Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador."

Transcrição

1 Cacti é uma ferramenta gráfica de gerenciamento de dados de rede que disponibiliza a seus usuários uma interface intuitiva e bem agradável de se usar, sendo acessível a qualquer tipo de usuários. Este curso fornece uma base para se utilizar esse programa, recomendado principalmente para usuários com pouca experiência na área de gerenciamento de dispositivos. Conceitos Nesta sessão introduziremos os conceitos básicos do Cacti, e como fazer para instalá-lo em seu computador. Lição 1 - Introdução Para gerenciar processos e recursos do seu computador utilizando a ferramenta Cacti, iniciaremos com as definições de alguns conceitos importantes sobre os quais falaremos durante esse curso. São eles: RRDtool RRD é a abreviação de Round Robin Database, sistema cujo objetivo é armazenar e monitorar dados em série obtidos durante um período de tempo pré-determinado. Esses dados obtidos são denominados dados circulares, pois seu tamanho ocupado em disco não aumenta com o decorrer do tempo e nem com a quantidade de dados já armazenados. Entretanto, o RRDTOOL não é capaz de gerar páginas html ou produzir gráficos, fato que torna necessário a sua comum utilização associada a um front-end. SNMP O SNMP (Simple Network Management Protocol) é um protocolo de gerência definido a nível de aplicação, é utilizado para obter informações de servidores SNMP. Foi desenvolvido para gerenciar, monitorar e controlar configurações, performance, falhas, estatísticas e segurança da rede. Sendo um padrão para gerenciamento de LANs, particularmente para aplicações de missão crítica. O gerenciamento da rede através do SNMP permite o acompanhamento simples e fácil do estado, em tempo real, da rede, podendo ser utilizado para gerenciar diferentes tipos de sistemas. O SNMP é um protocolo inicialmente desenvolvido para ser uma alternativa ao protocolo CMIP (mais completo, porém não foi bem recebido no mercado devido a sua alta complexidade). O SNMP, por ser mais simples e dar a conta do recado, acabou virando padrão de mercado e hoje já está na versão SNMP V3. Veremos mais à frente esse protocolo mais detalhadamente. Cacti O Cacti é uma ferramenta gráfica de gerenciamento de dados de rede desenvolvido para ser utilizado por administradores de rede com uma não muito rica experiência na área, enquanto por outro lado, disponibiliza recursos bem poderosos para serem utilizados em redes bastante complexas. O Cacti é um front-end para o RRDTOOL desenvolvido na linguagem PHP, possui uma interface web e armazena todos os seus dados em um banco de dados MySql. Utilizando essa ferramenta, é possível fazer o polling de hosts SNMP, criar gráficos e gerenciar o acesso de usuários a toda a informação já coletada. Esta ferramenta disponibiliza a seus usuários uma interface intuitiva e bem agradável de se usar, sendo acessível a qualquer tipo de usuários, desde inexperientes até usuários com uma grande experiência. Com o Cacti, é possível fazer o controle de acesso por nível de usuário, ou seja, podemos configurar o acesso a certas informações apenas por determinados usuários. Além disso, o fato do usuário desejar adicionar algum novo equipamento para ser monitorado não é uma tarefa complicada como em outras ferramentas(por exemplo o MRTG), bastando para isso alguns poucos minutos. O monitoramento de redes usando o Cacti é bastante fácil e agradável, e o objetivo deste curso é ensinar o usuário a instalar e configurar essa ferramenta de grande usabilidade no mundo tecnológico atual. E o melhor, é um programa LIVRE, ou seja, disponibilizado para qualquer um baixá-lo e instalá-lo em seu computador.

2 A versão atual do Cacti é a cacti-0.8.6h. Nesse capítulo ensinaremos como proceder para instalar o Cacti em seu computador, sendo que a distribuição abordada nesse curso é uma baseada em Debian e que possui o APT para instalar pacotes. Para instalar, abra o terminal e, como usuário root, digite #apt-get install cacti Caso você não esteja como super usuário (root), antes digite o comando citado "su" e em seguida a senha de root. O Cacti exige que se tenha instalado em seu computador os seguinte pacotes: Apache (ou outro servidor web) PHP (versão > 4) + extensões php-snmp e php-gd2 Banco de dados MySQL net-snmp RRDtool Mas no momento que você executa o comando acima para a instalação do Cacti, o APT instalará previamente todos esses pacotes dos quais o Cacti depende para funcionar. Para verificar se os pacotes acima foram realmente instalados, a forma mais fácil é usando o gerenciador de pacotes Synaptic (Desktop > administração > Synaptic). Configurando o Cacti Após realizar a instalação do Cacti, nesta lição ensinaremos como configurá-lo em seu computador. Lição 2 - Configuração Após instalar o Cacti, você precisará configurá-lo. A seguir mostraremos como fazer isso. A primeira tela que aparecerá, será a seguinte: Nessa tela você configura o socket para utilizar o servidor Mysql. Escolha a opção socket unix

3 Em seguida aparecerá a tela: Aqui você escolherá o nome do usuário administrador do banco de dados MySql do seu computador. Digite o usuário ROOT e dê ok. A próxima tela que aparecerá é essa: Na qual você escolherá o nome do usuário do banco de dados que será o dono da base de dados onde ficarão armazenadas os dados obtidos durante a execução do programa.

4 por padrão, escolha o usuário cacti e dê OK. Em seguida, a seguinte tela aparecerá: Onde você escolherá o nome para a base de dados MySQL a ser utilizada pelo Cacti. por padrão, escolha a base cacti e dê OK. Por fim, a seguinte janela:

5 Na qual você escolherá o tipo de servidor WEB a ser utilizado. escolhemos o Apache2 para este curso. Agora você poderá iniciar o Cacti como veremos adiante. Mas antes disso, abordaremos mais detalhamente o protocolo SNMP na lição seguinte SNMP É o protocolo que Cacti o utiliza. Nesta lição, ensinaremos o que é esse protocolo, como ele funciona e os motivos dele estar sendo cada vez mais utilizado no mundo web. Lição 3 - SNMP Introdução O protocolo SNMP (Simple Network Management Protocol) é utilizado para se obter informações de servidores SNMP espalhados em uma rede TCP/IP (o SNMP é parte integrante do protocolo TCP/IP), possibilitando um gerenciamento simples e eficaz da rede. Com o SNMP, pode-se obter informações sobre desempenho, segurança, falhas, estatísticas, etc. Os dados são obtidos através de requisições de um Gerente a um ou mais Agentes. As variáveis que podem ser requisitadas têm seus nomes padronizados internacionalmente. A descrição, tipo do dado e outros dados pertinentes a uma variável, são armazenadas em uma base de dados denominada MIB (Management Information Base). MIB é um conjunto de informações organizadas hieraquicamente e que são acessadas através de protocolos de gerência de redes, onde o SNMP se encaixa. MIBs compreendem objetos gerenciados e são identificadas por identificadores de objetos. Um objeto gerenciado (também conhecido por objeto MIB, objeto, ou apenas MIB) é apenas um dos muitos dispositivos gerenciados. Objetos gerenciados são compreendidos por uma ou mais instâncias, as quais são essencialmente variáveis. Os dados são obtidos por meio de requisições de um gerente a um ou mais agentes utilizando os serviços do protocolo de transporte UDP ( User Datagram Protocol ) para enviar e receber suas mensagens através da rede. O gerenciamento da rede através do SNMP permite o acompanhamento simples e fácil do estado, em tempo real desta. E pode ser utilizado para gerenciar diferentes tipos de sistemas. Este gerenciamento é conhecido como modelo de gerenciamento SNMP, ou simplesmente, gerenciamento SNMP. Os comandos são limitados e baseados no mecanismo de busca/alteração. No mecanismo de busca/alteração estão disponíveis as operações de alteração de um valor de um objeto, de obtenção dos valores de um objeto e suas variações. A utilização de um número limitado de operações, baseadas em um mecanismo de busca/alteração, torna o protocolo de fácil implementação, simples, estável e flexível. Como conseqüência, reduz o tráfego de mensagens de gerenciamento através da rede e permite a introdução de novas características. O funcionamento do SNMP é baseado em dois dispositivos: Agente e Gerente. Cada dispositivo gerenciado é visto como um conjunto de variáveis que representam informações referentes ao seu estado atual. Tais informações ficam disponíveis ao Gerente através de consulta e podem ser alteradas por ele. Cada dispositivo gerenciado pelo SNMP deve possuir um Agente e uma base de informações MIB. Funcionamento O modelo de gerenciamento do SNMP consiste de um esquema centralizado, ou seja, um servidor (host) é setado como o Gerente, e os demais integrantes da rede são denominados Agentes. O Agente faz a comunicação entre o Gerente e os equipamentos que não implementam o SNMP. Todos os Agentes possuem uma MIB para cada objeto

6 gerenciado, onde cada MIB contém as variáveis relativas a cada um desses objetos. O SNMP pode ser dividido entre: Conjunto de objetos gerenciados, correspondente a um Agente e uma MIB associada; Um Host de gerenciamento de rede; Um protocolo de gerenciamento de rede que é usado para a comunicação entre o Gerente e os Agentes. Protocolo de Gerenciamento O protocolo de gerenciamento é visto sob o paradigma de observação remota, isto é, ele não transporta simplesmente operações de gerenciamento que devem ser executadas pelos objetos gerenciados, ou seja, cada objeto é visto como uma coleção de variáveis (MIB), cujo valor pode ser lido ou alterado, possibilitando, assim, a monitoração e o controle de cada elemento da rede. O Agente, ao receber uma solicitação do Gerente, encaminha as informações ou altera valores das variáveis que representam os objetos gerenciados. É também tarefa do Agente avisar o Gerente, por meio de Traps, caso ocorra algum evento não-esperado no monitoramento. Gerente O Gerente é um programa executado no Host que possibilita a obtenção e o envio de informações de gerenciamento junto aos dispositivos gerenciados, feitos através da comunicação com um ou mais Agentes. Essas informações de gerenciamento podem ser obtidas por meio de requisições feitas pelo Gerente ao Agente, como também mediante um envio automático disparado pelo Agente a um determinado Gerente. Agente É o integrante do processo, presente no dispositivo gerenciado, e é responsável pela manutenção das informações de gerência desse dispositivo. Essa manutenção é feita quando o Agente atende às requisições enviadas pelo Gerente, e também quando ele envia automaticamente informações de gerenciamento ao gerente, quando previamente programado. Além disso, o Agente comunica ao Gerente a ocorrência de algum acontecimento inesperado, sendo o Gerente responsável por solucionar o problema. O controle das informações do dispositivo é feito por meio de RPC (Remote Procedure Call) Resumindo: O Gerente é o responsável pelo monitoramento, relatórios e decisões na ocorrência de problemas enquanto o Agente é o responsável pelas funções de envio e alteração das informações e pela notificação da ocorrência de eventos infortuitos ao Gerente. As operações de gerenciamento são componentes da aplicação Gerente, as quais controlam e monitoram os Agentes da comunidade de um de um determinado domínio de gerenciamento. Para gerenciar o dispositivo de rede, as operações de gerenciamento podem ler e escrever em variáveis da MIB de cada aplicação Agente. As operações podem também armazenar informações de gerenciamento recuperadas junto as aplicações Agentes em uma MIB própria ou de um banco de dados. O Gerente SNMP realiza basicamente duas funções durante a gerência (SET e GET) e suas variávei (GET-NEXT e TRAP): SET: utilizada para alterar o valor da variável, em que o Gerente solicita que o Agente faça uma alteração no valor da variável;

7 GET: utilizada para ler o valor da variável, em que o Gerente solicita que o Agente obtenha o valor da variável; GET-NEXT: utilizada para ler o valor da próxima variável, em que o Gerente fornece o nome de uma variável e o Agente obtém o valor e o nome da próxima variável. Também é utilizado para se obter valores e nomes de variáveis de uma tabela de tamanho desconhecido; TRAP: utilizada para o Agente comunicar ao Gerente a ocorrência de um evento. Há 7 tipos básicos diferentes de Trap determinados: 1. coldstart: indica que entidade que a envia foi reinicializada, ou que a configuração do agente ou a implementação pode ter sido alterada; warmstart: indica que a entidade que a envia foi reinicializada sem que a configuração do Agente e a implementação fossem alteradas; linkdown: indica que o enlace de comunicação foi interrompido; linkup: o enlace de comunicação foi estabelecido; authenticationfailure: indica que o Agente recebeu uma mensagem SNMP do Gerente que não foi autenticada; egpneighborloss: indica que um par EGP (Exterior Gateway Protocol) parou; enterprisespecific: indica a ocorrência de uma operação TRAP não básica. Histórico O SNMP foi desenvolvido no final dos anos 80 por um grupo da Internet Engineering Task Force (IETF) e foi baseado em um protocolo de monitoração de gateways IP, o Simple Gateway Management Protocol (SGMP). O modelo SNMP possui uma abordagem altamente genérica, característica que faz com que esse protocolo possa ser usado para gerenciar diferentes tipos de sistemas. Sua especificação está contida no RFC : SNMP v1 1992: Remote Monitoring RMON 1993: SNMP v2 1996: SNMP v2c (Community Security) 1996: MIB RMON v2 1998: SNMP v3 (User Security Model) Limitações Falta de segurança Esquema de autenticação trivial Limitações no uso do método SET Ineficiência Esquema de eventos limitado e fixo Operação baseada em pooling Comandos transportam poucos dados Falta de Funções Específicas MIB com estrutura fixa Falta de comandos de controle Falta de comunicação entre gerenciadores

8 Não Confiável Baseado em UDP/IP Trap sem reconhecimento - Ultimas versões: SNMPv2 e SNMPv3 Visando obter melhorias com relação aos aspectos de segurança foram desenvolvidas novas versões do SNMP. SNMPv2, Contém recursos adicionais para resolver os problemas relativos á segurança do SNMPv1 como: privacidade de dados, autenticação controle de acesso. SNMPv3 Desenlvolvido com o objetivo principal de alcançar a segurança, sem deixar de lado a simplicidade do protocolo, através de novas funcionalidades como: Autenticação de privacidade Autorização e controle de acesso Nomes de entidades Pessoas e políticas Usernames e gerência de chaves Destinos de notificações Relacionamentos proxy Configuração remota Agora continuaremos falando do Cacti, objetivo principal deste curso. Na próxima lição mostraremos como iniciá-lo para ser usado pela primeira vez. Inaugurando o Cacti Nesta lição, mostraremos como proceder para utilizar o Cacti depois de instalado e configurado. Lição 4 - Iniciando o Cacti pela primeira vez Para começar a usar o Cacti é muito fácil. Basta abrir qualquer navegador que desejar o digitar o seguinte na barra de endereços: No nosso exemplo, utilizamos a rede local Em seguida aparecerá no seu navegador o seguinte:

9 Leia as instruções se desejar e em seguida clique em NEXT. A próxima tela que aparecerá em seu navegador é essa: Essa tela mostra as informações do banco de dados as quais você configurou previamente. Caso elas estejam corretas, clique em NEXT. Caso os dados acima não estejam corretos, é só editar o arquivo debian.php contido em /etc/cacti. Enfim, aparecerá a tela:

10 contendo os paths os quais o Cacti necessitará. Caso estejam todos corretos, clique em FINISH. Agora aparecerá a tela inicial de login: entre com usuário:admin senha: admin Em sequida o Cacti forçará você a mudar essa senha por motivos de segurança. Mude-a e, em seguida, faça o login. Finalmente, a tela inicial do Cacti se abrirá como mostrada abaixo: O Cacti nos fornece a possibilidade de poder personalizar cada gráfico: como mudar as cores dos gráficos, cores de áreas específicas, largura e altura dos gráficos, escala, dentre outros requisitos. Para isso, no menu da esquerda da página, clique em Graph Templates, e a seguinte tela aparecerá:

11 Escolha qual template deseja alterar e clique nele. Para exemplificar, escolhemos modificar Netware-LoggedInUsers,

12 e a seguinte tela apareceu:

13

14 Agora é só começar a monitorar seus dispositivos que necessitar. Utilização Nesta lição, mostraremos como utilizar o Cacti e alguns de seus recursos. Lição 5 - Utilizando o Cacti Ao iniciar o Cacti, a primeira coisa a fazer é adicionar um dispositivo. Para isso, clique em Create devices for network na tela inicial mostrada abaixo:

15 Em seguida a seguinte tela aparecerá:

16 Clique no nome do Host e em seguida aparecerá as configurações dele, como mostrado abaixo:

17 Mude a opção SNMP Community para Public e salve. Em seguida, entre de novo e confira os dados sobre o SNMP na parte superior da página: SNMP Information System: Linux equipe #2 Mon Mar 6 15:27:08 UTC 2006 i686 Uptime: Hostname: equipe08 Location: localhost

18 Contact: admin Na Guia Associated Grafic Templates você pode escolher o que deseja monitorar. Agora é só clicar na aba Graphs na parte superior da tela e ver os gráficos como na figura abaixo: OBS: Caso seus gráficos não aparecam, ocorreu algum erro nas configurações (verifique se ocorreu algum erro nas configurações do SNMP). Tente configurar novamente, sempre verificando se estas estão corretas. Caso contrário, os gráficos continuarão não aparecendo. O Cacti nos permite setar configurações personalizadas para cada usuário, permitindo que este apenas visualize o que realmente o interessa. É possível criar novos usuários e também alterar permissões de usuários já existentes. Para isso, no menu esquerdo da tela clique em User Management. A seguinte tela abrir-se-á: Para verificar ou alterar algumas configurações do cacti, clique no menu Settings presente no canto esquerdo da tela na guia Configuration. Em seguida a seguinte tela aparecerá:

19 Daremos uma breve descrição de cada aba presente nessa tela de configurações: General Nessa aba( imagem acima) você pode visualizar e alterar as configurações do SNMP, algumas especificações dos arquivos de Log, dentre outros.

20 Paths Aqui você pode visualizar os caminhos dos diretórios onde o Cacti guarda seus arquivos, quais os diretórios onde SNMP e o RRDTOOL trabalham, e o path para o arquivo de log. Poller Nesse local você encontra as configurações do Poller, pode ativar ou desativá-lo, alterar quais scrips PHP são utilizados, alterar as configurações do Poller Host, dentre outras.

21 Graph Export

22 Aqui encontram-se as configurações para a exportação de gráficos, como o Tiiming e as configurações dos servidores FTP os quais disponibilizarão as exportações dos gráficos.

23

24 Visual É o local onde você pode alterar o visual do seu gráfico, isto é, alterar a quantidade de linhas a serem mostradas por página para a gerência dos seus gráficos, a quantidade de caracteres máximas por campo, além da possibilidade de se poder alterar as fontes das letras que o RRDtool, incorporado ao Cacti, utiliza nos gráficos. Authentication

25 Local onde você pode alterar as configurações da autenticação no cacti, incluindo a possibilidade de se usar o LDAP para fazer a autenticação.

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata.

MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. MIB (Management Information Base) Objetos Gerenciados Um objeto gerenciado é a visão abstrata. A MIB é o conjunto dos objetos gerenciados. Basicamente são definidos três tipos de MIBs: MIB II, MIB experimental

Leia mais

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA

Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA Universidade Católica do Salvador CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA O Protocolo SNMP Por Lécia de Souza Oliveira Índice Página 2... O que é SNMP? Histórico Página 3 e 4... Estrutura Geral do Sistema

Leia mais

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Eduardo Perez Pereira 1, Rodrigo Costa de Moura 1 1 Centro Politécnico Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Félix da Cunha, 412 - Pelotas

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Slide 1 Gerenciamento de Redes Gerenciamento de redes inclui o fornecimento, a integração e a coordenação de hardware, software e elementos humanos para monitorar, testar, configurar,

Leia mais

Cacti 4 de fevereiro de 2010

Cacti 4 de fevereiro de 2010 4 de fevereiro de 2010 Sumário 1 Introdução 2 2 Pré-requisitos 2 3 Instalação 2 3.1 Instalando os pacotes necessários................ 3 4 Configuração 3 4.1 Configurando o MySQL..................... 3

Leia mais

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças

III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças III WTR do POP-BA III Workshop de Tecnologias de Redes Ponto de Presença da RNP na Bahia Instrutor: Italo Valcy Monitor: Marcio Bouças Cenário: A máquina curso-monitoramento possui os softwares de gerencia

Leia mais

Cacti. Dependências básicas Antes de instalar o Cacti é necessário realizar a instalação de suas dependências.

Cacti. Dependências básicas Antes de instalar o Cacti é necessário realizar a instalação de suas dependências. Cacti Segundo o site www.cacti.org, o Cacti é uma solução gráfica completa de rede desenvolvida para aproveitar o poder de armazenamento e funcionalidades gráficas do RRDTool's. Trata-se de uma interface

Leia mais

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas

Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores. Sérgio A. Meyenberg Jr. Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Utilizando o Cricket para monitoração de Servidores Sérgio A. Meyenberg Jr Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Curitiba, outubro de 2010 Resumo O objetivo deste Artigo é demonstrar as funcionalidades

Leia mais

LABORATÓRIO 3 (parte 1)

LABORATÓRIO 3 (parte 1) FACULDADE PITÁGORAS Tecnólogo em Redes de Computadores Desempenho de Redes Prof. Ulisses Cotta Cavalca LABORATÓRIO 3 (parte 1) OBJETIVOS Verificar e manipular ferramentas de desempenho

Leia mais

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP

Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Gerenciamento de Equipamentos Usando o Protocolo SNMP Diego Fraga Contessa, Everton Rafael Polina Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento - CP Eletrônica S.A. Rua da Várzea 379 - CEP 91040-600 - Porto

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES

UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES UTILIZAÇÃO DO SOFTWARE LIVRE CACTI PARA GERENCIAMENTO DE REDES LOCAIS DE COMPUTADORES Filipe Herbert da Silva 1, Marco Aurélio G. de Almeida 1, Jonhson de Tarso Silva 1, Karina Buttignon 1 1 Fatec Guaratinguetá,

Leia mais

Rede de Computadores II

Rede de Computadores II Rede de Computadores II Slide 1 SNMPv1 Limitações do SNMPv1 Aspectos que envolvem segurança Ineficiência na recuperação de tabelas Restrito as redes IP Problemas com SMI (Structure Management Information)

Leia mais

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC

Gerenciamento de Redes - Evolução. Gerenciamento de Rede. Gerenciamento de Rede NOC NOC s - Evolução 1970s 1970s 1980s 1980s Dispositivos 1990s 1990s Browser A Web Server Mainframe Estação Gerenciadora Browser C Browser B NOC (Network( Operation Center) Conjunto de atividades para manter

Leia mais

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento

Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Gerência de Redes Padrões de Gerenciamento Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Sumário Padronizações Gerência OSI Gerência TCP/IP SNMP MIB-II RMON SNMPv2 11/5/2007 Gerência

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014.

Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás. Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores. Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Disciplina: Gerenciamento de Rede de Computadores : Goiânia, 16 de novembro de 2014. Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Professor: Marissol Martins Alunos: Edy Laus,

Leia mais

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo

Sistemas de Monitoração de Rede. Resumo Sistemas de Monitoração de Rede Roberto Majewski Especialização em Redes e Segurança de Sistemas Pontifícia Universidade Católica do Paraná Curitiba, novembro de 2009 Resumo Com o grande crescimento da

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

3. O protocolo SNMP. Managed system. Management system. resources. management application. MIB objects. SNMP manager UDP IP. IP link.

3. O protocolo SNMP. Managed system. Management system. resources. management application. MIB objects. SNMP manager UDP IP. IP link. 3. O protocolo SNMP Veicula informações de gerência transporte de valores das MIBs Interações sem conexão Mensagens em UDP/IP portas e 162 pacotes de tamanho variável Mensagens auto-contidas formato Type

Leia mais

3. O protocolo SNMP 1

3. O protocolo SNMP 1 3. O protocolo SNMP 1 Veicula informações de gerência transporte de valores das MIBs Interações sem conexão Mensagens em UDP/IP portas 161 e 162 pacotes de tamanho variável Mensagens auto-contidas formato

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Prof. Macêdo Firmino Princípios de Gerência de Redes Macêdo Firmino (IFRN) Redes de Computadores Maio de 2011 1 / 13 Introdução Foi mostrado que uma rede de computadores consiste

Leia mais

Introdução ao Sistema. Características

Introdução ao Sistema. Características Introdução ao Sistema O sistema Provinha Brasil foi desenvolvido com o intuito de cadastrar as resposta da avaliação que é sugerida pelo MEC e que possui o mesmo nome do sistema. Após a digitação, os dados

Leia mais

Laboratório Configuração do SNMP

Laboratório Configuração do SNMP Topologia Tabela de Endereçamento Objetivos Dispositivo Interface Endereço IP Máscara de Sub-Rede Gateway padrão R1 G0/1 192.168.1.1 255.255.255.0 N/A S0/0/0 192.168.2.1 255.255.255.252 N/A R2 S0/0/0 192.168.2.2

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

LABORATÓRIO 3 (parte 2)

LABORATÓRIO 3 (parte 2) FACULDADE PITÁGORAS Tecnólogo em Redes de Computadores Desempenho de Redes Prof. Ulisses Cotta Cavalca LABORATÓRIO 3 (parte 2) OBJETIVOS Verificar e manipular ferramentas de desempenho

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

Anderson Alves de Albuquerque

Anderson Alves de Albuquerque SNMP (Simple Network Management Protocol) Anderson Alves de Albuquerque 1 Introdução: O que é SNMP (Basicamente): Através de variáveis ou estruturas certos acontecimentos podem ser contabilizados (contados).

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

Elaborado por SIGA EPCT. Projeto SIGA EPCT: Manual de Instalação apt-get para Solução de Relatórios Personalizados

Elaborado por SIGA EPCT. Projeto SIGA EPCT: Manual de Instalação apt-get para Solução de Relatórios Personalizados Elaborado por SIGA EPCT Projeto SIGA EPCT: Manual de Instalação apt-get para Solução de Relatórios Personalizados Versão Outubro - 2011 Sumário 1 Introdução 2 2 Algumas observações 3 3 Obtendo e instalando

Leia mais

Capítulo 8 - Aplicações em Redes

Capítulo 8 - Aplicações em Redes Capítulo 8 - Aplicações em Redes Prof. Othon Marcelo Nunes Batista Mestre em Informática 1 de 31 Roteiro Sistemas Operacionais em Rede Modelo Cliente-Servidor Modelo P2P (Peer-To-Peer) Aplicações e Protocolos

Leia mais

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes

Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Aula 5 - Projeto de Lei 2126/11 (Marco Civil da Internet). Gerência de Redes de Computadores Objetivo Geral - Apender conceitos, protocolos e técnicas na gerencia de redes Objetivos Específicos - Entender

Leia mais

The Simple Network Management Protocol, version 1

The Simple Network Management Protocol, version 1 SNMPv1 The Simple Network Management Protocol, version 1, 2007 1 O Protocolo A versão original do SNMP derivou do Simple Gateway Monitoring Protocol (SGMP) em 1988 RFC1157, STD0015 A Simple Network Management

Leia mais

Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio:

Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio: Produto: CL Titânio Assunto: Como acessar o CL Titânio remotamente via browser? Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio: Entre no menu clicando com o botão direito do

Leia mais

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Manual do Suporte LZT LZT Soluções em Informática Sumário VPN...3 O que é VPN...3 Configurando a VPN...3 Conectando a VPN... 14 Possíveis erros...16 Desconectando

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL

INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL INSTALANDO E CONFIGURANDO O MY SQL Este tutorial tem como objetivo mostrar como instalar o banco de dados My SQL em ambiente Windows e é destinado aqueles que ainda não tiveram um contato com a ferramenta.

Leia mais

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 -

5 O Joomla: Web Apache Banco de Dados MySQL http://www.joomla.org/ - 55 - 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de Gestão de Conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

Manual de Instalação do Servidor Orion Phoenix Versão 1.0 - Novembro/2010

Manual de Instalação do Servidor Orion Phoenix Versão 1.0 - Novembro/2010 Manual de Instalação do Servidor Orion Phoenix Versão 1.0 - Novembro/2010 Manual de Instalação do Sistema Orion Phoenix 1.0 - Novembro/2010 Página 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...3 2. VISÃO GERAL...3 3. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Manual de Utilização do ZABBIX

Manual de Utilização do ZABBIX Manual de Utilização do ZABBIX Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Ciência da Computação Laboratório de Software Livre 29 de junho de 2009 1 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Pré-requisitos

Leia mais

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011

Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte Prof. Vitor H. Migoto de Gouvêa Colégio IDESA 2011 Edição 1 Levante e ande - Instalando o Lazarus e outros sistemas de suporte. Ano: 02/2011 Nesta Edição

Leia mais

Obs: É necessário utilizar um computador com sistema operacional Windows 7.

Obs: É necessário utilizar um computador com sistema operacional Windows 7. Instalando os Pré-Requisitos Os arquivos dos 'Pré-Requisitos' estão localizados na pasta Pré-Requisitos do CD HyTracks que você recebeu. Os arquivos também podem ser encontrados no servidor. (www.hytracks.com.br/pre-requisitos.zip).

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB

LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO WEB GABRIELA TREVISAN Ambiente de Desenvolvimento Após instalar o Wamp Server, inicie o servidor. Um ícone aparecerá na SystemTray. A cor do ícone indica seu estado: Verde: servidor

Leia mais

Manual de Administração

Manual de Administração Manual de Administração Produto: n-mf Xerox Versão do produto: 4.7 Autor: Bárbara Vieira Souza Versão do documento: 1 Versão do template: Data: 04/04/01 Documento destinado a: Parceiros NDDigital, técnicos

Leia mais

LDAP - Tópicos. O que é um Diretório? Introdução. História do LDAP. O que é o LDAP? 5/22/2009

LDAP - Tópicos. O que é um Diretório? Introdução. História do LDAP. O que é o LDAP? 5/22/2009 LDAP - Tópicos Leoncio Regal Dutra Mestre em Engenharia Elétrica Telecomunicações leoncioregal@gmail.com Introdução Definições Funcionamento Segurança Otimizações do LDAP Exemplos Conclusão 2 Introdução

Leia mais

Configurando o DDNS Management System

Configurando o DDNS Management System Configurando o DDNS Management System Solução 1: Com o desenvolvimento de sistemas de vigilância, cada vez mais usuários querem usar a conexão ADSL para realizar vigilância de vídeo através da rede. Porém

Leia mais

COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DO PROTOCOLO DE GERENCIAMENTO SNMP

COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DO PROTOCOLO DE GERENCIAMENTO SNMP COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DO PROTOCOLO DE GERENCIAMENTO SNMP César Augusto Vieira 1, Júlio César Pereira 2 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí Paraná Brasil cesar.vieira@sanepar.com.br juliocesarp@unipar.br

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Roteiro de instalação do jogo da Pirâmide Alimentar

Roteiro de instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Roteiro de instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Documento: Roteiro de Instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Data: 13/04/2010 Objetivos: Orientar a instalação do jogo da Pirâmide Alimentar Versões

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1

Descritivo Técnico. SLAView - Descritivo Técnico Build 5.0 release 4 16/02/2011 Página 1 Descritivo Técnico 16/02/2011 Página 1 1. OBJETIVO O SLAview é um sistema de análise de desempenho de redes IP por meio da monitoração de parâmetros de SLA (Service Level Agreement, ou Acordo de Nível

Leia mais

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02

Manual de Instalação. Instalação via apt-get. SIGA-ADM versão 12.02 Manual de Instalação Instalação via apt-get SIGA-ADM versão 12.02 Índice de capítulos 1 - Pré-requisitos para instalação..................................................... 05 2 - Instalando o SIGA-ADM..............................................................

Leia mais

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice

Guia de Rede. Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Guia de Rede 1 2 3 4 Configuração do Windows Utilizar um Servidor de Impressão Monitorizar e Configurar a Impressora Apêndice Leia este manual cuidadosamente antes de utilizar o equipamento e mantenha-o

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express)

Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) Script de Configuração dos E-mails @SEE (Webmail /Outlook Express) A Secretaria de Estado da Educação está disponibilizando uma nova ferramenta para acesso ao e-mail @see. Essa nova ferramenta permitirá

Leia mais

Construtor Iron Web. Manual do Usuário. Iron Web Todos os direitos reservados

Construtor Iron Web. Manual do Usuário. Iron Web Todos os direitos reservados Construtor Iron Web Manual do Usuário Iron Web Todos os direitos reservados A distribuição ou cópia deste documento, ou trabalho derivado deste é proibida, requerendo, para isso, autorização por escrito

Leia mais

Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Crie um novo disco virtual. Figura 03. Figura 04.

Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Crie um novo disco virtual. Figura 03. Figura 04. Aloque 1024 MB de RAM para a VM. Figura 03. Crie um novo disco virtual. Figura 04. 2 Escolha o formato de disco padrão do Virtual Box, VDI. Figura 05. Escolha o disco rígido Dinamicamente Alocado. Figura

Leia mais

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A

Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Manual Digifort Evidence Versão 1.0.1 Rev. A Índice ANTES DE VOCÊ COMEÇAR... 4 PRÉ-REQUISITOS... 4 SCREEN SHOTS... 4 A QUEM SE DESTINA ESTE MANUAL... 4 COMO UTILIZAR ESTE MANUAL... 4 Introdução... 5 INSTALANDO

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Índice 1) Passo: Instalação do MySQL Server... 2 2) Passo: Instalação do MySQL Query Browser... 9 3) Passo: Instalação do Dotnetfx 2.0 ou versão superior.... 13 4) Passo: Instalação

Leia mais

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site.

Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Você pode testar se está tudo OK, abrindo um navegador no Debian Linux e acessando qualquer site. Foi necessário configurar esse segundo adaptador, porque talvez seja necessário fazer o download de alguma

Leia mais

Manual de Instalação. Instalação via apt-get

Manual de Instalação. Instalação via apt-get Manual de Instalação Instalação via apt-get Índice de capítulos 1 - Pré-requisitos para instalação......................................... 01 2 - Instalando o SIGA-ADM.................................................

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração MySQL

Manual de Instalação e Configuração MySQL Manual de Instalação e Configuração MySQL Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: 1. Baixar os seguintes arquivos no através do link http://ip.sysfar.com.br/install/ mysql-essential-5.1.46-win32.msi mysql-gui-tools-5.0-r17-win32.msi

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express

Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Manual de Instalação e Configuração do SQL Express Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: Acesse o seguinte endereço e faça o download gratuito do SQL SRVER EXPRESS, conforme a sua plataforma x32 ou

Leia mais

O que são DNS, SMTP e SNM

O que são DNS, SMTP e SNM O que são DNS, SMTP e SNM O DNS (Domain Name System) e um esquema de gerenciamento de nomes, hierárquico e distribuído. O DNS define a sintaxe dos nomes usados na Internet, regras para delegação de autoridade

Leia mais

Para começarmos as configurações, primeiramente vamos habilitar o DVR Veicular para o acesso. Clique em Menu e depois entre em Geral.

Para começarmos as configurações, primeiramente vamos habilitar o DVR Veicular para o acesso. Clique em Menu e depois entre em Geral. DVR Veicular Para começarmos as configurações, primeiramente vamos habilitar o DVR Veicular para o acesso. Clique em Menu e depois entre em Geral. Dentro do menu Geral, clique em rede, como mostra a figura.

Leia mais

Print Audit 6 - SQL Server 2005 Express Edition Installation Guide

Print Audit 6 - SQL Server 2005 Express Edition Installation Guide Print Audit 6 - SQL Server 2005 Express Edition Installation Guide Resumo Este é um guia passo a passo para instalar o SQL Server 2005 Express Edition como base de dados para o Print Audit 6. Pré-Requisitos

Leia mais

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX

Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Guia de instalação para ambiente de Desenvolvimento LINUX Conteúdo deste manual Introdução O guia de instalação... 3 Capítulo 1 Instalando o servidor Web Apache... 4 Teste de instalação do Apache... 9

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DAS IMPRESSORAS XEROX PHASER 3125. Em caso de dúvidas, contate o setor de apoio técnico: Tel: 3319-6704

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DAS IMPRESSORAS XEROX PHASER 3125. Em caso de dúvidas, contate o setor de apoio técnico: Tel: 3319-6704 MANUAL DE CONFIGURAÇÃO DAS IMPRESSORAS XEROX PHASER 3125 Em caso de dúvidas, contate o setor de apoio técnico: Tel: 3319-6704 LISTA DE IMPRESSORAS NO PRÉDIO 17 (DECOM) Local IP da impressora 3º Andar 10.0.2.243

Leia mais

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede

EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede EN3611 Segurança de Redes Prof. João Henrique Kleinschmidt Prática Wireshark Sniffer de rede Entregar um relatório contendo introdução, desenvolvimento e conclusão. A seção desenvolvimento pode conter

Leia mais

Protocolos de gerenciamento

Protocolos de gerenciamento Protocolos de gerenciamento Os protocolos de gerenciamento têm a função de garantir a comunicação entre os recursos de redes homogêneas ou não. Com esse requisito satisfeito, operações de gerenciamento

Leia mais

BlackBerry Enterprise Server

BlackBerry Enterprise Server BlackBerry Enterprise Server Versão: 5.0 Service pack: 3 Guia de monitoramento Publicado: 2011-04-02 SWD-1398426-0402045748-012 Conteúdo 1 Solução de monitoramento do BlackBerry Enterprise Server... 5

Leia mais

Figura 2 - Menu "Config. Rede"

Figura 2 - Menu Config. Rede Produto: CL Titânio Assunto: Como acessar o CL Titânio remotamente via browser? Em primeiro lugar, deve-se realizar as configurações de rede do CL Titânio: Entre no menu Principal. clicando com o botão

Leia mais

Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1

Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1 Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1 Guia: Manual de instalação do Sophos SafeGuard Enterprise 6.00.1 Data do Documento: novembro de 2012 1 Conteúdo 1. Sobre este manual... 3 2. Requisitos de Sistema...

Leia mais

O serviço de Gateway Remoto é instalado em um computador, onde um ou diversos rádios móveis Hytera podem ser conectados via cabo USB e áudio.

O serviço de Gateway Remoto é instalado em um computador, onde um ou diversos rádios móveis Hytera podem ser conectados via cabo USB e áudio. Visão Geral O Gateway Remoto Hytracks tem por objetivo atuar como uma extensão do Servidor principal, visando atender regiões muito distantes do servidor através de um link IP. O serviço de Gateway Remoto

Leia mais

Tutorial de importação VirtualBox

Tutorial de importação VirtualBox Tutorial de importação VirtualBox Este documento fornece as orientações necessárias importar uma máquina virtual no VirtualBox. Versão 1.0 12/02/2014 Visão Resumida Data Criação 12/02/2014 Versão Documento

Leia mais

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel

Software de gerenciamento do sistema Intel. Guia do usuário do Pacote de gerenciamento do servidor modular Intel Software de gerenciamento do sistema Intel do servidor modular Intel Declarações de Caráter Legal AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTE DOCUMENTO SÃO RELACIONADAS AOS PRODUTOS INTEL, PARA FINS DE SUPORTE ÀS PLACAS

Leia mais

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Redes de Computadores. Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Redes de Computadores Prof. André Y. Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Nível de Aplicação Responsável por interagir com os níveis inferiores de uma arquitetura de protocolos de forma a disponibilizar

Leia mais

Manual de Acesso a Servidores SSH

Manual de Acesso a Servidores SSH UFF - Universidade Federal Fluminense Escola de Engenharia Curso de Engenharia de Telecomunicações Programa de Educação Tutorial Grupo PET-Tele Manual de Acesso a Servidores SSH Autor : Orientador: Vinicius

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Redes

Curso de extensão em Administração de Redes Curso de extensão em Administração de Redes Italo Valcy da Silva Brito1,2 1 Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia 2 Ponto de Presença

Leia mais

Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles:

Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles: Instalação do Netz Para funcionamento do Netz, alguns programas devem ser instalados e alguns procedimentos devem ser seguidos. São eles: Instalação do Java SE 6, que pode ser instalado através da JDK.

Leia mais

Através deste documento, buscamos sanar dúvidas com relação aos tipos de acessos disponíveis a partir desta alteração.

Através deste documento, buscamos sanar dúvidas com relação aos tipos de acessos disponíveis a partir desta alteração. COMUNICADO A Courart Informática, visando à satisfação de seus clientes, efetuou a contratação de um novo servidor junto à Locaweb, onde está alocado o sistema TransControl IV com todos os seus componentes.

Leia mais

Universidade de Brasília

Universidade de Brasília Universidade de Brasília Instituto de Ciências Exatas Departamento de Ciência da Computação Lista de exercícios Gerência de Redes,Turma A, 01/2010 Marcelo Vale Asari 06/90708 Thiago Melo Stuckert do Amaral

Leia mais

Procedimento de Acesso VPN

Procedimento de Acesso VPN Procedimento de Acesso Departamento de Tecnologia e Infraestrutura Este procedimento tem por objetivo definir as configurações básicas para acessar a rede corporativa do Esporte Clube Pinheiros via. Esporte

Leia mais

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014

Concurso Público. Prova Prática - parte 2. Técnico Laboratório Informática. Técnico Administrativo em Educação 2014 Concurso Público Técnico Administrativo em Educação 2014 Prova Prática - parte 2 Técnico Laboratório Informática NÃO escreva seu nome ou assine em nenhuma folha da prova PROVA PRÁTICA - TÉCNICO LABORATÓRIO

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES 1 Conteúdo 1. LogWeb... 3 2. Instalação... 4 3. Início... 6 3.1 Painel Geral... 6 3.2 Salvar e Restaurar... 7 3.3 Manuais... 8 3.4 Sobre... 8 4. Monitoração... 9 4.1 Painel Sinóptico...

Leia mais

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema.

Instalação: permite baixar o pacote de instalação do agente de coleta do sistema. O que é o projeto O PROINFODATA - programa de coleta de dados do projeto ProInfo/MEC de inclusão digital nas escolas públicas brasileiras tem como objetivo acompanhar o estado de funcionamento dos laboratórios

Leia mais

WampServer. Instalação do WampServer. Nota: Essas instruções são baseadas em uma instalação para o sistema operacional Windows.

WampServer. Instalação do WampServer. Nota: Essas instruções são baseadas em uma instalação para o sistema operacional Windows. WampServer Para configurar o WordPress e o Joomla!, você precisa ter um servidor Web e um banco de dados instalado. A maneira mais fácil de configurar um servidor web e um banco de dados no seu computador

Leia mais

Criação de Web Sites I

Criação de Web Sites I WebDesigner / IBPINET Criação de Web Sites I Anexos Avaliação e Projetos Publicação do site Anexos página 1 1. Avaliação e Projetos 1.1. Questões As questões tratam de assuntos discutidos em sala de aula

Leia mais

Instalação de Moodle 1

Instalação de Moodle 1 Instalação de Moodle (local em Windows XP) 1. Introdução...2 2. Instalação de XAMPP...3 3. Instalação de Moodle...9 3.1. Download de Moodle...9 3.2. Criar uma Base de Dados...10 3.3. Instalação de Moodle...11

Leia mais

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL 1 HTTP Uma página WWW é composta de objetos e endereçado por uma

Leia mais

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br

Gerência de Redes. Arquitetura de Gerenciamento. filipe.raulino@ifrn.edu.br Gerência de Redes Arquitetura de Gerenciamento filipe.raulino@ifrn.edu.br Sistema de Gerência Conjunto de ferramentas integradas para o monitoramento e controle. Possui uma interface única e que traz informações

Leia mais

Guia de Configuração Rápida de D-igitalizar para E-mail

Guia de Configuração Rápida de D-igitalizar para E-mail Xerox WorkCentre M118i Guia de Configuração Rápida de D-igitalizar para E-mail 701P42686 Este guia fornece uma referência rápida para configurar a função Digitalizar para E-mail no Xerox WorkCentre M118i.

Leia mais

STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma

STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma STK (Start Kit DARUMA) Conectando-se diretamente a sua aplicação via TS com o MT1000 Daruma Neste STK apresentaremos como configurar seu servidor Windows 2008 R2 para abrir diretamente sua aplicação ao

Leia mais

SPARK - Comunicador Instantâneo MANUAL DO USUÁRIO

SPARK - Comunicador Instantâneo MANUAL DO USUÁRIO SPARK - Comunicador Instantâneo MANUAL DO USUÁRIO BOA VISTA/RR NOVEMBRO DE 2011 Este manual tem por finalidade esclarecer o funcionamento do SPARK ao servidor interessado em usar este comunicador instantâneo.

Leia mais

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas

Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Introdução: Tutorial de TCP/IP Parte 21 Roteiro Para Resolução de Problemas Prezados leitores, esta é a primeira parte, desta segunda etapa dos tutoriais de TCP/IP. As partes de 01 a 20, constituem o módulo

Leia mais

Manual de Instalação do SGA Livre

Manual de Instalação do SGA Livre Manual de Instalação do SGA Livre Retornar à Página Inicial Índice Introdução Instalação do Servidor Web e Banco de Dados Instalação do Controlador de Painéis Configuração do Cron Instalação do Painel

Leia mais

INSTRUÇÕES DE CONFIGURAÇÃO DE ACESSO AOS PERIÓDICOS CAPES

INSTRUÇÕES DE CONFIGURAÇÃO DE ACESSO AOS PERIÓDICOS CAPES INSTRUÇÕES DE CONFIGURAÇÃO DE ACESSO AOS PERIÓDICOS CAPES 1. PARA USUÁRIOS DO INTERNET EXPLORER Pág 1 2. PARA USUÁRIOS DO MOZILA FIREFOX Pág 7 3. PARA USUÁRIOS DO SAFARI Pág 11 4. PARA USUÁRIOS DO GOOGLE

Leia mais

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH!

TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO (USP) ESCOLA DE ARTES, CIÊNCIAS E HUMANIDADES (EACH) TUTORIAL: MANTENDO O BANCO DE DADOS DE SEU SITE DENTRO DO DOMÍNIO DA USP USANDO O SSH! Autoria e revisão por: PET Sistemas

Leia mais