INFORMATIVO MARÍTIMO D I R E T O R I A D E P O R T O S E C O S T A S

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INFORMATIVO MARÍTIMO D I R E T O R I A D E P O R T O S E C O S T A S"

Transcrição

1 INFORMATIVO MARÍTIMO D I R E T O R I A D E P O R T O S E C O S T A S

2 MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS INFORMATIVO MARÍTIMO Inf. Mar. Rio de Janeiro V. 22 Nº 3 P set/dez 2014 ISSN Informativo Marítimo 1

3 O Informativo Marítimo é uma publicação editada quadrimestralmente pela Diretoria de Portos e Costas. Suas edições podem ser acessadas através da página da DPC na Internet. A reprodução total ou parcial deste Informativo está autorizada desde que mencionada a origem. A foto de capa mostra o troféu conquistado pela DPC no Prêmio Qualidade Brasil Tiragem: exemplares Diretor: Vice-Almirante Cláudio Portugal de Viveiros Assessor de Comunicação Social: Capitão de Mar e Guerra (RM1) Jairo Bezerril Fontenelle Jornalista Responsável: Alenuska Sayonara Souza da Motta (Reg. MTE RJ) Colaboradores: Assessoria de Política Marítima Revisão Geral: CT (AA) Alex Pinto Rubem / Assessoria de Comunicação Social / Andréa Eirado Ribeiro Diagramação: Wayner Nascimento Expedição: Antonia Nunes Barbosa Brasil Marinha do Brasil Diretoria de Portos e Costas Home page: Diretoria de Portos e Costas Rua Teófilo Otoni, 4 Centro CEP Rio de Janeiro-RJ Tel.: (0xx21) Fax: (0xx21) Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

4 Sumário 5 Mensagem do Diretor DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS 7 Porto Sem Papel inicia a tramitação eletrônica dos formulários da Autoridade Marítima brasileira 8 DPC realiza apresentação no RMI Offshore Advisory Group meeting 10 Dia Marítimo Mundial 15 DPC participa do III Congresso Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário e Aquaviário 20 Capitania dos Portos do Espírito Santo sedia Reunião Funcional dos Grupos Sul e Sudeste 21 Agência Fluvial de Penedo participa da Fiscalização Preventiva Integrada no rio São Francisco 22 Capitania dos Portos de São Paulo e Prefeitura de Bertioga discutem continuidade das operações de fiscalização 23 DPC conquista o Prêmio Qualidade Brasil Capitania Fluvial do Rio Paraná apoia mutirão de limpeza do lago Itaipu 27 Exercício simulado para incidentes de poluição por óleo é realizado na Escola de Guerra Naval 30 A Marinha do Brasil e o Meio Ambiente 33 Diretoria de Portos e Costas divulga os dez mandamentos de segurança no mar 34 Simpósio de Segurança do Navegador Amador acontece em São Sebastião 39 Capitania dos Portos do Rio de Janeiro na Operação Verão 2014/ Marinha forma primeiros marinheiros fluviais indígenas no Amazonas Informativo Marítimo 3

5 Sumário ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO 41 Agência da Capitania dos Portos em Aracati forma 60 novos pescadores profissionais 42 Marinha do Brasil assina Acordo de Cooperação Técnica com Ministério da Pesca e Aquicultura e Instituto Federal Fluminense 45 V Concurso Literário 2ON Letícia Silva 50 Aluno do CIABA apresenta projeto no 25º SOBENA 52 Formatura das Escolas de Formação de Oficiais da Marinha Mercante INTERNACIONAL º Sessão do Conselho da Organização Marítima Internacional 58 DPC assume a Secretaria Geral da ROCRAM COMUNIDADE AQUAVIÁRIA 59 Porto 24 horas 60 ANTAQ reúne-se com associações empresariais do setor da navegação marítima 62 Oitavo navio do Promef entra em operação 64 FMM aprova investimentos de R$ 4,6 bilhões em projetos da indústria naval 65 Tributo ao Vice-Almirante Raul Pereira Bittencourt 66 Novo site da DPC 67 Canal Fale Conosco 4 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

6 Mensagem do Diretor Eventos importantes para a Autoridade Marítima e a Comunidade Aquaviária marcaram o último quadrimestre de Dentre eles, merecendo o destaque da capa, a conquista do Prêmio Qualidade Brasil pela Diretoria de Portos e Costas. Um dos objetivos do Prêmio é fomentar o aprimoramento da qualidade de produtos e serviços. Para a tradicional cerimônia do Dia Marítimo Mundial, a Organização Marítima Internacional (IMO) lançou o tema Convenções da IMO: Implementação eficaz, no qual o Secretário-Geral, Koji Sekimizu, salientou os esforços da Organização para tornar o transporte marítimo mais seguro e eficiente, respeitando o meio ambiente. Na área do Ensino Profissional Marítimo (EPM), destaco a Declaração de Praticantes Alunos das Escolas de Formação de Oficiais da Marinha Mercante, nos Centros de Instrução CIAGA e CIABA. A assinatura do Acordo de Cooperação Técnica entre a Marinha do Brasil, o Ministério da Pesca e Aquicultura e o Instituto Federal Fluminense, para que esta instituição de ensino ministre cursos do EPM, também foi um marco. A editoria Internacional traz a realização da XVII Reunião Ordinária da Rede Operativa de Cooperação Regional de Autoridades Marítimas das Américas (ROCRAM), na qual tive a honra de assumir o cargo de Secretário-Geral (SECROCRAM) para o biênio Já na Comunidade Aquaviária temos, entre muitas realizações, a entrada em operação da oitava embarcação do Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef). Apresentamos também nesta edição a nova identidade visual da capa do nosso Informativo Marítimo, mais equilibrada e de fácil leitura. Por fim, infelizmente, uma notícia triste faz parte desta edição do Informativo Marítimo, o falecimento do nosso querido Almirante Raul. Toda a DPC compartilha os sentimentos de gratidão e de saudade pelo grande homem, amigo e profissional que perdemos. A singela homenagem aqui feita é apenas uma mínima retribuição ao inesquecível Homem do Mar, com o qual tivemos a imensa alegria de conviver. Desejo, assim, uma proveitosa e agradável leitura. CLÁUDIO PORTUGAL DE VIVEIROS Vice-Almirante Diretor Informativo Marítimo 5

7 DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS MARES E RIOS SEGUROS E LIMPOS 6 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

8 Porto Sem Papel inicia a tramitação eletrônica dos formulários da Autoridade Marítima brasileira Representantes da DPC, da CPSP, do Sindamar, do SERPRO e de demais órgãos públicos. Aconteceu, em 26 de agosto de 2014, o lançamento da segunda fase de implantação do Porto Sem Papel (PSP), em evento simbólico realizado na Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP). A partir disso, os despachos de embarcações, previstos nas Normas da Autoridade Marítima para o Tráfego e Permanência de Embarcações em Águas Jurisdicionais Brasileiras (NORMAM-08/DPC), passam a tramitar eletronicamente no sistema, dispensando a utilização dos formulários impressos. Essa nova etapa significa um importante avanço para o aprimoramento do processo portuário, do qual a Marinha do Brasil orgulha-se em participar. Além de promover agilidade no processamento das informações pertinentes à Autoridade Marítima, a iniciativa contribui, ainda, para a preservação do meio ambiente. Em função de sua relevância no cenário nacional, o Porto de Santos foi escolhido para sediar o lançamento oficial da nova fase da participação da Autoridade Marítima no Programa. Dentre as personalidades que prestigiaram o evento estavam o Capitão dos Portos de São Paulo, Capitão de Mar Guerra Ricardo Fernandes Gomes; os representantes da Diretoria de Portos e Costas (DPC), Capitão de Fragata Antônio Cezar Souza Sales e Capitão de Corveta Péricles Alves Arraes; do Sindicato das Agências de Navegação Marítima do Estado de São Paulo (Sindamar), na pessoa do seu Diretor- Executivo José Roque; e do Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO), Lisley Depieri Paulela, além de diversos representantes de órgãos públicos. Informativo Marítimo 7

9 DPC realiza apresentação no RMI Offshore Advisory Group meeting O encontro contou com a presença de representantes do mercado de óleo e gás e das sociedades classificadoras. A Diretoria de Portos e Costas (DPC) participou do RMI Offshore Advisory Group (OAG) meeting, ocorrido no dia 19 de setembro, no auditório da Academia Petrobras, no Rio de Janeiro. A sigla RMI refere-se à República das Ilhas Marshall. O objetivo do OAG é promover um fórum de discussão de assuntos relacionados aos navios da indústria offshore, além dos assuntos afetos aos principais participantes desse mercado. O interesse do encontro é manter os altos padrões e o comprometimento com a segurança, a qualidade e o desempenho ambiental do registro RMI. O OAG foi formalizado em 2012 e é aberto a qualquer pessoa 8 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas ou entidade que opere navios registrados no RMI. Durante o evento, a DPC realizou a palestra Situação atual e recentes alterações nas Normas da Autoridade Marítima Brasileira, com o intuito de apresentar aos representantes das Ilhas Marshall e às empresas do ramo offshore, os pontos específicos das Normas da Autoridade Marítima (NORMAM), ligadas a este mercado, e as principais alterações efetuadas para desburocratizar o trâmite documental no setor. O convite para a participação da Diretoria foi feito pelo Representante do Registro da República das Ilhas Marshall, Comandante Luiz Augusto Oliveira de Freitas. O encontro contou com a presença de diversos representantes do mercado de óleo e gás e das sociedades classificadoras. Aperfeiçoamento da NORMAM O desempenho portuário brasileiro sempre requer melhorias, buscando enquadrar-se na média dos melhores portos mundiais. A proposta de aprimoramento é a integração de todos os sistemas de informação dos órgãos intervenientes, promovendo a troca eletrônica de dados, a padronização de documentos e processos, e a consequente dimi-

10 A DPC realizou a palestra Situação atual e recentes alterações nas Normas da Autoridade Marítima Brasileira. O interesse do encontro é manter os altos padrões e o comprometimento com a segurança, a qualidade e o desempenho ambiental do registro RMI nuição dos custos e da burocracia. Nasce, assim, a ideia de um sistema de informação integrador: o Projeto Porto Sem Papel (PSP). O PSP, que foi incluído na NORMAM-08/DPC, é um Projeto gerenciado pela Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP/PR), que tem por objetivo promover a desburocratização dos procedimentos de estadia dos navios nos portos brasileiros, de forma a agilizar os processos de importação e exportação, a partir de um Portal de Informações Portuárias, integrando num único banco de dados as informações de interesse dos agentes de navegação e dos diversos órgãos públicos que gerenciam as estadias de embarcações nos portos brasileiros. O PSP é uma solução baseada no uso intensivo de tecnologia da informação e comunicação. Busca integrar todos os órgãos e ministérios envolvidos, minimizar os impactos dos gargalos e paradas nos procedimentos e nas atividades de gestão portuária, almejando a racionalização e a padronização de procedimentos. O resultado é a otimização dos processos da cadeia logística nas operações de comércio exterior e de cabotagem. Em consequência, gera-se redução do tempo total no processo de exportação ou importação de bens. A integração dos sistemas propiciada pelo PSP permitirá a eliminação das redundâncias de dados e informações hoje observadas ao se analisar minuciosamente o processo portuário. Informativo Marítimo 9

11 Dia Marítimo Mundial Convenções da IMO: Implementação eficaz Canto do Hino Nacional. Tradicionalmente, a última quintafeira do mês de setembro é marcada pela realização da Cerimônia do Dia Marítimo Mundial, no Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (CIAGA). Em 2014, o evento aconteceu no dia 25 e o tema lançado pelo Secretário-Geral da Organização Marítima Internacional, Koji Sekimizu, foi Convenções da IMO: Implementação eficaz. Segundo a mensagem do Secretário, grande parte das convenções está em vigor e tem feito muito para tornar o transporte marítimo mais seguro e eficiente, respeitando o meio ambiente. Com a realização da Diretoria de Portos e Costas e o apoio da Fundação de Estudos do Mar Como de costume, o evento aconteceu no Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (CIAGA). 10 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

12 A Comunidade Aquaviária prestigiou o evento. (FEMAR) e da Empresa de Gerenciamento de Projetos Navais (EMGEPRON), o evento recebeu diversas autoridades militares, entre elas o Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante de Esquadra Carlos Augusto de Sousa e o Diretor Geral de Navegação, Almirante de Esquadra Wilson Barbosa Guerra. Autoridades civis, representantes da Comunidade Aquaviária e alunos das escolas Técnica Estadual Visconde de Mauá e Estadual de Ensino Fundamental Visconde de Mauá também estiveram presentes. Alunos de escolas públicas acompanharam a cerimônia e puderam conhecer a importância do Dia. Informativo Marítimo 11

13 O Presidente do Centro de Capitães, Capitão de Longo Curso Álvaro José de Almeida Júnior, proferiu palavras relacionadas à mensagem do Secretário-Geral da IMO, Koji Sekimizu. (...) É oportuno enaltecer todos aqueles que guarnecem os navios, os que constroem, os que movimentam as cargas a bordo e nos portos, os que administram, os que abastecem, os que fiscalizam, bem como todos os demais que contribuem para o desenvolvimento nacional nesse setor estratégico (...), afirmou o Diretor de Portos e Costas durante a leitura da Ordem do Dia. Em sua mensagem, o Diretor de Portos e Costas salientou o respeito a todos os que, por décadas, contribuíram ou estão contribuindo, por meio das lides marítimas e fluviais, para o progresso do Brasil. 12 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

14 Em 2014, o agraciado com o Distintivo de Comodoro foi o Capitão de Longo Curso Sérgio Marçal Franco. Em seguida, houve a entrega do Distintivo de Comodoro ao Capitão de Longo Curso Sérgio Marçal Franco, natural do Pará, formado no Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (CIABA) e que atua na empresa Transpetro. O Distintivo é uma forma de reconhecimento pelos relevantes serviços prestados pelo Oficial à Marinha Mercante Brasileira. O Chefe do Estado-Maior da Armada, Almirante de Esquadra Carlos Augusto, acompanhado de membros da Comunidade Aquaviária, dirigem-se para a aposição floral ao busto do Visconde de Mauá. Informativo Marítimo 13

15 Busto de Irineu Evangelista de Sousa, o Visconde de Mauá, patrono da Marinha Mercante brasileira. O CLC Franco afirmou que o momento da homenagem é inspirador para os futuros oficiais, alunos dos Centros de Instrução CIAGA e CIABA. Em relação ao trabalho na Transpetro, declarou que a sua área na empresa cuida diretamente da fase de embarque e da disponibilidade de vagas para estágio, e que almeja contribuir para a realização dessa importante fase na formação dos futuros oficiais. No dia a dia temos estreitíssima relação, convivência comercial e pessoal muito boa com o pessoal da Marinha. Hoje, me sinto muito honrado, pois a nossa carreira é feita com muito esmero e o reconhecimento me deixa muito feliz e motivado para continuar o nosso trabalho, completou. Encerrando a solenidade, foi realizada a aposição floral ao busto do patrono da Marinha Mercante brasileira, Irineu Evangelista de Sousa, o Visconde de Mauá. Irineu foi pioneiro da construção naval e contribuiu significativamente para o desenvolvimento do transporte marítimo no País. O Capitão de Longo Curso Sérgio Marçal Franco e sua esposa após a cerimônia. 14 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

16 DPC participa do III Congresso Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário e Aquaviário Público. A Diretoria de Portos e Costas (DPC) acredita na importância das ações voltadas para a melhoria das condições de trabalho dos trabalhadores portuários e aquaviários. Por esse motivo, entre os dias 13 e 16 de outubro, esteve presente no III Congresso Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho Portuário e Aquaviário, na Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), em Itajaí, Santa Catarina. O evento foi coordenado pela Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro) e contou Tecnólogo da Fundacentro do Espírito Santo, Antonio Carlos Garcia Junior. Informativo Marítimo 15

17 balho da mulher, riscos ambientais, ergonomia, prática do trabalho em altura, aposentadoria especial, entre outros temas de interesse dos trabalhadores. O público participou intensamente dos debates, tirou dúvidas e compartilhou suas ideias e anseios. O Capitão de Mar e Guerra (RM1) Carvalho Leme representou a Diretoria de Portos e Costas. com o apoio institucional da DPC. A realização do Congresso promoveu a divulgação de conhecimentos e experiências sobre segurança e saúde no trabalho portuário e aquaviário, além do debate de ações que visam melhorar o desenvolvimento de trabalho nesses setores. Em todos os dias houve palestras, debates e apresentações de trabalhos sobre vigilância em saúde, tra- Dias antes da realização do Congresso, o tecnólogo da Fundacentro do Espírito Santo, Antonio Carlos Garcia Junior, destacou a importância da criação das Normas Regulamentadoras 29 e 30 do Ministério do Trabalho e Emprego (Portuária e Aquaviária, respectivamente) como um marco para os trabalhadores dos dois segmentos, incluindo atividades de pesca, navegações marítima e fluvial, indústria naval, atividades de mergulho profissional e plataformas marítimas de exploração de petróleo. Antes não havia As salas de aula receberam apresentações de trabalhos de diversos profissionais do setor. 16 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

18 Vigilância em saúde, trabalho da mulher, riscos ambientais, ergonomia, prática do trabalho em altura e aposentadoria especial foram alguns dos temas do evento. nenhuma legislação e o fato é que a segurança e saúde no trabalho melhoraram bastante nessas áreas em função da obrigatoriedade do cumprimento das normas, declarou. Aluna de doutorado da Unifesp de Santos, Marina Coutinho de Carvalho Pereira, apresentou o tema Multifuncionalidade e a inserção da força de trabalho feminina no lócus portuário. Responsabilidade na Gestão de Saúde e Segurança no Trabalho Aquaviário foi o tema abordado pelo Capitão de Mar e Guerra Mauro Guimarães Carvalho Leme Filho, da Superintendência do Ensino Profissional Marítimo da DPC. Representantes do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Organização Internacional do Trabalho (OIT), UNIVALI, Transpetro, Comissão Permanente Nacional Aquaviária (CPNA), Secretaria de Desenvolvimento Regional de Itajaí e de diversas Federações e Sindicatos de trabalhadores do setor também estiveram presentes no encontro. Informativo Marítimo 17

19 Temos a sensação de missão cumprida ao levarmos para a sociedade temas que necessitavam ser abordados e a troca de informações necessárias à formulação de novas propostas para o trabalhador. Vislumbramos para 2016, data em que será realizado o IV Congresso, avanços nas implementações por melhores condições de trabalho na área portuária e aquaviária, afirmou a presidente da Fundacentro, Maria Amelia Gomes de Souza Reis. A Superintendência do Ensino Profissional Marítimo Essa área da DPC possui competências específicas no que diz respeito a: Supervisionar os assuntos do Ensino Profissional Marítimo (EPM) e aos cursos para tripulantes não-aquaviários (TNA) e profissionais não-tripulantes (PNT), obrigatórios pela legislação como requisito de embarque para não aquaviários; Manter atualizadas as publicações e os impressos de interesse para o EPM sob sua responsabilidade; Supervisionar a elaboração e a execução dos Programas do Ensino Profissional Marítimo (PREPOM); Propor a Política de Pessoal Aquaviário; Credenciar entidades para a aplicação de cursos do EPM e para TNA e PNT; O engenheiro de segurança do trabalho, Diogo Ramon Garcia Stupp, criou uma ferramenta de auxílio para elaboração de Planos de Emergência Integrados para o setor portuário. A Presidente da Fundacentro, Professora Maria Amelia Souza Reis. 18 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

20 Coordenar ações para a concessão de vagas a bolsistas estrangeiros nos cursos do EPM; e Propor normas sobre cerimonial e fiscalização do uso de uniformes a bordo das embarcações nacionais. Para o desempenho de tais competências, a Superintendência é dividida em: Departamento de Ensino de Aquaviários Departamento de Ensino de Portuários Departamento de Pessoal Aquaviário Departamento de ensino de tripulantes não-aquaviários (TNA) e profissionais não-tripulantes (PNT) Departamento de Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo Da área de Educação da Fundacentro, Cezar Akiyoshi Sato, apresentou o pôster Análise de dados previdenciários para propor ações educativas em saúde do trabalhador no transporte aquaviário. O próximo Congresso será realizado em 2016, em data a ser definida. Informativo Marítimo 19

21 Capitania dos Portos do Espírito Santo sedia Reunião Funcional dos Grupos Sul e Sudeste O Almirante Viveiros falou aos participantes da Reunião. No período de 8 a 10 de outubro foi realizada a Reunião Funcional dos Capitães dos Portos dos Grupos Sul e Sudeste. O evento aconteceu na Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES), localizada na cidade de Vitória. A programação contou com as apresentações das Capitanias dos Portos do Rio de Janeiro, Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e da própria CPES. Os assuntos específicos da DPC, como Gestão Ambiental e Sistemas Corporativos também foram abordados. Entre as funções das Capitanias dos Portos em todo o Brasil, destacam-se a fiscalização das atividades relacionadas à segurança da navegação, à prevenção da poluição hídrica, causada por navios, plataformas e suas instalações de apoio; e à formação dos aquaviários, que compõem as tripulações das embarcações mercantes. Dessa maneira, tais Organizações Militares possuem extrema importância dentro do trabalho desenvolvido pela Autoridade Marítima Brasileira, fazendo com que eventos como a Reunião Funcional sirvam de base para o aprimoramento do trabalho desenvolvido por cada uma delas. Representantes da DPC, das Capitanias e demais envolvidos com o encontro. 20 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

22 Agência Fluvial de Penedo participa da Fiscalização Preventiva Integrada no rio São Francisco Atividade conjunta de notificação dos proprietários de tanques-rede do município de Traipú (Alagoas). A Fiscalização Preventiva Integrada (FPI), uma força-tarefa em defesa do rio São Francisco, aconteceu pela segunda vez no estado de Alagoas, na região do Baixo São Francisco, entre os dias 2 e 14 de novembro. As operações visaram identificar e controlar os impactos ambientais na região da bacia hidrográfica do rio, percorrendo os municípios alagoanos de Campo Grande, Girau do Ponciano, Traipú, Belo Monte, Lagoa da Canoa e Feira Grande. Além do Ministério Público Estadual de Alagoas, representado pelos promotores de Justiça de Defesa do Meio Ambiente Alberto Fonseca e Lavínia Fragoso, em torno de 22 órgãos públicos federais e estaduais participaram da Fiscalização, dentre os quais estão a Agência Fluvial de Penedo (AgPenedo), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), o Batalhão de Polícia Ambiental de Alagoas (BPA/PM) e o Instituto de Meio Ambiente (IMA). Seguindo a proposta de cooperação entre os membros da FPI, a AgPenedo, em complemento às atividades de Inspeção Naval, tem contribuído bastante no apoio ao IBAMA, BPA e IMA, nas operações fluviais ao longo do rio São Francisco. Em especial, no que diz respeito ao recolhimento e transporte de redes e covos irregulares (armadilhas para captura de camarões), com a decorrente soltura dos animais neles encontrados. Além disso, o trabalho de combate à pesca predatória, que estava tirando do manancial os peixes em período de piracema (reprodução), ajudou na preservação do ecossistema do São Francisco, declarou a promotora de Justiça Lavínia Fragoso, coordenadora da FPI. Somadas às notificações provenientes do IBAMA, três Associações e seis proprietários particulares de tanques-rede foram notificados por militares da AgPenedo. Esses criatórios de peixes, dispostos no leito do rio, são caracterizados, segundo as Normas da Autoridade Marítima (NORMAM), como obras que pressupõe inscrição junto à Marinha. Durante as atividades operativas, a AgPenedo inspecionou diversas embarcações e, as que apresentaram irregularidades, foram notificadas e/ou lacradas. Algumas das principais imprudências encontradas foram condutores não habilitados e a ausência de equipamentos de segurança obrigatórios, como coletes salva-vidas. Essa etapa da FPI teve fim no dia 14 de novembro, com a realização de uma audiência pública no Ginásio de Esportes Djalma Nunes Santos, no município de Girau do Ponciano, com a exposição dos resultados dos trabalhos realizados ao longo dos dias. Informativo Marítimo 21

23 Capitania dos Portos de São Paulo e Prefeitura de Bertioga discutem continuidade das operações de fiscalização A Capitania dos Portos de São Paulo (CPSP) recebeu a visita protocolar do Prefeito do Município de Bertioga, José Mauro Dedemo Orlandini, e comitiva. A reunião foi realizada no dia 5 de novembro e abordou a continuidade das operações de fiscalização no município e as ações específicas relacionadas ao grande fluxo de usuários de equipamentos náuticos durante o verão. Desde agosto de 2013 vigora o convênio assinado entre a Marinha do Brasil e a Prefeitura de Bertioga. A parceria possui o intuito de somar esforços para a fiscalização de embarcações e equipamentos náuticos que possam colocar em risco a integridade física dos cidadãos nas praias daquele município e áreas adjacentes, em cumprimento ao Plano de Gerenciamento Costeiro que normatiza o ordenamento da orla. Um dos frutos desse acordo foi o treinamento da Guarda Civil Municipal (GCM), que a Prefeitura de Bertioga realizou na sede da CPSP, voltado para as atividades de apoio, orientação e para as ações que devem ser tomadas nos atos de infração a que venham infringir as normas do ordenamento marítimo. Visita do Prefeito do Município de Bertioga, José Mauro Dedemo Orlandini, e comitiva. O treinamento Além de Bertioga, as GCMs de São Paulo, Santos, Praia Grande e Guarujá também receberam o treinamento da CPSP, reafirmando a parceria para a fiscalização conjunta do tráfego de embarcações nas áreas adjacentes às praias, rios e lagos. Os convênios estabelecem um Plano de Trabalho que prevê a atualização periódica e, sempre que necessário, dos servidores das prefeituras, treinando e dotando-os de informações sobre a modernização das Normas da Autoridade Marítima (NORMAM) e a troca de experiências entre as instituições. A atividade também encontra apoio no Plano de Gerenciamento Costeiro dos Municípios, que delimita as áreas de navegação e os locais reservados aos banhistas. Assim, identificando os condutores que trafegam com velocidade superior à permitida, ou venham a descumprir qualquer outra regra de tráfego prevista nas NORMAM, permitindo aos GCMs identificar e repassar as irregularidades à Capitania, que será responsável por notificá-los. 22 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

24 DPC conquista o Prêmio Qualidade Brasil 2014 Representantes da Marinha do Brasil no evento. No dia 17 de novembro foi realizada, no Clube Sírio Libanês, em São Paulo, a cerimônia de gala da entrega do Prêmio Qualidade Brasil (PQB), sendo conferido à Diretoria de Portos e Costas (DPC) o Certificado de Excelência da Qualidade, por ter apresentado um alto índice de satisfação em todos os quesitos exigidos pelo Total Quality Control Service da Associação Prêmio Qualidade Brasil (TQCS). O Prêmio Qualidade Brasil tem como objetivos fornecer a aproximação entre empresas e operadores econômicos, fomentar a abertura de novos mercados e o incentivo às exportações, promover as empresas premiadas no mercado nacional e internacional e incentivar o aprimoramento da qualidade de produtos e serviços. Considerado o Oscar da qualidade, o Prêmio é uma certi- ficação conferida à organizações, empresários e personalidades que estão atentos aos novos desafios da sociedade, tendo como reconhecimento a qualidade de produtos e serviços prestados aos seus clientes. A DPC, por meio da Superintendência do Ensino Profissional Marítimo (SEPM), é responsável por qualificar o pessoal da Marinha Mercante, portuários e atividades correlatas (administração portuária, empresas e agências de navegação), em cumprimento às normas nacionais e internacionais. A SEPM possui a certificação da ABNT NBR ISO 9001, garantindo confiabilidade aos processos empregados. A premiação significa o reconhecimento do esforço da SEPM na importante tarefa de buscar e aprimorar boas práticas de gestão voltadas para As organizações premiadas recebem autorização para utilizar o selo do PQB em seus produtos e serviços. Informativo Marítimo 23

25 A Capitão de Mar e Guerra Andréa e a Capitão-Tenente Simone receberam o prêmio da DPC. a elaboração do Programa do Ensino Profissional Marítimo (PREPOM), como produto final oferecido à comunidade aquaviária e portuária. As organizações premiadas recebem autorização para utilizar o selo do PQB em seus produtos e serviços, a certificação e o troféu. O Símbolo Internacional de Qualidade, reconhecido internacionalmente, agrega valor importante à organização, sob o ponto de vista do consumidor, revelando um forte diferencial competitivo para se destacar no mercado. 24 Marinha do Brasil - Diretoria de Portos e Costas

26 Histórico do evento Criado pela Associação Prêmio Qualidade Brasil (APQB), o prêmio Qualidade Brasil encontra-se na 37ª edição e homenageia todos aqueles que contribuíram para o desenvolvimento socioeconômico e possuem como principal atributo a cultura da qualidade. O motivo gerador do Prêmio Qualidade Brasil tem como base as ideias fundamentadas pelo Estatístico Willian Edward Deming, considerado o pai da qualidade e o estrangeiro que gerou o maior impacto sobre a indústria e a economia japonesa no século XX. Sua contribuição por meio da teoria da qualidade total foi fundamental para o Japão tornar-se notório pela fabricação de produtos inovadores de alta qualidade, sendo uma potência mundial, após o período pós-guerra. A partir de 1950, Deming ensinou altos executivos como melhorar projetos, qualidade de produto, teste e vendas. A Associação Prêmio Qualidade Brasil, no intuito de perpetuar a memória e os ensinamentos de Deming, criou o Prêmio LEADER QUALITY. Esta distinção é concedida a um restrito grupo de organizações que contribuem através do desenvolvimento científico e econômico, fazendo do princípio da qualidade a razão de sua própria existência. O Prêmio Qualidade foi criado na Itália pela International Quality Service (I.Q.S.) e encontra-se com versão em 21 países. Inicialmente, a premiação surgiu como uma das maneiras encontradas para diferenciar e selecionar produtos com melhores condições de competitividade no mercado externo e internamente incentivar a melhoria da qualidade dos produtos e serviços italianos, consequentemente contribuindo para o aumento do nível de exportações e para a reconstrução da Itália pós-guerra. Para tanto, criou-se, através de um concurso nacional entre artistas plásticos, o Troféu Vitória Alada e, a partir dele, um selo de qualidade que passou a ser impresso nos produtos Made in Italy. A Associação Prêmio Qualidade Brasil (APQB) pesquisa, avalia e realiza a cerimônia de entrega de troféus com a participação dos nomes que foram destaque no cenário empresarial e tem como objetivo reconhecer e incentivar a qualidade. Como critério, são selecionadas organizações dos mais variados segmentos do mercado. Em nosso país a cerimônia acontece desde 1977, quando foi realizada em São Paulo a primeira edição do Prêmio Qualidade Brasil, premiando organizações com destaque na Gestão de Qualidade, além do resultado final junto ao mercado consumidor. Para a definição dos prêmios atribuídos a organizações, a Associação Prêmio Qualidade Brasil realiza análise através de questionários submetidos a profissionais qualificados para avaliar a qualidade de produtos e serviços oferecidos. Informativo Marítimo 25

Definições (NORMAM-2)

Definições (NORMAM-2) Definições (NORMAM-2) Embarcação - Qualquer construção, inclusive as plataformas flutuantes e as fixas quando rebocadas, sujeita a inscrição na autoridade marítima e suscetível de se locomover na água,

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS. 1º Seminário sobre Cabotagem Brasileira ANTAQ

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS. 1º Seminário sobre Cabotagem Brasileira ANTAQ MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS 1º Seminário sobre Cabotagem Brasileira ANTAQ 12 e 13 AGO 2009 Formação de Profissionais para a Marinha Mercante CALTE (RM1) Luiz Antonio M. de Malafaia Superintendente

Leia mais

MUDANÇA NA NORMA QUE REGE A CONDUÇÃO E HABILITAÇÃO PARA AMADORES NORMAM 03 CAPÍTULO 5 HABILITAÇÃO DA CATEGORIA DE AMADORES

MUDANÇA NA NORMA QUE REGE A CONDUÇÃO E HABILITAÇÃO PARA AMADORES NORMAM 03 CAPÍTULO 5 HABILITAÇÃO DA CATEGORIA DE AMADORES MUDANÇA NA NORMA QUE REGE A CONDUÇÃO E HABILITAÇÃO PARA AMADORES NORMAM 03 CAPÍTULO 5 HABILITAÇÃO DA CATEGORIA DE AMADORES PROPÓSITO Divulgar as instruções gerais para habilitação da categoria de amadores

Leia mais

A ATUAÇÃO DA AUTORIDADE MARÍTIMA NOS CASOS DE POLUIÇÃO HÍDRICA

A ATUAÇÃO DA AUTORIDADE MARÍTIMA NOS CASOS DE POLUIÇÃO HÍDRICA MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS A ATUAÇÃO DA AUTORIDADE MARÍTIMA NOS CASOS DE POLUIÇÃO HÍDRICA Rodolfo Henrique de Saboia Superintendente de Meio Ambiente ROTEIRO ATRIBUIÇÕES LEGAIS DA MARINHA

Leia mais

TERMO DE CONVÊNIO Nº 89000/2012-026/00

TERMO DE CONVÊNIO Nº 89000/2012-026/00 MARINHA DO BRASIL COMANDO DO 8º DISTRITO NAVAL PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO TERMO DE CONVÊNIO Nº 89000/2012-026/00 PROCESSO Nº 62455.001094/2012-95 CONVÊNIO QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Apresentação Corporativa Nossa Empresa A TerraMar Treinamentos foi fundada no ano de 2009, objetivando o atendimento às empresas do setor marítimo no tocante aos treinamentos de segurança, aprimoramento

Leia mais

MARINHA DO BRASIL. Diretoria de Portos e Costas A A PRATICAGEM NO BRASIL

MARINHA DO BRASIL. Diretoria de Portos e Costas A A PRATICAGEM NO BRASIL MARINHA DO BRASIL Diretoria de Portos e Costas A A PRATICAGEM NO BRASIL Paulo José Rodrigues de Carvalho Vice-Almirante Diretor Sítio: WWW.DPC.MAR.MIL.BR (Internet) SUMÁRIO Principais atribuições da DPC

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO

MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS (PFRH) MANUAL DO USUÁRIO NÍVEL TÉCNICO PARTE I INFORMAÇÕES PARA BOLSISTA ALUNO Versão 04/02/2011 SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO 2 INTRODUÇÃO 3 MODALIDADES DE

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS

COMPANHIA DOCAS DO ESTADO DE SÃO PAULO - CODESP AUTORIDADE PORTUÁRIA DE SANTOS RESOLUÇÃO DP Nº. 116.2013, DE 21 DE OUTUBRO DE 2013. ESTABELECE PROCEDIMENTOS PARA OS SERVIÇOS DE LAVAGEM DE PORÕES DE NAVIOS GRANELEIROS NAS ÁREAS DO PORTO ORGANIZADO DE SANTOS O DIRETOR-PRESIDENTE DA

Leia mais

2º SIBRADEN - Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais e Tecnológicos

2º SIBRADEN - Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais e Tecnológicos Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida R a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos 2º SIBRADEN - Simpósio Brasileiro de Desastres Naturais e Tecnológicos Santos-SP, 9

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS PORTARIA SEP Nº 104, DE 29 DE ABRIL DE 2009.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS PORTARIA SEP Nº 104, DE 29 DE ABRIL DE 2009. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA ESPECIAL DE PORTOS PORTARIA SEP Nº 104, DE 29 DE ABRIL DE 2009. Dispõe sobre a criação e estruturação do Setor de Gestão Ambiental e de Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS

COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP 2013 COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS 2003 É criada a G-COMEX ÓLEO & GÁS com o objetivo de prover soluções logísticas sob medida para o mercado de óleo, gás, energia e indústria

Leia mais

Prêmio Socioambiental CHICO MENDES. PROCERT Programa de Certificação do Compromisso da Responsabilidade Socioambiental. Edição 2013 SELO VERDE

Prêmio Socioambiental CHICO MENDES. PROCERT Programa de Certificação do Compromisso da Responsabilidade Socioambiental. Edição 2013 SELO VERDE Prêmio Socioambiental CHICO MENDES PROCERT Programa de Certificação do Compromisso da Responsabilidade Socioambiental. Edição 2013 SELO VERDE REGULAMENTO 1 DO PROMOTOR E OBJETIVOS 1.1 - A realização da

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 010/2013

ATO NORMATIVO Nº 010/2013 ATO NORMATIVO Nº 010/2013 Organiza as ações de comunicação social, no âmbito do Ministério Público do Estado da Bahia. OPROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO

NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DIRETORIA DE ATIVIDADES TÉCNICAS - DAT NORMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO INSTRUÇÃO NORMATIVA (IN n 042/DAT/CBMSC)

Leia mais

0504 - PROCEDIMENTOS PARA HABILITAÇÃO

0504 - PROCEDIMENTOS PARA HABILITAÇÃO CAPÍTULO 5 HABILITAÇÃO DA CATEGORIA DE AMADORES 0501 - APLICAÇÃO Este capítulo estabelece as categorias de amadores, sua correspondência com categorias profissionais, dos procedimentos para habilitação,

Leia mais

Política Ambiental das Empresas Eletrobras

Política Ambiental das Empresas Eletrobras Política Ambiental das Empresas Eletrobras Versão 2.0 16/05/2013 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Princípios... 3 3 Diretrizes... 3 3.1 Diretrizes Gerais... 3 3.1.1 Articulação Interna... 3 3.1.2 Articulação

Leia mais

Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos

Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos Curso Líderes: L Curso Internacional sobre Saúde, Desastres e Desenvolvimento 1 Estrutura

Leia mais

Fernando Fonseca Diretor

Fernando Fonseca Diretor 2ª Conferência OAB-RJ de Direito Marítimo e Portuário Desafios e Tendências da Navegação e da Logística Portuária no Brasil NAVEGAÇÃO DE APOIO MARÍTIMO E LOGÍSTICA OFFSHORE Fernando Fonseca Diretor Rio

Leia mais

Política Nacional de Meio Ambiente

Política Nacional de Meio Ambiente Política Nacional de Meio Ambiente O Brasil, maior país da América Latina e quinto do mundo em área territorial, compreendendo 8.511.996 km 2, com zonas climáticas variando do trópico úmido a áreas temperadas

Leia mais

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DA MARINHA. SecCTM CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO

MARINHA DO BRASIL SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO DA MARINHA. SecCTM CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃO BRASÍLIA 2015 0 PREFÁCIO Por definição, a Carta de Serviços ao Cidadão é o documento no qual o órgão ou a entidade pública estabelece o compromisso de observar padrões de qualidade,

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 668, DE 2015

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 668, DE 2015 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL PROJETO DE LEI Nº 668, DE 2015 Determina a obrigatoriedade de demarcação das áreas de pesca, lazer ou recreação das praias banhadas por mar, lagoas

Leia mais

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT

Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Dúvidas e Esclarecimentos sobre a Proposta de Criação da RDS do Mato Verdinho/MT Setembro/2013 PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A CRIAÇÃO DE UNIDADE DE CONSERVAÇÃO 1. O que são unidades de conservação (UC)?

Leia mais

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA

Órgão de Coordenação: Secretaria de Estado da Ciência e Tecnologia e do Meio Ambiente SECTMA 12.4 SISTEMA DE GESTÃO PROPOSTO 12.4.1 ASPECTOS GERAIS O Sistema de Gestão proposto para o PERH-PB inclui órgãos da Administração Estadual, Administração Federal, Sociedade Civil e Usuários de Água, entre

Leia mais

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários

SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras. Eduarda Ramires Silveira. Evelyn Victória Cardoso Lopes. Mel Suzane Santos Marques. Voluntários SEPARAR PRA QUÊ? Idealizadoras Eduarda Ramires Silveira Evelyn Victória Cardoso Lopes Mel Suzane Santos Marques Voluntários Joyce Thaís Mendes Alves Sílvia Rocha Pena Rodrigues Luíza Almeida Dias de Carvalho

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Painel 13. Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária.

Painel 13. Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária. Senado Federal AUDIÊNCIA PÚBLICA P DA COMISSÃO DE INFRAESTRUTURA Painel 13 Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos na Área Aeronáutica e Aquaviária Luiz Felipe

Leia mais

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação.

Comercialização de grãos. Frota fluvial. Geração. Terminal flutuante. Terminal. Grupo André Maggi. Fundação André Maggi. Originação. Grupo André Maggi Comercialização de grãos Divisão Agro Energia Navegação Originação Processamento Frota fluvial Soja Geração Exportação Terminal Milho Algodão Terminal flutuante Fundação André Maggi Geração

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ Relação de Serviços

Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ Relação de Serviços Agência Nacional de Transportes Aquaviários ANTAQ Relação de Serviços SUPERINTENDÊNCIA DE FISCALIZAÇÃO 1. FISCALIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DAS ADMINISTRAÇÕES PORTUÁRIAS E DOS SERVIÇOS PRESTADOS NO ÂMBITO DOS

Leia mais

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo

Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Apoio para fornecedores do setor de Petróleo & Gás em São Paulo Ubirajara Sampaio de Campos Subsecretário de Petróleo e Gás Secretaria de Energia do Estado de São Paulo Santos Offshore 09 Abril 2014 Indústria

Leia mais

A Pesca Industrial no Estado de São Paulo

A Pesca Industrial no Estado de São Paulo Apresentação FIESP Os Múltiplos Usos do Mar e a Atividade Pesqueira A Pesca Industrial no Estado de São Paulo PESCA INDUSTRIAL ATIVIDADE REGULAMENTADA LICENCIADA NÃO CRIMINOSA TIPOS DE PESCA A pesca industrial

Leia mais

MAPA DE COMPETÊNCIAS DOS INSTRUTORES DOS CURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO- 2014

MAPA DE COMPETÊNCIAS DOS INSTRUTORES DOS CURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO- 2014 MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE ENSINO PROFISIONAL MARÍTIMO MAPA DE COMPETÊNCIAS DOS INSTRUTORES DOS CURSOS DO ENSINO PROFISSIONAL MARÍTIMO- 2014 CURSO DISCIPLINA

Leia mais

7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA

7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA 7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA 1) Requerimento ao CP/DL. 2) Ofício/carta da empresa contendo razão social do armador, proprietário,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19).

Art. 1º Aprovar as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). PORTARIA Nº 483, DE 20 DE SETEMBRO DE 2001. Aprova as Instruções Gerais de Segurança da Informação para o Exército Brasileiro (IG 20-19). O COMANDANTE DO EXÉRCITO, no uso da competência que lhe é conferida

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental Objetivos da Aula Sistema de Gestão Ambiental 1. Sistemas de gestão ambiental em pequenas empresas Universidade Federal do Espírito Santo UFES Centro Tecnológico Curso de Especialização em Gestão Ambiental

Leia mais

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO MARANHÃO

MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO MARANHÃO MARINHA DO BRASIL CAPITANIA DOS PORTOS DO MARANHÃO APRESENTAÇÃO PARA A FEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES EM TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS E AFINS - FNTTAA 15/09/2010 SUMÁRIO A AUTORIDADE MARÍTIMA MISSÃO ÁREA

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS PORTARIA N O 393/DPC, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013.

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS PORTARIA N O 393/DPC, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013. WS/FB/22.1 080.1 DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS PORTARIA N O 393/DPC, DE 23 DE DEZEMBRO DE 2013. Celebra acordo de delegação de competência firmado entre a AUTORIDADE MARÍTIMA BRASILEIRA e a Sociedade Classificadora

Leia mais

Regulamentação e Licenciamento Ambiental. Oscar Graça Couto Lobo & Ibeas

Regulamentação e Licenciamento Ambiental. Oscar Graça Couto Lobo & Ibeas Regulamentação e Licenciamento Ambiental Oscar Graça Couto Lobo & Ibeas Matriz Constitucional "Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia

Leia mais

Plano Nacional de. Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos. Curso LíderesL

Plano Nacional de. Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos. Curso LíderesL Plano Nacional de Prevenção, Preparação e Resposta Rápida R a Emergências Ambientais com Produtos Químicos Perigosos Curso LíderesL Brasília, 20 de agosto de 2008 1 Como surgiu o P2R2 Histórico de ocorrência

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL SUBDEPARTAMENTO DE SERVIÇOS AÉREOS DIVISÃO DE FISCALIZAÇÃO INSTRUÇÃO DE AVIAÇÃO CIVIL IAC 200-1001 PLANO DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

Uma Visão dos Aspectos Ambientais Relacionados a Atividade Portuária

Uma Visão dos Aspectos Ambientais Relacionados a Atividade Portuária Uma Visão dos Aspectos Ambientais Relacionados a Atividade Portuária Uirá Cavalcante Oliveira Especialista em Regulação de Serviços de Transportes Aquaviários 7 de Abril de 2008 1 - Histórico Implantação

Leia mais

Certificados de Capacidade dos Pescadores

Certificados de Capacidade dos Pescadores 1 CONVENÇÃO N. 125 Certificados de Capacidade dos Pescadores I Aprovada na 50ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (Genebra 1966), entrou em vigor no plano internacional em 15.7.69. II Dados

Leia mais

DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas.

DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas. DECRETO Nº 53.526, DE 8 DE OUTUBRO DE 2008: Cria a Área de Proteção Ambiental Marinha do Litoral Centro, e dá providências correlatas. JOSÉ SERRA, Governador do Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições

Leia mais

SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS

SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS Curitiba, 18 de março de 2015. 1 SELO ALIMENTOS DO PARANÁ INFORMAÇÕES GERAIS Sumário APRESENTAÇÃO... 3 JUSTIFICATIVAS E BENEFÍCIOS... 3 COMO OBTER O SELO...

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 24. Compete à União, aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre:

Leia mais

Resolução nº 194 RESOLUÇÃO Nº 194-ANTAQ, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004.

Resolução nº 194 RESOLUÇÃO Nº 194-ANTAQ, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004. RESOLUÇÃO Nº 194-ANTAQ, DE 16 DE FEVEREIRO DE 2004. APROVA A NORMA PARA A HOMOLOGAÇÃO DE ACORDO OPERACIONAL ENTRE EMPRESAS BRASILEIRAS E ESTRANGEIRAS DE NAVEGAÇÃO PARA TROCA DE ESPAÇOS NO TRANSPORTE MARÍTIMO

Leia mais

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania

Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania Perguntas freqüentes Projeto Serviços e Cidadania 1. Sobre o Projeto 1.1. O que é o Projeto Serviços e Cidadania? É um canal de serviços gratuitos que oferece apoio nas áreas de gestão, jurídica e comunicação

Leia mais

Câmara de Comércio Exterior Secretaria Executiva

Câmara de Comércio Exterior Secretaria Executiva Câmara de Comércio Exterior Secretaria Executiva ALOÍSIO TUPINAMBÁ GOMES NETO Assessor Especial 10 de fevereiro de 2009 Brasília - DF Câmara de Comércio Exterior - CAMEX O papel da CAMEX é coordenar esforços

Leia mais

CARTA DAS OUVIDORIAS PÚBLICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CARTA DAS OUVIDORIAS PÚBLICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CARTA DAS OUVIDORIAS PÚBLICAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Em 08 e 09 de julho de 2015, na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), realizouse o II Fórum de Ouvidorias Públicas do Estado do Rio de Janeiro. Participaram

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 14, DE 29 DE OUTUBRO DE 1999

INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 14, DE 29 DE OUTUBRO DE 1999 REVOGADA PELA IN SEAP N 03/2004 INSTRUÇÃO NORMATIVA MAA N 14, DE 29 DE OUTUBRO DE 1999 O Ministro de Estado da Agricultura e do Abastecimento, no uso da atribuição que lhe confere o art. 87, parágrafo

Leia mais

A OceanPact é uma empresa brasileira especializada no gerenciamento e resposta a emergências nos ambientes marinho e costeiro.

A OceanPact é uma empresa brasileira especializada no gerenciamento e resposta a emergências nos ambientes marinho e costeiro. comprometimento A OceanPact é uma empresa brasileira especializada no gerenciamento e resposta a emergências nos ambientes marinho e costeiro. Oferecemos todo tipo de serviços e soluções associados à preparação

Leia mais

DECRETO No- 7.602, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2011

DECRETO No- 7.602, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2011 DECRETO No- 7.602, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2011 Dispõe sobre a Política Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho PNSST. A PRESIDENTA DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84, incisos

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências.

Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. PORTARIA No- 192, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2010 Institui a Política de Segurança da Informação da Advocacia-Geral da União, e dá outras providências. O ADVOGADO-GERAL DA UNIÃO, no uso de suas atribuições

Leia mais

CURSO DE EXTENSÃO GERENCIAMENTO DE INCIDENTES E PLANEJAMENTO DE CONTINGÊNCIA

CURSO DE EXTENSÃO GERENCIAMENTO DE INCIDENTES E PLANEJAMENTO DE CONTINGÊNCIA CURSO DE EXTENSÃO GERENCIAMENTO DE INCIDENTES E PLANEJAMENTO DE CONTINGÊNCIA Edição agosto de 2015 APRESENTAÇÃO O curso GERENCIAMENTO DE INCIDENTES E PLANEJAMENTO DE CONTINGÊNCIA aborda os aspectos conceituais

Leia mais

Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil

Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil Perspectivas e Desafios ao Desenvolvimento de Infra-estrutura de Transportes no Brasil Desafios Regulatórios: Visão dos Reguladores Fernando Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Brasília, 29 de novembro de 2006

Leia mais

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2)

Ministério do Meio Ambiente MMA. Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Ministério do Meio Ambiente MMA Programa Nacional do Meio Ambiente PNMA (Fase 2) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - IBAMA Termo de Referência PNMA nº 02/2013 O presente

Leia mais

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL

Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL Regulamento dos Cursos do Programa ESMP-VIRTUAL A DIRETORA DA ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS no exercício de suas atribuições legais, com fundamento no art. 65, inciso II da Lei

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça Superior Tribunal de Justiça RESOLUÇÃO STJ/GP N. 11 DE 12 DE NOVEMBRO DE 2015. Institui a política de segurança da informação do Superior Tribunal de Justiça e dá outras providências. O PRESIDENTE DO SUPERIOR

Leia mais

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012

Prefeitura Municipal de Nova Ubiratã Gestão: 2009/2012 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 018 /2011/CSCI Versão: 01 Aprovação em: 17 de novembro de 2011 Ato de Aprovação: 018/2011 Unidades Responsáveis: Assessoria de Imprensa e Comunicação Social DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

Operador Econômico Autorizado - OEA

Operador Econômico Autorizado - OEA Operador Econômico Autorizado - OEA 26.08.15 Operador Econômico Autorizado - OEA Agenda 00:00 Quem Somos O que é OEA? Benefícios Fases de Implementação Requisitos Projeto Piloto - Fase 1 01:30 Fase 2 OEA

Leia mais

A Regulação em proveito da Segurança e da Qualidade dos Serviços de Transporte Fluvial de Passageiros

A Regulação em proveito da Segurança e da Qualidade dos Serviços de Transporte Fluvial de Passageiros Agência Nacional de Transportes Aquaviários I Simpósio da Amazônia de Segurança no Transporte Regional Fluvial A Regulação em proveito da Segurança e da Qualidade dos Serviços de Transporte Fluvial de

Leia mais

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável;

IV - planejar, propor e coordenar a gestão ambiental integrada no Estado, com vistas à manutenção dos ecossistemas e do desenvolvimento sustentável; Lei Delegada nº 125, de 25 de janeiro de 2007. (Publicação Diário do Executivo Minas Gerais 26/01/2007) (Retificação Diário do Executivo Minas Gerais 30/01/2007) Dispõe sobre a estrutura orgânica básica

Leia mais

Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP

Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP Continua o diálogo entre população, prefeitura, consórcio e SABESP Prazos e metas para o atendimento das solicitações apresentadas pela população foram pauta da reunião que aconteceu na prefeitura no início

Leia mais

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI Programa CAPES- Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

Relatório do GT Capacitação Profissional. 2 Apresentação das ações já existentes para a formação e capacitação do pescador profissional

Relatório do GT Capacitação Profissional. 2 Apresentação das ações já existentes para a formação e capacitação do pescador profissional Relatório do GT Capacitação Profissional 1- Introdução A ser elaborada pelo Coordenador do GT 2 Apresentação das ações já existentes para a formação e capacitação do pescador profissional 2.1 Marinha do

Leia mais

CARGOS E FUNÇÕES APEAM

CARGOS E FUNÇÕES APEAM CARGOS E FUNÇÕES APEAM 1. PRESIDÊNCIA A Presidência possui por finalidades a representação oficial e legal da associação, coordenação e integração da Diretoria Executiva, e o acompanhamento, avaliação,

Leia mais

GUIA DO CANDIDATO INSPETORES DE PINTURA INDUSTRIAL

GUIA DO CANDIDATO INSPETORES DE PINTURA INDUSTRIAL 1 de 9 1 OBJETIVO Fornecer as informações necessárias para a qualificação e certificação de Inspetores de Pintura Industrial níveis 1 e 2, segundo os critérios estabelecidos na norma ABNT NBR 15218 e demais

Leia mais

Prefeitura Municipal de Jaboticabal

Prefeitura Municipal de Jaboticabal LEI Nº 4.715, DE 22 DE SETEMBRO DE 2015 Institui a Política Municipal de estímulo à produção e ao consumo sustentáveis. RAUL JOSÉ SILVA GIRIO, Prefeito Municipal de Jaboticabal, Estado de São Paulo, no

Leia mais

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012.

-0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. -0> INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 65, DE 30 DE OUTUBRO DE 2012. Dispõe sobre os critérios e os procedimentos para promoção, organização e participação da ANAC em eventos internos e externos. A DIRETORIA DA AGÊNCIA

Leia mais

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP.

10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. POP: Prêmio Nacional de Relações Públicas Categoria: Relações Públicas e Responsabilidade Social Profissional: Aislan Ribeiro Greca Empresa: Petrobras 10 ANOS DO PROGRAMA COMUNITÁRIO PETROBRAS/REVAP. 2008

Leia mais

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás

Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás Certificação de Conteúdo Local Serviços de Petróleo e Gás O que é? Conteúdo Local é a relação entre o valor dos bens produzidos e serviços prestados no país para executar o contrato e o valor total dos

Leia mais

Apresentar casos reais de acidentes envolvendo o GLP com uma análise dos fatores desencadeantes dos eventos e das consequências.

Apresentar casos reais de acidentes envolvendo o GLP com uma análise dos fatores desencadeantes dos eventos e das consequências. Relatório do Evento: SEMINÁRIO SOBRE SEGURANÇA COM GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO DATA: 29 E 30 DE SETEMBRO DE 2011. LOCAL: AUDITÓRIO DO CLUBE MILITAR AV. RIO BRANCO, 251 7º ANDAR RIO DE JANEIRO/RJ HORÁRIO:

Leia mais

P11 Proposta da equipe. Abril/2013

P11 Proposta da equipe. Abril/2013 P11 Proposta da equipe Abril/2013 Matriz SWOT AMBIENTES Interno FORÇAS Comprometimento da Diretoria com as questões ambientais; Capacidade da ANTAQ em interagir com os demais setores; Possibilidade da

Leia mais

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009.

LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. LEI Nº 310/2009, DE 15 DE JUNHO DE 2009. DISPÕE SOBRE A REESTRUTURAÇÃO DO DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE SAÚDE, CRIAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL, DA DIVISÃO DE MEIO-AMBIENTE E

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen

Faculdade de Tecnologia SENAI Roberto Simonsen 1 SUMÁRIO Conteúdo 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O CURSO... 3 3. PERFIL DO TECNÓLOGO EM MANUTENÇÃO INDUSTRIAL... 3 4. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 3 5. CONDIÇÕES GERAIS DO ESTÁGIO... 5 6. MATRÍCULA...

Leia mais

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008

DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 DECRET0 Nº 2.250, DE 30 DE MAIO DE 2008 Publicado no Jornal Correio Paranaense Em, 04.06.2008 Dispõe sobre a Estrutura Regimental da Secretaria Municipal de Governo. O Prefeito Municipal de São José dos

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES O Projeto de Cooperação Internacional do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), BRA/07/002 Modernização Institucional para Fortalecimento

Leia mais

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios

Prefeito Empreendedor. Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Prefeito Empreendedor Guia de Recomendações Preliminares para o Fomento do Empreendedorismo nos Municípios Março/2012 Expediente Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Fernando

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA

Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA Universidade Federal de Uberlândia OUVIDORIA 2008 Universidade Federal de Uberlândia Ouvidoria Avenida João Naves de Ávila, nº. 2121 Sala 14, Bloco 1A - Bairro Santa Mônica Uberlândia-MG CEP: 38400-902

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS TERMO DE REFERÊNCIA PARA OS ESTUDOS DE AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 IDENTIFICAÇÃO 3- CARACTERIZAÇÃO DA INSTALAÇÃO PORTUÁRIA 4 - PLANO DE TRABALHO 4.1 - CONHECIMENTO

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA NORMAM 22/DPC

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA NORMAM 22/DPC MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS NORMAS DA AUTORIDADE MARÍTIMA PARA O CERIMONIAL DA MARINHA MERCANTE NACIONAL NORMAM 22/DPC - 2006 - NORMAM 22/DPC MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E

Leia mais

Proposta de regulamentação do regime de dedicação exclusiva (DE)

Proposta de regulamentação do regime de dedicação exclusiva (DE) Proposta de regulamentação do regime de dedicação exclusiva (DE) [Segunda versão, 11.08.2009, a partir de construção evolutiva trabalhada com a Comissão de Autonomia da Andifes, sujeita à apreciação do

Leia mais

Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS

Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS Agência Nacional de Transportes Aquaviários PRÁTICAS REGULADORAS NOS TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS ESPEDITO SALES e CLELIA MAROUELLI Especialista em Regulação A AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS Criada

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 13, DE 08 DE MAIO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 13, DE 08 DE MAIO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 13, DE 08 DE MAIO DE 2014. Estabelece as diretrizes e os critérios para requerimento e obtenção de outorga do direito de uso dos recursos hídricos por meio de caminhão-pipa em corpos de água

Leia mais

PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015

PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015 PROCESSO SELETIVO Nº 045/2015 REDE NACIONAL DE ECONOMIA SOLIDÁRIA E FEMINISTA A GUAYÍ, Organização da Sociedade Civil de Interesse Público, sediada na Rua José do Patrocínio 611, Bairro Cidade Baixa, Porto

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Conselho de Políticas e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente SEMACE 1. OBJETIVO: Este Termo de Referência têm como objetivo estabelecer diretrizes para elaboração do Plano de Emergência para Transporte de Produtos Perigosos. O plano deverá garantir de imediato, no ato

Leia mais

Andrea Gallo Xavier Coordenadora do Grupo de Acompanhamento de Questões Ambientais da ANP

Andrea Gallo Xavier Coordenadora do Grupo de Acompanhamento de Questões Ambientais da ANP AÇÕES E PROJETOS DA ANP RELACIONADOS AO MEIO AMBIENTE NA ÁREA DE E&P Andrea Gallo Xavier Coordenadora do Grupo de Acompanhamento de Questões Ambientais da ANP ARCABOUÇO LEGAL Art. 8, inciso IX da Lei do

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento

Prêmio Fundação Banco do Brasil de Tecnologia Social - 2013 Regulamento 1. Do Conceito de Tecnologia Social 1.1 Tecnologia Social compreende produtos, técnicas ou metodologias reaplicáveis, desenvolvidas na interação com a comunidade e que representem efetivas soluções de

Leia mais

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 15, de 23 de abril de 1976 - DOU de 26.04.76

Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 15, de 23 de abril de 1976 - DOU de 26.04.76 Acordo Marítimo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República Francesa Assinado em 24 de outubro de 1975 Aprovado pelo Decreto Legislativo nº 15, de 23 de abril de 1976 - DOU

Leia mais

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança

Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Perguntas para avaliar a efetividade do processo de segurança Questionário básico de Segurança da Informação com o objetivo de ser um primeiro instrumento para você avaliar, em nível gerencial, a efetividade

Leia mais