Seminário sobre a Cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Seminário sobre a Cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais"

Transcrição

1 Seminário sobre a Cobrança pelo uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais Experiência das bacias hidrográficas dos rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Cláudia Hornhardt Siqueira Fonseca Caroline Túbero Bacchin Sorocaba SP 10/09/2010

2

3 Caracterização das Bacias PCJ 1) Nº de Municípios: 71 (57 c/ sede) paulistas e 5 (4 c/ sede) mineiros 2) Área total das Bacias PCJ: Km2 3) População: 5 milhões de hab. (São Paulo) e hab. (Minas Gerais), com previsão de 6,5 milhões para ) Índice atual de trat. Esgotos urbano: 45% 5) Demanda de água: 35 m3/s (51 m3/s em 2020) + 31 m3/s p/ RMSP 6) Relação Demanda/Disponibilidade: 100% (2008) e 138% (2020) 7) Carga poluidora (t DBO/dia) rem.: 185(urb) + 56(ind) = 241

4 Caracterização das Bacias PCJ Área total das Bacias PCJ: Km² Piracicaba: Km² 82,2% PCJ km² (SP) 73,8% PCJ km² (MG) 8,4% PCJ Capivari: Km² 10,2% PCJ Jundiaí: Km² 7,6% PCJ Cantareira: Km² 15,6% (Piracicaba) 12,8% (PCJ) - Na bacia do Atibaia: 715 Km² 25,3% (área total de Km²) - Na bacia do Jaguari: Km² 29% (área total c/ Camanducaia: Km²)

5 O que é a Cobrança pelo uso da Água? A cobrança pelo uso da água é um dos instrumentos de gestão previstos na Lei n.º 9.433/97, que institui a Política Nacional de Recursos Hídricos. Objetivos: - estimular o uso racional da água - gerar recursos financeiros para investimentos na recuperação e preservação dos mananciais da região.

6 1ª FASE: RECURSOS HÍDRICOS DE DOMÍNIO DA UNIÃO: COBRANÇA FEDERAL E AGÊNCIA DE ÁGUA

7 GT-Cobrança Criação: Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 008, de 01/06/2004 Coordenador: Secretário Executivo dos Comitês PCJ Membros: 15 1 a Reunião: 07/07/2004 Consórcio PCJ/Americana 15 a Reunião: 19/09/2005 CATI/Campinas GT-Agência Criação: Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 008, de 01/06/2004 Coordenador: Secretário Executivo dos Comitês PCJ Membros: 14 1 a Reunião: 03/08/2004 SAAE/Atibaia 14 a Reunião: 16/11/2005 DAEE/Piracicaba

8 Outras Reuniões e Atividades 3 Oficinas sobre Cobrança 2 Reuniões conjuntas GTs Cobrança e Agência (setembro 2005) 2 Reuniões conjuntas CT-PL e CT-PB (setembro/2005) 2 Reuniões dos Plenários dos Comitês PCJ (outubro e novembro/2005) Seminários organizados pelo Consórcio PCJ com: indústrias; setor de saneamento público e sociedade civil. Seminário organizado pelos sindicatos rurais. Consórcio PCJ elaborou e distribuiu Planilha de Simulação da cobrança.

9 Quem paga pelo uso da água? Cobrança FEDERAL Industrial; Abastecimento Público; Urbano Privado; Rural;

10 Valores dos Preços Unitários Básicos PUBs Cobrança FEDERAL Captação Superficial: R$ 0,01/ m³ Consumo: R$ 0,02/ m³ Lançamento de Carga Orgânica:R$ 0,10/ kg Transposição de Bacia: R$ 0,015/m³ Progressividade de valores aprovada pelos Comitês PCJ: : 60%; : 75%; : valor integral (100%);

11 Implantação da Cobrança FEDERAL nas Bacias PCJ Dezembro de Campanha para atualização de dados e cadastramento de usuários, promovida pela ANA, DAEE e CETESB, IGAM e FEAM com apoio da Agência de Água PCJ. Resultado: 100 usuários em condições de receber os boletos da cobrança pelo uso da água, gerando uma arrecadação da ordem de R$ 10,9 milhões para o ano de 2006.

12 2ª FASE: RECURSOS HÍDRICOS DE DOMÍNIO DO ESTADO DE SÃO PAULO: COBRANÇA PAULISTA

13 CRONOLOGIA DA COBRANÇA PELO USO ÁGUA NO ESTADO DE SÃO PAULO Discussões iniciais sobre o princípio: eventos no Governo Montoro Previsão da cobrança na Constituição Estadual: 1989 Previsão na Lei da Política Estadual: Lei 7663 de 30/12/91 Estudo técnico para subsidiar cobrança (CNEC/FIPE): 1995/1996 Discussões nos Comitês e CRH: 1997/1998 1º Projeto de Lei: PL 20/98 2º Projeto de Lei: PL 676/00 Discussões na Assembléia Legislativa: (6 anos) Cobrança Federal no Paraíba do Sul: março/2003 Cobrança Federal no PCJ: janeiro/2006 Lei : 29/12/05 Decreto : 30/03/2006 Decretos (PCJ) e (PS): 29/12/2006

14 Trabalhos desenvolvidos pelos Comitês PCJ Aprovação da Moção 001/06, ao CRH: Reunião Conjunta dos Comitês PCJ de 05/05/06: início da cobrança em janeiro/2007. GT-Cobrança realizou 9 reuniões até 21/08 para concluir a proposta de cobrança SP. CT-AS elaborou proposta de cobrança para águas subterrâneas. CT-PL realizou 2 reuniões e mais uma junto com CT-PB dia 12/09 para aprovar a proposta do GT-Cobrança. Recursos do FEHIDRO/2006 para cadastro de usuários. Reunião Plenária dia 28/09 para aprovar a cobrança.

15 Quem paga pelo uso da água? Cobrança ESTADUAL Industrial; Abastecimento Público; Urbano Privado;

16 Valores dos Preços Unitários Básicos - PUBs Cobrança ESTADUAL Captação Superficial: R$ 0,01/ m³ Consumo: R$ 0,02/ m³ Lançamento de Carga Orgânica:R$ 0,10/ kg Captação Subterrânea: R$ 0,0115/ m³ Progressividade de valores aprovada pelos Comitês PCJ: : 60%; : 75%; : valor integral (100%);

17 Implantação da Cobrança nas Bacias PCJ Cobrança FEDERAL Implantada em 2006; Realizada pela Agência de Água; Emissão dos Boletos e Controle de pagamentos realizados pela ANA; Cobrança ESTADUAL Implantada em 2007; Realizada pelo DAEE; Emissão de Boletos e Controle de pagamentos realizados pelo DAEE;

18 Implantação da Cobrança Estadual nas Bacias PCJ Em 2006: Realizou-se a Consistência dos Dados do Cadastro do DAEE/PRODESP; Foi desenvolvido Sistema da Cobrança.Elaborado por uma empresa contratada: Composto por um Banco de Dados e Módulo de Cálculo.Não Contemplava: Controle de Pagamentos e nem Rotinas Específicas; Ato Convocatório: USUÁRIOS RETIFICARAM E RATIFICARAM SEUS DADOS; USUÁRIOS INFORMARAM VOLUMES MEDIDOS; DE USUÁRIOS APENAS 300 PARTICIPARAM; CONSISTÊNCIA DAS INFORMAÇÕES Em 2007: Foram emitidos:6 parcelas;vencimento para Jul/2007 Emissão e Postagem dos Boletos:- Banco Nossa Caixa; Controle de Pagamentos:- Manual, através de planilha eletrônica; Emissão de Boletos para os usuários novos:- Após cadastro no Banco PRODESP;

19 Operacionalização da Cobrança Sistema de cobrança pelo DAEE/BMT : SISCOB-PCJ; - Enviados informativos aos usuários sobre os Procedimentos Operacionais da Cobrança 2010 juntamente com as primeiras 5 (cinco) parcelas; -Usuários declararam os volumes medidos através do site dos Comitês PCJ; -Boletos emitidos pelo: Banco Nossa Caixa e postados pelo DAEE/BMT; -Envio das parcelas restantes considerando:medições e Ajustes juntamente com o Demonstrativo de Cálculo; -Controle de Pagamentos; -Boletos para os usuários novos: Cadastros de PTO(s) -Envio de Folhetos informativos e ofício para usuários inadimplentes; -Inscrição de usuários inadimplentes no CADIN ESTADUAL;

20 EVOLUÇÃO DAS COBRANÇAS PCJ

21 Cobrança FEDERAL USUÁRIOS POR SETOR SETOR TOTAL GERAL INDUSTRIAL 60 ABASTECIMENTO PÚBLICO 24 URBANO PRIVADO 9 RURAL 13 TRANSPOSIÇÃO 1 TOTAL GERAL : 107 usuários

22 Cobrança ESTADUAL USUÁRIOS POR SETOR SETOR TOTAL GERAL INDUSTRIAL 743 ABASTECIMENTO PÚBLICO 68 URBANO PRIVADO 904 TRANSPOSIÇÃO 1 TOTAL GERAL : usuários

23 Cobrança FEDERAL Arrecadação SETOR % POR SETOR INDUSTRIAL 13 % ABASTECIMENTO PÚBLICO 30 % RURAL ~0 % TRANSPOSIÇÃO 57 % TOTAL GERAL : ~R$ ,00

24 Cobrança ESTADUAL Arrecadação SETOR % POR SETOR INDUSTRIAL 14 % ABASTECIMENTO PÚBLICO 64 % URBANO PRIVADO 4 % TRANSPOSIÇÃO 18 % TOTAL GERAL : ~R$ ,00

25 Cobrança ESTADUAL Arrecadação

26 Aplicação dos Recursos das Cobranças PCJ e do FEHIDRO/PCJ

27 Fontes de Recursos nos Comitês PCJ Desde 1994 A partir de 2006 A partir de 2007 A partir de 2010 FEHIDRO FEHIDRO + Cob. Federal FEHIDRO + Cob. Federal + Cob. Paulista FEHIDRO + Cob. Fed. + Cob. Pta. + Cob. Min.

28

29 Valores arrecadados com a Cobrança Federal desde o ano de 2006 (R$ x1000) * Valor (R$ x 1000)

30

31 Balanço das fontes de recursos dos Comitês PCJ, ano base 2008 FONTE DE RECURSOS FEHIDRO 1994 a 2008 COBRANÇA ESTADUAL COBRANÇA FEDERAL 2006 a 2008 PROGRAMA Nº EMPREENDIMENTOS VALOR PLEITEADO VALOR CP VALOR TOTAL TRAT. ESGOTO , , ,33 REFLORESTAMENTO , , ,22 CONTR. PERDAS , , ,80 EDUC. AMBIENTAL , , ,31 OUTRAS AÇÕES , , ,85 TOTAL FEHIDRO , , ,51 TRAT. ESGOTO , , ,52 CONTR. PERDAS , , ,40 OUTRAS AÇÕES , , ,91 TOTAL COBRANÇA ESTADUAL , , ,83 TRAT. ESGOTO , , ,69 CONTR. PERDAS , , ,84 EDUC. AMBIENTAL OUTRAS AÇÕES , , ,46 TOTAL COBRANCA FEDERAL , , ,99 TOTAL GERAL PCJ - FEHIDRO E COBRANÇAS PCJ 1994 a , , ,33

32 Balanço das fontes de recursos dos Comitês PCJ, ano base 2009 FONTE DE RECURSOS FEHIDRO 2009 COBRANÇA FEDERAL 2009 PROGRAMA Nº EMPREENDIMENTOS VALOR PLEITEADO VALOR CP VALOR TOTAL RECUP.QUALI. CORPOS D'ÁGUA , , ,37 REFLORESTAMENTO , , ,78 USO RACIONAL REC. HÍDRICOS , , ,03 EDUC. AMBIENTAL , , ,38 OUTRAS AÇÕES , , ,00 TOTAL FEHIDRO , , ,56 TRAT. ESGOTO , , ,03 CONTR. PERDAS , , ,39 REFLORESTAMENTO , , ,00 EDUC. AMBIENTAL , , ,21 APROV. MÚLTIPLO REC. HÍDRI , , ,00 OUTRAS AÇÕES , , ,60 TOTAL COBRANÇA FEDERAL , , ,23 TRAT. ESGOTO , , ,18 COBRANÇA CONTR. PERDAS , , ,77 ESTADUAL EDUC. AMBIENTAL , , , OUTRAS AÇÕES , , ,00 TOTAL COBRANCA ESTADUAL , , ,23 TOTAL GERAL PCJ , , ,02

33 Balanço das fontes de recursos dos Comitês PCJ, ano base 2010 FONTE DE RECURSOS FEHIDRO 2010 COBRANÇA FEDERAL 2010 COBRANÇA PAULISTA 2010 COBRANÇA MINEIRA 2010 PROGRAMA Nº EMPREENDIMENTOS VALOR PLEITEADO VALOR CP VALOR TOTAL TRAT. ESGOTO , , ,19 CONTROLE DE PERDAS , , ,45 EDUC. AMBIENTAL , , ,32 OUTRAS AÇÕES , , ,32 TOTAL FEHIDRO , , ,28 TRAT. ESGOTO , , ,48 CONTROLE DE PERDAS , , ,84 OUTRAS AÇÕES - AGÊNCIA ,00 0, ,00 TOTAL COBRANÇA FEDERAL , , ,32 TRAT. ESGOTO , , ,34 CONTROLE DE PERDAS , , ,30 EDUC. AMBIENTAL , , ,90 OUTRAS AÇÕES , , ,73 TOTAL COBRANÇA PAULISTA , , ,27 OUTRAS AÇÕES , , ,00 TOTAL COBRANÇA MINEIRA TOTAL GERAL PCJ , , , , , ,87 TOTAL GERAL PCJ - FEHIDRO E COBRANÇAS PCJ 1994 A , , ,22

34 Fim! Engenheira Cláudia Hornhardt Siqueira Fonseca Tecnóloga Caroline Túbero Bacchin Setor de Apoio Técnico na Diretoria da Bacia do Médio Tietê do DAEE

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas

2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas 2ª Seminário Internacional de Biotecnologia Bacia Hidrográfica: Unidade de Gerenciamento para Ações Descentralizadas Mesa Redonda Cobrança pelo Uso da Água e Aplicação Recursos Arrecadados Cláudia Hornhardt

Leia mais

A COBRANÇA A PELO USO DOS RECURSOS HÍDRICOS H BACIAS PCJ

A COBRANÇA A PELO USO DOS RECURSOS HÍDRICOS H BACIAS PCJ A COBRANÇA A PELO USO DOS RECURSOS HÍDRICOS H NAS BACIAS PCJ FEDERAÇÃO INDUSTRIAS S C 30/09/2010 EDUARDO L. PASCHOALOTT I C.R.M.A - FIESP 1 Características Físicas das Bacias PCJ Bacias dos Rios Piracicaba,

Leia mais

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2014

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2014 Primeiro Termo Aditivo Contrato nº 003/ANA/2011 INDICADOR 4 OPERACIONALIZAÇÃO DA COBRANÇA Indicador 4B Cadastro de Usuários Manter atualizado o cadastro dos usos e usuários de recursos hídricos de corpos

Leia mais

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14

ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 ALEXANDRA FACCIOLLI MARTINS Buenos Aires - 05/06/14 1 SISTEMA CANTAREIRA: LOCALIZAÇÃO 2 REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Disponibilidade Hídrica = Regiões Áridas 7.900 km² (quase coincidente com a Bacia

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ 1 BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA DEZEMBRO DE 2014 BOLETIM DE

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ nº 052/06, de 28/09/2006

Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ nº 052/06, de 28/09/2006 Comitês PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (Criados e instalados segundo a Lei Estadual (SP) n o 7.663/91 e Lei Federal n o 9.433/97) Deliberação Conjunta dos

Leia mais

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ

ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ ASSEMBLÉIA GERAL DA RELOB AS ESTRUTURAS DE GESTÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS NAS BACIAS PCJ Dalto Favero Brochi Consórcio PCJ Rio de Janeiro Novembro / 2008 LOCALIZAÇÃO DAS BACIAS PCJ CARACTERIZAÇÃO DAS BACIAS

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ Represa Jaguari-Jacareí Reprodução/Sistema Ambiental Paulista/Governo do Estado BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

Instituto Mineiro de Gestão das Águas. INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS IGAM Cleide Izabel Pedrosa de Melo Diretora Geral

Instituto Mineiro de Gestão das Águas. INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS IGAM Cleide Izabel Pedrosa de Melo Diretora Geral INSTITUTO MINEIRO DE GESTÃO DAS ÁGUAS IGAM Cleide Izabel Pedrosa de Melo Diretora Geral DIRETORIA DE GESTÃO DE RECUSOS HÍDRICOS DGRH Luíza de Marillac Moreira Camargos - Diretora PARECER TÉCNICO - PROPOSIÇÃO

Leia mais

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ

FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ FUNDAÇÃO AGÊNCIA DAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ. 1 AGÊNCIA DAS BACIAS PCJ BOLETIM DE MONITORAMENTO DOS RESERVATÓRIOS DO SISTEMA CANTAREIRA MAIO DE 2014 BOLETIM DE MONITORAMENTO

Leia mais

DELIBERAÇÃO CBH-TG Nº.203 /2012 DE 04/12/2012

DELIBERAÇÃO CBH-TG Nº.203 /2012 DE 04/12/2012 DELIBERAÇÃO CBH-TG Nº.203 /2012 DE 04/12/2012 Aprova a proposta dos mecanismos e valores para cobrança pelos usos urbano e industrial dos recursos hídricos de domínio do Estado de São Paulo, no âmbito

Leia mais

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013

ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013 Primeiro Termo Aditivo Contrato nº 003/ANA/2011 INDICADOR 4 OPERACIONALIZAÇÃO DA COBRANÇA Indicador 4B Cadastro de Usuários ESTADO DOS CADASTROS DE USUÁRIOS NAS BACIAS PCJ NO ANO DE 2013 4B - Cadastro

Leia mais

Oficina Preparatória para Captação FEHIDRO. Cronograma e Anexos

Oficina Preparatória para Captação FEHIDRO. Cronograma e Anexos Oficina Preparatória para Captação de Recursos das Cobranças PCJ e FEHIDRO Cronograma e Anexos Comitês PCJ 14/12/2012 Itapeva -MG Deliberação dos Comitês PCJ nº 164/12 Cronograma Relação das Ações Financiáveis

Leia mais

GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOSH NO ESTADO DE SÃO PAULO

GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOSH NO ESTADO DE SÃO PAULO II SIMPÓSIO DE HIDROGEOLOGIA DO SUDESTE Ribeirão Preto, 06/10/2005 GESTÃO INTEGRADA DE RECURSOS HÍDRICOSH NO ESTADO DE SÃO PAULO Ricardo Daruiz Borsari Superintendente Departamento de Águas e Energia Elétrica

Leia mais

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006

Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Deliberação Conjunta dos Comitês PCJ n o 048/06, de 28/09/2006 Aprova a proposta para implementação da cobrança pelo uso dos recursos hídricos de domínio do Estado de São Paulo, nas bacias hidrográficas

Leia mais

DECRETO Nº 58.791, DE 21 DE DEZEMBRO DE

DECRETO Nº 58.791, DE 21 DE DEZEMBRO DE DECRETO Nº 58.791, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2012 Aprova e fixa os valores a serem cobrados pelo uso dos recursos hídricos de domínio de Estado de São Paulo na Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos

Leia mais

I) O que é o Ato Declaratório 3. II) Dúvidas Comuns sobre o Ato Declaratório 4. III) Portaria Portaria DAEE 1800, de 27 de junho de 2013 (DOE) 7

I) O que é o Ato Declaratório 3. II) Dúvidas Comuns sobre o Ato Declaratório 4. III) Portaria Portaria DAEE 1800, de 27 de junho de 2013 (DOE) 7 I N D I C E Tópicos Pagina I) O que é o Ato Declaratório 3 II) Dúvidas Comuns sobre o Ato Declaratório 4 III) Portaria Portaria DAEE 1800, de 27 de junho de 2013 (DOE) 7 IV) Sistema do Ato Declaratório

Leia mais

GUILHERME FERNANDO PENTEADO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS VISANDO A MANUTENÇÃO DO SITE DA AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ RELATÓRIO 2

GUILHERME FERNANDO PENTEADO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS VISANDO A MANUTENÇÃO DO SITE DA AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ RELATÓRIO 2 GUILHERME FERNANDO PENTEADO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS VISANDO A MANUTENÇÃO DO SITE DA AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ RELATÓRIO 2 Piracicaba 12 de outubro de 2009 1 CONTRATO AGÊNCIA PCJ Nº 03/09 CONTRATANTE:

Leia mais

Principais Competências dos CBHs

Principais Competências dos CBHs Representação Institucional e Cobrança pelo Uso dos Recursos Hídricos 08 de outubro de 2008 REPRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS Coordenação de Gestão Institucional de Recursos Hídricos TAH

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) PROJETO DE LEI Nº, DE 2015. (Do Sr. Fausto Pinato) Dispõe sobre a recuperação e conservação de mananciais por empresas nacionais ou estrangeiras especializadas em recursos hídricos ou que oferecem serviços

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUA

AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUA AGÊNCIA NACIONAL DE ÁGUA SUPERINTENDÊNCIA DE COBRANÇA E CONSERVAÇÃO JOAQUIM GABRIEL MACHADO NETO 29.11.2001 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria Especial de Desenvolvimento Urbano Programa de Modernização

Leia mais

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia

Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia Encontro Gestão Eficiente de Água e Energia 26 de novembro de 2015 10h às 17h30 Sistema FIRJAN Rio de Janeiro Outorga e Cobrança de Recursos Hídricos Cátia Siqueira - INEA Encontro Gestão Eficiente de

Leia mais

O Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos Jaboticabal, 25 de Julho de 2008

O Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos Jaboticabal, 25 de Julho de 2008 Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo Coordenadoria de Recursos Hídricos O Sistema Integrado de Gerenciamento de Recursos Hídricos Jaboticabal, 25 de Julho de 2008 Carlos Eduardo Beato cebeato@ambiente.sp.gov.br

Leia mais

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS

SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE RECURSOS HÍDRICOS Avenida Professor Frederico Hermann Jr. 345 - São Paulo/SP - CEP 05459-900 - Tel (11) 3133-4157 Deliberação CRH n ọ 88, de 10 de dezembro

Leia mais

Informativo de Meio Ambiente da Fiesp. Edição nº 87 Ano VIII Agosto 2013. seminário na Fiesp. Investigação e Biorremediação de Área Complexas

Informativo de Meio Ambiente da Fiesp. Edição nº 87 Ano VIII Agosto 2013. seminário na Fiesp. Investigação e Biorremediação de Área Complexas Informativo de Meio Ambiente da Fiesp Edição nº 87 Ano VIII Agosto 2013 Investigação e Biorremediação de Área Complexas Contaminadas Organizado pela Câmara de Comércio Holanda-Brasil, Seminário reuniu

Leia mais

Deliberação dos Comitês PCJ nº de 23/10/2015.

Deliberação dos Comitês PCJ nº de 23/10/2015. Deliberação dos Comitês PCJ nº de 23/10/201 Aprova a Política de Recuperação, Conservação e Proteção dos Mananciais no âmbito da área de atuação dos Comitês PCJ, que dispõe sobre as Ações para Produção

Leia mais

IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública MODELO DE GESTÃO SISAR - CEARÁ

IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública MODELO DE GESTÃO SISAR - CEARÁ IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública MODELO DE GESTÃO SISAR - CEARÁ Belo Horizonte, 18 de março de 2013 HISTÓRICO DO SANEAMENTO RURAL NO CEARÁ Implantação do Programa KfW I pela CAGECE

Leia mais

O Contexto Hídrico Atual da Bacia do Paraíba do Sul: Influência dos Agentes e Demandas da Sustentabilidade. Eng Edson G L Fujita MSc AGEVAP

O Contexto Hídrico Atual da Bacia do Paraíba do Sul: Influência dos Agentes e Demandas da Sustentabilidade. Eng Edson G L Fujita MSc AGEVAP O Contexto Hídrico Atual da Bacia do Paraíba do Sul: Influência dos Agentes e Demandas da Sustentabilidade. Eng Edson G L Fujita MSc AGEVAP 17 de novembro de 2010 CEIVAP AGEVAP Contexto hídrico atual Quanto

Leia mais

PROCESSO ELEITORAL DE 2015

PROCESSO ELEITORAL DE 2015 LISTA 2 Segmento Organizações Civis RELAÇÃO DAS ENTIDADES CIVIS PREVIAMENTE HABILITADAS AO PROCESSO ELEITORAL DOS COMITÊS PCJ ELEIÇÕES 2015 MANDATO 2015-2017 Setor: universidades, institutos de ensino

Leia mais

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL

O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL O PROGRAMA NACIONAL DE SANEAMENTO RURAL 08 de Novembro de 2012 O que é o Brasil Rural? O Brasil Rural Diversidade: raças, origens étnicas, povos, religiões, culturas Conflitos: concentração de terra, trabalho

Leia mais

Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital

Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital Interligação entre as Represas Jaguari (bacia Paraíba do Sul) e Atibainha (bacias PCJ) Esclarecimentos à ONG Associação Eco Vital Em atendimento ao ofício CETESB 578/15/IE, de 24/07/2015, a Sabesp apresenta,

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO DOS COMITÊS PCJ NO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTOS COM SIGNIFICATIVO IMPACTO NOS RECURSOS HÍDRICOS

A PARTICIPAÇÃO DOS COMITÊS PCJ NO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTOS COM SIGNIFICATIVO IMPACTO NOS RECURSOS HÍDRICOS A PARTICIPAÇÃO DOS COMITÊS PCJ NO LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE EMPREENDIMENTOS COM SIGNIFICATIVO IMPACTO NOS RECURSOS HÍDRICOS André Luiz Sanchez Navarro 1, Luiz Roberto Moretti 2, Maria Luísa Bonazzi Palmieri

Leia mais

PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ

PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ PESQUISA SANEAMENTO Recursos financeiros assegurados para saneamento Bacias PCJ GT/CRITÉRIOS (13/11/12) CT/PB (14/11/12) CT/PL (23/11) Oficina preparatória Cobranças PCJ e Fehidro DADOS NÃO OFICIAIS, EM

Leia mais

IRRIGART ENGENHARIA E CONSULTORIA EM RECURSOS HIDRICOS E MEIO AMBIENTE LTDA.

IRRIGART ENGENHARIA E CONSULTORIA EM RECURSOS HIDRICOS E MEIO AMBIENTE LTDA. 1. PRESETÇÃ 1.1. Introdução Constitui finalidade dos Relatórios de Situação dos Recursos Hídricos das Bacias Hidrográficas do Estado de São Paulo a avaliação da eficácia dos Planos de Bacia desenvolvidos

Leia mais

O USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA Legislação Hídrica no Brasil e a Revisão da Portaria MS 518/04

O USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA Legislação Hídrica no Brasil e a Revisão da Portaria MS 518/04 Secretaria de Vigilância em Saúde O USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA Legislação Hídrica no Brasil e a Revisão da Portaria MS 518/04 Guilherme Franco Netto Diretor de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador

Leia mais

Política de Recursos Hídricos do Brasil

Política de Recursos Hídricos do Brasil Política de Recursos Hídricos do Brasil Código de Águas (Decreto n.º 24.643, de 1934 ) Constituição Federal de 1988 Art. 21, XIX - SNGRH e Critérios de Outorga Art. 20, III (bens da União) e Art. 26, I

Leia mais

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal.

O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. O Estado de São Paulo dispõe do Programa Estadual de Regularização de Núcleos Habitacionais - Cidade Legal, doravante denominado de Cidade Legal. Em resumo, o programa fornece, mediante convênio de cooperação

Leia mais

Security Level Initials/YYYY-MM-DD

Security Level Initials/YYYY-MM-DD Security Level Initials/YYYY-MM-DD Projeto Nascentes Protegendo um Recurso Limitado Água: Escassez no Mundo Água: Escassez no Mundo Água: Um recurso limitado 70% da Terra é coberta por água; Apenas 3%

Leia mais

CONSERVADOR DAS ÁGUAS LEI MUNICIPAL 2.100/2005

CONSERVADOR DAS ÁGUAS LEI MUNICIPAL 2.100/2005 CONSERVADOR DAS ÁGUAS LEI MUNICIPAL 2.100/2005 EXTREMA EXTREMO SUL DE MINAS. SERRA DA MANTIQUEIRA. 480 KM BH E 100 KM DA CIDADE DE SP. POPULAÇÃO 24.800 HABITANTES. CONTINUIDADE ADMINISTRATIVA DE 20 ANOS

Leia mais

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO

AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007. Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO AGÊNCIA DE ÁGUA PCJ CONSÓRCIO PCJ COMITÊS PCJ PARECER TÉCNICO Nº: 01/2007 Assunto: SOLICITAÇÃO DE ABATIMENTO DO VALOR DBO - 2006 1. IDENTIFICAÇÃO Tomador: Companhia de Saneamento Básico do Estado de São

Leia mais

LEI Nº 4.247 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2003

LEI Nº 4.247 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2003 LEI Nº 4.247 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2003 DISPÕE SOBRE A COBRANÇA PELA UTILIZAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS DE DOMÍNIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS A GOVERNADORA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO,

Leia mais

Memória Técnica Simplificada

Memória Técnica Simplificada Memória Técnica Simplificada Cursos de Capacitação em Captação de Recursos provenientes do FEHIDRO e das Cobranças pelo Uso dos Recursos Hídricos, nas Bacias PCJ - 2007 Piracicaba Setembro, 2007 APRESENTAÇÃO

Leia mais

14/12/09. Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva

14/12/09. Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva Gestão de Recursos Hídricos REPLAN 14/12/09 Mesa Redonda Implantação de sistemas de reuso e aproveitamento de água de chuva Alternativas para a redução do consumo de água Alternativas para a redução do

Leia mais

ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014

ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 DESENVOLVIMENTO SOCIAL: ESPÍRITO SANTO DO TURVO OBRAS E AÇÕES GESTÃO 2011-2014 celebrado 1 convênio com a Prefeitura para atendimento a 50 idosos e 50 famílias R$ 14 mil. Programa Renda Cidadã estão sendo

Leia mais

REBOB. News. Editorial. Abril/Maio/Junho 2009. Eng. Francisco Carlos Castro Lahóz Presidente em exercício da Rede Brasil de Organismos de Bacia

REBOB. News. Editorial. Abril/Maio/Junho 2009. Eng. Francisco Carlos Castro Lahóz Presidente em exercício da Rede Brasil de Organismos de Bacia Profissionais da Agência de Água PCJ/ Consórcio PCJ apresentam trabalhos da Assemae Página 2 Abril/Maio/Junho 2009 Incentivo a criação de grupos internos para a captação de recursos mobilizou técnicos.

Leia mais

Representação Institucional no SIGRH

Representação Institucional no SIGRH Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo Coordenadoria de Recursos Hídricos Representação Institucional no SIGRH Ciclo de Conferências- Sabesp Gestão de Recursos Hídricos 8/10/2008 Evolução do

Leia mais

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste

Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste Água e Floresta As lições da crise na região Sudeste No Brasil as políticas afirmativas tiveram inicio com a Constituição de 1988. A Legislação de Recursos Hídricos avançou em mecanismos de gestão e governança

Leia mais

COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO

COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO COMITÊ DE BACIAS PCJ SISTEMA CANTAREIRA CONDICIONANTES DE 2004 CONDICIONANTES PARA 2014 BARRAGENS DE PEDREIRA E DUAS PONTES TRANSPOSIÇÃO DO RIO PARAÍBA DO SUL ADENSAMENTO POPULACIONAL DA RMC COMITÊ DE

Leia mais

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados

Proposta preliminar para discussão com. Versão de 23 de abril de 2004. Potenciais Parceiros Privados Proposta preliminar para discussão com Versão de 23 de abril de 2004 Potenciais Parceiros Privados Apresentação O Governo do Estado de Minas Gerais, com a publicação da Lei nº 14.868, de 16 de dezembro

Leia mais

7. CADASTRO DE USUÁRIOS E OUTORGA. 7.1 Outorgas na Bacia do Rio Paraíba do Sul. 7.2 Cadastro Unificado - Antecedentes

7. CADASTRO DE USUÁRIOS E OUTORGA. 7.1 Outorgas na Bacia do Rio Paraíba do Sul. 7.2 Cadastro Unificado - Antecedentes 7. CADASTRO DE USUÁRIOS E OUTORGA 7.1 Outorgas na Bacia do Rio Paraíba do Sul O panorama das outorgas na bacia nas quatro esferas outorgantes é bastante variado. A atividade em São Paulo é muito intensa,

Leia mais

Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança

Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança Seminário Cobrança pelo Uso dos Recursos Hídricos Urbanos e Industriais Comitê da Bacia Hidrográfica Sorocaba e Médio Tietê Perspectivas do Setor de Saneamento em relação à Cobrança Sorocaba, 10 de setembro

Leia mais

Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço

Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço Avança o processo de licenciamento do Sistema São Lourenço O projeto Sistema Produtor São Lourenço (SPSL) está sendo licenciado por trechos, conforme o grau de complexidade, e o processo de licenciamento

Leia mais

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate

Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Crise da Água em São Paulo Balanço e Propostas contribuição para o debate Câmara dos Deputados 14 de Julho de 2015 Comissão Especial da Crise Hídrica O porque do colapso dos sistemas A Pergunta é: Precisávamos

Leia mais

COSMÓPOLIS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Não Conformidades

COSMÓPOLIS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE. Relatório R4 Não Conformidades RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO TÉCNICA DOS SISTEMAS DE ÁGUA E ESGOTO DO MUNICÍPIO DE COSMÓPOLIS PRESTADOR: SECRETARIA MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE COSMÓPOLIS Relatório R4 Não Conformidades Americana, novembro

Leia mais

ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO E DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE MORUNGABA - SP

ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO E DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE MORUNGABA - SP ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO E DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO MUNICÍPIO DE MORUNGABA - SP PAUTA - Escopo Contratado/Nivelamento Conceitual - Base Legal - Metodologia

Leia mais

A IMPLEMENTAÇÃO DA COBRANÇA PELO USO DE RECURSOS HÍDRICOS E AGÊNCIA DE ÁGUA DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ

A IMPLEMENTAÇÃO DA COBRANÇA PELO USO DE RECURSOS HÍDRICOS E AGÊNCIA DE ÁGUA DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ A IMPLEMENTAÇÃO DA COBRANÇA PELO USO DE RECURSOS HÍDRICOS E AGÊNCIA DE ÁGUA DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ Dezembro/2007 Agência de Água PCJ Comitês das Bacias Hidrográficas dos Rios

Leia mais

Ofício IBIO - AGB DOCE- 045/2015 Data: 27/02/2015. Assunto: Resposta à Análise do IGAM referente ao Relatório de Gestão 2013

Ofício IBIO - AGB DOCE- 045/2015 Data: 27/02/2015. Assunto: Resposta à Análise do IGAM referente ao Relatório de Gestão 2013 Ilma. Srª Débora de Viterbo dos Anjos Araújo Coordenação da Comissão Técnica de Avaliação e Acompanhamento dos Contratos de Gestão - CTACG Instituto Mineiro de Gestão das Águas - IGAM Rodovia Prefeito

Leia mais

Outorga de Direito de Uso dos Recursos Hídricos

Outorga de Direito de Uso dos Recursos Hídricos Outorga de Direito de Uso dos Recursos Hídricos Informações iniciais para obtenção da outorga de direito de uso de recursos hídricos Buscando atender a uma necessidade das empresas associadas, a Assessoria

Leia mais

10º Congreso Nacional del Medio Ambiente (Conama 10)

10º Congreso Nacional del Medio Ambiente (Conama 10) 10º Congreso Nacional del Medio Ambiente (Conama 10) SD-7. Brasil y España. Integración social y ambiental de infraestructuras. Organizada por el Grupo OHL Un retrato del saneamiento en Brasil Yves Besse.

Leia mais

Crise da água: Desafios e Soluções

Crise da água: Desafios e Soluções Núcleo PCJ-Campinas/Piracicaba Crise da água: Desafios e Soluções São Paulo, 3 de junho de 2014. Regramento Legal do Sistema Hídrico Lei Estadual nº 7.663, de 30 de dezembro de 1991 (Política Estadual

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ELABORAÇÃO DE PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DOS MUNICÍPIOS DE BRASIL NOVO, MEDICILÂNDIA, URUARÁ E PLACAS PROJETO042/2014

Leia mais

Situação do saneamento básico no País 3 anos após a aprovação da Lei 11.445

Situação do saneamento básico no País 3 anos após a aprovação da Lei 11.445 Situação do saneamento básico no País 3 anos após a aprovação da Lei 11.445 Yves Besse Agosto 2010 ABCON Fundação 1996 Associação brasileira das concessionárias privadas de serviço público de água e esgoto

Leia mais

OBRIGAÇÕES LEGAIS AMBIENTAIS

OBRIGAÇÕES LEGAIS AMBIENTAIS ESFERA FEDERAL INSCRIÇÃO NO CADASTRO TÉCNICO FEDERAL CTF (LEI FEDERAL 6.938/1981) PRAZO DE VENCIMENTO Obrigatória para o registro das pessoas físicas e jurídicas que, em âmbito nacional, desenvolvam atividades

Leia mais

Ata da 6ª Assembleia Geral Ordinária da ARES-PCJ 1

Ata da 6ª Assembleia Geral Ordinária da ARES-PCJ 1 ATA DA 6ª ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DO CONSÓRCIO PÚBLICO AGÊNCIA REGULADORA DOS SERVIÇOS DE SANEAMENTO DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ - ARES-PCJ. Aos vinte e cinco dias do mês de março

Leia mais

Quem é responsável pela administração dos rios? Bernardo Cabral 1 e Jerson Kelman 2

Quem é responsável pela administração dos rios? Bernardo Cabral 1 e Jerson Kelman 2 Quem é responsável pela administração dos rios? Bernardo Cabral 1 e Jerson Kelman 2 Introdução O Estado de São Paulo foi o primeiro a aprovar uma lei sobre recursos hídricos (Lei 7663/91), após a Constituição

Leia mais

A COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DO PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ APLICAÇÃO E PERSPECITIVAS.

A COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DO PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ APLICAÇÃO E PERSPECITIVAS. A COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA NAS BACIAS HIDROGRÁFICAS DO PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ APLICAÇÃO E PERSPECITIVAS. Francisco Martinez Jr. 1 & Francisco Carlos Castro Lahoz 2 RESUMO --- Este trabalho discute

Leia mais

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL

VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL VII SIMPÓSIO SIO INTERNACIONAL DE QUALIDADE AMBIENTAL GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOSH NA RMSP - SABESP MAIO DE 2010 Gestão de Recursos Hídricos PANORAMA GLOBAL Aumento da população mundial: 1950 2,52 bilhões

Leia mais

Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo

Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO AMBIENTAL ESTRATÉGICO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SMA CURSO DE GESTÃO AMBIENTAL - 18 DE MAIO DE 2006 Gestão de Recursos Hídricos no Estado de São Paulo Rui Brasil Assis Coordenador

Leia mais

PARECER CONSOLIDADO ARES-PCJ Nº 27/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO ARES-PCJ Nº 47/2015

PARECER CONSOLIDADO ARES-PCJ Nº 27/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO ARES-PCJ Nº 47/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO ARES-PCJ Nº 47/2015 PARECER CONSOLIDADO ARES-PCJ Nº 27/2015 ASSUNTO: INTERESSADO: REAJUSTE EXTRAORDINÁRIO DAS TARIFAS DE ÁGUA E DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ DAE S/A ÁGUA E I. DO OBJETIVO

Leia mais

9.3 Descrição das ações nos Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário

9.3 Descrição das ações nos Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário 171 9.3 Descrição das ações nos Sistemas de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário Com a finalidade de alcançar os objetivos e metas estabelecidas no PMSB de Rio Pardo sugerem-se algumas ações,

Leia mais

APA Itupararanga é tema de palestra na ETEC/São Roque

APA Itupararanga é tema de palestra na ETEC/São Roque APA Itupararanga é tema de palestra na ETEC/São Roque A APA Área de Proteção Ambiental de Itupararanga foi tema da palestra de abertura da Semana Paulo Freire, promovida pela ETEC - São Roque. O evento

Leia mais

Estado de SP: Monitoramento / Qualitativo

Estado de SP: Monitoramento / Qualitativo ϯϱϭ Ϭ ĞŵĂŶĚĂƉŽƌƚŝƉŽĚĞƵƐŽͲƐƚĂĚŽĚĞ^ĆŽWĂƵůŽ Fonte: SMA/CRHi / ϯϭϭ Ϭ ϮϱϬ Ϭ ϮϬϬ Ϭ ϭϱϭ Ϭ 19,9 76,4 77,3 20,2 88,1 92,0 21,2 88,9 90,5 ϭϭϭ Ϭ ϱϭ Ϭ 110,9 118,8 129,1 Ϭ Ϭ 2007 2008 2009 hɛžhƌďăŷž;ŵϯ Ɛ hɛž/ŷěƶɛƚƌŝăů;ŵϯ

Leia mais

1949 - - - SP - - CEP:

1949 - - - SP - - CEP: Metodologia da Pesquisa com os membros dos Comitês PCJ Versão 1 Segundo Semestre de 2006 I. Histórico No Primeiro Semestre de 2006, foi realizada a Primeira Pesquisa com os membros dos Comitês PCJ. A Primeira

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP. Crise Hídrica-Realidade e Reflexos. Setor Industrial. Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP. Crise Hídrica-Realidade e Reflexos. Setor Industrial. Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp Crise Hídrica-Realidade e Reflexos Setor Industrial Priscila Rocha Especialista Ambiental- Fiesp O PROBLEMA NA RMSP DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP População RMSP : 20 milhões (50%) População

Leia mais

LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais,

LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso de suas atribuições legais, LEI Nº 540/93 - DE, 19 DE MAIO 1.993. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. MÁRCIO CASSIANO DA SILVA, Prefeito Municipal de Jaciara, no uso

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DAS BACIAS DOS RIOS PIRACICABA, CAPIVARI E JUNDIAÍ RELATÓRIO SOBRE A EXECUÇÃO DO CONTRATO DE GESTÃO (CONTRATO N.º 030/ANA/2005) PERÍODO: 01 DE JANEIRO A 30 DE JUNHO DE PIRACICABA

Leia mais

2. Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí

2. Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí Nota Informativa nº 03/2011/SAG Documento nº 030178/2011-46 Em 23 de novembro de 2011 Ao Senhor Superintendente de Apoio à Gestão de Recursos Hídricos Assunto: Resumo dos resultados da pesquisa de impacto

Leia mais

AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA

AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA AS CORPORAÇÕES E A CRISE DA ÁGUA CENÁRIO GLOBAL A empresa do novo milênio está comprometida com a preservação dos recursos naturais respeitando sua capacidade de renovação. Tem como meta utilizar recursos

Leia mais

IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)*

IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)* RESULTADOS DE PESQUISA/RESEARCH RESULTS IMPACTOS DO SISTEMA ESTADUAL DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HÍDRICOS NA BACIA DO RIO JUNDIAÍ (SP)* MIRNA APARECIDA NEVES 1 SUELI YOSHINAGA PEREIRA 2 HAROLD GORDON

Leia mais

O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo

O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo Seminário: Compostagem na Cidade de São Paulo 10 de agosto de 2012 O licenciamento ambiental de unidades de compostagem no Estado de São Paulo Eng. Cristiano Kenji Iwai Divisão de Apoio ao Controle de

Leia mais

Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos

Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos Sistema Nacional de Informações sobre Recursos Hídricos ANA - Agência Nacional de Águas SGI Superintendência de Gestão da Informação Maurício Cezar Rebello Cordeiro Objetivos do SNIRH (Lei 9433/97) Reunir,

Leia mais

Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ

Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ Maria Fernanda Spina Chiocchetti Coordenadora da Câmara Técnica de EA dos Comitês PCJ Bragança Paulista 01 a 0 de dezembro de 009 Atribuições da Câmara Técnica de Educação Ambiental (CT-EA) Criada pela

Leia mais

TÍTULO I Do Instituto de Terras do Estado do Tocantins. CAPÍTULO I Definição, Encargos e Finalidades

TÍTULO I Do Instituto de Terras do Estado do Tocantins. CAPÍTULO I Definição, Encargos e Finalidades LEI Nº 87, DE 27 DE OUTUBRO DE 1989. Publicado no Diário Oficial nº 23 *Restaurada pela Lei 2.830, de 27/03/2014. Cria o Instituto de Terras do Estado do Tocantins - ITERTINS, o Fundo Agrário Estadual,

Leia mais

Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini

Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini Water resources management and metering regulation A gestão de recursos hídricos e a regulação da medição de água Gisela Forattini A Gestão de Recursos Hídricos H e a Regulação da Medição de Água Situação

Leia mais

DECRETO N 40.156, DE 17 DE OUTUBRO DE 2006

DECRETO N 40.156, DE 17 DE OUTUBRO DE 2006 DECRETO N 40.156, DE 17 DE OUTUBRO DE 2006 ESTABELECE OS PROCEDIMENTOS TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS PARA A REGULARIZAÇÃO DOS USOS DE ÁGUA SUPERFICIAL E SUBTERRÂNEA, BEM COMO, PARA AÇÃO INTEGRADA DE FISCALIZAÇÃO

Leia mais

Da Legislação Ambiental. Da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Harmonização da PNRS. Constituição Federal da República Federativa do Brasil

Da Legislação Ambiental. Da Política Nacional de Resíduos Sólidos. Harmonização da PNRS. Constituição Federal da República Federativa do Brasil Da Legislação Ambiental Constituição Federal da República Federativa do Brasil Capitulo VI Do Art. 225 Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial

Leia mais

ÁGUA - SEDE URBANA. 2. O sistema de abastecimento de água atende toda a população urbana da sede? A. Sim. B. Parcialmente.

ÁGUA - SEDE URBANA. 2. O sistema de abastecimento de água atende toda a população urbana da sede? A. Sim. B. Parcialmente. ANEXO II FORMULÁRIO DE INFORMAÇÕES BÁSICAS DE SANEAMENTO DO MUNICÍPIO Dados do Município Município / UF: Nome do Prefeito(a): Endereço da Prefeitura: Data: / / Telefone: Email: População da Sede Urbana:

Leia mais

Cobrança pelo Uso da Água

Cobrança pelo Uso da Água Oficina de Capacitação dos Convênio Membros SEMA do Comitê / METROPLAN Pardo Convênio SEMA / METROPLAN Oficina de Capacitação dos Membros do Comitê Pardo Cobrança pelo Uso da Água Santa Cruz do Sul, 29/maio/2012

Leia mais

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Apresentação A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, COPASA, criada em 1963, é uma empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política

Leia mais

Joema Gonçalves de Alvarenga Secretária Executiva do CBH-Doce

Joema Gonçalves de Alvarenga Secretária Executiva do CBH-Doce Joema Gonçalves de Alvarenga Secretária Executiva do CBH-Doce A BACIA DO RIO DOCE 2 Características Gerais da Bacia do Rio Doce Área da bacia 86.715 km² Extensão do curso principal Aprox. 850 km População

Leia mais

Gisela Forattini Diretora da Agência Nacional de Águas Conferência Nacional de Segurança Hídrica CNSH 13 a 16 de setembro de 2015 Uberlândia/MG

Gisela Forattini Diretora da Agência Nacional de Águas Conferência Nacional de Segurança Hídrica CNSH 13 a 16 de setembro de 2015 Uberlândia/MG SEGURANÇA HÍDRICA Gisela Forattini Diretora da Agência Nacional de Águas Conferência Nacional de Segurança Hídrica CNSH 13 a 16 de setembro de 2015 Uberlândia/MG SUMÁRIO SEGURANÇA HÍDRICA A EVOLUÇÃO DO

Leia mais

AÇÕES DA GERÊNCIA DE REVITALIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS REVITALIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

AÇÕES DA GERÊNCIA DE REVITALIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS REVITALIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS REVITALIZAÇÃO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS Editais Fehidro 2010/2011/2012/2014 Projetos em execução: 11 Nascentes: 88 Hectares: 212,30 Mudas: 306.400 Total de recurso : R$ 3.970.408,68 Municípios atendidos:

Leia mais

RESOLUÇÃO N o 52, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 (Publicada no DOU em 30/11/05)

RESOLUÇÃO N o 52, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 (Publicada no DOU em 30/11/05) MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 52, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2005 (Publicada no DOU em 30/11/05) Aprova os mecanismos e os valores para a cobrança pelo uso

Leia mais

OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO

OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO SEMINÁRIO INTERNACIONAL PARCERIAS PARA O DESENVOLVIMENTO - PPPs e CONCESSÕES OPORTUNIDADES DE PPPs E CONCESSÕES EM SANEAMENTO Rio de Janeiro, 16 de Abril de 2012 Johnny Ferreira dos Santos Diretor de Água

Leia mais

O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade

O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade O retrato da água no Brasil na visão da Sociedade Enfrentando a escassez da água O Dia da Água, instituído por resolução da assembleia das ONU em 22 de março de 1992, chama atenção da sociedade para a

Leia mais

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA

INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA INTEGRAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS COM O PLANO DE BACIA COBRANÇA PELO USO DA ÁGUA Reconhecer a água como bem econômico e dar ao usuário uma indicação de seu real valor Incentivar

Leia mais

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa

Workshop Saneamento Básico Fiesp. Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Workshop Saneamento Básico Fiesp Planos Municipais de Saneamento Básico O apoio técnico e financeiro da Funasa Presidente da Funasa Henrique Pires São Paulo, 28 de outubro de 2015 Fundação Nacional de

Leia mais

Artigo 2º - Esta Deliberação entra em vigor na data de sua aprovação pelo CBH-AP.

Artigo 2º - Esta Deliberação entra em vigor na data de sua aprovação pelo CBH-AP. Deliberação CBH-AP 022/2000 de 04/02/00. Aprova critérios para fins de hierarquização e seleção dos investimentos a serem indicados ao FEHIDRO. O Comitê das Bacias Hidrográficas dos Rios Aguapeí e Peixe,

Leia mais

I - Fomentar a organização

I - Fomentar a organização Legislação Lei 14.591/2011 Decreto 57.755/2012 Decreto 60.055/2014 I - Fomentar a organização Objetivos II - Estimular a produção da Agricultura Familiar III Favorecer a compra dos produtos da Agricultura

Leia mais