Banco de Dados - Senado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Banco de Dados - Senado"

Transcrição

1 Banco de Dados - Senado Structured Query Language (SQL) Material preparado :Prof. Marcio Vitorino

2 Ambiente Simplificado de um SGBD 2

3 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: q metadados armazenados num catálogo ou dicionário de dados. Independência entre programas e dados: q estrutura dos arquivos de dados armazenada no catálogo separadamente dos programas de acesso. Abstração de dados: q representação conceitual dos dados através de modelos de dados. Suporte de múltiplas visões de dados: q diferentes perspectivas ou visões de usuários. Suporte a transações: q compartilhamento de dados e processamento multiusuário. 3

4 Esquemas, Instâncias e Estado do BD Esquema: descrição do banco de dados. É definido durante o projeto de banco de dados e não se espera que seja alterado frequentemente. Estado ou Instância: composto pelos dados do banco de dados em um determinado momento. 4

5 Arquitetura de Três-Esquemas 5

6 Arquitetura de Três-Esquemas Tem por objetivo separar o usuário da aplicação do banco de dados físico. É organizada em três níveis: q Nível Interno: descreve a estrutura de armazenamento físico do banco de dados. q Nível Conceitual: descreve a estrutura de todo o banco de dados para a comunidade de usuários. q Nível Externo ou Visão: cada esquema externo descreve a parte do banco de dados que um dado grupo de usuários tem interesse e oculta o restante do banco de dados desse grupo. A maioria dos SGBDs não separa completamente os níveis, mas suporta essa arquitetura de alguma forma. 6

7 Independência de Dados Consiste da capacidade de mudar o esquema em um nível do sistema de banco de dados sem que ocorram alterações do esquema no próximo nível mais alto. Independência lógica de dados: é a capacidade de alterar o esquema conceitual sem mudar o esquema externo ou os programas. Independência física de dados: é a capacidade de alterar o esquema interno sem mudar o esquema conceitual. 7

8 Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas Gerenciadores de Banco de Dados Relacionais. ISO e ANSI lançou em 1986 a primeira versão do padrão da linguagem SQL, o SQL-86. A linguagem passou por aperfeiçoamentos em 1989 e, em 1992, foi lançada a SQL-92 ou SQL2. Um novo padrão, chamado de SQL-99 ou SQL3 foi lançado no ano de Foi o primeiro padrão a estender a linguagem para permitir a utilização de tipos de dados complexos e a incorporar características da orientação a objetos. Após uma grande revisão do padrão SQL3 foi lançada a SQL:2003. Nesta verão foi adicionada uma nova parte ligada ao tratamento de XML. 8

9 Linguagens de SGBD Linguagem de Definição de Dados (DDL): q usada para especificar o esquema conceitual. Linguagem de Definição de Armazenamento (SDL): q usada para especificar o esquema interno, mas na maioria dos SGBDs a DDL é usada para definir este esquema. Linguagem de Definição de Visões (VDL): q usada para especificar as visões dos usuários e os seus mapeamentos para o esquema conceitual, mas na maioria dos SGBDs a DDL é usada para definir ambos os esquemas, o conceitual e o externo. Linguagem de Manipulação de Dados (DML): q usada para manipular os dados em um banco de dados. As manipulações típicas são a recuperação, inserção, remoção e modificação dos dados. 9

10 Tipos de Dados (4 GB) (4 GB) 10

11 Modelo Utilizado 11

12 Modelo Utilizado Pessoa (CPF, Nome, Sexo) Piloto (CPF, Cart_Trab) CPF Referencia Pessoa Passageiro(CPF, Dieta) CPF Referencia Pessoa Voo(Numero, Data, P_CPF) CPF Referencia Piloto Reserva(V_Numero, P_CPF) V_Numero Referencia Voo P_CPF Referencia Passageiro Telefone(Numero, P_CPF) CPF Referencia Pessoa 12

13 Linguagem de Definição de Dados (DDL) Criação de Tabelas: CREATE TABLE NOME_TABELA( COL1 TIPO_COLUNA [NOT NULL], COL1 TIPO_COLUNA [NOT NULL], COL1 TIPO_COLUNA [NOT NULL] ) 13

14 Linguagem de Definição de Dados (DDL) Na criação de tabelas, é possível especificar vários tipos de restrições: q Chave Primária: PRIMARY KEY ; q Chave Estrangeira: FOREIGN KEY; q Chave Alternativa (ou alternada): UNIQUE; q Restrição de Domínio: CHECK. Pode-se atribuir nomes às restrições de integridade: q CONSTRAINT NOME_RESTRIÇÃO TIPO RESTRIÇÃO. 14

15 Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE TABLE Pessoa(CPF VARCHAR(11) NOT NULL, Nome VARCHAR(30) NOT NULL UNIQUE, Sexo VARCHAR(1) NOT NULL, PRIMARY KEY (CPF)); CREATE TABLE Piloto(CPF VARCHAR(11) NOT NULL, Cart_Trab VARCHAR(13) NOT NULL UNIQUE, PRIMARY KEY (CPF), FOREIGN KEY (CPF) REFERENCES Pessoa (CPF)); 15

16 Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE TABLE Passageiro(CPF VARCHAR(11) NOT NULL CONSTRAINT PK_PASSAGEIRO PRIMARY KEY CONSTRAINT FK_PESSOA REFERENCES Pessoa (CPF), Dieta VARCHAR(1) CHECK (Dieta IN( S, N ))); CREATE TABLE Voo(Numero Numeric NOT NULL CONSTRAINT PK_VOO PRIMARY KEY, Data Date NOT NULL, TIPO VARCHAR2(15) DEFAULT NACIONAL, P_CPF VARCHAR(11) NOT NULL CONSTRAINT FK_PILOTO DEFERRABLE INITIALY DEFERRED); REFERENCES Piloto (CPF) 16

17 Linguagem de Definição de Dados (DDL) Deleção de item referenciado:... CONSTRAINT FK_PILOTO FOREIGN KEY (P_CPF) REFERENCES Piloto (CPF) ON DELETE RESTRICT); -- impede a exclusão (default)... CONSTRAINT FK_PILOTO FOREIGN KEY (P_CPF) REFERENCES Piloto (CPF) ON DELETE SET NULL); -- transforma o valor em nulo... CONSTRAINT FK_PILOTO FOREIGN KEY (P_CPF) REFERENCES Piloto (CPF) ON DELETE CASCADE); -- exclui a linha da tabela 17

18 Linguagem de Definição de Dados (DDL) Criação de uma tabela com linhas de outra: CREATE TABLE Pessoa_Nova AS SELECT CPF, Nome, Sexo FROM Pessoa; 18

19 Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE VIEW <nome-de-visão> [ (lista-de-colunas) ] AS <comando-de-seleção> [WITH CHECK OPTION] CREATE VIEW Empregados_Sede AS SELECT (Nome, Endereco, Sexo, Data-nasc) FROM EMPREGADO q Atualização (INSERT, UPDATE, DELETE) de visão: q A query não pode conter join, ou seja, deve ser baseada apenas em uma tabela. q A query deve conter todas as colunas nott null da tabela referenciada. q A query não pode conter operadores de conjunto: UNION, EXCEPT e INTERSECT. q A query não pode conter o operador DISTINCT. q A query não pode conter funções de agregação. q A query não pode conter GROUP BY. 19

20 Linguagem de Definição de Dados (DDL) Alteração de Tabelas: q Incluir novas colunas em uma tabela; q Excluir colunas existentes em uma tabela; q Adicionar a definição de uma restrição em uma tabela; q Excluir a definição de uma restrição existente em uma tabela; q Modificar uma coluna. 20

21 Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE TABLE Reserva(V_Numero Numeric NOT NULL, P_CPF VARCHAR(11) NOT NULL); CREATE TABLE Telefone(Numero VARCHAR(15) NOT NULL, P_CPF VARCHAR(11) NOT NULL, PRIMARY KEY (Numero, P_CPF), FOREIGN KEY (P_CPF) REFERENCES Pessoa(CPF)); 21

22 Linguagem de Definição de Dados (DDL) ALTER TABLE Telefone ADD COLUMN TIPO VARCHAR2(5) DEFAULT FIXO NOT NULL; ALTER TABLE Telefone DROP COLUMN Tipo; ALTER TABLE TELEFONE ADD CONSTRAINT TIPO_TELEFONE CHECK (TIPO IN( Fixo, Movel )); ALTER TABLE TELEFONE DROP CONSTRAINT TIPO_TELEFONE; ALTER TABLE TELEFONE MODIFY (TIPO VARCHAR2(5)); -- para diminuir tamanho a coluna precisa estar vazia. 22

23 Linguagem de Definição de Dados (DDL) ALTER TABLE Reserva ADD CONSTRAINT PK_RESERVA PRIMARY KEY (V_Numero, P_CPF); ALTER TABLE Reserva ADD CONSTRAINT FK_RESERVA_VOO FOREIGN KEY (V_Numero) REFERENCES Voo (Numero); ALTER TABLE Reserva ADD CONSTRAINT FK_RESERVA_PASSAGEIRO FOREIGN KEY (P_CPF) REFERENCES Passageiro (CPF); ALTER TABLE Reserva ENABLE CONSTRAINT FK_RESERVA_PASSAGEIRO; ALTER TABLE Reserva DISABLE CONSTRAINT FK_RESERVA_PASSAGEIRO; 23

24 Linguagem de Definição de Dados (DDL) Renomear Tabela: q Não é um comando SQL:2003. RENAME Pessoa TO Pessoa_Nova; -- Oracle RENAME TABLE Pessoa TO Pessoa_Nova; Deletar Tabela (estrutura): DROP TABLE Pessoa; 24

25 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Inclusão de dados: INSERT INTO NOME_TABELA (COL1, COL2,...,COLN) VALUES (VAL1, VAL2,...,VALN); Exemplo: Insert Into PESSOA (CPF, NOME, SEXO) values (' ','Paulo Abreu', 'M'); Insert Into PESSOA (CPF, NOME, SEXO) Select CPF, NOME, SEXO From Aluno 25

26 Consulta Simples SELECT COL1, COL2,...,COLN FROM NOME_TABELA WHERE (expressão lógica) GROUP BY (atributos de agrupamento) HAVING (condição de agrupamento) ORDER BY (lista de atributos) Where: filtra antes do agrupamento. Having: filtra depois do agrupamento. 26

27 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Exemplo: Select * From PESSOA; Select CPF, NOME, SEXO, IDADE From PESSOA Where sexo = M or sexo = F ; ou Where sexo in ( M, F ); Select CPF, NOME, SEXO, IDADE From PESSOA Where IDADE > ANY (10,20,30); ou Where IDADE > ALL (10,20,30); 27

28 Linguagem de Manipulação de Dados (DML)

29 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Exemplo: SELECT * FROM DEPT WHERE DNAME LIKE '/_%' ESCAPE '/ Select CPF, NOME, SEXO From PESSOA Where nome like P% ; ( [CK]% ) ( [C-K]% intervalo) (not like) Select CPF, NOME, SEXO From PESSOA Where idade is null; (not null) Select CPF, NOME, SEXO From PESSOA Where idade >= 10 and idade <= 20; (between 10 and 20) 29

30 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Exemplo com Alias (apelidos): Select CPF as Meu_CPF From PESSOA Select CPF, NOME, SEXO From PESSOA as P Where P.idade is null; Select NOME, IDADE + 5 AS NOVA_IDADE From PESSOA; 30

31 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Atualização: UPDATE NOME_TABELA SET COL1=VAL1, COL2=VAL2,...,COLN=VALN WHERE (expressão lógica) Exemplo: UPDATE PESSOA SET idade = 30 WHERE nome = Paulo ; 31

32 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Deleção: DELETE FROM NOME_TABELA WHERE (expressão lógica) Exemplo: DELETE FROM PESSOA WHERE nome = Paulo ; TRUNCATE TABLE NOME_TABELA (sem rollback): q O comando TRUNCATE remove rapidamente todas as linhas da tabela. Tem o mesmo efeito do comando DELETE sem a cláusula WHERE, mas como não varre a tabela é mais rápido. É mais vantajoso para tabelas grandes. q O comando TRUNCATE não pode ser utilizado dentro de um bloco de transação (delimitado por BEGIN/COMMIT), porque não existe a possibilidade de desfazê-lo. 32

33 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Funções Agregadas: SELECT COUNT(*) FROM PESSOA; SELECT COUNT(NOME) FROM PESSOA; SELECT SUM(idade) FROM PESSOA; SELECT AVG(idade) FROM PESSOA; SELECT MAX(idade) FROM PESSOA; SELECT MIN(idade) FROM PESSOA; 33

34 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Tabela Livro: (Codigo, Titulo, Preco, Lancamento, Assunto, Editora) Assunto References Assunto(Sigla) Editora References Editora(Codigo) Tabela Assunto: (Sigla, Descricao) Tabela Editora: Editora(Codigo, Nome) 34

35 Exemplo (DML) Editora Assunto Livro 35

36 Funções Agregadas Funções Agregadas: SELECT ASSUNTO, AVG(PRECO) FROM LIVRO GROUP BY ASSUNTO; q Preço médio dos livros por assunto SELECT ASSUNTO, COUNT(*) FROM LIVRO GROUP BY ASSUNTO; q Quantidade de livros por assunto 36

37 Funções Agregadas SELECT ASSUNTO, MAX(PRECO) FROM LIVRO GROUP BY ASSUNTO; q Preço do livro mais caro de cada assunto. SELECT ASSUNTO FROM LIVRO GROUP BY ASSUNTO HAVING AVG(PRECO) > 50; q Assuntos cuja média de preço dos livros seja maior que R$ 50,00. 37

38 Funções Agregadas SELECT ASSUNTO, COUNT(*) FROM LIVRO GROUP BY ASSUNTO HAVING COUNT(*) > 2; q Assuntos que possuem pelo menos três livros. 38

39 Eliminação de Repetições SELECT DISTINCT ASSUNTO AS ASSUNTO FROM LIVRO; q Assuntos distintos. SELECT COUNT (ASSUNTO) AS Qtd_ASSUNTO FROM LIVRO; q Quantidade de ocorrência de assuntos. SELECT COUNT (DISTINCT ASSUNTO) AS Dif_ASSUNTO FROM LIVRO; q Quantidade de assuntos distintos. 39

40 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Ordenação de Resultados: SELECT ASSUNTO, TITULO, PRECO FROM LIVRO ORDER BY ASSUNTO ASC, PRECO DESC SELECT ASSUNTO, TITULO, PRECO FROM LIVRO ORDER BY ASSUNTO, PRECO DESC; SELECT ASSUNTO, TITULO, PRECO FROM LIVRO ORDER BY 2, PRECO DESC; 40

41 Linguagem de Manipulação de Dados (DML) Selecionar as 4 pessoas mais jovens e apresentar o resultado ordenado pelo campo COD. SELECT * FROM (SELECT * FROM PESSOA ORDER BY IDADE) WHERE ROWNUM < 5 ORDER BY COD Inline View 41

42 Funções Para Cadeias de Caracteres - LOWER(col) = apresenta o resultado em minúsculas. - UPPER (col)= apresenta o resultado em maiúsculas. - INITCAP (col)= apresenta o resultado com a primeira letra maiúscula de cada palavra. - REPLACE (col, cadeia1, cadeia2)= Substitui um caractere ou caracteres de uma cadeia com 0 ou mais caracteres. Ex: REPLACE(nome, be, da ) Abel - SUBSTR (col, inicio, qtd)= Obtém parte de uma cadeia. Ex: SUBSTR(nome,2,2) Abel - CONCAT (col1, col2)= Devolve col1" concatenada com col2". 42

43 Funções Para Cadeias de Caracteres - LPAD (col, tam, char )= Adiciona caracteres à esquerda do resultado até que tenha uma certa longitude. - RPAD (col, tam, char )= Adiciona caracteres à direita do resultado até que tenha uma certa longitude. Ex: LPAD(nome, 10, * ) = ******Abel Ex: RPAD(nome, 10, * ) = Abel****** - LTRIM (col, chars )= Suprime um conjunto de caracteres à esquerda do resultado. - RTRIM (col, chars )= Suprime um conjunto de caracteres à direita da cadeia. Ex: LTRIM(nome, a ) = Abel - bel Ex: RTRIM(nome, el ) = Abel - Ab 43

44 Funções Para Números ABS(n)= Devolve o valor absoluto de (n). CEIL(n)=Obtém o valor inteiro imediatamente superior ou igual a "n". FLOOR(n) = Devolve o valor inteiro imediatamente inferior ou igual a "n". MOD (m, n)= Devolve o resto resultante de dividir "m" por "n". NVL (col, valor)= Substitui um valor nulo por outro valor. NULLIF(col, valor) = retorna NULL se col = valor; POWER (m, exponente)= Calcula a potência de um número. SQRT(n)= Devolve a raiz quadrada de "n". 44

45 Funções Para Conversão de Tipos q CAST q Sintaxe: CAST(dado_origem as tipo_dado_destino) SELECT CAST (AVG(PRECO) AS DECIMAL (10,2)) FROM PRODUTO; SELECT CAST ( 11/02/2002 AS DATE) FROM DUAL; 45

46 Junção Interna (INNER JOIN) q Select Titulo, Descricao From Livro INNER JOIN Assunto on Assunto = Sigla Where Preco > 100 Select Titulo, Descricao From Livro, Assunto Where Assunto = Sigla and Preco > 100 q Select Nome, Titulo From Livro INNER JOIN Editora E on Editora = E.Codigo INNER JOIN Assunto on Assunto = Sigla Select Nome, Idade From Pessoa INNER JOIN Gente USING (CPF) 46

47 Junção Externa à Esquerda (LEFT OUTER JOIN) q Select * From Livro li LEFT OUTER JOIN Assunto a on li.cod_assunto = a.cod_assunto 47

48 Junção Externa à Direita (RIGHT OUTER JOIN) q Select * From Livro li RIGHT OUTER JOIN Assunto a on li.cod_assunto = a.cod_assunto 48

49 Junção Externa Completa (FULL OUTER JOIN) q Select * From Livro li FULL OUTER JOIN Assunto a on li.cod_assunto = a.cod_assunto 49

50 Junção Cruzada (CROSS JOIN) Junção Cruzada (Produto Cartesiano): q Select Cod_Pac, Nome_Pac, Cod_Med, Nome_Med From Paciente CROSS JOIN Medico PACIENTE PACIENTE X MEDICO MEDICO 50

51 Subconsultas Não-Correlacionadas SELECT Nome FROM Editora WHERE Codigo IN (SELECT Editora FROM Livro WHERE Lancamento IS NOT NULL) Nome das editoras que já lançaram livros. Editora Livro 51

52 Subconsultas Não-Correlacionadas q SELECT Descricao FROM Assunto WHERE Sigla NOT IN (SELECT Assunto FROM Livro WHERE Lancamento IS NOT NULL) q Assuntos que não foram lançados livros. Livro Assunto 52

53 Subconsultas Correlacionadas SELECT Nome FROM Editora ED WHERE EXISTS (SELECT Editora FROM Livro L WHERE Lancamento IS NOT NULL AND ED.Codigo = L.Editora) Editora Livro 53

54 Subconsultas Correlacionadas q SELECT Descricao FROM Assunto A WHERE NOT EXISTS (SELECT Assunto FROM Livro L WHERE Lancamento IS NOT NULL AND A.Sigla = L.Assunto) Livro Assunto 54

55 UNION SELECT Titulo FROM Livro WHERE Assunto = B Union [ALL] (com linhas repetidas) SELECT Titulo FROM Livro WHERE Assunto = P Livro 55

56 UNION SELECT * FROM Livro WHERE Assunto = B UNION CORRESPONDING BY (Nome, Autor, Data_Lancamento) SELECT * FROM Obra WHERE Area_Concentracao = P ; 56

57 INTERSECT (Intersecção) SELECT Titulo FROM Livro WHERE Assunto IN ( B, R ) INTERSECT SELECT Titulo FROM Livro WHERE Assunto IN ( B, P ) Livro 57

58 EXCEPT (Diferença) SELECT Titulo FROM Livro WHERE Assunto IN ( B, R ) EXCEPT SELECT Titulo FROM Livro WHERE Assunto IN ( B, P ) Livro 58

59 MERGE (UPSERT) MERGE INTO Cliente C USING AUTOR A ON (A.CPF = C.CPF) WHEN MATCHED THEN UPDATE SET C.NOME = A.NOME C.ENDERECO = A.ENDERECO C.DATA_NASCIMENTO = A. DATA_NASCIMENTO WHEN NOT MATCHED THEN INSERT (CODIGO, NOME, CPF, ENDERECO, DATA_NASCIMENTO) VALUES (A.MATRICULA, A.NOME, A.CPF, A.ENDERECO, A.DATA_NASC) Atualização da tabela Cliente a partir da tabela Autor 59

60 Índice Sobre Campo Chave CREATE INDEX ind-nome ON EMPREGADO (CPF); DROP INDEX ind-nome ON tabela-nome; 60

61 Controle de Segurança em SQL GRANT CREATE TAB ON DATABASE TO usuario; GRANT INSERT, DELETE ON EMPREGADO, PROJETO TO usuario; GRANT SELECT ON EMPREGADO TO usuario; GRANT CONTROL ON INDEX ind-dep TO usuario1, usuario2; GRANT ALL PRIVILEGES ON EMPREGADO TO usuario1; CREATE ROLE role1; GRANT role1 TO usuario1; REVOKE role1 FROM usuario1; REVOKE CONTROL ON INDEX ind-dep FROM usuario2; REVOKE DELETE ON EMPREGADO FROM usuario2; REVOKE ALL PRIVILEGES ON EMPREGADO FROM usuario1; 61

Structured Query Language (SQL) Aula Prática

Structured Query Language (SQL) Aula Prática Structured Query Language (SQL) Aula Prática Linguagens de SGBD Durante o desenvolvimento do sistema R, pesquisadores da IBM desenvolveram a linguagem SEQUEL, primeira linguagem de acesso para Sistemas

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language)

SQL BÁSICO. Introdução. Prof. Suelane Garcia. Linguagem SQL (Structured Query Language) SQL BÁSICO Prof. Suelane Garcia Introdução 2 Linguagem SQL (Structured Query Language) Linguagem de Consulta Estruturada padrão para acesso a Banco de Dados. Usada em inúmeros Sistemas de Gerenciamento

Leia mais

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL

Banco de Dados. Marcio de Carvalho Victorino www.dominandoti.eng.br. Exercícios SQL Banco de Dados Exercícios SQL 1 TRF (ESAF 2006) 32. Analise as seguintes afirmações relacionadas a Bancos de Dados e à linguagem SQL: I. A cláusula GROUP BY do comando SELECT é utilizada para dividir colunas

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL SQL Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada; Originou-se da linguagem SEQUEL (1974); Revisada e chamada de SQL em 1976/77; Em 1986, padronizada pelo ANSI/ISO - chamada SQL-86; Em 1987

Leia mais

BANCO DE DADOS Parte 4

BANCO DE DADOS Parte 4 BANCO DE DADOS Parte 4 A Linguagem SQL Introdução Desenvolvida pelo depto de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R) Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL

Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Oracle University Entre em contato: 0800 891 6502 Banco de Dados Oracle 10g: Introdução à Linguagem SQL Duração: 5 Dias Objetivos do Curso Esta classe se aplica aos usuários do Banco de Dados Oracle8i,

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL

FEAP - Faculdade de Estudos Avançados do Pará PROFª LENA VEIGA PROJETOS DE BANCO DE DADOS UNIDADE V- SQL Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação. O Departamento de Pesquisas da IBM desenvolveu a SQL como forma de interface para

Leia mais

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada

S Q L 31/03/2010. SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Robson Fidalgo SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Apesar do QUERY no nome, não é apenas de consulta,

Leia mais

S Q L 15/01/2013. Enfoques de SQL. Enfoques de SQL SQL. Usos de SQL. SQL - Origem/Histórico. Gerenciamento de Dados e Informação

S Q L 15/01/2013. Enfoques de SQL. Enfoques de SQL SQL. Usos de SQL. SQL - Origem/Histórico. Gerenciamento de Dados e Informação Enfoques de SQL Gerenciamento de Dados e Informação Fernando Fonseca Ana Carolina Valeria Times Bernadette Loscio Linguagem interativa de consulta (ad-hoc): usuários podem definir consultas independente

Leia mais

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL

SQL TGD/JMB 1. Projecto de Bases de Dados. Linguagem SQL SQL TGD/JMB 1 Projecto de Bases de Dados Linguagem SQL SQL TGD/JMB 2 O que é o SQL? SQL ("ess-que-el") significa Structured Query Language. É uma linguagem standard (universal) para comunicação com sistemas

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Laboratório de Bases de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix Ingress SQL

Leia mais

Linguagem SQL. Comandos Básicos

Linguagem SQL. Comandos Básicos Linguagem SQL Comandos Básicos Caetano Traina Júnior Grupo de Bases de Dados e Imagens Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Universidade de São Paulo - São Carlos caetano@icmc.sc.usp.br Comando

Leia mais

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL

SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL SQL - Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL Criar uma base de dados (criar um banco de dados) No mysql: create database locadora; No postgresql: createdb locadora Criar

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML

Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML Linguagem de Consulta Estruturada SQL- DML INTRODUÇÃO A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation

Leia mais

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL

Linguagem SQL Sub-linguagem DDL Linguagem SQL Sub-linguagem DDL A SQL - Structured Query Language, foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language para suas

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) SQL Histórico Structured Query Language (SQL) Foi desenvolvido pela IBM em meados dos anos 70 como uma linguagem de manipulação de dados (DML - Data Manipulation Language) para suas primeiras tentativas

Leia mais

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL)

Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Linguagem de Consulta Estruturada (SQL) Conceitos sobre a versão ANSI da SQL, a sublinguagem de definição de dados (DDL) e a sublinguagem de manipulação de dados (DML) Prof. Flavio Augusto C. Correia 1

Leia mais

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Manipulação de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Manipulação de Dados Banco de Dados SQL DML SELECT... FROM... WHERE... lista atributos de uma ou mais tabelas de acordo com alguma condição INSERT INTO... insere dados em uma tabela DELETE

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER

EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER EXEMPLOS DE COMANDOS NO SQL SERVER Gerenciando Tabelas: DDL - DATA DEFINITION LANGUAG Criando uma tabela: CREATE TABLE CLIENTES ID VARCHAR4 NOT NULL, NOME VARCHAR30 NOT NULL, PAGAMENTO DECIMAL4,2 NOT NULL;

Leia mais

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas

ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL. Carga horária: 32 Horas ORACLE 11 G INTRODUÇÃO AO ORACLE, SQL,PL/SQL Carga horária: 32 Horas Pré-requisito: Para que os alunos possam aproveitar este treinamento ao máximo, é importante que eles tenham participado dos treinamentos

Leia mais

SQL S Q L. Introdução. Enfoques de SQL. SQL - Origem/Histórico. Usos de SQL. SQL - Vantagens. Banco de Dados. Fernando Fonseca Ana Carolina

SQL S Q L. Introdução. Enfoques de SQL. SQL - Origem/Histórico. Usos de SQL. SQL - Vantagens. Banco de Dados. Fernando Fonseca Ana Carolina Introdução Banco de Dados SQL Fernando Fonseca Ana Carolina SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada Apesar do QUERY no nome, não é apenas de consulta, permitindo definição (DDL)

Leia mais

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language)

Básico da Linguagem SQL. Definição de Esquemas em SQL. SQL(Structured Query Language) Básico da Linguagem SQL Definição de Esquemas em SQL SQL(Structured Query Language) Desenvolvida como a linguagem de consulta do protótipo de SGBD Sistema R (IBM, 1976). Adotada como linguagem padrão de

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Fundamentos de SQL Structured Query Language Aula2 Apresentado por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO AO SQL Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br Os comandos SQL podem ser agrupados em 3 classes: DDL Data Definition Language Comandos para a Definição

Leia mais

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes

SQL. Hélder Antero Amaral Nunes SQL Hélder Antero Amaral Nunes 2 Introdução Desenvolvida pelo departamento de pesquisa da IBM na década de 1970 (System R); Linguagem padrão de BD Relacionais; Apresenta várias padrões evolutivos: SQL86,

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Linguagem SQL: Introdução; Construção/Definição de tabelas. 2 Linguagem SQL SQL - Structured Query Language;

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL

SQL SQL BANCO DE DADOS 2. Componentes do SQL (1) Componentes do SQL (2) DDL Criação de banco de dados. Padrões de SQL BANCO DE DADOS 2 SQL (CREATE TABLE, CONSTRAINTS, DELETE, UPDATE e INSERT) Prof. Edson Thizon SQL SQL ( structured query language ) é uma linguagem comercial de definição e manipulação de banco de dados

Leia mais

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013

Aplicações - SQL. Banco de Dados: Teoria e Prática. André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Aplicações - SQL Banco de Dados: Teoria e Prática André Santanchè e Luiz Celso Gomes Jr Instituto de Computação UNICAMP Agosto de 2013 Picture by Steve Kelley 2008 SQL SQL Structured Query Language Originalmente:

Leia mais

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado

Introdução à Engenharia da Computação. Banco de Dados Professor Machado Introdução à Engenharia da Computação Banco de Dados Professor Machado 1 Sistemas isolados Produção Vendas Compras Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Banco de Dados Produtos... Desvantagens:

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Antonio

Banco de Dados. Prof. Antonio Banco de Dados Prof. Antonio SQL - Structured Query Language O que é SQL? A linguagem SQL (Structure query Language - Linguagem de Consulta Estruturada) é a linguagem padrão ANSI (American National Standards

Leia mais

SQL - Criação de Tabelas

SQL - Criação de Tabelas SQL - Criação de Tabelas André Restivo Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto February 24, 2012 André Restivo (FEUP) SQL - Criação de Tabelas February 24, 2012 1 / 25 Sumário 1 Introdução 2 Tabelas

Leia mais

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL)

ROTEIRO. A Linguagem SQL (I parte) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva. As partes da linguagem SQL. A Linguagem de Definição de Dados (SQL-DDL) CEFET.PHB - PI Prof. Jefferson Silva SQL (MySql) ROTEIRO I PARTE - INTRODUÇÃO AO SQL COMANDOS E SUAS PARTES DA LINGUAGEM SQL II PARTE ADMINSTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO MYSQL PRINCIPAIS INSTRUÇÕES

Leia mais

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO.

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE INFORMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Curso Oracle 10g Prof. MSc. Luciano Blomberg lblomberg@uol.com.br 2011/1

Leia mais

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Fundamentos do Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cláudio Luís V. Oliveira Janeiro de 2010 Definição "Um sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso, a correta manutenção e a integridade dos

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) )

CREATE TABLE AUTOR ( cod_autor int not null primary key, nome_autor varchar (60) ) TADS Exercício Laboratório I Analise o modelo de banco de dados abaixo: MUSICA FAIXA Codigo_Musica: INTEGER Nome_Musica: VARCHAR(60) Duracao: NUMERIC(6,2) Codigo_Musica: INTEGER (FK) Codigo_CD: INTEGER

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais

LINGUAGEM SQL. SQL Server 2008 Comandos iniciais 1 LINGUAGEM SQL SQL Server 2008 Comandos iniciais SQL - STRUCTURED QUERY LANGUAGE Quando os Bancos de Dados Relacionais estavam sendo desenvolvidos, foram criadas linguagens destinadas à sua manipulação.

Leia mais

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados

LINGUAGEM SQL. DML - Linguagem de Manipulação de Dados LINGUAGEM SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem de pesquisa declarativa para banco de dados relacional (base de dados relacional). Muitas das características

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents Banco de dados Linguagens de Banco de Dados II 1 Linguagem de Definição de Dados - DDL Comandos utilizados para criação do esquema de dados; Um DDL permite ao utilizador definir tabelas novas e elementos

Leia mais

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo Comandos DDL Estudo de Caso Controle Acadêmico Simplificado Uma escola contém vários cursos, onde cada aluno possui uma matricula num determinado curso. Estes cursos, por sua vez, possuem módulos, aos

Leia mais

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS)

SQL. Histórico BANCO DE DADOS. Conceito. Padrões de SQL (1) Componentes do SQL (1) Padrões de SQL (2) (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) BANCO DE DADOS SQL (DDL: CREATE TABLE, CONSTRAINTS) Prof. Edson Thizon Histórico Entre 1974 e 1979, o San José Research Laboratory da IBM desenvolveu um SGDB relacional que ficou conhecido como Sistema

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo )

Ex.: INSERT INTO tmpautor (CDAUTOR, NMAUTOR) VALUES (1, Renato Araújo ) PRONATEC - Programador de Sistemas Banco de Dados 1) Incluindo linhas nas tabelas a. Para incluir linhas em tabelas utilize o comando INSERT INTO INSERT INTO tabela [ ( coluna [, coluna,...] ) ] VALUES

Leia mais

SQL (Linguagem de Consulta Estruturada)

SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) SQL (Linguagem de Consulta Estruturada) M.Sc. Cristiano Mariotti mscmariotti@globo.com Introdução à SQL 1 Visão Geral Introdução Comandos de Definição de Dados Comandos de Manipulação de Dados Introdução

Leia mais

Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3

Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3 ÍNDICE o -INTRODUÇÃO Sumário 1 0.1 Introdução 1 0.2 Breve História da Linguagem SQL l 0.3 Características da Linguagem SQL 3 0.4 A Composição deste Livro 3 0.5 Sistemas Utilizados 6 0.5.1 Access 2003 (Microsoft)

Leia mais

SQL. Banco de Dados I. Componentes de SQL

SQL. Banco de Dados I. Componentes de SQL Banco de Dados I Adrovane Marques Kade 1 1 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia adrovane.kade@bento.ifrs.edu.br 2011/1 ( Structured Query Language

Leia mais

Introdução à linguagem SQL

Introdução à linguagem SQL Introdução à linguagem SQL 1 Histórico A linguagem de consulta estruturada (SQL - Structured Query Language) foi desenvolvida pela empresa IBM, no final dos anos 70. O primeiro banco de dados comercial

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

Formação em Banco de Dados

Formação em Banco de Dados Formação em Banco de Dados Sobre a KTEC A KTEC Escola de Tecnologia oferece uma série de cursos, para os que procuram uma base sólida no aprendizado, com foco nas boas práticas que fazem a diferença no

Leia mais

SQL Structured Query Language. SQL Linguagem de Definição de Dados. SQL Structured Query Language. SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language. SQL Linguagem de Definição de Dados. SQL Structured Query Language. SQL Structured Query Language Pós-graduação em Ciência da Computação CCM-202 Sistemas de Banco de Dados SQL Linguagem de Definição de Dados Profa. Maria Camila Nardini Barioni camila.barioni@ufabc.edu.br Bloco B - sala 937 2 quadrimestre

Leia mais

SQL. Profa. Msc. Fernanda Lígia Rodrigues Lopes. Disciplina: Fundamentos de Banco de Dados

SQL. Profa. Msc. Fernanda Lígia Rodrigues Lopes. Disciplina: Fundamentos de Banco de Dados SQL Profa. Msc. Fernanda Lígia Rodrigues Lopes Disciplina: Fundamentos de Banco de Dados Roteiro O que é SQL? Breve Histórico da SQL Usos da SQL Comandos SQL DDL Comandos SQL DML Comandos para consultas

Leia mais

SQL CREATE DATABASE. MySQL, SQL Server, Access, Oracle, Sybase, DB2, e outras base de dados utilizam o SQL.

SQL CREATE DATABASE. MySQL, SQL Server, Access, Oracle, Sybase, DB2, e outras base de dados utilizam o SQL. LINGUAGEM SQL SQL CREATE DATABASE MySQL, SQL Server, Access, Oracle, Sybase, DB2, e outras base de dados utilizam o SQL. SQL CREATE TABLE SQL NOT NULL O valor NOT NULL obriga que o campo contenha sempre

Leia mais

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DDL Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Introdução Modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto

Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL. www.pedrofcarvalho.com.br contato@pedrofcarvalho.com.br São José do Rio Preto Pedro F. Carvalho OCP Oracle 2008.2 10g LINGUAGEM SQL Objetivos Revisando a sintaxe SQL SELECT, UPDATE, INSERT, DELETE Manipulando expressões Funções matemáticas, etc Condições de Pesquisa Funções de Agregação

Leia mais

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas:

Álgebra Relacional. Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída. Operações básicas: Álgebra Relacional Conjunto de operações que usa uma ou duas relações como entrada e gera uma relação de saída operação (REL 1 ) REL 2 operação (REL 1,REL 2 ) REL 3 Operações básicas: seleção projeção

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) e SQL:2003 não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere...

Leia mais

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where.

Uma expressão básica em SQL consiste em três cláusulas: select, from e where. Introdução a Banco de Dados O.K. Takai; I.C.Italiano; J.E. Ferreira. 67 8 A Linguagem SQL A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial que usa uma combinação de construtores em Álgebra

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL- (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello

Banco de Dados. Maurício Edgar Stivanello Banco de Dados Maurício Edgar Stivanello Agenda Conceitos Básicos SGBD Projeto de Banco de Dados SQL Ferramentas Exemplo Dado e Informação Dado Fato do mundo real que está registrado e possui um significado

Leia mais

Programação SQL. Manipulação de Dados. DML Data Manipulation Language

Programação SQL. Manipulação de Dados. DML Data Manipulation Language Programação SQL Manipulação de Dados DML Data Manipulation Language Manipulação de Dados (DML) Os comandos INSERT, UPDATE, DELETE, são normalmente classificados como pertencendo a uma sublinguagem da linguagem

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

Engenharia de Computação / Engenharia de Produção. Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira

Engenharia de Computação / Engenharia de Produção. Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira Unidade 3 SQL Engenharia de Computação / Engenharia de Produção Banco de Dados Prof. Maria das Graças da Silva Teixeira Material base: Banco de Dados, 2009.2, prof. Otacílio José Pereira Contexto na Disciplina

Leia mais

Formação em Banco de Dados. Subtítulo

Formação em Banco de Dados. Subtítulo Formação em Banco de Dados Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras

Leia mais

Linguagem SQL (Parte I)

Linguagem SQL (Parte I) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte I) Introdução

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br

BANCO DE DADOS. info 3º ano. Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br BANCO DE DADOS info 3º ano Prof. Diemesleno Souza Carvalho diemesleno@iftm.edu.br www.diemesleno.com.br Na última aula estudamos Unidade 4 - Projeto Lógico Normalização; Dicionário de Dados. Arquitetura

Leia mais

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 Exercícios Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 1. A linguagem SQL apresenta uma série de comandos que permitem a definição dos dados, chamada de DDL (Data Definition Language). Assinale a alternativa

Leia mais

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições Instituto Militar de Engenharia IME Material extraido parcialmente de notas de aula de Maria Luiza Campos e Arnaldo Vieira Comandos de Definição de Dados Aplicação

Leia mais

Curso: SQL Básico. Padrão de linguagem de consulta relacional aceito pelos comitês ANSI e ISO.

Curso: SQL Básico. Padrão de linguagem de consulta relacional aceito pelos comitês ANSI e ISO. Curso: SQL Básico Glauco Luiz Rezende de Carvalho glauco.rezende@banese.com.br Este material foi baseado e adaptado pelo material do Prof. MSc. Fábio Soares Silva da Universidade Tiradentes - UNIT SQL

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Modelagem e Projeto de Banco de Dados Especialização em Tecnologia da Informação - Ênfases Março- 2009 1 Modelo Físico Introdução

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

'%'! $!0" $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,"/)!)+,/)% *! +,"0''% * %$!*!$$ #!"%&%'%'%$! "94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31?

'%'! $!0 $ 8 ' %%! % '! $ $$% + ' %!%$/)!'4!+,/)!)+,/)% *! +,0''% * %$!*!$$ #!%&%'%'%$! 94(# ' %'$%$$$%0%$%' *!% %%%'!**% > %% %%!31? MODELAGEM FÍSICA Capítulo 3! " # $ $!%%%& '$! $% $$%"%' ) ' *'!%'!$ $ $ $% +, %#!!" '$*'#%! $ $$%" % '$%!!% $% * % $ *-! %$% $!* '% $!$$.!'% & $%!% $ $ ' %/!$ 0 $*' $% *0 )#%!$0% 1&$$$%+#!*22,"$% )'%$$%%&

Leia mais

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano

DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS. Fábio Roberto Octaviano DO BÁSICO AO AVANÇADO PARA MANIPULAÇÃO E OTIMIZAÇÃO DE DADOS Fábio Roberto Octaviano Conceitos da arquitetura Oracle e da Linguagem SQL Recuperar dados por meio de SELECT Criar relatórios de dados classificados

Leia mais

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33

Escrito por Sex, 14 de Outubro de 2011 23:12 - Última atualização Seg, 26 de Março de 2012 03:33 Preço R$ 129.00 Compre aqui SUPER PACOTÃO 3 EM 1: 186 Vídeoaulas - 3 dvd's - 10.5 Gybabyte. 1) SQL 2) Banco de Dados (Oracle 10g, SQL Server 2005, PostgreSQL 8.2, Firebird 2.0, MySQL5.0) 3) Análise e Modelagem

Leia mais

A Linguagem SQL. Introdução a Banco de Dados DCC 011

A Linguagem SQL. Introdução a Banco de Dados DCC 011 A Linguagem SQL Introdução Originalmente proposta para o System R desenvolvido nos laboratórios da IBM na década de 70 SEQUEL (Structured English QUEry Language) Objeto de um esforço de padronização coordenado

Leia mais

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Banco de Dados II Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

1. Domínio dos Atributos

1. Domínio dos Atributos Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Domínio dos Atributos Por domínio, ou tipo, pode-se entender como a maneira como determinado atributo (ou campo, se tratando

Leia mais