AS GUERRAS DA ÁGUA E DO GÁS NA BOLÍVIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AS GUERRAS DA ÁGUA E DO GÁS NA BOLÍVIA"

Transcrição

1 AS GUERRAS DA ÁGUA E DO GÁS NA BOLÍVIA Ariel Finguerut Aluno do curso de Ciências Sociais da Unesp/Araraquara, bolsista de Iniciação Científica do CNPq e pesquisador do OREAL Resumo: Com um longo histórico de instabilidades políticas e sociais, a Bolívia vivenciou nos anos recentes diversos conflitos. Dentre eles, este artigo discute a guerra da água e a guerra do gás, duas grandes manifestações que mobilizaram o país e afetaram a ordem política. A Bolívia, um dos países mais pobres da América Latina, vem sofrendo em sua história as conseqüências das políticas hegemônicas dos EUA servindo muitas vezes como modelo de operações militares e laboratório de políticas econômicas liberais. No final dos anos 1980, com a re-emergência de movimentos socias indígenas e camponeses, surgem novas possibilidades de mudanças para setores da população historicamente excluídos. Palavras- Chave: Bolívia, Guerra da Água e do Gás, Movimentos Indígenas. * * * É preciso que o povo identifique os seus problemas e saiba que a política não é um jogo das elites Celso Furtado A Bolívia é um país entre os Andes e a bacia Amazônica, com mais de oito milhões de habitantes (a maioria deles de origem indígena). Fala-se espanhol, mas muitos também falam quíchua ou Aymara (50% da população é bilíngüe). Seus principais produtos de exportação vêm do setor da mineração, especialmente prata, cobre e estanho ao qual se incorporaram, mais recentemente, o petróleo e o gás. É considerado um dos países mais pobres da América latina e o Caribe (creio que é o segundo depois de Haiti, seria bom verificar e colocar) e sua história política é marcada pela instabilidade. Um dos eventos mais importantes foi a revolução de 1952, feita por trabalhadores indígenas e camponeses, e que teve como resultado a estatização das minas e a reforma agrária. Esta revolução colocou no poder o Movimento Nacionalista Revolucionário, representado pela figura de Victor Paz Estenssoro. Além dos problemas vinculados à dependência da exportação de produtos primários, à pobreza e à marginalização de boa parte da sua população, dois grandes temas acompanham a história da Bolívia após a independência da Espanha em 1825: 1) perdas territoriais: o país já perdeu 40% do seu território para o Peru, Chile, Brasil (o nosso Acre) e Paraguai. Em cerca de 100 anos, a Bolívia perdeu também todas as suas saídas para o mar. 2) Descontinuidade institucional: o país já conheceu mais de 190 golpes de Estado.

2 Nas últimas cinco décadas, a Bolívia teve uma média de um presidente por ano, alguns deles, como o general Hugo Banzer Suárez, que chegou ao poder através de um golpe nos anos 1970, voltou ao governo em 1990 através de eleições. Em outros casos, como Sánches de Lozada, apesar de ter chegado ao governo como presidente eleito, no seu segundo mandato teve que renunciar em meio a fortes pressões populares contra sua política econômica. Tanto Banzer como Sanches de Lozada enfrentaram fortes movimentações cujo eixo foi a política em relação aos recursos naturais: a guerra da água e a guerra do gás. Guerra da Água Em Cochabamba estamos longe do fim da História. (anônimo em manifestação popular Cochabamba Março de 2003 ) Em setembro de 1999, há uma mudança no consórcio que controla a água de Cochabamba. Esta cidade, de habitantes tinha, e ainda tem, um dos piores serviços de água da Bolívia. Com apenas 50% da população com acesso ao sistema público de água, o abastecimento é irregular, a racionamento é uma prática diária e a vontade política para resolver tal sistema até então se mostrou ausente. i Cria se então um novo consórcio, formado pelo governo da Bolívia e uma multinacional (EUA, Itália e Espanha) ii, em que o primeiro ficaria com 25% das ações e as empresas estrangeiras com o restante. iii Formou se assim a Águas Del Tunari, com contratos, poderes e preços desconhecidos tanto por parte da população quanto do governo. A primeira medida deste novo consórcio foi aumentar os preços do serviço; o gasto médio de uma família (5 pessoas) por mês era de US$35. Com os novos preços, esta mesma família passou a gastar uma média de 60$ por mês. As tarifas foram indexadas ao dólar e os ajustes foram justificados como estando previstos no contrato. Ou seja, o aumento era para garantir o retorno. Como parte desta política, o consórcio não aceitava qualquer tipo de concorrência, chegando ao ponto de cobrar pela coleta da água da chuva. Tendo a praça de Cochabamba como símbolo do centro do poder, a população, de maioria camponesa, começa a manifestar os primeiros sinais de desagrado( 03\2000). A mobilização popular exige de imediato rever um contrato, que depois se descobriu que iria até 2029, cujo registro como empresa vinha das Ilhas Cayman, e se restringia aos moradores de Cochabamba. Num segundo momento, o movimento cresceu, e os camponeses se voltaram contra a Secretaria do Trabalho, incluindo o governo nacional nos questionamentos e ampliando a agenda de discussões para temas como as condições de trabalho dos servidores públicos, os planos para erradicar o cultivo da coca, a miséria, a fome e o desemprego. Na segunda manifestação em abril de 2000, na mesma praça, em que participam mais de 20mil pessoas, cria-se um clima favorável ao confronto: o governo envia o exército, o comércio fecha as portas, muitas pessoas deixam de ri ao trabalho, a polícia barra a participação de manifestantes vindos do norte conhecidos como Cocaleiros (Chapare, principal região cocaleira da Bolívia) e ocupa a praça. A partir desse momento, os manifestantes passam a se organizar por bairros, fazendo consultas à população sobre quem deveria decidir sobre a água, formando uma Coordenadoria. A população por sua vez passa a estocar alimentos. No lado das forças da ordem, o exército cria o Grupo especial de Segurança, cuja função é a repressão de movimentos sociais.

3 As manifestações, que começaram timidamente, após quadro dias atingiam praticamente a totalidade de Cochabamba. Numa tentativa de ocupar a praça, muitos líderes são presos, o que pela primeira vez faz o governo nacional pensar num estado de exceção. Neste contexto, o prefeito de Cochabamba renúncia. O presidente Banzer decreta estado de sítio. Em La Paz, concomitantemente ao que estava ocorrendo em Cochabamba, políciais se recusam a sair dos quartéis, protestando por melhores condições de trabalho e por melhores salários. Nas prisões, rebeliões de presos criticam a lentidão da justiça. Um manifestante é morto em Cochabamba e a sociedade civil passa a se organizar para resistir ao estado de sítio. Da luta pelo preço da água, passa-se à exigência da saída do consórcio Águas Del Tunari. Os conflitos se agravam com os cocaleiros passando a fazer bloqueios nas estradas. O governo se vê acuado e começa a ceder, primeiro em relação à lei das Águas que havia permitido a formação do consórcio e, em seguida, em relação ao plano de erradicação da coca. Acaba o estado de sítio e o consórcio é desfeito. O fato de que vários movimentos sociais tenham agido ao mesmo tempo contra o governo é um aspecto a ser destacado. Mais do que luta pela água, houve uma reação à miséria, à exclusão e à política econômica do governo. Uma particularidade destas manifestações é que não houve fragmentação. Em outras oportunidades, camponeses do Altiplano manifestavam-se por reforma agrária, estudantes em La Paz por educação, e assim por diante. A partir da guerra da água, o que se vê é a união dos movimentos socias e uma articulação de propostas que muitas vezes põe em xeque a capacidade de negociação do governo. O que nos mostra também uma crise no sistema partidário boliviano, com camponeses, policiais, estudantes e demais setores da população civil passando por cima das instituições. Dentro deste movimento, devemos destacar a atuação da COB (Central Operária Boliviana) que, ao longo dos anos 80 e 90, passou por um sistemático processo de desmonte e enfraquecimento, mas que ganhou força novamente. As técnicas de protesto também mudaram, podemos notar uma maior preocupação com a mídia, e nas táticas, acombinação da pressão com a negociação. A atual gestão da água em Cochabamba se dá através de conselhos de bairro. Por outro lado, aumentou fortemente a estrutura de poços artesianos que, mesmo sendo particulares, ganham uso público. Entre os movimentos inspirados pelos resultados da Guerra da água destaca-se o levante de setembro de 2000, gerado por uma proposta do FMI de aumentar a arrecadação do Estado. Que foi traduzido pelo governo como aumento do imposto retirado na fonte, bem como aumento na gasolina. Mais uma vez os camponeses participam das manifestações e fazem barreiras nas estradas. Em 48h, quatro pessoas morrem, o que força o governo a negociar. O número de mortos, sobe rapidamente, incluíndo quatro militares e seis civis. Sánches de Lozada, então presidente, entra em rede nacional pedindo paz! Guerra do Gás (2003) 74 pessoas tiveram que morrer para mostrar para as elites que o gás é nosso direito (em manifestação popular) A administração do presidente Gonzalo Sánches de Lozada caminhava a passos longos para um enfrentamento e desgaste diante dos movimentos socias. O primeiro a declarar guerra ao Gringo iv como Lozada era conhecido entre os manifestantes, foi a

4 CSUTCB (Conferência Sindical Única de Trabalhadores do Campo da Bolívia), através do bloqueio de estradas. Num segundo momento, quando surge a proposta de exportar gás para o México e para os EUA, via um porto do Chile, o levante tornou-se mais efetivo, contando com a participação da COB, que promove greves em La Paz. O presidente Lozada, por sua vez contando com o forte apoio dos EUA e das elites bolivianas, responde às já fortes exigências de renúncia: não renuncio por que minha mulher quer continuar sendo a primeira dama dos bolivianos (em rede nacional, em tom de brincadeira). A miséria generalizada por toda Bolívia, o achatamento salarial atrelado ao aumento dos impostos e a sensação de humilhação diante da perda de um bem nacional, ainda por cima através do Chile, país frente ao qual perdeu sua saída ao mar na Guerra do Pacífico desencadeiam um forte movimento que se espalha por todo o território nacional. Na mesma velocidade sobe o número de mortos e feridos, que chegam a 60 e 200 respectivamente. A exportação do gás seria um negócio nos moldes do que foi o da água em Cochabamba. Formou-se um consórcio, a Pacific LNG, composto pela British Oil, British Petroleum e pela Repsol/YPF. O acerto com o governo boliviano ocorreu em termos proporcionais, ou seja, na escala 1/24, a cada US$24,00 ganhos (livres de impostos), o governo receberia US$1,00. Pelo contrato o consórcio iria faturar algo na órbita de 27 bilhões de dólares. Através do acordo com o governo Chileno, o gás seria exportado para a América do Norte (EUA e México). Com o alastramento dos conflitos, a elite boliviana passa a se armar e a montar grupos de proteção para evitar saques em lojas, proteger fábricas, casas e bairros residenciais de classe média alta. A violência continua crescendo e após um mês de protestos, com o governo sendo incapaz de superar a situação bem como apresentar soluções para a crise econômica e social, a situação de Lozada torna-se critica. O Comitê Pró-Santa Cruz, o vice Carlos Mesa e os principais partidos de sustentação do parlamento, rompem com ele e o isolam no poder. Na cidade El alto, de 800mil habitantes (70% de indígenas), a cerca de 100KM de La Paz, a população decide também decretar sua guerra ao Gringo. Cinqüenta e quatro pessoas morrem em protestos, que envolveram não só a questão do gás como a inserção internacional da Bolívia, a democracia, a abertura econômica dos anos 90 e suas conseqüências, as heranças dos governos elitistas e ditatoriais da história bolíviana bem como as condições de vida da maioria da população. Além de Sanches de Lozada, as manifestações se voltaram também contra os EUA, que tinham no Gringo seu maior aliado. De acordo com dados mostrados pelo jornalista Fernando Canzian: Os EUA estão por trás dos dois principais motivos da crise boliviana: a erradicação de plantações de coca, financiada por Washington e a exportação do gás para os EUA ( CANZIAN, Folha S. Paulo, 22\08\04) Se analisarmos alguns discursos das lideranças dos movimentos camponesesindígenas, principalmente de Felipe Quispe e Evo Morales, encontraremos a preocupação com a presença dos Estados Unidos. Em 2002, quando foi candidato a presidente, Morales apoiou-se num discurso contra o neoliberalismo e os Estados Unidos, tendo um amplo apoio popular e eleitoral, que o colocou em segundo lugar nas eleições. Quispe, uma das figuras centrais na queda de Lozada, discursando ao lado de Carlos Mesa, chegou a declarar que já haviam mandado um de volta a Washington, outros poderiam seguir o mesmo caminho, sendo calorosamente aplaudido por milhares de pessoas. Após 14 meses no poder, Sanches de Lozada deixa o governo, pede asilo ao governo dos EUA, chama aqueles que o forçaram a sair de narcosindicalistas e de

5 terroristas. Carlos Mesa, o vice, assume com discursos ambíguos, ora declarando que irá convencer a população da necessidade de exportar o gás boliviano, ora se dizendo a favor de um plebiscito. Para uma platéia diz que fica até 2007, para outra, que marcará eleições antes desta data. Depois de tantas guerras e crises, num país que exporta menos do que 25 anos atrás v, a população boliviana não mais parece temer a radicalização política nem a repressão governamental. No caso da água e do gás, encontrou formas de lutar pela soberania e os interesses nacionais. i Chegou se a gastar 70mi de dólares na construção de um túnel que iria trazer água, atravessando as cordilheiras; na prática não saiu de um interesse eleitoral. ii A principal acionista do consórcio era a norte americana Bechtel, que hoje é parceira do governo dos EUA no Iraque. iii Em 1997, no Paraná, administração Jaime Lerner, chegou se a privatizar a Sanepar (responsável pela Água do estado), formando um consórcio de empresas privadas brasileiras e estrangeiras, estipulando no contrato uma taxa de retorno de 50% (para o petróleo só para termos um parâmetro a taxa é de 25%) e a venda foi feita por um valor um terço inferior ao valor patrimonial. Na gestão seguinte de Roberto Requião, a privatização foi desfeita. Em São Paulo também houve mudança no quadro acionário da Sabesp. Antes, o governo controlava dois terços das ações, agora o controle é de 51%. iv Alem da fama, Lozada fala um espanhol com sotaque americano.na Bolívia os brancos são cerca de 15% da população, no poder eles são algo superior a 90%. v O Brasil é um dos grandes parceiros comerciais da Bolívia, importando 11 milhões de metros cúbicos por dia de gás.

AMÉRICA LATINA Professor: Gelson Alves Pereira

AMÉRICA LATINA Professor: Gelson Alves Pereira Disciplina - Geografia 3 a Série Ensino Médio AMÉRICA LATINA Professor: Gelson Alves Pereira 1- INTRODUÇÃO Divisão do continente americano por critério físico por critérios culturais Área da América Latina:

Leia mais

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Profª. Maria Auxiliadora 3º Ano

Generated by Foxit PDF Creator Foxit Software http://www.foxitsoftware.com For evaluation only. Profª. Maria Auxiliadora 3º Ano Profª. Maria Auxiliadora 3º Ano Contradições entre o sistema colonial e as propostas liberais a partir do século XVIII Guerra de sucessão do trono espanhol (1702-1713) Luís XIV conseguiu impor seu neto

Leia mais

Jornalista: O senhor se arrepende de ter dito que crise chegaria ao Brasil como uma marolinha?

Jornalista: O senhor se arrepende de ter dito que crise chegaria ao Brasil como uma marolinha? Entrevista exclusiva concedida por escrito pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, ao jornal Gazeta do Povo, do Paraná Publicada em 08 de fevereiro de 2009 Jornalista: O Brasil ainda tem

Leia mais

(O senhor Simplício Mário PT/PI pronuncia o seguinte discurso) Senhor presidente, senhoras e senhores deputados: O resultado deste ano no desfile das

(O senhor Simplício Mário PT/PI pronuncia o seguinte discurso) Senhor presidente, senhoras e senhores deputados: O resultado deste ano no desfile das (O senhor Simplício Mário PT/PI pronuncia o seguinte discurso) Senhor presidente, senhoras e senhores deputados: O resultado deste ano no desfile das escolas de samba do Carnaval Carioca tem um significado

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia História Universidade Federal de Uberlândia 1) Gabarito oficial definitivo - Questão 1 A) O candidato deverá argumentar acerca de fatores relacionados, direta e indiretamente, com o impacto do sistema

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na sessão de abertura da Cúpula Mundial sobre Segurança Alimentar

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na sessão de abertura da Cúpula Mundial sobre Segurança Alimentar Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na sessão de abertura da Cúpula Mundial sobre Segurança Alimentar Data: 16/11/2009 Roma, 16/11/2009 Bem... Lugo, tudo bem? Cumprimentar a

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 21 A 27 DE ABRIL SEMANA 21 A 27 DE ABRIL. Material: Raquel Basilone

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 21 A 27 DE ABRIL SEMANA 21 A 27 DE ABRIL. Material: Raquel Basilone Europa decide agir após tragédias no mar Redução de tropas da ONU no Haiti pré-eleições preocupa brasileiros ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Material: Raquel Basilone Dilma sanciona Orçamento com R$

Leia mais

Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais

Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais Seminário Internacional sobre Governabilidade Democrática e Igualdade de Gênero CEPAL - Santiago do Chile 1-2 de dezembro de 2004 Governabilidade, Participação Política e Sistemas Eleitorais Gostaria inicialmente

Leia mais

De que jeito se governava a Colônia

De que jeito se governava a Colônia MÓDULO 3 De que jeito se governava a Colônia Apresentação do Módulo 3 Já conhecemos bastante sobre a sociedade escravista, especialmente em sua fase colonial. Pouco sabemos ainda sobre a organização do

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org CLIPPING FSM 2009 AMAZÔNIA Jornal: CARTA MAIOR Data: 31/01/09 http://www.cartamaior.com.br/templates/materiamostrar.cfm?materia_id=15558

Leia mais

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38

América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural. Capítulo 38 América Latina: Herança Colonial e Diversidade Cultural Capítulo 38 Expansão marítima européia; Mercantilismo (capitalismo comercial); Tratado de Tordesilhas (limites coloniais entre Portugal e Espanha):

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DOS SERVIDORES FEDERAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA, PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

SINDICATO NACIONAL DOS SERVIDORES FEDERAIS DA EDUCAÇÃO BÁSICA, PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA ESCLARECIMENTOS SOBRE A CONTRA-PROPOSTA APRESENTADA PELA SETEC/MEC NO DIA 18/09/2015. Companheiros (as) do Sinasefe em todo o Brasil, a última Plena de nosso sindicato votou algumas importantes resoluções:

Leia mais

Pedro Carrano e Thiago Hoshino Brasil de Fato (Curitiba (PR)

Pedro Carrano e Thiago Hoshino Brasil de Fato (Curitiba (PR) Nosso déficit não é de casas, é de cidade Raquel Rolnik defende que atualmente não há políticas para moradia, apenas políticas focadas no setor imobiliário e financeiro 22/10/2012 Pedro Carrano e Thiago

Leia mais

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam.

é de queda do juro real. Paulatinamente, vamos passar a algo parecido com o que outros países gastam. Conjuntura Econômica Brasileira Palestrante: José Márcio Camargo Professor e Doutor em Economia Presidente de Mesa: José Antonio Teixeira presidente da FENEP Tentarei dividir minha palestra em duas partes:

Leia mais

Cuba rejeita categoricamente qualquer tentativa de explorar a situação dramática criada para ocupar o país e controlar o petróleo.

Cuba rejeita categoricamente qualquer tentativa de explorar a situação dramática criada para ocupar o país e controlar o petróleo. Leia abaixo a íntegra do discurso do Ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodríguez, no Conselho de Dereitos Humanos da ONU, na última terça-feira (1º/3), em Genebra: A consciência humana rejeita

Leia mais

Três exemplos de sistematização de experiências

Três exemplos de sistematização de experiências Três exemplos de sistematização de experiências Neste anexo, apresentamos alguns exemplos de propostas de sistematização. Estes exemplos não são reais; foram criados com propósitos puramente didáticos.

Leia mais

Desafio mundial. Paralelamente a questões

Desafio mundial. Paralelamente a questões KPMG Business Magazine 31 Getty Images/Alexander Bryljaev Muitas tendências apontadas pelo estudo já são evidentes, e a lentidão na busca de soluções para mitigá-las trará sérias consequências para a população

Leia mais

VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NO PERÍODO DA DITADURA NO BRASIL: E A COMISSÃO DA VERDADE

VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NO PERÍODO DA DITADURA NO BRASIL: E A COMISSÃO DA VERDADE VIOLAÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS NO PERÍODO DA DITADURA NO BRASIL: E A COMISSÃO DA VERDADE Roberto de Paula Alvarenga RANGEL 1 Claudio José Palma SANCHEZ 2 RESUMO: O presente trabalho busca abordar um breve

Leia mais

A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff

A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff A perspectiva de reforma política no Governo Dilma Rousseff Homero de Oliveira Costa Revista Jurídica Consulex, Ano XV n. 335, 01/Janeiro/2011 Brasília DF A reforma política, entendida como o conjunto

Leia mais

A América Espanhola.

A América Espanhola. Aula 14 A América Espanhola. Nesta aula, trataremos da colonização espanhola na América, do processo de independência e da formação dos Estados Nacionais. Colonização espanhola na América. A conquista

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DO IV SIMPÓSIO NACIONAL DO CEBES

RELATÓRIO SÍNTESE DO IV SIMPÓSIO NACIONAL DO CEBES RELATÓRIO SÍNTESE DO IV SIMPÓSIO NACIONAL DO CEBES O IV Simpósio Nacional do (Cebes), realizado no dia 31 de outubro de 2015, no Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), no Rio de Janeiro, teve como objetivo

Leia mais

O BRASIL NO MUNDO PÓS-CRISE #

O BRASIL NO MUNDO PÓS-CRISE # O BRASIL NO MUNDO PÓS-CRISE # José Augusto Guilhon Albuquerque * O título desta apresentação deveria ser: missão impossível. Falar sobre o Brasil no mundo pós-crise em 12 minutos implicaria falar sobre

Leia mais

Esta cartilha traz o primeiro diagnóstico

Esta cartilha traz o primeiro diagnóstico introdução A Armadilha do Crédito Fundiário do Banco Mundial Esta cartilha traz o primeiro diagnóstico abrangente sobre os programas do Banco Mundial para o campo no Brasil. O estudo foi realizado pela

Leia mais

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05

- Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 - Observatório de Política Externa Brasileira - Nº 67 02/09/05 a 08/09/05 Lula faz um balanço da política externa O presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço de sua política externa na cerimônia

Leia mais

B R A S I L EMERGENTE E X P E C T A T I V A D E V I D A E C O N S U M O E M 2 0 1 5

B R A S I L EMERGENTE E X P E C T A T I V A D E V I D A E C O N S U M O E M 2 0 1 5 B R A S I L EMERGENTE E X P E C T A T I V A D E V I D A E C O N S U M O E M 2 0 1 5 O I N V E S T I M E N T O P E L A L Ó G I C A D A D E M A N D A R E N A T O M E I R E L L E S r e n a t o @ d a t a p

Leia mais

América: a formação dos estados

América: a formação dos estados América: a formação dos estados O Tratado do Rio de Janeiro foi o último acordo importante sobre os limites territoriais brasileiros que foi assinado em 1909, resolvendo a disputa pela posse do vale do

Leia mais

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político

O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político O maior desafio do Sistema Único de Saúde hoje, no Brasil, é político Jairnilson Paim - define o SUS como um sistema que tem como característica básica o fato de ter sido criado a partir de um movimento

Leia mais

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D]

CADERNO 1 BRASIL CAP. 3. Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA. Resposta da questão 1: [D] Gabarito: EXERCÍCIOS DE SALA Resposta da questão 1: Somente a proposição está correta. Com a expansão napoleônica na Europa e a invasão do exército Francês em Portugal ocorreu a vinda da corte portuguesa

Leia mais

A Economia da América Latina

A Economia da América Latina A Economia da América Latina adsense1 Agricultura A agricultura de subsistência era a principal atividade econômica dos povos originais da América Latina, Essa atividade era complementada pela caça, pela

Leia mais

A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país

A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do país Análise Oriente Médio e Magreb Pedro Casas 14 de Março de 2011 A atual situação do Egito e as perspectivas para a reconstrução do

Leia mais

Estes são os conteúdos e sugestões de atividades para os estudos de recuperação semestral.

Estes são os conteúdos e sugestões de atividades para os estudos de recuperação semestral. Nome: Nº: Ano: 8º ano Ensino Fundamental Disciplina: Geografia Data: / / Prof: Flávio Alexander Ribeiro Nota: Roteiro de Recuperação 2ª etapa Caro aluno, Estes são os conteúdos e sugestões de atividades

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa , Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de assinatura de atos e declaração à imprensa Porto Príncipe-Haiti, 28 de maio de 2008 Meu caro amigo, presidente René Préval, presidente da República do

Leia mais

1) a) Caracterize a Nova Ordem Econômica Mundial;

1) a) Caracterize a Nova Ordem Econômica Mundial; 1) a) Caracterize a Nova Ordem Econômica Mundial; A Nova Ordem Econômica Mundial insere-se no período do Capitalismo Financeiro e a doutrina econômica vigente é o Neoliberalismo. Essa Nova Ordem caracteriza-se

Leia mais

A América Latina na Guerra Fria A ditadura militar no Brasil

A América Latina na Guerra Fria A ditadura militar no Brasil ID/ES Tão perto e ainda tão distante A 90 milhas de Key West. Visite Cuba. Cartão postal de 1941, incentivando o turismo em Cuba. 1 Desde a Revolução de 1959, Cuba sofre sanções econômicas dos Estados

Leia mais

OBAMA E O TESTE DAS HONDURAS. 1. Em quatro escassos meses, Barack Obama tem estado a

OBAMA E O TESTE DAS HONDURAS. 1. Em quatro escassos meses, Barack Obama tem estado a OBAMA E O TESTE DAS HONDURAS por Mário Soares 1. Em quatro escassos meses, Barack Obama tem estado a revolucionar, pacificamente, a América e o Mundo. Isto é, está a mudar radicalmente as políticas norte-americanas,

Leia mais

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA PÚBLICA 2 Caixa, patrimônio dos brasileiros. Caixa 100% pública! O processo de abertura do capital da Caixa Econômica Federal não interessa aos trabalhadores e à população

Leia mais

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago

Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago Segunda Cúpula das Américas Santiago, Chile, 18 e 19 de abril de 1998 Segunda Cúpula das Américas Declaração de Santiago O seguinte documento é o texto completo da Declaração de Santiago assinada pelos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 101 Discurso na cerimónia de inauguração

Leia mais

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá)

INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) INDICAÇÃO Nº DE 2005 (Do Srº Babá) Sugere ao Poder Executivo, a imediata retirada das tropas brasileiras do Haiti, e indica a necessidade de revogar o Decreto Legislativo nº 207, de 19 de maio de 2004,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca SOLENIDADE DE LANÇAMENTO DO SISTEMA

Leia mais

Acredito ter sido escolhido para recebê-lo porque os senhores também queriam homenagear o Brasil e o povo brasileiro.

Acredito ter sido escolhido para recebê-lo porque os senhores também queriam homenagear o Brasil e o povo brasileiro. Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Prêmio Lech Walesa Gdansk, Polônia 29 de setembro de 2011 É uma grande honra, para mim, receber este prêmio da fundação que leva o nome do companheiro Lech Walesa,

Leia mais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais

Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Uma política econômica de combate às desigualdades sociais Os oito anos do Plano Real mudaram o Brasil. Os desafios do País continuam imensos, mas estamos em condições muito melhores para enfrentálos.

Leia mais

Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34

Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34 Trabalho de história 3º tri Integrantes Frederico Strasser Nº:15 Diogo Amorim Nº:12 Guilherme Hasslocher Nº:19 Lucas Fuss Nº:28 Mateus Peres Nº:34 -Enquanto Buenos Aires se tornava mais poderosa, os lideres

Leia mais

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS

CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS CONFLITO EM GAZA: ENTENDA A GUERRA ENTRE ISRAEL E OS PALESTINOS Um assunto que volta e meia ocupa as manchetes de jornais do mundo inteiro há décadas é a questão sobre o conflito entre israelenses e palestinos

Leia mais

Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011

Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011 Discurso de Luiz Inácio Lula da Silva Seminário do Prêmio Global de Alimentação Des Moines, Estados Unidos 14 de outubro de 2011 Estou muito honrado com o convite para participar deste encontro, que conta

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 14 Discurso: em encontro com professores

Leia mais

RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS. Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis

RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS. Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis RUMO AO FUTURO QUE QUEREMOS Acabar com a fome e fazer a transição para sistemas agrícolas e alimentares sustentáveis O futuro que queremos não se concretizará enquanto a fome e a subnutrição persistirem,

Leia mais

Período pré-colonial

Período pré-colonial CHILE Período pré-colonial O navegador português Fernão de Magalhães, a serviço do rei da Espanha, foi o primeiro europeu a visitar a região que hoje é chamada de Chile. Os mapuches, grande tribo indígena

Leia mais

ENTREVISTA. LUTAS SOCIAIS NA BOLÍVIA * Entrevista com Evo Morales ** Ramon Casas Vilarino ***

ENTREVISTA. LUTAS SOCIAIS NA BOLÍVIA * Entrevista com Evo Morales ** Ramon Casas Vilarino *** ENTREVISTA LUTAS SOCIAIS NA BOLÍVIA * Entrevista com Evo Morales ** Ramon Casas Vilarino *** Em outubro de 2003, o povo boliviano conseguiu expulsar o presidente da República, e, na última semana, a empresa

Leia mais

Na ditadura não a respeito à divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário). O ditador costuma exercer os três poderes.

Na ditadura não a respeito à divisão dos poderes (executivo, legislativo e judiciário). O ditador costuma exercer os três poderes. Ditadura: É uma forma de governo em que o governante (presidente, rei, primeiro ministro) exerce seu poder sem respeitar a democracia, ou seja, governa de acordo com suas vontades ou com as do grupo político

Leia mais

DISCURSO DE POSSE NO MINISTÉRIO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 4.1.99. Luiz Carlos Bresser Pereira

DISCURSO DE POSSE NO MINISTÉRIO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 4.1.99. Luiz Carlos Bresser Pereira DISCURSO DE POSSE NO MINISTÉRIO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 4.1.99 Luiz Carlos Bresser Pereira Quando o Presidente Fernando Henrique Cardoso me disse que o mais importante a ser realizado no Ministério da

Leia mais

Sumário executivo. ActionAid Brasil Rua Morais e Vale, 111 5º andar 20021-260 Rio de Janeiro - RJ Brasil

Sumário executivo. ActionAid Brasil Rua Morais e Vale, 111 5º andar 20021-260 Rio de Janeiro - RJ Brasil Sumário executivo Mais de um bilhão de pessoas sofre com as consequências da inanição é mais que a população dos Estados Unidos, Canadá e União Européia juntas. Em julho desse ano, a reunião de cúpula

Leia mais

Reformas Políticas: aperfeiçoando e ampliando a Democracia

Reformas Políticas: aperfeiçoando e ampliando a Democracia Reformas Políticas: aperfeiçoando e ampliando a Democracia Pedro Pontual Pesquisador da Equipe de Participação Cidadã/Observatório dos Direitos do Cidadão do Instituto Pólis Apresentação O Observatório

Leia mais

Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas

Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas Sessão Extraordinária da Assembleia Municipal de Odivelas Sessão Solene Comemorativa da Implantação da República 05.10.2010 A Revolução Republicana de 1910 Ao assinalarmos cem anos sobre a Revolução Republicana

Leia mais

CHINA e TIGRES ASIÁTICOS

CHINA e TIGRES ASIÁTICOS CHINA e TIGRES ASIÁTICOS Os Tigres Asiáticos Hong kong Os Novos Tigres Asiáticos FAZEM PARTE DOS TIGRES ASIÁTICOS 1º GERAÇÃO ( DÉCADA DE 1970) CINGAPURA, CORÉIA DO SUL, HONG KONG, MALÁSIA E FORMOSA (TAIWAN)

Leia mais

VIII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE REGIMENTO INTERNO. Capítulo I Dos objetivos

VIII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE REGIMENTO INTERNO. Capítulo I Dos objetivos VIII CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE REGIMENTO INTERNO Capítulo I Dos objetivos Art.1º - A VIII Conferência Municipal de Saúde terá por objetivos: I - Impulsionar, reafirmar e buscar a efetividade dos princípios

Leia mais

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA

DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA PARTE III DIÁLOGOS PARA A SUPERAÇÃO DA POBREZA Gilberto Carvalho Crescer distribuindo renda, reduzindo desigualdades e promovendo a inclusão social. Esse foi o desafio assumido pela presidente Dilma Rousseff

Leia mais

(O Sr Félix Mendonça PFL BA) pronuncia o seguinte discurso. Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados.

(O Sr Félix Mendonça PFL BA) pronuncia o seguinte discurso. Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados. (O Sr Félix Mendonça PFL BA) pronuncia o seguinte discurso. Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados. A dignidade, a soberania e o respeito ao país foram agredidos de forma torpe, quando tropas do exército

Leia mais

Jovens, bem preparados e sem emprego. Como a crise e a falta de perspectiva ameaçam a juventude mais escolarizada e capacitada que o País já formou

Jovens, bem preparados e sem emprego. Como a crise e a falta de perspectiva ameaçam a juventude mais escolarizada e capacitada que o País já formou ISTOÉ Independente - versão para impressão 1 ISTOÉ - Independente Imprimir Comportamento Edição: 2370 30.Abr.15-19:00 Atualizado em 05.Mai.15-11:23 Jovens, bem preparados e sem emprego Como a crise e a

Leia mais

Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1

Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1 Desafios de um prefeito: promessas de campanha e a Lei de Responsabilidade Fiscal 1 Elaborado por Leandro Felipe (2014) Contém nota pedagógica Introdução O objetivo principal deste caso é ajudar o Prefeito

Leia mais

TESE AO 7º CONGRESSO DO SINDPEFAETEC: SINDPEFAETEC INDEPENDENTE, CLASSISTA E DE LUTA PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA, DEMOCRÁTICA E DE QUALIDADE

TESE AO 7º CONGRESSO DO SINDPEFAETEC: SINDPEFAETEC INDEPENDENTE, CLASSISTA E DE LUTA PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA, DEMOCRÁTICA E DE QUALIDADE TESE AO 7º CONGRESSO DO SINDPEFAETEC: SINDPEFAETEC INDEPENDENTE, CLASSISTA E DE LUTA PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA, GRATUITA, DEMOCRÁTICA E DE QUALIDADE Conjuntura Internacional A crise do capitalismo, iniciada

Leia mais

CONTAS À VISTA Um ano depois, fica a pergunta: quem pagou a conta dos protestos de junho?

CONTAS À VISTA Um ano depois, fica a pergunta: quem pagou a conta dos protestos de junho? CONTAS À VISTA Um ano depois, fica a pergunta: quem pagou a conta dos protestos de junho? 1 de julho de 2014, 8h02 Por José Mauricio Conti Não, não me refiro às vidraças quebradas e outros vandalismos.

Leia mais

O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO

O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO O REGIME REPUBLICANO EM PORTUGAL PARLAMENTARISMO Republicanismo português As raízes ideológicas remontavam à Revolução Francesa: liberdade, igualdade e fraternidade. Liberdade de pensamento, igualdade

Leia mais

TIGRES ASIÁTICOS e CHINA

TIGRES ASIÁTICOS e CHINA TIGRES ASIÁTICOS e CHINA China Muito importante economicamente para o Brasil e para o mundo. Em muitos produtos vimos escrito: Made In China. O que os produtos chineses podem acarretar à produção dos mesmos

Leia mais

UNIDADE 4 A CRISE DO GUERRA MUNDIAL. CAPITALISMO E A SEGUNDA. Uma manhã de destruição e morte.

UNIDADE 4 A CRISE DO GUERRA MUNDIAL. CAPITALISMO E A SEGUNDA. Uma manhã de destruição e morte. UNIDADE 4 A CRISE DO CAPITALISMO E A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. Uma manhã de destruição e morte. No início de agosto de 1945, os Estados Unidos tentavam, sem resultado, conseguir a rendição japonesa. A solução

Leia mais

22/05/2006. Discurso do Presidente da República

22/05/2006. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de assinatura de protocolos de intenções no âmbito do Programa Saneamento para Todos Palácio do Planalto, 22 de maio de 2006 Primeiro, os números que estão no

Leia mais

ATENÇÃO. O Banco do Brasil apesar de não ser mais uma autoridade, ainda exerce atividades típicas de Banco Central.

ATENÇÃO. O Banco do Brasil apesar de não ser mais uma autoridade, ainda exerce atividades típicas de Banco Central. 1. BREVE HISTÓRICO DO SFN O SFN brasileiro é relativamente novo. Tem pouco mais de 50 anos. Foi criado em 1964. Mas isso não quer dizer que não existiam instituições financeiras anteriormente. Com a vinda

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após encontro com a Senadora Ingrid Betancourt São Paulo-SP, 05 de dezembro de 2008 Presidente: A minha presença aqui

Leia mais

&RPpUFLR,QWHUQDFLRQDO±&RQIOLWRV

&RPpUFLR,QWHUQDFLRQDO±&RQIOLWRV &RPpUFLR,QWHUQDFLRQDO±&RQIOLWRV 3RU 'HQLV &RUWL] GD 6LOYD $QGHUVRQ 1RYDHV 9LHLUD 5RGROIR )DUDK 9DOHQWH )LOKR 'DQLHO5XGUD)HUQDQGHV,QWURGXomR A criação da OMC (Organização Mundial do Comércio) foi um grandioso

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 70 Cerimónia de sanção do projeto

Leia mais

Cenários da América Latina 2030

Cenários da América Latina 2030 Cenários da América Latina 2030 1. INTRODUÇÃO Entre 2010 e 2030, a maioria dos países da América Latina está comemorando 200 anos de independência em vários bicentenários da região. Como esses países olharam

Leia mais

MENSAGEM DE NATAL PM

MENSAGEM DE NATAL PM MENSAGEM DE NATAL PM Boa noite, Como todos sabemos, os últimos 3 anos foram fortemente marcados pela resposta ao colapso financeiro de 2011. Todos sentimos no nosso dia-a-dia as dificuldades e como nos

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 19 A 25 DE MAIO SEMANA 19 A 25 DE MAIO. Material: Raquel Basilone

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 19 A 25 DE MAIO SEMANA 19 A 25 DE MAIO. Material: Raquel Basilone Brasil e China assinam 35 acordos bilaterais EUA condenam à morte autor de atentado na Maratona de Boston ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Material: Raquel Basilone Brasil e China assinam 35 acordos bilaterais

Leia mais

QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO)

QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO) QUARTA CONSTITUIÇÃO (A CONSTITUIÇÃO DO ESTADO NOVO) NOME...Constituição dos Estados Unidos do Brasil DATA...10 de Novembro de 1937 ORIGEM...Outorgada DURAÇÃO...9 anos PREÂMBULO O Presidente da República

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

Capitalismo na China é negócio de Estado e no Brasil é negócio de governo*

Capitalismo na China é negócio de Estado e no Brasil é negócio de governo* Capitalismo na China é negócio de Estado e no Brasil é negócio de governo* Carlos Sidnei Coutinho** Cenário Mundial na primeira década do século XXI Os Estados soberanos se destacam como garantidores,

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 42 setembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 42 setembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 42 setembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Eleição presidencial e o pensamento econômico no Brasil 1 I - As correntes do pensamento econômico

Leia mais

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org

Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org Este documento faz parte do Repositório Institucional do Fórum Social Mundial Memória FSM memoriafsm.org CLIPPING FSM 2009 AMAZÔNIA Jornal: CARTA MAIOR Data: 30/01/09 http://www.cartamaior.com.br/templates/materiamostrar.cfm?materia_id=15547

Leia mais

ENERGIA. Matrizes, Ofertas e Tendências

ENERGIA. Matrizes, Ofertas e Tendências ENERGIA Matrizes, Ofertas e Tendências Consumo Energético Global 5% 6%1% 34% Petróleo Carvão Mineral Gás Natural Termonuclear Hidreletricidade Combustíveis Renováveis 24% 30% Fonte: BP. Statistical Review

Leia mais

Proposta da ANDIFES para a Universidade do Século XXI

Proposta da ANDIFES para a Universidade do Século XXI Proposta da ANDIFES para a Universidade do Século XXI 1 Com muita honra e responsabilidade, falo uma vez mais em nome da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior

Leia mais

PROGRAMA DE JAIR PEDRO AO GOVERNO DO ESTADO.

PROGRAMA DE JAIR PEDRO AO GOVERNO DO ESTADO. 1 PROGRAMA DE JAIR PEDRO AO GOVERNO DO ESTADO. Propostas para construir um Pernambuco para os trabalhadores Introdução As eleições, com financiamento de empresas, tornam-se um jogo de cartas marcadas,

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO SEMANA 25 A 31 DE AGOSTO ONG registra aumento no desmatamento Guatemala pede saída de presidente às vésperas de pleito ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Tropeço da China eleva apostas de que EUA adiarão aumento nos juros ONG registra

Leia mais

15 anos de Gasto Social Federal Notas sobre o período de 1995 a 2009. Coordenação de Finanças Sociais Diretoria de Estudos e Políticas Sociais

15 anos de Gasto Social Federal Notas sobre o período de 1995 a 2009. Coordenação de Finanças Sociais Diretoria de Estudos e Políticas Sociais 15 anos de Gasto Social Federal Notas sobre o período de 1995 a 2009 Coordenação de Finanças Sociais Diretoria de Estudos e Políticas Sociais Gasto Social Federal Políticas Públicas, Finanças Públicas,

Leia mais

Dilma: https://www.youtube.com/watch?v=9mi2fx7evra

Dilma: https://www.youtube.com/watch?v=9mi2fx7evra Dilma: https://www.youtube.com/watch?v=9mi2fx7evra Governo novo, ideias novas. Hoje, dia do médico, nossa saudação a todos os profissionais que exercem a nobre missão de cuidar da vida do próximo. É por

Leia mais

Proposta de Reforma Política

Proposta de Reforma Política Proposta de Reforma Política Proposta de Reforma Política - 2 de 7 Senhores Parlamentares, agradecemos a cordialidade em nos receber e a oportunidades para que falemos nesta casa sobre um tema crucial

Leia mais

Demografia Médica no Brasil. Vol 2

Demografia Médica no Brasil. Vol 2 Demografia Médica no Brasil. Vol 2 Mário Scheffer Conselho Federal de Medicina, 6 de fevereiro 2013 Equipe da pesquisa Mário Scheffer (coordenador) Alex Cassenote Aureliano Biancarelli Cooperação acadêmica

Leia mais

Texto Base: Período Napoleônico (1799-1815) Parte I

Texto Base: Período Napoleônico (1799-1815) Parte I Texto Base: Período Napoleônico (1799-1815) Parte I O período napoleônico consolida a vitória dos ideais burgueses na França do final do século XVIII. Mais que isso, a ascensão de Napoleão Bonaparte ao

Leia mais

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República

12/02/2010. Presidência da República Secretaria de Imprensa Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração da Escola Municipal Jornalista Jaime Câmara e alusiva à visita às unidades habitacionais do PAC - Pró-Moradia no Jardim do Cerrado e Jardim Mundo

Leia mais

Gabriel Maciel-08 Gabriel Cruz-10 Rodrigo Araújo-30

Gabriel Maciel-08 Gabriel Cruz-10 Rodrigo Araújo-30 Gabriel Maciel-08 Gabriel Cruz-10 Rodrigo Araújo-30 Capital: Caracas Presidente: Hugo Chávez Moeda: Bolivar Venezuelano População: 27.934.783 habitantes Antes da chegada dos europeus, a Venezuela era habitada

Leia mais

Independência da América Espanhola

Independência da América Espanhola Independência da América Espanhola Nossa América No início do século XIX a América hispânica, inspirada nas idéias liberais do Iluminismo, travou sua guerra de independência vitoriosa contra o colonialismo

Leia mais

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a

Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a Edição 24 (Novembro/2013) Cenário Econômico A ECONOMIA BRASILEIRA EM 2013: UM PÉSSIMO ANO Estamos encerrando o ano de 2013 e, como se prenunciava, a economia nacional registra um de seus piores momentos

Leia mais

Tarefa 1 As leituras solicitadas, até o momento, me deram uma idéia da complexidade do campo do planejamento. Neste artigo, irei resumir os temas principais que eu aprendi com essas leituras, que abrangem

Leia mais

Portadores de Deficiência: pauta de discussão Marta Rovery de Souza Alguns dados são significativos para expressar a magnitude da situação das pessoas com deficiência. Segundo a Organização Mundial de

Leia mais

CHÁVEZ E A DESCONSTRUÇÃO DA INTEGRAÇÃO SUL-AMERICANA

CHÁVEZ E A DESCONSTRUÇÃO DA INTEGRAÇÃO SUL-AMERICANA CHÁVEZ E A DESCONSTRUÇÃO DA INTEGRAÇÃO SUL-AMERICANA Marcelo Rech, Editor do InfoRel http://inforel.org/ inforel@inforel.org No dia 1º de maio, o presidente boliviano Evo Morales, decretou a nacionalização

Leia mais

Relatório: Os planos do governo equatoriano: incentivo ao retorno da população migrante 38

Relatório: Os planos do governo equatoriano: incentivo ao retorno da população migrante 38 Relatório: Os planos do governo equatoriano: incentivo ao retorno da população migrante 38 Karina Magalhães, Kenny Afolabi, Milena Ignácio, Tai Afolabi, Verônica Santos e Wellington Souza 39 Inter-Relações

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria SEMANA 29 SETEMBRO A 05 DE OUTUBRO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria SEMANA 29 SETEMBRO A 05 DE OUTUBRO EUA acusam Rússia de escalar crise na Síria Raúl Castro pede que Obama contorne Congresso Guerra síria abre crise entre EUA e Rússia ATUALIDADES PROFESSOR MARCOS JOSÉ Dilma anuncia meta cômoda para clima

Leia mais

2. O Comitê adotou o projeto de ordem do dia que figura no documento PM 6/11 Rev. 1.

2. O Comitê adotou o projeto de ordem do dia que figura no documento PM 6/11 Rev. 1. PM 10/11 13 outubro 2011 Original: inglês P Relatório do Comitê de Promoção e Desenvolvimento de Mercado sobre a reunião de 30 de setembro de 2011 1. O Comitê de Promoção e Desenvolvimento de Mercado,

Leia mais

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957.

Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. Rio de Janeiro, 5 de junho de 2008 IDENTIFICAÇÃO Meu nome é José Guilherme Monteiro Paixão. Nasci em Campos dos Goytacazes, Norte Fluminense, Estado do Rio de Janeiro, em 24 de agosto de 1957. FORMAÇÃO

Leia mais

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. Governo Dilma é o 1º a ter contas reprovadas. SEMANA DE 06 a 12 DE OUTUBRO

ATUALIDADES. Top Atualidades Semanal DESTAQUE PROFESSOR MARCOS JOSÉ. Governo Dilma é o 1º a ter contas reprovadas. SEMANA DE 06 a 12 DE OUTUBRO Governo Dilma é o 1º. a ter contas reprovadas no TCU desde Getúlio Obama pede desculpas por ataque a hospital Alckmin impõe sigilo e só vai expor falhas no metrô de SP após 25 anos ATUALIDADES PROFESSOR

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE PRESIDENTE PRUDENTE FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA Avaliação Da Prática Docente A AVALIAÇÃO NA FORMAÇÃO DE EDUCADORES ATRAVÉS DE SUA PRÁTICA DOCENTE Autora: Maria Peregrina de Fátima Rotta Furlanetti Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade Estadual

Leia mais