ORIENTAÇÕES CENSO ESCOLAR 2010 VERSÃO 1.0

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ORIENTAÇÕES CENSO ESCOLAR 2010 VERSÃO 1.0"

Transcrição

1 ORIENTAÇÕES CENSO ESCOLAR 2010 VERSÃO 1.0

2 SUMÁRIO 1. O QUE É O CENSO? QUANDO OCORRE? COMO É COLETADO COM AS ESCOLAS QUE UTILIZAM O SIGEAM ONLINE? O QUE É NECESSÁRIO SER FEITO ATÉ A DATA DO CENSO? COMO ACOMPANHAR ESTES DADOS? O QUE ACONTECE SE ISSO NÃO FOR FEITO ATÉ A DATA DO CENSO? O QUE FAZER APÓS A DATA DO CENSO?... 7 Página 2 de 7

3 1. O QUE É O CENSO? O Censo Escolar é um levantamento de dados estatístico-educacionais de âmbito nacional realizado todos os anos e coordenado pelo Inep 1. Ele é feito com a colaboração das secretarias estaduais e municipais de Educação e com a participação de todas as escolas públicas e privadas do país. Trata-se do principal instrumento de coleta de informações da educação básica, que abrange as suas diferentes etapas e modalidades: ensino regular (educação Infantil e ensinos fundamental e médio), educação especial e educação de jovens e adultos (EJA). O Censo Escolar coleta dados sobre estabelecimentos, matrículas, funções docentes, movimento e rendimento escolar. Essas informações são utilizadas para traçar um panorama nacional da educação básica e servem de referência para a formulação de políticas públicas e execução de programas na área da educação; incluindo os de transferência de recursos públicos como merenda e transporte escolar, distribuição de livros e uniformes, implantação de bibliotecas, instalação de energia elétrica, Dinheiro Direto na Escola e Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Além disso, os resultados obtidos no Censo Escolar sobre o rendimento (aprovação e reprovação) e movimento (abandono) escolar dos alunos do ensino Fundamental e Médio, juntamente com outras avaliações do Inep (Saeb e Prova Brasil), são utilizados para o cálculo do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB), indicador que serve de referência para as metas do Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE), do Ministério da Educação. 2. QUANDO OCORRE? A data de referência do Censo Escolar continua sendo a última quartafeira do mês de maio. 1 Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Página 3 de 7

4 3. COMO É COLETADO COM AS ESCOLAS QUE UTILIZAM O SIGEAM ONLINE? O trabalho de coleta se inicia com o processo de matrícula do aluno. Para os alunos são utilizados os serviços: GECADALU - Alteração de Dados Cadastrais do Aluno e o relatório SALUINVA - Relação de Alunos com dados inválidos. Em relação ao docente, ocorre quando se começa a lotação. Neste caso, as escolas iniciam a atualização dos dados do docente. O relatório utilizado é o RESCINVA - Relatório de Pendências Escola/Docente. Ele indicará se está faltando componente para o docente, atualização de cadastro do docente etc. Caso seja necessário, também é utilizado o serviço de distribuição de horas/aulas - MANHORAS Manutenção de Horas para um Professor. Para a escola o relatório utilizado é o RESCINVA - Relatório de Pendências Escola/Docente onde é identificado se a escola informou sua capacidade física (MANCAPFI - Manutenção da Capacidade Física das Salas e MANDOINF - Manutenção das informações complementares do Docente), uso de tecnologias, uso de computadores, sala de recurso dentre outros. É de suma importância informar os dados exigidos para o Censo conforme definição do Inep. 4. O QUE É NECESSÁRIO SER FEITO ATÉ A DATA DO CENSO? Ter registrado no Sigeam Online as matrículas dos alunos, em suas devidas turmas. Além disso, devem ser registradas transferências, cancelamentos de matrículas, pois afetam os dados de outra escola que possivelmente enviará os dados do aluno, gerando erros nos dados coletados pelo INEP. Também deve haver os professores lotados em suas respectivas turmas, com as disciplinas ministradas. 5. COMO ACOMPANHAR ESTES DADOS? Abaixo serão descritos os serviços básicos que auxiliam no acompanhamento dos dados a serem enviados ao Inep. Página 4 de 7

5 Responsável: Sede/Distrito ESCMATDU - Relação de Escolas com Alunos com Matrícula Duplicada O que fazer? Entrar em contato com as escolas para verificar qual a matrícula que deve permanecer. Quando tiver definido qual matrícula permanece e qual deve ser desativada, informar o Sigeam que encaminhará à Prodam para correção. ESALSEMT - Relação de Escolas com Alunos não enturmados O que fazer? Entrar em contato com as escolas para que seja verificada a turma na qual o aluno está estudando. SOPENSIG - Resumo das Designações Pendentes O que fazer? Entrar em contato com as escolas para que seja verificado se o aluno compareceu à escola ou não para confirmar sua matrícula. LOTPROF - Demonstrativo de Lotação de Professores O que fazer? A escola deve verificar se as turmas estão sem lotação. Se sim, podem ocorrer três situações distintas: primeiro, a lotação já encaminhou o docente para a escola, neste caso, a escola recebeu, mas não distribuiu a carga horária para o professor, ou ainda a escola não recebeu o professor. Segundo, a lotação não encaminhou o professor, por conseguinte a escola deve verificar com a lotação. E finalmente, não tem professor para encaminhar a escola, logo, deve-se verificar com o Departamento de Pessoal. Responsável: Escola SMATDUP - Alunos com Matrícula duplicada O que fazer? Verificar qual a matrícula que deve permanecer. Quando tiver definido qual matrícula permanece e qual deve ser desativada, informar o Sigeam que encaminhará à Prodam para correção. MATRIALL Consulta Alunos Matriculados => PF11 SemTurma O que fazer? Verificar em qual turma o aluno está estudando e utilizar o serviço MATRIENT - Enturma ou Desenturma Aluno - para fazer o registro no Sigeam Online. SOLTRPEN - Relatório de Designações Pendentes O que fazer? Verificar se o aluno compareceu à escola ou não para confirmar sua matrícula. Caso o Página 5 de 7

6 aluno tenha confirmado a matrícula, o registro no Sigeam Online deve ser feito no serviço MATRICOM Matrícula com Designação. ESPELHO - Resumo da Escola O que fazer? Conferir as turmas da escola, a quantidade de alunos enturmados, os alunos incluídos, identificar as pendências da escola. Observação: Neste momento, é aceitável ter as pendências de dados de escola, dados de docente e dados de aluno. ALUNOREL Relação de Alunos O que fazer? Conferir se há divergência entre a situação dos alunos listada no relatório e a realidade na escola, exemplos: aluno transferido que ainda consta como cursando, aluno que trocou de turma ainda consta na turma antiga, aluno que não compareceu às aulas até o dia 20/04/2010 e ainda consta na lista. CONAOLOT Consulta Servidores Não Lotados O que fazer? A escola deve verificar o que pode ter acontecido com o servidor, como descrito anteriormente no serviço LOTPROF. Em linhas gerais, pode ocorrer: a lotação encaminhou, mas a escola não recebeu ou lotou o servidor. Ou até mesmo, o servidor pode ter sido encaminhado pela lotação erroneamente para a escola. CONENCES Consultar Encaminhamento por Escola O que fazer? Identificar os servidores docentes que compareceram e os que não compareceram à escola. Os que compareceram devem ter o registro feito em RECEBER - Receber Servidor na Escola. Os que não compareceram devem ser informados à GELOT. CONTUSEM Consulta Turma sem Professor O que fazer? Verificar se as turmas/componentes indicadas realmente não tem professor atuando. Caso exista professor ministrando disciplina, o registro deve ser feito no serviço MANHORAS Manutenção de Horas para um Professor. CONLOTES Consulta Lotação Escola O que fazer? Conferir se há divergências entre a lotação da escola e o que está registrado no Sigeam Online. Exemplos: servidor atuando na escola que não consta na lista, servidor não atuando na escola que consta na lista, servidor afastado sem o registro do afastamento no Sigeam Online. Página 6 de 7

7 CONLOTUR Consulta Lotação de Professor por Turma O que fazer? Conferir se há divergências entre a lotação dos docentes nas turmas e o que está registrado no Sigeam Online. Exemplos: professor lecionando componente e não consta na lista. 6. O QUE ACONTECE SE ISSO NÃO FOR FEITO ATÉ A DATA DO CENSO? A Escola terá suas informações desconsideradas para a estatística oficial realizada pelo Inep e consequentemente não receberá o recurso pela União. 7. O QUE FAZER APÓS A DATA DO CENSO? Orientações serão publicadas posteriormente. Aguarde! Página 7 de 7

8

Censo Escolar INEP. Júlia Pampillon. Abril 2012. Universidade Federal de Juiz de Fora. UFJF (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 15

Censo Escolar INEP. Júlia Pampillon. Abril 2012. Universidade Federal de Juiz de Fora. UFJF (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 15 Censo Escolar INEP Júlia Pampillon Universidade Federal de Juiz de Fora Abril 2012 UFJF (Institute) ECONS - Laboratório de Economia 23/04 1 / 15 Introdução O Censo Escolar é um levantamento de dados estatístico-educacionais

Leia mais

CT03.15 -Departamento de Gestão Social - Novembro/2012 - Atualizado em março/2014 CENSO ESCOLAR

CT03.15 -Departamento de Gestão Social - Novembro/2012 - Atualizado em março/2014 CENSO ESCOLAR CENSO ESCOLAR (conhecido como PRODESP) ENTIDADES QUE DEVEM REALIZAR O CADASTRAMENTO: Escolas de Educação Infantil, Escolas Regulares e Especiais, Instituições de Educação Superior e de Educação Profissional

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira NOTA INFORMATIVA DO IDEB 2013 (Atualizada em maio de 2015) Os resultados do Ideb 2013 para escola, município,

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira NOTA INFORMATIVA DO IDEB 2011 Os resultados do Ideb 2011 para escola, município, unidade da federação, região

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA EXECUTIVA INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA (INEP) DIRETORIA DE GESTÃO E PLANEJAMENTO

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ACS Assessoria de Comunicação Social Brasília DF março 2005 2005: Ano da qualidade da Educação Básica Qualidade na Educação Básica 1 2 Qualidade na Educação Básica QUALIDADE NA EDUCAÇÃO

Leia mais

Manual SIGEESCOLA Matrícula - 2009

Manual SIGEESCOLA Matrícula - 2009 Manual SIGEESCOLA Matrícula - 2009 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA EDUCAÇÃO BÁSICA COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO DA ESCOLA PASSO A PASSO DA UTILIZAÇÃO DO SIGE ESCOLA 2009 1. PARA ACESSAR O

Leia mais

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP

REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP REGULAMENTO ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM PEDAGOGIA FACULDADE DE APUCARANA FAP Regulamento do Curricular Supervisionado do Curso de Graduação em Pedagogia - Licenciatura Faculdade de

Leia mais

38 São Paulo, 125 (144) quinta-feira, 6 de agosto de 2015

38 São Paulo, 125 (144) quinta-feira, 6 de agosto de 2015 38 São Paulo, 125 (144) quinta-feira, 6 de agosto de 2015 Resolução SE 37, de 5-8-2015 Estabelece critérios e procedimentos para a implementação do processo de atendimento à demanda escolar do Ensino Médio

Leia mais

Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE. Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014

Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE. Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014 Conheça as 20 metas aprovadas para o Plano Nacional da Educação _PNE Decênio 2011 a 2021. Aprovado 29/05/2014 Meta 1 Educação Infantil Universalizar, até 2016, o atendimento escolar da população de 4 e

Leia mais

REGULAMENTO PARA DISCIPLINA ISOLADA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (Especialização)

REGULAMENTO PARA DISCIPLINA ISOLADA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (Especialização) CEC - REGULAMENTO PARA DISCIPLINA ISOLADA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU (Especialização) 1. O interessado fará um requerimento na Secretaria do Tudo Aqui para cursar uma ou mais disciplinas isoladas de um determinado

Leia mais

ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME

ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME ANEXO II INDICADORES PARA MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA EVOLUÇÃO DAS METAS DO PDME No presente documento, estão listados os indicadores básicos que serão utilizados para monitoramento e avaliação das metas

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança)

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais Música - Dança) Essa carta é somente um modelo e caso o aluno precise do documento tem que protocolar a solicitação na Secretaria Acadêmica. MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Licenciatura em Arte (Teatro Artes Visuais

Leia mais

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 Diário Oficial, 125 (144) 37

quinta-feira, 6 de agosto de 2015 Diário Oficial, 125 (144) 37 quinta-feira, 6 de agosto de 2015 Diário Oficial, 125 (144) 37 Resolução SE 36, de 5-8-2015 Estabelece critérios e procedimentos para a implementação do Programa de Matrícula Antecipada/Chamada Escolar

Leia mais

Índice. 1. Cursos Presenciais...3. 2. Cursos de Presença Flexível...3

Índice. 1. Cursos Presenciais...3. 2. Cursos de Presença Flexível...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 2 Índice 1. Cursos Presenciais...3 1.1. Do 1º ao 5º (4ª Série) Anos do Ensino Fundamental... 3 1.2. Do 6º (5ª Série) ao 9º (8ª Série) Anos do Ensino Fundamental... 3 1.3. Do 1º ao 3º Ano

Leia mais

META NACIONAL 15: garantir, em regime de colaboração entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, no prazo de 1 (um) ano de vigência deste PNE, política nacional de formação dos profissionais

Leia mais

Abaixo temos listadas as atividades que as Unidades Escolares devem realizar no Sistema de Gestão Escolar/SGE.

Abaixo temos listadas as atividades que as Unidades Escolares devem realizar no Sistema de Gestão Escolar/SGE. SGE Passo a Passo Descrição das Atividades Abaixo temos listadas as atividades que as Unidades Escolares devem realizar no Sistema de Gestão Escolar/SGE. 1º PASSO Solicitar a senha de acesso ao sistema

Leia mais

Sandra A.Riscal 1 riscal@ufscar.br riscal@uol.com.br. José R. Riscal joseriscal2012@gmail.com 2

Sandra A.Riscal 1 riscal@ufscar.br riscal@uol.com.br. José R. Riscal joseriscal2012@gmail.com 2 Revista @mbienteeducação Universidade Cidade de São Paulo Vol. 7 nº 2 set/dez, 2014-525-36 A contribuição do IDEB para o estudo do papel da democratização da escola pública na melhoria da qualidade do

Leia mais

COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho

COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho COLEÇÃO LER E SER - Parecer Técnico Penildon Silva Filho Dois assuntos atualmente recebem muita atenção dos educadores e gestores em Educação: o acompanhamento da evolução do Índice de Desenvolvimento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SEMED. Orientações Gerais: Ano Letivo 2016

PREFEITURA MUNICIPAL DE URUGUAIANA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SEMED. Orientações Gerais: Ano Letivo 2016 Orientações Gerais - Inscrições - Rematrículas - Matrículas Calendário Escolar/ 2015 Orientações Gerais: Ano Letivo 2016 Rematrículas Inscrições Matrículas Calendário Escolar Uruguaiana, outubro de 2015.

Leia mais

Universalizar a educação primária

Universalizar a educação primária Universalizar a educação primária META 2 terminem um ciclo completo de ensino. Garantir que, até 2015, todas as crianças, de ambos os sexos, Escolaridade no Estado de São Paulo O aumento sistemático das

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA NOTA EXPLICATIVA ENEM 2013 POR ESCOLA 1 - RESULTADOS DO ENEM 2013

Leia mais

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação

(Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014. (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação (Assessoria de Comunicação Social/MEC) INSTRUMENTO DIAGNÓSTICO PAR MUNICIPAL 2011-2014 (6ª versão maio 2011) Ministério da Educação Instrumento Diagnóstico - PAR Municipal 2011-2014 A gestão que prioriza

Leia mais

Plano Nacional de Educação 201? 202?: Desafios e Perspectivas. Fernando Mariano fmariano@senado.leg.br Consultoria Legislativa

Plano Nacional de Educação 201? 202?: Desafios e Perspectivas. Fernando Mariano fmariano@senado.leg.br Consultoria Legislativa Plano Nacional de Educação 201? 202?: Desafios e Perspectivas Fernando Mariano fmariano@senado.leg.br Consultoria Legislativa Panorama População com idade até 24 anos: 63 milhões Taxa de alfabetização:

Leia mais

Programa de Treinamento de Profissionais de Aeroportos TREINAR

Programa de Treinamento de Profissionais de Aeroportos TREINAR PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE AVIAÇÃO CIVIL SECRETARIA DE NAVEGAÇÃO AÉREA CIVIL Programa de Treinamento de Profissionais de Aeroportos TREINAR EDITAL Nº 04/2016 SENAV/SAC-PR A Secretaria de Navegação

Leia mais

IDEB ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA CONCEITOS E USOS

IDEB ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA CONCEITOS E USOS IDEB ÍNDICE DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA CONCEITOS E USOS Elaine Toldo Pazello FEA-RP / USP epazello@usp.br Instituto Fonte 26/11/2013 Roteiro da apresentação Descrever o cálculo do IDEB, procurando

Leia mais

Desigualdade Entre Escolas Públicas no Brasil: Um Olhar Inicial

Desigualdade Entre Escolas Públicas no Brasil: Um Olhar Inicial 29 Desigualdade Entre Escolas Públicas no Brasil: Um Olhar Inicial Gabriel Barreto Correa (*) Isabel Opice (**) 1 Introdução Não é novidade que o Brasil apresenta, além de índices educacionais muito baixos

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012. Dezembro de 2012

CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012. Dezembro de 2012 CENSO DA EDUCAÇÃO BÁSICA 2012 Dezembro de 2012 Censo Escolar da Educação Básica Realizado em regime de colaboração das secretarias estaduais (27) e municipais (5.565) de educação, com a participação de

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A INFORMAÇÃO DOS ALUNOS DO PROJOVEM URBANO E PROJOVEM CAMPO SABERES DA TERRA NO CENSO ESCOLAR

ORIENTAÇÕES SOBRE A INFORMAÇÃO DOS ALUNOS DO PROJOVEM URBANO E PROJOVEM CAMPO SABERES DA TERRA NO CENSO ESCOLAR MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO, DIVERSIDADE E INCLUSÃO DIRETORIA DE POLÍTICAS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Salvador, Bahia Sexta-feira. 30 de janeiro de 2015 Ano XCIX N o 21.628

Salvador, Bahia Sexta-feira. 30 de janeiro de 2015 Ano XCIX N o 21.628 Salvador, Bahia Sexta-feira 30 de janeiro de 2015 Ano XCIX N o 21.628 ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 1.793/2015 CALENDÁRIO ACADÊMICO GERAL - UNEB 2015.1 FEVEREIRO 02 PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU: -

Leia mais

PORTARIA Nº 08, DE DEZEMBRO DE 2014

PORTARIA Nº 08, DE DEZEMBRO DE 2014 UNICÍPIO DE MARIANA SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Rua Bom Jesus, 16 - CENTRO. 35420-000 MARIANA/MG (31) 3557-9030/9068 PORTARIA Nº 08, DE DEZEMBRO DE 2014 Estabelece normas para a organização do Quadro

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO CURSO DE LICENCIATURA EM MATEMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS - DEX UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS - UFLA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Em consonância

Leia mais

MINAS, IDEB E PROVA BRASIL

MINAS, IDEB E PROVA BRASIL MINAS, IDEB E PROVA BRASIL Vanessa Guimarães 1 João Filocre 2 I I. SOBRE O 5º ANO DO EF 1. O IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) foi criado há um ano pelo MEC e adotado como indicador da

Leia mais

Número de matrículas na educação básica por dependência administrativa. Brasil - 2008/2014. Matrícula na educação básica. Pública

Número de matrículas na educação básica por dependência administrativa. Brasil - 2008/2014. Matrícula na educação básica. Pública Número de matrículas na educação básica por dependência administrativa Matrícula na educação básica geral Pública % Federal Estadual Municipal Privada % 2008 53.232.868 46.131.825 86,7 197.532 21.433.441

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 047 DE 20 DE SETEMBRO DE 2007

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 047 DE 20 DE SETEMBRO DE 2007 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/CD/FNDE Nº 047 DE 20 DE SETEMBRO DE 2007 Alterar a Resolução CD/FNDE nº 29, de 20 de julho de 2007,

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO Escopo O estágio supervisionado visa proporcionar ao aluno experiência prática pré-profissional em empresas privadas e públicas colocando-o em contato com a realidade das indústrias

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DO CHOÇA ESTADO DA BAHIA LEI Nº 278, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014. Altera e insere dispositivos na Lei Municipal nº 016, de 20 de janeiro de 2004, a qual dispõe sobre o Plano de Carreira e Remuneração dos Servidores do Magistério

Leia mais

Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica

Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica O Plano Nacional de Formação dos Professores da Educação Básica é resultado da ação conjunta do Ministério da Educação (MEC), de Instituições

Leia mais

DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO IPIRANGA Gabinete

DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO IPIRANGA Gabinete São Paulo, 24 de fevereiro de 2014. Circular nº 08/DRE Ipiranga/2014 Dirigida: a todas as Unidades Educacionais Não se curem além da conta. Gente curada demais é gente chata. Todo mundo tem um pouco de

Leia mais

RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Quando da adesão municipal ao programa suas atribuições são: Indicar e/ou selecionar o coordenador de turmas junto à Seduc;

Leia mais

APRESENTAÇÃO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS E ÍNDICES DE DESEMPENHO ESCOLAS ESTADUAIS. Município: Araguaína TO Regional: Araguaína - TO

APRESENTAÇÃO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS E ÍNDICES DE DESEMPENHO ESCOLAS ESTADUAIS. Município: Araguaína TO Regional: Araguaína - TO APRESENTAÇÃO DAS AÇÕES DESENVOLVIDAS E ÍNDICES DE DESEMPENHO ESCOLAS ESTADUAIS Município: Araguaína TO Regional: Araguaína - TO SE LIGA E ACELERA OBJETIVOS, PÚBLICO ALVO E DADOS ESTATÍSTICOS Se Liga -

Leia mais

INFORMATIVO N 001/2014-PPGE - ORIENTAÇÕES AOS ALUNOS DO PPGE

INFORMATIVO N 001/2014-PPGE - ORIENTAÇÕES AOS ALUNOS DO PPGE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE, UNICENTRO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO, PROPESP PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO, PPGE INFORMATIVO N 001/2014-PPGE - ORIENTAÇÕES AOS ALUNOS DO PPGE

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação

EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013. Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação EXAME NACIONAL DO ENSINO MÉDIO ENEM 2013 Aloizio Mercadante Ministro de Estado da Educação Cartão de Confirmação de Inscrição Entregues: 99,98% UF Participantes Entregues AC 58.364 100,00% AL 122.356 99,00%

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA

ESTADO DE SANTA CATARINA Minuta Lei Municipalização Ensino Fundamental 2009 Estabelece critérios para a municipalização do Ensino Fundamental da rede pública do Estado e a movimentação de servidores e estabelece outras providências.

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 17/CEPE, DE 03 DE MAIO DE 2006 Aprova normas para os cursos de especialização da Universidade Federal do Ceará. O Reitor da UNIVERSIDADE

Leia mais

CURSO PREPARATÓRIO PARA OAB 1ª FASE IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2º SEMESTRE 2012 EDITAL DE SELEÇÃO

CURSO PREPARATÓRIO PARA OAB 1ª FASE IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2º SEMESTRE 2012 EDITAL DE SELEÇÃO CURSO PREPARATÓRIO PARA OAB 1ª FASE IX EXAME DE ORDEM UNIFICADO 2º SEMESTRE 2012 EDITAL DE SELEÇÃO NOME DO CURSO Preparatório para Exame da OAB 1ª Fase COORDENAÇÃO Professor Ms. Wagner Antônio Alves ÁREA

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO ÁREA DO CONHECIMENTO Educação. NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Educação do Campo AMPARO LEGAL E PORTARIA DO MEC O curso atende

Leia mais

Manual das Regras da Programação Escolar - 2015 Versão 03 1 / 18

Manual das Regras da Programação Escolar - 2015 Versão 03 1 / 18 Manual das Regras da Programação Escolar - 2015 Versão 03 1 / 18 Apresentação A Programação Escolar PE é um instrumento fundamental de planejamento e gestão dos recursos humanos da rede escolar estadual,

Leia mais

PDE Plano de Desenvolvimento

PDE Plano de Desenvolvimento PDE Plano de Desenvolvimento da Educação Maria do Pilar Lacerda Almeida e Silva Secretária de Educação Básica Ministério da Educação Foto: João Bittar Garantir o direito de aprender, para todos e para

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS

SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Manual do Usuário: SISTEMA DE BIBLIOTECAS DO IFRS Em 2013 foi adquirido o Sistema de Gerenciamento de Bibliotecas Pergamum para todas Bibliotecas do IFRS. A implantação está sendo feita de acordo com as

Leia mais

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CAMPINA GRANDE Credenciado pela Portaria Nº 65, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.

FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CAMPINA GRANDE Credenciado pela Portaria Nº 65, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015. FACULDADE MAURÍCIO DE NASSAU CAMPINA GRANDE Credenciado pela Portaria Nº 65, DE 30 DE JANEIRO DE 2014 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO 2015.1 A Direção da Faculdade Maurício de Nassau de Campina Grande-PB no

Leia mais

Política Nacional de Educação Infantil

Política Nacional de Educação Infantil Política Nacional de Educação Infantil (arquivo da Creche Carochinha) Junho/2012 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL A Educação Infantil é dever do Estado e direito de todos, sem

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE HISTÓRIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Capítulo I - Definição Artigo 1º. O Estágio, como componente curricular obrigatório no Curso de Graduação

Leia mais

LAYOUT DO ARQUIVO DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. EDUCACENSO 2015 versão 3

LAYOUT DO ARQUIVO DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. EDUCACENSO 2015 versão 3 LAYOUT DO ARQUIVO DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO EDUCACENSO 2015 versão 3 Coordenação Geral do Censo Escolar (CGCE) Diretoria de Estatísticas Educacionais (Deed) Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

Cidadania também se ensina. Página 07

Cidadania também se ensina. Página 07 09 de Novembro de 2011 Parte integrante da Edição 1606 Cidadania também se ensina Página 07 2 Quarta-feira, 09 de Novembro de 2011 Educação Estudantes brasileiros passam por avaliação governamental Intenção

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO-GERAL DO CENSO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO BÁSICA Orientação para

Leia mais

EDITAL Nº 001/2013 PARA SELEÇÃO AO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM DOCÊNCIA NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL - MODALIDADE SEMIPRESENCIAL

EDITAL Nº 001/2013 PARA SELEÇÃO AO CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM DOCÊNCIA NA ESCOLA DE TEMPO INTEGRAL - MODALIDADE SEMIPRESENCIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIRETORIA DE CURRÍCULO E EDUCAÇÃO INTEGRAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ - PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO INSTITUTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO FACULDADE DE EDUCAÇÀO

Leia mais

MANUAL DO ESTUDANTE PÓS GRADUAÇÃO Lato Sensu

MANUAL DO ESTUDANTE PÓS GRADUAÇÃO Lato Sensu Prezado(a) Estudante, É com satisfação que lhe apresentamos o Manual do Estudante. Aqui você encontra orientações importantes sobre diversos procedimentos, processos e requerimentos ligados ao seu curso.

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ELABORAÇÃO DE MATERIAL, TUTORIA E EDITAL DE SELEÇÃO

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ELABORAÇÃO DE MATERIAL, TUTORIA E EDITAL DE SELEÇÃO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: ELABORAÇÃO DE MATERIAL, TUTORIA E Direito AMBIENTES civil - parte VIRTUAIS geral EDITAL DE SELEÇÃO Direito civil - parte geral CURSO JURÍDICO DE EXTENSÃO ONLINE DIREITO CIVIL - PARTE

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG REGULAMENTO DE MATRÍCULA EM CURSOS DE DEPENDÊNCIA

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG REGULAMENTO DE MATRÍCULA EM CURSOS DE DEPENDÊNCIA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL COMUNITÁRIA FORMIGUENSE CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG Ato de aprovação: Resolução do Reitor nº 73/2013, de 25/10/2013. FORMIGA-MG 2013 Ato de aprovação: Resolução do Reitor

Leia mais

Mestre em Economia/UFMT e Gestor Governamental (SEPLAN/MT). Email: edmarvieira@seplan.mt.gov.br.

Mestre em Economia/UFMT e Gestor Governamental (SEPLAN/MT). Email: edmarvieira@seplan.mt.gov.br. Governo do Estado de Mato Grosso Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral Superintendência de Planejamento Coordenadoria de Avaliação ET CAV/SP/SEPLAN nº 10/2013 Educação: o desafio da

Leia mais

08/10 (5ª feira) 15/10 (5ª feira) 20/10 (3ªfeira) 21 e 22/10 (4ª e 5ª feira) 23/10 (6ªfeira) 26/10 (2ª feira)

08/10 (5ª feira) 15/10 (5ª feira) 20/10 (3ªfeira) 21 e 22/10 (4ª e 5ª feira) 23/10 (6ªfeira) 26/10 (2ª feira) 08/10 15/10 20/10 (3ªfeira) 21 e 22/10 (4ª e 5ª feira) 23/10 (6ªfeira) 26/10 27 a 29/10 (3ª a 5ª feira) 28/10 CONVOCAÇÃO DO PROFESSOR PARA INSCRIÇÃO NO PROCESSO DE ESCOLHA E ATRIBUIÇÃO DE CLASSES E AULAS

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM PETRÓLEO E GÁS

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM PETRÓLEO E GÁS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO EM PETRÓLEO E GÁS ÁREA DO CONHECIMENTO Educação Gestão Educacional NOME DO CURSO Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Gestão em Petróleo e Gás. AMPARO

Leia mais

Edital de Seleção de Candidatos ao Programa de Mestrado em Gestão de Negócios Faculdade FIA

Edital de Seleção de Candidatos ao Programa de Mestrado em Gestão de Negócios Faculdade FIA Edital de Seleção de Candidatos ao Programa de Mestrado em Gestão de Negócios Faculdade FIA VAGAS REMANESCENTES Ano Letivo de 2016 O Programa de Mestrado em Gestão de Negócios torna público o edital de

Leia mais

Guia de Orientação para Gestores/as do Programa Bolsa Família na Educação. Motivos de Baixa Frequência, Situações Coletivas e outros registros

Guia de Orientação para Gestores/as do Programa Bolsa Família na Educação. Motivos de Baixa Frequência, Situações Coletivas e outros registros Guia de Orientação para Gestores/as do Programa Bolsa Família na Educação Motivos de Baixa Frequência, Situações Coletivas e outros registros P1 ÍNDICE 1 P2 2 P5 3 P10 4 P13 5 P16 6 P17 7 P20 8 P25 Introdução

Leia mais

CALENDÁRIO - PEDAGOGIA Grupo 87 - Agosto/2011

CALENDÁRIO - PEDAGOGIA Grupo 87 - Agosto/2011 Estrutura do Calendário Antes de utilizar o Calendário do Curso, leia atentamente o Manual do Aluno de EAD para que possa entender o processo de avaliação, disciplinas, estrutura curricular e duração.

Leia mais

Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde

Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM VIGILÂNCIA SANITÁRIA DO INSTITUTO NACIONAL DE CONTROLE DE QUALIDADE EM SAÚDE 1. Objetivos e Organização Geral 1.1- Os cursos de pós-graduação lato sensu oferecidos

Leia mais

Lei nº 12.796 de 04/04/2013

Lei nº 12.796 de 04/04/2013 O governo federal publicou nesta sexta-feira (5), no Diário Oficial da União, a lei número 12.796 que altera a lei que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Como novidade, o texto muda

Leia mais

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte,

O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que a Câmara Municipal de Macuco aprovou e ele sanciona a seguinte, LEI Nº 302/05 "DISPÕE SOBRE O PLANO DE CARREIRA E REMUNERAÇÃO DO MAGISTÉRIO PÚBLICO MUNICIPAL E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" O Prefeito Municipal de Macuco, no uso de suas atribuições legais, faz saber que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS Pró-Reitoria de Extensão e Cultura Manual de Utilização das funções básicas do Módulo de Eventos do SIG-UFLA Usuário: Coordenador de Eventos Outubro / 2014 Sumário Introdução...

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS PARA OS PROFESSORES DA FAMA 2 SEMESTRE DE 2015

DIRETRIZES GERAIS PARA OS PROFESSORES DA FAMA 2 SEMESTRE DE 2015 DIRETRIZES GERAIS PARA OS PROFESSORES DA FAMA 2 SEMESTRE DE 2015 1. Os professores devem possuir o Manual do Professor, Calendário Acadêmico e as Diretrizes Gerais. A falta de algum destes instrumentos

Leia mais

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Juruena

Estado de Mato Grosso Prefeitura Municipal de Juruena EDITAL Nº 001/14/SME - Juruena/MT Dispõe sobre o processo de atribuição de classes e/ou aulas do Professor contratado temporário ao quadro das Unidades Escolares da Rede Municipal de Ensino para o ano

Leia mais

EDITAL N 02/2015/COEXT CURSO DE EXTENSÃO PROFICIÊNCIA LEITORA EM INGLÊS

EDITAL N 02/2015/COEXT CURSO DE EXTENSÃO PROFICIÊNCIA LEITORA EM INGLÊS O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE, Campus Limoeiro do Norte, torna pública a abertura do Edital para seleção de 20 candidatos da comunidade externa e da comunidade interna

Leia mais

CALEDÁRIO ESCOLAR. Página 1 de 24

CALEDÁRIO ESCOLAR. Página 1 de 24 Página 1 de 24 SISTEMA DE CALENDÁRIO ESCOLAR O Sistema de Calendário Escolar é a primeira etapa de uma grande evolução que ocorrerá nos sistemas de informatização da Secretaria de Estado da Educação. As

Leia mais

FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015

FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015 Bem - vindo ao Prêmio Professores do Brasil! FICHA DE INSCRIÇÃO PRÊMIO PROFESSORES DO BRASIL 2015 O processo de inscrição foi pensado para ajudá-lo a refletir sobre práticas de ensino e aprendizagem desenvolvidas

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42 DE 28 DE AGOSTO DE 2012

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42 DE 28 DE AGOSTO DE 2012 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO Nº 42 DE 28 DE AGOSTO DE 2012 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal artigos 205, 206, 208, 211 e

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Edital Nº 09/ 2007

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Edital Nº 09/ 2007 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Edital Nº 09/ 2007 Estabelece normas do Processo Seletivo para ingresso no Curso de Especialização

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 321, DE 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 321, DE 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 321, DE 2014 Altera a Lei n 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para definir critérios de mérito no processo de gestão

Leia mais

Abre-se, então, a tela Solicitação de Cadastro de Usuários. O Módulo Escola já aparece selecionado.

Abre-se, então, a tela Solicitação de Cadastro de Usuários. O Módulo Escola já aparece selecionado. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Básica Diretoria de Fortalecimento Institucionais e Gestão Educacional Plano de Desenvolvimento da Escola SIMEC Sistema Integrado de Planejamento Orçamento

Leia mais

PAR PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS

PAR PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS PAR PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS PAR - Plano de Ações Articuladas - É um processo de planejamento da política de educação para ser implementado pelos municípios, estados e o Distrito Federal em um período

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULINO NEVES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

ESTADO DO MARANHÃO PREFEITURA MUNICIPAL DE PAULINO NEVES SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 2015 / 2025 Raimundo de Oliveira Filho Prefeito Municipal José Ferreira dos Reis Vice-prefeito Mª Estaciana Silva Gomes Secretária de Educação DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO SEÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL Maria do

Leia mais

A GESTÃO ADMINISTRATIVA DA SEB NO CONTEXTO DO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS PAR. Florianópolis/SC. Maio, 2014

A GESTÃO ADMINISTRATIVA DA SEB NO CONTEXTO DO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS PAR. Florianópolis/SC. Maio, 2014 A GESTÃO ADMINISTRATIVA DA SEB NO CONTEXTO DO PLANO DE AÇÕES ARTICULADAS PAR. Florianópolis/SC. Maio, 2014 SUM ÁRIO 1. Estrutura da SEB localização; 2. O PAR e o alcance das Metas do PNE; 3. Sistemática

Leia mais

Um perfil interligado às novas tendências

Um perfil interligado às novas tendências informativo ADMINISTRAÇÃO Diretrizes do Provão mostram o que a sociedade espera dos futuros profissionais de Administração Qual o perfil ideal para o estudante ao concluir a graduação? Quais habilidades

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/ FNDE/CD/ Nº 044, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal de 1988 artigos

Leia mais

Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas

Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas Instruções para visita da Secretaria Municipal de Educação às escolas Prezado participante, Como já explicado, iniciamos agora a etapa de diagnóstico do processo de desenvolvimento do Plano Municipal de

Leia mais

Regulamento para Exposição de trabalhos

Regulamento para Exposição de trabalhos Regulamento para Exposição de trabalhos A Comissão Organizadora da Semana de Educação Ciência e Tecnologia (SECITEC) do Instituto Federal de Goiás - Campus Águas Lindas torna público o regulamento para

Leia mais

A REGULAMENTAÇÃO DA EAD E O REFLEXO NA OFERTA DE CURSOS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

A REGULAMENTAÇÃO DA EAD E O REFLEXO NA OFERTA DE CURSOS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES A REGULAMENTAÇÃO DA EAD E O REFLEXO NA OFERTA DE CURSOS PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Autor(a): Alessandra Barbara Santos de Almeida Coautor(es): Alessandra Barbara Santos de Almeida, Gliner Dias Alencar,

Leia mais

Estudo exploratório sobre o professor brasileiro Com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2007

Estudo exploratório sobre o professor brasileiro Com base nos resultados do Censo Escolar da Educação Básica 2007 Estudo exploratório sobre o professor brasileiro COORDENAÇÃO-GERAL DE CONTROLE DE QUALIDADE E DE TRATAMENTO DA INFORMAÇÃO EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL Maria Inês Pestana (coordenação) Alex Ricardo Medeiros

Leia mais

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA

TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA TELESSAÚDE BRASIL REDES NA ATENÇÃO BÁSICA MANUAL INSTRUTIVO Sumário Introdução... 3 Atividades a serem desenvolvidas dentro

Leia mais

Contextualização das Medidas de Aprendizado feitas pelo INEP

Contextualização das Medidas de Aprendizado feitas pelo INEP Contextualização das Medidas de Aprendizado feitas pelo INEP Chico Soares Presidente do Inep Brasília, julho de 2014. Direito à educação Direito a uma trajetória regular Direito de aprender Aprendizados

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 Solicitação de Trabalho nº 252/2014 CONOF Solicitante: Deputado Pauderney Avelino ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 ASPECTOS ORÇAMENTÁRIOS E FINANCEIROS SOBRE A INCLUSÃO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR COMO DESPESA DE MANUTENÇÃO

Leia mais

Instruções para Construção dos Sites das Escolas Públicas Estaduais do Paraná

Instruções para Construção dos Sites das Escolas Públicas Estaduais do Paraná Instruções para Construção dos Sites das Escolas Públicas Estaduais do Paraná CRIAÇÃO: crteldna@gmail.com (43) 3371-1336 (43) 3371-1337 APOIO: ldagabrielmartins@seed.pr.gov.br (43) 3327-4141 Janeiro/2008

Leia mais

MODULO DE GESTÃO MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo.

MODULO DE GESTÃO MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo. MANUTENÇÃO DE MATRÍCULA 1. Informações Gerais. O módulo de Gestão tem por objetivo gerenciar as atividades que ocorrem durante um ano letivo. O item do menu Manutenção de Matrícula tem por objetivo manter

Leia mais

37 / 52 8. CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB

37 / 52 8. CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB 8. CONTROLE SOCIAL DO FUNDEB 8.1. O que caracteriza o Conselho de Acompanhamento e Controle Social do Fundeb e qual a sua principal atribuição? 8.2. O Conselho possui outras atribuições? 8.3. Qual o prazo

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O MP E AS VERBAS DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O MP E AS VERBAS DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS O MP E AS VERBAS DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO O Ministério Público é instituição permanente, essencial à função jurisdicional do Estado, incumbindo-lhe a defesa

Leia mais

Ministério da Educação

Ministério da Educação Página 1 de 14 Ministério da Educação Nº 1693 - Segunda feira, 9 de dezembro de 2013 PORTARIA Nº 1.140, DE 22 DE NOVEMBRO DE 2013 (*) - Institui o Pacto Nacional pelo Fortalecimento do Ensino Médio e define

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO -

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA - CONSULTOR POR PRODUTO - 1. Número e Título do Projeto: BRA 09/004 - Aprimoramento

Leia mais

Plano Plurianual - Sec. Mun. de Educação (art. 165, 1º da Constituição Federal )

Plano Plurianual - Sec. Mun. de Educação (art. 165, 1º da Constituição Federal ) PROGRAMA : ADMINISTRAÇÃO GERAL OBJETIVO : Manter as atividades administrativas e operacionais dos órgãos para melhoria da prestação de serviços ao público Manutenção das Atividades Administrativas Secretaria

Leia mais

Uso Pedagógico dos Resultados da Provinha Brasil. Ciclo de Seminários da UNDIME Florianópolis, 10 de setembro de 2014

Uso Pedagógico dos Resultados da Provinha Brasil. Ciclo de Seminários da UNDIME Florianópolis, 10 de setembro de 2014 Uso Pedagógico dos Resultados da Provinha Brasil Ciclo de Seminários da UNDIME Florianópolis, 10 de setembro de 2014 Provinha Brasil A Provinha Brasil tem sido aplicada em todo o Brasil desde 2008, atendendo

Leia mais