CAROS SERVIDORES (AS),

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CAROS SERVIDORES (AS),"

Transcrição

1

2

3 CAROS SERVIDORES (AS), A diretoria do Sindicato dos Servidores Municipais de Jaboatão dos Guararapes (SINSMUJG), no intuito de informar e combater o crime de assédio moral, prática que vem ocorrendo com muita frequência na nossa cidade, vitimando servidores, e que vem causando sérios danos à saúde destes profissionais, resolveu lançar uma campanha educativa no município e elaborar esta cartilha para ser distribuída a todos os servidores públicos locais. Esperamos que, após a leitura, estes trabalhadores compreendam o que é assédio moral, como e quando ocorre e o que pode ser feito por todos para evitar e combater esta prática criminosa. É de extrema importância que o assédio moral seja denunciado e que os agressores sejam punidos. Por isto, a sua entidade sindical está à disposição para que você possa denunciar com toda segurança e proteção, sem risco a sua vida e seu futuro profissional. Boa leitura! Presidência David Matos Diretoria de Comunicação Lindomar Machado 3

4 O QUE É ASSÉDIO MORAL? Assédio moral é a exposição dos trabalhadores a situações constrangedoras e humilhantes, que ocorrem durante a jornada de trabalho e com frequência. Muitas vezes, eles são conduzidos a jornadas extensas, além do firmado em acordo. Essas abordagens são mais comuns em relações hierárquicas, nas quais os chefes abordam o funcionário público de forma autoritária, por meio do medo e da ameaça. Trata-se de um processo de agressão contínua, que acarreta à vítima uma série de problemas como diminuição da produtividade e falta de motivação. Com medo de ser prejudicado, o trabalhador não denuncia o abuso. Todo ambiente negativo criado pelos opressores faz com que o trabalhador abandone o emprego, grande parte das vezes. O assédio moral acontece de várias maneiras. Veremos adiante os casos. 4

5 ASSÉDIO MORAL DESCENDENTE Esse tipo de assédio é praticado nas relações hierárquicas, pelo empregador ou superior hierárquico que recebe o poder de comandar o subordinado. O trabalhador é tratado de forma autoritária. A competitividade é cada vez mais acirrada, principalmente quando o funcionário tem que se enquadrar nos programas de qualidade, como metas de eficiência e eficácia dos modelos produtivos elaborados pela gestão pública, por exemplo. A violência é cometida constantemente, objetivando eliminar ou transferir o servidor do ambiente de trabalho. Tudo isso com o objetivo do trabalhador produzir mais ganhando menos. 5

6 ASSÉDIO MORAL ASCENDENTE Também existe o assédio moral ascendente: mais difícil de ocorrer, se dá quando um ou vários subordinados se põem contra a chefia. Ocorre de forma vertical, de baixo (subordinados) para cima (chefia). Este tipo de assédio também acontece quando o superior hierárquico, por inexperiência da função, não consegue manter o controle sobre os trabalhadores, sendo pressionado por gestores superiores, a exigir mudanças na organização do trabalho ou cumprimento de carga horária. 6

7 ASSÉDIO MORAL PARITÁRIO Acontece de maneira horizontal e é cometido pelo funcionário para atingir outro colega de serviço. Como forma de pressão, o agressor faz brincadeiras maldosas, piadas grosseiras, gestos obscenos, menosprezo, além de praticar isolamento. A violência pode ser resultante de conflitos interpessoais ou competitividade. A prática agride os direitos, a dignidade e a honra do empregado assediado, obstruindo a paz do ambiente de trabalho. 7

8 ASSÉDIO MORAL ORGANIZACIONAL Este tipo de assédio acontece quando a empresa impõe o cumprimento de metas aos seus funcionários. Esses números a serem alcançados vão além da capacidade humana. 8

9 ASSÉDIO MORAL MISTO O assédio moral misto exige a presença de pelo menos três sujeitos: o assediador vertical, o assediador horizontal e a vítima. Ocorre quando o assediado é vítima do superior hierárquico e do colega de trabalho, que concorda e até estimula as atitudes do chefe. 9

10 QUEM AGRIDE? Na maioria das vezes, o superior agride o subordinado. Abaixo, seguem alguns perfis destacados por Martha Halfeld Furtado, em sua obra Assédio Moral no Direito do Trabalho. - Está se achando : Inseguro e confuso. Vive dando ordens contraditórias. Se o trabalho for positivo, diz que foi ele. Caso contrário, culpa o funcionário. - Garganta: Conta muita vantagem e não admite que um subordinado saiba mais que ele. - Irmão: Finge ser amigo e depois de conhecer os problemas do funcionário, manipula-o. - Mala-babão : Capataz da modernidade. Controla e persegue os subordinados com mão de ferro. - Pit Bull: Agressivo e perverso. Humilha os empregados por prazer. - Profeta: Adora demitir. Humilha com cautela e certa elegância. - Tigrão: Quer ser temido para esconder sua incompetência. Precisa mandar para se sentir respeitado. - Troglodita: Seja o que for, ele tem sempre razão. 10

11 AS PRINCIPAIS VÍTIMAS - Mulheres; - Homossexuais; - Trabalhadores com idade mais avançada; - Funcionários mais competentes que o agressor; - Negros; - Portadores de algum tipo de deficiência ou problema de saúde. 11

12 COMO O AGRESSOR AGE COM A VÍTIMA? - Desestabiliza-o emocional e profissionalmente. De forma gradual, a vítima perde a autoconfiança e o interesse pelo trabalho; - Atribui erros inexistentes; - Pede, sem necessidade, trabalhos urgentes; - Critica e humilha o trabalhador em público; - Impõe horários injustificados; - Transfere a vítima do setor a fim de provocar o isolamento; - Retira seus instrumentos de trabalho; - Faz com que todo grupo se afaste do assediado; - Espalha boatos, insinuando que o agredido tem problemas mentais e/ ou familiares. - Envolve a comunidade para ser contra os trabalhadores (as). 12

13 CONSEQUÊNCIAS O assédio moral traz terríveis efeitos à vida pessoal, familiar e profissional da vítima. Doenças psicológicas e/ ou físicas começam a surgir e estudos mostram que os resultados são diferentes entre homens e mulheres. Veja tabela abaixo: 13

14 NÃO FORTALEÇA O OPRESSOR A solidariedade entre os funcionários no ambiente de trabalho faz com que o assediado não tenha medo e denuncie o agressor. É fundamental que os colegas não sejam cúmplices das ações ilegais e imorais praticadas por quem assedia. É preciso que a luta pela dignidade, respeito e um ambiente profissional saudável seja constante. E lembre-se de levar o problema para conhecimento do seu sindicato. 14

15 COMO COMBATER O ASSÉDIO MORAL? Para reagir contra a intimidação que lhe é proporcionada, o trabalhador tem que ter noção do que é assédio moral e como ele ocorre. Recomenda-se que a vítima em questão anote os detalhes e consiga testemunhas. Mais adiante, informe os fatos por escrito para sua chefia ou ao superior hierárquico do agressor. Contar com a ajuda do Sindicato também é essencial. Por isso, o SINSMUJG se coloca à disposição do servidor para ajudá-lo no combate a esta prática criminosa. Se você é vítima de algum tipo de assédio moral, pode entrar em contato com o Sindicato através dos telefones: (81) / O SINSMUJG também criou um canal para efetuar denúncia pela internet, através do Caso o servidor prefira, pode se direcionar diretamente a uma de nossas sedes: Sede Jaboatão: Rua Manoel Madruga, Jaboatão Centro, Jaboatão dos Guararapes/PE. Sede Prazeres: Rua João Bezerra de Melo, Prazeres - Jaboatão dos Guararapes/PE. As redes sociais também estão abertas para denúncias. Conheça o nosso Facebook e Twitter: 15

16 FONTES DE PESQUISA: Cartilha do Sintepe Cartilha do Sindicato dos Bancários SCHMIDT, Martha Halfeld Furtado de Mendonça. O assédio moral no Direito do Trabalho. Revista da ABMCI/ número 2. WIKIPEDIA: Site AssédioMoral.org: LAYOUT E DIAGRAMAÇÃO: Hiago Mota. TEXTO: Houldine Nascimento; Lindomar Machado. 16

17 DIRETORIA EXECUTIVA: Presidente: David de Matos Vice-Presidente: Silas Ferreira Secretário Geral: Jailson Batista Diretor de Articulação Financeira: João Martiniano Diretor de Saúde e Política Social: Lindomar Machado Diretor de Patrimônio: João de Matos Tesoureiro: Pedro Santiago DIRETORIA ADJUNTA: Diretora Adj. da Mulher Servidora: Vera Caetano Diretor adj. Jurídico: Walter Soares Diretor Adj. Econômico e dos Aposentados: Elias de Santana Diretora Adj. Sindical: Ana Guedes Diretor Adj. de Educação e Cultura: Luiz Jatobá Diretor Adj. de Esportes: Carlos Oliveira Conselho Fiscal: Edson Araújo, Manoel de Lima e Edmilson marques. Delegados: Lenilson Aroucha e Marcia Curado 17

18 FACEBOOK.COM/SINSMUJG TWITTER.COM/SINSMUJG SEDE JABOATÃO: RUA MANOEL MADRUGA, JABOATÃO CENTRO, JABOATÃO DOS GUARARAPES/PE. FONE: SEDE PRAZERES: RUA JOÃO BEZERRA DE MELO, PRAZERES - JABOATÃO DOS GUARARAPES/PE. FONE: (81)

A violência moral no trabalho não é um fenômeno novo. Atualmente vem aumentando, em virtude de:

A violência moral no trabalho não é um fenômeno novo. Atualmente vem aumentando, em virtude de: A violência moral no trabalho não é um fenômeno novo. Atualmente vem aumentando, em virtude de: Novas relações de trabalho/precarização Pressões por produtividade Desumanização do ambiente de trabalho

Leia mais

Brasília, outubro de 2011

Brasília, outubro de 2011 Brasília, outubro o de 2011 1 Sumário Apresentação... 3 O que é assédio moral... 4 Como identificar o assédio moral... 4 Quem é o agressor?... 4 Danos ao agredido... 5 Exemplos de assédio moral... 5 Como

Leia mais

EXPEDIENTE. Organizadores da cartilha: Marcelo Serafim - Secretário de Imprensa e Divulgação

EXPEDIENTE. Organizadores da cartilha: Marcelo Serafim - Secretário de Imprensa e Divulgação APRESENTAÇÃO Preocupado com a situação de assédio recorrente no ambiente escolar e demais setores da educação, o SINTE/SC decidiu elaborar esta cartilha sobre o assunto, com o objetivo de propiciar aos

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE AO ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO AMBIENTE DE TRABALHO Versão 1.0 RES nº 101/2014, 09/12/2014 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Aplicação... 3 3. Conceitos... 3 4. Referências... 4

Leia mais

Assédio Moral e Violência no Trabalho SINDSEP CAROLINA GRANDO, PSICÓLOGA - CRP 06/114283

Assédio Moral e Violência no Trabalho SINDSEP CAROLINA GRANDO, PSICÓLOGA - CRP 06/114283 Assédio Moral e Violência no Trabalho SINDSEP CAROLINA GRANDO, PSICÓLOGA - CRP 06/114283 O que você sempre quis saber sobre saúde mental relacionada ao trabalho e nunca teve a quem perguntar? Dividam-se

Leia mais

COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho

COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção de Igualdade de Oportunidade e Eliminação da Discriminação no Trabalho Procuradoria Regional do Trabalho da 1ª Região Av.

Leia mais

ASSÉDIO MORAL NO LOCAL DE TRABALHO ORGANIZADA PELO NUCODIS/DRT-SC

ASSÉDIO MORAL NO LOCAL DE TRABALHO ORGANIZADA PELO NUCODIS/DRT-SC ASSÉDIO MORAL NO LOCAL DE TRABALHO ORGANIZADA PELO NUCODIS/DRT-SC DIRETORIA 2008-2011 DIRETORIA EXECUTIVA Presidente Wanderley Julio Quêdo 1º Vice-Presidente Francilio Paes Leme 2º Vice-Presidente Antonio

Leia mais

2º ENCONTRO DE TÉCNICOS E AUXILIARES DE ENFERMAGEM DO COREN-BA. 26/09/2014 SUERDA F. DE SOUZA COAST/CESAT/DIVAST

2º ENCONTRO DE TÉCNICOS E AUXILIARES DE ENFERMAGEM DO COREN-BA. 26/09/2014 SUERDA F. DE SOUZA COAST/CESAT/DIVAST ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO: DESAFIO PARA A SAÚDE DO TRABALHADOR 2º ENCONTRO DE TÉCNICOS E AUXILIARES DE ENFERMAGEM DO COREN-BA. 26/09/2014 SUERDA F. DE SOUZA COAST/CESAT/DIVAST ASSÉDIO (VIOLÊNCIA) MORAL

Leia mais

Assédio Sexual. No Local de Trabalho. Série Trabalho e Cidadania - ANO I - N O 03

Assédio Sexual. No Local de Trabalho. Série Trabalho e Cidadania - ANO I - N O 03 Assédio Sexual No Local de Trabalho Série Trabalho e Cidadania - ANO I - N O 03 No início de tudo está a questão de Gênero Desde que nascemos, recebemos uma grande carga cultural que destaca - e distancia

Leia mais

SOBRE O DOSSIÊ EDUCAÇÃO:

SOBRE O DOSSIÊ EDUCAÇÃO: SOBRE O DOSSIÊ EDUCAÇÃO: Distribuição realizada na Assembleia Unificada do SEPE-RJ, dia 15 de maio de 2014, no Clube Municipal, na Tijuca (RJ). O que é o DOSSIÊ EDUCAÇÃO? É um documento que trata da estrutura

Leia mais

Previna-se Denuncie. Sinttel-DF. Assédio. é crime. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Distrito Federal

Previna-se Denuncie. Sinttel-DF. Assédio. é crime. Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Distrito Federal Previna-se Denuncie Sinttel-DF Assédio Moral é crime Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações do Distrito Federal 2 Sua dignidade é o seu maior patrimonio O Sinttel-DF está muito preocupado com

Leia mais

ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO

ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO Conceito: É toda e qualquer conduta abusiva (gesto, palavra, escritos, comportamento, atitude, etc.) que, intencional e freqüentemente, fira a dignidade e a integridade física

Leia mais

Cássio Taniguch Secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente

Cássio Taniguch Secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente Cartilha Assédio Moral, Sexual e Discriminação José Roberto Arruda Governador Paulo Octávio Vice-Governador Cássio Taniguch Secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente Antônio Gomes Presidente

Leia mais

Assédio Moral e Sexual no Trabalho - Campanha de Prevenção - SEEB

Assédio Moral e Sexual no Trabalho - Campanha de Prevenção - SEEB 4 Assédio Moral e Sexual no Trabalho Campanha de Prevenção Sindicato dos Bancários de Santa Maria e Região 2 Expediente Assédio Moral e Sexual no Trabalho é uma publicação do Sindicato dos Bancários de

Leia mais

ASSÉDIO MORAL. é ilegal e imoral, DENUNCIE!

ASSÉDIO MORAL. é ilegal e imoral, DENUNCIE! ASSÉDIO MORAL é ilegal e imoral, DENUNCIE! ASSÉDIO MORAL é ilegal e imoral, denuncie! Índice Edição...02 Apresentação...03 Introdução...04 O que é Assédio Moral...05 Como acontece o Assédio Moral...06

Leia mais

BULLYING PROFISSIONAL E O CONSTRANGIMENTO ILEGAL HIERÁRQUICO NO DIREITO ADMINISTRATIVO MILITAR

BULLYING PROFISSIONAL E O CONSTRANGIMENTO ILEGAL HIERÁRQUICO NO DIREITO ADMINISTRATIVO MILITAR BULLYING PROFISSIONAL E O CONSTRANGIMENTO ILEGAL HIERÁRQUICO NO DIREITO ADMINISTRATIVO MILITAR Eder Machado Silva * Resumo: O presente artigo tem por objetivo abrir uma discussão sobre essa visão de violência

Leia mais

OS IMPACTOS DO BULLYING CORPORATIVO À SAÚDE E À PRODUTIVIDADE DOS FUNCIONÁRIOS

OS IMPACTOS DO BULLYING CORPORATIVO À SAÚDE E À PRODUTIVIDADE DOS FUNCIONÁRIOS OS IMPACTOS DO BULLYING CORPORATIVO À SAÚDE E À PRODUTIVIDADE DOS FUNCIONÁRIOS É possível matar alguém só com palavras? A humilhação, gesto, palavras ofensivas no ambiente de trabalho ou qualquer outro

Leia mais

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a violência como o uso deliberado da força física, ou o poder, como ameaça à própria pessoa, um terceiro,

A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a violência como o uso deliberado da força física, ou o poder, como ameaça à própria pessoa, um terceiro, Ana Dantas A Organização Mundial da Saúde (OMS) define a violência como o uso deliberado da força física, ou o poder, como ameaça à própria pessoa, um terceiro, um grupo ou uma comunidade, que cause ou

Leia mais

Assédio moral como patologia da solidão e do silêncio

Assédio moral como patologia da solidão e do silêncio Assédio moral como patologia da solidão e do silêncio Seminário Internacional de Ouvidorias-Ombudsman Brasil-Canadá Fortaleza julho 2009 João Batista Ferreira - Banco do Brasil INTERPESSOAL GRUPAL ORGANIZACIONAL

Leia mais

ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO

ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO 1 CONCEITO Dano Moral Assédio Moral 2 Assédio Moral no Trabalho Conduta sem conotação sexual, ligada ao abuso de poder e caracterizada por práticas de humilhação e

Leia mais

Rua Quatro Jacós, 26. CEP: 90.150-010 Porto Alegre - RS Fone: (051) 3224-2452 Fax: (051) 3224-3730 www.sindjus.com.br

Rua Quatro Jacós, 26. CEP: 90.150-010 Porto Alegre - RS Fone: (051) 3224-2452 Fax: (051) 3224-3730 www.sindjus.com.br Rua Quatro Jacós, 26. CEP: 90.150-010 Porto Alegre - RS Fone: (051) 3224-2452 Fax: (051) 3224-3730 www.sindjus.com.br Fontes consultadas: HIRIGOYEN, Marie-France. Mal-estar no trabalho: redefinindo o assédio

Leia mais

PROJETO APE E PROGRAMA ESCOLA DA FAMILIA

PROJETO APE E PROGRAMA ESCOLA DA FAMILIA PROJETO APE E PROGRAMA ESCOLA DA FAMILIA O enfrentamento do BULLYING, além de ser uma medida disciplinar, também é um gesto cidadão tremendamente educativo, pois prepara os alunos para a aceitação, o respeito

Leia mais

Pelos Direitos Humanos no Trabalho

Pelos Direitos Humanos no Trabalho A Direção do SINTEST/RN Gestão Unidade e Autonomia na Luta - decidiu reeditar esta cartilha sobre Assédio Moral pela importância que esse assunto requer dentro dos mais diversos setores da sociedade, especialmente

Leia mais

convicções religiosas...

convicções religiosas... apresenta Cartilha O termo DISCRIMINAR significa separar; diferenciar; estabelecer diferença; distinguir; não se misturar; formar grupo à parte por alguma característica étnica, cultural, religiosa etc;

Leia mais

O ASSÉDIO SEXUAL E MORAL NO LOCAL DE TRABALHO

O ASSÉDIO SEXUAL E MORAL NO LOCAL DE TRABALHO O ASSÉDIO SEXUAL E MORAL NO LOCAL DE TRABALHO SEMINÁRIO INTERNACIONAL ISCSP - INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS SOCIAIS E POLÍTICAS UNIVERSIDADE DE LISBOA 1 LISBOA, 03 DE JUNHO DE 2015 Gostaria de começar

Leia mais

O Assédio Moral nas Organizações de Trabalho

O Assédio Moral nas Organizações de Trabalho O Assédio Moral nas Organizações de Trabalho Aline Peixoto Monteiro Psicóloga Organizacional Recrutamento, Seleção e Acompanhamento Desenvolvimento Humano Origem do Assédio Moral Década de 80: primeiros

Leia mais

Política de uso do portal e canais do Grupo Hospital Casa nas redes sociais.

Política de uso do portal e canais do Grupo Hospital Casa nas redes sociais. Política de uso do portal e canais do Grupo Hospital Casa nas redes sociais. O objetivo desta política é estabelecer as diretrizes de participação nos canais digitais do Grupo hospital casa nas redes sociais

Leia mais

Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN

Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior - ANDES-SN cartilha_assédio.pmd 1 1 Expediente: Produzido pela Assessoria de Comunicação do ANDES-SN SCS, Qd. 2, Bl. C, 5º andar - CEP 70.302-914 - Brasília-DF Tel. 61 3322 7561 www.andes.org.br Diretor de Divulgação

Leia mais

O Ambiente de trabalho em equilíbrio e livre de ASSÉDIO MORAL E SEXUAL

O Ambiente de trabalho em equilíbrio e livre de ASSÉDIO MORAL E SEXUAL O Ambiente de trabalho em equilíbrio e livre de ASSÉDIO MORAL E SEXUAL APRESENTAÇÃO Para contribuir com o desenvolvimento das pessoas em uma organização e torná-las ainda mais produtivas, é preciso um

Leia mais

Assédio Moral e Sexual no Trabalho

Assédio Moral e Sexual no Trabalho A MISSÃO DA SCHIMITD Zelar pela proteção e bem estar de nossos clientes, oferecendo sempre soluções inovadoras para atender suas necessidades, visando aliar soluções qualidadeà preçoscompetitivos. de Assédio

Leia mais

INTRODUÇÃO CONCEITO DE ASSÉDIO SEXUAL CRIME DE ASSÉDIO SEXUAL. * O crime de assédio sexual foi introduzido pela Lei 10.224/01.

INTRODUÇÃO CONCEITO DE ASSÉDIO SEXUAL CRIME DE ASSÉDIO SEXUAL. * O crime de assédio sexual foi introduzido pela Lei 10.224/01. O ASSÉDIO SEXUAL E O ASSÉDIO MORAL NO AMBIENTE DE TRABALHO PROFESSORA ADRIANA C. CALVO Mestranda da PUC/SP e Coordenadora do Curso de Direito do Trabalho do IELF INTRODUÇÃO De fato, a linha-mestra do comportamento

Leia mais

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 2 TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI* *Artigo 5º da Constituição Brasileira

Leia mais

É o mesmo que violência moral. Quando um chefe, gerente, encarregado ou mesmo colega de trabalho submete o (a) trabalhador (a) a vexames,

É o mesmo que violência moral. Quando um chefe, gerente, encarregado ou mesmo colega de trabalho submete o (a) trabalhador (a) a vexames, A razão da proposta Em 2003, diante da ausência de legislação sobre o assédio moral, e de uma vivência sindical, observando relações de trabalho deterioradas que impediam o crescimento profissional de

Leia mais

ASSÉDIO MORAL JUNTOS PODEMOS ACABAR COM ELE.

ASSÉDIO MORAL JUNTOS PODEMOS ACABAR COM ELE. ASSÉDIO MORAL JUNTOS PODEMOS ACABAR COM ELE. Índice Assédio Moral - É crime, Não aceite, Denuncie 02 O que é Violência Moral no trabalho? 04 Violência Moral no Judiciário 06 Estou sofrendo Assédio Moral?

Leia mais

Como se livrar da humilhação

Como se livrar da humilhação 1 Como se livrar da humilhação Casos de assédio moral triplicam na Justiça em quatro anos. Veja o que fazer para evitar problemas no trabalho e não prejudicar sua carreira Andrea Giardino Há três anos,

Leia mais

Rh News. RH News. Gestão de RH. Relações Trabalhistas. Prof. Ms. Mauricio Libreti de Almeida

Rh News. RH News. Gestão de RH. Relações Trabalhistas. Prof. Ms. Mauricio Libreti de Almeida Gestão de RH Prof. Ms. Mauricio Libreti de Almeida Relações Trabalhistas Rh News RH News Quais são as causas mais comuns de reclamações trabalhistas nas empresas? Reclamações trabalhistas mais comuns Horas

Leia mais

Campanha Anti-bullying. JMJ na luta de uma escola respeitosa e humanizada

Campanha Anti-bullying. JMJ na luta de uma escola respeitosa e humanizada Campanha Anti-bullying JMJ na luta de uma escola respeitosa e humanizada Se o mal é contagioso o bem também é. Deixemos-no contagiar pelo bem. Papa Francisco Caro jovem, família e educadores, Este material

Leia mais

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES

www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES www.entrenacoes.com.br UMA IGREJA FORTE, SE FAZ COM MINISTÉRIOS FORTES A RESPONSABILIDADE É PESSOAL A CEEN é uma igreja que tem a responsabilidade de informar e ensinar os valores e princípios de Deus,

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO

CÓDIGO DE ÉTICA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO CÓDIGO DE ÉTICA DA AGÊNCIA DE FOMENTO DE GOIÁS S/A GOIÁSFOMENTO 0 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO... 2 2 - ABRANGÊNCIA... 2 3 - PRINCÍPIOS GERAIS... 2 4 - INTEGRIDADE PROFISSIONAL E PESSOAL... 3 5 - RELAÇÕES COM

Leia mais

OLÁ! USINA SANTA TEREZINHA

OLÁ! USINA SANTA TEREZINHA OLÁ! É bem provável que você já tenha acessado, ou até mesmo, ouvido falar sobre o Facebook, Youtube, Twitter e Linkedin. As redes sociais já fazem parte de nossas vidas, direta ou indiretamente, e todos

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS FEDERAIS LINHAS DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

CAPTAÇÃO DE RECURSOS FEDERAIS LINHAS DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS CAPTAÇÃO DE RECURSOS FEDERAIS PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS 1. SECRETARIA NACIONAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - SENASP Gestão do Conhecimento e de Informações criminais; Formação e Valorização Profissional; Implantação

Leia mais

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal

Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal Carta de Princípios dos Adolescentes e Jovens da Amazônia Legal A infância, adolescência e juventude são fases fundamentais no desenvolvimento humano e na formação futura dos cidadãos. No plano social,

Leia mais

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013

DataSenado. Secretaria de Transparência DataSenado. Março de 2013 Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher DataSenado Março de 2013 Mulheres conhecem a Lei Maria da Penha, mas 700 mil ainda sofrem agressões no Brasil Passados quase 7 desde sua sanção, a Lei 11.340

Leia mais

ASSÉDIO MORAL AMENTO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

ASSÉDIO MORAL AMENTO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO ASSÉDIO MORAL DEPAR ARTAMENT AMENTO DE SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO Introdução O Departamento de Saúde e Segurança do Trabalho do Sindágua- MG é responsável pela confecção desta cartilha, que tenta traduzir

Leia mais

FACULDADE DE PITÁGORAS RESENHA - ANTÍGONA

FACULDADE DE PITÁGORAS RESENHA - ANTÍGONA FACULDADE DE PITÁGORAS RESENHA - ANTÍGONA TEIXEIRA DE FREITAS 2011 FACULDADE DE PITÁGORAS Naguimar Moura M. Martins Núbia S. de Brito RESENHA - ANTÍGONA TEIXEIRA DE FREITAS 2011 Naguimar Moura M. Martins

Leia mais

BRIGAS ENTRE EMPREGADOS Considerações Gerais

BRIGAS ENTRE EMPREGADOS Considerações Gerais BRIGAS ENTRE EMPREGADOS Considerações Gerais ROTEIRO 1. INTRODUÇÃO 2. REAÇÃO A UMA PROVOCAÇÃO INJUSTA 3. OFENSAS FÍSICAS 4. OFENSAS VERBAIS 5. BRIGAS FORA DA EMPRESA 5.1. Em frente ao estabelecimento empresarial

Leia mais

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO?

DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO? DEFICIÊNCIA INTELECTUAL OU ATRASO COGNITIVO? 1. O que é Deficiência Intelectual ou Atraso Cognitivo? Deficiência intelectual ou atraso cognitivo é um termo que se usa quando uma pessoa apresenta certas

Leia mais

O ASSÉDIO MORAL E SUA INFLUÊNCIA NO TRABALHO DE MÃES NO PERÍODO DE GESTAÇÃO E AMAMENTAÇÃO

O ASSÉDIO MORAL E SUA INFLUÊNCIA NO TRABALHO DE MÃES NO PERÍODO DE GESTAÇÃO E AMAMENTAÇÃO O ASSÉDIO MORAL E SUA INFLUÊNCIA NO TRABALHO DE MÃES NO PERÍODO DE GESTAÇÃO E AMAMENTAÇÃO Eduardo Concepcion Batiz (IST/SOCIESC) eduardo.batiz@sociesc.org.br Mariluci de Carvalho (IST/SOCIESC) marilucicarvalho@yahoo.com.br

Leia mais

ONG S E ASSOCIAÇÕES. Aproveite bem todas as dicas, fotos e textos deste guia, pois eles são muito importantes.

ONG S E ASSOCIAÇÕES. Aproveite bem todas as dicas, fotos e textos deste guia, pois eles são muito importantes. ONG S E ASSOCIAÇÕES PARA COMEÇAR Você tem vontade de participar mais do que acontece ao seu redor, dar uma força para resolver questões que fazem parte da rotina de certos grupos e comunidades e colocar

Leia mais

Gestão de Pessoas. É bem mais fácil quando você conhece profundamente seus colaboradores

Gestão de Pessoas. É bem mais fácil quando você conhece profundamente seus colaboradores Gestão de Pessoas É bem mais fácil quando você conhece profundamente seus colaboradores 1 Gestão de Pessoas Acalme-se. Já não é necessário comer um quilo de sal pra conhecer profundamente as pessoas com

Leia mais

Dispõe sobre o Programa Nacional de Prevenção à Violência contra Educadores (PNAVE) e dá outras providências.

Dispõe sobre o Programa Nacional de Prevenção à Violência contra Educadores (PNAVE) e dá outras providências. Projeto de Lei nº de ( Do Sr. Rodrigo Rollemberg ) Dispõe sobre o Programa Nacional de Prevenção à Violência contra Educadores (PNAVE) e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Fica

Leia mais

BULLYING: UMA QUESTÃO DE DIREITOS HUMANOS

BULLYING: UMA QUESTÃO DE DIREITOS HUMANOS BULLYING: UMA QUESTÃO DE DIREITOS HUMANOS Luiz Gustavo Fabris Ferreira 1 1. Introdução. 2. Conceito e caracterização do bullying. 3. Tipos de bullying e perfil dos agressores e vítimas. 4. O bullying e

Leia mais

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para:

Valorizamos as relações respeitosas, responsáveis e confiáveis com os diferentes públicos, interno e externo, em que não há espaço para: Introdução A BRMALLS é uma empresa que atua em diversos estados e para manter unida nossa companhia, nossos funcionários devem agir com base em valores e objetivos comuns. Isso se reflete nas atitudes

Leia mais

PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO

PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO PROGRAMA: GRAVIDEZ SAUDÁVEL, PARTO HUMANIZADO BOM PROGRESSO- RS 2009 PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM PROGRESSO Administração: Armindo Heinle CNPJ. 94726353/0001-17 End. Av. Castelo Branco, n 658 Centro CEP:

Leia mais

Comportamento de grupos. Caso Uma Equipe Desunida. Trabalho em equipe

Comportamento de grupos. Caso Uma Equipe Desunida. Trabalho em equipe Agenda Comportamento de grupos Caso Uma Equipe Desunida Trabalho em equipe 1 Fundamentos do comportamento de grupos 1 Aula 6 Grupos e Equipes de Trabalho Ref.: Robbins, caps. 7 e 8 Definição Um grupo é

Leia mais

Lição 9 - Ansiedade (Parte 02) De pais para filhos

Lição 9 - Ansiedade (Parte 02) De pais para filhos Lição 9 - Ansiedade (Parte 02) Texto Bíblico: Efésios 4.32 Antes sede bondosos uns para com os outros, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo. Não caberia neste

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Programa Bolsa Família AGENDA DA FAMÍLIA DISTRIBUIÇÃO GRATUITA Copyright 2009 Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Todos os direitos

Leia mais

Sumário. 8. Relacionamento com a Comunidade e com o Meio Ambiente. 9. Relacionamento com os Lojistas. 10. Relacionamento com os Fornecedores

Sumário. 8. Relacionamento com a Comunidade e com o Meio Ambiente. 9. Relacionamento com os Lojistas. 10. Relacionamento com os Fornecedores Manual de Conduta ntrodução O Shopping Recife é um empreendimento imobiliário tipo shopping center, sendo primordial que nossos colaboradores atuem com base em valores e objetivos comuns. A postura ética

Leia mais

MARCHA MUNDIAL DAS MULHERES TERCEIRA AÇÃO INTERNACIONAL

MARCHA MUNDIAL DAS MULHERES TERCEIRA AÇÃO INTERNACIONAL MARCHA MUNDIAL DAS MULHERES TERCEIRA AÇÃO INTERNACIONAL Autonomia econômica das mulheres Autonomia econômica das mulheres se refere à capacidade das mulheres de serem provedoras de seu próprio sustento,

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N o 604, DE 2011 Dispõe sobre a Política de Prevenção à Violência contra os Profissionais do Magistério Público e Privado e dá

Leia mais

ASSÉDIO MORAL: É PRECISO DAR UM BASTA! PORTO ALEGRE - RS

ASSÉDIO MORAL: É PRECISO DAR UM BASTA! PORTO ALEGRE - RS ASSÉDIO MORAL: É PRECISO DAR UM BASTA! PORTO ALEGRE - RS 2015 Sintrajufe/RS 18 anos 1998-2016 Coordenador da Secretaria de Saúde e Relações de Trabalho Fagner Azeredo Elaboração Fernando Feijó Larissa

Leia mais

REAÇÕES E SENTIMENTOS DE FAMILIARES frente ao suicídio

REAÇÕES E SENTIMENTOS DE FAMILIARES frente ao suicídio REAÇÕES E SENTIMENTOS DE FAMILIARES frente ao suicídio TERAPIA DO LUTO Profa. Dra. Angela Maria Alves e Souza Enfermeira-Docente-UFC o suicídio desencadeia o luto mais difícil de ser enfrentado e resolvido

Leia mais

RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA

RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA RELAÇÕES DE GÊNERO E VIOLÊNCIA Caro (a) Chesfiano (a), Você está recebendo uma série de publicações intitulada Para Viver Melhor, com informações atualizadas sobre temas diversos no campo da saúde física

Leia mais

Controladoria Geral do Estado; Ministério Público do Estado de Goiás; Ordem dos Advogados do Brasil Seção Goiás.

Controladoria Geral do Estado; Ministério Público do Estado de Goiás; Ordem dos Advogados do Brasil Seção Goiás. ASSÉDIO MORAL 2012 O Sindipúblico Goiás agradece o apoio oferecido pelas instituições de grande expressividade em Goiás, cuja atuação está diretamente ligada à manutenção do interesse público e ao zelo

Leia mais

Cristiane Silva da Cruz O RESGATE DOS VALORES HUMANOS PELO SUPERVISOR

Cristiane Silva da Cruz O RESGATE DOS VALORES HUMANOS PELO SUPERVISOR Cristiane Silva da Cruz O RESGATE DOS VALORES HUMANOS PELO SUPERVISOR Rio de Janeiro 2004 UNIVERSIDADE CÂNDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATU-SENSU PROJETO VEZ DO MESTRE 2 O RESGATE DOS VALORES HUMANOS PELO

Leia mais

E-book Grátis Como vender mais?

E-book Grátis Como vender mais? E-book Grátis Como vender mais? Emissão: 27/01/2015 Responsável: Luiz Carlos Becker Filho Cargo: Diretor Executivo E-book Grátis Como vender mais? Esse conteúdo pode realmente lhe ajudar: Premissas: Olá,

Leia mais

Coordenador da Apoio

Coordenador da Apoio Coordenador da Apoio 1 2 Resultados de investigação realizada entre criminosos de alta periculosidade nos EUA, concluiram que seus crimes teriam relação com histórico de abuso familiar e crueldade com

Leia mais

Assédio Moral, agrotóxicos e trabalho infantil

Assédio Moral, agrotóxicos e trabalho infantil O gibi A saúde do trabalhador está por um fio nasceu do trabalho do Coletivo Estadual de Saúde, Trabalho e Meio Ambiente da CUT/SP, que integra a Secretaria de Políticas Sociais da CUT/SP. A publicação

Leia mais

ASSÉDIO MORAL: Uma Realidade no Local de Trabalho

ASSÉDIO MORAL: Uma Realidade no Local de Trabalho ASSÉDIO MORAL: Uma Realidade no Local de Trabalho Conferência sobre Assédio Moral: Uma Realidade no Local de Trabalho? Ana Paula Viseu UGT 7 de Março de 2009 1 TIPOLOGIA DO ASSÉDIO Assédio sexual Assédio

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA Índice Nossos princípios diretivos 03 Proteção do patrimônio e uso dos ativos 04 Informação confidencial 05 Gestão e Tratamento dos Colaboradores 06 Conflitos de interesse 07

Leia mais

CURSO ONLINE: LIDERANÇA

CURSO ONLINE: LIDERANÇA CURSO ONLINE: LIDERANÇA O QUE É 2 O que é Liderança? A liderança é a capacidade de conseguir que as pessoas façam o que não querem fazer e gostem de o fazer. (Harry Truman 33º Presidente dos EUA) Liderança

Leia mais

Bullying e Cyberbullying

Bullying e Cyberbullying Conhecendo para prevenir Bullying e Cyberbullying uma cartilha conhecendo para prevenir Este material, desenvolvido com muito carinho e responsabilidade, contempla informações úteis e objetivas sobre o

Leia mais

O que é assédio moral?

O que é assédio moral? O objetivo dessa cartilha é esclarecer os trabalhadores sobre o que é o assédio moral e sexual, e como ele se apresenta nos locais de trabalho da Petrobrás. Não temos a intenção de esgotar o assunto, porque

Leia mais

MULHERES DA PAZ. Capacitação para cultivar a paz nas comunidades

MULHERES DA PAZ. Capacitação para cultivar a paz nas comunidades MULHERES DA PAZ Capacitação para cultivar a paz nas comunidades República Federativa do Brasil Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministério da Justiça Ministro da Justiça Tarso Genro Secretaria

Leia mais

Segurança em Redes Sociais. Miriam von Zuben miriam@cert.br

Segurança em Redes Sociais. Miriam von Zuben miriam@cert.br Segurança em Redes Sociais Miriam von Zuben miriam@cert.br Tratamento de Incidentes Articulação Apoio à recuperação Estatísticas Treinamento e Conscientização Cursos Palestras Documentação Reuniões Análise

Leia mais

Violência no Namoro A Educação Sexual em Meio Escolar Metodologias de Abordagem / Intervenção Maria Teresa Pires Olga Madeira Calheiros Oficina de Formação C441 Turma A Março 2011 Violência no Namoro

Leia mais

Utilização das redes sociais e suas repercussões

Utilização das redes sociais e suas repercussões Utilização das redes sociais e suas repercussões O papel da escola : @ Orientação aos professores, alunos e pais @ Acompanhamento de situações que repercutem na escola @ Atendimento e orientação a pais

Leia mais

Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo. Você Sabia

Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo. Você Sabia Aprendendo Conceitos sobre Gênero e Sexo Você Sabia Que o sexo de uma pessoa é dado pela natureza e por isso nascemos macho ou fêmea? Que o gênero é construído pelas regras da sociedade para definir, a

Leia mais

MULHER DIREITOS. Conheça os seus. www.pedrokemp.com.br

MULHER DIREITOS. Conheça os seus. www.pedrokemp.com.br MULHER Conheça os seus DIREITOS www.pedrokemp.com.br www.pedrokemp.com.br Vive dentro de mim a mulher do povo. Bem proletária. Bem linguaruda, desabusada, sem preconceitos... Cora Coralina 2 GUIA DE DIREITOS

Leia mais

Educação Ambiental: uma modesta opinião Luiz Eduardo Corrêa Lima

Educação Ambiental: uma modesta opinião Luiz Eduardo Corrêa Lima Educação Ambiental: uma modesta opinião Luiz Eduardo Corrêa Lima Professor Titular de Biologia /FATEA/Lorena/SP Monitor de Educação Profissional/SENAC/Guaratinguetá/SP leclima@hotmail.com. RESUMO 48 Nos

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC

CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC CÓDIGO DE CONDUTA 1. MENSAGEM IESC De origem grega, o termo ethos significa costumes e deve ser entendido com um conjunto de princípios básicos que visam disciplinar e regular, a moral e a conduta das

Leia mais

Vivências da Homofobia na Adolescência

Vivências da Homofobia na Adolescência Vivências da Homofobia na Adolescência A homofobia é um termo conceitual, o qual se refere á aversão ou o ódio irracional aos homossexuais. A discriminação e a violência se materializam com práticas de

Leia mais

DIREITO PENAL Denunciação caluniosa Comunicação falsa de crime ou de contravenção Auto-acusação falsa Falso testemunho ou falsa perícia

DIREITO PENAL Denunciação caluniosa Comunicação falsa de crime ou de contravenção Auto-acusação falsa Falso testemunho ou falsa perícia Crimes contra a Administração da Justiça e Denunciação caluniosa Art. 339. Dar causa à instauração de investigação policial, de processo judicial, instauração de investigação administrativa, inquérito

Leia mais

A Ciência e a Arte de Ser Dirigente. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua

A Ciência e a Arte de Ser Dirigente. Autor: Ader Fernando Alves de Pádua A Ciência e a Arte de Ser Dirigente Autor: Ader Fernando Alves de Pádua 1 INTRODUÇÃO Este tema traz a tona uma grande questão que vamos tentar responder nestas poucas paginas, ser um dirigente requer grande

Leia mais

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo

Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo 2013 Transição para a parentalidade após um diagnóstico de anomalia congénita no bebé: Resultados do estudo Ana Fonseca, Bárbara Nazaré e Maria Cristina Canavarro Pontos de interesse especiais: Porque

Leia mais

CARTILHA ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO

CARTILHA ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NA INDÚSTRIA CARTILHA ASSÉDIO MORAL NO TRABALHO Índice Páginas - Introdução... 01 - Assédio moral no trabalho... 02 - Definindo o assédio moral... 02 a 05 - Como

Leia mais

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas

BANCÁRIOS. Uma História marcada por lutas e conquistas BANCÁRIOS Uma História marcada por lutas e conquistas 1 932 18/04/1932 1ª Greve dos Bancários Iniciada em Santos, formada por funcionários do Banco Banespa que reivindicavam melhorias salariais e das condições

Leia mais

PIBID: EXPERIÊNCIAS DE ATIVIDADES RELACIONADAS AO BULLYING

PIBID: EXPERIÊNCIAS DE ATIVIDADES RELACIONADAS AO BULLYING PIBID: EXPERIÊNCIAS DE ATIVIDADES RELACIONADAS AO BULLYING Felipe do Nascimento Melo Bolsista do PIBID/Pedagogia e Graduando em Pedagogia URCA Maria Gizane Gonçalves de Sousa Bolsista do PIBID/Pedagogia

Leia mais

Segurança em Redes Sociais.

Segurança em Redes Sociais. <Nome> <Instituição> <e-mail> Segurança em Redes Sociais Agenda Redes sociais Características principais Riscos principais Cuidados a serem tomados Créditos Redes sociais (1/2) Redes de relacionamento

Leia mais

Assédio Moral no Trabalho Reaja e Denuncie

Assédio Moral no Trabalho Reaja e Denuncie Assédio Moral no Trabalho Reaja e Denuncie Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde Brasília/DF - 2007 Assédio Moral no Trabalho Reaja e Denuncie Assédio moral no trabalho é toda e qualquer conduta

Leia mais

Prevenção do bullying. Quando o seu filho é a vítima, o agressor (bully) ou o espectador

Prevenção do bullying. Quando o seu filho é a vítima, o agressor (bully) ou o espectador Prevenção do bullying Quando o seu filho é a vítima, o agressor (bully) ou o espectador O que é bullying? Bullying não é um conflito nem uma briga. O bullying é o abuso físico, verbal ou emocional deliberado,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2006. Art. 1º Esta lei estabelece pena para interceptação ou a recepção não

PROJETO DE LEI Nº, DE 2006. Art. 1º Esta lei estabelece pena para interceptação ou a recepção não PROJETO DE LEI Nº, DE 2006 Altera dispositivo no Art. 155 e insere parágrafo no Art. 180 no decreto-lei n.º 2.848, de 7 de dezembro de 1940 - Código Penal - Parte Especial. O Congresso Nacional decreta:

Leia mais

Judgment Você toma milhares de decisões todos os dias, das mais simples às mais importantes. Quais serão as certas?

Judgment Você toma milhares de decisões todos os dias, das mais simples às mais importantes. Quais serão as certas? Judgment Você toma milhares de decisões todos os dias, das mais simples às mais importantes. Quais serão as certas? hoganjudgement.com www.hoganbrasil.com.br/hoganjudgement 2014 Hogan Assessment Systems

Leia mais

FICHA BIBLIOGRÁFICA. Título: Perfil da Mulher Metalúrgica do ABC. Autoria: Subseção DIEESE/Metalúrgicos do ABC

FICHA BIBLIOGRÁFICA. Título: Perfil da Mulher Metalúrgica do ABC. Autoria: Subseção DIEESE/Metalúrgicos do ABC FICHA BIBLIOGRÁFICA Título: Perfil da Mulher Metalúrgica do ABC Autoria: Subseção DIEESE/Metalúrgicos do ABC Equipe técnica responsável: Fausto Augusto Junior; Zeíra Mara Camargo de Santana; Warley Batista

Leia mais

ORIENTAÇÕES DE COMUNICAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES

ORIENTAÇÕES DE COMUNICAÇÃO SOBRE VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES A proteção e a promoção dos direitos da infância e adolescência também devem ser contempladas na forma como falamos e comunicamos este assunto. Alguns cuidados com a comunicação são fundamentais para proteger

Leia mais

Palavras-chave: Assédio moral. Terror psicológico. Perseguição. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: Assédio moral. Terror psicológico. Perseguição. INTRODUÇÃO ASSÉDIO MORAL: UMA ARMADILHA DENTRO DO AMBIENTE DE TRABALHO Djalma Alves de Souza - djalma.alvesdesouza@gmail.com Felipe Castilho dos Santos - felipecastilho07@hotmail.com RESUMO As relações no ambiente

Leia mais

PESQUISA DE ASSÉDIO MORAL NO JUDICIÁRIO FEDERAL DE SP RELATÓRIO GERAL

PESQUISA DE ASSÉDIO MORAL NO JUDICIÁRIO FEDERAL DE SP RELATÓRIO GERAL PESQUISA DE ASSÉDIO MORAL NO JUDICIÁRIO FEDERAL DE SP RELATÓRIO GERAL PESQUISA SOBRE ASSÉDIO MORAL ENTRE OS TRABALHADORES DO JUDICIÁRIO FEDERAL DO ESTADO DE SÃO PAULO SINTRAJUD/SP 2007 Responsável Genilda

Leia mais

O Código Penal dá tratamento moralista aos crimes sexuais e reflete claramente as relações de gênero de sua época:

O Código Penal dá tratamento moralista aos crimes sexuais e reflete claramente as relações de gênero de sua época: 61 O Código Penal dá tratamento moralista aos crimes sexuais e reflete claramente as relações de gênero de sua época: Não se nota preocupação dos legisladores com a proteção de crianças e adolescentes

Leia mais