DMI. Dispositivo de Monitoramento Inteligente

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DMI. Dispositivo de Monitoramento Inteligente"

Transcrição

1 DMI Dispositivo de Monitoramento Inteligente Prezado Consumidor, Parabéns, você acaba de adquirir um produto da marca ISSO. A ISSO atua em diversos projetos envolvendo novas tecnologias, na área TI, equipamentos elétricos e eletrônicos, equipamentos de informática, network, produzindo e comercializando, a empresa conta com um centro de desenvolvimento empenhado em trazer sempre soluções práticas às mais variadas necessidades no segmento de novas tecnologias. A ISSO investe constantemente em pesquisas tecnológicas para melhorar o seu bem-estar e desenvolve produtos que visam atender todas as classes sociais e diferentes necessidades

2 Manual de instalação e instruções de uso Manual respectivo aos modelos abaixo: Modelos sem automação elétrica e alarme: DMI-4B - 4 canais de vídeo sem automação elétrica e alarme. DMI 16B - 16 canais de vídeo sem automação elétrica e alarme. Modelos com automação elétrica e alarme: DMI-4BC - 4 canais de vídeo com automação elétrica e alarme. DMI 16 BC - 16 canais de vídeo com automação elétrica e alarme. Algumas instruções deste manual se referem somente aos modelos com automação. Versão de hardware: Versão de software: REV XT A utilização do DMI instalado em residências ou estabelecimentos comerciais, não exime, não descarta e não substitui a necessidade da apólice de seguro para garantia de sua propriedade. Guarde este manual de Instruções em local seguro e de fácil acesso, somente assim você poderá desfrutar de todas as funções disponíveis em seu dispositivo. Caso este exemplar não esteja mais em condições de uso, baixe o arquivo digital no site ÍNDICE 1.Introdução pág: Uma breve descrição do DMI pág: O sistema é indicado para pessoas e empresas que: pág: 5 2. Descrição do DMI e suas interfaces pág: Led Verde pág: Led Vermelho pág: Display de mensagens pág: Teclado principal e suas funções pág: Receptor infravermelho pág: Tecla menu pág: Interface USB pág: Caixa de fusível geral pág: Ventilador de resfriamento pág: Conector RJ45 para conexão com interface de rede pág: Conector RJ45 para conexão com teclado externo pág: Conector VGA (saída para monitor) pág: Conectores P2 fêmea pág: Entrada de alimentação de energia (tripolar) pág: Chave seletora de tensão de entrada pág:

3 2.16 Ventilador de resfriamento (disponível em DMI 4Bc e 16BC) pág: Entradas de vídeo RCA pág: Saida 12V para acionamento de sirene de alarme pág: Interface para ligação do botão de pânico pág: Conexão com módulo de automação pág: 8 3. Descrição do módulo de automação e segurança (disponível nas versões DMI-4BC e DMI-16 BC) pág: Cabo para conexão com DMI pág: LEDS indicadores de STATUS dos atuadores pág: Chaves manuais pág: Conectores para atuadores de automação pág: Fusíveis de proteção pág: Conectores para sensores de segurança e automação pág: Saida de tensão 12V pág: Entrada de alimentação 12V pág: Led indicador de status Ligado/Desligado do módulo de automação pág: Descrição e funções do teclado externo pág: Funções do teclado externo pág: Para ativar o alarme principal pág: Para ativar o alarme alternativo pág: Para desativar o alarme pág: Led indicador de status do teclado externo pág: Conector RJ45 pág: Senhas do sistema através do teclado numérico do DMI pág: Alterando configurações de rede pelo teclado numérico. pág: Desligamento do sistema por senha. pág: Restaurando as configurações de IP originais de fábrica pelo teclado. pág: Trocando câmeras no monitor de visualização. pág: Ligando e desligando atuadores através do teclado numérico. pág: Utilizando tarefas que utilizam prefixo (números) do teclado. pág: Formas de conexão com o DMI pág: Conexão de dados via internet pág: Conexão de dados via rede interna (intranet) pág: Conexão de dados via celular pág: Login de acesso ao DMI via rede local ou Internet pág: interface do sistema STATUS pág: Interface do sistema MAPA pág: Ampliando a imagem. pág: Visualizando mais câmeras pág: Ampliando a imagem das câmeras pág: Visualizando imagem ampliada. pág: Visualização de várias câmeras em tamanho maior pág: Visão agrupada pág: Método de monitoramento pág: Visualização de eventos gravados pág: Visualizando e exportando eventos. pág: Interface do sistema REDE pág:

4 8. Interface do sistema SISTEMA pág: Interface do sistema Sub menu Data/Hora pág: Interface do sistema Sub menu Câmeras pág: Aplicando modificações efetuadas no Sub menu câmeras pág Interface do sistema Sub menu Automação/Atuadores pág: Interface do sistema Sub menu Automação/Sensores pág: Interface do sistema Sub menu Automação/Tarefas pág: Criando uma nova tarefa pág: Ativar alarme alternativo pág: Ativar alarme principal pág: Desativar alarmes pág: Desligar atuador pág: Desligar sirene pág: Enviar comando à estação pág: Envio de (somente disponível para DMI ativado) pág: Envio de SMS (somente disponível para DMI ativado) pág: Enviar Wake on Lan pág: Inverter estado do atuador pág: Ligar atuador pág: Ligar sirene pág: Parar caso alarme não ativado pág: 60 8,20 Pausa pág: Pulso no atuador pág: Pulso na sirene pág: Exemplo de automação de uma casa de praia simulando pessoas no local: pág: Interface do sistema Sub menu Automação/Alarmes pág: Interface do sistema Sub menu Automação/Opções Pag Interface do sistema Sub menu Planta/Gráfico pág: Interface do sistema Sub menu Planta/Configuração pág: Interface do sistema Sub menu Atualizações (somente disponível para DMI ativado) pág: Interface do sistema Sub menu Usuários pág: Interface do sistema Sub menu Usuários/Adicionar/Editar pág: Alteração de senha para teclado numérico através da interface pág: Interface do sistema Sub menu Logs pág: Interface do sistema Sub menu Ativação pág: Pacote de serviços pág: Interface do sistema Sub menu Estações pág: Ativando uma nova estação pág: Visualizando uma estação já configurada pág: Estação Online pág: Estação Offline pág: Visualização de alterações de software e hardware das estações. pág: Visualização ampliada da tela da estação pág: Códigos no navegador pág: Dispostos sobre garantia do equipamento pág: Glossário pág:

5 1. INTRODUÇÃO 1.1.Uma breve descrição do DMI. É um produto pioneiro em oferecer monitoramento por vídeo, acesso a atuadores elétricos e sensores de monitoramento remotamente em um único produto inovador e autônomo com diferenciais exclusivos. Possibilita que o objeto de monitoramento, residência ou empresa possa ser visualizado em planta baixa, onde o usuário tem a opção de importar para interface MAPA através do gerenciador de plantas incluso no sistema, a imagem ou gravura, (arquivo fotográfico previamente salvo) que simbolize a planta baixa do local. Possibilita o acesso total a todos os recursos do equipamento remotamente, através de rede interna ou internet sem instalação de qualquer software cliente, sendo assim o projeto foi desenvolvido visando acesso ao sistema em qualquer computador ou dispositivo móvel com conexão ao DMI via rede local ou Internet apenas através do navegador, eliminando instalações inconvenientes de softwares que podem impossibilitar o usuário de acessar o DMI em um computador que não possua um software proprietário. O Acesso ao DMI é praticamente em tempo real, estando sujeito apenas às interferências de tráfego, ou largura de banda envolvida na conexão. O Sistema conta com constante Upgrade do software pela Internet, entre outras vantagens que serão exemplificadas neste manual O sistema é indicado para pessoas e empresas que... Desejam economia de manutenção com o sistema de monitoramento, alarme e automação. Obtendo à disposição em sua casa ou empresa a tecnologia que hoje é comum a eletrodomésticos, veículos, etc... Usuários que desejam monitorar em tempo real sua residência ou empresa, e buscam por um sistema moderno e confiável de monitoramento, alarme e automação

6 2. Descrição do DMI e suas intefaces Led Verde: Indica o acesso à memória principal e transmissão de dados Led Vermelho: Indica o status online, ligado, do dispositivo Display de mensagens: é utilizado para a interação do usuário com o DMI indicando status entre outras informações úteis ao usuário: 2.4. Teclado principal e suas funções O teclado principal possibilita funções básicas de acesso. Desligamento por senha (impossibilitando que por descuido o DMI seja desligado)

7 Reset do Sistema (voltando às configurações de IP originais de fábrica) 2.5. Receptor infravermelho (não disponível nestas versões) Possibilita acesso ao DMI via controle remoto, para acesso via menu OSD e acesso a funções avançadas do sistema Tecla de menu. Acessa funções do teclado através do uso da senha de USUÀRO 2.7. Interface USB. Inclusa para futuras atualizações de sistema (atualmente sem utilização) 2.8. Caixa de fusível geral. Acompanha fusível de reposição (250 v 5A) Ventilador de resfriamento. Com 80 mm de diâmetro, atua retirando o ar quente do interior do DMI, reduzindo a temperatura interna e aumentando seu desempenho Conector RJ45 para conexão com interface de rede. Esta interface possibilita acesso ao DMI através da rede interna ou internet Conector RJ45 para conexão com teclado externo. Possibilita a conexão com o teclado externo Conector VGA (saída para monitor). Possibilita o uso de um monitor para visualização das imagens capturadas, este monitor pode ser CRT ou LCD com cabo padrão VGA Conectores P2 Fêmea. Dispostos no hardware para futuras atualizações no sistema, como acesso infravermelho (atualmente sem função) Entrada de alimentação de energia (tri polar) Pode ser ligado em 220 v ou 110 v, conforme chave seletora. (originalmente de fábrica a chave vem selecionada em 220 v) Indispensável o uso de aterramento para o melhor funcionamento do dispositivo Chave seletora de tensão de entrada. Pode ser disposta para 220v ou 110v.(originalmente de fábrica a chave vem em 220v) 2.16.Ventilador de resfriamento (disponível em versos 16B e 16BC). Com 40 mm de diâmetro e rotação de até 3000rpm, é utilizado para inserir fluxo de ar externo no interior do DMI, reduzindo a temperatura interna e aumentando seu desempenho Entradas de vídeo RCA. Nos modelos DMI 4B e 4BC, estão disponíveis 4 entradas de vídeo RCA para conexão das câmeras. Nos modelos DMI 16B e 16BC no painel traseiro encontra-se uma conexão DB25, para conexão com chicote de cabos (incluso) para conexão com até 16 câmeras

8 Suporta câmeras de formato NTSC ou PAL (câmeras não estão inclusas no DMI) Saída 12 v para acionamento de sirene de alarme. É utilizada para interligação com uma sirene de alarme Interface para botão de pânico Possibilita instalação de um dispositivo do tipo botão de pânico, com funções e tarefas configuráveis através de navegador pela interface do sistema Conexão com módulo de automação Possibilita conexão com módulo de automação e alarme, podendo ter suas funções configuradas através de navegador pela interface do sistema. Disponível em todas as versões. 3. Descrição do Módulo de automação e segurança Disponível em modelos DMI 4BC e 16BC Pode ser adicionado também a modelos já adquiridos: DMI 4B e DMI 16B

9 3.1. Cabo de conexão com DMI. Conecta o módulo de automação ao DMI, através de um conector DB15 com cabo de extensão de 1,8m 3.2. LEDS indicadores de STATUS Conjunto de LEDS que indicam o STATUS do respectivo atuador, uma vez que o mesmo tenha sido acionado pelo sistema. Ao estar ligado o LED indica situação ligada do respectivo atuador, ao estar desligado o mesmo indica a mesma situação do atuador Chaves manuais As chaves manuais podem ser utilizadas para controlar manualmente os aparelhos ou quaisquer periféricos que estão ligados aos atuadores do sistema. Obs.: Caso um atuador esteja ligado pelo sistema, a chave manual não terá função, e caso a chave esteja ligada manualmente o atuador não exercerá função Conectores para atuadores de automação. Estão dispostos 8 bornes de conexão, cada borne faz a conexão com o atuador que poderá controlar aparelhos elétricos de carga indutiva ou resistiva, não devendo ultrapassar 5Amperes e 220v para ligação direta aos atuadores, não devendo ser ultrapassadas as tensões e cargas descritas. cargas acima das especificadas, devem ser controladas com o auxilio de contactoras elétricas mais resistentes. Através dos bornes deve-se fazer a conexão dos fios que acionarão os aparelhos elétricos que serão controlados, (utilizar o positivo ou negativo) os quais serão interrompidos ou interligados pelos atuadores de contato seco em estado NA (normalmente aberto), que funcionarão como um simples interruptor, desligando ou ligando os instrumentos e aparelhos elétricos à eles conectados. A ligação e instalação deste aparelho devem ser executadas exclusivamente por pessoal especializado

10 3.5. Fusíveis de proteção Estão dispostos 8 fusíveis respectivamente para cada atuador, para proteger

11 o sistema contra eventuais curtos circuito, ou descargas indesejadas, os fusíveis, quando substituídos, devem obedecer estritamente as indicações de fábrica, sendo de 250v 5Amperes Conectores para sensores de segurança e automação São bornes de 2 vias, sendo 8 entradas para sensores independentes, que podem ser usados para ligar sensores de segurança ou automação, (podem ser ligados mais de um sensor por canal, mas deve-se considerar que o sistema reconhecerá como sendo apenas um, não possibilitando controle individual dos mesmos pelo sistema) nestes bornes podem-se ligar os mais diversos tipos de sensores digitais, tais como; de movimento, presença, fumaça, pressão, temperatura, etc. As entradas poder receber tensão variável de 12v até 30v

12 3.7. Saída de tensão 12 v Conector de saída de tensão que disponibiliza saída de 12 v 5amperes, para alimentação de sensores, como de movimento e presença, não devendo ser conectados equipamentos que superem este consumo Entrada de alimentação 12 v Conector de entrada P4 para entrada de tensão 12 v DC que alimentará o módulo de automação e seus atuadores, deve ser utilizada fonte 12v de 500nA a 1Ampere com positivo no centro, conforme a figura a seguir Led indicador de status Ligado/Desligado Led verde indicador de status do módulo de automação, quando ligado indica que o módulo de automação está conectado à energia e em funcionamento, desligado informa o mesmo. 4 Descrição e funções do teclado externo Desligar Seleção de Alarme 4.1 Funções do teclado externo Através do teclado externo o usuário pode ter acesso as funções de desligar tanto alarme principal, como alternativo e também ativar tanto Principal quanto alternativo, além de utilizar os prefixos de 3 a 9 para tarefas pré programadas Para ativar o alarme principal: Apertando inicialmente a tecla nº 1 (em vermelho) se inicia o processo de ativação do alarme configurado como principal, em seguida deverá ser digitado os 6 dígitos de sua senha cadastrada. Após aceita a configuração o sistema aciona o sinal sonoro da sirene para indicar que o alarme foi ativado

13 Deve-se levar em conta o tempo de saída configurado no sistema no sub menu Automação/Alarmes, para que se tenha tempo hábil para deixar o local antes do sistema estar em funcionamento Para ativar o alarme alternativo: Apertando inicialmente a tecla nº 2 (em laranja) se inicia o processo de ativação do alarme configurado como alternativo, em seguida deverá ser digitado os 6 dígitos de sua senha cadastrada. Após aceita a configuração o sistema aciona o sinal sonoro da sirene para indicar que o alarme foi ativado. Deve-se levar em conta o tempo de saída configurado no sistema no sub menu Automação/Alarmes, para que se tenha tempo hábil para deixar o local antes do sistema estar em funcionamento Para desativar o alarme: Deve-se levar em conta o tempo de retardo do sensor ou câmera que identifica a entrada no local onde está o teclado que fora previamente configurado no sistema, para que se tenha tempo hábil para desativar o alarme antes que o mesmo dispare. Apertando inicialmente o nº 0 (em verde) é iniciado o processo de desativar o alarme, então o usuário em seguida deverá digitar os 6 dígitos de sua senha cadastrada. Após aceita a configuração o sistema aciona o sinal sonoro da sirene para indicar que o alarme foi desativado. Esta opção desativa quaisquer alarmes ativos no sistema (principal ou alternativo) 4.5. Led indicador de status Acende a cada toque em uma das teclas para sinalizar que a mesma tenha realmente sido acionada 4.6. Conector RJ45 Utilizado para conectar o teclado externo ao DMI O cabo para conexão com DMI deve ser de 8 vias CAT5 devendo ser crimpado em paralelo (conhecido cabo reto) com terminais RJ45 macho, não ultrapassando 30 metros, evitando utiliza-lo na mesma tubulação de energia elétrica. Não deve ser conectado á dispositivos convencionais de rede TCP-IP. Esta interface é destinada exclusivamente para conexão com teclado externo e o DMI. A seguir a imagem demonstra o diagrama de crimpagem do cabo de conexão com o DMI

14 Diagrama de crimpagem para cabo do teclado externo do DMI Plug Rj45 Pino 1 Pino 1 Laranja e Branco Laranja Verde e Branco Azul Azul e Branco Verde Marrom e Branco Marrom 5. Senhas do sistema através do teclado numérico do DMI Senha padrão de fábrica é : Alterando configurações de rede pelo teclado numérico no DMI. Aperte a tecla menu, irá aparecer no display Digite sua senha, Digite a senha de sistema (padrão de fábrica: ) ou a sua, caso já tenha alterado. Aperte a tecla ENTRAR para confirmar. Aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar ao sub menu Selecionar nº IP e aperte novamente a tecla ENTRAR Então adicione o IP desejado (nesta etapa a tecla menu irá adicionar o ponto) após concluída a sequência de números, aperte novamente a tecla ENTRAR Então adicione máscara de sub rede, (nesta etapa a tecla menu irá adicionar o ponto) após concluída a seqüência de números, aperte novamente a tecla ENTRAR Após, adicione Gateway, (nesta etapa a tecla menu irá adicionar o ponto) após concluída a seqüência de números, aperte novamente a tecla ENTRAR Por último, DNS, (nesta etapa a tecla menu irá adicionar o ponto) após concluída a seqüência de números, aperte novamente a tecla ENTRAR

15 5.2. Desligamento do sistema por senha. Aperte a tecla menu, irá aparecer no display Digite sua senha, Digite a senha de sistema (padrão de fábrica: ) ou a sua, caso já tenha alterado. Aperte a tecla ENTRAR para confirmar. Aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar ao sub menu Desligar Sistema e aperte novamente a tecla ENTRAR Após a confirmação aparecerá no display a mensagem: Desligando o Sistema O desligamento se dará entre 30 e 180 segundos Restaurando as configurações de IP originais de fábrica pelo teclado. Aperte a tecla menu, irá aparecer no display Digite sua senha, Digite a senha de sistema (padrão de fábrica: ) ou a sua, caso já tenha alterado. Aperte a tecla ENTRAR para confirmar. Aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar ao sub menu Resetar IP e aperte novamente a tecla ENTRAR Após a confirmação aparecerá no display a mensagem: IP Restaurado IP Padrão de fábrica: Trocando câmeras no monitor de visualização. Indicado para situações que o usuário esta utilizando um monitor para visualização das câmeras, diretamente no DMI. Aperte a tecla menu, irá aparecer no display Digite sua senha, Digite a senha de sistema (padrão de fábrica: ) ou a sua, caso já tenha alterado. Aperte a tecla ENTRAR para confirmar. Aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar ao menu Visualizar todas as câmeras Aperte a tecla ENTRAR para confirmar. (este habilitará todas as câmeras selecionadas na interface, que serão apresentadas no monitor) Para visualizar uma câmera específica, aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar ao menu Visualizar câmera X, para selecionar a câmera desejada, aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar a câmera que deseja, então aperte a tecla ENTRAR para confirmar

16 5.5. Ligando e desligando atuadores através do teclado numérico. Indicado para situações em que o usuário deseja alterar o estado dos atuadores, diretamente pelo teclado do DMI. Aperte a tecla menu, irá aparecer no display Digite sua senha, Digite a senha de sistema (padrão de fábrica: ) ou a sua, caso já tenha alterado. Aperte a tecla ENTRAR para confirmar. Aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar ao menu Atuadores aperte a tecla ENTRAR para confirmar. Para chegar ao atuador que deseja alterar o estado, aperte menu novamente quantas vazes for necessário até chegar ao atuador desejado, ex: Atuador X, então aperte a tecla ENTRAR para confirmar a alteração. (se o atuador estiver desligado, será ligado, se estiver ligado será desligado) 5.6. Utilizando tarefas que utilizam prefixos (números) do teclado. Esta opção é indiada para usuários que previamente criaram uma tarefa que utilize prefixos do teclado podendo ser do nº 3 até o nº 9. Para isso basta que o usuário acione o prefixo que tenha tarefa criada para ele, seguido de sua senha de usuário, então a tarefa será executada. 6. Formas de conexão com o DMI 6.1. Conexão de dados via Internet ***A conexão via Internet é possível mesmo que o usuário não possua um IP fixo, pois os serviços prestados pela ISSO incluem uma central de dados que disponibiliza ao usuário redirecionamento de DNS, que fará com que o mesmo tenha acesso direto ao DMI via internet, através de um endereço válido na rede, ex: pedro.issotecnologia.com.br acessando sua conta no site da ISSO. Com redundância de energia e banda de internet, a central de dados garante ao usuário 24horas ao dia de redirecionamento de DNS. Com criptografia diretamente no DMI, o acesso com LOGIN e SENHA de usuário é mantido em absoluta segurança. Uma vez autenticado, o usuário tem acesso direto ao DMI podendo acessar suas configurações, visualização de eventos em tempo real e também a eventos anteriores, armazenados por data e hora, bem como transferir os dados gravados no DMI para qualquer computador na rede com o qual for feita a conexão

17 ***O serviço de redirecionamento de DNS depende de o usuário aderir ou não ao contrato de prestação destes serviços. (opcional) ***Para que o serviço de redirecionamento de DNS e nome válido para acesso remoto por celular e Internet funcionem corretamente o usuário deve redirecionar uma porta específica no seu modem (em caso de internet DSL) para que esta porta forneça acesso externo diretamente ao IP utilizado pelo DMI na sua rede interna. *** Em casos de uso de outras modalidades de internet, como via rádio, via cabo, etc. Deve-se consultar o fornecedor do serviço de internet para que o mesmo lhe forneça uma porta de entrada para acesso externo ao IP utilizado pelo DMI na sua rede interna Conexão de dados via rede interna (intranet) A conexão via rede interna pode ser feita através de qualquer computador interligado ao DMI pela rede local, (LAN) acessando o IP padrão de fábrica do DMI que é , ou alterando o mesmo para o padrão utilizado pelo usuário em sua casa ou empresa. Os dados de autenticação originais de fábrica são: USUARIO: admin SENHA: admin Uma vez autenticado, o usuário tem acesso direto ao DMI, podendo acessar suas configurações, visualização de eventos e também a eventos anteriores, armazenados por data e hora, bem como transferir os dados gravados no DMI para qualquer computador na rede com o qual for feita a conexão Conexão de dados via Celular A conexão via celular pode ser feita através de qualquer aparelho que possua acesso WAP, o acesso e navegação e navegação são descritos a seguir, uma vez acessando o navegador do celular e inserindo o endereço válido na web (disponibilizado na ativação do DMI), acompanhado da porta de acesso redirecionada para o IP do DMI, ex: pedro.issotecnologia.com.br:9090 então o usuário terá acesso a uma página de LOGIN e SENHA para entrar na interface. Pode-se usar a mesma senha e nome de usuário utilizado para acesso web pelo computador. Uma vez logado ao sistema o usuário terá acesso a comandos de atuadores, e alarmes do DMI, podendo acionar através do celular, quaisquer equipamentos que estejam sob comando do DMI. Também se podem visualizar as imagens capturadas pelas câmeras diretamente através do celular, logicamente não com a mesma velocidade de visualização de um computador, tendo em vista a tecnologia utilizada por celulares WAP

18 Para outros dispositivos móveis o acesso se dará através de navegadores como Opera, Safari, ou IE pra Windows Móbile. A seguir a sequencia de visualização do sistema através do celular:

19 7. Login de acesso ao DMI via rede local ou internet O acesso pode ser feito em qualquer computador da rede local que estiver conectado ao DMI ou pela Internet, não é necessária a instalação de nenhum programa para tal, pois o usuário pode fazer o acesso usando simplesmente o navegador de internet para fazer as alterações que precisar na configuração do mesmo ou visualizar seus eventos assim como as câmeras de monitoramento. Para acesso pela rede local, o endereço IP de fábrica é : Assim que o usuário acessar o DMI, entrará na interface de login: Onde os dados originais de fábrica para o acesso são: Nome de USUÁRIO: admin Senha: admin 7.1. Interface do sistema - STATUS Assim que efetuar login no sistema do DMI, o usuário irá para página inicial de status do sistema, conforme figura a seguir. Nesta página são exibidas as configurações de fábrica do sistema, e posteriormente as configurações estabelecidas pelo usuário

20 7.2. Interface do sistema MAPA A figura a seguir demonstra um exemplo de 4 câmeras online, as quais são mostradas na tela, caso o usuário queira ampliar a imagem de uma das câmeras, basta clicar sobre a imagem de uma delas, ou clicar na figura das câmeras dispostas na planta abaixo. O usuário também pode selecionar quais câmeras serão exibidas em cada uma das telas, passando o mouse sobre a tela abre-se uma caixa de seleção onde o usuário seleciona a câmera desejada para aquela tela. Os botões na interface correspondem aos controles dos atuadores, onde, clicando sobre o mesmo, vermelho significam ligado e preto desligado, ativando ou desativando o atuador. Os ícones das câmeras correspondem a cada câmera instalada e sua localização na planta baixa do prédio (logicamente, previamente configurada na aba PLANTA da interface de sistema)

21 Visualizando mais câmeras (em DMI 16B e 16BC) Como demonstra a figura a seguir, ao clicar nas setas a direita, as telas são expandidas de 4 para 8,12, e até 16 câmeras

22 Visualizando câmeras em tela em tela inteira, clicando no ícone: Será ampliado na tela todas as câmeras ativas no sistema sendo visualizadas em tela inteira dentro do navegador, para visualizar somente as câmeras na maioria dos sistemas operacionais, pressionar a tecla F11, novamente em F11, caso queira desfazer. Alterando cores da interface Conforme demonstra a figura a seguir, ao clicar na circunferência ao lado do ícone de expansão das câmeras o usuário pode alterar as cores utilizadas na interface do sistema

23 7.3. Ampliando a imagem Ao clicar sobre uma das câmeras, o usuário entrará em outra aba da interface onde mostrará a câmera na resolução menor (50% se estiver configurada visualização em 640x480 píxeis ou 100% se estiver configurada como 320x240 píxeis), e os últimos eventos gravados da câmera em questão. Conforme mostra a figura a seguir. Clicando nos botões logo acima da imagem o usuário pode fazer uma troca rápida entre as câmeras Visualizando mais câmeras O usuário tem a opção de visualizar uma câmera em tamanho maior (50%) e outras 3 câmeras em tamanho menor, clicando nos ícones no canto inferior direito da tela de visualização da câmera, então se abrirá outra tela com as câmeras agrupadas, conforme a figura a seguir

24 7.5. Ampliando a imagem das câmeras O usuário pode aumentar o tamanho da tela de visualização da câmera clicando na caixa de seleção ao lado esquerdo da tela de visualização da câmera, como demonstra a figura a seguir

25 7.6. Visualizando imagem ampliada. Ao clicar na caixa de seleção ao lado esquerdo da câmera o usuário tem a opção selecionar o tamanho da imagem, (50% ou 100% se estiver configurada visualização em 640x480 píxeis e 100% ou 200% se estiver configurada como 320x240 píxeis), que ampliará a imagem para um tamanho de visualização maior, conforme será demonstrado na figura a seguir que ilustra a tela ampliada

26 7.7. Visualização de várias câmeras em tamanho maior. O usuário tem a opção de como no exemplo anterior clicar nos ícones na margem inferior direita da tela de visualização da câmera, podendo visualizar uma câmera maior e 3 menores, ou no estilo monitoramento, visualizando 4 câmeras simultaneamente, conforme demonstrado nas figuras a seguir

27 7.8. Visão agrupada

28 7.9. Método de monitoramento. Neste modo, o usuário tem acesso a 4 câmeras na mesma tela Visualização de eventos gravados. Ao clicar na aba MAPA o usuário pode visualizar as câmeras e também acessar a aba da interface que dará acesso aos eventos armazenados pelo sistema, conforme figura a seguir

29 Após entrar na aba de eventos armazenados, o usuário tem acesso à lista de eventos, podendo utilizar o sistema de busca avançada, onde poderá pesquisar os eventos por câmera, data específica e causa da gravação, também ordenar a busca por câmera, data e hora, causa, duração, seqüência e também por acendência ou descendência, conforme demonstrado na figura a seguir

30 7.11. Visualizando e exportando eventos. Ao clicar sobre o evento desejado, o usuário entrará em outra aba da interface que possibilitará a visualização remota do evento armazenado, conforme está demonstrado na tela a seguir. Ao entrar na aba de visualização o usuário tem as opções de visualizar a gravação em tamanho de 50% ou 100% de zoom. Escolher a velocidade de reprodução do vídeo com opção entre 1/4X até 100X Pode-se usar a barra de tempo na base inferior da tela de apresentação do vídeo para adiantar ou voltar o vídeo gravado (apenas em alguns navegadores). Clicando sobre o link [Visualizar novamente] reinicia a apresentação do vídeo. Clicando em [Remover] remove-se o evento em questão

31 Clicando em [Exportar] o usuário tem a opção de exportar o evento gravado no DMI para o computador que está fazendo o acesso, tanto pela rede interna como através da internet. Na opção de exportar o usuário pode escolher entre exportar o arquivo de vídeo em formato AVI ou exportar o seqüencial de fotos JPG gerado pelo evento, este será exportado em formato compactado ZIP. A tela apresentada para escolha do formato de exportação é semelhante à figura apresentada a seguir interface do sistema REDE Nesta página, o usuário tem acesso às configurações de rede e internet do DMI, conforme demonstra a figura a seguir. Endereço IP, o usuário poderá alterar o endereço IP do DMI de acordo com sua necessidade. Mascara de subrede, o usuário poderá alterar a configuração de acordo com o endereço que utilizar. Gateway, o usuário poderá selecionar o endereço de gateway que lhe dá acesso a internet banda larga em sua rede local

32 DNS primário, o usuário poderá adicionar um endereço de DNS válido para acesso a internet. DNS secundário, o usuário poderá adicionar um segundo endereço de DNS válido para acesso a internet. 8. Interface do sistema SISTEMA Neta aba como demonstra a figura a seguir, o usuário tem acesso as sub funções do menu Sistema e pode efetuar o desligamento ou reinício do DMI remotamente. Também é possível salvar ou restaurar as configurações que o usuário já efetuou no DMI

33 Como demonstra a figura a seguir, o usuário poderá exportas suas configurações já efetuadas, ou restaurar configurações através de arquivos que já tenha salvo Interface do sistema Sub menu Data/Hora Nesta página, conforme demonstra a figura a seguir, o usuário terá acesso às configurações de Data/Hora Câmeras Automação Planta Automação Usuários Log Ativação -- Estações. Na sessão Data/Hora, o usuário poderá acessar as configurações de sincronização pela internet. Fuso horário, data, e hora em tempo real que será utilizada pelo DMI em suas gravações

34 8.2. Interface do sistema Sub menu Câmeras Na primeira aba de configurações de câmeras, como mostra a figura a seguir, o usuário tem acesso à: Habilitar ou não a saída de vídeo: Utilizada para habilitar saída de vídeo para monitor ligado diretamente ao DMI, onde possa visualizar as imagens te todas as câmeras, ou apenas uma que pode ser especificada. Resolução: Pode ser configurada a resolução da imagem que pode ser de 320X240 ou 640X480 Compressão para visualização: Configurar a compressão de vídeo para visualização (aconselha-se maior compressão em casos de visualização pela internet por meio de conexões de internet com banda baixa, inferior a 1Mbits/s). Compressão para armazenamento: Configurar a compressão de vídeo para gravação e armazenamento. (aconselha-se para usuários que querem manter o espaço de armazenamento capaz de fazê-lo por um período mais extenso) Reduzir entrelaçamento: Esta opção torna a imagem mais nítida, mesmo com câmeras de baixa qualidade de linhas por quadro, porém reduz a taxa de quadros por segundo gravadas e visualizadas. Pode-se definir a redução de entrelaçamento nos níveis: Mínimo, Normal e Máximo. Configuração das imagens: Neste campo, estão as configurações básicas de contraste, brilho, saturação e cor, além de contar ao lado com um botão de ajuste automático de contraste. Quaisquer mudanças nas definições têm efeito imediato. Para voltar às configurações originais e fábrica, basta clicar no botão: Redefinir

35 Na aba seguinte, pode-se selecionar uma câmera específica e conforme demonstra a figura a seguir, o usuário tem acesso as configurações conforme demonstradas

36 ATIVAR Este Tópico ativa a câmera quando selecionado, ou desativa quando não estiver selecionado. TIPO - Neste tópico pode-se optar por classificar a câmera como local (cabeada) ou remota (câmera IP) NOME Neste tópico, o usuário poderá modificar o nome de cada câmera, de acordo com o ambiente em que estiver instalada. FUNÇÂO Neste tópico o usuário poderá escolher o método de funcionamento que deseja que a câmera opere, podendo escolher uma das opções e clicar em salvar configurações, logo abaixo. Monitoramento sem gravação Gravação contínua Gravação por detecção de movimento. FORMATO Neste tópico o usuário poderá escolher entre os modos de vídeo NTSC ou PAL, de acordo com a câmera instalada. ORIENTAÇÂO Neste tópico o usuário poderá configurar a orientação da

37 câmera em 6 posições diferentes: Normal Girar a Direita Inverter Girar a Esquerda Espelhar Horizontalmente Espelhar Verticalmente DURAÇÃO DOS EVENTOS: Possibilita ao usuário escolher o tamanho do intervalo, em minutos, do arquivo que será gravado. DESCARTAR QUADROS: Neste tópico o usuário pode optar em gravar todos os quadros capturados ou descartar certa quantidade entre intervalos de quadros, também se pode fazer o mesmo para visualização, diminuindo a taxa de transferência durante a visualização (indicado para reduzir o tamanho dos pacotes enviados através da rede, garantindo que possa ser visualizado pela internet) Configurando Tipo de câmera: Ao selecionar o tipo de câmera pode-se optar por local ou remota Selecionando-se LOCAL a configuração se dará para câmeras ligadas diretamente ao DMI via cabo. Selecionando-se REMOTA a configuração será para câmeras IP que precisam de uma configuração adicional específica, conforme demonstra figura a seguir: Estas configurações são específicas para cada câmera IP, conforme seu fabricante, geralmente podem ser encontradas no manual de cada câmera a ser configurada. Configurando gravação por movimento: Ao selecionar gravação por detecção de movimento, deve-se salvar a configuração, então após salvo, clicar em configurar ao lado da função, abrindo uma nova aba conforme demonstra a figura a seguir

38 Para criar uma nova zona de detecção de movimento, basta clicar sobre o link Adicionar nova zona ou caso já tenha uma configurada clicando sobre a imagem, aparecem duas opções, editar esta zona ou remover esta zona. Ao clicar em editar ou adicionar uma nova zona, o método para dimensionar a zona desejada é simples, bastando clicar sobre o ponto desejado uma vez para que de AZUL passe à VERMELHO, e clicar novamente onde deseja que o ponto fique situado, e assim por diante nos demais pontos. Para criar mais pontos ou eliminar pontos, basta selecionar um e clicar em + ou - e depois de finalizada a criação da zona pode-se escolhe o nível de sensibilidade para gravação do evento, entre baixa, média e alta como demonstra a figura a seguir

39 Aplicando modificações efetuadas no Sub menu câmeras Conforme demonstrado na figura a seguir, no sub menu câmeras, após efetuar determinadas modificações e salva-las aparecera na parte superior do navegador uma tarja vermelha solicitando a aplicação da modificação, então o usuário poderá seguir efetuando outras modificações e salvando-as, após terminar toda a configuração desejada, ao clicar sobre a tarja o sistema é então reestruturado para se adequar as modificações feitas. Caso o usuário saia do sistema sem efetuar logof, simplesmente fechando navegador, as modificações ficarão pendentes aguardando aplicação pelo usuário que modificou sistema, para que não fique aparecendo a tarja aguardando aplicação das modificações, deve-se reinicializar o DMI. Mesmo que outro usuário entre no sistema, se houver modificações pendentes, uma mensagem será exibida, identificando a necessidade de aplicação das mesmas, que só pode ser aplicada pelo usuário que iniciou a modificação

40 8.3.Interface do sistema Sub menu Automação/Atuadores ***Somente disponível em DMI que tenha integrado módulo de automação. (DMI 4BC e DMI 16BC) Conforme demonstra a figura a seguir, nesta página o usuário tem acesso às configurações dos atuadores do módulo de automação entre outras tarefas, podendo configurar remotamente até 8 equipamentos elétricos

41 Atuadores O módulo de automação dispõe de 8 atuadores elétricos de contato reversível totalmente configuráveis que têm por função atuar remotamente sobre equipamentos elétricos no ambiente onde for instalado. Os atuadores desligam ou ligam qualquer dispositivo com tensão de até 5amperes até 240 v, ligados à eles. Os atuadores estão normalmente em estado NA (normalmente abertos/desligados) Configuração de atuadores Conforme visualizado na figura anterior, cada atuador possui configuração de uso independente. ATIVAR: É possível escolher qual atuador será utilizado ou não, clicando sobre a caixa de verificação ATIVAR

42 TIPO: Normal fará com que, quando o atuador for acionado manualmente pela interface ou por tarefas, execute a função básica de desligar ou ligar o atuador. (comum para controlar a maioria dos dispositivos elétricos) Pulso fará com que, quando o atuador for acionado manualmente pela interface ou por tarefas, execute apenas um pulso, que pode ser configurada entre 50 milisegundos até milisegundos. (comum para controlar a maioria dos portões eletrônicos e fechaduras eletrônicas) NOME: Cada atuador pode ser nomeado de acordo com a necessidade do usuário. DESCRIÇÃO: Este campo pode ser usado para uma breve descrição sobre onde e como está sendo utilizado o referido atuador. RESTAURAR ESTADO APÓS DESLIGAMENTO: Ao ser selecionado este item faz com que o estado do atuador seja restaurado após um eventual desligamento do DMI por queda de energia ou outro fator. 8.4 Interface do sistema Sub menu Automação/Sensores ***Somente disponível em DMI que tenham integrados módulo de automação. O módulo possui também 8 sensores distintos de entrada digital por contato seco, que são ativados quando se faz ou desfaz a conexão entre seus pontos de contato. (podem ser utilizados sensores de presença, fumaça, conexão, etc.) Os sensores funcionam pelo simples fechamento do circuito nas extremidades dos bornes ou se for utilizado tensão nos contatos dos bornes estas devem ser utilizadas num faixa de 12v a 30v. Conforme demonstra a figura a seguir, cada sensor pode ser configurado especificamente para o uso à que se destinará. NOME: Utilizado para identificar o sensor no ambiente de instalação. TIPO: Pode-se selecionar lógica invertida normalmente utilizada para uso com sensores de presença e movimento. Normal para sensores do tipo reed switch, utilizados em portas, janelas e botões de pânico

43 DESCRIÇÃO: Pode ser adicionada uma breve descrição sobre a função do sensor em questão Interface do sistema Sub menu Automação/Tarefas Nesta aba do sistema, conforme demonstra a figura a seguir, o usuário tem acesso as tarefas já configuradas, podendo excluí-las ou editá-las, bem como criar novas tarefas. Pode-se também utilizar o campo ATIVAR, que quando selecionado deixa a tarefa ativa, e se desmarcado deixará a tarefa inativa

44 Clicando nos Botões Adicionar nova tarefa ou Editar Tarefa o usuário tem acesso aba de configurações, conforme figura a seguir, podendo personalizar cada tarefa de acordo com sua necessidade, configurando desde data e horário até funções que venham a desencadear as ações a serem tomadas. Nesta aba o usuário tem acesso a todas as configurações que fazem parte do sistema de automação, podendo utilizar as ações programáveis como simples tarefas de automação, desligando e ligando uma lâmpada, bem como ações complexas ligadas ao sistema de alarme incorporado ao módulo de automação e ao DMI, executando envio de mensagens SMS para celular ou de acordo com as configurações desejadas

45 8.6. Criando uma nova tarefa: Podem ser adicionadas até 256 tarefas que serão automaticamente executadas pelo DMI, conforme descrito abaixo. Ao clicar no botão Adicionar nova tarefa abre-se uma nova tela onde o usuário dará início a criação da nova tarefa, conforme figura a seguir: Clicando em [Editar] ao lado do título: Nova Tarefa abres-se uma nova tela onde o usuário poderá nomear a tarefa conforme quiser, como demonstra a figura a seguir, após clicar em OK, o nome editado será salvo

46 Após nomear a tarefa, o passo seguinte será clicar em [Editar] ao lado do título Dia(s) da semana e definir o(s) dia(s) da semana desejado(s) para que a tarefa atue, como demonstra a figura a seguir: Aparecerá então outra tela, conforme demonstra a figura a seguir, então o usuário poderá escolher quais os dias deseja que atue a tarefa que está sendo criada, para finalizar a configuração deve-se clicar em OK, assim salvando a configuração dos dias. O Passo seguinte será clicar em [Editar] ao lado do título Horário(s) de atuação e definir o(s) horário(s) desejado(s), como demonstra a figura a seguir:

47 Ao clicar em [Editar] aparecerá outra tela, conforme demonstrará a próxima figura, onde, clicando em + o usuário definirá o(s) horário(s) de atuação da tarefa, caso seja para atuação 24Hs deve-se selecionar 00:00:00 até 23:59:59 Ao clicar em + outra tela dará ao usuário as opções de horários, como demonstra a próxima figura:

48 Pode-se criar até 10 ocorrências de intervalos de horários para a mesma tarefa, para cada horário a mais deve-se clicar no link +, após clicar em OK as configurações serão salvas. A seguir o usuário ainda tem a opção de fazer com que a tarefa entre em atividade forçada pela ativação do Alarme (principal ou alternativo) mesmo que não esteja num dos horários ou dias programados para ela, ou mesmo sem nenhum horário ou dia estiver programado. Também se pode configurar a permissão de múltiplas instâncias da tarefa ou apenas uma execução, ex: caso sensor detecte movimento, ligar lâmpada, caso já tenha executado a tarefa, não tem a necessidade de refazê-lo. A figura a seguir demonstra os campos a serem configurados

49 Em seguida, clicando em [Editar] ao lado do título Evento(s) que desencadeiam a tarefa o usuário irá definir quais situações irão acionar a tarefa que está sendo criada, conforme figura a seguir: Ao clicar em [Editar] abre-se uma nova tela onde o usuário irá acrescentar os eventos que desencadearão a tarefa que está sendo criada, conforme a próxima figura demonstra, ao clicar em + pode-se ir adicionando eventos. Ao clicar em + conforme a figura a seguir, abre-se oura tela onde o usuário pode selecionar um a um os eventos que acionarão a tarefa e sua ordem cronológica. Pode-se optar entre eventos por Câmera, Sensor, Botão de pânico, Horário ou Prefixo do teclado numérico

50 O usuário poderá adicionar a ocorrência de até 10 eventos para a mesma tarefa. A figura a seguir mostra a seleção de evento por movimento na câmera, o usuário deve entender que só poderá selecionar evento por detecção de movimento em uma das câmeras se previamente a mesma estiver configurada para gravação por detecção de movimento. A opção por sensor pode adicionar qualquer dos 8 sensores habilitados no sistema, podendo ser selecionado Houver movimento/presença como demonstrado na próxima figura. A opção de adicionar eventos desencadeados por sensores só estará disponível em versões de DMI que tenham instalado módulo de automação e alarme

51 Ainda na Opção sensor, como demonstra a figura abaixo, pode-se também selecionar a opção Não houver atividade por mais de: ao selecionar esta opção pode-se selecionar todos os sensores, ou um à um e também o período de inatividade que pode variar de 30 segundos, com intervalos de 30 segundos até 180 minutos. A seguir conforme mostra a figura, o usuário tem a opção de adicionar evento desencadeado pelo botão de pânico, o qual quando acionado, desencadeará a tarefa

52 O usuário ainda tem a opção de adicionar um evento por horário, assim à tarefa criada será acionada quando o horário determinado pelo usuário for atingido, sendo que o usuário pode criar quantidade de horários que lhe convir desde que não ultrapasse as 10 ocorrências no total dos eventos que desencadeiam a tarefa. Na opção seguinte, conforme demonstra a figura, o usuário pode escolher um determinado prefixo do teclado de 3 até 9, o qual acionará a tarefa quando algum usuário fazer login com sua senha numérica pelo teclado do DMI ou pelo teclado externo apertando antes um dos prefixos de 3 até 9. Após o usuário ter escolhido e adicionado cada evento que desencadeará a tarefa, o próximo passo, como demonstra a figura a seguir é selecionar as ações que serão executadas pela tarefa

53 Ao clicar em [Editar] se abrirá uma nova tela onde o usuário dará inicio a seleção de ações a serem executadas, clicando em + como demonstra a figura a seguir. Após clicar em + outra tela se abrirá, dando ao usuário as opções de ações a serem executadas, sendo elas: Ativar Alarme Alternativo, Ativar Alarme Principal, Desativar Alarmes, Desligar Atuador, Desligar Sirene, Enviar Comando à Estação, Enviar , Enviar SMS, Enviar Wake On Lan, Inverter estado do atuador, Ligar Atuador, Ligar Sirene, Parar caso Alarme não ativado, Pausa, Pulso no Atuador, Pulso na Sirene, conforme figura a seguir

54 8.7. Ativar Alarme Alternativo Ao selecionar este comando, conforme a figura a seguir, quando a tarefa for executada acionará o alarme alternativo e também quaisquer tarefas que tenham sido assinaladas para forçar tarefa quando alarme alternativo for acionado Ativar Alarme Principal Ao selecionar este comando, conforme a figura a seguir, quando a tarefa for executada acionará o alarme principal e quaisquer tarefas que tenham sido assinaladas para forçar tarefa quando alarme principal for acionado

55 8.9. Desativar Alarmes esta opção fará com que sejam desativados quaisquer alarmes acionados (principal ou alternativo) e também quaisquer tarefas ou funções ligadas aos alarmes, principal e alternativo que estavam para entrar em vigor com um dos alarmes ativados. A figura abaixo demonstra a tela de seleção desta opção Desligar Atuador, esta função desligará o atuador escolhido pelo usuário, sendo que este faz parte do sistema de automação, então o usuário poderá controlar através de tarefas quaisquer componentes elétricos que tenham sido ligados aos atuadores, desde luzes, fechaduras elétricas, entre outros equipamentos elétricos. A figura abaixo demonstra a tela de configurações dos atuadores

56 8.11. Desligar Sirene Esta opção fará com que seja desligada a sirene. Indicado para tarefas que envolvam alarme, ou para qualquer tarefa que o usuário achar conveniente, conforme a tela demonstrada na figura a seguir Enviar Comando à Estação Esta opção pode ser utilizada para enviar um determinado comando a uma estação de trabalho cadastrada no DMI Como demonstra a figura a seguir, podem-se selecionar os comandos: Desligar / Reiniciar/Enviar mensagem e Enviar Alerta

57 8.13. Envio de Está limitado a 1000 (mil) s mensais que poderão ser enviados através de tarefas do DMI, para serem utilizados nas configurações de tarefas que o usuário for criar. A figura a seguir demonstra a tela de configuração de envio de , onde o usuário preencherá destinatário, assunto e mensagem Envio de SMS (mensagem de texto para celular) Ao selecionar esta opção, o usuário pode adicionar o número desejado ex: xx, para qual será enviada mensagem SMS e também pode adicionar um texto à mensagem. OBS: O número de celular deve vir sempre antecedido do código de área da cidade sem espaço ou hífen, formando um conjunto de 10 dígitos seguidos. O envio de SMS pode ser configurado para quantos números de celular o usuário achar necessário

58 Mensagens SMS estarão disponíveis para DMI que for ativado no site uma vez ativado será disponibilizado o envio de SMS através do DMI. Obs. Consulte no site sobre disposições do contrato de prestação de serviços Enviar Wake on Lan Com esta opção o usuário poderá ativar qualquer computador ligado à rede local que dê suporte a este tipo de ação, para ligar um computador ou computadores através de um comando de rede, basta configurá-lo para tal diretamente na BIOS do computador ou computadores que serão ligados, então no campo endereço MAC na criação da tarefa, colocar o endereço físico da placa de rede do computador ou computadores que deseja ligar. Exemplo de tarefa: Pode-se configurar uma tarefa por horário, por exemplo, para ligar os computadores de uma empresa pela manhã. A figura abaixo demonstra a tela de seleção desta opção

59 8.16. Inverter estado do Atuador, esta função simplesmente inverterá o estado do atuador escolhido pelo usuário, sendo que se estiver ligado, será desligado, ou vice versa. A figura abaixo demonstra a tela de configurações dos atuadores Ligar Atuador, esta função acionará o atuador escolhido pelo usuário, sendo que este faz parte do sistema de automação, então o usuário poderá controlar através de tarefas quaisquer componentes elétricos que tenham sido ligados aos atuadores, desde luzes, fechaduras elétricas, entre outros equipamentos elétricos. Deve-se levar em conta a capacidade de carga de cada atuador, estipulado no próprio módulo de automação, que não deve ultrapassar 5Amperes. A figura abaixo demonstra a tela de configurações dos atuadores

60 8.18. Ligar Sirene Esta opção fará com que seja acionada a sirene. Indicado para tarefas que envolvam alarme, ou para qualquer tarefa que o usuário achar conveniente, conforme a tela demonstrada na figura a seguir Parar caso alarme não ativado Nesta opção o usuário pode criar uma tarefa como descrita no exemplo anterior, no caso de alguém ativar o alarme, quaisquer tarefas que estejam sendo executadas, no momento que o alarme for desativado, deixarão de ser executadas. A figura abaixo demonstra a tela de seleção desta opção Pausa Esta função pode ser usada para as mais variadas funções, ao selecioná-la o usuário pode adicionar em segundos uma pausa na ação a ser desencadeada, levando sempre em consideração a ordem cronológica das ações, que serão de acordo com a ordem que for adicionada nas tarefas. Exemplo de uma tarefa para alarme: Nesta não serão preenchidos dias da semana, nem horário de atuação,

61 apenas marcada a opção Forçar a ativação desta tarefa quando o alarme Principal estiver acionado, o evento que desencadeara a tarefa será movimento no sensor 2, a ação as ser executada terá a seguinte ordem: Pausa de 15 segundos, parar caso alarme não ativado, ligar sirene, enviar SMS. Desta forma, caso alguém entre no local com o alarme ativado, terá 15 segundos para desligá-lo, do contrario, a sirene será ligada e um SMS avisando a intrusão no local será enviado. Logicamente existem uma infinidade de opções de uso para quaisquer ações a serem selecionadas, mas este exemplo serve de base para o usuário iniciar suas configurações. A figura abaixo demonstra a tela de configuração de Pausa Pulso no Atuador Conforme demonstra a figura a seguir, pode-se selecionar o comando de pulso no atuador desejado, desde que o mesmo esteja previamente configurado para pulso, o qual executará um pulso conforme o tempo que estiver selecionado na configuração do mesmo na aba atuadores

62 8.22. Pulso na Sirene Conforme demonstra a figura a seguir, pode-se selecionar o comando de pulso na sirene, a qual executará um pulso na sirene, o qual pode ser utilizado nas tarefas para situações em que o usuário achar conveniente Exemplo de automação de uma casa de praia simulando pessoas no local: Serão criadas 3 tarefas, uma tarefa para ligar as luzes da varanda (atuador 1) e as luzes internas (atuador 2) e a televisão (atuador 3) segunda, terças e quartas as 18:00 e neste horário ativar o alarme principal e envia um confirmando a tarefa. Será chamada de Ligar Luzes e alarme. Outra para desligar as luzes da varanda (atuador 1) e as luzes internas (atuador 2) e a televisão (atuador 3) terças, quartas e quintas as 07:00 e neste horário desativar o alarme principal e envia um confirmando a tarefa. Será chamada de Desligar Luzes e alarme. E outra tarefa como alarme principal, independente do dia ou horário, quando o alarme estiver ativado, caso haja detecção de movimento na câmera 2 e 4 de quatro instaladas ou sensores 1,3,4 de 4 instalados, terá uma pausa de 20 segundos para desarmar o alarme, se for pessoal da casa, senão, ativa a sirene, liga luzes dos fundos (atuador 4), do pátio (atuador 5) e envia uma mensagem de SMS e um avisando a intrusão e parar caso o alarme for ativado. Será chamada de Alarme Principal. A seguir diagramas que exemplificarão as ações do DMI para automatizar as funções de uma tarefa criada para ser executada automaticamente pelo DMI em determinadas situações

63 Diagrama de execução de uma tarefa Ligar Luzes e alarme Desativada Não executa Ativa Executa Dias de execução Seg. Terç. Quart. Quint. Sext. Sab. Dom Executa Não Ativ. Alarme Alternativo Horários Não executa Não executa Não Ativ. Alarme Principal 00:00 até as 23:59 Horas Outros horários Executa Executa várias instâncias da tarefa Não Ativ. Não executa Ativado Executa Eventos que desencadeiam ação Outros eventos Não executa Atingir 18:00 horas Executa Ações a serem executadas Outras ações Lig. Atu. 1 Lig. Atu. 2 Lig. Atu. 3 Não executa Ativa Alarme Principal Envia confirmando

64 Diagrama de execução de uma tarefa Desligar Luzes e alarme Desativada Não executa Ativa Executa Dias de execução Terç. Quart. Qint. Sext. Sab. Dom. Seg. Executa Não Ativ. Alarme Alternativo Horários Não executa Não executa Não Ativ. Alarme Principal 00:00 até as 23:59 Horas Outros horários Executa Executa várias instâncias da tarefa Não Ativ. Não executa Ativado Executa Eventos que desencadeiam ação Outros eventos Não executa Atingir 18:00 horas Executa Ações a serem executadas Outras ações Desl. Atu. 1 Desl. Atu. 2 Desl. Atu. 3 Não executa Desativa Alarme Principal Envia confirmando

65 Diagrama de execução de uma tarefa Alarme Principal Desativada Ativa Não executa Executa Não Ativ. Alarme Alternativo Dias de execução Não executa Não Ativ. Alarme Principal Ativado Não Selecionado Não executa Executa Horários Executa várias instâncias da tarefa Não Ativ. Ativado Não Selecionado Não executa Não executa Executa Eventos que desencadeiam ação Outros eventos Mov. Câm 2 Mov. Câm 4 Não executa Mov. Sen. 1 Mov. Sen. 3 Mov. Sen. 4 Executa Ações a serem executadas Outras ações Pausa de 20 segundos Não executa Parar caso alarme não ativado Não Ativ. Não executa Ativado Executa Lig. Atu. 4 Lig. Atu. 5 Liga Sirene Envia SMS Envia

66 9. Interface do sistema Sistema Automação/Alarme Nesta aba, conforme demonstra a figura a seguir, o usuário tem acesso a ativação e desarme do sistema de alarme do DMI, podendo remotamente executar as seguintes alterações: Pausa ao ativar alarme via teclado: Nesta função o usuário pode escolher uma pausa ao ativar um dos alarmes via teclado do DMI ou teclado externo. Serve para ocasiões em que o usuário irá ativar o alarme via teclado e precisará de certo período para sair do local. Desativar todos os alarmes Desabilita todas as tarefas que o usuário tenha pré-configurado como sistema de alarme, sendo Principal ou Alternativo Ativar alarme principal: Ativa todas as tarefas vinculadas apenas a esta configuração. É a configuração efetuada pelo usuário como sendo a de teor principal, ex: Todos os sensores de alarme e câmeras funcionando como sistema de alarme, enfim... Logicamente, deve-se anteriormente criar uma tarefa para alarme principal, não tendo que necessariamente ter tantas funções. Ativar alarme alternativo: Ativa todas as tarefas vinculadas apenas a esta configuração. É a configuração efetuada pelo usuário como sendo a de teor alternativo, ex: Apenas alguns sensores de alarme ou câmeras funcionando como sistema de alarme, para que o usuário possa permanecer no local, ou mesmo se não quiser que um determinado setor tenha cobertura pelo sistema de alarme. Logicamente, deve-se anteriormente criar uma tarefa para alarme principal, não tendo que necessariamente ter tantas funções

67 9.1 Interface do sistema Sistema Automação/Opções Nesta aba o usuário pode configurar o intervalo de tempo de tentativas de envio de mensagens SMS ou para um mesmo endereço. Para garantir o envio de mensagens o sistema tenta automaticamente mais de uma vez, então caso já tenha sido enviada com sucesso no período configurado, a mesma não será enviada novamente

68 10. Interface do sistema Sub menu Planta/Gráfico Como demonstra a figura a seguir, nesta aba o usuário pode inserir uma figura que simbolizará a planta do local de instalação do DMI, este gráfico pode ser uma plana baixa do local, digitalizada, ou um projeto em 3D em formato de imagem. Clicando no Botão procurar o usuário poderá buscar uma imagem salva na rede ou em qualquer dispositivo de armazenamento que seja no formato JPG, GIF ou PNG, então a seguir basta clicar no botão enviar e a imagem será posicionado na aba MAPA fazendo a função de planta do sistema. A caixa de diálogo que pode ser marcada faz com que a imagem mesmo sendo menor seja maximizada para preencher a área destinada a planta na aba MAPA Interface do sistema Sub menu Planta/Configuração Nesta aba, como demonstra a figura a seguir, o usuário pode configurar a disposição dos botões de acionamento dos atuadores e figuras que simbolizam as câmeras, para que estes simbolizem os locais de onde estão instalados atuadores e câmeras. As figuras que simbolizam as câmeras instaladas podem ser giradas na tela, observando que cada clique do mouse sobre a figura gira 10 no sentido horário, para chegar a posição desejada basta continuar clicando até atingila. Após ter efetuado as mudanças desejadas das posições e cada figura, basta clicar no botão salvar para que as alterações tenham efeito. As figuras que simbolizam as câmeras e os botões de atuadores que não forem movidas permanecerão na mesma posição que estavam

69 11. Interface do sistema Sub menu Atualizações Conforme a figura a seguir, nesta aba o usuário tem acesso as configurações referentes a atualizações do sistema, onde podem ser ativadas como automáticas, (para isso o DMI deve estar online na internet) ou pode fazer as atualizações manualmente clicando em Buscar atualizações agora. As atualizações novas estarão sempre disponíveis nos servidores da empresa ISSO para DMI que estiver ativado

70 12. Interface do sistema Sub menu Usuários Conforme demonstrado na figura a seguir, nesta aba o usuário pode adicionar ou alterar as configurações para cada usuário

71 13. Interface do sistema Sub menu Usuários/Adicionar/Editar Conforme demonstrado na figura a seguir, ao clicar no botão adicionar usuário para criar um novo, e clicando no botão excluir pode-se remover o usuário, sendo que o usuário administrador não pode ser removido, ou editar usuário para um já existente podendo configurar o nome para o usuário, senha de acesso ao DMI, senha de acesso ao teclado externo e teclado do DMI bem como os níveis de permissões que serão atribuídas ao usuário, no caso de visualização apenas, pode-se selecionar quais câmeras terá acesso, no caso de visualização e automação, quais câmeras e atuadores o usuário terá acesso. Depois de efetuadas as configurações, basta clicar em OK para que as mesmas tenham efeito. Deve-se ter em mente que uma vez modificado a senha de administrador a mesma deve ser lembrada ou anotada pelo usuário para que possa acessar novamente o DMI pela interface. Em caso de esquecimento da senha do teclado numérico, pode-se ainda modificá-la pela interface, mas caso seja esquecida a senha de acesso à interface, para fins de segurança, o usuário deverá entrar em contato com o suporte da ISSO através do site

72 13.1. Alteração de senha para teclado numérico através da interface: Para alterar a senha utilizada no teclado numérico, o usuário deve acessar a interface do sistema pelo browser, ir até a aba SISTEMA e sub menu USUÁRIOS, selecionar o usuário para qual deseja alterar a senha numérica e clicar no ícone editar, conforme demonstrado na figura a seguir

73 Ao entrar na interface de edição do usuário, outra tela se abrirá, onde o usuário poderá fazer a alteração da senha numérica conforme a figura a seguir. 14. Interface do sistema Sub menu LOG Nesta aba, conforme demonstra a figura a seguir, o usuário tem acesso a todos os logs, registrados pelo sistema, quaisquer eventos desencadeiam um

74 log que fica armazenado em formato de texto, o mesmo pode ser exportado em formato XLS podendo ser aberto em planilhas exel, para que sejam feitas verificações posteriores pelo usuário, indicando quem e em que horário acessou o sistema, quais configurações foram modificadas, quais tarefas foram executadas etc... Ficam armazenadas até ocorrências de log e podem ser exportadas até 5000 ocorrências. Para fazer a exportação dos logs registrados basta clicar no botão exportar, então será gerado um arquivo no formato xls. 15. Interface do sistema Sub menu Ativação

75 Nesta aba o usuário terá acesso aos dados cadastrais do DMI, caso já tenha sido ativado, data da ativação, conta em que foi ativado etc... Caso o DMI ainda não esteja ativado, ao clicar no botão ativar o usuário será direcionado ao site onde, se ainda não tiver cadastro, deverá fazê-lo abrindo uma conta de usuário no site, recebendo um nome de usuário e senha de acesso a sua conta e acessar a interface de gerenciamento do seu DMI, após completo o cadastro o usuário deve então retornar a aba de ativação do DMI para reiniciar o processo, após ativado o DMI terá todos os recursos relacionados aos serviços desenvolvidos para otimizar o funcionamento do DMI. Acessando sua conta de usuário no site o usuário terá acesso a listagem de DMI ativo ou ativos em sua conta, bem como o status de cada um com referência ao último contato efetuado entre a central de dados da ISSO e o DMI. O usuário logo após ativar o DMI poderá então efetuar as configurações para acesso remoto do DMI através da internet e celular, conforme a tela seguinte: Ao clicar em configurar o usuário tem acesso a aba de configurações avançadas, podendo criar uma breve descrição para seu DMI, em seguida criar um nome para acesso pela internet e celular, ex:

76 seunome.issotecnologia.com.br e então configurar a porta que redirecionará o acesso externo ao IP utilizado pelo DMI através de seu link de internet. A abertura da porta que redirecionará o acesso externo ao IP utilizado pelo DMI, deve ser configurada pelo usuário no seu Modem DSL, ou o usuário deve solicitar este serviço ao seu provedor de internet, via cabo ou wireless quando for o caso. Através de sua conta no site o usuário terá também acesso à listagem das mensagens de e SMS enviadas através do DMI e pelo sistema de monitoramento da central de dados da ISSO, assim o usuário terá controle sobre a quantidade de mensagens SMS e enviado, além de poder também ter uma relação de extrato mensal do envio de mensagens, conforme demonstra a figura a seguir. O usuário deve estar ciente que a ativação do DMI é opcional, não sendo obrigatória, porém o DMI não terá acesso aos serviços destinados a otimização do sistema, conforme dispostos a seguir:

77 15.1. Pacote de serviços: Envio de SMS Envio de Redirecionamento de DNS Monitoramento de atividade do DMI Atualizações automáticas do sistema Durante o processo de ativação, caso o usuário tenha dúvidas ou não consiga executar sozinho a tarefa, pode solicitar ajuda na área de suporte do site 16. Interface do sistema Sub menu Estações Nesta aba o usuário tem acesso às estações de trabalho (computadores) cadastradas no DMI, conforme demonstra a figura a seguir, para cadastrar uma nova estação basta clicar no botão: É necessário instalar o aplicativo Cliente DMI nas estações e seguir as instruções de configuração do software Cliente. O Software Cliente DMI, deve ser instalado na estação (computador) desejado e deve iniciar juntamente com sistema operacional. Uma vez cadastrada a estação, o software Cliente DMI monitora o hardware e software do equipamento, ficando registrada no sistema qualquer modificação física ou se software que seja feita na estação de trabalho. Com a estação online pode-se ter acesso a imagem da tela da estação em tamanho reduzido ou ampliado. Com a estação offline permanecem no sistema as ultimas configurações e modificações registradas pelo sistema

78 16.1. Ativando uma Nova Estação Para cadastrar uma nova estação no DMI basta seguir as instruções conforme a figura abaixo, e posteriormente configurar o IP ou endereço na WEB do DMI que fará o monitoramento no software Cliente DMI que ficará instalado na estação de trabalho Visualizando uma estação já configurada Após selecionar a estação desejada, conforme demonstram as figuras a seguir, o usuário terá acesso a Imagem capturada da tela da estação, logo abaixo as funções que podem ser direcionadas à estação, Desligar, Reiniciar, Enviar Mensagem e Enviar Alerta, além de uma completa descrição da configuração de hardware e software da estação.além das configurações o usuário pode visualizar a imagem ampliada da tela da estação que é atualizada a cada 10 segundos em média, esta taxa de atualização de quadros reduzida foi criada para não sobrecarregar a rede, mas dando ao usuário uma real noção do que está sendo executado na estação visualizada

79 16.3. Estação Online:

80 16.4. Estação Off-line:

81 16.5 Visualização de alterações de software e hardware das estações. Ao clicar no link que identifica se houve modificações na estação, abre-se outra tela que mostrará a lista de modificações por data e hora. Em seguida, clicando sobre um dos itens da lista, abre-se outra tela com a descrição completa da modificação, sendo ela de software ou hardware. As imagens a seguir demonstram os passos para visualização das modificações

DMI. Dispositivo de Monitoramento Inteligente DMI TCR 88ES

DMI. Dispositivo de Monitoramento Inteligente DMI TCR 88ES DMI Dispositivo de Monitoramento Inteligente 1 DMI TCR 88ES Prezado Consumidor, A ISSO atua em diversos projetos envolvendo novas tecnologias, na área de TI, equipamentos elétricos e eletrônicos, equipamentos

Leia mais

Manual. Rev 2 - junho/07

Manual. Rev 2 - junho/07 Manual 1.Desbloquear o software ------------------------------------------------------------------02 2.Botões do programa- --------------------------------------------------------------------- 02 3. Configurações

Leia mais

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI

Comm5 Tecnologia Manual de utilização da família MI. Manual de Utilização. Família MI Manual de Utilização Família MI ÍNDICE 1.0 COMO LIGAR O MÓDULO... pág 03 e 04 2.0 OBJETIVO... pág 05 3.0 COMO CONFIGURAR O MÓDULO MI... pág 06, 07, 08 e 09 4.0 COMO TESTAR A REDE... pág 10 5.0 COMO CONFIGURAR

Leia mais

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client?

Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Produto: CL Titânio Assunto: Quais as funções que podem ser executadas no software client? Assim que abrir o DVR Client, no canto superior direito há um grupo de opções denominado Login, preencha de acordo

Leia mais

Sistema irá modular até 32 câmeras: Você pode conectar de 1 até 32 câmeras.

Sistema irá modular até 32 câmeras: Você pode conectar de 1 até 32 câmeras. MANUAL DO SISTEMA Introdução Apresentação Requisitos mínimos Instalação do programa Acessando o Secullum DVR Tela Principal Indicador de espaço em disco Disposição de telas Status de Gravação Usuário atual

Leia mais

Manual do usuário. Mobile Client

Manual do usuário. Mobile Client Manual do usuário Mobile Client Mobile Client Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para a sua instalação e operação e traz

Leia mais

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS

NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS NVS (Servidor de vídeo em rede) e Câmeras IPS Guia rápido de usuário (Versão 3.0.4) Nota: Esse manual pode descrever os detalhes técnicos incorretamente e pode ter erros de impressão. Se você tiver algum

Leia mais

Manual de Instruções SOFTWARE DVISION PROTECTION DVR

Manual de Instruções SOFTWARE DVISION PROTECTION DVR Manual de Instruções SOFTWARE DVISION PROTECTION DVR ÍNDICE DESCRIÇÃO................................................. PÁG. 1 - Configuração necessária para o bom funcionamento................... 03 2

Leia mais

PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO

PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO PAINEL DE ALARME GUIA DE INSTALAÇÃO Active 20 GPRS Rev00 23/04/2009 1- CARACTERÍSTICAS GERAIS 8 Zonas duplas programáveis, mais 1 zona por teclado; 4 Teclados endereçáveis com programações independentes;

Leia mais

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev P27070 - Rev. 0 1. RESTRIÇÕES DE FUNCIONAMENTO RECEPTOR IP ÍNDICE 1. Restrições de Funcionamento... 03 2. Receptor IP... 03 3. Inicialização do Software... 03 4. Aba Eventos... 04 4.1. Botão Contas...

Leia mais

Digifort Enterprise A mais completa solução Digifort para monitoramento de câmeras e alarmes.

Digifort Enterprise A mais completa solução Digifort para monitoramento de câmeras e alarmes. Digifort Enterprise A mais completa solução Digifort para monitoramento de câmeras e alarmes. A versão Enterprise é o pacote que compreende todos os recursos disponíveis para o Sistema Digifort, oferecendo

Leia mais

Controladora Biométrica Bio SA

Controladora Biométrica Bio SA Manual do usuário Controladora Biométrica Bio SA 1 2 Manual do usuário Parabéns, você acaba de adquirir um produto desenvolvido com qualidade e segurança Citrox. Este manual foi desenvolvido para ser uma

Leia mais

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR;

Vid8 Servidor. Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Vid8 Servidor Versão 8.13.0411 Correção da conexão com o GME, quando placa VP-1616F com 32 canais; Versão 8.12.0311 Correção da conexão com o GME, quando configurado em modo DVR; Versão 8.11.0311 Correção

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER

MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER 1 MANUAL DO USUÁRIO ARENA 13 CONTROL CENTER 2 TERMO DE CONFIDENCIALIDADE As informações contidas neste documento são confidenciais e se constituem em propriedade da BLOCKSAT SISTEMAS DE SEGURANÇA LTDA

Leia mais

Primeira parte: operações básicas

Primeira parte: operações básicas Esta linha de DVR EXVISION foi projetada especialmente para as áreas de segurança e vigilância, e é um excelente produto em termos de vigilância digital. Ele possuiu um sistema operacional LINUX integrado

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.4.1 26 de agosto de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Manual do Usuário. Camera IP GREATEK

Manual do Usuário. Camera IP GREATEK Manual do Usuário Camera IP GREATEK SEGI-1G Por favor leia o Manual do Usuário cuidadosamente garantindo uma utilização correta deste produto e guarde este manual para uma referencia futura. Indice 1-Características...

Leia mais

Mirasys VMS 7.3. Manual do usuário Workstation

Mirasys VMS 7.3. Manual do usuário Workstation Mirasys VMS 7.3 Manual do usuário Workstation CONTEÚDOS Conteúdos... 2 Antes de começar... 3 Iniciando a sessão... 4 Interface de usuário... 8 Navegador... 11 Câmeras... 20 Saídas de Vídeo... 37 Saídas

Leia mais

Guia de consulta rápida DVR HD

Guia de consulta rápida DVR HD Guia de consulta rápida DVR HD Primeira parte: Operações Básicas... 2 1. Instalação básica... 2 2. Arranque... 2 3. Desligar... 2 4. Iniciar sessão... 2 5. Pré- visualização... 3 6. Configuração da gravação...

Leia mais

Indice. Indice.1. 6.1- Reprodução Local...18. 6.2- Reprodução Remota...19

Indice. Indice.1. 6.1- Reprodução Local...18. 6.2- Reprodução Remota...19 Indice Indice.1 1. Introdução...2 1.1. Ambiente de Operação...2 1.2. Instruções de Instalação...2 2. Instalação e desinstalação...3 2.1. Instalação...3 2.2. Desinstalação...4 2.3. Reparo...5 3. Operação

Leia mais

Índice. 1. Características técnicas

Índice. 1. Características técnicas Termo de garantia A ELETROPPAR - Indústria Eletrônica Ltda., localizada na rua Carlos Ferrari nº 2651, Distrito Industrial, Garça/SP, CEP 17400-000, CNPJ 02.748.434/0001-08, IE 315.026.341.111 garante

Leia mais

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem

1. Introdução. 2. Conteúdo da embalagem 1 1. Introdução / 2. Conteúdo da embalagem 1. Introdução O Repetidor WiFi Multilaser é a combinação entre uma conexão com e sem fio. Foi projetado especificamente para pequenas empresas, escritórios e

Leia mais

MANUAL DE FUNÇÕES DO DVR

MANUAL DE FUNÇÕES DO DVR MANUAL DE FUNÇÕES DO DVR Flash Systems - Manual de Funções do DVR Manual de Funções do DVR Descrevemos aqui as principais funções do DVR. Para acesso, na tela inicial do DVR, clique o botão direito do

Leia mais

Guia Rápido de Instalação. VNT 7704 e VNT 7708

Guia Rápido de Instalação. VNT 7704 e VNT 7708 Guia Rápido de Instalação VNT 7704 e VNT 7708 Conteúdo 1. Instale o HD... 3 1.1. Instale o HD... 3 2. Conexões... 3 2.1. Vista traseira do DVR de 04 canais... 3 2.2. Vista traseira do DVR de 08 canais...

Leia mais

STCOM NVR Plus Manual do usuário

STCOM NVR Plus Manual do usuário STCOM NVR Plus STCOM NVR Plus Manual do usuário STCOM NVR Plus Página 2 Índice 1 Prefácio... 3 Principais módulos:... 4 2. Introdução ao Servidor NVR... 5 2.1 Entrar e sair no sistema... 5 2.2 Introdução

Leia mais

Câmera CFTV Digital Sem Fio

Câmera CFTV Digital Sem Fio Câmera CFTV Digital Sem Fio Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

INFORMATIVO DE PRODUTO

INFORMATIVO DE PRODUTO Temporizador Automático / Relógio Programador de Horário Para Acionamento Automático de Sirenes e Outros Equipamentos Código: AFKITPROG 2 O REGISTRADOR ELETRÔNICO DE PONTO REP O Relógio Acionador Automático

Leia mais

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados.

Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO. Versão: 1.0 Direitos reservados. Bem Vindo GDS TOUCH Manual de utilização GDS Touch PAINEL TOUCH-SCREEN CONTROLE RESIDENCIAL INTERATIVO O GDS Touch é um painel wireless touchscreen de controle residencial, com design totalmente 3D, interativo

Leia mais

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário Índice 1. Introdução...3 2. Requisitos Mínimos de Instalação...3 3. Instalação...3 4. Inicialização do Programa...5 5. Abas de Configuração...6 5.1 Aba Serial...6 5.2 Aba TCP...7 5.2.1 Opções Cliente /

Leia mais

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda.

Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Manual do equipamento Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. +55 41 3661-0100 Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis - Pinhais/PR - Brasil CEP: 83322-010 CNPJ: 01.245.055/0001-24 Inscrição

Leia mais

CONTATTO MANUAL DE INSTRUÇÕES

CONTATTO MANUAL DE INSTRUÇÕES 0800 550 250 www.ppa.com.br CONTATTO MANUAL DE INSTRUÇÕES MOTOPPAR INDÚSTRIA E COMÉRCIO DE AUTOMATIZADORES LTDA. Av. Dr. Labieno da Costa Machado, 3526 - Distrito Industrial CEP 17400-000 - Garça - SP

Leia mais

Manual de Instalação, Configuração e utilização do MG-Soft Server

Manual de Instalação, Configuração e utilização do MG-Soft Server Manual de Instalação, Configuração e utilização do MG-Soft Server V 1.7 www.pinaculo.com.br (51) 3541-0700 Sumário Apresentação... 3 1. Instalando o MG-Soft Server... 3 1.1. REQUISITOS MÍNIMOS... 3 1.2.

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.2.2 18 de fevereiro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é

Leia mais

Manual Digifort Explorer Cliente de Monitoramento Versão 6.2.0.0 Rev. A

Manual Digifort Explorer Cliente de Monitoramento Versão 6.2.0.0 Rev. A Manual Digifort Explorer Cliente de Monitoramento Versão 6.2.0.0 Rev. A 2 Cliente de Monitoramento - Versão 6.2.0.0 Índice Part I Bem vindo ao Manual do Digifort Explorer 4 1 Screen... Shots 4 2 A quem...

Leia mais

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6

1 Introdução... 4. Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5. 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Índice 1 Introdução... 4 Características... 4 Requisitos do Dispositivo... 5 2 Conhecendo o dispositivo... 6 Verificação dos itens recebidos... 6 Painel Frontal... 7 Painel Traseiro... 8 3 Conectando o

Leia mais

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Índice ANTES DE VOCÊ COMEÇAR... 4 PRÉ-REQUISITOS... 4 SCREEN SHOTS... 4 A QUEM SE DESTINA ESTE MANUAL... 4 COMO UTILIZAR ESTE MANUAL... 4 Introdução... 5 INSTALANDO

Leia mais

Operação Básica. Login no Sistema

Operação Básica. Login no Sistema INDICE Operação Básica... 1 1. Logon no Sistema... 1 2. Menu Principal... 1 3. Configurando Gravação... 2 4. Detecção de Movimento... 2 5. Reprodução... 4 6. Configuração de Rede... 6 7. Serviços de Rede...

Leia mais

Procedimento de configuração para usuários VONO

Procedimento de configuração para usuários VONO Adaptador de telefone analógico ZOOM Procedimento de configuração para usuários VONO Modelos 580x pré configurados para VONO 1 - Introdução Conteúdo da Embalagem (ATENÇÃO: UTILIZE APENAS ACESSÓRIOS ORIGINAIS):

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CÓD.:682-0

GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CÓD.:682-0 WPS Roteador Wireless 300N GWA-101 5dBi Bi-Volt GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA CÓD.:682-0 Roteador Wireless 300Mbps Guia de Instalação Rápida REV. 2.0 1. Introdução: O Roteador Wireless 300Mbps, modelo 682-0

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Eagle Rastreamento Veicular

Eagle Rastreamento Veicular Softech Software Brasil Ltda. Eagle Rastreamento Veicular Softech Tecnologia em Software Versão 1.4.0.0 13 2 Introdução Objetivo do manual de instruções O presente manual foi elaborado com o objetivo de

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

PAINEL DE ALARME VERSÃO 01

PAINEL DE ALARME VERSÃO 01 PAINEL DE ALARME VERSÃO 01 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS 8 Zonas duplas programáveis, mais 1 zona por teclado; 4 Teclados endereçáveis com programações independentes; 95 usuários, 3 usuários temporários, além

Leia mais

Características... 3. Identificando a placa... 3. Esquema de ligação... 3. Parâmetros programados no painel de alarme... 4

Características... 3. Identificando a placa... 3. Esquema de ligação... 3. Parâmetros programados no painel de alarme... 4 P18640 - Rev. 0 Índice Características... 3 Identificando a placa... 3 Esquema de ligação... 3 Parâmetros programados no painel de alarme... 4 Instalação do software programador... 4 Instalação do cabo

Leia mais

Manual do usuário. isic 5 - Android

Manual do usuário. isic 5 - Android Manual do usuário isic 5 - Android isic 5 - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. O novo aplicativo Intelbras isic 5 possui tecnologia capaz de visualizar

Leia mais

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário

Security Shop MRS. Media Relay System. Manual do Usuário Página 1 de 20 Security Shop MRS Media Relay System Manual do Usuário Página 2 de 20 Conteúdos: Conteúdos:... 2 Figuras:... 3 1. Introdução... 4 1.1 Âmbito do Documento... 4 1.2 Terminologia... 4 2. GERAL...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO Receptor Móvel de TV Digital Full HD I INSTRUÇÃO DE SEGURANÇA... 5 II INTRODUÇÃO... 6 III MENU DE OPERAÇÃO... 8

MANUAL DO USUÁRIO Receptor Móvel de TV Digital Full HD I INSTRUÇÃO DE SEGURANÇA... 5 II INTRODUÇÃO... 6 III MENU DE OPERAÇÃO... 8 Sumário I INSTRUÇÃO DE SEGURANÇA... 5 II INTRODUÇÃO... 6 II.2. Características...6 III MENU DE OPERAÇÃO... 8 III.2. - EPG...10 III.3. Pesquisa de canal...11 III.4. Pesquisa automática...11 III.5 Pesquisa

Leia mais

Monitor Digital Interno VPIP

Monitor Digital Interno VPIP Imagem Meramente Ilustrativa Monitor Digital Interno VPIP Manual de Referência e Instalação Sumário 1. Parâmetros Técnicos... 3 2. Funções Básicas... 4 3. Instalação... 4 4. Conexões... 5 5. Operação de

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO NextCall Gravador Telefônico Digital

MANUAL DO USUÁRIO NextCall Gravador Telefônico Digital MANUAL DO USUÁRIO NextCall Gravador Telefônico Digital DEZEMBRO / 2010 NEXTCALL GRAVADOR TELEFÔNICO DIGITAL Obrigado por adquirir o NextCall. Este produto foi desenvolvido com o que há de mais atual em

Leia mais

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores

Attack 1.35. Software de controle e Monitoração de amplificadores Attack 1.35 Software de controle e Monitoração de amplificadores 1 Índice 1 Hardware necessário:... 3 1.1 Requisitos do computador:... 3 1.2 Cabos e conectores:... 3 1.3 Adaptadores RS-232 USB:... 4 1.4

Leia mais

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line)

Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Manual de Utilização do Sistema GRServer Cam on-line (Gerenciamento de Câmeras On-line) Criamos, desenvolvemos e aperfeiçoamos ferramentas que tragam a nossos parceiros e clientes grandes oportunidades

Leia mais

Manual do Aplicativo NSE Mobile Control

Manual do Aplicativo NSE Mobile Control INSTALAÇÃO DO APLICATIVO Acesse www.nse.com.br/downloads-manuais e baixe os programas de acordo com o dispositivo que irá utilizar, nos links referentes ao produto número 1 - Módulo MTCP-3E4S. - Para uso

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I

Estado do Rio Grande do Sul PREFEITURA MUNICIPAL DE PELOTAS S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I S.A.F.- DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO 1/5 ANEXO I MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO CENTRAIS DE ALARMES O presente memorial tem por objetivo descrever as instalações do sistema de proteção

Leia mais

Inteligência Embarcada Módulo de Inteligência Embarcada

Inteligência Embarcada Módulo de Inteligência Embarcada Inteligência Embarcada Módulo de Inteligência Embarcada - Para acessar o módulo deve-se ir ao menu FERRAMENTAS, sub-menu INTELIGÊNCIA EMBARCADA. O menu, ilustrado abaixo, contém as seguintes opções: Configurando

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

Manual do Usuário. TVA Digital

Manual do Usuário. TVA Digital Manual do Usuário TVA Digital AF_Manual_TV_SD_8.indd 1 AF_Manual_TV_SD_8.indd 2 Parabéns por escolher a TVA Digital! Além de optar por uma excelente programação, você terá uma série de recursos e interatividade.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 Conteúdo 1. LogWeb... 3 2. Instalação... 4 3. Início... 6 3.1 Painel Geral... 6 3.2 Salvar e Restaurar... 7 3.3 Manuais... 8 3.4 Sobre... 8 4. Monitoração... 9 4.1 Painel Sinóptico...

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração MG-Soft

Manual de Instalação e Configuração MG-Soft Manual de Instalação e Configuração MG-Soft V 1.5.3 www.pinaculo.com.br (51)3541-0700 Sumário Apresentação... 3 1. Instalando o MG-Soft Server... 3 1.1. Liberar as portas do Firewall... 3 1.2. Autorun...

Leia mais

Manual do Aplicativo de Configurações

Manual do Aplicativo de Configurações Registrador Eletrônico de Ponto Manual do Aplicativo de Configurações Henry Equipamentos Eletrônicos e Sistemas Ltda. Rua Rio Piquiri, 400 - Jardim Weissópolis Código Postal 83.322-010 Pinhais - Paraná

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de imagem via celular (isic) para sistema operacional BlackBerry

MANUAL DO USUÁRIO. Software de imagem via celular (isic) para sistema operacional BlackBerry MANUAL DO USUÁRIO Software de imagem via celular (isic) para sistema operacional BlackBerry Software de imagem via celular para sistema operacional BlackBerry Parabéns, você acaba de adquirir um produto

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL

CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL Secretaria Municipal de Educação SME Coordenadoria de Tecnologia da Informação e Comunicação CTIC Núcleo de Tecnologia Municipal NTM CONCEITOS BÁSICOS DE REDES E FIREWALL Amauri Soares de Brito Mário Ângelo

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0

Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 Manual do Teclado de Satisfação Local Versão 1.6.0 09 de novembro de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação é uma

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006

SOLUTION. Painel Convencional de Alarme de Incêndio. SOLUTION - Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio. Revisão 1.1 Maio de 2006 SOLUTION Painel Convencional de Alarme de Incêndio TABELA DE CONTEÚDO Capitulo 1: Descrição do Produto... 2 1.1: Características...2 1.2: Especificações...2 Capitulo 2: Lógica de Detecção e Alarme de Incêndios...

Leia mais

Guia do Usuário da Matriz Virtual do Avigilon Control Center. Versão 5.6

Guia do Usuário da Matriz Virtual do Avigilon Control Center. Versão 5.6 Guia do Usuário da Matriz Virtual do Avigilon Control Center Versão 5.6 2006-2015 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedida por escrito, nenhuma licença

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO PROGRAMADOR DE ALARMES MOD. EB-15

MANUAL DE OPERAÇÃO DO PROGRAMADOR DE ALARMES MOD. EB-15 Empresa Brasileira de Engenharia, Sistemas e Tecnologia MANUAL DE OPERAÇÃO DO PROGRAMADOR DE ALARMES MOD. EB-15 EBEST COM. DE PROD. ELETRÔNICOS LTDA http://www.ebest-eng.com.br ebest-eng@uol.com.br Av.

Leia mais

TUTORIAL INSTALAÇÃO DA ROTINA 2075 NO LINUX

TUTORIAL INSTALAÇÃO DA ROTINA 2075 NO LINUX Apresentação O departamento de varejo da PC Sistemas inovou seu produto de frente de caixa, permitindo seu funcionamento no sistema operacional do Linux com a distribuição Ubuntu. O cliente poderá usar

Leia mais

Compacta e de fácil programação possuindo:

Compacta e de fácil programação possuindo: '(6&5,d (6*(5$,66/$; Sua central de alarme 6/ ± $;, é microcontrolada, com quatro setores independentes, com fios ou sem fios (dependendo dos opcionais instalados), controle remoto e discador telefônico,

Leia mais

CMS 2.0 NAZDA. Cms2.0 User Manual

CMS 2.0 NAZDA. Cms2.0 User Manual CMS 2.0 NAZDA Cms2.0 User Manual Parabéns por adquirido o nosso DVR! Este manual foi concebido para ser uma ferramenta de referência para a instalação e funcionamento do sistema de monitoramento remoto

Leia mais

Manual do Radioserver

Manual do Radioserver Manual do Radioserver Versão 1.0.0 Alex Farias (Supervisão) Luiz Galano (Comercial) Vinícius Cosomano (Suporte) Tel: (011) 9393-4536 (011) 2729-0120 (011) 2729-0120 Email: alex@smartptt.com.br suporte@smartptt.com.br

Leia mais

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2

Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2 Página 1 de 14 Guia de Instalação ATA (Adaptador de Terminal Analógico) Modelo PAP2-NA Este guia irá ajudá-lo a instalar o seu ATA,

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup MANUAL DO USUÁRIO Software de Ferramenta de Backup Software Ferramenta de Backup Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para

Leia mais

DSS H.264 DVR. Guia de instalação rápida V1.0.2

DSS H.264 DVR. Guia de instalação rápida V1.0.2 DSS H.264 DVR Guia de instalação rápida V1.0.2 1. Instalação de Disco Rígido Aviso! Recomendamos para instalar com segurança utilizar HDD SATA. Certifique-se de que a energia não esteja desligada antes

Leia mais

Manual de Instalação e Operação RECIP

Manual de Instalação e Operação RECIP Manual de Instalação e Operação RECIP AMNNIPC012.00 05/09 Índice 1. RECOMENDAÇÕES IMPORTANTES...1 2. DESCRIÇÃO DO PRODUTO...1 3. INSTALAÇÃO...1 4. CONFIGURAÇÃO O RECIP...3 4.1 JANELA PRINCIPAL...3 4.2

Leia mais

LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 Atualizado em 13/11/06

LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 Atualizado em 13/11/06 LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE: 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 Atualizado em 13/11/06 MANUAL DE PROGRAMAÇÃO DO MÓDULO GUARITA HCS 2005 - Versão 4.04 Bem vindo ao guia rápido

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 - MANUAL

Leia mais

Software Ativo. Operação

Software Ativo. Operação Software Ativo Operação Página deixada intencionalmente em branco PROTEO MANUAL OPERAÇÃO SUMÁRIO 1 - INSTALAÇÃO DO SOFTWARE ATIVO... 5 2 CRIANDO PROJETO UVS/ TMS PROTEO... 10 2.1 - Estrutura do Projeto...

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. para tv TV101

MANUAL DO USUÁRIO. para tv TV101 MANUAL DO USUÁRIO adaptador android para tv TV101 Índice Exibição do Produto 03 Instruções para Uso 03 Menu Principal 04 Configurações de Wi-Fi 04 Navegando por Arquivo ou Pasta 05 Conexão USB 06 Instalando/

Leia mais

MÓDULO UNIVERSAL GPRS GVU10

MÓDULO UNIVERSAL GPRS GVU10 1 Apresentação. MÓDULO UNIVERSAL GPRS GVU10 1.1 Características. - Compatível com todos os softwares de monitoramento do mercado; - Programação simplificada inteiramente por USB via pendrive; - Comunica

Leia mais

Manual do usuário. Intelbras isic5 Tablet - Android

Manual do usuário. Intelbras isic5 Tablet - Android Manual do usuário Intelbras isic5 Tablet - Android Intelbras isic5 Tablet - Android Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual irá auxiliá-lo na instalação

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO ETHERNET BOX MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO E.P.M. Tecnologia e Equipamentos Ltda. Av. Comendador Gumercindo Barranqueiros, 285 Jardim Samambaia - Jundiaí SP CEP: 13211-410 Telefone (0xx11) 4582-5533

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO PROGRAMADOR DE ALARMES MOD. EB-14

MANUAL DE OPERAÇÃO DO PROGRAMADOR DE ALARMES MOD. EB-14 MANUAL DE OPERAÇÃO DO PROGRAMADOR DE ALARMES MOD. EB-14 EBEST COM. DE PROD. ELETRÔNICOS LTDA http://www.ebest-eng.com.br ebest-eng@uol.com.br Av. Otávio Braga de Mesquita, 1299, 2 andar SL 7 GUARULHOS

Leia mais

DVR 16CH H.264-480 FPS

DVR 16CH H.264-480 FPS TVCR301 DVR 16CH H.264-480 FPS Gravador Digital (16CH) DVR 16 CH 480FPS H.264 Características Modelo Compacto; Instalação sem ferramentas (Tool-Free); Controles: Botão Liga/Desliga, system reset switch;

Leia mais

Manual de Instalação. BC-2C Módulo GPRS

Manual de Instalação. BC-2C Módulo GPRS Manual de Instalação BC-2C Módulo GPRS INTRODUÇÃO O BC-2C Módulo GPRS Pináculo é um conversor de comunicação que se conecta a qualquer painel de alarme monitorado que utilize o protocolo de comunicação

Leia mais

Manual do Usuário CFCWeb BA

Manual do Usuário CFCWeb BA ÍNDICE Acesso ao sistema... 2 Tela Principal... 3 Cadastro de Candidatos... 5 Agenda Teórico... 6 Agenda Prático... 7 Consulta Agendamentos do Candidato por Serviço... 9 Cadastro de Grade Horária... 10

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

T-530. Características. Características técnicas TELE ALARME MICROPROCESSADO. Aplicação

T-530. Características. Características técnicas TELE ALARME MICROPROCESSADO. Aplicação 12 T-530 TELE ALARME MICROPROCESSADO Aplicação Equipamento desenvolvido a fim de realizar automaticamente discagens telefônicas para aviso de alarme. Podendo ser implementado praticamente à todos os sistema

Leia mais

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9

Apresentação...3. Vantagens...3. Instalação...4. Informações Técnicas...5. Especificações Técnicas...9 1 ÍNDICE Apresentação...3 Vantagens...3 Instalação...4 Informações Técnicas...5 Especificações Técnicas...9 2 APRESENTAÇÃO: O SS100 Moto é um rastreador exclusivo para Motos desenvolvido com os mais rígidos

Leia mais

Manual de utilização do STA Web

Manual de utilização do STA Web Sistema de Transferência de Arquivos Manual de utilização do STA Web Versão 1.1.7 Sumário 1 Introdução... 3 2 Segurança... 3 2.1 Autorização de uso... 3 2.2 Acesso em homologação... 3 2.3 Tráfego seguro...

Leia mais

www.lojatotalseg.com.br

www.lojatotalseg.com.br Manual do Aplicativo de Configurações J INTRODUÇÃO Este manual visa explicar a utilização do software embarcado do equipamento Prisma. De fácil utilização e com suporte a navegadores de internet de todos

Leia mais

Diferentes modos para visualizar gravações no Software HMS Client

Diferentes modos para visualizar gravações no Software HMS Client Diferentes modos para visualizar gravações no Software HMS Client O Software HMS Client permite visualização de imagens de 3 maneiras diferentes: Imagens dos dispositivos (Mini Câmeras e NVRs) gravadas

Leia mais

ITSCAM ITSLUX/SUPERLUX GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA

ITSCAM ITSLUX/SUPERLUX GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA ITSCAM ITSLUX/SUPERLUX GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA Versão 2.0 Julho 2013 linhas 300 a 411 GUIA DE INSTALAÇÃO RÁPIDA - ITSCAM-ITSLUX/SUPERLUX Para a instalação rápida da ITSCAM-ITSLUX/SUPERLUX, devem-se seguir

Leia mais

Connect-i Manual do Usuário - Português

Connect-i Manual do Usuário - Português Connect-i Manual do Usuário - Português Connect-i Manual do Usuário Contronics Automação Ltda. Rua Tenente Silveira, 225 Ed. Hércules - 10 andar Centro - Florianópolis - SC, 88010-300 Brasil Fone: (48)

Leia mais

PC-DVR 16/32CH 480 FPS

PC-DVR 16/32CH 480 FPS TVCR202 Foto meramente ilustrativa PC-DVR 16/32CH 480 FPS Gravador Digital (16+16CH) DVR 16/32 CH 480FPS Características Rack 4U e versões em 3U, 2U e 1U disponíveis para os modelos: TVCR 202-L, TVCR 202-3

Leia mais

Gravação e Transmissão

Gravação e Transmissão O D-Guard Center é um poderoso sistema de controle e monitoramento, integrado aos mais diversos equipamentos de segurança eletrônica. Ilimitados dispositivos podem ser controlados e monitorados simultaneamente:

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais