ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps TI/SI Revisão C

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA. RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps 02.112-TI/SI 1410. Revisão C"

Transcrição

1 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA RÁDIO DIGITAL PDH SHF (1+1) 4x2, 8x2, 16x2 Mbps TI/SI 1410 Revisão C SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA - TI GERÊNCIA DE SUPORTE EM INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA TI/SI ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 1

2 Especificação Técnica Rádio SHF Digital PDH 4x2 / 8x2 / 16x2 Mbps Faixas de 7,5 / 8,4 / 15 GHz / 23 GHz TI/SI-1410 C Prep.: FECD Visto: LAB Conf.: CERH / RMP Aprov.: MBA Data: 14/09/2007 Folhas: ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 2

3 ÍNDICE Geral Características Operacionais Capacidade de Transmissão Faixas de Radiofreqüência Codificação dos Pulsos Impedância de Entrada/Saída de RF Impedância de Entrada/Saída de Banda-Básica Níveis de Entrada e Saída de Banda-Básica Eficiência Espectral Estabilidade do "Clock" Freqüência Intermediária (Recomendação do ITU-T) Estágio de Transmissão Estágio de Recepção Canal de Serviço Fonte de Alimentação Consumo Alarmes Alarmes de TX (Principal e Reserva) Alarmes de RX (Principal e Reserva) Alarmes de Fonte Rede de Derivação de RF Sistema Irradiante Características Mecânicas Condições ambientais Requisitos Gerais de Fornecimento Materiais de Instalação Sobressalente Peças de Reserva, Ferramentas Especiais Informações Técnicas Esclarecimentos de Dúvidas Normas e Recomendações... 8 ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 3

4 1.0 - Geral Todos os equipamentos rádio deverão ser fornecidos na configuração (1+1) Hot Stand-by, montagem tipo SPLIT, com sistema de RF externo (Sistema IDU + ODU). A operação é em configuração Isofrequencial ou Heterofrequencial, conforme explicitado no edital, de modo a contemplar os critérios de desempenho e disponibilidade estabelecidos pela CEMIG. É imprescindível o fornecimento do Certificado de Homologação ANATEL dos equipamentos e dos sistemas irradiantes (antenas) para as faixas aos quais se destinam. Para o sistema (1+1) ofertado, deverá existir um chaveador de banda-base ou switch de tributários que garanta a continuidade dos feixes de saída, em caso de comutações. O chaveamento dos transmissores de Principal para Reserva deverá ser automático, feito através de um sensor, que detectará uma queda anormal na potência de saída do transmissor, de 3 a 6 db (ajustável). O chaveamento dos receptores deverá ser feito por uma unidade de chaveamento a qual deverá comutar os receptores nas seguintes situações: Quando a taxa de detecção de erro de Bit (BER) permanecer acima de (10-6 ) por um período não contínuo de 1 minuto, medido em um intervalo de 10 minutos; Quando a taxa de detecção de Erro de Bit (BER) atingir o valor de (10-3 ); O equipamento deverá ser equipado com um duplexador, de forma a permitir o uso de uma só antena, tanto para o transmissor quanto para o receptor. Todas as partes componentes do transceptor rádio, inclusive os equipamentos reserva e chaveador, deverão ser montados em um único bastidor. Neste bastidor, deverá existir um ponto para monitoração do nível de recepção em RF utilizando-se um instrumento externo ou um mostrador digital, no próprio painel, para indicação do nível de CAG e tensão de fonte de alimentação. A ligação entre as unidades IDU e ODU deverá ser realizável em um comprimento de até 300 metros. O equipamento deverá possuir fonte de alimentação duplicada, de modo que a falha de uma delas não venha a comprometer o seu desempenho. Em caso de comutação da Unidade Indoor (IDU) principal, seja por falha, manutenção, etc, os dados de entrada (tributários) deverão ser comutados para a IDU reserva, protegendo dessa forma o tráfego do sistema. O mesmo deverá acontecer para os canais de serviço. O equipamento deverá possuir pelo menos três canais de serviço, sendo um canal ônibus para comunicações de voz seletivas/coletivas entre as estações, um canal digital, padrão V.11 ou RS232 e um canal analógico com terminação 4 fios E+M para interligação com a unidade remota de telessupervisão. Os canais de serviço solicitados devem ser nativos ao equipamento. Alternativamente, o proponente pode ofertar, sem ônus adicional, um par de multiplex PCM sub-equipado para prover estes canais de serviço, utilizando o feixe de 2 Mbps de overhead, se existente. Na inexistência de feixe de 2 Mbps de overhead, para os rádios na configuração 8xE1 e 16xE1, é possível utilizar 1 feixe de tributário de 2 Mbps do próprio rádio para este fim. Para os rádios solicitados na configuração 4xE1, para permitir a utilização de 1 feixe de tributário do próprio rádio, o fornecedor deve prever um upgrade para a configuração de 8xE1, sem ônus adicional. Não serão aceitos dispositivos que utilizem a porta Ethernet para prover os canais de serviço analógicos solicitados. Para o canal de serviço de voz, além da saída para o monofone, o equipamento deverá possuir uma extensão do canal de serviço a fim de possibilitar a interligação desse canal com os de outros equipamentos que operem na mesma estação. Para essa interligação aos canais de serviços de outros rádios, podendo ser de outros fabricantes, deverá possibilitar programação do tipo 4 Fios E&M e/ou DTMF. Somente serão aceitos equipamentos com data de fabricação de no máximo 06 (seis) meses anteriores a esta Especificação Técnica. ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 4

5 2.0 - Características Operacionais Capacidade de Transmissão No mínimo 4, 8 ou 16 feixes de 2 Mbps (conforme explicitado no edital e anexos) não necessariamente sincronizados, obedecendo as portarias e resoluções da ANATEL para fins de capacidade em função das faixas de freqüência x distâncias Faixas de Radiofreqüência As faixas de freqüência serão em SHF, conforme explicitado no Edital. Não serão aceitos equipamentos nas faixas de UHF Codificação dos Pulsos O equipamento deverá ser capaz de operar com os feixes de entrada codificados na forma HDB Impedância de Entrada/Saída de RF 50 Ohms desbalanceada Impedância de Entrada/Saída de Banda-Básica 75 Ohms desbalanceada Níveis de Entrada e Saída de Banda-Básica ± 2,37V +/-10% em 75 Ohms Eficiência Espectral Melhor que 1 bit/hz Estabilidade do "Clock" Melhor que 10 ppm Freqüência Intermediária (Recomendação do ITU-T) Conforme recomendação ITU Estágio de Transmissão Potência de Saída...: Conforme regulamentação da Anatel para a faixa; Emissão de Espúrias... : Conforme regulamentação da Anatel; Estabilidade do Oscilador Local... : ± 20 ppm para a faixa de 0 C até +50 C; Controle do Oscilador Local... : Por circuito do tipo PLL ou melhor, Observação: Valores de potência de saída deverão ser indicados no terminal de saída para antena (após circuito duplexador) Estágio de Recepção Figura de Ruído... : 9 db ou melhor; Rejeição de Freqüência Imagem... : Melhor que 70 db; Estabilidade do Oscilador Local... : ± 20 ppm para a faixa de 0 C até +50 C; Nível de Entrada... : de -90 dbm a -50 dbm; Sensibilidade (Inclui a perda no duplexador)... : informar para limiar de recepção para TEB de 10-3 e de 10-6 ; 2.12 Características dos Canais de Serviço Canal digital: Com interface digital padrão V.11 ou V.24 (RS232) Taxas de 1200 bps a 64 kbps; ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 5

6 Canais analógicos (canal omnibus de voz e canal de serviço a 4 fios E/M) : Faixa destinada aos canais de serviço...: de 0,3 khz a 3,4 khz; Impedância de entrada/saída...: 600 Ohms, balanceada; Nível de entrada...: -14 dbm a -4 dbm; Nível de saída...: - 6 dbm a + 4 dbm, O equipamento deverá permitir uma extensão do canal de serviço analógico de voz para interligação com outros canais de serviço da estação, que apresentem características similares Fonte de Alimentação O equipamento deverá possuir duas fontes de alimentação do tipo conversor CC/CC, dotadas de dispositivo de comutação automática capaz de transferir a alimentação do equipamento para uma única fonte quando a outra apresentar falha operacional. A fonte de alimentação deverá apresentar as seguintes características elétricas: tensão de entrada :-48 Vcc, aceitando variações desde -43 Vcc até -57 Vcc. "ripple" na entrada da fonte: até 50 mv Consumo É desejável que o consumo, na configuração (1+1) "Hot Stand-by", seja, no máximo 200 W por transceptor Alarmes O equipamento rádio deverá possuir alarmes locais, reportando ao sistema de gerência via protocolos internos, devendo também ter como opção interfaceamento para equipamento de telesupervisão através de contatos secos de relés, com indicação visual e auditiva dos seguintes alarmes: Os alarmes poderão ser indicados no painel frontal do equipamento através de sinalização por Leds, devendo obrigatoriamente ser reportados para o sistema de gerência superior, via canal de serviço do rádio, sendo esse canal intrínseco ao equipamento, não devendo ocupar os canais de serviço exteriorizados (canal ônibus, canal de dados do rádio, etc) ou canais de tráfego dos equipamentos multiplex a ele associado. Esses alarmes deverão ser programados para uma saída externa para fins de telessupervisão e deverão ser transferidos através de contatos secos de relés. O equipamento deverá ter capacidade de ser gerenciado e programado remotamente via sistema de gerência SNMP. O proponente deverá esclarecer se a monitoração pode ser executada com softwares abertos e a programação somente com software de gerência proprietário. Deverá existir ponto para conexão com equipamentos e dispositivos tipo Craft Terminal, ou micro computador tipo Notebook, para fins de monitoração, medidas e configuração do equipamento, seja através de porta serial RS-232 ou Ethernet Alarmes de TX (Principal e Reserva) Diminuição do nível de potência de transmissão; Falha no circuito lógico de transmissão; TX fora de freqüência, Alarmes de RX (Principal e Reserva) Queda do nível de entrada (variação de 3 db); Perda do sincronismo do "clock"; Perda do sincronismo da portadora regenerada; Falha no circuito lógico de RX; RX fora de freqüência; Alarmes do Chaveador; Receptor desligado devido a BER (10-6 ); Receptor desligado devido a BER (10-3 ); Falha no chaveador, ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 6

7 Alarmes de Fonte Falha na fonte nº 1; Falha na fonte nº 2; Sobrecorrente na fonte principal; Sobrecorrente na fonte reserva, OBSERVAÇÃO: Deverá ser possível o acompanhamento através do sistema de gerência e a monitoração de desempenho dos enlaces, de acordo com a recomendação G.821 do ITU-T. Essa opção poderá ser habilitada via gerência, quando necessário, visando não congestionar o canal de comunicação com os equipamentos Rede de Derivação de RF A rede de derivação deverá ser equipada com um filtro duplexador, ou similar, com a finalidade de permitir o uso de apenas uma antena na configuração Hot Stand-by. O desacoplamento mínimo provido pelo duplexador, entre o terminal de TX e o de RX, deverá ser superior a 70 db. A perda de inserção total provocada pelo duplexador deverá ser considerada na especificação da potência de saída e no limiar de recepção, sendo estes valores definidos nos terminais de antena Sistema Irradiante De acordo com o pedido específico Características Mecânicas De acordo com o pedido específico Condições ambientais Os equipamentos deverão suportar condições ambientes adversas, dentro dos limites estabelecidos, sem prejuízo as suas operações normais, atendendo as Especificações descritas na Prática Telebrás N , preferencialmente deverão obedecer: Temperatura: -5 C a + 55 C para unidades Indoor; -5 C a + 60 C para unidades Outdoor. Umidade: De 5 a 90% sem condensação. 3.0 Requisitos Gerais de Fornecimento Materiais de Instalação O fabricante deverá fornecer todos os acessórios, cabos e materiais específicos do equipamento, necessários para a instalação e operação, incluindo cabos de interligação entre bastidores, cabos de energia, conectores, presilhas, cabos de aterramento, ferragens, etc. O cabo coaxial de interligação IDU / ODU, caso seja padrão RGC213 ou RG213/U, não necessita ser fornecido Sobressalente Deverão ser fornecidos pelo menos um módulo sobressalente para o rádio (ODU, IDU, fonte, etc.), por exemplo: Tipo de Placa IDU completa (todos módulos e acessórios para operar como IDU principal) Quantidade 01 ODU (TX alta ) 01 ODU (TX baixa ) 01 ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 7

8 3.3 - Peças de Reserva, Ferramentas Especiais. O proponente deverá cotar as peças necessárias que julgar necessário, além da solicitação mínima, em função das particularidades do equipamento proposto. Essa cotação não entrará na avaliação de proposta Informações Técnicas O PROPONENTE deverá prestar esclarecimentos e informações técnicas sobre instalação e/ou funcionamento dos equipamentos, que venham a ser solicitadas pela CEMIG Esclarecimentos de Dúvidas Conforme condições do Edital Normas e Recomendações O equipamento a ser fornecido deverá estar de acordo com as seguintes Normas e Recomendações: Recomendações G.702, G.703, G.704, G.711, G.712, G.821, G.826 e M.3010 do ITU T; Prática Telebrás Procedimentos Gerais para Instalação de Equipamentos dos Sistemas de Transmissão Digital Emissão 02/FEV/1993; Prática Telebrás Características Básicas para execução do Projeto, Fabricação e Montagem de Placas de Circuito Impresso - Emissão 03/ABR/1990; Prática Telebrás Especificação para Documentação Técnica - Manual de Equipamento - Emissão 01/MAI/1986; Prática Telebrás Especificação para Documentação Técnica - Manual de Instalação - Emissão 01/MAI/1986; Prática Telebrás Especificação para Documentação Técnica - Manual de Componentes Emissão 01/OUT/1986. Prática Telebrás Termos Técnicos de Telecomunicações - Emissão 02/DEZ/1989; Prática Telebrás Condições Ambientais Aplicáveis a Equipamentos de Telecomunicações e Equipamentos Auxiliares - Emissão 01/JUL/1991; Prática TELEBRÁS n.º Conceitos de Gerência Integrada de Redes e Rede de Gerência de Telecomunicações ; Resolução Anatel nº 129, de 26 de maio de Regulamento sobre canalização e condições de uso da faixa de 15 GHz; Resolução Anatel nº 106, de 25 de fevereiro de 1999 Regulamento sobre canalização e condições de uso da faixa de 8,5 GHz; Portaria do Ministério das Comunicações nº 140 de 17/05/1995 Publica a Norma 001/95 Canalização e condições de uso de freqüências para sistemas rádio digital operando na faixa de 7,5 GHz ; Portaria do Ministério das Comunicações nº 83 de 30/12/1993 Publica a Norma 003/92 Canalização e condições de uso de freqüências para rádio digital operando na faixa de 23 GHz ; ET TI/SI 1410 c 14/9/2007 Pág. 8

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE

ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE ESPECIFICAÇÃO MÍNIMA PARA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25, FASE COM SISTEMA IRRADIANTE COMPOSIÇÃO DA ESTAÇÃO REPETIDORA DIGITAL P25 A estação repetidora digital P25 será composta pelos seguintes equipamentos:

Leia mais

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES MONOCANAIS ANALÓGICOS AM

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES MONOCANAIS ANALÓGICOS AM ANEXO À RESOLUÇÃO N o 370, DE 13 DE MAIO DE 2004. NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES MONOCANAIS ANALÓGICOS AM 1. Objetivo Esta norma estabelece os requisitos técnicos

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REMOTA DE TELESSUPERVISÃO 02.112-TI/SI 1411 D

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REMOTA DE TELESSUPERVISÃO 02.112-TI/SI 1411 D ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA REMOTA DE TELESSUPERVISÃO 02.112-TI/SI 1411 D SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA - TI GERÊNCIA DE SUPORTE EM INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES E INFORMÁTICA TI/SI

Leia mais

HS/SM. Sistema de Rádio Microondas de Montagem Dividida. Características do Produto

HS/SM. Sistema de Rádio Microondas de Montagem Dividida. Características do Produto HS/SM Sistema de Rádio Microondas de Montagem Dividida Hardware Available configurations Default 155 Mbps @ 128 QAM 28 MHz Ch BW Option 310 Mbps @ 128 QAM 56 MHz Ch BW Full Duplex TX + RX 1 + 0 Half Duplex

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 Versão 1.01 Infinium Automação Industrial Ltda contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O rádio modem RMC-900 foi projetado para utilização em sistemas

Leia mais

ANEXO À RESOLUÇÃO N o 492, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008

ANEXO À RESOLUÇÃO N o 492, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008 ANEXO À RESOLUÇÃO N o 492, DE 19 DE FEVEREIRO DE 2008 NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DIGITAIS PARA O SERVIÇO FIXO EM APLICAÇÕES PONTO- MULTIPONTO NAS FAIXAS DE FREQUÊNCIAS

Leia mais

Manual do Usuário PRELIMINAR

Manual do Usuário PRELIMINAR Manual do Usuário PRELIMINAR Introdução O conversor KR-485/USB é a solução rápida e segura para a interface entre o PC e barramentos de comunicação industrial RS-485 ou RS-422. Ao ligar o KR-485/USB à

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. AQUISITOR DE DADOS Modelo A202 Versão 1.04 / Revisão 06

MANUAL DE INSTRUÇÕES. AQUISITOR DE DADOS Modelo A202 Versão 1.04 / Revisão 06 MANUAL DE INSTRUÇÕES AQUISITOR DE DADOS Modelo A202 Versão.04 / Revisão 06 2 ÍNDICE Item Página. Introdução...3 2. Características...4 3. Especificações...5 3. Entradas universais...5 3.2 Saídas a relé...5

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM SPREAD SPECTRUM RMSS-900 V2

MANUAL RÁDIO MODEM SPREAD SPECTRUM RMSS-900 V2 MANUAL RÁDIO MODEM SPREAD SPECTRUM RMSS-900 V2 Versão 2.03 Infinium Automação Industrial Ltda Site: email: contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O Rádio modem RMSS-900V2 foi projetado para utilização

Leia mais

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV

ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA AS CÂMARAS MUNICIPAIS INTEGRANTES DA REDE LEGISLATIVA DE RÁDIO E TV 1. Nova configuração de transmissão via Satélite A Câmara dos Deputados irá adotar uma nova configuração de

Leia mais

16/24 Portas Comutador de Ethernet Rápida montável em Computador de Secretária & Prateleira

16/24 Portas Comutador de Ethernet Rápida montável em Computador de Secretária & Prateleira 16/24 Portas Comutador de Ethernet Rápida montável em Computador de Secretária & Prateleira Manual de Utilizador Certificação Declaração FCC Este equipamento foi testado e comprovado estar em conformidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA AUTOR MATRÍCULA RUBRICA LEONARDO ALEX COSTA ALVES 14.722-35 VALIDADOR MATRÍCULA RUBRICA ALEX TAKASHI YOKOYAMA 16.

TERMO DE REFERÊNCIA AUTOR MATRÍCULA RUBRICA LEONARDO ALEX COSTA ALVES 14.722-35 VALIDADOR MATRÍCULA RUBRICA ALEX TAKASHI YOKOYAMA 16. TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE SISTEMA ININTERRUPTO DE ENERGIA - NO-BREAK, PARA A SUPERINTENDENCIA REGIONAL DO NORTE, PELO SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS. AUTOR MATRÍCULA RUBRICA LEONARDO ALEX COSTA ALVES

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-400

Descritivo Técnico AirMux-400 Multiplexador Wireless Broadband Principais Características Rádio e Multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1 e Ethernet; Opera na faixa de 2.3 a 2.5 Ghz e de 4.8 a 6 Ghz; Tecnologia do radio:

Leia mais

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica

Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Companhia Estadual de Distribuição de Energia Elétrica Divisão de Subtransmissão / Departamento de Automação e Telecomunicação Especificação Técnica ETD 00.042 Rádio Comunicação Móvel VHF Dados e Voz Versão:

Leia mais

Camada Física. Camada Física

Camada Física. Camada Física Camada Física Camada Física lida com a transmissão pura de bits definição do meio físico, níveis de tensão, duraçãodeumbit,taxade transmissão,comprimento máximo, construção dos conectores 1 Camada Física

Leia mais

PROCEDIMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA EQUIPAMENTO ELETRÔNICO PARA CONVERSÃO DE VOLUME DE GÁS NATURAL ÍNDICE DE REVISÕES

PROCEDIMENTO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA PARA EQUIPAMENTO ELETRÔNICO PARA CONVERSÃO DE VOLUME DE GÁS NATURAL ÍNDICE DE REVISÕES UNIDADE: GERAL 1 de 14 ÍNDICE DE REVISÕES Rev. 0 EMISSÃO INICIAL DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS Rev. 0 Rev. 1 Rev. 2 Rev. 3 Rev. 4 Rev. 5 Rev. 6 Rev. 7 Rev. 8 DATA: 18/04/13 ELABORAÇÃO: Andre VERIFICAÇÃO:

Leia mais

Proposta Técnica NOBREAK TOP-DSP

Proposta Técnica NOBREAK TOP-DSP Proposta Técnica NOBREAK TOP-DSP Informações Gerais A linha de nobreaks TOP-DSP é um avançado Sistema Ininterrupto de Potência (UPS) do tipo on-line de dupla conversão (de acordo com a NBR 15014:2003),

Leia mais

CGW-P Gateway ISDN GSM

CGW-P Gateway ISDN GSM Interface de conexão TDM entre PABX e rede Celular Interconecte seu PABX ou Switch TDM com a rede celular GSM O gateway CGW-P é um dispositivo que interconecta seu PABX ou switch de voz com as redes celulares

Leia mais

Aparelho Celular. Estudo elaborado com intuito de facilitar a compreensão do funcionamento de um aparelho celular através de uma linguagem simples.

Aparelho Celular. Estudo elaborado com intuito de facilitar a compreensão do funcionamento de um aparelho celular através de uma linguagem simples. Aparelho Celular Estudo elaborado com intuito de facilitar a compreensão do funcionamento de um aparelho celular através de uma linguagem simples. O Diagrama em bloco do aparelho celular apresentado é

Leia mais

5 Setup de Medidas. 5.1. Introdução

5 Setup de Medidas. 5.1. Introdução 5 Setup de Medidas 5.1. Introdução Para realização desse trabalho foi montada uma configuração de setup de medidas em UHF, mais precisamente no canal 42, freqüência central de 641 MHz em acordo com o Plano

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO

TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE UNIDADES REMOTAS PARA CONEXÃO COM SISTEMA SUPERVISÓRIO 1 OBJETIVO... 2 2 REMOTA... 2 2.1 DESCRIÇÃO GERAL... 2 2.2 ALIMENTAÇÃO... 2 2.3 RELÓGIO INTERNO... 2 2.4 ENTRADA DE PULSOS... 2 2.5 ENTRADA DIGITAL AUXILIAR... 2 2.6 REGISTRO DA CONTAGEM DE PULSOS (LOG)

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Portaria Inmetro /Dimel n.º 260, de 14

Leia mais

4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição

4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição 4 Descrição do Sistema e Campanha de Medição Neste capítulo são descritos o sistema de transmissão, recepção e aquisição de dados utilizados no experimento. São descritas, ainda, a metodologia utilizada

Leia mais

Manual do Leitor ATG-Basic

Manual do Leitor ATG-Basic Manual do Leitor ATG-Basic O leitor ATG-Basic foi desenvolvido para uso em controle de acesso veicular. Esse leitor é para ser usado conectado à uma controladora através das interfaces Wiegand, Abatrack,

Leia mais

Capítulo 2: Introdução às Redes de Computadores Camada Física. Redes para Automação Industrial Luiz Affonso Henderson Guedes

Capítulo 2: Introdução às Redes de Computadores Camada Física. Redes para Automação Industrial Luiz Affonso Henderson Guedes Capítulo 2: Introdução às Redes de Computadores Camada Física Redes para Automação Industrial Luiz Affonso Henderson Guedes Camada Física Trata da geração de sinais físicos e sua propagação através do

Leia mais

Super Star Banda Larga 6...38GHz. Rádio Digital PDH Manual de Usuário

Super Star Banda Larga 6...38GHz. Rádio Digital PDH Manual de Usuário Super Star Banda Larga 6...38GHz Rádio Digital PDH Manual de Usuário Conteúdo Capítulo 1 Descrição de Sistema... 3 1.1 Sobre este Manual... 3 1.2 Introdução... 3 1.3 Características de Sistema... 4 1.4

Leia mais

ECOTEL ISDN2 DB Twin TC

ECOTEL ISDN2 DB Twin TC ECOTEL ISDN2 DB Twin TC ECOTEL ISDN2 1 - Descrição do Equipamento ECOTEL ISDN2 BD Twin TC A ligação directa a redes móveis. Os interfaces da gama Ecotel da Vierling, permitem o estabelecimento de uma ligação

Leia mais

MEDIÇÃO DE TAXA DE ERRO DE BIT Alba Angélica Ratis

MEDIÇÃO DE TAXA DE ERRO DE BIT Alba Angélica Ratis Universidade Federal do Rio Grande do Norte Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Instrumentação Eletrônica Professor: Luciano Cavalcanti MEDIÇÃO DE TAXA DE ERRO DE BIT Alba Angélica Ratis Este

Leia mais

PCPT 4 ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω ) PCPT4 SmA ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω e saída 4... 20mA )

PCPT 4 ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω ) PCPT4 SmA ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω e saída 4... 20mA ) MANUAL DE OPERAÇÃO PCPT 4 ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω ) PCPT4 SmA ( com 4 entradas para sensores RTD Pt100Ω e saída 4... 20mA ) VERSÃO 4.04 RELÉ DE PROTEÇÃO TÉRMICA ( ANSI 23/26/49 ) CONTROLE

Leia mais

COMUNICAÇÃO SERIAL ENTRE EQUIPAMENTOS

COMUNICAÇÃO SERIAL ENTRE EQUIPAMENTOS COMUNICAÇÃO SERIAL ENTRE EQUIPAMENTOS 1 Introdução Para transmitir ou receber informações de outros dispositivos é necessário que os sistemas automáticos sejam capazes de comunicarem-se com estes dispositivos.

Leia mais

UMG 103 Equipamento de medição universal. para montagem em trilho DIN UMG 103

UMG 103 Equipamento de medição universal. para montagem em trilho DIN UMG 103 UMG 103 UMG 103 Equipamento de medição universal para montagem em trilho DIN Os dispositivos de medição universal da família de produtos UMG 103 foram principalmente concebidos para serem utilizados em

Leia mais

(21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br

(21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Manual do Usuário Placa CLPIC Índice 1. Introdução... 03 2. Chapeado da Placa... 04 3. Conector

Leia mais

Rádios Licenciados. O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel.

Rádios Licenciados. O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel. Rádios Licenciados O que significa licenciado: Significa que requer uma licença de uso de frequência concedida pela Anatel. Qual é a vantagem: 1 Os canais em uso são registrados pela Anatel e a base de

Leia mais

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia

Módulo WCM200. Controlador WSI250 - HI Tecnologia Automação Industrial Módulo Controlador WSI250 - HI Tecnologia W i re l e s s S i g n a l I n t e r fa c e O conteúdo deste documento é parte do Manual do Usuário do controlador WSI250 da HI tecnologia

Leia mais

INFRA-ESTRUTURA PARA INSTALAÇÃO, ATIVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE EILD

INFRA-ESTRUTURA PARA INSTALAÇÃO, ATIVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE EILD ANEXO 5 Contrato de Fornecimento de Serviços de Exploração Industrial de Linhas Dedicadas EILD entre a BRASIL e a OPERADORA INFRA-ESTRUTURA PARA INSTALAÇÃO, ATIVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DE EILD Página 1 de 7

Leia mais

PHD TR MD 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1.1 CARACTERÍSTICAS BÁSICAS. 1.1.1. Sistema Hot-plug e Hot-Swap de acréscimo ou desligamento de módulos;

PHD TR MD 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1.1 CARACTERÍSTICAS BÁSICAS. 1.1.1. Sistema Hot-plug e Hot-Swap de acréscimo ou desligamento de módulos; PHD TR MD 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS 1.1 CARACTERÍSTICAS BÁSICAS 1.1.1. Sistema Hot-plug e Hot-Swap de acréscimo ou desligamento de módulos; 1.1.2. Módulos de potência em formato rack 19, altura 3U; 1.1.3.

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS

CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS CADERNO DE ENCARGOS E ESPECIFICAÇÕES GERAIS Instalação do sistema de geração de ozônio na piscina coberta do Centro de Atividades do SESC Ceilândia. Brasília-DF COMAP/DIAD Página 1 BASES TÉCNICAS PARA

Leia mais

GUIA DO USUÁRIO. Adaptador Ethernet PoE+ Coaxial AXIS T8640 PORTUGUÊS

GUIA DO USUÁRIO. Adaptador Ethernet PoE+ Coaxial AXIS T8640 PORTUGUÊS GUIA DO USUÁRIO Adaptador Ethernet PoE+ Coaxial AXIS T8640 PORTUGUÊS Compatibilidade eletromagnética (EMC) Este equipamento gera, usa e pode irradiar energia de radiofrequência e, caso não seja instalado

Leia mais

96040A. Fonte de referência com baixo ruído de fase. Dados técnicos. Simplifique seu sistema de calibração de RF. Principais benefícios

96040A. Fonte de referência com baixo ruído de fase. Dados técnicos. Simplifique seu sistema de calibração de RF. Principais benefícios 96040A Fonte de referência com baixo ruído de fase Dados técnicos Simplifique seu sistema de calibração de RF A Fonte de referência de RF Fluke Calibration 96040A permite simplificar seu sistema de calibração

Leia mais

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014

RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 Sabará, 11 de setembro de 2014 RETIFICAÇÃO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 053/2014 A Prefeitura Municipal de Sabará, por meio da Secretaria Municipal de Administração, resolve, por questões administrativas, retificar

Leia mais

RÁDIO TRANSCEPTOR MÓVEL DIGITAL P 25 FASE 2

RÁDIO TRANSCEPTOR MÓVEL DIGITAL P 25 FASE 2 DIRETORIA DE APOIO LOGÍSTICO TECNOLOGIA, ESPECIFICAÇÃO E NORMALIZAÇÃO TÉCNICA - DAL 5 RÁDIO TRANSCEPTOR MÓVEL DIGITAL P 25 FASE 2 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MÍNIMA PARA RÁDIO TRANSCEPTOR VHF MÓVEL DIGITAL P25

Leia mais

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B Hamtronix CRD200 - Manual de Instalação e Operação Software V 2.0 Hardware Revisão B INTRODUÇÃO Índice...01 Suporte On-line...01 Termo de Garantia...01 Em Caso de Problemas (RESET)...01 Descrição do Produto...02

Leia mais

SMR - Sistema de Medição Remota

SMR - Sistema de Medição Remota Data da 1 / 12 SUMÁRIO: 1. FINALIDADE 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. DEFINIÇÕES 4. MÃO-DE-OBRA EMPREGADA 5. EPI S 6. DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA 7. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DOS HIDROMÊTROS 8. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

Leia mais

Estação de FM Estereofônica MTFM98- RADCOM (5)

Estação de FM Estereofônica MTFM98- RADCOM (5) Estação de FM Estereofônica MTFM98- RADCOM (5) 1 Como utilizar este manual. Este manual tem como objetivo principal levar ao cliente da Montel Sistemas de Comunicação Ltda., informações genéricas a respeito

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com RESUMO 1 COMUTAÇÃO DE CIRCUITOS Reservados fim-a-fim; Recursos são dedicados; Estabelecimento

Leia mais

857 Sistema de proteção. Para proteção do motor e do alimentador Boletim 857, Série A Guia de especificação

857 Sistema de proteção. Para proteção do motor e do alimentador Boletim 857, Série A Guia de especificação 857 Sistema de proteção Para proteção do motor e do alimentador Boletim 857, Série A Guia de especificação Sumário Seção Descrição Página 1.0 Funções de proteção... 1 Proteção Synchrocheck (25)... 1 Proteção

Leia mais

MODELOS CP - 8000 E CP - 8001 V 2006

MODELOS CP - 8000 E CP - 8001 V 2006 ELETRIFICADOR DE CERCAS DE SEGURANÇA MODELOS CP - 8000 E CP - 8001 V 2006 MANUAL DO USUÁRIO INDÚSTRIA BRASILEIRA www.atdshelter.com.br JANEIRO / 2007 ATENÇÃO!!! INFORMAÇÕES IMPORTANTES Leia atentamente

Leia mais

Controle Remoto + Inclinometro + Limitador de Momento AFT-RCT-TRM6+LME

Controle Remoto + Inclinometro + Limitador de Momento AFT-RCT-TRM6+LME Folha 01 de 12 APLICAÇÃO O C o n t r o l e R e m o t o A l f a t r o n i c A F T - R C T - TRM6+LME(Transmissor e Receptor) foi desenvolvido para a operação à distância de equipamentos tais como guindastes

Leia mais

Controladora CT370 Manual Versão 3.2 Revisão 0 Outubro/2014

Controladora CT370 Manual Versão 3.2 Revisão 0 Outubro/2014 Controladora CT370 Manual Versão 3.2 Revisão 0 Outubro/2014 Sumário 1. Apresentação... 4 2. Itens que Acompanham... 4 3. Especificações Técnicas... 4 4. Características Gerais... 5 5. Visão Geral do Equipamento...

Leia mais

Sistema de debate digital CCS 1000 D 1. Sistema de debate digital CCS 1000 D Compacto, mas versátil

Sistema de debate digital CCS 1000 D 1. Sistema de debate digital CCS 1000 D Compacto, mas versátil Sistema de debate digital CCS 1000 D 1 Sistema de debate digital CCS 1000 D Compacto, mas versátil 2 Sistema de debate digital CCS 1000 D Concebido para reuniões plug-and-play, simplificadas e extremamente

Leia mais

Rastreador RST-VT RST. Manual do Usuário. Versão 1.3 RST-VT

Rastreador RST-VT RST. Manual do Usuário. Versão 1.3 RST-VT Rastreador RST Manual do Usuário Versão 1.3 Rastreador Emissão: Revisão 1.4 Data: 12/03/2012 Número de Páginas 24 Histórico de Revisões DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTORES 06/10/2011 1.3 05/10/2011 1.2 19/09/2011

Leia mais

Tecnologia de faixa para falha

Tecnologia de faixa para falha Tecnologia de faixa para falha Por Tom Bell e John Nankivell Índice 1. Introdução 1 2. Equipamento de teste / processo de teste de PIM existente 2 3. Nova análise de RTF / limitações técnicas 3 4. Fluxograma

Leia mais

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Para a confecção das PCIs (Placa de Circuito Impresso) foram compiladas algumas sugestões práticas para o bom desenvolvimento das mesmas. Estas recomendações

Leia mais

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DE ESTAÇÕES RÁDIO BASE E DE ESTAÇÕES REPETIDORAS

NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DE ESTAÇÕES RÁDIO BASE E DE ESTAÇÕES REPETIDORAS ANEXO À RESOLUÇÃO N o 554, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010 NORMA PARA CERTIFICAÇÃO E HOMOLOGAÇÃO DE TRANSMISSORES E TRANSCEPTORES DE ESTAÇÕES RÁDIO BASE E DE ESTAÇÕES REPETIDORAS 1. Objetivo Esta Norma estabelece,

Leia mais

Plano Plurianual da Distribuição. Turn Key 1. Dados e Informações para Projeto sobre as. SE S Esmeraldas e Jaboticatubas

Plano Plurianual da Distribuição. Turn Key 1. Dados e Informações para Projeto sobre as. SE S Esmeraldas e Jaboticatubas Doc. TC 00267/2009 SUPERINTENDÊNCIA DE TELECOMUNICAÇÕES GERÊNCIA DE MANUTENÇÃO DE INFRA-ESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES Plano Plurianual da Distribuição Turn Key 1 Dados e Informações para Projeto sobre

Leia mais

Building Technologies

Building Technologies Building Technologies Detecção de Incêndio Catálogo de Produtos BC80 Índice Página 1. Central de Detecção e Alarme de Incêndio Série BC8001... 4 BC8001/e Central de Detecção e Alarme de Incêndio BC8001

Leia mais

SUPLEMENTO Nº 02. O presente Suplemento tem por finalidade introduzir no Edital da Licitação as seguintes alterações:

SUPLEMENTO Nº 02. O presente Suplemento tem por finalidade introduzir no Edital da Licitação as seguintes alterações: SUPLEMENTO Nº 02 O presente Suplemento tem por finalidade introduzir no Edital da Licitação as seguintes alterações: 1. A data limite de acolhimento de propostas fica alterada para 19.02.2008. 2. A CLÁUSULA

Leia mais

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO

DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DIRETORIA DE OPERAÇÃO DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO DOP TERMO DE REFERÊNCIA 011/2010 - DOP PROJETO DE AUTOMAÇÃO DAS SUBESTAÇÕES ARIQUEMES, JARU, JI-PARNÁ I, CACOAL, PIMENTA BUENO, ESPIGÃO

Leia mais

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP.

Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. Comparativo entre câmeras analógicas e Câmeras IP. VANTAGENS DAS SOLUÇÕES DE VIGILÂNCIA DIGITAL IP É verdade que o custo de aquisição das câmeras digitais IP, é maior que o custo de aquisição das câmeras

Leia mais

Comunicação condominial. Portfólio

Comunicação condominial. Portfólio Comunicação condominial Portfólio Centrais de portaria Porteiros eletrônicos Terminais de portaria Placas Sistema de controle de acessos condominial SCA 1000 Sistema de vídeo IP SVIP 1000 Centrais de portaria

Leia mais

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.

DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS. Especificações Técnicas. Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00. COMPANHIA ESTADUAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA DIVISÃO DE MANUTENCAO DEPARTAMENTO DE MANUTENCAO DE SISTEMAS DIGITAIS Especificações Técnicas Rádios Banda Larga 5.8GHz e Antenas ETD- 00.058 Cod.

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 Versão 1.00 Agosto 2012 Infinium Automação Industrial Ltda contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O rádio modem RMC-900 foi projetado para utilização

Leia mais

UTRMV2. Manual Técnico. Controladora OEM. Maxtel Tecnologia Ltda. Maxtel Tecnologia Ltda. Outubro / 2.005

UTRMV2. Manual Técnico. Controladora OEM. Maxtel Tecnologia Ltda. Maxtel Tecnologia Ltda. Outubro / 2.005 Manual Técnico Controladora OEM UTRMV2 (Unidade Terminal Remota Microcontrolada - V2) Maxtel Tecnologia Ltda. Outubro / 2.005 Maxtel Tecnologia Ltda. - e-mail: suporte@maxtel.com.br Manual Técnico - UTRMV2

Leia mais

Medidores de energia e multimedidores digitais

Medidores de energia e multimedidores digitais Medidores de energia e multimedidores digitais Medição de Energia Elétrica Eficiência Energética Rateio de Energia Elétrica, Água e Gás Medição Horosazonal (Ponta e Fora de Ponta) Sistemas de Comunicação

Leia mais

Treinamento Técnico Wireless 2015

Treinamento Técnico Wireless 2015 Treinamento Técnico Wireless 2015 TERMINAL CELULAR FIXO TCF-100D 1 - Torre com pára-raios e bom aterramento (vide norma NBR-5419). Sistema SPDA - Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas 2 - Possibilita

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES PARA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV CFTV PARA O ESCRITÓRIO REGIONAL DA ANATEL NO RIO GRANDE DO SUL ER05,

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES PARA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV CFTV PARA O ESCRITÓRIO REGIONAL DA ANATEL NO RIO GRANDE DO SUL ER05, ANEXO I CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES ANATEL CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES PARA IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE CIRCUITO FECHADO DE TV CFTV PARA O ESCRITÓRIO REGIONAL DA ANATEL NO RIO GRANDE DO SUL ER05, SITUADO EM

Leia mais

Especificações Técnicas e Funcionais

Especificações Técnicas e Funcionais Introdução Especificações Técnicas e Funcionais A presente Especificação, elaborada pela São Paulo Transporte S.A. SPTrans, tem como objetivo estabelecer os requisitos técnicos, operacionais e funcionais

Leia mais

AUTOMOVEL DE SERVICO TIPO MONOVOLUME 1800CC., EQUIPADO COM RADIO TRANSCEPTOR E PORTA ALGEMAS (COMPLEMENTO DAS ESPECIFICAÇÕES)

AUTOMOVEL DE SERVICO TIPO MONOVOLUME 1800CC., EQUIPADO COM RADIO TRANSCEPTOR E PORTA ALGEMAS (COMPLEMENTO DAS ESPECIFICAÇÕES) AUTOMOVEL DE SERVICO TIPO MONOVOLUME 1800CC., EQUIPADO COM RADIO TRANSCEPTOR E PORTA ALGEMAS (COMPLEMENTO DAS ESPECIFICAÇÕES) CONDIÇÕES ESPECÍFICAS Porta algemas: Porta algemas estruturado em perfil de

Leia mais

PREGÃO PRESENCIAL Nº 27/15. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

PREGÃO PRESENCIAL Nº 27/15. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA PREGÃO PRESENCIAL Nº 27/15. ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Constitui objeto da presente licitação o registro de preços para implantação de sistema de telefonia digital (PABX) baseado em servidor IP, com fornecimento

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Uma rede de computadores é um sistema de comunicação de dados constituído através da interligação de computadores e outros dispositivos, com a finalidade de trocar informação e partilhar

Leia mais

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO

CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO O computador não é uma máquina interessante se não pudermos interagir com ela. Fazemos isso através de suas interfaces e seus periféricos. Como periféricos serão considerados os

Leia mais

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO

ESCOPO DA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025 ENSAIO Norma de Origem: NIT-DICLA-013 Folha: 1 / 23 RAZÃO SOCIAL/DESIGNAÇÃO DO LABORATÓRIO NORMATEL LTDA / DIVISÃO DE S LABORATORIAIS (LABORATÓRIO DE TELECOMUNICAÇÕES) EQUIPAMENTOS TERMINAIS COM INTERFACEAMENTO

Leia mais

2 Conceitos de transmissão de dados

2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceitos de transmissão de dados 2 Conceitos de transmissão de dados 1/37 2.4 Camada física do Modelo OSI 2.4 Camada física do modelo OSI 2/37 Interfaces série entre utilizador e rede DTE (Data terminal

Leia mais

hypermic Manual do Usuário

hypermic Manual do Usuário hypermic Manual do Usuário Instruções de Segurança 1. Leia estas instruções antes de operar a unidade. 2. Mantenha estas instruções para referência futura. 3. Siga todos os avisos para assegurar a operação

Leia mais

Condicionadores de Sinais

Condicionadores de Sinais Transmissores/condicionadores de sinal de saída digital e analógica Séries idrn/idrx U Saída Analógica ou Digital U Modelos disponíveis para: termopar, RTD, tensão de processo e corrente, deformação/tensão

Leia mais

6 Simulação do Canal de TV Digital

6 Simulação do Canal de TV Digital 6 Simulação do Canal de TV Digital 6.1. Simulação com os Programas SIRCIM e SMRSIM O Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) irá operar basicamente em duas configurações: - Antena transmissora externa

Leia mais

TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO. Email: fujio.yamada@mackenzie.br

TV DIGITAL APLICADA NA EDUCAÇÃO. Email: fujio.yamada@mackenzie.br II SIMPOSIO INTERNACIONAL SOBRE NOVAS COMPETENCIAS EM TECNOLOGIA DIGITAL INTERATIVAS NA EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE TV DIGITAL DR. PROF. FUJIO YAMADA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Email: fujio.yamada@mackenzie.br

Leia mais

Circuitos de Comunicação Introdução

Circuitos de Comunicação Introdução Circuitos de Comunicação Introdução Gil Pinheiro UERJ-FEN-DETEL Circuitos de Comunicação Objetivo: Estudar os blocos funcionais eletrônicos e de processamento digital de sinais que são utilizados nas comunicações

Leia mais

Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²)

Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²) Especificação técnica do Video Wall do Tipo I (5m²) 1. Esta Especificação destina-se a orientar as linhas gerais para o fornecimento de equipamentos. Devido às especificidades de cada central e de cada

Leia mais

SISTEMA DE TREINAMENTO MULTIFUNCIONAL MODELO: ED-2110. www.minipa.com.br USB CARACTERÍSTICAS ED-2110

SISTEMA DE TREINAMENTO MULTIFUNCIONAL MODELO: ED-2110. www.minipa.com.br USB CARACTERÍSTICAS ED-2110 SISTEMA DE TREINAMENTO MULTIFUNCIONAL MODELO: PROPOSTA TÉCNICA CARACTERÍSTICAS Display de LCD TFT Touch. Realiza experimentos sem necessidade de um sistema de medição a parte. Possibilidade de programação

Leia mais

A. LUMINÁRIAS LED UTILIZADAS NA PPP DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

A. LUMINÁRIAS LED UTILIZADAS NA PPP DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Metodologia para Credenciamento e Apuração de Conteúdo Local de Luminárias LED no Credenciamento de Fabricantes Informatizado CFI do BNDES para apoio financeiro a PPP de Iluminação Pública de São Paulo

Leia mais

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES

15/02/2012. IV.2_Controle e Automação II. Introdução. Conteúdo SENSORES IV.2_Controle e Automação II Formando Profissionais Para o Futuro SENSORES Introdução No estudo da automação em sistemas industriais, comerciais e/ou residenciais há a necessidade de determinar as condições

Leia mais

Maxiva UAX. Transmissor de TV UHF Refrigerado a Ar para Multimídia. Detalhes do Produto. Características. PowerSmart de GatesAir

Maxiva UAX. Transmissor de TV UHF Refrigerado a Ar para Multimídia. Detalhes do Produto. Características. PowerSmart de GatesAir Maxiva UAX Transmissor de TV UHF Refrigerado a Ar para Multimídia O transmissor Maxiva UAX de estado sólido UHF refrigerado a ar incorpora as tecnologias PowerSmart de GatesAir e do excitador multimídia

Leia mais

Hand-held de temperatura Modelo CTH7000

Hand-held de temperatura Modelo CTH7000 Tecnologia de calibração Hand-held de temperatura Modelo CTH7000 Folha de dados WIKA CT 55.50 Aplicações Termômetro de precisão para medições de temperatura com alta exatidão em uma faixa de -200... +962

Leia mais

Manual de Operação e Instalação

Manual de Operação e Instalação Manual de Operação e Instalação Transmissor de nível Cod: 073AA-005-122M Rev. A Série LT-200 Fevereiro / 2004 S/A. Rua João Serrano, 250 Bairro do Limão São Paulo SP CEP 02551-060 Fone: (11) 3488-8999

Leia mais

2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5

2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5 1 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Instalação... 4 2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5 3. Atualizando o receptor... 8 3.1 Qual o software

Leia mais

KPF08 e KPF-12. Controladores de Fator de Potência. [1] Introdução. [4] Grandezas medidas. [2] Princípio de funcionamento.

KPF08 e KPF-12. Controladores de Fator de Potência. [1] Introdução. [4] Grandezas medidas. [2] Princípio de funcionamento. [1] Introdução Controladores de fator de potência são instrumentos utilizados para medição e compensação de potência reativa em instalações elétricas. O fator de potência, definido pela razão entre potência

Leia mais

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO

CENTRAL DE ALARME COM FIO AW-211 CONTROLE REMOTO CENTRAL DE ALARME COM FIO AW2 CONTROLE REMOTO CARACTERÍSTICAS DO APARELHO Central de alarme de setor com fio; Caixa plástica com alojamento para bateria selada de 7 A/H; Carregador de bateria incorporado;

Leia mais

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS

SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS SUMÁRIO SEÇÃO 1 DADOS GERAIS 1.1 INTRODUÇÃO... 3 1.2 APRESENTAÇÃO... 3 1.3 ASSISTÊNCIA TÉCNICA... 3 1.4 INSPEÇÃO NO ATO DO RECEBIMENTO... 3 1.5 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PROCESSADOR DE ÁUDIO PARA FM FMP-300...4

Leia mais

Leitor MaxProx-Lista

Leitor MaxProx-Lista Leitor MaxProx-Lista O leitor de cartões de proximidade MaxProx-Lista é destinado aos Integradores de Controle de Acesso. Ele foi especialmente projetado para controle de acesso, para ser usado Stand Alone

Leia mais

Bibliografia. Termos comuns em VoIp. Termos comuns em VoIp. Programa de Telecomunicações

Bibliografia. Termos comuns em VoIp. Termos comuns em VoIp. Programa de Telecomunicações Introdução a conceitos de hardware e software de computador. Introdução a sistemas operacionais: Microsoft Windows e Linux. Conceitos básicos e utilização de aplicativos para edição de textos, planilhas

Leia mais

Introdução TIA/EIA-422 TIA/EIA-485. Conceitos Básicos de RS-485 e RS-422

Introdução TIA/EIA-422 TIA/EIA-485. Conceitos Básicos de RS-485 e RS-422 Introdução As normas RS-485 e RS-422 definem esquemas de transmissão de dados balanceados que oferecem soluções robustas para transmitir dados em longas distâncias em ambientes ruidosos. Estas normas não

Leia mais

Anexo I do Edital de Pregão Amplo nº 20/2008 Detalhamento dos Serviços de Calibração

Anexo I do Edital de Pregão Amplo nº 20/2008 Detalhamento dos Serviços de Calibração Anexo I do Edital de Pregão Amplo nº 20/2008 ÍDICE GERAL 1.Introdução... 3 2.Fases de Implementação e Prazos...4 3.Prazos e Sanções Previstas para Atrasos... 10 4.Especificação dos Serviços de Calibração...11

Leia mais

Norma Técnica SABESP NTS 068

Norma Técnica SABESP NTS 068 Norma Técnica SABESP NTS 068 Medidor de vazão ultrassônico tipo CLAMP-ON Especificação São Paulo Revisão 02 - Agosto / 2012 NTS 068 : 2012 Revisão 2 Norma Técnica SABESP S U M Á R I O 1 OBJETIVO... 1 2

Leia mais

FieldLogger. Apresentação

FieldLogger. Apresentação Solução Completa Ethernet & USB Até 16GB de memória Conversor A/D 24 bits Até 1000 amostras por segundo Apresentação FieldLogger O FieldLogger é um módulo de leitura e registro de variáveis analógicas,

Leia mais

SÉRIE AVS AVS-400, AVS-800, AVS-1000

SÉRIE AVS AVS-400, AVS-800, AVS-1000 SÉRIE AVS AVS-400, AVS-800, AVS-1000 e AVS -1600 COMUTADORES DE ÁUDIO E VÍDEO Modelos de 4, 8, 10 e 16 entradas em 1 RU 1, 2, 3 ou mais canais de áudio balanceado com duas saídas cada. Painel de conexões

Leia mais

Segue abaixo respostas aos questionamentos sobre o Pregão Eletrônico n 78/2014-SRP

Segue abaixo respostas aos questionamentos sobre o Pregão Eletrônico n 78/2014-SRP Prezada Pregoeira, PODER JUDICIÁRIO Segue abaixo respostas aos questionamentos sobre o Pregão Eletrônico n 78/2014-SRP 1. Item 8.7 do Termo de Referencia: 8.7 O monitoramento remoto de alarme deverá ser

Leia mais

Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais.

Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais. 1 Usuários: Divisão de Medição e Proteção da Receita, Gerências e Centros Regionais. SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES 3. DEFINIÇÕES 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. CONDIÇÕES ESPECÍFICAS

Leia mais