1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA"

Transcrição

1 1º SEMINÁRIO DA SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR COM DEFICIÊNCIA NA INDÚSTRI DA CONSTRUÇÃO PESADA ASPECTOS PREVIDENCIÁRIOS DA INCLUSÃO DOS REABILITADOS E DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA 25 DE SETEMBRO DE 2012

2 RESOLUÇÃO INSS Nº 118/2010 Defini: a clientela a ser atendida no programa de reabilitação profissional (RP), entre elas os dependentes dos segurados e a pessoa com deficiência (PcD) o encaminhamento será feito pela perícia médica os dependentes de segurados e PcD poderão solicitar atendimento na RP através de requerimento na APS a celebração Convênios de Acordos de Cooperação Técnica no âmbito da Reabilitação Profissional com entidades públicas ou privadas, sem ônus para os partícipes, para prestação de serviços

3 RESOLUÇÃO INSS Nº 118/2010 Defini: Serviços a serem prestados: atendimentos especializados avaliação e elevação de escolaridade avaliação e treinamento profissional promoção de cursos profissionalizantes estágios curriculares e extra curriculares para alunos graduados homologação do processo de habilitação ou reabilitação de PcD homologação de readaptação profissional

4 RESOLUÇÃO INSS Nº 118/2010 Art. 3º: os dependentes de segurados e PcD poderão solicitar atendimento na RP através de requerimento na APS 1º os dependentes de segurados referidos no caput serão atendidos pela equipe de RP de acordo com as possibilidades administrativas, técnicas e financeiras e as condições locais do órgão 2º as PcD referidas no caput serão atendidas pela equipe de RP quando houver previamente a celebração de Convênio de Cooperação Técnica-Financeira firmado entre o INSS, por meio da GEx e as instituições e associações de assistência às pessoas com deficiência

5 Recursos Materiais Oferecidos pelo Programa de Reabilitação Profissional Prótese e órtese, bem como seu reparo ou substituição Taxa de inscrição e mensalidade de curso profissionalizante e documento de habilitação Implemento profissional Instrumento de trabalho Auxílio transporte Auxílio alimentação Diária

6 AS DIFICULDADES DA INCLUSÃO REABILITADOS DO INSS 60% LIMITAÇÕES OSTEOMUSCULARES BAIXA ESCOLARIDADE BAIXA QUALIFICAÇÃO PROF. FAIXA ETÁRIA ENTRE 30/40 ANOS 80% COM VÍNCULO CLT EMPRESAS NÃO ACOLHEM GRANDE Nº EM LITÍGIO PESSOAS COM DEFICIÊNCIA DEFICIÊNCIAS DE VÁRIOS TIPOS BAIXA ESCOLARIDADE BAIXA QUALIFICAÇÃO PROF. JOVENS GRANDE MAIORIA DESEMPREGADOS EMPRESAS ESCOLHEM A DEFICIÊNCIA

7 PORQUE É DIFÍCIL REINSERIR/INCLUIR Alta incidência e prevalência de trabalhadores/segurados com longos períodos de afastamento do trabalho Descrença nos laudos da comunidade médica em geral (SUS, convênios, etc) Critério de incapacidade institucional dificulta o enfoque preventivo que se pretende Afastamento prolongado, sem uma intervenção paralela que mobilize recursos psíquicos reconstrutivos e criativos, leva a uma crescente diminuição da auto-estima e a uma dependência cada vez maior do benefício previdenciário. Sentimentos de desvalorização dos reabilitados e das pessoas com deficiência que dificultam a superação da incapacidade/deficiência Instituição (INSS) vista como opositora

8 PORQUE É DIFÍCIL REINSERIR/INCLUIR Empresas não oferecem funções compatíveis Empresas não acolhedoras Medo de demissão no retorno à empresa Reestruturação produtiva dos diversos setores de trabalho Baixa eficiência na intervenção dos fatores geradores dos agravos à saúde dos trabalhadores Limites para identificação de funções compatíveis (Barreiras = terceirização e Just in time)

9 Decreto nº 3298/99 DISPÕE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DE INTEGRAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Da Habilitação e da Reabilitação Profissional Art. 30. A pessoa portadora de deficiência, beneficiária ou não do Regime Geral de Previdência Social, tem direito às prestações de habilitação e reabilitação profissional para capacitar-se a obter trabalho, conservá-lo e progredir profissionalmente. Art. 31. Entende-se por habilitação e reabilitação profissional o processo orientado a possibilitar que a pessoa portadora de deficiência, a partir da identificação de suas potencialidades laborativas, adquira o nível suficiente de desenvolvimento profissional para ingresso e reingresso no mercado de trabalho e participar da vida comunitária. Art. 32. Os serviços de habilitação e reabilitação profissional deverão estar dotados dos recursos necessários para atender toda pessoa portadora de deficiência, independentemente da origem de sua deficiência, desde que possa ser preparada para trabalho que lhe seja adequado e tenha perspectivas de obter, conservar e nele progredir. Art. 33. A orientação profissional será prestada pelos correspondentes serviços de habilitação e reabilitação profissional, tendo em conta as potencialidades da pessoa portadora de deficiência, identificadas com base em relatório de equipe multiprofissional, que deverá considerar: I - educação escolar efetivamente recebida e por receber; II - expectativas de promoção social; III - possibilidades de emprego existentes em cada caso; IV - motivações, atitudes e preferências profissionais; e V - necessidades do mercado de trabalho.

10 Decreto nº 3298/99 DISPÕE SOBRE A POLÍTICA NACIONAL DE INTEGRAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Art. 36. A empresa com cem ou mais empregados está obrigada a preencher de dois a cinco por cento de seus cargos com beneficiários da Previdência Social reabilitados ou com pessoa portadora de deficiência habilitada, na seguinte proporção: I - até duzentos empregados, dois por cento; II - de duzentos e um a quinhentos empregados, três por cento; III - de quinhentos e um a mil empregados, quatro por cento; ou IV - mais de mil empregados, cinco por cento.

11 VAGAS DA LEI DE COTAS O CERTIFICADO DE REABILITADO EQUIPARA O SEGURADO À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NA DISPUTA PELAS VAGAS

12 Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social BPC-LOAS ao idoso e à pessoa com deficiência É um benefício da assistência social, integrante do Sistema Único da Assistência Social SUAS, pago pelo Governo Federal, cuja a operacionalização do reconhecimento do direito é do Instituto Nacional do Seguro Social INSS e assegurado por lei, que permite o acesso de idosos e pessoas com deficiência às condições mínimas de uma vida digna.

13 QUEM TEM DIREITO AO BPC-LOAS - Pessoa Idosa - IDOSO: deverá comprovar que possui 65 anos de idade ou mais, que não recebe nenhum benefício previdenciário, ou de outro regime de previdência e que a renda mensal familiar per capita seja inferior a ¼ do salário mínimo vigente. - Pessoa com Deficiência - PcD: deverá comprovar que a renda mensal do grupo familiar per capita seja inferior a ¼ do salário mínimo, deverá também ser avaliado se a sua deficiência o incapacita para a vida independente e para o trabalho, e esta avaliação é realizada pelo Serviço Social e pela Pericia Médica do INSS. Para o cálculo da renda familiar per capita é considerado o conjunto de pessoas composto pelo requerente, o cônjuge, o companheiro, a companheira, os pais e, na ausência de um deles, a madrasta ou o padrasto, os irmãos solteiros, os filhos e enteados solteiros e os menores tutelados, desde que vivam sob o mesmo teto. O benefício assistencial pode ser pago a mais de um membro da família desde que comprovadas todas a condições exigidas. Nesse caso, o valor do benefício concedido anteriormente será incluído no cálculo da renda familiar. O benefício deixará de ser pago quando houver superação das condições que deram origem a concessão do benefício ou pelo falecimento do beneficiário. O benefício assistencial é intransferível e, portanto, não gera pensão aos dependentes.

14 PORTARIA CONJUNTA - MDS/INSS Nº 1 DE D.O.U.: Estabelece os critérios, procedimentos e instrumentos para a avaliação social e médico-pericial da deficiência e do grau de incapacidade das pessoas com deficiência requerentes do Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social Art. 3º O Perito Médico do INSS identificará e justificará tecnicamente, em resposta ao quesito do instrumento de avaliação, a existência de alteração importante na estrutura do corpo que implique mau prognóstico, a ser considerado no qualificador final da deficiência.

15 PORTARIA CONJUNTA - MDS/INSS Nº 1 DE D.O.U.: Art. 4º O Perito Médico do INSS responderá o quesito sobre a duração dos impedimentos incapacitantes do requerente do BPC, com vistas a avaliar a conformidade com o conceito de "impedimentos de longo prazo" constante na definição de "pessoas com deficiência" da Convenção Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, aprovados pelo Decreto Legislativo nº 186, de 2008, e promulgados pelo Decreto nº 6.949, de 2009, assinalando campo correspondente nos instrumentos de avaliação da deficiência e do grau de incapacidade. 1º Para efeito de concessão do BPC, considera-se impedimento de longo prazo aquele que incapacita a pessoa com deficiência para a vida independente e para o trabalho pelo prazo mínimo de dois anos. 2º O benefício será indeferido sempre que os impedimentos incapacitantes forem classificados como de curto ou médio prazo, independentemente do grau de incapacidade existente no momento da avaliação, reconhecido nas conclusões técnicas das avaliações social e médico-pericial.

16 LEI DE 31 DE AGOSTO DE 2011 Art. 21. O benefício de prestação continuada deve ser revisto a cada 2 (dois) anos para avaliação da continuidade das condições que lhe deram origem. 1º O pagamento do benefício cessa no momento em que forem superadas as condições referidas no caput, ou em caso de morte do beneficiário. 2º O benefício será cancelado quando se constatar irregularidade na sua concessão ou utilização. 3º O desenvolvimento das capacidades cognitivas, motoras ou educacionais e a realização de atividades não remuneradas de habilitação e reabilitação, entre outras, não constituem motivo de suspensão ou cessação do benefício da pessoa com deficiência. 4ºA cessação do benefício de prestação continuada concedido à pessoa com deficiência, inclusive em razão do seu ingresso no mercado de trabalho, não impede nova concessão do benefício, desde que atendidos os requisitos definidos em regulamento.

17 LEI DE 31 DE AGOSTO DE 2011 Art. 21A O BPC será suspenso pelo órgão concedente quando a pessoa com deficiência exercer atividade remunerada, inclusive na condição de microempreendedor individual. 1º Extinta a relação trabalhista ou a atividade empreendedora de que trata o caput deste artigo e, quando for o caso, encerrado o prazo do segurodesemprego, e não tendo o beneficiário adquirido o direito a qualquer benefício previdenciário, poderá ser requerida a continuidade do pagamento do benefício suspenso sem necessidade de realização de perícia médica ou reavaliação da deficiência e do grau de incapacidade para esse fim, respeitado o período de revisão previsto no caput do art.21 2º A contratação da pessoa com deficiente como aprendiz não acarreta a suspensão do BPC, limitado a 2 anos o recebimento concomitante da remuneração e do benefício

18 INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DO BPC gislacao-1/portarias/anexo_i_-_instr._aval_16_anos_ou_mais- _de_ pdf

19 OBRIGADA! Dra Ecléa Bravo Médica do Trabalho do CEREST Piracicaba Médica Perita Responsável Técnica da RP GEX Piracicaba Tel.: CEREST

11/09/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 218 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 219 12

11/09/2015 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 218 Dir. Previdenciário Prof. Marcos 219 12 218 219 12 220 221 13 222 223 14 224 225 15 226 227 16 228 229 17 230 231 18 232 233 19 234 235 20 236 237 21 238 239 22 Direito Adquirido a Aposentadoria antes da EC nº 20/98 240 241 23 242 Benefício

Leia mais

Aposentadorias por Tempo de Contribuição e por Idade do. Segurado com Deficiência

Aposentadorias por Tempo de Contribuição e por Idade do. Segurado com Deficiência Art. 70-A. A concessão da aposentadoria por tempo de contribuição ou por idade ao segurado que tenha reconhecido, em avaliação médica e funcional realizada por perícia própria do INSS, grau de deficiência

Leia mais

I Seminário Internacional

I Seminário Internacional INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL Diretoria de Saude do Trabalhador I Seminário Internacional Emprego Apoiado no Brasil - Desafios e Perspectivas São Paulo - 31 de maio /01 de junho de 2010 INSTITUTO

Leia mais

Benefício de prestação continuada (BPC) à Pessoa com Deficiência GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM CURITIBA SERVIÇO SOCIAL

Benefício de prestação continuada (BPC) à Pessoa com Deficiência GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM CURITIBA SERVIÇO SOCIAL Benefício de prestação continuada (BPC) à Pessoa com Deficiência GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS EM CURITIBA SERVIÇO SOCIAL Maio/2014 1 Superintendência Regional SUL Gerencia Executiva em Curitiba Gerencias

Leia mais

MUDANÇAS DA LEI N 12.470, DE 31 DE AGOSTO DE 2011. Maria Aparecida Gugel 1

MUDANÇAS DA LEI N 12.470, DE 31 DE AGOSTO DE 2011. Maria Aparecida Gugel 1 BENEFÍCIO DA PRESTAÇÃO CONTINUADA E TRABALHO Maria Aparecida Gugel 1 Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência - CDPD Ao se tratar de aspectos da vida das pessoas com deficiência deve sempre

Leia mais

CAPÍTULO I DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA E DO BENEFICIÁRIO

CAPÍTULO I DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA E DO BENEFICIÁRIO DECRETO N o 1.744, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1995 Regulamenta o benefício de prestação continuada devido à pessoa portadora de deficiência e ao idoso, de que trata a Lei n 8.742, de 7 de dezembro de 1993, e

Leia mais

BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC

BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - BPC CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1988 O artigo que trata da garantia de um salário mínimo ao idoso e a pessoa com deficiência, foi inserido na Constituição

Leia mais

Prova: Base prova Administração Disciplina: Recurso Prova de Noções de Direito Previdenciário

Prova: Base prova Administração Disciplina: Recurso Prova de Noções de Direito Previdenciário Prova: Base prova Administração Disciplina: Recurso Prova de Noções de Direito Previdenciário Professor (a): Miriam ATENÇÃO: RECURSOS IGUAIS SÃO INADMITIDOS, PORTANTO, FAVOR FAZER ALTERAÇÕES DE ESCRITA.

Leia mais

As especificidades da Aprendizagem Profissional para as Pessoas com Deficiência

As especificidades da Aprendizagem Profissional para as Pessoas com Deficiência As especificidades da Aprendizagem Profissional para as Pessoas com Deficiência Matheus Florencio Rodrigues Assessor Jurídico do INAMARE www.inamare.org.br Fone: (44) 3026-4233 [...] Pessoas com deficiência

Leia mais

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial.

d) condições ergonômicas não ensejam aposentadoria especial e) o trabalho penoso é aceito para enquadramento para aposentadoria especial. QUESTÕES DE PROVA BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS 1. Considerando a análise do direito ao auxílio doença, analise as situações abaixo e assinale S (sim) ou N (não) quanto a essa concessão. A seguir, assinale

Leia mais

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 21ª Junta de Recursos

Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 21ª Junta de Recursos Ministério da Previdência Social Conselho de Recursos da Previdência Social 21ª Junta de Recursos Número do Processo: 35183.001237/2015-86 Unidade de Origem: AGÊNCIA DA PREVIDÊNCIA SOCIAL CURITIBA-CÂNDIDO

Leia mais

II Encontro Regional de Políticas Públicas para crianças e adolescentes vivendo e convivendo com HIV/Aids BENEFÍCIOS NEIDE GRAVATO DA SILVA ASSISTENTE SOCIAL DO CENTRO DE REFERENCIA EM AIDS DE SANTOS SMS/PMS

Leia mais

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO Jessica Fernanda Gonçalves Graduanda em Administração Faculdades Integradas de Três Lagoas FITL/AEMS Mariane Pereira Graduanda em Administração Faculdades

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO PROCESSO Nº

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO PROCESSO Nº DESPACHO Remeto à Secretaria do CSDPU a proposta de resolução em anexo, para autuação e distribuição. Adoto como justificativa para a Resolução as considerações constantes em seu preâmbulo. Informo, ainda,

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 548, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2015

INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 548, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2015 INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA PORTARIA Nº 548, DE 4 DE DEZEMBRO DE 2015 O PRESIDENTE DO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA INEP,

Leia mais

PAIR. A visão do INSS

PAIR. A visão do INSS PAIR Saúde do trabalhador e Ética Médica A Ética Médica e os Direitos do trabalhador A visão do INSS ORDEM DE SERVIÇO INSS/DSS Nº 608, DE 5 DE AGOSTO DE 1998 Aprova Norma Técnica sobre Perda Auditiva Neurossensorial

Leia mais

REVISÃO DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA BPC: A EXPERIÊNCIA DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS DE CAMPINA GRANDE

REVISÃO DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA BPC: A EXPERIÊNCIA DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS DE CAMPINA GRANDE REVISÃO DO BENEFÍCIO DE PRESTAÇÃO CONTINUADA BPC: A EXPERIÊNCIA DA GERÊNCIA EXECUTIVA DO INSS DE CAMPINA GRANDE Mayara Duarte Silva. Raquel Correia da Silva Universidade Estadual da Paraíba/Departamento

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13.

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA. Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13. PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE A LEGISLAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Atualizadas pela Lei Brasileira de Inclusão da PCD (Lei 13.146/2015) Sumário: I Direitos previstos na Constituição Federal II Direitos

Leia mais

Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015

Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Publicado no D.O.U. nº 84 de 22/04/2015, Seção 1 pag. 78 RESOLUÇÃO NORMATIVA CFA Nº 464, DE 22 DE ABRIL DE 2015 Dispõe sobre a criação de Acervos Técnicos de Pessoas Físicas e Pessoas Jurídicas registradas

Leia mais

PREVIDÊNCIA. - Do latim pre videre, ver com antecipação as contingências sociais e procurar compô-las, ou praevidentia, prever, antever.

PREVIDÊNCIA. - Do latim pre videre, ver com antecipação as contingências sociais e procurar compô-las, ou praevidentia, prever, antever. PREVIDÊNCIA CONCEITO - Do latim pre videre, ver com antecipação as contingências sociais e procurar compô-las, ou praevidentia, prever, antever. - Nasce com o Direito do Trabalho, tendo por objetivo minorar

Leia mais

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 269, DE 2010. O CONGRESSO NACIONAL decreta:

SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 269, DE 2010. O CONGRESSO NACIONAL decreta: SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 269, DE 2010 Altera o art. 93 da Lei nº 8.213, de 24 de julho de 1991, para facultar às empresas substituir a contratação de empregados pelo patrocínio de atletas

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO

REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO 1 Anexo I da Resolução do Conselho Superior nº 46/2011, de 13/09/2011. REGIMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA MODALIDADE A DISTÂNCIA DO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO REGIMENTO DOS CURSOS

Leia mais

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS.

LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. LEI BRASILEIRA DE INCLUSÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA E O SISTEMA DE COTAS. Entra em vigor nesse mês a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência - Lei 13.146/2015, sancionada em julho e publicada

Leia mais

Digite o título aqui. Informativo 17/2015

Digite o título aqui. Informativo 17/2015 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui Informativo 17/2015 PUBLICADA LEI QUE PROMOVE ALTERAÇÕES NOS BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Lei nº 13.135, de 17 de junho de 2015 - DOU de

Leia mais

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.389/12 Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores e Técnicos em Contabilidade. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB

eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB INATIVAÇÃO DOS SERVIDORES PÚBLICOS Eduardo Matta Milton da Silveira Diretor de Administração dos Benefícios Previdenciários eduardo.silveira@saeb.ba.gov.br (71) 3116-5476 SUPREV/SAEB O que vou levar? Como

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARÁ, SENAC/PA, no uso

Leia mais

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA SEGURANÇA SOCIAL PROTEÇÃO SOCIAL DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Maio 2015 Ficha Técnica Autor Direção-Geral da Segurança Social (DGSS) - Direção de Serviços de Instrumentos de Aplicação (DSIA) Edição e propriedade

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU.

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. REGULAMENTO DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU. PREÂMBULO. A Faculdade Cenecista de Osório, no uso de suas atribuições decorrentes da Resolução nº. 1 de junho

Leia mais

O PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL DO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL (INSS): DESAFIOS PARA O FORTALECIMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL

O PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL DO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL (INSS): DESAFIOS PARA O FORTALECIMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL O PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL DO INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL (INSS): DESAFIOS PARA O FORTALECIMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL Christiane Karla Spielmann 1 Geisa Oliveira Corsaletti 2 RESUMO:

Leia mais

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL. Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL. Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO 1 2 Conceituação: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a

Leia mais

ATENÇÃO! www.enem.inep.gov.br

ATENÇÃO! www.enem.inep.gov.br Cursos Presenciais Manual do Processo de Isenção do Pagamento da Taxa de Inscrição das Provas a serem realizadas pela UFSCar ATENÇÃO! Candidatos ao Vestibular da UFSCar para 2010, precisam fazer as provas

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara INSTRUÇÃO NORMATIVA SBE SISTEMA DE BEM ESTAR SOCIAL Nº. 001/2010 Versão: 01 Aprovação em: 23/12/2010 Ato de aprovação: Decreto n.º 2895/2010 Unidade Responsável: Secretaria Municipal de Gestão Social /

Leia mais

PREVIDENCIÁRIO DR. MÁRCIO OTÁVIO DE MORAES HATZ

PREVIDENCIÁRIO DR. MÁRCIO OTÁVIO DE MORAES HATZ PREVIDENCIÁRIO PONTO 1: BENEFÍCIO POR INCAPACIDADE PONTO 2: AUXÍLIO DOENÇA; APOSENTADORIA POR INVALIDEZ PONTO 3: AUXÍLIO ACIDENTE BENEFÍCIO POR INCAPACIDADE: _ AUXÍLIO DOENÇA: vulgo encostar-se. Requisitos

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 2.123, DE 20 DE AGOSTO DE 2.010. Texto Compilado

LEI MUNICIPAL Nº 2.123, DE 20 DE AGOSTO DE 2.010. Texto Compilado LEI MUNICIPAL Nº 2.123, DE 20 DE AGOSTO DE 2.010 Texto Compilado Institui o Programa Rumo ao Ensino Tecnológico PRET no Município de Louveira, de concessão de bolsa de estudos para cursos profissionalizantes,

Leia mais

Informativo 26/2015. SEGURO-DESEMPREGO PARA EMPREGADOS DOMÉSTICOS Resolução nº 754, de 26.08.15

Informativo 26/2015. SEGURO-DESEMPREGO PARA EMPREGADOS DOMÉSTICOS Resolução nº 754, de 26.08.15 Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 SEGURO- DESEMPREGO Resolução Nº 754, de 28.08.15 Informativo 26/2015 SEGURO-DESEMPREGO PARA EMPREGADOS DOMÉSTICOS Resolução nº 754, de 26.08.15 O Ministério

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE PRÓ-REITORIA DE GESTÃO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAS INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº. 01/2013 Dispõe sobre LICENÇA PARA TRATAMENTO DE SAÚDE, LICENÇA PARA

Leia mais

que realizar novo curso de graduação, mas não se utilizou dos benefícios da presente Deliberação, como trata o artigo 1º.

que realizar novo curso de graduação, mas não se utilizou dos benefícios da presente Deliberação, como trata o artigo 1º. DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 014/2000 Altera a Deliberação CONSAD nº 54/97, que dispõe sobre a concessão de benefícios aos servidores da Universidade de Taubaté, Fundações, Escola Dr. Alfredo José Balbi e E.P.T.S.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - Ufac PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS - Proaes DIRETORIA DE APOIO ESTUDANTIL - DAE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - Ufac PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS - Proaes DIRETORIA DE APOIO ESTUDANTIL - DAE UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE - Ufac PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ESTUDANTIS - Proaes DIRETORIA DE APOIO ESTUDANTIL - DAE EDITAL Nº 22/2016 Proaes DAE PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL BOLSA Pró-Inclusão 2016

Leia mais

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/3/1999

PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/3/1999 PARECER HOMOLOGADO(*) (*) Despacho do Ministro, publicado no Diário Oficial da União de 24/3/1999 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO/MANTENEDORA: Faculdade de

Leia mais

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO

INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIA NO TRABALHO COORDIGUALDADE Coordenadoria Nacional de Promoção da Igualdade de Oportunidades e Eliminação da Discriminação no Trabalho Criada em 28/10/2002, com o objetivo

Leia mais

2. Dos Cursos da UNISA, Turnos, Duração, Vagas, Locais de Funcionamento, Número de Alunos por Turma, Atos de Legalização e Modalidade de Ensino

2. Dos Cursos da UNISA, Turnos, Duração, Vagas, Locais de Funcionamento, Número de Alunos por Turma, Atos de Legalização e Modalidade de Ensino EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO AOS CURSOS PRESENCIAIS E SEMIPRESENCIAIS DE GRADUAÇÃO/HABILITAÇÕES/MODALIDADES E GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA, DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO 2009 - TURMAS DE AGOSTO -

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº 1950-R de 24 DE OUTUBRO de 2007. Regulamenta a Lei Nº 8263, de 25/01/2006 publicada no Diário Oficial do Estado em 26/01/06, alterada pela Lei n o 8642, publicada no Diário Oficial do Estado

Leia mais

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Dispõe sobre estágios no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Piauí para estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva, vinculados

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 6.214, DE 26 DE SETEMBRO DE 2007. (Vide Lei nº 10.741, de 2003) Regulamenta o benefício de prestação continuada da assistência

Leia mais

Curso de Extensão em Direito Previdenciário

Curso de Extensão em Direito Previdenciário Curso de Extensão em Direito Previdenciário Teoria Básica dos Benefícios Previdenciários Requisitos específicos g) Aposentadoria por idade Art. 48 da Lei 8.213/91: A aposentadoria por idade será devida

Leia mais

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO CFC N.º 1.494, de 20 de novembro de 2015. Dispõe sobre o Registro Profissional dos Contadores. O Conselho Federal de Contabilidade, no exercício de suas atribuições legais e regimentais, RESOLVE:

Leia mais

Diário Oficial Poder Executivo Estado de São Paulo - Seção I GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN

Diário Oficial Poder Executivo Estado de São Paulo - Seção I GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN Diário Oficial Poder Executivo Estado de São Paulo - Seção I GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN Volume 123 - Número 57 - São Paulo, quarta-feira, 27 de março de 2013 RESOLUÇÃO SEDS 005, DE 26 DE MARÇO DE 2013

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014 PARA SELEÇÃO DE USUÁRIOS PARA O SERVIÇO DE TRANSPORTE SEM LIMITE.

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 001/2014 PARA SELEÇÃO DE USUÁRIOS PARA O SERVIÇO DE TRANSPORTE SEM LIMITE. PREFEITURA MUNICIPAL DE CONTAGEM SECRETARIA MUNICIPAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA, MOBILIDADE REDUZIDA E ATENÇÃO AO IDOSO SERVIÇO DE TRANSPORTE SEM LIMITE COMISSÃO DE AVALIAÇÃO ESPECIAL CAE EDITAL DE CHAMAMENTO

Leia mais

O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a Seguinte Lei.

O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e ele sanciona a Seguinte Lei. LEI MUNICIPAL Nº. 945/2010 Institui o Programa Vida Melhor e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Ribas do Rio Pardo, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara Municipal aprovou e

Leia mais

LOAS - LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - 1993

LOAS - LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - 1993 LOAS - LEI ORGÂNICA DA ASSISTÊNCIA SOCIAL - 1993 LEI Nº 8.742, DE 7 DE DEZEMBRO DE 1993. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, faço saber

Leia mais

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008).

3. Quais são as modalidades de estágio? Estágio obrigatório e Estágio não obrigatório (art. 2º da Lei 11.788/2008). 1. O que é o estágio? Estágio é o ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de estudantes. O estágio integra o itinerário

Leia mais

EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE

EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2015 (Em conformidade com a Lei nº 12.101/2009, Lei nº 12.868/2013 e Decreto nº 8.242/2014) A Associação Antônio

Leia mais

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 065/2002

DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 065/2002 DELIBERAÇÃO CONSAD Nº 065/2002 Altera a Deliberação CONSAD nº 014/2000, que dispõe sobre a concessão de benefícios aos servidores da Universidade de Taubaté, Fundações, Escola Dr. Alfredo José Balbi e

Leia mais

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E RELAÇÕES DE ESTÁGIO

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO, CLASSIFICAÇÃO E RELAÇÕES DE ESTÁGIO LEI N.º 11.788, DE 25 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre o estágio de estudantes; altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho CLT, aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS

REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS REGULAMENTO DO PLANO INDIVIDUAL DE PECÚLIO POR MORTE DAS CARACTERÍSTICAS Art. 1º. A Bradesco Vida e Previdência S.A., doravante denominada EAPC, institui o Plano de Pecúlio por Morte, estruturado no Regime

Leia mais

ANEXO I INSTITUI O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES DA AUTORIDADE PUBLICA OLÌMPICA

ANEXO I INSTITUI O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES DA AUTORIDADE PUBLICA OLÌMPICA Publicado no: Boletim de Serviço Especial nº 01, de 13 de janeiro de 2015 ANEXO I INSTITUI O PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SERVIDORES DA AUTORIDADE PUBLICA OLÌMPICA DA FINALIDADE Art. 1º - Regulamentar

Leia mais

c Designação do corpo docente, auxiliares, e dos demais profissionais que a atividade necessitar;

c Designação do corpo docente, auxiliares, e dos demais profissionais que a atividade necessitar; CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS 2015 Pelo presente instrumento particular de Contrato de Prestação de Serviços Educacionais de um lado o Centro de Ensino São José Ltda., inscrito no CNPJ:

Leia mais

INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA 016inf15 (13/07/2015) HMF INFORMATIVO 16 / 2015 NOVA LEI FEDERAL 13.146 DE 07/07/2015 ESTATUTO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA No dia 07 de julho de 2015, foi publicada a lei federal 13.146, chamada de Lei Brasileira

Leia mais

RESOLUÇÃO CMDCA nº 03/2014

RESOLUÇÃO CMDCA nº 03/2014 RESOLUÇÃO CMDCA nº 03/2014 Estabelece novas normas para registro de Entidades governamentais e não governamentais e inscrição de programas ou projetos que tenham por objetivo a promoção e defesa dos direitos

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2013

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2013 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO CLASSIFICATÓRIO 2013 A Diretora Geral da Escola Superior de Propaganda e Marketing Unidade Rio de Janeiro, de acordo com o regimento interno, torna pública as normas do Processo

Leia mais

LEI Nº 4.201, DE 02 DE SETEMBRO DE 2008 DODF de 04.09.2008 (Autoria do Projeto: Poder Executivo)

LEI Nº 4.201, DE 02 DE SETEMBRO DE 2008 DODF de 04.09.2008 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) LEI Nº 4.201, DE 02 DE SETEMBRO DE 2008 DODF de 04.09.2008 (Autoria do Projeto: Poder Executivo) Dispõe sobre o licenciamento para o exercício de atividades econômicas e sem fins lucrativos no âmbito do

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL DE RONDÔNIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA REGULAMENTO DE ESTÁGIO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NO INSTITUTO FEDERAL

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO Nº 8.455, DE 20 DE MAIO DE 2015 Promulga o Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da República

Leia mais

SIASS SISTEMA INTEGRADO DE ATENÇÃO A SÁUDE DO SERVIDOR LEGISLAÇÃO REFERENTE A LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE JUNHO 2015

SIASS SISTEMA INTEGRADO DE ATENÇÃO A SÁUDE DO SERVIDOR LEGISLAÇÃO REFERENTE A LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE JUNHO 2015 INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA SUL-RIO-GRANDENSE SIASS 0261 SISTEMA INTEGRADO DE ATENÇÃO A SÁUDE DO SERVIDOR LEGISLAÇÃO REFERENTE A LICENÇAS PARA TRATAMENTO DE SAÚDE JUNHO 2015 PROGEP

Leia mais

Trabalhista Previdenciária Sancionada lei que altera as regras de concessão do seguro desemprego e do abono salarial

Trabalhista Previdenciária Sancionada lei que altera as regras de concessão do seguro desemprego e do abono salarial Trabalhista Previdenciária Sancionada lei que altera as regras de concessão do seguro desemprego e do abono salarial Posted: 17 Jun 2015 07:53 AM PDT Por meio da Lei nº 13.134/2015, foram publicadas as

Leia mais

EDITAL DE BOLSA SOCIAL DE ESTUDO ANO 2016

EDITAL DE BOLSA SOCIAL DE ESTUDO ANO 2016 EDITAL DE BOLSA SOCIAL DE ESTUDO ANO 2016 A ORDEM AUXILIADORA DAS SENHORAS EVANGÉLICAS - OASE: 1. IEL Instituto Educacional Luterano; Por meio de seu PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EDUCACIONAL, conforme

Leia mais

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PARANAGUA PROVA PARA ASSISTENTE SOCIAL

PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PARANAGUA PROVA PARA ASSISTENTE SOCIAL PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO HOSPITAL REGIONAL DO LITORAL PARANAGUA PROVA PARA ASSISTENTE SOCIAL 01 - A Constituição de 1988 consagrou na área social o (a): a) paradigma do mérito e da solidariedade;

Leia mais

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008

RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 RESOLUÇÃO CEG nº 12/2008 Normas para o Estágio 1) Considerando a Lei 11.788 de 25 de setembro de 2008, que trata de Estágios de Estudantes; 2) Considerando a não existência de resolução geral que normatize

Leia mais

EDITAL 01/2015-PCG ESCOLA/SESC/ES

EDITAL 01/2015-PCG ESCOLA/SESC/ES EDITAL 01/2015-PCG ESCOLA/SESC/ES O Diretor do Serviço Social do Comércio - Administração Regional no Estado do Espírito Santo - SESC-AR/ES, entidade de natureza jurídica privada, sem fins lucrativos,

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/14 -Processo nº 1.120-

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/14 -Processo nº 1.120- EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO Nº 01/14 -Processo nº 1.120- O SEPREM Serviço de Previdência Municipal de Itapetininga, com sede na Rua Monsenhor Soares, 65, centro, no Município de Itapetininga, Estado de

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO PIAUÍ PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO-TÉCNICO NOTA Nº E-128/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, empresa

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO TOCANTINS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA E-006/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO TOCANTINS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA E-006/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DIRETORIA REGIONAL DO TOCANTINS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA E-006/2015 A EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS, empresa

Leia mais

Coordenação de Extensão MANUAL DE EXTENSÃO

Coordenação de Extensão MANUAL DE EXTENSÃO Coordenação de Extensão MANUAL DE EXTENSÃO 2011 APRESENTAÇÃO A Faculdade Projeção nasceu no ano 2000 tendo como missão promover a formação e desenvolvimento dos novos profissionais, incentivando o aprendizado

Leia mais

Seminário. Nações Unidas.

Seminário. Nações Unidas. Seminário Deficiência, funcionalidade e acessibilidade: implicações para os direitos à comunicação, informação e saúde Evolução de conceitos, interfaces e aplicações da Classificação Internacional e Funcionalidade,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS

AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS AVALIAÇÃO DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PARA A CONCESSÃO DA APOSENTADORIA NO RGPS Movimentos Sociais X Modelo biomédico Modelo biomédico: Estático; localizado ao corpo; Especialidade dos saberes centralidade

Leia mais

EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título

EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título EDITAL Nº 02/2015 Processo Seletivo 2º Semestre de 2015 Transferência Externa e Obtenção de Novo Título As Faculdades Santo Agostinho, por meio de seu Núcleo de Relacionamento Acadêmico e em conformidade

Leia mais

Reabilitação Profissional

Reabilitação Profissional Reabilitação Profissional GERÊNCIA EXECUTIVA - Jundiaí Dezembro/2012 O que é Reabilitação Profissional? A reabilitação profissional é um serviço da Previdência, prestado pelo, de caráter obrigatório, com

Leia mais

Relatório Trabalhista

Relatório Trabalhista Rotinas de Pessoal & Recursos Humanos www.sato.adm.br - sato@sato.adm.br - fone (11) 4742-6674 Desde 1987 Legislação Consultoria Assessoria Informativos Treinamento Auditoria Pesquisa Qualidade Relatório

Leia mais

PROPOSTA ALTERNATIVA

PROPOSTA ALTERNATIVA PROJECTO DECRETO LEI SOBRE O EXERCÍCIO DA COORDENAÇÃO EM MATÉRIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NA ACTIVIDADE DE, PREVISTA NO DECRETO LEI N.º 273/2003, DE 29 DE OUTUBRO, BEM COMO O RECONHECIMENTO DOS RESPECTIVOS

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO OBJETIVO REGULAMENTO Art. 1.º Os cursos de pós-graduação lato sensu do SENAI de São Paulo, obedecem o que dispõe a Resolução CNE/CES n.º 1, de 8 de junho de 2007, do Conselho Nacional de Educação e

Leia mais

A quem se destina a aprendizagem industrial

A quem se destina a aprendizagem industrial Instituto da Aprendizagem Política pública de Estado, convergência de políticas de inserção do jovem no mercado de trabalho, resultado de ações multilaterais e internacionais de combate à exploração do

Leia mais

Manual de Estágio Supervisionado

Manual de Estágio Supervisionado NEP Manual de Estágio Supervisionado Sumário Apresentação.................................................................... 3 Considerações Iniciais............................................................

Leia mais

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC

PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC PROGRAMA SENAC DE GRATUIDADE - PSG EDITAL DE SELEÇÃO PARA INGRESSO DE ALUNOS EM CURSOS OFERTADOS PELO SENAC O SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DO PARÁ, SENAC/PA, no uso

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 11.788 DE 25/09/2008 Dispõe sobre o estágio de estudantes, altera a redação do art. 428 da Consolidação das Leis do Trabalho - CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e a

Leia mais

PRINCIPAIS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Danielly Bernardes Rezende Fernandes Assessora Jurídica

PRINCIPAIS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Danielly Bernardes Rezende Fernandes Assessora Jurídica PRINCIPAIS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA Danielly Bernardes Rezende Fernandes Assessora Jurídica A Constituição elegeu como fundamentos da República a Cidadania e a Dignidade da Pessoa Humana e,

Leia mais

ACE - ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO FGG - FACULDADE GUILHERME GUIMBALA

ACE - ASSOCIAÇÃO CATARINENSE DE ENSINO FGG - FACULDADE GUILHERME GUIMBALA EDITAL Nº 03/2011 EDITAL DE INSCRIÇÃO PARA BOLSA DE ESTUDO 2011 REMATRÍCULA E INGRESSANTES A Faculdade Guilherme Guimbala, FGG, torna público o presente Edital para os alunos matriculados nos Cursos de

Leia mais

LEI Nº 6.542 DE 25 DE SETEMBRO DE 2013 DISPÕE SOBRE A ADEQUAÇÃO DE PROVAS AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA VISUAL NAS SITUAÇÕES QUE MENCIONA.

LEI Nº 6.542 DE 25 DE SETEMBRO DE 2013 DISPÕE SOBRE A ADEQUAÇÃO DE PROVAS AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA VISUAL NAS SITUAÇÕES QUE MENCIONA. LEI Nº 6.542 DE 25 DE SETEMBRO DE 2013 DISPÕE SOBRE A ADEQUAÇÃO DE PROVAS AOS PORTADORES DE DEFICIÊNCIA VISUAL NAS SITUAÇÕES QUE MENCIONA. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DO RIO DE JANEIRO Prefeitura Municipal de Porciúncula

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL ESTADO DO RIO DE JANEIRO Prefeitura Municipal de Porciúncula LEI COMPLEMENTAR Nº 055/2007 Dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração do Magistério Público do Município de Porciúncula/RJ e dá outras providências O PREFEITO MUNICIPAL DE PORCIÚNCULA, no uso das

Leia mais

INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (PCD)

INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (PCD) R E S E N H A S E S T R U T U R A I S INSERÇÃO NO MERCADO DE TRABALHO - PESSOAS COM DEFICIÊNCIA (PCD) A Lei n. 8.213/91 (Lei de Cotas) estabeleceu a obrigatoriedade de empresas com 100 ou mais empregados

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS VICE-PRESIDÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS VICE-PRESIDÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS VICE-PRESIDÊNCIA DE GESTÃO DE PESSOAS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL SUPERIOR NOTA Nº E-179/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos,

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Coordenadoria Geral de Estágios

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Coordenadoria Geral de Estágios DIRETRIZES E NORMAS PARA A ATIVIDADE DE ESTÁGIO NA PUC-SP Aprovadas pelo CEPE, em 11 de fevereiro de 2009 I INTRODUÇÃO A LDB trouxe à discussão a flexibilização curricular, a valorização da experiência

Leia mais

Experiência: PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL - GESTÃO DE PESSOAS BUSCANDO RESULTADOS E O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA

Experiência: PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL - GESTÃO DE PESSOAS BUSCANDO RESULTADOS E O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA Experiência: PROGRAMA DE REABILITAÇÃO PROFISSIONAL - GESTÃO DE PESSOAS BUSCANDO RESULTADOS E O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015

EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015 EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS PROCESSO PARA SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS DE NÍVEL MÉDIO EDITAL Nº E 143/2015 A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos, empresa pública federal, criada pelo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA - IN INSS/DC Nº 118, de 14042005

INSTRUÇÃO NORMATIVA - IN INSS/DC Nº 118, de 14042005 INSTRUÇÃO NORMATIVA - IN INSS/DC Nº 118, de 14042005 Art.365. Serão encaminhados para o Programa de Reabilitação Profissional, por ordem de prioridade: I o beneficiário em gozo de auxílio-doença, acidentário

Leia mais

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela

Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde. Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Portadores de necessidades especiais: trabalhando com saúde Lailah Vasconcelos de Oliveira Vilela Quem são as pessoas com necessidades especiais? Todos nós!!! Termos Pessoa Portadora de Deficiência x Pessoa

Leia mais

Regulamenta o art. 21 da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza.

Regulamenta o art. 21 da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. DECRETO Nº 5.746, DE 5 DE ABRIL DE 2006 Regulamenta o art. 21 da Lei no 9.985, de 18 de julho de 2000, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA,

Leia mais

ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Redacção anterior Nova redação DL 64/2012 Artigo 9.º

ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Redacção anterior Nova redação DL 64/2012 Artigo 9.º ALTERAÇÕES AO REGIME DO DESEMPREGO (comparação artigo a artigo) Artigo 9.º Artigo 9.º Desemprego involuntário Desemprego involuntário 1 - O desemprego considera-se involuntário sempre que a cessação do

Leia mais