Perspectivas do Ensino da Reprodução Animal

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Perspectivas do Ensino da Reprodução Animal"

Transcrição

1 UBI Portugal Perspectivas do Ensino da Reprodução Animal Prof. Dr. Halim Atique Netto

2 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Ciclo Profissionalizante

3 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Abrange animais de companhia, de produção, exóticos e selvagens

4 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Desperta grande interesse dos alunos

5 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Compreende áreas de: Fisiologia LH FSH ESTRÓGENO PROGESTERONA

6 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Compreende áreas de: Clínica (reprodução assistida)

7 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Compreende áreas de: Patologia

8 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Compreende áreas de: Cirurgia

9 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Compreende áreas de: Biotecnologia

10 Reprodução Animal e a Medicina Veterinária ria Áreas bem desenvolvidas nas IES Graduação Residência Pós-graduação Lato sensu e Stricto sensu

11 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas de atuação do médico m veterinário rio Docência Pesquisa e Desenvolvimento

12 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas de atuação do médico m veterinário rio Campo propriedades rurais e agronegócios

13 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas de atuação do médico m veterinário rio Clínicas (reprodução assistida)

14 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas de atuação do médico m veterinário rio Laboratórios rios

15 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas de atuação do médico m veterinário rio Empresas de Biotecnologia

16 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas de atuação do médico m veterinário rio Consultorias

17 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas de atuação do médico m veterinário rio Gerenciamento de projetos

18 Reprodução Animal e o Mercado de Trabalho Áreas não muito desenvolvidas nas IES Graduação Residência Pós-graduação Lato sensu e Stricto sensu

19 Reprodução Animal e a Gestão Interface entre conhecimentos teórico rico- práticos e atuação profissional Gestão da reprodução animal x

20 Reprodução Animal e a Gestão Identificação de cenários Avaliação de facilidades, dificuldades e riscos

21 Reprodução Animal e a Gestão Asbia (2010): doses de sêmen comercializadas no Brasil. 9% das fêmeas em idade reprodutiva foram inseminadas. IBGE (2009): rebanho bovino tem de cabeças, as, cresc.. de 1,5%. Maior rebanho comercial do mundo e livre de aftosa, maior exportador mundial e 2º 2 maior produtor.

22 Reprodução Animal e a Gestão IBGE (2009): Todos os outros rebanhos de grande porte sofreram queda - bubalinos 0,9%, equinos 0,8%, asininos 8,9% e os muares 2,9%. Médio porte suíno 3,3%, caprinos 2% e ovinos 1,1%. Pequeno porte galinha 2,7%, codornas 27,9% e coelhos 10%

23 Reprodução Animal e a Gestão Associação Nacional dos Fabricantes de Produtos para Animais de Estimação (Anfalpet( Anfalpet): mercado pet faturou R$ 11 bilhões no mercado brasileiro em 2010, 20% ração 66%, serviços (banhos, passeios e treinamentos) 20%, equipamentos e acessórios (higiene e embelezamento) 8%, medicamentos veterinários rios 6% A cidade de São Paulo tem mais de Pet Shops e 98 milhões de animais no país

24 Reprodução Animal e a Gestão Estabelecimento de objetivos e metas Análise constante dos resultados.

25 Reprodução Animal e a Gestão Procedimentos gerenciais na reprodução animal Custo de estrutura, equipamentos e insumos R$ 4.500,00 R$ ,00 R$ ,00

26 Reprodução Animal e a Gestão Procedimentos gerenciais na reprodução animal Custo de mão-de de-obra (qualificada e não)

27 Reprodução Animal e a Gestão Procedimentos gerenciais na reprodução animal Observação e cumprimento de legislação e normas reguladoras

28 Reprodução Animal e a Gestão Procedimentos gerenciais na reprodução animal Perspectivas de ganho e remuneração

29 Reprodução Animal e a Gestão Procedimentos gerenciais na reprodução animal Custo/Valor hora homem trabalhada Tercerização x Contratação Sinpavet: : 30h/sem 6 salários mínimosm R$ 3.270,00 40h/sem 8,5 salários mínimosm R$ 4.632,50 44h/sem 9,15 salários mínimosm R$ 4.986,75

30 Reprodução Animal e a Gestão Procedimentos gerenciais na reprodução animal Capacidade de crescimento e expansão

31 Reprodução Animal e a Gestão Estratégias de implementação de novas áreas de atuação Acompanhamento de fusões e aquisições Avaliação do momento de associações e/ou vendas

32 Conclusões O ensino da reprodução animal é constantemente atualizado pelas inovações técnicas, t científicas e mercadológicas da área. É preciso aproximar as empresas e o mercado da reprodução animal a fim de complementá-la. la. Os alunos de reprodução animal, em nível n de graduação e pós-graduap graduação tem que ser apresentados à Reprodução Animal inserida nos vários v contextos.

33 Muito obrigado!!! Contatos: Hospital Veterinário rio UNIRP Rod. BR 153, Km 69 fone (17) Laboratório rio FertVitro Rod. BR 153, Km 69 fone (17)

Medicina Veterinária: Gestão de Carreira e Perspectivas de Mercado

Medicina Veterinária: Gestão de Carreira e Perspectivas de Mercado Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS Medicina Veterinária: ria: Gestão de Carreira e Perspectivas de Mercado Conselho Regional de Medicina Veterinária do RS BOA TARDE! Conselho Regional de Medicina

Leia mais

HOSPITAL VETERINÁRIO

HOSPITAL VETERINÁRIO HOSPITAL VETERINÁRIO Histórico O curso de Graduação em Medicina Veterinária na Universidade Estadual de Londrina se iniciou em 1973 com o vestibular e a 1ª turma de 2 alunos. Até a 3ª turma o número de

Leia mais

Fonte: USDA (2014) *Previsão para 2014 (Fonte: FAO)

Fonte: USDA (2014) *Previsão para 2014 (Fonte: FAO) 1 Fonte: USDA (2014) *Previsão para 2014 (Fonte: FAO) 2 Produtividade de leite Países selecionados (litros/vaca/dia) Produtividade em 2011 (litros/vaca/dia) 27,7 25,9 24,1 Aumento de Produtividade 2011-2014

Leia mais

Pecuaristas investem em inseminação artificial para garantir produtividade do gado

Pecuaristas investem em inseminação artificial para garantir produtividade do gado Pecuaristas investem em inseminação artificial para garantir produtividade do gado Alta ministra cursos em vários Estados Brasileiros. São Paulo, 18 de agosto de 2015 De acordo com informações da FAO -

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DAS DENOMINAÇÕES DE ÁREAS E SUBÁREAS DOS PRMV. Carlos Afonso de Castro Beck CNRMV

PADRONIZAÇÃO DAS DENOMINAÇÕES DE ÁREAS E SUBÁREAS DOS PRMV. Carlos Afonso de Castro Beck CNRMV PADRONIZAÇÃO DAS DENOMINAÇÕES DE ÁREAS E SUBÁREAS DOS PRMV Carlos Afonso de Castro Beck CNRMV Dificuldades observadas em relação às denominações de Áreas e/ou Subáreas de PRMV estabelecidas pelas IES Na

Leia mais

HOSPITAL VETERINÁRIO

HOSPITAL VETERINÁRIO HOSPITAL VETERINÁRIO Histórico O HV iniciou suas atividades em 0909/76, sendo reconhecido como Órgão Suplementar da UEL em 07/06/78 pela Resolução CU 467/78. Sua estrutura administrativa foi criada através

Leia mais

ALTA GENETICS BATE NOVO RECORDE COM 3 MILHÕES DE SÊMEN BOVINO VENDIDOS EM 2011

ALTA GENETICS BATE NOVO RECORDE COM 3 MILHÕES DE SÊMEN BOVINO VENDIDOS EM 2011 São Paulo, dezembro de 2011 ALTA GENETICS BATE NOVO RECORDE COM 3 MILHÕES DE SÊMEN BOVINO VENDIDOS EM 2011 Faturamento no Brasil deve crescer 20% em 2011, alcançando R$60milhões A Alta Genetics bate novo

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL

APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL APRESENTAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO OCUPACIONAL A Agência de Certificação Ocupacional (ACERT) é parte integrante da Fundação Luís Eduardo Magalhães (FLEM) Centro de Modernização e Desenvolvimento da Administração

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS - Campus Zona Leste

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS - Campus Zona Leste INSTITUTO FEDERAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO AMAZONAS - Campus Zona Leste CICLO DE FUNDAMENTAÇÃO 1º. Semestre Semestre 442 h/ semanal 26 h EIXO TEMÁTICO Eixo DISCIPLINAS disciplinas Tipo INTRODUÇÃO A ATIVIDADE

Leia mais

Manual de Legislação. manual técnico

Manual de Legislação. manual técnico Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Secretaria de Defesa Agropecuária Departamento de Saúde Animal Manual de Legislação PROGRAMAS NACIONAIS DE SAÚDE ANIMAL DO BRASIL manual técnico Missão

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS DISCIPLINA UNIDADE PRÉ-REQUISITO CH SEMANAL CH SEMESTRAL TEO PRA TEO PRA 1. Administração Rural EA Economia Rural 2 1 32 16 48

Leia mais

Oportunidades da Agropecuária Brasileira

Oportunidades da Agropecuária Brasileira Oportunidades da Agropecuária Brasileira Carne sustentável para o mundo Buenos Aires, 28 de setembro de 2010 SANIDADE ANIMAL BEM ESTAR ANIMAL PRESERVAÇÃO AMBIENTAL RASTREABILIDADE 1 O governo brasileiro

Leia mais

LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO LINHAS DE PESQUISA EMPREENDEDORISMO, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Nos países desenvolvidos e, em menor grau, nos países em desenvolvimento, assiste-se ao surgimento de padrões tecno-econômicos onde os resultados

Leia mais

SEGURANÇA ALIMENTAR. b) Nota de rodapé 3: que outros produtos pode o produtor fornecer para além dos ovos, leite cru e mel?

SEGURANÇA ALIMENTAR. b) Nota de rodapé 3: que outros produtos pode o produtor fornecer para além dos ovos, leite cru e mel? 27.11.2014 SEGURANÇA ALIMENTAR Requisitos relativos à produção animal Questão 1 Relativamente ao indicador 1.1 da Área n.º 2 do Ato 12 do Aviso n.º 8269/2010 Existência de registo atualizado de tipo documental,

Leia mais

Árvore da informação do agronegócio do leite. identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite

Árvore da informação do agronegócio do leite. identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite Árvore da informação do agronegócio do leite identificação animal e rastreamento da produção de bovinos de leite 1. Introdução Claudio Nápolis Costa 1 A exposição dos mercados dos diversos países às pressões

Leia mais

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil Revista Ovinos, Ano 4, N 12, Porto Alegre, Março de 2008. Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil João Garibaldi Almeida Viana 1 Os ovinos foram uma das primeiras espécies de animais domesticadas

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE Tab 220 - Censo Agropecuário 2006 - Resultados Preliminares Descrição Valor Unidade Número de estabelecimentos agropecuários 2052 Estabelecimentos Área dos estabelecimentos agropecuários Número de estabelecimentos

Leia mais

Brasil: Produção, Consumo e Exportações de Carne Bovina Projeção: 2012 a 2022

Brasil: Produção, Consumo e Exportações de Carne Bovina Projeção: 2012 a 2022 34ª Reunião Ordinária ria da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Propostas para o Plano Agrícola e Pecuário 2013/2014 Paulo Mustefaga economista, assessor técnico/cna Brasília, 25 de março

Leia mais

HORÁRIO MEDICINA VETERINÁRIA

HORÁRIO MEDICINA VETERINÁRIA HORÁRIO MEDICINA VETERINÁRIA 2º PERÍODO LETIVO/2014 EIXOS TEMÁTICOS Prof. Dra. Ana Sílvia Sardinha Ribeiro (ana.ribeiro@ufra.edu.br) Coordenadora do Prof. Dra. Andréa Maria Goés Negrão Sub-Coordenadora

Leia mais

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014

Leite. A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades. relatório de inteligência. Abril 2014 Leite relatório de inteligência Abril 2014 A utilização de softwares no gerenciamento produtivo de pequenas propriedades A rotina em uma propriedade leiteira exige acompanhamento e atenção em todos os

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 580, DE 2015 (Do Sr. João Campos)

PROJETO DE LEI N.º 580, DE 2015 (Do Sr. João Campos) *C0051825A* C0051825A CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 580, DE 2015 (Do Sr. João Campos) Dispõe sobre a regulamentação da profissão de vaqueiro DESPACHO: ÀS COMISSÕES DE: SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA;

Leia mais

PRMV AVALIAÇÃO - RESULTADO E REPERCUSSÃO. Prof. Dr. Eduardo Harry Birgel Realização da CNRMV do CFMV São Paulo 16 e 17 de junho de 2008

PRMV AVALIAÇÃO - RESULTADO E REPERCUSSÃO. Prof. Dr. Eduardo Harry Birgel Realização da CNRMV do CFMV São Paulo 16 e 17 de junho de 2008 PRMV AVALIAÇÃO - RESULTADO E REPERCUSSÃO. Prof. Dr. Eduardo Harry Birgel Realização da CNRMV do CFMV São Paulo 16 e 17 de junho de 2008 1 O Sistema de Avaliação dos PRMV COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA

Leia mais

SENADO FEDERAL. PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 94, DE 2013 (Complementar)

SENADO FEDERAL. PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 94, DE 2013 (Complementar) SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 94, DE 2013 (Complementar) O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei Complementar n 116, de 31 de julho de 2003, para aplicar a não incidência do Imposto Sobre

Leia mais

A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações. Visão do Campo

A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações. Visão do Campo A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações Visão do Campo METROALIMENTOS 2008 24/09/2008 José Luiz Viana de Carvalho OBJETIVOS Barreiras não-tarifárias Boas

Leia mais

Programa de Desenvolvimento da Ovinocultura Gaúcha

Programa de Desenvolvimento da Ovinocultura Gaúcha Programa de Desenvolvimento da Ovinocultura Gaúcha Projeto de Capacitação Técnica/Gerencial para Produtores Rurais Brasília, 19 de Setembro de 2012 OBJETIVO GERAL Melhorar os índices zootécnicos e econômicos

Leia mais

B. Braun Avitum. Fornecedora de Sistemas em Terapia de Substituição Renal. Avitum

B. Braun Avitum. Fornecedora de Sistemas em Terapia de Substituição Renal. Avitum B. Braun Avitum Fornecedora de Sistemas em Terapia de Substituição Renal Avitum B. Braun Avitum. Sempre com Paixão. Paixão pela Vida Pois fazer a vida ficar melhor é o melhor de tudo Pois não há nada melhor

Leia mais

Curriculum Vitae. Formação Acadêmica Pós Graduação (Mar. 2013 à Dez. 2014) Produção e Nutrição de Ruminantes na ESALQ/USP. Piracicaba - SP.

Curriculum Vitae. Formação Acadêmica Pós Graduação (Mar. 2013 à Dez. 2014) Produção e Nutrição de Ruminantes na ESALQ/USP. Piracicaba - SP. Curriculum Vitae Dados Pessoais Felipe da Costa Marão Alfagali Brasileiro, Solteiro Nasc.: 01/03/1985 Cel: (37) 99906-5565 Recados (fixo): (37) 3522-2218 - Hotel Fazenda Mata do Tio João, falar com Lyvia

Leia mais

PORTFÓLIO ABINPET UNIDADE INTELIGÊNCIA DE MERCADO 2014 Bruno

PORTFÓLIO ABINPET UNIDADE INTELIGÊNCIA DE MERCADO 2014 Bruno PORTFÓLIO ABINPET UNIDADE INTELIGÊNCIA DE MERCADO 2014 Bruno São Paulo,26 de Março de 2014 Prezado(a) Bruno, Ref. Portfólio Abinpet/2014 Com o intuito de apresentar o nosso portfólio da Unidade de Inteligência

Leia mais

LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007

LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007 LEI Nº 7.043, DE 8 DE OUTUBRO DE 2007 Publicada no DOE(Pa) de 09.10.07. Dispõe sobre Política Estadual para a Promoção do Uso de Sistemas Orgânicos de Produção Agropecuária e Agroindustrial. Lei: A ASSEMBLÉIA

Leia mais

Figura 1 - Precipitação pluviométrica acumulada - Brasil - 2011

Figura 1 - Precipitação pluviométrica acumulada - Brasil - 2011 Comentários pecuária brasileira, no ano de 2011, foi afetada pelo agravamento da A crise de algumas das mais importantes economias mundiais, sobretudo a europeia. Como reflexo da desaceleração econômica

Leia mais

AGRIFAM 2014 01 A 03 DE AGOSTO DE 2014

AGRIFAM 2014 01 A 03 DE AGOSTO DE 2014 AGRIFAM 2014 01 A 03 DE AGOSTO DE 2014 REGULAMENTO ANIMAL CAPÍTULO I DA FEIRA E SUAS FINALIDADES Artigo I A AGRIFAM 2014 Feira da Agricultura Familiar e do Trabalhador Rural - será realizada sob o auspício

Leia mais

Capítulo 2. Carnes e miudezas, comestíveis

Capítulo 2. Carnes e miudezas, comestíveis Capítulo 2 Carnes e miudezas, comestíveis Nota. 1.- O presente Capítulo não compreende: a) No que diz respeito às posições 02.01 a 02.08 e 02.10, os produtos impróprios para a alimentação humana; b) As

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE RAÇÕES Agosto/15 Análise de Competitividade Rações Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da competitividade

Leia mais

Mercado da Cadeia Pecuaria Bovina. R$ 330 bilhões = US$ 165 bilhões <8% do PIB

Mercado da Cadeia Pecuaria Bovina. R$ 330 bilhões = US$ 165 bilhões <8% do PIB CONGRESSO INTERNACIONAL DA CARNE Goiânia GO 26/06/2013 Mercado da Cadeia Pecuaria Bovina R$ 330 bilhões = US$ 165 bilhões

Leia mais

MEDICINA VETERINÁRIA 1º SEMESTRE 2013

MEDICINA VETERINÁRIA 1º SEMESTRE 2013 HORÁRIO 07:00 07:50 MEDICINA VETERINÁRIA 1º PERÍODO DIURNO Metodologia do Trabalho Científico (Fábio Lacerda) T/B T/B Anatomia I T/A (Rodolfo) Anatomia I T/A (Rodolfo) Epidemiologia (Regina Silva) Epidemiologia

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

MELHORAMENTO ANIMAL II Código: DP0034. Prof. Eduardo Brum Schwengber

MELHORAMENTO ANIMAL II Código: DP0034. Prof. Eduardo Brum Schwengber MELHORAMENTO ANIMAL II Código: DP0034 Prof. Eduardo Brum Schwengber I EMENTA Principais programas de melhoramento genético utilizados nas diferentes criações de animais domésticos: Melhoramento de bovinos

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Agrárias Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias

Ministério da Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Agrárias Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias Ministério da Educação Universidade Federal do Paraná Setor de Ciências Agrárias Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias EDITAL DO PROCESSO SELETIVO PARA MESTRADO O Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Legislação Sanitária (sistema SUASA SISBI) FFA Suzane Bittencourt

Legislação Sanitária (sistema SUASA SISBI) FFA Suzane Bittencourt Legislação Sanitária (sistema SUASA SISBI) FFA Suzane Bittencourt SUASA DISPÕE SOBRE A POLITICA AGRICOLA Fixa os fundamentos, define os objetivos e as competências institucionais, prevê os recursos e estabelece

Leia mais

INTERAÇÃO HOMEM x ANIMAL SOB A PERSPECTIVA DO PRODUTOR RURAL ESTUDO PRELIMINAR. ¹ Discente de Medicina Veterinária UNICENTRO

INTERAÇÃO HOMEM x ANIMAL SOB A PERSPECTIVA DO PRODUTOR RURAL ESTUDO PRELIMINAR. ¹ Discente de Medicina Veterinária UNICENTRO INTERAÇÃO HOMEM x ANIMAL SOB A PERSPECTIVA DO PRODUTOR RURAL ESTUDO PRELIMINAR Carolina REMLINGER 1, karorem@hotmail.com, Raphaéli Siqueira BAHLS Raphabahls@hotmail.com 1 Felipe Lopes CAMPOS², campos.79@gmail.com

Leia mais

Seminário Internacional sobre Diretivas WEEE e RoHS Iniciativas para mobilização do setor. Palestrante: Edson Vieira Coordenador de Eletromédicos

Seminário Internacional sobre Diretivas WEEE e RoHS Iniciativas para mobilização do setor. Palestrante: Edson Vieira Coordenador de Eletromédicos Seminário Internacional sobre Diretivas WEEE e RoHS Iniciativas para mobilização do setor Palestrante: Edson Vieira Coordenador de Eletromédicos Fevereiro de 2011 A ABIMO Associação Brasileira da Indústria

Leia mais

ÁREAS DE ESTÁGIO. O aluno poderá dar maior ênfase a uma determinada opção, dentro da área ou entre áreas, COM MÁXIMO DE 40% DA CARGA HORÁRIA.

ÁREAS DE ESTÁGIO. O aluno poderá dar maior ênfase a uma determinada opção, dentro da área ou entre áreas, COM MÁXIMO DE 40% DA CARGA HORÁRIA. FACULDADE DE VETERINÁRIA COORDENAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA VETERINÁRIA DISCIPLINA DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM MEDICINA VETERINÁRIA ÁREAS DE ESTÁGIO OBSERVAÇÕES GERAIS O aluno poderá dar maior

Leia mais

HORÁRIO DE MEDICINA VETERINÁRIA 2º semestre de 2015

HORÁRIO DE MEDICINA VETERINÁRIA 2º semestre de 2015 HORÁRIO DE MEDICINA 2º semestre de 2015 1 º PERÍODO CITOLOGIA E T GREGÓRIO ALMEIDA CITOLOGIA E T LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS DARLAN ROBERTO LEITURA E INTERPRETAÇÃO DE TEXTOS INTRODUÇÃO À MEDICINA,

Leia mais

TAXAS TAXA DE LICENÇA DE LOCALIZAÇÃO, INSTALAÇÃO, FUNCIONAMENTO E FISCALIZAÇÃO TLIF

TAXAS TAXA DE LICENÇA DE LOCALIZAÇÃO, INSTALAÇÃO, FUNCIONAMENTO E FISCALIZAÇÃO TLIF TAXAS TAXA DE LICENÇA DE LOCALIZAÇÃO, INSTALAÇÃO, FUNCIONAMENTO E FISCALIZAÇÃO TLIF INCIDÊNCIA A Taxa de Licença de Localização, Instalação, Funcionamento e Fiscalização TLIF, é devida em decorrência do

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL

PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL A Tecnologia Italiana a favor da Indústria Alimentar Brasileira Apresentação CIBUS Brasil - 21/11/2002 - Presiden/Tecnologia Italiana 1 I - INTRODUÇÃO

Leia mais

INFORMATIVO PRODUÇÃO ANIMAL. N o

INFORMATIVO PRODUÇÃO ANIMAL. N o INFORMATIVO PRODUÇÃO ANIMAL N o 01-2015 Informativo da Produção Animal, com base na Pesquisa Pecuária Municipal, IBGE (2014) Animais de Grande Porte São os bovinos (bois e vacas); bubalinos (búfalos e

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLNIZA

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLNIZA 1 LEI Nº 007/2001 DISPÕE SOBRE O PLANO PLURIANUAL DO MUNICÍPIO DE COLNIZA, PARA O PERÍODO DE 2001 A 2005 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS A Sra. NELCI CAPITANI, Prefeita Municipal de Colniza, Estado de Mato Grosso,

Leia mais

Desafios e Oportunidades associados ao Cadastro Ambiental Rural (CAR)

Desafios e Oportunidades associados ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) Desafios e Oportunidades associados ao Cadastro Ambiental Rural (CAR) Índice Agronegócio Brasileiro Seguro Rural e Evolução do Mercado Programa de Subvenção Visão da Seguradora - Sustentabilidade Conclusão

Leia mais

A A transversalidade da Saúde Ambiental na formação do Médico Veterinário

A A transversalidade da Saúde Ambiental na formação do Médico Veterinário XIX Seminário Nacional de Ensino de Medicina Veterinária A A transversalidade da Saúde Ambiental na formação do Médico Veterinário Dr. Luciano Menezes Ferreira Comissão Nacional de Saúde Ambiental (CNSA)

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIAS APLICADAS À SAÚDE

MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIAS APLICADAS À SAÚDE MESTRADO PROFISSIONAL EM CIÊNCIAS APLICADAS À SAÚDE INFORMAÇÕES GERAIS SOBRE O CURSO 1. Recomendação pela Capes com nota 4. 2. Objetivo geral: formar profissionais qualificados para o mercado de trabalho,

Leia mais

Republica de Angola Ministério da Agricultura Instituto dos Serviços de Veterinária

Republica de Angola Ministério da Agricultura Instituto dos Serviços de Veterinária Republica de Angola Ministério da Agricultura Instituto dos Serviços de Veterinária REUNIÃO DOS DIRECTORES DE PRODUÇÃO ANIMAL, RECURSOS ANIMAIS EM AFRICA de 14 15 de Abril de 2013 - ABIDJAN, CÔTE D IVOIRE

Leia mais

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda

Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda São Paulo, 12 março de 2014 Curso de inseminação artificial da Alta dá dicas de como aumentar a rentabilidade em sua fazenda Suprir a demanda de mercado com produtos de qualidade e sustentáveis. Este é

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 1, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de graduação em Engenharia

Leia mais

$ $ $ $ CRECHE DE CÃES: ANÁLISE ESTRATÉGICA PARA IMPLEMENTAÇÃO DE NEGOCIO Monica Alejandra Noemi Romero Claudia Francis Vieira Ana Maria Ferreira

$ $ $ $ CRECHE DE CÃES: ANÁLISE ESTRATÉGICA PARA IMPLEMENTAÇÃO DE NEGOCIO Monica Alejandra Noemi Romero Claudia Francis Vieira Ana Maria Ferreira XXVIENANGRAD CRECHE DE CÃES: ANÁLISE ESTRATÉGICA PARA IMPLEMENTAÇÃO DE NEGOCIO Monica Alejandra Noemi Romero Claudia Francis Vieira Ana Maria Ferreira FOZDOIGUAÇU,2015 TGA%TeoriaGeraldaAdministração CRECHEDECÃES:

Leia mais

TRABALHO FINAL GADO RASTREADO

TRABALHO FINAL GADO RASTREADO Universidade de São Paulo Escola Politécnica MBA - Gestão e Engenharia de Produtos EP-018 O produto Internet e suas aplicações TRABALHO FINAL GADO RASTREADO A tecnologia do Rastreamento de Gado e as possibilidades

Leia mais

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004

EXIGÊNCIAS PARA TRÂNSITO DE ANIMAIS MATO GROSSO DO SUL - 2004 1. ANIMAIS AQUÁTICOS (PEIXES, MOLUSCOS E CRUSTÁCEOS EM QUALQUER FASE DE DESENVOLVIMENTO: ALEVINOS, ISCAS, LARVAS, ETC) Trânsito de espécies cultivadas (nativas e exóticas) Trânsito de espécies coletadas

Leia mais

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014

Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular. J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 Engenheiro Agrônomo: Atribuições profissionais e matriz curricular J.O. Menten T.C. Banzato UFPB Areia/PB 27 a 30 de Outubro de 2014 1. INTRODUÇÃO AGENDA 2. ATRIBUIÇÕES PROFISSIONAIS 3. MATRIZ CURRICULAR

Leia mais

RAZÕES PARA O SEU PETSHOP CRESCER APOSTANDO NAS 5REDES SOCIAIS

RAZÕES PARA O SEU PETSHOP CRESCER APOSTANDO NAS 5REDES SOCIAIS apresentação O mercado de produtos e serviços para os pets está em grande expansão no Brasil, o que traz diversas oportunidades para a sua empresa crescer. Com este material, você vai descobrir como é

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS. IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013

GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS. IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013 GESTÃO ESTRATÉGICA X RESULTADOS IV CURSO DE GESTÃO DE QUALIDADE BOS SOROCABA 25 de Outubro de 2013 Pode dizer-me que caminho devo tomar? Isto depende do lugar para onde você quer ir. (Respondeu com muito

Leia mais

1º Encontro sobre Licenciamento Ambiental Municipal para Oficinas e Coligados. Fortaleza, 18 de Dezembro de 2015

1º Encontro sobre Licenciamento Ambiental Municipal para Oficinas e Coligados. Fortaleza, 18 de Dezembro de 2015 1º Encontro sobre Licenciamento Ambiental Municipal para Oficinas e Coligados Fortaleza, 18 de Dezembro de 2015 BioSfor PROFIAUTOS Objetivo do Evento: Promover a disseminação das diretrizes do processo

Leia mais

Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal SISBI-POA / SUASA. SISBI e o acesso ao mercado nacional: uma questão de qualidade

Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal SISBI-POA / SUASA. SISBI e o acesso ao mercado nacional: uma questão de qualidade Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal SISBI-POA / SUASA SISBI e o acesso ao mercado nacional: uma questão de qualidade Um Sistema em Construção Integração dos Serviços de Inspeção

Leia mais

A Responsabilidade Social da Universidade como Ferramenta de Desenvolvimento Local: o caso da Universidade de Fortaleza

A Responsabilidade Social da Universidade como Ferramenta de Desenvolvimento Local: o caso da Universidade de Fortaleza A Responsabilidade Social da Universidade como Ferramenta de Desenvolvimento Local: o caso da Universidade de Fortaleza Carla Susana da Encanação Marques UTAD Portugal Randal Martins Pompeu UNIFOR Brasil

Leia mais

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO.

RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. RESÍDUO SÓLIDO: UM PROBLEMA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICO. POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS LEI Nº 12.305/2010 DECRETO Nº 7.404/2010 O QUE MUDA COM A LEI 12.305/2010? Lixões a céu aberto e aterros

Leia mais

Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP REGULAMENTO DE APRENDIZAGEM EM ATIVIDADES VETERINÁRIAS DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP REGULAMENTO DE APRENDIZAGEM EM ATIVIDADES VETERINÁRIAS DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Universidade Estadual do Norte do Paraná - UENP Decreto Estadual nº 3909, publicado no Diário Oficial do Estado do Paraná em 01/12/08 Campus Luiz M eneghel Bandeirantes CNPJ 08.885.100/0004-05 REGULAMENTO

Leia mais

sociais (7,6%a.a.); já os segmentos que empregaram maiores contingentes foram o comércio de mercadorias, prestação de serviços e serviços sociais.

sociais (7,6%a.a.); já os segmentos que empregaram maiores contingentes foram o comércio de mercadorias, prestação de serviços e serviços sociais. CONCLUSÃO O Amapá tem uma das menores densidades populacionais, de cerca de 2,6 habitantes por km 2. Em 1996, apenas três de seus 15 municípios possuíam população superior a 20 mil habitantes e totalizavam

Leia mais

Plataforma de Gestão Agropecuária PGA

Plataforma de Gestão Agropecuária PGA Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plataforma de Gestão Agropecuária PGA Módulo de Rastreabilidade SISBOV e Protocolos Dezembro de 2013 Histórico 2007/novembro - DG-SANCO/UE restringe as

Leia mais

Sistema de Defesa Agropecuária - Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural)

Sistema de Defesa Agropecuária - Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural) Instruções para Impressão de e-gta para Equinos (Produtor Rural) A Tabela 1 apresenta os tipos de lançamentos e finalidades de movimentações disponíveis para os produtores/possuidores de eqüídeos. Espécie

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL PRPG 009 /2013

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL PRPG 009 /2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO Universidade Federal de Lavras Caixa Postal 3037 Campus UFLA Lavras MG CEP: 37.200-000 - Tel.: (35) 3829-1126 E-mail:

Leia mais

EXIGÊNCIAS CONSTANTES NA RESOLUÇÃO 005 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2011.

EXIGÊNCIAS CONSTANTES NA RESOLUÇÃO 005 DE 4 DE FEVEREIRO DE 2011. AGÊNCIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DO PARANÁ DIRETORIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA GERÊNCIA DE SAÚDE ANIMAL UNIDADE REGIONAL DE SANIDADE AGROPECUÁRIA UNIDADE LOCAL DE SANIDADE AGROPECUÁRIA LONDRINA - PARANÁ EXIGÊNCIAS

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE CONSTRUTORA QUEIROZ GALVÃO Sobre o relatório O Relatório Anual Queiroz Galvão 2012 inspira-se, pelo segundo ano consecutivo, nas diretrizes da metodologia Global Reporting

Leia mais

Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia - 2002-2012

Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia - 2002-2012 GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão- SEPOG Gerência do Observatório e Desenvolvimento Regional - GODR Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg

Agricultura: Convencional. Produto Min. Max Mais Freq. Max Freq. Freq. Freq. Freq. Freq. Pag.: 1 / 6. UNI= /kg Produto Min. Mais AVES FRANGO (+ 1.300 Kg.) AVES FRANGO (1.100-1.300 Kg.) AVES FRANGO (600-700 g.) AVES FRANGO (700-900 g.) AVES FRANGO (900 g. - 1.100 Kg.) BOVINO BOVINO BOVINO PESO BOVINO BOVINO BOVINO

Leia mais

ACoordenação da Pós-Graduação da Faculdade São Luís

ACoordenação da Pós-Graduação da Faculdade São Luís O PROFISSIONAL-PESQUISADOR. O PERFIL ATUAL DA PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE SÃO LUÍS Mônica Cairrão Rodrigues* ACoordenação da Pós-Graduação da Faculdade São Luís acredita que o diferencial na postura do

Leia mais

Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico)

Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico) Rastreabilidade bovina: do campo ao prato - uma ferramenta a serviço da segurança alimentar Taulni Francisco Santos da Rosa (Chico) Coordenador Agricultural Services SGS do Brasil Ltda. O que é Rastreabilidade?

Leia mais

O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO DE SEMENTES FORRAGEIRAS

O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO DE SEMENTES FORRAGEIRAS O COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO DE SEMENTES FORRAGEIRAS Tomás Lérisson da Silva Augusto Hauber Gameiro 1. INTRODUÇÃO A semente forrageira tem amparo legal conforme a Lei n o 10.711, de 05 de agosto de 2003

Leia mais

FACULDADE DOUTOR FRANCISCO MAEDA CURSO: Medicina Veterinária NÍVEL: CICLO: 1º. ANO: 1º. sem/2016

FACULDADE DOUTOR FRANCISCO MAEDA CURSO: Medicina Veterinária NÍVEL: CICLO: 1º. ANO: 1º. sem/2016 CURSO: Medicina Veterinária NÍVEL: CICLO: 1º. ANO: 1º. sem/2016 Bioestatística Leitura, redação e Anat. I - prática C Anatom. descrit. An. Profa. Rosângela interpretação de texto domésticos I teórica Química

Leia mais

DADOS POPULACIONAIS DO REBANHO OVINO GAÚCHO

DADOS POPULACIONAIS DO REBANHO OVINO GAÚCHO DADOS POPULACIONAIS DO REBANHO OVINO GAÚCHO Diego Viali dos Santos, MSc., médico veterinário do Serviço de Epidemiologia e Estatística (SEE) da Divisão de Fiscalização e Defesa Sanitária Animal (DFDSA)

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Matriz Curricular válida para os acadêmicos ingressantes

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO ABASTECIMENTO E REFORMA AGRÁRIA

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO ABASTECIMENTO E REFORMA AGRÁRIA MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, DO ABASTECIMENTO E REFORMA AGRÁRIA SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA DEPARTAMENTO DE DEFESA ANIMAL PORTARIA N.º 162, DE 18 DE OUTUBRO DE 1994 O SECRETÁRIO DE DEFESA AGROPECUÁRIA,

Leia mais

FUNDAÇÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA GUAMÁ

FUNDAÇÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA GUAMÁ ANEXO I ATO CONVOCATÓRIO Nº 002/2012 TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO: Contratação de Empresa para Recrutamento, Seleção e Contratação de Pessoal para Treinamento, Capacitação e Consultoria à Fundação de Ciência

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL

A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL Jonas Irineu dos Santos Filho Pesquisador da Embrapa Suínos e Aves O consumo de proteína animal no mundo

Leia mais

Dr. Carlos Alexandre Geyer. Diretor Presidente da ALANAC

Dr. Carlos Alexandre Geyer. Diretor Presidente da ALANAC Dr. Carlos Alexandre Geyer Diretor Presidente da ALANAC São Paulo, 01 de março de 2010 Associação dos Laboratórios Farmacêuticos Nacionais Desde 1983 Laboratórios de Capital Nacional 36 FABRICANTES: Similar

Leia mais

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO

EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO 1 de 6 EDITAL DE ABERTURA DE PROCESSO SELETIVO A Coordenação do (PPGZ) da UFPR comunica a abertura de processo seletivo para preenchimento de 13 vagas para o curso de Doutorado stricto sensu e 26 vagas

Leia mais

PROGRAMA LEITE. Programa de Incentivo à Produção e ao Consumo de Leite É VIDA

PROGRAMA LEITE. Programa de Incentivo à Produção e ao Consumo de Leite É VIDA PROGRAMA LEITE É VIDA Programa de Incentivo à Produção e ao Consumo de Leite HISTÓRICO O Governo do Maranhão em suas ações de políticas públicas, implantou em setembro de 1995 o Programa de alimentação

Leia mais

Centro Universitário Serra dos Órgãos Gerência de Comunicação e Marketing

Centro Universitário Serra dos Órgãos Gerência de Comunicação e Marketing Centro Universitário Serra dos Órgãos Gerência de Comunicação e Marketing DEZEMBRO 2012 /JANEIRO 2013 Unifeso lança novo curso de pósgraduação Postado em 17 dezembro 2012. Tags: ambulatórios,

Leia mais

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa

MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento. Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa MANEJO DE BOVINOS DE CORTE Confinamento Prof : Ricardo Alexandre Silva Pessoa Julho/2013 1 Confinamento - sistema de criação onde lotes de animais são encerrados em piquetes ou currais com área restrita

Leia mais

PROCESSO DE AUTO AVALIAÇÃO FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS - QUADRO RESUMO

PROCESSO DE AUTO AVALIAÇÃO FACULDADE DE DIREITO DO SUL DE MINAS - QUADRO RESUMO AVALIAÇÃO E ACOMPANHAMENTO DO DESEMPENHO INSTITUCIONAL 3.1 Objetivos e Metas Específicos para Avaliação e Acompanhamento do Desempenho Institucional O Programa de Avaliação Institucional resulta de um

Leia mais

PROJETO DE ACOMPANHAMENTO CLÍNICO E CIRÚRGICO EM GRANDES ANIMAIS

PROJETO DE ACOMPANHAMENTO CLÍNICO E CIRÚRGICO EM GRANDES ANIMAIS PROJETO DE ACOMPANHAMENTO CLÍNICO E CIRÚRGICO EM GRANDES ANIMAIS Área Temática: Trabalho Joandes Henrique Fonteque 1 (Coordenador da Ação de Extensão) Arthur Petroli 2 Josiane Olivo Bongiolo 3 Palavras

Leia mais

Estratégia Setorial para atuação do Juntos Para Competir em Ovinocultura.

Estratégia Setorial para atuação do Juntos Para Competir em Ovinocultura. Estratégia Setorial para atuação do Juntos Para Competir em Ovinocultura. ROBERTO GRECELLÉ Coordenador Estadual de Pecuária de Corte Agronegócios SEBRAE -RS, novembro 2014. 1 contexto Partindo do pressuposto

Leia mais

EXPORTAÇÕES Definição

EXPORTAÇÕES Definição EXPORTAÇÕES Definição CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTE: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas, 2004. 9.1 Exportações - Definição

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado

CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado CATÁLOGO DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - Bacharelado ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Educação Física - Área de Saúde e Qualidade de Vida - Bacharelado Nome da Mantida: Centro Universitário de Rio Preto

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 5, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 5, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 5, DE 2 DE FEVEREIRO DE 2006 1 Institui as Diretrizes Curriculares para o curso de graduação em Engenharia

Leia mais

ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP

ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP Apresentação ENGENHARIA AGRONÔMICA - USP A Agronomia está intimamente ligada à produção de alimentos, sejam estes de origem animal ou vegetal. Compete ao Engenheiro Agrônomo produzir, conservar, transformar

Leia mais

Avaliação dos Mestrados Profissionais

Avaliação dos Mestrados Profissionais COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR Avaliação dos Mestrados Profissionais 4º Encontro de Coordenadores de Mestrado Profissional Belém, 15 de setembro de 2011 Mestrado Profissional:

Leia mais

Controle e Gestão de processos industriais Case:

Controle e Gestão de processos industriais Case: Controle e Gestão de processos industriais Case: Core Business Soluções para controle e gestão de processos. A pluralidade de conhecimentos dos profissionais da Libracom permite ir mais longe na busca

Leia mais

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San. daniel.san@lasalle.org.br

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San. daniel.san@lasalle.org.br GEOGRAFIA Prof. Daniel San daniel.san@lasalle.org.br Porto Alegres GEOGRAFIA AGRÁRIA PÁG. 117 a 129 do livro. 375 a 388 Em 1970, a revolução verde foi um verdadeiro boom na produção de alimentos. Hoje,

Leia mais

INTERNACIONAL: DESAFIOS SOB A VISÃO DA ACADEMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA

INTERNACIONAL: DESAFIOS SOB A VISÃO DA ACADEMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA I.F.R.S - CONVERGÊNCIA INTERNACIONAL: DESAFIOS SOB A VISÃO DA ACADEMIA E DA PROFISSÃO CONTÁBIL PROF. DR. JORGE KATSUMI NIYAMA ÁREA DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Contextualização Quantos somos? Número de cursos

Leia mais

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO

01. O QUE É? 02. OBJETIVOS DO CURSO 03. CAMPO DE ATUAÇÃO 01. O QUE É? O Curso de Desenvolvimento de Websites é um curso de graduação tecnológica de nível superior com duração de dois anos e meio. Este curso permite a continuidade dos estudos em nível de bacharelado

Leia mais