COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO ADMINISTRADOR CONFORME O MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO ADMINISTRADOR CONFORME O MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO"

Transcrição

1 ISSN COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO ADMINISTRADOR CONFORME O MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO James Anthony Falk (Faculdade Boa Viagem) Bárbara Carrazzone Pacífico (Faculdade Boa Viagem) Ana Paula Ferreira da Silva (Faculdade Boa Viagem/Faculdade Santa Catarina) Resumo Este trabalho trata de identificar quais as principais competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) demandadas ao profissional de administração pelo mercado de trabalho brasileiro. O estudo foi baseado numa abordagem de análises: doocumental, a fim de determinar o conceito de competência profissional no campo da administração; e por uma pesquisa de caráter descritivo-exploratória, através das vagas de trabalho disponíveis no período de 1999 a A principal fonte de coleta de informações secundária foi os anais do Encontro Nacional da Associação Nacional dos Programas de Pósgraduação em Administração (ENANPAD), entre os anos de 1999 a Já a fonte de dados primária utilizada foi às chamadas pontos de trabalhos, encontradas na seção Painel Executivo da Revista Exame, no período de janeiro de 1999 a outubro de No Total foram encontrados setecentos e oito empregos oferecidos na ocasião, dos quais cento e sessenta e uma (161) vagas de empregos foram voltadas para os profissionais de administração. As descobertas revelaram que as competências técnicas (voltadas à prática de atividades específicas) foram mais demandadas entre os cargos de nível operacional, enquanto as competências de caráter comportamental, tais como: boa comunicação, capacidade de negociação, visão estratégica e visão analítica, foram as mais exigidas ao nível estratégico. Palavras-chaves: ompetências profissionais. Profissional de Administração. Mercado de trabalho.

2 1. INTRODUÇÃO A palavra competência é empregada de diferentes formas. A mais comum é a utilizada para designar pessoa qualificada para fazer algo (FLEURY; FLEURY, 2004, p.18). Dutra, Hipólito e Silva (1998) conceituam competência como sendo um conjunto de qualificações que possibilita a um indivíduo, ter um desempenho superior em diversas situações de trabalho. Durante os anos 80 e 90, alguns autores procuraram associar o conceito de competência ao que as pessoas produzem ou entregam em seu ambiente de trabalho. Le Boterf (2003) um dos defensores dessa linha de pensamento não vê a competência como um estado ou um conhecimento que se tem, nem como um resultado de treinamento, mas sim a colocação em prática daquilo que se sabe em determinado contexto, marcado geralmente pelas relações de trabalho, cultura da empresa, imprevistos, limitações de tempo e de recursos, dentre outros aspectos. Algumas pessoas dispõem competência e qualificação com o mesmo conceito. Porém, Ramos (2001) entende haver uma distinção entre essas duas palavras. A noção de qualificação norteou as relações sociais de trabalho e de ensino diante das características de produtividade. Contudo, as mudanças dos processos produtivos estão transformando o conceito de qualificação e abrindo espaço para a noção de competência. A melhor forma de compreender essa diferença é observar o conceito de competência negando e afirmando, concomitantemente, algumas das dimensões do conceito de qualificação na relação trabalhoeducação. Após alguns estudos realizados, Araújo e Pinto (2005) apontam o desenvolvimento de competências de fundamental importância para o administrador iniciando no mercado de trabalho. Para eles a noção de competência é expressa por meio de um conjunto de características básicas de todo administrador. Já Ducci (1996) compreende como competência a capacidade de enfrentar e solucionar problemas com êxito, nas situações de incerteza, tão comuns no ambiente de trabalho, ou seja, equilíbrio e capacidade de ação diante das 2

3 contingências das atividades de trabalho. Segundo esta análise, a principal diferença entre os conceitos de competência e qualificação reside na imprevisibilidade de agir do profissional (DUCCI, 1996). Para Perrenoud (2000, p.19) competência pode ser definida como: A aptidão para enfrentar uma família de situações analógicas, mobilizando de forma correta, rápida, pertinente e criativa, múltiplos recursos cognitivos, saberes, capacidades, micro competências, informações, valores, atitudes, esquemas de percepção, de avaliação e de raciocínio. Em 2008, Dutra, Fleury e Ruas publicaram um artigo com o objetivo principal de analisar as principais temáticas associadas ao estudo de competência no Brasil. Estes autores estudaram cinquenta e um (51) artigos, publicados no ano de 2004, nos veículos de divulgação cientifica na área de administração no Brasil, são eles: Revista de Administração da Universidade de São Paulo (RAUSP), Revista de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (RAE/FGV), Revista de Administração Contemporânea (RAC), Revista Organizações & Sociedade (O&S) e nos anais do Encontro da Associação Nacional de Pós- Graduação e Pesquisa em Administração (ENANPAD), área de Gestão de Pessoas e Relações de Trabalho. Na seleção dos artigos, a palavra competência precisaria estar inclusa, pelo menos, no título, nas palavras-chave ou no resumo dos artigos. Os subtemas (categorias) que sugiram acerca do conceito de competência foram os seguintes: a) Competências individuais e/ou gerenciais: competência dos indivíduos como resultante do trabalho individual; b) Competências coletivas e/ou grupais: competências coletivas, como resultado de trabalho coletivo; c) Competência organizacional: competências referentes à estratégia da empresa, também conhecidas como competências coletivas ; e d) Conceito de competência: construção e natureza do conceito de competências. Os achados da pesquisa de Dutra, Fleury e Ruas (2008) revelaram a predominância na literatura acadêmica sobre a abordagem de competência individual, pois 57% dos trabalhos visaram essa vertente. Outra relação do estudo foi carência de discussões e pesquisas sobre as competências operacionais, demandadas ao indivíduo, no exercício da profissão. Sendo assim, o objetivo principal desse trabalho é investigar quais são as principais competências profissionais demandadas aos administradores pelo mercado de trabalho brasileiro, comparando com as competências profissionais sugeridas ao administrador na literatura. Detalhando o objetivo geral surgem os seguintes específicos: a) discutir as competências essenciais de informação do profissional de administração, conforme previsto 3

4 pelo Ministério da Educação; e b) Identificar quais são as principais competências profissionais demandadas pelo mercado de trabalho aos profissionais da área administrativa. 2. COMPETÊNCIAS INDIVIDUAIS: CONCEITO E CLASSIFICAÇÃO As competências individuais são um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que cada pessoa possui ou desenvolve, com as quais conseguem colocar em ação para um determinado propósito. Outro conceito de competência individual para Fleury e Fleury (2004, p.35), é: um saber agir responsável e reconhecido, que implica mobilizar, integrar, transferir conhecimentos, recursos, habilidades, que agreguem valor econômico à organização e valor social ao indivíduo. Perrenoud (1999, p.7), contudo, conceitua competência individual como: a capacidade de agir eficazmente em um determinado tipo de situação, apoiada em conhecimentos, mas sem limitar-se a eles. Nordhaug (1998, p.10) classifica as competências individuais em: técnicas, interpessoais e conceituais. As competências técnicas estão relacionadas a métodos, processos e práticas desenhadas para conduzir uma atividade específica e habilidades de utilizar ferramentas, bem como, operar equipamentos relacionados a uma atividade. Já as interpessoais envolvem os comportamentos humanos e os processos entre pessoas, sendo a empatia e a sensibilidade social, a habilidade de comunicação e a capacidade de cooperação. As conceituais referem à capacidade analítica, criativa e eficiente em resolver problemas e a habilidade de reconhecer oportunidades ou dificuldades potenciais. Outra classificação, considera que são os diferentes conteúdos concretos das competências que as diferenciam, dividindo-as em três tipos: competências individuais, construída através das fontes de conhecimento de especialistas e de experiências; competência coletiva, sinergia formada nas redes de trabalho, onde esta exige um complemento e um acordo entre as pessoas; e competências adquiridas em situações educativas e formalizadas em conquistas cognitivas e comportamentais necessárias para enfrentar as categorias de situações-problemas (ZARIFIAN, 2008). 3. COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS 4

5 A atuação do profissional é como agente de transformação de conhecimentos, habilidades e atitudes, em competências entregues à organização, ressaltando o entendimento de agregação de valor como algo entregue pela pessoa à organização, de forma efetiva, melhorando processos ou introduzindo tecnologias, não somente atingindo metas organizacionais. Na concepção de Zarifian (2008, p.90), a competência profissional: é uma responsabilidade do indivíduo em demonstrar que é capaz de trabalhar de forma cooperada, sendo criativo, tendo iniciativa e resolvendo problemas, sempre querendo aprender com as situações reais. A legislação que rege a educação profissional no Brasil segue esta mesma linha de pensamento quando afirma a competência profissional como: a capacidade de mobilizar, articular e colocar em ação valores, conhecimentos, habilidades, e atitudes necessários para o desempenho eficiente e eficaz de atividades requeridas pela natureza do trabalho (CORDÃO, 2003, p.21). Segundo Ropé e Tanguy (2004), a competência profissional está voltada para indivíduos com a consciência do que sabe ou não fazer. Os diplomas secundários e superiores já não bastam para os indivíduos, pois estes devem demonstrar evolutivamente a mobilização dos seus conhecimentos em diferentes situações. O contexto social e os atores nele envolvidos devem ser sempre observados. Por isso, é difícil avaliar desempenhos individuais e reconhecer uma competência profissional, cuja construção parece estar vinculada tanto à aquisição de escolaridade, quanto a de processos de aprendizagem informais ocorridos em momentos e lugares distintos. Esse tipo de competência não se caracteriza por ações constantes sobre problemas homogêneos, mas sim pela variedade de questões e de imprevistos a serem enfrentados adequando e reelaborando os conhecimentos possuídos. Portanto, estas competências crescem à medida que as atividades profissionais solicitam um desempenho superior ao que já se tem. As competências profissionais podem ser desenvolvidas através da formação educacional e das experiências obtidas no exercício da profissão. Além disso, a competência profissional é caracterizada, sobretudo, pela variedade, teoricamente ilimitada de questões e de imprevistos a serem enfrentados adequando e reelaborando o saber que se possui. Esta variedade é neste sentido flexível, exigindo um conjunto complexo de conhecimentos e habilidades (MEGHNAGI, 1998). 5

6 4. ESTUDOS REALIZADOS SOBRE HABILIDADES E COMPETÊNCIAS DO ADMINISTRADOR Chester Barnard (1979) foi um dos primeiros estudiosos a traçar algumas funções sobre competência voltada para os gestores. Ele afirmou que o desempenho das organizações sofre influência das mudanças oriundas do meio externo e, em razão dessas intervenções, o executivo deve desenvolver três grandes funções: prover o sistema de comunicação, promover a garantia de esforços essenciais e formular e definir o propósito. Robert L. Katz, em 1986, publicou o livro As habilidade de um administrador eficiente, o qual classifica as competências em três categorias: técnicas, humanas e gerenciais. As técnicas tem relação com a execução do trabalho, bem como, com o domínio do conhecimento especifico necessário para executar o trabalho operacional. As habilidades humanas consistem na capacidade e facilidade para trabalhar com pessoas, comunicar, compreender suas atitudes e motivações e liderar grupos de pessoas. As desenvolturas conceituais compreendem a habilidade de considerar a empresa como um todo, inclui o reconhecimento de como as diversas funções numa organização dependem uma da outra e de que modo mudanças, em qualquer uma das partes, afeta as demais (KATZ, 1986). Mintzberg, em 1986, identificou oito (8) habilidades (um dos elementos da competência) listando: relacionamento com colegas, liderança, resolução de conflitos, processamento de informações, tomarem decisões em condições de ambiguidade; alocação de recursos, empreender e introspecção (MARTINS, 2010). Pinto e Rocha (1999) investigaram se os futuros administradores percebem as exigências/aptidões postas aos profissionais pelas maiores empresas do mundo como inerentes ao seu desempenho profissional, bem como, se a universidade está contribuindo para o desenvolvimento das referidas habilidades. Os resultados mostraram os alunos entrevistados concordando com o fato dos valores demandados pelo mercado serem indispensáveis ao seu desempenho profissional. Já em 2002, Nicolini publicou um estudo, no qual afirma a edição das novas Diretrizes Curriculares Nacionais como investidora da formação de competências e permitindo condições para os administradores serem adaptáveis a novas situações, e capazes de responder aos desafios da transformação do mercado de trabalho e da sociedade como um todo. Sant anna, Moraes e Kilimnik (2005) estudaram as principais aptidões requeridas pelo mercado de trabalho, sendo cinco delas as mais demandadas. São elas: gerar resultados 6

7 efetivos, se promover com os objetivos da organização, trabalhar em equipes, relacionamento interpessoal e comunicação. O Conselho Federal de Administração (2006) realizou um estudo com administradores do Brasil todo, buscando entre outras coisas: conhecer as competências (conhecimentos, habilidades e atitudes) desenvolvidas nos mesmos, através do curso de graduação. Os resultados da pesquisa revelaram: A administração de pessoas/equipes foi o conhecimento especifico mais citado (62,19%); a identificação de problemas, a formulação e implantação de soluções dói a principal competência (71,19%); a visão do todo foi a habilidade ais indicada (74,04%); e o comportamento ético, a atitude mais importante (75,21%) (ANDRADE et al, 2006, p.24). Almeida et al (2006) avaliaram a importância do Estágio Supervisionado para a formação do administrador, através de estudantes que estavam cursando ou já cursaram a disciplina de estágio supervisionado na União Metropolitana de Educação e Cultura (UNIME), onde foi constatada a contribuição da prática do Estágio Supervisionado, de forma significativa, para o desenvolvimento das capacidades e aptidões do administrador. Ainda em 2006, Pinto e Lemos analisaram o tipo de funcionário requerido pelas grandes empresas privadas, na composição de seu quadro gerencial. Os resultados mostraram: os traços comportamentais e os ativos sociais do candidato superam a preocupação com formação técnica específica do futuro gerente, de acordo com o olhar daqueles responsáveis por sua contratação. Braga e Brito, no ano de 2009, revelaram a percepção dos pesquisados sobre o perfil de competência profissional ideal para o exercício de atividades gerenciais na área de saúde, com destaque para os atributos relacionados ao conhecimento e habilidade de planejamento estratégico e operacional, bem como, habilidade de liderança e atitude ética. 5. COMPETÊNCIAS PROFISSIONAIS DO ADMINISTRADOR PARA O MISTÉRIO DE EDUCAÇÃO Em 1995, a Câmara de Educação Superior do Conselho Nacional foi conferida a competência de deliberar sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para orientar os cursos de graduação, impulsionando as Instituições de Ensino Superior (IES) a reverem sua estrutura 7

8 com o objetivo de sintonizar os formandos com o mercado de trabalho. De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs): O curso de Administração deve ensejar condições para que o bacharel em Administração esteja capacitado a compreender as questões científicas, técnicas, sociais e econômicas da produção e de seu gerenciamento no seu conjunto, observados os níveis graduais do processo de tomada de decisão, bem como a desenvolver o alto gerenciamento e a assimilação de novas informações, apresentando flexibilidade intelectual e adaptabilidade contextualizada no trato de situações diversas presentes ou emergentes nos vários segmentos do campo de atuação do administrador (BRASIL, 2005, p.13). Além do perfil do administrador, as Diretrizes Curriculares falam sobre as competências e habilidades que o profissional formado em administração deve possuir: Reconhecer e definir problemas; equacionar soluções; pensar estrategicamente; introduzir modificações no processo produtivo; atuar preventivamente; transferir e generalizar conhecimentos e exercer, em diferentes graus de complexidade, o processo de tomada de decisão; desenvolver expressão e comunicação compatíveis com o exercício profissional, inclusive nos processos de negociação e nas comunicações interpessoais ou intergrupais; refletir e atuar criticamente sobre a esfera da produção, compreendendo sua posição e função na estrutura produtiva sob seu controle e gerenciamento; desenvolver raciocínio lógico, crítico e analítico para operar com valores e formulações matemáticas presentes nas relações formais e casuais entre fenômenos produtivos, administrativos e de controle, bem assim expressando-se de modo crítico e criativo diante dos diferentes contextos organizacionais e sociais; ter iniciativa, criatividade, determinação, vontade política e administrativa, vontade de aprender, abertura as mudanças e consciência da qualidade e das implicações éticas do seu exercício profissional, em diferentes modelos organizacionais, revelando-se um profissional adaptável. (BRASIL, 2005, p.13). Os DCNs centralizam o ensino e aprendizagem no desenvolvimento de competências e habilidades, por parte do aluno, ao invés de, centralizá-lo, somente no conteúdo conceitual. O foco do ensino deve ser no conteúdo das diferentes disciplinas, transformando-os em um instrumento de desenvolvimento de competências (conhecimentos, habilidades e atitudes). 6. METODOLOGIA O método adotado para esta pesquisa foi o indutivo, partindo das competências particulares, técnicas e comportamentais, descritas nas chamadas de vagas de emprego do profissional de administração, com a finalidade de concluir sobre as tendências do perfil desejado. Esse método é uma forma de generalização, uma vez ele parte de questões particulares até chegar a conclusões generalizadas segundo Lakatos e Marconi (2010, p.53). Assim, pode-se afirmar que se as premissas são verdadeiras, as conclusões também serão. 8

9 Esse método é caracterizado por quatro etapas: a observação e o registro dos fatos; a análise e a classificação dos fatos; a derivação indutiva de uma generalização a partir dos fatos e a verificação. O universo do estudo foi composto por setecentos e oito (708) chamadas de vagas encontrada na seção Painel Executivo da Revista Exame, do período de janeiro de 2009 a outubro de A amostra se limitou às vagas de emprego destinadas para profissionais com formação em administração (161), representando aproximadamente 22,7% do universo. A tabela 1 apresenta a oferta de vagas para administração, conforme ano de ocorrência. Tabela 1 Vagas de administração ofertadas por ano de ocorrência Ano Total de vagas Vagas destinadas para % das vagas voltadas para ofertadas administradores administradores , , ,4 Total ,7 Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). A coleta de dados primários das vagas de trabalho, disponibilizadas no período do estudo, foi realizada através de um formulário específico, elaborado com base nos itens componentes das chamadas de vaga observados no Painel Executivo da Revista Exame. O formulário foi dividido em cinco grupos conforme descrito no quadro abaixo: GRUPO DE INFORMAÇÕES Vaga Idiomas Formação Acadêmica Experiência Competências DESCRIÇÃO Informações referentes ao ano de publicação, cargo ofertado e seu nível, setor de atuação da empresa, porte da empresa, estado e região de localização. Questões relacionadas ao nível de conhecimento de idiomas estrangeiros que a vaga exigia e obrigatoriedade. Formação acadêmica em administração e afins, nível de escolaridade, graduação, MBA, especialização ou se não solicitava. Exigência de experiência no cargo, no segmento de negócio ou em alguma atividade específica a ser executada Através de leitura previa das 161 vagas, foram encontradas cinquenta e cinco (55) competências. Quadro 1 Descrição da estrutura do formulário de coleta de dados documental Fonte: Formulário de coleta de dados documental Os dados coletados foram trabalhados e agrupados em diversas categorias, conforme definições de áreas administrativas descritas nos currículos do Ministério da Educação 9

10 (MEC). Posteriormente, os dados foram analisados quantitativamente com ajuda do aplicativo Statistical Package for Social Sciences (SPSS). 7. RESULTADO DA PESQUISA DE DADOS PRIMÁRIOS documental. Esta seção do trabalho apresenta os resultados obtidos através de estudo empírico 7.1 INFORMAÇÕES SOBRE OS CARGOS OFERTADOS Com relação à localização e porte das empresas ofertantes de vagas de empregos para administradores, a tabela 2, demonstra: 100 das 161 vagas estudadas (62,1% das vagas que informaram o porte) pertenciam à cidade de São Paulo e 140 empregos dos 161 ofertados (86,9%) foram voltados para organizações localizadas nas regiões sul e sudeste. Tabela 2 Região e estado de localização da empresa ofertante da vaga de emprego Porte da empresa Não Total por identificado Médio Grande Total região Estado Estado de localização Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Distrito Federal (DF) 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,62 Goiás (GO) 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,62 Centro-oeste Mato Grosso do Sul (MS) 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,62 3 1,9 Bahia (BA) 1 0,6 0 0,0 1 0,6 2 1,24 Ceará (CE) 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,62 Nordeste Maranhão (MA) 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,62 4 2,5 Norte Amazonas (AM) 3 1,9 0 0,0 1 0,6 4 2,48 4 2,5 Espírito Santo (ES) 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,62 Minas Gerais (MG) 1 0,6 0 0,0 8 5,0 9 5,59 Rio de Janeiro (RJ) 2 1,2 0 0,0 4 2,5 6 3,73 Sudeste São Paulo (SP) 22 13,7 6 3, , , ,0 Paraná (PR) 5 3,1 2 1,2 13 8, ,4 Sul Santa Catarina (SC) 1 0,6 0 0,0 3 1,9 4 2, ,9 Não informada Não informado 2 1,2 0 0,0 8 5,0 10 6, ,2 Total 37 23,0 8 5, , ,0 Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). Cento e dezesseis (116) vagas foram voltadas somente para a região Sudeste e 24 (14,9%) foram para a região Sul. Do total de vagas da região Sudeste, 85 era voltada para 10

11 empresas de grande porte, enquanto apenas 16 das 24 empregos da região Sul foram disponibilizadas para grandes empresas (Tabela 2). Na tabela 3, observa-se: 71% das vagas de emprego ofertadas no período estudado foram voltados paras cargo de nível gerencial, 17% para cargos estratégicos (direção) e apenas 12%, para o nível operacional. Cinquenta e dois por cento (52%) das vagas de ponto de trabalho foram destinadas a cargos em nível de gerência a ser ocupados em empresas de grande porte e, quatorze por cento (14%) foram indicados por pequenas empresas. Em termos gerais, apenas 5% das vagas de trabalho foram solicitados por empresas de médio porte. Tabela 3 Nível do cargo versus porte da empresa ofertante da vaga Porte da empresa Nível do cargo Não identificado Médio Grande Total Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Estratégico (direção) 10 6,0 0 0, , ,0 Gerencial 22 14,0 8 5, , ,0 Operacional 5 3,0 0 0,0 14 9, ,0 Total 37 23,0 8 5, , ,0 Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). Durante a pesquisa documental, não foi possível identificar o setor econômico de atuação de todas as organizações ofertadoras dos pontos de trabalho, conforme demonstra a tabela 4. Desse total, a maioria foi de empresas de grande porte, ou seja, 24,2% do total de 34% não identificaram seu setor de atuação. Constatou-se também: 54 do total das 161 vagas (33,5%) foram voltadas para a área de serviços e 46 (28,6%) para o setor industrial, ou seja, apenas 6 (3,7%) dos empregos foram voltados para o setor primário. Do total de 161 vagas, 21,7% foram voltadas para empresas de grande porte da área de serviços e 23,0% foram voltadas para empresas secundárias (indústria), também de grande porte. Tabela 4 Setor de atuação do emprego conforme porte da empresa Porte da empresa Setor de atuação do emprego Não identificado Médio Grande Total Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Não identificado 14 8,7 2 1, , ,2 Primário (Agricultura e Pecuária) 0 0,0 1 0,6 5 3,1 6 3,7 Secundário (Indústria) 7 4,3 2 1, , ,6 Serviços 16 9,9 3 1, , ,5 Total 37 23,0 8 5, , ,0 11

12 Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). 7.2 EXIGÊNCIAS DE IDIOMAS PARA OS CARGOS OFERTADOS Em termos da exigência de conhecimento da língua inglesa, parte dos dados da tabela 5 demonstra: 29,2% das vagas de empregos voltadas para o profissional de administração não faziam nenhuma exigência deste idioma, ou seja, 41 das 161 vagas estudadas. Do total restante de 114 empregos, 75 vagas exigiam ao candidato o inglês fluente obrigatoriamente, sendo 50 (31,1%) ao nível gerencial, 16 (9,9%) ao nível estratégico e apenas 9 (5,6%) ao nível operacional. Para os 27 outros empregos (16,8%), o inglês fluente era considerado como sendo um diferencial para o candidato, mas não obrigatório. Desse total, 9,9% correspondiam ao nível gerencial e 3,1% tanto para nível estratégico, como operacional. Tabela 5 Exigência do idioma inglês por nível do cargo Nível do cargo Estratégico (Direção) Gerencial Operacional Total Inglês Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Não solicita 5 3, ,5 1 0, ,2 Nível intermediário - obrigatório 0 0,0 1 0,6 0 0,0 1 0,6 Nível avançado - obrigatório 1 0,6 5 3,1 1 0,6 7 4,3 Nível fluente - obrigatório 16 9, ,1 9 5, ,6 Nível intermediário - diferencial 0 0,0 1 0,6 0 0,0 1 0,6 Nível avançado - diferencial 1 0,6 0 0,0 2 1,2 3 1,9 Nível fluente - diferencial 5 3,1 16 9,9 6 3, ,8 Total 28 17, , , ,0 nte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). Fo Embora as regiões Sul e Sudeste, regiões mais ofertantes de vagas de trabalho para o profissional de administração, estejam mais próximas aos países mais ricos do MERCOSUL, a tabela 6 demonstra que o conhecimento na língua espanhola é pouco solicitado, ou seja, 16,1% das vagas quando comparada com a língua inglesa com 68,8% das vagas. Observa-se: 83,9% dos empregos não solicitam conhecimento em espanhol, contra 29,2% que não 12

13 demandam pelo idioma inglês. Verificou também: apenas 12,4% do total das vagas de trabalho exigiram conhecimento da língua espanhola ao nível gerencial, solicitando ao profissional conhecimento em nível fluente como diferencial (7,5%) ou como obrigatório fluente (4,3%) e como obrigatório avançado (0,6%). Tabela 6 Exigência do idioma espanhol por nível do cargo Nível do cargo Estratégico (Direção) Gerencial Operacional Total Espanhol Oc. % Oc.. % Oc. % Oc. % Não solicita 26 16, ,4 15 9, ,9 Nível fluente - obrigatório 1 0,6 7 4,3 1 0,6 9 5,6 Nível avançado - diferencial 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,6 Nível fluente - diferencial 1 0,6 12 7,5 2 1,2 15 9,3 Nível avançado - obrigatório 0 0,0 1 0,6 0 0,0 1 0,6 Total 28 17, , , ,0 Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). 7.3 FORMAÇÃO E EXPERIÊNCIA DOS CARGOS OFERTADOS A Tabela 7 traz informações sobre a formação acadêmica dos profissionais a serem recrutados para as vagas de empregos. Pode-se verificar: 57% das vagas requisitaram do candidato à formação apenas na área de administração, sendo 45,3% para cargos a nível gerencial, 10,6%, para os de nível estratégico e apenas 3,7% voltados para ocupações laborais de nível operacional. Em segundo lugar aparece a exigência do candidato ter formação na área de administração, bem como, de engenharia (18,6%), sendo 11,2% voltados para cargos de nível gerencial e 3,7% para os níveis estratégicos e operacionais. É importante ressaltar: 16,1% aparecem como vagas de empregos que são exigidos formação multi-acadêmica. São eles: administração, contabilidade, economia e engenharia. Uma análise paralela demonstra: a maior parte destas vagas é voltada para cargos na área financeira. Tabela 7 - Exigência de formação acadêmica por nível de cargo 13

14 Nível do cargo Estratégico (Direção) Gerencial Operacional Total Área de formação acadêmica Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Somente Administração 17 10, ,3 6 3, ,6 Administração e Economia 1 0,6 0 0,0 0 0,0 1 0,6 Administração e Engenharia 6 3, ,2 6 3, ,6 Administração, Contábeis, Economia e Engenharia 2 1, ,2 6 3, ,1 Administração e Medicina 1 0,6 1 0,6 0 0,0 2 1,2 Administração, Engenharia e Agronomia 0 0,0 1 0,6 0 0,0 1 0,6 Administração, Engenharia e Psicologia 0 0,0 1 0,6 0 0,0 1 0,6 Administração e Psicologia 0 0,0 1 0,6 0 0,0 1 0,6 Administração, Matemática e Estatística 0 0,0 0 0,0 1 0,6 1 0,6 Administração e Publicidade 1 0,6 1 0,6 0 0,0 2 1,2 Total 28 17, , , ,0 Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). A tabela 8 apresenta os cargos ofertados conforme as áreas de atuação do administrador, segundo classificação do Conselho Federal de Administração (CFA). Observase: a maior parcela dos cargos (24,8%) foi voltada para a área Mercadológica/Marketing. Em segundo lugar, com 15,5%, cargos voltados para a área de administração geral, seguidos pelos cargos da área de Material/Logística (14,9%), bem como, os voltados para a área de Recursos Humanos (RH). Estas quatro áreas somam 68,9% das vagas oferecidas. Vale salientar que as áreas da Tecnologia da Informação (TI) e Projetos são: o antepenúltimo e o penúltimo lugar das vagas oferecidas, respectivamente. Isto pode indicar a baixa prioridade sendo dada para a questão da implantação da gestão da inovação, nas empresas brasileiras. Por último surge uma única vaga voltada para Business Partner, indivíduo, não sendo especificamente do quadro funcional da empresa, podendo até ser outra organização, tem como objetivo apoiar projetos de demais áreas da empresa (Tabela 8). Tabela 8 Denominação do cargo ofertado conforme área administrativa 14

15 Discriminação do Cargo Área Oc. % Coordenador de marketing, Diretor de Marketing, Gerente de Marketing,Coordenador de Vendas, Gerente de Vendas,Diretor Comercial, Gerente Comercial Mercadologica/Marketing 40 24,8 Diretor executivo, Diretor geral, Diretor Superintendente, Gerente administrativo, Gerente Geral, Superintendente, Diretor de unidade de negócios, 25 15,5 Gerente de negócios Administração Geral Comprador, Coordenador de compras, Coordenador de Procurement,Diretor de Supply Chain, Gerente de Cadeia de Suprimentos, Gerente de Compras, Gerente de Distribuição, Gerente de e-commerce, Gerente 24 14,9 de Logistica, Gerente de Supply Chain, Gerente de Suprime Material/Logistica Coordenador de RH, Diretor de RH, Gerente de RH, Rercurso Humanos 22 13,7 Gerente de Operações, Gerente de Produtos, Supervisor de Produtos Operações 21 13,0 Analista de custos, Consultor tributário, Controller, Coordenador financeiro, Diretor financeiro, Executivo de contas, Gerente de Contas, Financeiro 14 8,7 Gerente financeiro, Gestor tributário, Supervisor Financeiro Diretor de Atendimento, Gerente de Serviços Serviços 7 4,3 Administrador de Redes, Diretor de TI Tecnologica da Informação 4 2,5 Diretor de projeto de parceria pública privada, Supervisor de gerenciamento de projetos, Projetos 3 1,9 Business partner Outra 1 0,6 Total dos Cargos Oferecidos ,0 F onte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). A tabela 9 demonstra o nível de exigência por candidatos com experiência anterior ao cargo a ser ocupado. Observa-se: 87,6 % das vagas não exigiram experiência prévia no cargo. Dos 12,6% que exigiram experiência, a maior parcela se concentra nos cargos de gerência (8,1%), 3,1% nos cargos estratégicos e menos de 1% nos cargos operacionais. Tabela 9 Exigência de experiência no cargo por nível Nível do cargo Estratégico (Direção) Gerencial Operacional Total Experiência no cargo Oc. % Oc.. % Oc. % Oc. % Não solicita 22 13, , , ,6 Solicita como obrigatório 5 3,1 13 8,1 1 0, ,8 Solicita como diferencial 1 0,6 0 0,0 0 0,0 1 0,6 Total 28 17, , , ,0 Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). 7.4 COMPETÊNCIAS DEMANDADAS NOS CARGOS OFERTADOS 15

16 Das competências solicitadas ao administrador (tabela 10), o relacionamento interpessoal foi o mais solicitado, com 10,8% de todas as competências demandadas. Seguido por Foco nos resultados (10,1%) e Pró-atividade (9,9%), Liderança (9,2%), Boa comunicação (8,0%) e Dinamismo (7,8%). O restante das 10 competências mais solicitadas: Capacidade de negociação, Visão estratégica, Empreendedorismo e Visão analítica compõem apenas 5% e 4% das vagas. Diante da tabela, verifica-se: o mercado (leia-se grandes empresas) procura mais por gerentes, lideres de equipes, do que por empreendedores ou inovadores com visão estratégica do mercado. Tabela 10 competências demandadas do profissional da administração Competência Oc. % Competência Oc. % Relacionamento interpessoal 46 10,8 Gestão de pessoas 15 3,5 Foco nos resultados 43 10,1 Hands on 15 3,5 Pró atividade 42 9,9 Capacidade analítica 12 2,8 Liderança 39 9,2 Criatividade 12 2,8 Boa comunicação 34 8,0 Flexibilidade 10 2,4 Dinamismo 33 7,8 Resiliência 8 1,9 Capacidade de negociação 23 5,4 Outros com referência <7 39 9,2 Visão estratégica 22 5,2 Empreendedorismo 16 3,8 Subtotal demais competências ,1 Visão analítica 16 3,8 Subtotal 10 mais ,9 Total Geral das Competências ,0 F onte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). Ao analisar as demais competências solicitadas é importante destacar, novamente, a baixa solicitação de competências como: Criatividade, Flexibilidade e Resiliência, uma vez que poderiam ser consideradas muito envolvidas na questão de implantação de programas de inovação nas empresas brasileiras. A competência citada como Gestão de Pessoas tem sentido vaga. Poderia ser entendida como Relacionamento Interpessoal ou, simplesmente, refere ao conhecimento das leis de trabalho para o setor de Recursos Humanos (Tabela 10). A tabela 11 relaciona as principais competências profissionais demandadas pelo mercado de trabalho brasileiro ao administrador, em relação às competências mencionadas nas referências dos autores mais citados na literatura acadêmica apresentada neste trabalho, bem como, as apresentadas pelo Conselho Federal de Administração e o Ministério da educação. Como no mercado, a competência profissional mais citada na pesquisa documental foi Relacionamento interpessoal, a qual também foi a mais frequente (88,9%), entre as outras 16

17 Barnard (1979) Katz (1986) Mitzberg (1986) CFA (1995) Diretrizes ( 2005) Sant anna (2005) Pinto e Lemos (2006) CFA (2006) Braga e Brito (2009) Ocorrência Percentual Ranking comparativo Ranking da pesquisa documental (2011) VIII CONGRESSO NACIONAL DE EXCELÊNCIA EM GESTÃO pesquisas sobre competência profissionais voltadas para os administradores. Em segundo lugar surge a boa comunicação (77,8%), a qual ocupa a quinta posição das competências mais demandadas pelo mercado de trabalho brasileiro para o administrador. Estas duas competências são vinculadas à liderança de equipes, enquanto a terceira está interligada com o Planejamento Estratégico da empresa para manter sua sobrevivência no mercado. Em terceiro lugar, com 44,4% de ocorrência surgem às competências: Liderança e Empreendedorismo. Esta última foi bastante diferente das encontradas nas vagas disponibilizadas no mercado (Tabela 11). Tabela 11 Principais competências profissionais no estudo documental apontadas em outros estudos sobre competências voltadas para os administradores Competências profissionais mais citadas no estudo de Carrazzone et al (2011) Relacionamento interpessoal X X X X X X X X 8 88,9 Foco nos resultados X 1 11,1 5º 2º Pró-atividade X 1 11,1 5º 3º Liderança X X X X 4 44,4 3º 4º Boa comunicação X X X X X X X 7 77,8 2º 5º Dinamismo 0 0,0 7º 6º Capacidade de negociação X 1 11,1 5º 7º Visão estratégica X X 2 22,2 4º 8º Empreendedorismo X X X X 4 44,4 3º 9º Visão analítica X 1 11,1 5º 9º Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental e autores diversos. 1º 1º A tabela 12 apresenta as dez competências mais solicitadas aos candidatos a emprego, segundo o nível do cargo e, estabelece uma relação comparativa com as competências encontradas na literatura acadêmica. As descobertas chamam atenção, pois 70,7% das competências foram solicitadas aos candidatos a cargos no nível de gerência, enquanto 15,3% para nível de direção e 14,0% para nível operacional. Entre as competências mais solicitadas para ocupação do cargo de Gerência, estão: o Relacionamento interpessoal, Foco nos resultados, Pró Atividade, Liderança e Dinamismo. Sendo estas, as mais solicitadas, indica-se uma ênfase na questão de gestão da equipe, mas sem perder o foco em produção. Ao nível operacional, o Foco nos resultados perde um pouco de importância para as competências de 17

18 Pró Atividade, Relacionamento Interpessoal, Boa Comunicação e Dinamismo indicando também, maior destaque na liderança de equipes. Ao nível de Direção, a competência de Boa Comunicação está em primeiro lugar, o que parece um pouco estranho enquanto o Foco nos Resultados, Liderança, Capacidade de negociação e Visão Estratégica ocupam, igualmente, o segundo lugar. Uma descoberta que chama atenção é o fato da competência Empreendedorismo não ser considerada muito importante em qualquer dos três níveis estudados. Tabela 12 Principais competências profissionais exigidas por nível do cargo Nível do Cargo Estratégico Gerencial Operacional Total Literatura Competência Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Oc. % Relacionamento interpessoal 3 6, ,2 7 15, ,6 8 27,6 Foco nos resultados 6 12, ,4 5 11, ,7 1 3,4 Pró atividade 3 6, ,5 9 20, ,4 1 3,4 Liderança 6 12, ,6 5 11, ,4 4 13,8 Boa comunicação 8 16,7 19 8,6 7 15, ,8 7 24,1 Dinamismo 3 6, ,8 6 13, ,5 0 0,0 Capacidade de negociação 6 12,5 15 6,8 2 4,5 23 7,3 1 3,4 Visão estratégica 6 12,5 15 6,8 1 2,3 22 7,0 2 6,9 Empreendedorismo 3 6,3 13 5,9 0 0,0 16 5,1 4 13,8 Visão analítica 4 8,3 10 4,5 2 4,5 16 5,1 1 3,4 Total , , , , ,0 % sobre o total geral 48 15, , , Fonte: Elaboração própria dos autores com base em pesquisa documental realizada no Painel Executivo/Revista Exame (jan//2009 a out/2011). Aparentemente, a literatura fala mais em termos de inovação e empreendedorismo, contudo, o conceito ainda não possui consistência no mercado. É importante ressaltar também: que apenas uma (1) das dez (10) competências mais demandadas pelo mercado de trabalho aos administradores não foi citada nas outras pesquisas. Foi ela: o dinamismo (Tabela 12). 8. CONCLUSÃO O marco teórico deste trabalho mostrou as várias definições do termo competência, entretanto, em termos gerais, a maioria dos autores a define como sendo o conjunto de qualificações de cada pessoa ou mesmo como a capacidade do individuo de enfrentar e 18

19 solucionar problemas. Quando se fala de competência profissional, de forma mais recente, Zarifian (2008), por sua vez, conceitua como sendo uma responsabilidade do indivíduo em demonstrar que é capaz de trabalhar de forma cooperada, sendo criativo, tendo iniciativa e resolvendo problemas, sempre querendo aprender com as situações reais, ou seja, através da vivência. A exclusão das competências de Pró-atividade e Dinamismo na literatura do CFA e do MEC e a pouca importância dada a Foco nos resultados, Capacidade de negociação e Visão analítica dos demais autores na literatura sobre competências administrativas parece contrária a esta definição. O mercado parece ser mais em acordo com a generalização dos autores. O estudo do mercado evidenciou uma procura maior por candidatos à vaga de gerência, estando este, acima da busca por cargos de direção e operação. Neste caso, as competências solicitadas estão mais de acordo com o cargo demandado. Isto se observa também, na formação solicitada aos candidatos apresentando exigências multiprofissionais para assumir cargos de gerências em setores específicos das grandes empresas que mais disponibilizam vagas de empregos. Em razão do mercado globalizado, a solicitação ao candidato a emprego possuir domínio de uma língua estrangeira é esperado. Através da pesquisa documental foi possível descobrir o inglês como sendo a língua estrangeira mais solicitada para os candidatos a emprego e não o espanhol. Do total de vagas oferecidas, 47% das empresas solicitam inglês fluente como obrigatório, enquanto apenas 18% exigiram o espanhol, mesmo com o crescimento dos blocos econômicos latinos americanos, cujos países falam a língua espanhola. Ao investigar as competências demandadas ao administrador para o exercício da profissão foi constatado que as competências de inovação e empreendedorismo ainda são pouco solicitadas pelo mercado, mesmo se tratando das grandes empresas. Além disso, as competências com maior frequência de solicitação foram: relacionamento interpessoal e boa comunicação. Este achado é parecido com a pesquisa realizada pela Creative Education Foundation, divulgada no Brasil em 1999, junto as 500 maiores empresas do mundo, apontando: o trabalho em equipe, solução de problemas, habilidades interpessoais, comunicação oral, como sendo as principais competências demandadas ao administrador (CARDOSO; FONSECA, 2009). Por fim, o estudo revelou que as empresas exigem mais competências comportamentais se comparadas com as técnicas, em qualquer nível, durante o 19

20 processo de seleção. Talvez, tal fato se justifique em razão das competências comportamentais demandarem mais tempo para serem desenvolvidas. REFERÊNCIAS ALMEIDA, Denise R de; LAGEMANN, L.; SOUZA, Sílvio Vanderlei A. A Importância do Estágio Supervisionado para a Formação do Administrador. In: XXX Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENANPAD), 2006, Salvador/BA. Anais do XXV Encontro Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Administração (ENANPAD), Salvador/BA: ANPAD, ANDRADE, Rui Otávio Bernardes de; ABREU, José Augusto Rodrigues de; SCAICO, Oswaldo; FORTUNA, Antonio Alfredo Mello; FREITAS JUNIOR, Antonio de Araujo; FERRAZ, Sônia Ferreira. Pesquisa nacional sobre o Perfil, Formação e Oportunidades de Trabalho do Administrador. Brasília: Conselho Federal de Administração (CFA), ARAUJO, Fabio F. de PINTO, Sandra Regina da Rocha. A Competência do Administrador: A Voz do Vir a Ser. In: XIII Seminário de Iniciação Científica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, 2005, Rio de Janeiro. Anais do XIII Seminário de Iniciação Científica da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro: PUC- RIO, BARNARD, Chester. As funções do executivo. São Paulo: Atlas, BRAGA, José Luciano; BRITO, Lydia Maria Pinto. Perfil ideal de competência profissional de gestores da área de saúde. In: II Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade (EnEPQ), 2009, Curitiba/PR. Anais do II Encontro de Ensino e Pesquisa em Administração e Contabilidade (EnEPQ). Curitiba/PR: ANPAD, BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Parecer CES/CNE 0146/2002, aprovado em 03/04/2002. Disponívelem:<http://www.mec.gov.br/sesu/ftp/pareceres/14602DCEACTHSEMDTD.doc>. Acesso em: 19 Set BRASIL. Resolução do Conselho Nacional de Educação nº. 4, de 13 de julho de Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Administração, bacharelado, e dá outras providências. Publicada no Diário Oficial da união em 14 de julho de CARDOSO, Janaína Gularte; FONSECA, Juliana. Perfil dos administradores: um estudo sobre o desenvolvimento de habilidades e competências sob a perspectiva de acadêmicos, professores e empresários da grande Florianópolis. In: VI Congresso Virtual em Administração (CONVIBRA), 2009, Brasil. Anais do VI do Congresso Virtual em Administração (CONVIBRA), Brasil: CONVIBRA,

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS GESTÃO POR COMPETÊNCIAS STM ANALISTA/2010 ( C ) Conforme legislação específica aplicada à administração pública federal, gestão por competência e gestão da capacitação são equivalentes. Lei 5.707/2006

Leia mais

Faculdade Figueiredo Costa 16/73

Faculdade Figueiredo Costa 16/73 16/73 CAPITULO IV GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PERFIL PROFISSIONAL O Curso de Graduação em Administração deve ensejar como perfil desejado do formando, capacitação e aptidão para compreender as questões

Leia mais

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG

Curso de Graduação. Dados do Curso. Administração. Contato. Modalidade a Distância. Ver QSL e Ementas. Universidade Federal do Rio Grande / FURG Curso de Graduação Administração Modalidade a Distância Dados do Curso Contato Ver QSL e Ementas Universidade Federal do Rio Grande / FURG 1) DADOS DO CURSO: COORDENAÇÃO: Profª MSc. Suzana Malta ENDEREÇO:

Leia mais

Informações sobre o Curso de Administração

Informações sobre o Curso de Administração Objetivo Geral do Curso: Informações sobre o Curso de Administração Prover a sociedade de profissional dotado de senso crítico e comportamento ético-profissional qualificado. Um Administrador criativo,

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 6 ANEXO II METODOLOGIAS (A) CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 7 A) Metodologias utilizadas no Curso de Administração, bacharelado: a) Aulas Expositivas, Fórum de Debates, Dinâmica de Grupo, Seminários, Estudos de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO

RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO RESOLUÇÃO Nº 039/2004-COU/UNICENTRO REVOGADA PELA RESOLUÇÃO Nº 128/2014- COU/UNICENTRO. DISPOSITIVOS DO PROJETO PEDAGÓGICO APROVADO POR ESTA RESOLUÇÃO, ESTÃO ALTERADOS PELA RESOLUÇÃO Nº 26/2009-COU/UNICENTRO.

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONCEPÇÃO DO CURSO. Perfil do curso

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CONCEPÇÃO DO CURSO. Perfil do curso CURSO DE ADMINISRAÇÃO CONCEPÇÃO DO CURSO Perfil do curso O curso superior de Administração ora proposto foi estruturado em função das orientações e normas da Lei das Diretrizes e Bases da Educação (Lei

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Liderança e Gestão de Pessoas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Liderança e Gestão de Pessoas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS

GESTÃO POR COMPETÊNCIAS Universidade Federal do Ceará Faculdade de Economia, Administração, Atuária, Contabilidade e Secretariado Curso de Administração de Empresas GESTÃO POR COMPETÊNCIAS MAURICIO FREITAS DANILO FREITAS Disciplina

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Lajeado 4811 Administração LFE em Administração

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, BACHARELADO Administração LFE em Administração de Empresas Administração LFE em Análise de Sistemas

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos

ADMINISTRAÇÃO. 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno. PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos ADMINISTRAÇÃO 1. TURNOS: Matutino HABILITAÇÃO: Bacharelado em Administração Noturno GRAU ACADÊMICO: Bacharel em Administração PRAZO PARA CONCLUSÃO: Mínimo = 5 anos Máximo = 8 anos 2. HISTÓRICO DO CURSO

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre.

R E S O L U Ç Ã O. Artigo 2º - O Currículo, ora alterado, será implantado no início do ano 2000, para os matriculados no 1º semestre. RESOLUÇÃO CONSEPE 30/99 ALTERA O PLANO CURRICULAR E O REGIME DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão - CONSEPE, no uso da atribuição

Leia mais

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com PROJETO VITRINE Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com Amarildo Melchiades da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF xamcoelho@terra.com.br

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*)

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 13, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2006 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Turismo

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro MBA Controller Ao cursar o MBA CONTROLLER FIPECAFI/ANEFAC, o aluno convive com pessoas de diferentes perfis entre os mais diversos segmentos de mercado e com a experiência profissional exigida para que

Leia mais

MBA Gestão de Negócios e Pessoas

MBA Gestão de Negócios e Pessoas PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Nome do Curso MBA Gestão de Negócios e Pessoas Área de Conhecimento Ciências Sociais Aplicadas Nome do Coordenador do Curso e Breve Currículo: Prof.

Leia mais

Ribeirão Preto, Franca, São Carlos e Araraquara GESTÃO DE PESSOAS. COORDENAÇÃO: Profª Drª Ana Ligia Nunes Finamor

Ribeirão Preto, Franca, São Carlos e Araraquara GESTÃO DE PESSOAS. COORDENAÇÃO: Profª Drª Ana Ligia Nunes Finamor Ribeirão Preto, Franca, São Carlos e Araraquara GESTÃO DE PESSOAS COORDENAÇÃO: Profª Drª Ana Ligia Nunes Finamor OBJETIVO: A Gestão de Pessoas vem passando por inúmeras transformações nestes últimos anos.

Leia mais

MBA Gestão de Pessoas Ênfase em Estratégias

MBA Gestão de Pessoas Ênfase em Estratégias MBA Gestão de Pessoas Ênfase em Estratégias Curso de Pós-Graduação Lato Sensu Especialização (versão 2011) Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

Administração e Gestão de Pessoas

Administração e Gestão de Pessoas Administração e Gestão de Pessoas Aula Gestão de Pessoas Prof.ª Marcia Aires www.marcia aires.com.br mrbaires@gmail.com Percepção x trabalho em equipe GESTÃO DE PESSOAS A Gestão de Pessoas é responsável

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO. MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Pessoas com Ênfase em Estratégias Coordenação Acadêmica: Maria Elizabeth Pupe Johann 1 OBJETIVOS: Objetivo Geral: - Promover o desenvolvimento

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 2ª Série Processos Gerenciais CST em Gestão Financeira A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de um conjunto

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2010.2 A BRUSQUE (SC) 2014 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INFORMÁTICA APLICADA À... 4 02 MATEMÁTICA APLICADA À I... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA... 4 04 PSICOLOGIA... 5 05

Leia mais

CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO

CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO CURSO DE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO NOME DO CURSO: Curso de Administração TÍTULO: Bacharel em Administração TURNO: Diurno e Noturno CARGA HORÁRIA: 3.300 horas aula NÚMERO DE VAGAS: 200 Anuais COORDENADOR:

Leia mais

TRABALHO E EDUCAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU: expansão e desafios para o Mestrado Profissional no Brasil

TRABALHO E EDUCAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU: expansão e desafios para o Mestrado Profissional no Brasil TRABALHO E EDUCAÇÃO NA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU: expansão e desafios para o Mestrado Profissional no Brasil QUARESMA, Adilene Gonçalves Centro Universitário UNA RESUMO O mestrado profissional é uma

Leia mais

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br

Prezado(a) Sr.(a.) Atenciosamente, Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas. comercial@trecsson.com.br Prezado(a) Sr.(a.) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso de

Leia mais

Ilca Maria Moya de Oliveira

Ilca Maria Moya de Oliveira Ilca Maria Moya de Oliveira As mutações no mundo do trabalho segundo Zarifian Segundo Zarifian (2001), três principais mutações ocorreram no mundo do trabalho com implicação direta na ação do profissional.

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação UF: DF Superior ASSUNTO: Diretrizes Curriculares Nacionais para

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1

CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CIÊNCIAS CONTÁBEIS Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 10/09/2012 1 CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios

Universidade. Estácio de Sá. Gestão e Negócios Universidade Estácio de Sá Gestão e Negócios A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades em 1970, como

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS

GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO E GRADE CURRICULAR DOS CURSOS Graduação PROCESSOS GERENCIAIS 1.675 HORAS Prepara os estudantes para o empreendedorismo e para a gestão empresarial. Com foco nas tendências

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2008-1 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições

Leia mais

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas

MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas MBA Executivo Liderança e Desenvolvimento de Pessoas Proposta do curso: O curso de MBA Executivo em Liderança e Desenvolvimento de Pessoas proporciona ao participante o conhecimento sobre liderança, motivação

Leia mais

Psicologia: Eixos estruturantes e ênfases curriculares

Psicologia: Eixos estruturantes e ênfases curriculares Psicologia: Eixos estruturantes e ênfases curriculares Resumo Andréia Silva da Mata 1 Márcia Regina F. de Brito 2 O presente estudo teve como objetivo principal analisar o desempenho dos estudantes dos

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE ENGENHARIA DE SOFTWARE, BACHARELADO REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 90/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Relações Públicas, Bacharelado,

Leia mais

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa:

Ementário do Curso de Administração Grade 2010-2 1 Administração da Produção I Fase: Carga Horária: Créditos: Ementa: 1 da Produção I Ementário do Curso de Introdução à administração da produção; estratégias para definição do sistema de produção; estratégias para o planejamento do arranjo físico; técnicas de organização,

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

liderança,.com desemprenho. pró-

liderança,.com desemprenho. pró- TALENTOS FAE 2011 ADMINISTRAÇÃO / LOGISTICA Heloisa de Carli nucleodeempregabilidade@fae.edu Formação: Cursando Pós-Graduação em Logística Empresarial. Administração. Graduação em Atuação em empresass

Leia mais

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015

Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 Pesquisa Prazer em Trabalhar 2015 As 15 Melhores Práticas em Gestão de Pessoas no Pará VIII Edição 1 Pesquisa Prazer em Trabalhar Ano VI Parceria Gestor Consultoria e Caderno Negócios Diário do Pará A

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria de

Leia mais

Florianópolis, 2012. Expedito Michels. Mestrado Profissional em Administração Universitária (PPGAU/UFSC)

Florianópolis, 2012. Expedito Michels. Mestrado Profissional em Administração Universitária (PPGAU/UFSC) O PAPEL DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PARA A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE ADMINISTRAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO Florianópolis, 2012 Expedito Michels Mestrado Profissional

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

PLANO DE ENSINO DO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2013.1

PLANO DE ENSINO DO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2013.1 PLANO DE ENSINO DO SEGUNDO SEMESTRE LETIVO DE 2013.1 CURSO: GRAU / HABILITAÇÃO: CIC 2009 Ciência da Computação Bacharelado DISCIPLINA: CARGA HORÁRIA: SEMESTRE DO CURSO: PROFESSOR(ES): Pesquisa e Produção

Leia mais

MBA Executivo em Gestão de Pessoas

MBA Executivo em Gestão de Pessoas ISCTE BUSINESS SCHOOL INDEG_GRADUATE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA Executivo em Gestão de Pessoas www.strong.com.br/alphaville - www.strong.com.br/osasco - PABX: (11) 3711-1000 MBA

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos

Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: Curso Superior de Tecnologia de Recursos Humanos Dados de identificação da Universidade de Cuiabá

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO PROCESSO SELETIVO 2013 Cursos Técnicos a Distância 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

DESAFIO PROFISSIONAL

DESAFIO PROFISSIONAL DESAFIO PROFISSIONAL 2ª SÉRIE CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS O Desafio Profissional é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem que tem por objetivos: Favorecer a aprendizagem. Estimular a corresponsabilidade

Leia mais

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho

IBMEC Jr. Consultoria. A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho IBMEC Jr. Consultoria A melhor maneira de ingressar no mercado de trabalho O mercado de trabalho que nos espera não é o mesmo dos nossos pais... ... ele mudou! As mudanças Certeza Incerteza Real Virtual

Leia mais

Currículos dos Cursos do CCA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO. COORDENADOR DO CURSO DE GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Aziz Galvão da Silva Júnior aziz@ufv.

Currículos dos Cursos do CCA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO. COORDENADOR DO CURSO DE GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Aziz Galvão da Silva Júnior aziz@ufv. 48 GESTÃO DO AGRONEGÓCIO COORDENADOR DO CURSO DE GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Aziz Galvão da Silva Júnior aziz@ufv.br Catálogo de Graduação 2002 49 CURRÍCULO DO CURSO DE GESTÃO DO AGRONEGÓCIO Bacharelado ATUAÇÃO

Leia mais

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO

EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO EVOLUÇÃO DO PENSAMENTO ADMINISTRATIVO MÓDULO 3 - A organização O conceito fundamental para a administração é o de ORGANIZAÇÃO, uma vez que toda a aplicação administrativa vai ocorrer numa organização e

Leia mais

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º

PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010. Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º PLANO DE ENSINO PROJETO PEDAGÓCIO: 2010 Curso: Pedagogia Disciplina: Metodologia Científica Carga Horária Semestral: 40 Semestre do Curso: 1º 1 - Ementa (sumário, resumo) Conceito e concepção de ciência

Leia mais

Resumo. Palavra-Chave: ensino, ética, competências, habilidades. 1 Introdução

Resumo. Palavra-Chave: ensino, ética, competências, habilidades. 1 Introdução PERSPECTIVAS DOS ESTUDANTES DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS EM RELAÇÃO ÀS HABILIDADES E COMPETÊNCIAS EXIGIDAS DO PROFISSIONAL CONTÁBIL PELO MERCADO DE TRABALHO Resumo As constantes mudanças sócio-econômicas

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas

DESCRITIVO DE CURSO. MBA em Gestão de Marketing e Vendas DESCRITIVO DE CURSO MBA em Gestão de Marketing e Vendas 1. Posglobal Após a profunda transformação trazida pela globalização estamos agora em uma nova fase. As crises econômica, social e ambiental que

Leia mais

LIDERANÇA EMPREENDEDORA

LIDERANÇA EMPREENDEDORA LIDERANÇA EMPREENDEDORA Este curso está estruturado dentro dos moldes de um Curso de Pós-Graduação e seu desenvolvimento poderá ser feito de forma completa ou parcial, dependendo do interesse da organização.

Leia mais

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS

CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS CAPITAL INTELECTUAL COMO VANTAGEM COMPETITIVA NAS ORGANIZAÇÕES EMPRESARIAIS Cesar Aparecido Silva 1 Patrícia Santos Fonseca 1 Samira Gama Silva 2 RESUMO O presente artigo trata da importância do capital

Leia mais

ENADE Publicidade e propaganda: uma análise da tipologia de questões dos ciclos 2006, 2009 e 2012 1.

ENADE Publicidade e propaganda: uma análise da tipologia de questões dos ciclos 2006, 2009 e 2012 1. ENADE Publicidade e propaganda: uma análise da tipologia de questões dos ciclos 2006, 2009 e 2012 1. Profa Dra Nanci Maziero Trevisan 2 Professora e pesquisadora da Universidade Anhanguera de Santo André

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO SUPERIOR DE CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSOS GERENCIAIS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2014 Atualizado em 6 de junho de 2014 pela Assessoria

Leia mais

Seleção e Dinâmicas de Grupo. Aula 2: Seleção Por Competências. Professora Sonia Regina Campos

Seleção e Dinâmicas de Grupo. Aula 2: Seleção Por Competências. Professora Sonia Regina Campos Seleção e Dinâmicas de Grupo Aula 2: Seleção Por Competências Professora Sonia Regina Campos Seleção por Competências Seleção por Competências A Gestão de Pessoas passou por uma alteração de paradigmas.

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO

GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO GESTÃO FINANCEIRA CONCEPÇÃO DO CURSO Missão do Curso Formar profissionais de nível superior, com atuação na área de Tecnologia em Gestão Financeira, a partir da articulação das teorias que fundamentam

Leia mais

MBA GESTÃO DE PESSOAS

MBA GESTÃO DE PESSOAS MBA GESTÃO DE PESSOAS 1- OBJETIVOS Capacitar profissionais de Administração e áreas afins, que atuam ou pretendem atuar em empresas de qualquer porte, desempenhando funções de coordenação de pessoas ou

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1

MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Matriz Curricular aprovada pela Resolução nº 16/09-CONSUNI, de 1º de dezembro de 2009. MATRIZ CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Válida para os acadêmicos ingressantes a partir de 2010/1 Fase Cód. I

Leia mais

TURMAS ABERTAS BELO HORIZONTE

TURMAS ABERTAS BELO HORIZONTE TURMAS ABERTAS BELO HORIZONTE Apresentação A Academia de Lideranças tem foco prático no desenvolvimento das competências essenciais dos líderes de pessoas, processos e metas. As competências técnicas e

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno

MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno MBA em Gestão de Pessoas e Comportamento Organizacional -Matutino e Noturno Apresentação CAMPUS STIEP Inscrições Abertas Turma 12 (Noturno) -->Últimas Vagas até o dia 27/05/2013 CAMPUS IGUATEMI Turma 13

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 06/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de do Centro de Ciências Humanas, Letras

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES

APÊNDICE A QUESTIONÁRIO APLICADO AOS GESTORES 202 INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO ALGUNS COMENTÁRIOS ANTES DE INICIAR O PREENCHIMENTO DO QUESTIONÁRIO: a) Os blocos a seguir visam obter as impressões do ENTREVISTADO quanto aos processos de gestão da Policarbonatos,

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO Anexo II da Resolução nº, de de de 2008. EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO BACHARELADO EM SECRETARIADO EXECUTIVO 1. DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS PORTUGUÊS INSTRUMENTAL Comunicação e linguagem; estrutura do

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL 1 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2013.1 Atualizado em 7 de agosto BRUSQUE de 2013 pela Assessoria (SC) de Desenvolvimento 2013 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 3 01 INTRODUÇÃO

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal

Inscrições Abertas. Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal MBA Recursos Humanos Inscrições Abertas Dia e horário das aula: Sexta-Feira 18h30 às 22h30 Quinzenal Sábado 08h30 às 17h30 Quinzenal Carga horária: 600 Horas Duração: 24 meses *As informações podem sofrer

Leia mais

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações Mariane Frascareli Lelis Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP e-mail: mariane_lelis@yahoo.com.br;

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

CEDHAP CENTRO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO APLICADO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO

CEDHAP CENTRO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO APLICADO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO PARCERIAS E TRABALHO VOLUNTÁRIO EM EDUCAÇÃO Heloísa Lück Diretora Educacional do CEDHAP Centro de Desenvolvimento Humano Aplicado Curitiba - PR Artigo publicado na revista Gestão em Rede no. 24 de out.

Leia mais

2. Referencial Teórico 2.1 O ensino de Administração no Brasil

2. Referencial Teórico 2.1 O ensino de Administração no Brasil Competências Adquiridas Durante o Curso de Graduação em Administração de Empresas na Ótica dos Alunos Formandos: Um Estudo Multicaso em 5 Instituições de Ensino Superior Autoria: Luciana Davi Traverso

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 69/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Recursos Humanos Qualificação:

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO CATÓLICA DE SANTA CATARINA EM JARAGUÁ DO SUL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Matriz Curricular vigente a partir de 2010/1 Fase Cód. Disciplina Carga Horária Prérequisitos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 36 / 2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Línguas Estrangeiras

Leia mais

Palavras-chave: Desenvolvimento profissional, Desenvolvimento organizacional, Parceria Universidade-Empresa

Palavras-chave: Desenvolvimento profissional, Desenvolvimento organizacional, Parceria Universidade-Empresa PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL PARA EMPRESAS INTEGRADAS: UMA PARCERIA UNIVERSIDADE EMPRESA Gislaine Zainaghi zainaghi@sc.usp.br Prof. Dr. Carlos F. Bremer bremer@sc.usp.br Escola de Engenharia

Leia mais