Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013"

Transcrição

1 Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013 CIDID, CIF, CONVENÇÃO E PROPOSTA DE MODELO ÚNICO DE AVALIAÇÃO Brasília - Dezembro 2013

2 Os Slides selecionados para esta apresentação fazem parte de um conteúdo bem mais amplo, elaborado no âmbito do grupo de trabalho responsável pelo acompanhamento, monitoramento e aprimoramento do atual modelo de avaliação de pessoas com deficiência para acesso ao BPC (GMADI), composto por representantes do INSS e MDS.

3 PARA REFLEÃO O QUE É TER UMA DEFICIÊNCIA? O QUE É TER UMA INCAPACIDADE?

4 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DAS DEFICIÊNCIAS, INCAPACIDADES E DESVANTAGENS CIDID (OMS, 1980) PARADIGMA INICIAL

5 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DAS DEFICIÊNCIAS, INCAPACIDADES E DESVANTAGENS CIDID (OMS, 1980) SEQUÊNCIA DE CONCEITOS - MODELO LINEAR

6 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DAS DEFICIÊNCIAS, INCAPACIDADES E DESVANTAGENS CIDID (OMS, 1980) SEQUÊNCIA DE CONCEITOS - MODELO LINEAR Doença ou distúrbio ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

7 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DAS DEFICIÊNCIAS, INCAPACIDADES E DESVANTAGENS CIDID (OMS, 1980) SEQUÊNCIA DE CONCEITOS - MODELO LINEAR Doença ou distúrbio Deficiências Impairments DEFICIÊNCIA é qualquer perda ou anormalidade de estrutura ou função psicológica, fisiológica ou anatômica. ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

8 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DAS DEFICIÊNCIAS, INCAPACIDADES E DESVANTAGENS CIDID (OMS, 1980) SEQUÊNCIA DE CONCEITOS - MODELO LINEAR Doença ou distúrbio Deficiências Impairments Incapacidades Disabilities INCAPACIDADE é qualquer restrição ou falta (resultante de uma deficiência) de capacidade para realizar uma atividade na forma ou dentro da faixa considerada normal para um ser humano. ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

9 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DAS DEFICIÊNCIAS, INCAPACIDADES E DESVANTAGENS CIDID (OMS, 1980) SEQUÊNCIA DE CONCEITOS - MODELO LINEAR Doença ou distúrbio Deficiências Impairments Incapacidades Disabilities Desvantagens Handicaps DESVANTAGEM é resultante de uma deficiência ou uma incapacidade, que limita ou impede o desempenho de um papel que é normal (dependendo da idade, sexo e fatores sociais e culturais ) para aquele indivíduo. ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

10 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DAS DEFICIÊNCIAS, INCAPACIDADES E DESVANTAGENS CIDID (OMS, 1980) SEQUÊNCIA DE CONCEITOS - MODELO LINEAR Doença ou distúrbio Deficiências Impairments Incapacidades Disabilities Desvantagens Handicaps O FOCO ESTAVA NO INDIVÍDUO. ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

11 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MUDANÇA DE PARADIGMA

12 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO Funções e Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Atividades e Participação ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

13 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO Funções e Estruturas do Corpo Fatores Ambientais Atividades e Participação Deficiências (no corpo) (Impairments) Barreiras Facilitadores Desempenho Capacidade ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

14 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO

15 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

16 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

17 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO Indica os ASPECTOS NEGATIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

18 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO Indica os ASPECTOS NEGATIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) Indica os ASPECTOS POSITIVOS da interação entre um indivíduo (com uma condição de saúde) e seus fatores contextuais (ambientais e pessoais) ( Adaptado de Heloísa B.V.Di Nubila CBCD/USP 2º Congresso Brasileiro de Perícia Médica Previdenciária Abril 2009 )

19 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) MODELO BIOPSICOSSOCIAL, INTERATIVO E DINÂMICO c INCAPACIDADE (Disability) Aspectos negativos da interação. FUNCIONALIDADE Aspectos positivos da interação.

20 CLASSIFICAÇÃO INTERNACIONAL DE FUNCIONALIDADE, INCAPACIDADE E SAÚDE - CIF (OMS, 2001) Saúde Áreas de aplicação Seguro Social Assistencial Social Educação Trabalho Economia e Desenvolvimento Legislação e direito Outras

21 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Modelo Universal

22 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Modelo Universal Multidimensional

23 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Biomédico Modelo Universal Multidimensional Biopsicossocial

24 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Biomédico Progressivo linear Modelo Universal Multidimensional Biopsicossocial Dinâmico e interativo

25 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Biomédico Progressivo linear Conceitos ocidentais Modelo Universal Multidimensional Biopsicossocial Dinâmico e interativo Conceitos universais

26 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Biomédico Progressivo linear Conceitos ocidentais Dirigido apenas para adultos Modelo Universal Multidimensional Biopsicossocial Dinâmico e interativo Conceitos universais Cobertura de todas as fases da vida

27 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Biomédico Progressivo linear Conceitos ocidentais Dirigido apenas para adultos Ajustamento pessoal Modelo Universal Multidimensional Biopsicossocial Dinâmico e interativo Conceitos universais Cobertura de todas as fases da vida Ajustamento sócio-ambiental

28 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Biomédico Progressivo linear Conceitos ocidentais Dirigido apenas para adultos Ajustamento pessoal Política de cuidados Modelo Universal Multidimensional Biopsicossocial Dinâmico e interativo Conceitos universais Cobertura de todas as fases da vida Ajustamento sócio-ambiental Políticas de saúde

29 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Mudança de Paradigmas Modelo de minorias Unidimensional Biomédico Progressivo linear Conceitos ocidentais Dirigido apenas para adultos Ajustamento pessoal Política de cuidados Foco na desvantagem Modelo Universal Multidimensional Biopsicossocial Dinâmico e interativo Conceitos universais Cobertura de todas as fases da vida Ajustamento sócio-ambiental Políticas de saúde Foco na participação

30 CIDID (OMS, 1980) x CIF (OMS, 2001) Romário joga de muletas no time de amputados Fonte: Acesse Piauí Conteúdo é Tudo. Disponível em: Desvantagem ou Participação?

31 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional )

32 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS:

33 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas.

34 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas. 2. A não discriminação;

35 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas. 2. A não discriminação; 3. A plena e efetiva participação e inclusão na sociedade;

36 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas. 2. A não discriminação; 3. A plena e efetiva participação e inclusão na sociedade; 4. O respeito pela diferença e pela aceitação das pessoas com deficiência como parte da diversidade humana e da humanidade;

37 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas. 5. A igualdade de oportunidades; 2. A não discriminação; 3. A plena e efetiva participação e inclusão na sociedade; 4. O respeito pela diferença e pela aceitação das pessoas com deficiência como parte da diversidade humana e da humanidade;

38 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas. 5. A igualdade de oportunidades; 6. A acessibilidade; 2. A não discriminação; 3. A plena e efetiva participação e inclusão na sociedade; 4. O respeito pela diferença e pela aceitação das pessoas com deficiência como parte da diversidade humana e da humanidade;

39 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas. 2. A não discriminação; 3. A plena e efetiva participação e inclusão na sociedade; 5. A igualdade de oportunidades; 6. A acessibilidade; 7. A igualdade entre o homem e a mulher; 4. O respeito pela diferença e pela aceitação das pessoas com deficiência como parte da diversidade humana e da humanidade;

40 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Representa um marco histórico para o movimento das pessoas com deficiência. Tem como PRINCÍPIOS GERAIS: 1. O respeito pela dignidade inerente, a autonomia individual, inclusive a liberdade de fazer as próprias escolhas, e a independência das pessoas. 2. A não discriminação; 3. A plena e efetiva participação e inclusão na sociedade; 4. O respeito pela diferença e pela aceitação das pessoas com deficiência como parte da diversidade humana e da humanidade; 5. A igualdade de oportunidades; 6. A acessibilidade; 7. A igualdade entre o homem e a mulher; 8. O respeito pelo desenvolvimento das capacidades das crianças com deficiência e pelo direito das crianças com deficiência de preservar sua identidade.

41 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência (disability) é um conceito em evolução e que a deficiência (disability) resulta da interação entre pessoas com deficiência (persons with impairments) e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ]

42 CONVENÇÃO SOBRE OS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (2006) E SEU PROTOCOLO FACULTATIVO (Assinados pelo Brasil em Nova Iorque, 2007) Aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de ; Promulgados pelo Decreto nº 6.949, de (Status de emenda constitucional ) Preâmbulo [ ] e) Reconhecendo que a deficiência (disability) é um conceito em evolução e que a deficiência (disability) resulta da interação entre pessoas com deficiência (persons with impairments) e as barreiras devidas às atitudes e ao ambiente que impedem (hinders)a plena e efetiva participação dessas pessoas na sociedade em igualdade de oportunidades com as demais pessoas, [ ] Art. 1º - Propósito Pessoas com deficiência (persons with disabilities) são aquelas que têm impedimentos (impairments) de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação com diversas barreiras, podem obstruir (hinder) sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com as demais pessoas.

43 EM RESUMO CIF DEFICIÊNCIA (no corpo) Impairment CONVENÇÃO = IMPEDIMENTO (no corpo) Impairment

44 EM RESUMO CIF DEFICIÊNCIA (no corpo) Impairment CONVENÇÃO = IMPEDIMENTO (no corpo) Impairment CIF CONVENÇÃO Lei 8.742/93 atualizada INCAPACIDADE = DEFICIÊNCIA (na concepção ampliada ) = EFEITOS DOS IMPEDIMENTOS Disability Disability

45 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção em seus textos originais, em inglês.

46 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção em seus textos originais, em inglês. A divergência existe na tradução em português, porém não compromete o entendimento, desde que se tenha clareza da aplicação de cada termo nas diferentes situações.

47 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção em seus textos originais, em inglês. A divergência existe na tradução em português, porém não compromete o entendimento, desde que se tenha clareza da aplicação de cada termo nas diferentes situações. INCAPACIDADE é um termo muito utilizado no campo da Saúde do Trabalhador e dificilmente será substituído pelo termo DEFICIÊNCIA (na concepção guarda chuva ), conforme o foi pelo movimento pelos direitos das pessoas com deficiência. No entanto, é plenamente possível que as legislações trabalhista e previdenciária possam um dia assumir, em substituição, o conceito de FUNCIONALIDADE, que atende plenamente a todas as áreas.

48 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção em seus textos originais, em inglês. A divergência existe na tradução em português, porém não compromete o entendimento, desde que se tenha clareza da aplicação de cada termo nas diferentes situações. INCAPACIDADE é um termo muito utilizado no campo da Saúde do Trabalhador e dificilmente será substituído pelo termo DEFICIÊNCIA (na concepção guarda chuva ), conforme o foi pelo movimento pelos direitos das pessoas com deficiência. No entanto, é plenamente possível que as legislações trabalhista e previdenciária possam um dia assumir, em substituição, o conceito de FUNCIONALIDADE, que atende plenamente a todas as áreas. Os instrumentos de avaliação de pessoas com deficiência para acesso ao BPC foram elaborados originalmente com base na CIF, em consonância com os princípios da Convenção.

49 IMPORTANTE Não existe qualquer incompatibilidade entre os termos usados pela CIF e pela Convenção em seus textos originais, em inglês. A divergência existe na tradução em português, porém não compromete o entendimento, desde que se tenha clareza da aplicação de cada termo nas diferentes situações. INCAPACIDADE é um termo muito utilizado no campo da Saúde do Trabalhador e dificilmente será substituído pelo termo DEFICIÊNCIA (na concepção guarda chuva ), conforme o foi pelo movimento pelos direitos das pessoas com deficiência. No entanto, é plenamente possível que as legislações trabalhista e previdenciária possam um dia assumir, em substituição, o conceito de FUNCIONALIDADE, que atende plenamente a todas as áreas. Os instrumentos de avaliação de pessoas com deficiência para acesso ao BPC foram elaborados originalmente com base na CIF, em consonância com os princípios da Convenção. A terceira versão dos instrumentos procurará adequar a terminologia, de modo a tornar mais claros os critérios relativos aos impedimentos de longo prazo.

50 MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? Viver sem Limite Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Brasil, Decreto n , de 17 de novembro de Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Plano Viver sem Limite.

51 Viver sem Limite Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Brasil, Decreto n , de 17 de novembro de Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Plano Viver sem Limite. Eixos Temáticos: MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? 1- Acesso à educação - envolve a implantação das salas de recursos multifuncionais, escola acessível, transporte escolar acessível (Programa Caminho da Escola), Pronatec, acessibilidade na educação superior (Incluir), educação bilíngue (Formação de professores e tradutores-intérpretes em Língua Brasileira de Sinais - Libras) e BPC na Escola;

52 Viver sem Limite Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Brasil, Decreto n , de 17 de novembro de Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Plano Viver sem Limite. Eixos Temáticos: MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? 1- Acesso à educação - envolve a implantação das salas de recursos multifuncionais, escola acessível, transporte escolar acessível (Programa Caminho da Escola), Pronatec, acessibilidade na educação superior (Incluir), educação bilíngue (Formação de professores e tradutores-intérpretes em Língua Brasileira de Sinais - Libras) e BPC na Escola; 2- Atenção à saúde - identificação e intervenção precoce de deficiências, diretrizes terapêuticas, centros especializados de habilitação e reabilitação, transporte para acesso à saúde, oficinas ortopédicas e ampliação da oferta de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção (OPM) e atenção odontológica às pessoas com deficiência;

53 Viver sem Limite Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Brasil, Decreto n , de 17 de novembro de Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Plano Viver sem Limite. Eixos Temáticos: MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? 1- Acesso à educação - envolve a implantação das salas de recursos multifuncionais, escola acessível, transporte escolar acessível (Programa Caminho da Escola), Pronatec, acessibilidade na educação superior (Incluir), educação bilíngue (Formação de professores e tradutores-intérpretes em Língua Brasileira de Sinais - Libras) e BPC na Escola; 2- Atenção à saúde - identificação e intervenção precoce de deficiências, diretrizes terapêuticas, centros especializados de habilitação e reabilitação, transporte para acesso à saúde, oficinas ortopédicas e ampliação da oferta de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção (OPM) e atenção odontológica às pessoas com deficiência; 3- Inclusão Social - programa BPC no trabalho, implantação de residências inclusivas e implantação de serviços em Centro-Dia de Referência para pessoas com deficiência;

54 Viver sem Limite Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Brasil, Decreto n , de 17 de novembro de Institui o Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência Plano Viver sem Limite. Eixos Temáticos: MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? 1- Acesso à educação - envolve a implantação das salas de recursos multifuncionais, escola acessível, transporte escolar acessível (Programa Caminho da Escola), Pronatec, acessibilidade na educação superior (Incluir), educação bilíngue (Formação de professores e tradutores-intérpretes em Língua Brasileira de Sinais - Libras) e BPC na Escola; 2- Atenção à saúde - identificação e intervenção precoce de deficiências, diretrizes terapêuticas, centros especializados de habilitação e reabilitação, transporte para acesso à saúde, oficinas ortopédicas e ampliação da oferta de órteses, próteses e meios auxiliares de locomoção (OPM) e atenção odontológica às pessoas com deficiência; 3- Inclusão Social - programa BPC no trabalho, implantação de residências inclusivas e implantação de serviços em Centro-Dia de Referência para pessoas com deficiência; 4- Acessibilidade - programa minha casa, minha vida, centros tecnológicos cães-guia, programa nacional de tecnologia assistiva e crédito facilitado para aquisição de produtos de tecnologia assistiva.

55 MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos?

56 MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? BPC-LOAS Avaliação social e médico-pericial através de instrumentos baseados na CIF, em consonância com a Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência.

57 MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? BPC-LOAS Avaliação social e médico-pericial através de instrumentos baseados na CIF, em consonância com a Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. Demais benefícios e ações afirmativas Avaliação médica, com base no Decreto 3.298/99 e alterações instituídas pelo Decreto 5.296/04, baseados na CIDID.

58 MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? BPC-LOAS Avaliação social e médico-pericial através de instrumentos baseados na CIF, em consonância com a Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. Demais benefícios e ações afirmativas Avaliação médica, com base no Decreto 3.298/99 e alterações instituídas pelo Decreto 5.296/04, baseados na CIDID. Proposta de modelo único de avaliação Instrumento de classificação do grau de funcionalidade de pessoas com deficiência para cidadãos brasileiros. Elaborado por Grupo de Trabalho coordenado pelo IETS (Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade), está prestes a entrar em processo de validação, para futura implantação no país.

59 MODELOS DE AVALIAÇÃO Onde estamos e para onde vamos? BPC-LOAS Avaliação social e médico-pericial através de instrumentos baseados na CIF, em consonância com a Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência. Demais benefícios e ações afirmativas Avaliação médica, com base no Decreto 3.298/99 e alterações instituídas pelo Decreto 5.296/04, baseados na CIDID. Proposta de modelo único de avaliação Lei Compementar nº 142/2013 Instrumento de classificação do grau de funcionalidade de pessoas com deficiência para cidadãos brasileiros. Elaborado por Grupo de Trabalho coordenado pelo IETS (Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade), está prestes a entrar em processo de validação, para futura implantação no país. Aposentadoria para a pessoa com deficiência. Primeiro processo de avaliação a utilizar a proposta de modelo único IF-Br, combase na CIF e Convenão da ONU.

60 Obrigado! Miguel Abud Marcelino

BPC-LOAS (GMADI MDS/INSS)

BPC-LOAS (GMADI MDS/INSS) Compreendendo a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde CIF (OMS/ONU, 2001) e suas interfaces com a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (ONU, 2006). Miguel

Leia mais

Seminário. Nações Unidas.

Seminário. Nações Unidas. Seminário Deficiência, funcionalidade e acessibilidade: implicações para os direitos à comunicação, informação e saúde Evolução de conceitos, interfaces e aplicações da Classificação Internacional e Funcionalidade,

Leia mais

CIF e Convenção da ONU

CIF e Convenção da ONU Mesa 3 E agora fui trabalhar CIF e Convenção da ONU Compreendendo as interfaces para a conquista de direitos. Miguel Abud Marcelino Perito Médico Previdenciário Gex Petrópolis/RJ Integrante do Grupo de

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS Movimentos Sociais X Modelo biomédico Modelo biomédico: Estático; localizado ao corpo; Especialidade dos saberes centralidade

Leia mais

a convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência 2007 e o decreto n o 6.949, de 25 de agosto de 2009. 1

a convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência 2007 e o decreto n o 6.949, de 25 de agosto de 2009. 1 a convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência 2007 e o decreto n o 6.949, de 25 de agosto de 2009. 1 Depois de concluídas todas as etapas, podemos inferir que a Convenção sobre os Direitos

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS Atualização da Minuta de portaria para a Assembleia do CONASS em 21/03/2012 1. Contextualização Pessoas com deficiência são

Leia mais

O Estado e a garantia dos direitos das pessoas com deficiência

O Estado e a garantia dos direitos das pessoas com deficiência O Estado e a garantia dos direitos das pessoas com deficiência Izabel de Loureiro Maior Universidade Federal do Rio de Janeiro Conselho Municipal de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência - CoMDef

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13.

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13. PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13.146/2015) Sumário: I Direitos previstos na Constituição Federal II Direitos

Leia mais

6º FÓRUM SENADO DEBATE BRASIL. Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência : uma Constituição viva e cidadã

6º FÓRUM SENADO DEBATE BRASIL. Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência : uma Constituição viva e cidadã 6º FÓRUM SENADO DEBATE BRASIL Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência : uma Constituição viva e cidadã Denise Granja Presidente do Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Leia mais

Wederson Santos Assistente Social Chefe da Divisão do Serviço Social do INSS Doutorando em Sociologia pela UnB

Wederson Santos Assistente Social Chefe da Divisão do Serviço Social do INSS Doutorando em Sociologia pela UnB Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU, Funcionalidade e Lei Complementar 142: a implementação do modelo biopsicossocial da deficiência na política de Previdência Social brasileira

Leia mais

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho Audiência Pública no Senado Federal Subcomissão Permanente de Assuntos Sociais das Pessoas com Deficiência, da Comissão de Assuntos Sociais Restabelecimento do BPC após s rescisão do contrato de trabalho

Leia mais

Assunto: Orientações para a Organização de Centros de Atendimento Educacional Especializado

Assunto: Orientações para a Organização de Centros de Atendimento Educacional Especializado Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial Esplanada dos Ministérios, Bloco L 6º andar - Gabinete -CEP: 70047-900 Fone: (61) 2022 7635 FAX: (61) 2022 7667 NOTA TÉCNICA SEESP/GAB/Nº 9/2010 Data:

Leia mais

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Sede das Nações Unidas, Nova Iorque, agosto de 2006 Vandir da Silva Ferreia Lilia Novais de Oliveira (Publicado na Revista Reviva, Ano 4 2007, PRODIDE)

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais. Professor: Luiz Clóvis Guido Ribeiro Período: Novembro de 2013

O Desafio da Implementação das Políticas Transversais. Professor: Luiz Clóvis Guido Ribeiro Período: Novembro de 2013 O Desafio da Implementação das Políticas Transversais Professor: Luiz Clóvis Guido Ribeiro Período: Novembro de 2013 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS Secretaria Nacional de Promoção

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE

CLASSIFICAÇÃO EVOLUÇÃO DA LEGISLAÇÃO E DA TERMINOLOGIA CONSTITUIÇÕES ANTERIORES: - DESVALIDOS; - EXCEPCIONAIS. COMENTÁRIOS SOBRE COMENTÁRIOS SOBRE A AVALIAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E INCAPACIDADES NA PERSPECTIVA DE UMA NOVA CLASSIFICAÇÃO NO BRASIL COORDENADORIA NACIONAL PARA INTEGRAÇÃO DA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA CORDE

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO RECOMENDAÇÃO Nº /2015 Dispõe sobre a atuação do Ministério Público na garantia à Educação Infantil. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício das atribuições que lhe são conferidas pelo art.

Leia mais

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho Criada em 28/10/2002, com o objetivo

Leia mais

LEGISLAÇÕES SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

LEGISLAÇÕES SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA LEGISLAÇÕES SOBRE AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Eduardo Jannone da Silva Advogado Mestre em Direito Constitucional ITE Bauru/SP Membro do Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência COMUDE Bauru/SP

Leia mais

Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência

Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência CER O Brasil é o único país com mais de 100 milhões de habitantes que assumiu o desafio de ter um sistema universal, público e gratuito de Saúde DADOS

Leia mais

Plano Municipal de Ações Articuladas para as pessoas com deficiência da Cidade de São Paulo

Plano Municipal de Ações Articuladas para as pessoas com deficiência da Cidade de São Paulo Plano Municipal de Ações Articuladas para as pessoas com deficiência da Cidade de São Paulo DIREITOS HUMANOS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS CONVENÇÃO SOBRE

Leia mais

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS.

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. Entra em vigor nesse mês a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência - Lei 13.146/2015, sancionada em julho e publicada

Leia mais

Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE

Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE Organização

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UFRN NÚCLEO PERMANENTE DE CONCURSOS COMPERVE COMISSÃO PERMANENTE DE APOIO A ESTUDANTES COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS CAENE MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA

Leia mais

Brasília DF Abril, 2014

Brasília DF Abril, 2014 Avaliação do processo de implementação dos Centros-dia de Referência para a Pessoa com Deficiência e suas Famílias, no âmbito do Plano Viver Sem Limite, na Região Nordeste Projeto de pesquisa apresentado

Leia mais

Operacionalização dos Planos pelo SUAS: - O Plano Crack: É Possível Vencer! ; - O Plano Nacional da Pessoa com Deficiência: Viver sem Limite.

Operacionalização dos Planos pelo SUAS: - O Plano Crack: É Possível Vencer! ; - O Plano Nacional da Pessoa com Deficiência: Viver sem Limite. O SUAS E AS AGENDAS ESTRATÉGICAS DE GOVERNO: O FORTALECIMENTO DO COMBATE À POBREZA, AOS RISCOS E ÀS VULNERABILIDADES SOCIAIS: Operacionalização dos Planos pelo SUAS: - O Plano Crack: É Possível Vencer!

Leia mais

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal)

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) Altera o art. 6º da Constituição Federal para incluir o direito à Acessibilidade entre os direitos e garantias fundamentais

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Ações Programáticas Estratégicas ÁREA TÉCNICA SAÚDE DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Políticas Pública de Saúde METAS VIVER SEM LIMITE Organização

Leia mais

DESAFIOS DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PSICOSSOCIAL NO MUNDO DO TRABALHO

DESAFIOS DA INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PSICOSSOCIAL NO MUNDO DO TRABALHO DESAFIOS DA INCLUSÃO Romeu Sassaki DE PESSOAS COM romeukf@uol.com.br DEFICIÊNCIA PSICOSSOCIAL NO MUNDO DO TRABALHO Romeu Kazumi Sassaki 7ª Reabilitação, Inclusão e Tecnologia de Curitiba (Reatiba) Equidade

Leia mais

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Quem são as pessoas com necessidades especiais? Todos nós!!! Termos Pessoa Portadora de Deficiência x Pessoa

Leia mais

Quadro Comparativo. Lei Brasileira da Inclusão (Versão 1) Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência *(Versão 09/12/2014) **

Quadro Comparativo. Lei Brasileira da Inclusão (Versão 1) Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência *(Versão 09/12/2014) ** Quadro Comparativo Lei Brasileira da Inclusão (Versão 1) Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência *(Versão 09/12/2014) ** *Institui a Lei Brasileira da Inclusão da Pessoa com Deficiência. **

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria de Políticas de Educação Especial Inclusão A concepção da inclusão educacional expressa o conceito

Leia mais

II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP. Material das Palestras

II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP. Material das Palestras II Encontro MPSP/MEC/UNDIME-SP Material das Palestras II Encontro MPSP e MEC Educação Inclusiva MARCOS LEGAIS CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Art. 208. O dever do Estado com a educação

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Profª Drª Sonia Maria Rodrigues

EDUCAÇÃO INCLUSIVA. Profª Drª Sonia Maria Rodrigues EDUCAÇÃO INCLUSIVA Profª Drª Sonia Maria Rodrigues INICIANDO NOSSA CONVERSA - Música Vagalume em Libras INCLUSÃO LEGAL Legislação que respalda a política de Educação Inclusiva (nacional e estadual) Leitura

Leia mais

LBI Lei Brasileira de Inclusão

LBI Lei Brasileira de Inclusão Breves observações LBI Lei Brasileira de Inclusão Lei n. o 13.146 Linha do tempo 2003 Estatuto do Portador de Deficiência PLS 06/2003 286 artigos Autoria: Senador Paulo Paim (PT/RS) http://www.senado.gov.br/atividade/materia/detalhes.asp?p_cod_mate=54729

Leia mais

Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão

Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão Atendimento às pessoas com deficiência no serviço ao cidadão 1 2 Apresentação Considerando a inclusão social como um processo bilateral, em que a sociedade se adapta às necessidades de seus habitantes

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e;

RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011. O CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MANAUS, no uso de suas atribuições legais e; RESOLUÇÃO N. 010 /CME/2011 (*) APROVADA EM 28.07.2011 Institui os procedimentos e orientações para Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva no Sistema Municipal de Ensino de Manaus. O CONSELHO

Leia mais

Audiência Pública sobre desoneração de órteses, próteses e tecnologias assistivas

Audiência Pública sobre desoneração de órteses, próteses e tecnologias assistivas Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República SDH/PR Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos das Pessoas com Deficiência - SNPD Audiência Pública sobre desoneração de órteses, próteses

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO

POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO DAET- Departamento de Atenção Especializada e Temática POLÍTICA NACIONAL DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DO HOMEM Diretriz Promover ações de saúde que contribuam

Leia mais

VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTES

VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTES VIOLÊNCIA SEXUAL CONTRA CRIANÇA E ADOLESCENTES UMA POLÍTICA PARA O ENFRENTAMENTO Plano Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Criança e Adolescente N1 Slide 1 N1 Material preparado por Renato

Leia mais

DECRETO Nº 3.956, DE 8 DE OUTUBRO DE

DECRETO Nº 3.956, DE 8 DE OUTUBRO DE Convenção da Organização dos Estados Americanos 08/10/2001 - Decreto 3956 promulga a Convenção Interamericana para Eliminação de Todas as Formas de Discriminação Contra as Pessoas Portadoras de Deficiência

Leia mais

Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br

Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br Romeu Sassaki romeukf@uol.com.br A CESSI BILIDADE BARREIRAS A CESSI BILIDADE 7 DIMENSÕES DE BARREIRAS A CESSI BILIDADE IDENTIFICAR 7 DIMENSÕES DE BARREIRAS BARREIRAS 1. ARQUITETÔNICAS 2. COMUNICACIONAIS

Leia mais

INCLUSÃO ESCOLAR. Desafios da prática. Bianca Mota de Moraes

INCLUSÃO ESCOLAR. Desafios da prática. Bianca Mota de Moraes INCLUSÃO ESCOLAR Desafios da prática Bianca Mota de Moraes Tópicos legislativos Pós 1988 Arts. 205 e 208, III, CR - 1988 Arts. 2º e 8º, I, da Lei 7853-1989 Arts. 54, III e 55 ECA - 1990 Arts. 58, 2º e

Leia mais

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva

A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva A Educação Especial na Perspectiva Inclusiva Instituto Paradigma O Instituto Paradigma é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), dedicada a desenvolver e implementar projetos nas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.949, DE 25 DE AGOSTO DE 2009. Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo

Leia mais

Pensão morte. Auxílioreclusão. Empregada doméstica. Pessoa com deficiência. Alterações legislativas de 2015. fanpage: melissa folmann

Pensão morte. Auxílioreclusão. Empregada doméstica. Pessoa com deficiência. Alterações legislativas de 2015. fanpage: melissa folmann Pensão morte. Auxílioreclusão. Auxílio-doença. Empregada doméstica. Pessoa com deficiência. Alterações legislativas de 2015. fanpage: melissa folmann 1. MP 676/2015 Antes MP 664 e MP Câmara dos Deputados

Leia mais

Viva Acessibilidade!

Viva Acessibilidade! MARKETING/MP-GO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS Procuradoria-Geral de Justiça do Estado de Goiás Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e do Cidadão Viva Acessibilidade! Goiânia 2013 MINISTÉRIO

Leia mais

A evolução do conceito de deficiência na linha do tempo

A evolução do conceito de deficiência na linha do tempo Capacitação de multiplicadores Aposentadoria da Pessoa com Deficiência Lei Complementar 142/2013 A evolução do conceito de deficiência na linha do tempo Brasília - Dezembro 2013 Em 1962 inicia-se nos

Leia mais

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação

Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos de longo prazo de natureza física, mental, intelectual ou sensorial, os quais, em interação Deficiência Deficiência Estabelecidos pelo Decreto Federal 3.298 de 20 de dezembro de 1999 (art. 3º, I e 4 ), que foi alterado pelo Decreto 5.296 de 02 de dezembro de 2004. É todo e qualquer comprometimento

Leia mais

2º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde (CIMES) Tecnologia Assistiva CTI CNRTA www.cti.gov.br/cnrta Fabiana Bonilha

2º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde (CIMES) Tecnologia Assistiva CTI CNRTA www.cti.gov.br/cnrta Fabiana Bonilha 2º Congresso de Inovação em Materiais e Equipamentos para Saúde (CIMES) Tecnologia Assistiva CTI CNRTA www.cti.gov.br/cnrta Fabiana Bonilha Público-alvo "Pessoas com deficiência são aquelas que têm impedimentos

Leia mais

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes

Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Secretaria Municipal de Educação Claudia Costin Subsecretária Helena Bomeny Instituto Municipal Helena Antipoff Kátia Nunes Instituto Municipal Helena Antipoff Educação Especial no Município do Rio de

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PARANAGUA PROVA PARA ASSISTENTE SOCIAL

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PARANAGUA PROVA PARA ASSISTENTE SOCIAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PARANAGUA PROVA PARA ASSISTENTE SOCIAL 01 - A Constituição de 1988 consagrou na área social o (a): a) paradigma do mérito e da solidariedade;

Leia mais

Fundamentos Socioculturais e Diversidades

Fundamentos Socioculturais e Diversidades NATURALIZAÇÃO DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE Fundamentos Socioculturais e Diversidades MÓDULO III Prof.: MSc. Getulio Ribeiro Histórias da Infância e do Mundo Adulto Da Infância à Melhor Idade

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 3.956, DE 8 DE OUTUBRO DE 2001. Promulga a Convenção Interamericana para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação

Leia mais

ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA

ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA ACESSIBILIDADE E FORMAÇÃO DE PROFESSORES: EXPERIÊNCIA COM UM ALUNO CEGO DO CURSO DE GEOGRAFIA, A DISTÂNCIA Maria Antônia Tavares de Oliveira Endo mariantonia@cead.ufop.br Curso de Geografia 1900 Paulo

Leia mais

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Professor Cláudio José Vistue Rios E-mail: claudiorios05@hotmail.com APOSENTADORIA DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA FUNDAMENTAÇÃO LEGAL CF 05/10/1988 Art. 201 1º; Lei

Leia mais

Ensinar é confrontar-se com um grupo heterogêneo

Ensinar é confrontar-se com um grupo heterogêneo Ensinar é confrontar-se com um grupo heterogêneo (Perrenoud Pedagogia Diferenciada) Projeto de Educação Inclusiva: Proposta educacional irreversível Democratização do acesso à escola Democratização do

Leia mais

Desafios na inclusão de PCD

Desafios na inclusão de PCD Desafios na inclusão de PCD Narciso Guedes Chefe da Seção de Segurança e Saúde do Trabalhador da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego/RJ Auditor Fiscal do Trabalho Médico do Trabalho narciso.guedes@mte.gov.br

Leia mais

IX Conferência da RIICOTEC

IX Conferência da RIICOTEC IX Conferência da RIICOTEC Alcadia Valencia outubro de 2007 INCLUSÃO DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA BRASIL Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República Coordenadoria Nacional para

Leia mais

1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA

1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA 1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA ASPECTOS PREVIDENCIÁRIOS DA INCLUSÃO DOS REABILITADOS E DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA 25 DE SETEMBRO DE 2012

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO CÂMARA MUNICIPAL DE ITABORAÍ ESTADO DO RIO DE JANEIRO Meta 4: universalizar, para a população de 4 (quatro) a 17 (dezessete) anos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades

Leia mais

No Brasil, existem cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência, o que representa ¼ da população geral (Censo IBGE, 2010).

No Brasil, existem cerca de 45 milhões de Pessoas com Deficiência, o que representa ¼ da população geral (Censo IBGE, 2010). O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência PLANO VIVER SEM LIMITE 2011-2014 foi instituído por meio do Decreto da Presidência da República nº 7.612, de 17/11/2011 e tem como finalidade promover,

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador CRISTOVAM BUARQUE PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei da Câmara nº 325, de 2009, de autoria da Deputada Maria do Rosário, que regulamenta a profissão de Tradutor

Leia mais

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR

MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR MINUTA DE ANTEPROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Regulamenta o inciso I do 4 do art. 40 da Constituição da República, que dispõe sobre a concessão de aposentadoria especial ao servidor público titular de cargo

Leia mais

PLANO VIVER SEM LIMITE

PLANO VIVER SEM LIMITE PLANO VIVER SEM LIMITE O Plano Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência PLANO VIVER SEM LIMITE 2011-2014 foi instituído por meio do Decreto da Presidência da República nº 7.612, de 17/11/2011 e

Leia mais

EIXO 1 ESTADO, SOCIEDADE E DEMOCRACIA. D1.2 Democracia e Cidadania no Brasil (16h) Professor : Roberto Rocha Coelho Pires. Aula 2

EIXO 1 ESTADO, SOCIEDADE E DEMOCRACIA. D1.2 Democracia e Cidadania no Brasil (16h) Professor : Roberto Rocha Coelho Pires. Aula 2 EIXO 1 ESTADO, SOCIEDADE E DEMOCRACIA D1.2 Democracia e Cidadania no Brasil (16h) Professor : Roberto Rocha Coelho Pires Aula 2 5 e 6, 12 e 13 de setembro de 2011 Cidadania Introdução (conexão com aula

Leia mais

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Maria Izabel do Amaral Sampaio Castro 8.ª Promotora de Justiça de São Caetano do Sul miasc@mp.sp.gov.br (11) 4238-8757 1 TERMINOLOGIA 1) Pessoa PORTADORA de Deficiência:

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

FACULDADE UNA DE SETE LAGOAS

FACULDADE UNA DE SETE LAGOAS FACULDADE UNA DE SETE LAGOAS POLÍTICA DE ATENDIMENTO PARA ALUNOS COM DEFICIÊNCIA / NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS NAP (NÚCLEO DE APOIO PSICOPEDAGÓGICO) CAPÍTULO I Do apoio psicopedagógico, seu público

Leia mais

Pessoas com Deficiência e Direito de Acesso à Cultura. Introdução

Pessoas com Deficiência e Direito de Acesso à Cultura. Introdução Pessoas com Deficiência e Direito de Acesso à Cultura IZABEL MARIA MADEIRA DE LOUREIRO MAIOR* Introdução O desafio desta proposta é o de dialogar com os atores sociais que, direta e indiretamente, realizam

Leia mais

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA

A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA A APAE E A EDUCAÇÃO INCLUSIVA - APRESENTAÇÃO 1- COMO SURGIU A IDÉIA DA EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 2- O QUE SIGNIFICA INCLUSÃO ESCOLAR? 3- QUAIS AS LEIS QUE GARANTEM A EDUCAÇÃO INCLUSIVA? 4- O QUE É UMA ESCOLA

Leia mais

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Legislação Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Apresentação A plena vigência das instituições democráticas pressupõe a construção

Leia mais

PARECER COREN-SP 029/2013 CT PRCI n 100.987 e Ticket nº 280.486

PARECER COREN-SP 029/2013 CT PRCI n 100.987 e Ticket nº 280.486 PARECER COREN-SP 029/2013 CT PRCI n 100.987 e Ticket nº 280.486 Ementa: Desempenho de atividade profissional por portador de Hepatite tipo B e Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV). 1. Do fato Enfermeira

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023

MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 MINISTÉRIO DA CULTURA Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural - SID Telefone: 3316-2102 Fax: (61) 3316-2023 Nota Técnica nº /2009/SID/MinC Em, de abril de 2009 Ao Sr. Chefe de Gabinete CG/SE/MinC

Leia mais

Salário-de-benefício

Salário-de-benefício Salário-de-benefício Salário-de-benefício é o valor básico utilizado para o cálculo da renda mensal dos seguintes benefícios previdenciários: aposentadoria por invalidez, aposentadoria por idade, aposentadoria

Leia mais

NOME DO CURSO: Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância

NOME DO CURSO: Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância NOME DO CURSO: Atendimento Educacional Especializado na Perspectiva da Educação Inclusiva Nível: Aperfeiçoamento Modalidade: A distância Parte 1 Código / Área Temática Código / Nome do Curso Etapa de ensino

Leia mais

Disposições Preliminares do DIREITO DO IDOSO

Disposições Preliminares do DIREITO DO IDOSO Disposições Preliminares do DIREITO DO IDOSO LESSA CURSOS PREPARATÓRIOS CAPÍTULO 1 O ESTATUTO DO IDOSO O Estatuto do Idoso - Lei 10.741/2003, é o diploma legal que tutela e protege, através de um conjunto

Leia mais

DECRETO Nº 1.973, DE 1º DE AGOSTO DE 1996. (Publicado no D.O.U. de 02.08.1996)

DECRETO Nº 1.973, DE 1º DE AGOSTO DE 1996. (Publicado no D.O.U. de 02.08.1996) DECRETO Nº 1.973, DE 1º DE AGOSTO DE 1996. (Publicado no D.O.U. de 02.08.1996) Promulga a Convenção Interamericana para Prevenir, Punir e Erradicar a Violência contra a Mulher, concluída em Belém do Pará,

Leia mais

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Presidência da República Secretaria de Direitos Humanos Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Protocolo Facultativo

Leia mais

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009

SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, IDOSAS E SUAS FAMÍLIAS NO SUAS Tipificação Nacional dos Serviços SUAS/2009 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL SNAS DEPARTAMENTO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL - DPSE SERVIÇO DE PROTEÇÃO SOCIAL ESPECIAL PARA PESSOAS COM

Leia mais

Compreendendo a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

Compreendendo a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Compreendendo a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência Centro de Informação das Noções Unidas no Brasil Av. Marechal Floriano, 196 - Palácio Itamaraty 20080-002 Rio de Jnaeiro, RJ Tel.:

Leia mais

O PAPEL DA TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR ÀS POSSIBILIDADES E DIFICULDADES

O PAPEL DA TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR ÀS POSSIBILIDADES E DIFICULDADES O PAPEL DA TECNOLOGIA ASSISTIVA NO ENSINO SUPERIOR: UM OLHAR ÀS POSSIBILIDADES E DIFICULDADES ANDREZA APARECIDA POLIA 1 MARIA DA CONCEIÇÃO NARKHIRA PEREIRA 2 LEILANE BENTO DE ARAÚJO MENESES 3 KARL MARX

Leia mais

Promulga o Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças em conflitos armados.

Promulga o Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças em conflitos armados. DECRETO Nº 5.006, DE 8 DE MARÇO DE 2004. Promulga o Protocolo Facultativo à Convenção sobre os Direitos da Criança relativo ao envolvimento de crianças em conflitos armados. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE) Bom-dia, Excelentíssimo. Senhor Ministro-Presidente, bom-dia aos demais integrantes

DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE) Bom-dia, Excelentíssimo. Senhor Ministro-Presidente, bom-dia aos demais integrantes O SR. FRANCISCO BATISTA JÚNIOR (PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE) Bom-dia, Excelentíssimo Senhor Ministro-Presidente, bom-dia aos demais integrantes da nossa Mesa que, neste momento, estão dividindo

Leia mais

ACESSIBILIDADE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA OU COM MOBILIDADE REDUZIDA

ACESSIBILIDADE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA OU COM MOBILIDADE REDUZIDA SENADO FEDERAL Senador RENAN CALHEIROS ACESSIBILIDADE DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA OU COM MOBILIDADE REDUZIDA BRASÍLIA 2009 FALE CONOSCO Você pode encaminhar suas sugestões, opiniões e críticas

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Comitê Gestor do Portal da Câmara dos Deputados COMITÊ GESTOR DO PORTAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS RELATÓRIO 2009

CÂMARA DOS DEPUTADOS Comitê Gestor do Portal da Câmara dos Deputados COMITÊ GESTOR DO PORTAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS RELATÓRIO 2009 CÂMARA DOS DEPUTADOS Comitê Gestor do Portal da Câmara dos Deputados COMITÊ GESTOR DO PORTAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS RELATÓRIO 2009 Dezembro/2009 Introdução O Portal da Câmara cada vez mais se consolida

Leia mais

REDE VIRTUAL INESPEC http://radioinespec2013.yolasite.com/

REDE VIRTUAL INESPEC http://radioinespec2013.yolasite.com/ INSTITUTO INESPEC Instituto de Ensino Pesquisa, Extensão e Cultura REDE VIRTUAL INESPEC http://radioinespec2013.yolasite.com/ Dr. Fernando Augusto, 873 Bairro Santo Amaro, CEP 60.540.260. http://wwwestatutoinespec.blogspot.com/

Leia mais

Nome do projeto: PROJETO DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PARA CIDADÃOS BRASILEIROS

Nome do projeto: PROJETO DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PARA CIDADÃOS BRASILEIROS 1. IDENTIFICAÇÃO Nome do projeto: PROJETO DE ELABORAÇÃO DE INSTRUMENTO DE CLASSIFICAÇÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA PARA CIDADÃOS BRASILEIROS Instituição proponente: INSTITUTO DE ESTUDOS DO TRABALHO E SOCIEDADE

Leia mais

Câmara dos. Deputados. Convenção sobre os direitos. 2 a Edição

Câmara dos. Deputados. Convenção sobre os direitos. 2 a Edição Câmara dos Deputados Convenção sobre os direitos das pessoas com deficiência 2 a Edição Brasília 2011 Mesa da Câmara dos Deputados 54ª Legislatura 1ª Sessão Legislativa 2011-2015 Presidente Marco Maia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO-GERAL DO CENSO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA Orientação para

Leia mais

Breve trajetória histórica do movimento das pessoas com deficiência

Breve trajetória histórica do movimento das pessoas com deficiência Breve trajetória histórica do movimento das pessoas com deficiência Izabel Maior Fisiatra, professora aposentada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro e ex-secretária nacional

Leia mais

INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA 016inf15 (13/07/2015) HMF INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA No dia 07 de julho de 2015, foi publicada a lei federal 13.146, chamada de Lei Brasileira

Leia mais

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO Jessica Fernanda Gonçalves Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Mariane Pereira Graduanda em Administração Faculdades

Leia mais

CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO

CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO CONSTRUINDO MATERIAIS ADAPTADOS PARA ALUNOS COM DIFICULDADES MOTORAS E DE COMUNICAÇÃO Dilma Almeida Martins 1 Monica Moura Neves 2 Raquel Nery Mendes Silva 3 INTRODUÇÃO No estabelecimento de ensino onde

Leia mais

Consultor/a Local Reformulação de metodologia para o atendimento nacional da Central da Mulher Ligue 180.

Consultor/a Local Reformulação de metodologia para o atendimento nacional da Central da Mulher Ligue 180. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA AS MULHERES CCBB, Setor de Clubes Esportivo Sul, Trecho 2, lote 22, Ed. Tancredo Neves, 1º andar 70.200-002 - Brasília/DF Telefone: (61) 3313.7063/7058

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME SECRETARIA NACIONAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DEPARTAMENTO DE BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS PROGRAMA BPC TRABALHO PASSO A PASSO O QUE É O Programa de Promoção

Leia mais

AS RELAÇÕES DO ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E SUAS IMPLICAÇÕES NO ENSINO REGULAR INCLUSIVO

AS RELAÇÕES DO ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E SUAS IMPLICAÇÕES NO ENSINO REGULAR INCLUSIVO AS RELAÇÕES DO ESTUDANTE COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E SUAS IMPLICAÇÕES NO ENSINO REGULAR INCLUSIVO Kaceline Borba de Oliveira 1 Rosane Seeger da Silva 2 Resumo: O presente trabalho tem por objetivo, através

Leia mais

NORMATIVAS INTERNACIONAIS

NORMATIVAS INTERNACIONAIS LEVANTAMENTO DOS MARCOS LÓGICOS E LEGAIS DE MSE LIBERDADE ASSISTIDA 1. Marco Lógico Publicação/Origem NORMATIVAS INTERNACIONAIS DECLARAÇÃO DE GENEBRA 1924 DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Declaração

Leia mais

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA. São Bernardo do Campo, setembro de 2013

APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA. São Bernardo do Campo, setembro de 2013 APOSENTADORIA POR INVALIDEZ APOSENTADORIA ESPECIAL APOSENTADORIA DOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA São Bernardo do Campo, setembro de 2013 As regras constitucionais sobre aposentadoria por invalidez EC 41/2003:

Leia mais

O Processo de Trabalho do ACS no cuidado à Pessoa com Doença Falciforme. Ana Paula Pinheiro Chagas Fernandes ana.chagas@medicina.nupad.ufmg.

O Processo de Trabalho do ACS no cuidado à Pessoa com Doença Falciforme. Ana Paula Pinheiro Chagas Fernandes ana.chagas@medicina.nupad.ufmg. O Processo de Trabalho do ACS no cuidado à Pessoa com Doença Falciforme Ana Paula Pinheiro Chagas Fernandes ana.chagas@medicina.nupad.ufmg.br Integração e Integralidade Portaria GM 3252 Art. 4º A Vigilância

Leia mais