Qualidade de Software

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qualidade de Software"

Transcrição

1 Qualidade de Software Conceitos, estudo, normas Giuliano Prado de Morais Giglio

2 Objetivos Definir Qualidade Definir Qualidade no contexto de Software Relacionar Qualidade de Processo a Qualidade de Produto Software Citar as principais normas e padrões processo Essa será nossa agenda...

3 O que é Qualidade? O que um determinado produto apresenta para considerarmos que o mesmo tem qualidade? Ex.: Carro Qualidade é um conceito relativo. Diversos aspectos são levados em conta. No caso de um automóvel, fatores como conforto, segurança, desempenho, beleza e custo têm estreita relação com a qualidade.

4 Qualidade de Software Software não é um produto físico Segundo Pressman [5], qualidade de software está relacionado a: conformidade com requisitos funcionais e de desempenho explicitamente declarados; Conformidade com características implícitas, que normalmente são esperadas em todo software; Adoção de normas de desenvolvimento explicitamente documentadas. Analisando cada item...

5 O que é Qualidade? Qualidade está fortemente relacionada à conformidade com os requisitos. O que é conformidade em relação a requisitos? observado x especificado. Pode haver problemas na observação. Pode haver problemas na especificação.

6 Conformidade com Requisitos Funcionais e Desempenho Estes requisitos formam a base pela qual a qualidade é medida. A falta de conformidade com estes requisitos significa falta de qualidade.

7 Conformidade com Requisitos Implícitos Um software de qualidade deve ser*: Correto Confiável Eficiente Integro Fácil de Usar Manutenível Flexível Testável Portável Reutilizável Interoperável *definidos na norma ISO/IEC 9126.

8 O que é Qualidade? Qualidade diz respeito à satisfação do cliente. Requisitos são especificados por pessoas e com o objetivo de satisfazer outras pessoas. Uma especificação depende das escolhas feitas (clientes alvo). Pode haver problemas na especificação.

9 Breve Histórico da Qualidade Relatos Históricos de anos atrás no Egito. Marco Importante: Revolução Industrial 1920: Controle Estatístico da Produção 1940: Surgimento de vários organismos ligados à qualidade ASQC (American Society for Quality Control) ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) ISO (International Standardization Organization) Ainda década de 1940: Japão destaca-se. Década de 1970: Qualidade de Software

10 O que é Qualidade de Software? Conferência da NATO (1968) Crise de Software Problemas detectados: Cronogramas não observados. Projetos abandonados. Módulos que não operam corretamente quando combinados. Programas que não fazem exatamente o que era esperado. Sistemas tão difíceis de usar que são descartados. Sistemas que simplesmente param de funcionar. Passados 40 anos, o que mudou?

11 O que é Qualidade de Software? Qualidade em geral: é um conceito relativo. está fortemente relacionada à conformidade com requisitos. diz respeito à satisfação do cliente. Como isso se manifesta em software?

12 Desenvolvimento de Software O aspecto não repetitivo do desenvolvimento de software torna essa atividade difícil e, em boa medida, imprevisível. Delimitar o escopo de um sistema não é trivial. A volatilidade dos requisitos é lugar comum no desenvolvimento de software.

13 Fatores que afetam o Desenvolvimento de Software e influenciam a Qualidade Tamanho e complexidade do software; Número de pessoas envolvidas no projeto; Métodos, técnicas e ferramentas utilizadas; Custo x benefício do sistema; Custos associados à existência de erros; Custos associados à detecção e remoção de erros; etc.

14 O que é Processo de Software? Processos de Software devem estabelecer: atividades a serem realizadas durante o processo, sua estrutura e organização (decomposição e precedência), incluindo a definição de um modelo de ciclo de vida quando pertinente (ex.: processo de desenvolvimento); artefatos requeridos e produzidos por cada uma das atividades do processo; procedimentos (métodos, técnicas, roteiros e padrões) a serem adotados na realização das atividades; recursos necessários (humanos, hardware e software) para a realização das atividades.

15 Qualidade do Processo de Software Um bom processo não garante que os produtos produzidos são de boa qualidade, mas é um indicativo de que a organização é capaz de produzir bons produtos.

16 Qualidade de Software Logo, sob o ponto vista de qualidade de software, a questão é: Como satisfazer, de forma adequada, os requisitos do usuário? Em outras palavras Como obter produto software de qualidade?

17 Motivação para a busca da Qualidade do Processo de Software Aumento da qualidade do produto. Diminuição do retrabalho. Maior produtividade. Redução do tempo para atender o mercado (time to market). Maior competitividade. Maior precisão nas estimativas.

18 Como definir um processo? Apoio de Normas e Modelos de Qualidade de Processos de Software.

19 Normas e Organismos Normativos Normas internacionais de qualidade são criadas no trabalho voluntário de especialistas do mundo todo. Essas normas tornaram-se a base para especificar produtos, organizar o fornecimento de serviços e até mesmo para a elaboração de legislação em vários países.

20 Padrões de Facto Muitas vezes padrões surgem espontaneamente, a partir de uma necessidade ou como uma solução amplamente adotada quando comparada a outras alternativas. Padrões de facto são padrões aplicados na prática, mas que não foram formalizados como um regulamento. Podem ser criados involuntariamente ou por razões comerciais.

21 Padrões de Jure São criados de maneira formal, regulamentada. São escritos seguindo regulamentos e aprovados por instituições reconhecidas publicamente como capacitadas para tal (ex., ISO, IEEE etc).

22 Uso de Padrões Adequação x Certificação. Adequação: deve preceder a certificação e consiste em colocar em prática, total ou parcialmente, aquilo que é proposto no padrão. Certificação: Envolve a participação de um organismo ou empresa externa que possa atestar que a empresa candidata segue efetivamente o padrão.

23 Conclusão Qualidade de Produto = Qualidade de Processo A questão chave agora é: COMO GARANTIR A QUALIDADE DO PROCESSO? Através da Grupo de Garantia de Qualidade de Software (SQA).

24 Grupo de Garantia de Qualidade de Software (SQA) Missão: Auxiliar a equipe de software a conseguir um produto final de alta qualidade. Composição: Engenheiros de Software; Gerentes de Projeto; Clientes; Usuários finais; Usuários indiretos; Líder do grupo de SQA.

25 Grupo de Garantia de Qualidade de Software (SQA) Principais Atribuições: Preparação de um plano SQA; Participação na escolha do processo; Verificar se o processo está sendo mesmo seguido; Auditar os artefatos gerados durante as fases do processo; Registrar não-conformidades; Acompanhar a resolução das não conformidades. Como isso éfeito?

26 Dinâmica de Trabalho do Grupo SQA Como é Feita esta Verificação? Fonte: [2] 26/20

27 Revisões Técnicas Formais (RTF) O que é RTF é uma atividade de garantia de qualidade de software. Objetivo Descobrir erros durante as fases do processo. Benefício Descobrir antecipadamente os erros, de forma que eles não se propaguem para o passo seguinte do processo, aumentando a qualidade do produto final. Como é realizada?

28 O Processo de RTF [2] sugere a seguinte dinâmica de RTF:

29 Principais Normas e Padrões de Processo ISO/IEC Contém um conjunto de processos, atividades e tarefas projetado para ser adaptado de acordo com cada projeto de software. ISO/IEC Apresenta uma estrutura para Avaliação (e Melhoria) de Processo. ISO/IEC Usada para demonstrar capacidade de atender aos requisitos do cliente, os regulamentares e os da própria organização. MPS.BR (nível F), CMMI.

30 Qualidade e Processos Relacionados Documentação Gerência de Configuração de Software Qualidade de Software Verificação e Validação

31 Qualidade e Processos Relacionados Documentação Gerência de Configuração de Software Qualidade de Software Verificação e Validação

32 Documentação e Gerência de Configuração Artefatos registram a evolução do software para que sejam criadas as bases para o desenvolvimento, utilização e manutenção efetivos. Artefatos devem retratar fielmente o software, de modo que as atividades de avaliação e modificação possam ser realizadas sem maiores transtornos. Artefatos evidenciam a evolução do projeto. Mas é muito importante registrar modificações que ocorrem nos mesmos, de modo a se ter um histórico da evolução, o que é feito por meio da Gerência de Configuração de Software (GCS).

33 Gerência de Configuração Permite manter o controle da evolução dos artefatos de software, além de ajudar a cumprir metas de garantia da qualidade. Envolve, dentre outros: a identificação de itens de configuração de software, controle de alterações, registro e apresentação da situação dos itens e das solicitações de alteração, garantia da consistência dos itens alterados, controle de versão, armazenamento, manipulação e distribuição de itens.

34 Qualidade e Processos Relacionados Documentação Gerência de Configuração de Software Qualidade de Software Verificação e Validação

35 Verificação e Validação Verificação: assegurar que o software, ou determinada função do mesmo, está sendo desenvolvido corretamente, o que inclui verificar se os métodos e processos estão sendo aplicados adequadamente. Validação: assegurar que o software que está sendo desenvolvido é o software correto.

36 Análise Estática e Análise Dinâmica Análise Estática: não envolve a execução propriamente dita do produto. Pode e deve ser aplicada em qualquer artefato intermediário. Ex.: Revisões técnicas, inspeção de código. Análise Dinâmica: envolve a execução do produto. Ex.: Testes.

37 Conclusão Satisfação do cliente está relacionada a qualidade do produto software; Qualidade do produto está relacionada a qualidade do processo; A qualidade do processo é difícil de ser alcançada; Revisões Técnicas Formais ajudam neste aspecto.

38 Leituras e Referências [1] Falbo, R. Introdução a Qualidade de Software. Tópicos Especiais Qualidade de Software. Notas de Aula, [2] Filho, W. Engenharia de Software. 2ª Edição. LTC, 2005; [3] LUCENA, F. N. Processo de Desenvolvimento de Software. Notas de Aula, 2003, disponível em [4] Oliveira, J. Garantia da Qualidade de Software. Notas de Aula. [5] Pressman, R. Engenharia de Software. 6ª Edição. MacGraw-Hill, [6] Souza, A. Introdução à Qualidade de Software. MBA em Gestão de Software. Notas de Aula, 2008.

Introdução à Qualidade de Software. Profº Aldo Rocha

Introdução à Qualidade de Software. Profº Aldo Rocha Introdução à Qualidade de Software Profº Aldo Rocha Agenda O que é Qualidade? O que é Qualidade de Software? Qualidade do Produto e do Processo Normas e Organismos Normativos Qualidade de Software e Processos

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software Especialização em Gerência de Projetos de Software Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Unidade I Conceito de Qualidade Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com UNIDADE I : Conceito de Qualidade 1.1 Qualidade de processo de software 1.2 Qualidade de produto de software UNIDADE

Leia mais

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software

Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Conceitos Fundamentais de Qualidade de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Leia mais

Qualidade e Teste de Software. QTS - Norma ISO 9001-9126(NBR13596) 1

Qualidade e Teste de Software. QTS - Norma ISO 9001-9126(NBR13596) 1 Qualidade e Teste de Software 2010 1 ISO A ISO ( International Organization for Standardization) nasceu de uma conferência em Londres, em Outubro de 1946. O evento contou com a Participação de 65 delegados

Leia mais

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo

Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Gerência de Projetos Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Laboratório de Tecnologia de Software LTS www.ufpa.br/lts Rede Paraense de Pesquisa em Tecnologias de Informação

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Projeto e Desenvolvimento de Sistemas Dr. Fábio Levy Siqueira levy.siqueira@gmail.com Aula 2: Garantia da Qualidade e Padrões Qualidade de software Quais são as atividades de Gestão

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE MODULO 3 SISTEMA DE GARANTIA DA QUALIDADE CONTEÚDO 3.1 A ABORDAGEM NBR ISO 9000 3.2 MODELOS DE QUALIDADE DE PRODUTO DE SOFTWARE 3.2.1 NBR ISO/IEC 9126 (SOFTWARE) 3.2.2 NBR ISO/IEC

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Prof. Sam da Silva Devincenzi sam.devincenzi@gmail.com ISO International Organization for Standardization Organização não governamental que elabora normas internacionais, que visam

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Primeira Fase

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO Primeira Fase 122 ANEXO A Questionário de Avaliação Este anexo contém o Questionário utilizado para avaliar as características do mantenedor, o nível de experiência da equipe de manutenção e o nível de conhecimento

Leia mais

TEXTO: INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL

TEXTO: INTRODUÇÃO AO SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL FACENS / IAT Instituto de Aperfeiçoamento Tecnológico Curso de Pós-Graduação MBA Lato-Sensu em: Gestão, Auditoria e Perícia Ambiental Disciplina: Gerenciamento e Controle Ambiental Carga horária: 24h Prof.

Leia mais

QUALIDADE DE PRODUTO ISO 9126

QUALIDADE DE PRODUTO ISO 9126 Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software QUALIDADE DE PRODUTO ISO 9126 Prof. Luthiano Venecian 1 Agenda Conceito ISO/IEC Série

Leia mais

ENG 2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I

ENG 2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I ENG 2332 CONSTRUÇÃO CIVIL I Profº Eng Civil Bruno Rocha Cardoso Aula 3: Controle de Qualidade de Execução. Controle de Qualidade de Execução. Mas o que é Qualidade? Embora tenha demorado dois dias para

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Riscos

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. Análise dos Riscos Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE Análise dos Riscos Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução Análise dos Riscos Atividades Princípios da Análise Especificação

Leia mais

ISO/IEC 17050-1. Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 1: Requisitos gerais

ISO/IEC 17050-1. Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 1: Requisitos gerais QSP Informe Reservado Nº 42 Janeiro/2005 ISO/IEC 17050-1 Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 1: Requisitos gerais Tradução livre especialmente preparada para os Associados

Leia mais

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software

Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Engenharia de Software Processo de Desenvolvimento de Software Prof. Edison A. M. Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br Objetivo (1/1) Conceituar PROCESSO E CICLO DE VIDA, identificar e conceituar

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UFPR BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CI 221 DISCIPLINA: Engenharia de Software AULA NÚMERO: 5 DATA: / / PROFESSOR: Andrey APRESENTAÇÃO Nesta aula serão apresentados e discutidos os conceitos de Gestão de projetos de software, riscos de software,

Leia mais

3 Qualidade de Software

3 Qualidade de Software 3 Qualidade de Software Este capítulo tem como objetivo esclarecer conceitos relacionados à qualidade de software; conceitos estes muito importantes para o entendimento do presente trabalho, cujo objetivo

Leia mais

Qualidade de software com MPS.BR nos níveis de maturidade G e F

Qualidade de software com MPS.BR nos níveis de maturidade G e F Qualidade de software com MPS.BR nos níveis de maturidade G e F Marcelo Augusto Resende Cunha Graduado em Sistemas de Informação pela Libertas Faculdades Integradas Alysson Alexander Naves Silva Mestre

Leia mais

Introdução. Gerência de Projetos de Software. Sumário. Sistemas de Informação para Processos Produtivos

Introdução. Gerência de Projetos de Software. Sumário. Sistemas de Informação para Processos Produtivos Sumário Sistemas de Informação para Processos Produtivos 1. Gerência de 2. Agentes principais e seus papéis 3. Ciclo de vida do gerenciamento de projetos M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com Módulo 6

Leia mais

A qualidade é relativa. O que é qualidade para uma pessoa pode ser falta de qualidade para outra.

A qualidade é relativa. O que é qualidade para uma pessoa pode ser falta de qualidade para outra. A qualidade é relativa. O que é qualidade para uma pessoa pode ser falta de qualidade para outra. G. Weinberg 1 A ideia de qualidade é aparentemente intuitiva. Contudo, quando examinado mais longamente,

Leia mais

ISO/IEC 17050-2. Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 2: Documentação de apoio

ISO/IEC 17050-2. Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 2: Documentação de apoio QSP Informe Reservado Nº 43 Fevereiro/2005 ISO/IEC 17050-2 Avaliação da conformidade Declaração de conformidade do fornecedor Parte 2: Documentação de apoio Tradução livre especialmente preparada para

Leia mais

Definição: O escopo de um projeto descreve todos os seus produtos, os serviços necessários para realizá-los e resultados finais esperados. Descreve também o que é preciso fazer para que alcance seus objetivos

Leia mais

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ

I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ I SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ A importância do conhecimento da legislação ambiental para auditores profissionais Marcello Guimarães Couto, Esp. Gerente da Divisão

Leia mais

GESTÃO DE QUALIDADE EM SERVIÇOS NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO RAMO DE SOFTWARE: GARANTIA DE QUALIDADE MPS.BR

GESTÃO DE QUALIDADE EM SERVIÇOS NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO RAMO DE SOFTWARE: GARANTIA DE QUALIDADE MPS.BR GESTÃO DE QUALIDADE EM SERVIÇOS NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO RAMO DE SOFTWARE: GARANTIA DE QUALIDADE MPS.BR Andressa Silva Silvino 1 Jadson do Prado Rafalski 2 RESUMO O objetivo deste artigo é analisar

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Departamento de Informática Programa de Pós Graduação em Ciência da Computação Laboratório de Desenvolvimento Distribuído de Software Estágio de Docência Cronograma e Método de Avaliação Datas Atividades

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade. Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL

Gerenciamento de Qualidade. Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL Gerenciamento de Qualidade Paulo C. Masiero Cap. 24 - SMVL Introdução Melhoria nos níveis gerais de qualidade de software nos anos recentes. Diferenças em relação ao gerenciamento da qualidade na manufatura

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM CORROSÃO E PROTEÇÃO

QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM CORROSÃO E PROTEÇÃO ABRACO 00 de 0 OBJETIVO Esta norma estabelece a sistemática adotada pela Associação Brasileira de Corrosão ABRACO para o funcionamento do Sistema Nacional de Qualificação e Certificação em Corrosão e Proteção.

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 2 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 2-26/04/2006 1 Ementa Processos de desenvolvimento de software Estratégias e técnicas de teste de software Métricas para software

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software UFES - Universidade Federal do Espírito Santo Engenharia de Software Notas de Aula PARTE I E-mail: falbo@inf.ufes.br Curso: Engenharia da Computação (Atualizadas por e Monalessa Perini Barcellos - 2011)

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos ESTUDO DE VIABILIDADE Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Apresentação PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO PARANÁ PÓS-GRADUAÇÃO EM INFORMÁTICA APLICADA Qualidade de software WILIAN ANTÔNIO ANHAIA DE QUEIROZ O que é qualidade? A Norma ISO8402 define Qualidade

Leia mais

Leslier Soares Corrêa Estácio de Sá / Facitec Abril/Maio 2015

Leslier Soares Corrêa Estácio de Sá / Facitec Abril/Maio 2015 Leslier Soares Corrêa Estácio de Sá / Facitec Abril/Maio 2015 Prover capacitação para: - Identificar os processos de Gerenciamento de Projetos; - Desenvolver o Plano de Gerenciamento; - Construir um sistema

Leia mais

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço

Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Implantação do sistema de gestão da qualidade ISO 9001:2000 em uma empresa prestadora de serviço Adriana Ferreira de Faria (Uniminas) affaria@uniminas.br Adriano Soares Correia (Uniminas) adriano@ep.uniminas.br

Leia mais

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

Professor: Curso: Disciplina: Aula 4-5-6

Professor: Curso: Disciplina: Aula 4-5-6 Professor: Curso: Disciplina: Aula 4-5-6 Turma: Esp. Marcos Morais de Sousa Sistemas de informação Engenharia de Software I Engenharia de Requisitos 03º semestre 1 Engenharia de Requisitos Prof. Marcos

Leia mais

Observações. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor Data de adoção

Observações. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor Data de adoção NP 4239:1994 Bases para a quantificação dos custos da qualidade CT 80 1995-01-01 NP 4397:2008 Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho. Requisitos CT 42 2008-12-31 NP 4410:2004 Sistemas de gestão

Leia mais

Observações. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor Data de adoção

Observações. Referência Título / Campo de Aplicação Emissor Data de adoção NP 4239:1994 Bases para a quantificação dos custos da qualidade CT 80 1995-01-01 NP 4397:2008 Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho. Requisitos CT 42 2008-12-31 NP 4410:2004 Sistemas de gestão

Leia mais

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes

Gerência de Projetos e EVTE. Fabiana Costa Guedes Gerência de Projetos e Fabiana Costa Guedes 1 Agenda O que é um Projeto O que é Gerenciamento de Projetos O Contexto da Gerência de Projetos PMI Project Management Institute Ciclo de Vida do Projeto Áreas

Leia mais

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis

Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Requisitos para Gestão de Requisitos no Desenvolvimento de Software que Utilizam Prática Ágeis Abstract. Resumo. 1. Introdução Vinicius A. C. de Abreu 1 Departamento de Ciência da Computação - DCC Universidade

Leia mais

PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009

PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009 PMBoK Comentários das Provas TRE-PR 2009 Comentário geral: As provas apresentaram grau de dificuldade médio. Não houve uma preocupação da banca em aprofundar os conceitos ou dificultar a interpretação

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE

QUALIDADE DE SOFTWARE QUALIDADE DE SOFTWARE - 02 Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Questão 1 A ISO 9000-3 é um guia para a aplicação da ISO 9001 para o desenvolvimento, fornecimento e manutenção de software.

Leia mais

Palestra 03. O ICBv3 da IPMA como Instrumento para a Auto Avaliação Avaliação de Competências do

Palestra 03. O ICBv3 da IPMA como Instrumento para a Auto Avaliação Avaliação de Competências do Palestra 03 O ICBv3 da IPMA como Instrumento para a Auto Avaliação Avaliação de Competências do Gerente de Projetos O ICBV3 DA IPMA COMO INSTRUMENTO PARA A AUTO AVALIAÇÃO DE COMPETÊNCIAS DO GERENTE DE

Leia mais

Planejamento de Projeto Gestão de Projetos

Planejamento de Projeto Gestão de Projetos Planejamento de Projeto Gestão de Projetos O gerenciamento de projetos consiste na aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas adequadas às atividades do projeto, a fim de cumprir seus

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software de Software Gerenciamento de de Software Dedica-se a assegurar que o nível requerido de qualidade seja atingido Em um produto de software Envolve a definição de padrões e procedimentos apropriados de qualidade

Leia mais

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW

Aula 2 Revisão 1. Ciclo de Vida. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW. Processo de Desenvolvimento de SW Ciclo de Vida Aula 2 Revisão 1 Processo de Desenvolvimento de Software 1 O Processo de desenvolvimento de software é um conjunto de atividades, parcialmente ordenadas, com a finalidade de obter um produto

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fonte: http://www.testexpert.com.br/?q=node/669 1 GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Segundo a NBR ISO 9000:2005, qualidade é o grau no qual um conjunto de características

Leia mais

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS

CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 27006:2011) - OTS CRITÉRIOS ADICIONAIS PARA A ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO DE SISTEMAS DE GESTÃO DA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO (ISO/IEC 276:2011) - OTS NORMA Nº NIT-DICOR-011 APROVADA EM MAR/2013 Nº 01/46 SUMÁRIO

Leia mais

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. UML-Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada

Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE. UML-Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada Ciência da Computação ENGENHARIA DE SOFTWARE UML-Unified Modeling Language Linguagem de Modelagem Unificada Prof. Claudinei Dias email: prof.claudinei.dias@gmail.com Roteiro Introdução a linguagem UML

Leia mais

MANUAL DO FORNECEDOR

MANUAL DO FORNECEDOR PSQ 27 REVISÃO 00 Histórico da Emissão Inicial Data da Revisão 0 Data da Última Revisão Número de Página 15/01/14 15/01/14 1/14 2/14 1 - Objetivo 1.1 Escopo O conteúdo deste Manual contempla os requisitos

Leia mais

4. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO

4. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO 1 4. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO A necessidade dos Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) ou Sistemas de Suporte à Decisão (SSD) surgiu em decorrência de diversos fatores, como, por exemplo: Competição cada

Leia mais

Gestão de Projetos. 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 05

Gestão de Projetos. 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 05 Gestão de Projetos 5ª Câmara de Coordenação e Revisão - Combate à Corrupção Manual de Normas e Procedimentos - MNP 05 Sumário GESTÃO DE PROJETOS... 5 GESTÃO DE PROJETOS... 5 GESTÃO DE PROJETOS... 5 Elementos

Leia mais

Curso Avaliação da Conformidade: Contextos, Fundamentos e Práticas. Certificação de Pessoas na Área de Turismo

Curso Avaliação da Conformidade: Contextos, Fundamentos e Práticas. Certificação de Pessoas na Área de Turismo Curso Avaliação da Conformidade: Contextos, Fundamentos e Práticas Certificação de Pessoas na Área de Turismo Maria Regina Alves de Souza Divisão de Programas de Avaliação da Conformidade Inmetro 15.05.2009

Leia mais

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA

FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA FACULDADE BARÃO DE RIO BRANCO UNINORTE CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO DISCIPLINA - TECNOLOGIA DA CONSTRUÇÃO 1 (AULA 04) O que é uma Norma Aquilo que se estabelece como base ou medida para a realização

Leia mais

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO

SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SGI SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO Qual o significado de ISO? ISO International Organization for Standardization, é uma organização não governamental com sede em Genebra, na Suíça, que foi criada em 1946

Leia mais

Iris Trindade Chacon Chefe da Difiq

Iris Trindade Chacon Chefe da Difiq Rastreabilidade dos Padrões Iris Trindade Chacon Chefe da Difiq Aspectos associados Calibração Padrões Cadeia de rastreabilidade Processo produtivo Sistema da qualidade Certificado de calibração AcreditaçãoA

Leia mais

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação.

Todos nossos cursos são preparados por mestres e profissionais reconhecidos no mercado, com larga e comprovada experiência em suas áreas de atuação. Curso Formação Efetiva de Analístas de Processos Curso Gerenciamento da Qualidade Curso Como implantar um sistema de Gestão de Qualidade ISO 9001 Formação Profissional em Auditoria de Qualidade 24 horas

Leia mais

A visão do Controle sobre contratos de Fábricas de Software

A visão do Controle sobre contratos de Fábricas de Software A visão do Controle sobre contratos de Fábricas de Software Igor de Mesquita Barbosa Yuri Morais Bezerra Assessoria de TI CGU/SFC/DC sfcdcati@cgu.gov.br 1 Agenda 1. Projeto de Avaliação de Contratos de

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo IX Qualidade

Gerenciamento de Projetos Modulo IX Qualidade Gerenciamento de Projetos Modulo IX Qualidade Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

FUNDAÇÃO DE APOIO À CAPACITAÇÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

FUNDAÇÃO DE APOIO À CAPACITAÇÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO EDITAL FACTI/CERTICS-Nº 01/2013 CHAMADA PARA QUALIFICAÇÃO DE INSTITUIÇÕES DE APOIO À APLICAÇÃO DA METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO DA CERTIFICAÇÃO CERTICS PARA SOFTWARE 1ª CHAMADA Pessoas Jurídicas sem Finalidade

Leia mais

Atividades da Engenharia de Software ATIVIDADES DE APOIO. Atividades da Engenharia de Software. Atividades da Engenharia de Software

Atividades da Engenharia de Software ATIVIDADES DE APOIO. Atividades da Engenharia de Software. Atividades da Engenharia de Software Módulo 1 SCE186-ENGENHARIA DE SOFTWARE Profª Rosely Sanches rsanches@icmc.usp.br CONSTRUÇÃO Planejamento do Codificação Teste MANUTENÇÃO Modificação 2003 2 Planejamento do Gerenciamento CONSTRUÇÃO de Codificação

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento de Software. Apresentação (Ementa) e Introdução

Projeto de Desenvolvimento de Software. Apresentação (Ementa) e Introdução Projeto de Desenvolvimento de Software Apresentação (Ementa) e Introdução Msc. Eliezio Soares Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas IFRN Mestrado em Sistemas e Computação - DIMAp / UFRN Experiência

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

Requisitos de Software

Requisitos de Software Requisitos de Software (Cap 6 - Sommerville) UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS Curso de Ciência da Computação Engenharia de Software I Prof. Rômulo Nunes de Oliveira Requisitos funcionais e não funcionais

Leia mais

Gerenciamento de integração de projeto

Gerenciamento de integração de projeto Objetivos do Conteúdo Gerenciamento de integração de projeto Sergio Scheer / DCC / UFPR TC045 Gerenciamento de Projetos Prover capacitação para: - Identificar os processos de Gerenciamento de Projetos;

Leia mais

WORKSHOP SOBRE INTERPRETAÇÃO DA NORMA ISO 9001:2000

WORKSHOP SOBRE INTERPRETAÇÃO DA NORMA ISO 9001:2000 WORKSHOP SOBRE INTERPRETAÇÃO DA NORMA ISO 9001:2000 São Paulo 25.08.2004 Seguindo a solicitação dos participantes do primeiro Workshop sobre interpretações da norma ISO 9001:2000 com as Certificadoras,

Leia mais

Engenharia de Software II

Engenharia de Software II Engenharia de Software II Aula 28 Revisão para a Prova 2 http://www.ic.uff.br/~bianca/engsoft2/ Aula 28-28/07/2006 1 Matéria para a Prova 2 Gestão de projetos de software Conceitos (Cap. 21) Métricas (Cap.

Leia mais

Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso

Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade em Software PBQP SW Melhoria de Processo de Software baseado no Modelo MPS.BR nível G - Um Estudo de Caso Categoria 2.36: Métodos de Gestão Soltin - Soluções

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Gestão da Qualidade. Profa. Maria do Carmo Calado

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Gestão da Qualidade. Profa. Maria do Carmo Calado FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo: Gestão da Qualidade Profa. Maria do Carmo Calado Aula 3 O surgimento e a importância das Normas ISO Objetivos: Esclarecer como se deu o processo

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA BNDES 01/2008 QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA SAS

CONSULTA PÚBLICA BNDES 01/2008 QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA SAS 1 CONSULTA PÚBLICA BNDES 01/2008 QUESTIONAMENTOS DA EMPRESA SAS QUESTÃO 1 2. DESCRIÇÃO DO OBJETO 2.1. Aquisição do SISTEMA DE RISCO 2.1.1. Fornecimento e cessão de direito de uso definitivo, não exclusivo,

Leia mais

DESENVOLVENDO O SISTEMA

DESENVOLVENDO O SISTEMA DESENVOLVENDO O SISTEMA Declaração da Necessidade O primeiro passo do processo de análise de sistema envolve a identificação da necessidade [Pressman-95]. Normalmente o analista reúne-se com o usuário

Leia mais

Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com

Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com Prof. Sérgio Roberto Sigrist srsigris@hotmail.com Palavras-chave Melhores práticas, inovação, geração de valor, qualidade, serviços, gestão de serviços, suporte em TI, melhoria contínua, orientação a processos,

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Conceitos básicos sobre E.S: Ambiência Caracterização do software Fases de desenvolvimento 1 Introdução Aspectos Introdutórios Crise do Software Definição de Engenharia do Software 2 Crise do Software

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

Segurança e Saúde dos Trabalhadores

Segurança e Saúde dos Trabalhadores Segurança e Saúde dos Trabalhadores [1]CONVENÇÃO N. 155 I Aprovada na 67ª reunião da Conferência Internacional do Trabalho (Genebra 1981), entrou em vigor no plano internacional em 11.8.83. II Dados referentes

Leia mais

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento

CobiT. MBA em Sistemas de Informação. Conteúdo. 1. Sumário Executivo. 2. Estrutura. 3. Objetivos de Controle. 4. Diretrizes de Gerenciamento MBA em Sistemas de Informação CobiT Conteúdo 1. Sumário Executivo 2. Estrutura 3. Objetivos de Controle 4. Diretrizes de Gerenciamento 5. Modelo de Maturidade 6. Guia de Certificação de TI 7. Implementação

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software Qualidade de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Gerenciamento de Requisitos

Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Jaelson Castro 2013 1 Gerenciamento de requisitos Relaciona-se ao processo de gerenciar a mudança dos requisitos de um sistema As principais preocupações do gerenciamento de

Leia mais

Análise e Projeto de Sistemas

Análise e Projeto de Sistemas Análise e Projeto de Sistemas Gerenciamento de Projetos Conteúdo: Introdução Aula: I Prof.: Eude Lacerda E-mail: eude.lacerda@ifnmg.edu.br Apresentação Introdução ao gerenciamento de projetos de software

Leia mais

Certificação de Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado

Certificação de Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado Pág. Nº 1/26 SUMÁRIO Histórico das revisões 1 Objetivo 2 Referências normativas 3 Definições 4 Siglas 5 Descrição do processo de certificação 6 Manutenção da certificação 7 Marcação dos produtos certificados

Leia mais

Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto

Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto Uma abordagem comparativa do gerenciamento da qualidade do projeto Amaury Bordallo Cruz (PEP/UFRJ) bordalo@ugf.br Elton Fernandes - (Coppe-UFRJ) - elton@pep.ufrj.br Solange Lima (PEP/UFRJ) solangelima@petrobras.com.br

Leia mais

Planejamento de Desenvolvimento de Software Everson Santos Araujo everson@por.com.br

Planejamento de Desenvolvimento de Software Everson Santos Araujo everson@por.com.br Planejamento de Desenvolvimento de Software Everson Santos Araujo everson@por.com.br Introdução O planejamento para o desenvolvimento de um software é fator preponderante para que se tenham resultados

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1 GESTÃO Gestão dos Processos e Operações: 8.2-Gestão da Qualidade DEG/AB 1 GESTÃO DA QUALIDADE Definição de qualidade? Consumidor vs. produtor Consumidor: qualidade é o grau em que o produto satisfaz as

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização

Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Gerenciamento de Projetos Modulo II Clico de Vida e Organização Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos

Leia mais

HISTÓRICO DAS REVISÕES APROVAÇÃO

HISTÓRICO DAS REVISÕES APROVAÇÃO PSQM-DO-005 05 USO DE CERTIFICADOS E LOGOMARCA 1 de 6 HISTÓRICO DAS REVISÕES Revisão Itens Alterados Elaboração Análise Critica Aprovação Data 01 Emissão Inicial Diretoria de Operações - Presidência 27/07/06

Leia mais

Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006

Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006 Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006 Serviços de Consultoria Pessoa Jurídica para a elaboração de metodologia que permita mensurar, verificar e avaliar os resultados decorrentes

Leia mais

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE

SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA PARA ALAVANCAR A GESTÃO OPERACIONAL NA ELETRONORTE SNPTEE SEMINÁRIO NACIONAL DE PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA GOP - 23 16 a 21 Outubro de 2005 Curitiba - Paraná GRUPO IX GRUPO DE OPERAÇÃO DE SISTEMAS ELÉTRICOS - GOP ISO 9001 - UMA ESTRATÉGIA

Leia mais

Ganhos do Plano de Calibração. Celso P. Saraiva Resp. Técnico Lab. Calibração

Ganhos do Plano de Calibração. Celso P. Saraiva Resp. Técnico Lab. Calibração Ganhos do Plano de Calibração Celso P. Saraiva Resp. Técnico Lab. Calibração Desenvolvimento Definições básicas em Metrologia; Propriedades das distribuições normais; O que calibrar? Como estabelecer um

Leia mais

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO REQUISITOS PARA QUALIFICAÇÃO DE AVALIADORES E ESPECIALISTAS UTILIZADOS NAS AVALIAÇÕES DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº NIE-CGCRE-017 APROVADA EM JUN/2011 REV Nº 01/10

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE I

ENGENHARIA DE SOFTWARE I ENGENHARIA DE SOFTWARE I Prof. Cássio Huggentobler de Costa [cassio.costa@ulbra.br] Twitter: www.twitter.com/cassiocosta_ Agenda da Aula (002) Metodologias de Desenvolvimento de Softwares Métodos Ágeis

Leia mais

AMARO Gestão Empresarial Ltda.

AMARO Gestão Empresarial Ltda. Anexo SL Por se tratar de uma tradução livre e de uso somente informativo para os clientes da consultoria, selecionamos somente os trechos importantes do Anexo SL e colocamos abaixo o Apêndice 2 que estrutura

Leia mais

Legitimação dos conceitos face as práticas organizacionais; Oportunizar reflexão sobre as competências em desenvolvimento;

Legitimação dos conceitos face as práticas organizacionais; Oportunizar reflexão sobre as competências em desenvolvimento; 1 MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS INTEGRADORES CURSO SUPERIORES DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA (LOGÍSTICA) SÃO PAULO 2009 2 Introdução A prática pedagógica dos Cursos Superiores de Graduação

Leia mais

Gerência de Projetos

Gerência de Projetos Gerência de Projetos Escopo Custo Qualidade Tempo CONCEITO PROJETOS: são empreendimentos com objetivo específico e ciclo de vida definido Precedem produtos, serviços e processos. São utilizados as funções

Leia mais

ISO - 9126. Aécio Costa

ISO - 9126. Aécio Costa ISO - 9126 Aécio Costa A evolução da Qualidade do Produto Qualidade = funcionalidade Confiabilidade Realização de funções críticas Produto de qualidade = sem bugs Controle de qualidade Teste do produto

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DO BANCO COOPERATIVO SICREDI E EMPRESAS CONTROLADAS

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DO BANCO COOPERATIVO SICREDI E EMPRESAS CONTROLADAS ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL DO BANCO COOPERATIVO SICREDI E EMPRESAS CONTROLADAS Versão : 31 de dezembro de 2008 CONTEÚDO 1. INTRODUÇÃO...3 2. ORGANIZAÇÃO DA GESTÃO DE RISCO OPERACIONAL...3

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais