Participação Brasileira no Experimento ALICE do LHC USP-UNICAMP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Participação Brasileira no Experimento ALICE do LHC USP-UNICAMP"

Transcrição

1 Participação Brasileira no Experimento ALICE do LHC USP-UNICAMP

2 O Experimento ALICE do LHC Experimento do LHC dedicado ao estudo de colisões entre íons pesados relativísticos Detector: Total weight: 10,000 t Overall diameter: m Overall length: 25 m Magnetic Field: 0.5 T Colaboração: 2 ~ 1000 membros 31 países 111 instituições RENAFAE 21/06/2010

3 Colisões entre íons pesados relativísticos Estudo da matéria nuclear em condições extremas de temperatura e densidade de energia Por que é interessante? Estudo de diferentes fases da matéria nuclear que existiram ou existem no Universo, como o Plasma de Quarks e Glúons (fase primordial do Universo) Investigar propriedades fundamentais da interação forte Estudo na fronteira do conhecimento com grande interesse internacional Grande interesse teórico no Brasil (UFRJ, CBPF, UFRGS, UERJ, UFSC, USP, UNICAMP) 3 RENAFAE 04/12/2009

4 time Colisões entre íons pesados relativísticos Courtesy of S. Bass initial state initial stage pre-equilibrium early stage medium expansion Hadronization chemical freezeout inelastic scatterings stop Decreasing energy density kinetic freezeout elastic scatterings stop Ferramenta para o estudo da matéria nuclear em condições extremas de temperatura e densidade de energia Precisamos compreender essa ferramenta para extrairmos informações fundamentais sobre a matéria nuclear Vários processos estão presentes na evolução da colisão, dificultando bastante essa tarefa 4

5 Long Range Plan (EUA 2007) Frontiers of Nuclear Science The most important scientific challenge for the field in the next decade is the quantitative exploration of the new state of nuclear matter discovered by the RHIC experiments Hard probes are key diagnostic tools of the QGP, for two reasons: their production rates are calculable using the wellestablished techniques of perturbative QCD, and their sizable interactions with the hot QCD medium provide unique and sensitive measurements of its crucial properties. 5 RENAFAE 21/06/2010

6 Long Range Plan (EUA 2007) Frontiers of Nuclear Science The most common hard probes are collimated jets of particles at large angles to the beam. Such jets are usually due to the scattering of gluons or light quarks (up, down, or strange); less frequently, they contain heavy charm or bottom quarks. On occasion, a high-energy prompt photon or a massive bound state of a heavy quark-antiquark pair (quarkonium) will be created. 6 RENAFAE 21/06/2010

7 Long Range Plan (EUA 2007) Frontiers of Nuclear Science The art of heavy-ion experimentation is to identify those measurements that are especially sensitive to properties of the hottest, densest phase of the collision, but their interpretation in terms of the fundamental properties of matter also requires sophisticated modeling of the collision dynamics. The best current approach to such modeling utilizes relativistic ideal hydrodynamics augmented by hadronic Boltzmann transport processes 7 RENAFAE 21/06/2010

8 Grupo de Íons Pesados Relativísticos Brevíssimo histórico: Experiência nas colaborações E864 e E896 do acelerador AGS-BNL e na colaboração STAR do acelerador RHIC-BNL desde 1995 (15 anos) O grupo assumiu importantes responsabilidades e papel de destaque nesses experimentos, tanto em termos de contribuição científica (coordenação de Physics Working Groups) como participação em projetos de instrumentação (coordenação de subprojetos de detectores) Convidados para integrar a Colaboração ALICE em Membros oficialmente aceitos desde Outubro de RENAFAE 21/06/2010

9 Contribuição Científica Qual o impacto da participação brasileira em termos científicos? Estudo das propriedades do Plasma de Quarks e Gluons através da investigação: da produção de núcleos leves e hiper-núcleos, hádrons compostos de quarks estranhos, hádrons compostos de pesados e do estudo de supressão e alterações de jatos de partículas 9 RENAFAE 21/06/2010

10 Contribuição Científica Courtesy of S. Bass initial state initial stage pre-equilibrium early stage medium expansion Hadronization chemical freezeout inelastic scatterings stop 10 RENAFAE time Decreasing energy density kinetic freezeout elastic scatterings stop Medidas de γ diretos Medida da E T da colisão Espalhamento duro de partons (jatos) Flow de quarks pesados (e - ) Produção de J/ψ Hádrons estranhos (K 0 s, Λ, Ξ e Ω) Produção de núcleos leves e híper-núcleos 04/12/2009

11 Colaborações Científicas Produção de Hádrons Estranhos IN2P3, Strasbourg, França Produção de Quarks Pesados Yale University, EUA Produção de Jatos e Fótons diretos Lawrence Berkeley National Laboratory, EUA INFN, Frascati, Itália 11 RENAFAE 21/06/2010

12 Instrumentação/Tecnologia Participação em projeto de instrumentação Calorímetro Eletromagnético do ALICE (EMCal) O grupo possui experiência com o Calorímetro Hadrônico do experimento E864 do AGS-BNL e com o Calorímetro Eletromagnético do experimento STAR-BNL Ativa participação na elaboração do Physics Performance Report do Calorímetro Eletromagnético do ALICE entregue ao DOE americano Elaboração de software de serviço (trigger) e estudo do desempenho do detector Consequência: contínuo desenvolvimento de know-how em calorímetria que poderá resultar em futuros projetos de hardware 12 RENAFAE 21/06/2010

13 Instrumentação/Tecnologia Contribuição para esforço computacional do ALICE, via GRID: Trabalho pioneiro iniciado em 2005 ( Sao Paulo Joins STAR GRID - Participação no processamento dos dados coletados pelo experimento criando um centro regional do GRID do ALICE em São Paulo Importante oportunidade para se aproveitar a infra-estrutura física e humana já disponível na USP Certificação do site da USP no GRID pelo ROC-LA Consequência: aprendizado e disseminação de uma nova tecnologia que pode ser aplicada em muitas áreas do conhecimento 13 RENAFAE 21/06/2010

14 Grupo de Íons Pesados Relativísticos Nome Afiliação Qualificações M&O Alejandro Szanto de Toledo USP Pesquisador 1A Sim Airton Deppman USP Pesquisador 1D Sim Alexandre A. P. Suaide USP Pesquisador 2 Sim Jun Takahashi UNICAMP Pesquisador 2 Sim Marcelo G. Munhoz USP Pesquisador 2 Sim Mauro Cosentino UNICAMP Pos-doc FAPESP (bolsa até 2011) Sim 14 RENAFAE 21/06/2010

15 Contribuição Científica Courtesy of S. Bass initial state initial stage pre-equilibrium early stage medium expansion Hadronization chemical freezeout inelastic scatterings stop time Decreasing energy density kinetic freezeout elastic scatterings stop Medidas de γ diretos A. Deppman Medida da E T da colisão M. G. Munhoz Espalhamento duro de partons (jatos) A. Deppman, A. Suaide, M. G. Munhoz Flow de quarks pesados (e - ) A. Suaide Produção de J/ψ A. Suaide, M. G. Munhoz, M. Cosentino Hádrons estranhos (K 0 s, Λ, Ξ e Ω) J. Takahashi Produção de núcleos e hípernúcleos A. Szanto de Toledo 15 RENAFAE 04/12/2009

16 Grupo de Íons Pesados Relativísticos Nome Alejandro Szanto de Toledo Airton Deppman Alexandre A. P. Suaide Jun Takahashi Marcelo G. Munhoz 7 alunos de pós-graduação Mauro Cosentino Atividades Paralelas Team Leader EMCal GRID Deputy Team Leader EMCal Deputy Team Leader EMCal GRID EMCal 16 RENAFAE 21/06/2010

17 Formação de Recursos Humanos Nome Afiliação Status Orientador Bárbara Smilgys UNICAMP Mestranda J. Takahashi David D. Chinellato Denise A. M. de Godoy USP UNICAMP Doutorando J. Takahashi Doutoranda A. Suaide Evandro de Andrade II USP Mestrando A. Deppman Gabriel O. V. de Barros USP Doutorando M. Munhoz Isaac S. de A. O. Sena USP Mestrando A. Deppman Marcel A. S. Figueredo USP Doutorando M. Munhoz Renato C. Borges USP Treinamento Técnico M. Munhoz A. Suaide 17 RENAFAE 21/06/2010

18 Formação de Recursos Humanos Nome Afiliação Status Orientador Alisson F. Moraes UNICAMP IC - CNPq J. Takahashi Bárbara Ferreira USP IC - CNPq A. Suaide Caio E. F. Lima USP IC - CNPq M. Munhoz Camila de Conti USP IC M. Munhoz Elienos P. de O. Filho USP IC - FAPESP A. Suaide Pedro Ishida USP IC - FAPESP M. Munhoz Thiago V. Acconcia UNICAMP IC J. Takahashi Rafael Cavina USP IC A. Szanto Ricardo R. Da Silva USP IC - USP A. Deppman 18 RENAFAE 21/06/2010

19 Perspectivas (2010/2011) Intensificar participação nas análises dos dados tomados em 2009/2010 Intensificar contribuição ao EMCal do ALICE Software de análise e controle (trigger) Intensificar participação no GRID do ALICE Contratação de técnico dedicado na USP (Junho/2010) Previsão de novos pesquisadores e novos alunos de pósgraduação no grupo Prof. Nelson Carlin da USP contribuição em instrumentação Dois novos alunos na USP Dois novos alunos na UNICAMP 19 RENAFAE 21/06/2010

Grupos e suas atividades no país

Grupos e suas atividades no país Grupos e suas atividades no país INTERAÇÕES EM CONDIÇÕES EXTREMAS - UFRJ Temas: Interação pp, Diagrama de Fase da QCD, Estrelas Compactas, Dinâmica da QCD, Física de Íons Pesados e Condições Iniciais,

Leia mais

em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo

em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo Computação em grid como ferramenta essencial na investigação da estrutura do universo Alexandre Suaide Marcelo Gameiro Munhoz 19 dossiê Computação em nuvem RESUMO Movidos pela curiosidade e a necessidade

Leia mais

Proposta de um Novo Calorímetro Eletromagnético para o Experimento ALICE - LHC

Proposta de um Novo Calorímetro Eletromagnético para o Experimento ALICE - LHC Universidade de São Paulo Instituto de Física Proposta de um Novo Calorímetro Eletromagnético para o Experimento ALICE - LHC Camila de Conti Orientador: Prof. Dr. Marcelo Gameiro Munhoz Dissertação de

Leia mais

O LHC e o futuro da física de partículas

O LHC e o futuro da física de partículas http://public.web.cern.ch/public/en/lhc/facts-en.html http://lhc-milestones.web.cern.ch/lhc-milestones/ O LHC e o futuro da física de partículas José Guilherme Milhano CENTRA/IST 4ª Escola de Astrofísica

Leia mais

Aceleradores e Princípios de Detecção de Partículas. 12 / Nov. / 2009 algumas imagens de Oliver Brüning/CERN, Fernando Barão/LIP, CERN Photo archives

Aceleradores e Princípios de Detecção de Partículas. 12 / Nov. / 2009 algumas imagens de Oliver Brüning/CERN, Fernando Barão/LIP, CERN Photo archives Aceleradores e Princípios de Detecção de Partículas 12 / Nov. / 2009 algumas imagens de Oliver Brüning/CERN, Fernando Barão/LIP, CERN Photo archives Breve história dos aceleradores CERN 1928: Cockcroft-Walton

Leia mais

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos Detectores de Partículas: Uma Introdução ao CMS Tiago dos Anjos Sumário Aceleradores Circulares LHC O Detector CMS - Sistema de Trajetórias - Sistema de Múons - Calorímetro Eletromagnético - Calorímetro

Leia mais

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC

Uma Breve Introdução à Física de Partículas O DEE-UFBA na Colaboração do Detector ATLAS do LHC no do do no Uma Breve à Física de Partículas O na Colaboração do Detector do LHC Prof. (eduardo.simas@ufba.br) Programa de Pós-Graduação em Engenharia Elétrica Universidade Federal da Bahia Colaboração

Leia mais

ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC. 07 e 08 de Dezembro de 2011. RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias

ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC. 07 e 08 de Dezembro de 2011. RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias ATA DO WORKSHOP E REUNIÃO DO CTC 07 e 08 de Dezembro de 2011 RENAFAE Rede Nacional de Física de Altas Energias O Presidente da RENAFAE, Prof. Ricardo Galvão convocou o Workshop para todos os membros da

Leia mais

Estudo do grande colisor de hádrons

Estudo do grande colisor de hádrons Estudo do grande colisor de hádrons Felipe BERNARDO MARTINS 1 ; Mayler MARTINS 2 1 Estudante do Curso Técnico em Manutenção Automotiva. Instituto Federal Minas Gerais (IFMG) campus Bambuí. Rod. Bambuí/Medeiros

Leia mais

Uma discussão presente de modo

Uma discussão presente de modo Uma discussão presente de modo bastante atual na área de ensino de física está relacionada à importância da inserção de temas mais atuais de física nas aulas dessa disciplina no Ensino Médio [1,2]. Nesse

Leia mais

O Large Hadron Collider e a Física de Partículas Elementares. Rogério Rosenfeld Instituto de Física Teórica UNESP

O Large Hadron Collider e a Física de Partículas Elementares. Rogério Rosenfeld Instituto de Física Teórica UNESP O Large Hadron Collider e a Física de Partículas Elementares Rogério Rosenfeld Instituto de Física Teórica UNESP www.ift.unesp.br Escola Móbile - 13/05/2010 Tópicos da palestra: O que é o LHC? Como funciona

Leia mais

A"vidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF

Avidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF A"vidades e planos dos novos integrantes do CMS/CBPF (FSQ,SuSy,LPC WW lνjj,hcal) Arthur Moraes Carsten Hensel Patricia R. Teles Clemencia Mora H. Introdução Novos integrantes vindos do ATLAS ou de teoria/fenomenologia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Produção Térmica de Partículas em Colisões Nucleares Relativísticas

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS. Produção Térmica de Partículas em Colisões Nucleares Relativísticas UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Física Gleb Wataghin Departamento de Raios Cósmicos e Cronologia Produção Térmica de Partículas em Colisões Nucleares Relativísticas Dissertação de Mestrado

Leia mais

Large Hadron Collider

Large Hadron Collider Rede Nacional de Física de Altas Energias Setembro 2008 Large Hadron Collider Participação Brasileira nos Experimentos do CERN Sumário I. CERN: BREVE HISTÓRICO...3 II. PARTICIPAÇÃO BRASILEIRA NO LHC...5

Leia mais

Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012)

Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012) Lista de Atividades Realizadas dos Autores do ATLAS (Dezembro/2011 a Novembro/2012) 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias

Leia mais

A Antimateria e outros Misterios Estudados no Experimento ATLAS

A Antimateria e outros Misterios Estudados no Experimento ATLAS A Antimateria e outros Misterios Estudados no Experimento ATLAS Antimatéria e outros mistérios : da fantasia à realidade... O Experimento ATLAS no Grande Colisor de Hádrons (Large Hadron Collider LHC)

Leia mais

Lista de Atividades dos Autores do ATLAS

Lista de Atividades dos Autores do ATLAS Lista de Atividades dos Autores do ATLAS 1. Andre Asevedo Nepomuceno (UFF) Membro do grupo de física exótica do ATLAS, em particular na busca de novas ressonâncias que decaem em um par de elétrons ou muons.

Leia mais

EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA

EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA EXPERIMENTOS DE FÍSICA DE ALTAS ENERGIAS COMO FOMENTO PARA ATRAÇÃO E PERMANÊNCIA DE ALUNOS EM CURSOS DE ENGENHARIA Eduardo F. Simas Filho eduardo.simas@ufba.br Mariana Reis marianareis24@yahoo.com.br Universidade

Leia mais

Ponto de encontro. Quase 10 mil pesquisadores, entre eles 68 brasileiros, fazem os ajustes finais no maior acelerador de partículas do mundo

Ponto de encontro. Quase 10 mil pesquisadores, entre eles 68 brasileiros, fazem os ajustes finais no maior acelerador de partículas do mundo http://www.revistapesquisa.fapesp.br/?art=3513&bd=1&pg=1&lg= Página 1 de 3 Ponto de encontro Quase 10 mil pesquisadores, entre eles 68 brasileiros, fazem os ajustes finais no maior acelerador de partículas

Leia mais

CMS RENAFAE 21/6/2010!

CMS RENAFAE 21/6/2010! CMS RENAFAE 21/6/2010! 2010! 8 com M&O! Alberto Santoro! André Sznajder! Carley Martins! Helio Nogima! Luiz Mundim! Vitor Oguri! Wanda Prado! Wagner Carvalho! 16 sem M&O! Eduardo Revoredo! José Afonso!

Leia mais

1. Resumo. 2. Introdução

1. Resumo. 2. Introdução 1. Resumo O exercício proposto consiste na busca de partículas estranhas, que são produzidas à partir de colisões entre partículas no acelerador LHC e medidas pelo experimento ALICE. Este exercício se

Leia mais

Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção. Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ

Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção. Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ Raios Cósmicos: Fundamentos e técnicas de detecção Carla Bonifazi Instituto de Física - UFRJ Aula 17/07 X Escola do CBPF - 2015 Conteúdo do Curso Introdução: historia e primeiros detectores Medições diretas

Leia mais

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law

e-lab: a didactic interactive experiment An approach to the Boyle-Mariotte law Sérgio Leal a,b, João Paulo Leal a,c Horácio Fernandes d a Departamento de Química e Bioquímica, FCUL, Lisboa, Portugal b Escola Secundária com 3.º ciclo Padre António Vieira, Lisboa, Portugal c Unidade

Leia mais

A SUPERCONDUTIVIDADE DE COR COM DOIS E TRÊS SABORES NO MODELO CROMODIELÉTRICO

A SUPERCONDUTIVIDADE DE COR COM DOIS E TRÊS SABORES NO MODELO CROMODIELÉTRICO Anais do 14 O Encontro de Iniciação Científica e Pós Graduação do ITA XIV ENCITA / 2008 Instituto Tecnológico de Aeronáutica São José dos Campos SP Brasil Outubro 20 a 23 2008. A SUPERCONDUTIVIDADE DE

Leia mais

IBM Research: Inovação feita no Brasil. Ricardo Pelegrini Gerente Geral de Serviços para IBM América Latina

IBM Research: Inovação feita no Brasil. Ricardo Pelegrini Gerente Geral de Serviços para IBM América Latina IBM Research: Inovação feita no Brasil Ricardo Pelegrini Gerente Geral de Serviços para IBM América Latina Expansão & Globalização da IBM Research Division: Cenário de Competição Decisões da IBM Research

Leia mais

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis

EPLNA_2012. Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Ciclo de Garantia da Qualidade Analítica: tendências e etapas fundamentais para a fornecer resultados confiáveis Prof. Dr. Igor Renato Bertoni Olivares Top 02 in analytical chemistry Impact Factor - 6,6

Leia mais

CBPF UERJ UFABC UNESP CEFET UFRGS UNIFESP

CBPF UERJ UFABC UNESP CEFET UFRGS UNIFESP CBPF UERJ UFABC UNESP CEFET UFRGS UNIFESP CMS Brasil Composição 7 Ins=tuições em 3 Estados 41 membros: 18 professores e pesquisdores 23 estudantes e técnicos Análises Físicas Física Difra=va Física Exó=ca

Leia mais

Alberto Santoro. 1 Alberto Santoro: uma vida de conquistas. Publicação de celebração na ocasião do seu 70 aniversário.

Alberto Santoro. 1 Alberto Santoro: uma vida de conquistas. Publicação de celebração na ocasião do seu 70 aniversário. Alberto Santoro Graduado em Física pela UnB e pela UFRJ, com pós-graduação no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) e doutorado pela Université Paris VII, Santoro trabalhou cinco anos nos Estados

Leia mais

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET

BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET BR-EMS MORTALITY AND SUVIVORSHIP LIFE TABLES BRAZILIAN LIFE INSURANCE AND PENSIONS MARKET 2015 1 e-mail:mario@labma.ufrj.br Tables BR-EMS, mortality experience of the Brazilian Insurance Market, were constructed,

Leia mais

ignacio Bediaga Coordenação de Física experimental de Altas Energias (Lafex) Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (RJ)

ignacio Bediaga Coordenação de Física experimental de Altas Energias (Lafex) Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (RJ) Uma diminuta quantidade de antimatéria é roubada do Centro Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN). Objetivo: usá-la para destruir o Vaticano. Esse é o mote de Anjos e Demônios, do escritor norte-americano

Leia mais

Aceleradores e Detectores

Aceleradores e Detectores Aceleradores e Detectores São Paulo Regional Analysis Center Como explorar o mundo sub-atômico? 1910 Rutherford α... 1995 Tevatron, Fermilab 2008 LHC, CERN 2012 ILC,?... 2 Por que altas energias? de Broglie:

Leia mais

Assembléia da Comissão Especial de Arquitetura de. Computadores e Processamento de Alto Desempenho da SBC

Assembléia da Comissão Especial de Arquitetura de. Computadores e Processamento de Alto Desempenho da SBC Assembléia da Comissão Especial de Arquitetura de Computadores e Processamento de Alto Desempenho da SBC Data: 29/10/2010 Horário início: 19:12 h Local de realização: SBAC-PAD 2011, Petrópolis, RJ, Brasil

Leia mais

No Brasil temos vários grupos teóricos ativos trabalhando nesta área (IFUSP, IFT, ITA, UFSC).

No Brasil temos vários grupos teóricos ativos trabalhando nesta área (IFUSP, IFT, ITA, UFSC). !"#$%&'(&)"!*"("+%","!,"&%- A Física Nuclear tem como objetivo a investigação da origem, evolução, estrutura e fases da matéria nuclear de interação forte. Questões fundamentais em aberto levaram a Física

Leia mais

SPRACE Group@CMS. Maria Spiropulu. Wednesday, August 28, 13

SPRACE Group@CMS. Maria Spiropulu. Wednesday, August 28, 13 SPRACE Group@CMS Maria Spiropulu SPRACE on V+jets, tt+jets 2007-2010 SPARCE Support to CMS generators group: ALPGEN production and validation with the resources of the Sao Paolo T2 in Brazil. Team: Maurizio

Leia mais

Alberto Santoro. LNCC - 13 de Setembro de 2000. Alberto Santoro. Lafex/CBPF 2000

Alberto Santoro. LNCC - 13 de Setembro de 2000. Alberto Santoro. Lafex/CBPF 2000 Lafex/CBPF 2000 LNCC - 13 de Setembro de 2000 1 Ciência & Tecnologia Roteiro: I II - INTRODUÇÃO Modelos - Visão Global - CIÊNCIA E TECNOLOGIA Um Casamento Estratégico III - EXEMPLOS DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Programa de Pós-Graduação em Física

Programa de Pós-Graduação em Física Programa de Pós-Graduação em Física Apresentação e Objetivos A Escola de Física da Universidade Federal do ABC (UFABC) é promovida pelo seu Programa de Pós-Graduação em Física, pela Pró-Reitoria de Pós-Graduação

Leia mais

O Experimento CMS Parte 2/2

O Experimento CMS Parte 2/2 O Experimento CMS Parte 2/2 Thiago Tomei 29/03/2007 7/5/2007 Thiago Tomei 1 Sumário Parte 1: O Experimento CMS Large Hadron Collider LHC Compact Muon Solenoid CMS Estrutura de Hardware do CMS: Detector

Leia mais

ASPECTOS HISTÓRICOS DA UTILIZAÇÃO DA INFORMÁTICA EM AMBIENTES EDUCACIONAIS NO BRASIL: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO

ASPECTOS HISTÓRICOS DA UTILIZAÇÃO DA INFORMÁTICA EM AMBIENTES EDUCACIONAIS NO BRASIL: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO 43 ASPECTOS HISTÓRICOS DA UTILIZAÇÃO DA INFORMÁTICA EM AMBIENTES EDUCACIONAIS NO BRASIL: UM ESTUDO BIBLIOGRÁFICO Luiza Lúlia Feitosa Simões 1 RESUMO Informática Educativa é o uso do computador no ambiente

Leia mais

Slide do Prof. Silvio Meira. http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf

Slide do Prof. Silvio Meira. http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira http://www.innosight.com/documents/diprimer.pdf Slide do Prof. Silvio Meira Slide do Prof. Silvio

Leia mais

SS.Fernandes, 1,2,3, KCS.Patrão 2, ES.Fonseca 2, WW. Pereira 2, RT.Lopes 1

SS.Fernandes, 1,2,3, KCS.Patrão 2, ES.Fonseca 2, WW. Pereira 2, RT.Lopes 1 Determinação do centro efetivo de um detector do tipo De Pangher Long Counter no salão de baixo espalhamento de nêutrons do Laboratório de Metrologia de Nêutrons (LN). SS.Fernandes, 1,2,3, KCS.Patrão 2,

Leia mais

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP)

Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Guia para Análises Experimento do DZero (CMS?) Pedro Mercadante (UNESP) Sumário Dados Sinal Simulação por MC Definição dos objetos Físicos Background Simulação por MC Estimativa a partir dos dados Comparação

Leia mais

@georgeguimaraes. Integração Discreta. melhorando a Integração Contínua e ganhando em colaboração

@georgeguimaraes. Integração Discreta. melhorando a Integração Contínua e ganhando em colaboração @georgeguimaraes Integração Discreta melhorando a Integração Contínua e ganhando em colaboração @georgeguimaraes George Guimarães co-fundador da Plataformatec entrega de projetos Posicionamento único

Leia mais

CMS CBPF/UERJ/CEFET-RJ/UNICAMP/UNA

CMS CBPF/UERJ/CEFET-RJ/UNICAMP/UNA CMS CBPF/UERJ/CEFET-RJ/UNICAMP/UNA RENAFAE 29/11/2012 2012 4 com M&O Gilvan Alves Maria Elena Pol Moacyr Souza Dilson Damião (05/12) 4 sem M&O Mario Vaz Lucas Cavalcanti Marcos Correa Thiago Martins CBPF

Leia mais

Braskem Máxio. Maio / May 2015

Braskem Máxio. Maio / May 2015 Maio / May 2015 Braskem Máxio Braskem Máxio Braskem Maxio é um selo que identifica resinas de PE, PP ou EVA dentro do portfólio da Braskem com menor impacto ambiental em suas aplicações. Esta exclusiva

Leia mais

Operação de Instalações Marítimas

Operação de Instalações Marítimas ENIDH, Abril 2011 Sumário 1 Steering Gear 2 Bow Thrust 3 Propeller Servo 1 Steering Gear 2 Bow Thrust 3 Propeller Servo Steering Gear System Comprises two identical hydraulic systems. Each system includes:

Leia mais

UM BREVE RELATO SOBRE A HISTÓRIA DA RADIAÇÃO CÓSMICA DE FUNDO

UM BREVE RELATO SOBRE A HISTÓRIA DA RADIAÇÃO CÓSMICA DE FUNDO UNIVERSIDADE FEDERAL DO VALE DO SÃO FRANCISCO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA NÍVEL MESTRADO PROFISSIONAL RAMON MARQUES DE CARVALHO UM BREVE RELATO SOBRE A HISTÓRIA DA RADIAÇÃO CÓSMICA DE FUNDO PICOS

Leia mais

Braskem Maxio. Resinas da linha Braskem Maxio Braskem Maxio Grades. Redução de Consumo Energético Lower Energy Consumption.

Braskem Maxio. Resinas da linha Braskem Maxio Braskem Maxio Grades. Redução de Consumo Energético Lower Energy Consumption. Maio / May 2015 Resinas da linha Grades Redução de Consumo Energético Lower Energy Consumption RP 141 RP 347 RP 340S RP 340R RP 149 H 105 Produtividade Higher Productivity H 202HC CP 191XP VA8010SUV Redução

Leia mais

23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 1

23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 1 23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 1 Feira Internacional da Amazonia Manaus Amazonas 23 27 de novembro de 2009 Roteiro Alberto Santoro UERJ 23-27 novembro de 2009 Alberto Santoro 2 A Energia é por

Leia mais

RESULTADO DA SELEÇÃO

RESULTADO DA SELEÇÃO RESULTADO DA SELEÇÃO CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - TERMO DE REFERENCIA Nº 04 Perfil: Técnico Pleno Produto:

Leia mais

ESTUDO DO EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO DE TiO 2 POR MEIO DA TÉCNICA DE ESPECTROSCOPIA DE LUMINESCÊNCIA

ESTUDO DO EFEITO DO TRATAMENTO TÉRMICO DE TiO 2 POR MEIO DA TÉCNICA DE ESPECTROSCOPIA DE LUMINESCÊNCIA ESTUD D EFEIT D TRATAMENT TÉRMIC DE Ti 2 PR MEI DA TÉCNICA DE ESPECTRSCPIA DE LUMINESCÊNCIA Rafael Inocêncio de Andrade Bitencourt * IC, Deborah Dibbern Brunelli PQ Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE FÍSICA PARTÍCULAS ELEMENTARES: A PROCURA DAS PARTÍCULAS W E Z. Aluno: Reinaldo Augusto da Costa Bianchi. Professor: Gil da Costa Marques. São Paulo, 1992. Esta ilustração

Leia mais

INDICADORES DE INTERNACIONALIZAÇÃO NO BRASIL

INDICADORES DE INTERNACIONALIZAÇÃO NO BRASIL INDICADORES DE INTERNACIONALIZAÇÃO NO BRASIL Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul 20 de outubro de 2014 Denise de Menezes Neddermeyer Diretora de Relações Internacionais Principais Tópicos

Leia mais

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade

Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Rafael de Souza Lima Espinha Uma Abordagem para a Avaliação de Processos de Desenvolvimento de Software Baseada em Risco e Conformidade Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial

Leia mais

UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI MESTRADO EM DESIGN PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DESIGN, ARTE E TECNOLOGIA RACHEL ZUANON

UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI MESTRADO EM DESIGN PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DESIGN, ARTE E TECNOLOGIA RACHEL ZUANON UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI MESTRADO EM DESIGN PROGRAMA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DESIGN, ARTE E TECNOLOGIA RACHEL ZUANON GABRIEL DA COSTA PATROCINIO São Paulo, 2012 MENZEL, D`ALUISIO, Robo Sapiens:

Leia mais

A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da Natureza p. 1/29

A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da Natureza p. 1/29 A Teoria de Cordas e a Unificação das Forças da Natureza Victor O. Rivelles Instituto de Física Universidade de São Paulo rivelles@fma.if.usp.br http://www.fma.if.usp.br/ rivelles/ Simpósio Nacional de

Leia mais

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DO FENÔMENO DE MICROSSEGREGAÇÃO DE SOLUTO DE UMA LIGA BINÁRIA ( AL- Cu) COM TAXA DE RESFRIAMENTO CONSTANTE.

MODELAGEM E SIMULAÇÃO DO FENÔMENO DE MICROSSEGREGAÇÃO DE SOLUTO DE UMA LIGA BINÁRIA ( AL- Cu) COM TAXA DE RESFRIAMENTO CONSTANTE. MODELAGEM E SIMULAÇÃO DO FENÔMENO DE MICROSSEGREGAÇÃO DE SOLUTO DE UMA LIGA BINÁRIA ( AL- Cu) COM TAXA DE RESFRIAMENTO CONSTANTE. Késsia Gomes Paradela, kessiakgp@gmail.coml 1 Alexandre Furtado Ferreira,

Leia mais

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014

Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Otimização geral de processos (OEE) Fabian Prehn Campinas Setembro 2014 Agenda Agenda Futuro da produção farmacêutica Future of pharmaceutical production Compressão como principal ponto no processo de

Leia mais

SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS

SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS SISTEMA DIGITAL PARA REDUÇÃO DO EMPILHAMENTO EM MEDIÇÕES DE ENERGIA NUM DETECTOR DE PARTÍCULAS MARCELO M. CAVALCANTI, EDUARDO F. SIMAS FILHO, PAULO C. M. A. FARIAS Laboratório de Sistemas Digitais, Departamento

Leia mais

xavier@lps.ufrj.br, Andre.Dos.Anjos@cern.ch, seixas@lps.ufrj.br

xavier@lps.ufrj.br, Andre.Dos.Anjos@cern.ch, seixas@lps.ufrj.br DISCRIMINADORES NEURAIS DE PARTÍCULAS PARA UM DETECTOR SUBMETIDO A UMA ALTA TAXA DE EVENTOS Thiago Ciodaro Xavier, André dos Anjos Rabello, Jose Manoel de Seixas Laboratório de Processamento de Sinais

Leia mais

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos

Detectores de Partículas: Tiago dos Anjos Detectores de Partículas: Uma Introdução ao CMS Tiago dos Anjos Sumário Aceleradores Circulares LHC O Detector CMS - Sistema de Trajetórias - Detector de múons - Calorímetro Eletromagnético - Calorímetro

Leia mais

Alexandre de Resende Camara. Nanopartículas metálicas para sensoriamento químico a fibra óptica. Dissertação de Mestrado

Alexandre de Resende Camara. Nanopartículas metálicas para sensoriamento químico a fibra óptica. Dissertação de Mestrado Alexandre de Resende Camara Nanopartículas metálicas para sensoriamento químico a fibra óptica Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre pelo

Leia mais

INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM BIBLIOTECONOMIA NA UFSC: um perfil de 1990 a 2010 1

INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM BIBLIOTECONOMIA NA UFSC: um perfil de 1990 a 2010 1 INICIAÇÃO CIENTÍFICA EM BIBLIOTECONOMIA NA UFSC: um perfil de 1990 a 2010 1 GARRIDO, Isadora dos Santos * O presente trabalho faz uma breve análise da produção em Iniciação Científica do curso de Biblioteconomia

Leia mais

METODOLOGIAS ESTATÍSTICAS APLICADAS A DADOS DE ANÁLISES QUÍMICAS DA ÁGUA PRODUZIDA EM UM CAMPO MADURO DE PETRÓLEO

METODOLOGIAS ESTATÍSTICAS APLICADAS A DADOS DE ANÁLISES QUÍMICAS DA ÁGUA PRODUZIDA EM UM CAMPO MADURO DE PETRÓLEO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE TECNOLOGIA CT CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA CCET PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE PETRÓLEO - PPGCEP DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Leia mais

MINERνA Main INjector ExpeRiment for v-a. Detector ativo segmentado: : 5,87 t

MINERνA Main INjector ExpeRiment for v-a. Detector ativo segmentado: : 5,87 t MINERνA Main INjector ExpeRiment for v-a Detector ativo segmentado: : 5,87 t Alvos nucleares de C, Fe, Pb e H 1 MINERνA em resumo MINERvA é um detector de neutrinos compacto, ativo e projetado para estudar

Leia mais

Cutting Behavior and Process Monitoring During Grinding of Ceramics Using CVD-Tools - GRINDADVCER -

Cutting Behavior and Process Monitoring During Grinding of Ceramics Using CVD-Tools - GRINDADVCER - Cutting Behavior and Process Monitoring During Grinding of Ceramics Using CVD-Tools - GRINDADVCER - Prof. Dr. Eng. Rodrigo Lima Stoeterau Structure Objectives Working team Working projects development

Leia mais

A PERCEPÇÃO DOS DISCENTES SOBRE O DESEMPENHO DOS DOCENTES DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU

A PERCEPÇÃO DOS DISCENTES SOBRE O DESEMPENHO DOS DOCENTES DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU A PERCEPÇÃO DOS DISCENTES SOBRE O DESEMPENHO DOS DOCENTES DOS CURSOS DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU PERCEPTION OF STUDENTS PERFORMANCE OF TEACHERS OF SCIENCE

Leia mais

Sistemas de computação e análise de dados

Sistemas de computação e análise de dados Sistemas de computação e análise de dados I Workshop RENAFAE Eduardo Gregores LHC: Uma nova escala em computação 20 MByte/s 100 MByte/s 1500 MByte/s Stored (After Level 3) 2 Processamento Distribuído 3

Leia mais

Mauro V. G. Barros Universidade de Pernambuco Grupo de Pesquisa em Estilos de Vida e Saúde

Mauro V. G. Barros Universidade de Pernambuco Grupo de Pesquisa em Estilos de Vida e Saúde Mauro V. G. Barros Universidade de Pernambuco Grupo de Pesquisa em Estilos de Vida e Saúde Tópicos Apresentação pessoal A pós-graduação em Educação Física no Brasil (e no Nordeste) A pesquisa em Educação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL I. O ZOO das Partículas Elementares. Origem das Partículas Elementares. O Modelo Padrão e a Origem das Partículas e das Forças Fundamentais. O Modelo Padrão é a teoria que explica a origem das partículas

Leia mais

DOE-Design of Experiments Applied to Metrology Prof. Dr. Messias Borges Silva

DOE-Design of Experiments Applied to Metrology Prof. Dr. Messias Borges Silva XI SEMETRA Junho 2015 DOE-Design of Experiments Applied to Metrology Prof. Dr. Messias Borges Silva 1 MESSIAS BORGES SILVA Faculty member at UNIVERSITY OF SÃO PAULO-USP School of Engineering of Lorena-

Leia mais

GridUNESP: Status do Projeto

GridUNESP: Status do Projeto GridUNESP: Status do Projeto S. F. Novaes UNESP IV Workshop do GridUNESP Dezembro 2008 Objetivos do Workshop Apresentar o status do projeto Apresentar a equipe técnica Discutir as próximas etapas da implementação

Leia mais

Sistema de Visão Computacional sobre Processadores com Arquitetura Multi Núcleos

Sistema de Visão Computacional sobre Processadores com Arquitetura Multi Núcleos Roberto Kenji Hiramatsu Sistema de Visão Computacional sobre Processadores com Arquitetura Multi Núcleos Tese apresentada à Escola Politécnica da Universidade de São Paulo para obtenção do Título de Doutor

Leia mais

User Guide Manual de Utilizador

User Guide Manual de Utilizador 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE User Guide Manual de Utilizador 2014 1Life Simplify it All rights reserved. www.1-life.eu 2 2400 DPI OPTICAL GAMING MOUSE ENGLISH USER GUIDE...4 MANUAL DE UTILIZADOR PORTUGUÊS...18

Leia mais

Grids Computacionais. Marcelo Musci. musci@terra.com.br. Computação de Alto Desempenho. Jun/2004. Profa. DSc. Cristiana Bentes

Grids Computacionais. Marcelo Musci. musci@terra.com.br. Computação de Alto Desempenho. Jun/2004. Profa. DSc. Cristiana Bentes Grids Computacionais Marcelo Musci musci@terra.com.br Computação de Alto Desempenho Jun/2004 Profa. DSc. Cristiana Bentes Roteiro Conceituação Características de Grids Aspectos da Computação em Grid Soluções

Leia mais

PAINEL: Visões e Perspectivas Gabriel Antonio Marão

PAINEL: Visões e Perspectivas Gabriel Antonio Marão SEMINÁRIO: INTERNET DAS COISAS: OPORTUNIDADES E PERSPECTIVAS DA NOVA REVOLUÇÃO DIGITAL PARA O BRASIL Agenda 1 2 3 4 5 O QUE É IOT IOT NO MUNDO IOT NO BRASIL FÓRUM BRASILEIRO DE IoT ATIVIDADES VISÕES E

Leia mais

CMM. Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software. Capability. Maturity. Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos.

CMM. Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software. Capability. Maturity. Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos. CMM Capability Maturity Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos.br 8/3/2002 Pró-Reitoria de Administração - Diretoria de Serviços

Leia mais

SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS

SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS SIMULAÇÃO DE SECAGEM DE MILHO E ARROZ EM BAIXAS TEMPERATURAS DOMINGOS SÁRVIO MAGALHÃES VALENTE 1 CRISTIANO MÁRCIO ALVES DE SOUZA 2 DANIEL MARÇAL DE QUEIROZ 3 RESUMO - Um programa computacional para simular

Leia mais

Astrônomos disponibilizam a maior imagem do céu jamais feita

Astrônomos disponibilizam a maior imagem do céu jamais feita Astrônomos disponibilizam a maior imagem do céu jamais feita O Sloan Digital Sky Survey III (SDSS-III) está disponibilizando a maior imagem digital do céu já feita, e ela é gratuita para todos. A imagem

Leia mais

5910179 Biofísica I Biologia FFCLRP USP Prof. Antônio C. Roque Origem dos elementos

5910179 Biofísica I Biologia FFCLRP USP Prof. Antônio C. Roque Origem dos elementos Origem dos Elementos Os organismos vivos são constituídos basicamente por oxigênio, carbono, hidrogênio, nitrogênio, cálcio e fósforo, que juntos perfazem 99% da composição do corpo humano. Elemento Símbolo

Leia mais

II INTERNATIONAL MASTERCLASSES UFABC - HANDS ON IN PARTICLE PHYSICS

II INTERNATIONAL MASTERCLASSES UFABC - HANDS ON IN PARTICLE PHYSICS Conselho de Centro do CCNH Proposta de ação extensionista II INTERNATIONAL MASTERCLASSES UFABC - HANDS ON IN PARTICLE PHYSICS Giselle Watanabe Caramello (coordenador) Pedro Galli Mercadante (vice-coordenador)

Leia mais

Palestras Convidadas

Palestras Convidadas Palestras Convidadas Groupware: Early failures, current successes, and future challenges Jonathan Grudin grudin@ics.uci.edu Information & Computer Science Department University of California, Irvine Irvine,

Leia mais

PROCESSO DE DETECÇÃO FACIAL, UTILIZANDO VIOLA;JONES

PROCESSO DE DETECÇÃO FACIAL, UTILIZANDO VIOLA;JONES EXATAS E TECNOLÓGICAS ISSN IMPRESSO - 2359-4934 ISSN ELETRÔNICO - 2359-4942 PROCESSO DE DETECÇÃO FACIAL, UTILIZANDO VIOLA;JONES Luciana Maiara Queiroz de Santanas 1 Fábio Rocha Gomes 2 Thiago S. Reis Santos

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG

Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG Programa de Pós- Graduação em Arquitetura e Urbanismo - UFMG O Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFMG- NPGAU foi criado

Leia mais

Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas. Milimétricas para Plasmas de Fusão

Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas. Milimétricas para Plasmas de Fusão Sistemas de Reflectometria de Microondas e Ondas Milimétricas para Plasmas de Fusão M. Manso e L. Cupido Associação EURATOM / IST, Fusão Nuclear, 1049-001 Lisboa, Portugal. Introdução A produção comercial

Leia mais

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes:

1 Instituições. 2 Pesquisadores Autores: 3 Pesquisadores Colaboradores. 4 PosDocs Colaboradores. 5 Estudantes: Relatório ATLAS Janeiro a Dezembro de 2013 1 Instituições Oficialmente no ATLAS: 1.Universidade Federal do Rio de Janeiro 2.Universidade de São Paulo 3.Universidade Federal de Juiz de Fora 4.Universidade

Leia mais

Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas

Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas Programas de Professores no CERN inspiram a próxima geração de cientistas Profª. Mainara Biazati Gouveia SEDUC/ MT Profº. Wanderson Breder CEFET/ NF/RJ Centro Europeu de Investigação Nuclear Seleção Objetivo

Leia mais

Carmen Dolores Branco do Rego Barros

Carmen Dolores Branco do Rego Barros Carmen Dolores Branco do Rego Barros Inglês, a língua global dos dias atuais Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao programa de Pós-graduação em Letras da PUC-Rio como requisito parcial para

Leia mais

Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo 2º semestre de 2013-1ª Etapa

Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo 2º semestre de 2013-1ª Etapa Ministério da Educação Programa Universidade para Todos - ProUni Resultado Processo Seletivo 2º semestre de 2013-1ª Etapa Instituição de Ensino Superior: 3372 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE LAVRAS Local de Oferta:

Leia mais

directive on private enforcement Quantification of damage & passing on

directive on private enforcement Quantification of damage & passing on directive on private enforcement uantification of damage & passing on 3rd Portuguese and Spanish Conference on Competition Law Auditório Vieira de Almeida Lisboa, 28 e 29 de Novembro de 2013 A aculdade

Leia mais

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt

JOSE GABRIEL REGO. Resumo. Especializações. Experiência. Assistant Card Manager at Grupo Banco Popular jgrego@netcabo.pt JOSE GABRIEL REGO jgrego@netcabo.pt Resumo My main objective is to develop my career in order to deepen the experience I accumulated over the years based in the development of practical and theoretical

Leia mais

5º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS

5º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS 5º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM PETRÓLEO E GÁS TÍTULO DO TRABALHO: COMPORTAMENTO REOLÓGICO DE DISPERÇÕES AQUOSAS EM ÓLEO LEVE E PESADO AUTORES: Clenilson da Silva Sousa Junior

Leia mais

Vácuo não é sinônimo de nada, ao menos. Tempestades no. A energia do espaço vazio pode destruir estrelas e até revelar a natureza da matéria escura

Vácuo não é sinônimo de nada, ao menos. Tempestades no. A energia do espaço vazio pode destruir estrelas e até revelar a natureza da matéria escura ciência Física y Tempestades no vácuo A energia do espaço vazio pode destruir estrelas e até revelar a natureza da matéria escura Igor Zolnerkevic Vácuo não é sinônimo de nada, ao menos para os físicos.

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO RURAL ATRAVÉS DA INTERNET: UM NOVO PARADIGMA DE RECICLAGEM PROFISSIONAL

CAPACITAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO RURAL ATRAVÉS DA INTERNET: UM NOVO PARADIGMA DE RECICLAGEM PROFISSIONAL CAPACITAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO RURAL ATRAVÉS DA INTERNET: UM NOVO PARADIGMA DE RECICLAGEM PROFISSIONAL Autores Ricardo Sazima Email: ricardos@poboxes.com Vínculo: Consultor Endereço: Embrapa Informática

Leia mais

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software

Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Uma Abordagem para Condução de Iniciativas de Melhoria de Processos de Software Mariano Montoni, Cristina Cerdeiral, David Zanetti, Ana Regina Rocha COPPE/UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Leia mais

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO

SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO SEGURANÇA DE INFRAESTRUTURAS CRÍTICAS NA PERSPETIVA DA RESILIÊNCIA E CONTINUIDADE DE NEGÓCIO Cristina Alberto KPMG Advisory Consultores de Gestão, SA Agenda 1. Riscos Globais do Século XXI 2. Proteção

Leia mais

Partículas Elementares no Ensino Médio: uma abordagem a partir do LHC.

Partículas Elementares no Ensino Médio: uma abordagem a partir do LHC. Partículas Elementares no Ensino Médio: uma abordagem a partir do LHC. WAGNER FRANKLIN BALTHAZAR & ALEXANDRE LOPES DE OLIVEIRA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, Campus

Leia mais

SPRACE Game v2.0: Nova Versão do Videogame que Aborda os Conceitos Básicos da Física das Partículas Subatômicas

SPRACE Game v2.0: Nova Versão do Videogame que Aborda os Conceitos Básicos da Física das Partículas Subatômicas SPRACE Game v2.0: Nova Versão do Videogame que Aborda os Conceitos Básicos da Física das Partículas Subatômicas Durante o último século, as experiências realizadas em diversos aceleradores de partículas

Leia mais

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias.

um experimento dedicado a estudar a composição de partículas primárias de raios cósmicos e interações hadrônicas de altas energias. Uma análise sobre diferentes parametrizações da atmosfera em simulações de chuveiros atmosféricos extensos de raios cósmicos Stefano Castro TOGNINI; Ricardo Avelino GOMES Instituto de Física Universidade

Leia mais

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin.

Laboratório de Processamento de Sinais (LPS), Escola Politécnica/COPPE, UFRJ 1. E-mails: {xavier,seixas}@lps.ufrj.br 2. Universidade de Wisconsin. DISCRIMINAÇÃO NEURAL DE PARTÍCULAS PARA UM DETECTOR SUBMETIDO A UMA ALTA TAXA DE EVENTOS Thiago Ciodaro Xavier1, José Manoel de Seixas1, André Rabello dos Anjos2 1 Laboratório de Processamento de Sinais

Leia mais

O LIP faz 25 anos! Sofia Andringa e Catarina Espírito Santo

O LIP faz 25 anos! Sofia Andringa e Catarina Espírito Santo artigo geral O LIP faz 25 anos! Sofia Andringa e Catarina Espírito Santo Resumo No ano em que o Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas celebra 25 anos de existência, pretende-se

Leia mais