekwon-do do Estado de Minas Gerais - LDTEMG Mestre Ronaldo Avelino Xavier Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência Belo Horizonte, 06 de Fevereiro de 2013. Mestre

Leia mais

Auto-formação para colaboradores

Auto-formação para colaboradores Formação e familiarização directa com o posto de trabalho é, muitas vezes, da responsabilidade da organização. Para uma organização eficaz desta tarefa, o instrutor/tutor necessita não só do conhecimento

Leia mais

É constituída por 12 jogadores: -6 jogadores efetivos -6 jogadores suplentes -Até 2 líberos

É constituída por 12 jogadores: -6 jogadores efetivos -6 jogadores suplentes -Até 2 líberos Regras básicas de vôlei Vôlei é um desporto praticado numa quadra dividida em duas partes por uma rede, possuindo duas equipes de seis jogadores em cada lado. O objetivo da modalidade é fazer passar a

Leia mais

Regras básicas e fudamentos do volei

Regras básicas e fudamentos do volei Regras básicas e fudamentos do volei História do volei O criador do voleibol foi o americano William George Morgan. Isto ocorreu em 9 de fevereiro de 1895. O volei foi criado com o intuito de ser um esporte

Leia mais

Ser um Treinador de Sucesso com Crianças

Ser um Treinador de Sucesso com Crianças APEF Ser um Treinador de Sucesso com Crianças Pedro Teques Departamento de Psicologia e Comunicação da APEF Direcção de Contacto: Pedro Teques, Departamento de Psicologia e Comunicação, Associação Portuguesa

Leia mais

INTERNATIONAL RUGBY BOARD CURSO DE TREINADOR NÍVEL 1 INTRODUÇÃO AO RUGBY

INTERNATIONAL RUGBY BOARD CURSO DE TREINADOR NÍVEL 1 INTRODUÇÃO AO RUGBY INTERNATIONAL RUGBY BOARD INTRODUÇÃO AO RUGBY Curso de Treinador Nível 1 Introdução ao Rugby Conteúdos do curso Resumo....................................................... 3 Modulo 1 Compreensão do Jogo.....................................

Leia mais

PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO

PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO ANTÓNIO GUERRA DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO DA FPV CONHEÇA A SUA EQUIPA E A COMPETIÇÃO ONDE PARTICIPA Primeiro que tudo têm de conhecer a sua equipa,

Leia mais

AS REGRAS DO BASQUETEBOL

AS REGRAS DO BASQUETEBOL AS REGRAS DO BASQUETEBOL A BOLA A bola é esférica, de cabedal, borracha ou material sintéctico. O peso situa-se entre 600 g e 650g e a circunferência deve estar compreendida entre 75 cm e 78 cm. CESTOS

Leia mais

O esporte no PST: estímulo e prática prazerosa para um futuro

O esporte no PST: estímulo e prática prazerosa para um futuro O esporte no PST: estímulo e prática prazerosa para um futuro esportivo emancipado O Esporte como meio pedagógico... Por que? O Que? COMO? Ensinar Onde? Quando? Quem? Perguntas que definem o método: Incidental

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

Futebol de Precisão. Livro Oficial

Futebol de Precisão. Livro Oficial Futebol de Precisão Livro Oficial T O D O S O S D I R E I T O S R E S E R V A D O S. 2 0 1 5. P R O I B I D A A R E P R O D U Ç Ã 0 P A R C I A L O U T O T A L D E S T E D O C U M E N T O. EM C A S O D

Leia mais

APL (Avaliação de Potencial para Liderança)

APL (Avaliação de Potencial para Liderança) APL (Avaliação de Potencial para Liderança) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:41:14 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/13 Índice analítico

Leia mais

OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO

OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO Tênis é em grande parte um jogo mental. Um bom tenista deve ser mentalmente forte para conseguir lidar com as adversidades e manter um jogo consistente.

Leia mais

COACHING. Imagem Evolução do Coaching por Coach Douglas Ferreira. Veja um pouco de sua evolução.

COACHING. Imagem Evolução do Coaching por Coach Douglas Ferreira. Veja um pouco de sua evolução. Faculdade Tecnologia Senac. Goiania,29 de maio de 2014. Nome: Thiago Pereira Profº Itair Pereira da Silva GTI 1 - Matutino COACHING O Coaching é um processo, com início, meio e fim, definido em comum acordo

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

O pai da matéria. Karin Hetschko e Gumae Carvalho Entrevista com Tim Gallwey

O pai da matéria. Karin Hetschko e Gumae Carvalho Entrevista com Tim Gallwey O pai da matéria Karin Hetschko e Gumae Carvalho Entrevista com Tim Gallwey Os líderes precisam ser coaches? O precursor do coaching Tim Gallwey responde (Fonte: Melhor) Tim Gallwey: líderes precisam aprender

Leia mais

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Como ler mais rapidamente Usando o leitor do SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Enquanto lê, você muitas vezes: "Ouve" cada palavra

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS SEÇÃO 7 Desenvolvimento de É importante pensar sobre como desenvolver os funcionários a fim de melhorar o trabalho da organização. O desenvolvimento de poderia consistir em ensino, oportunidades para adquirir

Leia mais

PAP (Perfil de Avanço Profissional)

PAP (Perfil de Avanço Profissional) PAP (Perfil de Avanço Profissional) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:03:23 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/10 Índice analítico Índice

Leia mais

Fundamentos Teórico-Práticos do Aquecimento no Futsal

Fundamentos Teórico-Práticos do Aquecimento no Futsal futsalcoach.com la web para el técnico de fútbol sala C Copyright 2005, F U T S A L C O A C H, Spain Todos los derechos reservados Autor: Prof. João Carlos Romano Preparador Físico de la Selección Brasileña

Leia mais

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Educação Especial Informe de Assistência Técnica SPED 2009-2: Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Para: Superintendentes, diretores,

Leia mais

Ajudar uma pessoa a mudar da maneira que deseja, e a ir na direção que quer.

Ajudar uma pessoa a mudar da maneira que deseja, e a ir na direção que quer. Introdução Coaching é, na prática, fornecer apoio e feedback positivo ao mesmo tempo oferecendo algum tipo de aconselhamento a um indivíduo ou grupo, a fim de levá-los a perceber as formas de melhorar

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS

COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS COMPETÊNCIAS PRINCIPAIS As onze competências principais em coaching foram desenvolvidas para possibilitar a maior compreensão sobre as habilidades e abordagens usadas atualmente na profissão de coaching

Leia mais

Criando uma equipe vencedora

Criando uma equipe vencedora Criando uma equipe vencedora Como montar uma equipe vencedora? Hoje em dia, empresas de todos os tamanhos têm um objetivo em comum: fazer mais com menos. Desde a crise financeira global, alcançar novos

Leia mais

Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes

Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes Coaching e Constelação Sistêmica A Dança das Ferramentas Colaboração entre estas duas metodologias trazendo resultados mais abrangentes Bert Hellinger soube muito bem como integrar conhecimentos de várias

Leia mais

Rafael Siqueira 0 SUCESSO. é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso!

Rafael Siqueira 0 SUCESSO. é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso! 0 SUCESSO é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso! 0 SUCESSO é apenas seu! 5 passos para conquistar o caminho para o seu Sucesso! Versão 1.0 Introdução: Acredito que o processo

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

Guia de Principiantes do. Rugby Union

Guia de Principiantes do. Rugby Union Guia de Principiantes do Rugby Union Segurança como prioridade Rugby é um jogo com um nível elevado de contato físico. Para apreciá-lo ao máximo é necessário estar física e mentalmente preparado, e também,

Leia mais

INTERAÇÃO HOMEM COMPUTADOR AULA 3. Professora Marcia Pereira marciapsm@gmail.com Sistemas de Informação

INTERAÇÃO HOMEM COMPUTADOR AULA 3. Professora Marcia Pereira marciapsm@gmail.com Sistemas de Informação INTERAÇÃO HOMEM COMPUTADOR AULA 3 Professora Marcia Pereira marciapsm@gmail.com Sistemas de Informação CONTEÚDO Revisão Framework PACT Atividade de Revisão REVISANDO Design de sistemas é importante, instigante

Leia mais

Coaching Útil? Parte Um: Quem Diz o que É Útil?

Coaching Útil? Parte Um: Quem Diz o que É Útil? Coaching Útil? Parte Um: Quem Diz o que É Útil? David Verble Coaching é um tópico na moda na comunidade de melhoria contínua/lean esses dias. Há um crescente interesse no desenvolvimento de culturas de

Leia mais

Motivação para a Atividade Física na Escola

Motivação para a Atividade Física na Escola 11 Motivação para a Atividade Física na Escola Renata Serra Sequeira Especialista em Atividade Física e Qualidade de Vida - UNICAMP Estela Marina Alves Boccaletto Mestre em Educação Física - UNICAMP Ana

Leia mais

JOGOS DE OPOSIÇÃO. Jogos de Oposição. Desenvolvimento integral do aluno 15/02/2012 OS CONTEÚDOS DE ENSINO OS CONTEÚDOS DE ENSINO

JOGOS DE OPOSIÇÃO. Jogos de Oposição. Desenvolvimento integral do aluno 15/02/2012 OS CONTEÚDOS DE ENSINO OS CONTEÚDOS DE ENSINO JOGOS DE OPOSIÇÃO PROF. ESP. THIAGO MONTES FIDALE Os têm as mesmas características dos esportes de combate praticados desde o início das civilizações. Os aqui abordados tem como característica o ato de

Leia mais

RUGBY TAG. Eraldo dos Santos Pinheiro Gregory Schuster da Silva INTRODUÇÃO

RUGBY TAG. Eraldo dos Santos Pinheiro Gregory Schuster da Silva INTRODUÇÃO RUGBY TAG Eraldo dos Santos Pinheiro Gregory Schuster da Silva INTRODUÇÃO No mundo hoje, o Rugby é uma das modalidades que mais cresce, sendo a Copa do Mundo de Rugby o terceiro evento mais visto no mundo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE O Jogo Força e Saúde é um jogo de tabuleiro - educativo - que tem como objetivo ensinar e/ou reforçar o tema

Leia mais

Prof. Mst. Sandro de Souza. Disciplinas: Futebol e Futsal e Aprofundamento em Futebol

Prof. Mst. Sandro de Souza. Disciplinas: Futebol e Futsal e Aprofundamento em Futebol Prof. Mst. Sandro de Souza Disciplinas: Futebol e Futsal e Aprofundamento em Futebol Desenhe um campo de Futebol com as suas dimensões e marcações. Qual o número mínimo de jogadores, em um time, para iniciar

Leia mais

Musculação, treinamento funcional, crossfit e pilates: como escolher o seu exercício ideal?

Musculação, treinamento funcional, crossfit e pilates: como escolher o seu exercício ideal? Polícia Militar do Estado de Goiás CPMG Nader Alves dos Santos Ano Letivo - 2015 4º BIMESTRE Colégio da Polícia Militar de Goiás -NAS Aluno (a): Nº Faça o que se pede. MODALIDADES EM ALTA CONTEÚDO SIMULADO

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico JOGOS DE REDE E DE PAREDE 1 - Você está pronto? 2 - Voos e chegadas 3 - Pronto para o rebote 4 - Controle 5 - Saque 6 - Rebatida em movimento 7 - Dentro ou fora 8 - Jogadas

Leia mais

Caracterização. Objetivo

Caracterização. Objetivo VOLEIBOL Caracterização O voleibol é um jogo desportivo coletivo praticado por duas equipas, cada uma composta por seis jogadores efetivos e, no máximo, seis suplentes, podendo um ou dois destes jogadores

Leia mais

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança

ISO Revisions. ISO Revisions. Revisões ISO. Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Revisões ISO ISO Revisions Qual é a diferença entre uma abordagem de procedimentos e de processo? Abordando a mudança Processos vs procedimentos: o que isto significa? O conceito da gestão de processo

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS Manual de Aplicação Questionário de Levantamento Organizacional e de Fatores Humanos Brasília, novembro

Leia mais

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira.

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Precisa falar inglês no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Aprender um novo idioma é se sentir como uma criança novamente: faltam palavras para se expressar e a insegurança

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL CONSELHO DE ARBITRAGEM CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 Tomar, 5 de Agosto de 2007 ÉPOCA 2007/2008

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.: 15 DATA: 2012.07.17 ALTERAÇÕES, EMENDAS E CORREÇÕES LEIS DO JOGO DE FUTSAL 2012/13 + DECISÕES IFAB A TODOS OS MEMBROS DA FIFA

COMUNICADO OFICIAL N.: 15 DATA: 2012.07.17 ALTERAÇÕES, EMENDAS E CORREÇÕES LEIS DO JOGO DE FUTSAL 2012/13 + DECISÕES IFAB A TODOS OS MEMBROS DA FIFA ALTERAÇÕES, EMENDAS E CORREÇÕES LEIS DO JOGO DE FUTSAL 2012/13 + DECISÕES IFAB A TODOS OS MEMBROS DA FIFA Zurique, 2 de julho de 2012 Em colaboração com a subcomissão do International Football Association

Leia mais

APRESENTANDO A OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS AMWAY. Guia do participante

APRESENTANDO A OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS AMWAY. Guia do participante APRESENTANDO A OPORTUNIDADE DE NEGÓCIOS AMWAY Guia do participante Esta página foi deixada intencionalmente em branco. Sumário Introdução do curso i Como usar este Manual do participante ii Como o Manual

Leia mais

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Helder Silva Considerações gerais Índice Proposta de ensino do tema Transição Defesa Ataque O que é?,

Leia mais

Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária.

Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária. POR ONDE COMEÇAR??? 1. Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária. Vai ganhar confiança, aprender

Leia mais

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas

Manual de Aplicação do Jogo da Escolha. Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas Manual de Aplicação do Jogo da Escolha Um jogo terapêutico para jovens usuários de drogas 1 1. Como o jogo foi elaborado O Jogo da Escolha foi elaborado em 1999 pelo Centro de Pesquisa em Álcool e Drogas

Leia mais

Modificação Experimental das Leis

Modificação Experimental das Leis Modificação Experimental das Leis Lei 3: Número de Jogadores - O Time 3.4 Jogadores relacionados como substitutos Equipes internacionais permitidas a realizar até oito substituições 3.4 Jogadores relacionados

Leia mais

TSAL (Registro de histórico de treinamento e limitações de atividades esportivas)

TSAL (Registro de histórico de treinamento e limitações de atividades esportivas) ABDEM Associação Brasileira de Desportos para o Deficiente Intelectual INAS-FID TSAL (Registro de histórico de treinamento e limitações de atividades esportivas) Conteúdo: Introdução TSAL FEVEREIRO DE

Leia mais

VOLEIBOL. 11. O Jogador que executa o saque, deve estar em qual posição? 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997. a) posição número 6.

VOLEIBOL. 11. O Jogador que executa o saque, deve estar em qual posição? 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997. a) posição número 6. VOLEIBOL 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997 b) 2007 c) 1996 d) 1975 e)1895 2. Quem inventou o voleibol? a) William G. Morgan b) Pelé c) Roberto Carlos d) Ronaldinho Gaúcho e) Michael Jackson

Leia mais

Regras de Futebol de Campo

Regras de Futebol de Campo Curso de Educação Física Futebol - Fundamentos Regras de Futebol de Campo Leandro Tibiriçá Burgos Regra 1: Campo de jogo Partidas Nacionais Comprimento: de 90m a 120 metros; Largura: de 45m a 90 metros.

Leia mais

O ABC da gestão do desempenho

O ABC da gestão do desempenho Por Peter Barth O ABC da gestão do desempenho Uma ferramenta útil e prática para aprimorar o desempenho de pessoas e organizações 32 T&D INTELIGÊNCIA CORPORATIVA ED. 170 / 2011 Peter Barth é psicólogo

Leia mais

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

Duração da atividade: Recomendam-se cinco encontros/aulas, com duração de uma hora-aula para cada encontro.

Duração da atividade: Recomendam-se cinco encontros/aulas, com duração de uma hora-aula para cada encontro. Nível de ensino: Ensino Fundamental Componente Curricular: Educação Física Modalidade: Futsal Duração da atividade: Recomendam-se cinco encontros/aulas, com duração de uma hora-aula para cada encontro.

Leia mais

13 Como estudar Teclado - Conteúdo

13 Como estudar Teclado - Conteúdo Introdução Tempo dedicado ao estudo Alongamento e aquecimento Fatores para tornar a leitura mais ágil Fatores para tornar o estudo mais produtivo Preparação para apresentar a peça em público Prazer de

Leia mais

Como Montar uma Rede Wireless Passo-a-Passo

Como Montar uma Rede Wireless Passo-a-Passo Outras apostilas em: www.projetoderedes.com.br Como Montar uma Rede Wireless Passo-a-Passo Redes Wireless estão em franco crescimento. Novas redes são implementadas, com soluções mais rápidas, abrangentes

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

vez o Campeonato Brasileiro de Rugby, após ser vice em 2000 e 1999. O Niterói Rugby fez uma boa campanha, embora

vez o Campeonato Brasileiro de Rugby, após ser vice em 2000 e 1999. O Niterói Rugby fez uma boa campanha, embora Tim Campeonato Brasileiro 2002 O São José derrotou o Bandeirantes (campeão em 2001) e venceu pela primeira vez o Campeonato Brasileiro de Rugby, após ser vice em 2000 e 1999. O Niterói Rugby fez uma boa

Leia mais

CONSELHO DE ARBITRAGEM

CONSELHO DE ARBITRAGEM CONSELHO DE ARBITRAGEM Avaliação Época 2014/2015 Setúbal, 20 de Setembro de 2014 Observadores Distritais TESTE ESCRITO (a) 1. Identifique o comportamento e sinalética que estão estabelecidos numa situação

Leia mais

Atenção: Revista em desenvolvimento

Atenção: Revista em desenvolvimento Editorial Atenção: Revista em desenvolvimento Estamos iniciando nossa primeira edição, de um produto até agora novo, não na tecnologia empregada que já é sucesso na Europa, e sim em seu conteúdo. As revistas

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. 2. Preparação para sua discussão com seu médico

1. INTRODUÇÃO. 2. Preparação para sua discussão com seu médico 1. INTRODUÇÃO Artrite reumatoide (AR) é uma doença inflamatória crônica que pode afetar diferentes áreas da vida.1 Como parte do controle de longo prazo da AR, seu médico* irá ajudá-lo a controlar melhor

Leia mais

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação CURRÍCULO DO PROGRAMA SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação Para muita gente, os sonhos são apenas sonhos. Não levam necessariamente a ações diretas para transformar tais sonhos em realidade. Esta

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ARTES CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. A inclusão do Rugby na Educação Física Escolar

UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ARTES CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA. A inclusão do Rugby na Educação Física Escolar UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ARTES CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA A inclusão do Rugby na Educação Física Escolar José Leandro Sampaio Pedro Henrique Nunes Pereira Pedro Ramos Gonzales

Leia mais

Atividades Extraclasse

Atividades Extraclasse Atividades Extraclasse No Marista Conceição, o estudante aprende e desenvolve habilidades dentro e fora da sala de aula, por meio de atividades esportivas, artísticas, culturais, científicas e de solidariedade.

Leia mais

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas:

Conceitos e técnicas. Devem ser contempladas algumas atividades típicas de vendas: Administração da equipe de vendas (Neste texto de apoio: Conceitos e técnicas e Plano de ação de vendas) Conceitos e técnicas A correta administração da equipe de vendas é fundamental para o bom desempenho

Leia mais

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História

Bitoque Râguebi. Criação do Bitoque Râguebi. História Bitoque Râguebi História A lenda da criação do râguebi teve início por William Webb Ellis, um estudante de Londres. Foi dito que, durante uma partida de futebol em Novembro de 1823 na Rugby School, o tal

Leia mais

judgment EM PERSPECTIVA:

judgment EM PERSPECTIVA: EM PERSPECTIVA: judgment As teorias de liderança geralmente estão baseadas em características individuais, como o carisma, influência, ética, entre outras, mas um determinante central da performance de

Leia mais

Nossa missão O que fazemos para sua empresa crescer

Nossa missão O que fazemos para sua empresa crescer A Revista VendaMais, a mais conceituada Revista de Vendas do Brasil, uniu-se a Solução Comercial, consultoria com experiência em mais de 80 empresas de diferentes segmentos, para criar a Solução Comercial/VendaMais.

Leia mais

Objetivos do Curso: Público alvo:

Objetivos do Curso: Público alvo: Formação em Coaching Com Abordagem Neurocientífica, Psicofisiológica, Filosófica e Comportamental. Destinado aos Profissionais das Áreas de Saúde, Educação e Gestão de Pessoas Coaching é a palavra inglesa

Leia mais