ISE 2008 Índice de Sustentabilidade Empresarial. Reunião Empresas. Bovespa Abril de 2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISE 2008 Índice de Sustentabilidade Empresarial. Reunião Empresas. Bovespa Abril de 2008"

Transcrição

1 ISE 2008 Índice de Sustentabilidade Empresarial Reunião Empresas Bovespa Abril de 2008

2 Agenda O que é o ISE? Quais seus objetivos? Como funciona? Aspectos gerais e Governança Estrutura do Questionário Resultados da pesquisa com RI Processo de Revisão Principais mudanças no 2008 Cronograma de Atividades

3 Definição É um índice que mede o retorno médio de uma carteira teórica de ações Quais os critérios de seleção? Ibovespa: seleção das ações é baseado no conceito de liquidez ISE: seleção das empresas é baseado no conceito de sustentabilidade São selecionadas as empresas que se destacam por adotar estratégias e ter práticas que promovam o desenvolvimento sustentável

4 Objetivos Criar um ambiente de investimento compatível com as demandas de DS da sociedade contemporânea e estimular a RSE; Constituir uma ferramenta objetiva para comparar o desempenho de empresas listadas na Bovespa sob os aspectos da sustentabilidade; Destacar empresas comprometidas com o DS, e diferenciá-las para investidores com preocupações outras que não somente o retorno financeiro de curto prazo; Incentivar a criação de fundos de investimento socialmente responsáveis e tornar-se padrão de comparação de seu desempenho.

5 Funcionamento Vigência da carteira: 1 ano De 1º de Dezembro a 30 de Novembro Empresas elegíveis: emissoras das 150 ações mais líquidas Convidadas 2005/120, 2006/121, 2007/137 Seleção: baseia-se na análise das respostas do questionário Participação: 2005/63, 2006/60(61), 2007/58(62) Elaboração do questionário: processo participativo Pesquisa, reunião com empresas, workshops com especialistas e consulta pública

6 Governança Conselho Deliberativo (CISE) Órgão máximo de deliberação que tem como missão garantir um processo transparente e eficiente de construção do índice, em especial no que diz respeito aos critérios de seleção das empresas que integrarão sua carteira. É composto por representantes das seguintes instituições: ABRAPP APIMEC ANBID BOVESPA IBGC Instituto Ethos IFC MMA PNUMA* * Passou a integrar o CISE em 2007

7 Grupo de Trabalho ISE Bovespa Governança Coordenador Geral Prof. Mario Monzoni (GVces) Coordenadora Executiva Roberta Simonetti (GVces) Pesquisadores GVces Deborah Hubner, Érica Gallucci, Patricia Berardi, Rafael Saghy, Renata Loew, Veridyana Cesar Coordenadores de Dimensão Prof. Alcir Vilela Jr. (Senac), Aron Belinky, Profª. Antonieta Oliveira (FGV), Carlos Eduardo Lessa Brandão (IBGC), Rachel Biderman, Renata Brito

8 São 6 dimensões ISE Bovespa Estrutura do Questionário Geral Natureza do Produto Governança Corporativa Econômico-Financeira Ambiental Social O questionário é construído em 4 níveis: Dimensão Critério Indicador Pergunta

9 Agenda O que é o ISE? Quais seus objetivos? Como funciona? Aspectos gerais e Governança Estrutura do Questionário Resultados da pesquisa com RI Processo de Revisão Principais mudanças no 2008 Cronograma de Atividades

10 Aspectos gerais Pesquisa Participantes ISE 2007 Destaques dos Resultados 31 respostas entre 62 empresas participantes Principal motivação para responder ao questionário Associação da imagem com a sustentabilidade (52%) Mudanças mais comuns atribuídas ao ISE Criação de comitê de sustentabilidade e contratação de consultoria Concentração de esforços em 2008 Dimensões social e ambiental (70%) Muitas empresas (41%) não participam de outros índices ou utilizam outras ferramentas de auto-avaliação SA

11 Pesquisa Participantes ISE 2007 Destaques dos Resultados Grau de dificuldade por dimensão (classificação: Baixíssimo, Baixo, Médio e Alto) Compreensão dos documentos solicitados: Social (61% médio e alto) Obtenção de documentos para evidenciar a resposta: Social (29% alto) Ambiental (29% alto) Compreensão protocolos: Social (45% médio) Natureza do Produto (16% alto) Compreensão das perguntas: Social (51% médio) Ambiental (47% médio) Natureza do Produto (16% alto)

12 Resultados Pesquisa Participantes Melhorias para ISE 2008 Satisfação com o processo de seleção ISE 2007 ITEM Muito insatisfeito Insatisfeito Satisfeito Muito satisfeito Área restrita on-line Solução de dúvidas Relatório de desempenho 0,7% 6,0% 84,0% 9,3% 4,4% 8,9% 83.3% 3,3% 4,4% 26,7% 56,7% 12,2%

13 Agenda O que é o ISE? Quais seus objetivos? Como funciona? Aspectos gerais e Governança Estrutura do Questionário Resultados da pesquisa com RI Processo de Revisão Principais mudanças no 2008 Cronograma de Atividades

14 Objetivos gerais ISE Bovespa Processo de Revisão 1. Melhorar a clareza das perguntas (evitar diferentes interpretações), protocolos e descrição de documentos comprobatórios melhoria contínua 2. Aprofundar o nível de análise e o grau de diferenciação Incluir temas relevantes Extensão Remover perguntas pouco diferenciadoras Para isso são analisadas as respostas dadas ao questionário e os pesos atribuídos às perguntas

15 Revisão Dimensão Ambiental Até 2007: 2 questionários MODELO ATUAL Ambiental para Instituições Financeiras Ambiental Geral questionário único Alto Impacto + Moderado Impacto pesos diferenciados 2008: questionários setoriais NOVO MODELO novo Objetivos da revisão Eliminar questões que perderam efetividade Aumentar a aderência do questionário ao perfil ambiental das empresas (natureza e magnitude dos aspectos ambientais) Ter um maior equilíbrio nos critérios de avaliação de diferentes segmentos

16 Revisão Dimensão Ambiental SETORES QUESTIONÁRIOS GRUPO 1: ALTO IMPACTO A GRUPO 2: ALTO IMPACTO B GRUPO 3: ALTO IMPACTO C GRUPO 4: MODERADO IMPACTO Mesmo questionário base, com questões específicas para os grupos. Diferenças entre grupos concentradas nos critérios desempenho e conformidade. GRUPO 5: BAIXO IMPACTO GRUPO 6: SETOR FINANCEIRO Questionário específico

17 Revisão Dimensão Ambiental SETORES e EMPRESAS GRUPO 1: ALTO IMPACTO A Água, Saneamento, Energia Elétrica ASPECTOS AMBIENTAIS MAIS IMPORTANTES Consumo intensivo de recursos naturais e interferências no território GRUPO 2: ALTO IMPACTO B Extrativistas: mineração, papel e celulose, petróleo e gás, siderurgia, etc GRUPO 3: ALTO IMPACTO C Transformação: laticínios, produtos uso pessoal, máquinas e equipamentos, medicamentos, etc GRUPO 4: MODERADO IMPACTO Logística e armazenagem: transporte aéreo, rodoviário, serviços de armazenagem, etc GRUPO 5: BAIXO IMPACTO Serviço: exploração de rodovias, análises e diagnósticos, telefonia, etc Consumo de recursos naturais e emissões (processo produtivo) Consumo de matérias primas e emissões (processo produtivo) Emissões Consumo de energia, água e materiais (processos administrativos) GRUPO 6: SETOR FINANCEIRO Aspectos indiretos, consumo de energia, água e materiais (processos administrativos)

18 Revisão Dimensão Ambiental GRUPO 1 GRUPO 2 GRUPO 3 GRUPO 4 GRUPO 5 GRUPO 6 Política P P P P P P6 Gestão G G G G G G6 Desempenho D1 D2 D3 D4 D5 D6 Cumprimento Legal C1 C2 C3 C4 C5 C6 Mesmas perguntas Perguntas Específicas Diferenças pontuais

19 Revisão Dimensão Ambiental Possíveis efeitos Menor concentração de empresas de um mesmo segmento Maior diferenciação entre empresas na dimensão Maior efetividade na avaliação das empresas nesta dimensão

20 Melhorias ao longo do processo 2006 Documentos Ao longo do questionário são indicados exemplos de documentos que servem como comprovação das respostas. Relatório de Desempenho As empresas recebem um relatório de desempenho com a pontuação por dimensão e critério, e resultados consolidados da carteira e do conjunto de participantes (média, máxima e desvio-padrão). Verificação Nesta versão foi introduzida fase de verificação, após o anúncio da carteira. As empresas receberam uma solicitação para que fossem comprovadas.

21 Melhorias ao longo do processo 2007 Análise Qualitativa Foram indicadas as perguntas cujo documento deve ser anexado ao questionário para comprovação das respostas ( Gerenciador de Documentos ) Mapeamento de Indicadores 2007 Foi realizado um mapeamento dos indicadores ISE e seus correspondentes no GRI e Critérios Essenciais Ethos.

22 Melhorias ao longo do processo 2008: Além da revisão do questionário e da busca de melhoria contínua de protocolos, documentos, perguntas, etc... Pesquisa com RI Ouvir as empresas, convidá-las a responder a uma pesquisa de opinião que trará subsídios para o aprimoramento do processo. Sistema e Verificação Aprimoramento do sistema e do processo de verificação Verificação 100% prévia (antes da divulgação da carteira) Cronograma Antecipação do processo

23 Plano de Negócios 2005 apoio financeiro do IFC 2006 apoio financeiro do IFC, condicionado à apresentação de um plano de negócios que garantisse a sustentação financeira do índice, recursos que possibilitassem a realização das atividades necessárias à revisão, viabilizando a continuidade do índice. Ciclo 2006/2007 foi implementado o plano de negócios. Fontes de recursos: Taxa de Inscrição (R$ 3.000,00) Taxa Anual de Uso do Logo (R$ ,00) Ciclo 2007/2008 segue o mesmo modelo

24 Etapas da Revisão Reunião com Empresas Avaliar como transcorreu o processo e o que pode ser modificado no próximo ciclo. Workshops com Especialistas Elaborar a versão 2 do questionário com a contribuição de especialistas em cada uma das dimensões. Consulta Pública (Virtual) Submeter o questionário ao público em geral para o encaminhamento de sugestões; validar o questionário Audiência Pública (Presencial) Reunir participantes de empresas, ONG s, empresas de consultoria e da academia para apresentar e discutir o conteúdo do questionário.

25 Cronograma Fase 1 Março Elaboração da Versão 1 Abril Reunião com as Empresas 15 a 30 Workshops Especialistas (Elaboração da Versão 2) Maio 20 de Maio a 17 de Junho Período de Consulta Pública Junho 3 Audiência Pública 30 Aprovação Versão Final (CISE)

26 Cronograma Fase 2 Julho 15 Disponibilização do Questionário em PDF 15 Início do cadastramento das empresas no sistema e pagamento da taxa Agosto 15 Prazo final cadastramento no sistema e pagamento da Taxa 1º a 31 Preenchimento eletrônico do questionário Setembro 1º a 13 Envio de documentos complementares

27 Cronograma Fase 3 Setembro & Outubro Análise dos Documentos Novembro Reuniões do Conselho (CISE) Última semana Anúncio da Carteira

28 Cronograma FASE 1 FASE 2 FASE 3 Março Revisão Versão1 Abril Empresas Especialistas Versão2 Maio Consulta Audiência Julho PDF Cadastro Agosto Cadastro Preenchi/o Setembro Documentos Análise Outubro Análise Novembro Análise CISE Novembro Divulgação Carteira Junho Versão Final Dezembro Relatório de Desempenho

29 Verificação Duplo objetivo: consistência das respostas e análise qualitativa Período: realizada totalmente a priori (antes da divulgação da carteira), em 2 momentos: Envio do questionário Após o envio: as empresas terão 15 dias para anexar a comprovação de novas perguntas Observações: Melhoria da descrição dos documentos solicitados Comprovação solicitada para itens específicos das perguntas

30 Participação das Empresas Processo de 2005 Empresas convidadas 121 Questionários respondidos 63 Processo de 2006 Empresas convidadas 120 Questionários respondidos 60 Processo de 2007 Empresas convidadas 137 Questionários respondidos 62 (58)

31 Obrigada

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) Centro de Estudos em Sustentabilidade

Leia mais

Questionário-base Versão final

Questionário-base Versão final 1 2014 2015 Questionário-base Versão final 2 A presentamos a versão final do questionário do Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) deste ano. Este documento é fruto do trabalho de revisão feito

Leia mais

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) DA BOVESPA

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) DA BOVESPA ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) DA BOVESPA IV CONFERÊNCIA INTER-AMERICANA DE RSE Um bom negócio para todos PAINEL: Avaliação e Comunicação da Responsabilidade Social Corporativa: o desafio

Leia mais

METODOLOGIA DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE)

METODOLOGIA DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) METODOLOGIA DO ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) Abril/2015 [data] METODOLOGIA DO ÍNDICE DE O ISE é o resultado de uma carteira teórica de ativos, elaborada de acordo com os critérios estabelecidos

Leia mais

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br Processo 2013 05 de março de 2013 www.isebvmf.com.br Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e

Leia mais

ISE 2010 Revisão do Questionário Workshop com as Empresas. Dimensão Ambiental Alcir Vilela Jr. Abril de 2010 GVces Fundação Getulio Vargas

ISE 2010 Revisão do Questionário Workshop com as Empresas. Dimensão Ambiental Alcir Vilela Jr. Abril de 2010 GVces Fundação Getulio Vargas ISE 2010 Revisão do Questionário Workshop com as Empresas Dimensão Ambiental Alcir Vilela Jr Abril de 2010 GVces Fundação Getulio Vargas Agenda Cronograma Processo de Revisão Focos da revisão 2010 Cronograma

Leia mais

Workshops de Revisão Março 2015

Workshops de Revisão Março 2015 Workshops de Revisão Março 2015 Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) GVces Criado em 2003, o GVces é uma iniciativa da

Leia mais

Conselho Deliberativo do ISE (CISE)

Conselho Deliberativo do ISE (CISE) 1 Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice. Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e de seleção das empresas. Composto por representantes

Leia mais

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) GVces Criado em 2003, o GVces é uma

Leia mais

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) GVces Criado em 2003, o GVces é uma

Leia mais

O valor de ser sustentável

O valor de ser sustentável Visão Sustentável O valor de ser sustentável Os investimentos socialmente responsáveis vêm ganhando espaço mundialmente. No Brasil, há fundos de ações com foco em sustentabilidade, além do ISE Criselli

Leia mais

Engajamento para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil

Engajamento para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil Engajamento para Erradicação do Trabalho Escravo no Brasil Membros EXPEDIENTE Coordenação do GVces Mario Monzoni e Rachel Biderman Realização Fórum Latino-Americano de Finanças Sustentáveis LASFF Centro

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

A Bolsa e a sustentabilidade

A Bolsa e a sustentabilidade A Bolsa e a sustentabilidade Izalco Sardenberg Diretor Instituto BM&FBOVESPA Outubro/2009 BM&FBOVESPA Quem somos Maior bolsa da América Latina. Uma das 5 maiores do mundo em valor de mercado (US$ 15 bilhões).

Leia mais

Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1

Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1 Sustentabilidade em Bolsas de Valores Estímulo à transparência e ao desempenho socioambiental das empresas listadas Critérios mínimos de listagem.

Leia mais

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE)

ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL (ISE) Iniciativa pioneira na América Latina, o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) busca criar um ambiente de investimento compatível com as demandas de

Leia mais

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces O VALOR DO ISE Principais estudos e a perspectiva dos investidores Roberta Simonetti GVces Conteúdo Principais tendências: investidores e executivos Risco vs. Retorno Ganhos de valor Valores tangíveis

Leia mais

Indicadores Ethos de RSE

Indicadores Ethos de RSE São Paulo, 2012. Indicadores Ethos de RSE Área de Gestão Sustentável Agenda Instituto Ethos Contexto Alinhamento Conceitual Papel das Empresas A Ferramenta Relatório de Diagnóstico Sistema on line Processo

Leia mais

Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE)

Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE) Já há alguns anos iniciou-se uma tendência mundial dos investidores procurarem empresas socialmente responsáveis, sustentáveis e rentáveis para aplicar seus

Leia mais

PACOTE COMEMORATIVO DE 10 ANOS DO ISE COLOQUE SUA MARCA NESSE MOMENTO HISTÓRICO!

PACOTE COMEMORATIVO DE 10 ANOS DO ISE COLOQUE SUA MARCA NESSE MOMENTO HISTÓRICO! PACOTE COMEMORATIVO DE 10 ANOS DO ISE COLOQUE SUA MARCA NESSE MOMENTO HISTÓRICO! Agosto de 2014 INICIATIVA REALIZAÇÃO SOBRE O PACOTE COMEMORATIVO DE 10 ANOS DO ISE Em novembro de 2014, sera anunciada a

Leia mais

Governança como porta de entrada para fatores ESG

Governança como porta de entrada para fatores ESG Governança como porta de entrada para fatores ESG Carlos Eduardo Lessa Brandão celb@iname.com São Paulo, 29 de abril de 2014 Conteúdo Governança, estratégia e sustentabilidade ESG e valor ESG: desafios

Leia mais

Workshops de Revisão Março 2015

Workshops de Revisão Março 2015 Workshops de Revisão Março 2015 Workshops de revisão do questionário Agenda 14h-15h Abertura / Rodada de apresentações / Introd. do Coord. (1h) 15h- 16h Debate em grupos (1h) 16h- 16h15 Intervalo (15')

Leia mais

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITfetep

EDITAL E REGULAMENTO DE CHAMADA PÚBLICA ITfetep SUMÁRIO OBJETIVO:... 2 1. DAS PROPOSTAS... 2 2. PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO, PARTICIPAÇÃO E SELEÇÃO DE PROPOSTAS E PROJETOS... 3 3. CRITÉRIOS PARA SELEÇÃO DE EMPREENDIMENTOS E PROJETOS... 4 4. DA CLASSIFICAÇÃO...

Leia mais

ISE 2010 Detalhamento do Processo. 12 de Março de 2010 Roberta Simonetti Centro de Estudos em Sustentabilidade (Gvces) FGV

ISE 2010 Detalhamento do Processo. 12 de Março de 2010 Roberta Simonetti Centro de Estudos em Sustentabilidade (Gvces) FGV ISE 2010 Detalhamento do Processo 12 de Março de 2010 Roberta Simonetti Centro de Estudos em Sustentabilidade (Gvces) FGV agenda Quem somos? O que nos move? ISE: abordagem e processo de seleção Centro

Leia mais

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 1 O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E A CONTABILIDADE AMBIENTAL: Uma Análise dos Indicadores Financeiros de Empresas participantes do Índice de Sustentabilidade Empresarial da BM&F BOVESPA. Rubiana Bezerra

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO RELAÇÕES INTERNACIONAIS EAD 2º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO RELAÇÕES INTERNACIONAIS EAD 2º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO RELAÇÕES INTERNACIONAIS EAD 2º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas para inscrição

Leia mais

FUNDO BRASCAN DE PETRÓLEO, GÁS E ENERGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ Nº 05.008.256/0001-69

FUNDO BRASCAN DE PETRÓLEO, GÁS E ENERGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ Nº 05.008.256/0001-69 FUNDO BRASCAN DE PETRÓLEO, GÁS E ENERGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES CNPJ Nº 05.008.256/0001-69 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL DE COTISTAS DO FUNDO BRASCAN DE PETRÓLEO, GÁS E ENERGIA FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL EAD 2º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL EAD 2º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOPEDAGOGIA INSTITUCIONAL EAD 2º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as normas

Leia mais

Processo de Seleção de Novos Empreendimentos para a Broto Incubadora de Biotecnologia

Processo de Seleção de Novos Empreendimentos para a Broto Incubadora de Biotecnologia Processo de Seleção de Novos Empreendimentos para a Broto Incubadora de Biotecnologia EDITAL 01/2016 O Reitor da Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS, no uso de suas atribuições, torna pública

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA

MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA PROGRAMA DE MODERNIZAÇÃO INTEGRADA DO MINISTÉRIO DA FAZENDA - PMIMF MINISTÉRIO DA FAZENDA SECRETARIA EXECUTIVA ATORES DA REDE DE INOVAÇÃO 2 O MODELO CONTEMPLA: Premissas e diretrizes de implementação Modelo

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS - FATECS ANDREZA BARBOSA DE LIMA SILVA RA: 2104921/4

FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS - FATECS ANDREZA BARBOSA DE LIMA SILVA RA: 2104921/4 FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS SOCIAS APLICADAS - FATECS CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS ANDREZA BARBOSA DE LIMA SILVA RA: 2104921/4 CONTABILIDADE AMBIENTAL: UM ESTUDO NAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR

Leia mais

Março 2016. Iniciativa: Realização:

Março 2016. Iniciativa: Realização: 10 Março 2016 Iniciativa: Realização: EXPEDIENTE SUMÁRIO Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBOVESPA): Sonia Consiglio Favaretto (presidente) Associação

Leia mais

EMPREENDER É SHOW MISSÃO IV EM BUSCA DE CRÉDITO NO BANCO DO BRASIL

EMPREENDER É SHOW MISSÃO IV EM BUSCA DE CRÉDITO NO BANCO DO BRASIL EMPREENDER É SHOW MISSÃO IV EM BUSCA DE CRÉDITO NO BANCO DO BRASIL SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE FINANCIAMENTO PARA APOIO A PROJETOS INOVADORES E DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO BANCO DO BRASIL Brasília, 27 de

Leia mais

11º Prêmio MASTERINSTAL REGULAMENTO

11º Prêmio MASTERINSTAL REGULAMENTO 11º Prêmio MASTERINSTAL REGULAMENTO 1. DO PRÊMIO Há mais de uma década o Prêmio MASTERINSTAL contribui para ampliar a visibilidade e o aperfeiçoamento da atividade empresarial dedicada à execução, manutenção

Leia mais

Sustentabilidade Corporativa. Carlos Eduardo Lessa Brandão São Paulo, 8 de outubro de 2013 Carlos Eduardo Lessa Brandão SP, 8 de outubro de

Sustentabilidade Corporativa. Carlos Eduardo Lessa Brandão São Paulo, 8 de outubro de 2013 Carlos Eduardo Lessa Brandão SP, 8 de outubro de Sustentabilidade Corporativa Carlos Eduardo Lessa Brandão São Paulo, 8 de outubro de 2013 Conteúdo 1. As várias cores da sustentabilidade 2. Dissociar uma estratégia corporativa de uma estratégia sustentável

Leia mais

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA O PROGRAMA BAHIA INOVAÇÃO REDE DE EMPREENDEDORISMO A Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

Dimensão Ambiental GRUPO IF

Dimensão Ambiental GRUPO IF Dimensão Ambiental GRUPO IF Serviços Financeiros Instituições Financeiras, Seguradoras Dimensão Ambiental 119 GRUPO IF... 118 CRITÉRIO I - POLÍTICA... 120 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO

Leia mais

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016

EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016 EDITAL DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO MBA EM COMUNICAÇÃO CORPORATIVA INTEGRADA 1º Semestre de 2016 As FACULDADES INTEGRADAS RIO BRANCO, na forma regimental torna público o presente Edital, estabelecendo as

Leia mais

REGULAMENTO. As empresas de Utilities e Telecom e seus fornecedores podem inscrever um ou mais Cases nas categorias:

REGULAMENTO. As empresas de Utilities e Telecom e seus fornecedores podem inscrever um ou mais Cases nas categorias: REGULAMENTO 1. O PRÊMIO O PRÊMIO SMART Utilities & Telecom, regido por este regulamento, tem como objetivo distinguir e reconhecer as melhores práticas de relacionamento com o cliente em Utilities e Telecom:

Leia mais

EDITAL CHAMADA DE CASOS

EDITAL CHAMADA DE CASOS EDITAL CHAMADA DE CASOS INICIATIVAS INOVADORAS EM MONITORAMENTO DO DESENVOLVIMENTO LOCAL E AVALIAÇÃO DE IMPACTO O Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas (GVces) e as empresas

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando as disposições contrárias. Bragança Paulista, 3 de março de 2015.

R E S O L U Ç Ã O. Esta Resolução entra em vigor nesta data, revogando as disposições contrárias. Bragança Paulista, 3 de março de 2015. RESOLUÇÃO CONSEACC/BP 1/2015 APROVA O REGULAMENTO DO PROJETO INTEGRADO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA, DO CAMPUS BRAGANÇA PAULISTA DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico

Leia mais

Programa de Apoio à Organização de Eventos Técnico-Científicos, de Extensão e Difusão Acadêmica

Programa de Apoio à Organização de Eventos Técnico-Científicos, de Extensão e Difusão Acadêmica 1 Chamada de Projetos 01/2011 Programa de Apoio à Organização de Eventos Técnico-Científicos, de Extensão e Difusão Acadêmica A FUNDAÇÃO ARAUCÁRIA de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do

Leia mais

EDITAL DE COMPETIÇÃO

EDITAL DE COMPETIÇÃO EDITAL DE COMPETIÇÃO ÍNDICE O SER EMPREENDEDOR... O EMPREENDI CONECTADO NA REDE... A COMPETIÇÃO... CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO... RESULTADOS E PREMIAÇÃO... CALENDÁRIO... 1 2 5 8 9 10 O SER EMPREENDEDOR Sobre

Leia mais

- Prêmio ABSEG - Versão 7.0

- Prêmio ABSEG - Versão 7.0 REGULAMENTO - Prêmio ABSEG - Versão 7.0 Novembro - 2015 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 03 1. ELIGIBILIDADE... 03 2. CATEGORIAS DE INSCRIÇÃO... 03 3. PROCEDIMENTOS DE INSCRIÇÃO... 03 4. CHAMADAS DE TRABALHO...

Leia mais

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos Superintendência Regional de Negócios Rio de Janeiro Centro Plínio Magalhães Fonseca Gerente Regional 07 de Outubro de 2009 Responsabilidade

Leia mais

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS

APRESENTAÇÃO FGV APRESENTAÇÃO TRECSSON BUSINESS APRESENTAÇÃO FGV Criado em 1999, o FGV Management é o Programa de Educação Executiva Presencial da Fundação Getulio Vargas, desenvolvido para atender a demanda do mercado por cursos de qualidade, com tradição

Leia mais

1º É vedada a participação de funcionários e estagiários do IBGC, dos patrocinadores do prêmio ou dos pesquisadores associados ao IBGC.

1º É vedada a participação de funcionários e estagiários do IBGC, dos patrocinadores do prêmio ou dos pesquisadores associados ao IBGC. Art. 1º Idealizado pelo Instituto Brasileiro de Governança Corporativa, IBGC, o Prêmio IBGC de Trabalhos Acadêmicos em Governança Corporativa ( Prêmio ) será regido pelo presente Regulamento. Art. 2º O

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI ENEGEP 2013 Relatórios de Sustentabilidade GRI 11 de Outubro 2013 1 Sustentabilidade, Sociedade e Mercado Recursos Ambientais Recursos Sociais SUS TENTA BILIDADE Recursos Econômico- Financeiros Adaptado

Leia mais

MODELO SESI DE SUSTENTABILIDADE NO TRABALHO

MODELO SESI DE SUSTENTABILIDADE NO TRABALHO MODELO SESI DE SUSTENTABILIDADE NO TRABALHO Flávia Dias Uberaba 14.04.2010 O QUE É O MODELO O Modelo SESI de Sustentabilidade no Trabalho é uma ferramenta de diagnóstico e autoavaliação que propõe às indústrias

Leia mais

Análise Técnica Semanal

Análise Técnica Semanal Guia Semanal Análise Técnica Semanal 17 de fevereiro de 11 17 de fevereiro de 11 Cesar Crivelli, CNPI-P Rodrigo Takeuchi, CNPI-T Novidade! IFR Setorial Ações x Média Móvel Sumário Resumo... Ibovespa...

Leia mais

Carteira de projetos prioritários para 2014. Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA 2013-2022

Carteira de projetos prioritários para 2014. Propostas a serem entregues aos presidenciáveis. Mapa Estratégico DA INDÚSTRIA 2013-2022 Carteira de projetos prioritários para 2014 Propostas a serem entregues aos presidenciáveis Mapa Estratégico da Indústria 2013-2022 OBS: AJUSTAR TAMANHO DA LOMBADA COM O CÁLCULO FINAL DO MIOLO. Mapa Estratégico

Leia mais

Programa Tear. Objetivo: Propósito: Sustentabilidade. Competitividade

Programa Tear. Objetivo: Propósito: Sustentabilidade. Competitividade Programa Tear Objetivo: Competitividade & Sustentabilidade Propósito: Implementação da RSE em PMEs da cadeia de valor de empresas estratégicas em 07 setores da economia Parceiros Parceiros do projeto:

Leia mais

Concurso para Professores e Estudantes Universitários

Concurso para Professores e Estudantes Universitários 8ª EDIÇÃO Concurso para Professores e Estudantes Universitários Sobre Responsabilidade Social Empresarial e Desenvolvimento Sustentável REGULAMENTO Introdução O Instituto Ethos, o UniEthos e o jornal Valor

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DO IFES CAMPUS VITÓRIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DO IFES CAMPUS VITÓRIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS VITÓRIA Avenida Vitória, 1729 Bairro Jucutuquara 29040-780 Vitória ES 27 3331-2110 DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DO IFES CAMPUS

Leia mais

Perfin Long Short 15 FIC FIM

Perfin Long Short 15 FIC FIM Perfin Long Short 15 FIC FIM Relatório Mensal- Junho 2013 O Perfin LongShort 15 FICFIM tem como objetivo gerarretorno superior ao CDIno médio prazo. O fundo utiliza-se de análise fundamentalista eaestratégia

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014

REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014 REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014 1 ÍNDICE CRONOGRAMA ------------------------------------------------------------------------------- 3 CATEGORIAS -------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

REGULAMENTO. 10º Prêmio de Responsabilidade Social

REGULAMENTO. 10º Prêmio de Responsabilidade Social REGULAMENTO 10º Prêmio de Responsabilidade Social I DA INSTITUIÇÃO DA PREMIAÇÃO II DAS CATEGORIAS III DAS INSCRIÇÕES IV DOS PROJETOS V DO JULGAMENTO VI DAS DATAS VII DA COORDENAÇÃO I DA INSTITUIÇÃO DA

Leia mais

EDITAL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO CEARÁ INOVAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS N.º 12/2010

EDITAL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO CEARÁ INOVAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS N.º 12/2010 EDITAL TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DO ESTADO DO CEARÁ INOVAÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NAS EMPRESAS N.º 12/2010 A FUNCAP, vinculada à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Estado do

Leia mais

NOTA TÉCNICA CGPEG/DILIC/IBAMA Nº 02/10

NOTA TÉCNICA CGPEG/DILIC/IBAMA Nº 02/10 NOTA TÉCNICA CGPEG/DILIC/IBAMA Nº 02/10 I. INTRODUÇÃO Esta Nota Técnica tem por objetivo destacar quais foram as alterações feitas pela CGPEG/IBAMA no texto da minuta da Nota Técnica CGPEG/DILIC/IBAMA

Leia mais

CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP

CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP CHAMADA PARA O PROCESSO DE INSCRIÇÃO 2014/2015 DO PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FUNCAP CHAMADA Nº. 13/2013 DETALHAMENTO GERAL INTRODUÇÃO A (FUNCAP), vinculada

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

Sistema Eletrônico de Informações - Notificação de ato de concentração ordinário 1

Sistema Eletrônico de Informações - Notificação de ato de concentração ordinário 1 Sistema Eletrônico de Informações - Notificação de ato de concentração ordinário 1 Sistema Eletrônico de Informações Guia para notificação de atos de concentração 2 Notificação Eletrônica de Ato de Concentração

Leia mais

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura

CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014. Logística, Supply Chain e Infraestrutura. Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura CUSTOS LOGÍSTICOS NO BRASIL 2014 Logística, Supply Chain e Infraestrutura Núcleo de Logística, Supply Chain e Infraestrutura Autores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Bolsistas Fapemig

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL

PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL As melhores empresas para se trabalhar Fonte: GUIA EXAME 2007 150 MELHORES Fonte: 100 MELHORES REVISTA ÉPOCA GREAT PLACE TO WORK 2006 As melhores empresas para se trabalhar

Leia mais

POLÍTICA DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS

POLÍTICA DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIA... 3 4 CONCEITOS... 3 5 DIRETRIZES... 4 6 RESPONSABILIDADES...

Leia mais

Governança na prática: a Agenda de Ações para Modernização e Melhoria da Gestão Pública no Governo Federal

Governança na prática: a Agenda de Ações para Modernização e Melhoria da Gestão Pública no Governo Federal Governança na prática: a Agenda de Ações para Modernização e Melhoria da Gestão Pública no Governo Federal Valter Correia da Silva Chefe da Assessoria Especial para Modernização da Gestão Gabinete da Ministra

Leia mais

1º Concurso de Empreendedorismo Facig EDITAL

1º Concurso de Empreendedorismo Facig EDITAL 1º Concurso de Empreendedorismo Facig EDITAL 1. Condições de participação Poderão participar alunos de graduação da Faculdade de Ciências Gerenciais de Manhuaçu regularmente matriculados. Os projetos deverão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL 08/2014 - PROPIT/UNIFESSPA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL 08/2014 - PROPIT/UNIFESSPA UNIVERSIDADE FEDERAL DO SUL E SUDESTE DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EDITAL 08/2014 - PROPIT/UNIFESSPA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS A Pró-Reitoria de Pós-Graduação,

Leia mais

REGULAMENTO XIV PRÊMIOABT

REGULAMENTO XIV PRÊMIOABT REGULAMENTO XIV PRÊMIOABT O PRÊMIO Dirigido a empresas e profissionais que praticam a excelência em atendimento e relacionamento com o cliente, o PrêmioABT tem como objetivos identificar, reconhecer e

Leia mais

PRÊMIO SER HUMANO ABRH/MA REGULAMENTO 2016 MODALIDADE: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL / EMPRESA CIDADÃ

PRÊMIO SER HUMANO ABRH/MA REGULAMENTO 2016 MODALIDADE: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL E RESPONSABILIDADE SOCIAL / EMPRESA CIDADÃ Página 1 A. OBJETIVO A.1. O Prêmio Ser Humano ABRH/MA - Modalidade Desenvolvimento Sustentável e Responsabilidade Social / Empresa Cidadã tem o objetivo de certificar projetos, a seguir denominados de

Leia mais

1. PREÂMBULO 2. DO NÚMERO DE VAGAS E ÁREAS

1. PREÂMBULO 2. DO NÚMERO DE VAGAS E ÁREAS DITAL N.º 256/2015 PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AMBIENTAL MODALIDADE MESTRADO PROFISSIONAL, DA ESCOLA POLITÉCNICA & ESCOLA DE QUÍMICA DA UFRJ PARA O PRIMEIRO

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Fornecedor

www.aluminiocba.com.br Manual do Usuário Fornecedor Manual do Usuário Fornecedor Manual do Usuário - Fornecedor Versão 1.2 Página 2 CBA Online Manual do Usuário Fornecedor Versão 1.2 3 de agosto de 2004 Companhia Brasileira de Alumínio Departamento de Tecnologia

Leia mais

Resumo Gestão de Pessoas por Competências

Resumo Gestão de Pessoas por Competências Resumo Gestão de Pessoas por Competências A coordenação técnica e acompanhamento especializado para a realização do projeto são realizados pela consultora e professora Sonia Goulart, da SG Educação Empresarial.

Leia mais

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL APROVADA na 15ª reunião do Conselho Superior realizada em 12/04/2004 REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL Art. 1º - O presente texto institucionaliza e regulamenta as atividades

Leia mais

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS

MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS MERCER 360 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Ponto de Vista da Mercer A avaliação 360 é um elemento vital para o desenvolvimento da liderança e planejamento de talentos Identifica pontos fortes e áreas de desenvolvimento

Leia mais

Planejamento Estratégico Setorial para a Internacionalização

Planejamento Estratégico Setorial para a Internacionalização Unidade de Projetos de Termo de Referência para elaboração e desenvolvimento de Planejamento Estratégico Setorial para a Internacionalização Agosto de 2009 Elaborado em: 4/8/2009 Elaborado por: Apex-Brasil

Leia mais

Segurança Financeira. em Planos Instituídos. Álvaro da Luz Gerente Financeiro Quanta Previdência Unicred

Segurança Financeira. em Planos Instituídos. Álvaro da Luz Gerente Financeiro Quanta Previdência Unicred em Planos Instituídos Álvaro da Luz Gerente Financeiro Quanta Previdência Unicred Segurança Financeira RISCOS Risco Atuarial Risco Financeiro Relacionado ao equilíbrio entre receitas e despesas no longo

Leia mais

Programa BRDE Produção e Consumo Sustentáveis BRDE/PCS

Programa BRDE Produção e Consumo Sustentáveis BRDE/PCS Programa BRDE Produção e Consumo Sustentáveis BRDE/PCS AGENDA 1. CONTEXTO ESPECÍFICO E CONTEXTO HISTÓRICO a) Contexto Específico b) Contexto Histórico no Mundo c) Contexto Histórico no Brasil 2. PRODUÇÃO

Leia mais

O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino

O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino O exercício e a gestão da responsabilidade social empresarial nas instituições de ensino Ricardo Young Instituto Ethos VII Congresso Brasileiro de Gestão Educacional São Paulo - SP 25/03/2009 Instituto

Leia mais

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão

Leia mais

Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade. Versão para público externo

Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade. Versão para público externo Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade Versão para público externo Mensagem da alta administração Em 93 anos de história da Votorantim, temos mantido a consistência na geração de valor, pautando

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DO NÚCLEO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA -PPGNESol

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DO NÚCLEO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA -PPGNESol UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DO NÚCLEO DE ECONOMIA SOLIDÁRIA -PPGNESol EDITAL POS/GPS nº 01/2013 Processo de Seleção de Alunos para

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA GERÊNCIA DE PROJETOS DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UPE

PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA GERÊNCIA DE PROJETOS DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA GERÊNCIA DE PROJETOS DE PESQUISA PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UPE OBJETIVOS EDITAL IC PFAUPE - 2010 Promover o interesse pela pesquisa

Leia mais

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo

RHIND Group. Rhind Group. Nossa Equipe. Nosso objetivo Rhind Group É uma empresa estruturada para prover soluções em consultoria e assessoria empresarial aos seus clientes e parceiros de negócios. Com larga experiência no mercado, a Rhind Group tem uma trajetória

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE ASSUNTOS ESTRATÉGICOS PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO EDITAL 016/2010 - PROJETO BRA/06/032 CÓDIGO: ALTO IMPACTO O Projeto BRA/06/032 comunica que

Leia mais

Estratégias Empresariais Geradoras de Valor Durável

Estratégias Empresariais Geradoras de Valor Durável hapiterra.com Curso de Formação em Estratégias Empresariais Geradoras de Valor Durável Como aplicar o pensamento sistêmico na estratégia empresarial? Crescimento e sustentabilidade são compatíveis? Como

Leia mais

PRE- 006/10 São Paulo, 23 de março de 2010 COMPANHIAS ABERTAS E DEMAIS EMPRESAS/ORGANIZAÇÕES INTERESSADAS

PRE- 006/10 São Paulo, 23 de março de 2010 COMPANHIAS ABERTAS E DEMAIS EMPRESAS/ORGANIZAÇÕES INTERESSADAS PRE- 006/10 São Paulo, 23 de março de 2010 Às COMPANHIAS ABERTAS E DEMAIS EMPRESAS/ORGANIZAÇÕES INTERESSADAS ASSUNTO: 12º PRÊMIO ABRASCA RELATÓRIO ANUAL (EDIÇÃO 2010) Estão abertas as inscrições para o

Leia mais

Gestão de Riscos Corporativos

Gestão de Riscos Corporativos Gestão de Riscos Corporativos Estudo de Caso Sabesp PAP - 001854 14/07/2010 Superintendência de Auditoria - PA 14:00 h. Gestão de Riscos Corporativos Pauta 1 Perfil de Companhia 2 Objetivos 3 Metodologia

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM PETRÓLEO E GÁS

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM PETRÓLEO E GÁS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM PETRÓLEO E GÁS ÁREA DO CONHECIMENTO Educação Gestão Educacional NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão em Petróleo e Gás. AMPARO

Leia mais

Disponível online em www.repec.org.br Revista de Educación e Investigatión en Contabilidad ISSN 1981-8610

Disponível online em www.repec.org.br Revista de Educación e Investigatión en Contabilidad ISSN 1981-8610 Revista de Educação e Pesquisa em Contabilidade REPeC, Brasília, v. 6, n. 1, art. 6, p. 90-111, jan./mar. 2012 Journal of Education and Research in Accounting Disponível online em www.repec.org.br Revista

Leia mais

ESTATÍSTICA PROCESSUAL E RESUMO DAS ATIVIDADES PROMOVIDAS PELA PRESIDÊNCIA.

ESTATÍSTICA PROCESSUAL E RESUMO DAS ATIVIDADES PROMOVIDAS PELA PRESIDÊNCIA. 1 ESTATÍSTICA PROCESSUAL E RESUMO DAS ATIVIDADES PROMOVIDAS PELA PRESIDÊNCIA. Apresento a Vossas Excelências um breve relato da estatística processual relativa ao primeiro semestre deste ano, bem como

Leia mais

OFICINA: MONITORAMENTO DO PAC

OFICINA: MONITORAMENTO DO PAC OFICINA: MONITORAMENTO DO PAC Maurício Muniz SEPAC Secretaria do Programa de Aceleração do Crescimento Brasília, 29 de janeiro de 2013 OBJETIVO DA OFICINA Apresentar o modelo de monitoramento do PAC no

Leia mais

REGULAMENTO E PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NA PÓS-GRADUAÇÃO Para turmas iniciadas em 2013.

REGULAMENTO E PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NA PÓS-GRADUAÇÃO Para turmas iniciadas em 2013. REGULAMENTO E PROCEDIMENTOS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO NA PÓS-GRADUAÇÃO Para turmas iniciadas em 2013 Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento disciplina

Leia mais

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor 2 Apresentando as etapas da Metodologia Tear de forma simplificada, esta versão resumida foi preparada para permitir um acesso rápido

Leia mais

Abrasca elege OdontoPrev como destaque do setor de serviços médicos

Abrasca elege OdontoPrev como destaque do setor de serviços médicos Data: segunda-feira, 14 de junho de 2010 Site: FENASEG Seção: Viver Seguro OnLine Abrasca elege OdontoPrev como destaque do setor de serviços médicos A Associação Brasileira de Companhias Abertas (abrasca)

Leia mais

EDITAL Verde-Amarelo/ Parques Tecnológicos: FINEP 04/2002

EDITAL Verde-Amarelo/ Parques Tecnológicos: FINEP 04/2002 EDITAL Verde-Amarelo/ Parques Tecnológicos: FINEP 04/2002 O Ministério da Ciência e Tecnologia, em cumprimento às recomendações do Comitê Gestor do Programa de Estímulo à Interação Universidade-Empresa

Leia mais