Numero Especial 1º Aniversário. Juntos Fazemos a Diferença!

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Numero Especial 1º Aniversário. Juntos Fazemos a Diferença!"

Transcrição

1 Numero Especial 1º Aniversário Juntos Fazemos a Diferença!

2 1 Ficha Técnica Proprieda da ASPAS Diretora Isabel Guimarães Diretora Editorial Luiza Azancot Edição Isabel Guimarães Conselheiros Astrológicos Realização Gráfica asuasecretária Daniela Ferreira Redação e Administração Av.Manuel Violas, sala 25 Parque Tecnológico S.Félix da Marinha t Website: Blog: Facebook: Periodicida Trimestral Distribuição Membros da ASPAS - Gratuita Não Membros - numeros anteriores á do lançamento gratuitas no nosso site Orgãos Sociais da ASPAS Direção Isabel Guimarães (Presinte) Marta Castro (Secretária) Susana Oliveira (Tesoureira) Assembleia Geral Tânia Pinto (Presinte) João Soares (Vogal) Inês Miranda (Secretária) Raul Américo Aguiar (Vogal) Conselho Fiscal Vânia Rodrigues (Presinte) Pedro Torres (Vogal) Maria Isabel Amorim (Tesoureira) Conselheiros Astrológicos Fábio Ludovina João Meiros Luís Resina Luiza Azancot Patrícia Azenha Henriques Rui António Santos António Rosa Direitos Este jornal em formato digital não po ser reproduzido, no todo ou em parte, por qualquer processo mecânico, fotográfico ou electrónico, nem ser introduzido numa base dados, difundido ou qualquer forma copiado para uso público ou privado além do uso legal como breve citação em artigos e críticas sem prévia autorização dos autores. Decreto Lei nº 334/97

3 2 Índice Editorial Comunicado Geral Palavras da Presinte Entrevista aos Conselheiros da Direção Mensagens membros/orgãos sociais/parceiros Régulus em Virgem - A nova Era Mundial João Meiros Os ciclos Úrano, Neptuno e Plutão na compreensão da crise Luiza Azancot A política Plutão: um capital força na História e até 2013 Maria Manuel Stocker A visão astrológica do Euro Patrícia Azenha Henriques Brasil, o sonho do século 21 Antonio Rosa Interpretação Astrológica do Mapa da República Portuguesa Luis Resina Quíron, o caminho da cura Rui Santos Testemunho pessoal Fábio Ludovina Publicida 65

4 3 Editorial Edição Especial Direção do Jornal - Isabel Guimarães - Presinte - membro nº 1 Direção Editorial- Luiza Azancot - Conselheira Direção - membro nº 15 Comunicado geral Informamos a todos que após o lançamento dos dois primeiros numeros do Jornal Astrológico da ASPAS, que s já agracemos os 1850 downloads, sentimos a necessida alterar os mols da sua disponibilização e publicação, como resposta às inúmeras solicitações que a Associação tem recebido. Desta forma, comunicamos que o Jornal, a partir ste numero, terá o nome 4 Estações, conforme acordado na Assembleia Geral Ordinária do dia , e será disponibilizado gratuitamente online, no site da associação. Assim, passará a dispôr espaço reservado a publicida, on solicitamos que nos enviem um para o nosso enreço forma a saber as condições publicação dos vossos espaços, salvaguardando o critério entre escolha dos mesmos. As edições lançamento serão exclusivas para os membros, ficando a edição anterior à disposição para download, por não membros. Para todos os interessados, lançaremos, ainda, o Jornal em formato papel, com assinatura anual.

5 4 Editorial Palavras da Presinte Com esta edição especial comemoramos o primeiro aniversário da ASPAS. Foram 365 dias conquistas e crescimento em que, unidos, conseguimos fazer mudanças e iniciar um projeto credibilização e reconhecimento da ativida da Astrologia. Durante este curto percurso contamos com a preciosa colaboração dos conselheiros, parceiros, membros e órgãos sociais, para atingirmos juntos diversos triunfos marcantes. Sem o apoio incondicional dos referidos, jamais esta associação poria ter nascido e a caminhar para a realização dos objetivos propostos. Sempre acreditei que na vida um homem é aquilo que sonha, encontrando no seu caminho pessoas que o ajudam a realizar o que início parecia impossível. O sonho marca imperativamente a vida um Ser quando a sua firmeza propósito, apoiada na ajuda do próximo, ultrapassa os obstáculos que vai encontrando, não só para o safiar a não sistir, como também para lhe permitir aprimorar o que vai traçando ao longo do seu percurso. Des cedo, na minha existência, estui Shakespeare e consiro-o o meu Pai aprendizagem. A sua frase...o bem e o mal não existem, o pensamento é que o cria... nunca abandonou o meu pensamento. Após muito moer a minha cabeça com esta citação, finalmente entendi-a quando percebi uma outra frase -...os problemas vem ser vistos como aprendizagens e não como obstáculos.... e com a Ser ou não Ser, eis a questão, spertou em mim uma gran vonta conhecer o tal SER. E assim, fui somando vários ensinamentos e aprofundando o conhecimento em várias áreas, encontrando na astrologia uma orientação, a minha real intida, e acreditando que a sabedoria faz-se caminhando, ganhando experiência, abrindo a mente, aceitando as diferenças, ouvindo e discernindo. Desta forma, no conhecimento, vamos smitificando e moldando os nossos padrões comportamentais. Como estudante Astrologia há apenas 9 anos, sendo sempre uma eterna estudante, relembro a crescente necessida que senti ajuda e apoio no esclarecimento dúvidas, troca iologias e partilha scobertas nesta fascinante área do saber. A consciência sta necessida, acompanhada pelo meu respeito para com a Astrologia como conhecimento universal (legado por todos os grans mestres ancestrais que habitam a nossa história, e que se encontra disponível no nosso site para consulta), fizeram-me sentir que estava na altura vivermos esta nossa gran quadratura Urano/Plutão, criando um novo paradigma - a união!

6 5 Editorial A gratidão ultrapassa qualquer palavra que possa proferir. O sentimento por criar partilha saberes, divulgar a gran qualida astrológica que temos e, acima tudo, unir seres humanos, ixa-me apenas com a convicção que caminharei sempre em prol dos meus objetivos rumo à realização do SONHO e que juntos fazemos a diferença, pois nada somos sozinhos e tudo é realmente possível. Desta forma, com a ASPAS, um sonho realiza-se e o impossível acontece, graças a toda esta equipa seres que, juntos, vão levando a bom porto o nosso navio da Astrologia, permitindo ixar um legado para as gerações vindouras, e levando na nossa essência o Universo, pois nada material dura para sempre. Para que possam ter um pequeno resumo da nossa caminhada s 22 zembro 2011, passamos a signar alguns portos on atracámos: finimos a nossa estrutura, com a inauguração e apresentação dos órgãos sociais a 24 março, e a equipa conselheiros da direção; a inauguração do nosso primeiro site, que acabou por estar fora do ar durante muito tempo, até surgir o nosso parceiro BasePoint que criou um novo site com um sign com o qual nos intificamos e com a interativida que pretendíamos: o blogue criado e s o inicio marcado por uma varieda artigos que têm vindo a promover a qualida astrológica a que nos propusemos; o perfil no Facebook que nos permitiu chegar a vários países, contando com o incondicional apoio dos nossos amigos brasileiros, e a criação um grupo fechado Pesquisas Astrológicas para nos permitir viajar no mundo da investigação e pesquisa, fundamentais na construção do conhecimento astrológico. A fim possibilitar o intercâmbio conhecimentos e divulgação da Astrologia em Portugal, durante 2012, lançámos o nosso Jornal Astrológico, organizámos a palestra 2012 Os grans ciclos cósmicos por Luís Resina, ministrámos o Workshop Almuten e Almutem Figuris por Patrícia Azenha Henriques, proporcionamos, em Novembro no Porto, a Formação Dinâmica Astrologia nível 1, com João Meiros. Lançámos um Inquérito Pesquisa Nacional sobre Astrologia, e realizamos sessões esclarecimento na área do Gran Porto e na Ilha da Maira. Estamos, ainda, s Novembro com uma rubrica Astrologia com a finalida orientar as pessoas, e proporcionar aos nossos membros a sua participação no programa As Grans Manhãs, do Porto Canal. 2

7 6 Editorial Porque pretendo que todos sejam ouvidos, e sendo a partilha opiniões fundamental para trilhar conscientemente o caminho a que me proponho, elaborei uma breve entrevista para que os nossos queridos Conselheiros da Direção, e os Membros e Parceiros da ASPAS, pussem prestar o seu melhor contributo, imbuídos no espírito da época mágica que se aproxima e que culminará com o Solstício Inverno. Sabei que há ainda um longo caminho a percorrer e acredito que com a união dos astrólogos, visando a partilha saberes e o fortalecimento da sua reputação como profissionais, conseguiremos levar a cabo os objetivos que nos finem como Associação Portuguesa Astrologia. Deixo uma mensagem Natal aos nossos leitores e amigos, o agracimento a todos os nossos Conselheiros que contribuiem diariamente para a construção sta nossa missão, aos Membros efetivos e estudantes, Orgãos sociais e Parceiros, um Natal recheado amor, paz e sonhos! O meu obrigada! Duvida da luz dos astros, De que o sol tenha calor, Duvida até da verda, Mas confia em meu amor. William Shakespeare

8 7 Editorial Entrevistas aos nossos conselheiros realizada por Isabel Guimarães Fábio Ludovino Conselheiro da Direção membro nº 10 O que significa para si ser Conselheiro da ASPAS? Ser conselheiro das Aspas é fazer parte algo grandioso que está a dar os seus primeiros passos. Mais que tudo é por contribuir para o reconhecimento da profissão Astrólogo e pela transparência do exercício da profissão em Portugal Quer partilhar quais foram as suas funções na prática como Conselheiro da Aspas? As minhas funções como conselheiro foram sobretudo o apoio na realização algumas reuniões e emitir opinião sobre os diversos temas a pedido da direção. Tive oportunida estabelecer parcerias e dar a conhecer a associação no Brasil. Uma experiência enriquecedora pelo ambiente e partilha com outros colegas, sentindo que estamos todos a caminhar para e pelo mesmo caminho. Maravilhoso! Como vê a Associação Portuguesa Astrologia hoje, 1 ano após a sua criação? Vejo a associação como um bébe que começou a crescer, que fez muito neste último ano que amadureceu. A associação está a caminhar no sentido certo, passo a passo mas uma forma sólida e com alguns feitos que se imaginavam impossíveis. Temos como exemplo este jornal que tem tido uma excelente qualida. Quais são os maiores safios que a Aspas enfrenta ntro e fora da comunida astrológica? O safio que para mim a Aspas enfrenta é a união total dos profissionais. Apesar estarmos a crescer nesse sentido, ainda há muito para fazer nesse sentido.

9 8 Editorial De que forma a Aspas po fazer a diferença no reconhecimento e exercício da Profissão astrólogo em Portugal? A Aspas vai fazer a diferença na maneira como tem levado a astrologia até ao público. É fundamental que as pessoas no geral saibam o que é a Astrologia, o que fazemos e como fazemos. Sobretudo para separar o trigo do joio. As pessoas saberão distinguir o que na realida é um Astrólogo. Quais os seus sejos para a ASPAS e para a Astrologia em geral? Desejo que as Aspas continue a crescer, como tem acontecido e que mantenha a qualida que até aqui vem tendo. Se continuar assim, as metas são grans e não duvido que chegará lá. *************************************************** Patricia Azenha Henriques Conselheiro da Direção membro nº 12 O que significa para si ser Conselheiro da ASPAS? Para mim é uma honra e um privilégio ser Conselheiro da Direção da ASPAS, foi algo que aconteceu forma natural e assim se tem mantido esta união iias, saberes, tudo para bem um propósito maior, a dignificação da Astrologia. Sabemos que nada é por acaso, mas é curioso que no mapa da criação da Aspas (12h00, 22/12/2011, Lisboa, Portugal) a minha Lua em Peixes esteja junto ao ascennte daaspas, que também recebe um trígono do meu Mercúrio Natal, reforçado pelo facto do meu ascennte estar em conjunção com Mercúrio e Lua Natal da Aspas.Penso que isto confirma a relação forte que existe e a sua importância.

10 9 Editorial Quer partilhar quais são as suas funções na prática como Conselheiro da Aspas? Como conselheiro tenho mantido uma relação muito próxima com a Presinte Isabel Guimarães e com os restantes conselheiros, com quem tem sido um verdairo prazer trabalhar. Como tive uma experiência profissional 8 anos na Orm dos Engenheiros, tenho participado ativamente nas questões estruturais e organizacionais da ASPAS. Outra componente é a questão divulgação da Astrologia que, como Conselheiros, somos chamados a contribuir, seja na forma artigos âmbito astrológico no Jornal, blog e site, seja através acções formação e informação em Astrologia nos Encontros com a Astrologia. Participando nas reuniões periódicas entre conselheiros e direcção, dando a opinião sobre os assuntos correntes e novos projectos da Associação, dando a contribuição e conselho para o alcance dos diversos objetivos. Como vê a Associação Portuguesa Astrologia hoje, 1 ano após a sua criação? Ao ano andarás e aos dois falarás, o povo costuma dizer e como uma Associação com 1 ano, dá gosto ver, porque já anda, já diz as primeiras palavras e tem enorme potencial. Dá gosto ver como nasceu, tem crescido e rapidamente está a criar laços que não se limitam ao nosso país. Com um Sol em Capricórnio, os passos serão certo cautelosos, mas seguros na sua afirmação, com rigor, pragmatismo, capacida concretizadora e ambição em ser uma referência da Astrologia em Portugal e no mundo. Quais são os maiores safios que a Aspas enfrenta ntro e fora da comunida astrológica? Combater o sconhecimento e o preconceito sempre foram os maiores safios exteriores à comunida astrológica, com gran contribuição indivíduos que utilizam a Astrologia em múltiplas áreas fundindo saberes nem sempre da melhor forma. Isto confun muito as pessoas sobre o que é a Astrologia. Dentro da comunida astrológica são vários os safios. Primeiro monstrar que a dignificação da Astrologia que cada um procura fazer individualmente sai reforçada e ganha impacto com a união, sempre assim foi e assim será em qualquer área.demonstrar que a Astrologia, como um acumulado conhecimentos e alguns por vezes incompatíveis, não po ser razão para que não se unam esforços para que a Astrologia saia reforçada, com as suas diferenças. Todos os profissionais Astrologia terão sempre questões em comum, que os aproximam, como o reconhecimento e o exercício da profissão astrólogo, assim como os seus princípios éticos. Fazer entenr que como astrólogos ou estudantes astrologia, temos todos um papel importante junto da socieda e como privilegiados por utilizar este saber milenar, temos o ver o dignificar e divulgar da melhor forma, mais uma vez teremos mais força se o fizermos em conjunto do que individualmente.

11 10 Editorial De que forma a Aspas po fazer a diferença no reconhecimento e exercício da Profissão astrólogo em Portugal? O código ética é fundamental para regular a profissão. Em parceria com as escolas astrologia criar um processo acreditação para o exercício da profissão ntro das diversas áreas especialida da astrologia. Levar a astrologia ao público em geral, procurando sempre informar, smistificar, incentivando também o estudo da astrologia. Quais os seus sejos para a ASPAS e para a Astrologia em geral? Não posso terminar sem dar os parabéns pelo primeiro ano vida! Parabéns a todos que contribuíram para sua nutrição e crescimento e em especial à Isabel Guimarães pelo seu esforço incansável. Desejo que a ASPAS não pare crescer com cada vez mais membros a contribuir com a sua força e conhecimento individual, sejam eles astrólogos ou estudantes astrologia, fortalecendo o grupo. Quanto mais formos, maior será a marca que conseguiremos ixar no nosso país e no mundo, para bem da Astrologia. Que continue com este espírito aberto tentar conciliar todos os profissionais astrologia das diversas áreas, aproximando-os nas suas diferenças e valorizando o que todos temos em comum. Desejo que a Astrologia seja reconhecida pelo que realmente é, que as pessoas não a confundam com mil e uma formas diferentes e que percebam o efeito benéfico que terá nas suas vidas. Desejo a todos um Santo Natal e um excelente ano 2013! *************************************************** Rui Santos Conselheiro da Direção membro nº 13 O que significa ser conselheiro da Aspas? Ser conselheiro da Aspas, para mim significa fazer parte um Grupo com uma filosofia unir todos os Astrólogos Portugueses, partilhar, divulgar e ensinar ás pessoas o que é na verda a Astrologia.

12 11 Editorial Quer partilhar quais são as suas funções na prática como Conselheiro da Aspas? Como Conselheiro da Aspas, tenho divulgado aos meus amigos, na re social facebook, as pesquisas astrológicas que vou fazendo, com o objetivo ensinar e partilhar as iias que vão surgindo, bem como o trabalho qualida, que se vai fazendo na comunida Astrológica no mundo, aproveitando os bons exemplos; Reuniões periódicas entre todos os conselheiros em vío conferência, para finir os regulamentos internos para uma melhor divulgação da Associação Portuguesa Astrologia. Como vê a Associação Portuguesa hoje, 1 ano após a sua criação? Um ano após a sua criação, consiro positiva, foi criado um site e um jornal astrologia, temos tido asão mais associados e membros. Quais são os maiores safios que a Aspas enfrenta ntro e fora da comunida Astrológica? A Aspas enfrenta o safio ser uma Associação que tem por objectivo a qualida informação e divulgação da Astrologia, ajudar e apoiar todos os que estudam Astrologia. A estrutura social que está sendo criada, porá ser encarada com alguma sconfiança por algumas pessoas por não haver em Portugal nada semelhante, no entanto é com gran alegria que vejo a Aspas crescer e conta até ao momento com 52 membros, para alem várias escolas Astrologia que entretanto se associaram como parceiros, no nosso país e escolas brasileiras, o contacto com a comunida Astrológica no mundo consiro ser muita importância em unir a comunida Astrológica além fronteiras. De que forma a Aspas po fazer a diferença no reconhecimento e exercício da Profissão astrólogo em Portugal? Para mim faz a diferença, porque o objetivo é a informação qualida e serieda com que é encarada a nossa profissão a criação raízes sociais na nossa socieda, ajuda e muito a que todos os setores da nossa socieda possam encarar a nossa profissão outra maneira, mudando certas mentalidas enraizadas, a frase "Juntos fazemos a diferença" transmite união e a união traz sempre força. Quais os seus sejos para a Aspas e para a Astrologia em geral? Que a Aspas se expanda cada vez mais, em futuros membros, sócios e escolas Astrologia, que a Astrologia, saber tão antigo mantenha a chama e a mensagem das antigas tradições, no entanto que se actualize no tempo e crie a forma do futuro, que seja um meio pela consciência curar e ajudar pessoas.

13 12 Editorial Luiza Azancot Conselheiro da Direção membro nº 15 O que significa para si ser Conselheiro da ASPAS? É uma honra por contribuir para a difusão da Astrologia. A minha vida é incomparavelmente mais rica porque vejo o mundo, os outros e a mim mesma sobre o prisma da Astrologia e ser Conselheiro da ASPAS permite-me levar essa sabedoria a um público mais amplo. Quer partilhar quais são suas funções na prática como Conselheiro da Aspas? Trabalhamos em grupo mas a função principal tem sido a ventilar iias e dar apoio à nossa Presinte e fundadora da ASPAS. Recentemente passei a ter um papel mais ativo na edição do Jornal Astrológico. Como vê a Associação Portuguesa Astrologia hoje, 1 ano após a sua criação? Um sucesso por conseguiu reunir entre os seus membros astrólogos que usam técnicas astrológicas diversas, que estão em Portugal e no Brasil mas todos têm em comum servir da melhor maneira os seus clientes e todos acreditam na sabedoria do cosmos. Quais são os maiores safios que a Aspas enfrenta ntro e fora da comunida astrológica? Dentro da comunida continuar a veicular pontos vista astrológicos diversos através do seu Jornal, blogue, res sociais e encontros. Atrair membros fora da comunida para ntro.

14 13 Editorial De que forma a Aspas po fazer a diferença no reconhecimento e exercício da Profissão astrólogo em Portugal? Separando o trigo do joio, dando visibilida e credibilida aos astrólogos profissionais, aos que seguem uma conduta ética, aos que investem anos a estudar. Quais os seus sejos para a ASPAS e para a Astrologia em geral? À Aspas sejo que os aspectos materiais não sejam um entrave nos objetivos traçados para que possa continuar o seu trabalho. Apelo a que se inscrevam como sócios!!!!! Com a Astrologia não me preocupo porque neste mundo on os molos antigos estão a smoronar-se ela vai ter sempre um papel cada vez maior se bem que vagar, uma pessoa cada vez. *************************************************** João Meiros Conselheiro da Direção membro nº 19 O que significa para si ser Conselheiro da ASPAS? Significa por participar na construção uma comunida astrológica na socieda para finitivamente por informar/ educar melhor as pessoas sobre o que é esta área tão fascinante quanto útil para as suas vidas. Quer partilhar quais são as suas funções na prática como Conselheiro da Aspas? Aconselhamento em relação a protocolos parcerias, atividas, eventos, homologação cursos, códigos ética, estratégia nacional e internacional parcerias e senvolvimento, etc...

15 14 Editorial Como vê a Associação Portuguesa Astrologia hoje, 1 ano após a sua criação? Vejo como uma gran vitória do espírito grupo que partilha o mesmo ial elevação da qualida da Astrologia e da sua divulgação correta e digna na socieda. É incrível o que já foi conseguido em tão pouco tempo, com tão poucas condições e tantas adversidas. Em gran parte, ve-se à vonta e esforço da presinte e fundadora Isabel Guimarães que é uma pessoa com uma visão tolerância e abertura que são também imprescindíveis nestas funções. Quais são os maiores safios que a Aspas enfrenta ntro e fora da comunida astrológica? Já aconteceram anteriormente tentativas criação Associações Astrologia portuguesas - que por alguma razão, não resultaram. Penso que agora as grans diferenças são: - mudança dos tempos e paradigma (o novo paradigma senvolvimento mundial é em re, em parceria, em comunida - nova Era astrológica) - filosofia e valores da fundadora : não há perigo que a ASPAS se torne uma Inquisição (entida fundamentalista e "racista" em relação a certas práticas astrológicas) nem um agente comercial uma escola específica ou astrólogo, mas sim uma instituição verdairamente ao serviço do coletivo, com inteligência, respeito, altruísmo e sensatez. De que forma a Aspas po fazer a diferença no reconhecimento e exercício da Profissão astrólogo em Portugal? Po fazer a diferença pela criação eventos qualida, pela criação cooperação e partilha entre astrólogos que se evitam ou se sconhecem, pela criação padrões qualida na formação e na prática astrológica, ou seja, criar padrões standard para a garantia mínima da qualida um astrólogo - o que também está pennte da avaliação das formações que frequentou - e pela disseminação do conhecimento astrológico. Reconhecendo que todas as pessoas beneficiarão um conhecimento astrológico básico - mas que poucas têm perfil ou vonta para serem astrólogas. Assim, veremos criar dois âmbitos atuação muito distintos: - divulgação e educação básica em Astrologia (para todos) - mais informação sobre Signos, Casas a Planetas, bem como origens da Astrologia (o b-a-bá) - profissionalização em Astrologia

16 15 Editorial Ou seja, qualquer pessoa po e ve aprenr o básico do seu mapa. Ou seja, a ASPAS ve também ter como objetivo a Alfabetização astrológica toda a população e não só a profissionalização alguns. Quais os seus sejos para a ASPAS e para a Astrologia em geral? Que se torne a disciplina nº 1 auto-conhecimento em Portugal e no mundo em articulação com áreas terapêuticas (Psicologia convencional e transpessoal, Medicina, Medicinas alternativas, coaching) e académicas (História, Sociologia, Economia, Política, Religião). Que se torne também uma disciplina-mestra no estudo questões sociais, históricas e políticas, para além da vertente individual dos mapas natais. *************************************************** Luis Resina Conselheiro da Direção membro nº 22 O que significa para si ser Parceiro da ASPAS? Para mim ser parceiro da Aspas, envolve partilha saberes, a divulgação do que melhor se faz em Astrologia a nível nacional e internacional e trazer a público uma opinião qualida diferenciada da chamada astrologia popular. Apoio também todo o trabalho que possa levar à dignificação da Astrologia como um ramo essencial do saber que conduz ao autoconhecimento e a uma melhor compreensão do mundo à nossa volta. Quer partilhar quais são as suas funções na prática como Parceiro da Aspas? Como parceiro da Aspas tenho senvolvido o papel conselheiro nas questões essenciais da Associação, tenho também colaborado regularmente no Jornal e em Setembro 2012 efetuei um Workshop Astrologia na se da Associação.

17 16 Editorial Como vê a Associação Portuguesa Astrologia hoje, 1 ano após a sua criação? Hoje vejo a Aspas com pessoas capazes e dinâmicas para levarem a bom porto os objetivos e os iais presentes no código ética e no espírito da associação. Quais os seus sejos para a ASPAS? Que cresça, que se torne uma referência no mundo astrológico, que aglutine várias escolas e investigadores, que promova eventos qualida, contribuindo assim, na edificação um mundo melhor. *************************************************** António Rosa Conselheiro da Direção membro nº 32 O que significa para si ser Parceiro da ASPAS? Sobretudo, é um prazer estar no meio pessoas tão simpáticas e talentosas. Ficarei muito feliz, se ntro das minhas possibilidas, pur contribuir com Serviço à comunida, através da ASPAS. Quer partilhar quais são as suas funções na prática como Parceiro da Aspas? Espero que em 2013 possa senvolver um trabalho maior, pois tenho pouco tempo funcionamento no Conselho. Como vê a Associação Portuguesa Astrologia hoje, 1 ano após a sua criação? Vejo muito bem e com pessoas na Associação muito animadas com o que o futuro lhes reserva. Eu sou uma ssas pessoas entusiasmadas, pois somos um país pequeno e muito preconceituoso, pelo que precisamos dignificar a licada tarefa sermos astrólogos.

18 Quais são os maiores safios que a Aspas enfrenta ntro e fora da comunida astrológica? Dentro da comunida: os preconceitos profundamente arreigados assim como egos tremendos. E fora da comunida: o enorme facilitismo a que somos muito dados, enquanto povo. De que forma a Aspas po fazer a diferença no reconhecimento e exercício da Profissão astrólogo em Portugal? Primeiro, começarmos por finir isso profissão, a seguir, continuarmos na finição sermos astrólogos e só então, juntarmos ambas as palavras. Vai morar o seu tempo. Quais os seus sejos para a ASPAS e para a Astrologia em geral? Sucesso. Um enorme e magnífico sucesso, pois seria sinal que, enquanto astrólogos, teríamos dado um gran passo em frente, dignificando muito a Astrologia. *************************************************** Todos os membros efetivos e estudantes, orgãos sociais e parcerios, sejam a todos um Natal recheado paz, alegria e muito amor, com um ano recheado estrelas iluminado todo o vosso caminho. Como não cabem todos os nomes neste jornal, pedimos que conheçam os nossos mensageiros, na pagina do nosso website

19 18 RÉGULUS EM VIRGEM A Nova Era Mundial por João Meiros - membro nº 19 Poremos associar a chamada crise global ao ingresso da gran estrela Régulus em Virgem, o maior acontecimento astrológico dos últimos milénios. Seja bem-vindo à nova Era! Como profissionais, estudantes ou curiosos da nobre arte da Astrologia sabemos que existem dois zodíacos distintos: o Tropical e o Siral. Da mesma forma que temos o início dos 4 signos cardinais no Zodíaco Tropical que marcam a mudança estação, nos solstícios e equinócios, s os tempos antigos, os astrólogos referiam-se também a 4 grans estrelas localizadas em cruz nos céus, no Zodíaco Siral. Essas estrelas eram signadas como as Estrelas Reais da Pérsia, os Quatro Cavaleiros do Apocalipse ou Arcanjos da Criação. São: Antares, o Coração do Escorpião; Albaran, o Olho do Touro; Fomalhaut, a Boca do Peixe; e Regulus, o Coração do Leão.

20 19 Sempre que estas estrelas cruzam o eixo dos equinócios ou solstícios ou formam ângulos especiais com os mesmos algo que po acontecer em ciclos cerca 2150 anos pomos dizer que começa uma nova gran etapa astrológica. Terá sido com base neste conhecimento que os Maias estabeleciam os seus ciclos mudanças do mundo. Por exemplo, a 4ª Era Maia começou em 3114 a.c. quando Antares e Albaran cruzavam o eixo dos Equinócios. É sta época que datam os primeiros registos históricos escritos e o início da chamada civilização morna, na região do Crescente Fértil. Estaremos então a viver o início um novo ciclo? Quais os indicadores, nesse sentido? Quais as grans aprendizagens? Por um lado, não pomos dizer objetivamente que esta transição seja o Apocalipse, ou melhor dizendo, o fim da nossa civilização. Isso acontecerá provavelmente quando o eixo Albaran-Antares cruzar o eixo dos solstícios, seguido da passagem Regulus-Fomalhaut pelo eixo dos equinócios, em 4160 d.c.. Por outro lado, pomos assegurar sem sombra qualquer dúvida que SIM: vivemos uma mudança Era milenar para a nossa civilização uma vez que Regulus mudou setor zodiacal precisamente entre 2011 e 2012, formando um ângulo significativo (150 º) com o ponto vernal do equinócio da Primavera. O que equivale a dizer que ingressou no signo tropical Virgem, dando o mote para uma nova etapa global cerca 2150 anos. A gran transição Era (1 grau do Zodíaco, no final um signo e no início outro) ocorre entre 1939/40 e 2083/84. O período mais intenso verifica-se sensivelmente entre 1998 e 2026 e o maior foco alteração verifica-se exatamente nos anos 2011 e 2012, data a partir da qual a energia da nova Era se sobrepõe à da antiga. Regulus é consirada a principal estrela real porque é a mais brilhante e mais próxima da eclíptica, a linha passagem do Sol nos céus. É como se fosse simbolicamente o Sol das constelações zodiacais. Rege os sistemas por, os reis, a autorida unânime e o Ego coletivo. Imagem retirada

CURSO. Astrologia do Sistema Anura com extensões para o Portal da Visão e Elixires de Saturno

CURSO. Astrologia do Sistema Anura com extensões para o Portal da Visão e Elixires de Saturno CURSO Astrologia do Sistema Anura com extensões para o Portal da Visão e Elixires de Saturno De janeiro a julho de 2015 Vitorino de Sousa www.sistemaanura.com www.facebook.com/sistemaanura www.anjogodofredo.com

Leia mais

ZODÍACO. As três Etapas Evolutivas. Rui Simões

ZODÍACO. As três Etapas Evolutivas. Rui Simões ZODÍACO As três Etapas Evolutivas Rui Simões Março de 2011 Índice Introdução...3 A Espiral Ascendente...3 Os Quatro Elementos...5 Fogo...5 Terra...6 Ar...6 Água...7 Trilogia dos elementos...8 Trilogia

Leia mais

Apostila de Tarefas. Casa 4. O Estudo da Casa 4 iluminado pelo trânsito do Sol em Caranguejo e o Calendário Sagrado das Estações

Apostila de Tarefas. Casa 4. O Estudo da Casa 4 iluminado pelo trânsito do Sol em Caranguejo e o Calendário Sagrado das Estações Apostila de Tarefas Casa 4 O Estudo da Casa 4 iluminado pelo trânsito do Sol em Caranguejo e o Calendário Sagrado das Estações Para o Curso de Astrologia Online Astrologia da Mudança Com Hector Othon Junho/Julho

Leia mais

Em que constelações se encontram os planetas?

Em que constelações se encontram os planetas? Complemento de informação aos leitores (Por conveniência editorial, este documento segue as regras do novo Acordo Ortográfico) Em que constelações se encontram os planetas? Guilherme de Almeida Dados para

Leia mais

Consultas e atividades terapêuticas Esmeralda Rios e Vitorino de Sousa

Consultas e atividades terapêuticas Esmeralda Rios e Vitorino de Sousa Consultas e atividades terapêuticas Esmeralda Rios e Vitorino de Sousa Veja a programação consultas (dias, horas e locais) na Agenda de www.sistemaanura.com www.facebook.com/sistemaanura Como todos já

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Os Setes CélebresC. Sete Dias da Semana. Cores do Arco-Íris.

Os Setes CélebresC. Sete Dias da Semana. Cores do Arco-Íris. Ciclo dos Sete Anos O Número N Sete Esse número n é venerado háh mais de 3.000 anos por razões sacerdotais, desde os tempos da antiga Babilônia. Em todos os livros sagrados, de todas as religiões, o número

Leia mais

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com Clínica Maló Paulo Maló CEO www.clinicamalo.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram em linguagem

Leia mais

- Pai, temos estado a falar em Cidadania, mas ainda me disseste pouco sobre a origem da palavra e do conceito. Acho que me falaste só na «polis»

- Pai, temos estado a falar em Cidadania, mas ainda me disseste pouco sobre a origem da palavra e do conceito. Acho que me falaste só na «polis» - Pai, temos estado a falar em Cidadania, mas ainda me disseste pouco sobre a origem da palavra e do conceito. Acho que me falaste só na «polis» grega, não foi? - Sim, de facto, a origem mais longínqua

Leia mais

Construção do Espaço Africano

Construção do Espaço Africano Construção do Espaço Africano Aula 2 Colonização Para melhor entender o espaço africano hoje, é necessário olhar para o passado afim de saber de que forma aconteceu a ocupação africana. E responder: O

Leia mais

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL

DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL PLMJ Advogamos com Valor Julho 2009 DUPLA TRIBUTAÇÃO INTERNACIONAL EM PORTUGAL A dupla tributação jurídica internacional é um obstáculo às relações comerciais e à circulação bens e serviços e pessoas e

Leia mais

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO

PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO PORTUGAL 2020: EMPREENDEDORISMO E CAPITAL DE RISCO A noção de Empreendedorismo, como uma competência transversal fundamental para o desenvolvimento humano, social e económico, tem vindo a ser reconhecida

Leia mais

Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial. Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência

Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial. Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência Concorrência: Para uma Nova Cultura Empresarial Abel M. Mateus Presidente da Autoridade da Concorrência Conferência proferida no American Club of Lisbon, Hotel Sheraton, 21 de Abril de 2004 Minhas Senhores

Leia mais

julho a setembro 2012 Nº1 1ª edição gratuita Juntos Fazemos a Diferença!

julho a setembro 2012 Nº1 1ª edição gratuita Juntos Fazemos a Diferença! julho a setembro 2012 Nº1 1ª edição gratuita Juntos Fazemos a Diferença! 1 Ficha Técnica Proprieda da ASPAS Diretora Isabel Guimarães Diretora Editorial Luiza Azancot Edição Isabel Guimarães Conselheiros

Leia mais

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA

EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPÉIA E CONQUISTA DA AMÉRICA EXPANSÃO EUROPEIA E CONQUISTA DA AMÉRICA Nos séculos XV e XVI, Portugal e Espanha tomaram a dianteira marítima e comercial europeia, figurando entre as grandes

Leia mais

Filme: Bichos urbanos

Filme: Bichos urbanos Filme: Bichos urbanos Gênero: Experimental Diretor: João Mors, Karen Barros Elenco: José Marinho Ano: 2002 Duração: 20 min Cor: Colorido Bitola: 16mm País: Brasil Disponível no Porta Curtas: www.portacurtas.com.br/curtanaescola/filme.asp?cod=1495

Leia mais

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE

9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE 9. o ANO FUNDAMENTAL PROF. ª ANDREZA XAVIER PROF. WALACE VINENTE CONTEÚDOS E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade I Tempo, espaço, fontes históricas e representações cartográficas. 2

Leia mais

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE

O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE O PÓS-GUERRA E A CRIAÇÃO DA 1ª COMUNIDADE Durante muito tempo os países da Europa andaram em guerra. A segunda Guerra Mundial destruiu grande parte do Continente Europeu. Para evitar futuras guerras, seria

Leia mais

Falar a uma só voz: Definir e defender o interesse europeu

Falar a uma só voz: Definir e defender o interesse europeu SPEECH/10/21 José Manuel Durão Barroso Presidente da Comissão Europeia Falar a uma só voz: Definir e defender o interesse europeu Sessão plenária do PE: votação do novo Colégio Bruxelas, 9 de Fevereiro

Leia mais

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA...

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA... MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI Daniel Cenci A VIDA AMEAÇADA... A vida é sempre feita de escolhas. A qualidade de vida resulta das escolhas que fazemos a cada dia. É assim

Leia mais

TESTEMUNHAS. atores e destinatários do projeto catequese/família

TESTEMUNHAS. atores e destinatários do projeto catequese/família TESTEMUNHAS atores e destinatários do projeto catequese/família Os testemunhos partilhados foram recolhidos a partir de um pequeno questionário realizado, no mês de maio de 2012, junto das famílias dos

Leia mais

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015 CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA UMA UNIÃO EUROPEIA MAIS FORTE 22 de junho de 2015 A União Europeia deve contar com um quadro institucional estável e eficaz que lhe permita concentrar-se

Leia mais

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas

Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Seminário Inverno demográfico - o problema. Que respostas?, Associação Portuguesa de Famílias Numerosas Painel: Desafio Demográfico na Europa (11h45-13h00) Auditório da Assembleia da República, Lisboa,

Leia mais

Mensagem do 1º de Dezembro

Mensagem do 1º de Dezembro Mensagem do 1º de Dezembro 2011 Por S.A.R. o Duque de Bragança Portugal atravessa uma das maiores crises da sua longa vida. Crise que, disfarçada por enganosas facilidades, foi silenciosamente avançando

Leia mais

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço

Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Os Descobrimentos, a comunicação a nível global e a Conquista do Espaço Este ponto é aqui. É a nossa casa. Somos nós, numa imagem tirada a partir de 6 mil milhões de quilómetros da Terra pela sonda Voyager

Leia mais

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP

Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Cerimónia de Assinatura Protocolo AICEP/CRUP Lisboa, 10 janeiro 2014 António Rendas Reitor da Universidade Nova de Lisboa Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas Queria começar

Leia mais

Índice de Risco de 2011 PORTUGAL

Índice de Risco de 2011 PORTUGAL Índice de Risco de PORTUGAL Índice de Pagamentos Índice de Risco Explicação dos valores do Índice de Risco 190 180 170 160 150 140 130 120 110 100 2004 2005 2006 2007 2008 100 Nenhuns riscos de pagamento,

Leia mais

DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009)

DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009) Conferência de Imprensa em 14 de Abril de 2009 DECLARAÇÃO INICIAL DO GOVERNADOR DO BANCO DE PORTUGAL NA APRESENTAÇÃO DO BOLETIM ECONÓMICO DA PRIMAVERA (2009) No contexto da maior crise económica mundial

Leia mais

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM?

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM? Entrevista com Klaus Regling, Diretor Executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM) Valor Econômico, 16 de julho de 2013 Valor: Por que buscar investidores no Brasil agora? Klaus Regling: Visitamos

Leia mais

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A

CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL. Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A CONTEXTO HISTORICO E GEOPOLITICO ATUAL Ciências Humanas e suas tecnologias R O C H A O capitalismo teve origem na Europa, nos séculos XV e XVI, e se expandiu para outros lugares do mundo ( Ásia, África,

Leia mais

Imagem 1 Imagem 2. Fontes: Imagem 1 ROBIN, M. - 100 fotos do século, Evergreen, 1999./ Imagem 2 Le Monde Diplomatique ano 2, nº16 novembro de 2008

Imagem 1 Imagem 2. Fontes: Imagem 1 ROBIN, M. - 100 fotos do século, Evergreen, 1999./ Imagem 2 Le Monde Diplomatique ano 2, nº16 novembro de 2008 Nome: Nº: Turma: Geografia 3º ano Gabarito - Prova Augusto Mar/10 1. Observe as imagens abaixo e faça o que se pede: Imagem 1 Imagem 2 Fontes: Imagem 1 ROBIN, M. - 100 fotos do século, Evergreen, 1999./

Leia mais

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA

CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA CRONOLOGIA DA INTEGRAÇÃO EUROPEIA 1950 9 de Maio Robert Schuman, Ministro dos Negócios Estrangeiros francês, profere um importante discurso em que avança propostas inspiradas nas ideias de Jean Monnet.

Leia mais

Discurso do Primeiro-Ministro no Fórum Empresarial Portugal-Alemanha. Lisboa, 12 de novembro de 2012. (Só faz fé versão lida)

Discurso do Primeiro-Ministro no Fórum Empresarial Portugal-Alemanha. Lisboa, 12 de novembro de 2012. (Só faz fé versão lida) Discurso do Primeiro-Ministro no Fórum Empresarial Portugal-Alemanha Lisboa, 12 de novembro de 2012 (Só faz fé versão lida) Estamos hoje reunidos neste fórum que corporiza a cooperação entre a política

Leia mais

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME

NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME NewVision Enquadramento do projecto de Qualificação e Internacionalização de PME 15.06.2010 Institucional \ Breve Introdução A NEWVISION é uma empresa Portuguesa de base tecnológica, que tem como objectivo

Leia mais

OLIMPÍADAS NACIONAIS DE FÍSICA 2011. Problema 1

OLIMPÍADAS NACIONAIS DE FÍSICA 2011. Problema 1 OLIMPÍADAS NACIONAIS DE FÍSICA 2011 4 DE JUNHO DE 2011 DURAÇÃO DA PROVA: 1 h 15 min PROVA TEÓRICA ESCALÃO A Problema 1 Os planetas: grãozinhos areia num Universo a perr vista! A Luana adora olhar o céu

Leia mais

No entanto, antes de ser financeira, a crise tem uma natureza económica.

No entanto, antes de ser financeira, a crise tem uma natureza económica. INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CONFERÊNCIA «O QUE FAZER POR PORTUGAL? MEDIDAS PARA ULTRAPASSAR A CRISE», SOB O TEMA «AS PESSOAS E AS EMPRESAS

Leia mais

Para ser presente á Assembleia Nacional.

Para ser presente á Assembleia Nacional. Decreto-Lei n.º 286/71 Tratado sobre os Princípios Que Regem as Actividades dos Estados na Exploração e Utilização do Espaço Exterior, Incluindo a Lua e Outros Corpos Celestes, assinado em Washington,

Leia mais

Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa

Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa A Securitas é o parceiro de Segurança da Universidade Fernando Pessoa (UFP), no Porto. Uma colaboração que se tem vindo a cimentar ao longo dos 14 anos

Leia mais

EM LISBOA: COLÓQUIO SOBRE AS REDES SOCIAIS NUMA DEMOCRACIA LIBERAL (COM GALERIA DE FOTOS)

EM LISBOA: COLÓQUIO SOBRE AS REDES SOCIAIS NUMA DEMOCRACIA LIBERAL (COM GALERIA DE FOTOS) N20120229n EM LISBOA: COLÓQUIO SOBRE AS REDES SOCIAIS NUMA DEMOCRACIA LIBERAL (COM GALERIA DE FOTOS) A 29 de Fevereiro de 2012, Mendes Bota interveio na sessão de abertura do colóquio subordinado ao tema

Leia mais

Plano de Formação da CVX-P

Plano de Formação da CVX-P da CVX-P Apresentado à VIII Assembleia Nacional CVX-P Fátima, Outubro 2004 Introdução... 2 Etapa 0: Acolhimento... 3 Etapa 1: Iniciação... 5 Etapa 2: Identificação... 6 Etapa 3: Missão... 7 1 Introdução

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA --- EMBARGO DE DIVULGAÇÃO ATÉ ÀS 21:00 HORAS DE 01.01.13 --- Palácio de Belém, 1 de janeiro de 2013 --- EMBARGO DE DIVULGAÇÃO ATÉ ÀS 21:00

Leia mais

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA

GABARITO DA PROVA OLÍMPICA DO NÍVEL II DA II OBA 1. A astronomia estuda tudo que está fora da Terra, como por exemplo, os planetas, as estrelas, os cometas, as galáxias, as constelações, os movimentos destes corpos, etc. Para observar estes corpos basta

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 93 Exposição na abertura do encontro

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto.

NOS@EUROPE. O Desafio da Recuperação Económica e Financeira. Prova de Texto. <Os Inovadores> <Escola Profissional Atlântico> NOS@EUROPE O Desafio da Recuperação Económica e Financeira Prova de Texto Dezembro de 2011 1 A

Leia mais

Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, nos actos de lançamento das novas notas de 500 e 5000 escudos e do Livro História

Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, nos actos de lançamento das novas notas de 500 e 5000 escudos e do Livro História Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Doutor João Serra, nos actos de lançamento das novas notas de 500 e 5000 escudos e do Livro História da Moeda em Cabo Verde, Salão de Banquetes da Assembleia

Leia mais

Total aulas previstas

Total aulas previstas ESCOLA BÁSICA 2/3 DE MARTIM DE FREITAS Planificação Anual de História do 7º Ano Ano Lectivo 2011/2012 LISTAGEM DE CONTEÚDOS TURMA Tema 1.º Período Unidade Aulas Previas -tas INTRODUÇÃO À HISTÓRIA: DA ORIGEM

Leia mais

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo

História. Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Antigo regime, Estados nacionais e absolutismo Índice Clique sobre tema desejado: A origem dos Estados Nacionais Contexto Histórico: crise feudal (séc. XIV-XVI) Idade Média Idade Moderna transição Sociedade

Leia mais

RESUMO VOCACIONAL. Pelé. por. www.vocacional.com.br

RESUMO VOCACIONAL. Pelé. por. www.vocacional.com.br RESUMO VOCACIONAL Pelé por www.vocacional.com.br Nome: Pelé Data Nascimento: 01h40-24/10/1940 Local de Nascimento: Três Corações / MG email: Cara Pelé, Você está recebendo o seu perfil vocacional resumido,

Leia mais

BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA

BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA BREVE HISTÓRIA DO PAPEL MOEDA A nível mundial, o primeiro papel moeda surgiu na China, no séc. VII, na dinastia Tang, para facilitar aos comerciantes o transporte de grandes quantidades de moeda de metal,

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

EURO. prodep. Antecedentes da Moeda Única:

EURO. prodep. Antecedentes da Moeda Única: Antecedentes da Moeda Única: Até Janeiro de 1999, os países da Comunidade Europeia tinham moedas diferentes, o que durante muito tempo causou grandes dificuldades ao grupo. Os Estados-membros verificaram

Leia mais

Poluição Luminosa. Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas. Alexandre Faria

Poluição Luminosa. Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas. Alexandre Faria Poluição Luminosa Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas Alexandre Faria Projeto Apagar as luzes e acender as estrelas O projeto Apagar as luzes e acender as estrelas tem os seguintes objetivos:

Leia mais

As vivências culturais da água

As vivências culturais da água As vivências culturais da água João Howell Pato O projecto As Vivências Comunitárias da Água, que agora apresentamos forma sintética, procurou dar início a um processo investigação assumindo dois objectivos

Leia mais

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt

Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt Soluções de seguro de créditos no apoio à exportação. COSEC - Estamos onde estiver o seu negócio. www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos 2012 1 2 Sobre a COSEC O que é o Seguro de Créditos

Leia mais

#101r. (Continuação) Apocalipse 13:1~10; a besta que subiu do mar.

#101r. (Continuação) Apocalipse 13:1~10; a besta que subiu do mar. (Continuação) Apocalipse 13:1~10; a besta que subiu do mar. #101r Na aula passada, iniciamos o estudo do cap13 de Apocalipse, onde, como falamos de certa forma descreve o personagem mais importante da

Leia mais

TV Ciência: Que modelos de ajuda para a eliminação da pobreza em Moçambique propõe?

TV Ciência: Que modelos de ajuda para a eliminação da pobreza em Moçambique propõe? TV Ciência: É considerado que as forças da globalização e marginalização são responsáveis por criarem dificuldades ao desenvolvimento. Pode concretizar esta ideia? Jessica Schafer: A globalização como

Leia mais

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica

Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica 27 de Janeiro, 2010 13ª edição Anual do CEO Survey da PricewaterhouseCoopers em Davos Gestores mundiais mais confiantes na recuperação económica Cerca de 40% dos CEOs prevê aumentar o número de colaboradores

Leia mais

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula XXII A PRIMEIRA CARTA DE PEDRO E REFLEXÕES SOBRE O SOFRIMENTO Até aqui o Novo Testamento tem dito pouco sobre

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Rua: Correia do Brito, N º 952, Ponta - Gêa / Telefax n º 843366531 Gabinete do Reitor

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Rua: Correia do Brito, N º 952, Ponta - Gêa / Telefax n º 843366531 Gabinete do Reitor INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA ALBERTO CHIPANDE Rua: Correia do Brito, N º 952, Ponta - Gêa / Telefax n º 843366531 Gabinete do Reitor IV CERIMÓNIA DE GRADUAÇÃO DISCURSO DO REITOR DO ISCTAC

Leia mais

Neoliberalismo tingido de verde de olho na Rio + 20

Neoliberalismo tingido de verde de olho na Rio + 20 Neoliberalismo tingido de verde de olho na Rio + 20 Rodrigo Otávio Rio de Janeiro - A antropóloga e ambientalista Iara Pietricovsky faz parte do grupo de articulação da Cúpula dos Povos (evento das organizações

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 15 Discurso em almoço oferecido ao

Leia mais

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores

Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores Insígnia de Competência de Astrónomo Alguns apontamentos para Exploradores 1 Conhecer a influência do sol, terra e lua nas estações do ano (exs: culturas, flores, frutos, árvores, entre outros) 2 Conhecer

Leia mais

CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA. Em cena: A realidade do sonho

CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA. Em cena: A realidade do sonho CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA Em cena: A realidade do sonho Uma mapa imaginário ( página 123) A sociologia foi uma criação da sociedade urbana. Com a advento da industrialização as grandes

Leia mais

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011)

O IMPERIALISMO EM CHARGES. Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com. 1ª Edição (2011) O IMPERIALISMO EM CHARGES 1ª Edição (2011) Marcos Faber www.historialivre.com marfaber@hotmail.com Imperialismo é a ação das grandes potências mundiais (Inglaterra, França, Alemanha, Itália, EUA, Rússia

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

JUNGLE 2011. media pack Jungle 2011

JUNGLE 2011. media pack Jungle 2011 media pack Jungle 2011 2011 UMA TODA NOVA Por quase uma década, a JungleDrums sempre esteve à frente quando o assunto é promover o Brasil na Europa, seja através das páginas da nossa revista impressa,

Leia mais

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO

SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO SÉCULO XIX NOVOS ARES NOVAS IDEIAS Aula: 43 e 44 Pág. 8 PROFª: CLEIDIVAINE 8º ANO 1 - INTRODUÇÃO Séc. XIX consolidação da burguesia: ascensão do proletariado urbano (classe operária) avanço do liberalismo.

Leia mais

3-5-2010 CURSO DE MAHATMA GANDHI TIS. Sandra Jacinto

3-5-2010 CURSO DE MAHATMA GANDHI TIS. Sandra Jacinto 3-5-2010 CURSO DE TIS MAHATMA GANDHI Sandra Jacinto 1869 Gandhi nasce no dia 2 de outubro, na Índia ocidental( Porbandar). 1891 - Forma-se em direito em Londres volta para a Índia a fim de praticar a advocacia.

Leia mais

A causa fundamental na mudança da personalidade

A causa fundamental na mudança da personalidade Psicólogo : Chang Kin Man Há dias atrás, fui ao casamento de um velho amigo meu. Durante o jantar, para além de termos podido apreciar as iguarias, ainda pudemos compartilhar a felicidade dos noivos, de

Leia mais

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução Bom dia, Senhoras e Senhores Introdução Gostaria de começar por agradecer o amável convite que o Gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa me dirigiu para participar neste debate e felicitar os organizadores

Leia mais

"É possível levar energia renovável para todos"

É possível levar energia renovável para todos "É possível levar energia renovável para todos" Por Daniela Chiaretti De Nairóbi, Quênia Connie Hedegaard: "Acho que quando temos uma crise global como a que estamos vivendo, é uma oportunidade excelente

Leia mais

Marca Pessoal e Carreira Profissional

Marca Pessoal e Carreira Profissional O MERCADO Marca Pessoal e Carreira Profissional Managing Partner da Stanton Chase international Vivemos tempos difíceis! Tempos em que muitos passam por situações de desemprego, alguns têm que aceitar

Leia mais

Estudo de Texto 1º ano

Estudo de Texto 1º ano TEXTO 01 BUROCRATAS CEGOS Estudo de Texto 1º ano A decisão, na sexta-feira, da juíza Adriana Barreto de Carvalho Rizzotto, da 7a Vara Federal do Rio, determinando que a Light e a Cerj também paguem bônus

Leia mais

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses

Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses Movimento Annual do Sol, Fases da Lua e Eclipses FIS02010 Professora Ana Chies Santos IF/UFRGS https://anachiessantos.wordpress.com/ensino/fis02010/ Facebook #AstroUFRGS Relembrando... Sistemas de Coordenadas

Leia mais

Ano Europeu da Criatividade e Inovação

Ano Europeu da Criatividade e Inovação Ano Europeu da Criatividade e Inovação Imaginar criar inovar Índice A União Europeia O caminho da UE O Ano Europeu Criatividade e Inovação. Porquê? Criatividade e Inovação. Importância Criatividade e Inovação.

Leia mais

ENS e EJNS em Portugal encruzilhadas de vida

ENS e EJNS em Portugal encruzilhadas de vida ENS e EJNS em Portugal encruzilhadas de vida Nós e as EJNS testemunho pessoal Somos a Isabel e o Paulo, casámos no dia 30 de Maio de 1992, temos duas filhas, a Patrícia com 18 anos e a Inês com 16 anos,

Leia mais

O primeiro Natal começou a ser celebrado nas vésperas do nascimento de Jesus, quando, segundo a Bíblia, os anjos anunciaram a Sua chegada.

O primeiro Natal começou a ser celebrado nas vésperas do nascimento de Jesus, quando, segundo a Bíblia, os anjos anunciaram a Sua chegada. O primeiro Natal começou a ser celebrado nas vésperas do nascimento de Jesus, quando, segundo a Bíblia, os anjos anunciaram a Sua chegada. Nessa altura o imperador Augusto, determinou o recenseamento de

Leia mais

Carta pela Paz no Mundo

Carta pela Paz no Mundo Carta pela Paz no Mundo Marcus De Mario Esta carta é ao mesmo tempo um apelo à razão e à emoção, procurando falar às mentes e aos corações de todos os homens e mulheres da humanidade, da criança ao idoso,

Leia mais

a Educar para a Vida Regulamento Fotografia Escutista Prémio Nacional de Fotografia Escutista

a Educar para a Vida Regulamento Fotografia Escutista Prémio Nacional de Fotografia Escutista 90 Prémio anos Nacional do CNE a Educar para a Vida Prémio Nacional Regulamento Foto: Maria Fernans www.pnfe.cne-escutismo.pt www.facebook.com/premionacionalfotografiaescutista Corpo Nacional Escutas -

Leia mais

Ministério da Justiça. Intervenção do Ministro da Justiça

Ministério da Justiça. Intervenção do Ministro da Justiça Intervenção do Ministro da Justiça Sessão comemorativa do 30º Aniversário da adesão de Portugal à Convenção Europeia dos Direitos do Homem Supremo Tribunal de Justiça 10 de Novembro de 2008 Celebrar o

Leia mais

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar)

Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Espaço Geográfico (Tempo e Lugar) Somos parte de uma sociedade, que (re)produz, consome e vive em uma determinada porção do planeta, que já passou por muitas transformações, trata-se de seu lugar, relacionando-se

Leia mais

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação

REPÚBLICA DE ANGOLA. Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação REPÚBLICA DE ANGOLA Cimeira Mundial Sobre a Sociedade da Informação Intervenção de Sua Excelência Licínio Tavares Ribeiro, Ministro dos Correios e Telecomunicações ANGOLA (Genebra, 12 de Dezembro de 2003)

Leia mais

APDSI assinala o Dia Mundial das Telecomunicações e da SI dedicado à Banda Larga

APDSI assinala o Dia Mundial das Telecomunicações e da SI dedicado à Banda Larga APDSI assinala o Dia Mundial das Telecomunicações e da SI dedicado à Banda Larga Lisboa, - A APDSI associou-se mais uma vez às comemorações do Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade da Informação

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro.

10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA. No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10 MULHERES PODEROSAS DA HISTÓRIA No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com aquelas que governaram com mãos de ferro. 10. Maria Stuart País que governou Escócia Período 1542-1567

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO. Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008

MENSAGEM DE ANO NOVO. Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008 MENSAGEM DE ANO NOVO Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2008 Portugueses No primeiro dia deste Novo Ano, quero dirigir a todos uma saudação amiga e votos de boa saúde e prosperidade. Penso especialmente

Leia mais

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática O que são CFDs? Um CFD (Contract for difference) é um instrumento financeiro negociado fora de mercados regulamentados que proporciona, aos investidores, uma forma mais eficiente de negociação em acções.

Leia mais

ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, KAY RALA XANANA GUSMÃO, NA TERCEIRA CONFERÊNCIA

ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, KAY RALA XANANA GUSMÃO, NA TERCEIRA CONFERÊNCIA ALOCUÇÃO DE SUA EXCELÊNCIA O PRIMEIRO-MINISTRO MINISTRO DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE TIMOR-LESTE, KAY RALA XANANA GUSMÃO, NA TERCEIRA CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE PEQUENOS ESTADOS-ILHA EM VIAS DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PROJECTOS NACIONAIS A IMPLEMENTAR NO TRIÉNIO 2013-2015

PROJECTOS NACIONAIS A IMPLEMENTAR NO TRIÉNIO 2013-2015 PROJECTOS NACIONAIS A IMPLEMENTAR NO TRIÉNIO 2013-2015 1/10 PROJECTO 1 - Curso de Preparação para a Parentalidade Adoptiva Depois de tudo te amarei Como se fosse sempre antes Como se de tanto esperar Sem

Leia mais

coisas que aprendi sobre o Mundo 2.0

coisas que aprendi sobre o Mundo 2.0 1 50 coisas que aprendi sobre o Mundo 2.0 Carlos Nepomuceno 2011 Versão 1.1 1 2 Conteúdo Papo inicial... 4 10 coisas que aprendi sobre Internet... 7 10 coisas que aprendi sobre Empresas 2.0... 11 10 coisas

Leia mais

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor.

ser difundida para a população: ainda há esperança. Somos capazes de alterar o destino das gerações futuras, dar-lhes um futuro melhor. Um futuro melhor Várias vezes me questiono se algum dia serei capaz de me sentir completamente realizada, principalmente quando me encontro entregue somente aos meus pensamentos mais profundos. E posso

Leia mais

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil

CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil CARTA DA TERRA Adaptação Juvenil I TRODUÇÃO Vivemos um tempo muito importante e é nossa responsabilidade preservar a Terra. Todos os povos e todas as culturas do mundo formam uma única e grande família.

Leia mais

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa

Uma Rede de apoio à competitividade das empresas. 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Uma Rede de apoio à competitividade das empresas 30 de abril de 2014, ISCTE-IUL, Lisboa Quem somos Quem somos? Onde estamos? Criada pela Comissão Europeia no âmbito do Programa Quadro para a Competitividade

Leia mais

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA

MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA MENSAGEM DE ANO NOVO DE SUA EXCELÊNCIA O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Palácio de Belém, 1 de Janeiro de 2012 Boa noite, A todos os Portugueses desejo um Bom Ano Novo, feito de paz e de esperança. O ano que

Leia mais

O advento das tecnologias da era pósindustrial

O advento das tecnologias da era pósindustrial 3.2 AS CRISES DO CENÁRIO O advento das tecnologias da era pósindustrial As tecnologias que ordenaram a era industrial foram ultrapassadas pelas novas tecnologias surgidas a partir do século XX, especialmente

Leia mais

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução Esta segunda sequência respeita a estrutura da sequência do Eben que analisamos.o template é adequado aos profissionais que podem (e querem) trabalhar com os três mosqueteiros, ou seja, apresentar uma

Leia mais

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6.

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. E T-CPLP: Entrevistas sobre a CPLP CI-CPRI Entrevistado: Embaixador Miguel Costa Mkaima Entrevistador:

Leia mais