Perda Auditiva Induzida Pelo Ruído

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Perda Auditiva Induzida Pelo Ruído"

Transcrição

1

2 Anatomia do Ouvido O ouvido consiste em três partes básicas o ouvido externo, o ouvido médio, e ouvido interno.

3 Perda da audição, por lesão do ouvido interno, provocada pela exposição ao ruído ou à vibração existentes nos ambientes de trabalho. Nomes Alternativos Surdez Ocupacional Perda Auditiva Induzida pelo Ruído (PAIR)

4 Cada parte serve para uma função específica para interpretar o som. O ouvido externo serve para coletar o som e o levar por um canal ao ouvido médio. O ouvido médio serve para transformar a energia de uma onda sonora em vibrações internas da estrutura óssea da ouvido médio e finalmente transformar estas vibrações em uma onda de compressão ao ouvido interno. O ouvido interno serve para transformar a energia da onda de compressão dentro de um fluido em impulsos nervosos que podem ser transmitidos ao cérebro. As três partes do ouvido podem ser vistas no próximo slide:

5

6 O Ouvido Externo Consiste da orelha e um canal de aproximadamente dois cm. A orelha serve para proteger o ouvido médio e prevenir danos ao tímpano. A orelha também canaliza as ondas que alcançam o ouvido para o canal e o tímpano no meio do ouvido. Devido ao comprimento do canal, ele é capaz de amplificar os sons com freqüências de aproximadamente 3000 Hz. À medida que o som propaga através do ouvido externo, o som ainda está na forma de uma onda de pressão, que é uma seqüência alternada de regiões de pressões mais baixas e mais altas. Somente quando o som alcança o tímpano, na separação do ouvido externo e médio, a energia da onda é convertida em vibrações na estrutura óssea do ouvido.

7 O Ouvido Médio O ouvido médio é uma cavidade cheia de ar, consistindo na bigorna e três pequenos ossos interconectados - o martelo, a bigorna e o estribo. O tímpano é uma membrana muito durável e bem esticada que vibra quando a onda a alcança. Como mostrado acima, uma compressão força o tímpano para dentro e a rarefação o força para fora. Logo, o tímpano vibra com a mesma freqüência da onda. Como ela está conectada ao martelo, os movimentos do tímpano colocam o martelo, a bigorna, e o estribo em movimento com a mesma freqüência da onda. O estribo é conectado ao ouvido interno. Assim, as vibrações do estribo são transmitidas ao fluido do ouvido médio e criam uma onda de compressão dentro do fluido. Os três pequenos ossos do ouvido médio agem como amplificadores das vibrações da onda sonora. Devido à vantagem mecânica, os deslocamentos da bigorna são maiores do que a do martelo. Além disso, como a onda de pressão que atinge uma grande área do tímpano é concentrada em uma área menor na bigorna, a força da bigorna vibrante é aproximadamente 15 vezes maior do que aquela do tímpano. Esta característica aumenta nossa possibilidade de ouvir o mais fraco dos sons. O ouvido médio é uma cavidade cheia de ar que é conectada ao tubo de Eustáquio e à boca. Esta conexão permite a equalização da pressão das cavidades cheias de ar do ouvido. Quando esta passagem fica congestionada devido a um resfriado, a cavidade do ouvido é impossibilitada de equalizar sua pressão; isto frequentemente leva a dores de ouvido e outras dores.

8 Perda Auditiva Induzida Pelo Ruído

9

10 FISIOLOGIA DO OUVIDO A onda sonora funciona como as ondas do mar, porém, ao invés de moverem a água, movem o ar. Esta vibração do ar ao alcançar o tímpano, movimenta o sistema tímpano-ossicular, que irá amplificar em 60dB este som e transmiti-lo à orelha interna. Na orelha interna o som é decodificado, nas diversas freqüências e enviado ao cérebro, para a nossa percepção. Tudo isso em milésimos de segundo e ocorrendo continuamente. Para que este sistema funcione perfeitamente é necessário que a pressão do ar na orelha média seja igual à pressão do meio externo. O ar presente na orelha média é constantemente absorvido pela circulação sanguínea. A tuba auditiva é responsável pela reposição deste ar, sempre que engolimos ou bocejamos; principalmente em situações de variação de pressão externa, como em viagens para as serras, vôos e mergulhos em profundidade.

11

12 CUIDADOS COM OS OUVIDOS NÃO SE DEVE USAR COTONETES DENTRO DO CANAL AUDITIVO! EVITAR AMBIENTES MUITO RUIDOSOS E SONS EM VOLUME MUITO ELEVADO! EVITAR AUTOMEDICAÇÃO

Sistema Sensorial. Biofísica da Audição

Sistema Sensorial. Biofísica da Audição Sistema Sensorial Biofísica da Audição Falar pelos cotovelos... Ouvir pelos joelhos... SENTIDO DA AUDIÇÃO - FINALIDADE Detectar predadores, presas e perigo Comunicação acústica intra - específica Som propagação

Leia mais

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA

ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA ESPECIALIZAÇAO EM CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO ACÚSTICA INTRODUÇÃO É o segmento da Física que interpreta o comportamento das ondas sonoras audíveis frente aos diversos fenômenos ondulatórios. Acústica

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana OUVIDO: SENTIDO DA AUDIÇÃO E DO EQUILÍBRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais)

Anatomia e Fisiologia Humana OUVIDO: SENTIDO DA AUDIÇÃO E DO EQUILÍBRIO. DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) Anatomia e Fisiologia Humana OUVIDO: SENTIDO DA AUDIÇÃO E DO EQUILÍBRIO DEMONSTRAÇÃO (páginas iniciais) 1ª edição novembro/2006 OUVIDO: SENTIDO DA AUDIÇÃO E DO EQUILÍBRIO SUMÁRIO Sobre a Bio Aulas... 03

Leia mais

ÓRGÃOS DOS SENTIDOS (2)

ÓRGÃOS DOS SENTIDOS (2) Disciplina: Biologia Série: 6ª série - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Órgãos dos sentidos (2) ÓRGÃOS DOS SENTIDOS (2) A Audição O ouvido é o órgão coletor dos estímulos externos,

Leia mais

O Ouvido Humano e a Audição

O Ouvido Humano e a Audição 36 Capítulo 4 O Ouvido Humano e a Audição Neste capítulo faremos um estudo sobre o ouvido humano, a fisiologia da audição e a sensibilidade do nosso sistema auditivo. 1. Conceitos básicos sobre a anatomia

Leia mais

INTRODUÇÃO À ACÚSTICA

INTRODUÇÃO À ACÚSTICA INTRODUÇÃO À ACÚSTICA 1. Introdução As sociedades industriais com o seu desenvolvimento tecnológico têm contribuído para o aumento dos níveis de ruído, sendo um dos principais factores de risco para a

Leia mais

Resumo sobre o Sistema Auditivo Humano

Resumo sobre o Sistema Auditivo Humano Universidade Federal de Minas Gerais Pampulha Ciências da Computação Resumo sobre o Sistema Auditivo Humano Trabalho apresentado à disciplina Processamento Digital de Som e Vídeo Leonel Fonseca Ivo 2007041418

Leia mais

CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS.

CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS. FÍSICA PROF. HELTON CAPÍTULO 08/ MÓDULO 01: ONDAS. MOVIMENTO PERIÓDICO Um fenômeno é periódico quando se repete identicamente em intervalos de tempos iguais. Exemplos: DEFINIÇÕES: Amplitude: distância

Leia mais

Treinamento de Prot. Auditiva. Treinamento aos usuários de protetores auriculares

Treinamento de Prot. Auditiva. Treinamento aos usuários de protetores auriculares Treinamento de Prot. Auditiva Treinamento aos usuários de protetores auriculares 1 Objetivo Reconhecer o agente físico ruído Conhecer os efeitos à saúde causado por exposição ao ruído Conhecer os tipos

Leia mais

O Sentido da Audição Capítulo10 (pág. 186)

O Sentido da Audição Capítulo10 (pág. 186) O Sentido da Audição Capítulo10 (pág. 186) - Possibilita a percepção de sons diversos (fala, canto dos pássaros, barulho das ondas do mar, chacoalhar das folhas ao vento); - Os sons são transmitidos por

Leia mais

Plano de Aula CIÊNCIAS. Escutando os sons

Plano de Aula CIÊNCIAS. Escutando os sons Plano de Aula CIÊNCIAS Escutando os sons Escutando os sons. 08 p.; il. (Série Plano de Aula; Ciências) ISBN: 1. Ensino Fundamental Ciências 2. Ser humano e saúde 3. Educação Presencial I. Título II. Série

Leia mais

Bebê no útero materno visto com uso de ultra som (som de frequência muito alta)

Bebê no útero materno visto com uso de ultra som (som de frequência muito alta) PRODUÇÃO E PERCEPÇÃO DE SONS Autores: Arjuna C. Panzera Dácio G. Moura Bebê no útero materno visto com uso de ultra som (som de frequência muito alta) Tópico Complementar VII do CBC de Ciências Habilidades

Leia mais

As principais causas das perdas condutivas são:

As principais causas das perdas condutivas são: Perda auditiva: Existem três partes principais da orelha envolvidas no processo de audição: a orelha externa, a orelha média e a orelha interna. O processo auditivo começa quando as ondas sonoras entram

Leia mais

Guia do sistema de implante coclear Nucleus para educadores

Guia do sistema de implante coclear Nucleus para educadores Guia do sistema de implante coclear Nucleus para educadores GUIA PARA EDUCADORES 3 Índice Capítulo 1: Introdução aos implantes cocleares...4 Capítulo 2: Histórico dos implantes cocleares...8 Capítulo

Leia mais

Página 1 de 5 Sequência Didática As ondas sonoras e suas propriedades físicas Utilizando elementos cotidianos e instrumentos musicais, explique à classe os conceitos físicos do som e os limites saudáveis

Leia mais

-~~ PROVA DE FÍSICA - 2º TRIMESTRE DE 2014 PROF. VIRGÍLIO

-~~ PROVA DE FÍSICA - 2º TRIMESTRE DE 2014 PROF. VIRGÍLIO COl.é. -~~ gio. da Vinci PROVA DE FÍSICA - 2º TRIMESTRE DE 2014 PROF. VIRGÍLIO NOME N 9 ANO --- Olá, caro(a) aluno(a). Segue abaixo uma serre de exercicres que têm, como base, o que foi trabalhado em sala

Leia mais

Audição. Audição. Audição e equilíbrio. Capta e direcciona as ondas sonoras para o canal auditivo externo.

Audição. Audição. Audição e equilíbrio. Capta e direcciona as ondas sonoras para o canal auditivo externo. Sistema auditivo Audição Audição Audição e equilíbrio Capta e direcciona as ondas sonoras para o canal auditivo externo. Possui glândulas sebáceas e glândulas sudoríparas apócrinas modificadas glândulas

Leia mais

- CAPÍTULO 9 - SISTEMA SENSORIAL

- CAPÍTULO 9 - SISTEMA SENSORIAL - CAPÍTULO 9 - SISTEMA SENSORIAL VISÃO 1. Observe a figura esquemática de um olho humano logo abaixo e identifique as estruturas indicadas. LETRA ESTRUTURA LETRA ESTRUTURA A G B H C I D J E K F 2. O que

Leia mais

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 12

TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. CONFORTO AMBIENTAL Aula 12 TECNOLOGIA EM CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS CONFORTO AMBIENTAL Aula 12 AUDIÇÃO HUMANA A função do ouvido é captar e converter ondas de pressão em sinais elétricos que são transmitidos ao cérebro para produzir

Leia mais

DECLARAÇÃO DE GUERRA AO RUÍDO

DECLARAÇÃO DE GUERRA AO RUÍDO DECLARAÇÃO DE GUERRA AO RUÍDO Diz-se que a capacidade auditiva deficiente não pode ser curada nem corrigida devido ao fato de que a perda da audição produzida pelo ruído é sempre permanente. O ouvido humano

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL II

ENSINO FUNDAMENTAL II ENSINO FUNDAMENTAL II Valor: 2,0 Nota: Data: / /2015 Professor: Vagner Disciplina: ciências Nome: n o : Ano: 8º 3º bimestre ATIVIDADE DE RECUPERAÇÃO (CIÊNCIAS) Faça uma pesquisa com o seguinte tema: Patologias

Leia mais

FÍSICA: SOM E AUDIÇÃO HUMANA

FÍSICA: SOM E AUDIÇÃO HUMANA FÍSICA: SOM E AUDIÇÃO HUMANA Laura Rita Rui a (laurarui@cpovo.net) Maria Helena Steffani b (helena.steffani@ufrgs.br) a Mestrado Profissional em Ensino de Física IF - UFRGS b Departamento de Física - IF-UFRGS

Leia mais

Sistema Vestíbulo-Coclear. Matheus Lordelo Camila Paula Graduandos em Medicina pela EBMSP

Sistema Vestíbulo-Coclear. Matheus Lordelo Camila Paula Graduandos em Medicina pela EBMSP Sistema Vestíbulo-Coclear Matheus Lordelo Camila Paula Graduandos em Medicina pela EBMSP Salvador BA 27 de março de 2012 Componentes Orelha Externa Pavilhão Auditivo Meato Acústico Externo até a membrana

Leia mais

FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO

FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO FISIOLOGIA DA AUDIÇÃO Profa. Geanne Matos de Andrade Depto de Fisiologia e Farmacologia AUDIÇÃO Modalidade sensorial que permite aos animais eaohomenpercebersons Som é a pertubação vibratória do ambiente

Leia mais

AUDIÇÃO SISTEMA NERVOSO SENSORIAL. O valor da comunicação verbal faz com que a audição, em alguns momentos, seja ainda mais importante que a visão.

AUDIÇÃO SISTEMA NERVOSO SENSORIAL. O valor da comunicação verbal faz com que a audição, em alguns momentos, seja ainda mais importante que a visão. SISTEMA NERVOSO SENSORIAL Sunol Alvar O valor da comunicação verbal faz com que a audição, em alguns momentos, seja ainda mais importante que a visão. 1 CONSIDERAÇÕES ANATÔMICAS CONSIDERAÇÕES ANATÔMICAS

Leia mais

- Anatomia e Fisiologia do Ouvido. - Avaliação Básica do Ouvido e da Audição. - Principais manifestações patológicas

- Anatomia e Fisiologia do Ouvido. - Avaliação Básica do Ouvido e da Audição. - Principais manifestações patológicas Intervenções de Enfermagem à Pessoa com Problemas da Função Sensorial - do Ouvido - Avaliação Básica do Ouvido e da Audição - Principais manifestações patológicas três partes: ouvido externo, médio e interno.

Leia mais

1. CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA

1. CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA AUDITIVA GRUPO 5.2 MÓDULO 6 Índice 1. Crianças com Deficiência Auditiva...3 1.1. Os Ouvidos... 3 1.2. Mecanismo da Audição... 3 2. Saúde Auditiva...4 3. Definição de Deficiência Auditiva...5 3.1. Classificação...

Leia mais

O Nosso Corpo Volume XXIV O Ouvido Parte 2

O Nosso Corpo Volume XXIV O Ouvido Parte 2 O Nosso Corpo Volume XXIV um Guia de O Portal Saúde Outubro de 2010 O Portal Saúde Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright O Portal Saúde, todos os direitos

Leia mais

Objectivos. Classificação dos Sons. Agradáveis Úteis Incómodos / Ruído

Objectivos. Classificação dos Sons. Agradáveis Úteis Incómodos / Ruído Ruído Objectivos Classificação dos Sons Agradáveis Úteis Incómodos / Ruído O som como uma Onda O som propaga-se com um movimento ondulatório, no qual as cristas das ondas são substituídas por compressões

Leia mais

Engenharia Biomédica - UFABC

Engenharia Biomédica - UFABC Engenharia de Reabilitação e Biofeedback Deficiência Auditiva Professor: Pai Chi Nan 1 2 1 Ouvido externo Orelha Canal auditivo externo Função Coleta de sons 3 Ouvido médio Tímpano Ossículos Martelo Bigorna

Leia mais

ATIVIDADES FÍSICAS PARA SURDOS

ATIVIDADES FÍSICAS PARA SURDOS ATIVIDADES FÍSICAS PARA SURDOS Profª. Ms. * Introdução A deficiência auditiva traz algumas limitações para o desenvolvimento do indivíduo, uma vez que a audição é essencial para a aquisição da língua oral.

Leia mais

GUIA DA AUDIÇÃO LÍDER MUNDIAL EM APARELHOS AUDITIVOS

GUIA DA AUDIÇÃO LÍDER MUNDIAL EM APARELHOS AUDITIVOS GUIA DA AUDIÇÃO LÍDER MUNDIAL EM APARELHOS AUDITIVOS A WIDEX É WINDMADE WindMade é o primeiro rótulo global de consumo, identificando empresas que utilizam energia eólica; A Widex é a primeira empresa

Leia mais

Freqüência dos sons audíveis: entre 20Hz (infra-sônica) e 20.000Hz (ultra-sônica, audíveis para muitos animais).

Freqüência dos sons audíveis: entre 20Hz (infra-sônica) e 20.000Hz (ultra-sônica, audíveis para muitos animais). Ondas Sonoras: - São ondas longitudinais de pressão, que se propagam no ar ou em outros meios. - Têm origem mecânica, pois são produzidas por deformação em um meio elástico. - As ondas sonoras não se propagam

Leia mais

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Ondas Sonoras. Prof. Luis Gomez

Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA. Ondas Sonoras. Prof. Luis Gomez Universidade Federal do Pampa UNIPAMPA Ondas Sonoras Prof. Luis Gomez SUMÁRIO Introdução Ondas sonoras. Características de som Velocidade do som Ondas sonoras em propagação Interferência Potencia, intensidade

Leia mais

A MEDICINA DO SOM. O ouvido humano é constituído de três partes: Ouvido externo Ouvido médio Ouvido interno

A MEDICINA DO SOM. O ouvido humano é constituído de três partes: Ouvido externo Ouvido médio Ouvido interno A MEDICINA DO SOM 1 O ouvido humano é constituído de três partes: Ouvido externo Ouvido médio Ouvido interno Figura 1: O sistema auditivo www.corpohumano.hpg.ig.com.br Figura 2: Componentes do sistema

Leia mais

SÉRIES DE FOURIER E UM MODELO DE MÍNIMOS QUADRADOS PARA A AUDIÇÃO HUMANA

SÉRIES DE FOURIER E UM MODELO DE MÍNIMOS QUADRADOS PARA A AUDIÇÃO HUMANA ISSN 2177-9139 SÉRIES DE FOURIER E UM MODELO DE MÍNIMOS QUADRADOS PARA A AUDIÇÃO HUMANA Daiane Campara Soares daianesoares@unipampa.edu.br Fundação Universidade Federal do Pampa, Campus Itaqui, CEP 97650-000

Leia mais

Ouvir melhor é viver melhor. Descobrindo sua audição

Ouvir melhor é viver melhor. Descobrindo sua audição Ouvir melhor é viver melhor Descobrindo sua audição O mundo o está chamando A capacidade de ouvir é uma parte tão importante da nossa vida e a maioria das pessoas nem se dá conta disso. Ouvir é um dom,

Leia mais

Ondas Sonoras. Velocidade do som

Ondas Sonoras. Velocidade do som Ondas Sonoras Velocidade do som Ondas sonoras são o exemplo mais comum de ondas longitudinais. Tais ondas se propagam em qualquer meio material e sua velocidade depende das características do meio. Se

Leia mais

21-12-2015. Sumário. Comunicações. O som uma onda mecânica longitudinal

21-12-2015. Sumário. Comunicações. O som uma onda mecânica longitudinal 24/11/2015 Sumário UNIDADE TEMÁTICA 2. 1.2 - O som uma onda mecânica longitudinal. - Produção e propagação de um sinal sonoro. - Som como onda mecânica. - Propagação de um som harmónico. - Propriedades

Leia mais

Ouvido Externo. Ouvido Médio. Bigorna. Martelo. Canal. Estribo. Tímpano. Figura 1 - Ouvido Humano

Ouvido Externo. Ouvido Médio. Bigorna. Martelo. Canal. Estribo. Tímpano. Figura 1 - Ouvido Humano O Ouvido Humano Eng. Adriano Luiz Spada Attack do Brasil 1- Introdução Neste artigo abordaremos as principais características do ouvido humano, uma das principais ferramentas para quem trabalha com áudio.

Leia mais

UM RECURSO DIDÁTICO PARA ENSINO DE FÍSICA, BIOLOGIA E MÚSICA Laura Rita Rui a [laurarui@cpovo.net] Maria Helena Steffani b [steffani@if.ufrgs.

UM RECURSO DIDÁTICO PARA ENSINO DE FÍSICA, BIOLOGIA E MÚSICA Laura Rita Rui a [laurarui@cpovo.net] Maria Helena Steffani b [steffani@if.ufrgs. UM RECURSO DIDÁTICO PARA ENSINO DE FÍSICA, BIOLOGIA E MÚSICA Laura Rita Rui a [laurarui@cpovo.net] Maria Helena Steffani b [steffani@if.ufrgs.br] a,b Instituto de Física UFRGS Caixa Postal 15051. Campus

Leia mais

NEWTON. gostava de ler! brincadeiras com ciência. documento do professor bibliotecário. 2ª série módulo IV

NEWTON. gostava de ler! brincadeiras com ciência. documento do professor bibliotecário. 2ª série módulo IV NEWTON gostava de ler! brincadeiras com ciência documento do professor bibliotecário 2ª série módulo IV livros público-alvo duração objetivo parte I Contos para meninos que adormecem logo a seguir, Pinto

Leia mais

PRINCIPIOS DA ULTRA-SONOGRAFIA. Profa. Rita Pereira

PRINCIPIOS DA ULTRA-SONOGRAFIA. Profa. Rita Pereira PRINCIPIOS DA ULTRA-SONOGRAFIA Profa. Rita Pereira Ecografia ou Ultrassonografia SOM: onda mecânica,portanto precisa de um meio material para se propagar. Meios: ar, líquidos, materiais sólidos.. Produção

Leia mais

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja se!

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja se! Proteção Auditiva Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja se! Conhecendo o Risco O SOM O som é uma vibração que se propaga pelo ar em forma de ondas e que é percebida

Leia mais

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 24

AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 24 AULA PRÁTICA DE QUÍMICA GERAL Estudando a água parte 24 9º NO DO ENSINO FUNDAMENTAL - 1º ANO DO ENSINO MÉDIO OBJETIVO Diversos experimentos, usando principalmente água e materiais de fácil obtenção, são

Leia mais

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja-se! Itabira/2007

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja-se! Itabira/2007 Proteção Auditiva Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja-se! Itabira/2007 O Som O som é definido como qualquer variação na pressão do ar que o ouvido humano possa detectar.

Leia mais

Esse barulho me deixa surda!

Esse barulho me deixa surda! Esse barulho me deixa surda! A UU L AL A Você já reparou na quantidade de ruídos ao seu redor? Basta ficar dez segundos prestando atenção aos sons para notar o som da TV, um carro passando, um cachorro

Leia mais

3 Estetoscópios. 3.1. Contextualização Histórica.

3 Estetoscópios. 3.1. Contextualização Histórica. . 3 Estetoscópios. 3.1. Contextualização Histórica. No fim do século XVIII o exame físico foi melhorado com a introdução da auscultação direta do tórax introduzido pelo médico austríaco Leopold Auenbrugger

Leia mais

Acústica em Reabilitação de Edifícios

Acústica em Reabilitação de Edifícios Reabilitação 009- Parte 1 - Conceitos Básicos 1 Reabilitação 009- Acústica de edifícios / Áreas de Estudo 1 - Condicionamento acústico interior - Isolamento sonoro Sons aéreos Sons de percussão De fachada

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL A principal norma brasileira que regulamenta os dispositivos ou produtos relacionados ao EPI é a NR 06, Portaria 3214 do MTE.

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CAMPUS DE CURITIBA CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA CIRO BEDUSCHI DOMINGOS CRISTHOPHER WEISS LUCAS SCHWARZ WOLF GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA ATRAVÉS DE

Leia mais

OS S ENTIDOS Profe f sso s ra: a Edilene

OS S ENTIDOS Profe f sso s ra: a Edilene OS SENTIDOS Professora: Edilene OS SENTIDOS DO CORPO HUMANO O Paladar identificamos os sabores; OOlfato sentimosodoroucheiro; O Tato sentimos o frio, o calor, a pressão atmosférica, etc; AAudição captamosossons;

Leia mais

OS SENTIDOS AUDIÇÃO E VISÃO

OS SENTIDOS AUDIÇÃO E VISÃO OS SENTIDOS AUDIÇÃO E VISÃO Profª Ana Cláudia Reis Pedroso AUDIÇÃO O ÓRGÃO DA AUDIÇÃO: A ORELHA O órgão responsável pela audição é a orelha (antigamente denominado ouvido), também chamada órgão vestíbulo-coclear

Leia mais

Órgãos dos Sentidos. web.educom.pt. Prof. CRISTINO RÊGO 8º ANO Ensino Fundamental

Órgãos dos Sentidos. web.educom.pt. Prof. CRISTINO RÊGO 8º ANO Ensino Fundamental Órgãos dos Sentidos web.educom.pt Prof. CRISTINO RÊGO 8º ANO Ensino Fundamental TATO dicas-enfermagem.blogspot.com br A pele é o órgão do tato. Nela encontram-se os receptores sensoriais contendo fibras

Leia mais

Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com

Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com PRINCÍPIOS FÍSICOS DO ULTRASSOM O ultrassom é uma onda mecânica, longitudinal produzida pelo movimento oscilatório das partículas de um

Leia mais

O RUÍDO LABORAL E A SUA PREVENÇÃO

O RUÍDO LABORAL E A SUA PREVENÇÃO ARTIGO O RUÍDO LABORAL E A SUA PREVENÇÃO Humberto J. P. Guerreiro Engenheiro de Minas INTRODUÇÃO O ruído é um dos agentes físicos que gera mais incomodidade. É responsável por conflitos entre pessoas e

Leia mais

Ondas Estacionárias Apostila 2

Ondas Estacionárias Apostila 2 Ondas Estacionárias Apostila 2 1. (Uece 2015) Uma corda de violão vibra de modo que, num dado instante, a onda estacionária tenha duas cristas e três nós. Considere que o comprimento da corda vibrante

Leia mais

Fisiologia Sentidos Especiais

Fisiologia Sentidos Especiais O Olho Fisiologia Sentidos Especiais Profa. Ana Maria Curado Lins, M.Sc Anatomia do Olho Esclerótica: membrana mais externa do olho, é branca, fibrosa e resistente; mantém a forma do globo ocular e protege-o;

Leia mais

SOM. Ruído. Frequência. Ruído. Amplitude da vibração. Ruído. Isabel Lopes Nunes FCT/UNL. Som - produz vibrações (ondas) que entram no ouvido interno

SOM. Ruído. Frequência. Ruído. Amplitude da vibração. Ruído. Isabel Lopes Nunes FCT/UNL. Som - produz vibrações (ondas) que entram no ouvido interno SOM Isabel Lopes Nunes FCT/UNL toda a vibração mecânica que se propaga num meio elástico (ar, metais, líquidos ), desde que as frequências que a compõem se encontrem dentro de uma determinada faixa audível

Leia mais

Musica: Arte e Tecnologia

Musica: Arte e Tecnologia Musica: Arte e Tecnologia Jorge Kaschny e Marcos Ferreira Vitória da Conquista (2008) O que é o som? Uma onda mecânica longitudinal, ou ainda, uma onda de pressão. Alternativamente, podemos dizer, que

Leia mais

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 1

Disciplina Corpo Humano e Saúde: Uma Visão Integrada - Módulo 1 8. Audição e linguagem Introdução Os sons são vibrações periódicas do ar capazes de excitar nossos receptores auditivos (ondas sonoras), provocando uma percepção. As espécies têm diferentes capacidades

Leia mais

Ondas II F-228 UNICAMP

Ondas II F-228 UNICAMP Ondas II F-228 UNICAMP http://thenonist.com/index.php/thenonist/permalink/stick_charts/ Superposição de ondas Resumo de ondas mecânicas Superposição de ondas Exemplos Representação matemática Interferência

Leia mais

A lei da indução electromagnética é o que fundamenta o funcionamento do microfone e do altifalante de indução.

A lei da indução electromagnética é o que fundamenta o funcionamento do microfone e do altifalante de indução. Índice Introdução Indução electromagnética Força electromotriz Microfone e Altifalante Finalidades do microfone e do altifalante de indução Funcionalidade de ambos Tipos de microfones Conclusão Bibliografia

Leia mais

APOSTILA DE CIÊNCIAS

APOSTILA DE CIÊNCIAS Escola D. Pedro I Ciências - 2ª Unidade Carla Oliveira Souza APOSTILA DE CIÊNCIAS Órgão dos Sentidos Assunto do Teste SALVADOR BAHIA 2009 Os cinco sentidos fundamentais do corpo humano: O Paladar identificamos

Leia mais

META Compreender o mecanismo sensorial responsável pela formação da audição humana, assim como, algumas patologias que afetam este processo.

META Compreender o mecanismo sensorial responsável pela formação da audição humana, assim como, algumas patologias que afetam este processo. BIOFÍSICA DA AUDIÇÃO META Compreender o mecanismo sensorial responsável pela formação da audição humana, assim como, algumas patologias que afetam este processo. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno

Leia mais

UM ESTUDO DO RUÍDO E SUA REPERCUSSÃO NA PRODUTIVIDADE E SAÚDE DO TRABALHADOR

UM ESTUDO DO RUÍDO E SUA REPERCUSSÃO NA PRODUTIVIDADE E SAÚDE DO TRABALHADOR UM ESTUDO DO RUÍDO E SUA REPERCUSSÃO NA PRODUTIVIDADE E SAÚDE DO TRABALHADOR Claudia C. Almeida davidv@fatecnet.ufsm.br Helga H. S. Perlin helgaperlin@zipmail.com.br Janis E. Ruppenthal PPGEP- Programa

Leia mais

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação

Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Descobertas do electromagnetismo e a comunicação Porque é importante comunicar? - Desde o «início dos tempos» que o progresso e o bem estar das sociedades depende da sua capacidade de comunicar e aceder

Leia mais

Curso. RUÍDO, VIBRAÇÕES E ILUMINAÇÃO NOS LOCAIS DE TRABALHO Manual do Formando. Ruído nos Locais de Trabalho

Curso. RUÍDO, VIBRAÇÕES E ILUMINAÇÃO NOS LOCAIS DE TRABALHO Manual do Formando. Ruído nos Locais de Trabalho Ruído; Vibrações; Iluminação nos Locais de Trabalho Ruído nos Locais de Trabalho Manual do Formando Curso 2 RUÍDO, VIBRAÇÕES E ILUMINAÇÃO NOS LOCAIS DE TRABALHO Manual do Formando Ruído nos Locais de Trabalho

Leia mais

CONTROLE DE RUÍDO. Samir N. Y. Gerges

CONTROLE DE RUÍDO. Samir N. Y. Gerges CONTROLE DE RUÍDO Samir N. Y. Gerges Supervisor do Lab. de Ruído Industrial Universidade Federal de Santa Catarina Dept. Engenharia Mecânica Cx.P. 476 Florianópolis SC Tel: (048) 2344074 Fax: (048) 2334455

Leia mais

Resumo. 1 Alunos do Curso de Fonoaudiologia, componentes do programa de Iniciação Científica.

Resumo. 1 Alunos do Curso de Fonoaudiologia, componentes do programa de Iniciação Científica. O RUÍDO URBANO E A SAÚDE AUDITIVA Aretuza Serrão Pinto 1 Leandro Jares P. da Cunha 1 Lucianna Daniella S. dos Santos 1 Erick Maklin Machado Távora 2 Jarbas da Silveira Coelho Sarmento Filho 2 Leano Nobuyuki

Leia mais

TONALIDADE X FREQUÊNICA

TONALIDADE X FREQUÊNICA Som, notas e tons TONALIDADE X FREQUÊNICA O violão é um instrumento musical e o seu objetivo é fazer música. Música é a organização de sons em padrões que o cérebro humano acha agradável (ou pelo menos

Leia mais

RUÍDOS EM AVIAÇÃO CONTEÚDO

RUÍDOS EM AVIAÇÃO CONTEÚDO 1 / 14 RUÍDOS EM AVIAÇÃO CONTEÚDO Introdução Generalidades sobre o Som Generalidades sobre a Audição Generalidades sobre o Trauma Sonoro Programa de Conservação da Audição 2 / 14 I - INTRODUÇÃO O ruído

Leia mais

Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo

Assembléia Legislativa do Estado do Espírito Santo ESTADO DO ESPÍRITO SANTO ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA PROJETO DE LEI Nº 451/2009 "Estabelece políticas públicas para garantir a saúde auditiva da população Capixaba, através de medidas e políticas para a redução

Leia mais

7. A anatomia e a física do ouvido

7. A anatomia e a física do ouvido 7. A anatomia e a física do ouvido 1 Descrição geral A anatomia do ouvido está na gura 1 Figura 1: Anatomia do ouvido (gura retirada do manual Merck on-line, em http://www.manualmerck.net/artigos/?id=235&cn=1899#ige1).

Leia mais

FÍSICA. Professor Felippe Maciel Grupo ALUB

FÍSICA. Professor Felippe Maciel Grupo ALUB Revisão para o PSC (UFAM) 2ª Etapa Nas questões em que for necessário, adote a conversão: 1 cal = 4,2 J Questão 1 Noções de Ondulatória. (PSC 2011) Ondas ultra-sônicas são usadas para vários propósitos

Leia mais

Introdução ao Ruído. Vibrações e Ruído (10375) 2014 Pedro V. Gamboa. Departamento de Ciências Aeroespaciais

Introdução ao Ruído. Vibrações e Ruído (10375) 2014 Pedro V. Gamboa. Departamento de Ciências Aeroespaciais Introdução ao Ruído Vibrações e Ruído (10375) 2014 Tópicos Som. Pressão Sonora e Potência Sonora. Níveis Sonoros. 2 1. Som O som pode ser definido como uma manifestação positiva resultante da variação

Leia mais

A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo.

A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo. A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo. Porém, traz para o surdo consequências sociais, educacionais e emocionais amplas e intangíveis.

Leia mais

Exercícios de Aprofundamento 2015 Fis Ondas(Fundamentos)

Exercícios de Aprofundamento 2015 Fis Ondas(Fundamentos) 1. (Fuvest 013) A tabela traz os comprimentos de onda no espectro de radiação eletromagnética, na faixa da luz visível, associados ao espectro de cores mais frequentemente percebidas pelos olhos humanos.

Leia mais

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 32 ACÚSTICA

FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 32 ACÚSTICA FÍSICA - 3 o ANO MÓDULO 32 ACÚSTICA (FIOLHAIS, C. Física divertida. Brasília: UnB, 2001 [Adaptado].) Em qual das situações a seguir está representado o fenômeno descrito no texto? a) Ao se esconder

Leia mais

Assim como o diâmetro de um cano é função da quantidade de água que passa em seu interior, a bitola de um condutor depende da quantidade de elétrons

Assim como o diâmetro de um cano é função da quantidade de água que passa em seu interior, a bitola de um condutor depende da quantidade de elétrons Elétrica Quem compõe a instalação elétrica - quadro de luz - centro nervoso das instalações elétricas. Deve ser metálico ou de material incombustível, e nunca de madeira (na sua parte interna ou externa).

Leia mais

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um

Estes sensores são constituídos por um reservatório, onde num dos lados está localizada uma fonte de raios gama (emissor) e do lado oposto um Existem vários instrumentos de medição de nível que se baseiam na tendência que um determinado material tem de reflectir ou absorver radiação. Para medições de nível contínuas, os tipos mais comuns de

Leia mais

Você sabia que, por terem uma visão quase. nula, os morcegos se orientam pelo ultra-som?

Você sabia que, por terem uma visão quase. nula, os morcegos se orientam pelo ultra-som? A U A UL LA Ultra-som Introdução Você sabia que, por terem uma visão quase nula, os morcegos se orientam pelo ultra-som? Eles emitem ondas ultra-sônicas e quando recebem o eco de retorno são capazes de

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS GARÇONS À EXPOSIÇÃO DA PRESSÃO SONORA EM AMBIENTES FECHADOS COM MÚSICA AO VIVO

AVALIAÇÃO DOS GARÇONS À EXPOSIÇÃO DA PRESSÃO SONORA EM AMBIENTES FECHADOS COM MÚSICA AO VIVO AVALIAÇÃO DOS GARÇONS À EXPOSIÇÃO DA PRESSÃO SONORA EM AMBIENTES FECHADOS COM MÚSICA AO VIVO Felyppe Blum Goncalves (UTFPR) felyppeblumg5@hotmail.com Rodrigo Eduardo Catai (UTFPR) catai@utfpr.edu.br LUISA

Leia mais

1) (Osec-SP) Na espécie humana, a cor dos olhos se deve à pigmentação da(o): a) Retina; b) Córnea; c) Íris; d) Pupila; e) Cristalino.

1) (Osec-SP) Na espécie humana, a cor dos olhos se deve à pigmentação da(o): a) Retina; b) Córnea; c) Íris; d) Pupila; e) Cristalino. Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Biologia 1) (Osec-SP) Na espécie humana, a cor dos olhos se deve à pigmentação da(o): a)

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA EXPOSIÇÃO AO RUÍDO 2 DESCRIÇÃO A sociedade moderna tem multiplicado as fontes de ruído e aumentado o seu nível de pressão sonora. O ruído é uma

Leia mais

PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUÍDO (PAIR). CID 10 (H 83.3) 1 CARACTERÍTICAS GERAIS

PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUÍDO (PAIR). CID 10 (H 83.3) 1 CARACTERÍTICAS GERAIS PERDA AUDITIVA INDUZIDA POR RUÍDO (PAIR). CID 10 (H 83.3) 1 CARACTERÍTICAS GERAIS As doenças otorrinolaringológicas relacionadas ao trabalho são causadas por agentes ou mecanismos irritativos, alérgicos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Transmissão de Informações nálise de Sinaisi ula 03 Transmissão é o deslocamento de ondas eletromagnéticas em um meio físico (canal

Leia mais

Professora Florence. Resposta:

Professora Florence. Resposta: 1. (G1 - ifsp 2012) Ondas eletromagnéticas só podem ser percebidas pelos nossos olhos quando dentro de determinada faixa de frequência. Fora dela não podem ser vistas, apesar de ainda poderem ser detectadas

Leia mais

PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DO SOM 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO DO SOM

PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO DO SOM 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E 1.1. PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO PRODUÇÃO, PROPAGAÇÃO E RECEPÇÃO DO SOM 1. PRODUÇÃO E TRANSMISSÃO Vivemos rodeados de sons que produzem em nós as mais variadas sensações Sons agradáveis: RECEPÇÃO Vivemos rodeados de sons que produzem em nós as mais variadas sensações Sons

Leia mais

EXTERNATO MATER DOMUS. RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825

EXTERNATO MATER DOMUS. RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825 EXTERNATO MATER DOMUS RUA PASCAL, 1403 CAMPO BELO SP CEP 04616/004 - Fone: 5092-5825 MATÉRIA: FÍSICA PROFESSORA: RENATA LEITE QUARTIERI ALUNO: Nº Série: 3º TURMA: Única DATA: / /2015 ASSINATURA DO PAI/RESP.

Leia mais

CEM BENJAMIM JOSÉ DE ALMEIDA PROJETO INTERDISCIPLINAR EINSTEIN E A MÚSICA PROFESSORES: ROSEVALDO CELESTINO BARROS FÁBIO JÚNIOR MILHOMEM

CEM BENJAMIM JOSÉ DE ALMEIDA PROJETO INTERDISCIPLINAR EINSTEIN E A MÚSICA PROFESSORES: ROSEVALDO CELESTINO BARROS FÁBIO JÚNIOR MILHOMEM CEM BENJAMIM JOSÉ DE ALMEIDA PROJETO INTERDISCIPLINAR EINSTEIN E A MÚSICA PROFESSORES: ROSEVALDO CELESTINO BARROS FÁBIO JÚNIOR MILHOMEM ARAGUAÍNA, DEZEMBRO DE 2015 A FÍSICA NA MÚSICA A música, de um modo

Leia mais

Ondas sonoras: Experimentos de Interferência e Ondas em Tubos

Ondas sonoras: Experimentos de Interferência e Ondas em Tubos Ondas sonoras: Experimentos de Interferência e Ondas em Tubos Relatório Final de Atividades apresentado à disciplina de F-809. Aluna: Cris Adriano Orientador: Prof. Mauro de Carvalho Resumo Este trabalho

Leia mais

O SOM. 2. Um fenómeno vibratório que produz essa sensação;

O SOM. 2. Um fenómeno vibratório que produz essa sensação; O SOM Segundo a Diciopédia, o som pode ser: 1. Física: sensação auditiva produzida por vibrações mecânicas de frequência compreendida entre determinados valores (20 e 20 000 vibrações por segundo, em média);

Leia mais

Automação Industrial Parte 5

Automação Industrial Parte 5 Automação Industrial Parte 5 Prof. Ms. Getúlio Teruo Tateoki http://www.getulio.eng.br/meusalunos/autind.html Sensores capacitivos -Sensores de proximidade capacitivos estão disponíveis em formas e tamanhos

Leia mais

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro

Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro Roteiro 25 Interferência sonora e batimento sonoro 1 INTRODUÇÃO A interferência sonora consiste em um recebimento de duas ou mais ondas de fontes diferentes. Neste caso, teremos uma região do espaço na

Leia mais

29/03/2016 FUNÇÕES DO OUVIDO

29/03/2016 FUNÇÕES DO OUVIDO FUNÇÕES DO OUVIDO 1. Ouvido externo (única parte visível): Principal captar as ondas sonoras e transmiti-la para o cérebro que as analisará (som: vibração física do ar cuja frequência audível pelo ouvido

Leia mais

PROTETORES AUDITIVOS 3M MILLENIUM

PROTETORES AUDITIVOS 3M MILLENIUM PROTETORES AUDITIVOS 3M MILLENIUM C.A.: 11882 DESCRIÇÃO E APLICAÇÕES DO PRODUTO Protetor auditivo do tipo inserção pré-moldado, confeccionado em silicone, no formato cônico, com três flanges concêntricos,

Leia mais

Proteção Auditiva Moderna e Aparelhos Auditivos Modernos Eles Podem Funcionar Bem Juntos

Proteção Auditiva Moderna e Aparelhos Auditivos Modernos Eles Podem Funcionar Bem Juntos Proteção Auditiva Moderna e Aparelhos Auditivos Modernos Eles Podem Funcionar Bem Juntos Por Robert M. Ghent, Jr., Au.D. Honeywell Safety Products. Introdução Você alguma vez se deparou com um trabalhador

Leia mais

Introdução a eletroestética

Introdução a eletroestética Agentes físicos: Introdução a eletroestética -Corrente elétrica, ondas eletromagnéticas, ondas ultrasônicas -Calor -Luz -Água -Movimento Interação dos agentes físicos (aparelhos) x tecido biológico (pele/corpo

Leia mais

UNIDADE I Aula 2 - Introdução aos Sistemas de Comunicação: Diagrama, Elementos e Transmissão da Informação. Fonte: Rodrigo Semente

UNIDADE I Aula 2 - Introdução aos Sistemas de Comunicação: Diagrama, Elementos e Transmissão da Informação. Fonte: Rodrigo Semente UNIDADE I Aula 2 - Introdução aos Sistemas de Comunicação: Diagrama, Elementos e Transmissão da Informação Fonte: Rodrigo Semente Quais elementos estão relacionados a um Sistema de Comunicação? Geralmente,

Leia mais