GUIA ACADÉMICO DE CIÊNCIAS 2014/15

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUIA ACADÉMICO DE CIÊNCIAS 2014/15"

Transcrição

1 GUIA ACADÉMICO DE CIÊNCIAS 2014/15

2 GUIA ACADÉMICO DE CIÊNCIAS FICHA TÉCNICA Edição Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa 2014/15 Projeto gráfico Gabinete de Comunicação e Imagem de Ciências U. Lisboa Conteúdos Unidade Académica de Ciências U. Lisboa Imagens Arquívo fotográfico Ciências U. Lisboa b

3 ÍNDICE Mensagem do Diretor 1 Preâmbulo 3 1. Serviços de Apoio ao Aluno 5 2. Calendário Escolar 9 3. Propinas e Emolumentos Alunos de 1º Ciclo Estudos de Licenciatura e de Mestrado Integrado Candidaturas a Concursos Especiais de Acesso ao Ensino Superior Candidaturas a Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Candidaturas a Minors Matrícula/Inscrição 16

4 5. Alunos de cursos não conferentes de grau (Atualização ou Aperfeiçoamento e Especialização) Candidatura Matrícula/Inscrição Alunos de 2º Ciclo Candidatura Matrícula/Inscrição Curso de Mestrado (parte curricular do ciclo de estudos conducente ao grau de mestre) Registo de Dissertação/Estágio/Projeto Entrega da Dissertação/Estágio/Projeto Regulamentos e Despachos Alunos do 3º Ciclo Candidatura Matrícula/Inscrição Curso de Doutoramento (Curso de Formação Avançada) Registo de Tese Entrega de Tese Doutoramento em Cotutela Doutoramento Europeu 35

5 7.8. Regulamentos e Despachos Alunos em Mobilidade Candidaturas Programas de Mobilidade disponíveis em Ciências Informações complementares Calendário de Prazos Académicos Inscrição em Unidades Curriculares Isoladas Prescrições Creditações Estatutos Especiais Avaliação de Conhecimentos Prémios de Mérito Académico Inquéritos Pedagógicos Emissão de Certificação Contactos 49

6

7 Mensagem do Diretor A nossa escola é grande e complexa. Aqui estudam mais de 5000 alunos e trabalham cerca de 750 professores, investigadores e funcionários não- -docentes. Para que isto seja possível, é necessário manter uma estrutura e um conjunto de regras que garantam que a nossa actividade decorre sem sobressaltos e que nos podemos concentrar no que é essencial: aprender. Conhecer essas regras é pois importante para todos os os habitantes de Ciências. No caso dos estudantes, são indispensáveis as relacionadas com o seu percurso académico. A reunião destas regras numa só publicação, disponível online, a que se chamou Guia Académico de Ciências, pareceu-me, por isso, uma excelente ideia. A primeira versão do Guia Académico de Ciências é agora divulgada, graças ao trabalho conjunto da Unidade Académica e do Grupo de Comunicação, Imagem e Cultura. Os conteúdos (e as próprias regras) poderão obviamente ser melhorados em futuras edições, para o que se conta com as opiniões dos principais utilizadores os estudantes. Por fim, parece-me apropriado recomendar a leitura da apresentação Ciências: Um Breve Guia de Sobrevivência (também disponível online), de âmbito mais lato mas não menos útil que o Guia Académico de Ciências. 1

8 2

9 Preâmbulo A Unidade Académica (UA) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL / Ciências) é responsável por garantir a regularidade da gestão dos processos académicos dos alunos, desde o momento de ingresso até à data de conclusão de estudos e respetiva certificação. Esta gestão abrange todos os alunos que ingressem em cursos conferentes de grau académico ou em outros perfis de formação ao longo da vida, não conferentes de grau. É a UA que zela pelo cumprimento das diretrizes da Direção e Conselho Científico da FCUL, garantindo a aplicação de todas as normas regulamentares que decorram de regulamentos internos ou de normas estabelecidas por toda a legislação aplicável ao Ensino Superior. No seu âmbito de atuação, a UA tem tido uma preocupação significativa com todos os procedimentos que os alunos têm que realizar ao longo do seu percurso académico. Ciências pretende através do presente Guia facultar a todos os estudantes da escola, (alunos de 1.º ciclo, Mestrado Integrado, 2.º ciclo e 3.º ciclo), um instrumento de apoio ao seu percurso académico, proporcionando informação detalhada sobre regras e normas de funcionamento, procedimentos académicos, propinas, emolumentos e regulamentos académicos em vigor. A leitura do Guia não dispensa a consulta regular do Portal de Ciências 3

10 (http://www.ciencias.ulisboa.pt), nomeadamente da área pessoal do aluno, bem como dos avisos e demais informações comunicadas através dos endereços eletrónicos e institucionais. 4 Voltar ao índice

11 Serviços de Apoio ao Aluno Os serviços de apoio ao aluno, fornecidos pela UA, estão distribuídos pelos 5 gabinetes que a constituem: UA UNIDADE ACADÉMICA GEG GEPG GOP GAPsi GMEIP Gabinete de Estudos Graduados (GEG) Responsável pelos processos técnico-administrativos dos alunos dos cursos de graduação, 1.º ciclo e 1.º ciclo do Mestrado Integrado. Gabinete de Estudos Pós-Graduados (GEPG) Responsável pelos processos técnico-administrativos dos alunos de cursos de atualização, aperfeiçoamento, especialização, 2.º ciclo do Mestrado Integrado, 2.º ciclo e 3.º ciclo. Gabinete de Organização Pedagógica (GOP) Responsável por organizar, gerir e elaborar os horários das aulas dos diferentes cursos ministrados em Ciências, organizar o processo de marcação de datas de exames e elaborar os respetivos mapas, gerir a utilização e pro- 5

12 ceder à reserva de salas para aulas, provas de avaliação e outras atividades promovidas pelos órgãos e serviços de Ciências ou devidamente autorizados por aqueles e por supervisionar a resolução de problemas relacionados com a sobrelotação de turmas durante o processo de inscrição dos alunos. Gabinete de Apoio Psicopedagógico (GAPsi) O GAPsi presta apoio de cariz psicológico e pedagógico à população da Faculdade em diferentes vertentes: Consulta de psicologia. Programas de adaptação dos novos alunos ao ensino superior. Atividades individuais ou em grupo para a promoção do sucesso académico. Ações para o desenvolvimento pessoal e para a promoção da saúde e do bem-estar psicossocial dos membros da FCUL. O gabinete está ainda aberto a intervir sobre questões fora do âmbito clínico e, sempre que possível, procurará dar resposta a essas solicitações.»» Alunos com necessidades educativas especiais Ciências proporciona aos alunos com necessidades educativas especiais um conjunto de condições que visam promover uma plena integração na vivência académica da faculdade, contribuindo para uma educação inclusiva. Os alunos podem contar com os seguintes apoio: Estatuto especial para alunos com necessidades educativas especiais. Sala na Biblioteca Central com equipamento de acesso à informação (linha Braille, Impressora Braille, software específico, etc). Aconselhamento psicológico específico. Apoio por parte de colegas, através do programa de voluntariado da FCUL (PVF). Mais informação online.»» Programa de voluntariado da FCUL (PVF) Os alunos de licenciatura, mestrado integrado e mestrado da FCUL, podem inscrever-se num programa de voluntariado especificamente direcionado 6 Voltar ao índice

13 para atividades que promovam a melhoria das condições de aprendizagem e estudo dos colegas com Necessidades Educativas Especiais. Os objetivos centrais do PVF são: Estimular valores, como a solidariedade e a inclusão, dos Estudantes Universitários através da cidadania participativa; Promover a integração e a igualdade de oportunidades aos estudantes com necessidades especiais. Mais informação online. Gabinete de Mobilidade, Estágios e Inserção Profissional (GMEIP) Responsável pela gestão de programas de mobilidade para estudantes dos três ciclos de estudo, a nível nacional e internacional, para realização de um período de estudos ou estágio noutra instituição. É igualmente da responsabilidade deste gabinete assegurar a ligação entre os diplomados e o mercado de trabalho, promovendo assim a sua inserção na vida ativa, e realizar estudos de empregabilidade. Mais informação disponível online no Portal de Ciências, em Internacional/ Mobilidade e Emprego. 7

14 8

15 Calendário Escolar O calendário escolar é definido para cada ano letivo. Consultar o calendário escolar em vigor. 9

16 10

17 Propinas e Emolumentos O valor das propinas é fixado anualmente. Pode ser pago de uma só vez ou em prestações (fixadas anualmente pela Direção da FCUL). O aluno que anule a inscrição até 31 de janeiro, só é devedor das propinas vencidas até essa data (consultar artigo 8.º do Regulamento de Propinas). O aluno que não proceda à anulação da matrícula até 31 de janeiro, é devedor da totalidade da propina referente ao ano letivo em curso. Consultar o regulamento de propinas em vigor e a tabela de propinas em O valor da propina a pagar pelos alunos em regime geral a tempo parcial, inscritos a no máximo 30 ECTS, corresponde a 65% do valor total da propina anual. O valor a pagar pelos alunos em regime geral a tempo parcial, que se inscrevam num máximo de 2 unidades curriculares (UCs) correspondentes a no máximo 20 ECTS e que estejam em condições de concluir, nesse ano, o grau de licenciatura ou mestrado integrado, podem usufruir do benefício de pagar a taxa fixada para frequência em unidades curriculares isoladas, i.e., 20 por ECTS. Consultar o Despacho n.º 259/2013, de 7 de janeiro. Os emolumentos respetivos a cada ato académico são periodicamente fixados em tabela própria. 11

18 12 Voltar ao índice

19 Alunos de 1.º Ciclo Estudos de Licenciatura e de Mestrado Integrado Consultar a Tabela de Emolumentos em: O grau de licenciatura (1.º ciclo) requer a conclusão de um plano curricular com 180 ECTS e a duração de 3 anos. Excetua-se a licenciatura em Geologia, cujo plano curricular inclui 240 ECTS e apresenta uma duração de 4 anos. O acesso ao 1.º ciclo de estudos de licenciatura e de mestrado integrado da FCUL obedece às condições gerais do Concurso Nacional de Acesso, cuja coordenação compete à Direção Geral do Ensino Superior (DGES). Porém, o acesso/ingresso ao ensino superior não se restringe ao Concurso Nacional de Acesso, existindo outras formas de ingresso/acesso à FCUL, que incluem as seguintes categorias: Concursos Especiais de Acesso ao Ensino Superior e Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Candidaturas a Concursos Especiais de Acesso ao Ensino Superior Estes concursos são dirigidos a: Maiores de 23 anos, Titulares de Cursos Médios e Superiores e Estudantes Internacionais. Estas candidaturas são submetidas online de meados de julho a meados de agosto, em data a fixar anualmente pela Direção da FCUL.»» Maiores de 23 anos O regime de acesso ao ensino superior para candidatos maiores de 23 anos, regulamentado pelo Despacho n.º 17138/2011, de 22 de dezembro, editado 13

20 ao abrigo do Decreto-Lei n.º 64/2006, de 21 de março, impõe a realização de provas especialmente adequadas e destinadas a avaliar a capacidade para a frequência do ensino superior, para o curso a que o candidato pretende ingressar. A inscrição para a realização destas provas realiza-se no primeiro trimestre do ano, em data a fixar pela Reitoria da Universidade de Lisboa. Após aprovação nas diversas provas de ingresso, os candidatos devem efetuar a sua candidatura online no site da FCUL.»» Titulares de Cursos Médios e Superiores O concurso especial de acesso para os titulares de cursos médios e superiores é regulado pelo Decreto-Lei n.º 393-B/99, de 2 de outubro e pelas Portaria 854-A/99, de 4 de outubro, Portaria 1081/2001, de 5 de setembro e Portaria 393/2002, de 12 de abril. Podem candidatar-se a este tipo de concurso: Os titulares de um curso médio ou superior realizado nos estabelecimentos de ensino superior português; Os estudantes que sejam titulares de equivalência de grau, reconhecimento de habilitações ou reconhecimento de grau académico superior obtido num país membro da União Europeia. 14»» Estudantes Internacionais O concurso especial de ingresso/acesso para Estudantes Internacionais encontra-se regulado pelo Decreto-Lei n.º 36/2014, de 10 de março e regulamentado pelo Despacho n.º 8175-B/2014, de 23 de junho, com as subsequentes declarações de retificação, n.º 686/2014, de 4 de julho e n.º 718/2014, de 14 de julho. Podem candidatar-se ao ingresso no 1.º ciclo de estudos de licenciatura e de mestrado integrado: Os estudantes que tenham qualificação adequada que, no país onde foi obtida, lhes permita candidatar-se e ingressar no ensino superior desse país. Os estudantes que estejam ou tenham estado inscritos numa instituição de ensino superior estrangeiro. Voltar ao índice

21 Os estudantes internacionais terão que possuir conhecimentos de língua portuguesa requerido para a frequência do ciclo de estudos a que se candidatam, e comprometerem-se a adquirir o nível B2 na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa Candidaturas a Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Este tipo de regimes é regulado pela Portaria n.º 401/2007, de 5 de abril, com as alterações introduzidas pela Portaria n.º 232-A/2013, de 22 de julho. As mudanças de curso e transferências estão sujeitas a limite de vagas, definido anualmente, contrariamente ao reingresso. Estas candidaturas são submetidas online, de meados de julho a meados de agosto, em data a fixar anualmente pela Direção da FCUL.»» Mudança de Curso e Transferência Podem candidatar-se a mudança de curso e transferência os estudantes que: tenham realizado as provas específicas para acesso ao curso em que pretendem inscrever-se e nelas tenham obtido a classificação mínima exigida. estejam ou tenham estado inscritos e matriculados num curso superior sem o ter concluído; sejam oriundos de estabelecimentos de Ensino Superior de países membros da União Europeia; tenham nacionalidade portuguesa e tenham estado inscritos em estabelecimentos de ensino superior estrangeiro, em curso definido como superior pela legislação do país em causa.»» Reingresso Podem requerer o reingresso os estudantes que tenham estado matriculados e inscritos na Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa no mesmo curso ou em curso que o tenha antecedido. No caso de estudantes cuja matrícula tenha caducado por força do disposto 15

22 no artigo 5., n.º 3, alínea b) da Lei nº 37/2003, de 22 de Agosto, só se poderão candidatar a qualquer destes regimes, desde que decorridos os dois semestres relativos à prescrição Candidaturas a Minors Os estudantes que pretendam complementar a sua formação principal (ministrada nos cursos de 1. Ciclo em que estão inscrito), em área científica distinta, podem candidatar-se a um Minor (conjunto de unidades curriculares que perfazem 30 ECTS). As candidaturas a Minors decorrem no mês julho de cada ano, em data precisa a fixar anualmente pela Direção da Faculdade e são efetuadas online no site da FCUL. Podem candidatar-se a um Minor: Alunos da FCUL, inscritos num curso de 1.º ciclo, desde que para o efeito possuam já o n.º de ECTS necessários (90 ECTS), de acordo com o plano de estudos do respetivo curso; Alunos externos que pretendam realizar um Minor em regime livre Matrícula/Inscrição»» Regime Geral de Acesso (1.º ano/1.ª vez) O ingresso no 1.º ciclo de estudos de licenciatura e de mestrado integrado dos alunos colocados pelo Regime Geral de Acesso rege-se pelo disposto nos artigos 7.º e 19.º do Decreto-Lei 74/2006, de 24 de março, cabendo aos serviços de Acesso do MEC proceder à seriação e colocação dos alunos provenientes deste tipo de concurso. A matrícula/inscrição dos alunos provenientes do regime geral de acesso é efetuada presencialmente em datas específicas anunciadas anualmente, sujeita ao pagamento da taxa de matrícula, taxa de inscrição e da 1.ª prestação da propina (ver tabela de propinas aplicável a cada ano letivo). Voltar ao índice

23 Os alunos bolseiros devem entregar anualmente comprovativo de submissão de pedido de bolsa emitida pela entidade financiadora.»» Alunos da FCUL (2.º ano e anos subsequentes) As inscrições são efetuadas online, em datas específicas anunciadas anualmente, sujeitas ao pagamento da taxa de inscrição e da 1.ª prestação da propina (ver tabela de propinas aplicável a cada ano letivo). Os alunos bolseiros devem entregar anualmente a declaração comprovativa de pedido/renovação da bolsa emitida pela entidade financiadora.»» Concursos Especiais/Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso e Minors A matrícula/inscrição é feita presencialmente, em datas específicas anunciadas anualmente, sujeita aos pagamentos em vigor. Os alunos bolseiros devem entregar anualmente comprovativo de submissão de pedido de bolsa emitida pela entidade financiadora.»» Estudantes Internacionais A matrícula/inscrição é feita presencialmente, nte, em datas específicas cas anunciadas anualmente, sujeita aos pagamentos em vigor. Aviso: o acesso à matrícula/inscrição está condicionado ao pagamento de todas as propinas em dívida. 17

24 18

25 Alunos de cursos não conferentes de grau (Atualização ou Aperfeiçoamento e Especialização) Os estudos conducentes a modalidades diversas de certificação que não conferem grau académico são constituídos por cursos pós-graduados de atualização ou de aperfeiçoamento, cursos pós-graduados de especialização e programas de pós-doutoramento. Os cursos pós-graduados de atualização ou de aperfeiçoamento visam a formação continuada, o aprofundamento ou a aquisição de técnicas e de conhecimentos em determinadas áreas, revestindo-se de um cariz teórico e prático, profissionalizante ou tecnológico. Têm formato e duração variáveis, não podendo ultrapassar uma carga de trabalho do aluno correspondente a 60 créditos. Os cursos pós-graduados de especialização visam o aprofundamento de conhecimentos teóricos em áreas consolidadas do saber, a abertura de novos domínios científicos e a aquisição de competências práticas ou tecnológicas em áreas especializadas da atividade profissional. Têm uma estrutura curricular variável e a duração mínima de dois semestres, correspondendo a uma carga de trabalho do aluno de, pelo menos, 60 créditos e 300 horas de contacto Candidatura Cursos de Atualização ou Aperfeiçoamento: candidatura efetuada presencialmente. 19

26 Cursos de Especialização: candidatura formalizada online Matrícula/Inscrição Cursos de Atualização ou Aperfeiçoamento: inscrição efetuada presencialmente, sujeita ao pagamento em vigor. Cursos de Especialização: matrícula/inscrição efetuada online, em datas específicas anunciadas anualmente, sujeita ao pagamento da taxa de matrícula, taxa de inscrição e da 1.ª prestação da propina (ver tabela de propinas aplicável a cada ano letivo). 20 Voltar ao índice

27 Alunos de 2.º Ciclo A concessão do grau de mestre obriga à conclusão de um ciclo de estudos com 90 a 120 créditos e uma duração normal de três a quatro semestres. Compreende a frequência e a aprovação num curso de especialização (conjunto organizado de unidades curriculares, denominado por curso de mestrado, a que corresponde um mínimo de 50 % do número total de créditos do ciclo de estudos) e a elaboração de uma dissertação de natureza científica ou um trabalho de projeto, originais e especialmente realizados para este fim, ou um estágio de natureza profissional objeto de relatório final, a que corresponde um mínimo de 30 créditos Candidatura Podem candidatar-se ao ciclo de estudos conducente ao grau de mestre: Titulares de grau de licenciado ou equivalente legal. Titulares de grau académico estrangeiro, conferido na sequência de um 1.º ciclo de estudos organizado de acordo com os princípios do Processo de Bolonha por um Estado aderente a este Processo. Titulares de um grau académico estrangeiro que seja reconhecido como satisfazendo os objetivos do grau de licenciado pelo conselho científico da FCUL. Detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo conselho científico da FCUL. As candidaturas são formalizadas online no portal da FCUL. Os candidatos 21

28 recebem periodicamente s informativos sobre o estado da sua candidatura. Documentos necessários: Formulário de candidatura (online). Curriculum Vitae. Certificado de conclusão de Licenciatura (exceto para alunos finalistas de Licenciatura, que terão datas especificas para enviar/ entregar ao Gabinete de Estudos Pós-Graduados este Certificado ou documento comprovativo da conclusão do grau). Certificado de disciplinas. Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade e Cartão de Contribuinte (fotocópia e original para confirmação). Carta de Intenções. Recibo comprovativo do pagamento da taxa de candidatura. Os candidatos, cuja Licenciatura ou equivalente legal seja de uma instituição estrangeira (fora da UE), devem enviar os seguintes documentos: Formulário de candidatura (online). Curriculum Vitae. Certificado de conclusão de Licenciatura (autenticado pelo Consulado Português no seu país de origem). Certificado de disciplinas (autenticado pelo Consulado Português no seu país de origem). Programa das disciplinas (carimbado e assinado pela Instituição de Ensino Superior). Bilhete de Identidade estrangeiro ou Passaporte. Cartão de Contribuinte (apenas para residentes em Portugal). Carta de Intenções. Recibo comprovativo do pagamento da taxa de candidatura (consultar tabela de emolumentos da FCUL). 22 Voltar ao índice

29 Serão aceites candidaturas condicionais de alunos finalistas de Licenciatura, que terão datas específicas para enviar/entregar o Certificado de conclusão de grau ao Gabinete de Estudos Pós-Graduados. Os resultados das candidaturas são disponibilizados online. Os candidatos que submeterem mais do que uma candidatura e forem admitidos para mais do que um curso, terão impreterivelmente e sob pena de não ficarem colocados, de informar o Gabinete de Estudos Pós-Graduados por (em datas específicas anunciadas anualmente), sobre qual o curso em que se pretendem inscrever ( Os candidatos admitidos estão sujeitos ao pagamento de uma caução. Efetuado este pagamento (em datas específicas anunciadas anualmente), considera-se liquidada a taxa de matrícula aquando da realização da matrícula/inscrição no Curso Pós-Graduado Matrícula/Inscrição»» 1.º ano / 1.ª vez Matrícula/inscrição a efetuar online, em datas específicas anunciadas anualmente, sujeita ao pagamento da taxa de matrícula, taxa de inscrição e da 1.ª prestação da propina (consultar tabela de propinas aplicável a cada ano letivo). Os alunos bolseiros devem entregar anualmente comprovativo de submissão de pedido de bolsa emitida pela entidade financiadora. No ato da inscrição/matrícula, os alunos que não concluíram a Licenciatura na FCUL, terão de apresentar no Gabinete de Estudos Pós-Graduados, o documento original do Certificado de conclusão de Licenciatura e de Disciplinas, de modo a que o mesmo confirme e autentique as cópias enviadas na candidatura. 23

30 »» 2.ª inscrição e subsequentes: Inscrição anual a efetuar online, em datas específicas anunciadas anualmente, sujeita ao pagamento da taxa de inscrição e da 1.ª prestação da propina (consultar tabela de propinas aplicável a cada ano letivo). Os alunos bolseiros devem entregar anualmente a declaração comprovativa de pedido/renovação da bolsa emitida pela entidade financiadora.»» Prazo para a conclusão do grau Para a conclusão do ciclo de estudos conducente à obtenção do grau de mestre, os alunos inscritos em regime geral a tempo integral podem beneficiar da prorrogação máxima de 2 semestres, após a duração estabelecida para o ciclo de estudos, finda a qual prescreve o direito à matrícula. Neste caso, os alunos deverão realizar uma nova candidatura. Aviso: o acesso à matrícula/inscrição está condicionado ao pagamento de todas as propinas em dívida Curso de Mestrado (parte curricular do ciclo de estudos conducente ao grau de mestre) A parte curricular do ciclo de estudos conducente ao grau de mestre é realizada nos primeiros dois a três semestres e compreende a frequência e a aprovação num curso de especialização, constituído por um conjunto organizado de unidades curriculares, denominado por curso de mestrado, a que corresponde um mínimo de 50% do número total de créditos do ciclo de estudos. A estrutura curricular/plano de estudos correspondente a cada curso está prevista nas respetivas normas regulamentares publicadas em Diário da República (aconselha-se a sua consulta). 24 Voltar ao índice

31 6.4. Registo de Dissertação/Estágio/Projeto O registo da Dissertação/Relatório de Estágio/Trabalho de Projeto é efetuado online, na página pessoal de aluno. Prazos Após a conclusão do curso de mestrado (parte curricular), os alunos devem proceder no prazo de 45 dias úteis ao registo do título, do tema, dos orientadores e da modalidade do trabalho final, a aprovar pelo Conselho Científico. Documentos necessários Plano de trabalho. Declaração de aceitação do(s) orientador(es), em papel timbrado da instituição a que pertencem. Caso o coorientador não seja Doutorado, anexar o Curriculum Vitae do mesmo. Pedidos de Alteração O que pode alterar: * Título da Dissertação * Orientação (alteração/inclusão de orientadores) * Redação da tese em língua estrangeira. Como solicitar a alteração: * Mediante requerimento dirigido ao Presidente do Conselho Científico, acompanhado do(s) parecer(es) do(s) orientador(es). A elaboração do trabalho final pode ser realizada em simultâneo com unidades curriculares do curso de mestrado, em conformidade com o definido nos respetivos regulamentos. 25

32 6.5. Entrega da Dissertação/Estágio/Projeto Documentos necessários Requerimento de admissão a provas de mestrado; Declaração para disponibilização da Dissertação no Repositório da Universidade de Lisboa; Declaração do(s) orientador(es) sobre a conformidade da Dissertação/ Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio, para ser submetido a provas (em papel timbrado da instituição a que pertencem); 1 Exemplar da Dissertação/Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio; 1 exemplar do Curriculum Vitae; 1 CD contendo um ficheiro da Dissertação/Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio e outro do Curriculum Vitae (ambos os ficheiros gravados em pdf). Atenção: paralelamente deverá entregar no Departamento, os restantes exemplares impressos da Dissertação/Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio e do Curriculum Vitae para os membros do Júri, conforme indicação do Coordenador do Mestrado. Entrega de dissertações confidenciais Requerimento de admissão a provas de mestrado; Requerimento de admissão a provas trabalho de natureza confidencial; Declaração para disponibilização da Dissertação no Repositório da Universidade de Lisboa; Declaração do(s) orientador(es) sobre a conformidade da Dissertação/ Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio, para ser submetido a provas (em papel timbrado da Instituição a que pertencem); Declaração do(s) orientador(es) sobre a confidencialidade (em papel timbrado da instituição a que pertencem); 1 Exemplar da versão pública da Dissertação/Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio e 4 exemplares da versão confidencial (a indicação da versão deve constar na capa); 26 Voltar ao índice

33 5 exemplares do Curriculum Vitae; 1 CD contendo um ficheiro da Dissertação/Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio (versão pública) e outro do Curriculum Vitae (ficheiros gravados em pdf). Modelo de capa e 1.ª página para Dissertação/ Trabalho de Projeto/Relatório de Estágio: O modelo de capa e 1.ª página deverá estar de acordo com o definido no Regulamento de Estudos Pós-Graduados da Universidade de Lisboa (consultar modelos). Atenção: As páginas seguintes devem incluir resumos em português e noutra língua oficial da União Europeia (até 300 palavras cada), palavras- -chave em português e noutra língua oficial da União Europeia (cerca de 5 palavras-chave) e índices. Quando o Conselho Científico autorizar que a apresentação do trabalho final seja escrita em língua estrangeira, este deve ser acompanhado de um resumo em português de, pelo menos, 1200 palavras Regulamentos e Despachos Decreto-Lei, n.º 74/2006, de 24 de março e alterações subsequentes. Regulamento de Estudos Pós-Graduados - Despacho n.º 4624/2012, publicado em DR, 2.ª série, n.º 65 de 30 de março. 27

34 28 Voltar ao índice

35 Alunos de 3.º Ciclo O ciclo de estudos conducente ao grau de doutor integra a realização de um curso de doutoramento, quando tal estiver expressamente previsto no respetivo regulamento, e a elaboração de uma tese original, expressamente para esse fim, adequada à natureza do ramo de conhecimento ou da especialidade. O grau de doutor é concedido num ramo de conhecimento, ou numa sua especialidade, de acordo com o elenco de ramos de conhecimento e respetivas especialidades da Universidade de Lisboa. 7.1 Candidatura Podem candidatar-se ao ciclo de estudos conducente ao grau de doutor: Os titulares do grau de mestre ou equivalente legal. Os titulares de grau de licenciado, ou equivalente legal, detentores de um currículo escolar ou científico especialmente relevante que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da FCUL. A título excecional, os detentores de um currículo escolar, científico ou profissional que seja reconhecido como atestando capacidade para a realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico da FCUL. Documentos necessários: Impresso de candidatura Requerimento de candidatura 1 exemplar do Curriculum Vitae 29

36 Certificado de Conclusão de Mestrado e/ou Licenciatura (fotocópia; se não for aluno FCUL deverá trazer o original para confirmação) Certificado de Disciplinas de Mestrado e/ou Licenciatura (fotocópia e original para confirmação) Cartão de Cidadão ou Bilhete de Identidade e Cartão de Contribuinte (fotocópia e original para confirmação) Plano de trabalhos com indicação dos objetivos gerais a alcançar Declaração de aceitação do(s) orientador(es). Caso tenha 2 ou 3 orientadores, anexar também o documento justificativo da coorientação (documentos a apresentar em papel timbrado da instituição a que pertencem) Pagamento da taxa de candidatura (consultar tabela de emolumentos da FCUL). Os candidatos cuja Licenciatura e/ou Mestrado ou equivalente legal seja de uma instituição estrangeira (fora da UE), devem entregar os seguintes documentos: Formulário de candidatura Requerimento de candidatura 1 exemplar do Curriculum Vitae Certificado de Conclusão do Mestrado e/ou Licenciatura (autenticado pelo Consulado Português no país de obtenção do grau) Certificado de Disciplinas do Mestrado e/ou Licenciatura (autenticado pelo Consulado Português no país de obtenção do grau) Conteúdos programáticos e cargas horárias do Mestrado e/ou Licenciatura (assinado e carimbado pela Instituição de Ensino Superior) Passaporte Cartão de Contribuinte (apenas para residentes em Portugal) Plano de trabalhos com indicação dos objetivos gerais a alcançar Declaração de aceitação do(s) orientador(es). Caso tenha 2 ou 3 orientadores, anexar também o documento justificativo da coorientação (documentos a apresentar em papel timbrado da instituição a que pertencem) Exemplar da Dissertação de Mestrado (apenas para candidatos detentores do grau de Mestre) Pagamento da taxa de candidatura (consultar tabela de emolumentos da FCUL). 30 Voltar ao índice

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM ENGENHARIA CIVIL Parceria: ESTBarreiro/IPS - ISE/UAlg PREÂMBULO O Decreto Lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado pelos Decretos Lei n. os 107/2008, de 25 de Junho,

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO DA ESTBarreiro/IPS Artigo 1.º Duração e estrutura do ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre 1. O ciclo de estudos conducente ao grau de Mestre, ministrado na ESTBarreiro/IPS,

Leia mais

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO

REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO REGULAMENTO DOS DIPLOMAS DE ESPECIALIZAÇÃO Aprovado em reunião da Comissão Coordenadora do Conselho Científico em 22/11/2006 Aprovado em reunião de Plenário do Conselho Directivo em 13/12/2006 PREÂMBULO

Leia mais

Regulamento do pagamento de propinas e outras taxas de frequência do Instituto Politécnico de Leiria PREÂMBULO

Regulamento do pagamento de propinas e outras taxas de frequência do Instituto Politécnico de Leiria PREÂMBULO DESPACHO N.º /2015 Regulamento do pagamento de propinas e outras taxas de frequência do Instituto Politécnico de PREÂMBULO Considerando a experiência adquirida no Instituto Politécnico de (IP) com a aplicação

Leia mais

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto

Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Disposição geral Objeto Regulamento de Ingresso e Acesso para Estudantes Internacionais da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa SECÇÃO A Disposição geral Artigo 1.º Objeto O presente regulamento define as normas aplicáveis

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO

REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior REGULAMENTO DO MESTRADO EM DESPORTO O presente regulamento decorre do Regulamento dos Segundos Ciclos de Estudos do Instituto

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE MESTRADO

REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE MESTRADO REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE MESTRADO Preâmbulo Considerando o Decreto-Lei n.º 216/92 de 13 de Outubro; Considerando o Decreto-Lei n.º 16/94 de 22 de Janeiro; Considerando o Decreto-Lei n.º 42/2005

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM MARKETING RESEARCH

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu. Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM MARKETING RESEARCH Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Viseu Instituto Politécnico de Viseu REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO EM MARKETING RESEARCH Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março,

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL

EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL EDITAL MESTRADO EM COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO EM CIDADANIA, CONFIANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei

Leia mais

a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos

a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos ANEXO Normas regulamentares do ciclo de estudos conducente ao grau de mestre em a) Regras sobre a admissão no ciclo de estudos 1. Habilitações de acesso São admitidos como candidatos à inscrição no ciclo

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA. (Edição 2012-2014) 1/10 EDITAL MESTRADO EM JOGO E MOTRICIDADE NA INFÂNCIA (Edição 2012-2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de março, com as alterações que lhes

Leia mais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais

REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais REGULAMENTO CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS DO INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO E DA ADMINISTRAÇÃO (ISCIA) Disposições Gerais O presente regulamento visa aplicar o regime estabelecido

Leia mais

DESPACHO/SP/43/2014. Artigo 1.º

DESPACHO/SP/43/2014. Artigo 1.º DESPACHO/SP/43/2014 Aprovo a seguinte alteração ao Regulamento do Mestrado em Radiologia Especialização Ósteo-articular, ministrado na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC), homologado

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS, FORMAÇÃO E EXPERIENCIA PROFISSIONAL Considerando que, nos termos do n 3 do artigo 45. do Decreto -Lei n 74/2006, de 24 de margo, alterado pelos Decretos-Lei n

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE PROPINAS E PRESCRIÇÃO DO IPVC

REGULAMENTO GERAL DE PROPINAS E PRESCRIÇÃO DO IPVC REGULAMENTO GERAL DE PROPINAS E PRESCRIÇÃO DO IPVC Artigo 1º Âmbito do regulamento 1. O presente regulamento define o regime do pagamento da propina pelos estudantes do IPVC inscritos a tempo integral,

Leia mais

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA INSTITUTO CIÊNCIAS DA SAÚDE DA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Mobilidade Internacional para Estudos REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições. no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado

Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições. no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado Regulamento Geral de Matrículas e Inscrições no ciclo de estudos conducente ao grau de Licenciado Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente Regulamento fixa as normas gerais relativas a matrículas e inscrições

Leia mais

Artigo 3.º Do número de vagas e fixação de prazos Artigo 4.º Das condições de funcionamento Artigo 5.º Da estrutura curricular e plano de estudos

Artigo 3.º Do número de vagas e fixação de prazos Artigo 4.º Das condições de funcionamento Artigo 5.º Da estrutura curricular e plano de estudos Normas Regulamentares do Mestrado em Intervenção Comunitária: áreas de especialização em Intervenção Comunitária e Educação para a Saúde, Intervenção Comunitária e Envelhecimento Activo e Intervenção Comunitária

Leia mais

Regulamento de Acesso e Ingresso de Estudantes Internacionais. 1º, 2º e 3º ciclos do IST

Regulamento de Acesso e Ingresso de Estudantes Internacionais. 1º, 2º e 3º ciclos do IST Regulamento de Acesso e Ingresso de Estudantes Internacionais 1º, 2º e 3º ciclos do IST O Decreto- Lei nº 36/2014 de 10 de março regula o estatuto do Estudante Internacional (EEI). O Regulamento de Ingresso

Leia mais

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00

REGULAMENTO ACADÉMICO. VI. Mobilidade internacional REG-001/V00 Mobilidade de Estudos 1. Objeto O presente Regulamento define as regras de Mobilidade de Estudantes ao abrigo dos Programas Garcilaso (Laureate International Universities) e de Aprendizagem ao Longo da

Leia mais

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro REGULAMENTO DO CONCURSO ESPECIAL DE ACESSO E INGRESSO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL NOS CURSOS DO 1.º CICLO DE ESTUDOS E MESTRADO INTEGRADO NA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Artigo 1.º Âmbito

Leia mais

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA

REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA REGULAMENTO DOS CURSOS DE MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EMPRESARIAL DA FACULDADE DE DIREITO DE COIMBRA (Aprovado pela Assembleia de Faculdade, em 16 de Janeiro de 2014) CAPÍTULO

Leia mais

Regulamento geral dos ciclos de estudos conducentes ao grau de mestre

Regulamento geral dos ciclos de estudos conducentes ao grau de mestre Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento geral dos ciclos de estudos conducentes ao grau de mestre O presente regulamento procura dar unidade e consistência lógica ao regime a que devem obedecer

Leia mais

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE O presente Regulamento tem como lei habilitante o Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março,

Leia mais

REGULAMENTO. Tesouraria. Elaborado por: Aprovado por: Versão Direção do ISPA - CRL. Direção do ISPA - CRL 1.14

REGULAMENTO. Tesouraria. Elaborado por: Aprovado por: Versão Direção do ISPA - CRL. Direção do ISPA - CRL 1.14 Tesouraria REGULAMENTO Elaborado por: Aprovado por: Versão Direção do ISPA - CRL Direção do ISPA - CRL O presidente da Direção do ISPA - CRL (Prof. Doutor Emanuel Gonçalves) O presidente da Direção do

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO (2º CICLO) EM ENGENHARIA FLORESTAL E DOS RECURSOS NATURAIS

REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO (2º CICLO) EM ENGENHARIA FLORESTAL E DOS RECURSOS NATURAIS 1.1 REGULAMENTO DO CURSO DE MESTRADO (2º CICLO) EM ENGENHARIA FLORESTAL E DOS RECURSOS NATURAIS Ao abrigo do Decreto-Lei nº 74/2006 de 24 de Março, e do disposto na Deliberação nº 1487/2006 da Reitoria

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos cursos do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado O presente regulamento estabelece as normas que complementam as que decorrem do regime

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM FISIOTERAPIA. ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE MOVIMENTO HUMANO (edição 2012-2014)

EDITAL MESTRADO EM FISIOTERAPIA. ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE MOVIMENTO HUMANO (edição 2012-2014) EDITAL MESTRADO EM FISIOTERAPIA ÁREA DE ESPECIALIZAÇÃO DE MOVIMENTO HUMANO (edição -) Nos termos do Decreto-Lei n.º 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março, com as alterações

Leia mais

Regulamento de Matrículas e Inscrições

Regulamento de Matrículas e Inscrições REGULAMENTO DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES Artigo 1 (Âmbito) O presente regulamento fixa as regras gerais relativas a matrículas e inscrições nos cursos ministrados nas Escolas do IPCA. Artigo 2.º (Competência)

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO REGULAMENTO DO DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS JURÍDICAS SEM CURSO DE DOUTORAMENTO

ESCOLA DE DIREITO REGULAMENTO DO DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS JURÍDICAS SEM CURSO DE DOUTORAMENTO ESCOLA DE DIREITO REGULAMENTO DO DOUTORAMENTO EM CIÊNCIAS JURÍDICAS SEM CURSO DE DOUTORAMENTO UNIVERSIDADE DO MINHO 2008 REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE À OBTENÇÃO DO GRAU DE DOUTOR EM CIÊNCIAS

Leia mais

Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado. Edital 1ª Edição 2012-2013

Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado. Edital 1ª Edição 2012-2013 Pós-graduação Gestão da Sustentabilidade do Edificado Edital 1ª Edição 2012-2013 Barreiro, Maio de 2012 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Gestão da Sustentabilidade do Edificado (PGGSE) é uma realização

Leia mais

TÍTULO I TÍTULO II. Regras gerais sobre a oferta educativa da Universidade Aberta (UAb) Ciclos de estudos conducentes ao grau de licenciado

TÍTULO I TÍTULO II. Regras gerais sobre a oferta educativa da Universidade Aberta (UAb) Ciclos de estudos conducentes ao grau de licenciado Diário da República, 2.ª série N.º 59 25 de março de 2013 10441 Consultoria e Registos, o referido na alínea l) quando se trate de questões do âmbito das respetivas atribuições e relativamente às quais

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa

da Universidade Católica Portuguesa Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO Aprovado no Conselho Científico de 2 de julho de 2014 CAPÍTULO I Disposições

Leia mais

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa

Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA A Portaria n.º 401/2007, de 5 de abril, aprovou o Regulamento

Leia mais

Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning. Normas regulamentares. Artigo 1.º Criação

Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning. Normas regulamentares. Artigo 1.º Criação Mestrado em Gestão de Sistemas de e-learning Normas regulamentares Artigo 1.º Criação A Universidade Nova de Lisboa, através da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (FCSH/UNL), confere o grau de Mestre

Leia mais

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8

C1 C2 C3 C4 C5 C6 a) 6 2 1 2 1. Licenciatura em Design a) 20 8 10 14 8 EDITAL 1º Ciclo de Estudos - Ano Letivo 2015/2016 Concurso para os regimes de Reingresso, Mudança de Curso, Transferência, e Concursos Especiais de Ingresso (titulares de curso médio ou superior e maiores

Leia mais

REGULAMENTO ESTUDANTE INTERNACIONAL

REGULAMENTO ESTUDANTE INTERNACIONAL REGULAMENTO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL REGULAMENTO DO ESTUDANTE INTERNACIONAL Considerando o Estatuto do Estudante Internacional, aprovado pelo Decreto -Lei n.º 36/2014, de 10 de março, é aprovado o presente

Leia mais

Regulamento de Mestrado

Regulamento de Mestrado Regulamento de Mestrado 2014 2014 ÍNDICE Nota Introdutória... 5 CAPÍTULO I Disposições gerais... 6 Artigo 1º Âmbito... 6 Artigo 2º Objetivos do Curso... 6 Artigo 3º Composição do curso... 7 Artigo 4º

Leia mais

Regulamento de Propina

Regulamento de Propina Regulamento de Propina 2015 2015 ÍNDICE SECÇÃO I Curso de Licenciatura em Enfermagem... 4 Artigo 1º Valor da Propina... 4 Artigo 2º Modalidades de pagamento... 4 SECÇÃO II Cursos de Pós-Licenciatura e

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA

FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA FACULDADE DE EDUCAÇÃO E PSICOLOGIA MOBILIDADE INTERNACIONAL PARA ESTUDOS REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estudos

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Artigo 1.

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO. Artigo 1. REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA NOS CURSOS DA UNIVERSIDADE DE TRÁS-OS-MONTES E ALTO DOURO Artigo 1.º Objeto O presente regulamento disciplina os regimes de reingresso,

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E CONCURSOS ESPECIAIS DE INGRESSO NOS CURSOS MINISTRADOS NO IPAM AVEIRO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E CONCURSOS ESPECIAIS DE INGRESSO NOS CURSOS MINISTRADOS NO IPAM AVEIRO REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E CONCURSOS ESPECIAIS DE INGRESSO NOS CURSOS MINISTRADOS NO IPAM AVEIRO O Decreto-Lei nº 196/2006, de 10 de Outubro, criou as condições

Leia mais

REGULAMENTO APLICÁVEL AOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA 1 (DL 401/2007, de 05-04) 04)

REGULAMENTO APLICÁVEL AOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA 1 (DL 401/2007, de 05-04) 04) REGULAMENTO APLICÁVEL AOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO E TRANSFERÊNCIA 1 (DL 401/2007, de 05-04) 04) I. CONDIÇÕES PRELIMINARES 1. O reingresso, mudança de curso e transferência pressupõem uma

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE. (2ª Edição 2011/2013)

EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE. (2ª Edição 2011/2013) EDITAL MESTRADO EM SISTEMAS E TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO PARA A SAÚDE (2ª Edição 2011/2013) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações

Leia mais

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial

Regulamento do Mestrado em Engenharia Industrial. Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial Regulamento do Ciclo de Estudos de Mestrado em Engenharia Industrial REGULAMENTO DO CICLO DE ESTUDOS DE MESTRADO EM ENGENHARIA INDUSTRIAL Artigo 1º (Natureza e âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento

Leia mais

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG

NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG NORMAS REGULAMENTARES DOS MESTRADOS DO ISEG Nos termos do artigo 26.º do Decreto-Lei n.º 74/2006 de 24 de Março e do Regulamento de Mestrados da Universidade Técnica de Lisboa (Deliberação do Senado da

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017)

EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA. (Edição 2015-2017) EDITAL MESTRADO EM INFORMÁTICA APLICADA (Edição 2015-2017) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

EDITAL CURSOS DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM

EDITAL CURSOS DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM EDITAL CURSOS DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM Considerando o disposto na Portaria nº 268/2002 publicado em Diário da República, I Série-B, Nº61 de 13

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO GAYA NORMAS REGULAMENTARES DAS LICENCIATURAS DO ISPGAYA Preâmbulo As presentes normas visam dar cumprimento ao estabelecido no artigo n.º14.º do Decreto- Lei n.º 74/2006, de 24 de março, na sua redação atual,

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA

PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA PROPOSTA DE REGULAMENTO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA De acordo com o art. 14 da Lei de Bases do Sistema Educativo e ao abrigo do Capítulo III do Decreto-Lei 74/2006, e para aprovação pelo Conselho

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

Regime de Frequência e Avaliação da Pós Graduação em Inteligência Competitiva e Comunicação no Desporto

Regime de Frequência e Avaliação da Pós Graduação em Inteligência Competitiva e Comunicação no Desporto Regime de Frequência e Avaliação da Pós Graduação em Inteligência Competitiva e Comunicação no Desporto Artigo 1.º Criação 1.1. A Escola Superior de Comunicação Social inclui na sua oferta educativa, uma

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 165 27 de agosto de 2012 30023

Diário da República, 2.ª série N.º 165 27 de agosto de 2012 30023 Diário da República, 2.ª série N.º 165 27 de agosto de 2012 30023 8.º semestre QUADRO N.º 9 Tempo de trabalho (horas) Unidades curriculares Área científica Tipo Créditos Observações Total Contacto (1)

Leia mais

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE UNIDADES CURRICULARES 1

REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE UNIDADES CURRICULARES 1 I - Disposições comuns... 2 1. Creditação... 2 2. Requerimentos... 3 3. Âmbito... 3 4. Procedimento... 3 5. Decisão e recurso... 3 6. Transição de ano... 4 7. Renúncia... 4 8. Certificação de creditações...

Leia mais

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de

Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de 3 APROVADO POR: Conselho Técnico Científico 26 09 2011 Data: / / 26 09 2011 Regulamento Geral dos Cursos de 1.º Ciclo de Estudos, conducentes ao grau de licenciado na ESEP INTRODUÇÃO Os Decretos Lei n.º

Leia mais

PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014-2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015

PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014-2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015 PROPINAS E EMOLUMENTOS 2014 / 2015 30-06-2014 INTRODUÇÃO Este sistema de propinas e emolumentos constitui um mecanismo inovador que permite ao estudante fasear e planear o seu plano de estudos curricular,

Leia mais

Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão

Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão Regulamento de Admissão às Licenciaturas da Faculdade de Economia e Gestão Artigo 1º Âmbito e Disposições Gerais 1. O presente Regulamento é aplicável às candidaturas aos cursos de Licenciatura da Faculdade

Leia mais

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014)

EDITAL. MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) EDITAL MESTRADO EM COMÉRCIO ELECTRÓNICO (3ª Edição 2012/2014) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/200, de 24 de Março, com as alterações que lhes foram introduzidas

Leia mais

EDITAL CURSOS DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM

EDITAL CURSOS DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM EDITAL CURSOS DE PÓS LICENCIATURA DE ESPECIALIZAÇÃO EM ENFERMAGEM CURSO DE MESTRADO EM ENFERMAGEM Considerando o disposto na Portaria nº 268/2002 publicado em Diário da República, I Série-B, Nº61 de 13

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico

Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Normas Regulamentares do Mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico Artigo 1.º Da admissão ao ciclo de estudos 1. À matrícula no mestrado em Educação Pré-Escolar e em Ensino

Leia mais

REGULAMENTO DA CREDITAÇÃO DE FORMAÇÃO E DE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL

REGULAMENTO DA CREDITAÇÃO DE FORMAÇÃO E DE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL REGULAMENTO DA CREDITAÇÃO DE FORMAÇÃO E DE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL Conselho Técnico-Científico (Deliberação CTC-102/2010, de 23 de novembro) 23 07 2012 01 ÍNDICE 1. Preâmbulo... 4 2. CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES

Leia mais

(PROPOSTA) REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS ACADÉMICAS, EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS E OUTRA FORMAÇÃO

(PROPOSTA) REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS ACADÉMICAS, EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS E OUTRA FORMAÇÃO (PROPOSTA) Ú~e ~JU&~~L~ 6~i ~ / ~ 7J7t1 REGULAMENTO DE CREDITAÇÃO DE COMPETÊNCIAS ACADÉMICAS, EXPERIÊNCIAS PROFISSIONAIS E OUTRA FORMAÇÃO Conforme o determinado pelo artigo 45 O A do Decreto Lei n 074/2006

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus. Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior

Escola Superior de Educação João de Deus. Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso no Ensino Superior 1 Artigo 1º Objeto e âmbito O disposto no presente regulamento aplica-se aos ciclos de estudos conducentes ao

Leia mais

Regulamento Cursos de Especialização Tecnológica. Ano Letivo 2013-2014. www.ipiaget.org

Regulamento Cursos de Especialização Tecnológica. Ano Letivo 2013-2014. www.ipiaget.org Instituto Piaget Campus Académico de Vila Nova de Gaia Escola Superior de Saúde de Vila Nova de Gaia www.ipiaget.org Ano Letivo 201-201 Regulamento Cursos de Especialização Tecnológica Índice Artigo 1º

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO E DOS CONCURSOS ESPECIAIS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO (IPVC)

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO E DOS CONCURSOS ESPECIAIS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO (IPVC) REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO E DOS CONCURSOS ESPECIAIS DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE VIANA DO CASTELO (IPVC) Nos termos do disposto nos artigos 12º e 15º do Decreto-Lei

Leia mais

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014

Reitoria. É revogado o Despacho RT-34/2014, de 2 junho. Universidade do Minho, 5 de dezembro de 2014. O Reitor. António M. Cunha. despacho RT-55/2014 Reitoria despacho RT-55/2014 A Universidade do Minho tem vindo a atrair um número crescente de estudantes estrangeiros, que hoje representam um importante contingente da sua comunidade estudantil. Com

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Sociologia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Sociologia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Sociologia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM SOCIOLOGIA: EXCLUSÕES E POLÍTICAS SOCIAIS Artigo 1º Objecto O Regulamento do

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS Artigo 1º Natureza O presente regulamento

Leia mais

CICLO DE ESTUDOS DE CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM GENÉTICA MOLECULAR E BIOMEDICINA. Normas Regulamentares

CICLO DE ESTUDOS DE CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM GENÉTICA MOLECULAR E BIOMEDICINA. Normas Regulamentares CICLO DE ESTUDOS DE CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE EM GENÉTICA MOLECULAR E BIOMEDICINA Normas Regulamentares PREÂMBULO As presentes Normas Regulamentares do Ciclo de Estudos de Mestrado em Genética Molecular

Leia mais

MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL ESPECIALIZAÇÃO DE COGNIÇÃO E MOTRICIDADE CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Enquadramento jurídico

MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL ESPECIALIZAÇÃO DE COGNIÇÃO E MOTRICIDADE CAPÍTULO I. Disposições gerais. Artigo 1.º. Enquadramento jurídico MESTRADO EM EDUCAÇÃO ESPECIAL ESPECIALIZAÇÃO DE COGNIÇÃO E MOTRICIDADE Homologo, CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º Enquadramento jurídico Considerando que, nos termos do artigo 23.º-A do Regulamento

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E CONCURSOS ESPECIAIS DE INGRESSO

REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E CONCURSOS ESPECIAIS DE INGRESSO IADE-U Instituto de Arte, Design e Empresa - Universitário REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E CONCURSOS ESPECIAIS DE INGRESSO REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO,

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM PSICOLOGIA CLÍNICA E DA SAÚDE Artigo 1º Objeto O Regulamento do 2º Ciclo de Estudos Conducentes ao Grau de Mestre em Psicologia Clínica

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO

REGULAMENTO ESPECIFICO DO CURSO DE MESTRADO EM DESPORTO 2009 REGULAMENTO Instituto Politécnico de Santarém Escola Superior de Desporto de Rio Maior MESTRADO EM DESPORTO REGULAMENTO Artigo 1º Natureza e âmbito de aplicação 1. O curso pretende atingir os objectivos apresentados

Leia mais

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO. Artigo 1.º. Objecto e âmbito

REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO. Artigo 1.º. Objecto e âmbito REGULAMENTO DOS REGIMES DE MUDANÇA DE CURSO, TRANSFERÊNCIA E REINGRESSO Artigo 1.º Objecto e âmbito 1 O presente regulamento disciplina, no cumprimento da Portaria n.º 401/2007, de 5 de Abril, os concursos

Leia mais

Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares. Artigo 1.º Grau

Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares. Artigo 1.º Grau Pós-Graduação em Arte Contemporânea Normas regulamentares Artigo 1.º Grau A Escola Superior Artística do Porto confere a Pós-Graduação em Arte Contemporânea Artigo 2.º Objectivos do curso 1. A Pós-Graduação

Leia mais

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa. Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO

Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa. Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Música de Lisboa Regulamento dos regimes de mudança de curso, transferência e reingresso PREÂMBULO Nos termos do disposto no artigo 10º do Regulamento

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO REGULAMENTO GERAL DE MATRÍCULAS E INSCRIÇÕES DO INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DO PORTO Artigo 1º (Âmbito) O presente regulamento fixa as normas gerais relativas a Matrículas e Inscrições nos diferentes

Leia mais

Regulamento dos regimes de reingresso, mudança de curso, transferência e do concurso especial de acesso para titulares de cursos superiores.

Regulamento dos regimes de reingresso, mudança de curso, transferência e do concurso especial de acesso para titulares de cursos superiores. Regulamento dos regimes de reingresso, mudança de curso, transferência e do concurso especial de acesso para titulares de cursos superiores Preâmbulo De acordo com a portaria n.º 401/2007, de 5 de Abril,

Leia mais

C R E D I T A Ç Ã O D E F O R M A Ç Ã O E D E E X P E R I Ê N C I A P R O F I S S I O N A L

C R E D I T A Ç Ã O D E F O R M A Ç Ã O E D E E X P E R I Ê N C I A P R O F I S S I O N A L ISAL Instituto Superior de Administração e Línguas Regulamento de Creditação de Formação e de Experiência Profissional Preâmbulo O n.º 1 do artigo 45.º-A do Decreto-Lei n.º 115/2013, de 7 de agosto, prevê

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL.

INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL. INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE COIMBRA EDITAL DE ABERTURA DE CONCURSO DE ACESSO MESTRADO EM ENGENHARIA E GESTÃO INDUSTRIAL Edição 2015-2017 Nos termos do Decreto -Lei n.º 42/2005, de pelo 22 de Fevereiro,

Leia mais

a) Estar ou ter estado inscrito num curso superior, diferente de um a

a) Estar ou ter estado inscrito num curso superior, diferente de um a MUDANÇA DE CURSO 1º CICLO D I R E I T O 2014/2015 PORTARIA N.º 401/2007, DE 5 DE ABRIL, ALTERADA PELA PORTARIA N.º 232-A/2013, DE 22 DE JULHO, E REGULAMENTO DOS REGIMES DE REINGRESSO, MUDANÇA DE CURSO

Leia mais

MESTRADO EM DIREITO E ECONOMIA DO MAR A GOVERNAÇÃO DO MAR * 2015/2016

MESTRADO EM DIREITO E ECONOMIA DO MAR A GOVERNAÇÃO DO MAR * 2015/2016 MESTRADO EM DIREITO E ECONOMIA DO MAR A GOVERNAÇÃO DO MAR * 2015/2016 VAGAS o 15 vagas para a candidatura na 1.ª fase o 15 vagas para a candidatura na 2.ª fase Na 1.ª fase aceitam-se candidaturas condicionadas

Leia mais

Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa FAQ S 1. Quais os requisitos necessários para ingressar num Mestrado? O candidato deverá ser titular do grau de licenciatura ou de mestre sendo as áreas de formação definidas aquando da publicação do edital

Leia mais

Regulamento dos Cursos de Mestrado e Pós-Graduação Escola Superior Tecnologia e Gestão de Viseu

Regulamento dos Cursos de Mestrado e Pós-Graduação Escola Superior Tecnologia e Gestão de Viseu Regulamento dos Cursos de Mestrado e Pós-Graduação Escola Superior Tecnologia e Gestão de Viseu (Aprovado em reunião do Conselho Técnico-Científico de 8 de Julho de 2011) DISPOSIÇÕES GERAIS Art. º 1 º

Leia mais

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica

Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica Normas Regulamentares do Mestrado em Ciências da Educação, área de especialização em Supervisão Pedagógica Artigo 1.º Da admissão ao ciclo de estudos 1. À matrícula no mestrado em Ciências da Educação

Leia mais

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Regulamento do Gabinete Erasmus da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objecto) O presente regulamento estabelece a orgânica do Gabinete Erasmus, bem

Leia mais

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante

E R A S M U S Guia do Estudante ERASMUS. Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa. Guia do Estudante ERASMUS Faculdade de Farmácia Universidade de Lisboa Guia do Estudante Normas Gerais A mobilidade de estudantes, uma das acções mais frequentes do Programa, inclui duas vertentes de actividade: realização

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO APROVADO 19 de Novembro de 2010 O Presidente, (Paulo Parente) ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DO PORTO REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS Capítulo I Disposições gerais Artigo 1.º Âmbito e natureza O

Leia mais

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012)

EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS. (edição 2010-2012) EDITAL MESTRADO EM PROCESSOS QUÍMICOS E BIOLÓGICOS (edição 2010-2012) Nos termos do Decreto-Lei nº 42/2005, de 22 de Fevereiro, do Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março, com as alterações introduzidas

Leia mais

DESPACHO Nº 18/2007. Assunto: Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso

DESPACHO Nº 18/2007. Assunto: Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso DESPACHO Nº 18/2007 Assunto: Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso Nos termos do nº 1 do artigo 10º do Regulamento dos Regimes de Mudança de Curso, Transferência e Reingresso,

Leia mais

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira

Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Regulamento do 2º ciclo de estudos da Universidade da Madeira Artigo 1.º Enquadramento jurídico O presente Regulamento visa desenvolver e complementar o regime jurídico instituído pelo Decreto-Lei n.º

Leia mais

REGULAMENTO DO MESTRADO EM GESTÃO DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

REGULAMENTO DO MESTRADO EM GESTÃO DE ENERGIA E EFICIÊNCIA ENERGÉTICA De forma a dar cumprimento ao estabelecido no artigo 26.º do Decreto-lei n.º 74/2006, de 24 de março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de julho, o Conselho Pedagógico do Instituto Superior

Leia mais

Diário da República, 2.ª série N.º 88 7 de maio de 2015 11235. CAPÍTULO I Disposições introdutórias. CAPÍTULO V Disposições finais

Diário da República, 2.ª série N.º 88 7 de maio de 2015 11235. CAPÍTULO I Disposições introdutórias. CAPÍTULO V Disposições finais Diário da República, 2.ª série N.º 88 7 de maio de 2015 11235 d) Elaborar os horários letivos e gerir a atribuição de salas para as atividades da Faculdade; e) Acompanhar os processos eleitorais dos Órgãos

Leia mais