Biodiesel no Brasil. A Visão da Indústria de Óleos Vegetais. Márcio Nappo. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Biodiesel no Brasil. A Visão da Indústria de Óleos Vegetais. Márcio Nappo. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais"

Transcrição

1 Biodiesel no Brasil A Visão da Indústria de Óleos Vegetais ABIOVE Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Márcio Nappo Coordenador de Economia e Estatística 6º Fórum de Debates sobre Qualidade e Uso de Combustíveis IBP - 01/jun/2006

2 A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO MUNDO... Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 2

3 Produção de biodiesel no mundo Principais Players: 3 visões Enfoque Estratégico Reduzir a dependência do petróleo importado do Oriente Médio Enfoque Ambiental 2 % de biocombustíveis em ,75 % de biocombustíveis em % de biocombustíveis em 2020 EUA UE Brasil Enfoque Social Promover a inclusão social, gerando emprego e renda no campo Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 3

4 Biodiesel na União Européia Atualmente lidera a produção mundial de biodiesel, apesar da relativa escassez de terras agriculturáveis naqueles países. Incentiva a produção através de uma forte desgravação tributária do biodiesel 20 Países (11 entraram em 2005) Representou 1,5% do consumo de diesel na UE Capacidade Instalada deve atingir 6 MMT em Marl Alemanha Biodiesel: t/ano Glicerina: t/ano Outros UE Itália França Alemanha Fonte: European Biodiesel Board Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 4

5 Biodiesel na Alemanha O caso mais impressionante é o da Alemanha com 52% da produção mundial, demonstrando que quando os incentivos são adequados, a produção pode crescer rapidamente. A capacidade de produção em 2006 ultrapassará 2 milhões de toneladas/ano. Com mais de pontos de venda, está disponível em todo território alemão. Permite a venda de biodiesel puro (B100). A demanda por biodiesel cresceu significativamente desde que foi autorizada em 2004 também a mistura máxima de até 5% ao diesel fóssil. Fonte: UFOP Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 5

6 Produção de biodiesel nos EUA O Presidente Bush ratificou em outubro de 2005, Lei criando forte incentivo tributário para produção e consumo de biodiesel nos EUA. Biodiesel crédito tributário de US$ 0,50 para cada galão de biodiesel B100 (= US$109/t) Agri-biodiesel agri-biodiesel (utilizado por máquinas agrícolas) este valor sobe para US$ 1,00 por galão (= US$ 218/t) Com os incentivos adequados, a produção e os investimentos em biodiesel nos EUA começaram a decolar. EUA - Capacidade Instalada da Ind. de Biodiesel milhões de galões ano (379 milhões de litros) 2006 previstos mais 100 milhões de galões ano (379 milhões de litros) em estudos: 240 milhões de galões ano (910 Fonte: National Biodiesel Board milhões de litros) Current Plant Location Proposed Capacity These states have Plants currently operating and under consideration Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 6

7 A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL... Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 7

8 Biodiesel no Brasil GOVERNO BIODIESEL Objetivos Restrição Promover a inclusão social, gerando emprego e renda no campo Substituir parcela do consumo de diesel importado no país Efeitos Ambientais Positivos R$ Biodiesel > R$ Diesel Marco Regulatório 1 Mistura Compulsória Tamanho do Mercado Demanda por matéria-prima Demanda por Investimentos 2 Tributação Preço Final Nível de Competitividade 3 Especificação Técnica Qualidade do Combustível Aceitação junto ao público Definição da Estrutura de Mercado Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 8

9 FORNECIMENTO DE MATÉRIA-PRIMA PARA O BIODIESEL... Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 9

10 Tamanho do Mercado Tamanho Tamanho do Mercado do Mercado Desenvolvimento do Mercado 2% Autorizativo Mercado Potencial 800 milhões de litros B2 B5 2% até 5% Obrigatório Facultativo B2 Consolidação do Mercado milhão de litros B5 B5 Mercado Consolidado 5% Obrigatório milhões de litros B Fase Crítica R$ Biodiesel > R$ Diesel Projeções: MME - Geração de 1 bilhão de litros de óleos vegetais - Investimentos de US$ 200 milhões em plantas - Incerteza Legal ( canetada ) - Como será o funcionamento do Mercado Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 10

11 Distribuição espacial de oleaginosas no Brasil 9% 9% B2 14% 14% Mamona Espécies nativas 90 milhões de litros/ano B2 Soja Norte Nordeste Centro-Sul B2 140 milhões de litros/ano Palma Girassol Cenário 2008: 1 bilhão de litros/ano 77% 77% 770 milhões de litros/ano Amendoim B2 B2 Demanda regional por biodiesel em 2008 Participação no consumo nacional de diesel em 2004 Algodão Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 11

12 Disponibilidade de Matéria-prima para Biodiesel ABIOVE Oleaginosa Produção de Oleaginosas Participação Teor Produção de Biodiesel 2003/ / /06 Média Nacional Médio Óleos Vegetais B2 NORTE mil ton Palma (óleo) % N/A 162 Soja ,5% Total NORDESTE Mamona % Algodão % Soja ,5% Total CENTRO-SUL Soja % Algodão % Amendoim % Girassol % Total BRASIL Fonte: CONAB / ABIOVE / AGROPALMA Obs. Óleo de soja e palma - produção efetiva 2005 / demais óleos veg. - produção potencial Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 12

13 Região Norte Necessidade de na Produção de Óleos Vegetais até 2008 Cultura Perene de de 56% 56% 90 Safra (média 3 anos) mil ton de de 58% 58% 90 Produção Regional Efetiva de de Óleo Óleo de Palma de Palma em em Demanda Regional por por Biodiesel em em Produção Regional Efetiva de de Óleo Óleo de Soja de Soja em em Demanda Regional por por Biodiesel em em Total de Óleos Vegetais de de 28% 28% 90 Produção Regional Potencial Efetiva de de Óleos Vegetais em 2005 Demanda Regional por por Biodiesel em em Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 13

14 Região Nordeste Necessidade de na Produção de Óleos Vegetais até 2008 Safra (média 3 anos) 138 mil ton de de 199% 199% 140 Safra (média 3 anos) 509 mil ton de de 149% 149% 140 Produção Regional Potencial de Óleo de Mamona em 2005 Demanda Regional por por Biodiesel em em Produção Regional Potencial de Óleo de Algodão em 2005 Demanda Regional por por Biodiesel em em Safra (média 3 anos) mil ton de 35% 402 Produção Regional Efetiva de de Óleo Óleo de de Soja Soja em em de 35% Demanda Regional por por Biodiesel em em Total de Óleos Vegetais 567 Produção Regional Potencial de Óleos Vegetais em 2005 de de 25% 25% Demanda Regional por por Biodiesel em em Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 14

15 Região Centro-Sul Necessidade de na Produção de Óleos Vegetais até 2008 Safra (média 3 anos) mil ton de de 14% 14% 770 Safra Algodão Amendoim Girassol (média 3 anos) mil ton de de 80% 80% 770 Produção Regional Efetiva de de Óleo Óleo de Soja de Soja em em Demanda Regional por por Biodiesel em em Produção Regional Potencial de de Outros Outros Óleos Óleos Vegetais em em Demanda Regional por por Biodiesel em em Conclusões 1. É necessário que todas as matéria-primas disponíveis em cada região participem da dinâmica deste novo mercado. 2. O óleo de soja é o único que pode alavancar a produção nacional de biodiesel no curto-prazo, abrindo caminho para os demais óleos vegetais Total de Óleos Vegetais Produção Regional Potencial de Óleos Vegetais em 2005 de de 13% 13% 770 Demanda Regional por por Biodiesel em em Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 15

16 COMPETITIVIDADE DO BIODIESEL: Modelo Tributário Análise dos Custos de Produção do Biodiesel Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 16

17 Tributação sobre o Diesel no Mundo Há 2 grupos de países: Diesel US$/ litro Alta Tributação Baixa Tributação Impostos Custo de Produção 0,825 0,550 0,567 0,583 0,498 0,640 0,503 0,565 0,355 0,606 0,332 0,616 0,159 0,549 0,121 0,506 crédito tributário de US$ 0,50 para cada galão de biodiesel B100 (= US$0,132/litro) Portanto, o biodiesel nos EUA já foi desonerado Reino Unido Alemanha Itália França Espanha Para este grupo de países, a DESONERAÇÃO TRIBUTÁRIA torna o biodiesel competitivo. Japão Brasil EUA O preço do diesel brasileiro e sua tributação dificultam a competitividade da produção de biodiesel no Brasil. Alemanha março/05 Fonte: International Energy Agency / ANP - Julho/2005 Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 17

18 Tributação Federal sobre o Biodiesel no Brasil Escalonamento das Alíquotas do PIS e COFINS (4 situações) Base Situação 1 Situação 2 Situação 3 Situação 4 BIODIESEL Regime Especial Regra Geral Mamona, Palma N / NE e Semi-árido Agricultura Familiar PRONAF Mamona, Palma N / NE e Semi-árido Agricultura Familiar Coef. de Redução 0,000 0,776 0,775 0,896 1,000 R$/m 3 Aliq.% R$/m 3 R$/m 3 R$/m 3 R$/m 3 PIS/PASEP COFINS 120,14 6,15 553,19 28,32 38,90 179,10 27,03 124,47 12,49 57,53 0,00 0,00 TOTAL (1) 673,33 34,47 218,00 151,50 70,03 0,00 Legislação Lei /05 Decreto Nº 5.297/05 DIESEL (CIDE + PIS + COFINS) 218,00 Brasil - Produção de Óleos Vegetais (1) O Biodiesel não sofre incidência da CIDE Elaboração: ABIOVE Alíquota Efetiva Alíquota Efetiva ~ ~ 13,6% 13,6% Outros 8% Palma 2% Mamona 1% Fonte: Oilworld Soja 89% Cerca de 97% da produção nacional de biodiesel deve sofrer algum tipo de tributação. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 18

19 Tributação na Gasolina e no Álcool ABIOVE Escalonamento dos Tributos R$ 2,184 R$ 1,220 ICMS Pis/Cofins CIDE 25,70% 9,00% 9,60% Tributos Federais 18,60% 13,90% 10,30% 12,90% A desoneração tributária do álcool combustível foi fundamental para garantir Margens + Custos 16,50% sua competitividade frente a gasolina Produto 39,30% 62,90% Gasolina Álcool Preços de referência: preço médio em São Paulo de 06/03/05 a 12/03/05 Fonte: SINDICOM Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 19

20 Custos de Produção do Biodiesel ABIOVE Principais Variáveis: A matéria-prima (óleos vegetais) representam em média 80% dos custos totais de produção. Os álcoois (metanol/etanol) respondem por cerca de 10% dos custos totais de produção. Finalmente, os 10% restantes são a margem de agregação industrial (custo operacional). Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 20

21 Custos de Produção do Biodiesel ABIOVE Parametrização dos Custos de Produção do Biodiesel ÓLEOS ROTA TAMANHO TRIBUTAÇÃO VEGETAIS TECNOLÓGICA DA PLANTA PIS-COFINS Soja / Palma / Mamona Metanol / Etanol Peq. / Méd./Gde. 4 situações. S M P M E P M G Biodiesel Rota de custos da ABIOVE S E G 1 Elaboração: ABIOVE Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 21

22 Biodiesel - Custos de Produção com Tributos ABIOVE Custos ex-fábrica com tributos federais Fábrica 400 tpd 2,00 1,75 Biodiesel - Média S/SE/CO (com tributos) Diesel - Média Brasil (c/ tributos: CIDE, Pis-Cofins) 1,64 1,62 Tributos R$ 0,22/Litro R$ / Litro 1,50 1,25 1,00 0,75 0,50 0,77 0,50 0,90 0,60 1,31 0,69 0,99 1,03 1,24 1,23 0,25 0,00 Parâmetros Média Anual Óleo de Soja Refinado* Tx. Câmbio (US$/R$) US$/t US$/t US$/t US$/t US$/t US$/t ,83 2,36 2,92 3,08 2,93 2,30 * Preço FOB-Paranaguá + Refino (US$25/t) Fonte: ABIOVE / ANP Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 22

23 Biodiesel - Custos de Produção sem Tributos ABIOVE Custos ex-fábrica sem tributos federais Fábrica 400 tpd Sem Tributos Parâmetros Média Anual R$ / Litro 1,60 1,40 1,20 1,00 0,80 0,60 0,40 0,20 0,00 0,55 Biodiesel - Média S/SE/CO (sem tributos) Diesel - Média Brasil (c/ tributos: CIDE, Pis-Cofins) 0,50 0,68 0,60 1,09 0,69 1,42 1,40 0,99 1,03 1, US$/t US$/t US$/t US$/t US$/t 1,23 US$/t Competitivo A desoneração tributária pode representar uma redução de custo fundamental para produção de biodiesel no Brasil Óleo de Soja Refinado* Tx. Câmbio (US$/R$) 1,83 2,36 2,92 3,08 2,93 2,30 * Preço FOB-Paranaguá + Refino (US$25/t) Fonte: ABIOVE / ANP Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 23

24 Capacidade Instalada da Indústria de Óleos Vegetais ABIOVE Capacidade Instalada da Indústria de Óleos Vegetais em ,5 (milhões de toneladas) 10,1 29,4 Capacidade Ociosa Processamento Produção Potencial de Óleo de Soja 1,9 Produção de Biodiesel 1,9 = B4 Bio Diesel Bio BIO Bio BIO Diesel DIESEL io iesel Capacidade Instalada Nominal Processamento de Oleaginosas A Indústria de Óleos Vegetais brasileira poderia suportar facilmente uma demanda adicional para produção de biodiesel, utilizando parte de sua capacidade ociosa. Fonte: ABIOVE Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 24

25 Complexo Soja no Brasil 2006/07 INDÚSTRIA DE ÓLEOS VEGETAIS (Milhões de toneladas) Rotas de Entrada do Setor SAFRA 56,4 57,1 EXPORTAÇÃO 25,2 24,5 24,5 PROCESSA- MENTO 28,9 PROCESSA- PROCESSA- MENTO MENTO FARELO ÓLEO FARELO 22,3 ÓLEO 5,5 PRODUÇÃO PRODUÇÃO BIODIESEL BIODIESEL EXPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO 13,2 12,8 12,8 CONSUMO CONSUMO DOMÉSTICO DOMÉSTICO 9,6 9,2 9,6 EXPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO 2,4 2,4 2,4 CONSUMO CONSUMO DOMÉSTICO DOMÉSTICO 3,2 3,1 3,1 Rotas de Entrada do Setor Fonte: ABIOVE Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 25

26 O QUE PODEMOS FAZER ATÉ 2008? Auto-consumo Exportação de Biodiesel Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 26

27 AUTO-CONSUMO... Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 27

28 Auto-consumo A produção de biodiesel no Brasil pode ser uma ótima alternativa para empresas que tem um grande consumo de diesel e/ou que pagam caro por este diesel por estarem longe das Refinarias de Petróleo. Empresas Consumo Anual Diesel (milhões litros / ano) Vale do Rio Doce Agronegócio da Cana-de-Açúcar Agronegócio da Soja TOTAL Consumo de Biodiesel B Biodiesel B2 - Brasil 800 Fonte: CVRD (2003), ÚNICA e Macedo (2004/2005), NREL e FAO (2004) Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 28

29 Auto-consumo Usina Integrada de Açúcar e Biocombustíveis Bioetanol Cana-de-Açúcar Canavial Usina de Açúcar e Álcool Açúcar Oleaginosas Energia do Bagaço Óleos Vegetais Indústria de Óleos Vegetais Óleo Bruto Fábrica de Biodiesel Biodiesel Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 29

30 EXPORTAÇÃO DE BIODIESEL... Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 30

31 Limites de Produção de Biodiesel na UE Produção de Biodiesel ( 000 tons) Fonte: EBB Germany Total EU Produção de Biodiesel e Metas na UE-25 (Milhões de Ton.) Fonte: Oil World UE Biocombustíveis 2 % em ,75% em % em 2020 A Alemanha já é um importador líquido de biodiesel Muito em breve a Alemanha precisará de novos fornecedores. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 31

32 Déficits Regionais de Energia Capital Tecnologia Biodiesel Biodiesel HANPP = human appropriation of net primary production (NPP) NASA Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 32

33 Déficits Regionais de Energia Biodiesel ex-fábria ( /litro) Freight, Insurance and others Production Cost CIF-Rotterdam * Baseado no óleo de soja: US$490/ton 0,42 0,50 Biodiesel Brasil Brazil Biodiesel Alemanha Germany Alemanha março/05 Há uma grande oportunidade comercial no biodiesel para ambos os países. Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 33

34 CONCLUSÃO... Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 34

35 Qual será o desenho desta Indústria no Brasil? ESTRUTURA ESTRUTURA GOVERNANÇA GOVERNANÇA CORPORATIVA CORPORATIVA SETOR SETOR PETRÓLEO PETRÓLEO INDÚSTRIA COMBUSTÍVEIS Integração para frente -agregação de valor - diversificação de mercados PRODUÇÃO BIODIESEL INDÚSTRIA ÓLEOS VEGETAIS Integração para trás -redução de custos - garantia de qualidade Empresas Independentes - problema: especificidade de ativos SETOR SETOR AGRÍCOLA AGRÍCOLA Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 35

36 ABIOVE OBRIGADO Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais 36

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL BIODIESEL O que é? O biodiesel pode ser produzido a partir de qualquer óleo vegetal - tal como soja, girassol, canola, palma ou mamona -, assim como a partir de gordura

Leia mais

Comissão Mista Medida Provisória 647/2014 Audiência Pública

Comissão Mista Medida Provisória 647/2014 Audiência Pública Versão 16 Jul 14 Comissão Mista Medida Provisória 647/2014 Audiência Pública Senado Federal, 16/07/2014 IMPACTOS DO PNPB Aspectos mais relevantes das Externalidades Positivas do PNPB (Programa Nacional

Leia mais

Brasil Ecodiesel. Movendo o Brasil com Biodiesel. Biodiesel Congress 2009 01/09/09

Brasil Ecodiesel. Movendo o Brasil com Biodiesel. Biodiesel Congress 2009 01/09/09 Brasil Ecodiesel Movendo o Brasil com Biodiesel Biodiesel Congress 2009 01/09/09 Macro Tendências do Setor de Biodiesel Pressão mundial por combustíveis renováveis Mundo Em 2008, os biocombustíveis representaram

Leia mais

Mercado de biodiesel no Brasil: avaliação e perspectivas

Mercado de biodiesel no Brasil: avaliação e perspectivas V Simpósio Nacional de Tecnologia em Agronegócio Mercado de biodiesel no Brasil: avaliação e perspectivas Daniel Furlan Amaral Gerente de Economia da ABIOVE FATEC Ourinhos PR 17 de outubro de 2013 1 Roteiro

Leia mais

Biodiesel Uma Sinopse das Conjunturas Brasileira e Mundial.

Biodiesel Uma Sinopse das Conjunturas Brasileira e Mundial. Biodiesel Uma Sinopse das Conjunturas Brasileira e Mundial. * Penteado, R. A. N. (1) ; * Cunha, R. B. C.; * Penteado, A.P. (1)l renato@lactec.org.br (*) Instituto de Tecnologia para o Desenvolvimento (LACTEC)

Leia mais

Políticas Governamentais para Biocombustíveis

Políticas Governamentais para Biocombustíveis Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Políticas Governamentais para Biocombustíveis Ricardo B. Gomide ricardo.gomide@mme.gov.br

Leia mais

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ÓLEOS E GORDURAS

SOCIEDADE BRASILEIRA DE ÓLEOS E GORDURAS SOCIEDADE BRASILEIRA DE ÓLEOS E GORDURAS PLANTAS OLEAGINOSAS POTENCIAIS PARA A PRODUÇÃO DE BIODIESEL Prof. Dr. Gil Miguel de Sousa Câmara USP / ESALQ - LPV Florianópolis - SC Novembro / 2007 O POR QUÊ

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB)

PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB) PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB) 1. Biodiesel no Brasil No Brasil, biodiesel é o biocombustível derivado de biomassa renovável para uso em motores a combustão interna com ignição

Leia mais

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS

Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Agricultura Familiar AVANÇOS E DESAFIOS Tema Centrais As mudanças nas regras do Selo O Selo existiria em um cenário sem leilões? A importância do Selo Social para o novo Governo. A Função da Secretaria

Leia mais

Conjuntura e perspectivas. Panorama do mercado de extração de óleos

Conjuntura e perspectivas. Panorama do mercado de extração de óleos Conjuntura e perspectivas Panorama do mercado de extração de óleos I Simpósio Tecnológico PBIO de Extração de Óleos Vegetais Daniel Furlan Amaral Economista Rio de Janeiro - RJ 03 Dezembro 2009 Roteiro

Leia mais

Visão Geral do Programa de Biodiesel

Visão Geral do Programa de Biodiesel 16ªReunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Oleaginosas e Biodiesel Visão Geral do Programa de Biodiesel Ricardo de Gusmão Dornelles Diretor do Departamento de Combustíveis Renováveis

Leia mais

7 Transporte e Logística

7 Transporte e Logística 7 Transporte e Logística Este capítulo apresenta a análise da logística das cadeias produtivas das oleaginosas pesquisadas e os custos de transporte utilizados nas simulações. 7.1. Logística Para a organização

Leia mais

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

APRESENTAÇÃO SUMÁRIO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 91 Agosto/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja.

Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja. Biocombustíveis: Estudo de culturas adequadas à sua produção: um panorama da produção agrícola da cana de açúcar e da soja. Maria Helena M. Rocha Lima Nilo da Silva Teixeira Introdução Quais os fatores

Leia mais

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA

MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA MINISTÉRIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL - MI AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DA AMAZÔNIA - ADA BIOCOMBUSTÍVEIS: ATRAÇÃO DE INVESIMENTOS PARA O ESTADO DO PARÁ CONTEXTO: A Agência de Desenvolvimento da Amazônia, deseja

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 89 Junho/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS SUMÁRIO

Leia mais

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

SUMÁRIO APRESENTAÇÃO BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 92 Setembro/2015 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS

Leia mais

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM

INTRODUÇÃO A SOJA CONTÉM MERCADO FUTURO Soja Diego Marafon Edemir Miotto Júnior Felipe Patel Prof. Dr. Miguel Ângelo Perondi INTRODUÇÃO Na atualidade, a soja apresenta-se como um produto em evidência Grão muito proveitoso, devido

Leia mais

Programa de Bioenergia da Bahia

Programa de Bioenergia da Bahia Programa de Bioenergia da Bahia Biocombustíveis e Inclusão social na Bahia 4ª Conferência Brasileira de Arranjos Produtivos Locais Brasília, 27 a 29 de novembro de 2009 Dr Jackson Ornelas Assessor Especial

Leia mais

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL

A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL A MAIOR EMPRESA DE BIODIESEL DO BRASIL BIODIESEL: O PRODUTO 2 BIODIESEL O que é? É um éster, metílico ou etílico, produzido a partir de uma reação química chamada transesterificação, entre um óleo vegetal

Leia mais

Pesquisas e testes com combustíveis derivados de óleos

Pesquisas e testes com combustíveis derivados de óleos PROGRAMA BRASILEIRO DE BIODIESEL Rodrigo Augusto Rodrigues 1 José Honório Accarini 2 Introdução Pesquisas e testes com combustíveis derivados de óleos vegetais tiveram início no Brasil nos anos de 1970.

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise

Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise Pedro Mizutani acredita que setor sucroenergético deve sentir uma recuperação mais acelerada da crise A crise econômica afeta o setor sucroenergético principalmente, dificultando e encarecendo o crédito

Leia mais

AÇÕES INSTITUCIONAIS NO SETOR SUCROENERGÉTICO

AÇÕES INSTITUCIONAIS NO SETOR SUCROENERGÉTICO AÇÕES INSTITUCIONAIS NO SETOR SUCROENERGÉTICO Elizabeth Farina Diretora Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar Araçatuba, 13 de dezembro de 2013 130 associados; 60% da cana-de-açúcar, etanol

Leia mais

BIODIESEL E PROPOSTA DE UM NOVO MARCO REGULATÓRIO : Obstáculos e Desafios. Fernando Lagares Távora. Textos para Discussão 116

BIODIESEL E PROPOSTA DE UM NOVO MARCO REGULATÓRIO : Obstáculos e Desafios. Fernando Lagares Távora. Textos para Discussão 116 BIODIESEL E PROPOSTA DE UM NOVO MARCO REGULATÓRIO : Obstáculos e Desafios Fernando Lagares Távora Textos para Discussão 116 Agosto/2012 SENADO FEDERAL DIRETORIA GERAL Doris Marize Romariz Peixoto Diretora

Leia mais

O Agronegócio Mundial e Brasileiro

O Agronegócio Mundial e Brasileiro O Agronegócio Mundial e Brasileiro Eugênio Stefanelo Segundo Porter, você é competitivo quando tem um desempenho em longo prazo acima da média dos concorrentes. O agronegócio, que engloba as operações

Leia mais

Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo

Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal. Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo Alguns desafios no Brasil Biodiesel e Pré-Sal Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo Biodiesel BIODIESEL no Brasil Jatropha Lei nº 11.097 / 2005 - Introduziu o biodiesel na matriz energética brasileira

Leia mais

Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel

Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel Projeto e Construção de Usina Didática para Produção de Biodiesel Brasil, Alex Nogueira a, Loregian, Henrique Bernardes a, Nunes, Diego Luiz b a ENERBIO, Grupo de Pesquisa em Energias Renováveis, Universidade

Leia mais

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho

A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL. Maurílio Biagi Filho A VISÃO O ATUALIZADA DA QUESTÃO O ETANOL Maurílio Biagi Filho Roteiro Evolução e perspectivas da indústria sucroalcooleira no Brasil. Brasil: potencial para aumento da produção e produtividade. Expansão

Leia mais

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil

Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil A expansão da agroenergia e seus impactos sobre os ecossistemas brasileiros Rio de Janeiro, 26-27 março 2007 Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil Eduardo Bandeira de Mello

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 1 - MARÇO DE 213 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

ÁLCOOL, AÇÚCAR E ENERGIA PERSPECTIVAS PARA O BRASIL E O MUNDO LUIZ CARLOS CORRÊA CARVALHO ABAG FÓRUM NACIONAL DE AGRONEGÓCIOS CBN, MARINGÁ,PR,

ÁLCOOL, AÇÚCAR E ENERGIA PERSPECTIVAS PARA O BRASIL E O MUNDO LUIZ CARLOS CORRÊA CARVALHO ABAG FÓRUM NACIONAL DE AGRONEGÓCIOS CBN, MARINGÁ,PR, ÁLCOOL, AÇÚCAR E ENERGIA PERSPECTIVAS PARA O BRASIL E O MUNDO LUIZ CARLOS CORRÊA CARVALHO ABAG FÓRUM NACIONAL DE AGRONEGÓCIOS CBN, MARINGÁ,PR, 30/09/13 UM NOVO E COMPLEXO MUNDO PROCESSO GLOBAL COM INTENSA

Leia mais

Produção e consumo de óleos vegetais no Brasil Sidemar Presotto Nunes

Produção e consumo de óleos vegetais no Brasil Sidemar Presotto Nunes Produção e consumo de óleos vegetais no Brasil Sidemar Presotto Nunes Apresentação O consumo de óleos vegetais tem aumentado no mundo todo, substituindo parte do consumo de gorduras animais. Embora tenham

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais m³ ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 6 - JULHO DE 2013 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin

Panorama do Mercado Brasileiro. Richard Nicolas De Jardin Panorama do Mercado Brasileiro Richard Nicolas De Jardin Linha do Tempo Falta de Infraestrutura Poucos Postos Segmento de Taxi Privatizações Crescimento da Infraestrutura Novos mercados Aumento das Vendas

Leia mais

Por quê o (plantio) Óleo de Palma não avança no Brasil? Marcello Brito, Diretor Comercial & Sustentabilidade AGROPALMA

Por quê o (plantio) Óleo de Palma não avança no Brasil? Marcello Brito, Diretor Comercial & Sustentabilidade AGROPALMA Por quê o (plantio) Óleo de Palma não avança no Brasil? Marcello Brito, Diretor Comercial & Sustentabilidade AGROPALMA Fatores Preponderantes ao cultivo da palma de óleo Edafoclimáticos Alta incidência

Leia mais

Biodiesel no Brasil: conjuntura atual e perspectivas

Biodiesel no Brasil: conjuntura atual e perspectivas - Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais Biodiesel no Brasil: conjuntura atual e perspectivas Daniel Furlan Amaral Economista ESALQ 17 de novembro de 2010 1 Sobre a A, Associação Brasileira

Leia mais

A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTIVEIS: experiências brasileira e gaúcha

A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTIVEIS: experiências brasileira e gaúcha A PRODUÇÃO DE BIOCOMBUSTIVEIS: experiências brasileira e gaúcha Sibele Vasconcelos de Oliveira 1 Resumo: O presente trabalho objetiva a discussão sobre a inserção dos biocombustíveis na matriz energética

Leia mais

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis

Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Biocombustíveis SENADO FEDERAL Comissão de Agricultura e Reforma Agrária Diretrizes da Agenda Setorial do Setor de Energias Renováveis: Bioetanol Biodiesel Biocombustíveis Brasília, 28 de novembro de 2012 Foco e Prioridades

Leia mais

BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS APRESENTAÇÃO

BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS APRESENTAÇÃO Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis EDIÇÃO N o 96 Março/2016 BOLETIM MENSAL DOS COMBUSTÍVEIS RENOVÁVEIS SUMÁRIO

Leia mais

Seminário INVESTIMENTOS EM BIODIESEL J. H. Accarini Casa Civil da Presidência da República

Seminário INVESTIMENTOS EM BIODIESEL J. H. Accarini Casa Civil da Presidência da República Seminário INVESTIMENTOS EM BIODIESEL J. H. Accarini Casa Civil da Presidência da República Membro da Comissão Executiva Interministerial e do Grupo Gestor do Biodiesel Consolidação do Programa Nacional

Leia mais

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis

Biocombustíveis. Também chamados de agrocombustíveis Biocombustíveis Também chamados de agrocombustíveis Biomassa É o combustível obtido a partir da biomassa: material orgânico vegetal ou animal Uso tradicional: lenha, excrementos Etanol: álcool combustível.

Leia mais

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos.

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Industria Matéria-prima Mão de obra Saúde e Meio Ambiente Economia 2

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 13 FEVEREIRO DE 214 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados,

Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados, Discurso Dep. Antonio Joaquim PTB/MA Data: 25.04.2005. Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados, Ocupo esta tribuna para falar sobre o Biodiesel. Uma alternativa de Combustível de grande perspectiva

Leia mais

BIOCOMBUSTÍVEL O SONHO VERDE PROFª NEIDE REGINA USSO BARRETO

BIOCOMBUSTÍVEL O SONHO VERDE PROFª NEIDE REGINA USSO BARRETO BIOCOMBUSTÍVEL O SONHO VERDE PROFª NEIDE REGINA USSO BARRETO BIOCOMBUSTÍVEL Qualquer combustível de origem biológica, não fóssil. Mistura de uma ou mais plantas como: cana-de-açúcar, mamona, soja, cânhamo,

Leia mais

Etanol de milho em Mato Grosso: alguns pontos para debate. João Martines Peter Goldsmith Guilherme Signorini Carlos F. Bueno Jr.

Etanol de milho em Mato Grosso: alguns pontos para debate. João Martines Peter Goldsmith Guilherme Signorini Carlos F. Bueno Jr. Etanol de milho em Mato Grosso: alguns pontos para debate João Martines Peter Goldsmith Guilherme Signorini Carlos F. Bueno Jr. Matriz Energética Mundial e Brasileira Consumo per capita de petróleo, 2006

Leia mais

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto

Produção de Alimentos e Energia. Ribeirão Preto Produção de Alimentos e Energia e o Exercício Profissional Ribeirão Preto AdilmaScamparini Engenheira de Alimentos Email ascamparini@uol.com.br F 019 81133730 FAX 019 21214527 Produção de Alimentos Alimentos

Leia mais

6 Dados utilizados no Modelo de Simulação

6 Dados utilizados no Modelo de Simulação 6 Dados utilizados no Modelo de Simulação Este capítulo apresenta os dados referentes às diferentes oleaginosas analisadas dendê, mamona, soja e algodão que foram utilizados no modelo de simulação. Também

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROGRAMA NACIONAL DO ÁLCOOL - PROÁLCOOL Cintia de Souza Oliveira 8662479 Karina Siqueira 8658676 Verônica Carvalho

Leia mais

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010

RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 Os Biocombustíveis no Brasil RELOP III Reunião Anual Rio de Janeiro, 04 de novembro de 2010 SUMÁRIO 1. Alguns dados d sobre o Brasil e a ANP 2. Os biocombustíveis no Brasil 3. O etanol 4. O biodiesel PANORAMA

Leia mais

ESTRUTURA SOCIETÁRIA

ESTRUTURA SOCIETÁRIA APIMEC 2011 ESTRUTURA SOCIETÁRIA 2 VANTAGENS COMPETITIVAS SMTO Matéria-Prima Um dos players mais integrados do Brasil (mais de 70% de cana própria) Ganhos de Escala Expertise na administração de grandes

Leia mais

Páreo para o petróleo

Páreo para o petróleo Páreo para o petróleo Em expansão acelerada, mercado de biocombustíveis promete lucros crescentes àqueles que investirem em soluções inovadoras para produção. Biodiesel é a principal atração Francis França

Leia mais

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis

Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis 4 e 5 de junho de 2007 World Trade Center São Paulo, Brasil SÃO PAULO ETHANOL SUMMIT Novas Fronteiras do Etanol: Desafios da Energia no Século 21 Oportunidades no Mercado de Biocombustíveis Arnaldo Walter

Leia mais

DERAL - Departamento de Economia Rural. Cana de açúcar e Sucroalcooleiro - Prognóstico (março de 2013)

DERAL - Departamento de Economia Rural. Cana de açúcar e Sucroalcooleiro - Prognóstico (março de 2013) Cana de açúcar e Sucroalcooleiro - Prognóstico (março de 2013) 1.SINOPSE E ESTIMATIVA Oferta/Demanda: Apenas 7 países produtores de açúcar concentram 70% da oferta mundial, o Brasil, Índia, a soma da União

Leia mais

ENERGIA, TECNOLOGIA E INSTITUIÇÕES: A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL

ENERGIA, TECNOLOGIA E INSTITUIÇÕES: A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL ENERGIA, TECNOLOGIA E INSTITUIÇÕES: A PRODUÇÃO DE BIODIESEL NO BRASIL RENATA MARTINS SAMPAIO Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) / Instituto de Geociências (IG), Departamento de Política Científica

Leia mais

Microprodução de Etanol e sua Comercialização Legal

Microprodução de Etanol e sua Comercialização Legal Microprodução de Etanol e sua Comercialização Legal Seminário Estadual Álcool, Leite e Cachaça Produção Integrada e Sustentável Belo Horizonte, 29 de novembro de 2011 Crescimento Consumo Aparente Combustíveis

Leia mais

BIODIESEL PARA O CIB

BIODIESEL PARA O CIB BIODIESEL PARA O CIB Roteiro Explicativo de Slides em Power Point Gil Miguel de Sousa Câmara 1 Slide 1 Abertura Slide 2 Famosa frase proferida por Rudolph Diesel em 1912. Slide 3 Razões que justificam

Leia mais

Relatório do Mercado de Derivados de Petróleo

Relatório do Mercado de Derivados de Petróleo Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Derivados de Petróleo Relatório do Mercado de Derivados de Petróleo Número 109 Janeiro

Leia mais

Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis. O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel PNPB

Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis. O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel PNPB Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel PNPB Agricultura Familiar Coordenação Geral de Biocombustíveis - Números do PNPB - Empresas

Leia mais

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a economia nacional registra um de seus piores momentos

Leia mais

Theme # 15: Environmental Guidance for Bio-Fuels Financing

Theme # 15: Environmental Guidance for Bio-Fuels Financing Theme # 15: Environmental Guidance for Bio-Fuels Financing Visões Ambientais para o Financiamento de Biocombustíveis no Brasil Eduardo Bandeira de Mello Eduardo Loyola Canepa Márcio Macedo Costa Departamento

Leia mais

"Políticas para la diversificación de la matriz energéticainiciativas

Políticas para la diversificación de la matriz energéticainiciativas "Políticas para la diversificación de la matriz energéticainiciativas no Brasil " Evento regional ONU de alto nivel sobre "Crisis Energética y Crisis Alimentaria: desafíos y oportunidades Santiago, Chile,

Leia mais

Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões. Allan Kardec Duailibe Diretor

Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões. Allan Kardec Duailibe Diretor Como o Brasil pode contribuir para o esforço internacional de redução das emissões Allan Kardec Duailibe Diretor Apostar nos BIOcombustíveis! Apostar no conceito BIcombustível Matriz múltipla O Brasil

Leia mais

Biocombustíveis: Chances e Limites. MA Robson Luiz da Fonseca

Biocombustíveis: Chances e Limites. MA Robson Luiz da Fonseca Biocombustíveis: Chances e Limites MA Robson Luiz da Fonseca Viçosa 27 de agosto de 2009 Peak Oil James R. Schlesinger (Ex-Secretário de Defesa dos Estados Unidos e ex-diretor da CIA): Os tempos das vacas

Leia mais

Análise de viabilidade econômica de implantação de uma unidade de extração de óleo vegetal e produção de biodiesel a partir da soja

Análise de viabilidade econômica de implantação de uma unidade de extração de óleo vegetal e produção de biodiesel a partir da soja Análise de viabilidade econômica de implantação de uma unidade de extração de óleo vegetal e produção de biodiesel a partir da soja Marco Antonio Sartori (UFV) marcosartori@ufv.br Silvia Regina Sartori

Leia mais

Tabela 1 Evolução da produção mundial de óleos (Mil toneladas)

Tabela 1 Evolução da produção mundial de óleos (Mil toneladas) Preços da mamona se recuperam 1. A produção e o consumo mundial de óleos vegetais se elevam A produção mundial de óleos vegetais aumentou aproximadamente 400 entre 1974/75 e 2006/07, passando de 25,7 hões

Leia mais

O Mercado de Biodiesel no Brasil

O Mercado de Biodiesel no Brasil O Mercado de Biodiesel no Brasil RELATÓRIO Conselho Permanente de Infra-estrutura - Coinfra DEZEMBRO FEVEREIRO DE 2007 2006 BIODIESEL Conforme definição contida na Lei nº 11.097, de 13 de janeiro de 2005,

Leia mais

Repensando a matriz brasileira de combustíveis

Repensando a matriz brasileira de combustíveis 1 Repensando a matriz brasileira de combustíveis Marcos Sawaya Jank Conselheiro do CDES A matriz energética brasileira se destaca pela grande incidência de fontes renováveis... Ao longo desta década, a

Leia mais

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios José Ricardo Severo Superintendência Técnica CNA Março 2010 1 Objetivos: 1. Importância do Agronegócio; 2. Alavanca exportadora como fator de crescimento;

Leia mais

VALECONSULT EMPRESARIAL LTDA PROPOSTA COLETA E DISPOSIÇÃO ÓLEO COMESTÍVEL USADO

VALECONSULT EMPRESARIAL LTDA PROPOSTA COLETA E DISPOSIÇÃO ÓLEO COMESTÍVEL USADO PROPOSTA COLETA E DISPOSIÇÃO DO ÓLEO COMESTÍVEL USADO 1 REALIZAÇÃO CLÍNICA DE ENGENHARIA E PARCERIAS 2 OBJETIVOS 01.0-PORQUE COLETAR O ÓLEO DE COZINHA USADO: Batata frita, coxinha, pastel. São muitas as

Leia mais

Avaliação do potencial competitivo do E2G no Brasil

Avaliação do potencial competitivo do E2G no Brasil Avaliação do potencial competitivo do E2G no Brasil O Panorama brasileiro e mundial Diego Nyko - Departamento de Biocombustíveis Rio de Janeiro, 07-04-2015 // 1 1 Agenda 1. Contexto setorial: produtividade

Leia mais

Potencial dos Biocombustíveis

Potencial dos Biocombustíveis Potencial dos Biocombustíveis Mozart Schmitt de Queiroz Gerente Executivo de Desenvolvimento Energético Diretoria de Gás e Energia Petrobras S.A. Belo Horizonte, 17 de outubro de 2007 Evolução da Capacidade

Leia mais

GÁS NATURAL A PREÇO JUSTO!

GÁS NATURAL A PREÇO JUSTO! GÁS NATURAL A PREÇO JUSTO! 14º Encontro de Energia FIESP Matriz Segura e Competitiva Luis Henrique Guimarães São Paulo, 5 de agosto de 2013 1 AGENDA Princípios que norteiam a apresentação O que é Preço

Leia mais

Conjuntura e perspectivas

Conjuntura e perspectivas Conjuntura e perspectivas Panorama do mercado de oleaginosas Aproveitamento para produção de óleo e derivados IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas Daniel

Leia mais

Nº 137. Biodiesel no Brasil: desafios das políticas públicas para a dinamização da produção

Nº 137. Biodiesel no Brasil: desafios das políticas públicas para a dinamização da produção Nº 137 Biodiesel no Brasil: desafios das políticas públicas para a dinamização da produção 1º de março de 2012 1 Governo Federal Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República Ministro

Leia mais

EMISSÕES DE GASES DE EFEITO DE ESTUFA NO CICLO DE VIDA DO BIODIESEL DE SOJA PRODUZIDO NO BRASIL

EMISSÕES DE GASES DE EFEITO DE ESTUFA NO CICLO DE VIDA DO BIODIESEL DE SOJA PRODUZIDO NO BRASIL EMISSÕES DE GASES DE EFEITO DE ESTUFA NO CICLO DE VIDA DO BIODIESEL DE SOJA PRODUZIDO NO BRASIL R.,GRISOLI 1, A. NOGUEIRA 2, É. G. CASTANHEIRA 4, F. FREIRE 4, G. A. SILVA 2, S. COELHO 1 1 CENBIO/IEE/USP

Leia mais

Metodologia Cotação Internacional

Metodologia Cotação Internacional Metodologia Cotação Internacional O Centro de Referência da Cadeia de Biocombustíveis realiza diariamente cotações internacionais nos principais mercados de óleo e farelo de oleaginosas relacionadas ao

Leia mais

dar ao consumidor a opção de escolha Ana Luísa Pinho Auditório do NERPOR, Portalegre, 4 de Março de 2008

dar ao consumidor a opção de escolha Ana Luísa Pinho Auditório do NERPOR, Portalegre, 4 de Março de 2008 Biodiesel: dar ao consumidor a opção de escolha Ana Luísa Pinho Auditório do NERPOR, Portalegre, 4 de Março de 2008 Prio Uma empresa do Grupo Martifer Líder ibérica na construção de estruturas metálicas

Leia mais

4 Coleta de dados. 4.1. Soja

4 Coleta de dados. 4.1. Soja 50 4 Coleta de dados Os principais dados necessários para este estudo são os preços históricos dos insumos, subprodutos e reagentes decorrentes da produção do Biodiesel a partir de cada uma das oleaginosas

Leia mais

BANCO DO BRASIL. Seminário Investimentos em Biodiesel. Diretoria de Agronegócios. Rio de Janeiro, 16 de março de 2006

BANCO DO BRASIL. Seminário Investimentos em Biodiesel. Diretoria de Agronegócios. Rio de Janeiro, 16 de março de 2006 Seminário Investimentos em Biodiesel Rio de Janeiro, 16 de março de 2006 BANCO DO BRASIL Painel: Linhas de Investimento e Custeio BB Biodiesel BB Biodiesel Finalidade Financiamento: acusteio; ainvestimento;

Leia mais

Cadeia produ+va do Biodiesel

Cadeia produ+va do Biodiesel Recursos Energé-cos Cadeia produ+va do Biodiesel Felipe Guerra Pedro Camarero Biodiesel O que é? É um combus8vel biodegradável derivado de fontes renováveis como óleos vegetais e gorduras animais. São

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 41 INTRODUÇÃO

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 41 INTRODUÇÃO Página 41 BIODIESEL: UMA UTILIZAÇÃO DA BIOTECNOLOGIA A FAVOR DO DESENVOLVIMENTO SÓCIO- ECONÔMICO E AMBIENTAL NO BRASIL Emanoela Moura Toscano¹; Aurilene de Souza Costa¹; Andréa Amorim¹; Giselle Medeiros

Leia mais

Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios

Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios Retomada do mercado do GNV: Principais Benefícios Professor Edmar de Almeida Grupo de Economia da Energia Instituto de Economia UFRJ PLANO DA APRESENTAÇÃO Contexto atual do mercado de GNV no Brasil Oportunidades

Leia mais

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS NO BRASIL

PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS NO BRASIL i PREÇOS DOS COMBUSTÍVEIS NO BRASIL Paulo César Ribeiro Lima Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ESTUDO JANEIRO/2016 Câmara dos Deputados Praça 3 Poderes Consultoria

Leia mais

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL.

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 1 BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 2 BIODIESEL. A ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

O Programa Nacional de Produção e Uso do

O Programa Nacional de Produção e Uso do O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel PNPB PNPB e a Agricultura amiliar Balanço l do Selo Comb. Social il Participação da A. F. no PNPB Estratégia do MDA com a A.F. Pólos, Cooperativas, Crédito,

Leia mais

Tributação na Indústria de Óleos Vegetais

Tributação na Indústria de Óleos Vegetais Câmara Setorial da Soja MAPA Tributação na Indústria de Óleos Vegetais Fabio Trigueirinho Secretário Geral Goiânia GO 12 de agosto de 2011 Estrutura da Apresentação Cadeia de produção da soja e seus derivados

Leia mais

Tributação de Combustíveis no Brasil: verde ou vermelha?

Tributação de Combustíveis no Brasil: verde ou vermelha? Tributação de Combustíveis no Brasil: verde ou vermelha? José Roberto Afonso Painel Políticas Públicas: Buscando Estabilidade e Previsibilidade Ethanol Summit 2015 7/7/2015 Mundo x Brasil... Verde x Vermelho

Leia mais

BIODIESEL NO BRASIL: OBTENÇÃO DE DADOS DEPOSITADOS EM PATENTES

BIODIESEL NO BRASIL: OBTENÇÃO DE DADOS DEPOSITADOS EM PATENTES 63 BIODIESEL NO BRASIL: OBTENÇÃO DE DADOS DEPOSITADOS EM PATENTES Elaine Machado Melo, Erick Samuel Rojas Cajavilca, Vanessa Amélia Kaczoroski, Vinício Gonçalves Santana Universidade Federal da Bahia ICADS/Barreiras

Leia mais

Competitividade do Agronegócio Soja. Desafio da Agregação de Valor

Competitividade do Agronegócio Soja. Desafio da Agregação de Valor Competitividade do Agronegócio Soja Desafio da Agregação de Valor Reunião das Câmara Setoriais Agosto de 2013 Fabio Trigueirinho Importância do Agronegócio Soja Ano comercial 2013/2014 Safra 81,6 Processamento

Leia mais

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Marcelo Alves Pereira, Bunge Fertilizantes Novembro - 2009 Estimativas da ONU indicam que a população mundial em 2050 será de

Leia mais

Release de Resultados 3T13. 23 de outubro de 2013

Release de Resultados 3T13. 23 de outubro de 2013 Release de Resultados 3T13 23 de outubro de 2013 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Desafios para o planejamento e a regulação do mercado de biocombustíveis

Desafios para o planejamento e a regulação do mercado de biocombustíveis VIII CBPE Congresso Brasileiro de Planejamento Energético Curitiba, agosto de 2012 Mesa Redonda: Fronteiras agro-energéticas Desafios para o planejamento e a regulação do mercado de biocombustíveis L.

Leia mais

Utilização do óleo vegetal em motores diesel

Utilização do óleo vegetal em motores diesel 30 3 Utilização do óleo vegetal em motores diesel O óleo vegetal é uma alternativa de combustível para a substituição do óleo diesel na utilização de motores veiculares e também estacionários. Como é um

Leia mais

Geração Elétrica Total. Cenário de Referência (2007)

Geração Elétrica Total. Cenário de Referência (2007) Geração Elétrica Total Cenário de Referência (2007) Shale gas é visto hoje como a energia do século XXI, aquela que nos ajudará na transição para uma matriz energética mais limpa. 1. Histórico 1825 - Primeira

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE BIODIESEL: COMPARAÇÃO ENTRE DOIS BRASIS

PROGRAMA NACIONAL DE BIODIESEL: COMPARAÇÃO ENTRE DOIS BRASIS Trabajo Nº: 6233 6-Problemática de los espacios agrários SAMPAIO, Mateus de Almeida Prado (Universidade de São Paulo/USP - Brasil) E-mail: mapas@usp.br PROGRAMA NACIONAL DE BIODIESEL: COMPARAÇÃO ENTRE

Leia mais

BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E ÓLEOS VEGETAIS S.A. CNPJ/MF sob nº. 05.799.312/0001-20 NIRE 33.

BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E ÓLEOS VEGETAIS S.A. CNPJ/MF sob nº. 05.799.312/0001-20 NIRE 33. BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS E ÓLEOS VEGETAIS S.A. CNPJ/MF sob nº. 05.799.312/0001-20 NIRE 33.30028160-6 COMUNICADO AO MERCADO A BRASIL ECODIESEL INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE BIOCOMBUSTÍVEIS

Leia mais