Energia para todos nós

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Energia para todos nós"

Transcrição

1 Energia para todos nós Como criamos painéis solares para controlar a abundante energia do Sol la.solarworld.com

2 De regresso ao Sol Os problemas ambientais e as alterações climáticas constituem crises globais para nosso planeta. Qualquer resposta a esses problemas precisa ser poderosa. Felizmente, apenas temos de consultar a fonte energética da história da vida para obter nossas respostas: o Sol e sua vasta energia. Dr.-Ing. E. h. Frank Asbeck, presidente e CEO da SolarWorld Crise energética Ao longo dos dois últimos séculos, os seres humanos aprenderam a utilizar os combustíveis fósseis em larga escala para impulsionar uma revolução industrial. Esse avanço exponencial a nível da automação das máquinas, produção em massa e divisão do trabalho deu origem a melhorias sem paralelo na saúde, economia e bem-estar dos cidadãos das nações industrializadas. Porém, essas vantagens representam atualmente uma elevada dívida em termos ambientais. Os combustíveis fósseis não podem continuar sendo a principal fonte de energia da humanidade. É hora de criar uma base energética em harmonia com o planeta. É hora da revolução solar. A central energética da vida A energia perpetuamente renovável do Sol tem alimentado a vida na Terra desde sempre. Desde os seres unicelulares aos mamíferos, o Sol tem fornecido um ingrediente essencial para a receita dos seres vivos. Em termos mais práticos, os seres humanos têm confiado na energia solar - para aquecer água, secar roupas e preparar comida - há tanto tempo quanto o descrito nos registros históricos. O Sol emite tanta energia que os especialistas em energia solar se esforçam para colocar esses valores de um modo simples que possamos entender. Por exemplo: em uma hora, a Terra recebe radiação solar suficiente para suprir as necessidades elétricas do planeta durante um ano. 2

3 FATO SOBRE FV Dos 92 elementos, o silício (Si) é o semicondutor mais abundante na Terra e o segundo elemento mais comum no geral, a seguir ao oxigênio. Surgindo em óxidos de silício como a areia (sílica), o quartzo, o cristal de rocha, a ametista, a ágata, o sílex, o jaspe e a opala, o silício constitui cerca de um quarto, em termos de peso, da crosta terrestre. A fabricação fotovoltaica tem início no polisilício, um refinamento de materiais de silício. Palavra a conhecer Fotovoltaico. A palavra "fotovoltaico" é composta das palavras "foto", que significa luz, e "volt", que significa eletricidade. Em resumo, o termo "FV" significa eletricidade a partir da luz. Usufruindo da generosidade do Sol As pessoas estão agora regressando a suas raízes neste mundo solar, usando painéis de células fotovoltaicas (FV) para gerar energia a partir dos raios do Sol. Tão fiável quanto o próprio Sol, a tecnologia é simples e limpa. As células são construídas em wafers de silício feitos de areia normal e quartzo. Ao serem agregadas em painéis solares e expostas ao Sol, as células convertem diretamente a luz em eletricidade - sem emissões poluentes, esgotamento de recursos ou peças móveis. A SolarWorld, uma empresa extraordinária, pois assume todas as etapas da fabricação de sistemas fotovoltaicos e não faz nenhuns outros produtos, constrói painéis em quatro etapas, começando na areia e terminando no Sol. Vire a página para dar início à história por trás da missão principal da SolarWorld: colocar a tecnologia ao serviço de lares e negócios em todo o mundo. 3

4 AS RAÍZES DE UMA FONTE ENERGÉTICA RENOVÁVEL A história da indústria solar e da SolarWorld cruzam-se, tendo ambas um pé bem assente nos Estados Unidos e outro na Alemanha - os dois mercados que têm liderado o desenvolvimento da indústria. Nos EUA, a SolarWorld começou como ARCO Solar. A unidade pertenceu então à Siemens e à Shell antes de a SolarWorld a adquirir Os Laboratórios Bell anunciam a invenção das primeiras células solares de silício modernas, com uma eficiência de conversão energética de aproximadamente 6 por cento A Western Electric licencia tecnologias comerciais de células solares Os funcionários Gerald L. Pearson, Daryl M. Chapin e Calvin S. Fuller da AT&T recebem a patente US , "Dispositivo de conversão de energia solar." 1958 O departamento de semicondutores da Hoffman Electronics cria células solares com uma eficiência de 9%. Vanguard 1, o primeiro satélite alimentado por energia solar, é lançado com painéis solares de 0,1 watt A Hoffman Electronics cria uma célula solar com uma eficiência de 14% As Nações Unidas organizam a conferência "Energia Solar no Mundo em Desenvolvimento" O satélite de comunicações Telstar é alimentado por células solares Painéis fotovoltaicos viáveis são produzidos a partir de células solares de silício A Yale University Press publica o livro de referência de Farrington Daniels, "Direct Use of the Sun s Energy" ("Utilização direta da energia solar") O Soyuz 1 torna-se o primeiro veículo espacial tripulado a usar energia solar Células solares alimentam o Skylab, a primeira estação espacial dos EUA Uma casa no Novo México é a primeira no mundo a ser alimentada apenas por energia solar e eólica O engenheiro e empresário Bill Yerkes cria a Solar Technology International Yerkes vende sua empresa startup de fabricação à Atlantic Richfield Co., criando a ARCO Solar, permanecendo presidente Em Camarillo, Calif., a ARCO Solar dedica a maior fábrica de equipamento fotovoltaico do mundo à produção de lingotes de cristal de silício, wafers e células e painéis fotovoltaicos. Produção mundial anual de sistemas fotovoltaicos (MWp) Anos 1950 Anos 1960 Anos

5 FATO SOBRE FV Albert Einstein, cientista pioneiro versado na teoria da relatividade, ganhou o Prêmio Nobel em 1921 mas não devido a sua famosa equação da relatividade E=mc². Na verdade, o prêmio celebrou sua descoberta de 1905 acerca do modo como a luz causava o então denominado "efeito fotoelétrico" - basicamente, energia fotovoltaica. Atualmente, a SolarWorld realiza anualmente a entrega dos Prêmios Einstein em honra dos investigadores especializados em energia fotovoltaica. Palavra a conhecer Fóton: Um fóton não é uma onda nem uma partícula, mas sim um pacote de energia luminosa. A radiação solar atinge a superfície das células fotovoltaicas na forma de fótons, fornecendo a energia principal que ativa as células, fazendo com que produzam eletricidade A ARCO Solar torna-se a primeira empresa a produzir mais de 1 megawatt de painéis fotovoltaicos em um ano. Um sistema de 105,6 kw é dedicado ao Natural Bridges National Monument no Utah, usando painéis da ARCO Solar, Motorola e Spectrolab A ARCO Solar coloca em funcionamento a primeira central fotovoltaica ligada à rede elétrica de 1 MW do mundo em Hisperia, Calif., usando painéis em 108 rastreadores solares de duplo eixo A produção fotovoltaica mundial ultrapassa 20 MW e as vendas ultrapassam $250 milhões de dólares A Universidade de New South Wales, na Austrália, cria em laboratório as primeiras células de silício com uma eficiência de 20% A Siemens adquire a ARCO Solar, formando a Siemens Solar A Siemens Solar celebra 100 MW de potência instalada a partir de painéis fabricados em Camarillo A Siemens torna-se a primeira empresa a oferecer 25 anos de garantia A SolarWorld surge como empresa startup, entrando no florescente mercado solar alemão A Alemanha exige que os serviços de utilidade pública paguem "tarifas de alimentação" a preços fixos aos proprietários de sistemas de energia solar por fornecerem energia à rede A Royal Dutch Shell adquire a Siemens Solar, dando origem à Shell Solar A SolarWorld adquire a Shell Solar Os investidores começam a oferecer instalações gratuitas em troca de contratos de aquisição de energia a longo prazo (CAE), tornando- -se acordos financeiros comuns A SolarWorld abre uma fábrica com metros quadrados em Hillsboro, investindo 500 milhões de dólares para instalar uma capacidade anual de 500 MW e empregar 1000 colaboradores. Amarelo = linhagem estadunidense da SolarWorld 10,000 1, Anos 1980 Anos 1990 Anos

6 Da areia ao painel solar A viagem que começa no silício e termina em uma usina solar de grande escala é longa e apresenta muitas paragens ao longo do caminho. Na qualidade de uma das maiores empresas de energia solar no mundo, a SolarWorld atribui grande importância à mais elevada qualidade - em cada etapa de produção. Silício O silício representa o início de nosso ciclo de produção solar. É extraído da areia, composta principalmente de dióxido de silício. Enquanto segundo elemento mais comum da crosta terrestre, é um material quase infinito. Wafer solar Na segunda etapa de produção, o silício com elevado grau de pureza se transforma em uma estrutura cristalina a 1370 C e endurece. O silício cristalizado é então moldado em colunas retangulares. Essas colunas são cortadas em placas extremamente finas, ou wafers, usando tecnologia de corte avançada. Após a limpeza e exigentes testes finais, os wafers monocristalinos e policristalinos constituem a base da produção de células solares. 6

7 Células solares Os wafers são então transformados em células solares na terceira etapa de produção. Elas constituem o elemento básico dos painéis solares resultantes. As células possuem já todos os atributos técnicos necessários para gerar eletricidade a partir de luz solar. Portadores de carga positiva e negativa são liberados nas células por meio da radiação luminosa, originando corrente elétrica (corrente direta). Painel solar As células solares são agregadas em unidades maiores os painéis durante a produção dos painéis. São então colocados em estruturas e protegidos contra intempéries. Os painéis de energia solar são produtos finais, prontos para gerar energia. A luz solar é convertida em energia elétrica nos painéis. A corrente direta produzida desse jeito é convertida em corrente alternada por um dispositivo chamado "inversor", de modo a que possa ser introduzida na rede elétrica ou, se assim for o caso, alimentar diretamente a casa. 7

8 PRODUÇÃO DE CRISTAL A PARTIR DE ROCHA Em seu processo monocristalino, a SolarWorld aquece e funde rocha de polissilício até formar um líquido branco quente, solidificando novamente o silício fundido, transformando-o em um cristal gigante único em que todos os átomos estão perfeitamente alinhados em uma estrutura e orientação pretendidas. Polissilício Cadinho de quartzo Rocha de polissilício com disco de silício dopado com boro Semente Revestimento do forno de aço rodeando o isolamento de grafita Carregamento Fusão A magia tem início com cerca de 113 kg de rochas de polissilício cuidadosamente empilhadas em um cadinho de quartzo. O outro único ingrediente é um disco de silício impregnado de uma pequena quantidade de boro. A adição do dopante boro assegura que o cristal resultante irá possuir uma orientação elétrica de potencial positivo. O cadinho é colocado entre espessas paredes de grafita isolante e fechado no interior de um forno cilíndrico. 8 Conforme o forno de formação de cristal aquece até temperaturas de aproximadamente 1370 C, seu teor de silício se liquidifica e se transforma em um fluido brilhante. Após os sensores computadorizados registarem a temperatura e as condições atmosféricas corretas, é dado início à alquimia. Um cristal semente de silício, pendurado de um cabo fino fixado em um dispositivo rotativo no topo do forno, é baixado lentamente até o material fundido.

9 FATO SOBRE FV Cristal medindo 20 cm de largura e 1,70 m de comprimento Cristal surgindo do material fundido O método utilizado pela SolarWorld nos Estados Unidos para criar cristais de silício é conhecido por "Cz" (pronunciado Ci-Zi). Cz é uma abreviação de "processo Czochralski", recebendo o nome do cientista polonês Jan Czochralski, que descobriu o método em 1916 ao investigar as velocidades de cristalização dos metais. Palavra a conhecer Cristal: um cristal é um sólido com blocos construtivos moleculares, como átomos e íons, que se dispuseram em um padrão idêntico repetitivo ao longo das três dimensões espaciais. Crescimento O cadinho começa a girar e o cristal semente gira na direção oposta. O silício fundido solidifica no cristal semente, igualando a estrutura cristalina da semente. O cristal cresce, o cabo e a semente são elevados lentamente e o cristal se alonga com um diâmetro controlado. Conforme o crescimento esgota o silício fundido, o cadinho também sobe. Refrigeração Avancemos rapidamente 3 dias e meio desde que o cadinho foi carregado com polissilício: Após horas de refrigeração até atingir cerca de 150 C, a tampa e a cuba do forno afastam-se do revestimento do cadinho, revelando um cristal cilíndrico concluído, pronto para ser movido para a segunda etapa no local de produção seguinte. 9

10 CORTE DO CRISTAL EM WAFERS Um cristal de silício precisa mudar de forma várias vezes até se transformar nos wafers calibrados com precisão que constituem a base das células fotovoltaicas. Lingote de cristal Lingotes colocados na vertical sob a treliça de fio usada para os esquadriar Serra de fio Corte Em primeiro lugar, uma serra corta a parte superior e inferior do cristal, de modo a que a largura deste fique uniforme. Normalmente, as serras de corte de wafers passam um fio estreito com um líquido abrasivo ao longo da superfície do cristal. (Em cima, o corte é realizado por uma máquina montada com uma lâmina de aço gigante em forma de anel.) As serras de fio também cortam o cristal em lingotes de 60 cm. Suportes de aço são também montados em uma das extremidades desses lingotes para a etapa seguinte. Esquadria Os lingotes montados são colocados verticalmente em uma estrutura contendo 16 simultaneamente no interior de outra máquina de fatiamento por fio. Aí, o fio em configuração de treliça desce sobre os lingotes para cortar quatro segmentos arredondados, deixando as laterais lisas. O resultado: os lingotes possuem agora uma seção transversal quadrada, excetuando os cantos ainda arredondados. 10

11 FATO SOBRE FV 6 As serras de corte de wafers utilizam carretéis de fio para transportar o carboneto de silício abrasivo mineral, criando efetivamente um fio minúsculo de lixa. Os carretéis contêm fio medindo cerca de 640 km. Esticando-o a partir da sede americana da SolarWorld em Hillsboro, Oregon, o fio chegaria aproximadamente a Missoula, Montana. Serra de fio Cabem cerca de 100 wafers em um transportador ou contentor Palavra a conhece Carboneto de silício: o carboneto de silício (SiC), silício ligado a carbono, é outro membro da família de materiais de silício utilizado na indústria fotovoltaica. É um abrasivo comum em muitas indústrias, usado em tudo, desde o desbaste ao areamento. Na SolarWorld, o SiC esmagado é misturado em uma pasta fluida e aplicado a fios de corte. É o carboneto de silício, e não o fio, que corta realmente. Fatiamento A serra de fio seguinte é ainda mais complexa. Um fio enrolado centenas de vezes entre dois tambores cilíndricos formam uma teia de segmentos paralelos e com espaçamento estreito. Conforme o fio é desenrolado através da máquina, os lingotes montados lateralmente nos suportes de vidro e metal são pressionados dois de cada vez através da teia de fio, sendo cortados com uma espessura semelhante a finos cartões de visita. De cada milímetro de cristal são criados 2½ wafers. Os wafers são então retirados dos suportes e carregados em transportadores, ou contentores, para o transporte para a etapa seguinte. 11

12 Conversão dos wafers em células Nesta fase, o wafer não está mais apto a gerar eletricidade do que uma lasca de rocha. O wafer é o principal componente de uma célula fotoelétrica, mas até agora suas únicas características excepcionais são sua estrutura cristalina e a orientação de potencial positivo. Tudo isso muda na terceira fase multi-etapa da produção de células da fabricação de sistemas fotovoltaicos. Banho químico As vestimentas para salas limpas asseguram um ambiente estéril Texturização Difusão Na única fase que exige uma sala limpa especializada, uma série de complexos tratamentos químicos e térmicos convertem os wafers em branco, cinza, em células azuis produtivas. Uma denominada decapagem de textura, por exemplo, remove uma minúscula camada de silício, permitindo que a estrutura cristalina subjacente revele um padrão irregular de pirâmides. A superfície com pirâmides tão pequenas que são invisíveis a olho nu absorve mais luz. 12 Em seguida, os wafers são transportados em cartuchos para câmaras compridas e cilíndricas semelhantes a fornos, onde fósforo é espalhado sobre a superfície do wafer, formando uma fina camada. A impregnação a nível molecular ocorre conforme a superfície do wafer é exposta a gás de fósforo a elevadas temperaturas, uma etapa que confere à superfície uma orientação elétrica de potencial negativo. A combinação dessa camada e da camada dopada com boro cria uma junção positiva-negativa, ou P/N - uma parte fulcral para o funcionamento de uma célula fotoelétrica.

13 Modelo de impressão Forno de secagem FATO SOBRE FV Nas indústrias fotovoltaica e de semicondutores, a palavra "ferramenta" tem um significado especial. Em vez de se referirem a um acessório que pode ser aplicado a um mecanismo de fabricação, nestas áreas as ferramentas indicam as máquinas completas ou as linhas de montagem que executam uma etapa ou série de etapas. Em ambas as indústrias, as ferramentas são altamente automatizadas, de modo que a maioria dos trabalhadores é contratada para instalar, afinar e operar as ferramentas, não para elevar ou transportar produtos. Dispositivos semelhantes a aranhas retiram e colocam os wafers e as células em correias transportadoras para diversos testes ao longo da viagem de wafer a célula. Wafer Palavra a conhece Mícro: na produção de células, as etapas de fabricação são realizadas segundo dimensões medidas em mícrons. No sistema métrico, um mícron é um milionésimo de metro ou um milésimo de milímetro. Como referência, um cabelo humano tem cerca de 100 mícrons de diâmetro. Revestimento As células em processo de transformação, ainda cinza, são transportadas em tabuleiros para pesadas câmaras de vácuo onde nitreto de silício azulpúrpura é depositado sobre as mesmas. O revestimento com nitreto de silício um outro membro da família de materiais do silício tem como função reduzir a reflexão ainda mais na extremidade azul, densa em energia, do espectro luminoso. Confere às células sua cor escura final. Impressão Agora, as células estão aptas a coletar fótons e a produzir eletricidade. Não possuem, contudo, nenhum mecanismo para armazenar e enviar a energia. Assim, em uma série de etapas semelhantes a serigrafia, os metais são imprimidos em ambos os lados da célula, adicionando barras listradas e circuitos de barramento. Nasce assim uma célula funcional - basta apenas luz solar para gerar eletricidade. 13

14 Agrupamento das células em painéis Cada fase de produção depende de processos muito específicos. O controle cuidadoso do aquecimento e da refrigeração gerem a formação de cristais. A criação de wafers se centra na abrasão e no corte. A produção de células se concentra em processos químicos. Qualquer processo de fabricação estaria incompleto sem uma etapa final de montagem, e nos sistemas fotovoltaicos essa etapa é conhecida como montagem de painéis ou modulação. String de células As vestimentas para salas limpas asseguram um ambiente estéril Soldagem e laminação Na SolarWorld, a fabricação de painéis é um processo altamente automatizado, utilizando robustos robôs de aço para levar a cabo as tarefas cada vez mais pesadas de elevação necessárias para montar as leves células fotoelétricas em painéis pesando cerca de 20 kg cada. Cada ferramenta robótica opera dentro de uma vedação de segurança concebida para impedir o acesso a pessoas. Primeiro, as células são soldadas em strings de 10 utilizando um padrão cima-baixo-cima-baixo de conectores metálicos para ligar as células. São colocados seis strings para formar uma matriz retangular de 60 células. Cada matriz é laminada em vidro solar especial. Colocação em estruturas Para se tornar um painel solar, contudo, cada laminado necessita não só de uma estrutura para providenciar proteção contra as intempéries e outros impactos, mas também de uma caixa de passagem que permita as conexões entre painéis ou a um conduíte ligado a um inversor. Os robôs também tratam da fixação dos mesmos. 14

15 FATO SOBRE FV A SolarWorld é um fabricante. Vende painéis solares Sunmodule principalmente através de distribuidores, integradores e empreiteiros. No entanto, a empresa vende também sistemas Sunkits conjuntos de painéis, inversor e peças que incluem tudo o que as empresas de trabalhos elétricos autorizadas necessitam para projetos específicos em locais específicos. A SolarWorld foi pioneira nesta abordagem nos anos 90. Palavra a conhece Módulo: no seio da indústria, os painéis solares são chamados de módulos, pois se interligam uniformemente e usam conectores elétricos de modo intercambiável para formar um circuito em um sistema com um edifício ou uma rede de utilidade pública. Para fazer um módulo, os laminantes de matriz celular são montados em resistentes estruturas de alumínio. O módulo resultante é suficientemente robusto para suportar impactos de granizo a 80 km/h e até 50 kg de força eólica ou de neve por 930 cm². Inspeção e envio A limpeza e a inspeção cuidadosas dão os toques finais antes de cada painel solar ser embalado para entrega em casas e negócios. No entanto, a inspeção não é realizada apenas no final da linha de produção. São realizadas verificações digitais e automatizadas em etapas importantes, desde a cristalização do silício à montagem dos painéis, sendo realizada uma inspeção humana de cada célula e painel. 15

16 COMO UMA CÉLULA FOTOVOLTAICA PRODUZ ELETRICIDADE Ao sol, uma célula fotovoltaica funciona como díodo fotossensível que converte instantaneamente a luz - mas não o calor - em eletricidade. 1 Vista de corte da célula Contato de metal Camada absorsora de luz N (tipo negativo) Junção P/N 2 P (tipo positivo) Traseira em metal Dopagem positiva (1) Como foi referido, na etapa de cristalização foi adicionada uma pequena quantidade do dopante boro aos pedaços de polissilício antes de estes serem fundidos. Falta um elétron ao boro, logo ele o obtém do silício enquanto aceitador. Uma vez que o elétron está em falta, deixando um buraco de elétron, o semicondutor tornase condutor p (condutor positivo). Dopagem negativa (2) Como foi dito, na produção de células foi aplicado fósforo às camadas do wafer de silício mais próximas da superfície. Esse dopante, em comparação com o silício, possui um elétron extra, que pode facilmente liberar. Assim, o silício se torna condutor n (condutor negativo). 16

17 FATO SOBRE FV A Fóton São necessários todos os tipos de trabalhadores para produzir sistemas fotovoltaicos, desde engenheiros doutorados resolvendo problemas obscuros a operadores de máquinas iniciados aprendendo as etapas básicas de processamento. Na SolarWorld, as quatro etapas da produção funcionam como fábricas semi-autônomas mas interdependentes, todas elas com equipes de engenheiros de produção, engenheiros de manutenção, técnicos e operadores. Palavra a conhecer C B Elétron D Eficiência de conversão: essa medida avalia a porcentagem de energia solar (luz) atingindo o painel que é convertida em energia elétrica. As células convencionais se situam atualmente entre aproximadamente 15 e 20 por cento. As taxas de conversão teóricas e laboratoriais são geralmente muito superiores às taxas da produção em massa. E Camadas de células Ativação pelo Sol Assim, a camada superior de silício dopada com fósforo por difusão transporta elétrons livres - partículas soltas com cargas negativas. A camada inferior dopada com boro, mais espessa, contém buracos, ou ausências de elétrons, que também se movem livremente. De fato, a fabricação precisa criou um desequilíbrio eletrônico entre as duas camadas. A) Fótons bombardeiam e penetram a célula. B) Ativam elétrons, soltando estes em ambas as camadas de silício. C) Alguns elétrons na camada inferior são catapultados para o topo da célula. D) Esses elétrons fluem para contatos de metal na forma de eletricidade, entrando em um circuito através de um painel de 60 células. E) Elétrons fluem de volta para a célula por meio de uma camada de contato sólida no fundo, criando um circuito fechado. 17

18 NO POUPAR ESTÁ O GANHO O Sol providencia energia limpa abundante todos os dias, mesmo quando está nublado e nunca apresenta uma conta. O Sol fornece energia suficiente para abaster todas as necessidades energéticas do mundo centenas de vezes. Painéis fotovoltaicos Inversor Rede elétrica Caixa de fusíveis Inversor Dispositivos elétricos (TV, etc.) Fornecendo energia a casas e negócios A corrente que sai de um painel, ou conjunto de painéis, passa através de um conduíte de fio ligado a um inversor. Esses dispositivos, com a forma de uma mala e tamanhos diversos, transformam a corrente direta, que passa com uma corrente e tensão fixas, em corrente alternada, que passa com corrente e tensão oscilantes. Em todo o mundo, os eletrodomésticos funcionam com corrente alternada. A partir do inversor, a eletricidade gerada a partir do Sol alimenta os circuitos de uma casa, negócio ou central elétrica e a rede elétrica da região. Um sistema energético remoto, ou independente, também pode formar um circuito autônomo sem ligação à rede. Um sistema sem ligação à rede elétrica precisa, contudo, de baterias para armazenar energia para alturas em que os painéis não coletam energia luminosa suficiente do Sol, como à noite. 18

19 Bom para o planeta * Emissões de CO₂ evitadas ao longo de 25 anos: 94 toneladas * Quilômetros não percorridos equivalentes: * Árvores plantadas equivalentes: 0,65 hectares * Com base em um sistema de 3 kw na Califórnia do Sul. Vantagens ambientais Os painéis solares reduzem a quantidade de eletricidade resultante de combustíveis fósseis ao alimentar sua casa com energia solar, limpa e renovável. Ao providenciar mais energia e possuir uma vida útil mais longa que as outras marcas, os painéis Sunmodule da SolarWorld são a melhor escolha para reduzir suas emissões de carbono, mantendo ao mesmo tempo um estilo de vida confortável. Os painéis Sunmodule da SolarWorld são feitos de puro silício, vidro e alumínio. Nossos processos de fabricação evitam ou minimizam o uso de materiais tóxicos, como o cádmio e o arsénico, usados em muitos painéis de película fina de qualidade inferior. As fábricas da SolarWorld se esforçam no sentido de melhorar constantemente esses processos e liderar a indústria em termos de práticas de fabricação sustentáveis. A SolarWorld foi pioneira no processo de elevado rendimento de recapturar os componentes principais de silício, vidro e alumínio para que, no fim de suas vidas úteis, os Sunmodules possam ser reprocessados para reutilização em vez de colocados em aterros sanitários. Para produtos que podem durar mais de 30 anos, a isso se chama pensar no futuro. 19

20 Faça parte da equação A tecnologia fotovoltaica é maioritariamente originária das Américas. No entanto, o engenho estrangeiro obteve a liderança da indústria ao aplicar mecanismos de mercado que possibilitaram maiores retornos do investimento. Ao criar maior demanda, essas políticas dão origem a economias de escala que obrigam à descida dos preços. Mas é necessário que as pessoas - você - façam escolhas tendo em vista um melhor planeta. As Américas estão agora voltando a acordar para as vantagens da energia solar. A atualidade da energia solar A paridade da rede o ponto em que a energia custa o mesmo, quer seja proveniente de tecnologia solar ou combustíveis fósseis chegou em mercados podem nas Américas. Também já era tempo. Apesar de os combustíveis fósseis nos terem colocado onde estamos hoje, provocaram também enormes problemas ambientais. Chegou o tempo de usar lascas de rocha silício para produzir eletricidade fiavelmente durante décadas em vez de queimar toneladas de rocha e petróleo extraídos da Terra apenas uma vez. Para fomentar a concorrência no mercado energético, várias entidades governamentais e sem fins lucrativos oferecem um conjunto de incentivos à compra de equipamento solar. No entanto, os custos do material fotovoltaico já baixaram tanto em alguns mercados que essas entidades estão já acabando com alguns desses incentivos. 20

21 FATO SOBRE FV Os preços em queda da energia solar cruzar-se-ão com os preços crescentes dos combustíveis fósseis. Com incentivos governamentais, e depois sem eles, a demanda crescente pela energia solar e a queda dos preços unitários estão levando a uma paridade com a rede. Assim, quanta energia produz um sistema fotovoltaico comum - e a que preço? Um sistema modesto de telhado para uma casa pode combinar 1,5 a 3 kw em painéis e produzir o equivalente a cerca de um terço das necessidades energéticas da casa. Em alguns locais, os custos finais para os proprietários dos sistemas - tendo em conta todos os incentivos - podem chegar a 30 cêntimos por dólar. Nesse caso, um sistema hipotético com um preço de dólares custaria aproximadamente 7500 dólares. Os retornos do investimento, em muitos casos, excedem os juros médios habituais sobre certificados de depósito. Preço por watt Combustíveis fósseis Solar com incentivos Solar Palavra a conhecer Insolação: a luz solar varia por região. A insolação é uma medida da energia da radiação solar em uma determinada região. É normalmente expressa como a intensidade de energia luminosa por unidade de área territorial. No conjunto, as Américas, oferecem uma forte insolação. Comparativamente, a Alemanha, líder da indústria fotovoltaica, recebe pouco mais sol que o Alasca. Tempo Agora Incentivos para o mercado de energia solar Os incentivos podem variar entre nações, estados e até cidades, mas normalmente se integram nas seguintes categorias: Reembolsos: algumas entidades reembolsam uma parte dos custos do sistema. Incentivos fiscais: governos e vários estados podem oferecer créditos fiscais por investimentos ou disposições contábeis permitindo condições extraordinárias de depreciação de ativos. Sistema de compensação de energia elétrica: essa alternativa às tarifas de alimentação permite que os produtos de energia solar gerem e utilizem energia com o mesmo preço e segundo um único medidor. Quando um sistema doméstico, por exemplo, produz mais energia do que utiliza, o medidor recua. Tarifas de alimentação: dezenas de países implementaram já sistemas com tarifa de alimentação - preços fixos que os serviços de utilidade pública são obrigados a pagar pela energia dos sistemas de energia solar. Os preços permanecem fixos durante um determinado número de anos, talvez 20. Um produtor energético, como um proprietário de uma casa ou de um negócio, pagam separadamente preços de mercado normais para a energia da rede. 21

ELETRICIDADE SOLAR APOIO INSTITUCIONAL SOBRE O INSTITUTO IDEAL CARTILHA EDUCATIVA

ELETRICIDADE SOLAR APOIO INSTITUCIONAL SOBRE O INSTITUTO IDEAL CARTILHA EDUCATIVA APOIO INSTITUCIONAL ELETRICIDADE SOLAR ISES International Solar Energy Society SOBRE O INSTITUTO IDEAL Criado em 2007, o Instituto Ideal tem o propósito de incentivar junto a governantes, parlamentares,

Leia mais

Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo

Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo Vantagens da Instalação de Painéis Solares de Tubos de Vácuo Porquê usar o sol como fonte de energia? O recurso solar é uma fonte energética inesgotável, abundante em todo o planeta e principalmente no

Leia mais

Introdução 5. Noções básicas 6. Processo de fabricação 7. Exemplo de fabricação de um FET 12

Introdução 5. Noções básicas 6. Processo de fabricação 7. Exemplo de fabricação de um FET 12 Sumário Introdução 5 Noções básicas 6 Processo de fabricação 7 Exemplo de fabricação de um FET 12 Encapsulamento 15 Confiabilidade de circuitos integrados 17 Cuidados de montagem 17 Apêndice 18 Questionário

Leia mais

Energia solar eléctrica (fotovoltaica)

Energia solar eléctrica (fotovoltaica) 1955 Chapin, Fuller, Pearson: 1954 Energia solar eléctrica (fotovoltaica) António Vallera et al. FCUL Dep. Física, CFMC Energia solar eléctrica Exemplos Vale a pena? A energia é pouca O problema: $$...

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas CEFET-RS. Aula 02. Processo de Fabricação. Prof. Sandro Vilela da Silva. sandro@cefetrs.tche.

Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas CEFET-RS. Aula 02. Processo de Fabricação. Prof. Sandro Vilela da Silva. sandro@cefetrs.tche. Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas CEFET-RS Projeto Físico F Digital Aula 02 Processo de Fabricação Prof. Sandro Vilela da Silva sandro@cefetrs.tche.br Copyright Diversas transparências

Leia mais

O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE. Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga solenerg@solenerg.com.br www.solenerg.com.

O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE. Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga solenerg@solenerg.com.br www.solenerg.com. 1 O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga solenerg@solenerg.com.br www.solenerg.com.br 1. O MÓDULO FOTOVOLTAICO A célula fotovoltaica é o elemento

Leia mais

FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos

FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos FICHA TÉCNICA Energia Solar Painéis Fotovoltaicos Nº Pág.s: 6 nº 04 20. Novembro. 2006 Painéis Fotovoltaicos 01 Uma das tecnologias renováveis mais promissoras e recentes de geração de energia eléctrica

Leia mais

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR

UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR UFMG - 2003 2º DIA FÍSICA BERNOULLI COLÉGIO E PRÉ-VESTIBULAR Física Questão 01 Durante uma brincadeira, Rafael utiliza o dispositivo mostrado nesta figura para lançar uma bolinha horizontalmente. Nesse

Leia mais

ENERGIA SOLAR Adriano Rodrigues 1546632730 Adriano Oliveira 9930001250 Fabio Rodrigues Alfredo 2485761798 Frank Junio Basilio

ENERGIA SOLAR Adriano Rodrigues 1546632730 Adriano Oliveira 9930001250 Fabio Rodrigues Alfredo 2485761798 Frank Junio Basilio ENERGIA SOLAR Adriano Rodrigues 1546632730 Adriano Oliveira 9930001250 Fabio Rodrigues Alfredo 2485761798 Frank Junio Basilio 1587938146 Jessika Costa 1581943530 Rafael Beraldo de Oliveira 1584937060 A

Leia mais

Autor. O que você vai encontrar no manual

Autor. O que você vai encontrar no manual O que você vai encontrar no manual 1. Conceitos Fundamentais 2. Como identificar o recurso solar local 3. Como fazer o levantamento do consumo 4. Como escolher o módulo fotovoltaico 5. Produção de energia

Leia mais

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA MÓDULOS MONOCRISTALINOS SEM MOLDURA - SI-ESF-M-M125-36

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA MÓDULOS MONOCRISTALINOS SEM MOLDURA - SI-ESF-M-M125-36 Solar Innova usa os últimos materiais para a fabricação de seus módulos solar. Nossos módulos são ideais para qualquer aplicativo que usa o efeito fotoelétrico como uma fonte de energia limpa por causa

Leia mais

Seja dono. da sua ENERGIA

Seja dono. da sua ENERGIA Seja dono AV Afonso Vaz De melo 677 Sala 301 CEP: 30.640-070 Belo Horizonte (MG) Tel. +55 31 3689-7452 info@solarfast.it www.solarfast.it da sua ENERGIA Energia solar Fontes renováveis, economia de energia,

Leia mais

Transitores CMOS, história e tecnologia

Transitores CMOS, história e tecnologia Transitores CMOS, história e tecnologia Fernando Müller da Silva Gustavo Paulo Medeiros da Silva 6 de novembro de 2015 Resumo Este trabalho foi desenvolvido com intuito de compreender a tecnologia utilizada

Leia mais

PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DA CÉLULA FOTOVOLTAICA

PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DA CÉLULA FOTOVOLTAICA A-PDF MERGER DEMO Cássio Araújo do Nascimento PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DA CÉLULA FOTOVOLTAICA Monografia apresentada ao Departamento de Engenharia da Universidade Federal de Lavras, como parte das exigências

Leia mais

Soluções sustentáveis para a vida.

Soluções sustentáveis para a vida. Soluções sustentáveis para a vida. A Ecoservice Uma empresa brasileira que está constantemente em busca de recursos e tecnologias sustentáveis para oferecer aos seus clientes, pessoas que têm como conceito

Leia mais

Aspectos Tecnológicos das Fontes de Energia Renováveis (Energia Solar)

Aspectos Tecnológicos das Fontes de Energia Renováveis (Energia Solar) Aspectos Tecnológicos das Fontes de Energia Renováveis (Energia Solar) Aymoré de Castro Alvim Filho Eng. Eletricista, Dr. Especialista em Regulação, SRG/ANEEL 10/02/2009 Cartagena de Indias, Colombia Energia

Leia mais

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são:

1.OBJETIVO. Os principais objetivos da prática de soldagem com eletrodo revestido são: 1 Objetivo/Justificativa 2 Introdução 2.1 Soldagem por Arco Submerso 2.1.1 Princípio de Funcionamento 2.2 Soldagem por Arame Tubular 2.2.1 Princípio de Funcionamento 3 Descrição da Prática 3.1 Materiais

Leia mais

Energia Solar: Utilização como fonte de energia alternativa

Energia Solar: Utilização como fonte de energia alternativa Energia Solar: Utilização como fonte de energia alternativa Caio Peixoto Gomes* Resumo A crescente preocupação com a preservação do meio ambiente, o aumento da demanda energética, e a possível escassez

Leia mais

Eletricidade. Levanta, acende a luz. Toma um banho quente. Prepara seu lanche com auxílio da torradeira elétrica.

Eletricidade. Levanta, acende a luz. Toma um banho quente. Prepara seu lanche com auxílio da torradeira elétrica. Eletricidade e automação A UU L AL A O operário desperta com o toque do rádiorelógio. Levanta, acende a luz. Toma um banho quente. Prepara seu lanche com auxílio da torradeira elétrica. Um problema Sai

Leia mais

Células de combustível

Células de combustível Células de combustível A procura de energia no Mundo está a aumentar a um ritmo alarmante. A organização WETO (World Energy Technology and Climate Policy Outlook) prevê um crescimento anual de 1,8 % do

Leia mais

FABRICAÇÃO DE CÉLULAS SOLARES

FABRICAÇÃO DE CÉLULAS SOLARES Instituto de Física Gleb Wataghin FABRICAÇÃO DE CÉLULAS SOLARES Relatório Final de Atividades F809-Instrumentação para Ensino Bernardo Radefeld Meirelles Orientador: Prof. Dr. Francisco das Chagas Marques

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A L 0 H mola apoio sem atrito B A figura acima mostra um sistema composto por uma parede vertical

Leia mais

GERAÇÃO SOLAR PhD. Eng. Clodomiro Unsihuay Vila. Prof. Dr. Clodomiro Unsihuay-Vila Vila

GERAÇÃO SOLAR PhD. Eng. Clodomiro Unsihuay Vila. Prof. Dr. Clodomiro Unsihuay-Vila Vila GERAÇÃO SOLAR PhD. Eng. Clodomiro Unsihuay Vila Prof. Dr. Clodomiro Unsihuay-Vila Vila Energia Fotovoltaica Energia Fotovoltaica (reportagem 10 min.): https://www.youtube.com/watch?v=gzyit0sjc ou MPX -

Leia mais

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida.

Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Geração de Energia a partir do lixo urbano. Uma iniciativa iluminada da Plastivida. Plástico é Energia Esta cidade que você está vendo aí de cima tem uma população aproximada de 70.000 mil habitantes e

Leia mais

Bastidores para fibra óptica

Bastidores para fibra óptica Apresentação A gama de armários para fibra óptica Olirack foi concebida para a instalação, protecção e isolamento de terminadores e repartidores ópticos. A fibra óptica é um filamento feito de vidro ou

Leia mais

Lava-Jato de Alta Pressão

Lava-Jato de Alta Pressão Lava-Jato de Alta Pressão Manual de operação LT 18/20M LT 8.7/19M LT 8.7/18M LT 8.7/16M Aviso: Este manual deve ser lido antes de manusear o equipamento. Este manual é considerado uma parte importante

Leia mais

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença

Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Chiller Industrial Quando confiabilidade faz a diferença Produzidos com os melhores componentes disponíveis no mundo e projetados com foco em economia de energia e facilidade de operação e manutenção,

Leia mais

RESISTORES ELÉTRICOS

RESISTORES ELÉTRICOS RESISTORES ELÉTRICOS São dispositivos utilizados para limitar a passagem da corrente elétrica nos circuitos São feitos com material condutor de alta resistividade elétrica Transformam a energia elétrica

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO E VIABILIDADES DE FONTES ENERGÉTICAS

CLASSIFICAÇÃO E VIABILIDADES DE FONTES ENERGÉTICAS CLASSIFICAÇÃO E VIABILIDADES 1 INTRODUÇÃO NA PRÉ HISTÓRIA O HOMEM UTILIZAVA SUA PRÓPRIA ENERGIA PARA DESENVOLVER SUAS ATIVIDADES TRANSFERÊNCIA DO ESFORÇO PARA OS ANIMAIS 2 APÓS A INVENSÃO DA RODA: UTILIZAÇÃO

Leia mais

CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS

CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS CONCEITOS INICIAIS PARA DIMENSIONAMENTO SISTEMA FOTOVOLTAICO EM RESIDÊNCIAS Introdução a Engenharia Professores: Márcio Zamboti Fortes e Vitor Hugo Ferreira (UFF) Bruno Henriques Dias e Flávio Gomes (UFJF)

Leia mais

ALINHA ENTO FEI LASER. Visão geral: Ferramentas usadas no alinhamento: Fita adesiva Caneta vermelha Tesoura Chave de fenda Phillips

ALINHA ENTO FEI LASER. Visão geral: Ferramentas usadas no alinhamento: Fita adesiva Caneta vermelha Tesoura Chave de fenda Phillips ALINHA MENTO DO FEIXE LASER. Este tutorial é para ajudar a pessoa de manutenção da máquina laser no alinhamento do feixe laser que é a coisa mais importante para obter um correto funcionamento de sua máquina

Leia mais

Aquecimento eléctrico por fibra de carbono

Aquecimento eléctrico por fibra de carbono Aquecimento eléctrico por fibra de carbono Aquecimento eléctrico por fibra de carbono Pouco dispendioso Alta Tecnologia Ecológico Thermal Technology é uma empresa líder no desenvolvimento de tecnologias

Leia mais

Rodas para Remoção de Rebarbas Leves Scotch-Brite Industrial

Rodas para Remoção de Rebarbas Leves Scotch-Brite Industrial 3 Rodas para Remoção de Rebarbas Leves Scotch-Brite Industrial Dados Técnicos Fevereiro/2004 Substitui: Janeiro/2002 Página 1 de Introdução: b As Rodas para Remoção de Rebarbas Leves Scotch-Brite foram

Leia mais

ADVERTÊNCIA! Somente para ser utilizado

ADVERTÊNCIA! Somente para ser utilizado P ROFI FUEL CELL KIT INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO P ADVERTÊNCIA! Somente para ser utilizado por crianças com mais de 10 anos. O uso somente deve ocorrer com a vigilância exata de adultos, que tenham compreendido

Leia mais

O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE. Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga alvarenga@solenerg.com.br www.solenerg.com.

O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE. Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga alvarenga@solenerg.com.br www.solenerg.com. 1 O MÓDULO FOTOVOLTAICO PARA GERADOR SOLAR DE ELETRICIDADE Autor: Eng. Carlos Alberto Alvarenga alvarenga@solenerg.com.br www.solenerg.com.br Outubro/2014 1. O MÓDULO FOTOVOLTAICO A célula fotovoltaica

Leia mais

SOLDAGEM. Figura 1 Lado da solda de uma PCI.

SOLDAGEM. Figura 1 Lado da solda de uma PCI. INSTITUTO FEDERAL SANTA CATARINA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CURSO DE ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES

Leia mais

www.soumaisenem.com.br

www.soumaisenem.com.br 1. (Enem 2011) Uma das modalidades presentes nas olimpíadas é o salto com vara. As etapas de um dos saltos de um atleta estão representadas na figura: Desprezando-se as forças dissipativas (resistência

Leia mais

na nuvem/terra como se houvesse uma longa vara de metal conectando-as. Veja como a "quebra" funciona. Quando o campo elétrico se torna muito forte

na nuvem/terra como se houvesse uma longa vara de metal conectando-as. Veja como a quebra funciona. Quando o campo elétrico se torna muito forte Introdução (relâmpago/raios) O relâmpago é um dos fenômenos mais bonitos da natureza e também um dos mais mortais. Com as temperaturas dos raios sendo maiores do que a da superfície do Sol e com as ondas

Leia mais

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association. Contínua por imersão a quente

GalvInfo Center - Um programa do International Zinc Association. Contínua por imersão a quente - Um programa do International Zinc Association 2. Processos de Revestimento e Tratamentos de Superfície GalvInfoNote O Papel do Alumínio na Galvanização Contínua por imersão a quente 2.4 Rev1.1mar 09

Leia mais

Fornecido pelo TryEngineering - www.tryengineering.org Clique aqui para dar seu feedback sobre esta lição

Fornecido pelo TryEngineering - www.tryengineering.org Clique aqui para dar seu feedback sobre esta lição Fornecido pelo TryEngineering - Clique aqui para dar seu feedback sobre esta lição Foco da lição A lição enfoca o projeto de painéis de energia solar e sua aplicação em calculadoras padrão. Ela explora

Leia mais

Energia limpa é aquela que não libera, ou libera níveis muito baixos de resíduos ou gases poluentes geradores do efeito estufa e do aquecimento

Energia limpa é aquela que não libera, ou libera níveis muito baixos de resíduos ou gases poluentes geradores do efeito estufa e do aquecimento ENERGIA LIMPA Energia limpa é aquela que não libera, ou libera níveis muito baixos de resíduos ou gases poluentes geradores do efeito estufa e do aquecimento global durante seu processo de produção ou

Leia mais

FARIAS, et al (2010) INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SOLAR FOTOVOLTÁICA. Leandro Alves de Farias

FARIAS, et al (2010) INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SOLAR FOTOVOLTÁICA. Leandro Alves de Farias INVESTIGAÇÃO EXPERIMENTAL DA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA SOLAR FOTOVOLTÁICA Leandro Alves de Farias Alunos do Curso Técnico de Eletrotécnica do Campus Natal Zona Norte do IFRN. Valter Nogueira Pereira

Leia mais

Projetos eletrônicos educacionais com energia alternativa

Projetos eletrônicos educacionais com energia alternativa 1 PROJETOS ELETRÔNICOS EDUCACIONAIS COM ENERGIA ALTERNATIVA Instituto NCB www.newtoncbraga.com.br leitor@newtoncbraga.com.br 2 PROJETOS ELETRÔNICOS EDUCACIONAIS COM ENERGIA ALTERNATIVA Autor: São Paulo

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA. Eletricidade Geração de Energia Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo

GERAÇÃO DE ENERGIA. Eletricidade Geração de Energia Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo GERAÇÃO DE ENERGIA Eletricidade Geração de Energia Aula 01 Prof. Luiz Fernando Laguardia Campos 3 Modulo Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina Cora Coralina Tipos de Geração de Energia

Leia mais

Empresas incubadas: casos de pesquisa para inovação em energia solar fotovoltaica 3º InovaFV 05/03/2013 Campinas - SP

Empresas incubadas: casos de pesquisa para inovação em energia solar fotovoltaica 3º InovaFV 05/03/2013 Campinas - SP Empresas incubadas: casos de pesquisa para inovação em energia solar fotovoltaica 3º InovaFV 05/03/2013 Campinas - SP Bruno Wilmer Fontes Lima Comercial e Projetos bruno.lima@solsticioenergia.com +55 19

Leia mais

Usinagem I. 2016.1 Parte I Aula 6 Processos não convencionais e MicroUsinagem. Prof. Anna Carla - MECÂNICA - UFRJ

Usinagem I. 2016.1 Parte I Aula 6 Processos não convencionais e MicroUsinagem. Prof. Anna Carla - MECÂNICA - UFRJ Usinagem I 2016.1 Parte I Aula 6 Processos não convencionais e MicroUsinagem Processos não- convencionais O termo usinagem não tradicional refere- se a este grupo, que remove o material em excesso de uma

Leia mais

Soluções REHAU PARA A REABILITAÇÃO. www.rehau.pt. Construção Automóvel Indústria

Soluções REHAU PARA A REABILITAÇÃO. www.rehau.pt. Construção Automóvel Indústria Soluções REHAU PARA A REABILITAÇÃO Uma APLICAÇÃO PARA CADA NECESSIDADE www.rehau.pt Construção Automóvel Indústria A REABILITAÇÃO, UMA SOLUÇÃO COM SISTEMAS PARA O AQUECIMENTO E O ARREFECIMENTO POR SUPERFÍCIES

Leia mais

USO DE PAINÉIS SOLARES PARA BOMBEAMENTO DE ÁGUA NO ASSENTAMENTO ELDORADO II EM SIDROLÂNDIA MS

USO DE PAINÉIS SOLARES PARA BOMBEAMENTO DE ÁGUA NO ASSENTAMENTO ELDORADO II EM SIDROLÂNDIA MS USO DE PAINÉIS SOLARES PARA BOMBEAMENTO DE ÁGUA NO ASSENTAMENTO ELDORADO II EM SIDROLÂNDIA MS Orlando Moreira Júnior 1, Bruna Insfran Jorcuvich 2, Gabriela Pinheiro Telles 2, Tatiane Machado Barbosa 2

Leia mais

/ Carregadores de Bateria / Tecnologia de Soldagem / Energia Solar. / Carregadores de Bateria para Intralogística.

/ Carregadores de Bateria / Tecnologia de Soldagem / Energia Solar. / Carregadores de Bateria para Intralogística. / Carregadores de Bateria / Tecnologia de Soldagem / Energia Solar / Carregadores de Bateria para Intralogística. / Desde 1946, desenvolvemos com paixão e vigor Carregadores de Bateria inovadores. Em

Leia mais

PV-2200 MANUAL DE INSTRUÇÃO

PV-2200 MANUAL DE INSTRUÇÃO Pág.:1 MÁQUINA: MODELO: NÚMERO DE SÉRIE: ANO DE FABRICAÇÃO: O presente manual contém instruções para instalação e operação. Todas as instruções nele contidas devem ser rigorosamente seguidas do que dependem

Leia mais

grandeza do número de elétrons de condução que atravessam uma seção transversal do fio em segundos na forma, qual o valor de?

grandeza do número de elétrons de condução que atravessam uma seção transversal do fio em segundos na forma, qual o valor de? Física 01. Um fio metálico e cilíndrico é percorrido por uma corrente elétrica constante de. Considere o módulo da carga do elétron igual a. Expressando a ordem de grandeza do número de elétrons de condução

Leia mais

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA Iria Müller Guerrini, No Brasil a maior quantidade de energia elétrica produzida provém de usinas hidrelétricas (cerca de 95%). Em regiões rurais e mais distantes das hidrelétricas

Leia mais

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA COMO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA COMPLEMENTAR NA INDÚSTRIA PARAIBANA: UM ESTUDO DE CASO

ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA COMO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA COMPLEMENTAR NA INDÚSTRIA PARAIBANA: UM ESTUDO DE CASO ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA COMO FONTE DE GERAÇÃO DE ENERGIA COMPLEMENTAR NA INDÚSTRIA PARAIBANA: UM ESTUDO DE CASO DA COSTA 1, Cinthya Borges Lopes DA SILVA 2, Michele Gomes FERREIRA 3, João Marcelo Dias

Leia mais

Tânia observa um lápis com o auxílio de uma lente, como representado nesta figura:

Tânia observa um lápis com o auxílio de uma lente, como representado nesta figura: PROVA DE FÍSICA QUESTÃO 0 Tânia observa um lápis com o auxílio de uma lente, como representado nesta figura: Essa lente é mais fina nas bordas que no meio e a posição de cada um de seus focos está indicada

Leia mais

Linha LATINGALVA, Cartagena, Colômbia, setembro de 2010.

Linha LATINGALVA, Cartagena, Colômbia, setembro de 2010. Linha LATINGALVA, Cartagena, Colômbia, setembro de 2010. Sustentabilidade da galvanização aplicada à administração interna de resíduos de cinzas e escória na galvanização geral por imersão a quente e da

Leia mais

GERAÇÃO SOLAR FOTOVOLTAICA

GERAÇÃO SOLAR FOTOVOLTAICA GERAÇÃO SOLAR FOTOVOLTAICA Pedro Gomes Barbosa Universidade Federal de Juiz de Fora Núcleo de Automação e Eletrônica de Potência Juiz de Fora, MG 36036-900 Brasil email: pedro.gomes@ufjf.edu.br Julho de

Leia mais

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão da Atividade Integrada Nome:

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão da Atividade Integrada Nome: 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão da Atividade Integrada Nome: No dia 20 de dezembro de 2013, a 68 a Sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou o ano de como o Ano Internacional

Leia mais

Energia e Meio Ambiente

Energia e Meio Ambiente INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Energia e Meio Ambiente Rodrigo Valle Cezar O que é Energia INSTITUTO BRASIL SOLIDÁRIO Tudo o que existe no mundo é energia. A luz O calor A matéria Os Átomos As estrelas A

Leia mais

Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria plástica

Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria plástica Heraeus Noblelight Aquecimento infravermelho na indústria plástica Freddy Baruch 16 Setembro 2015 Page 1 SAUDAÇÃO BOM DIA! Page 2 APRESENTAÇÃO Page 3 APRESENTAÇÃO Quem somos - Apresentação Pessoal Freddy

Leia mais

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA

REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA REVESTIMENTOS AUTOMATIZADOS EM CAMISAS DE MOENDA Tcg Alexandre Serra dos Santos Para se fazer o trabalho de revestimento protetor das camisas de moenda através de um sistema automatizado é necessário uma

Leia mais

4. O Ciclo das Substancias na Termoelétrica Convencional De uma maneira geral todas as substâncias envolvidas na execução do trabalho são o

4. O Ciclo das Substancias na Termoelétrica Convencional De uma maneira geral todas as substâncias envolvidas na execução do trabalho são o 1.Introdução O fenômeno da corrente elétrica é algo conhecido pelo homem desde que viu um raio no céu e não se deu conta do que era aquilo. Os efeitos de uma descarga elétrica podem ser devastadores. Há

Leia mais

<< www.hiperclima.pt >> Inisol EASYLIFE

<< www.hiperclima.pt >> Inisol EASYLIFE solar biomassa bombas de calor Condensação gasóleo/gás Inisol A.Q.S. solar individual EASYLIFE O sol para cada um, o solar para todos >> Significativas economias >> Zero emissão de CO2 >> Conforto garantido

Leia mais

Características Técnicas Série Quasar

Características Técnicas Série Quasar Descrição do Produto A Série Quasar é uma linha de painéis tipo CCMi (centro de controle de motores inteligente) para baixa tensão e correntes até 3150 A, ensaiados conforme a norma NBR/IEC 60439-1 - TTA

Leia mais

FISICA. Justificativa: Taxa = 1,34 kw/m 2 Energia em uma hora = (1,34 kw/m 2 ).(600x10 4 m 2 ).(1 h) ~ 10 7 kw. v B. v A.

FISICA. Justificativa: Taxa = 1,34 kw/m 2 Energia em uma hora = (1,34 kw/m 2 ).(600x10 4 m 2 ).(1 h) ~ 10 7 kw. v B. v A. FISIC 01. Raios solares incidem verticalmente sobre um canavial com 600 hectares de área plantada. Considerando que a energia solar incide a uma taxa de 1340 W/m 2, podemos estimar a ordem de grandeza

Leia mais

Esta radiação que atinge o solo é constituída por três componentes:

Esta radiação que atinge o solo é constituída por três componentes: Energia Solar O Sol é a nossa principal fonte de energia, responsável pela manutenção das várias formas de vida existentes na Terra. Trata-se de um recurso praticamente inesgotável e constante, quando

Leia mais

Motores Lineares Industriais

Motores Lineares Industriais Motores Lineares Industriais Sistema de accionamento puramente eléctrico Controlo de posição livre ao longo de todo o curso Para tarefas de posicionamento precisas e dinâmicas Vida útil maior com a tecnologia

Leia mais

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade.

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade. Tipo de parceria:joint venture Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade. Empresa da Eslováquia certificadaespecializada na produção de painéis

Leia mais

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular.

www.cursinhoemcasa.com Prof. Helena contato@cursinhoemcasa.com Fonte arquivo particular. Irradiação térmica È o processo de troca de calor que ocorre através da radiação eletromagnética, que não necessitam de um meio material para isso. Ondas eletromagnéticas é uma mistura de campo elétrico

Leia mais

ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA)

ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA) ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA) 1. (Fuvest) O plutônio ( Pu) é usado para a produção direta de energia elétrica em veículos espaciais. Isso é realizado em um gerador que possui

Leia mais

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear

Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear WNTI W O R L D N U C L E A R T R A N S P O RT I N S T I T U T E FICHA DESCRITIVA Transporte do Ciclo de Combustível Nuclear Materiais Front End (da etapa inicial) Dedicado ao transporte seguro, eficiente

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO PARA PROCESSADOR DE ALIMENTOS U MF1 300

MANUAL DE OPERAÇÃO PARA PROCESSADOR DE ALIMENTOS U MF1 300 MANUAL DE OPERAÇÃO PARA PROCESSADOR DE ALIMENTOS U MF1 300 1. INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA Precauções MANUAL OPERAÇÃO PARA PROCESSADOR DE ALIMENTOS U MF1 300 - O processador de alimentos deve ser manipulado

Leia mais

SPAS MANUAL DE PRÉ-INSTALAÇÃO 51- E

SPAS MANUAL DE PRÉ-INSTALAÇÃO 51- E SPAS MANUAL DE PRÉ-INSTALAÇÃO 51- E 2 PARABÉNS!!!! Você adquiriu um SPA Jacuzzi Premium, feito na mais alta exigência de qualidade. Apenas com alguns cuidados, seu SPA pode proporcionar anos de alegria

Leia mais

DIFERENÇA ENTRE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA E TÉRMICA DAVANTISOLAR.COM.BR

DIFERENÇA ENTRE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA E TÉRMICA DAVANTISOLAR.COM.BR DIFERENÇA ENTRE ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA E TÉRMICA DAVANTISOLAR.COM.BR ÍNDICE 01. Sol 02. Energia Solar 03. Térmica 04. Como funciona? 05. Fotovoltaica 06. Como Funciona? 07. Por que investir em Energia

Leia mais

Conceito e Evolução da utilização da Energia

Conceito e Evolução da utilização da Energia Energia Limpa Agenda O que é energia limpa? Tipos de energia limpa Energia Hídrica Energia Eólica Energia Geotérmica Biomassa Energia Solar Energia do Mar O Brasil neste cenário Protocolo de Kyoto Conceito

Leia mais

RECon Hy Line. Conversores Híbrido para Armazenamento de Energia

RECon Hy Line. Conversores Híbrido para Armazenamento de Energia RECon Hy Line Conversores Híbrido para Armazenamento de Energia Com investimentos contínuos em pesquisa e desenvolvimento, a FRIEM é líder em novas tecnologias aplicadas a conversores de alta potência

Leia mais

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso

TF-830 MOTOCICLETA. Leia cuidadosamente antes do uso TF-830 MOTOCICLETA Leia cuidadosamente antes do uso Leia este manual cuidadosamente antes de usar este produto. O manual o informará como operar e montar o produto de uma forma correta para que nenhuma

Leia mais

Módulos Fotovoltaicos

Módulos Fotovoltaicos Módulos Fotovoltaicos Os módulos são o principal componente das instalações fotovoltaicas. Estes para além de terem que produzir energia por mais de 25 anos, têm que resistir às mais rigorosas variações

Leia mais

Classificação dos Sistemas Fotovoltaicos

Classificação dos Sistemas Fotovoltaicos Só Elétrica Indústria e Comércio de Equipamentos Elétricos Rua Duque de Caxias, 796 Centro Joaçaba CEP: 89600-000 Fone: (49) 3522-2681 Um sistema fotovoltaico é uma fonte de potência elétrica, na qual

Leia mais

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia Disciplina: Fontes Alternativas de Parte 1 Fontes Renováveis de 1 Cronograma 1. Fontes renováveis 2. Fontes limpas 3. Fontes alternativas de energia 4. Exemplos de fontes renováveis 1. hidrelétrica 2.

Leia mais

A inovação não é um luxo, mas sim uma necessidade que poderá ajudar a enfrentar as dificuldades da crise

A inovação não é um luxo, mas sim uma necessidade que poderá ajudar a enfrentar as dificuldades da crise A inovação não é um luxo, mas sim uma necessidade que poderá ajudar a enfrentar as dificuldades da crise A Empresa - No mercado nacional desde 1993 - Localização: Com fábrica em Vale de Cambra (50 km a

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar Energia Fotovoltaica parte 1 José R. Simões-Moreira Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar Energia Fotovoltaica parte 1 José R. Simões-Moreira Racine T. A. Prado Energia Fotovoltaica parte 1 José R. Simões-Moreira Racine T. A. Prado CEPEL-CRESESB Fundamentos de Engenharia Solar Células fotovoltaicas Células fotovoltaicas Módulo de filme fino Módulo cristalino Schottsolar

Leia mais

Sua solução - todos os dias

Sua solução - todos os dias Sua solução - todos os dias A produção de um leite de qualidade depende de diversos fatores, entre eles a higiene da ordenha e do tanque, a manutenção dos equipamentos, a disponibilidade de um ambiente

Leia mais

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Produto: Parabond 700 é um adesivo de alta qualidade, cura rápida, permanentemente elástico, à base de MS polímero, com

Leia mais

R volucionário. Um passo além do módulo de célula solar. Um passo além da produção de calor com matriz solar. Alta performance. Prático.

R volucionário. Um passo além do módulo de célula solar. Um passo além da produção de calor com matriz solar. Alta performance. Prático. inside ideas R volucionário. Um passo além do módulo de célula solar. Um passo além da produção de calor com matriz solar. Revo é um sistema solar já concebido e desenvolvido em uma forma híbrida de modo

Leia mais

Processos especiais de usinagem Eletroerosão

Processos especiais de usinagem Eletroerosão Processos especiais de usinagem Eletroerosão Definição: Eletroerosão é um processo de fabricação baseado em princípios de remoção por efeitos térmicos, que acontece em decorrência de carregamento elétrico

Leia mais

ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA

ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA ML-6622 CHURRASQUEIRA ELÉTRICA INTRODUÇÃO A Churrasqueira Elétrica ML-6622 NKS Milano é um produto de alta tecnologia e qualidade. Para melhor entender todas as funções deste aparelho, e utilizá-lo com

Leia mais

Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI. Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho

Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI. Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho 1 1 A CPFL A CPFL é o maior grupo no setor de energia elétrica e tem

Leia mais

T20. Lavadora Industrial com operador a bordo

T20. Lavadora Industrial com operador a bordo T20 Lavadora Industrial com operador a bordo Obtenha resultados superiores na limpeza mesmo dos ambientes mais difíceis, utilizando um sistema de limpeza potente, a tecnologia ec-h2o, além dos recursos

Leia mais

3. Procedimento e Montagem Experimental

3. Procedimento e Montagem Experimental 3. Procedimento e Montagem Experimental O presente trabalho é uma continuação da pesquisa iniciada por Leiroz [14]. A seção de testes usada para nosso estudo de deposição de parafina sob condições de escoamento

Leia mais

Painéis que transformam energia solar em eletricidade ganham espaço em todo o mundo. outros no que se refere à contenção

Painéis que transformam energia solar em eletricidade ganham espaço em todo o mundo. outros no que se refere à contenção Especial Os fotovoltaicos vieram para ficar Painéis que transformam energia solar em eletricidade ganham espaço em todo o mundo Divulgação / Blue Sol Painéis fotovoltaicos na fachada da sede da Blue Sol,

Leia mais

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS:

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: CIDADES SUSTENTÁVEIS OU COLAPSO ANUNCIADO? Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Cidades são parte do Problema Atividades

Leia mais

Hoje vamos falar de... ENERGIA

Hoje vamos falar de... ENERGIA Hoje vamos falar de... ENERGIA A ENERGIA ESTÁ EM TODO O LADO. OS CARROS ANDAM COM A ENERGIA ARMAZENADA NA GASOLINA MUITOS BRINQUEDOS SÃO MOVIDOS COM A ENERGIA ARMAZENADA NAS PILHAS. OS BARCOS À VELA SÃO

Leia mais

O SEU PARCEIRO DE ENERGIA SOLAR PRODUZA A SUA PRÓPRIA ENERGIA LIMPA E MELHORE O SEU FUTURO

O SEU PARCEIRO DE ENERGIA SOLAR PRODUZA A SUA PRÓPRIA ENERGIA LIMPA E MELHORE O SEU FUTURO O SEU PARCEIRO DE ENERGIA SOLAR PRODUZA A SUA PRÓPRIA ENERGIA LIMPA E MELHORE O SEU FUTURO Escolha o melhor parceiro LÍDER DE MERCADO COM MAIS DE 50 ANOS DE EXPERIÊNCIA Em 31 de março de 2013, gerimos

Leia mais

Fotovoltaico de Qualidade

Fotovoltaico de Qualidade Análise de Problemas ao Longo da Vida Útil de um Sistema Solar Rodolfo Henrique Engº de Aplicações SICES BRASIL Conteúdo da Palestra o o o o Inversor Solar Introdução Topologias de Conversão Problemas

Leia mais

Cat Sistema Acoplador Fusion

Cat Sistema Acoplador Fusion Cat Sistema Acoplador Fusion Carregadeiras de Rodas Características: Maior Desempenho da Máquina A nova interface patenteada da Carregadeira de Rodas oferece desempenho praticamente igual a um sistema

Leia mais

FÍSICA. Dados: Velocidade da luz no vácuo: 3,0 x 10 8 m/s Aceleração da gravidade: 10 m/s 2 1 4πε. Nm 2 /C 2

FÍSICA. Dados: Velocidade da luz no vácuo: 3,0 x 10 8 m/s Aceleração da gravidade: 10 m/s 2 1 4πε. Nm 2 /C 2 Dados: FÍSICA Velocidade da luz no vácuo: 3,0 x 10 8 m/s Aceleração da gravidade: 10 m/s 1 4πε 0 = 9,0 10 9 Nm /C Calor específico da água: 1,0 cal/g o C Calor latente de evaporação da água: 540 cal/g

Leia mais

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA

GRSS. Resistance WELDING SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA SOLDAGEM POR RESISTÊNCIA ELÉTRICA Princípios A soldagem por resistência elétrica representa mais uma modalidade da soldagem por pressão na qual as peças a serem soldadas são ligadas entre si em estado

Leia mais

1.1 Tema O tema da nossa pesquisa é sobre carro (de brinquedo) movido à energia solar.

1.1 Tema O tema da nossa pesquisa é sobre carro (de brinquedo) movido à energia solar. FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA Projeto de Pesquisa da Primeira Série Série: Primeira Curso: Eletrotécnica Turma: 2123 Sala: 234 Início: 02 de junho de 2009 Entrega: 17 de julho

Leia mais

PROGRAMA PRODUTOR SOLAR

PROGRAMA PRODUTOR SOLAR PROGRAMA PRODUTOR SOLAR COOPERATIVA DE ENERGIAS RENOVÁVEIS A TESLA ENERGIA é uma cooperativa uma empresa social de energias renováveis, que alia à sua natureza social o apoio a projetos de solidariedade,

Leia mais

Proteja a qualidade do seu leite Tanques resfriadores DeLaval

Proteja a qualidade do seu leite Tanques resfriadores DeLaval DeLaval Brasil Rodovia Campinas Mogi-Mirim - KM 133,10 - S/N Bairro Roseira - Jaguariúna/SP - CEP: 13820-000 Telefone: (19) 3514-8201 comunicacao@delaval.com www.delaval.com.br Sua revenda DeLaval Proteja

Leia mais