Brasília Patrimônio Cultural da Humanidade SEPN 511, Bloco C, Edifício Bittar, 4º andar, Asa Norte, Brasília/DF, CEP: Telefone: (61)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Brasília Patrimônio Cultural da Humanidade SEPN 511, Bloco C, Edifício Bittar, 4º andar, Asa Norte, Brasília/DF, CEP: 70.750-543 Telefone: (61)"

Transcrição

1

2 2 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

3 PROGRAMA DE PROTEÇÃO À RADIAÇÃO SOLAR NO DISTRITO FEDERAL Plano de Gestão Integrada da Qualidade Ambiental no Distrito Federal Subsecretaria de Saúde Ambiental SUSAM Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal SEMARH Brasília - DF - Brasil 2012

4 GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE MEIO AMBIENTE E RECURSOS HÍDRICOS DO DISTRITO FEDERAL SUBSECRETARIA DE SAÚDE AMBIENTAL

5 PROGRAMA DE PROTEÇÃO À RADIAÇÃO SOLAR NO DISTRITO FEDERAL Plano de Gestão Integrada da Qualidade Ambiental no Distrito Federal

6 1. APRESENTAÇÃO Programa de Proteção à Radiação Solar no Distrito Federal é parte integrante do Plano de O Gestão Integrada da Qualidade Ambiental da Subsecretaria de Saúde Ambiental - SUSAM, que compõe a estrutura orgânica da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Distrito Federal - SEMARH e visa uma gestão eficiente dos dados e informações sobre os índices de radiação ultravioleta emitidos pelo sol no Distrito Federal e seus efeitos sobre a saúde coletiva. O sol, essencial à vida, proporciona uma sensação de bem estar físico e mental ao ser humano. É responsável pelo estimulo à produção de melanina, proteína responsável pela coloração da pele e proteção natural aos raios solares, ajuda no tratamento de icterícia (cor amarelada da pele e do branco dos olhos de recém nascidos), estimula a produção de vitamina D, a qual contribui para a fixação do cálcio nos ossos1. Entretanto, a exposição a ele de forma desprevenida e incontrolada pode ser extremamente prejudicial à saúde. A luz solar é constituída por radiações de vários comprimentos de onda, que compõem o chamado espectro eletromagnético (Figura 1), sendo parte dessa emissão de luz visível e parte invisível. Os raios ultravioleta correspondem a 5% da luz solar terrestre e representam uma pequena parte do espectro eletromagnético2. Outras regiões desse espectro incluem: microondas, ondas de rádio, radiação infravermelha, luz visível, raios-x e radiação gama. O comprimento de onda de cada tipo de radiação é o que define suas características. Figura 1: Espectro Eletromagnético da Radiação Solar. 6 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

7 A radiação ultravioleta - UV (Figura 2) é a região do espectro eletromagnético emitido pelo sol compreendida entre os comprimentos de ondas de 200 a 400 nanômetros (nm). Essa faixa é divida em três sub-regiões: Radiação Ultravioleta A - UVA ( nm), Radiação Ultravioleta B - UVB ( nm) e Radiação Ultravioleta C UVC ( nm). São os raios UVA e UVB que afetam a pele. Os raios UVC são absorvidos pelo oxigênio e o ozônio, e não penetram na nossa atmosfera3. A camada de ozônio absorve parte da radiação ultravioleta do sol nociva à vida. Figura 2: Radiação Ultravioleta. A radiação UV pode atingir o ser humano de três maneiras: diretamente, dispersa em céu aberto e refletida no ambiente. A radiação refletida também provoca queimaduras. Portanto, é importante se proteger da reflexão de superfícies como areia, concreto, pisos claros e da radiação dispersa (espalhada) pelos constituintes da atmosfera: vapor d água, nuvens, poeira, fuligem (Figura 3). Telefone: (61) (Ramal: 5729) 7

8 Figura 3: Incidência dos Raios UV segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos CPTEC-INPE. A Radiação UVA corresponde à maior faixa do espectro ultravioleta4, 95%, e possui intensidade constante durante todo o ano, atingindo a pele praticamente da mesma forma durante o inverno ou o verão. Sua intensidade também não varia muito ao longo do dia, sendo pouco maior entre 10 e 16 horas que nos outros horários 4. A Radiação UVB corresponde apenas a 5% do espectro ultravioleta4 e tem maior incidência durante o verão, especialmente nos horários entre 10 e 16 horas. A intensidade dos raios atinge o seu máximo próximo ao meio dia (Figura 4). 8 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

9 Figura 4: Índice de Ultravioleta (IUV), conforme horário do dia. A Organização Mundial da Saúde/OMS classifica o Índice de Ultravioleta em cinco categorias, de acordo com a intensidade que varia em função de fatores como a localização geográfica (latitude), hora do dia, estação do ano e condição climática, entre outros. A máxima intensidade de radiação é obtida na condição de céu claro na ausência de nuvens. A relação entre o IUV, tipo de categoria e risco a saúde encontra-se na (Tabela 1). Telefone: (61) (Ramal: 5729) 9

10 Tabela 1: Classificação do Índice de UV, risco a saúde e medida preventiva. Índice UV Categoria Risco a saúde Medidas de prevenção < 2 Baixo Baixo FPS 30 e óculos escuros, principalmente se estiver em locais de alta reflexão da radiação como na neve e areia seca 3 a 5 Moderado Moderado para exposição ao sol sem proteção FPS 30 e óculos escuros. Prefira sombras 6 a 7 Alto Alto para exposição ao sol ocorrer sem proteção FPS 30, óculos escuros e chapéu de aba larga. 8 a 10 Muito Alto Muito Alto com danos a pele e aos olhos FPS 30, óculos escuros e chapéu de aba larga. De preferência, procure a sombra. > 11 Extremo Extremo de danos Evitar exposição ao sol no horário das 10:00 16:00 horas. Use FPS 30 a cada 2 horas. Fique na sombra. A incidência da radiação UV atinge o maior órgão do corpo humano que é a pele, formada por três camadas: (Figura 5): epiderme, derme e hipoderme (conhecida também como tecido celular subcutâneo). A epiderme é constituída por células compostas basicamente pela proteína responsável pela impermeabilização da pele, a queratina. Além dos queratinócitos, encontram-se também na epiderme as células de defesa imunológica (células de Langerhans) e os melanócitos, que produzem o pigmento que dá cor à pele (melanina) e a protegem da radiação solar. Quanto mais melanócitos na superfície da pele, maior proteção aos raios UV. A derme é a camada intermediária da pele, localizada entre a epiderme e a hipoderme. É responsável pela resistência e elasticidade da pele. Nela encontram-se as terminações nervosas, os vasos sanguíneos e as glândulas sebáceas. 10 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

11 Figura 5: Camadas da pele humana. As três camadas da pele são sensíveis aos raios UV. Esses ao atingirem a pele, penetram profundamente e podem desencadear efeitos adversos à saúde. O acumulo da radiação durante a vida pode provocar envelhecimento cutâneo e alterações celulares como mutações genéticas que predispõem ao câncer da pele. Os raios UVA penetram profundamente na pele, atingindo a epiderme, derme superficial e média2 (Figura 6). As radiações UVA ao atingirem a derme provocam mutações importantes nas células da pele, danificando sua estrutura. Essas mutações genéticas podem estimular o surgimento do câncer da pele6. Essa radiação não causa eritema (vermelhidão da pele), diferente dos raios UVB, o que a torna mais perigosa por não apresentar sinais visíveis de imediato. Além disso, tem maior poder de penetração na pele do que o UVB. O UVA também está presente nas câmaras de bronzeamento artificial e a quantidade de UVA emitida pode chegar a ser 10 vezes maior que a da luz solar6. Elas provocam o envelhecimento precoce e predispõem ao surgimento do câncer da pele. Devido a seu poder carcinogênico, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária ANVISA, por meio da RDC nº 56/2009, proibiu o uso desses equipamentos com finalidade estética. Os raios UVB penetram superficialmente na pele, atingindo principalmente a epiderme. Além de causarem queimaduras, podem ocasionar alterações celulares que predispõem ao câncer da pele (Figura 6). Telefone: (61) (Ramal: 5729) 11

12 Figura 6: Poder de penetração da Radiação Ultravioleta na pele humana. A exposição à radiação ultravioleta, proveniente do Sol, é considerada a principal causa de câncer da pele tipo melanoma e não-melanoma. Esse último está associado à ação solar acumulativa, e o melanoma, a episódios intensos de exposição solar aguda, resultando em queimadura solar 1. O tipo não-melanoma tem o crescimento lento, localmente invasivo e raramente resulta em metástase a distância. Apenas uma pequena parte torna-se letal e o número de óbitos desse câncer é baixo. É uma neoplasia de bom prognóstico, com altas taxas de cura se tratada de forma adequada e oportuna. Entretanto, em alguns casos a demora no diagnóstico pode comprometer o organismo, ocasionando ulcerações e deformidades físicas graves. Já o melanoma é mais letal, porém menos frequente. Quando precocemente diagnosticado, são curáveis. 12 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

13 Os fatores de risco para câncer da pele melanoma e não-melanoma envolvem tanto as características individuais quanto fatores ambientais, incluindo o tipo de pele e fenótipo, propensão a queimaduras e inabilidade para bronzear, história familiar de câncer da pele, nível de exposição intermitente e acumulativa ao longo da vida5. Câncer da pele é relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles que apresentam doenças cutâneas prévias, sendo mais comum em indivíduos com mais de 40 anos e em pessoas de pele clara, que queima e não bronzeia. Embora o câncer da pele seja o tipo de câncer mais freqüente, aproximadamente 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, apresenta altos percentuais de cura quando detectado precocemente. Prevenir continua sendo a principal medida a ser adotada e algumas delas são muito simples, como: 1. Evitar a exposição ao sol das 10 às 16 horas, quando as radiações são mais intensas; 2. Procurar locais com sombras; 3. Usar camisa e chapéu ou boné com abas para proteger os olhos, rosto e pescoço; 4. Proteger os olhos com óculos escuro com proteção contra raios UV; 5. Usar filtro solar com fator de proteção adequado ao seu fototipo de pele (Tabela 2), aplicando-o 30 minutos antes da exposição ao sol e reaplicando sempre que necessário. Tabela 2: Fototipos de pele e Fatores de Proteção Solar Recomendado. Fototipos de Pele Comportamento da Pele à Radiação Solar Proteção Recomendada FPS Recomendado Pouco Sensível Raramente Apresenta Eritema Baixa 2 < 6 Sensível Muito Sensível Extremamente Sensível Fonte: ANVISA/RDC nº 237/2002. Ocasionalmente Apresenta Eritema Frequentemente Apresenta Eritema Moderada 6 < 12 Alta 12 < 20 Sempre Apresenta Eritema Muito Alta 20 Telefone: (61) (Ramal: 5729) 13

14 Quanto mais cedo o câncer for diagnosticado, maior será a chance de cura, de sobrevida e da qualidade de vida. O auto-exame da pele é um procedimento que auxilia no diagnóstico precoce do câncer, conforme detalha o quadro abaixo (Quadro 1). Quadro 1 Auto Exame da Pele. O que é? Método simples para detectar precocemente o câncer de pele. Quando fazer? Regularmente, sendo útil anotar as datas e a aparência da pele em cada exame. O que procurar? Manchas pruriginosas (que coçam), descamativas ou que sangram; Sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor; Feridas que não cicatrizam em 4 (quatro) semanas. Como fazer? Em frente a um espelho, com os braços levantados, examine seu corpo de frente, de costas e os lados direito e esquerdo; Dobre os cotovelos e observe cuidadosamente as mãos, antebraços, braços e axilas; Examine as partes da frente, detrás e dos lados das pernas além da região genital; Sentado, examine atentamente a planta e o peito dos pés, assim como os entre os dedos; Com o auxílio de um espelho de mão e de uma escova ou secador, examine o couro cabeludo, pescoço e orelhas; Finalmente, ainda com auxílio do espelho de mão, examine as costas e as nádegas. RECOMENDAÇÃO Caso encontre qualquer diferença ou alteração, procure SEMPRE orientação médica. Fonte: (adaptado) AA diferença entre uma pinta e um melanoma pode ser dada observando suas características conforme descrito no método ABCD: Assimetria (uma metade diferente da outra); Bordas irregulares (contorno mal definido); Cor variável (várias cores numa mesma lesão: preta, castanho, branca, avermelhada ou azul) e Diâmetro (maior que 6mm) (Figura 7). 14 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

15 MELANOMA A maioria dos melanomas no início são de forma assimétrica As bordas dos melanomas no início são frequentemente irregulares e com aspecto de pele abaloada Uma modificação de cor não homogênea é suspeita de desenvolvimento de melanoma NÃO-MELANOMA A manchas pigmentadas e os sinais são de formas arredondadas e simétricas Os sinais têm um contorno regular, harmônico e geométrico. As manchas pigmentadas e os sinais são de uma cor, castanha homogênea, clara ou escura Os melanomas têm em geral diâmetro superior a 6mm Os sinais são de tamanho pequeno, menores do que 6mm Figura 7: Método ABCD. Cabe ressaltar, que a exposição à radiação UV também ocorre ocupacionalmente, ou seja, durante a vida laboral. Essa exposição se caracteriza por trabalhadores que executam suas atividades ao ar livre ou em áreas onde recebem grande reflexo da luz solar, ou ainda, que utilizam intensa radiação de UV, a exemplo dos soldadores 8. A estimativa para o ano de 2012 é alarmante. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), há uma previsão para o Brasil de novos casos de câncer da pele não-melanoma entre homens e em mulheres, o que corresponde a um risco estimado de 65 novos casos a cada 100 mil homens e 71 para cada 100 mil mulheres 9. Na região Centro-Oeste o câncer da pele não melanoma é mais incidente em homens (124/100 mil) do que em mulheres (109/100 mil)8, devendo-se considerar a subnotificação. Telefone: (61) (Ramal: 5729) 15

16 2. JUSTIFICATIVA O Distrito Federal situa-se geograficamente numa zona de alta incidência de raios ultravioletas, com uma estimativa para 2012 de 100 novos casos de câncer melanoma e não melanoma 8. Visando minimizar esses dados, a Subsecretaria de Saúde Ambiental - SUSAM elaborou o Programa de Proteção à Radiação Solar no Distrito Federal que visa estabelecer diretrizes para a política de saúde ambiental correlacionando o IUV e os efeitos adversos a saúde, principalmente o câncer da pele. Nesse sentido, faz-se necessário um programa de governo que oriente a população quantos aos efeitos do sol na saúde humana a curto e longo prazo, bem como o correto modo de proteção. Sabe-se que ações de prevenção primária que estimulem a proteção contra a luz solar são efetivas e de baixo custo para evitar o câncer da pele, inclusive os melanomas. Ressalta-se a importância da educação nas escolas, pois segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), bastam 5 (cinco) queimaduras solares durante a infância para duplicar o risco de desenvolvimento de um câncer da pele na vida adulta. A educação em saúde é uma estratégia internacionalmente aceita. Além disso, legalizar a proteção de profissionais expostos à radiação solar durante sua jornada de trabalho é outro ponto fundamental para garantir uma proteção eficiente, pois o custo desses produtos muitas vezes é oneroso e fica em segundo plano. 16 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

17 3. OBJETIVO GERAL Implantar uma política de saúde ambiental baseada na gestão integrada de informações/dados sobre o Índice de Radiação Ultravioleta no Distrito Federal visando subsidiar as ações de saúde que minimizem os efeitos adversos decorrentes da exposição ambiental e ocupacional à radiação ultravioleta. OBJETIVOS ESPECÍFICOS 1. Divulgar o índice de radiação ultravioleta no Distrito Federal no site institucional da SEMARH/DF; 2. Instalar equipamentos de monitoramento do índice de radiação ultravioleta em locais estratégicos no Distrito Federal; 3. Alertar a população quanto aos períodos de maior incidência da radiação ultravioleta, incentivando a adoção de medidas preventivas; 4. Criar parcerias com outros órgãos de governo, bem como iniciativa privada e comunidade acadêmica, visando estratégias educativas para conscientizar a população quanto aos benefícios e malefícios da exposição à radiação solar; 5. Propor projeto de lei visando à proteção da saúde de profissionais que exerçam atividade com exposição excessiva à radiação solar; 6. Minimizar a incidência de câncer da pele no Distrito Federal. Telefone: (61) (Ramal: 5729) 17

18 2. METODOLOGIA O programa será realizado por meio de parcerias públicas, privadas e comunidade acadêmica, tendo como clientela alvo: população em geral e profissionais que exercem atividades com exposição excessiva à radiação solar. 4.1 Estratégias do Programa para a População em Geral A Subsecretaria de Saúde Ambiental SUSAM firmará parcerias com entidades governamentais responsáveis pelas informações sobre a radiação UV, especificamente para o Distrito Federal, objetivando apoio técnico e operacional para visualizar espacialmente esses dados e confrontá-las com a distribuição da morbimortalidade de câncer da pele na população exposta ambientalmente. As informações/dados, depois de analisadas, serão disponibilizadas à população por meio do acesso ao site da SEMARH. Ações educativas vinculadas ao Programa de Ações Itinerantes de Educação em Saúde Ambiental da SUSAM também serão desenvolvidas. Com o apoio multidisciplinar das áreas da educação, saúde e comunidade acadêmica será elaborado material educativo de distribuição à população e de instrução para as palestras de conscientização e orientação da população, cujo conteúdo geral abordará os seguintes aspectos: 1. Benefícios e horários adequados de banhos de sol; 2. Malefícios da exposição excessiva à radiação ultravioleta e seus horários mais críticos durante o dia e meses do ano; 3. Formas de precaução e prevenção do câncer da pele; 4. Uso adequado do filtro solar, informando o Fator de Proteção Individual adequado para cada tipo de pele, conforme RDC nº 237/2002 ANVISA; 5. Índice de Radiação Ultravioleta no Brasil e Centro-Oeste, conforme dados do INPE; 6. Auto-exame preventivo do câncer da pele, conforme as características do ABCD da transformação: assimetria, bordas, cor e diâmetro; 7. Outros assuntos correlatos de interesse da população. Para avaliação das ações realizadas e melhoria contínua dessas, será aplicado um questionário composto por perguntas objetivas. Esse instrumento de avaliação será aplicado em todos os eventos realizados num total representativo de 70% da população atendida. Além disso, serão realizadas ações educativas por meio de campanhas publicitárias e instalados equipamentos de monitoramento da incidência de radiação ultravioleta em locais estratégicos do Distrito Federal. 18 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

19 4.2 Estratégias para a População Estudantil Estudantes Universitários Para a execução das ações educativas em saúde ambiental relativas à radiação solar, a SUSAM pretende contar com apoio dos estudantes das áreas de educação, saúde e meio ambiente, contemplados pelo Programa Bolsa Universitária (Lei Complementar nº 770/2008). Trata-se de um programa de governo que custeia bolsas de estudo para formação superior e tem como contrapartida do estudante a prestação de serviços em atividades definidas pelo governo Estudantes da Rede Pública de Ensino De acordo com o Senso Escolar de 2011, da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEEDF), foram matriculados no ensino fundamental (trezentos mil, quinhentos e trinta e oito) alunos e no ensino médio (oitenta e três mil, duzentos e três). Estudos revelam que a proteção ao sol na infância e adolescência reduz os riscos de câncer da pele. A exposição acumulativa e excessiva nos primeiros 10 a 20 anos de vida aumenta muito o risco de desenvolvimento de câncer da pele, mostrando ser a infância uma fase particularmente vulnerável aos efeitos nocivos do Sol5. Essa abordagem contempla a distribuição de material educativo orientando os alunos sobre os cuidados básicos para a proteção à radiação ultravioleta, os efeitos adversos à saúde decorrentes da exposição acumulativa com suas conseqüências na vida adulta. Além disso, será estimulado a formação de equipes de teatro composta por voluntários da comunidade estudantil e servidores públicos que de forma lúdica e criativa conscientizará os estudantes. Um vídeo institucional com depoimentos de pessoas que enfrentam ou enfrentaram o câncer da pele e de profissionais de saúde também será confeccionado como ferramenta de apoio as ações educativas. Para avaliação das ações realizadas e melhoria contínua dessas será aplicado um questionário composto por perguntas objetivas. Esse instrumento de avaliação será aplicado em todos os eventos realizados num total representativo de 70% da população atendida Estudantes da Rede Privada de Ensino A SUSAM, em parceria com as Instituições de Ensino da Rede Privada do Distrito Federal, formará multiplicadores para promoverem ações nas escolas particulares de ensino fundamental e médio, com base nos objetivos deste programa. Telefone: (61) (Ramal: 5729) 19

20 4.3 Estratégias do Programa para a População Ocupacional População Ocupacional com Exposição Excessiva à Radiação Solar A interface das competências da SUSAM com a saúde ocupacional (meio ambiente do trabalho) será feita por meio de parceria com a Secretaria de Trabalho e de Saúde do Distrito Federal e visará identificar os servidores cujas atividades são desenvolvidas em ambiente externo com exposição à radiação solar ou que utilizam intensa radiação UV. Esse trabalho conjunto resultará na proposição, pela SUSAM, junto a Câmara Legislativa de uma legislação específica sobre o tema que objetive, em linhas gerais, a distribuição obrigatória de filtros solares com proteção às radiações UVA e UVB; óculos escuros de boa qualidade com proteção ultravioleta; Equipamento de Proteção Individual (EPI) adequado (calça, camisa de manga longa e chapéu de aba larga), quando for o caso, pelos empregadores da área pública e da iniciativa privada População Ocupacional da SEEDF Conforme ultima pesquisa de esporte realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE, em 2003, existiam naquela época, 607 (seiscentos e sete) escolas no Distrito Federal. Sendo 346 (trezentos e quarenta e seis) escolas com instalações esportivas, com as seguintes instalações: Instalações Esportivas Quantidade Número de escolas estaduais somente com piscinas 15 Número de escolas estaduais somente com quadra coberta 8 Número de escolas estaduais somente com quadra não coberta 295 Número de escolas estaduais com piscina e quadra coberta 3 Número de escolas estaduais com piscina e quadra não coberta 20 Número de escolas estaduais com quadra coberta e quadra não coberta 4 Número de escolas estaduais com piscina, quadra coberta e quadra não coberta 1 Fonte: IBGE, 2003 Sabe-se que esses números mudaram drasticamente e o que se tem de registros são as quantidades 20 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

21 de escolas públicas no Distrito Federal: 645 (seiscentos e quarenta e cinco), sendo 572 (quinhentos e setenta e dois) em área urbana e 75 (setenta e cinco) em áreas rurais. Nesse sentido, será feito um trabalho de pesquisa, visando conhecer a situação atual das instalações esportivas das escolas públicas do Distrito Federal, visando propor um projeto de lei para cobertura das áreas destinadas à prática de atividades físicas (quadras de esportes, piscinas). Além disso, será feito uma pesquisa juntos aos referidos professores para avaliar o grau de conhecimento sobre os efeitos da exposição à radiação solar durante sua jornada de trabalho e, em seguida, a SUSAM, junto a Secretaria de Educação, elaborará políticas de orientação aos professores de educação física, visando minimizar os efeitos da exposição ao sol à saúde. Telefone: (61) (Ramal: 5729) 21

22 5. INDICADORES DE AVALIAÇÃO Indicadores Fórmula Unidade Meta Questionários aplicados Nº avaliado Total por evento X 100 Percentual 70% Ações educativas em instituições de ensino públicas e privadas Nº instituições X 100 Total de instituições Percentual 100% Instituições com uso obrigatório de FPS Nº instituições X 100 Total de instituições Percentual 100% Instituições de ensino com infraestrutura esportiva adequada na Rede Pública de Ensino do DF Nº instituições X 100 Total de instituições Percentual 100% Formulação de Projeto de Lei X Unidade Telefone: (61) (Ramal: 5729)

23 6. CRONOGRAMA DE AÇÃO ANO AÇÃO 1º Semestre de Reuniões com entidades governamentais e civis para apresentar o Programa de Proteção à Radiação Solar no Distrito Federal da Secretaria de Meio Ambiente, visando parceria para implantação; 2. Confecção de material educativo (folders, manuais, cartilhas, vídeo, etc); 3. Articulação para promoção de campanhas publicitárias; 4. Obtenção de equipamentos de monitoramento da incidência de radiação ultravioleta; 5. Identificação dos profissionais no Distrito Federal cujas atividades são desenvolvidas em ambiente externo com exposição à radiação solar; 6. Pesquisa, por meio de aplicação de questionários, junto às escolas públicas de ensino fundamental e médio do Distrito Federal, visando conhecer a situação atual das suas instalações esportivas e o nível de conhecimento dos professores de educação física quanto aos efeitos do sol. 2º Semestre de Inclusão do tema Radiação Solar no II Fórum de Saúde Ambiental do Distrito Federal; 2. Inserção do tema Radiação Solar nas ações do Programa de Ação Educativa Itinerante de Saúde Ambiental da SUSAM realizadas nos parques e escolas públicas da rede de ensino fundamental e média do DF; 3. Aplicação de questionário de avaliação nos eventos que envolvam ações educativas na qual participe a SUSAM; 4. Criação de políticas de orientação, junto aos órgãos do GDF que possuem profissionais expostos à radiação em sua jornada de trabalho, visando minimizar os efeitos dessa exposição à saúde; 5. Elaboração de Projeto(s) de Lei(s) visando à proteção da saúde de profissionais que estão expostos em excesso à radiação solar durante sua jornada de trabalho; 6. Confecção de Relatório Anual sobre o andamento do Programa de Proteção à Radiação Solar no Distrito Federal. 1º Semestre de Continuidade das ações educativas através do Programa de Ação Educativa Itinerante de Saúde Ambiental da SUSAM e da aplicação de questionário de avaliação nos eventos que envolvam ações educativas na qual participe a SUSAM; 2. Acompanhamento da execução do Programa de Proteção a Radiação Solar tanto por exposição ambiental quanto ocupacional; 3. Proposta de Projeto(s) de Lei(s) à Câmara Legislativa com interface no Programa de Proteção a Radiação Solar. Telefone: (61) (Ramal: 5729) 23

24 2º Semestre de II Fórum de Saúde Ambiental do Distrito Federal sobre o tema Radiação Solar ; 2. Continuidade das ações educativas através do Programa de Ação Educativa Itinerante de Saúde Ambiental da SUSAM e da aplicação de questionário de avaliação nos eventos que envolvam ações educativas na qual participe a SUSAM; 3. Acompanhamento da execução do Programa de Proteção a Radiação Solar tanto por exposição ambiental quanto ocupacional; 4. Acompanhamento do(s) Projeto(s) de Lei(s) proposto(s) à Câmara Legislativa com interface no Programa de Proteção a Radiação Solar; 5. Confecção de Relatório Anual sobre o andamento do Programa de Proteção à Radiação Solar no Distrito Federal. 1º Semestre de Continuidade das ações educativas através do Programa de Ação Educativa Itinerante de Saúde Ambiental da SUSAM e da aplicação de questionário de avaliação nos eventos que envolvam ações educativas na qual participe a SUSAM; 2. Acompanhamento da execução do Programa de Proteção a Radiação Solar tanto por exposição ambiental quanto ocupacional; 3. Acompanhamento do(s) Projeto(s) de Lei(s) proposto(s) à Câmara Legislativa com interface no Programa de Proteção a Radiação Solar. 2º Semestre de III Fórum de Saúde Ambiental do Distrito Federal sobre o tema Radiação Solar ; 2. Continuidade das ações educativas através do Programa de Ação Educativa Itinerante de Saúde Ambiental da SUSAM e da aplicação de questionário de avaliação nos eventos que envolvam ações educativas na qual participe a SUSAM; 3. Acompanhamento da execução do Programa de Proteção a Radiação Solar tanto por exposição ambiental quanto ocupacional; 4. Acompanhamento do(s) Projeto(s) de Lei(s) proposto(s) à Câmara Legislativa com interface no Programa de Proteção a Radiação Solar; 5. Confecção de Relatório Anual sobre o andamento do Programa de Proteção à Radiação Solar no Distrito Federal. 24 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

25 7. FUNDAMENTAÇÕES LEGAIS 1. Ministério da Saúde. Resolução-RDC ANVISA nº 237, de 22 de agosto de 2002, que aprova o Regulamento Técnico Sobre Protetores Solares em Cosméticos constante do Anexo desta Resolução. 2. Ministério da Saúde. Resolução-RDC ANVISA nº 56, de 09 de novembro de 2009, que proíbe em todo território nacional o uso dos equipamentos para bronzeamento artificial, com finalidade estética, baseada na emissão da radiação ultravioleta (UV). Telefone: (61) (Ramal: 5729) 25

26 8. REFERÊNCIAS BIBLIOGÁFICAS 1. INSTITUTO RACINE. Câncer da pele e fotoproteção. Terapêutica: Farmácia de Manipulação. 2. DUARTE, I.; BUENSE, R.; KOBATA, C. Fototerapia. Anais Brasileiros de Dermatologia. [online]. 2006, vol.81, n.1, p. 3. COSTA, L. M.; SILVA, R. R. Ataque à pele. Brasília: Química Nova na Escola, BRASIL. Ministério da Saúde. Vigilância do câncer relacionado ao trabalho e ao ambiente. Instituto Nacional de Câncer (INCA). Rio de Janeiro: p. 5. BRASIL. Ministério da Saúde. Ações de enfermagem para o controle do câncer: uma proposta de integração ensino-serviço. Instituto Nacional de Câncer (INCA). Rio de Janeiro: p. 6. LIMA, R. B. et. al. Radiação Ultravioleta (UV). Disponível em:< novo/base/radiacaouv.shtml>. Acesso em: 17 jan Ministério da Saúde. Raios UVA podem provocar danos irreversíveis à pele. Biblioteca Virtual em Saúde - BVS: O Estado do Maranhão, Ministério da Saúde. Câncer Ocupacional. Biblioteca Virtual em Saúde - BVS, Ministério da Saúde. Estimativa 2012: incidência de câncer no Brasil. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva, Coordenação Geral de Ações Estratégicas, Coordenação de Prevenção e Vigilância. Rio de Janeiro: Inca, p. 26 Telefone: (61) (Ramal: 5729)

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções:

A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: CUIDADOS COM A PELE A pele é um sistema orgânico que, quando mantida sua integridade, tem como funções: Regular a temperatura do nosso corpo; Perceber os estímulos dolorosos e agradáveis; Impedir a entrada

Leia mais

Antes de falar sobre protetor solar vamos falar um pouco sobre a Radiação Solar.

Antes de falar sobre protetor solar vamos falar um pouco sobre a Radiação Solar. Proteção Solar PERFECT*SUN Antes de falar sobre protetor solar vamos falar um pouco sobre a Radiação Solar. A Radiação Solar é composta por diversos raios, com diferentes comprimentos de onda, conforme

Leia mais

2. O índice experimental UV como usá-los

2. O índice experimental UV como usá-los RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA SOLAR CUIDADOS ESPECIAIS ÍNDICE 1. Introdução -------------------------------------------------------------------------------------1 2. O índice experimental UV como usá-los ------------------------------------------------1

Leia mais

O que é Radiação Ultravioleta (R-UV)?

O que é Radiação Ultravioleta (R-UV)? O que é Radiação Ultravioleta (R-UV)? A radiação solar mais conhecida é a faixa do visível. No entanto, outras duas faixas muito importantes são as do ultravioleta (UV) e do infravermelho (IV). A faixa

Leia mais

uriosidades O que é Radiação Ultravioleta? Tipos de Radiação Ultravioleta

uriosidades O que é Radiação Ultravioleta? Tipos de Radiação Ultravioleta C uriosidades Índice de Radiação Ultravioleta e Saúde: Proteja-se! V ocê saberia dizer quais o perigos ao se expor diariamente ao Sol? Quais os efeitos causados pela radiação solar ultravioleta à nossa

Leia mais

TÓPICOS DESSA APRESENTAÇÃO:

TÓPICOS DESSA APRESENTAÇÃO: APRESENTAÇÃO Lilian Wesendonck Bióloga e Farmacêutica Membro da Associação Brasileira de Cosmetologia Ministrante de Palestras e Cursos de Aperfeiçoamento em Cosméticos TÓPICOS DESSA APRESENTAÇÃO: INTRODUÇÃO:

Leia mais

Tempo de Sol e de Cuidados

Tempo de Sol e de Cuidados Tempo de Sol e de Cuidados APRESENTAÇÃO Esta Cartilha, que integra a série Tempo de Sol e de Cuidados, destina-se a todas as pessoas, em especial aos profissionais que estão em constante exposição ao sol,

Leia mais

Avaliação e Conscientização Quanto a Prevenção do Câncer de Pele

Avaliação e Conscientização Quanto a Prevenção do Câncer de Pele Avaliação e Conscientização Quanto a Prevenção do Câncer de Pele Liliane de Sousa Silva¹, Valéria Rodrigues de Sousa¹, Naiara Maria de Sousa¹, Rosilane Fernanda de Faria¹, Elisângela Gomes Queiroz de Sá¹,

Leia mais

A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) constatou por meio de uma pesquisa realizada em 2011 que 59,85% dos entrevistados se expõe à luz solar

A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) constatou por meio de uma pesquisa realizada em 2011 que 59,85% dos entrevistados se expõe à luz solar A SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) constatou por meio de uma pesquisa realizada em 2011 que 59,85% dos entrevistados se expõe à luz solar sem qualquer proteção, enquanto apenas 34,31% usam protetor

Leia mais

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA E CÂNCER DE PELE

RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA E CÂNCER DE PELE UNIFESP UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO ESCOLA PAULISTA DE MEDICINA PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO EM CIRURGIA PLÁSTICA REPARADORA Coordenadora e Professora Titular: Profa.Dra.Lydia Masako Ferreira RADIAÇÃO

Leia mais

(NEVOS ATÍPICOS) E O RISCO DE MELANOMA. nevos (NEVOS ATÍPICOS) E O RISCO DE MELANOMA. www.skincancer.org

(NEVOS ATÍPICOS) E O RISCO DE MELANOMA. nevos (NEVOS ATÍPICOS) E O RISCO DE MELANOMA. www.skincancer.org nevos DISPLÁSICOS (NEVOS ATÍPICOS) E O RISCO DE MELANOMA nevos DISPLÁSICOS (NEVOS ATÍPICOS) E O RISCO DE MELANOMA www.skincancer.org NEVOS E MELANOMA NEVOS NORMAIS são pequenas manchas marrons ou saliências

Leia mais

PROTETORES SOLARES. Priscila Pessoa, bolsista PIBID, IQ-UNICAMP

PROTETORES SOLARES. Priscila Pessoa, bolsista PIBID, IQ-UNICAMP PROTETORES SOLARES Priscila Pessoa, bolsista PIBID, IQ-UNICAMP O sol é uma fonte de energia essencial para a vida na terra pois, direta ou indiretamente a maioria dos ciclos biológicos dependem da radiação

Leia mais

Proteção Solar na Infância. Cláudia Márcia de Resende Silva (1) Luciana Baptista Pereira(1) Bernardo Gontijo(1, 2) Maria Ester Massara Café(1)

Proteção Solar na Infância. Cláudia Márcia de Resende Silva (1) Luciana Baptista Pereira(1) Bernardo Gontijo(1, 2) Maria Ester Massara Café(1) Proteção Solar na Infância Cláudia Márcia de Resende Silva (1) Luciana Baptista Pereira(1) Bernardo Gontijo(1, 2) Maria Ester Massara Café(1) O sol emite um amplo espectro de radiações eletromagnéticas

Leia mais

38 Por que o sol queima a nossa pele?

38 Por que o sol queima a nossa pele? A U A UL LA Por que o sol queima a nossa pele? Férias, verão e muito sol... Vamos à praia! Não importa se vai haver congestionamento nas estradas, muita gente na areia, nem mesmo se está faltando água

Leia mais

CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO

CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO Luizinho e Chiquinho CÂNCER DA PELE PATROCÍNIO SBD: DERMATOLOGISTA COM TÍTULO DE ESPECIALISTA CUIDANDO DE VOCÊ. Luizinho/Chiquinho e o câncer da pele Oi Luiz. NOssO país é privilegiado, pois temos sol

Leia mais

RADIAÇÃO UV E SAÚDE HUMANA 1

RADIAÇÃO UV E SAÚDE HUMANA 1 RADIAÇÃO UV E SAÚDE HUMANA 1 O presente documento apresenta os seguintes tópicos relacionados à radiação UV e Saúde humana: - Efeitos da R-UV sobre a Pele - Examinando sua pele - Tipos de pele - Efeitos

Leia mais

Radiação UV, quais são os perigos? Toda pessoa está sujeita a melanomas, possua todas as informações para proteger você e sua família.

Radiação UV, quais são os perigos? Toda pessoa está sujeita a melanomas, possua todas as informações para proteger você e sua família. A referência médica online sobre os danos UV RISCOS SOLARES Radiação UV, quais são os perigos? Toda pessoa está sujeita a melanomas, possua todas as informações para proteger você e sua família. Faça a

Leia mais

O verão chegou, e as férias também.

O verão chegou, e as férias também. O verão chegou, e as férias também. Toda a família se prepara para uma viagem rumo à praia, você está pronto para se divertir com ela? Hélios e Hélia têm pressa para encontrar seus amigos e curtir o calor

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 2006 (Do Sr. Leonardo Picciani)

PROJETO DE LEI N.º 2006 (Do Sr. Leonardo Picciani) PROJETO DE LEI N.º 2006 (Do Sr. Leonardo Picciani) Dispõe sobre a obrigatoriedade do fornecimento de protetores ou bloqueadores solares, nas condições que específica. O Congresso Nacional decreta: Art.

Leia mais

UVA e UVB. quais são alguns dos BENEFÍCIOS 21/10/2015. QUAL O PROBLEMA então? por que se fala tanto em FOTOPROTEÇÃO? Δ e E Fotossíntese Vitamina D

UVA e UVB. quais são alguns dos BENEFÍCIOS 21/10/2015. QUAL O PROBLEMA então? por que se fala tanto em FOTOPROTEÇÃO? Δ e E Fotossíntese Vitamina D espectro de ondas eletromagnéticas 21/10/2015 FILTRO SOLAR como escolher corretamente seu AMIGO de todos os dias quais são alguns dos BENEFÍCIOS do SOL? Δ e E Fotossíntese Vitamina D QUAL O PROBLEMA então?

Leia mais

2. Da fundamentação e análise

2. Da fundamentação e análise PARECER COREN-SP 001/2013 CT PRCI n 100.546 e Ticket n 256.298 Assunto: Manuseio de equipamento de fototerapia em dermatologia por Auxiliar de Enfermagem. 1. Do fato A profissional questiona se o Auxiliar

Leia mais

PROTETOR SOLAR. Priscila Pessoa, bolsista PIBID, Licenciatura em Química, IQ-UNICAMP

PROTETOR SOLAR. Priscila Pessoa, bolsista PIBID, Licenciatura em Química, IQ-UNICAMP PROTETOR SOLAR Priscila Pessoa, bolsista PIBID, Licenciatura em Química, IQ-UNICAMP É a fonte de energia essencial para a vida na terra e muitos são os benefícios trazidos pela luz solar para os seres

Leia mais

Biofísica 1. Ondas Eletromagnéticas

Biofísica 1. Ondas Eletromagnéticas Biofísica 1 Ondas Eletromagnéticas Ondas Ondas são o modo pelo qual uma perturbação, seja som, luz ou radiações se propagam. Em outras palavras a propagação é a forma na qual a energia é transportada.

Leia mais

Campanha de prevenção do cancro da pele

Campanha de prevenção do cancro da pele Campanha de prevenção do cancro da pele Use o protetor solar adequado. Proteja-se com chapéu e óculos de sol. Evite a exposição solar entre as 11:00 e as 17:00. www.cm-loures.pt facebook.com/municipiodeloures

Leia mais

PROTEÇÃO SOLAR NA INFÂNCIA

PROTEÇÃO SOLAR NA INFÂNCIA PROTEÇÃO SOLAR NA INFÂNCIA Dra. Ana Elisa Kiszewski Bau Vice Presidente do Departamento de Dermatologia da SBP Professora Adjunta de Dermatologia da UFCSPA. Dermatologista Pediatra do Complexo Hospitalar

Leia mais

TRATAMENTO ESTÉTICO DA PELE NEGRA. Prof. Esp. Maria Goreti de Vasconcelos

TRATAMENTO ESTÉTICO DA PELE NEGRA. Prof. Esp. Maria Goreti de Vasconcelos TRATAMENTO ESTÉTICO DA PELE NEGRA Prof. Esp. Maria Goreti de Vasconcelos A etnia confere características herdadas que devem ser valorizadas na indicação de procedimentos e tratamentos e na avaliação de

Leia mais

Praticamente todo absorvido pelo ozônio. Pouquíssimo ou nada chegam à biosfera.

Praticamente todo absorvido pelo ozônio. Pouquíssimo ou nada chegam à biosfera. RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA A radiação ultravioleta (UV) é uma pequena porção da radiação total recebida do sol. Foi descoberta em 1801 pelo físico alemão Johann Wilhelm Ritter (1776-1810). Tornou-se um tópico

Leia mais

VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL CIEVS- Centro de Informações Estratégicas em Saúde

VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL CIEVS- Centro de Informações Estratégicas em Saúde VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL CIEVS- Centro de Informações Estratégicas em Saúde Boletim de Alerta do VIGIAR Palmas 09 de setembro de 2014 RECOMENDAÇÕES PARA ENFRENTAR SITUAÇÕES DE A BAIXA UMIDADE RELATIVA

Leia mais

ESTE MATERIAL FAZ PARTE DO CURSO 2 em 1: Despigmentantes: Conhecimento, Automedicação Responsável e Visita ao Médico

ESTE MATERIAL FAZ PARTE DO CURSO 2 em 1: Despigmentantes: Conhecimento, Automedicação Responsável e Visita ao Médico ESTE MATERIAL FAZ PARTE DO CURSO 2 em 1: Despigmentantes: Conhecimento, Automedicação Responsável e Visita ao Médico FICHA RESUMO Hiperpigmentação da Pele Condições-chave Hiperpigmentação da pele: Excesso

Leia mais

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas

Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas AULA 22.2 Conteúdo Eletromagnetismo Aplicações das ondas eletromagnéticas Habilidades: Frente a uma situação ou problema concreto, reconhecer a natureza dos fenômenos envolvidos, situando-os dentro do

Leia mais

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA

Prevenção em dobro. Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel CAPA Prevenção em dobro Eixo de Prevenção do Câncer ganha segunda Unidade Móvel O eixo de Prevenção do Câncer do Programa Cuide-se+ acaba de ganhar um importante reforço no atendimento aos trabalhadores das

Leia mais

sol, luz e calor. protetor solar e óculos de sol.

sol, luz e calor. protetor solar e óculos de sol. Com a chegada das férias e o verão, a procura por locais abertos para passeios e diversão é comum, mas é preciso cuidado na exposição ao sol para evitar problemas de saúde. Assim, é necessário adquirir

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Protetor Solar, Fotoproteção, Câncer de Pele.

PALAVRAS-CHAVE: Protetor Solar, Fotoproteção, Câncer de Pele. PROTEÇÃO SOLAR PARA ESTETICISTAS, EDUCADORES FÍSICOS E PRATICANTES DE ATIVIDADE FÍSICA. 1. BARBOSA DA SILVA. Samara Cristina; 2. MORO. Rafael; 3. RODRIGUES DE FREITAS. Lígia; 4. OLIVEIRA. Aide Angélica

Leia mais

Radiação UV e fotodano cutâneo. Luis Fernando Tovo

Radiação UV e fotodano cutâneo. Luis Fernando Tovo Radiação UV e fotodano cutâneo Luis Fernando Tovo EXPECTRO DA RADIAÇÃO SOLAR FOTO-ENVELHECIMENTO X FOTODANO FOTO-ENVELHECIMENTO: superposição do dano crônico do sol sobre processo de envelhecimento intrínseco

Leia mais

Fátima Cecilia Poleto Piazza * Maria Enói dos Santos Miranda **

Fátima Cecilia Poleto Piazza * Maria Enói dos Santos Miranda ** AVALIAÇÃO DO CONHECIMENTO DOS HÁBITOS DE EXPOSIÇÃO E DE PROTEÇÃO SOLAR DOS ADOLESCENTES DO COLÉGIO DE APLICAÇÃO UNIVALI DE BALNEÁRIO CAMBORIÚ (SC),2007. Fátima Cecilia Poleto Piazza * Maria Enói dos Santos

Leia mais

Os cuidados com. A sua pele

Os cuidados com. A sua pele Os cuidados com A sua pele Supervisão editorial: Dr. Gilberto Ururahy UNIDADE BOTAFOGO Rua Lauro Müller, 116-34º Andar Torre Rio Sul CEP 22290-160 Botafogo Rio de Janeiro RJ Tel.: (21) 2546.3000 UNIDADE

Leia mais

2 Radiação Ultravioleta

2 Radiação Ultravioleta 2 Radiação Ultravioleta 2.1 Introdução Radiação solar é a energia radiante emitida pelo Sol, em particular aquela que é transmitida sob a forma de radiação electromagnética. O espectro eletromagnético

Leia mais

A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado.

A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado. Histórico A Moda do Bronzeado... Entre as duas grandes Guerras inicia-se a liberação feminina. Coco Chanel lança a moda do bronzeado. A pele bronzeada tornou-se moda, sinal de status e saúde. Histórico

Leia mais

28-02-2015. Sumário. Atmosfera da Terra. Interação Radiação-Matéria 23/02/2015

28-02-2015. Sumário. Atmosfera da Terra. Interação Radiação-Matéria 23/02/2015 Sumário Na : Radiação, Matéria e Estrutura Unidade temática 2. O ozono como filtro protetor da Terra. Formação e decomposição do ozono na atmosfera. Filtros solares. Alternativas aos CFC. Como se mede

Leia mais

PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E ATENUAÇÃO DE LINHAS DE EXPRESSÃO PELO AUMENTO DA SÍNTESE DE COLÁGENO RESUMO

PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E ATENUAÇÃO DE LINHAS DE EXPRESSÃO PELO AUMENTO DA SÍNTESE DE COLÁGENO RESUMO PREVENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO E ATENUAÇÃO DE LINHAS DE EXPRESSÃO PELO AUMENTO DA SÍNTESE DE COLÁGENO MACIEL, D. 1 ; OLIVEIRA, G.G. 2. 1. Acadêmica do 3ºano do Curso Superior Tecnólogo em Estética

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA AS ONDAS DE CALOR 2008 RECOMENDAÇÕES SOBRE VESTUÁRIO APROPRIADO EM PERÍODOS DE TEMPERATURAS ELEVADAS Nº: 21/DA DATA: 07/08/08 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos

Leia mais

RADIAÇÃO SOLAR ULTRAVIOLETA E A MODELAGEM MATEMÁTICA

RADIAÇÃO SOLAR ULTRAVIOLETA E A MODELAGEM MATEMÁTICA RADIAÇÃO SOLAR ULTRAVIOLETA E A MODELAGEM MATEMÁTICA Resumo Marinez Cargnin Stieler 1 Vanilde Bisognin 2 Neste trabalho o objetivo é apresentar situações-problema relacionadas ao tema radiação solar ultravioleta,

Leia mais

1.Normas para uso de filtros solares: aspectos legais e técnicos:

1.Normas para uso de filtros solares: aspectos legais e técnicos: GT2: fotoproteção e fotoeducação Consenso prévio brasileiro Introdução: É importante ter em vista que existe uma certa dificuldade em uniformizar estratégias de fotoproteção e fotoeducação devido as diferenças

Leia mais

SINAIS DA PELE TUDO O QUE SEMPRE QUIS SABER

SINAIS DA PELE TUDO O QUE SEMPRE QUIS SABER SINAIS DA PELE TUDO O QUE SEMPRE QUIS SABER Estrutura deste E-book SINAIS DE ALARME? REMOVA ESSA PREOCUPAÇÃO 2 SINAIS PERIGOSOS ATENÇÃO! 3 QUE TIPO DE SINAIS É PRECISO VIGIAR COM MAIS ATENÇÃO? 3 QUAIS

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 5 - Radiações Não-Ionizantes

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 5 - Radiações Não-Ionizantes Curso Técnico Segurança do Trabalho Identificação e Análise de Riscos Identificação e Análise de Riscos Módulo 5 - Radiações Não-Ionizantes Segundo a NR15 Anexo 7: Radiações não-ionizantes são as microondas,

Leia mais

Espectro Eletromagnético (Parte III)

Espectro Eletromagnético (Parte III) Espectro Eletromagnético (Parte III) Nesta aula estudaremos os raios ultravioleta que são raios muito utilizados em câmaras de bronzeamento artificial, dos raios X que são essenciais para os diagnósticos

Leia mais

Classificação das fontes Todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem classificar-se em primária ou secundária.

Classificação das fontes Todos os corpos visíveis são fontes de luz e podem classificar-se em primária ou secundária. Luz: é uma onda eletromagnética, que tem comprimento de onda (do espectro visível) na faixa de 400 nm a 700 nm (nm = nanômetros = 10-9 m). Além da luz visível, existem outras onda eletromagnéticas om diferentes

Leia mais

13 perguntas sobre o sol e a protecção solar

13 perguntas sobre o sol e a protecção solar 13 perguntas sobre o sol e a protecção solar Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. Pág. 01 1.2. O sol faz mal? Não existem benefícios da exposição solar?

Leia mais

THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro.

THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro. THALITAN Bronzeado mais rápido, seguro e duradouro. Thalitan é um complexo formado por um oligossacarídeo marinho quelado a moléculas de magnésio e manganês. Esse oligossacarídeo é obtido a partir da despolimerização

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva 2014 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério da Saúde. Esta

Leia mais

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva

CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso. Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva CÂNCER DE MAMA: é preciso falar disso Ministério da Saúde Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva Cartilha_Outubro Rosa_Mitos_26-09-2014.indd 1 08/10/2014 14:24:37 2014 Instituto Nacional

Leia mais

RAYANNE STEFHANIE ALVES

RAYANNE STEFHANIE ALVES FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO INSTITUTO DE CIÊNCIAS NATURAIS E TECNOLÓGICAS ICNT CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE CÁCERES JANE VANINI FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAUDE CURSO DE ENFERMAGEM RAYANNE

Leia mais

Uma investigação histórica do

Uma investigação histórica do QUÍMICA e SOCIEDADE Michelle L. Costa Aluna de graduação do Departamento de Química da Universidade de Brasília, Brasília - DF Roberto Ribeiro da Silva Bacharel em Química, doutor em ciências pela Universidade

Leia mais

Sejam bem-vindas a nossa Terça do Conhecimento!

Sejam bem-vindas a nossa Terça do Conhecimento! Sejam bem-vindas a nossa Terça do Conhecimento! Tema: Linha solar Mary Kay Pele A pele é o maior órgão do corpo humano, Tem a função de proteger o corpo contra o calor, a luz e as infecções é responsável

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA UNIDADE FLORIANÓPOLIS CURSO TÉCNICO DE METEOROLOGIA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA UNIDADE FLORIANÓPOLIS CURSO TÉCNICO DE METEOROLOGIA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SANTA CATARINA UNIDADE FLORIANÓPOLIS CURSO TÉCNICO DE METEOROLOGIA Coordenadora: Alexsandra da Cunha Gabriel Dominguez Cordeiro Geison Alves Thuany Schmidt Efeitos

Leia mais

CÂNCER : ABORDAGEM AVALIATIVA DE CAUSA E PRENVEÇÃO SOBRE O ÁLCOOL, EXPOSIÇÃO AO SOL E TABAGISMO ENTRE SERVIDORES UEG - UnUCET

CÂNCER : ABORDAGEM AVALIATIVA DE CAUSA E PRENVEÇÃO SOBRE O ÁLCOOL, EXPOSIÇÃO AO SOL E TABAGISMO ENTRE SERVIDORES UEG - UnUCET CÂNCER : ABORDAGEM AVALIATIVA DE CAUSA E PRENVEÇÃO SOBRE O ÁLCOOL, EXPOSIÇÃO AO SOL E TABAGISMO ENTRE SERVIDORES UEG - UnUCET Rejane de Sousa Ferreira 1, Cristiane Alves da Fonseca 2, Andréia Juliana Leite

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE PROTETORES SOLARES EM COSMÉTICOS (REVOGAÇÃO DA RES. GMC Nº 26/02)

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE PROTETORES SOLARES EM COSMÉTICOS (REVOGAÇÃO DA RES. GMC Nº 26/02) MERCOSUL/XXXVI SGT Nº 11/P. RES. Nº 01/10 Rev. 1 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE PROTETORES SOLARES EM COSMÉTICOS (REVOGAÇÃO DA RES. GMC Nº 26/02) TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo

Leia mais

Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção. Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca)

Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção. Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca) Entenda o que é o câncer de mama e os métodos de prevenção Fonte: Instituto Nacional de Câncer (Inca) O que é? É o tipo de câncer mais comum entre as mulheres no mundo e no Brasil, depois do de pele não

Leia mais

A radiação solar que provoca queimadura solar e é cancerígena é a radiação ultravioleta;

A radiação solar que provoca queimadura solar e é cancerígena é a radiação ultravioleta; REGULAMENTO CONCURSO ENQUADRAMENTO O Sol é indispensável à vida. A sua luminosidade gera alegria de viver. Os raios solares ajudam-nos a fabricar a vitamina D, indispensável ao desenvolvimento ósseo. Mas

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº 237, DE 22 DE AGOSTO DE 2002

RESOLUÇÃO - RDC Nº 237, DE 22 DE AGOSTO DE 2002 RESOLUÇÃO - RDC Nº 237, DE 22 DE AGOSTO DE 2002 Aprova Regulamento Técnico Sobre Protetores Solares em Cosméticos. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição

Leia mais

O que é o ozônio e onde se encontra?

O que é o ozônio e onde se encontra? O que é o ozônio e onde se encontra? Ozônio é um gás naturalmente presente na atmosfera. O Cada molécula contém três átomos de oxigênio e é quimicamente designado por O 3. Raios Ultravioleta Ionosfera

Leia mais

FATORES DE RISCO PARA MELANOMA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA

FATORES DE RISCO PARA MELANOMA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA 1 UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL UNIJUÍ LAÍSE CRISTINE SONDA FATORES DE RISCO PARA MELANOMA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA IJUÍ RS 2011 2 LAÍSE CRISTINE SONDA FATORES DE RISCO

Leia mais

O que é o ozônio e onde se encontra?

O que é o ozônio e onde se encontra? O que é o ozônio e onde se encontra? zônio é um gás naturalmente presente na atmosfera. Cada O molécula contém três átomos de oxigênio e é quimicamente designado por O 3. Figura 1: Formação de Ozônio na

Leia mais

Disciplina: Patologia Oral 4 e 5º períodos CÂNCER BUCAL. http://lucinei.wikispaces.com. Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira

Disciplina: Patologia Oral 4 e 5º períodos CÂNCER BUCAL. http://lucinei.wikispaces.com. Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira Disciplina: Patologia Oral 4 e 5º períodos CÂNCER BUCAL http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 Sigmund Freud ( 1856-1939, 83 anos ) durante 59 anos, mais de 20 charutos/dia

Leia mais

CONFIRA DICAS PARA ENFRENTAR O ALTO ÍNDICE ULTRAVIOLETA

CONFIRA DICAS PARA ENFRENTAR O ALTO ÍNDICE ULTRAVIOLETA PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE Edifício Durval Silva, QD. 103 Sul, Rua SO-07, LT. 03, Centro CEP 77.016-010 Telefone: (63) 3218-5210 / E-mail: cievspalmas@gmail.com VIGILÂNCIA

Leia mais

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B

Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29. Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina. Física B Título ONDULATÓRIA Extensivo Aula 29 Professor Edson Osni Ramos (Cebola) Disciplina Física B RADIAÇÕES ELETROMAGNÉTICAS ONDA ELETROMAGNÉTICA Sempre que uma carga elétrica é acelerada ela emite campos elétricos

Leia mais

TÍTULO: ÍNDICE DE RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA NO NOROESTE PAULISTA E USO DE PROTETORES SOLARES

TÍTULO: ÍNDICE DE RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA NO NOROESTE PAULISTA E USO DE PROTETORES SOLARES TÍTULO: ÍNDICE DE RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA NO NOROESTE PAULISTA E USO DE PROTETORES SOLARES CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS INSTITUIÇÃO: FACULDADES INTEGRADAS

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DE ÓCULOS DE SEGURANÇA DAST nº 01/2001 R3 3ª Revisão: 06/06/2007 1. OBJETIVO Determinar a sistemática para aquisição de óculos de segurança e definir as características técnicas dos

Leia mais

Protector Solar? Claro que sim, vou de férias!

Protector Solar? Claro que sim, vou de férias! Protector Solar? Claro que sim, vou de férias! João BURT COSTA 4 de Junho de 2015 Auditório da Casa das Histórias da Paula Rego Principais destinos de férias Principais destinos de férias Principais destinos

Leia mais

Quais os danos que o verão pode provocar nos cabelos?

Quais os danos que o verão pode provocar nos cabelos? A maioria das brasileiras aproveita o verão para curtir o sol e o calor ao ar livre.. E na hora de aproveitar o verão, não se deve, nunca, dispensar o uso do chapéu e do filtro solar, pois eles protegem

Leia mais

MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO

MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO MELANOMA EM CABEÇA E PESCOÇO COMPLICAÇÕES EM ESVAZIAMENTO CERVICAL UBIRANEI O. SILVA INTRODUÇÃO Incidência melanoma cutâneo: 10% a 25% Comportamento

Leia mais

D E R M A T I T E S HISTÓRIA

D E R M A T I T E S HISTÓRIA D E R M A T I T E S As dermatoses ocupacionais, conhecidas como dermatites de contato, manifestam-se através de alterações da pele e decorrem direta ou indiretamente de certas atividades profissionais.

Leia mais

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR!

NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! NOVEMBRO DOURADO VIVA ESTA IDEIA! VENHA PARTICIPAR! Serviço de OncoHematologia do HIJG DIA NACIONAL DE COMBATE AO CÂNCER NA CRIANÇA E NO ADOLESCENTE O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (lei

Leia mais

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm.

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm. A Visão é o sentido predileto do ser humano. É tão natural que não percebemos a sua complexidade. Os olhos transmitem imagens deformadas e incompletas do mundo exterior que o córtex filtra e o cérebro

Leia mais

PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS RELATÓRIO DA ANÁLISE EM ROUPAS COM PROTEÇÃO UV DE USO ADULTO E INFANTIL

PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS RELATÓRIO DA ANÁLISE EM ROUPAS COM PROTEÇÃO UV DE USO ADULTO E INFANTIL Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS RELATÓRIO DA ANÁLISE

Leia mais

Disciplina: Patologia Bucal 5º período CÂNCER ORAL. http://lucinei.wikispaces.com. Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira

Disciplina: Patologia Bucal 5º período CÂNCER ORAL. http://lucinei.wikispaces.com. Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira Disciplina: Patologia Bucal 5º período CÂNCER ORAL http://lucinei.wikispaces.com Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira 2012 Sigmund Freud ( 1856-1939, 83 anos ) durante 59 anos, mais de 20 charutos/dia

Leia mais

O SR. IVO JOSÉ (PT-MG) pronuncia o seguinte. discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, convido

O SR. IVO JOSÉ (PT-MG) pronuncia o seguinte. discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, convido O SR. IVO JOSÉ (PT-MG) pronuncia o seguinte discurso: Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, convido os Ilustres Congressistas a partilharem comigo a preocupação de oferecer uma legislação adequada aos

Leia mais

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas.

ÓPTICA. Conceito. Divisões da Óptica. Óptica Física: estuda os fenômenos ópticos que exigem uma teoria sobre a natureza das ondas eletromagnéticas. ÓPTICA Conceito A óptica é um ramo da Física que estuda os fenomenos relacionados a luz ou, mais amplamente, a radiação eletromagnética, visível ou não. A óptica explica os fenômenos de reflexão, refração

Leia mais

Câncer. Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável. Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama

Câncer. Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável. Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama Câncer Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama A prevenção e a única maneira fácil, segura e acessível de combater ao câncer Apoio: Liga Bahiana Contra o Câncer -

Leia mais

Descobrindo o valor da

Descobrindo o valor da Descobrindo o valor da Ocâncer de mama, segundo em maior ocorrência no mundo, é um tumor maligno que se desenvolve devido a alterações genéticas nas células mamárias, que sofrem um crescimento anormal.

Leia mais

adota a seguinte Resolução da Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação:

adota a seguinte Resolução da Diretoria Colegiada e eu, Diretor-Presidente, determino a sua publicação: Resolução - RDC Nº 30 de 1º de junho de 2012. Aprova o Regulamento Técnico Mercosul sobre Protetores Solares em Cosméticos e dá outras providências. A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância

Leia mais

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel

DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO. Claudia de Lima Witzel DOENÇAS DO SISTEMA MUSCULAR ESQUELÉTICO Claudia de Lima Witzel SISTEMA MUSCULAR O tecido muscular é de origem mesodérmica (camada média, das três camadas germinativas primárias do embrião, da qual derivam

Leia mais

Programa Sol Amigo. Diretrizes. Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA

Programa Sol Amigo. Diretrizes. Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA Programa Sol Amigo Diretrizes Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA 2007 CONTEÚDO Coordenador do programa... 3 Introdução... 4 Objetivos... 5 Metodologia... 6 Avaliação do

Leia mais

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer

Câncer de Pele. Os sinais de aviso de Câncer de Pele. Lesões pré câncerigenas. Melanoma. Melanoma. Carcinoma Basocelular. PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré câncerigenas Os sinais de aviso de Câncer de Pele Câncer de Pele PEC SOGAB Júlia Käfer Lesões pré-cancerosas, incluindo melanoma, carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular. Estas lesões

Leia mais

Treinamento Online. obrigada pela presença. Bemvindas! Elisandra Uesato Diretora Futura Executiva de Vendas Ind

Treinamento Online. obrigada pela presença. Bemvindas! Elisandra Uesato Diretora Futura Executiva de Vendas Ind Treinamento Online obrigada pela presença Bemvindas! Elisandra Uesato Diretora Futura Executiva de Vendas Ind Produtos de cuidados para pele com manchas Elisandra Uesato Diretora Futura Executiva Vendas

Leia mais

Especial Melanodermias Diversidade de ativos seguros e completos que tratam as hipercromias faciais nos mais diversos estágios

Especial Melanodermias Diversidade de ativos seguros e completos que tratam as hipercromias faciais nos mais diversos estágios Especial Melanodermias Diversidade de ativos seguros e completos que tratam as hipercromias faciais nos mais diversos estágios Bioafinidade dermo epidérmica para o Clareamento & Controle da pele hiperpigmentada.

Leia mais

Trânsito de substâncias no corpo

Trânsito de substâncias no corpo A U A UL LA Atenção A voz do professor Trânsito de substâncias no corpo Nesta aula vamos produzir uma pequena revista. A partir das informações que irá recebendo, você vai escrever os textos (reportagens),

Leia mais

PERGUNTAS. Um planeta 2/ O Sol envia-nos (há várias respostas correctas): Luz Energia Fogo Calor

PERGUNTAS. Um planeta 2/ O Sol envia-nos (há várias respostas correctas): Luz Energia Fogo Calor 1/ O Sol é: Uma estrela 1 PERGUNTAS Um planeta 2/ O Sol envia-nos (há várias respostas correctas): Luz Energia Fogo Calor Chuva 3/ É verdade que o Sol gira à volta da Terra: Sim Não 4/ A camada de ozono

Leia mais

Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Científica

Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Científica Assessoria de Comunicação & Marketing Assessoria de Imprensa e Divulgação Científica Monitoramento das Notícias da Unisul Dia 12 de setembro de 2011 JORNAIS Protesto oficial Diário do Sul Jogos do returno

Leia mais

SUN PROTECTION FACTOR: AWARENESS ABOUT THE RISK OF EXPOSURE TO THE SUN WITHOUT PROTECTION AND CORRECTLY AND EFFECTIVE USE OF GUARDS ABSTRACT

SUN PROTECTION FACTOR: AWARENESS ABOUT THE RISK OF EXPOSURE TO THE SUN WITHOUT PROTECTION AND CORRECTLY AND EFFECTIVE USE OF GUARDS ABSTRACT FATOR DE PROTEÇÃO SOLAR: CONSCIENTIZAÇÃO QUANTO AOS RISCOS DA EXPOSIÇÃO SOLAR SEM PROTEÇÃO E A FORMA CORRETA E EFICAZ DO USO DE PROTETORES L. R. L. Dias¹ e E. S. Sousa 2 ¹Graduando em Biologia, Campus

Leia mais

Astronomia fora do visível Beatriz García, Ricardo Moreno, Rosa M. Ros

Astronomia fora do visível Beatriz García, Ricardo Moreno, Rosa M. Ros Astronomia fora do visível Beatriz García, Ricardo Moreno, Rosa M. Ros União Astronómica Internacional Universidade Tecnológica Nacional, Argentina Colégio Retamar de Madrid, Espanha Universidade Politécnica

Leia mais

Introdução ao Sensoriamento Remoto

Introdução ao Sensoriamento Remoto Introdução ao Sensoriamento Remoto Cachoeira Paulista, 24 a 28 novembro de 2008 Bernardo Rudorff Pesquisador da Divisão de Sensoriamento Remoto Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais - INPE Sensoriamento

Leia mais

Melanoma Cutâneo: Revisão bibliográfica (2011) 1

Melanoma Cutâneo: Revisão bibliográfica (2011) 1 Melanoma Cutâneo: Revisão bibliográfica (2011) 1 SANGOI, Renata 2 ; FISCHER, Josseana 3 ; RIGO, Carine 4 ALVES, Marta 5 1 Trabalho de Pesquisa _UNIFRA 2 Curso de Farmácia do Centro Universitário Franciscano

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA O trabalho se inicia com uma avaliação diagnóstica (aplicação de um questionário) a respeito dos conhecimentos que pretendemos introduzir nas aulas dos estudantes de física do ensino médio (público alvo)

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL INMETRO PROGRAMA DE ANÁLISE DE PRODUTOS: RELATÓRIO

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE PROTETORES SOLARES EM COSMÉTICOS

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE PROTETORES SOLARES EM COSMÉTICOS MERCOSUL/GMC/RES. Nº 26/02 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL SOBRE PROTETORES SOLARES EM COSMÉTICOS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto e as Resoluções Nº 91/93, Nº 110/94, Nº 152/96

Leia mais

FÍSICA IV AULA 04: AS EQUAÇÕES DE MAXWELL; ONDAS ELETROMAGNÉTICAS TÓPICO 03: ESPECTRO ELETROMAGNÉTICO Arco-íris[1] Raio-x[2] Micro-ondas[3] Ondas de rádio[4] Televisão[5] À primeira vista pode parecer

Leia mais