UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE JUSSARA LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE JUSSARA LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE JUSSARA LICENCIATURA EM LETRAS PORTUGUÊS/INGLÊS E RESPECTIVAS LITERATURAS ANDRIELLY FERREIRA DA SILVA A MÚSICA NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA PARA APRIMORAR A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DO 7º ANO JUSSARA-GO 2013

2 Andrielly Ferreira da Silva A MÚSICA NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA PARA APRIMORAR A APRENDIZAGEM DOS ALUNOS DO 7º ANO Monografia apresentada ao Departamento de Letras da Universidade Estadual de Goiás - UEG, Unidade Universitária de Jussara GO, em cumprimento à exigência para obtenção do título de Graduada em Letras Português/Inglês e respectivas literaturas, sob orientação da professora Aline Moreira da Fonseca Nascimento. JUSSARA-GO

3 2013

4 Dedico este trabalho primeiramente a Deus por ter me concedido vida, saúde, fé sabedoria, esperança e capacidade de ter chegado até aqui, por muitas vezes, pensei ser incapaz e quis desistir, porém, estou aqui. Dedico principalmente a minha mãe, Divina (in memória), minha motivação maior, mesmo estando ausente se mantém presente em meu coração, ao meu namorado, Jonhanth, que me apoiou da melhor forma que pode, à minha irmã, Aline, que colaborou com meus estudos através de seu apoio financeiro.

5 AGRADECIMENTOS Agradeço a todos que contribuíram, direta e indiretamente para que este trabalho pudesse ser realizado, primeiramente a Deus, ao meu namorado, Jonhanth, a minha irmã, Aline, e sempre a minha mãe, Divina (in memória), motivo maior da minha existência e da minha persistência, agradeço também a minha orientadora Aline Moreira da Fonseca Nascimento que através de suas orientações e de seu apoio contribuiu para a realização desta pesquisa. As minhas colegas, Flávia Rodrigues e Cristiane Aparecida por estarem sempre ao meu lado nos momentos bons e nos difíceis durante todo este processo de formação e por fim ao primeiro examinador deste trabalho Lucas Guilherme Borba, por ter analisado a primeira parte deste trabalho e da melhor forma possível acrescentou suas sugestões para o aprimoramento deste, e a segunda examinadora Flávia Fiúza que também acrescentou bastante para a finalização deste.

6 A música oferece à alma uma verdadeira cultura íntima e deve fazer parte da educação do povo. François Guizot

7 RESUMO Ao observar que as aulas de Língua Inglesa no ensino fundamental muitas vezes não despertam o interesse dos alunos e não os motiva a estudar uma segunda língua pensou-se em desenvolver uma pesquisa bibliográfica e de campo que apresentasse um pouco da evolução do ensino desta língua na escola, a importância no ensino fundamental, as inovações desta disciplina e ainda como trabalhar com músicas em Língua Inglesa no ensino fundamental de maneira que os alunos aprendam de forma mais interessante e motivadora. Durante a pesquisa foi abordado os possíveis usos da música no ensino de língua inglesa no ambiente escolar e também de quem deve ser o ponto de partida para diversificar e melhorar o ensino de Língua Inglesa, visando que tipo e o estilo de música pode ser usada na sala de aula, demonstrando o que é necessário ser feito, quais providências e conhecimentos os interessados necessitam adquirir. Foi ressaltado ainda sobre a importância e a utilidade da música no desenvolvimento da aprendizagem do ensino de língua inglesa no 7º ano do ensino fundamental. E ainda as divisões e subdivisões do trabalho, no primeiro capítulo fala sobre o Ensino de Língua Inglesa no Ensino fundamental de 2ª fase, com os subtítulos, A música no universo da Língua Inglesa, a música como estratégia no processo de ensino aprendizagem, O ensino de Língua Inglesa voltado para a aprendizagem e interação por meio de músicas. No segundo capítulo a evolução no ensino de L.I, as inovações no ensino de língua inglesa, A utilização de músicas nas aulas de Língua inglesa no Ensino Fundamental, abordando o aspecto da audição e tradução para aquisição de vocabulário, e também a metodologia utilizada e sondagem dos resultados da pesquisa de campo na Escola Municipal Izaura Maria da Silva, foram utilizados no decorrer da pesquisa alguns autores como, Vanessa Amorin e Vivian Magalhães (1998), Vera Lúcia Menezes de Oliveira e Paiva (1996), Daniel N. Martins da Costa (1987). PALAVRAS-CHAVE: Música. Professor. Ensino. Sala de aula. Língua Inglesa.

8 SUMÁRIO INTRODUÇAO... 8 CAPÍTULO 1 O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NO ENSINO FUNDAMENTAL DE 2ª FASE O universo da Língua Inglesa, a música como estratégia no processo de ensino aprendizagem O ensino de Língua Inglesa voltado para a aprendizagem e interação por meio de música CAPÍTULO 2 A EVOLUÇÃO NO ENSINO DE LI, AS INOVAÇÕES NO ENSINO DE LÍNGUA INGLESA A utilização de músicas nas aulas de Língua inglesa no Ensino Fundamental abordando o aspecto da audição e tradução para aquisição de vocabulário Metodologia utilizada e sondagem dos resultados da pesquisa de campo na Escola Municipal Izaura Maria da Silva CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ANEXOS APÊNDICE... 58

9 8 INTRODUÇÃO Este trabalho foi elaborado a partir da necessidade da realização de uma pesquisa para conclusão de curso, a qual necessitava de um tema podendo ser atual ou não, desta forma chegou-se a ideia em se trabalhar uma vertente voltada para estudar o gênero música em sala de aula na disciplina de língua inglesa, na escola Municipal Izaura Maria da Silva, no município de Jussara, estado de Goiás, as pesquisas foram realizadas no 7 ano do período Matutino diagnosticando com alunos de ambos os sexos, em que através de dinâmicas e trabalhos com a escrita, oralidade, a leitura e a gramática foram observados, para fim de comprovação real do resultado do uso de músicas adequadas e planejadas no ambiente escolar, na expectativa de que através desta pesquisa obtenha-se dados sobre a utilização da música em Língua Inglesa na sala de aula como recurso no processo de ensino aprendizagem. Acredita-se que o uso das músicas além de facilitadoras do conhecimento e aprendizagem, as mesmas tornam a aula mais interessante, capaz de prender mais a atenção dos educandos tornando o ambiente mais harmonioso e o aprendizado contagiante, cujos os pensamentos se voltam para o que está acontecendo no momento. Através das canções os alunos aprendem algo que ficará gravado em suas memórias. Com seu poder mágico de despertar lembranças e sentimentos nas pessoas, a música pode acalmar, divertir, transportar, ensinar, distrair e unir as pessoas. Essas seriam razões mais do que suficientes para sempre carregarmos um CD junto com o material didático. No caso das aulas de LE, a música tem ainda a vantagem de ser um importante elemento cultural e, consequentemente, uma ótima oportunidade para estabelecer um paralelo entre cultura e o ensino de idiomas. (AMORIN, MAGALHÃES, 1998, p.97). Da mesma forma ao ouvir uma canção independente da língua, a partir do momento em que gosta da sonoridade, da melodia, da voz do cantor ou quando gosta apenas da letra, sem ser preciso realizar uma tradução, mas há algo na música que prende a atenção, como se hipnotizasse a mente, pois pode-se passar horas e horas com aquelas palavras na memória, mas quando se ouve a melodia que há muito tempo conquistou sem perceber você começa a cantar e sente as coisas melhorarem. A música tem o poder da distração, da emoção, da motivação e porque não utilizá-la na educação, por isso basta os educadores e a escola em geral reconhecerem esse gênero textual que por muitos professores já foram utilizados, mas nem sempre da forma correta, sendo preciso saber usar esse benefício realmente para a melhoria da aprendizagem da língua,

10 9 que em geral anotadas em documentos há idealização, mas ao avaliar a prática, a realidade, percebe-se que muitas vezes os próprios alunos se encontram desmotivados com a disciplina de língua inglesa, pois reconhecem que eles não conseguem ter bom desempenho da forma que eles mesmos esperavam ter em sala de aula, mas alguns alunos sabem do benefício e a importância da língua inglesa não só em sala de aula mas para uma formação profissional e a inserção no mercado de trabalho juntamente com a convivência na sociedade, pois quanto mais se compreende novas culturas, mais se torna uma pessoa capacitada para qualquer ocasião que possa ocorrer na vida, pode ser em uma viagem ao exterior, ou entrevista de emprego ou até mesmo ao fazer novas amizades com pessoas de diferentes culturas mas que usam esta língua para se comunicarem, portanto, esse idioma é universal. A referente pesquisa elaborada foi dividida em dois capítulos o primeiro retratará o ensino de Língua Inglesa nas escolas, em que será abordado fatores recorrentes na educação do Brasil e a importância da Língua Inglesa para o ingresso no mercado de trabalho e melhor desenvolvimento na sociedade, foi realizado um estudo sobre o ensino desta língua nas escolas públicas, suas deficiências e pontos positivos e observado o trabalho com a música nas aulas da língua em pesquisa, suas vantagens e aspectos que elevam o índice de aprendizagem desta língua a partir de teóricos. No segundo capítulo foram abordados temas referentes a música e sua aplicação na aprendizagem desta Língua Estrangeira no 7 ano na Escola Municipal Izaura Maria da Silva e a análise dos resultados obtidos na pesquisa. E em anexo estão os modelos das atividades, os questionários que foram utilizados e as músicas. Na conclusão da pesquisa será descrita a avaliação geral da aplicação e o uso de músicas em sala de aula no ensino fundamental. Alguns exemplos de músicas que foram trabalhadas: Imagine, de John Lennon, Crazy, de Simple plan, Anytime, da Kelly Clarkson, Without you da Banda Rosa de Saron e Love by Grace de Lara Fabian. Utilizou-se músicas de alguns cantores conhecidos, que tem letras de fácil compreensão, as quais os alunos podem melhorar seu vocabulário além de transmitir emoção e bons sentimentos, salvo que nenhuma das músicas utilizadas possuem vocabulário inadequado, as letras são relacionadas as temáticas amor, ao mundo, ou seja, questões do interesse dos jovens da atualidade, podendo mostrar aos alunos que há músicas que podem acrescentar algo na vida deles inclusive conhecimento.

11 10 CAPÍTULO 1 O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NO ENSINO FUNDAMENTAL DE 2ª FASE A aquisição da Língua Inglesa é de suma importância sendo obrigatória e necessária nas escolas em que esse ensino começa no 6 ano. Nesse caso precisa-se aprimorar a forma, necessita-se que saia da mesmice de ensinar apenas tradução e gramática, e que se passe a praticar mais vocabulário, que trabalhe a escrita e a oralidade que são os que mais usa caso o aluno necessite por exemplo, se comunicar com uma pessoa estrangeira que fale a língua inglesa, para se ter uma ideia de quão importante é a língua em questão. Segundo Conrad e Fishman (1977), são doze os países cuja língua nativa é o inglês. São eles: Austrália, Bahamas, Barbados, Canadá, Estados Unidos (incluindo Porto Rico), Granada, Guiana, Inglaterra, Irlanda, Jamaica, Nova Zelândia e Trinidad. Além desses, outros 11 países, Botsuana, Fiji, Gâmbia, Gana, Libéria, Maurício, Nigéria, Rodésia, Serra Leoa, Uganda e Zâmbia, têm o inglês como única língua oficial e 14 países, Camarão, Índia, Lesoto, Malui, Malta, Namibia, Nauru, Filipinas, Singapura, África do Sul, Suazilândia, Tanzânia, Tonga e Samoa Ocidental têm o inglês como sua segunda língua oficial. Ainda, segundo a mesma fonte, há 8 países onde a língua inglesa possui algum status oficial, apesar de não ser a língua oficial, São eles: Burma, Etiópia, Israel, Kênia, Malásia, Paquistão, Siri Lanka e Sudão.(PAIVA, 1996, p.09). Aprender a Língua Inglesa é de fundamental importância. Observa-se a grande quantidade de países que falam a Língua Inglesa, daí a grande importância de se adquirir conhecimentos sobre esta língua. Mediante esse fator pode-se aproveitar as facetas que as músicas nos oferecem para aumentar o rendimento escolar e aprendizagem, pois através do esforço sendo iniciado por um educador, pode-se realizar a motivação em outros educadores através da comprovação realizada em sala de aula. Acredita-se que com a música aprende-se com mais facilidade. Observa-se que a musicalidade surgiu para exprimir as emoções dos antepassados, a música por ter a capacidade de despertar várias sensações, causar sensibilização, emoção, se torna indispensável seu uso nas aulas de língua estrangeira, além da mídia e a internet fazerem uso da música através de paródias ou até mesmo canções criadas com significado próprio para chamar a atenção das pessoas para determinado assunto ou questão podendo ser voltada para a religião, política, opção sexual, sofrimento, dor, alegria, ou apenas um meio de chamar a atenção, com ritmos musicais das mais diversificadas formas, pois quanto mais for diferente e novo mais há chance se de alcançar o sucesso.

12 11 Entretanto, o professor precisa saber usar esse recurso didático, não basta apenas ter uma boa ferramenta em mãos é preciso saber utilizá-la. O tipo de atividade de sala de aula e o ambiente da aprendizagem são muito mais importantes e determinantes da natureza dos resultados do que as características isoladas de professores, salas de aula e escolas. Por isso mesmo, é um engano procurarem-se explicações para resultados pedagógicos apenas na pessoa aprendiz, quando o fator que realmente os determina é a interação entre os indivíduos e os ambientes educacionais e sociais nos quais foram colocados. (COSTA, 1987, p. 43). A música desperta a sensibilidade e a criatividade, promove a expressão e a interação com o outro e facilita a aprendizagem, mas, antes de tudo o ponto de partida inicial é do professor, o qual precisa saber escolher a música e também a forma como será trabalhada na classe e para isso é necessário que essa forma de ensinar uma língua estrangeira esteja incluso em seus planos de ação, onde o mesmo saiba quais são as vantagens deste recurso didático. Estudar inglês tornou-se um fenômeno mundial, segundo Schanberg (1989), no Camboja, onde o ensino de línguas capitalistas foi proibido durante vários anos, estudar inglês virou moda. Diz ele: o inglês não é ensinado nas escolas públicas, mas milhares de jovens frequentam escolas particulares para aprender sua nova segunda língua. O sonho dos jovens é conseguir emprego em um suntuoso hotel que está sendo construído e que absorverá alguns deles. (PAIVA, 1996, p. 10). O uso da música aumenta o conhecimento dos alunos sobre culturas diferentes tornando relevante a própria cultura, apresentando valores estéticos, ideológicos, morais ou religiosos. Uma das formas de inovar e tornar uma aula mais atrativa de forma produtiva que aumente a aprendizagem dos educandos é o adequado uso de músicas o qual é importante no ensino de língua inglesa, pois através de uma música trabalhada em sala de aula, pode-se trabalhar a leitura, a oralidade, a escrita, o vocabulário, a compreensão da gramática. A música transmite culturas, emoções, aprendizagens sobre a vida, valores, sentimentos às vezes bons ou ruins, mas se tratando do estudo da língua em uso na sala de aula facilita a aprendizagem dos alunos, pois desperta o interesse de forma atrativa podendo ser através de uma música de um cantor conhecido ou não. Porém, a letra deve ter um significado que esteja relacionado ao conteúdo em estudo, favorecendo um melhor resultado, ao ouvir a música em língua inglesa o aluno pode se identificar com o ritmo, a sonoridade e até mesmo com algumas palavras que ele talvez já conheça ou às vezes pode até não saber o significado, mas pode se lembrar de já ter ouvido

13 12 algumas das palavras, ou seja, é algo que já não é mais tão estranho, pois o aluno já se familiarizou com alguma parte da música. Facilitando assim a aprendizagem e aumentando o interesse do mesmo em saber a pronúncia e o significado completo da letra motivando sua aprendizagem e proporcionando um elo entre a linguagem da escola e a do mundo, por isso, considera-se esta pesquisa pertinente e de grande importância. 1.1 O universo da Língua Inglesa, a música como estratégia no processo de ensino - aprendizagem A Língua Inglesa exerce grande influência no Brasil, a mesma é importante no meio acadêmico e no mercado de trabalho, as instituições da rede privada e pública a aplicam desde as séries iniciais, como no Ensino Infantil. As escolas, cada vez mais, começam a enxergar e valorizar essa língua. A língua inglesa vem servindo a uma série de propósitos na comunicação internacional. Segundo Samarin ( in Conrad e Fishman, 1977:6), o inglês já possui muitos dos requisitos para ser uma verdadeira língua franca, pois já é a língua da diplomacia, a língua predominante nas correspondências, a língua principal na aviação e nas transmissões radiofônicas, além de ser a segunda língua de tantos ou mais falantes que os nativos. (PAIVA, 1996, p. 13). Há tempos atrás, uma aula de língua inglesa no Ensino Formal era novidade para muitos alunos, pois a influência dessa língua era extremamente menor que na atualidade. Nos dias de hoje, o aluno não se surpreende com o professor apresentando a língua inglesa, pois ela está presente em diversos lugares do nosso cotidiano. De acordo com Denise Farias Rocha, O fenômeno da súbita globalização do mundo e da consequente necessidade de uma linguagem eficiente de comunicação é um fato que não depende de nele acreditarmos ou não. Sendo assim, aprender um idioma se tornou uma necessidade básica para profissionais de diversas áreas e para aqueles que se preparam para ingressar em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. O domínio de idiomas significa crescimento, desenvolvimento e, acima de tudo, melhores condições de acompanhar as rápidas mudanças que vem ocorrendo nesse novo e tecnológico século. (ROCHA, 2001, p.1). O mundo moderno é tão influenciado por essa língua, que as pessoas não se dão conta que estão usando palavras estrangeiras como, por exemplo: num jargão da internet, nas

14 13 linguagens de vídeo-game, do cinema, das músicas, em nomes de comércios, estampas de roupas etc. Podemos analisar a questão do ensino de línguas de duas formas: língua para aprender e língua para viver, onde a primeira se traduz por todas as maneiras em que a língua entra no processo ensino-aprendizagem e a última, por todas as maneiras em que os seres humanos a utilizam no seu dia-a-dia. (COSTA, 1987, p.40). A Língua Inglesa está presente no cotidiano e por isso, faz-se tão importante aprendêla. Atualmente o inglês é por muitos, considerada a língua franca por diversas razões. Tudo começou no passado, devido ao grande poderio econômico da Inglaterra no século XIX, alavancado pela Revolução Industrial. Consequentemente houve a expansão do colonialismo britânico, o qual chegou a alcançar uma vasta abrangência geográfica e uma igualmente vasta disseminação da língua inglesa. A disseminação do inglês pelo mundo é avaliada de duas formas diferentes. Segundo Wardhaugh (1987: 132), há os que acreditam que junto com a língua inglesa, disseminada pelo rádio, agências internacionais de notícias e sistemas de comunicação por satélite, predomina um ponto de vista do mundo visto pela perspectiva desenvolvida do ocidente. Um outro grupo acredita que é exatamente pela neutralidade da língua, no que diz respeito a valores, que está ocorrendo a disseminação rápida desse idioma. O inglês é então visto como uma língua do mundo. que não pertence a ninguém em especial. (PAIVA, 1996, p. 13). A língua inglesa disseminou-se ainda mais por todo mundo a partir da Segunda Guerra Mundial, nos anos 40 devido ao poderio político-militar do EUA. Além disso, o país obteve uma marcante influência econômica e cultural, fazendo com que a língua inglesa substituísse o francês, como a língua dos meios diplomáticos e se solidificasse na posição padrão das comunicações internacionais. A ideia de se considerarem aspectos relativos ao ensino de uma Língua Estrangeira às necessidades objetivas dos aprendizes não é absolutamente nova, sendo já suficientemente conhecida através dos vários manuais de inglês comercial, por exemplo, que já existiam desde o século XIX. (PAIVA, 1987, p.37). Partindo dessas estatísticas, ao assumir este papel de língua global, o inglês torna-se uma das mais importantes ferramentas, tanto acadêmica quanto profissional. É hoje inquestionavelmente reconhecida como a língua mais importante a ser adquirida. O inglês

15 14 acabou tornando-se o meio de comunicação por excelência tanto do mundo científico como do mundo de negócios. Segundo Görlach (1988:9) além de a língua inglesa sofrer a suspeita de carregar os conceitos ocidentais de civilização, ainda é acusada de contribuir para o desequilíbrio social, pois os que sabem inglês têm mais oportunidades. Segundo ele, o inglês é símbolo de status e funciona como um passaporte para a participação nos negócios e na política. Brumfit (1982) acha inevitável que a língua inglesa seja identificada como instrumento de dominação cultural e ideológica em partes do mundo onde a situação linguística não seja estável. (PAIVA, 1996, p. 14). No contexto escolar atual, os alunos são influenciados principalmente pela mídia norte-americana, que invade o mundo por meio da TV ou internet, influenciando-os com um consumismo exagerado, em especial as crianças. De maneira objetiva, todos concordam em atribuir à interação um papel essencial no desenvolvimento do processo ensino-aprendizagem. (COSTA, 1987, p.43). Consequentemente, há uma probabilidade de ocorrer uma aquisição inconsciente seja no nível léxico, gramatical ou fonológico, o que pode facilitar o aluno ao aprender a língua futuramente. É o que ocorre com nossa língua materna, porém, há exposição dela a todo o momento; assim, ao chegar à escola já leva-se uma bagagem de aprendizagem do Ensino Informal. Deste modo, o sucesso do professor não depende apenas de certas características bem definidas que venha a possuir, mas sem dúvida alguma, também do jogo que é estabelecido em sua aula e a interação que se desenrola entre os próprios alunos e os alunos e o professor. (COSTA, 1987, p.43). Porém, de acordo com o Parecer CFE (Conselho Federal de Educação) Nº 478 de 07/02/75- a Língua Estrangeira moderna no Ensino de 1º e 2º graus: não se deve restringir a uma opção apenas. Por isso, a língua espanhola é uma opção de língua estrangeira moderna estudada. A Língua Inglesa sempre foi parte do currículo escolar, mas atualmente há a opção da língua espanhola devido ao Mercosul ter acatado esse idioma como o usual por eles, acabou se tornando mais utilizada que o inglês ocupando maior espaço e atenção em algumas escolas. Para facilitar a aquisição de um novo idioma, a lei federal nº /2008 diz que a música deve ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo de arte e pode ser utilizada nas disciplinas de Literatura, História, Língua Portuguesa, são algumas disciplinas que podem ter

16 15 o ensino com seu uso. O ensino com música é obrigatório para as disciplinas que cabe inserir música como na cultura africana é cabível o uso em questão para o ensino de gramática. [...] Mesmo considerando a trajetória de mais de um século que marca a inserção da música em documentos da legislação nacional, é evidente que as questões relacionadas à sua presença na escola e o debate em torno da sua inserção real na estrutura curricular da educação básica ganharam maior visibilidade a partir da Lei /2008 [...] (QUEIROZ, 2011, p.240). Há muito tempo o inglês é uma disciplina obrigatória para ensiná-lo a crianças, podendo ser em forma de dinâmicas, saindo da rotina diária que as escolas normalmente usam para colocá-lo em prática do modo convencional visto que, tanto crianças quanto adultos tem preferência por certo estilo de música, basta o educador saber adequar o profíquo ao aprazível certamente notará a evolução de ambos. Se partirmos da visão de linguagem enquanto instrumento de comunicação e não apenas enquanto sistema formal idealizado, logo constataremos a impossibilidade de se ensinarem as quatro habilidades (entender, falar, ler e escrever), sem definir algum tipo de restrição. (COSTA, 1987, p.07). De certo modo os educadores podem ter dificuldades em saber quais os conteúdos musicais que deveriam ser ensinados de acordo com cada sala e cada tipo de aluno. Essa talvez seja uma das questões mais polêmicas e mais banalizadas no que tange ao ensino de música na escola e, portanto, necessita de um amplo debate na área. De acordo com o artigo de Luís Ricardo, Ora, se temos objetivos definidos para a música na escola, naturalmente temos diversas perspectivas de conteúdos que deverão ser adaptados a cada realidade, levando em consideração o contexto cultural, a realidade das escolas, as características dos alunos e a formação do profissional de ensino! Em linhas gerais podemos elencar as seguintes perspectivas para os conteúdos que devem nortear o ensino da música na escola. 1. Práticas e atividades musicais que permitam o desenvolvimento corporal e a percepção dos elementos fundamentais que caracterizam a fenômeno musical: o som com seus parâmetros e suas formas de organização; 2. Criação, apreciação e execução de expressões musicais diversificadas, contemplando diferentes gêneros, estilos e períodos que marcam a música como expressão cultural das distintas sociedades ao longo do tempo; 3. Vivência e prática de músicas que contemplem o patrimônio cultural imaterial do Brasil, abordando as particularidades de cada região, estado e município do país;

17 16 4. Apreciação e execução de músicas relacionadas ao universo cultural do aluno e da sociedade em que vive; 5. Definição de atividades e repertórios musicais que dialoguem com os temas transversais da educação: ética, saúde, meio ambiente, orientação sexual, pluralidade cultural, trabalho/consumo, temas locais; 6. Estratégias de descoberta sonora e de construção e exploração de materiais musicais diversos; 7. Práticas que integrem o uso de recursos tradicionais da música com alternativas e possibilidades de execução musical; 8. Concepção e elaboração de diferentes formas de representação visual e leitura da música, em suas diferentes expressões. Certamente, muitas outras possibilidades podem compor essa ampla relação apresentada, mas esses caminhos destacados servem para refletirmos acerca das múltiplas possibilidades que devem constituir o leque de conteúdos musicais relacionados ao ensino da música na educação básica. (Artigo: Música na escola: definições da LDB 9.394/1996 a partir da Lei /2008, 2011, p.244, 245). Ensinar não é uma tarefa fácil como se imagina é necessário haver mudanças e os professores necessitam de inovação e de capacitação para renovar seus conhecimentos, a aprendizagem escolar começa em casa e continua em sala de aula para comprovar isso podese observar que muitas crianças aprendem a ler e escrever em casa com o auxílio dos pais no qual os mesmos muitas vezes buscam aprimorar seus conhecimentos juntamente com seus filhos para poder ajudá-los cada vez mais. 1.2 O ensino de Língua Inglesa voltado para a aprendizagem e interação por meio de músicas Em sala de aula, o uso da emoção pode se tornar uma atitude positiva, pois ela é um fator importante para a aprendizagem de uma língua estrangeira. Para algumas pessoas um dos segredos do sucesso na aprendizagem está em tornar o ambiente escolar o mais agradável possível, tentando despertar entre todos, professor com alunos e alunos com alunos, sentimentos de respeito e solidariedade. A emoção de compreender uma língua nova e conhecer a cultura de um povo bastante distinto do nosso necessita que o aluno busque sua formação como um ser crítico que relacione os conhecimentos recentes com os já adquiridos e que passe a usar seu potencial afetivo de uma maneira atuante e modificadora.

18 17 Sendo assim, o professor precisa utilizar-se de toda a variedade possível de atividades, pois os alunos não conseguem concentrar-se numa única atividade por mais do que alguns singelos minutos. O professor tem a missão de variar suas metodologias para tornar suas aulas mais dinâmicas, para que os alunos prestem sempre a atenção, se entusiasmando com as aulas e, finalmente, aprendam os conteúdos. Quando o processo ensino-aprendizagem é alicerçado por algo sólido e norteador, todos os aspectos que antes pareciam ser difíceis de se alcançar, de se realizar e de se promover no ambiente escolar, tornam-se reais e de mais fácil acesso. O ensino da música para a formação dos jovens, por exemplo, é um processo que se utiliza de recursos comuns, mas que pautado nas novas tecnologias existentes, modificam as práticas do ensino-aprendizagem. Outro papel, ainda mais importante, é atribuído à interação, se admitirmos que ela é o próprio processo, ou seja, é ela que, de algum modo, produz o desenvolvimento linguístico. (COSTA, 1987, p.44). A música quando bem utilizada se torna um dos melhores meios para termos resultados positivos para se elevar a autoestima, ocasionar mudanças comportamentais, trazer a tona sentimentos guardados, podendo ser rancor, mágoa ou tristeza e transformar todos eles, libertando-os de seus medos e angústias e trazendo a possibilidade de conhecer um mundo o qual ele faz parte e não tinha consciência disso. A música é uma linguagem inspiradora, geradora de bons sentimentos, sensações. Não esquecemos as músicas de nossa infância, as quais nem precisamos da letra para começar a cantar, ouvimos uma música uma única vez em nossa vida já se tornando possível que ela não saia mais de nossa mente. Inclusive os meios de comunicação têm usado técnicas musicais, como jingles (música feita exclusivamente para um produto ou empresa), músicas populares e sons eletrônicos por anos, para nos instigar a gostar de seus produtos, a consumi-los e fazer uma relação entre o produto e a melodia, através de nossa sensibilidade. O ensino com música exerce um enorme poder sobre nossas mentes ao ponto de nos modificar sem que isso seja percebido ou simplesmente desejado. Levando esses pontos em consideração, nota-se que é possível usar a música para ensinar. Comprovadamente é um dos melhores meios para o processo ensino-aprendizagem. Aprender com música é muito positivo, pois nos incita a emoção, fazendo-nos viajar em nossos pensamentos e ás vezes nos desligarmos de tudo aquilo que no momento está nos prejudicando mentalmente. Para os professores de língua inglesa é de suma importância o uso

19 18 da música, pois a tradução nem sempre é necessária para transformar informações em conhecimentos de forma significativa. A disciplina, além do ensinar propriamente dito, é uma das maiores conquistas que um professor pode obter através da música. Sabendo utilizá-la a música pode ser útil em qualquer momento, seja ele de agitação ou de calma. Independente do foco do professor, gramática ou vocabulário, as crianças aprendem mais rápido com músicas, pois são instrumentos de fácil memorização, auxiliam os alunos a se lembrarem da linguagem facilmente. Utilizando música, o professor pode começar a aula para apresentar um tema novo, terminar outro, ou simplesmente utilizá-la no meio de um projeto para enfatizar o assunto. Algumas músicas são divertidas, e quanto mais os professores se interessam pela música, mais os alunos se sentem motivados. Dessa forma, os alunos mais tímidos tendem a ter uma maior participação cantando ou fazendo gestos, enquanto desenvolvem um trabalho em grupo. O uso de músicas para ensinar inglês gera a prática do vocabulário funcional, aquele que é alcançado através da fala. Os alunos de inglês desenvolvem com muita rapidez o vocabulário passivo, o que é resultado de muitas atividades de listening e reading (ouvir e ler), mas o vocabulário funcional, dependendo do método usado é esquecido. Talvez não seja exagero dizermos que 90% das pessoas não gosta de escrever, e que 80% da culpa é dos professores. Não apenas de língua estrangeira, claro, mas de todos aqueles que submeteram seus alunos a questionários chatos, composições sobre as férias, exercícios gramaticais pouco criativos e cópias intermináveis do quadro-negro, entre outros instrumentos de tortura. (AMORIM, MAGALHÃES, 19980, p.47) É de extrema importância que os professores tenham consciência de que o fracasso ou o sucesso escolar de seu aluno dependerá, na maioria das vezes, do sentimento de amor e afeição para com ele. O desajuste emocional é muito simples de acontecer; entretanto, a reconstrução geralmente é um processo lento, difícil e, por vezes, impossível, com influências graves na aprendizagem, causando a baixa autoestima e acarretando sequelas. Esse dano emocional causado aos alunos pode ser comparado a um cristal que, depois de quebrado, pode ser restaurado, mas as marcas da junção permanecerão para sempre. Trabalhar com a música para o ensino de um segundo idioma sempre será algo polêmico, pois nem todos os professores possuem capacidade para tal e muitas vezes reagem de forma repulsiva em relação às novas tecnologias e tendem a se prender em livros e apostilas sem conexão com a realidade. A questão da afetividade para com o aluno também é

20 19 algo que gera inúmeras discussões nos módulos escolares, pois muitos educadores pensam que essa relação mais íntima com o aluno pode gerar distorções futuras que farão com que eles confundam o sentimento e comportem-se de forma inadequada dentro da sala de aula. Para que as mudanças aconteçam dentro da sala de aula, é preciso que os educadores desejem verdadeiramente mudar e transformar suas práticas educacionais, comprometendo-se seriamente com a busca de novos conhecimentos, questionando diariamente os resultados obtidos, reavaliando sua postura e criando um vínculo de respeito e dignidade com os alunos para que o processo tenha sucesso e seja positivo na vida do aluno dentro e fora da escola. A reflexão sobre esta realidade despertou a necessidade de ampliar o conhecimento teórico sobre o processo de aprendizagem da segunda língua e também de buscar diferentes alternativas que viessem a contribuir com a construção de uma atitude mais positiva e consequentemente mais produtiva dos alunos nas aulas de Língua Inglesa. E com a crescente necessidade de aquisição rápida e eficiente, surge a urgência de se conhecer melhor sobre como a língua estrangeira é aprendida. A música afeta de duas maneiras distintas no corpo do indivíduo: diretamente, com o efeito do som sobre as células e os órgãos, e indiretamente, agindo sobre as emoções, que influenciam numerosos processos corporais provocando a ocorrência de tensões e relaxamento em várias partes do corpo. A educação tem como meta desenvolver em cada indivíduo toda a perfeição de que é capaz. Por isso, a utilização da música pode tornar mais fácil atingir esta meta, pois é uma atividade que consegue levar o indivíduo a agir, a música atinge a motricidade e a sensorialidade por meio do ritmo e do som, e por meio da melodia, atinge a afetividade. No que diz respeito à Língua Estrangeira, o que se percebe aí é a admissão de que ela pode pertencer aos dois lados da moeda, mas sem esclarecer como o seu ensino seria ministrado em um contexto ou outro. Assim, colocam a distinção da natureza, de um lado, formativa, e do outro, prática da Língua Estrangeira. (COSTA, 1987, p.05). Tanto no Ensino Infantil quanto no Ensino Fundamental Ciclo I, evidencia-se uma maior aceitação das diversas atividades, crianças adquirem mais confiança ao cumprirem os objetivos das tarefas relacionadas à língua inglesa e percebem que, por meio do seu trabalho e do seu esforço, elas podem transformar e intervir no meio onde vivem, e que a escola é um dos caminhos para que isso aconteça. Por isso é importante valorizar o cotidiano nas aulas de língua inglesa, que poderão contribuir em diversos aspectos como formação, confiança em encarar e aprender estruturas mais complexas em seus níveis mais avançados.

O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Renato da Guia Oliveira 2 FICHA CATALOGRÁFICA OLIVEIRA. Renato da Guia. O Papel da Contação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA DA TURMA DE 9º ANO DA ESCOLA RAIMUNDO PEREIRA DO NASCIMENTO

A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA DA TURMA DE 9º ANO DA ESCOLA RAIMUNDO PEREIRA DO NASCIMENTO A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA DA TURMA DE 9º ANO DA ESCOLA RAIMUNDO PEREIRA DO NASCIMENTO 0 1 A IMPORTÂNCIA DA MÚSICA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA DA TURMA DE 9º ANO DA ESCOLA

Leia mais

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1

A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 A Educação Musical em atividades interdisciplinares: um relato de experiência em uma oficina 1 Fernanda de Assis Oliveira 2 Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRGS Resumo: Este relato descreve

Leia mais

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA

Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Planejamento didático para o ensino de Surdos na perspectiva bilíngue. Vinicius Martins Flores Universidade Luterana do Brasil ULBRA Resumo: O presente trabalho apresenta uma análise, que se originou a

Leia mais

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA

CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA CULTURA E HISTÓRIA AFRO-BRASILEIRA NA AULA DE INGLÊS: E A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA ESCOLA Júlio César Paula Neves Tânia Mayra Lopes de Melo Modalidade: Pôster Sessão Temática 5: Educação e

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO

LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO LER E ESCREVER: APRENDER COM O LÚDICO Inês Aparecida Costa QUINTANILHA; Lívia Matos FOLHA; Dulcéria. TARTUCI; Maria Marta Lopes FLORES. Reila Terezinha da Silva LUZ; Departamento de Educação, UFG-Campus

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA APRENDIZAGEM DOS ALUNOS NOS ANOS INICIAIS RESUMO Marcelo Moura 1 Líbia Serpa Aquino 2 Este artigo tem por objetivo abordar a importância das atividades lúdicas como verdadeiras

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Linguística Aplicada ao ensino de Língua Portuguesa: a oralidade em sala de aula (Juliana Carvalho) A Linguística Aplicada (LA) nasceu há mais ou menos 60 anos, como uma disciplina voltada para o ensino

Leia mais

Future School Idiomas

Future School Idiomas Future School Idiomas Sumário Quem somos... pag 2 Sobre o curso... pag 3 Sobre a aula... pag 4 Vantagens em se fazer nosso curso on line... pag 5 Objetivo do curso... pag 6 Como entrar na sala de aula...

Leia mais

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS

ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS 1 ESTRATÉGIAS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS NA PERSPECTIVA DAS NOVAS TECNOLOGIAS INTRODUÇÃO Marilda Coelho da Silva marildagabriela@yahoo.com.br Mestrado Profissional Formação de Professores UEPB As

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores VIVENCIANDO A PRÁTICA ESCOLAR DE MATEMÁTICA NA EJA Larissa De Jesus Cabral, Ana Paula Perovano

Leia mais

MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS

MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS Prof. Dr. Richard Schütz www.sk.com.br Referência: SCHÜTZ, Ricardo. "Motivação e Desmotivação no Aprendizado de Línguas" English Made in Brazil .

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO.

AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. AS CONTRIBUIÇÕES DOS ENCARTES DE PREÇOS NA FORMAÇÃO DO ALUNO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: MIDS/Macaé E-mail:mzosilva@yahoo.com.br. RESUMO Na atualidade, é preciso que se crie novos métodos

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda Cinara Rizzi Cecchin Uma das primeiras certezas que o professor deve ter é que as crianças sempre

Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda Cinara Rizzi Cecchin Uma das primeiras certezas que o professor deve ter é que as crianças sempre Sugestões de como trabalhar (ensinar) a turma toda Cinara Rizzi Cecchin Uma das primeiras certezas que o professor deve ter é que as crianças sempre sabem alguma coisa, todo educando pode aprender, mas

Leia mais

A Música No Processo De Aprendizagem

A Música No Processo De Aprendizagem A Música No Processo De Aprendizagem Autora: Jéssica Antonia Schumann (FCSGN) * Coautor: Juliano Ciebre dos Santos (FSA) * Resumo: O presente trabalho tem por objetivo investigar sobre a importância em

Leia mais

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA

TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA TEMA: O LÚDICO NA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA RESUMO Os educadores têm se utilizado de uma metodologia Linear, que traz uma característica conteudista; É possível notar que o Lúdico não se limita

Leia mais

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês 3 Truques Para Obter Fluência no Inglês by: Fabiana Lara Atenção! O ministério da saúde adverte: Os hábitos aqui expostos correm o sério risco de te colocar a frente de todos seus colegas, atingindo a

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA

MODELAGEM MATEMÁTICA 600 MODELAGEM MATEMÁTICA *Carla da Silva Santos **Marlene Menegazzi RESUMO Este artigo retrata através de seus dados históricos, métodos e exemplo prático uma metodologia alternativa de ensino nos levando

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA Aline Mendes da SILVA, Marcilene Cardoso da SILVA, Reila Terezinha da Silva LUZ, Dulcéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES, Departamento de Educação UFG - Campus

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola Autora: CAMILA SOUZA VIEIRA Introdução A presente pesquisa tem como temática Educação física para Portadores

Leia mais

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador

Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Padrões de Competências para o Cargo de Professor Alfabetizador Alfabetização de Crianças O Professor Alfabetizador é o profissional responsável por planejar e implementar ações pedagógicas que propiciem,

Leia mais

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem.

Palavras-chaves: Jogos matemáticos; Ensino e aprendizagem. Emanuella Filgueira Pereira Universidade Federal do Recôncavo da Bahia O JOGO NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Resumo O presente artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa mais ampla que

Leia mais

Núcleo de Educação Infantil Solarium

Núcleo de Educação Infantil Solarium 0 APRESENTAÇÃO A escola Solarium propõe um projeto de Educação Infantil diferenciado que não abre mão do espaço livre para a brincadeira onde a criança pode ser criança, em ambiente saudável e afetivo

Leia mais

ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS.

ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS. ESPAÇO E TEMPO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: ALTERNATIVAS DIDÁTICO- PEDAGÓGICAS. Introdução: O presente artigo tem a pretensão de fazer uma sucinta exposição a respeito das noções de espaço e tempo trabalhados

Leia mais

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO

PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO PROJETO BANDAS E CORAIS NAS ESCOLAS : A EXPERIÊNCIA DO CORAL ENCANTO Rebeca Vieira de Queiroz Almeida Faculdade Saberes Introdução O presente texto é um relato da experiência do desenvolvimento do projeto

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE

PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO SILMARA SILVEIRA ANDRADE POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS: FORTALECIMENTO DA LÍNGUA ESTRANGEIRA Assunção, Paraguay Abril 2015 POLÍTICAS PÚBLICAS

Leia mais

1 Acadêmico, formando do Curso de Licenciatura com Habilitação em Música da UDESC. 2 Professora Mestra do Departamento de Música da UDESC.

1 Acadêmico, formando do Curso de Licenciatura com Habilitação em Música da UDESC. 2 Professora Mestra do Departamento de Música da UDESC. 1 O ensino de música extracurricular na Escola Técnica Federal em Florianópolis/SC: relato de experiência sobre uma oficina de improvisação musical realizada Maycon José de Souza 1 Universidade do Estado

Leia mais

Projeto: Música na Escola. O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado.

Projeto: Música na Escola. O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado. Projeto: Música na Escola O amor é a melhor música na partitura da vida e sem ele, você é um eterno desafinado. Justificativa De acordo com as diretrizes curriculares, o som é a matériaprima da música;

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO

DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO DIAGNÓSTICO DO PERFIL DO LEITOR: ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O ENSINO PÚBLICO E PRIVADO NA REGIÃO OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Érika Cristina Mashorca Fiorelli, UNESP - Presidente Prudente-SP, SESI/SP; Ana

Leia mais

ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL

ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL ESCOLA PROFESSOR AMÁLIO PINHEIRO ENSINO FUNDAMENTAL PROJETO MAIS EDUCAÇÃO CANTO CORAL JUSTIFICATIVA É conhecida a importância da música na vida das pessoas, seja no tocante à saúde, auto - estima conhecimento,

Leia mais

O lugar da oralidade na escola

O lugar da oralidade na escola O lugar da oralidade na escola Disciplina: Língua Portuguesa Fund. I Selecionador: Denise Guilherme Viotto Categoria: Professor O lugar da oralidade na escola Atividades com a linguagem oral parecem estar

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

Como aconteceu essa escuta?

Como aconteceu essa escuta? No mês de aniversário do ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, nada melhor que ouvir o que acham as crianças sobre a atuação em Educação Integral realizada pela Fundação Gol de Letra!! Conheça um

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO.

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: UFF/CMIDS E-mail: mzosilva@yahoo.com.br RESUMO A presente pesquisa tem como proposta investigar a visão

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA

O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA O JOGO CONTRIBUINDO DE FORMA LÚDICA NO ENSINO DE MATEMÁTICA FINANCEIRA Denise Ritter Instituto Federal Farroupilha Campus Júlio de Castilhos deniseritter10@gmail.com Renata da Silva Dessbesel Instituto

Leia mais

TRABALHO CAMPO/EIXO TEMÁTICO: 1. 3. ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA

TRABALHO CAMPO/EIXO TEMÁTICO: 1. 3. ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA TRABALHO CAMPO/EIXO TEMÁTICO: 1. 3. ENSINO E APRENDIZAGEM DE LÍNGUA ESTRANGEIRA TÍTULO: A MÚSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL I PARA O ENSINO DA LÍNGUA INGLESA AUTOR: Mara Cristy Lopes Mendes* OBJETIVO O objetivo

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1

Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 Não adianta falar inglês sem fazer sentido. 1 BOGUSZEWSKI, Luiza. 2 SCHETTERT, Gabriela Antunes. 3 MENEZES, Sérgio. 4 Universidade Positivo, Curitiba, PR. 2013 RESUMO Com a disseminação da cultura norte-americana

Leia mais

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO

RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO RETORNO EM EDUCAÇÃO CORPORATIVA DEVE SER MENSURADO Apesar de as empresas brasileiras estarem despertando para o valor das ações de educação corporativa em prol dos seus negócios, muitos gestores ainda

Leia mais

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS

REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS REALIDADE AUMENTADA APLICADA NA EDUCAÇÃO: ESTUDOS DOS SEUS BENEFÍCIOS Kelly Cristina de Oliveira 1, Júlio César Pereira 1. 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí PR Brasil kristhinasi@gmail.com,

Leia mais

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês

Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Sete Motivos Importantes Para Usar Áudio Para Melhorar As Suas Habilidades Em Inglês Oi! Meu nome é David. Atualmente estou em Imperatriz, Maranhão ajudando pessoas como você aprenderem inglês. Já faz

Leia mais

Trabalhando com o lúdico: motivação nas aulas de língua estrangeira para crianças. Temática: Aquisição de linguagem, variação e ensino: um balanço

Trabalhando com o lúdico: motivação nas aulas de língua estrangeira para crianças. Temática: Aquisição de linguagem, variação e ensino: um balanço Trabalhando com o lúdico: motivação nas aulas de língua estrangeira para crianças Deise Anne Terra Melgar (UNIPAMPA)¹ Vanessa David Acosta (UNIPAMPA)² Orientadora: Cristina Pureza Duarte Boéssio Temática:

Leia mais

AGENDA ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ENSINO/ APRENDIZAGEM DE INGLÊS POR MEIO DOS GÊNEROS DISCURSIVOS

AGENDA ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ENSINO/ APRENDIZAGEM DE INGLÊS POR MEIO DOS GÊNEROS DISCURSIVOS AGENDA ESCOLAR: UMA PROPOSTA DE ENSINO/ APRENDIZAGEM DE INGLÊS POR MEIO DOS GÊNEROS DISCURSIVOS Adailton Almeida Barros - adailton.almeida.barros@gmail.com (UNESPAR/FECILCAM) PIBID Subprojeto/Língua Inglesa

Leia mais

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha

CURSOS INGLÊS RÁPIDO Liberdade de Escolha 1 Nossos cursos são dirigidos a adolescentes, jovens e adultos que querem aprender inglês de forma rápida e eficiente. Pessoas que já tentaram estudar inglês e tiveram dificuldades vão se surpreender com

Leia mais

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões

8 Passos para o Recrutamento Eficaz. Por Tiago Simões 8 Passos para o Recrutamento Eficaz Por Tiago Simões Uma das coisas que aprendi na indústria de marketing de rede é que se você não tem um sistema de trabalho que comprovadamente funcione, muito provavelmente

Leia mais

ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? RESUMO

ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? RESUMO ESCOLA: AMBIENTE DE HARMORNIA OU CONFLITO? 1 Sandra Gaspar de Sousa Moura RESUMO Este artigo tem a finalidade de mostrar a importância das relações interpessoais dentro do ambiente escolar e como os sujeitos

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum

Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum Necessidade e construção de uma Base Nacional Comum 1. O direito constitucional à educação é concretizado, primeiramente, com uma trajetória regular do estudante, isto é, acesso das crianças e jovens a

Leia mais

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID

DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID DIFICULDADES DE LEITURA E ESCRITA: REFLEXÕES A PARTIR DA EXPERIÊNCIA DO PIBID BARROS, Raquel Pirangi. SANTOS, Ana Maria Felipe. SOUZA, Edilene Marinho de. MATA, Luana da Mata.. VALE, Elisabete Carlos do.

Leia mais

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA

COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA COMO ABORDAR O TEMA ACESSIBILIDADE EM SALA DE AULA Fabiane Caron Novaes 1 Roberta Aparecida Diadio 2 Resumo: Considerando as recomendações contidas no referencial teórico dos Parâmetros Curriculares Nacionais

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira.

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Precisa falar inglês no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Aprender um novo idioma é se sentir como uma criança novamente: faltam palavras para se expressar e a insegurança

Leia mais

APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA

APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA APONTAMENTOS SOBRE A DISCIPLINA DE PERCEPÇÃO MUSICAL NO ENSINO SUPERIOR DE MÚSICA Luiz Rafael Moretto Giorgetti Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP (Ex-aluno) e-mail: rafael_giorgetti@hotmail.com

Leia mais

PROJETO LÍNGUA DE FORA

PROJETO LÍNGUA DE FORA DESCRIÇÃO PROJETO LÍNGUA DE FORA O, de responsabilidade dos professores da disciplina de estágio supervisionado das línguas espanhola, francesa e inglesa, corresponde a 50 horas de estágio, das 200 horas

Leia mais

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS

A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS A INFLUÊNCIA DAS NOVAS TECNOLOGIAS NO PROCESSO DE ENSINO: VANTAGENS E DESVANTAGENS Vitor Cleton Viegas de Lima 1 Cristiane Camargo Aita 2 Daniele Pinto Andres 3 Resumo: este artigo tem por objetivo levantar

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA

EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA GT-1 FORMAÇÃO DE PROFESSORES EDUCADOR INFANTIL E O PROCESSO FORMATIVO NA CONSTRUÇÃO DE ATORES REFLEXIVOS DA PRÁTICA PEDAGÓGICA RESUMO Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. PARFOR E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br

Leia mais

REPENSANDO O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA ESCOLA PÚBLICA: DA TEORIA À PRÁTICA

REPENSANDO O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA ESCOLA PÚBLICA: DA TEORIA À PRÁTICA REPENSANDO O ENSINO DE LÍNGUA INGLESA NA ESCOLA PÚBLICA: DA TEORIA À PRÁTICA MARIA ANDRÉIA SILVA LELES (UNEC- CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA). Resumo As variadas metodologias do ensino aprendizagem

Leia mais

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA

OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1 OBSERVANDO A PRÁTICA DOCENTE E O APRENDIZADO DAS CRIANÇAS EM UMA CRECHE MUNICIPAL DA CIDADE DO RECIFE PRISCILLA SILVESTRE DE LIRA OLIVEIRA 1. Introdução: Compreendendo que a Educação Infantil é uma etapa

Leia mais

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ.

O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. O ENSINO DE FÍSICA NA VISÃO DOS ALUNOS DE UMA TURMA DE 2º ANO DO ENSINO MÉDIO: ESTUDO DE CASO EM UMA ESCOLA DO MUNICÍPIO DE ABAETETUBA PARÁ. Alessandra da Costa Marques; Najara Siva; Lúcia Maria Assunção

Leia mais

Valores educacionais do Olimpismo

Valores educacionais do Olimpismo Valores educacionais do Olimpismo Aula 3 Busca pela excelência e equilíbrio entre corpo, vontade e mente Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Detalhar o valor busca pela excelência 2 Apresentar estratégias

Leia mais

As 11 dúvidas mais frequentes

As 11 dúvidas mais frequentes As 11 dúvidas mais frequentes Deyse Campos Assessora de Educação Infantil dcampos@positivo.com.br Frequentemente recebemos solicitações de professores de escolas que estão utilizando o Sistema Positivo

Leia mais

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3

Resenha de livro. Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 Resenha de livro Por Camila Munerato 1 Camila Rodrigues dos Santos 2 Eunice Pereira Cardoso 3 A presente resenha do livro de Moretto, (2007) em sua 2 edição tem o intuito de mostrar que a avaliação é um

Leia mais

ENSINO DE GRAMÁTICA OU ANÁLISE LINGUÍSTICA? SERÁ QUE ESSA ESCOLHA É NECESSÁRIA?

ENSINO DE GRAMÁTICA OU ANÁLISE LINGUÍSTICA? SERÁ QUE ESSA ESCOLHA É NECESSÁRIA? 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( x ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ENSINO DE

Leia mais

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS

ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS ESCOLA, LEITURA E A INTERPRETAÇÃO TEXTUAL- PIBID: LETRAS - PORTUGUÊS RESUMO Juliana Candido QUEROZ (Bolsista) 1 ; Natália SILVA (Bolsista) 2, Leila BRUNO (Supervisora) 3 ; Sinval Martins S. FILHO (Coordenador)

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim

Reflexão. A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação. Aluna: Ana Isabel Araújo Olim 1 Reflexão A Música, as Canções e a utilização de instrumentos na Educação Aluna: Ana Isabel Araújo Olim As escolas, ao longo do ano letivo, trabalham várias temáticas sociais. O infantário Donamina, para

Leia mais

O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID RESUMO

O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID RESUMO O JOGO NO ENSINO FUNDAMENTAL: EXPERIÊNCIA DE FORMAÇÃO DOCENTE EM EDUCAÇÃO FÍSICA NO PIBID Heloisa Braga dos Santos Christian Vieira de Souza RESUMO Este artigo foi elaborado com o objetivo de relatar a

Leia mais

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL

BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL 1988 CONSTITUIÇÃO FEDERAL ANTECEDENTES Art. 210. Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum

Leia mais

PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO

PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO PIBID: UMA PONTE INTERDISCIPLINAR ENTRE O ENSINO SUPERIOR E O ENSINO MÉDIO Extensão, docência e investigação. Danielle Gomes Mendes Theciana Silva Silveira Orientadora: Prof.ª Dr.ª Marize Barros Rocha

Leia mais

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO

O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO O USO DA LITERATURA NO PROCESSO DE LETRAMENTO NAS ESCOLAS DO CAMPO INTRODUÇÃO Francisca das Virgens Fonseca (UEFS) franciscafonseca@hotmail.com Nelmira Santos Moreira (orientador-uefs) Sabe-se que o uso

Leia mais

LEITURA E LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

LEITURA E LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS LEITURA E LÍNGUA ESTRANGEIRA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Luziana de Magalhães Catta Preta PG/ UFF Nesta comunicação, conforme já dito no título, desejamos apresentar os resultados parciais de uma pesquisa

Leia mais

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf

Inglesar.com.br. asasasadsddsçlf 1 Sumário Introdução...04 Passo 1...04 Passo 2...05 Passo 3...05 É possível Aprender Inglês Rápido?...07 O Sonho da Fórmula Mágica...07 Como Posso Aprender Inglês Rápido?...09 Porque isto Acontece?...11

Leia mais

PRATICANDO TRABALHO COM PROJETOS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA

PRATICANDO TRABALHO COM PROJETOS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA PRATICANDO TRABALHO COM PROJETOS NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Fernanda Pimentel Dizotti Academia de Ensino Superior fernandadizotti@gmail.com Norma Suely Gomes Allevato Universidade Cruzeiro do Sul normallev@uol.com.br

Leia mais

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA Adriana Zanela Nunes (UFRJ) zannelli@bol.com.br, zannelli@ig.com.br zannelli@ibest.com.br

Leia mais

Projeto Acelerando o Saber

Projeto Acelerando o Saber Projeto Acelerando o Saber Tema: Valorizando o Ser e o Aprender Lema: Ensinar pra Valer Público Alvo: Alunos do Ensino Fundamental da Rede Municipal de Ensino contemplando o 3º ano a 7ª série. Coordenadoras:

Leia mais

ATUAÇÃO DO TRADUTOR E INTÉRPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS/ LÍNGUA PORTUGUESA NO IES 1

ATUAÇÃO DO TRADUTOR E INTÉRPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS/ LÍNGUA PORTUGUESA NO IES 1 ATUAÇÃO DO TRADUTOR E INTÉRPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS/ LÍNGUA PORTUGUESA NO IES 1 FILIETAZ, Marta R. Proença, martafilietaz@hotmail.com Face à emergência da obrigatoriedade legal da presença do intérprete

Leia mais

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID

A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID A PRÁTICA DE MONITORIA PARA PROFESSORES EM FORMAÇÃO INICIAL DE LÍNGUA INGLESA DO PIBID Victor Silva de ARAÚJO Universidade Estadual da Paraiba sr.victorsa@gmail.com INTRODUÇÃO A monitoria é uma modalidade

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE Tópicos a serem apresentados: O que é? Para que serve? Objetivos do Curso. Conteúdo Programático. Empresa As Pessoas O Produto O serviço Atendimento Competitividade Tipos de Clientes

Leia mais

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento

O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento O interesse por atividades práticas contribuindo na alfabetização através do letramento A contribuição do interesse e da curiosidade por atividades práticas em ciências, para melhorar a alfabetização de

Leia mais

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de

Quando começou a pensar na alfabetização, em 1962, Paulo Freire trazia mais de 15 anos de PAULO FREIRE E A ALFABETIZAÇÃO Vera Lúcia Queiroga Barreto 1 Uma visão de alfabetização que vai além do ba,be,bi,bo,bu. Porque implica uma compreensão crítica da realidade social, política e econômica

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NO ENSINO-APRENDIZAGEM NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal de Campina Grande jliedja@hotmail.com Introdução A Educação de

Leia mais

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL?

ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? 1 de 7 ENSINAR MATEMÁTICA UTILIZANDO MATERIAIS LÚDICOS. É POSSÍVEL? Jéssica Alves de Oliveira Maria José dos Santos Chagas Tatiane de Fátima Silva Seixas RESUMO: De uma maneira geral, existe, por parte

Leia mais

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS.

PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. PRÁTICAS PEDAGÓGICAS PARA O ENSINO DE ESPANHOL: EDUCAÇÃO BÁSICA E O CLIC/UFS. Maria da Conceição da Cruz (PIBIX/PIBID-UFS) marynni@hotmail.com Tayane dos Santos (PIBIX -UFS) tayaneyat@gmail.com Resumo:

Leia mais

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA)

REDE PRÓ-MENINO. ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) REDE PRÓ-MENINO ECTI - Escola no Combate ao Trabalho Infantil CURSISTA: JACKELYNE RIBEIRO CINTRA MORAIS CPF: 014275241-06 ATIVIDADE MÓDULO 2 (COLAGEM) EM INTEGRAÇÃO COM O MÓDULO 1- B (ENTREVISTA) Características

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO

LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO LUDICIDADE E EDUCAÇÃO: O ENCANTAMENTO DE APRENDER BRINCANDO Tatiane Testa Ferrari e-mail: tatitferrari@ig.com.br Ticiane Testa Ferrari e-mail: ticiferrari@ig.com.br Araceli Simão Gimenes Russo e-mail:

Leia mais

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA O JOGO NO ENSINO DE POTÊNCIAS DE NÚMEROS INTEIROS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Adelson Carlos Madruga Universidade Federal da Paraíba adelsoncarlos1992@hotmail.com Elizangela Mario da Silva Universidade Federal

Leia mais

JOGOS NAS AULAS DE HISTÓRIA ATRAVÉS DO PIBID: UMA POSSIBILIDADE DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO E DE INTERAÇÃO

JOGOS NAS AULAS DE HISTÓRIA ATRAVÉS DO PIBID: UMA POSSIBILIDADE DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO E DE INTERAÇÃO JOGOS NAS AULAS DE HISTÓRIA ATRAVÉS DO PIBID: UMA POSSIBILIDADE DE CONSTRUÇÃO DE CONHECIMENTO E DE INTERAÇÃO Rayssa Eutália Gurjão Coutinho Borges 1 Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) E-mail: rayssagurjao@hotmail.com

Leia mais

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC TEXTO COMPLEMENTAR AULA 2 (15/08/2011) CURSO: Serviço Social DISCIPLINA: ORIENTAÇÕES DE TCC II - 8º Período - Turma 2008 PROFESSORA: Eva Ferreira de Carvalho Caro acadêmico, na Aula 2, você estudará Áreas

Leia mais