TERMO DE REFERENCIA EQUIPAMENTOS ATIVOS DE REDE PON com FORNECIMENTO, INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TERMO DE REFERENCIA EQUIPAMENTOS ATIVOS DE REDE PON com FORNECIMENTO, INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO."

Transcrição

1 TERMO DE REFERENCIA EQUIPAMENTOS ATIVOS DE REDE PON com FORNECIMENTO, INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO. 1. OBJETO 1.1. Registro de preços para requisitos técnicos mínimos de fornecimento, instalação e configuração de equipamentos OLT (Optical Line Termination) e ONU (Optical Network Unit) com garantia e homologados pela ANATEL, para utilização em rede semafórica do município de São Paulo de acordo com as especificações e quantidades estimadas constantes deste instrumento e seus anexos. 2. INTRODUÇÃO 2.1. A solução aqui apresentada é baseada no padrão ITU G.984 para equipamentos de telecomunicações utilizando-se de OLTs e ONUs, os equipamentos e sistemas fornecidos deverão atender plenamente aos requisitos técnicos descritos neste documento, de forma a programar todas as funcionalidades necessárias ao provimento das aplicações descrito nesta especificação Técnica Os equipamentos objetos desta especificação deverão ser capazes de prover diversos serviços de rede através de uma rede óptica de acesso passiva município de São Paulo Os equipamentos oferecidos deverão ser homologados pela ANATEL, contendo etiqueta indicando tal fato Deverão ser apresentadas cópias dos certificados de homologação para cada modelo proposto de OLT e ONU. 3. DETALHAMENTO 3.1. Definições O objeto desta especificação técnica deverá atender o estabelecido nas normas ITU-T G.983-1, G.983-2, G.983-3, G.983.4, G.983-5, G.984-1, G.984-2, G e G.984-4, prevalecendo, porém, o que for alterado por esta especificação técnica ITU-T G.983.3: A broadband optical access system with increased service capability by wavelength allocation ITU-T G Amendment 1: A broadband optical access system with increased service capability by wavelength allocation Amendment ITU-T G.983.4: A broadband optical access system with increased service capability using dynamic bandwidth assignment ITU-T G.983.5: A broadband optical access system with enhanced survivability v. ITU-T G.984.1: GPON General Characteristics ITU-T G.984.2: GPON Physical Media Dependent (PMD) layer specification ITU-T G Amendment 1: G-PON Physical Media Dependent (PMD) layer specification Amendment 1: New Appendix III Industry best practice for Gbit/s downstream e Gbit/s upstream G-PON

2 ITU-T G.984.3: GPON Transmission convergence layer specification ITU-T G.984.4: GPON ONU management and control interface specification Entenda-se como sistema o conjunto formado pela OLT e ONU Os equipamentos OLTs e ONUs, mesmo fornecidos separadamente, não podem impedir o atendimento dos requisitos do sistema completo. 4. MODALIDADE DE CONTRATAÇÃO 4.1. O objeto desse termo de referência enquadra-se na categoria de bens e serviços comuns, de que trata a Lei nº /2002 e o Decreto nº 5.450/2005, por possuírem padrões de desempenho e características gerais e específicas usualmente encontradas no mercado, podendo ser licitado por meio da modalidade Pregão As contratações em questão serão realizadas mediante Sistema de Registro de Preços (SRP), conforme o Decreto Nº 3.931, de 19 de setembro A agilidade e simplicidade proporcionada pelo Pregão, aliada ao SRP, possibilita que a Contratação seja ajustada à necessidade de cada projeto executivo. Essa flexibilidade é imprescindível uma vez que ajustes finais são necessários após a realização de medidas de campo O SRP também possibilitará a CONTRATANTE a adequação das contratações as prioridades decorrentes das políticas públicas, bem como à disponibilidade orçamentária para implementação da rede A Contratação objetiva, por fim, respeitada a isonomia entre os LICITANTES, selecionar a proposta mais vantajosa para a Administração e promover o desenvolvimento nacional, garantindo a boa qualidade dos equipamentos e softwares de empresas comprometidas com o desenvolvimento do país e a custos mais reduzidos, contribuindo para o fortalecimento dos vários segmentos da economia brasileira e para a diminuição dos gastos governamentais. 5. RELAÇÃO DE EQUIPAMENTOS 5.1. Lote Item Objeto Quantidade (UN.) Item Quantidade Unidade Tipo 1 XX Unid. Chassi OLT (Optical Line Terminal) TIPO I 2 xx Unid. OLT (Optical Line Terminal) TIPO II 3 xxx Unid. ONU (Optical Network Unit) - Tipo III

3 6. Itens e descritivo técnico 6.1. Item CHASSI OLT (Optical Line Terminal) TIPO I Deve operar de acordo com o ITU-T G984.1, G.984.2, G.984.3, G.984.4, G Deve possuir capacidade minima de Downstream: 1490nm Deve possuir capacidade minima de Upstream: nm Deve possuir alcance minimo de até 20Km através de módulo SFP com laser classe B+ e orçamento de link de 28dB Deve ser composto de um único bastidor modular Deve suportar até 64 ONUs por interface GPON Deve possuir no mínimo 40 portas GPON, onde cada porta deverá suportar, no mínimo até 128 ONU s(optical network termination) Deve possuir no mínimo placas OLT com no mínimo 8 portas PON Deve suportar FEC: Forward Error Correction Deve suportar a alocação estática e dinâmica de banda: CBA e DBA Deve suportar até 4096 port-ids no downstream e upstream Deve suportar até 1024 alloc-ids no upstream Deve possuir mecanismos que permitam ativação e desativação da visibilidade entre usuários. de portas PON distintas e da mesma porta PON Deve possuir capacidade mínima de conectividade de 40 interfaces GPON Deve possuir no minimo 04 interfaces 10GbE dos via módulo XFP (10 Gigabit Small Form factor Plugable) e acompanhado transceptores ópticos (XFP) compatíveis com os equipamentos ofertado Deve possuir o padrão IEEE 802.3ae 10 Gigabit Ethernet Deve possuir o padrão IEEE 802.3z Gigabit Ethernet Deve ser ofertado com transceptores ópticos SFP (1 Gigabit Small Form factor Plugable) plenamente compatíveis com os equipamentos ofertado Deve possuir no minimo transmissor óptico de acordo com a norma ITU-T G.984.1/2/3/ Deve possuir no minimo receptor óptico de acordo com a norma ITU-T G Apresentar uma solução que tenha alcance lógico de até 20km (distância entre o OLT e a ONU mais distante), e pelo menos uma distância de 60Km entre a ONU mais próxima e a ONU mais distante da OLT Deve suportar a redundância tipo B de acordo com o ITU-T G Deve suportar no minimo 256 T-CONUs e Allocation Identifier (Alloc-ID) com um intervalo de, no mínimo, 0 até Deve permitir a configuração de link aggregation estático e dinâmico nas portas LAN (LACP) Deve posssuir interfaces de acordo com IEEE 802.3, 802.3u, 802.3z, 802.3ae, 802.3ab Deve permitir o gerenciamento mínimo VLANs Deve permitir a da taxa de transmissão das ONUs em múltiplos de 128 kbit/s Deve permitir a configuração IGMP snooping (v1,v2,v3) Deve permitir a configuração IGMP Proxy Deve permitir a configuração RSTP Deve permitir Auto Negociação Deve permitir Auto MDI/MDI-X Deve possuir operação Half/Full duplex Deve permitir a configuração MAC Filtering Deve possuir suporte a VLAN 802.1q (Q in Q) Deve permitir a configuração VLAN tagging por porta e por MAC Deve permitir a configuração VLAN trunking Deve permitir a configuração VLAN mapping.

4 Deve permitir a configuração VLAN gerencia Deve permitir a configuração Ethernet Bridging Deve possuir suporte DHCP Relay Agent (Option 82) Deve possuir suporte a QoS em camada 2 (802.1p) e em camada 3 com 8 filas distintas Deve permitir o uso de Ethernet JUMBO Frame em todas as portas Suportar T-count Type 1, 2, 3, 4 e 5, de acordo com o padrão ITU-T Deve possuir suporte Upgrade de Firmware Implementar políticas de controle de largura de banda baseados em T-CONT (T Containers) Deve possuir suporte a configuração de provisionamento de bandas com granularidade de 64K inclusive via software de gerência Deve possuir suporte o mapeamento e a extração de frames Ethernet no frame GEM de acordo com a norma ITU-T G Deve permitir a configuração ACL s layer 2 e layer 3, podendo serem definidas por porta ou por VLAN Deve permitir a configuração do padrão IEEE 802.1p VLAN prioritization Deve possuir suporte Traffic shaping Deve possuir suporte Traffic scheduling Deve possuir suporte MAC address filtering Deve possuir suporte IP address filtering Deve possuir suporte MAC address anti-spoofing Deve possuir suporte IP anti-spoofing Deve possuir suporte Ethernet Access List Deve possuir suporte IP Access List Deve possuir suporte Limitation of broadcast storms Deve possuir suporte Limitation traffic of ARP packet Deve possuir suporte Blocking of user-to-user flows Deve possuir suporte Limitation of MAC address per port Deve possuir suporte classificação e marcação de tráfego Deve possuir suporte a QoS Layer 2, 3 e 4 com 8 filas distintas Deve possuir suporte a função de conectividade confiável (trusted conenectivity) onde a priorização dos serviços configuradas pelo ONU são mantidas Deve possuir suporte a função de conectividade não confiável (un-trusted conenectivity) onde a priorização dos serviços configuradas pelo ONU podem ser ajustadas Deve possuir alimentacão minima de 48 VDC (+20%) Deve possuir 2 fontes de alimentacão redundantes com a função hot swap Deve possuir consumo máximo de 90W Deve permitir operação minimas entre os intervalos de 0 a 40 graus Deve permitir operação com umidade de até 85% não condensado Deve permitir a instalação em rack padrão EIA Deve permitir configuração e gerencia através do protocolo SNMPv Deve permitir gerencia in-band ou através de porta Ethernet dedicada (out-ofband) Deve permitir acesso e configuração através de porta serial RS 232, conexão segura SSH ou protocolo TELNET Deve possuir proteção de trafego downstream com encriptação AES de nomimo 128 bits Deve possuir suporte a conexão segura através de SSH e protocolo TELNET Deve possuir suporte Syslog local e remoto Deve possuir função de roll-back Deve permitir autenticação por servidor RADIUS e TACACS Deve permitir suporte a segmentação do tráfego de gerencia em uma VLAN dedicada Certificado de homologação expedido pela Anatel.

5 6.3. CARACTERÍSTICAS DE CONTROLE E GERENCIAMENTO DAS OLT TIPO I Deve permitir uma arquitetura redundante das interfaces de controle, sendo um independente do outro, e com mecanismos tolerante às falhas. Um módulo deverá trabalhar em modo ativo (master) e outro em modo de espera (standby), comutando automaticamente em caso de falha Deve permitir capacidade de encaminhamento entre todas as interfaces nonblocking. Deve permitir interfaces de gerenciamento com as seguintes características: IEEE /100Base-T, com gerenciamento através de VLANs Console serial Deve permitir carga de software e de configuração via operador local e também remotamente, via sistema de gerência, sem paralisação do equipamento ou dos serviços Deve possuir alarmes com indicações visuais que permitam a rápida identificação das condições distintas de avaria dos mesmos, bem como reportá-los ao sistema de gerenciamento Item OLT (Optical Line Terminal) TIPO II Deve operar de acordo com o ITU-T G984.1, G.984.2, G.984.3, G.984.4, G Deve possuir capacidade minima de Downstream: 1490nm Deve possuir capacidade minima de Upstream: nm Deve possuir alcance minimo de até 20Km através de módulo SFP com laser classe B+ e orçamento de link de 28dB Deve suportar até 64 ONUs por interface GPON Deve suportar FEC: Forward Error Correction Deve suportar a alocação estática e dinâmica de banda: CBA e DBA Deve suportar até 4096 port-ids no downstream e upstream Deve suportar até 1024 alloc-ids no upstream Deve possuir mecanismos que permitam ativação e desativação da visibilidade entre usuários. de portas PON distintas e da mesma porta PON Deve possuir capacidade mínima de conectividade de 4 interfaces GPON Deve possuir 02 interfaces 10GbE dos via módulo XFP (10 Gigabit Small Form factor Plugable) e acompanhado transceptores ópticos (XFP) compatíveis com os equipamentos ofertado Deve possuir o padrão IEEE 802.3ae 10 Gigabit Ethernet Deve possuir o padrão IEEE 802.3z Gigabit Ethernet Deve ser ofertado com transceptores ópticos SFP (1 Gigabit Small Form factor Plugable) plenamente compatíveis com os equipamentos ofertado Deve possuir no minimo transmissor óptico de acordo com a norma ITU-T G.984.1/2/3/ Deve possuir no minimo receptor óptico de acordo com a norma ITU-T G Apresentar uma solução que tenha alcance lógico de até 20km (distância entre o OLT e a ONU mais distante), e pelo menos uma distância de 60Km entre a ONU mais próxima e a ONU mais distante da OLT Deve suportar a redundância tipo B de acordo com o ITU-T G Deve suportar no minimo 256 T-CONTs e Allocation Identifier (Alloc-ID) com um intervalo de, no mínimo, 0 até Deve permitir a configuração de link aggregation estático e dinâmico nas portas LAN (LACP) Deve posssuir interfaces de acordo com IEEE 802.3, 802.3u, 802.3z, 802.3ae, 802.3ab Deve permitir o gerenciamento mínimo VLANs Deve permitir a da taxa de transmissão das ONUs em múltiplos de 128 kbit/s.

6 Deve permitir a configuração IGMP snooping (v1,v2,v3) Deve permitir a configuração IGMP Proxy Deve permitir a configuração RSTP Deve permitir Auto Negociação Deve permitir Auto MDI/MDI-X Deve possuir operação Half/Full duplex Deve permitir a configuração MAC Filtering Deve possuir suporte a VLAN 802.1q (Q in Q) Deve permitir a configuração VLAN tagging por porta e por MAC Deve permitir a configuração VLAN trunking Deve permitir a configuração VLAN mapping Deve permitir a configuração VLAN gerencia Deve permitir a configuração Ethernet Bridging Deve possuir suporte DHCP Relay Agent (Option 82) Deve possuir suporte a QoS em camada 2 (802.1p) e em camada 3 com 8 filas distintas Deve permitir o uso de Ethernet JUMBO Frame em todas as portas Suportar T-count Type 1, 2, 3, 4 e 5, de acordo com o padrão ITU-T Deve possuir suporte Upgrade de Firmware Implementar políticas de controle de largura de banda baseados em T-CONT (T CONTainers) Deve possuir suporte a configuração de provisionamento de bandas com granularidade de 64K inclusive via software de gerência Deve possuir suporte o mapeamento e a extração de frames Ethernet no frame GEM de acordo com a norma ITU-T G Deve permitir a configuração ACL s layer 2 e layer 3, podendo serem definidas por porta ou por VLAN Deve permitir a configuração do padrão IEEE 802.1p VLAN prioritization Deve possuir suporte Traffic shaping Deve possuir suporte Traffic scheduling Deve possuir suporte MAC address filtering Deve possuir suporte IP address filtering Deve possuir suporte MAC address anti-spoofing Deve possuir suporte IP anti-spoofing Deve possuir suporte Ethernet Access List Deve possuir suporte IP Access List Deve possuir suporte Limitation of broadcast storms Deve possuir suporte Limitation traffic of ARP packet Deve possuir suporte Blocking of user-to-user flows Deve possuir suporte Limitation of MAC address per port Deve possuir suporte classificação e marcação de tráfego Deve possuir suporte a QoS Layer 2, 3 e 4 com 8 filas distintas Deve possuir suporte a função de conectividade confiável (trusted conenectivity) onde a priorização dos serviços configuradas pelo ONU são mantidas Deve possuir suporte a função de conectividade não confiável (un-trusted conenectivity) onde a priorização dos serviços configuradas pelo ONU podem ser ajustadas Deve possuir alimentacão minima de 48 VDC (+-20%) Deve possuir 2 fontes de alimentacão redundantes com a função hot swap Deve possuir consumo máximo de 90W Deve permitir operação minimas entre os intervalos de 0 a 40 graus Celsius Deve permitir operação com umidade de até 85% não condensado Deve permitir a instalação em rack padrão EIA Deve permitir configuração e gerencia através do protocolo SNMPv Deve permitir gerencia in-band ou através de porta Ethernet dedicada (out-ofband).

7 Deve permitir acesso e configuração através de porta serial RS 232, conexão segura SSH ou protocolo TELNET Deve possuir proteção de trafego downstream com encriptação AES de nomimo 128 bits Deve possuir suporte a conexão segura através de SSH e protocolo TELNET Deve possuir suporte Syslog local e remoto Deve possuir função de roll-back Deve permitir autenticação por servidor RADIUS e TACACS Deve permitir suporte a segmentação do tráfego de gerencia em uma VLAN dedicada Certificado de homologação expedido pela Anatel Item ONU (Optical Network Unit) - - Tipo III Deve operar de acordo com ITU-T G Deve operar de acordo com ITU-T G.983.3: A broadband optical access system with increased service capability by wavelength allocation Deve operar de acordo com ITU-T G Amendment 1: A broadband optical access system with increased service capability by wavelength allocation Amendment Deve operar de acordo com ITU-T G.983.4: A broadband optical access system with increased service capability using dynamic bandwidth assignment Deve operar de acordo com ITU-T G.983.5: A broadband optical access system with enhanced survivability v. ITU-T G.984.1: GPON General Characteristics Deve operar de acordo com ITU-T G.984.2: GPON Physical Media Dependent (PMD) layer specification Deve operar de acordo com ITU-T G Amendment 1: G-PON Physical Media Dependent (PMD) layer specification Amendment 1: New Appendix III Industry best practice for Gbit/s downstream Gbit/s upstream G-PON Deve operar de acordo com ITU-T G.984.3: GPON Transmission convergence layer specification Deve operar de acordo com ITU-T G.984.4: GPON ONU management and control interface specification x. IEEE 802.1p VLAN prioritization Deve operar de acordo com IEEE 802.1Q VLAN tagging Deve operar de acordo com IEEE 802.3u 100 Mbps Fast Ethernet Deve possuir capacidade minima de Downstream: 1490nm Deve possuir capacidade minima de Upstream: nm Single 9/125um fixed, nonremovable laser (single mode) com conector SC/APC Deve suportar no minimo os 4 filas de prioridades para cada de T-CONT Deve suportar no minimo mapeamento da porta GEM para uma fila de prioridade do T- CONT baseado na prioridade 802.1p Deve suportar no minimo mapeamento do fluxo de downstream para uma fila de prioridade da porta Ethernet baseado na prioridade 802.1p Deve suportar no minimo 4 (quatro) filas de prioridades para cada porta Ethernet e o mecanismo de agendamento SP Deve possuir Potência óptica de transmissão de no minimo 0dBm ~ 4dBm Deve possuir Potência óptica de recepção de no minimo -26dBm ~ -3dBm Deve suportar até 32 GEM Port-Ids Deve possuir a capacidade ativação por Serial Number descoberto ou configurado Deve possuir no minimo 1 interface GPON (ITU-TG.984) Deve posssuir no minimo 1 interfaces 10/100/1000 Mbit/s elétricas.

8 Deve possuir no minimo 1 interfaces 10/100/1000 Mbit/s, full-duplex, autonegotiation, auto MDI/MDI-X com conectorização RJ45, de acordo com o padrão IEEE 802.3u Deve possuir LED indicação de modo a indicar o estado do equipamento, status da porta PON e das portas de serviço Deve permitir configuração em Bridge Dinâmica de acordo com a IEEE Deve permitir a configuração VLAN segundo IEEE 802.1Q com até 32 VID s distintos Deve possuir no minimo a capacidade de endereçamento na tabela MAC de no mínimo 32K endereços Deve permitir a utilização simultânea dos modos roteador e bridge entre a interface WAN (Gpon) e LAN (Ethernet) Possuir as funções de DMZ (redirecionamento de todas as portas IP para um endereço IP interno) ou de virtual server, com a redireção de determinadas portas IP para endereços IP internos Permitir roteamento IP entre a porta WAN e as portas LAN sem NAT Deve permitir a configuração do padrão IEEE802.1ad Q-in-Q Deve permitir a configuração tráfego de upstream para a porta GEM baseado no parametro de VLAN-ID Deve permitir a configuração tráfego de upstream para a porta GEM baseado no parametro de 802.1p priority Deve permitir a configuração tráfego de upstream para a porta GEM baseado no parametro de Ethernet Port Deve permitir a implementação do padrão IEEE 802.1w Rapid Spannig Tree Deve permitir a configuração VLAN tagging e trunking Deve permitir a configuração marcação e classificação de tráfego upstream de acordo com porta de entrada Deve permitir funcionalidades que permitam a criação de loop back, diagnóstico remoto e link trace de acordo com o padrão IEEE 802.1ag Deve possuir interface WEB que permita configuração do equipamento localmente e remotamente Deve permitir alterar o login e senha dos usuários de acesso a interface de configuração Deve possuir suporte a multicast através de GEM port especifica Deve permitir a configuração IGMP snooping (v1,v2,v3) Deve possuir fonte de alimentação externa AC (90 a 240 V +-15%) Deve possuir operação de temperatura de no minimo entre o intervalo de -5 a 55 graus celsius, se outdoor, ou -5 a +65 graus celsius se indoor Deve possuir suporte a conexão segura através de SSH e protocolo TELNET Deve possuir suporte acesso à linha de comando CLI Deve possuir suporte a atualização remota de firmware Deve possuir suporte completo a roteamento IPv Deve ser homologado pela Anatel CARACTERÍSTICAS DE CONTROLE E GERENCIAMENTO ONU Deverá suportar no minimo o monitoramento de alarmes e performance através do padrão G Deverá suportar no minimo ser gerenciada de maneira local ou remotamente, incluindo configuração de software e upgrade Deverá suportar no minimo para que todas as configurações sejam realizadas remotamente, inclusive suportar Plug and Play, de modo que nenhuma configuração manual seja necessária na ONU Deverá suportar no minimo configuração via batch e upgrade remoto.

9 Deverá suportar no minimo monitoramento em tempo real das estatísticas das portas PON, Ethernet, através da gerência remota Deverá suportar no minimo o monitoramento em tempo real do módulo ótico (porta PON).

10 7. ASPECTOS GERAIS 7.1. Identificações Externamente à unidade deve ser afixada, por processo eficiente, plaqueta de identificação do equipamento, confeccionada em material não deteriorável e de boa resistência mecânica, contendo os seguintes dados: Número de série de fabricação Mês / ano de fabricação Código / modelo do fabricante No produto deve constar a placa de identificação exigida pela ANATEL Documentação Técnica Deverão ser entregues todos os relatórios de testes emitidos pelo setor de controle de qualidade da CONTRATADA A CONTRATADA deverá fornecer, em mídia eletrônica, os manuais de engenharia, instalação, operação e manutenção, comtemplando hardware e software, de todos os equipamentos previstos no escopo do fornecimento Os mesmos poderão ser copiados e distribuídos internamente na Prefeitura de São Paulo, para as diversas áreas de engenharia e operacionais Responsabilidade A CONTRATADA assumirá integral responsabilidade pela boa execução e eficiência dos serviços conforme especificado no que executar, de acordo com os projetos e especificações técnicas fornecidas Certificados de Garantia Os equipamentos e materiais deverão ter garantia integral contra defeitos de projeto, fabricação, instalação e desempenho inadequado A CONTRATADA deverá fornecer equipamentos com certificado de homologação na ANATEL Os certificados aceitos, em caso de equipamentos cuja homologação não seja compulsória pela ANATEL, serão aqueles emitidos por organizações designadas pela ANATEL DOS RECURSOS ORÇAMENTÁRIOS As despesas decorrentes da Ata de Registro de Preços correrão pela fonte de recursos do(s) órgão(s) /entidade(s) participante(s) do SRP (Sistema de Registro de Preços), a ser informada quando da lavratura do contrato TREINAMENTO A CONTRATADA deverá dispor de instalações de treinamento no Brasil, para realização dos cursos. Caso contrário, as despesas com deslocamento, diárias de alimentação e pernoite correrão por conta do fornecedor O proponente deverá ministrar treinamento de Hardware e Software, para que o municipio de São Paulo possa executar o comissionamento, operação e

11 manutenção, ao nível de módulo, de todos os equipamentos previstos no escopo do fornecimento A CONTRATADA deverá ministrar treinamento de Operação e Manutenção dos equipamentos, equipados com todos os módulos objetos desta Contratação Os treinamento serão divididos em turmas com no máximo dez alunos Os custos de laboratório, instrutor, material didático, local de treinamento e demais despesas (a exceção do deslocamento e estadia dos alunos) correrão por conta da CONTRATADA A programação, conteúdo programático e duração dos cursos deverão ser previamente aprovados CONTRATANTE Os cursos deverão ser ministrados em língua portuguesa, bem como o material didático utilizado e fornecido No início de cada curso, os alunos deverão receber um conjunto completo de notas de aula, incluindo cópia de todos os materiais da apresentação visual DA ENTREGA E DO RECEBIMENTO DO OBJETO A entrega dos itens e sua respectiva instalação não poderão ultrapassar os prazos máximos indicados abaixo, contados da data da ordem de compra. Deverão ser entregues e instalados todos os equipamentos, conforme cronograma de entregas definido entre a CONTRATADA e o CONTRATANTE O prazo máximo para entrega do sistema funcionando será de 30 (Trinta) dias Caso a instalação não ocorra por problemas de infraestrutura não motivados pela CONTRATADA, o fato deve ser informado à CONTRATANTE, mediante ofício protocolado na sede da CONTRATANTE O Local de entrega e os endereços específicos de cada localidade beneficiada serão repassados pela CONTRATANTE à CONTRATADA, de acordo com o estabelecido na ordem de compra, devendo, a entrega e instalação dos equipamentos, ocorrerem em qualquer local do Município de São Paulo Quanto ao recebimento: PROVISORIAMENTE, mediante recibo, para efeito de posterior verificação da conformidade do objeto com as especificações, devendo ser feito por pessoa credenciada pela CONTRATANTE DEFINITIVAMENTE, sendo expedido termo de recebimento definitivo, após verificação da qualidade e da quantidade do objeto, certificando-se de que todas as condições estabelecidas foram atendidas e, consequente aceitação das notas fiscais pelo gestor da Contratação, devendo haver rejeição no caso de desconformidade Condições de Suporte e Garantia O suporte e a garantia deverá ser integral de no mínimo 36 (trinta e seis) meses partir da data de finalização da instalação, ON-SITE para todos os itens da Ata e integral para todos os componentes, com cobertura total para peças e serviços, incluindo deslocamentos de técnicos, quando necessários, para prestação dos serviços de assistência técnica (autorizada), conforme período da garantia, modalidade da assistência técnica e localização, especificados para cada item do Registro de Preços Os serviços de assistência técnica deverão ser prestados na modalidade ON- SITE com período de garantia mínima de 36 (trinta e seis) meses, para todos os itens do Registro de Preços, inclusive para os modelos que venham a ser descontinuados Os serviços de assistência técnica deverão ser prestados diretamente pelo fabricante ou através de sua rede de assistência técnica autorizada, devidamente comprovada por declaração ou cópia do contrato, localizada no Município de São Paulo.

12 A empresa indicada para prestar o serviço de assistência técnica deve possuir, pelo menos, 1 (um) técnico certificado pelo fabricante com habilitação para prestar os serviços técnicos nos equipamentos apresentados A Assistência Técnica deverá disponibilizar número telefônico 0800 e serviço WEB, para registro do chamado técnico O período para solução do problema, que compreende o tempo entre o registro do chamado até a efetiva solução do problema, incluindo a substituição do equipamento caso necessário, deverá ser no máximo, 32 (trinta e duas) horas a partir da abertura do chamado para itens nas localidades do Município de São Paulo Na impossibilidade de solução definitiva do problema no prazo estabelecido, obriga-se a licitante a disponibilizar para uso imediato, nas instalações do órgão/entidade, outro item de características iguais e/ou superior ao que está sendo objeto da manutenção Caso seja impossível a substituição dos equipamentos, componentes, materiais ou peças por outras que não as que compõem o item proposto, esta substituição obedecerá ao critério de compatibilidade, que poderá ser encontrado no site do fabricante, através de equivalência e semelhança, e só poderá ser efetuada mediante expressa autorização por escrito da CONTRATANTE, para cada caso particular. Caso a CONTRATANTE recuse o equipamento, componente, material e ou peça a ser substituída, a licitante deverá apresentar alternativas, porém o prazo para solução do problema não será alterado DO PAGAMENTO O pagamento advindo do objeto da Ata de Registro de Preços será proveniente dos recursos da CONTRATANTE e será efetuado até 30 dias contados da data da apresentação da fatura devidamente atestada pelo gestor da Contratação, mediante crédito em conta corrente em nome da CONTRATADA A fatura que apresente incorreções será devolvida à CONTRATADA para as devidas correções. Nesse caso, o prazo de que trata o subitem anterior começará a fluir a partir da data de apresentação da nota fiscal corrigida Não será efetuado qualquer pagamento à CONTRATADA, em caso de descumprimento das condições de habilitação e qualificação exigidas na licitação É vedada a realização de pagamento antes da execução do objeto ou se o mesmo não estiver de acordo com as especificações deste instrumento Os pagamentos encontram-se ainda condicionados à apresentação dos seguintes comprovantes: Documentação relativa à regularidade para com a Seguridade Social (INSS), Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), Trabalhista e Fazendas Federal, Estadual e Municipal Toda a documentação exigida deverá ser apresentada em original ou por qualquer processo de reprografia, obrigatoriamente autenticada em cartório. Caso esta documentação tenha sido emitida pela Internet, só será aceita após a confirmação de sua autenticidade O pagamento será realizado em única parcela, a partir da comprovação dos eventos: Entrega dos materiais no local de instalação Instalação e teste do item solicitado 100 % (cem por cento)

13 7.10. DAS SANÇÕES ADMINISTRATIVAS No caso de inadimplemento de suas obrigações, a CONTRATADA estará sujeita, sem prejuízo das sanções legais nas esferas civil e criminal, às seguintes penalidades: Multas, estipuladas na forma a seguir: Multa diária de 0,3% (três décimos por cento), no caso de atraso na execução do objeto contratual até o 30º (trigésimo) dia, sobre o valor da nota de empenho ou instrumento equivalente Multa diária de 0,5% (cinco décimos por cento), no caso de atraso na execução do objeto contratual superior a 30 (trinta) dias, sobre o valor da nota de empenho ou instrumento equivalente. A aplicação da presente multa exclui a aplicação da multa prevista na alínea anterior Multa diária de 0,5% (cinco décimos por cento), sobre o valor do contrato, em caso de descumprimento das demais cláusulas contratuais, elevada para 1% (um por cento), em caso de reincidência Multa de 20% (vinte por cento), sobre o valor do contrato, no caso de desistência da execução do objeto ou rescisão contratual não motivada pela CONTRATANTE, inclusive o cancelamento do registro de preço Impedimento de licitar e contratar com a Administração, sendo, então, descredenciada no cadastro de fornecedores da Secretaria do Planejamento e Gestão (SEMPLA), do Município de São Paulo, pelo prazo de até 5 (cinco) anos, enquanto perdurarem os motivos determinantes da punição ou até que seja promovida a reabilitação perante a própria autoridade que aplicou a penalidade, sem prejuízo das multas previstas neste instrumento e das demais cominações legais DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA Executar o objeto em conformidade com as condições deste instrumento Manter durante toda a execução contratual, em compatibilidade com as obrigações assumidas, todas as condições de habilitação e qualificação exigidas na licitação Aceitar, nas mesmas condições contratuais, os percentuais de acréscimos ou supressões limitados ao estabelecido no 1º, do art. 65, da Lei Federal nº 8.666/1993, tomando-se por base o valor contratual Responsabilizar-se pelos danos causados diretamente à CONTRATANTE ou a terceiros, decorrentes da sua culpa ou dolo, quando da execução do objeto, não podendo ser arguido para efeito de exclusão ou redução de sua responsabilidade o fato de a CONTRATANTE proceder à fiscalização ou acompanhar a execução contratual Responder por todas as despesas diretas e indiretas que incidam ou venham a incidir sobre a execução contratual, inclusive as obrigações relativas a salários, previdência social, impostos, encargos sociais e outras providências, respondendo obrigatoriamente pelo fiel cumprimento das leis trabalhistas e específicas de acidentes do trabalho e legislação correlata, aplicáveis ao pessoal empregado na execução contratual Prestar imediatamente as informações e os esclarecimentos que venham a ser solicitados pela CONTRATANTE, salvo quando implicarem em indagações de caráter técnico, hipótese em que serão respondidas no prazo de 24 (vinte e quatro) horas.

14 Substituir ou reparar o objeto contratual que comprovadamente apresente condições de defeito ou em desconformidade com as especificações deste termo, no prazo fixado pela CONTRATANTE do SRP (Sistema de Registro de Preços), contado da sua notificação Cumprir, quando for o caso, as condições de garantia do objeto, responsabilizando-se pelo período oferecido em sua proposta comercial, observando o prazo mínimo exigido pela Administração Providenciar a substituição de qualquer profissional envolvido na execução do objeto contratual, cuja conduta seja considerada indesejável pela fiscalização da CONTRATANTE A empresa deve ter logística para entrega dos produtos no município de São Paulo no prazo estabelecido em edital DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATANTE Solicitar a execução do objeto à CONTRATADA através da emissão da ordem de compra Proporcionar à CONTRATADA todas as condições necessárias ao pleno cumprimento das obrigações decorrentes do objeto contratual, consoante estabelece a Lei Federal no 8.666/1993 e suas alterações posteriores Fiscalizar a execução do objeto contratual, através de sua unidade competente, podendo, em decorrência, solicitar providências da CONTRATADA, que atenderá ou justificará de imediato Notificar a CONTRATADA de qualquer irregularidade decorrente da execução do objeto contratual Efetuar os pagamentos devidos à CONTRATADA nas condições estabelecidas neste Termo Aplicar as penalidades previstas em lei e neste instrumento DA FISCALIZAÇÃO A execução contratual será acompanhada e fiscalizada por um gestor especialmente designado para este fim pela CONTRATANTE, de acordo com o estabelecido no art. 67, da Lei Federal nº 8.666/1993, a ser informado quando da lavratura do instrumento contratual. São Paulo, 18 de Março de Mauricio Hanashiro Núcleo de Implantação e Homologação LAN/WAN Gerência de Telecomunicações - GIC

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET. Termo de Referência para Equipamentos de Redes Ópticas Passivas - GPON. Versão 2.

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET. Termo de Referência para Equipamentos de Redes Ópticas Passivas - GPON. Versão 2. COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO CET Termo de Referência para Equipamentos de Redes Ópticas Passivas - GPON Versão 2.0 Revisão STE 26/01/2016 SUMÁRIO 1. OBJETIVO...3 2. INTRODUÇÃO...3 3. DEFINIÇÕES...3

Leia mais

1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PON

1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PON 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PON As características técnicas dos elementos envolvidos no projeto são descritas a seguir. Um diagrama de blocos simplificado é apresentado na Figura abaixo e representa de forma

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA. 1. UNIDADE REQUISITANTE: Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (ETICE)

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA. 1. UNIDADE REQUISITANTE: Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (ETICE) ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: Empresa de Tecnologia da Informação do Ceará (ETICE) 2. OBJETO: Serviço de Locação, instalação, configuração, monitoramento remoto e manutenção corretiva

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: GERÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS

TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: GERÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: GERÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS 2. OBJETO: Contratação de serviços continuo em Segurança e Medicina do Trabalho para realização de ASO (atestado de saúde ocupacional)

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: Gerência de Administração e Suprimento.

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: Gerência de Administração e Suprimento. ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: Gerência de Administração e Suprimento. 2. OBJETO: Contratação de Seguro de AUTO/RCF-V, cobertura compreensiva, (colisão, incêndio e Roubo), cobertura

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE

Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Switch com mínimo de 24 portas 10/100Mbps (Ethernet/Fast- Ethernet) ou velocidade superior em conectores RJ45 - POE Especificações Técnicas Mínimas: 1. O equipamento deve ter gabinete único para montagem

Leia mais

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência

SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA. Subitem Característica Especificação Exigência SWITCH DE BORDA CAMADA 2 24 PORTAS GIGABIT RJ-45 SEM POE E 2 PORTAS 10 GIGABITS PARA FIBRA Subitem Característica Especificação Exigência CONEXÕES DESEMPENHO 1.1 Portas RJ-45 1.2 Portas GBIC 1.3 Autoconfiguraçã

Leia mais

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I

PEDIDO DE COTAÇÃO - ANEXO I Folha: 0001 001 111586 Nobreak Senoidal de Dupla Conversão de no mínimo 3.0 KVa 1. Todos os equipamentos deverão ser novos de primeiro uso e estar na linha de produção atual do fabricante; 2. A garantia

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1.UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 2.1. Registro de preços para futuras e eventuais aquisições de EQUIPAMENTOS DE REDE CORPORATIVOS ( SWITCHS e ACESSÓRIOS), todos

Leia mais

Manual de Instalação e Operação

Manual de Instalação e Operação Manual de Instalação e Operação CONVERSOR HPNA 3.1 CTS3600EC-F Versão 1.0 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta documentação pode ser reproduzida sob qualquer forma, sem a autorização da CIANET.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas

TERMO DE REFERÊNCIA. Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas TERMO DE REFERÊNCIA Item I Switch Tipo 1 10/100 Mbps Layer 2 24 Portas Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação; Deve possuir, no mínimo, 24

Leia mais

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT

Termo de Referência. Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Diretoria de Infra-Estrutura de TIC DIT Termo de Referência Aquisição de servidores para camada de banco de dados. Termo de Referência Aquisição de Servidores Tipo 1A-1B para camada de Banco de Dados / Alta Disponibilidade RQ DEPI nº 11/2009

Leia mais

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos:

Por ser uma funcionalidade comum a diversos switches de mercado, sugerimos adicionar os seguintes requisitos: ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 10/2014 (PERGUNTAS E RESPOSTAS) A ATA REGISTRO PREÇOS FUTURA E EVENTUAL AQUISIÇÃO SWITCH ÓPTICA E SWITCH BORDA A ADMINISTRAÇÃO DIRETA E INDIRETA DO MUNICÍPIO SÃO PAULO

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO CEARÁ (ETICE).

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO CEARÁ (ETICE). ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO CEARÁ (ETICE). 2. DO OBJETO REGISTRO DE PREÇO PARA FUTURAS E EVENTUAIS contratações de Circuito de Dados, para

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE

ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE Aquisição de Solução de Criptografia para Backbone da Rede da Dataprev ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA 1. HARDWARE DO APPLIANCE 1.1 Cada appliance deverá ser instalado em rack de 19 (dezenove) polegadas

Leia mais

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON

PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON PASSIVE OPTICAL NETWORK - PON É uma solução para a rede de acesso, busca eliminar o gargalo das atuais conexões entre as redes dos usuários e as redes MAN e WAN. A solução PON não inclui equipamentos ativos

Leia mais

Software EMS Manual do usuário. CTS2780

Software EMS Manual do usuário. CTS2780 Software EMS Manual do usuário. CTS2780 V2-11/07/2014 1 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 GERENCIAMENTO DO OLT CTS2780... 4 1. ADICIONANDO A OLT NO EMS... 4 2. GERENCIAMENTO DO CHASSI... 7 2.1. Device Information...

Leia mais

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps

Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA Switch de Borda - 48 portas de 1 Gbps Especificações Técnicas Característica/Configurações/Requisitos mínimos: Descrição do Material Switch

Leia mais

Tecnologia de Transmissão de Rádio e Óptica para Telecomunicações. Abel Ruiter Gripp

Tecnologia de Transmissão de Rádio e Óptica para Telecomunicações. Abel Ruiter Gripp Tecnologia de Transmissão de Rádio e Óptica para Telecomunicações Abel Ruiter Gripp Agenda História Portfolio Mercado Labs P&D Principais produtos GPON WDM Radio Ponto a Ponto Gerência Conscius AsGa -

Leia mais

GWM 1420 N. INFORMÁTICA - networks. Roteador ADSL 2+ Wireless N 150 Mbps BANDA LARGA. Características

GWM 1420 N. INFORMÁTICA - networks. Roteador ADSL 2+ Wireless N 150 Mbps BANDA LARGA. Características INFORMÁTICA - networks BANDA LARGA GWM 1420 N A solução mais inteligente em banda larga. O Roteador GWM 1420 N Intelbras é um 3 em 1 que integra a função de modem ADSL 2+ de alta velocidade, roteador Wireless

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES. 2.6. Possibilidade de prover serviço de hospedagem para DNS secundário.

ESPECIFICAÇÕES. 2.6. Possibilidade de prover serviço de hospedagem para DNS secundário. 1 1. OBJETO ESPECIFICAÇÕES Contratação de serviços de telecomunicações para implementação, operação e manutenção de um circuito de acesso, síncrono, dedicado à Internet, na velocidade de 6Mbps, com disponibilidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. O presente termo de referência, tem por objeto o registro de preços para futuras aquisições dos seguintes itens:

TERMO DE REFERÊNCIA. O presente termo de referência, tem por objeto o registro de preços para futuras aquisições dos seguintes itens: TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO: O presente termo de referência, tem por objeto o registro de preços para futuras aquisições dos seguintes itens: Módulo de expansão para sistema de armazenamento em disco

Leia mais

Especificaça o Te cnica

Especificaça o Te cnica Especificaça o Te cnica Esta especificação técnica tem como objetivo possibilitar a implantação da infraestrutura de rede lógica (nível de acesso) na nova sede da DME Distribuição. A solução deverá ser

Leia mais

Roteamento e Comutação

Roteamento e Comutação Roteamento e Comutação Uma estação é considerada parte de uma LAN se pertencer fisicamente a ela. O critério de participação é geográfico. Quando precisamos de uma conexão virtual entre duas estações que

Leia mais

Agenda WWW.PARKS.COM.BR

Agenda WWW.PARKS.COM.BR Agenda Localização de aplicações GPON no espectro eletromagnético; Principio Fibra Óptica ; Ângulos de inserção; Relação Comprimento de onda e atenuação; Vantagens de aplicação de fibra e GPON; Cuidados;

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA E VENDA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 30/2014 PROCESSO N 1341-09.00/14-3

CONTRATO DE COMPRA E VENDA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 30/2014 PROCESSO N 1341-09.00/14-3 CONTRATO DE COMPRA E VENDA PREGÃO ELETRÔNICO Nº 30/2014 PROCESSO N 1341-09.00/14-3 Contrato AJDG Nº 74/14 O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da, órgão administrativo do MINISTÉRIO PÚBLICO, inscrito

Leia mais

Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless)

Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless) 1 Especificação de Referência Roteador Sem Fio (Wireless) Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000049

Leia mais

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle

SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots. 1.2. - Controle SWITCH CORE 1.1. - Chassi/Slots 1.1.1. Deve possuir no mínimo 06 slots para inserção de módulos de I/O, ou seja, 06 além dos slots para supervisoras; 1.1.2. Deve vir acompanhado de kit de suporte específico

Leia mais

1 de 6 25/08/2015 10:22

1 de 6 25/08/2015 10:22 1 de 6 25/08/2015 10:22 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano Termo de Adjudicação

Leia mais

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO:

ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: ÓRGÃO: UASG: ENDEREÇO DE ENTREGA: RESPONSÁVEL TÉCNICO: GRUPO 1 Item Quant. Descrição item R$ unitário R$ total 01 123 SWITCH TIPO 01: Equipamento tipo Switch Gigabit Ethernet com capacidade de operação

Leia mais

Especificação de Referência Switch de Acesso I

Especificação de Referência Switch de Acesso I 1 Especificação de Referência Switch de Acesso I Código do Objeto Descrição do Objeto Aplicação do Objeto Data da Especificação de Referência Validade da Especificação de Referência AC0000045 Switch de

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 26430 - INST.FED.DE EDUC.,CIENC.E TEC.S.PERNAMBUCANO 158149 - INST.FED.EDUC.CIENC.E TEC.SERTãO PERNAMBUCANO RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00008/2015-001 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EQUIPAMENTO

Leia mais

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios

Técnico em Redes de Computadores. Equipamentos e Acessórios Técnico em Redes de Computadores Equipamentos e Acessórios Componentes de uma Rede Uma rede é um sistema composto de um arranjo de componentes: Cabeamento Hardware Software Cabeamento Componentes de uma

Leia mais

HP Router Advanced Implementation

HP Router Advanced Implementation HP Router Advanced Implementation Dados técnicos O HP Router Advanced Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto ao Cliente e na análise dos equipamentos existente,

Leia mais

Considerando a necessidade de se buscar a redução de custos, em função do aumento da competitividade; e

Considerando a necessidade de se buscar a redução de custos, em função do aumento da competitividade; e Página 1 de 5 PORTARIA Nº 306, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2001 MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO GABINETE DO MINISTRO O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso das atribuições

Leia mais

INSPEÇÃO VEICULAR PARA KIT GNV PREÂMBULO

INSPEÇÃO VEICULAR PARA KIT GNV PREÂMBULO INSPEÇÃO VEICULAR PARA KIT GNV PREÂMBULO Termo de Participação via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto Estadual nº 28.397

Leia mais

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA

ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA CONCORRÊNCIA DIRAT/CPLIC 001/2007 1 ANEXO III DAS OBRIGAÇÕES DA CONTRATADA ESTABELECE, RESPONSABILIDADES DIVERSAS, TIPOS E HORÁRIO DE COBERTURA DE SUPORTE, E DEMAIS RESPONSABILIDADES DA CONTRATADA RELATIVAS

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRÁS PÁG. 1 DE 13 PRÁTICA DE SERVIÇO DE BANDA LARGA REQUISITOS MÍNIMOS PARA OS PRESTADORES DE SERVIÇO DO PROGRAMA NACIONAL DE BANDA LARGA - PNBL Sumário 1.OBJETIVO... 2 2.CAMPO DE APLICAÇÃO... 2 3.DEFINIÇÕES...

Leia mais

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação:

1. Alterar os itens 1.3, 1.3.1, 1.5 e 1.5.1 e acrescentar item 1.3.2 da Cláusula Primeira do Contrato, com a seguinte redação: PRIMEIRO ADITIVO AO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E FORNECIMENTO DE INFRA-ESTRUTURA DE ACESSO A SERVIÇOS INTERNET DE BANDA ESTREITA DIAL PROVIDER Pelo presente instrumento particular, de um lado, na

Leia mais

Manual de Instalação e Operação

Manual de Instalação e Operação Manual de Instalação e Operação CONVERSOR HPNA 3.1 CTS3600EC MXU VERSÃO 1.0 12 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta documentação pode ser reproduzida sob qualquer forma, sem a autorização

Leia mais

Slide: 1. FTTx Equipamentos GEPON

Slide: 1. FTTx Equipamentos GEPON Slide: 1 FTTx Equipamentos GEPON FTTx - Definição FTTx é um termo genérico para designar arquiteturas de redes de transmissão de alto desempenho, baseadas em tecnologia óptica. São redes totalmente passivas

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº. 017/2015 - SRP

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº. 017/2015 - SRP ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PREGÃO PRESENCIAL Nº. 017/2015 - SRP Aos 27 (vinte e sete) dias de mês de maio do ano de 2015, o Município de Parazinho/RN, CNPJ nº. 08.113.631/0001-29, com sede na Praça Senador

Leia mais

CURSO DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE SISTEMAS FIBERHOME PARA REDES FTTx

CURSO DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE SISTEMAS FIBERHOME PARA REDES FTTx CURSO DE OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO DE SISTEMAS FIBERHOME PARA REDES FTTx Autor: Manuel Osorio Zuleta Instrutor: Manuel Osorio Zuleta Empresa: CCAT - Consultores em Capacitação Tecnológica Data: 04/02/2015

Leia mais

TÉCNICAS DE ACESSO MÚLTIPLO NO DOMINIO ÓPTICO. José Valdemir dos Reis Junior

TÉCNICAS DE ACESSO MÚLTIPLO NO DOMINIO ÓPTICO. José Valdemir dos Reis Junior TÉCNICAS DE ACESSO MÚLTIPLO NO DOMINIO ÓPTICO José Valdemir dos Reis Junior ROTEIRO Gerações das redes PON Componentes das Redes Ópticas Passivas Técnicas de acesso múltiplo nas redes PON: - Acesso Multiplo

Leia mais

BOBINA DE PAPEL TERMICO PREÂMBULO

BOBINA DE PAPEL TERMICO PREÂMBULO BOBINA DE PAPEL TERMICO PREÂMBULO Termo de Participação via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto Estadual nº 28.397 / 21 de

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº 20150007

TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº 20150007 TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº 20150007 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto Estadual nº 28.397,

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO CEARÁ ETICE

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: EMPRESA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO CEARÁ ETICE ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. UNIDADE REQUISITANTE: ETICE 2. DO OBJETO: Registro de Preços para futuras e eventuais aquisições de fibra óptica, acessórios e material para rede de acesso FTTX e equipamentos

Leia mais

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS

PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS PROJETO BÁSICO AQUISIÇÃO DE SOLUÇÃO DE REDE WIRELESS 1. OBJETO Este Projeto Básico tem por objeto a especificação dos requisitos técnicos necessários para a aquisição de uma solução de Rede Wireless para

Leia mais

HP Network Core Implementation

HP Network Core Implementation HP Network Core Implementation Dados técnicos O serviço HP Network Core Implementation tem como objetivo, através de uma análise técnica no ambiente de rede local, realizar a implementação de uma proposta

Leia mais

Ilustração 1: Secretaria de Desenvolvimento Agrário Centrais de Abastecimento do Ceará S/A CEASA

Ilustração 1: Secretaria de Desenvolvimento Agrário Centrais de Abastecimento do Ceará S/A CEASA PREÂMBULO ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº 28088, DE 10 /01/ 2006. TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº2011 085 DE 29/09/2011. Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO DO EDITAL 20114150

TERMO DE PARTICIPAÇÃO DO EDITAL 20114150 TERMO DE PARTICIPAÇÃO DO EDITAL 20114150 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto Estadual

Leia mais

ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 PREÂMBULO

ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 PREÂMBULO ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 TERMO DE PARTICIPAÇÃO Nº 2014-003 PREÂMBULO 1.Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por

Leia mais

Manual de Instalação e Operação

Manual de Instalação e Operação Manual de Instalação e Operação Placa Conversora de Mídia CTS500E-FR LXA e LXB Versão 1.0 Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta documentação pode ser reproduzida sob qualquer forma, sem a autorização

Leia mais

MANUTENÇÃO DO PÁRA RAIOS PREÂMBULO

MANUTENÇÃO DO PÁRA RAIOS PREÂMBULO MANUTENÇÃO DO PÁRA RAIOS PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto Estadual nº 28.397 / 21

Leia mais

COMPANHIA DE GAS DO CEARA COTAÇÃO DE PREÇOS Nº 20150378 DECRETO Nº 28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006

COMPANHIA DE GAS DO CEARA COTAÇÃO DE PREÇOS Nº 20150378 DECRETO Nº 28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 COMPANHIA DE GAS DO CEARA COTAÇÃO DE PREÇOS Nº 20150378 DECRETO Nº 28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição

Leia mais

ANEXO II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EXPANSÃO E INTEGRAÇÃO DO SYSTEM STORAGE IBM DS4700.

ANEXO II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EXPANSÃO E INTEGRAÇÃO DO SYSTEM STORAGE IBM DS4700. ANEXO II ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS EXPANSÃO E INTEGRAÇÃO DO SYSTEM STORAGE IBM DS4700. LOTE 1 (Único) 1 8 Disco FC de 300 GBytes, 4 Gbps, 15 Krpm E-DDM. Tecnologia Fibre Channel Enhanced Disk Drive Modules;

Leia mais

1 de 47 25/08/2015 10:23

1 de 47 25/08/2015 10:23 1 de 47 25/08/2015 10:23 158149.82015.56073.5134.2733097788.342 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria Executiva Subsecretaria de Planejamento e Orçamento Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia

Leia mais

DSG/DLOG/SGF N. 014 /2014. Aquisição de Espera Telefônica

DSG/DLOG/SGF N. 014 /2014. Aquisição de Espera Telefônica N 014 /2014 1 DO OBJETO Aquisição de um equipamento de espera telefônica para central Siemens HIPATH 3000, incluindo instalação, para a Superintendência Regional de Montes Claros, situada à Av Major Alexandre

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO DA COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº0195/2014 PREÂMBULO

TERMO DE PARTICIPAÇÃO DA COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº0195/2014 PREÂMBULO TERMO DE PARTICIPAÇÃO DA COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº0195/2014 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos do Decreto

Leia mais

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA

1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA 1. LOTE 1 SWITCH REDE OPTICA Switch de 10 portas, Quantidade unidades. 1.1.1. Deve ser montável em rack padrão EIA 19 (dezenove polegadas) e possuir kits completos para instalação e deve ocupar uma unidade

Leia mais

Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais.

Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais. Comunicação Industrial: Algumas características importantes em Switches Industriais. O uso de switches ethernet é cada vez maior em redes industriais, não resta dúvida, e essa utilização não é de agora.

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Isolamento de tubulações de drenagem de ar condicionado

TERMO DE REFERÊNCIA Isolamento de tubulações de drenagem de ar condicionado 1 OBJETO: TERMO DE REFERÊNCIA Isolamento de tubulações de drenagem de ar condicionado 1.1 Fornecimento de materiais e execução de isolamento de tubulações (PVC) de drenagem de ar condicionado existentes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 ATA DO REGISTRO DE PREÇOS CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DO RAMO DE PRESTAÇÃO DE

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 13.179, DE 10 DE JUNHO DE 2009. (publicada no DOE nº 109, de 12 de junho de 2009) Dispõe sobre a Cotação Eletrônica

Leia mais

Redes Ópticas Passivas. Rodovias Sistemas de ITS

Redes Ópticas Passivas. Rodovias Sistemas de ITS Redes Ópticas Passivas Rodovias Sistemas de ITS Fibra Óptica Meio Ideal para Backbones e Redes de Acesso Arquitetura Rede de Acesso PON para Operadoras & ISP TECNOLOGIA PON Padronização ITU & IEEE ITU-T

Leia mais

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS

((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TITULO))ATA DA CONSULTA PÚBLICA N.º 03/2009 (PERGUNTAS) AQUISIÇÃO DE SWITCH DE DISTRIBUIÇÃO DE 192 PORTAS ((TEXTO)) Aos 15 (quinze) dias do mês de junho de dois mil e nove, às 14:00 hs, na sede da Empresa

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310

ESPECIFICAÇÃO DE FITOTECA AUTOMATIZADA Substituição dos Silos Robóticos Storagetek 9310 Especificação Técnica 1. A Solução de Fitoteca ofertada deverá ser composta por produtos de Hardware e Software obrigatoriamente em linha de produção do fabricante, não sendo aceito nenhum item fora de

Leia mais

TERMO DE PARTICIPAÇÃO COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 005/2014 DECRETO Nº28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 PREÂMBULO

TERMO DE PARTICIPAÇÃO COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 005/2014 DECRETO Nº28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 PREÂMBULO TERMO DE PARTICIPAÇÃO COTAÇÃO ELETRÔNICA Nº 005/2014 DECRETO Nº28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006 PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por

Leia mais

LICENÇA DE SOFTWARE ANTIVIRUS PREÂMBULO

LICENÇA DE SOFTWARE ANTIVIRUS PREÂMBULO LICENÇA DE SOFTWARE ANTIVIRUS PREÂMBULO TERMO DE PARTICIPAÇÃO 20150031 Termo de Participação via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos termos

Leia mais

ÓRGÃO REQUISITANTE:Instituto de Terras e Planejamento Agrícola do Estado da Paraíba - INTERPA/PB

ÓRGÃO REQUISITANTE:Instituto de Terras e Planejamento Agrícola do Estado da Paraíba - INTERPA/PB Página nº 1 de 6 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Pregão Presencial Prestação de Serviços Não Contínuos PROCESSO Nº 35.203.000074.2015 PREGÃO Presencial Nº NumeroPregao ÓRGÃO REQUISITANTE:Instituto de Terras

Leia mais

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet:

Há dois tipos de configurações bidirecionais usados na comunicação em uma rede Ethernet: Comunicação em uma rede Ethernet A comunicação em uma rede local comutada ocorre de três formas: unicast, broadcast e multicast: -Unicast: Comunicação na qual um quadro é enviado de um host e endereçado

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA EQUIPAMENTOS DE ACELERADORES WAN

APRESENTAÇÃO DE SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA EQUIPAMENTOS DE ACELERADORES WAN APRESENTAÇÃO DE SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA EQUIPAMENTOS DE ACELERADORES WAN Prezados Senhores, A Control Teleinformática Ltda. é uma empresa Grupo Mahvla, nacional, que foi criada para atender

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARá Conselho de Política e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente - SEMACE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARá Conselho de Política e Gestão do Meio Ambiente Superintendência Estadual do Meio Ambiente - SEMACE ANEXO ÚNICO DO DECRETO N. 28.397, DE 21/09/2006 TERMO N. 20120024. PREÂMBULO Termo de Participação, via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de licitação, nos

Leia mais

HP Router Basic Implementation

HP Router Basic Implementation HP Router Basic Implementation Dados técnicos O HP Router Basic Implementation tem como objetivo, baseado na entrevista para coleta de informações junto a equipe designada pelo cliente, realizar a instalação

Leia mais

Redes de Computadores IEEE 802.3

Redes de Computadores IEEE 802.3 Redes de Computadores Ano 2002 Profª. Vívian Bastos Dias Aula 8 IEEE 802.3 Ethernet Half-Duplex e Full-Duplex Full-duplex é um modo de operação opcional, permitindo a comunicação nos dois sentidos simultaneamente

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de materiais de sinalização de emergência, de alerta e orientação

TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de materiais de sinalização de emergência, de alerta e orientação TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de materiais de sinalização de emergência, de alerta e orientação 1 OBJETO: 1.1 Fornecimento e instalação de placas para sinalização de emergência, de alerta

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 005/2012

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 005/2012 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 005/2012 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS para Fornecimento de equipamentos e licenças para upgrade do Sistema de Telefonia IP e Call Center, de acordo com as especificações e detalhamentos

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO

TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO TERMO DE REFERENCIA 1 - OBJETO Contratação de empresa especializada para fornecimento de equipamentos e instalação de Ativos de Rede, destinados à ampliação da infraestrutura física e lógica da Procuradoria

Leia mais

Descritivo Técnico AirMux-200

Descritivo Técnico AirMux-200 Multiplexador Wireless Broadband -Visualização da unidade indoor IDU e unidade outdoor ODU com antena integrada- Principais Características Rádio e multiplexador wireless ponto-a-ponto com interface E1

Leia mais

DmSwitch 3000 Series maio de 2015

DmSwitch 3000 Series maio de 2015 DmSwitch 3000 Series maio de 2015 DmSwitch 3000 Metro Ethernet Series A linha de produtos DmSwitch 3000 oferece soluções confiáveis de alto desempenho para ambientes Metro Ethernet LAN e Redes Corporativas.

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Pregão Presencial. Prestação de Serviços Não Contínuos PROCESSO Nº 27.000.000452.2015. PREGÃO Presencial Nº XXX

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA. Pregão Presencial. Prestação de Serviços Não Contínuos PROCESSO Nº 27.000.000452.2015. PREGÃO Presencial Nº XXX Página nº 1 de 6 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Pregão Presencial Prestação de Serviços Não Contínuos PROCESSO Nº 27.000.000452.2015 PREGÃO Presencial Nº XXX ÓRGÃO REQUISITANTE:Secretaria de Estado do Desenvolvimento

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Comissão Permanente de Licitação

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Comissão Permanente de Licitação ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Comissão Permanente de Licitação CONTRATO DE FORNECIMENTO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA QUE ENTRE SI CELEBRAM O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO CEARÁ E A EMPRESA

Leia mais

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de coberturas metálicas para o prédio da Sede da SJES na capital

ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de coberturas metálicas para o prédio da Sede da SJES na capital ANEXO 1 TERMO DE REFERÊNCIA Fornecimento e instalação de coberturas metálicas para o prédio da Sede da SJES na capital 1 OBJETO: 1.1 Contratação de empresa especializada para fornecimento, montagem e instalação

Leia mais

Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet

Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet Soluções para Rede GPON e Metro Ethernet ESTRUTURA DA APRESENTAÇÃO - Apresentação da DATACOM - Soluções para Acesso - ADSL/VDSL - GPON - Metro Ethernet - Soluções para Distribuição (Transporte) - Soluções

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA GESER Nº 06/07 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO

TERMO DE REFERÊNCIA GESER Nº 06/07 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS TERMO DE REFERÊNCIA GESER Nº 06/07 SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1- DO OBJETO Visa este Termo de Referência à contração de empresa especializada

Leia mais

Modelo de Camadas OSI

Modelo de Camadas OSI Modelo de Camadas OSI 1 Histórico Antes da década de 80 -> Surgimento das primeiras rede de dados e problemas de incompatibilidade de comunicação. Década de 80, ISO, juntamente com representantes de diversos

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina CONTRATO N. 114/2011 Contrato para fornecimento de enlace de comunicação com a internet, autorizado pelo Senhor Eduardo Cardoso, Secretário de Administração

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO

TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO TERMO DE REFERÊNCIA SERVIÇOS DE SUPORTE TÉCNICO EM SISTEMA DE COLABORAÇÃO ZIMBRA 1. OBJETO 1.1. Prestação de serviços de suporte técnico em sistema de colaboração ZIMBRA. 2. DESCRIÇÃO GERAL DOS SERVIÇOS

Leia mais

Terminal GPON. ONT s. Manual. Edição 04. Data 28-09-2015. Código 002609 DIREITOS DE EDIÇÃO. Parks S.A. Comunicações Digitais

Terminal GPON. ONT s. Manual. Edição 04. Data 28-09-2015. Código 002609 DIREITOS DE EDIÇÃO. Parks S.A. Comunicações Digitais Terminal GPON ONT s Manual Edição 04 Data 28-09-2015 Código 002609 DIREITOS DE EDIÇÃO Parks S.A. Comunicações Digitais A Parks S.A. Comunicações Digitais oferece a seus clientes amplo serviço e suporte

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1 1. OBJETO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de serviços de telecomunicações para implementação, operação e manutenção de um circuito de acesso, síncrono, dedicado à Internet, na velocidade de 6Mbps,

Leia mais

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL

Descritivo Técnico BreezeACCESS-VL Broadband Wireless Access -Visualização da linha de produtos BreezeACCESS VL- Solução completa ponto multiponto para comunicação Wireless em ambiente que não tenha linda de visada direta, utiliza a faixa

Leia mais

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS

TELECOMUNICAÇÕES BRASILEIRAS S.A. TELEBRAS 1 Item 1.2.2.3 e 1.2.2.4 Duvida / Sugestão Duvida 2 4,3 Duvida 3 5,7 Sugestão ANEXO I Asga Questionamento Qualificação Justificativa Gostaríamos de saber se as especificações técnicas são iguais para os

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ TERMO DE PARTICIPAÇÃO ANEXO ÚNICO DO DECRETO Nº. 28.397, DE 21 DE SETEMBRO DE 2006. PREÂMBULO Termo de Participação via meio eletrônico, para a seleção da melhor proposta para aquisição por dispensa de

Leia mais

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade PREFEITURA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Empresa Municipal de Informática S.A. - IplanRio Termo de Referência Manutenção Preventiva e Corretiva de Equipamentos Ativos de Rede de Dados do Palácio da Cidade

Leia mais

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS

III.2. CABLE MODEMS CARACTERÍSTICAS BÁSICAS UNIDADE III SISTEMAS HÍBRIDOS 1 III.2. CABLE MODEMS III.2.1. DEFINIÇÃO Cable modems são dispositivos que permitem o acesso em alta velocidade à Internet, através de um cabo de distribuição de sinais de TV, num sistema de TV a cabo.

Leia mais

História. Proveniente dos grupos de pesquisa que trabalharam nas comunicações de fibra óptica e digital desde o ano de 1973 pela Telebrás no Brasil.

História. Proveniente dos grupos de pesquisa que trabalharam nas comunicações de fibra óptica e digital desde o ano de 1973 pela Telebrás no Brasil. História Proveniente dos grupos de pesquisa que trabalharam nas comunicações de fibra óptica e digital desde o ano de 1973 pela Telebrás no Brasil. Fundada em 1989 com a fabricação de componentes optoeletrônicos,

Leia mais