A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL"

Transcrição

1 A IMPORTÂNCIA DOS JOGOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL SANTOS, Joseane Pereira dos Discente do Curso de Licenciatura em Pedagogia UESC joseanesantos0222gmail.com ALVES, Cândida Maria Santos Daltro Professora Orientadora, Doutora do Departamento de Ciências da Educação UESC RESUMO O presente estudo objetiva conhecer a importância dos jogos e das brincadeiras na educação infantil. Assim, busca descrever conceitos e características dos jogos e das brincadeiras, além de suas contribuições no processo de desenvolvimento das crianças. A metodologia utilizada foi a pesquisa bibliográfica sobre a importância dos jogos e das brincadeiras na educação infantil, para conhecer e aprofundar os conhecimentos sobre a importância da utilização de jogos a serem trabalhados nos espaços onde se dá a educação infantil. A Educação infantil é o melhor lugar para desenvolver habilidades e incorporar conceitos e valores essenciais para a vida. Os jogos podem ser considerados educativos, desde que se tenha organizado um plano de ação intencionalmente planejado que permita sua utilização. Eles podem ser usados para aprimorar conteúdos e auxiliar a criança para aprofundar o conhecimento em assuntos trabalhados. Palavras chave: Ludicidade; Emoções; Desenvolvimento; Aprendizagem.

2 INTRODUÇÃO Este artigo é fruto de um estudo bibliográfico, que visa conhecer a importância dos jogos e brincadeiras na Educação Infantil. Assim, busca descrever conceitos e características dos jogos e das brincadeiras, além de suas contribuições no processo de desenvolvimento das crianças. Entendemos que o ambiente educacional e a forma com que ocorre o processo de ensino-aprendizagem são fatores importantes na contribuição para o desenvolvimento das crianças. O modo como o professor se coloca frente a alguma dificuldade que uma criança possa expressar poderá influenciar significativamente na construção da autonomia desta em seu processo de aprendizagem. Diante disso, é importante ressaltar que o uso dos jogos pelo professor na educação infantil, poderá promover um ambiente criativo e agradável, para realizar as intervenções necessárias, instigando a criança a desenvolver-se e assim, conseguir reduzir a dificuldade no processo e promover uma aprendizagem significativa. A brincadeira favorece o desenvolvimento da criatividade, da autoestima e da psique infantil. Nessa perspectiva Pereira (2009) destaca que: [...] A atividade lúdica é um tema de especial importância nesta fase do desenvolvimento humano por ser uma das formas mais naturais da criança entrar em contato com a realidade, além de apreender o mundo, os objetos e os fenômenos. Prova disto é que inúmeros pedagogos e psicólogos estão de acordo com a ideia de que o jogo infantil é uma atividade física e mental que favorece tanto o desenvolvimento pessoal como a sociabilidade. Ele contempla situações de conflitos, submissão a regras, harmonia, ordem, tensão, entre outras. (PEREIRA. 2009; p. 2.) Através dos jogos e das brincadeiras a criança pode aprender novas coisas além de desenvolver habilidades de raciocínio lógico, a percepção como a paciência e o respeito ao outro. Os jogos e as brincadeiras possibilitam a criança aprender de forma dinâmica e sem pressão ou exigência. Através deles ainda é possível agregar conceitos de trabalho em equipe, as regras e desenvolver as qualidades pessoais de cada individuo, incentiva-lo a resolver situações-problema, vivenciadas em seu cotidiano, e promover experiências de aprendizagem prazerosas e importantes.

3 Gomes (2000) apresenta uma definição para o jogo, o brinquedo e a brincadeira com base no que apresenta Kishimoto. A autora destaca que: [...] O jogo está relacionado diretamente à imagem, ao significado que lhe é atribuído pela sociedade, compreendendo um sistema de regras, materializado ou não na forma de um objeto. Já o brinquedo se caracteriza pela ausência de um sistema de regras, como um suporte para a brincadeira. A brincadeira, por sua vez, apresenta-se como a descrição de uma conduta estruturada (Kishimoto, 1981). É frequente, ao presenciarmos brincadeiras de criança, depararmo-nos com momentos em que esta escolhe brincar ou sair da brincadeira, mesmo estando presente nela. (GOMES. 2000, p. 2-3.). Percebemos assim, que o jogo pode ser considerado uma forma de comunicação das crianças. É através das brincadeiras que no inicio da vida, elas aprendem a imitar, logo começam a falar, andar e assim elas vão aprendendo a conviver no mundo. É através das brincadeiras que as crianças vão se descobrindo, conhecendo os membros de seu corpo, um pouco depois percebem a existência do outro. JOGOS E BRINCADEIRAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Os jogos e as brincadeiras ajudam a criança a explorar e compreender o mundo em que vive. Eles ajudam no desenvolvimento cognitivo e de raciocínio lógico da criança, além de favorecer o aprendizado de maneira lúdica. Podem ser definidos como toda e qualquer atividade, que existem regras, eles são importantes na: vivência com os colegas, no desenvolvimento motor e psicológico. O lúdico deve estar presente como algo natural do cotidiano escolar. Quando falamos do jogo na educação infantil, percebemos que alguns professores vivem se questionando qual a função do brinquedo e dos jogos em sala de aula. Muitos se perguntam: Como definimos o que é brinquedo e o que é material pedagógico? Ao comprarmos um brinquedo, logo pensamos que este será usado apenas como objeto de lazer da criança. Esta percepção nos mostra apenas a função lúdica do brinquedo. Segundo kishimoto (2002), devemos ter em mente que um mesmo brinquedo pode ter duas funções, de brinquedo ou de material pedagógico, o qual será atribuído de acordo com o contexto que for utilizado. Para ela deve haver um

4 equilíbrio entre o lúdico e o ensino. Contudo, essa relação não pode ser confundida. Kishimoto diz que: se o jogo perde a função de proporcionar prazer no processo de aprendizagem, então, ele se assemelha aos demais instrumentos de trabalho. Como destaca Druzian (2009), ao falar do uso dos jogos como recurso didático, que eles são de grande importância no ensino de matemática e servem como proposta de motivar e envolver os alunos a participarem das aulas. Importantes estudiosos como Piaget e Vygotsky, os quais respectivamente estudaram o raciocino lógico criando a teoria do pensamento operacional, com quatro estágios: senso-motor, pensamento pré-operatório, operações concretas e as operações formais; e a teoria da zona de desenvolvimento potencial das crianças. Para Vygotsky, o brinquedo estimula a curiosidade e a autoconfiança da criança, além de proporcionar o aprimoramento da linguagem, do pensamento e da atenção. Para ele o jogo é de grande importância para o desenvolvimento infantil, pois contribui para a descentralização da criança. Sendo assim, pretende mostrar que o professor pode por meio dos jogos didáticos tornar a aula mais prazerosa, usar novos métodos para incentivar o discente e tornar o aprendizado mais fácil, usando a ludicidade e aprendendo com o outro. Destacamos como uma aprendizagem significativa, as decorrentes de situações reais vivenciadas em sala. Um exemplo disso, o jogo pode ser esse recurso que permite ao educador fazer a mediação entre as potencialidades das crianças e as exigências da sala de aula. Através dele o aluno aprende e compreende melhor o mundo a sua volta, além de internalizar regras e papeis sociais. Os jogos também possibilitam o desenvolvimento de diversas funções como a atenção, a memória e a concentração. No que diz respeito à sociabilidade no jogo, podemos destacar: a elaboração de estratégias de ação e a cooperação entre os participantes. As contribuições dos jogos para as crianças na educação infantil são imensas, devido à ludicidade e por ter caráter instrutivo. Neste sentido, também os Parametros Curriculares Nacionais do ensino Fundamental indicam o uso dos

5 jogos didáticos em sala de aula. A autora destaca que segundo o PCN, os jogos contribuem para: [...] formação de atitudes enfrentar desafios, lançar-se à busca de soluções, desenvolvimento da crítica, da intuição, da criação de estratégias e da possibilidade de alterá-las quando o resultado não é satisfatório necessário para aprendizagem da Matemática (1984, p. 47). O jogo cria um clima propício à investigação e a busca de soluções, fornecendo assim, um ambiente favorável à aprendizagem, sem que haja uma imposição por parte do adulto. É no período da infância que as crianças fazem importantes descobertas em diversas áreas, uma dessas áreas são as linguagens. O jogo possui grande valor nessas descobertas. Visto isso, concordamos que: [...]o jogo simbólico desempenha um papel crucial. Gradativamente a criança vai organizando suas estruturas mentais passando a compreender as regras do jogo. Antes disso, começa a participar das brincadeiras como café com leite, quando os colegas maiores, para inserir a criança pequena, concedem-lhe determinadas licenças durante o brincar. [...] É importante que os profissionais da Educação Infantil conheçam os efeitos não só do jogo simbólico, mas também do jogo com regras, pois não há um tempo estabelecido para a criança começar a perceber as exigências das necessidades lógicas e inferir as noções de conservação, assim como reconhecer os direitos e os deveres de cada um no jogo. (PEREIRA, p. 5.). O jogo acontece de forma muito natural para a criança. Para ela esse é um momento de grande valor para o desenvolvimento da sua psique e da forma como ela vê o mundo e o que ele representa para ela. A brincadeira é a forma de a criança representar sua realidade, na sua óptica. Para ela a representação dos adultos, por exemplo, é uma forma de ela brincar com outras crianças. No jogo em equipe, por exemplo, as crianças se apropriam da linguagem da comunicação, o que possibilita o aprendizado com a troca de experiências entre elas. Através da brincadeira elas aprendem a fazer concessões, a negociar e dividir tarefas. A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR O brincar" é o ato de movimentar-se e é de grande importância biológica, psicológica, social e cultural, pois é através da execução dos movimentos que

6 as pessoas interagem com o meio ambiente, relacionando-se com os outros, aprendendo sobre si, seus limites capacidades e solucionando problemas. Segundo Machado (1994), o brincar para criança é ter prazer em viver. (p.27.). Brincar é criar, explorar, descobrir, teimar, imaginar, interagir com o outro. A brincadeira não só desenvolve o lado motor da criança, como também estimula processos de socialização e descoberta do mundo. Através das atividades lúdicas a criança explora o seu mundo interior e imita aspectos da vida adulta para compreendê-la. A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (1996) nos artigos 29 e 31 que tratam da educação infantil destacam a necessidade desta prática a partir da seguinte orientação: Art. 29. A educação infantil, primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade. Art. 31. Na educação infantil a avaliação far-se-á mediante acompanhamento e registro do seu desenvolvimento, sem o objetivo de promoção, mesmo para o acesso ao ensino fundamental. (Lei das Diretrizes e Bases). Froebel acentua a importância do brincar à criança, a seus interesses e atividades e valorizam sua liberdade de expressão que pode acontecer por meio de brincadeiras livres e espontâneas, que segundo ele, devem ser realizadas em cooperação com outras crianças, em trabalhos que todos participem. Para Andrade (2000), é por meio do brinquedo que a criança adquire a primeira representação do mundo. Assim também, Wallon (1966), defende que o brincar e o brinquedo participam, juntos, na estruturação do Eu e na aprendizagem da própria vida, no desenvolvimento afetivo, motor, intelectual e social. O brinquedo, nessa perspectiva é visto como um meio que possibilita à criança conhecer e analisar o mundo e construir sua personalidade. Para Wallon (1966), a organização do espaço e a disponibilização do material são

7 elementos fundantes para que a fluidez das emoções e do pensamento aconteça. Para Vygotsky o brincar assume uma função fundamental no desenvolvimento do comportamento infantil pela criação da situação imaginária, considerando que o que passa despercebida na vida da criança torna-se regra de comportamento na brincadeira. Em sala de aula a ludicidade no contexto, torna-se agradável e proporciona às crianças oportunidade de ser livre para inventar, descobrir, explorar e imaginar. Através das brincadeiras, o professor pode observar o desenvolvimento das crianças, pois o lúdico desenvolve nas crianças habilidades cognitivas, motoras e prazerosas que propiciam a aprendizagem. O brincar para a criança acontece de forma espontânea, sem precisar de um roteiro, ou até mesmo de um brinquedo. Podemos trabalhar com as crianças jogos e brincadeiras livres. A brincadeira livre pode ser inventada na hora, o cenário pode ser criado em segundos. A imaginação e criatividade da criança podem proporcionar diversas situações. Através da invenção e da reinvenção de brincadeiras a criança pode elaborar estratégias, melhorar suas brincadeiras e assim desenvolver sua mente e habilidades, além do senso crítico e argumentativo. Nesse sentido o brincar pode ser utilizado como recurso para desenvolver a autonomia da criança. Para a Criança, o lúdico pode desenvolver a socialização, pois o professor pode dividir a sala em pequenos grupos ou duplas e aplicar um jogo ou realizar brincadeiras, fazendo com que as crianças brinquem com seus colegas. Barbosa (1997) ao falar sobre jogo, brinquedo, brincadeira e educação. Ele cita o pensamento de Dias, no livro Metáfora e pensamento: Considerações sobre a importância do jogo na aquisição do conhecimento e implicações para a educação pré-escolar, para falar sobre o jogo e criticar o modo como a educação infantil tem copiado o ensino fundamental. Para ela o jogo: [...] vincula-se ao sonho, à imaginação, ao pensamento e ao símbolo. É uma proposta para a educação de crianças (e educadores de crianças) com base no jogo e nas linguagens artísticas. Texto fundamental para leitura e reflexão num momento de proposições

8 pedagógicas para a educação infantil tão baseado na cópia do modelo escolar de 1 o grau. A concepção da autora sobre o homem como ser simbólico, que se constrói coletivamente e cuja capacidade de pensar está ligada à capacidade de sonhar, imaginar e jogar com a realidade, é fundamental para propor uma nova pedagogia da criança. A autora vê o jogar como gênese da "metáfora" humana. Ou, talvez, aquilo que nos torna realmente humanos (BARBOSA. 1997, p. 3-4.) Algo que é inerente a todo ser humano é a liberdade de criar. Para muitos autores a liberdade é uma característica essencial ao jogo. Para a criança o jogo acontece de forma muito natural. [...] o jogo é uma atividade voluntária. Sujeito a ordens, deixa de ser jogo, podendo no máximo ser uma imitação forçada. (HUIZINGA, p. 9.). Esse é um momento de grande valor para o desenvolvimento da psique da criança, pois ela está expressando a forma como ela enxerga o mundo e o que ele representa para ela. Diante disso, o pedagogo precisa compreender seu papel dentro da sala de atividades e incorporar sua função de propiciador da aprendizagem às crianças em distintas experiências. A IMPORTÂNCIA DO JOGO NA CULTURA Segundo Huizinga (2000), no que diz respeito a forma mais simples de brincar, é possível observar semelhanças entre as brincadeiras dos animais e dos homens. Estabelece o jogo como um fenômeno que supera o biológico e o psicológico. Entende o jogo como um fenômeno cultural. Para os homens ou para os animais, o jogo tem um significado próprio. No jogo existe alguma coisa em jogo que transcende as necessidades imediatas da vida e confere um sentido à ação. (HUIZINGA, p. 5.). Para ele o jogo abrange uma qualidade própria, que não pode ser confundida com o instinto, o espirito ou ainda a vontade. O jogo está inerente na criança como qualidade de ação. O jogo está presente na sociedade, formando um dos seus principais pilares: a cultura. O lúdico está ligado ao prazer e cada modalidade tem sua forma própria. O jogo é um faz de conta que é sentido intensamente, como se fosse real. Contudo, espera-se que

9 todos os envolvidos saibam distinguir a brincadeira do real. No momento do jogo a criança entra em um mundo da imaginação, tudo pode acontecer, o mundo do faz de conta logo vira real em sua mente, até um simples castelo desenhado torna-se um enorme e deslumbroso palácio. No jogo não há limites para fazer ou ser nada ou ninguém. Uma menina pode ser uma princesa, um cachorro pode ser o lobo mal, uma abobora pode ser uma carruagem, enfim, cada um pode ser o que quiser. Para Huizinga (2000), a origem do jogo é anterior à cultura. Segundo ele, O jogo tem um inicio e um fim, com determinadas limitações de tempo e espaço. Contudo, difere-se da vida comum por acabar assim que o objetivo do jogo é alcançado. Ele pode ser transmitido por gerações e repetido por diversas vezes. Cada jogo tem suas regras e normas, as quais seus jogadores devem obedecer como lei, caso isso ocorra o jogado deve sofrer as punições. Segundo Huizinga (2000), todos os principais fenômenos culturais do humano têm principio de natureza de jogo e de lúdico. Os rituais religiosos, existentes, principalmente em cerimônias religiosas do cristianismo, é um importante exemplo de ligação entre o jogo e o sagrado. O sagrado é produzido como dentro de um jogo, sendo o culto é apresentado como em um espetáculo, assemelhando-se a um jogo. Para ele apesar do caráter lúdico, o jogo é algo serio. Huizinga refere-se à competição, como uma das características do jogo. Já que nele está incluso o combate, as relações de interesse, e conflito. Fala também sobre o jogo voltado à conquista, ou ao ato sexual. Para ele, no sentido da seriedade biológica da reprodução, parece não estar relacionada apenas ao jogo, mas as obrigações existentes. Sobre o jogo poético Huizinga (2000), destaca que: O elemento poético formal é constituído pela assonância que, repetindo a mesma palavra ou uma variação dela, estabelece uma ligação entre a tese e a antítese. O elemento puramente poético é constituído por uma alusão, por uma idéia brilhante surgida bruscamente, o jogo de palavras ou simplesmente o som das próprias palavras, sendo que neste processo o sentido pode perder-se completamente. Esta forma de poesia só pode ser descrita e

10 compreendida em termos de jogo, embora obedeça a um complexo sistema de regras prosódicas. (HUIZINGA, p. 90.). Nesse sentido, a poesia para Huizinga também pode ser apresentada com essa característica de jogo e competição, a partir da brincadeira com o jogo das palavras. CONCLUSÃO Enfim, esse estudo possibilitou o entendimento de que os jogos e as brincadeiras são de valor inquestionável para a educação infantil. Eles podem funcionar como um elo que permite a criança conhecer o mundo e expressar seus sentimentos. Assim, pode-se dizer que os jogos e as brincadeiras também podem ser educativos em sua essência. Para isso, é preciso garantir na infância o prazer de brincar e a liberdade de explorar esse brincar, sabendo que ao brincar a criança constrói juntamente com seus pares as culturas infantis. Atualmente, os estudos de Luckesi (2002) merecem uma cuidadosa atenção no que se refere à importância da ludicidade do ponto de vista interno e integral, traçando a imprescindível reflexão acerca da plenitude da experiência. Segundo o autor, na atividade verdadeiramente lúdica, o sujeito apresenta-se de forma plena, inteira, alegre e não dividida, ou seja, no ato de brincar a criança ativa os mecanismos humanos como o pensar, o sentir e o agir. Destacamos que o estudo desenvolvido por Luckesi (2002) apresenta uma grande contribuição para a necessidade de desenvolvimento integral do ser humano, superando a dicotomia entre razão e a emoção, o pensar e o sentir, o trabalho e o lazer e o educativo e o lúdico. Nessa perspectiva, a atividade lúdica ocupa importante papel no desenvolvimento integral humano, visto que contribui para resgatar estruturas humanas desprivilegiadas pela escola e pela sociedade capitalista contemporânea. Como vimos a brincadeira e o jogo desenvolve várias áreas da criança, e a estimula no processo de socialização e descoberta do mundo. Através das atividades lúdicas elas exploram o mundo na busca do saber. Visto isso,

11 podemos dizer que o jogo e a brincadeira é de suma importância no desenvolvimento da criança, principalmente, nos seus primeiros anos de vida. Pois este é o momento em que sua imaginação e o entusiasmo de desvendar o mundo ainda desconhecido estão mais aflorados. REFERÊNCIAS BARBOSA, Maria Carmen Silveira. Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. Educa. Soc. [online]. 1997, vol.18, n.59, p Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v18n59/18n59a10.pdf>. Acesso em: 12 julho DRUZIAN, Maria Eliana Barreto. Artigo. Jogos como recurso didático no ensino aprendizagem de frações. Santa Maria: VIDYA, v. 27, n.1, p.67-78, jan./jun Disponível em: <http://sites.unifra.br/portals/35/artigos/2007/vol_1/v-jogos[baixa].pdf>. Acesso em: 2 maio GOMES, Marineide de Oliveira. Jogo, educação e cultura: senões e questões. Psicol. estud. [online]. 2000, vol.5, n.2, p Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/pe/v5n2/v5n2a07.pdf >. Acesso em: 12 julho HUIZINGA, Johan. Homo ludens: o jogo como elemento da cultura. 4.ed. São Paulo: Perspectiva, p. KISHIMOTO, Tizuko Morchida. O jogo e a educação infantil. 1.ed. São Paulo: Pioneira, p.. LDB-Leis das Diretrizes e Bases da Educação Nacional Disponível em: Acesso em: 11 maio LUCKESI, Cipriano Carlos. Ludicidade e atividades lúdicas: uma abordagem a partir da experiência interna. Educação e Ludicidade. Ensaios 02. Gepel: Faced/Ufba, 2002, pág Disponível em: < Acesso em: 2 maio 2013.

12 MACHADO, Marina Marcondes. O birnquedo-sucata e a criança: a importância do brincar, atividades e materiais. 4. ed.edições Loyola: São Paulo, Brasil, p.. PEREIRA, Flávia Roberta dos Santos; et al. O tema jogo infantil no periódico Pro-Posições. Psicol. Esc. Educ. (Impr.) [online]. 2009, vol.13, n.1, p Disponível em: < Acesso em: 12 julho PORTO, Bernadete de Souza. Educação e Ludicidade: Ensaios 03. Ludicidade onde acontece?. Salvador: UFBA. Faculdade de Educação, Programa de Pós Graduação em Educação. III Título. Aprender a brincar é só começar! 128p. Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil (BRASIL, 1998, p. 21). WALLON, Henri. Do ato ao pensamento. Lisboa: Portugalia Editora

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL

O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 975 O PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM ATRAVÉS DOS JOGOS EDUCATIVOS NO ENSINO FUNDAMENTAL Drielly Adrean Batista

Leia mais

Palavras-chave: Lúdico. Aprendizagem. Desenvolvimento. Necessidades Especiais.

Palavras-chave: Lúdico. Aprendizagem. Desenvolvimento. Necessidades Especiais. Nesse artigo realizamos uma discussão sobre a importância de atividades lúdicas na educação de crianças com necessidades especiais. Propomos explicitar a possibilidade de levar para o ambiente escolar

Leia mais

O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID RESUMO

O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID RESUMO O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID Heloisa Braga dos Santos Christian Vieira de Souza RESUMO Este artigo foi elaborado com o objetivo de relatar a

Leia mais

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR

A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo A LUDICIDADE NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Regina Donato de Moraes 1 Lourdes Keila Casado Pulucena 2 Lucieni Vaz dos Santos 3 Aprender brincando não é apenas um passatempo, quando se trata de ensinar.

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC

A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC A CONSTRUÇÃO DO CURRÍCULO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DE CHAPECÓ SC FIGUEIREDO, Anelice Maria Banhara - SME / Chapecó/SC anelicefigueiredo@gmail.com LORENZET, Simone Vergínia - SME

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

QUEBRA CABEÇA: EQUACIONANDO O BRINCAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL

QUEBRA CABEÇA: EQUACIONANDO O BRINCAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL QUEBRA CABEÇA: EQUACIONANDO O BRINCAR E SUA IMPORTÂNCIA PARA EDUCAÇÃO INFANTIL Elaine Bueno Macêdo 1 RME/GO Neste trabalho apresentamos pesquisa de conclusão do curso de pedagogia/2006/1, na Faculdade

Leia mais

Carolina Romano de Andrade Mestre em Artes-UNICAMP Faculdade Integradas de Bauru-FIB Coordenadora de Pós Graduação

Carolina Romano de Andrade Mestre em Artes-UNICAMP Faculdade Integradas de Bauru-FIB Coordenadora de Pós Graduação 1 Processo de formação de professores um olhar para a dança. Carolina Romano de Andrade Mestre em Artes-UNICAMP Faculdade Integradas de Bauru-FIB Coordenadora de Pós Graduação A Constituição Federal de

Leia mais

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3.

A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3. Resumo A RELAÇÃO DO CUIDAR-EDUCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL Carla Ariana Passamani Telles 1 Franciele Clair Moreira Leal 2 Zelma Santos Borges 3 O trabalho apresentado é um relato de experiência que foi desenvolvida

Leia mais

LUDICIDADE: INTRODUÇÃO, CONCEITO E HISTÓRIA

LUDICIDADE: INTRODUÇÃO, CONCEITO E HISTÓRIA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE LUDICIDADE: INTRODUÇÃO, CONCEITO E HISTÓRIA Assunção, Paraguay Maio 2015 INTRODUÇÃO Q uando uma criança ingressa na

Leia mais

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM

O LÚDICO NA APRENDIZAGEM O LÚDICO NA APRENDIZAGEM RESUMO Aline Hahn Affeldt Prof. Janaina de Souza Aragão Centro Universitário Leonardo da Vinci-UNIASSELVI Pedagogia (PED 7051) Metodologia e Conteúdos Básicos de Comunicação e

Leia mais

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS

OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS APRENDER BRINCANDO INVESTIDAS DA PRÁTICA EDUCACIONAL EM ESPAÇOS NÃO ESCOLARES JUNTO AO PROGRAMA INTEGRAÇÃO AABB COMUNIDADE, UMA EXPERIÊNCIA COM CRIANÇAS E JOVENS DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DA CIDADE DE

Leia mais

REVISTA CONTEÚDO O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

REVISTA CONTEÚDO O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL O JOGAR E O BRINCAR EM UM CONTEXTO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Nara Fernanda de Campos 1 RESUMO Considerando os jogos e as brincadeiras infantis como uma ferramenta ideal ao aprendizado, podemos dizer

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores VIVENCIANDO A PRÁTICA ESCOLAR DE MATEMÁTICA NA EJA Larissa De Jesus Cabral, Ana Paula Perovano

Leia mais

Tecnologia do Pará IFPA. gomesisaias68@yahoo.com.br. 1 Graduando do Curso de Licenciatura em Geografia do Instituto Federal de Educação, Ciência e

Tecnologia do Pará IFPA. gomesisaias68@yahoo.com.br. 1 Graduando do Curso de Licenciatura em Geografia do Instituto Federal de Educação, Ciência e GEOGRAFANDO BELÉM Isaias Gomes de Jesus Junior 1 Resumo O presente artigo vem apresentar a Tecnologia Educacional Geografando Belém. Esta Tecnologia Educacional, de princípio, foi desenvolvida para apresentar

Leia mais

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna:

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na

Leia mais

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL

O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL O DIÁLOGO COM AS CRIANÇAS PEQUENAS - REFLEXÕES SOBRE O COTIDIANO INFANTIL Viviane Cardoso¹ Resumo: O objetivo desse artigo é refletir como os ideais da pedagogia freireana tem contribuído para as práticas

Leia mais

DISCURSOS E PRÁTICAS DISCURSIVAS EM FAVOR DOS JOGOS EDUCATIVOS. PALAVRAS CHAVE: Ludicidade. Cultura. Aprendizagem. Prática Docente.

DISCURSOS E PRÁTICAS DISCURSIVAS EM FAVOR DOS JOGOS EDUCATIVOS. PALAVRAS CHAVE: Ludicidade. Cultura. Aprendizagem. Prática Docente. DISCURSOS E PRÁTICAS DISCURSIVAS EM FAVOR DOS JOGOS EDUCATIVOS Tatiana Soares Leandro Universidade Federal de Pernambuco Zélia Granja Porto Universidade Federal de Pernambuco O texto faz uma análise de

Leia mais

JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007.

JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007. RESENHA REVIEW TEATRO E EDUCAÇÃO TEATHER AND EDUCATION JAPIASSU, Ricardo. A linguagem teatral na escola: pesquisa, docência e prática pedagógica. Campinas: Papirus, 2007. Danielle Rodrigues de Moraes*

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS NO ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Resumo

A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS NO ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Resumo A UTILIZAÇÃO DE TECNOLOGIAS NO ENSINO DE ARTES VISUAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL Camila Lacerda Ortigosa Pedagogia/UFU mila.lacerda.g@gmail.com Eixo Temático: Educação Infantil Relato de Experiência Resumo

Leia mais

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA

ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA ESCOLA ESPECIAL RENASCER- APAE PROFESSORA: JULIANA ULIANA DA SILVA PROJETO: ARTES NA EDUCAÇÃO ESPECIAL O CORPO E A MENTE EM AÇÃO LUCAS DO RIO VERDE 2009 APRESENTAÇÃO Em primeiro lugar é preciso compreender

Leia mais

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹

PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ PEDAGOGIA EM ESPAÇOS SOCIAIS: OLHARES E REFLEXÕES EM CAMPOS DE ESTÁGIO¹ ALVES, T. C.²; RENK, E. F.³; LEÃO, T.J.E. 4 ¹ Trabalho desenvolvido na disciplina de Estágio Curricular Supervisionado II Espaços

Leia mais

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL?

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? 1 de 7 ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? Jéssica Alves de Oliveira Maria José dos Santos Chagas Tatiane de Fátima Silva Seixas RESUMO: De uma maneira geral, existe, por parte

Leia mais

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE

PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 PRÁTICAS LÚDICAS NO PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LÍNGUA ESCRITA DO INFANTIL IV E V DA ESCOLA SIMÃO BARBOSA DE MERUOCA-CE 1 Rochelle Lopes da Silva- UVA 2 Andrea Abreu Astigarraga- UVA INTRODUÇÃO De acordo

Leia mais

JOGO DE QUÍMICA: UM MÉTODO LÚDICO PARA COMPREENSÃO DE CONCEITOS E INTERAÇÃO ENTRE OS SUJEITOS.

JOGO DE QUÍMICA: UM MÉTODO LÚDICO PARA COMPREENSÃO DE CONCEITOS E INTERAÇÃO ENTRE OS SUJEITOS. JOGO DE QUÍMICA: UM MÉTODO LÚDICO PARA COMPREENSÃO DE CONCEITOS E INTERAÇÃO ENTRE OS SUJEITOS. cibdo@yahoo.com.br Cristiane Barbosa de Oliveira * (PQ) Neusa Maria John Scheid (PG). Palavras-Chave: Educação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ATO DE LER

A IMPORTÂNCIA DO ATO DE LER A IMPORTÂNCIA DO ATO DE LER OLIVEIRA, Jucinéia Costa. Discente do curso de Pedagogia da FAHU/ACEG PELOZO, Rita de Cássia Borguetti. Docente da FAHU/ACEG E-MAIL: ritapelozo@itelefonica.com.br RESUMO: O

Leia mais

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA.

O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. O LÚDICO COMO INSTRUMENTO TRANSFORMADOR NO ENSINO DE CIÊNCIAS PARA OS ALUNOS DA EDUCAÇÃO BÁSICA. Autor (1)Suzânia Maria Pereira de Araújo; Autor (2) Eleilde de Sousa Oliveira; Orientador (1)Denise Silva

Leia mais

Jeana Maria de Moura Telles

Jeana Maria de Moura Telles Jeana Maria de Moura Telles Brincar, compartilhar e aprender: A ludicidade como elemento norteador de uma aula mais proveitosa, atrativa e eficaz Araguaína TO 2013 Jeana Maria de Moura Telles Brincar,

Leia mais

O OLHAR DOS PROFESSORES PARA A INFÂNCIA

O OLHAR DOS PROFESSORES PARA A INFÂNCIA O OLHAR DOS PROFESSORES PARA A INFÂNCIA Ariane Sandrin Pianegonda 1 Inês Bueno Krahe 2 Resumo Este artigo pretende apresentar os resultados da pesquisa desenvolvida durante o curso de extensão: Escola

Leia mais

Prof. Kildo Adevair dos Santos (Orientador), Prof.ª Rosângela Moura Cortez UNILAVRAS.

Prof. Kildo Adevair dos Santos (Orientador), Prof.ª Rosângela Moura Cortez UNILAVRAS. BARBOSA, S. L; BOTELHO, H. S. Jogos e brincadeiras na educação infantil. 2008. 34 f. Monografia (Graduação em Normal Superior)* - Centro Universitário de Lavras, Lavras, 2008. RESUMO Este artigo apresenta

Leia mais

AS VIVÊNCIAS DURANTE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM PROCESSO DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA

AS VIVÊNCIAS DURANTE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM PROCESSO DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA AS VIVÊNCIAS DURANTE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM PROCESSO DE APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA GT 01 Educação matemática no ensino fundamental: anos iniciais e anos finais. Anderson de Almeida Antunes, Universidade

Leia mais

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO CIENTISTA SOCIAL: SABERES E COMPETÊNCIAS NECESSÁRIOS

A FORMAÇÃO PROFISSIONAL DO CIENTISTA SOCIAL: SABERES E COMPETÊNCIAS NECESSÁRIOS O JOGO SEGUNDO A TEORIA DO DESENVOLVIMENTO HUMANO DE WALLON Cleudo Alves Freire Daiane Soares da Costa Ronnáli da Costa Rodrigues Rozeli Maria de Almeida Raimunda Ercilia Fernandes S. de Melo Graduandos

Leia mais

JOGOS ENQUANTO RECURSOS METODOLÓGICOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA

JOGOS ENQUANTO RECURSOS METODOLÓGICOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA JOGOS ENQUANTO RECURSOS METODOLÓGICOS NO ENSINO DE MATEMÁTICA Joyciane Oliveira Saraiva Graduanda de Licenciatura em Pedagogia da Universidade Federal do Piauí (UFPI) Juvena de Freitas Brito- Graduanda

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL CURSO DE GRADUAÇAO EM PEDAGOGIA LICENCIAMENTO EAD Município: Pirassununga Estado: São Paulo Turma: 440 Pólo: Fundação de Ensino de Pirassununga Tutor (a): Inez Nunes Paula

Leia mais

AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL?

AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL? AFETIVIDADE, PARA QUE TE QUERO NA EDUCAÇÃO INFANTIL? Jailza de Lima Oliveira (UNEB - Bolsista PIBID/CAPES) Larissa Santos do Sacramento (UNEB - Bolsista PIBID/CAPES) Lucimara de Oliveira Soares (UNEB -

Leia mais

CORPOREIDADE: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CORPOREIDADE: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL UNIVERSIDADE METROPOLITANA DE SANTOS NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE PEDAGOGIA Educação Mediadora Ana Lucia Rodrigues Nunes Teixeira Carla Trindade da Silva

Leia mais

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS

A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS 110 A LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO DE CRIANÇAS SURDAS Dayanne Barbosa Dias Especializando em Educação Especial Inclusiva - CENSUPEG Dayanne16barbosa@hotmail.com Resumo: O presente trabalho apresenta a relevância

Leia mais

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA

JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA JOGO DE DAMAS: UMA POSSIBILIDADE PARA ENSINAR E APRENDER MATEMÁTICA GT 01 - Educação Matemática nos Anos Iniciais e Ensino Fundamental Henrique Daniel Froelich rikedaniel@yahoo.com.br Resumo: Para se viver

Leia mais

ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA

ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA ANALISANDO O USO DE JOGOS COMO AUXÍLIO NAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM MATEMÁTICA Amanda dos Santos Souza (Licencianda em Matemática/UFPB - amanda.souza13@hotmail.com) Carla Manuelle Silva de Almeida

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

Desenho: da imagem mental à representação gráfica - uma proposta para o ensino da Matemática

Desenho: da imagem mental à representação gráfica - uma proposta para o ensino da Matemática Desenho: da imagem mental à representação gráfica - uma proposta para o ensino da Matemática Patricia Andretta 1 Ana Maria P. Liblik 2 Resumo O presente projeto de pesquisa terá como objetivo compreender

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS

FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS E SUA ATUAÇÃO COM CRIANÇAS DE 0 A 5 ANOS Thyanna Silva dos Passos (Graduada/UFRB) Resumo Este trabalho tem como objetivo analisar a formação de professores e sua atuação na sala

Leia mais

RELEVÂNCIA DA LITERATURA INFANTIL NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA

RELEVÂNCIA DA LITERATURA INFANTIL NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA 1 RELEVÂNCIA DA LITERATURA INFANTIL NA EDUCAÇÃO INCLUSIVA Catharine Prata Seixas (PIBIC/UFS) Aline Grazielle Santos Soares Pereira (PIBIX/UFS) INTRODUÇÃO Vygotsky (1991), diz que o pensamento e a linguagem

Leia mais

AFROBRASILIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR PEDAGÓGICO À DIVERSIDADE

AFROBRASILIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR PEDAGÓGICO À DIVERSIDADE AFROBRASILIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UM OLHAR PEDAGÓGICO À DIVERSIDADE Patrícia da Silva Souza Graduanda de Pedagogia pela UEPB pipatricia278@gtmail.com Kátia Anne Bezerra da Silva Graduanda em Pedagogia

Leia mais

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL

BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL BRINCAR E APRENDER: A IMPORTÂNCIA DO BRINCAR NA EDUCAÇÃO INFANTIL GEANE SANTANA ROCHA QUIXABEIRA CMEI Criança Feliz geanezinha@gmail.com ANADIR FERREIRA DA SILVA Secretaria Municipal de Educação laurapso@hotmail.co.uk

Leia mais

PROPOSTA DE JOGO DIDÁTICO: CAMINHOS DA ECOLOGIA. Lílian Rosalina Gomes (Universidade Federal do Piauí - UFPI)

PROPOSTA DE JOGO DIDÁTICO: CAMINHOS DA ECOLOGIA. Lílian Rosalina Gomes (Universidade Federal do Piauí - UFPI) PROPOSTA DE JOGO DIDÁTICO: CAMINHOS DA ECOLOGIA Lílian Rosalina Gomes (Universidade Federal do Piauí - UFPI) Diego Porto Rocha (Universidade Federal do Piauí - UFPI) Adelany Brena Cardoso de Oliveira (Universidade

Leia mais

REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL

REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL INSTITUIÇÃO SINODAL DE ASSINTÊNCIA, EDUCAÇÃO E CULTURA - ISAEC ESCOLA DE ENSINO FUNDAMENTAL SINODAL SETE DE SETEMBRO NÃO-ME-TOQUE /RS REGIMENTO ESCOLAR EDUCAÇÃO INFANTIL 1 SUMÁRIO 1- CARACTERIZAÇÃO DA

Leia mais

LUDICIDADE NA SALA DE AULA UNIDADE 4 ANO 1. Abril de 2013

LUDICIDADE NA SALA DE AULA UNIDADE 4 ANO 1. Abril de 2013 LUDICIDADE NA SALA DE AULA UNIDADE 4 ANO 1 Abril de 2013 Iniciando a conversa Nesta unidade refletiremos sobre a ludicidade na sala de aula, a partir do tema brincadeiras na alfabetização. Nesta unidade

Leia mais

OS JOGOS PEDAGÓGICOS COMO FERRAMENTAS DE ENSINO

OS JOGOS PEDAGÓGICOS COMO FERRAMENTAS DE ENSINO OS JOGOS PEDAGÓGICOS COMO FERRAMENTAS DE ENSINO Resumo FIALHO, Neusa Nogueira FACINTER neusa_nf@yahoo.com.br Área Temática: Educação: Teorias, Metodologias e Práticas. Não contou com financiamento A falta

Leia mais

A utilização de jogos no processo de ensino aprendizagem de matemática no Ensino Fundamental

A utilização de jogos no processo de ensino aprendizagem de matemática no Ensino Fundamental A utilização de jogos no processo de ensino aprendizagem de matemática no Ensino Fundamental Adaiane Cristina Calegari Unisalesiano adaiane_calegari@yahoo.com.br Ana Luiza Viscovicce Unisalesiano analuiza_viscovicce@yahoo.com.br

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL

AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL AS CONTRIBUIÇÕES DO CURRÍCULO E DE MATERIAS MANIPULATIVOS NA FORMAÇÃO CONTINUADA EM MATEMÁTICA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL Sheila Valéria Pereira da Silva (UFPB Campus-IV) sheilavaleria88@yahoo.com.br

Leia mais

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil

Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil Conteúdos Específicos Professor Ensino Superior - Educação Infantil 31) De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para Educação Infantil, a Criança, centro do planejamento curricular, é considerada

Leia mais

COMPARAÇÃO ENTRE O ENSINO REGULAR E O ESPECIALIZADO PARA OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO MUNICÍPIO DE ALEGRE-ES.

COMPARAÇÃO ENTRE O ENSINO REGULAR E O ESPECIALIZADO PARA OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO MUNICÍPIO DE ALEGRE-ES. COMPARAÇÃO ENTRE O ENSINO REGULAR E O ESPECIALIZADO PARA OS ALUNOS COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL NO MUNICÍPIO DE ALEGRE-ES. Iasmini Nicoli Galter 1, Mayla Gava ¹, Henrique Tabelini ¹, Elias Terra Werner².

Leia mais

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS

JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS JOGOS ELETRÔNICOS CONTRIBUINDO NO ENSINO APRENDIZAGEM DE CONCEITOS MATEMÁTICOS NAS SÉRIES INICIAIS Educação Matemática na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental (EMEIAIEF) GT 09 RESUMO

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA MARIA BALDINOTTI O LÚDICO E A LÍNGUA INGLESA

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA MARIA BALDINOTTI O LÚDICO E A LÍNGUA INGLESA SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA MARIA BALDINOTTI O LÚDICO E A LÍNGUA INGLESA Projeto apresentado e desenvolvido na Escola Estadual Domingos Briante

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS II SIMPÓSIO DE EXTENSÃO, CULTURA E ASSUNTOS ESTUDANTIS 13 e 14 de junho de 2013 O PROJETO DE EXTENSÃO MATEMÁTICA LEGAL

Leia mais

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓTICA. Profa. Me. Michele Costa

O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓTICA. Profa. Me. Michele Costa O PLANEJAMENTO E A AVALIAÇÃO INICIAL/DIAGNÓTICA Profa. Me. Michele Costa CONVERSAREMOS SOBRE: CONCEITOS DE PLANEJAMENTO CURRÍCULO EIXOS DE TRABALHO www.zaroio.com.br As Cem Linguagens da Criança. A criança

Leia mais

A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil

A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil A criança e o brincar: um olhar sobre a importância do brincar no desenvolvimento infantil RESUMO: O presente artigo é resultado da pesquisa realizada na disciplina de Recursos Tecnológicos, Pedagógicos

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

Relatório da Formação Complementar Turma do Jardim -

Relatório da Formação Complementar Turma do Jardim - Relatório da Formação Complementar Turma do Jardim - Professora Carla Pitarello da Silva Auxiliar Rita de Cassia Terrazan Coordenação Ludmila Santos Um dos objetivos da Formação Complementar da Escola

Leia mais

A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES

A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES A MATEMÁTICA ATRÁVES DE JOGOS E BRINCADEIRAS: UMA PROPOSTA PARA ALUNOS DE 5º SÉRIES Haiane Regina de Paula, PIC(UNESPAR/FECILCAM)) Valdir Alves (OR), FECILCAM RESUMO:A pesquisa A Matemática Através de

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS.

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. Maria da Conceição da Cruz (PIBIX/PIBID-UFS) marynni@hotmail.com Tayane dos Santos (PIBIX -UFS) tayaneyat@gmail.com Resumo:

Leia mais

JOGOS E O ENSINO DE MATEMÁTICA. META Apresentar como os jogos podem ser utilizados para abordar os conteúdos matemáticos.

JOGOS E O ENSINO DE MATEMÁTICA. META Apresentar como os jogos podem ser utilizados para abordar os conteúdos matemáticos. JOGOS E O ENSINO DE MATEMÁTICA Aula 5 META Apresentar como os jogos podem ser utilizados para abordar os conteúdos matemáticos. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: identificar formas de como

Leia mais

O LÚDICO: SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL

O LÚDICO: SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL O LÚDICO: SUA IMPORTÂNCIA NO ENSINO APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental : Anos iniciais e anos finais Maria Christina Schettert Moraes UNICRUZ

Leia mais

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO

TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO TÍTULO: O INGRESSO DA CRIANÇA AOS SEIS ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL DE NOVE ANOS DILEMA OU SOLUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE DO GRANDE

Leia mais

A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES

A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES A LITERATURA INFANTIL PARA A FORMAÇÃO DE LEITORES Mércia Rodrigues Gonçalves Pinheiro, UESB RESUMO O presente trabalho foi articulado através de pesquisa de campo, utilizando observação direta e entrevista

Leia mais

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL O BRINCAR, A BRINCADEIRA, O JOGO, A ATIVIDADE LÚDICA E A PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL Josiane Lima Zanata (Seduc) josianezanata@hotmail.com Ivani Souza Mello (UFMT) ivanimello1@hotmail.com

Leia mais

PALAVRAS-CHAVES: Estágio supervisionado II, educação física, jogo.

PALAVRAS-CHAVES: Estágio supervisionado II, educação física, jogo. O JOGO COMO CONTEÚDO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL I: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II QUEIROZ, Bruna Leite de Discente do 7º período do curso de Licenciatura

Leia mais

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL LUDICIDADE E MOVIMENTO: EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo RIBEIRO, Amanda de Cassia Borges - UFSM acbr_amanda@hotmail.com JAHN, Angela Bortoli UFSM abjahn@terra.com.br BELING, Vivian Jamile UFSM

Leia mais

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA

TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: JOGOS DE MATEMÁTICA: EXPERIÊNCIAS NO PROJETO PIBID CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS

Leia mais

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010

7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 7ª Semana de Licenciatura Educação Científica e Tecnológica: Formação, Pesquisa e Carreira De 08 a 11 de junho de 2010 A IMPORTÂNCIA DO BRINQUEDO NO PROCESSO EDUCATIVO DA CRIANÇA Eder Mariano Paiva Filho

Leia mais

TITULO: O JOGO DE FAZ-DE-CONTA NAS AÇÕES MOTORAS DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL EJE:

TITULO: O JOGO DE FAZ-DE-CONTA NAS AÇÕES MOTORAS DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL EJE: TITULO: O JOGO DE FAZ-DE-CONTA NAS AÇÕES MOTORAS DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL EJE: Incorporación curricular de la extensión AUTORES: Giovanna de Matos Moraes Carneiro, Ida Carneiro Martins, Luiz Alberto

Leia mais

O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR

O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR O ENSINO DA MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DE JOGOS EM SALA DE AULA E DE UM OLHAR SENSÍVEL DO PROFESSOR Erika Aparecida Domiciano Moser 1 RESUMO A alegria não chega apenas no encontro

Leia mais

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL

A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NO CONTEXTO ATUAL A PRÁTICA INVESTIGATIVA NO CURSO DE PEDAGOGIA: AVANÇOS E DESAFIOS Ana Lúcia Cunha Duarte UCB duart_ana@hotmail.com Resumo: A prática investigativa desenvolvida no curso de Pedagogia do Centro de Educação,

Leia mais

O ENSINO DE FÍSICA: DA METODOLOGIA DE ENSINO ÀS CONDIÇÕES DE APRENDIZAGEM

O ENSINO DE FÍSICA: DA METODOLOGIA DE ENSINO ÀS CONDIÇÕES DE APRENDIZAGEM O ENSINO DE FÍSICA: DA METODOLOGIA DE ENSINO ÀS CONDIÇÕES DE APRENDIZAGEM José Cícero Santos (UFAL) [cjnego2007@gmail.com] Aldisío Alencar Gomes (UFAL) [aldisioalencar@gmail.com] Ana Paula Perdigão Praxedes

Leia mais

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE

EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE EXPERIÊNCIAS NA FORMAÇÃO DOCENTE Stella Maris Pissaia 1 Giseli Dionize Bobato 2 RESUMO: Neste resumo apresentamos uma descrição compreensiva das experiências vivenciadas a partir do contato teórico durante

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores A PROPOSTA PEDAGÓGICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: OBSERVAÇÃO PARTICIPATIVA NO ESTÁGIO Monica Isabel

Leia mais

PROJETO MEDIAR Matemática, uma Experiência Divertida com ARte

PROJETO MEDIAR Matemática, uma Experiência Divertida com ARte PROJETO MEDIAR Matemática, uma Experiência Divertida com ARte Silvana Iunes Centro Universitário de Brasília silvanaiunes@gmail.com Resumo: de jogos matemáticos elaborados por alunas da disciplina de Fundamentos

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

Creche Municipal Pequeno Príncipe

Creche Municipal Pequeno Príncipe DESCRIPCIÓN DE LA INSTITUCIÓN UBICACIÓN GEOGRÁFICA Região: Centro Oeste Município: Porto dos Gaúchos MT Título da experiência: Construindo sua identidade no universo da brincadeira Autoras: Claudiane Eidt

Leia mais

TÍTULO: JOGOS LÚDICOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZADO NA MATEMÁTICA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA

TÍTULO: JOGOS LÚDICOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZADO NA MATEMÁTICA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA TÍTULO: JOGOS LÚDICOS COMO ESTRATÉGIA DE APRENDIZADO NA MATEMÁTICA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: MATEMÁTICA INSTITUIÇÃO: CENTRO UNIVERSITÁRIO ADVENTISTA DE SÃO PAULO AUTOR(ES):

Leia mais

A MUSICALIZAÇAO, O LUDICO E A AFETIVIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A MUSICALIZAÇAO, O LUDICO E A AFETIVIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1411 A MUSICALIZAÇAO, O LUDICO E A AFETIVIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Eliza de Oliveira 1, Sueli Felicio Fernandes 1, Luciana Carolina Fernandes de Faria 2 1 Discente do curso de Música-Licenciatura

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1

A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1 A UTILIZAÇÃO DE JOGOS NO APRENDIZADO DA MATEMÁTICA RELACIONADO À APRENDIZAGEM DA LÍNGUA PORTUGUESA 1 Ana Paula Martins Medeiros Castilho Cíntia de Melo Barbosa 1 Viviane Ap. Zacheu Viana 2 Terezinha Maia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012 UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO ÁREA DE COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA - 2012 7 ANO TURMAS A e B Prof. Alexandre Magno Guimarães Ementa:

Leia mais

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL A LUDICIDADE COMO EIXO DE FORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo LIMA, Márcia Regina Canhoto de - FCT/UNESP marcialima@fct.unesp.br LIMA, José Milton de - FCT/UNESP miltonlima@fct.unesp.br ORLANDI, Leonardo

Leia mais

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO QUANTO É? Danielle Ferreira do Prado - GEEM-UESB RESUMO Este trabalho trata sobre um trabalho que recebeu o nome de Quanto é? que foi desenvolvido depois de vários questionamentos a cerca de como criar

Leia mais

COTIDIANO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

COTIDIANO NA EDUCAÇÃO INFANTIL COTIDIANO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Reflexão sobre aspectos da rotina nas creches e pré-escolas, tomando com motivação os desenhos de Francesco Tonucci e buscando apoio em alguns trabalhos teóricos significativos

Leia mais

PIBID: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA

PIBID: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA PIBID: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCENCIA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA Ester Gonçalves Prata¹ UNIR-Campus Vilhena ester-vha@hotmail.com Elezilda Pereira Rodrigues² UNIR-Campus Vilhena zildarodriguesvha@hotmail.com

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR NA ESCOLA

A ARTE DE BRINCAR NA ESCOLA A ARTE DE BRINCAR NA ESCOLA Tatiana de Lourdes Venceslau (UFF) tativenceslau@hotmail.com Vanessa de Mello Coutinho 1 (UFF) nessapeduff@yahoo.com.br Nosso trabalho está integrado ao projeto de ensina, pesquisa

Leia mais

BRINCAR E DESENVOLVIMENTO INFANTIL: UMA ANÁLISE REFLEXIVA

BRINCAR E DESENVOLVIMENTO INFANTIL: UMA ANÁLISE REFLEXIVA BRINCAR E DESENVOLVIMENTO INFANTIL: UMA ANÁLISE REFLEXIVA RESUMO Tiago Pereira Gomes 1 Genivaldo Macário de Castro 2 O presente trabalho é resultado de um estudo teórico que visa compreender o brincar

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA DA ESCRITA COMO INSTRUMENTO NORTEADOR PARA O ALFABETIZAR LETRANDO NAS AÇÕES DO PIBID DE PEDAGOGIA DA UFC Antônia Fernandes Ferreira; Gessica Nunes Noronha; Marielle Sâmia de Lima

Leia mais

(Brincar para todos,2006) INTRODUÇÃO

(Brincar para todos,2006) INTRODUÇÃO 62 A brincadeira é a vida da criança e uma forma gostosa para ela movimentar-se e ser independente. Brincando, a criança desenvolve os sentidos, adquire habilidades para usar as mãos e o corpo, reconhece

Leia mais

A Música No Processo De Aprendizagem

A Música No Processo De Aprendizagem A Música No Processo De Aprendizagem Autora: Jéssica Antonia Schumann (FCSGN) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: O presente trabalho tem por objetivo investigar sobre a importância em

Leia mais

Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal

Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal Fundamentação teórica para a presença do Xadrez nas actividades curriculares e extracurriculares no Real Colégio de Portugal O Lúdico na Sala de Aula O lúdico tem vindo a desempenhar um importante papel

Leia mais

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO

A DINÂMICA DOS ATELIÊS DO CAIC/UEPG CENTRO DE ATENÇÃO INTEGRAL DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (PERÍODO INTEGRAL): PROJETO EM AÇÃO/REFLEXÃO/AÇÃO 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A DINÂMICA

Leia mais

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA GREICY GIL ALFEN A LUDICIDADE EM SALA DE AULA

SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA GREICY GIL ALFEN A LUDICIDADE EM SALA DE AULA SEDUC SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL DOMINGOS BRIANTE ANA GREICY GIL ALFEN A LUDICIDADE EM SALA DE AULA Projeto apresentado e desenvolvido na Escola Estadual Domingos Briante

Leia mais

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2

TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 TRANSFORMANDO O JOGO DA VELHA EM UMA EXPERIÊNCIA PRAZEROSA 1 Sabrine Costa Oliveira 2 IFES danielly.fraga@live.com Danielly Fraga Santana 3 IFES binecosta@gmail.com Dilza Côco 4 IFES/UFES dilzacoco@gmail.com

Leia mais

BRINCADEIRA É COISA SÉRIA

BRINCADEIRA É COISA SÉRIA BRINCADEIRA É COISA SÉRIA Márcia Maria Almeida Figueiredo Mestre em Educação e professora do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais Agora eu era o rei Era o bedel e era também juiz E pela minha

Leia mais

JOGOS DIDÁTICOS E O ENSINO DE HISTÓRIA: NARRAÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA

JOGOS DIDÁTICOS E O ENSINO DE HISTÓRIA: NARRAÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA JOGOS DIDÁTICOS E O ENSINO DE HISTÓRIA: NARRAÇÃO DE UMA EXPERIÊNCIA EM SALA DE AULA INTRODUÇÃO Juliana Karol de Oliveira Falcão¹ E-mail: julianakarol-16@hotmail.com Arthur Rodrigues de Lima² E-mail: arthur.rlima@hotmail.com

Leia mais

USANDO O ALFABETO MÓVEL COMO RECUSO DE RECUPERAÇÃO

USANDO O ALFABETO MÓVEL COMO RECUSO DE RECUPERAÇÃO USANDO O ALFABETO MÓVEL COMO RECUSO DE RECUPERAÇÃO Vera Lucia de Souza 1 ; Monique de Campos Ribeiro 2 ; Maria Rosa Leite da Silva 3; Kátia Nakamura 4; Maria de Lourdes dos Santos 5 1Bolsista/PIBID/PEDAGOGIA/UFGD.

Leia mais