SUMÁRIO PROJETO DE RELOCAÇÃO DE CEMITÉRIOS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SUMÁRIO 4.3.3 PROJETO DE RELOCAÇÃO DE CEMITÉRIOS"

Transcrição

1 SUMÁRIO PROJETO DE RELOCAÇÃO DE CEMITÉRIOS 4. PLANO DE ATENDIMENTO À POPULAÇÃO ATINGIDA PROGRAMA DE RECOMPOSIÇÃO DA INFRAESTRUTURA RURAL PROJETO DE RELOCAÇÃO DE CEMITÉRIOS INTRODUÇÃO RESULTADOS CONSOLIDADOS ATENDIMENTO AOS OBJETIVOS DO PROJETO ATENDIMENTO ÀS METAS DO PROJETO ATIVIDADES PREVISTAS ATENDIMENTO AO CRONOGRAMA CONSIDERAÇÕES FINAIS EQUIPE TÉCNICA DE TRABALHO ANEXOS i

2 4. PLANO DE ATENDIMENTO À POPULAÇÃO ATINGIDA 4.3. PROGRAMA DE RECOMPOSIÇÃO DA INFRAESTRUTURA RURAL PROJETO DE RELOCAÇÃO DE CEMITÉRIOS INTRODUÇÃO No resgate das informações produzidas ao longo destes três anos de implantação do PBA da UHE Belo Monte, revisitando o conjunto de seis relatórios desenvolvidos até dezembro de 2014, no âmbito do projeto de Relocação de Cemitérios dentro do Programa de Recomposição da Infraestrutura Rural foi possível verificar e registrar ajustes em relação ao inicialmente indicado no EIA e no PBA. A visão apresentada no EIA, configurou-se na proposição de ações apresentadas no PBA do Projeto de Relocação de Cemitérios com o objetivo de remover adequadamente todos os cemitérios presentes na área rural que será inundada pelos Reservatórios Intermediário e do Xingu, além dos Canais, já que este tipo de equipamento social é referencialmente importante para a população local. A relocação pressupunha atender também a necessidade de evitar a contaminação de lençol freático conforme indicado pela Resolução CONAMA nº 368, de 28 de março de O mapeamento Inicial dos cemitérios nas áreas afetadas realizado durante a elaboração da pesquisa socioeconômica, ainda na fase do EIA, identificou nove cemitérios na área rural, porém, no decorrer do trabalho, por meio de novas investigações em campo, este número foi ampliado para o total de 43 cemitérios com 371 sepulturas. Considerando o momento e o estágio dos trabalhos, este relatório busca demonstrar o conjunto de ações, fazendo a síntese das informações contidas nos seis Relatórios Consolidados enviados semestralmente e demonstrando, principalmente em planilhas e figuras, o resultado das ações e desenvolvimento das atividades que consolidaram as diretrizes como foram apropriadas no conjunto das intervenções RESULTADOS CONSOLIDADOS O projeto de relocação de cemitérios atingiu o pleno êxito em dezembro de 2013 com a execução do trabalho de exumação das 371 sepulturas distribuída nos 43 cemitérios localizados nas áreas de influência e entorno do futuro reservatório da UHE Belo Monte, situação foi apresentada nos Relatórios Consolidados já encaminhados. A conclusão das atividades para atingimento as metas propostas ocorreram em três etapas de exumação. Na primeira etapa foram realizadas 67 exumações, na segunda somaram-se 270 exumações e na terceira 34, aberturas de covas, obtendo um total de Pag

3 371 exumações. O Quadro , a seguir, apresenta o número total de sepulturas exumadas em todas as etapas. Quadro Totalização de Cemitérios exumados. ORDEM CODIFICAÇÃO DO CEMITÉRIO TOTAL DE SEPULTURAS LOCALIZADAS RESTOS MORTAIS TOTALMENTE DECOMPOSTOS RESTOS MORTAIS TRANSLADADOS 1 UHE-BM-RXE-012-C UHE-BM-IL-011-C UHE-BM-IL-004-C UHE-BM-RXD-008-C UHE-BM-IL-007-C UHE-BM-IL-022-C UHE-BM-IL-227-C UHE-BM-IL C UHE-BM-IL-009-C UHE-BM-JE-012-C UHE-BM-IL-465-C UHE-BM-RXD-072-C UHE-BM-RXD-093-C UHE-BM-RXD-095-C UHE-BM-IL-393-C UHE-BM-IL-373-C Pag

4 ORDEM CODIFICAÇÃO DO CEMITÉRIO TOTAL DE SEPULTURAS LOCALIZADAS RESTOS MORTAIS TOTALMENTE DECOMPOSTOS RESTOS MORTAIS TRANSLADADOS 17 UHE-BM-IL-359- C UHE-BM-IL-006-C UHE-BM-RXE-055-C UHE-BM-IL-062-C UHE-BM-IL- 066-C UHE-BM-IL-152 -C UHE-BM-IL-156 -C UHE-BM-IL-143 -C UHE-BM-IL-056-C UHE-BM-RXE- C UHE-BM-IL-239 -C UHE-BM-IL- 274-C UHE-BM-IL- 043-C UHE-BM-RXD- 210-C UHE-BM-RXD- 220-C UHE-BM-IL C UHE-BM-IL- 283-C UHE-BM-IL- 238-C Pag

5 ORDEM CODIFICAÇÃO DO CEMITÉRIO TOTAL DE SEPULTURAS LOCALIZADAS RESTOS MORTAIS TOTALMENTE DECOMPOSTOS RESTOS MORTAIS TRANSLADADOS 35 UHE-BM-IL-C UHE-BM-IL- 201-C UHE-BM-IL C UHE-BM-IL C UHE-BM-IL-440 -C UHE-BM-IL-C UHE-BM-IL C UHE-BM-IL C UHE-BM-IL-200 -C TOTAL Como pode ser observado no quadro acima, das 371 sepulturas exumadas, somente em 9 foram encontrados materiais em decomposição. Os restos mortais foram retirados, transladados e reenterrados no Cemitério Municipal São Sebastião (Km 4) e também no Cemitério Municipal São João Batista (Central), ambos de Altamira (os procedimentos foram realizados no segundo cemitério por solicitação de familiares). É importante ressaltar que os 9 (nove) cemitérios identificados no período do EIA e PBA da UHE Belo Monte foram contemplados neste projeto, são eles: C01, C02, C03, C06, C08, C12, C40, C41 e C55. Destes, foram encontrados restos mortais não decompostos apenas no cemitério C01. Vale destacar que devido a não interferência do Campo Santo da Vila Santo Antônio (C12) por obras da UHE Belo Monte, assim como de estruturas auxiliares, não foi necessária a relocação do mesmo. Para alcançar as metas estipuladas pelo Projeto de Relocação de Cemitérios, foram desenvolvidas atividades que determinaram a rotina e a sua abrangência de modo a cumprir com o objetivo de remoção dos campos santos nas áreas interferidas pelas obras da UHE Belo Monte. Em linhas gerais estas atividades são as elencadas a seguir: Pag

6 Identificação e Cadastramento de Cemitérios: A partir das informações cedidas pelos proprietários das áreas afetadas ou moradores destas localidades foi feita a identificação dos locais onde potencialmente existiriam cemitérios. Posteriormente, durante o cadastramento e identificação dos cemitérios, com apoio de familiares e informantes, a demarcação de cada um dos túmulos foi realizada, bem como a colocação de marcos com o número da propriedade (segundo o cadastro fundiário), número do cemitério e número do túmulo. No entanto, mesmo com os esforços da equipe, familiares e informantes não foi possível localizar parte dos túmulos devido a inexistência de indícios próximos a estes. Desta forma, dos 63 cemitérios declarados, 19 foram retirados do processo de exumação devido a sua não localização. Além disto, como não houve necessidade de relocação do cemitério C12 (na Vila Santo Antônio) a somatória de cemitérios a serem relocados pelo Projeto foi de 43; Identificação das Famílias Afetadas: Por meio de informação de familiares e outras pessoas que possuíam vínculos com os sepultados, foram levantadas informações que foram incorporadas ao cadastramento de sepulturas para permitir a consulta sobre os encaminhamentos a serem realizados em atividades posteriores. Ressalta-se que apesar dos esforços, em muitos casos, devido a data de sepultamento ser muito antiga não foi possível identificar familiares ou pessoas com vínculos ao sepultado; Cadastramento das Sepulturas junto às Famílias: Após a localização das sepulturas foi feito o cadastramento das famílias vinculadas e foram iniciados os procedimentos de assinatura de termos, declarações e autorizações, tais como: Ata de abertura de sepultura com retirada de restos mortais (autoriza a exumação, pagamento de taxas e requerimentos judiciais); Identificação complementar conforme Art. 80 da Lei (questionário complementar a certidão/declaração de óbito, aplicado em todos os casos e principalmente quando não há certidão de óbito para obter o máximo de dados); Autorização para Translado (o familiar/informante autoriza o translado dos restos mortais e ainda declara que deseja ou não acompanhar os trabalhos de exumação); e Declaração de óbito (feita quando há ou não certidão de óbito para fins de total veracidade, e nos casos de não ter a certidão de óbito o informante/familiar se responsabiliza pelas informações prestadas). No caso de não localização da sepultura é realizada a Declaração de Não Localização de Sepultura (neste caso não será realizada a escavação devido a não localização do sepultado pelo informante/familiar); Reuniões com a População e Órgãos Públicos: Para permitir a realização dos serviços de exumação foram feitas reuniões com as administrações públicas para informar sobre o processo, além de solicitar autorização para o reenterro em cemitérios municipais. Paralelamente foram feitas interações por meio de solicitações a 10ª Central Regional de Saúde 10ª CRS, departamento ligado a Vigilância Sanitária, solicitando o acompanhamento daquele órgão nos trabalhos de remoção e translado dos restos mortais humanos, então sepultados nos cemitérios rurais. Com a população, foi realizada uma reunião coletiva no núcleo Pag

7 de Santo Antônio e, devido a natureza pulverizada dos demais cemitérios foram realizados encontros individualizados com o restante da população. Em ambas as situações os eventos serviram para informar sobre o processo de relocação do cemitério, tais como os procedimentos para exumação e re-enterro, a possibilidade de participação de familiares/amigos no processo e a não possibilidade de que os óbitos ocorridos posteriormente àquela data fossem sepultados naqueles locais. Interdição dos Cemitérios Antigos: Todos os cemitérios cadastrados foram isolados e demarcados em seu perímetro com fita zebrada e interditados para novos sepultamentos; Definição de Nova Área para o Sepultamento: Foram definidos dois locais destinados a receber os restos mortais provenientes dos cemitérios cadastrados e que são devidamente licenciados. São eles: Cemitério Municipal São Sebastião (Km 4) definido em consenso com Prefeitura Municipal de Altamira PMA, que cedeu uma área a Norte Energia para o reenterro dos restos mortais encontrados, cujo o processo de licenciamento foi assumido e deliberado pela sua própria Secretaria de Meio Ambiente (SEMAT); Cemitério Municipal São João Batista (Central), que foi utilizado em atendimento a 3 famílias que solicitaram a transferência dos restos mortais de seus parentes para este cemitério municipal, pois já tinham área reservada para os mesmos; Identificação dos Restos Mortais: Como procedimento de identificação, durante a exumação foram registradas por meio de fotos a situação encontrada durante a realização dos trabalhos para fins processuais, além do preenchimento do Termo de Identificação com a descrição dos restos mortais do sepultado que foram encontrados (características, sinais aparentes e objetos encontrados); Obtenção de Alvará Judicial: Como parte do processo legal foram solicitados os alvarás judiciais para a realização dos serviços de exumação. Foram priorizadas as áreas imediatas às obras; Exumação e Translado: No início dos trabalhos de relocação foram feitas as aberturas manuais das sepulturas pelos coveiros e os restos mortais foram retirados por um agente funerário. Após o processo de identificação, os restos mortais encontrados foram colocados em caixas de madeira de dimensões de 60 cm x 30 cm x 30 cm, salvo nos casos de sepultados a menos de 2 anos (situação não encontrada). Neste caso os translados seriam realizadas em um novo caixão com fundo de zinco, devidamente identificado com o número do Processo de Identificação de Jazido. Os traslados foram realizados para os cemitérios de destino, previamente escolhido, onde o administrador ou responsável pelo cemitério assinou os Termos de Recebimento de Restos Mortais; Desinfecção e Preenchimento das Covas: Seguindo as regulamentações sanitárias, após a retirada dos restos mortais, as covas permaneceram Pag

8 temporariamente abertas para que a insolação eliminasse eventuais microorganismos. As covas foram desinfetadas com o uso de cal virgem e em seguida aterradas; Relatório Final com a Totalidade dos Procedimentos e Resultados: Ao fim das atividades de exumação foram anexadas ao Processo de Identificação de Jazigo todas as demais documentações recolhidas durante o processo, para fins de arquivamento. Ao Processo de Identificação de Jazigo foram anexados os Termos de Identificação e os Termos de Recebimento de Restos Mortais (quando houve), bem como as novas fotos para registro. As comprovações da realização destas atividades, que incluem listagens e registros fotográficos constam do Anexo do presente relatório. Conforme também já apresentado nos relatórios semestrais, não foi necessária a relocação do Cemitério localizado na Vila Santo Antônio, uma vez que sua área não será interferida por nenhuma das estruturas de obra. Para dar celeridade ao processo, em fevereiro de 2013 e reiterado em maio de 2014, por meio das correspondências CE 011/2013 DI e CE 0626/2014 DS (Anexo Ofício CE 0626/2014-DS_PMVX do 6 Relatório Consolidado de Andamento do PBA e do Atendimento de Condicionantes) respectivamente, foi informado a Prefeitura de Vitória do Xingu que com a conclusão dos projetos dos canteiros de obras de Belo Monte e do desvio da rodovia Transamazônica, não existirá qualquer interferência da obra na área do referido Campo Santo, não sendo mais necessária a sua relocação. Não obstante, nesta mesma correspondência foi informado que a Norte Energia realizou a manutenção patrimonial do cemitério até aquele período, além de melhorias na área do cemitério, que compreenderam o seu cercamento e melhoramentos do acesso, a fim de permitir a visitação, em especial, pelos familiares e/ou amigos dos ali sepultados. Os serviços habituais de conservação da área ficaram a cargo da administração pública. Por fim, dando conclusão às atividades junto aos familiares e conhecidos dos sepultados, em 23 de janeiro de 2014 foi realizada uma cerimônia religiosa no Cemitério Municipal São Sebastião (km 4) em Altamira, com a presença convidada dos familiares dos 06 (seis) sepultados. As atividades de exumação e translado foram 100% concluídas antes do tempo previsto no cronograma. Portanto, todas as atividades descritas no PBA foram desenvolvidas e concluídas, dando por finalizado este projeto ATENDIMENTO AOS OBJETIVOS DO PROJETO A planilha de atendimento aos objetivos do projeto é apresentada na sequência. Pag

9 OBJETIVOS GERAIS OBJETIVOS ESPECÍFICOS STATUS DE ATENDIMENTO ALTERAÇÕES DE ESCOPO OU PRAZO JUSTIFICATIVA PARA O STATUS E ALTERAÇÕES O Projeto tem como objetivo principal realocar os cemitérios situados na ADA Rural que serão afetados pelas estruturas do empreendimento. _ Concluído não há Projeto concluído conforme informado no 6º RC e na CE 139/2014-DS protocolada em 09 de maio de 2014.

10 ATENDIMENTO ÀS METAS DO PROJETO Para alcançar cada meta proposta foram desenvolvidas um conjunto de atividades que serão elencadas no quadro a seguir. Estas atividades fizeram parte do processo de implantação do Projeto descrito no item Resultados Consolidados. A planilha de atendimento às metas do projeto é apresentada na sequência: Pag

11 META STATUS DE ATENDIMENTO ALTERAÇÕES DE ESCOPO OU PRAZO JUSTIFICATIVA PARA O STATUS E ALTERAÇÕES Embora o EIA tenha previsto apenas 9 cemitérios a serem relocados na área rural afetados pelas obras e reservatórios das UHE Belo Monte, por meio de investigações mais acuradas foram localizadas 371 sepulturas distribuidas em 43 cemitérios. Remover adequadamente todos os cemitérios presentes na área rural que será inundada pelos Reservatórios do Xingu e dos Canais já que este tipo de equipamento social é importante referencia para a população local. Concluída não há A todas as sepulturas foram procedidas as atividades de identificação, exumação, re-enterro e catalogação, além de proceder ativiadades junto aos familiares e amigos localizados para consulta e acompanhamento das atividades, incluindo a definição do novo local de re-enterro (quando cabível). Em especial para o cemitério da Vila Santo Antônio, após o detalhamento dos projetos constatou-se que não haveria a necessidade de remoção dos jazigos lá lotados. Assim, foram procedidos em comum acordo com a população e Poder Público a manutenção daquele cemitério. Para dotar o cemitério de condições mais adequadas a manutenção da visitação foram feitas melhorias nos acessos e cercamento da área pela Norte Energia e foi acordado com a administração pública de Vitória do Xingu a realização dos serviços de conservação do Cemitério.

12 ATIVIDADES PREVISTAS O projeto foi concluído não restando atividades a serem desenvolvidas ATENDIMENTO AO CRONOGRAMA O cronograma gráfico é apresentado na sequência. Pag

13 PACOTE DE TRABALHO Projeto de Relocação de Cemitérios Atividades l Produtos Item CRONOGRAMA DO PACOTE DE TRABALHO Programa de Recomposição da Infraestrutura Rural 4.3 Programa de Recomposição da Infraestrutura Rural Projeto de Relocação de Cemitérios 1 Descrição Identificação dos cemitérios e famílias afetadas T1 T2 T3 T4 T1 T2 T Desvio do rio pelo vertedouro (sítio Pimental) Início enchimento Reservatório Xingu - emissão Enchimento Reservatório Intermediário qq q q Início geração comercial CF Principal T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 Finalização obras civis e início geração comercial da 18ª UG CF Principal q Identificação e cadastramento dos cemitérios 2 Identificação das famílias afetas 3 Cadastramento das sepulturas junto as familías 4 Equipe 5 Contato com parentes sobre exumação dos restos mortais 6 Reunião com a população e órgãos públicos 7 Interdição dos cemitérios antigos 8 Definição de nova área para transferência 9 Regularização ambiental 10 Identificação dos restos mortais 11 Obtenção de Alvará Judicial 12 Exumação e translado 13 Desinfecção e preenchimento das covas 14 Monitoramento e Avaliação do projeto 15 Relatório de cada cemitério atingido 16 Relatório final com totalidade dos procedimentos e resultados 17 Material documental (registro) da realização dos procedimentos LEGENDA Informação do PBA Alteração proposta pela NORTE ENERGIA no documento de Resposta aos Ofícios 127 e 214 Realizado / Andamento Previsto até o fim do produto

14 CONSIDERAÇÕES FINAIS As atividades do projeto foram concluídas em dezembro de 2013, ou seja, antes do prazo inicialmente previsto (setembro de 2014). Todas as atividades previstas para atingimento das metas e objetivos para o Projeto de Relocação dos Cemitérios foram cumpridas com a relocação dos restos mortais localizados para um novo local de modo a não ter a sua visitação comprometida pelo enchimento do reservatório, bem como a desinfecção da área, para evitar a contaminação do lençol freático conforme indicado pela Resolução CONAMA nº 368, de 28 de março de Satisfaz considerar que o êxito na realização deste projeto encontra-se, sobretudo, no processo de investigação de novas sepulturas em número superior ao inicialmente estimado nos estudos ambientais, além dos processos de reconhecimento dos vínculos com familiares e conhecidos que tiveram a opção em participar da relocação, garantindo assim a mitigação de possíveis impactos associados à quebra de vínculo com os sepultados EQUIPE TÉCNICA DE TRABALHO PROFISSIONAL FORMAÇÃO FUNÇÃO Alessandro Batista Rosa Biomédico Membro de Equipe REGISTRO ÓRGÃO DE CLASSE CRBM-03 REG. N O : 4090 CADASTRO TÉCNICO FEDERAL - CTF Marcus Vinicius M. Santos Biólogo Membro de Equipe CRBio-04 REG. N O :80691/04-D William Cristian B. de Souza Biólogo Membro de Equipe ANEXOS Anexo Relatório Final com a Totalidade dos Procedimentos e Resultados Pag

CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL. Anexo 4.3.3-1 Relatório Final com a Totalidade dos Procedimentos e Resultados

CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL. Anexo 4.3.3-1 Relatório Final com a Totalidade dos Procedimentos e Resultados CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 4.3.3-1 Relatório Final com a Totalidade dos Procedimentos e Resultados 1º ALVARÁ JUDICIAL DE EXUMAÇÃO ORDEM CODIFICAÇÃO DO CEMITÉRIO TOTAL DE SEPULTURAS

Leia mais

SUMÁRIO 12.1.3 PROJETO DE DEMOLIÇÃO E DESINFECÇÃO DE ESTRUTURAS E EDIFICAÇÕES

SUMÁRIO 12.1.3 PROJETO DE DEMOLIÇÃO E DESINFECÇÃO DE ESTRUTURAS E EDIFICAÇÕES SUMÁRIO 12.1.3 PROJETO DE DEMOLIÇÃO E DESINFECÇÃO DE ESTRUTURAS E EDIFICAÇÕES 12. PLANO DE CONSERVAÇÃO DOS ECOSSISTEMAS TERRESTRES... 12.1.3-1 12.1. PROGRAMA DE DESMATAMENTO E LIMPEZA DAS ÁREAS DOS RESERVATÓRIOS...

Leia mais

COMPARAÇÃO DOS PARECERES DE ANÁLISE DO PBA E CONDICIONANTES. Licenciamento ambiental da UHE Belo Monte

COMPARAÇÃO DOS PARECERES DE ANÁLISE DO PBA E CONDICIONANTES. Licenciamento ambiental da UHE Belo Monte COMPARAÇÃO DOS PARECERES DE ANÁLISE DO PBA E CONDICIONANTES Licenciamento ambiental da UHE Belo Monte PLANO/PROGRAMA/PROJETO 1º PARECER 2º PARECER OBSERVAÇÕES 2.1. Plano de Gestão Ambiental Plano com necessidade

Leia mais

SEÇÃO 5 PROGRAMA DE MONITORAMENTO CLIMATOLÓGICO

SEÇÃO 5 PROGRAMA DE MONITORAMENTO CLIMATOLÓGICO SEÇÃO 5 PROGRAMA DE MONITORAMENTO CLIMATOLÓGICO Sumário 5. PROGRAMA DE MONITORAMENTO CLIMATOLÓGICO... 1 5.1. Apresentação Geral/Objetivos... 1 5.2. Fase de Execução... 1 5.3. Histórico... 1 5.4. Atividades

Leia mais

5.17 - Programa de Gestão Fundiária e Patrimonial... 1/13. 5.17.1 - Objetivos... 1/13. 5.17.2 - Justificativa... 2/13. 5.17.3 - Metas...

5.17 - Programa de Gestão Fundiária e Patrimonial... 1/13. 5.17.1 - Objetivos... 1/13. 5.17.2 - Justificativa... 2/13. 5.17.3 - Metas... 2818-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV ESTREITO FERNÃO DIAS ÍNDICE 5.17 - Programa de Gestão Fundiária e Patrimonial... 1/13 5.17.1 - Objetivos... 1/13 5.17.2 - Justificativa... 2/13 5.17.3 - Metas... 4/13 5.17.4

Leia mais

SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA

SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA SUMÁRIO 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA 4. PLANO DE ATENDIMENTO À POPULAÇÃO ATINGIDA... 4.6.2-2 4.6. PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO SOCIAL... 4.6.2-2 4.6.2. PROJETO

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) UHE Belo Monte - Indicadores socioambientais do empreendimento Descrição do Indicador de Desempenho Índice de Desenvolvimento Humano dos municípios

Leia mais

2.1. O Estudo de Inventário da UHE Colíder foi aprovado conforme a seguir discriminado:

2.1. O Estudo de Inventário da UHE Colíder foi aprovado conforme a seguir discriminado: ANEXO VIII AO EDITAL DE LEILÃO Nº. 03/2010-ANEEL ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE FERREIRA GOMES A exploração da UHE Ferreira Gomes, pela Concessionária,

Leia mais

EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS INSTRUÇÕES PARA CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO TÉCNICA COM VISTAS À PARTICIPAÇÃO NOS LEILÕES DE ENERGIA

EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS INSTRUÇÕES PARA CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO TÉCNICA COM VISTAS À PARTICIPAÇÃO NOS LEILÕES DE ENERGIA EMPREENDIMENTOS HIDRELÉTRICOS INSTRUÇÕES PARA CADASTRAMENTO E HABILITAÇÃO TÉCNICA COM VISTAS À PARTICIPAÇÃO NOS LEILÕES DE ENERGIA Governo Federal Ministério de Minas e Energia Ministro Silas Rondeau Cavalcante

Leia mais

Ao IBAMA, Diretoria de Licenciamento Ambiental- DILIC. c/cópia para Ministério Público Federal em Altamira

Ao IBAMA, Diretoria de Licenciamento Ambiental- DILIC. c/cópia para Ministério Público Federal em Altamira À Casa de Governo Federal em Altamira Ao IBAMA, Diretoria de Licenciamento Ambiental- DILIC c/cópia para Ministério Público Federal em Altamira Altamira, 23 de novembro de 2015 Ref. Solicitação de reunião

Leia mais

Auditoria de Segurança e Saúde do Trabalho da SAE/APO sobre Obra Principal, Obras Complementares, Obras do reservatório e Programas Ambientais

Auditoria de Segurança e Saúde do Trabalho da SAE/APO sobre Obra Principal, Obras Complementares, Obras do reservatório e Programas Ambientais 1 / 10 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Saúde e Segurança do Trabalho por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Gerência de Saúde e Segurança do Trabalho GSST,

Leia mais

6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS

6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS 6.4 PROGRAMA DE INCENTIVO À CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL E AO DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES PRODUTIVAS Constantes do PBA 1 - Garantir a capacitação de prestadores de serviço e produtores inscritos no Cadastro

Leia mais

SUMÁRIO 6.3 PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS

SUMÁRIO 6.3 PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS SUMÁRIO 6.3 PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS 6. PLANO DE ARTICULAÇÃO INSTITUCIONAL... 6.3-1 6.3. PROGRAMA DE APOIO À GESTÃO DOS SERVIÇOS PÚBLICOS... 6.3-1 6.3.1. INTRODUÇÃO... 6.3-1 6.3.2.

Leia mais

RELATÓRIO SINTÉTICO DOS PROJETOS. CT 05: Monitoramento e Acompanhamento das Condicionantes da UHE Belo Monte.

RELATÓRIO SINTÉTICO DOS PROJETOS. CT 05: Monitoramento e Acompanhamento das Condicionantes da UHE Belo Monte. RELATÓRIO SINTÉTICO DOS PROJETOS CT 05: Monitoramento e Acompanhamento das Condicionantes da UHE Belo Monte. Mês: Abril de 2015 Sumário Sumário... 2 Projeto PDRSX-2011/027... 3 Projeto PDRSX-2013/162...

Leia mais

ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE

ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE ANEXO I REFERENCIAL PARA ELABORAÇÃO DO PLANO OU PROJETO BÁSICO AMBIENTAL DAS FASES 01 E 02 DO SAPIENS PARQUE Sumário 1 Objetivo...3 2 Definições...3 3 Características Gerais...4 3.1 Descrição do Empreendimento...

Leia mais

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS

CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE DO AMAZONAS RESOLUÇÃO/CEMAAM/Nº01/08 Estabelece normas e procedimentos para regularização ambiental de TANQUES, VIVEIROS, BARRAGENS, PEQUENOS RESERVATÓRIOS, CANAIS DE IGARAPÉS E TANQUES REDE DESTINADOS PARA A AQÜICULTURA

Leia mais

Lei n. 3.245, de 17 de junho de 2014.

Lei n. 3.245, de 17 de junho de 2014. Dispõe sobre o Licenciamento Ambiental no Município de Serafina Corrêa e sobre a regulamentação das Taxas de Licenciamento Ambiental e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE SERAFINA CORREA, seguinte

Leia mais

EDITAL PROPI Nº 007/2014 - Bolsas de Doutorado e Auxílio Moradia na Modalidade do Novo Programa de Formação Doutoral Docente/CAPES (Novo Prodoutoral)

EDITAL PROPI Nº 007/2014 - Bolsas de Doutorado e Auxílio Moradia na Modalidade do Novo Programa de Formação Doutoral Docente/CAPES (Novo Prodoutoral) EDITAL PROPI Nº 007/2014 - Bolsas de Doutorado e Auxílio Moradia na Modalidade do Novo Programa de Formação Doutoral Docente/CAPES (Novo Prodoutoral) O Pró-Reitor de Pesquisa e Inovação do Instituto Federal

Leia mais

Apresentar o resultado final do processo de análise da 2 a parte do Plano de Universalização de Energia Elétrica da Boa Vista Energia S/A BOA VISTA.

Apresentar o resultado final do processo de análise da 2 a parte do Plano de Universalização de Energia Elétrica da Boa Vista Energia S/A BOA VISTA. Nota Técnica n o 103/2005 SRC/ANEEL Em 15 de setembro de 2005. Processo: 48500.003258/03-33 Assunto: Análise da 2 a parte do Plano de Universalização de Energia Elétrica da Boa Vista Energia S/A BOA VISTA.

Leia mais

RELATÓRIO DO PROCESSO DE LICENCIAMENTO - RPL

RELATÓRIO DO PROCESSO DE LICENCIAMENTO - RPL Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental SCEN Trecho 02, Edifício Sede, Bloco A, 1 Andar, Brasília/DF CEP:

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL Nº 030 /2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA URBANA O Projeto

Leia mais

e-sfinge Obras ênfase no controle interno dos municípios

e-sfinge Obras ênfase no controle interno dos municípios e-sfinge Obras ênfase no controle interno dos municípios Conteúdo Programático - Legislação; - Demonstrar às características básicas do e-sfinge Obras; - Quais dados a serem informados no sistema; - Prazos

Leia mais

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES

ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES ANEXO VIII CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS E INFORMAÇÕES BÁSICAS PARA A EXPLORAÇÃO DA UHE TELES PIRES A exploração da UHE Teles Pires, pela Concessionária, será realizada em conformidade com a legislação em vigor

Leia mais

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ

PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ PRODUTO 1 METODOLOGIA Plano Local de Habitação de Interesse Social PLHIS Município de Teresópolis - RJ Setembro/2010 APRESENTAÇÃO Este documento denominado Metodologia é o primeiro produto apresentado

Leia mais

SUMÁRIO 5.2.19 PROJETO DE SANEAMENTO

SUMÁRIO 5.2.19 PROJETO DE SANEAMENTO SUMÁRIO 5.2.19 PROJETO DE SANEAMENTO 5. PLANO DE REQUALIFICAÇÃO URBANA... 5.2.19-1 5.1. PROGRAMA DE INTERVENÇÃO EM VITÓRIA DO XINGU... 5.2.19-1 5.2.19. PROJETO DE SANEAMENTO... 5.2.19-1 5.2.19.1. INTRODUÇÃO...

Leia mais

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 CÓDIGO ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...

Leia mais

EDITAL GSC 001/2016 CONCURSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE SARAUS CULTURAIS PARA PARTICIPAÇÃO NOS PROGRAMAS CULTURAIS 2016.

EDITAL GSC 001/2016 CONCURSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE SARAUS CULTURAIS PARA PARTICIPAÇÃO NOS PROGRAMAS CULTURAIS 2016. EDITAL GSC 001/2016 CONCURSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE SARAUS CULTURAIS PARA PARTICIPAÇÃO NOS PROGRAMAS CULTURAIS 2016. OBJETO: RECEBIMENTO DE PROPOSTAS PARA REALIZAÇÃO DE SARAUS CULTURAIS PARA A PROGRAMAÇÃO

Leia mais

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato

Sr. João de Munno Júnior Coordenador do Núcleo de Licenciamento Ambiental Dos Técnicos: Tathiana Bagatini Vilson José Naliato SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA INFORMAÇÃO TÉCNICA N. 04/2012 NLA/SUPES-SP/IBAMA Ao: Sr. João de Munno

Leia mais

3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES

3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES 3º RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES 4.6.2 PROJETO DE ATENDIMENTO SOCIAL E PSICOLÓGICO DA POPULAÇÃO ATINGIDA Anexo 4.6.2-2 - Conceito de pessoa/família migrante

Leia mais

COMPOSTAGEM DE RESÍDUS SÓLIDOS URBANOS

COMPOSTAGEM DE RESÍDUS SÓLIDOS URBANOS COMPOSTAGEM DE RESÍDUS SÓLIDOS URBANOS LICENCIAMENTO AMBIENTAL Procedimento 1 Licença Prévia 2 Licença de Instalação 3 Licença de Operação LICENCIAMENTO AMBIENTAL Legislação Resolução SEMA n 031/1998 Art.

Leia mais

SEÇÃO 9 PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO PALEONTOLÓGICO

SEÇÃO 9 PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO PALEONTOLÓGICO SEÇÃO 9 PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO PALEONTOLÓGICO Sumário 9. PROGRAMA DE PRESERVAÇÃO DO PATRIMONIO PALEONTOLÓGICO... 1 9.1. Apresentação/Objetivos... 1 9.2. Fase de Execução... 1 9.3. Histórico...

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE Conselho Nacional do Meio Ambiente CONAMA Procedência: 43ª Câmara Técnica de Assuntos Jurídicos Processo: 02000.000631/2001-43 Data: 2 e 3 de maio de 2008 Assunto: Audiências

Leia mais

REGULAMENTO A ADMINISTRAÇÃO DO CEMITÉRIO JARDIM DAS ACÁCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO A ADMINISTRAÇÃO DO CEMITÉRIO JARDIM DAS ACÁCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO A ADMINISTRAÇÃO DO CEMITÉRIO JARDIM DAS ACÁCIAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º. O presente ato disciplina o funcionamento do Cemitério Jardim das Acácias, bem como estabelece normas para os seus

Leia mais

ANEXO III PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 419, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

ANEXO III PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 419, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS ANEXO III PORTARIA INTERMINISTERIAL Nº 419, DE 26 DE OUTUBRO DE 2011 INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS O TERMO DE REFERÊNCIA - TR PARA A ELABORAÇÃO DO ESTUDO DE IMPACTO

Leia mais

Anexo 2 8 Padrão de Sistema de Envio do Banco de Dados Brutos via SGP e Consulta ao Geoexplo - R00

Anexo 2 8 Padrão de Sistema de Envio do Banco de Dados Brutos via SGP e Consulta ao Geoexplo - R00 6 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 2 8 Padrão de Sistema de Envio do Banco de Dados Brutos via SGP e Consulta

Leia mais

S I N A V I S A SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÃO EM VIGILÂNCIA SANITÁRIA

S I N A V I S A SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÃO EM VIGILÂNCIA SANITÁRIA 6 VIGILÂNCIA SANITÁRIA M a n u a l S I N A V I S A SISTEMA NACIONAL DE INFORMAÇÃO EM VIGILÂNCIA SANITÁRIA 7 Governo de Goiás Alcides Rodrigues Secretaria de Estado da Saúde Dr. Hélio de Sousa Superintendência

Leia mais

ANEXO 5: Reassentamento Involuntário

ANEXO 5: Reassentamento Involuntário ANEXO 5: Reassentamento Involuntário Programa de Inclusão Social e Desenvolvimento Econômico Sustentável do Estado do Acre PROACRE / FINANCIAMENTO ADICIONAL PROSER JUNHO 2012 Sumário Executivo O Marco

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 184, DE 17 DE JULHO DE 2008

INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 184, DE 17 DE JULHO DE 2008 INSTRUÇÃO NORMATIVA No- 184, DE 17 DE JULHO DE 2008 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeado pela Portaria No- 383, de 02 de junho de 2008,

Leia mais

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Senhora do Porto Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.1. Programa de Gerenciamento Ambiental. Revisão 00 NOV/2013. PCH Senhora do Porto Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.1 Programa de Gerenciamento Ambiental CAPA 5.1 - Programa de Gerenciamento Ambiental ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1/11 1.1. Ações já Realizadas... 2/11 2. Justificativa... 4/11

Leia mais

6.3.3 - Programa de Monitoramento do Lençol Freático... 1/8. 6.3.3.1 - Justificativas... 1/8. 6.3.3.2 - Objetivos... 2/8

6.3.3 - Programa de Monitoramento do Lençol Freático... 1/8. 6.3.3.1 - Justificativas... 1/8. 6.3.3.2 - Objetivos... 2/8 2426-00-PBA-RL-0001-00 UHE SANTO ANTÔNIO DO JARI ÍNDICE 6.3.3 - Programa de Monitoramento do Lençol Freático... 1/8 6.3.3.1 - Justificativas... 1/8 6.3.3.2 - Objetivos... 2/8 6.3.3.2.1 - Objetivo Geral...

Leia mais

Sistema de Cadastro Ambiental Rural

Sistema de Cadastro Ambiental Rural Sistema de Cadastro Ambiental Rural XX Simpósio Jurídico ABCE ÂNGELO RAMALHO ASSESSOR MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE SERVIÇO FLORESTAL BRASILEIRO DIRETORIA DE FOMENTO E INCLUSÃO FLORESTAL São Paulo, Outubro/2014

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - RESUMIDO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - RESUMIDO 1 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - RESUMIDO TC 002.824/2014-0 Fiscalização 58/2014 DA FISCALIZAÇÃO Modalidade: conformidade Ato originário: Despacho de 4/2/2014 do Min. Valmir Campelo (TC 000.948/2014-4) Objeto

Leia mais

PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO ASSOCIADO À USINA HIDRELÉTRICA DE SALTO CAXIAS.

PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO ASSOCIADO À USINA HIDRELÉTRICA DE SALTO CAXIAS. GIA/030 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO XI GRUPO DE IMPACTO AMBIENTAL (GIA) PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO SISTEMA DE TRANSMISSÃO ASSOCIADO À USINA HIDRELÉTRICA DE

Leia mais

Entraves do Licenciamento Ambiental e Atualização de Legislação

Entraves do Licenciamento Ambiental e Atualização de Legislação Entraves do Licenciamento Ambiental e Atualização de Legislação Simone Paschoal Nogueira Sócia Setor Ambiental São Paulo Legislação Ambiental para o Setor Elétrico São Paulo/SP 29 de agosto de 2011 Licenciamento

Leia mais

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2007

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2007 Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2007 IDENTIFICAÇÃO DA OBRA Caracterização da obra Processo: 18412/2007-0 Ano Orçamento: 2007 UF: SP Nome do PT: Adequacão de Trecho Rodoviário - São Paulo

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires UHE Teles Pires P.38 - Programa de Apoio à Revitalização e Incremento da Atividade de Turismo Equipe Responsável pela Elaboração do Programa Responsável Registro Cadastro Técnico Profissional Federal IBAMA

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE DOUTORADO FORA DO ESTADO EDITAL N 07/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE DOUTORADO FORA DO ESTADO EDITAL N 07/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE DOUTORADO FORA DO ESTADO EDITAL N 07/2015 O Presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico FUNCAP, Prof. Francisco César de Sá Barreto, no uso

Leia mais

AVALIAÇÃO, MONITORAMENTO E COMPENSAÇÃO DE IMPACTOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DO COMPLEXO MADEIRA

AVALIAÇÃO, MONITORAMENTO E COMPENSAÇÃO DE IMPACTOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DO COMPLEXO MADEIRA AVALIAÇÃO, MONITORAMENTO E COMPENSAÇÃO DE IMPACTOS DAS USINAS HIDRELÉTRICAS DO COMPLEXO MADEIRA Nos últimos dias, a sociedade rondoniense assiste uma discussão acirrada sobre os fatores que teriam provocado

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 05/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL

EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 05/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL EDITAL DE SELEÇÃO Nº. 05/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL O Instituto Sócio Cultural, Ambiental e Tecnológico Arthur Andrade IAA, organização não governamental, sem fins lucrativos, fundado

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PREFEITURA MUNICIPAL DE SANT ANA DO LIVRAMENTO Palácio Moysés Vianna Unidade Central de Controle Interno INSTRUÇÃO NORMATIVA UCCI N 002/2012 VERSÃO 01 ASSUNTO: Regulamenta o

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 11 DE JANEIRO DE 2007

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 11 DE JANEIRO DE 2007 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 11 DE JANEIRO DE 2007 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁ- VEIS - IBAMA, no uso das atribuições legais previstas no art.

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 01 CONSEPE, DE 5 DE MARÇO DE 2015.

RESOLUÇÃO Nº. 01 CONSEPE, DE 5 DE MARÇO DE 2015. RESOLUÇÃO Nº. 01 CONSEPE, DE 5 DE MARÇO DE 2015. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e revoga as Resoluções CONSEPE nº 09/2013; 10/2014

Leia mais

A DÍVIDA DE BELO MONTE

A DÍVIDA DE BELO MONTE INSTITUTO SOCIOAMBIENTAL A DÍVIDA DE BELO MONTE ISA reúne em documento inédito o Placar Geral do cumprimento das condicionantes socioambientais para a emissão da Licença de Operação da UHE Belo Monte MARÇO,

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS

INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 146, DE 10 DE JANEIRO DE 2007 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS

Leia mais

ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS

ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS ANEXO V COMPETÊNCIAS DEFINIDAS Compete as Unidades de Saúde (básica, secundária/ambulatórios follow up): 1. Realizar a identificação das crianças que cumprem os critérios estabelecidos para recebimento

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA BELO MONTE EMPRESA: CONSÓRCIO NORTE ENERGIA POTÊNCIA INSTALADA: 11.233,1 MW ETAPA: PROJETO BÁSICO DATA: 18/08/10

USINA HIDRELÉTRICA BELO MONTE EMPRESA: CONSÓRCIO NORTE ENERGIA POTÊNCIA INSTALADA: 11.233,1 MW ETAPA: PROJETO BÁSICO DATA: 18/08/10 USINA HIDRELÉTRICA BELO MONTE EMPRESA: CONSÓRCIO NORTE ENERGIA POTÊNCIA INSTALADA: 11.233,1 MW ETA: PROJETO BÁSICO DATA: 18/08/10 CONTATO: TEL.: 1. LOCALIZAÇÃO RIO: XINGU SUB-BACIA: RIO XINGU RIO XINGU

Leia mais

Relatório Técnico FCTY-RTC-RSO-007-01-14. Referência: Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil. Abril/2014.

Relatório Técnico FCTY-RTC-RSO-007-01-14. Referência: Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil. Abril/2014. Relatório Técnico FCTY-RTC-RSO-007-01-14 Referência: Programa de Gerenciamento de Resíduos Sólidos da Construção Civil. Abril/2014. At.: Gerência de Sustentabilidade FCTY Abril de 2014 1 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Programa de Fluxo Contínuo para Apoio a Projetos Especiais

Programa de Fluxo Contínuo para Apoio a Projetos Especiais Chamada Pública nº 03/2012 Programa de Fluxo Contínuo para Apoio a Projetos Especiais A FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná, em conformidade com suas finalidades,

Leia mais

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO 1 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO - SINTÉTICO TC 044.367/2012-0 Fiscalização 1363/2012 DA FISCALIZAÇÃO Modalidade: conformidade Ato originário: Acórdão 2.382/2011 - Plenário Objeto da fiscalização: Obras de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) 1 - DIRETRIZ GERAL O presente Termo de Referência tem o objetivo de orientar os empreendimentos, sujeitos ao

Leia mais

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19. Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO

Leia mais

Telecomunicações de São Paulo S/A

Telecomunicações de São Paulo S/A INSTRUMENTO PARTICULAR DE LICENÇA ONEROSA DE USO DA RELAÇÃO DE ASSINANTES No. Telecomunicações de São Paulo S/A - TELESP, com sede na Capital do Estado de São Paulo, na Rua Martiniano de Carvalho, n.º

Leia mais

LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009.

LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. 1 LEI N 904, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE O LICENCIAMENTO AMBIENTAL DE IMPACTO LOCAL NO MUNICÍPIO DE PORTO MAUÁ E DÁ OUTRAS PRVIDÊNCIAS. GUERINO PEDRO PISONI, Prefeito Municipal de Porto Mauá,

Leia mais

NORMAS GERAIS DO ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA 2015/I

NORMAS GERAIS DO ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA 2015/I NORMAS GERAIS DO ESCRITÓRIO MODELO DE ADVOCACIA 2015/I O objetivo primordial do Escritório Modelo de Advocacia é o pedagógico, sendo um laboratório prático no qual os alunos deverão desenvolver o conteúdo

Leia mais

EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE

EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2015 (Em conformidade com a Lei nº 12.101/2009, Lei nº 12.868/2013 e Decreto nº 8.242/2014) A Associação Antônio

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. DADOS DO EMPREENDEDOR:

1. INTRODUÇÃO 2. DADOS DO EMPREENDEDOR: TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONTROLE AMBIENTAL E PLANO DE CONTROLE AMBIENTAL PARA PARQUES DE GERAÇÃO DE ENERGIAS ALTERNATIVA (SOLAR, EÓLICA E OUTRAS) 1. INTRODUÇÃO Este Termo de

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

EDITAL SELEÇÃO DE MÚSICAS FEMUCIC/2016 OBJETO: SELEÇÃO DE MÚSICAS PARA O FEMUCIC ANO 38 MOSTRA DE MÚSICA CIDADE CANÇÃO SESC MARINGÁ/2016

EDITAL SELEÇÃO DE MÚSICAS FEMUCIC/2016 OBJETO: SELEÇÃO DE MÚSICAS PARA O FEMUCIC ANO 38 MOSTRA DE MÚSICA CIDADE CANÇÃO SESC MARINGÁ/2016 EDITAL SELEÇÃO DE MÚSICAS FEMUCIC/2016 OBJETO: SELEÇÃO DE MÚSICAS PARA O FEMUCIC ANO 38 MOSTRA DE MÚSICA CIDADE CANÇÃO SESC MARINGÁ/2016 O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO - SESC Administração Regional no Estado

Leia mais

OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS

OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS OBRAS E SERVIÇOS DE ENGENHARIA LICITAÇÕES E CONTRATOS Instrutora: Adelaide Bittencourt P. Coelho Participação: Paula Romano TCEMG Novembro/2009 IMPORTÂNCIA DO TEMA As obras são a parte mais aparente das

Leia mais

REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU

REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU REITORIA EDITAL Nº 21/2015 FOMENTO À PESQUISA VINCULADA AOS PROGRAMAS STRICTO SENSU O Reitor da Universidade Vila Velha UVV torna público a todos os interessados que estão abertas, de 10 de junho de 2014

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 TERMO DE REFERÊNCIA PARA PARCELAMENTO DE SOLO: CODRAM 3414,40; CODRAM 3414,50; CODRAM 3414,60; CODRAM 3414,70; CODRAM 3415,10 O processo administrativo para aprovação e licenciamento de parcelamentos de

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ - SP DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 DECRETO Nº 24.162, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2012 MIGUEL HADDAD, Prefeito do Município de Jundiaí, Estado de São Paulo, no uso de suas atribuições legais e, em especial, ao que consta do art. 10 da Lei Municipal

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE Nº 001/2013

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE Nº 001/2013 EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO PARA MANIFESTAÇÃO DE INTERESSE Nº 001/2013 Programa Saneamento Básico O ESTADO DE RONDÔNIA, por meio da Companhia de Águas e Esgoto do Estado de Rondônia - CAERD, devidamente

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.771, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2015

CIRCULAR Nº 3.771, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2015 CIRCULAR Nº 3.771, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2015 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelas cooperativas de crédito para instrução de processos referentes a pedidos de autorização e dá outras providências.

Leia mais

INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP

INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP INSTITUTO MUNICIPAL DE URBANISMO PEREIRA PASSOS IPP AVISO Com base nos Art. 30 e 31 da Lei Complementar Municipal n 16, de 04 de junho de 1992, o Município do Rio de Janeiro torna público seu interesse

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 4.680, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2010

LEI MUNICIPAL Nº 4.680, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2010 LEI MUNICIPAL Nº 4.680, DE 30 DE NOVEMBRO DE 2010 DISPÕE SOBRE A INSTALAÇÃO DE ESTAÇÕES RÁDIO-BASE - ERB S, MINI - ERBS, TORRES, SISTEMAS DE RÁDIO-TRANSMISSÃO E EQUIPAMENTOS AFINS NO MUNICÍPIO DE TAQUARA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL O presente Termo de Referência visa orientar e fornecer subsídios para a elaboração

Leia mais

2 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES

2 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES RELATÓRIO CONSOLIDADO Diretoria Socioambiental Brasília, DF 2 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES UHE BELO MONTE EMPRESA NORTE ENERGIA SA NÚMERO/CÓDIGO DO DOCUMENTO

Leia mais

Módulo 2. Legislação. 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios.

Módulo 2. Legislação. 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios. Módulo 2 Legislação 2.1. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental. Exercícios. Legislação Aplicável ao Licenciamento Ambiental Constituição Federal 1988 Leis Federais Resoluções CONAMA Outras Leis

Leia mais

TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 CAPÍTULO : Normas Básicas - 1 SEÇÃO : Consórcios - 26

TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 CAPÍTULO : Normas Básicas - 1 SEÇÃO : Consórcios - 26 TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 26. Consórcios 1. Procedimentos Específicos de Escrituração 1 - Para fins de elaboração dos Documentos Balancete e Balanço

Leia mais

SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 11/2014 AUDITORIA DE AVALIAÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS NA FOLHA DE PAGAMENTO

SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 11/2014 AUDITORIA DE AVALIAÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS NA FOLHA DE PAGAMENTO SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA Nº 11/2014 AUDITORIA DE AVALIAÇÃO DOS CONTROLES INTERNOS NA FOLHA DE PAGAMENTO Porto Alegre, 13 de Março de 2015. SECRETARIA DE CONTROLE INTERNO DA

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE APOIO À TRADUÇÃO E À PUBLICAÇÃO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR

EDITAL DO PROGRAMA DE APOIO À TRADUÇÃO E À PUBLICAÇÃO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR EDITAL DO PROGRAMA DE APOIO À TRADUÇÃO E À PUBLICAÇÃO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR A Fundação Biblioteca Nacional torna público que oferecerá apoio financeiro às editoras estrangeiras que desejam

Leia mais

Edital n.º 039/2015 - Gestão Cultural Boa Vista/RR, 27 de abril de 2015.

Edital n.º 039/2015 - Gestão Cultural Boa Vista/RR, 27 de abril de 2015. Edital n.º 039/2015 - Gestão Cultural Boa Vista/RR, 27 de abril de 2015. EDITAL DA SEGUNDA CHAMANDA DAS VAGAS REMANESCENTES DO PROCESSO SELETIVO PARA O CURSO DE EXTENSÃO EM GESTÃO CULTURAL. O Diretor Executivo

Leia mais

15. PLANO AMBIENTAL DE CONSERVAÇÃO E USO DO ENTORNO DOS RESERVATÓRIOS PACUER A

15. PLANO AMBIENTAL DE CONSERVAÇÃO E USO DO ENTORNO DOS RESERVATÓRIOS PACUER A 487 15. PLANO AMBIENTAL DE CONSERVAÇÃO E USO DO ENTORNO DOS RESERVATÓRIOS PACUER A 15.1 Introdução O Plano Ambiental de Conservação e Uso do Entorno dos Reservatórios PACUERA objetivará revisar e aprofundar

Leia mais

ATO Nº 02/2008 DO DIRETOR DA ESCOLA JUDICIAL DO TRT DA 3ª REGIÃO

ATO Nº 02/2008 DO DIRETOR DA ESCOLA JUDICIAL DO TRT DA 3ª REGIÃO REGULAMENTA A REALIZAÇÃO DE CURSOS A DISTÂNCIA POR MEIO DE MULTIMÍDIAS SIMPLES PELA ESCOLA JUDICIAL PARA MAGISTRADOS E SERVIDORES DA JUSTIÇA DO TRABALHO DA 3ª REGIÃO Considerando a necessidade de ampliar

Leia mais

Art.3. Esta Decisão Executiva entra em vigor na data de sua assinatura, devendo ser publicada no Diário Oficial da União D.O.U.

Art.3. Esta Decisão Executiva entra em vigor na data de sua assinatura, devendo ser publicada no Diário Oficial da União D.O.U. O PRESIDENTE DA FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL, no uso das atribuições legais que lhe confere o Estatuto da Entidade, aprovado pelo Decreto nº. 5.038, de 7 de abril de 2004, publicado no Diário Oficial da

Leia mais

Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008.

Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008. Diário Oficial n 2.605 43, Ano XX - Estado do Tocantins, quinta-feira, 6 de março de 2008. INSTRUÇÃO NORMATIVA No 002, 04 de março de 2008. Dispõe sobre parâmetros de caracterização e uniformização dos

Leia mais

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2004

Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2004 Relatório Sintético do Levantamento de Auditoria/ 2004 IDENTIFICAÇÃO DA OBRA Caracterização da obra Processo: 6094/2004-7 Ano Orçamento: 2004 UF: RO Nome do PT: Adequação de Trechos Rodoviários na BR-364

Leia mais

EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015.

EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015. EDITAL CMS/SMS Nº 001, DE 06 DE OUTUBRO DE 2015. CONVOCA AS ENTIDADES PARA PARTICIPAR DO PROCESSO ELEITORAL PARA A COMPOSIÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE TERESINA BIÊNIO 2016-2017. O Conselho Municipal

Leia mais

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS)

(VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) (VERSÃO ORIGINAL COM EXCLUSÃO DE NOMES E IMAGENS DE PESSOAS) Quadro 4.0.a Plano / Programa / Projeto Alterações / Observações 2. Plano De Gestão Ambiental - ajustes no cronograma de supervisão ao cronograma

Leia mais

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações

ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA. Declaração de trabalho, serviços e especificações PROCESSO 026-2013 ANEXO B TERMO DE REFERÊNCIA Declaração de trabalho, serviços e especificações A Contratada deverá executar o trabalho e realizar os serviços a seguir, indicados de acordo com as especificações

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR

EDITAL DO PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR EDITAL DO PROGRAMA DE INTERCÂMBIO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR A Fundação Biblioteca Nacional torna público que oferecerá apoio financeiro a editoras estrangeiras com o objetivo de promover a participação

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Campus Campinas

PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Campus Campinas PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SÃO PAULO Campus Campinas EDITAL N O 12, DE 23 DE ABRIL DE 2015 O Diretor Geral do Campus Campinas

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 4 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 1 2. BANCO DE DADOS... 2

SUMÁRIO CAPÍTULO 4 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS... 1 2. BANCO DE DADOS... 2 RELATÓRIO CONSOLIDADO Diretoria Socioambiental Brasília, DF 3 RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 4 DADOS BRUTOS RELATIVOS AOS PLANOS, PROGRAMAS E PROJETOS

Leia mais

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS

MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS MANUAL DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CENTRO DE AGRÁRIAS PALMAS TO, 2015 1. Informações Gerais O presente Manual da Católica do Tocantins, mantida pela União Brasiliense de Educação e Cultura (UBEC)

Leia mais

CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP

CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP CHAMADA Nº. 13/2013 DETALHAMENTO GERAL INTRODUÇÃO A (FUNCAP), vinculada

Leia mais

Edital. Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância

Edital. Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância Edital Ações para o desenvolvimento integral na Primeira Infância 1. OBJETIVO 1.1. Este edital tem o objetivo de apoiar financeiramente projetos de extensão universitária voltados a ações para o desenvolvimento

Leia mais

1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS Edital 791/2014 Contratação de postos de vigilância

1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS Edital 791/2014 Contratação de postos de vigilância 1º CADERNO DE PERGUNTAS E RESPOSTAS Edital 791/2014 Contratação de postos de vigilância P1. Conforme Anexo I Especificações Técnicas, Item 3.3.2 faz menção a Atividade SUPERVISOR/ LIDER, devido ao fato

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE APOIO À TRADUÇÃO E PUBLICAÇÃO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR

EDITAL DO PROGRAMA DE APOIO À TRADUÇÃO E PUBLICAÇÃO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR EDITAL DO PROGRAMA DE APOIO À TRADUÇÃO E PUBLICAÇÃO DE AUTORES BRASILEIROS NO EXTERIOR A Fundação Biblioteca Nacional torna público que oferecerá bolsas de apoio à tradução e publicação de obras de autoras

Leia mais