INTERNATIONAL RUGBY BOARD COACHING NIVEL 1 INTRODUCAO AO RUGBY

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTERNATIONAL RUGBY BOARD COACHING NIVEL 1 INTRODUCAO AO RUGBY"

Transcrição

1 INTERNATIONAL RUGBY BOARD INTRODUCAO AO RUGBY Manual e apostila do curso International Rugby Board 2013

2 Coaching Nivel 1 Introducão ao Rugby Conteudo do curso Revisão Cinco passos para o Bem Estar do Jogador Unidade um - Conhecimento do jogo: Principios do jogo, metodos de coaching e desenvolvimento de habilidades Módulo 1 Entendendo o jogo e seus princípios Tarefa 1 - Video Entendendo o jogo e Guia do principiante no Rugby Tarefa 2 - Identifique os exemplos dos principios do Rugby Tarefa 3 - Metodos de coaching para introducao e pratica do jogo..11 Módulo 2 Aplicando os principios do jogo para desenvolvimento das habilidades Tarefa 4 - Use os principios do jogo para analisar o desempenho da equipe Tarefa 5 - Praticando o jogo e improvisando as habilidades deficientes Unidade dois - Planejamento Módulo 3 Planejamento e demostracao de uma pratica Trefas 6 e Tarefa opcional - Analise do crescimento do jogador e seu desenvolvimento Módulo 4 Gerenciamento Tarefas 8, 9 e Módulo trabalho pre-curso (favor se apresentar com certificados on line solicitados): Complete o curso on line no Complete o teste das leis do jogo no Baixe e leia o Guia do principiante no Rugby (www.irbrugbyready.com/downloads) Módulo trabalho pos-curso recomendado: Complete o curso on line Complete os modulos de educacao sobre Concussão no Esteja atento sobre as informacoes e recursos para treinadores e jogadores no 2

3 Revisão Conteudo Cursos de Treinamento e Educacao IRB Introducao ao Coaching Nivel Informacoes gerais do curso Cronograma do curso Aprendizagem proveniente do curso Prefácio Bem-vindo ao curso IRB Nível 1 de Coaching. Este curso é projetado para capacitar treinadores com as habilidades básicas de modo que possam ensinar os jogadores novos ao jogo a competir de maneira segura e divertida. A presença do esporte na vida de uma pessoa gera benefícios enormes para o desenvolvimento social, físico e pessoal ao passo que amplia a consciência cultural. O Rugby é um esporte excepcionalmente inclusivo, e você como treinador, tem uma posição de influência genuína sobre o nível do desenvolvimento pessoal do jogador e sua percepção de comunidade e autovalorização. O curso Coaching nível 1 IRB tem o objetivo de desenvolver treinadores que sabem como treinar e o que treinar. O curso é ministrado usando a seguinte estrutura: Primeiramente, usa os princípios do ataque e defesa para dar uma visão geral do jogo; Segundo, usa a análise de fatores chave para permitir que você explique, demonstre, pratique, execute e analise as habilidades do jogo; Terceiro, os módulos do conhecimento do jogo são sustentados pelos módulos genéricos que cobrem o planejamento, a gestão de riscos, o papel do treinador, comunicação, crescimento da criança e do adolescente, força e condicionamento do Rugby e as leis do jogo. Durante todo o curso, você será incentivado a praticar suas habilidades de treinador agarre esta oportunidade para ter feedback de seu educador IRB e de seus pares. Eu espero sinceramente que você aproveite o curso e tire benefícios de sua participação. Atenciosamente, Reconhecimentos O compromisso com a tarefa e os esforços do autor e da equipe editorial, bem como da equipe de consultoria com sua contribuição para o desenvolvimento deste programa educacional são altamente apreciados. Autor: Douglas Langley Equipe de Consultoria 2007: Lee Smith & Mark Harrington (IRB), Jock Peggie (SRU), Simon Jones (RFU) e Gerry Roberts (WRU) Equipe de Consultoria 2012: Mark Harrington (IRB), Fred Ollows (KRU), Gene Tong (IRB RTC Asia), Jean-Luc Barthes (IRB), Mike Luke (IRB RTC NACRA), Denver Wannies (IRB RTC CAR) Projeto e produção: Sport Development Contato Adam Pearson Sobre este material Este material é um manual de curso e livro de exercícios. Uma cópia deve ser entregue para cada participante do curso. Notas do educador serão disponibilizadas separadamente do IRB. Mark Harrington, Gerente de treinamento, International Rugby Board 3

4 Cursos de Treinamento e Educação IRB Trainer Educador Treinador Oficial da partida S&C Médico Equipe Educacional Primeiros socorros em Rugby Nível 1 Cuidados imediatos no Rugby Níveis 2, 3 Equipe Médica Administrators Administradores Certificação baseada em competências Todas as partes interessadas Força e condicionamento Níveis 1, 2 Sevens Níveis 1, 2 Treinadores Fifteens Níveis 1, 2, 3 Treinadores e oficiais de partida identificados por talento Programa do Otimização de Talento Oficiais de jogo Fifteens Níveis 1, 2, 3 Sevens Níveis 1, 2 Treinamento de árbitros/oficiais da partida Níveis 1, 2 Os cursos de treinamento e educação IRB evoluíram desde meados dos anos 1990, e são atualizados regularmente desde então, usando os conhecimentos de Clubes membros e as habilidades de um número seleto dos trainer IRB que são também peritos em conteúdo. Desde 2006, a provisão IRB foi ampliada para servir a mais partes interessadas, como demonstrado no portfólio acima. Agora, todos os cursos são baseados em competências, projetados para oferecer aprendizagem e treinamento adequados aos contextos em que os treinadores e árbitros atuam. Além disso, os cursos IRB agora somente podem ser ministrados pelos educadores licenciados IRB que demonstraram suas habilidades técnicas e de facilitadores de acordo com os padrões estabelecidos. Todos os registros e certificações são emitidos pela matriz do IRB em Dublin, Irlanda. 4

5 Introdução ao Coaching nível 1 O Rugby oferece grandes possibilidades para o desempenho individual e da equipe. O objetivo principal do jogo é fornecer a oportunidade de obter alegria e satisfação com o desempenho eficaz a partir de uma ampla gama de habilidades: habilidades individuais como correr, passar, receber, chutar, tacklear, e de habilidades coletivas como mauls e rucks e scrums, a fim de jogar com sucesso e ganhar a competição. Enquanto estas habilidades são predominantemente técnicas, os jogadores também necessitam tomar boas decisões individuais e coletivas sobre o que fazer e quando, e precisam ter um nível apropriado de condicionamento físico para jogar bem. Este material "Apresentando o Rugby" ajuda a explicar maneiras de desenvolver uma compreensão básica do jogo, e como os jogadores e treinadores podem aplicar os princípios do jogo, na prática e em jogo. Cada módulo do curso começa com uma explicação e demonstração, e ilustra práticas utilizando diferentes metodologias de treinamento. Tanto quanto possível, a ênfase será colocada na prática de coaching e no ensino dos novos jogadores, o que significa que todas as sessões de treinos devem ser adaptadas para atender a capacidade e a cultura dos jogadores em nível introdutório. Esta abordagem promove um jogo em que todos os jogadores são incentivados a participar de maneira plena, usando suas habilidades e conhecimento para marcar o máximo de pontos possíveis dentro das leis do jogo. Cronograma do curso Unidade 1 - conhecimento do jogo Informação geral do curso Materiais necessários para o curso (impresso ou disponível eletronicamente) Guia do principiante para o Rugby Fatores chaves para Coaching Manual do curso de Coaching nível 1 Avaliação Para receber o Certificado de Presença IRB, o participante deve comparecer a todos os módulos do curso. Métodos de entrega do curso Este curso será ministrado usando: Apresentações Análises de vídeo Testes de Resolução de problemas Cenários Aulas práticas utilizando explicação, demonstração e prática. Módulo 1 Módulo 2 Compreendendo o jogo, seus princípios e metodologias de treinamento Aplicando os princípios e habilidades ao desempenho da equipe 2hrs 15mins 1hrs 15mins Unit 2 Planning Módulo 3 Planejamento de prática e Demonstração de prática 3hrs 15mins Módulo 4 Conclusão Leis do jogo, jogos modificados, gestão de riscos e o papel do treinador 45mins 30mins Duração total: 8hrs (curso de 1 dia) 5

6 Resultados de aprendizagem do curso Ao concluir o curso, você será capaz de: 1. Planejar uma sessão prática que atenda às necessidades dos jogadores. 2. Entregar a sessão planejada. 3. Ao planejar e entregar a sessão, mostrar competência nas áreas: planejamento. gerenciamento de grupo. comunicação. conhecimento de jogo e habilidades. Ao concluir o curso, você poderá: (a) Planejar e entregar uma sessão relevante (i) Definir o que pretende realizar na sessão, isto é, existem resultados de aprendizagem. (ii) Planejar o uso de progressão de habilidade usando jogos modificados. (iii) Identificar os principais pontos de coaching. (iv) Plano relevante para as necessidades do grupo. (v) planejar, fornecer e utilizar equipamento. (b) Entregar uma sessão relevante (i) Gerenciamento do grupo 1. Garantir um ambiente seguro e agradável. 2. Maximizar a participação. 3. Reagir às necessidades do grupo. 4. Realizar atividades relevantes que atingem os resultados de aprendizagem. 5. Gerir o tempo de forma adequada. 6. Assegurar o ritmo da prática. 7. Assegurar o fluxo da prática. (ii) Comunicação 1. Fornecer explicações e orientações claras. 2. Verificar a compreensão através da escuta. 3. Demonstrar variedade vocal - ritmo, tom, volume. 4. Dar feedback- relevante, oportuno, específico. 5. Demonstrar técnicas de questionamento usando perguntas fechadas e abertas. 6. Demonstrar linguagem corporal positiva. 7. Concluir a sessão revisitando os resultados de aprendizagem e principais pontos de coaching. (c) Conhecimento do jogo (i) Os princípios do Rugby 1. Identificar os princípios e as habilidades necessárias para jogar. 2. Aplicar os princípios do jogo para jogar em equipe. (ii) Análise de habilidades 1. Observar o jogo para identificar o padrão de desempenho de habilidades. 2. Analisar o desempenho das habilidades usando os Pontos chave de Coaching. 3. Implementar métodos adequados para melhorar as habilidades. 6

7 Cinco passos para o Bem-Estar do Jogador Seja um salva-vidas; conheça o seu A-B-C A: via Aérea, B: Respiração, C: Circulação Salvar uma vida sempre começa com A Se você não tiver um A você não terá um B ou um C via Aérea: abra, desobstrua, mantenha Se eles estiverem no chão, pense no pescoço Não os agite, não os rolem, não os façam sentar Pense na coluna vertebral, mantenha a coluna reta e não se apresse Pare o jogo e pergunte sobre dor Um jogador inconsciente tem uma lesão no pescoço até que se prove o contrário Treine para evitar lesões Não mude de repente seu treinamento Proteja os jogadores que retornam após uma lesão eles apresentam risco aumentado de lesão Realizar treinamento de alto risco (contato, piques), em momentos de baixo risco (quando não cansados) Prevenção de lesões: Está no equilíbrio (exercícios) Tackleie a Concussão Não perca a cabeça, leia os sinais Não faz sentido jogar com uma Concussão - um jogador com concussão pode ficar confuso - ele terá maior risco de lesões e deve ser removido do jogo Reconheça e remova Caso tenha dúvida, espere fora do jogo Não arrisque seu cérebro para ganhar um jogo Combata infeccções Não compartilhe de seu sangue na roupa e nas toalhas; o sangue transmite infecções; lave ou descarte roupas sujas de sangue Uma ferida negligenciada é uma ferida infectada A solução para a poluição é diluição - lave a ferida com água abundante Limpe-a, e a seguir cubra-a 7

8 Unidade 1 - Conhecimento do jogo: princípios do jogo, métodos de treinamento e desenvolvimento de habilidades Módulo um - Compreendendo o jogo e os princípios do jogo Resultado de aprendizagem Ao final deste módulo, você poderá apresentar uma compreensão básica do jogo e os princípios do jogo, baseados na observação do vídeo Entendendo o Rugby e no Guia do principiante para o Rugby. Você também será capaz de desenvolver uma simples análise de aspectos do jogo e, a partir dessa análise, escolher um método de treinamento apropriado para ajudar os jogadores a jogar de forma mais eficaz. Tarefa 1 - O vídeo "Entendendo o Rugby" e "Guia de iniciante para o Rugby Agora você assistir o filme 'Entendendo o Rugby ", que servirá como uma introdução ao jogo de Rugby. No "Guia de iniciante para o Rugby", existem pontos chave ligados ao filme, que você poderá usar como ponto de referência ao longo deste curso Nível 1. 8

9 Uma breve introdução ao Rugby Variações do jogo podem ser jogadas em qualquer espaço retangular seguro, desde que existem linhas laterais, linhas de gol e uma área de in-goal para marcar os tries. As dimensões devem ser adequadas para o número e a idade dos jogadores. Menos jogadores e jogadores jovens necessitam de menos espaço do que o campo inteiro utilizado para Rugby 15-a-side e o Rugby 7-a-side adulto. As dimensões e o peso da bola podem variar de acordo com a idade e as capacidades físicas dos jogadores. Uns jogadores mais novos usam uma bola menor e mais leve do que a bola regulamentar. Como guia, a bola deve ser de um tamanho que os jogadores consigam pegar usando duas mãos. Eles não devem ter que pegála em seus braços, porque isso dificultaria a execução das habilidades do jogo. O jogo e os jogadores Consulte o Guia do principiante para o Rugby Com o tempo, os jogadores perceberão que eles tornam-se mais aptos para uma determinada posição na equipe. Isto será consequência de suas características e atributos físicos, de suas habilidades e preferências. Especialização posicional deve ser abordada com cautela. Conforme o jogador cresce, ele pode tornar-se inadequado para a posição em que se especializou em uma idade precoce, e pode ficar perdido para o jogo. A equipe por posição de jogo Consulte o Guia de iniciante para o Rugby Em todo este material, posições serão referidas pelo número do jogador nessa posição. Isto evitará confusão quando mais de um nome é dado para uma posição específica. A estrutura do jogo Aplicação das leis no jogo geral Consulte o Guia de iniciante para o Rugby Formações Fixas Consulte o Guia de iniciante para o Rugby Formações Fixas são usadas para iniciar e reiniciar o jogo quando ocorrem paralisações. Funções do jogador em um jogo Consulte "Fatores chave de Coaching" com relação ao manejo de bola - "handling", "Correr para dar apoio ao portador da bola", "Tackle lateral" e "tackle frontal". 9

10 Tarefa 2 - Identifique exemplos dos princípios do Rugby Após ter discutido suas conclusões dos materiais consultados, e ao término do filme, identifique e explique exemplos de cada princípio completando a seguinte tabela. Use os exemplos dados para acionar mais exemplos de cada princípio. Princípios Exemplos Contestando a posse, a fim de atacar, por exemplo, ganhar a bola após ela ser chutada. Atacar, movendo a bola para a frente, por exemplo, chutando e recuperando a bola. Mantendo a posse usando o jogo de fase para criar espaço, por exemplo ruckeando. Defendendo para recuperar a posse, por exemplo, linha de defesa avançando em conjunto. Um jogo multifacetado, por exemplo, diferentes tipos de corpo. Prêmios e Castigos, por exemplo, recompensa - jogando em um lateral quando a equipe força a oposição para chutar a bola para fora. Penalidade - não jogar a bola no scrum, quando um jogador bate na bola. 10

11 Tarefa 3 - Métodos de Coaching para introduzir e praticar o jogo O principal papel do treinador de novos jogadores é ajudá-los a compreender a lógica básica do jogo e desenvolver as habilidades necessárias para um bom desempenho. Então, antes de introduzir o jogo para novos jogadores, todos os treinadores precisam determinar as suas opiniões sobre o seguinte: Seu entendimento sobre como funciona o jogo (como obter a posse da bola e mantê-la por tempo suficiente para marcar e, para a oposição, como pegar a bola de volta quando estão na defesa) As principais funções de cada um dos jogadores no jogo em geral e em jogadas definidas Como e quando intervir para explicar ou demonstrar uma habilidade fundamental Há muitas maneiras de jogar e diferentes métodos de treinamento para ajudar os jogadores a desenvolver suas habilidades. Alguns colocam mais ênfase em práticas destinadas a desenvolver habilidades individuais isoladamente, enquanto outros se concentram mais em práticas situacionais de jogo destinadas a desenvolver uma melhor tomada de decisão no contexto do jogo: jogos para a compreensão, o sentido do jogo, todo-parte-todo ", zoom in e zoom out", são apenas alguns exemplos. Existem duas abordagens amplas para introduzir o jogo para novos jogadores: o primeiro, seguindo as instruções do treinador, é baseado em praticar e aperfeiçoar habilidades técnicas individuais e coletivas, como passar e pegar a bola, chutar com precisão, tackles, etc. Esta abordagem é explícita e não adaptativa. A segunda, uma abordagem mais centrada no jogador, prioriza jogadores praticando/treinando em situações de jogo, onde se espera que os jogadores reajam ao inesperado, e façam a relação do bom entendimento com a tomada de decisão com execução técnica adequada. É uma abordagem implícita e adaptável, de acordo com as necessidades dos jogadores em qualquer momento de sua aprendizagem para jogar de forma eficaz. Se e quando o treinador observa que existem deficiências nas habilidades dos jogadores, isso sinaliza que há uma necessidade de abordagem mais explícita e não adaptativa. Unir treino e jogo O que sabemos é que uma vez que os novos jogadores começam a jogar, eles se deparam com uma série de situações, com ou sem bola, com oponentes ou não, e têm que decidir o que fazer rapidamente em seguida para só então pôr em prática aquela habilidade. Portanto, qualquer que seja o método adotado pelo treinador, precisa levar esta realidade em consideração. Por exemplo, ao treinar e jogar, os jogadores precisam ser colocados em situações em que tenham que decidir e realizar pelos menos uma das seguintes situações: levar a bola para contato ou correr e conseguir espaço? correr e ganhar espaço ou passar para um jogador mais bem localizado? 11

12 avançar com os jogadores de apoio por perto ou passar a bola para outros jogadores em campo? avançar e entrar em contato ou procurar a bola na defesa? tacklear o jogador que está com a bola ou dar cobertura para o jogador de apoio ou o próximo a receber a bola? Os princípios do jogo, descritos no começo deste módulo, sugerem o seguinte: Uma vez que seu time tenha a posse da bola, ele pode atacar o adversário de qualquer parte do campo Levar a bola para o ataque com o maior número possível de jogadores, em uma formação organizada vai fazer com que o time mantenha a posse de bola e vai acabar permitindo que (com a posse de bola) cruzem a linha do gol, marcando o gol Saber o que está acontecendo ao seu redor no jogo a todo momento ajudará os jogadores a explorar os pontos fracos do jogo do adversário. Isso vale tanto para o ataque quanto para a defesa A pressão constante acabará por interromper qualquer jogada da equipe adversária Conseguir sentir onde estão os pontos fracos no time adversário mostrará à equipe como e onde atacar. Isso vale tanto para o ataque quanto para a defesa No módulo 2 há exemplos de ambos os treinos. Todos esses treinos precisam respeitar o ciclo de aprendizagem apresentado no modelo abaixo: TREINO SIMULADO Habilidades e/ou situações de jogo Respeitar os princípios do jogo (Ver o que cada jogador já consegue fazer) COM O TEMPO, INTENSIFIQUE A PROGRESSÃO DOS TREINOS Faça com que os treinos sejam mais complexos e desafiadores IDENTIFICAR HABILIDADES DEFICIENTES Ver o que precisa ser corrigido ou aprimorado AVALIAR MELHORIA NO DESEMPENHO Individual < > coletivo FACILITAR NOVOS TREINOS Melhorar o desempenho: Coletivo < > individual 12

13 RECOMENDAÇÕES: O IRB recomenda que a melhor maneira de aprender a jogar de maneira segura e eficaz é jogar de forma modificada, respeitando os princípios e regras mais importantes. O ideal seria incluir também o contato condicionado (depois de um aquecimento adequado), considerando que o ambiente de treino e jogo sejam seguros o bastante para isso. É melhor começar com jogos de pequenos grupos em áreas menores (de 6 a 8 jogadores cada). Esse formato funciona bem com iniciantes, já que cada jogador se torna mais ativo ao se aproximar da bola, envolvendo-se mais. O jogo modificado deve ter o máximo possível de passes e pegadas e pouco ou nenhum chute já que isso possibilita que todos os jogadores tenham a oportunidade de correr e passar a bola, podendo tacklear oponentes e ser tackleado por eles, com relativamente pouco momento linear. O tamanho do campo deve ser ajustado de acordo com número de jogadores em cada time. Tarefa 3.1 Começar descrevendo um treino para desenvolver uma habilidade técnica simples como pegar a bola e avançar. Usando as recomendações listadas acima, descreva como se pode usar um treino simulado baseado em uma abordagem mais adaptativa e implícita, criada para permitir que os jogadores melhorem a mesma habilidade por meio de um jogo modificado. Usando uma abordagem implícita e adaptativa, o treinador atua como uma facilitador para o desenvolvimento da habilidade de reação para o inesperado dos jogadores, para unir a compreensão básica de como o jogo funciona com o processo de tomada de decisão e execução segura das habilidades individuais e de equipe. Tendo essa abordagem em mente, vamos considerar como seria um treino típico nas mãos de um treinador: Início: Explicação do(s) tema(s) do treino, baseado no último treino ou o desempenho na última partida. Aquecimento: O ideal é que o aquecimento esteja diretamente relacionado ao(s) tema(s) do treino. Principais partes da sessão: Várias situações de jogo relacionadas ao(s) tema(s) chave do treino: equipe contra equipe ou grupo grande contra grupo grande, no contexto do movimento geral do jogo; a presença do adversário cria as situações que exigem algumas respostas táticas; os jogadores devem ser colocados em situações em que haja pelo menos algumas opções disponíveis; situações semelhantes com números menores, enfatizando mais detalhes (6 a 8 jogadores por grupo); 13

14 1 x 1 para detalhar o treino: 1 x 1, 1 x 1 + 1, 2 x 1, 2 x 1 + 1; voltar para a equipe inteira em uma situação de jogo para avaliar se as habilidades foram aprimoradas voltar para o desaquecimento e reavaliar o treino. Tarefa 3.2 Debater quando uma abordagem mais explícita e não-adaptativa for mais apropriada a suprir as necessidades dos jogadores e respeitar a necessidade de criar um ambiente de treino seguro. 14

15 Unidade um - Conhecimento do jogo: princípios do jogo, métodos de treinamento e desenvolvimento de habilidade Módulo dois - Aplicação dos princípios do jogo para o desenvolvimento de habilidades Resultado da aprendizagem Ao concluir este módulo, será possível analisar o jogo de uma equipe usando os princípios da modalidade e as habilidades necessárias para respeitar cada princípio, com visão, para então planejar e fazer treinos para suprir a necessidade dos jogadores. Tenha sempre a mão o recurso dos Principais Fatores do Treinamento. Tarefa 4 - Use os princípios do jogo para analisar o desempenho da equipe Para esta tarefa, organizem-se em duplas para que um avalie como o time utiliza os princípios do Rugby (bem ou mal) (Tarefa 4.1) enquanto o outro associa os princípios das habilidades realizadas para obtê-las (Tarefa 4.2). 15

16 Tarefa 4.1 Use a tabela abaixo para identificar se uma das equipes usa bem ( ) ou mal (X) os princípios. Disputar a posse de bola para atacar Respeitar os princípios do jogo de Rugby Atacar levando a bola para frente Manter a posse de bola usando o para criar espaço Defender para reaver a posse de bola Tarefa 4.2 Aplicar os princípios e as habilidades do jogo para o desempenho de uma equipe. Use a seguinte tabela para estabelecer uma ligação entre os princípios e as habilidades do jogo. Habilidades Dos princípios às habilidades (marque a coluna correta) Busca pela posse de bola Ataque Posse de bola Defesa Passe Corrida com a bola Levantando a bola do chão Chute Drop Chute de conversão Queda no tackle Tackling Apoio Rucks Mauls Ataque Padrão de defesa Scrums Laterais Chutes de saída - drop Ataque com 3/4s Ataque no jogo aberto Defesa com 3/4s Defesa no jogo aberto 16

17 Tarefa 5 - Praticar e melhorar as habilidades deficientes Depois de acompanhar o desempenho da equipe e dos jogadores individualmente durante um treinamento ou jogo, considere o seguinte: Quais os principais fatores que precisam ser aprimorados pelos jogadores para melhorar seu desempenho? Crie um ou dois treinos relacionados ao jogo que ajudarão os jogadores a aprimorarem sua habilidade e discuta com os auxiliares treinador quando e se for revisar os fatores importantes em questão. Há alguns exemplos de jogos modificados abaixo para auxiliá-lo nessa tarefa. Nos seguintes exemplos, presume-se que os jogadores tenham feito um breve aquecimento e tenham habilidades básicas de corrida, passe e técnica (avançar, bola nas duas mãos, interceptação do passe com as mãos para o alto etc.). Alguns fatores chave para ter em mente na criação e implementação dos treinos simulados: incentivar os jogadores a jogar a bola lateralmente, ampliando a área de treino treinar o jogador que carrega a bola para entrar em contato, reduza a área de treino para facilitar que os atacantes passem pelos defensores, reduza o número de defensores para dificultar que os atacantes passem a bola adiante, aumente o número de defensores avance a partir da defesa condicionada (simplesmente ocupando a área na frente dos atacantes e não tentar recuperar a bola, para ter total contato dentro das regras e um esforço de recuperar a bola de volta depois do tackle) praticar diferentes habilidades, variando a forma com que a bola é entregue aos atacantes. Ex.: um passe fácil, passe na altura do ombro, bola parada no chão, rolar a bola no chão etc. se os defensores conseguirem recuperar a bola, deixe que contra-ataquem varie o lado do campo para treino com bola, para que os jogadores se acostumem a se movimentar para ambos os lados Crie uma área apropriada para o treino: Para jogos de jogadores, uma área de 25m x 25m Diga o seguinte aos jogadores: No ataque, os treinos são de passe, corrida e apoio aos companheiros Na defesa, os treinos são para impedir que os atacantes avancem com a bola, forçando-os a decidir quando e como continuam a levar a bola adiante Quando estiverem na função de levar a bola, devem olhar para onde estão os defensores e os jogadores de apoio Quando não estiverem na função de levar a bola, eles devem estar olhando para onde estão os defensores e decidir se devem ir em apoio àquele que está com a bola ou se devem ir para a área onde possam receber um passe 17

18 Durante esses treinos, as indicações do treinador/coach devem ser simples, como descrito abaixo: Para quem tiver a bola: - Onde estão os defensores? - Onde está o espaço para avançar com a bola? - Onde estão seus jogadores de apoio? - Não fique com a bola por muito tempo para não virar alvo Para o(s) jogador(es) de apoio: - Onde está o jogador com a bola: - Onde estão os defensores? - Como você pode dar apoio ao jogador com a bola? - Peça a bola quando estiver em uma melhor posição do que aquele que detém a posse da bola Para defensores: - Onde está o jogador com a bola: - Onde estão os jogadores de apoio? - Como você pode impedir que a bola avance? - Como você pode recuperar a bola? Treino No.1 Avançar com a bola e dar apoio ao jogador que está com ela Comece com 2 atacantes contra 1 defensor e aumente para 3 x 2, 4 x 3 Os atacantes recebem a bola do treinador/coach depois de dar a volta no primeiro cone Defensores dão a volta no cone na metade da área de treino 18

19 Treino No.2 Avançar com a bola e dar apoio ao jogador que está com ela Até 8 contra 8, mas pode começar com grupos menores, se necessário Atacantes começam em um canto grande da área de treino O treinador entrega a bola ao primeiro atacante enquanto os defensores dão a volta no cone na metade da área de treino e, então, confrontam os atacantes No começo, permita que apenas a defesa e os atacantes condicionados mantenham a posse de bola Avance para o contato total com a opção de os defensores trabalharem ativamente para recuperar a bola 19

20 Treino No.3 Avançar com a bola e dar apoio ao jogador que está com ela Como mencionado acima, mas o treinador põe uma segunda bola em jogo, quando e se o movimento da bola desacelerar ou parar totalmente após o ataque inicial do jogador com a posse de bola 20

21 Treino No.4 Ver onde estão os defensores e avançar com a bola Dois grupos de jogadores seguem o treinador durante o treino, a uma distância de 3-4 metros O treinador vira para um grupo de jogadores que devem receber a bola, e eles se tornam atacantes Os atacantes devem reagir e ir aonde estão os defensores e tentar avançar com a bola Os defensores tentam parar o ataque 21

22 Treino #5 Atacar os defensores quando estiverem espalhados na área de treino Até 8 contra 8 Os atacantes recebem a bola do treinador e avançam com ela Os defensores dão a volta em um dos dois cones ao longo da área de treino. Em um grupo de 8 defensores, 5 correm pelo primeiro cone e confrontam os atacantes e 3 dão a volta no segundo cone 22

23 Treino #6 Correr para ganhar do defensor isolado O atacante corre em volta do primeiro cone e recebe a bola O defensor escolhe dar a volta no 1o, 2o ou 3o cone Quando e se o atacante passar do defensor, este deve correr atrás do jogador com a bola até o fim da área de treino 23

24 Treino #7 Jogar em uma área larga e em uma estreita Os atacantes vêm com a bola para a área mais larga com um defensor logo atrás Dois defensores dão a volta no cone no fim da área de treino e tentam impedir que a bola avance Quando e se os atacante conseguirem alcançar a área de treino com a bola, eles voltam para a área de treino usando somente o campo de treino estreito Os defensores atravessam a área de treino estreita a fim de deter o avanço dos atacantes 20m 10m 30m 24

Quem Contratar como Coach?

Quem Contratar como Coach? Quem Contratar como Coach? por Rodrigo Aranha, PCC & CMC Por diversas razões, você tomou a decisão de buscar auxílio, através de um Coach profissional, para tratar uma ou mais questões, sejam elas de caráter

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível.

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível. VALÊNCIAS FÍSICAS RESISTÊNCIA AERÓBICA: Qualidade física que permite ao organismo executar uma atividade de baixa para média intensidade por um longo período de tempo. Depende basicamente do estado geral

Leia mais

LEIS DO JOGO DE RUGBY INFANTIL (M11 / M12 / M13 / M14)

LEIS DO JOGO DE RUGBY INFANTIL (M11 / M12 / M13 / M14) LEIS DO JOGO DE RUGBY INFANTIL (M11 / M12 / M13 / M14) 2012 Introdução Rugby é um esporte com contato físico que tem como filosofia básica para sua prática a lealdade, além do respeito aos rivais, companheiros,

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo

SENTIR 3. TEMPO 15-20 minutos TIPO DE TEMPO contínuo COMO USAR O MATERIAL NAS PÁGINAS A SEGUIR, VOCÊ ENCONTRA UM PASSO A PASSO DE CADA ETAPA DO DESIGN FOR CHANGE, PARA FACILITAR SEU TRABALHO COM AS CRIANÇAS. VOCÊ VERÁ QUE OS 4 VERBOS (SENTIR, IMAGINAR, FAZER

Leia mais

APOSTILA DE RUGBY O RUGBY BRASILEIRO

APOSTILA DE RUGBY O RUGBY BRASILEIRO APOSTILA DE RUGBY O RUGBY BRASILEIRO História do Rugby no Brasil -O RUGBY chegou ao BRASIL no século retrasado. -Charles Miller teria organizado em 1895 o primeiro time de rugby brasileiro, em São Paulo.

Leia mais

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions

ISO 9001 Relatórios. A importância do risco em gestao da qualidade. Abordando a mudança. ISO Revisions. ISO Revisions ISO 9001 Relatórios A importância do risco em gestao da qualidade Abordando a mudança BSI Group BSI/UK/532/SC/1114/en/BLD Contexto e resumo da revisão da ISO 9001:2015 Como uma Norma internacional, a ISO

Leia mais

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler

Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler Política de Recursos Humanos do Grupo Schindler 2 Introdução A política corporativa de RH da Schindler define as estratégias relacionadas às ações para com seus colaboradores; baseia-se na Missão e nos

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

Como Eu Começo meu A3?

Como Eu Começo meu A3? Como Eu Começo meu A3? David Verble O pensamento A3 é um pensamento lento. Você está tendo problemas para começar seu A3? Quando ministro treinamentos sobre o pensamento, criação e uso do A3, este assunto

Leia mais

Confederação Brasileira de Futsal

Confederação Brasileira de Futsal Emendas e correções às Regras do Futsal para os jogos a partir de 01/01/2015 Prezados Desportistas, Em colaboração com a International Football Association Board ( IFAB) e o Departamento de Arbitragem

Leia mais

Rugby de contato, bom ou ruim?

Rugby de contato, bom ou ruim? Vejo muitos treinadores reclamar do quanto seus jogadores jogam rugby de contato antes do treino ou nas horas vagas. Talvez tenham medo de que os jogadores criem maus hábitos e não se dediquem aos fundamentos

Leia mais

José Modelo Empresa ABC 16 de dezembro de 2008

José Modelo Empresa ABC 16 de dezembro de 2008 Avaliação Caliper de Empresa ABC 16 de dezembro de 2008 Fornecido por Caliper Estratégias Humanas do Brasil Ltda. Copyright 2008 Caliper Corporation. Todos os direitos reservados. Este Guia de Desenvolvimento

Leia mais

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes

Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes Posicionamento Global da marca FSC e Ferramentas de Marketing - Perguntas e Respostas Frequentes 1. Perguntas e Respostas para Todos os Públicos: 1.1. O que é posicionamento de marca e por que está sendo

Leia mais

Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil 2011

Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil 2011 Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil 2011 OBJETIVOS As Leis de Jogo do Regulamento do Circuito Paulista de Rugby Infantil, têm como base ideológica o Regulamento Nacional de Rugby Infantil

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 27 de Setembro de 2013. Revisão aula anterior Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento e entrega

Leia mais

Guia de Orientação a concussão para o público geral

Guia de Orientação a concussão para o público geral FATOS DE UMA CONCUSSÃO A concussão é uma lesão cerebral. Todas as concussões são graves. Os abalos podem ocorrer sem perda de consciência. Todo atleta com os sintomas de uma lesão na cabeça deve ser removido

Leia mais

judgment EM PERSPECTIVA:

judgment EM PERSPECTIVA: EM PERSPECTIVA: judgment As teorias de liderança geralmente estão baseadas em características individuais, como o carisma, influência, ética, entre outras, mas um determinante central da performance de

Leia mais

Futebol de Precisão. Livro Oficial

Futebol de Precisão. Livro Oficial Futebol de Precisão Livro Oficial T O D O S O S D I R E I T O S R E S E R V A D O S. 2 0 1 5. P R O I B I D A A R E P R O D U Ç Ã 0 P A R C I A L O U T O T A L D E S T E D O C U M E N T O. EM C A S O D

Leia mais

O que fazer em meio às turbulências

O que fazer em meio às turbulências O que fazer em meio às turbulências VERSÍCULO BÍBLICO Façam todo o possível para viver em paz com todos. Romanos 12:18 OBJETIVOS O QUÊ? (GG): As crianças assistirão a um programa de auditório chamado Geração

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search

Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Como Trabalhar Com Consultores de Executive Search Gerenciamento de Carreira pelo Bluesteps.com Contents: Introdução: O recrutamento de Executivos de Nível Sênior Page 1-2: O que é Retained Executive Search?

Leia mais

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa.

Ser sincero em sua crença de que todos devem ir para casa todos os dias com segurança e saúde - demonstre que você se importa. A Liderança Faz a Diferença Guia de Gerenciamento de Riscos Fatais Introdução 2 A prevenção de doenças e acidentes ocupacionais ocorre em duas esferas de controle distintas, mas concomitantes: uma que

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo

Ministério da Educação. Primavera 2014. Atualização do Redesenho do Currículo Ministério da Educação Primavera 2014 Atualização do Redesenho do Currículo Em 2010, o Ministério da Educação começou a transformar o sistema educacional de British Columbia, Canadá, Ensino Infantil Médio

Leia mais

Desenvolvendo Capacidades de PDSA

Desenvolvendo Capacidades de PDSA Desenvolvendo Capacidades de PDSA Karen Martin Como com qualquer habilidade, desenvolver as capacidades do PDSA (planejar fazer estudar agir) tem tudo a ver com a prática. Para conquistar a disciplina

Leia mais

PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO

PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO PRINCIPIOS GERAIS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PLANO DE JOGO ANTÓNIO GUERRA DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO DA FPV CONHEÇA A SUA EQUIPA E A COMPETIÇÃO ONDE PARTICIPA Primeiro que tudo têm de conhecer a sua equipa,

Leia mais

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264

C A R R E I R A H O G A N D E S E N V O L V E R DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA. Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 S E L E C I O N A R D E S E N V O L V E R L I D E R A R H O G A N D E S E N V O L V E R C A R R E I R A DICAS DE DESENVOLVIMENTO PARA GESTÃO DE CARREIRA Relatório para: Tal Fulano ID: HC748264 Data: 12,

Leia mais

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com

Como Montar um Plano de Estudos Eficiente Para Concurso Público E-book gratuito do site www.concursosemsegredos.com 1 Distribuição Gratuita. Este e-book em hipótese alguma deve ser comercializado ou ter seu conteúdo modificado. Nenhuma parte deste e-book pode ser reproduzida ou transmitida sem o consentimento prévio

Leia mais

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching,

5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, 5Etapas Para Conseguir Clientes de Coaching, Consultoria, Terapias Holísticas e Para Encher Seus Cursos e Workshops. Parte 01 Como Se Posicionar e Escolher os Clientes dos Seus Sonhos 1 Cinco Etapas Para

Leia mais

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE

FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE FAQ ironguides INSTRUÇÕES DE TREINO : BUILDING ROUTINE 1 ESTRUTURA DA PLANILHA ESTRUTURA DA PLANILHA Dia da Semana: Procure seguir a ordem da planilha. Descrição detalhada do seu PRIMEIRO TREINO: Aqui

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE Tópicos a serem apresentados: O que é? Para que serve? Objetivos do Curso. Conteúdo Programático. Empresa As Pessoas O Produto O serviço Atendimento Competitividade Tipos de Clientes

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico Aplicação em Jogos 1. Pontaria - Acerte o Alvo 2. Pontaria - Acertar o alvo 3. Movimentação - Arranca fita 4. Revezamento - Estafetas 5. Lançamento e recepção - Rolando a

Leia mais

DICAS DE BURACO ONLINE

DICAS DE BURACO ONLINE DICAS DE BURACO ONLINE Link: http://www.jogatina.com/dicas-jogar-buraco-online.html Às vezes, conhecemos todas as regras de um jogo, mas na hora de passar da teoria para a prática, as coisas não funcionam

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa.

I. A empresa de pesquisa de executivos deve lhe fornecer uma avaliação precisa e cândida das suas capacidades para realizar sua pesquisa. DIREITO DOS CLIENTES O que esperar de sua empresa de Executive Search Uma pesquisa de executivos envolve um processo complexo que requer um investimento substancial do seu tempo e recursos. Quando você

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014 ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL Guia Prático de Compra Edição de julho.2014 O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO Í n d i c e 6 perguntas antes de adquirir um sistema 4 6 dúvidas de quem vai adquirir

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação

Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica no SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Como ler mais rapidamente Usando o leitor do SilentIdea 4.0 Apresentação Leitura dinâmica Enquanto lê, você muitas vezes: "Ouve" cada palavra

Leia mais

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação

Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Educação Especial Informe de Assistência Técnica SPED 2009-2: Observação dos programas de educação pelos pais, e pessoas designadas pelos mesmos, com o Propósito de Avaliação Para: Superintendentes, diretores,

Leia mais

Conceitos básicos de Coaching e Feedback

Conceitos básicos de Coaching e Feedback Conceitos básicos de Coaching e Feedback OBJETIVOS Apresentar os trainees aos seus coachs passar conceitos básicos de coaching e feedback "Nada lhe posso dar que já não exista em você mesmo. Não posso

Leia mais

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.

Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7. Módulo 5 Interpretação da norma NBR ISO 19011:2002 requisitos: 7, 7.1, 7.2, 7.3, 7.3.1, 7.3.2, 7.3.3, 7.3.4, 7.4, 7.4.1, 7.4.2, 7.4.3, 7.4.4, 7.5, 7.5.1, 7.5.2, 7.6, 7.6.1, 7.6.2 Exercícios 7 Competência

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO

OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO OS SEIS ERROS MENTAIS QUE MAIS ATRAPALHAM SEU JOGO Tênis é em grande parte um jogo mental. Um bom tenista deve ser mentalmente forte para conseguir lidar com as adversidades e manter um jogo consistente.

Leia mais

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de

Copiright de todos artigos, textos, desenhos e lições. A reprodução parcial ou total desta aula só é permitida através de autorização por escrito de 1 Nesta aula você aprenderá a diferenciar um desenhista de um ilustrador e ainda iniciará com os primeiros exercícios de desenho. (Mateus Machado) O DESENHISTA E O ILUSTRADOR Ainda que não sejam profissionais

Leia mais

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão

O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão O desafio da liderança: Avaliação, Desenvolvimento e Sucessão Esse artigo tem como objetivo apresentar estratégias para assegurar uma equipe eficiente em cargos de liderança, mantendo um ciclo virtuoso

Leia mais

UNIVERSO - Disciplina: Futebol e Futsal Prof. Sandro de Souza

UNIVERSO - Disciplina: Futebol e Futsal Prof. Sandro de Souza SISTEMAS OFENSIVOS E DEFENSIVOS DO FUTSAL Sistema é o posicionamento organizado dos jogadores de uma equipe na quadra. Para que o professor posicione a equipe na quadra de forma organizada, inteligente,

Leia mais

Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Professor:

Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Professor: Plano de aula n : 10 Data: 21/22/23/25 de janeiro 2010. Técnica de remada inclinada Demonstrar aos alunos a maneira correta de utilização e ajustes do material em beneficio de uma maior segurança, iniciando

Leia mais

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS

TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA 5 GERENCIAMENTO DE RISCOS EM PROJETOS 7 INTRODUÇÃO AO GERENCIAMENTO DE PROJETOS TREINAMENTOS MAGAZINE 3 WORKSHOP INTERNACIONAL DE LIDERANÇA Líderes eficazes devem encontrar maneiras de melhorar o nível de engajamento, compromisso e apoio das pessoas, especialmente durante os períodos

Leia mais

Resumo do mês de março Quer mais resumos? Todo mês em: http://www.thiagocompan.com.br

Resumo do mês de março Quer mais resumos? Todo mês em: http://www.thiagocompan.com.br Resumo do mês de março Quer mais resumos? Todo mês em: http://www.thiagocompan.com.br Jeff Sutherland criou um método para fazer mais em menos tempo com o máximo de qualidade! Usado por diversas empresas

Leia mais

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml

Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Fonte: http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/coordenador-pedagogico/projeto-formacao-professoresmatematica-623627.shtml Projeto de formação de professores em Matemática Um projeto exclusivo

Leia mais

O papel do CRM no sucesso comercial

O papel do CRM no sucesso comercial O papel do CRM no sucesso comercial Escrito por Gustavo Paulillo Você sabia que o relacionamento com clientes pode ajudar sua empresa a ter mais sucesso nas vendas? Ter uma equipe de vendas eficaz é o

Leia mais

FESTIVAL INFANTIL DE RUGBY Etapa Jacareí

FESTIVAL INFANTIL DE RUGBY Etapa Jacareí FESTIVAL INFANTIL DE RUGBY Etapa Jacareí Regulamento O Festival tem como base ideológica o processo formativo dos participantes, tendo os seguintes delineamentos como parte inerente das atividades: Utilizar

Leia mais

EMENDAS ÀS REGRAS DO JOGO 2016/2017

EMENDAS ÀS REGRAS DO JOGO 2016/2017 EMENDAS ÀS REGRAS DO JOGO 2016/2017 EMENDAS ÀS REGRAS DO JOGO 2016/2017 INTRODUÇÃO OBSERVAÇÕES SOBRE AS REGRAS DO JOGO AS REGRAS DO JOGO EXPLICADAS AS MUDANÇAS ÀS REGRAS PARA 2016/17 - TEXTO ANTIGO -

Leia mais

É importante que todos os envolvidos no remo tenham em mente a segurança como ponto de partida, o remar seguro.

É importante que todos os envolvidos no remo tenham em mente a segurança como ponto de partida, o remar seguro. SEGURANÇA REMAR SEGURO Texto de Mauro de Oliveira (maurobranco2002@yahoo.com.br) Introdução A segurança se transformou em uma questão crescente no esporte, e também em nossas vidas. Para algumas pessoas

Leia mais

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING

Competências Essenciais de Coaching. Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Competências Essenciais de Coaching Nick Cheong 张 炳 栋 Sócio - Diretor Berners Coaching 2010 BERNERSCONSULTING Por que estamos aqui? Estamos aqui para: Conhecer quais são as competências essências do um

Leia mais

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS

CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 TESTE ESCRITO PERGUNTAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE FUTEBOL CONSELHO DE ARBITRAGEM CURSO DE APERFEIÇOAMENTO, ACTUALIZAÇÃO E AVALIAÇÃO ÁRBITROS ASSISTENTES DE 2.ª CATEGORIA Futebol de 11 Tomar, 5 de Agosto de 2007 ÉPOCA 2007/2008

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

AGT (Avaliação de Gerenciamento de Tempo)

AGT (Avaliação de Gerenciamento de Tempo) AGT (Avaliação de Gerenciamento de Tempo) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 11:14:46 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/9 Índice analítico Índice

Leia mais

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

MANUAL DOS PAIS UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL 1 UM PROJETO DESTINADO ÀS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL E SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL É hora de promover a segurança e a harmonia no trânsito. E os pais podem dar o exemplo. No Brasil, o índice

Leia mais

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação

SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação CURRÍCULO DO PROGRAMA SESSÃO 7: Transformando os sonhos em ação Para muita gente, os sonhos são apenas sonhos. Não levam necessariamente a ações diretas para transformar tais sonhos em realidade. Esta

Leia mais

Um pouco mais sobre desenvolvimento social e os Transtornos do Espectro Autista

Um pouco mais sobre desenvolvimento social e os Transtornos do Espectro Autista Um pouco mais sobre desenvolvimento social e os Transtornos do Espectro Autista www.infanciaeadole scencia.com.br O desenvolvimento social ocorre ao longo de todas as etapas do ciclo vital. Entretanto,

Leia mais

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO

1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO BEM VINDO AO GUIA DE 10 PASSOS DE COMO MELHORAR MUITO A SUA VIDA FINANCEIRA! APROVEITE! 1 USE SUA RAZÃO E DEIXE AS EMOÇÕES POR ÚLTIMO Quando se trata do nosso dinheiro, a emoção sempre tende a ser um problema.

Leia mais

As maiores histórias brincadeira de motivação para vendedores

As maiores histórias brincadeira de motivação para vendedores Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicasdemotivacao 5 Dinâmicas de Grupo e Brincadeiras Motivacionais Apesar de disponibilizarmos algumas centenas de dinâmicas de grupo fizemos uma seleção

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

Capacitando Profissionais

Capacitando Profissionais Capacitando Profissionais 2014 Setup Treinamentos & Soluções em TI www.setuptreinamentos.com APRE SENTA ÇÃ O A atual realidade do mercado de trabalho, que cada dia intensifica a busca por mão-de-obra qualificada,

Leia mais

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução

Introdução. Módulo 1: Necessidade de Informação, introdução 1 Introdução Objetivo Este módulo ajudará os gerentes a identificarem as necessidades de informação, a definirem prioridades, e a determinarem que módulos do PAG APS serão mais úteis para eles. A planilha

Leia mais

TSAL (Registro de histórico de treinamento e limitações de atividades esportivas)

TSAL (Registro de histórico de treinamento e limitações de atividades esportivas) ABDEM Associação Brasileira de Desportos para o Deficiente Intelectual INAS-FID TSAL (Registro de histórico de treinamento e limitações de atividades esportivas) Conteúdo: Introdução TSAL FEVEREIRO DE

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais

AMBIENTE VISUAL: GUIA PARA DISPOSIÇÃO E MATERIAIS

AMBIENTE VISUAL: GUIA PARA DISPOSIÇÃO E MATERIAIS AMBIENTE VISUAL: GUIA PARA DISPOSIÇÃO E MATERIAIS 1) LUZ A criança deficiente visual (baixa visão) necessita de uma boa iluminação, tanto quanto possível. Para a maioria das crianças quanto mais luz melhor

Leia mais

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social

Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social instituto fonte... Buscamos compreender como ocorrem os processos de desenvolvimento humano, organizacional e social e a arte de neles intervir. Buscamos potencializar a atuação de iniciativas sociais,

Leia mais

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo

ANTF. Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens. Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo. Fases do Jogo ANTF Acção de Actualização para Treinadores de Futebol de Jovens Simplificação da Estrutura Complexa do Jogo Fases do Jogo VÍTOR URBANO FASES DO JOGO No Futebol Moderno, todos os jogadores da equipa, sem

Leia mais

2. O que informatizar?

2. O que informatizar? A INFORMÁTICA NO CONSULTÓRIO MÉDICO No fascículo anterior, comentamos como a gestão de custos, mesmo sendo feita de maneira simplista, auxilia o consultório a controlar e avaliar seus resultados, permitindo

Leia mais

Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência

Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência Liga Desportiva de Taekwon-do do Estado de Minas Gerais - LDTEMG Mestre Ronaldo Avelino Xavier Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência Belo Horizonte, 06 de Fevereiro de 2013. Mestre

Leia mais

Educar filhos: cuidar mais do que proteger. Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br

Educar filhos: cuidar mais do que proteger. Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br Educar filhos: cuidar mais do que proteger Júlio Furtado www.juliofurtado.com.br As 4 principais tarefas dos pais DESENVOLVER: 1. Independência emocional 2. Autodisciplina 3. Capacidades 4. Moral Educar

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação

O Valor da TI. Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação O Valor da TI Introduzindo os conceitos do Val IT para mensuração do valor de Tecnologia da Informação 2010 Bridge Consulting

Leia mais

Andragogia, uma estratégia em T&D.

Andragogia, uma estratégia em T&D. Andragogia, uma estratégia em T&D. Por PAULA FRANCO Ensinar exige o reconhecimento de ser condicionado Gosto de gente porque, inacabado, sei que sou um ser condicionado, mas, consciente do inacabamento,

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os

Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os Mesmo em uma construtora de menor porte, o processo de gestão pode ser bastante complexo. Este guia traz dicas de gerenciamento para atingir os melhores resultados. 2 ÍNDICE SOBRE O SIENGE INTRODUÇÃO 01

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Agenda. Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias

Agenda. Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias Agenda Visão Revolução Ágil EduScrum Visão Geral do Método Benefícios Projeto Scrum for Education Sinergias 1 Questão Central Como formar trabalhadores para o Século 21? 2 Visão Desafios do Cenário Atual

Leia mais

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS

Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Transcrição: Perguntas mais frequentes (FAQs) sobre o PDS Modelo operacional Qual é o modelo organizacional do PDS? Trabalhamos bastante para chegar ao modelo organizacional certo para o PDS. E aplicamos

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Manter se limpo na rua

Manter se limpo na rua Manter se limpo na rua Tradução de literatura aprovada pela Irmandade de NA. Copyright 1993 by Narcotics Anonymous World Services, Inc. Todos os direitos reservados Muitos de nós tiveram o primeiro contato

Leia mais

PLANO DE TRABALHO IDOSO

PLANO DE TRABALHO IDOSO PLANO DE TRABALHO IDOSO Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER Afonso

Leia mais

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação

Estratégia de TI. Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio. Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Estratégia de TI Posicionamento Estratégico da TI: como atingir o alinhamento com o negócio 2011 Bridge Consulting Apresentação

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.: 15 DATA: 2012.07.17 ALTERAÇÕES, EMENDAS E CORREÇÕES LEIS DO JOGO DE FUTSAL 2012/13 + DECISÕES IFAB A TODOS OS MEMBROS DA FIFA

COMUNICADO OFICIAL N.: 15 DATA: 2012.07.17 ALTERAÇÕES, EMENDAS E CORREÇÕES LEIS DO JOGO DE FUTSAL 2012/13 + DECISÕES IFAB A TODOS OS MEMBROS DA FIFA ALTERAÇÕES, EMENDAS E CORREÇÕES LEIS DO JOGO DE FUTSAL 2012/13 + DECISÕES IFAB A TODOS OS MEMBROS DA FIFA Zurique, 2 de julho de 2012 Em colaboração com a subcomissão do International Football Association

Leia mais

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS

SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS VISÃO GERAL DE CAPACIDADES SEGURANÇA GLOBAL, GERENCIAMENTO E MITIGAÇÃO DE RISCOS AT-RISK International oferece Análise de Riscos, Proteção, Consultoria, Investigações e Treinamento em Segurança, nas Américas,

Leia mais

Um Guia para Usar Ferramentas de Assessment em Treinamento e Coaching MAIO DE 2014. Você está preparado PARA DISPUTAR COM OS MELHORES?

Um Guia para Usar Ferramentas de Assessment em Treinamento e Coaching MAIO DE 2014. Você está preparado PARA DISPUTAR COM OS MELHORES? Você está preparado PARA DISPUTAR COM OS MELHORES? Um Guia para Usar Ferramentas de Assessment em Treinamento e Coaching PREPARADO PELA TTI SUCCESS INSIGHTS PARA PROFISSIONAIS DE TREINAMENTO E COACHING

Leia mais