8.2 Domain Name System (DNS)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "8.2 Domain Name System (DNS)"

Transcrição

1 DNS 8.2 Domain Name System (DNS) TCP UDP ICMP IP ARP Acesso à rede Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia, Electrónica, Telecomunicações e Computadores Redes de Computadores

2 Domain Name System (DNS) Objectivo Resolução de Nomes (Ex.: Conversão do nome da máquina no endereço IP) Características Base de Dados distribuída Nenhum servidor contém a informação toda Uso extensivo de Caching Diferentes tipos de Nomes (informação) Usa protocolo UDP e pode usar TCP Serviço fornecido a aplicações DNS definido nos RFC 1034 e 1035 [Mockapetris 1987] 2007/02/26 DNS 2

3 DNS (Domain Name System) Este sistema define : Espaço de nomes hierárquico (chaves da BD) Diferentes tipos de dados armazenados Formato do armazenamento dos dados (Resource Records) Organização da distribuição de informação (zonas) Diferentes tipos de servidores Mecanismos de replicação de informação Protocolo de comunicação (sobre UDP ou TCP) 2007/02/26 DNS 3

4 Espaço de nomes hierárquico DNS Representado por uma árvore cujos nós são labels Raiz da árvore é a uma label vazia Um nome completo é uma sequência de labels separadas por pontos começa com a label de um nó de último nível e percorre um ramo da árvore até chegar à raiz Características das labels máximo de 63 caracteres Case Insensitive 2007/02/26 DNS 4

5 Espaço de nomes unnamed root domínio de 1º nível arpa com edu gov int mil net org ae pt zw domínio de 2º nível inaddr nao United Arab Emirates ipl Zimbabwe 192 tuc net 104 sun sun.tuc.nao.edu www 48 domínios genéricos domínios de países in-addr.arpa. 2007/02/26 DNS 5

6 Domínios de 1º nível (Top Level Domains) Domínio com edu gov mil net org arpa au, uk, ca Atribuição Comercial Educacional Governo (US) Militar (US) Internet Network Outras organizações Advanced Research Project Agency Código do país 2007/02/26 DNS 6

7 Estrutura de nomes do DNS Estrutura geral dos nomes Label-N Label-2 Label-1 (nome completo) Label-M Label-2 (nome incompleto) Estrutura dos nomes de máquinas Nome-Máquina Domínio-N Domínio-2 Domínio-1 Ex.: servidor1.srcd.deetc.isel.ipl.pt Estrutura dos nomes de domínios ou sub-domínios Domínio-N Domínio-2 Domínio-1 Ex.: srcd.deetc.isel.ipl.pt 2007/02/26 DNS 7

8 Hierarquia (árvore) de Nomes Um domínio de 1º nível único é atribuído pela Internet Authority é uma entidade que por sua vez pode atribuir sub-domínios também únicos O administrador tem controlo absoluto sobre o domínio Não há limite ao número de sub-domínios ou níveis Não tem que ser uniforme no número de sub-domínios ou níveis Os nomes não têm que estar relacionados com a localização física Em alguns casos estão (domínios dos países) 2007/02/26 DNS 8

9 Espaço de nomes Divisão em Zonas com xpto ypto soap dog candy peanut almond walnut cat bugs sick tiger 2007/02/26 DNS 9

10 Espaço de nomes Divisão em Zonas Zona - Conjunto contíguo de nós do espaço de nomes que residem num servidor (Principal) e geridos por uma entidade Características Uma Zona pode ser desmembrada em sub-zonas Uma Zona tem um servidor Principal e pode ter 0 ou mais Secundários Uma máquina pode ser servidor de várias zonas (ou sub-zonas) Principal para algumas zonas (informação persistente) Secundário para outras (informação volátil aprendida do Principal) 2007/02/26 DNS 10

11 Informação de uma Zona Informação do nó de topo da zona (Authoritative) [SOA] - Descrição dos parâmetros de gestão [NS] - Nomes dos servidores de nomes da zona Informação dos nós da zona (Authoritative) [A], [AAAA] ou A6 - Endereços das máquinas da zona [PTR] - Nomes das máquinas da zona (Chave: w.x.y.z.in-addr.arpa) [LOC, WKS, TXT, MX,...] - Informação auxiliar das máquinas da zona Informação dos nós de inicio de sub-zona delegadas [NS] - Nomes dos servidores de nomes primários da sub-zona Informação auxiliar dos nós de inicio de sub-zona delegadas (glue) [A] Endereços IPv4 dos servidores de nomes primários da sub-zona [AAA] - Endereços IPv6 dos servidores de nomes primários da sub-zona 2007/02/26 DNS 11

12 Resolução de nomes Cada computador tem uma rotina de resolução de nomes (Cliente) (e.g., gethostbyname & gethostbyaddr in UNIX) Cada rotina de resolução sabe o endereço IP do servidor de DNS local A rotina de resolução envia um pedido DNS ao servidor O servidor DNS devolve A resposta ao pedido Envia o pedido a outro servidor Devolve uma referência Referência = Próximo servidor a quem o pedido deve ser efectuado. Pedido recursivo: Dá-me uma resposta (Não me envies uma referência) 2007/02/26 DNS 12

13 Resoluções DNS - Exemplos Através do: Saber o: Tipo Nome de Máquina Endereço IPv4 A Nome de Máquina Lista de serviços WKS Nome de Máquina Informação adicional TXT Endereço IP Nome de Máquina PTR Endereço de Servidor de MX Nome de Domínio Servidor de DNS NS 2007/02/26 DNS 13

14 DNS: Arquitectura dos Servidores Para receber pedidos de resolução da própria Zona Servidor Principal [Primary] Normalmente local às redes onde estão as máquinas da zona Servidor Secundário [Secundary] (0 ou mais) Locais - Repartir os pedidos de resolução das máquinas locais Não Locais para tolerância a faltas garantir a resolução de nomes da zona mesmo que a rede não esteja acessível Para encaminhar pedidos de resolução de outras Zonas Servidores Locais: Forwarders, Cache, Cache-Only Recebem pedidos das máquinas locais (clientes) e encaminham Para indicar os servidores de domínios de 1º nível Servidores Root Cerca de uma dúzia para toda a Internet 2007/02/26 DNS 14

15 Identificação dos Servidores Root 2007/02/26 DNS 15

16 Tipos de Servidores (Receber querys) Root Name Server Servidores especiais que conhecem os servidores de todos os domínios de 1º nível existentes na Internet Há servidores Root que também são servidores de outras zonas (tip. pequenas e de 1ª nível) Primary Name Server contém e é autoridade sobre toda a informação de nomes das máquinas da zona contém a identificação dos servidores primários das zonas delegadas [a informação está armazenada em disco] Secundary Name Server contém a mesma informação que o Primary Name Server [a informação está armazenada em memória (cache)] 2007/02/26 DNS 16

17 Tipos de Servidores (Encaminhar querys) Forwarders Servidor de nomes incumbido de encaminhar querys a nomes de fora da zona Cache Servidores que respondem a querys respeitantes à zona e canalizam para o Forwarder as querys respeitantes a outras zonas Cache-only Servidores que não são primários nem secundários de nenhuma zona. Apenas fazem resoluções externas e mantêm uma cache das respostas 2007/02/26 DNS 17

18 Informação num servidor Sobre os Root Servers (NS, A, AAA) Persistente ficheiro no disco rígido Sobre as Zonas de que é primário Persistente ficheiros no disco rígido Sobre as Zonas de que é secundário Volátil Carregada para memória a partir do primário Informação de outras zonas Resoluções efectuadas recentemente que são guardadas em cache (memória) temporariamente 2007/02/26 DNS 18

19 Tipos de querys e de respostas Campos Query Type (Q) e Type (RR) Name Query Type Type Descrição A Resolução Directa - Endereço IPv4 NS Nome de um servidor de nomes (SN) CNAME Canonical Name Alias de um nome SOA Start of Authoritive Parâmetros DNS da zona WKS Well Known Services PTR Resolução Inversa Nome de Máquina HINFO Host Info Informação adicional da Máquina MX Mail exchange Nome de Servidor de Mail AXFR Request Zone Transfer IXFR Request Incremental Zone Transfer ANY Request All Records 2007/02/26 DNS 19

20 Coerência entre Primário e Secundários Queries de informação de uma zona: AXFR (total) ou IXFR (incremental) Secundary NS Zona X Query de Zona Transferência de Zona Primary NS Zona X 2007/02/26 DNS 20

21 Coerência entre Primário e Secundários Inicialização Secundário carrega toda a informação da zona a partir do primário (query AXFR) Funcionamento normal Primário envia notificação (Notify) quando há alterações na informação da zona Secundário periodicamente (definido no SOA da zona) pede o SOA da zona e verifica se houve alteração do número de série. Se houve alterações... [método clássico] Carrega novamente a toda a informação da zona (query AXFR) [método novo] Carrega apenas a informação nova existente na zona (query IXFR) 2007/02/26 DNS 21

22 Coerência entre Primário e Secundários Incremental Zone Transfers (IXFR) O protocolo incremental zone transfer (IXFR) é uma forma dos servidores escravos transferirem apenas os dados que mudaram, em vez de terem de transferir toda a zona. Das zonas onde a necessária informação histórica sobre as alterações está disponível. O protocolo IXFR está documentado em RFC /02/26 DNS 22

23 Mecanismos de resolução (teóricos) Iterativo Cliente (C) pergunta ao seu Servidor de nomes (SA) Servidor (SA) responde ao Cliente (C) indicando um Servidor de nomes (SB) que poderá ter a informação pretendida Cliente pergunta ao Servidor de nomes (SB) Servidor (SN) responde ao Cliente a informação pretendida Recursivo Cliente (C) pergunta ao seu Servidor de nomes (SA) Servidor (SA) pergunta a um Servidor de nomes (SB) que poderá ter a informação pretendida Servidor (SB) responde ao Servidor de nomes (SA) a informação pretendida Servidor (SA) responde ao Cliente a informação pretendida C SA SB SN 2007/02/26 DNS 23

24 Mecanismos de resolução típico Mistura Recursivo e Iterativo Cliente (C) pergunta ao seu Servidor de nomes (S) Servidor (S) pergunta a um Servidor de nomes Root (SR) para resolver o domínio de 1º nível Servidor (SR) responde ao Servidor (S) indicando um Servidor de nomes (S1) do domínio de 1º nível que poderá ter a resolução pretendida Servidor (S) pergunta ao Servidor de nomes (S1) Servidor (S1) responde ao Servidor (S) indicando um Servidor (S2) do domínio de 2º nível Servidor (S) pergunta ao Servidor de nomes (S2) Servidor (S2) responde ao Servidor (S) com a resolução pretendida Servidor (S) responde ao Cliente (C) com a resolução final pretendida C S SR S1 S2 2007/02/26 DNS 24

25 Resolução de Nomes Cada cliente obtém respostas (Resource Records) De um servidor que tem autoridade sobre a informação (sempre correctos) De um servidor que tem informação em cache (podem estar desactualizados) 2007/02/26 DNS 25

26 DNS: Protocolos de Transporte UDP Normalmente os pedidos e respostas DNS são transportados num datagrama UDP. No caso de a informação a transportar ser superior ao tamanho do datagrama UDP a resposta é enviada incompleta num datagrama e a flag Truncated é activada TCP Quando o volume de informação a transferir não cabe num datagrama UDP o cliente DNS estabelece uma ligação TCP com o servidor para realizar a transferência. quando é recebida uma resposta com a flag Truncated activada para transferência de informação de zonas do servidor primário para os secundários 2007/02/26 DNS 26

27 Funcionamento do Sistema (1) Queries dentro de uma zona Secundary NS Zona X Query de Zona Transferência de Zona Primary NS Zona X Query Auhoritive Answer Query Auhoritive Answer 2007/02/26 DNS 27

28 Funcionamento do Sistema (2) Query a um nome de uma zona de nível superior (Query recursiva) Zona: isel.pt Root NS 3 Zona: :.pt 5 Primary NS ns.dns.pt Secundary NS ns.dns.br Primary NS 7 Secundary NS 4 Sub-Zona Zona: cc.isel.pt NS Server 1 NS Server 2007/02/26 DNS 28

29 Funcionamento do Sistema (3) Query a uma subzona de uma zona de primeiro nível diferente Zona: :.net Root NS Root NS 3 5 Primary NS ns.dns.net Secundary NS ns1.dns.us Zona: rccn.net 4 2 Zona: deec.isel.pt Secundary NS Primary NS NS Server 1 NS Server 2007/02/26 DNS 29

30 Funcionamento do Sistema (4) Query a um nome de uma zona de nível inferior (Query recursiva) NS Server Zona: isel.pt 2 NS Server Sub-Zona Zona: cc.isel.pt Secundary NS Primary NS 2007/02/26 DNS 30

31 Funcionamento do Sistema (5) Query a uma zona exterior usando forwarder Root NS Root NS 4 Zona: :.net 6 Primary NS ns.dns.net Secundary NS ns1.dns.us Zona: rccn.net 5 Zona: deec.isel.pt Secundary NS Primary NS NS Forwarder 2 10 NS Cache /02/26 DNS 31

32 Servidor Root Informação armazenada I. Nome e endereço dos servidores autoridade para as zonas do espaço DNS. Não devem ser usados para fazer recursão (normalmente não suportam) 2007/02/26 DNS 32

33 Servidor Primário Informação armazenada I. Atributos para os nomes referentes á zona (p.e endereços das máquinas pertencentes ao domínio), com a excepção da informação referente a zonas delegados a entidades inferiores na hierarquia. II. Nome e endereço dos servidores autoridade para as zonas delegadas (sub-zonas) e para a zona de nível superior ou para servidores root. III. Nomes e endereços de servidores autoridade para outras zonas do espaço DNS. (opcional) IV. Cache de dados referente a outros domínios. V. Dados referentes á manutenção e administração da zona (gestão da cache e replicação dos dados). 2007/02/26 DNS 33

34 Balanceamente de carga - Load Balancing Um balanceamento de carga simples pode ser conseguido no DNS utilizando múltiplos registos A, AAAA ou A6 (IPv6) para um nome. Por exemplo, se existirem três servidores WWW com os endereços , e , um conjunto de registos tal como os que se seguem implica que os clientes se irão ligar um terço do tempo a cada máquina: Quando um resolver perguntar por estes registos, o BIND irá rodá-los e responder à pergunta com os registos em ordem diferente. No exemplo acima os clientes irão receber aleatoriamente os registos pela ordem 1, 2, 3; 2, 3, 1; e 3, 1, 2. Muitos clientes irão usar o primeiro registo e ignorar os restantes. 2007/02/26 DNS 34

35 Resolução de Endereços (PTR) Exemplo O nome DNS in-addr.arpa (correspondente ao endereço IP ) é a chave de um registo de PTR da base de dados DNS e faz a correspondência com o nome de máquina 2007/02/26 DNS 35

36 Mensagem DNS Formato das mensagens ID Client Flags nº Questions nº Answer RR nº Authority RR nº Aditional RR Questions Answers RR Authority RR Aditional Information RR 2007/02/26 DNS 36

37 Mensagem DNS ID Client - Número único para fazer a correspondência entre perguntas (queries) e respostas Flags - ver adiante Questions - Perguntas de resolução de nomes (ver formato adiante) Answers RR - Respostas de resolução de nomes Authority RR - Indicação de Authoritative Name Servers que podem ter a resposta às perguntas Aditional Info RR - Outros RR com informação auxiliar Ex.: RR A com Endereços IP de RR NS do campo Authority 2007/02/26 DNS 37

38 Mensagem DNS (2) Campo Flags QR opcode AA TC RD RA (zero) rcode QR - Query (0) / Response (1) OpCode - Operation Code 0 - Standard Query 1 - Inverse Query 2 - Server Status Request AA - Authorative Answer TC - Truncated RD - Recursion Desired (Query) RA - Recursion Available (Response) RCode - Return Code Ex.: 0 - Nenhum erro ; 3 - Nome não existe 2007/02/26 DNS 38

39 Mensagem DNS (3) Formato das Questions Query Name Chave de procura (Ex.: Nome de máquina) Query Type (ver tabela) Class Tip. 1 Internet Query Name (Question) query name query type query class 3 W W W 4 I S E L 2 P T /02/26 DNS 39

40 Mensagem DNS (4) Formato dos Resource Records Domain Name Chave de procura type (Ex.: Nome de máquina) Type (ver tabela) Class Tip. 1 - Internet Time To Live Validade da informação (cache) Resource Data Domain Name Informação (Ex.: End. IP) domain name time to live (TTL) resource lenght resource data class 3 W W W 4 I S E L 2 P T /02/26 DNS 40

41 Mensagem DNS (5) Campo Type (RR) 2007/02/26 DNS 41

42 Exemplo de mensagem DNS - Query 2007/02/26 DNS 42

43 Exemplo de mensagem DNS - Reply 2007/02/26 DNS 43

44 Exemplo de mensagem DNS Reply (cont.) 2007/02/26 DNS 44

45 Mensagem DNS - Compressão Mensagem com uma pergunta de um nome e duas respostas a essa pergunta com endereços IP (com compressão dos nomes - ptr =12 2 bytes = C0 0C hex) 2007/02/26 DNS 45

46 Configuração do cliente DNS (Win 2K) 2007/02/26 DNS 46

47 Formato SOA MNAME -O domain-name do servidor de nomes que foi a original ou a fonte primária dos dados deste RNAME - Um domain-name que especifica o endereço de da pessoa responsável pela zona. SERIAL Número de versão (unsigned 32 bit) da cópia original da zona. A transferência de zona preserva este valor. Este valor deve ser comparado utilizando aritmética sequencial no espaço. Uma convenção útil é YYYYMMDD## REFRESH Intervalo de tempo a 32 bit antes da zona dever ser refrescada. RETRY Intervalo de tempo a 32 bit que deve passar antes de um refresh dever ser repetido. EXPIRE Valor de tempo a 32 bit que especifica o limite superior do intervalo de tempo que pode passar antes da zona perder a autoridade MINIMUM O valor (unsigned 32 bit) mínimo do campo TTL que pode ser exportado com qualquer RR exportado desta IN SOA net.ipl.pt helpdesk.net.ipl.pt ( ; Serial 300 ; Refresh - 5 Minutes 60 ; Retry - 1 minute ; Expire - 2 Weeks 43200) ; Minimum - 12 Hours 2007/02/26 DNS 47

48 Discussão dos registos MX Os registos MX são usados para controlar a entrega de s. Os dados especificados nos registos são: Uma prioridade controla a ordem como a entrega do é tentada, com o menor número primeiro. (Se duas prioridades são iguais, um servidor é escolhido aleatoriamente). Um nome de domínio é a máquina para a qual o deve ser entregue. Deve ter associado um registo A não é suficiente um CNAME. Para um dado domínio, se existirem ambos os registos CNAME e MX, o registo MX está errado, e deve ser ignorado. Em alternativa o deve ser entregue ao servidor especificado no servidor no registo MX apontado por CNAME. 2007/02/26 DNS 48

49 Aplicações de Administração DNS: NSLookup (4) I.ROOT-SERVERS.NET internet address = E.ROOT-SERVERS.NET internet address = D.ROOT-SERVERS.NET internet address = A.ROOT-SERVERS.NET internet address = H.ROOT-SERVERS.NET internet address = C.ROOT-SERVERS.NET internet address = G.ROOT-SERVERS.NET internet address = F.ROOT-SERVERS.NET internet address = B.ROOT-SERVERS.NET internet address = J.ROOT-SERVERS.NET internet address = K.ROOT-SERVERS.NET internet address = L.ROOT-SERVERS.NET internet address = M.ROOT-SERVERS.NET internet address = /02/26 DNS 49

50 Sumário Espaço de nomes hierárquico DNS Tipos de servidores DNS Protocolo Informação de uma Zona Arquitectura dos Servidores Funcionamento de um sistema Resolução de endereços PTR Formato da mensagem DNS Exemplos Registos MX 2007/02/26 DNS 50

51 Ficheiros de configuração no UNIX - cliente /etc/resolv.conf ; ; /etc/resolv.conf ; ; Lista de servidores DNS ; domain isel.pt nameserver localhost 2007/02/26 DNS 51

52 Ficheiros de configuração no UNIX - servidor /etc/named.conf /* * A simple BIND 8 configuration */ options { directory "/var/named"; forwarders { ; ; }; allow-transfer { ; // sagitario.isel.pt ; // gemeos.isel.pt ; // virgem.isel.pt ; // ns.dns.pt none; }; }; zone "." in { type hint; file "named.root"; }; zone "isel.pt" in { type master; file "master/isel.pt"; }; zone " IN-ADDR.ARPA" in { type master; file "master/ ; }; zone "redes.isel.pt" in { type master; file "master/redes.isel.pt"; }; 2007/02/26 DNS 52

53 Ficheiros com os Resource Records (1) /var/named/master/isel.pt $ORIGIN IN SOA sagitario.isel.pt. admin.isel.pt. ( ; serial number 2h ; refresh 1h ; retry 7d ; expire 1d ) ; minimum TTL ; Localizacao do ISEL no IN LOC N W 50m ; Zone NS IN NS IN NS IN NS IN NS virgem ; Zone IN MX 10 IN MX 100 IN TXT IN TXT "Online IN TXT "DNS Mantido por Pedro Ribeiro e Luis IN TXT "Instituto Superior de Engenharia de Lisboa sagitario IN A gemeos IN LOC N W 50m gemeos IN A capricornio IN A virgem IN A leao IN A ; Zone records CNAME mail IN CNAME gemeos mail-relay IN CNAME virgem proxy IN CNAME capricornio ntp IN CNAME leao ntp1 IN CNAME virgem news IN CNAME virgem ; Delegated sub-zone: redes.isel.pt. redes IN NS sagitario ; End delegation 2007/02/26 DNS 53

54 Ficheiros com os Resource Records (2) /var/named/master/ $ORIGIN IN SOA sagitario.isel.pt. admin.isel.pt. ( ; serial number 2h ; refresh 1h ; retry 7d ; expire 1d ) ; minimum TTL ; Zone NS IN NS IN NS IN NS virgem.isel.pt. 0 IN PTR isel-vnet0.isel.pt. 1 IN PTR sagitario.isel.pt. 2 IN PTR gemeos.isel.pt. 3 IN PTR capricornio.isel.pt. 4 IN PTR virgem.isel.pt. 254 IN PTR leao.isel.pt. 2007/02/26 DNS 54

55 Ficheiros com os Resource Records (3) /var/named/named.root ; This file holds the information on root name servers needed to ; initialize cache of Internet domain name servers ; (e.g. reference this file in the "cache. <file>" ; configuration file of BIND domain name servers). ; ; This file is made available by InterNIC registration services ; under anonymous FTP as ; file /domain/named.root ; on server FTP.RS.INTERNIC.NET ; -OR- under Gopher atrs.internic.net ; under menuinternic Registration Services (NSI) ; submenuinternic Registration Archives ; file named.root ; last update:aug 22, 1997 ; related version of root zone: ; formerly NS.INTERNIC.NET IN NS A.ROOT-SERVERS.NET. A.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly NS1.ISI.EDU NS B.ROOT-SERVERS.NET. B.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly C.PSI.NET NS C.ROOT-SERVERS.NET. C.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly TERP.UMD.EDU NS D.ROOT-SERVERS.NET. D.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly NS.NASA.GOV NS E.ROOT-SERVERS.NET. E.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly NS.ISC.ORG NS F.ROOT-SERVERS.NET. F.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly NS.NIC.DDN.MIL NS G.ROOT-SERVERS.NET. G.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly AOS.ARL.ARMY.MIL NS H.ROOT-SERVERS.NET. H.ROOT-SERVERS.NET A ; formerly NIC.NORDU.NET NS I.ROOT-SERVERS.NET. I.ROOT-SERVERS.NET A ; temporarily housed at NSI (InterNIC) NS J.ROOT-SERVERS.NET. J.ROOT-SERVERS.NET A ; housed in LINX, operated by RIPE NCC NS K.ROOT-SERVERS.NET. K.ROOT-SERVERS.NET A ; temporarily housed at ISI (IANA) NS L.ROOT-SERVERS.NET. L.ROOT-SERVERS.NET A ; housed in Japan, operated by WIDE NS M.ROOT-SERVERS.NET. M.ROOT-SERVERS.NET A /02/26 DNS 55

56 Aplicações de Administração NSLookup: Aplicação de consulta a Servidores de Nomes 2007/02/26 DNS 56

57 Aplicações de Administração DNS: NSLookup (1) > nslookup Default Server: localhost Address: > help $Id: nslookup.help,v /03/30 23:25:35 vixie Exp $ Commands: (identifiers are shown in uppercase, [] means optional) NAME - print info about the host/domain NAME using default server NAME1 NAME2 - as above, but use NAME2 as server help or? - print info on common commands; see nslookup(1) for details set OPTION - set an option all - print options, current server and host [no]debug - print debugging information [no]d2 - print exhaustive debugging information [no]defname - append domain name to each query [no]recurse - ask for recursive answer to query [no]vc - always use a virtual circuit domain=name - set default domain name to NAME srchlist=n1[/n2/.../n6] - set domain to N1 and search list to N1,N2, etc. root=name - set root server to NAME 2007/02/26 DNS 57

58 Aplicações de Administração DNS: NSLookup (2) retry=x - set number of retries to X timeout=x - set initial time-out interval to X seconds querytype=x - set query type, e.g., A,ANY,CNAME,HINFO,MX,PX,NS,PTR,SOA,TXT,WKS, SRV,NAPTR port=x - set port number to send query on type=x - synonym for querytype class=x - set query class to one of IN (Internet), CHAOS, HESIOD or ANY server NAME - set default server to NAME, using current default server lserver NAME - set default server to NAME, using initial server finger [USER] - finger the optional USER at the current default host root - set current default server to the root ls [opt] DOMAIN [> FILE] - list addresses in DOMAIN (optional: output to FILE) -a - list canonical names and aliases -h - list HINFO (CPU type and operating system) -s - list well-known services -d - list all records -t TYPE - list records of the given type (e.g., A,CNAME,MX, etc.) exit - exit the program, ^D also exits 2007/02/26 DNS 58

59 Aplicações de Administração DNS: NSLookup (3) > nslookup > server m.root-servers.net Default Server: m.root-servers.net Address: > set type=ns >. Server: m.root-servers.net Address: (root) nameserver = I.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = E.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = D.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = A.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = H.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = C.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = G.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = F.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = B.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = J.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = K.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = L.ROOT-SERVERS.NET (root) nameserver = M.ROOT-SERVERS.NET 2007/02/26 DNS 59

60 Aplicações de Administração DNS (UNIX): DIG > dig help usage: dig [domain] [q-type] [q-class] {q-opt} {d-opt} [%comment] where: server, domain are names in the Domain Name System q-class is one of (in,any,...) [default: in] q-type is one of (a,any,mx,ns,soa,hinfo,axfr,txt,...) [default: a] q-opt is one of: -x dot-notation-address (shortcut to in-addr.arpa lookups) -f file (batch mode input file name) -T time (batch mode time delay, per query) -p port (nameserver is on this port) [53] -b addr[:port] (bind to this tcp address) [*] -P[ping-string] (see man page) -t query-type (synonym for q-type) -c query-class (synonym for q-class) -k keydir:keyname (sign the query with this TSIG key) -envsav,-envset (see man page) -[no]stick (see man page) d-opt is of the form ``+keyword=value'' where keyword is one of: [no]debug [no]d2 [no]recurse retry=# time=# [no]ko [no]vc [no]defname [no]search domain=name [no]ignore [no]primary [no]aaonly [no]cmd [no]stats [no]header [no]header [no]trunc [no]ttlid [no]cl [no]qr [no]reply [no]ques [no]answer [no]author [no]addit [no]dnssec pfdef pfmin pfset=# pfand=# pfor=# notes: defname and search don't work; use fully-qualified names. this is DiG version 8.3 $Id: dig.c,v /12/19 02:25:17 marka Exp $ 2007/02/26 DNS 60

61 Aplicações de Administração DNS: DIG > ns isel.ipl.pt ; <<>> DiG 8.3 ns isel.ipl.pt ; (1 server found) ;; res options: init recurs defnam dnsrch ;; got answer: ;; ->>HEADER<<- opcode: QUERY, status: NOERROR, id: 6 ;; flags: qr rd; QUERY: 1, ANSWER: 0, AUTHORITY: 7, ADDITIONAL: 7 ;; QUERY SECTION: ;; isel.ipl.pt, type = NS, class = IN ;; AUTHORITY SECTION: pt. 2D IN NS NS.DNS.BR. pt. 2D IN NS NS2.NIC.FR. pt. 2D IN NS NS.DNS.pt. pt. 2D IN NS SUNIC.SUNET.SE. pt. 2D IN NS NS.UU.NET. pt. 2D IN NS NS-EXT.VIX.COM. pt. 2D IN NS NS2.DNS.pt. ;; ADDITIONAL SECTION: NS.DNS.BR. 2D IN A NS2.NIC.FR. 2D IN A NS.DNS.pt. 2D IN A SUNIC.SUNET.SE. 2D IN A NS.UU.NET. 2D IN A NS-EXT.VIX.COM. 2D IN A NS2.DNS.pt. 2D IN A ;; Total query time: 450 msec ;; FROM: ns to SERVER: C.ROOT-SERVERS.NET ;; WHEN: Tue Jul 2 18:02: ;; MSG SIZE sent: 29 rcvd: /02/26 DNS 61

62 Aplicações de Administração DNS: DIG > dig ; <<>> DiG 8.3 <<>> ;; res options: init recurs defnam dnsrch ;; got answer: ;; ->>HEADER<<- opcode: QUERY, status: NOERROR, id: 4 ;; flags: qr rd ra; QUERY: 1, ANSWER: 13, AUTHORITY: 0, ADDITIONAL: 13 ;; QUERY SECTION: ;;., type = NS, class = IN ;; ANSWER SECTION:. 1d6h18m7s IN NS M.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS I.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS E.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS D.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS A.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS H.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS C.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS G.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS F.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS B.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS J.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS K.ROOT-SERVERS.NET.. 1d6h18m7s IN NS L.ROOT-SERVERS.NET. ;; ADDITIONAL SECTION: M.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A I.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A E.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A D.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A A.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A H.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A C.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A G.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A F.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A B.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A J.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A K.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A L.ROOT-SERVERS.NET. 2d6h18m7s IN A ;; Total query time: 4 msec ;; FROM: ns to SERVER: default ;; WHEN: Tue Jul 2 17:52: ;; MSG SIZE sent: 17 rcvd: /02/26 DNS 62

63 Aplicações de Administração DNS: DIG > ns cisco.com ; <<>> DiG 8.3 ns cisco.com ; (1 server found) ;; res options: init recurs defnam dnsrch ;; got answer: ;; ->>HEADER<<- opcode: QUERY, status: NOERROR, id: 6 ;; flags: qr rd; QUERY: 1, ANSWER: 0, AUTHORITY: 13, ADDITIONAL: 13 ;; QUERY SECTION: ;; cisco.com, type = NS, class = IN ;; AUTHORITY SECTION: com. 2D IN NS A.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS G.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS H.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS C.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS I.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS B.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS D.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS L.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS F.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS J.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS K.GTLD-SERVERS.NET. com. 2D IN NS M.GTLD-SERVERS.NET. ;; ADDITIONAL SECTION: A.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A G.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A H.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A C.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A I.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A B.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A D.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A L.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A F.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A J.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A K.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A M.GTLD-SERVERS.NET. 2D IN A ;; Total query time: 445 msec ;; FROM: ns to SERVER: C.ROOT-SERVERS.NET ;; WHEN: Tue Jul 2 17:59: ;; MSG SIZE sent: 27 rcvd: /02/26 DNS 63

Fernando M. V. Ramos, fvramos@ciencias.ulisboa.pt, RC (LEI), 2015-2016 TP03. DNS. Redes de Computadores

Fernando M. V. Ramos, fvramos@ciencias.ulisboa.pt, RC (LEI), 2015-2016 TP03. DNS. Redes de Computadores TP03. DNS Redes de Computadores Objetivos Uma introdução ao protocolo DNS Um olhar com algum detalhe para dentro do protocolo O mundo sem DNS DNS: domain name system Domain Name System Uma base de dados

Leia mais

Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa. Segurança de Redes e Protocolos de Comunicação. 1º Trabalho de Acompanhamento

Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa. Segurança de Redes e Protocolos de Comunicação. 1º Trabalho de Acompanhamento Instituto Superior das Ciências do Trabalho e da Empresa Segurança de Redes e Protocolos de Comunicação 1º Trabalho de Acompanhamento Docente: Professor José Guimarães Realizado por: António Monteiro João

Leia mais

Breve introdução ao DNS Uma abordagem prática (aka crash course on DNS :))

Breve introdução ao DNS Uma abordagem prática (aka crash course on DNS :)) Breve introdução ao DNS Uma abordagem prática (aka crash course on DNS :)) Prof. Rossano Pablo Pinto Novembro/2012-v0.3 Abril/2013-v0.5 (em construção) Prof. Rossano Pablo Pinto - http://rossano.pro.br

Leia mais

Configuração de Servidores. 1. Introdução. 1. Introdução. Por Rubens Queiroz de Almeida. Data de Publicação: 14 de Março de 2007

Configuração de Servidores. 1. Introdução. 1. Introdução. Por Rubens Queiroz de Almeida. Data de Publicação: 14 de Março de 2007 1. Introdução Configuração de Servidores Por Rubens Queiroz de Almeida Data de Publicação: 14 de Março de 2007 1. Introdução Os servidores DNS podem ser divididos em três tipos principais: servidores que

Leia mais

Capítulo 5. nome. DNS ( Domain Name System ). O serviço BIND. Um dos serviços mais importantes numa rede TCP/IP é o serviço DNS.

Capítulo 5. nome. DNS ( Domain Name System ). O serviço BIND. Um dos serviços mais importantes numa rede TCP/IP é o serviço DNS. Capítulo 5 DNS ( Domain Name System ). O serviço BIND Um dos serviços mais importantes numa rede TCP/IP é o serviço DNS. Porquê? Porque é muito mais fácil lembrar nomes do que números IP! Exemplo: www.google.pt

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Domain Name System DNS 1 Objectivo / Motivação 2 'What's the use of their having names the Gnat said, 'if they won't answer to them?' Alice no País das Maravilhas Resolução de nomes

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Domain Name System DNS 1 Objectivo / Motivação 2 'What's the use of their having names the Gnat said if they won't answer to them?' Alice no País das Maravilhas Resolução de nomes

Leia mais

Arquitectura de Redes

Arquitectura de Redes Arquitectura de Redes Domain Name System Arq. de Redes - Pedro Brandão - 2004 1 Objectivo / Motivação Resolução de nomes (alfanuméricos) para endereços IPs Será que 66.102.11.99 é mais fácil de decorar

Leia mais

Um dos serviços mais importantes numa rede TCP/IP é o serviço DNS. Porquê? Porque é muito mais fácil lembrar nomes do que números IP!

Um dos serviços mais importantes numa rede TCP/IP é o serviço DNS. Porquê? Porque é muito mais fácil lembrar nomes do que números IP! Capítulo 5 DNS ( Domain Name System ) O serviço BIND Um dos serviços mais importantes numa rede TCP/IP é o serviço DNS Porquê? Porque é muito mais fácil lembrar nomes do que números IP! Exemplo: wwwgooglept

Leia mais

Redes de Computadores II

Redes de Computadores II Redes de Computadores II Prof. Celio Trois portal.redes.ufsm.br/~trois/redes2 DNS - DOMAIN NAME SYSTEM Mecanismo que converte uma string ASCII em endereço de rede (IP) Motivação: No início da ARPANET,

Leia mais

Gestão de Sistemas e Redes

Gestão de Sistemas e Redes Gestão de Sistemas e Redes Domain Name System (DNS) e Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) Paulo Coelho, 2005 1 Visão geral Para que servem os nomes? identificar objectos Ajudar a localizar objectos

Leia mais

DNS Parte 2 - Configuração

DNS Parte 2 - Configuração DNS Parte 2 - Configuração Adriano César Ribeiro (estagiário docente) adrianoribeiro@acmesecurity.org Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Tópicos em Sistemas de Computação 1 Revisão Prof. Dr.

Leia mais

Sistema de Distribuição de Nomes de Domínios (DNS)

Sistema de Distribuição de Nomes de Domínios (DNS) Sistema de Distribuição de Nomes de Domínios (DNS) Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Redes de Computadores Sumário:

Leia mais

Introdução às Redes e Protocolos TCP/IP Sessão nº7. Jorge Gomes jorge@lip.pt

Introdução às Redes e Protocolos TCP/IP Sessão nº7. Jorge Gomes jorge@lip.pt Introdução às Redes e Protocolos TCP/IP Sessão nº7 Jorge Gomes jorge@lip.pt DNS (Domain Name System) Resolução de Nomes Os humanos são melhores com nomes do que com números Memorizar e usar nomes de maquinas

Leia mais

DNS - Domain Name System

DNS - Domain Name System DNS - Domain Name System Converte nome de máquinas para seu endereço IP. Faz o mapeamento de nome para endereço e de endereço para nome. É mais fácil lembramos dos nomes. Internamente, softwares trabalham

Leia mais

Curso de extensão em Administração de serviços GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de serviços GNU/Linux Curso de extensão em Administração de serviços GNU/Linux Italo Valcy - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia Administração

Leia mais

Aula Prática 1. Utilitários de Rede. O utilitário ping

Aula Prática 1. Utilitários de Rede. O utilitário ping Aula Prática 1 Nesta aula, você aprenderá a utilizar alguns utilitários de rede que podem ajudá-lo a identificar problemas na rede ou nos programas que estiver desenvolvendo ao longo do curso. Utilitários

Leia mais

Curso de extensão em Administração de Serviços GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de Serviços GNU/Linux Curso de extensão em Administração de Serviços GNU/Linux Italo Valcy - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia Administração

Leia mais

DNS. Parte 2 - Configuração. Tópicos em Sistemas de Computação 2014. Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org

DNS. Parte 2 - Configuração. Tópicos em Sistemas de Computação 2014. Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org DNS Parte 2 - Configuração Tópicos em Sistemas de Computação 2014 Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Estagiário Docente: Vinícius Oliveira viniciusoliveira@acmesecurity.org 1 Neste

Leia mais

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback

Resolução de nomes. Professor Leonardo Larback Resolução de nomes Professor Leonardo Larback Resolução de nomes A comunicação entre os computadores e demais equipamentos em uma rede TCP/IP é feita através dos respectivos endereços IP. Entretanto, não

Leia mais

edu com org pt ibm sapo cs iscap

edu com org pt ibm sapo cs iscap TEMA Serviços de nomes no Linux TEÓRICA-PRÁTICA 1. Introdução Necessidade de utilizar nomes em vez de endereços IP: Endereços IP são óptimos para os computadores No entanto, para humanos, são difíceis

Leia mais

UM dos protocolos de aplicação mais importantes é o DNS. Para o usuário leigo,

UM dos protocolos de aplicação mais importantes é o DNS. Para o usuário leigo, Laboratório de Redes. Domain Name Service - DNS Pedroso 4 de março de 2009 1 Introdução UM dos protocolos de aplicação mais importantes é o DNS. Para o usuário leigo, problemas com o DNS são interpretados

Leia mais

Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira

Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira Orientador de Curso: Rodrigo Caetano Filgueira Serviço DNS DNS significa Domain Name System (sistema de nomes de domínio). O DNS converte os nomes de máquinas para endereços IPs que todas as máquinas da

Leia mais

Rafael Dantas Justo. Engenheiro de Software

Rafael Dantas Justo. Engenheiro de Software Rafael Dantas Justo Engenheiro de Software DNS Reverso NIC.br DNS? John John Paul John (1) Paul (2) George (3) John (1) Paul (2) George (3) Ringo (4) (8) John (1) Paul (2) (5) (7) (6) George (3) Ringo

Leia mais

DNS - Domain Name System

DNS - Domain Name System 1 of 8 28-07-2011 9:21 DNS - Domain Name System Introdução Componentes dum sistema DNS Zonas e Domínios Resolução DNS Vs. WINS Ferramentas Introdução Na Internet, para que as máquinas possam comunicar

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Domain Name System (DNS) Aula 25 Máquinas na Internet são identificadas por endereços IP Nomes simbólicos são atribuídos a máquinas

Leia mais

Agenda. Introdução ao DNS. O que é DNS? O que é DNS?

Agenda. Introdução ao DNS. O que é DNS? O que é DNS? 1 2 Agenda Rafael Freitas Reale reale@ifba.edu.br http://www.rafaelreale.net Cedido por: Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys O que é DNS? Funcionamento básico Caching Requisição

Leia mais

Relatório do Trabalho Prático nº 1. DNS e DHCP. Documento elaborado pela equipa: Jorge Miguel Morgado Henriques Ricardo Nuno Mendão da Silva

Relatório do Trabalho Prático nº 1. DNS e DHCP. Documento elaborado pela equipa: Jorge Miguel Morgado Henriques Ricardo Nuno Mendão da Silva Relatório do Trabalho Prático nº 1 DNS e DHCP Documento elaborado pela equipa: Jorge Miguel Morgado Henriques Ricardo Nuno Mendão da Silva Data de entrega: 22.10.2006 Indíce Introdução... 2 Configuração

Leia mais

LPI nível 2: Aula 11

LPI nível 2: Aula 11 Décima primeira aula de preparação LPIC-2 TUTORIAL LPI nível 2: Aula 11 Configuração do servidor BIND, criação e manutenção de arquivos de zonas e ferramentas relacionadas. por Luciano Siqueira Irum_Shahid

Leia mais

DNS: Domain Name System

DNS: Domain Name System DNS: Domain Name System O objetivo desta unidade é apresentar o funcionamento de dois importantes serviços de rede: o DNS e o DHCP. O DNS (Domain Name System) é o serviço de nomes usado na Internet. Esse

Leia mais

Serviços de Redes. Servidor DNS (Bind) Professor: Alexssandro Cardoso Antunes

Serviços de Redes. Servidor DNS (Bind) Professor: Alexssandro Cardoso Antunes Serviços de Redes Servidor DNS (Bind) Professor: Alexssandro Cardoso Antunes Atividades Roteiro Objetivos Instalação (projeto) Definições, Características, Vantagens e Hierarquia Clientes, Processo de

Leia mais

Serviços de Directoria

Serviços de Directoria Universidade da Beira Interior Departamento de Informática Unidade Curricular Serviços de Directoria Licenciatura em Tecnologias e Sistemas de Informação Cap. 2 - Sumário ü Domain Name System (DNS) ü Whois

Leia mais

Aula 3 Servidor DNS BIND

Aula 3 Servidor DNS BIND 1 Aula 3 Servidor DNS BIND Um servidor DNS é responsável em responder pelos domínios e direcionar tudo que é relacionado a ele, nele por exemplo pode se apontar onde fica www.dominio.com.br, vai apontar

Leia mais

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9 Slide 1 Slide 2 Redes de Computadores Introdução DNS Domain Name System Módulo 9 EAGS SIN / CAP PD PROF. FILIPE ESTRELA filipe80@gmail.com Ninguém manda uma e-mail para fulano@190.245.123.50 e sim para

Leia mais

Servidor DNS. João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) Fatern 2009.1 1 / 15

Servidor DNS. João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) Fatern 2009.1 1 / 15 Servidor João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) Fatern 2009.1 1 / 15 O que? O que? O que o define Domain Name Server Serviço utilizado para traduzir nomes em endereços IP e vice-versa Baseado em uma hierarquia

Leia mais

Sobre a licença Para cada novo uso ou distribuição, você deve deixar claro para outros os termos da licença desta obra. No caso de criação de obras derivadas, os logotipos do CGI.br, NIC.br, IPv6.br e

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Introdução Inst tituto de Info ormátic ca - UF FRGS Redes de Computadores Domain Name System (DNS) Aula 25 Máquinas na Internet são identificadas por endereços IP Nomes simbólicos são atribuídos a máquinas

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES CAMADA DE APLICAÇÃO Teresa Vazão 2012/2013 IRC - Introdução às Redes de Computadores - LERC/LEE 2 INTRODUÇÃO Internet para todos.. 1979 Tim Burners Lee (invesngador

Leia mais

DNS Ubuntu Server 14.04

DNS Ubuntu Server 14.04 DNS Ubuntu Server 14.04 1. Passo Configuração do servidor (nomes e endereçamentos exemplos) IP: 192.168.0.1 Nome da máquina: professor Nome do domínio: aula.net 2. Passo Instalar pacote DNS #apt-get install

Leia mais

DNS Linux. Rodrigo Gentini gentini@msn.com

DNS Linux. Rodrigo Gentini gentini@msn.com Linux Rodrigo Gentini gentini@msn.com Domain Name System (DNS). O DNS é o serviço de resolução de nomes usado em todas as redes TCP/IP, inclusive pela Internet que, sem dúvidas, é a maior rede TCP/IP existente.

Leia mais

Artigo adaptado do link: http://www.debianfordummies.org/wiki/index.php/dfd_dns_howto

Artigo adaptado do link: http://www.debianfordummies.org/wiki/index.php/dfd_dns_howto Introdução ao DNS Artigo adaptado do link: http://www.debianfordummies.org/wiki/index.php/dfd_dns_howto Boa parte da usabilidade da Internet vem da facilidade que temos para localizar um computador conectado.

Leia mais

FormaçãoIPv6-Maputo. DNS Maputo 27 de Agosto de 2008 Carlos Friaças e Pedro Lorga

FormaçãoIPv6-Maputo. DNS Maputo 27 de Agosto de 2008 Carlos Friaças e Pedro Lorga FormaçãoIPv6-Maputo DNS Maputo 27 de Agosto de 2008 Carlos Friaças e Pedro Lorga DNS Agenda/Índice Registos IPv6 Queries de DNS Delegações Funcionamento Questões Operacionais e Recomendações Software Registos

Leia mais

DNS - Domain Name System

DNS - Domain Name System DNS - Domain Name System IFSC UNIDADE DE SÃO JOSÉ CURSO TÉCNICO SUBSEQUENTE DE TELECOMUNICAÇÕES! Prof. Tomás Grimm DNS Pessoas: muitos identificadores: RG, nome, passporte Internet hosts, roteadores: endereços

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers DNS Parte 1 Linux Network Servers DNS é a abreviatura de Domain Name System. O DNS é um serviço de resolução de nomes. Toda comunicação entre os computadores e demais equipamentos de uma rede baseada no

Leia mais

Administração de Redes 2014/15. Domain Name System (DNS)

Administração de Redes 2014/15. Domain Name System (DNS) Administração de Redes 2014/15 Domain Name System (DNS) 1 Motivação Máquinas trabalham bem com endereços IP Pessoas trabalham melhor com nomes Ninguém quer ter que saber que o servidor web da UP é o 193.137.55.13

Leia mais

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com

Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Configurando DNS Server. Prof. Armando Martins de Souza E-mail: armandomartins.souza@gmail.com Entendendo o DNS É o serviço responsável por: Traduzir nomes em endereços IP (e vice-versa), de um determinado

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2011 Camada de Aplicação

Leia mais

Redes de Computadores LFG TI

Redes de Computadores LFG TI Redes de Computadores LFG TI Prof. Bruno Guilhen Camada de Aplicação Fundamentos Fundamentos Trata os detalhes específicos de cada tipo de aplicação. Mensagens trocadas por cada tipo de aplicação definem

Leia mais

Naming and Addressing The DNS Service

Naming and Addressing The DNS Service Internet Addressing Joao Neves Naming and Addressing The DNS Service Joao.Neves@fe.up.pt João Neves, 2011 1 Naming Systems?!... Like the phones, the network stations must have an address to be reachable!...

Leia mais

BIND Um DNS Server Completo

BIND Um DNS Server Completo BIND Um DNS Server Completo Parque Tecnológico Itaipu (PTI) Missão ITAIPU: Gerar energia elétrica de qualidade, com responsabilidade social e ambiental, impulsionando o desenvolvimento econômico, turístico

Leia mais

Configurando servidor de DNS no CentOS O Domain Name System Sistema de Nomes de Domínio é de fundamental importância em uma rede.

Configurando servidor de DNS no CentOS O Domain Name System Sistema de Nomes de Domínio é de fundamental importância em uma rede. Configurando servidor de DNS no CentOS O Domain Name System Sistema de Nomes de Domínio é de fundamental importância em uma rede. O DNS é um sistema hierárquico em árvore invertida. Tem como origem o ponto

Leia mais

DNS Domain Name System

DNS Domain Name System DNS Domain Name System Prof. José Gonçalves Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br DNS - Domain Name System O DNS é um sistema de nomes cujo objetivo primário é mapear, em escala global, nomes

Leia mais

Sistemas de Nomes Hierarquicos: DNS

Sistemas de Nomes Hierarquicos: DNS Sistemas de Nomes Hierarquicos: DNS April 19, 2010 Sumário O Problema DNS: Um Serviço de Nomes Hierárquico Resource Records Resolução de Nomes Aspectos de Implementaçao Leitura Adicional Nomes DNS e Endereços

Leia mais

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08

Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 Formação IPv6 Maputo Moçambique 26 Agosto 29 Agosto 08 DNS Pedro Lorga (lorga@fccn.pt) Carlos Friaças (cfriacas@fccn.pt) Exercício Prático: DNS Objectivos Neste exercício completará as seguintes tarefas:

Leia mais

Prof. José Gonçalves. Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br

Prof. José Gonçalves. Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br DNS Domain Name System Prof. José Gonçalves Departamento de Informática UFES zegonc@inf.ufes.br DNS - Domain Name System O DNS é um sistema de nomes cujo objetivo primário é mapear, em escala global, nomes

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores Capítulo 2.5 - DNS Prof. Jó Ueyama Março/2014 1 DNS: Domain Name System Pessoas: muitos identificadores: RG, nome, passaporte. Hosts e roteadores na Internet: endereços IP (32 bits)

Leia mais

Configuração de um servidor DNS. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática

Configuração de um servidor DNS. Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração de um servidor DNS Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática Configuração DNS O servidor DNS usado é o BIND versão 9. Para configuração do servidor DNS, deve-se acessar os arquivos de

Leia mais

Serviços. Arquitectura Cliente-Servidor DNS DHCP TELNET FTP HTTP (WWW) E-Mail SNMP

Serviços. Arquitectura Cliente-Servidor DNS DHCP TELNET FTP HTTP (WWW) E-Mail SNMP Serviços Arquitectura Cliente-Servidor DNS DHCP TELNET FTP HTTP (WWW) E-Mail SNMP Modelo cliente - servidor Os protocolos de transporte: Estabelecem ligações ponto-a-ponto; Não definem relações master/slave.

Leia mais

Disciplina: Redes de Computadores Professor Jéfer Benedett Dörr

Disciplina: Redes de Computadores Professor Jéfer Benedett Dörr Disciplina: Redes de Computadores Professor Jéfer Benedett Dörr Prática: Utilitários de Rede prof.jefer@gmail.com Introdução Este trabalho tem como objectivo familiarizar os alunos com protocolos e equipamentos

Leia mais

Rafael Goulart - rafaelgou@gmail.com Curso ASLinux v.3

Rafael Goulart - rafaelgou@gmail.com Curso ASLinux v.3 Conceito Serviço que traduz RESOLVE nomes de máquinas para endereços IP e endereços IP para nomes de máquina. É um sistema hierárquico e descentralizado/distribuído. Simplifica a administração do complexo

Leia mais

Vítor Vaz da Silva H-1

Vítor Vaz da Silva H-1 O DNS (Domain Name System) é um serviço de resolução de nomes. Embora cada programa pudesse referir os utilizadors por números é difícil para os humanos terem presente em memória todos os endereços que

Leia mais

Configuração do Servidor DNS. Mcedit /etc/named.conf. mkdir /var/named/estudolinux cp /var/named/* estudolinux

Configuração do Servidor DNS. Mcedit /etc/named.conf. mkdir /var/named/estudolinux cp /var/named/* estudolinux Configuração do Servidor DNS Mcedit /etc/named.conf mkdir /var/named/estudolinux cp /var/named/* estudolinux Configurando o Bind no Slackware 10 ::: Bind / Named Enviado por: Geyson Rogério L. Silva Data:

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Sistema Operacional Linux > Servidor DNS (BIND) www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução O DNS é um dos serviços mais importantes na Internet porque

Leia mais

Introdução ao DNS. Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys. Laboratório de Sistemas Integráveis http://www.lsi.usp.

Introdução ao DNS. Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys. Laboratório de Sistemas Integráveis http://www.lsi.usp. 1 Introdução ao DNS Volnys Borges Bernal volnys@lsi.usp.br http://www.lsi.usp.br/~volnys Laboratório de Sistemas Integráveis http://www.lsi.usp.br/ 2 Agenda O que é DNS? Servidores DNS Requisição DNS Caching

Leia mais

Agenda. Introdução ao DNS. O que é DNS? O que é DNS? O que é DNS? Funcionamento básico

Agenda. Introdução ao DNS. O que é DNS? O que é DNS? O que é DNS? Funcionamento básico 1 2 Agenda Volnys Borges Bernal volnys@uspbr O que é DNS? Caching Laboratório de Sistemas Integráveis http://wwwuspbr/ 3 4 O que é DNS? O que é DNS? Domain Name System Serviço que permite a resolução de

Leia mais

Referência de registros de recursos

Referência de registros de recursos Referência de registros de recursos 6 de 6 pessoas classificaram isso como útil Referência de registros de recursos Um banco de dados DNS consiste em um ou mais arquivos de zona usados pelo servidor DNS.

Leia mais

Serviço DNS no PoP-SC

Serviço DNS no PoP-SC Ponto de Presença da RNP em Santa Catarina Rede Metropolitana de Educação e Pesquisa da Região de Florianópolis 04 e 05 Outubro/2012 Serviço DNS no PoP-SC Rodrigo Pescador PoP-SC/RNP Organização: Apoio:

Leia mais

Laboratório 3. Configurando o Serviço DNS

Laboratório 3. Configurando o Serviço DNS Neste laboratório iremos falar sobre o serviço DNS (Domain Name System). O DNS é um sistema de gerenciamento de nomes hierárquico e distríbuido visando resolver nomes de domínio em endereços de rede IP.

Leia mais

Agenda. Introdução ao DNS. O que é DNS? O que é DNS? O que é DNS? Funcionamento básico

Agenda. Introdução ao DNS. O que é DNS? O que é DNS? O que é DNS? Funcionamento básico 1 2 Agenda Volnys Borges Bernal volnys@lsiuspbr O que é DNS? Caching Laboratório de Sistemas Integráveis http://wwwlsiuspbr/ 3 4 O que é DNS? O que é DNS? Domain Name System Serviço que permite a resolução

Leia mais

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM)

FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) FUNDAÇÃO DE ESTUDOS SOCIAIS DO PARANÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DNS (DOMAIN NAME SYSTEM) CURITIBA 2006 GUILHERME DE SOUZA JEAN THIAGO MASCHIO

Leia mais

Funcionamento da Internet

Funcionamento da Internet Funcionamento da Internet O protocolo TCP/IP Cada computador tem um Endereço IP 194.65.3.21, 193.136.215.226, 62.48.168.135 4 números entre 0 e 255 = 4 Bytes = 32 bits decimal: 150.215.17.9 binário: 10010110.11010111.00010001.00001001

Leia mais

GNU/Linux Debian Servidor DNS

GNU/Linux Debian Servidor DNS GNU/Linux Debian Servidor DNS Neste tutorial, será apresentado a configuração do serviço de rede DNS (Domain Name System) utilizando o sistema operacional GNU/Linux, distribuição Debian 7.5. Antes de começamos

Leia mais

Workshop DNSSEC. Para responsáveis técnicos de domínios sob.pt. Sara Monteiro 11 de Fevereiro de 2010

Workshop DNSSEC. Para responsáveis técnicos de domínios sob.pt. Sara Monteiro 11 de Fevereiro de 2010 Workshop DNSSEC Para responsáveis técnicos de domínios sob.pt Sara Monteiro 11 de Fevereiro de 2010 Requisitos Conhecimentos de DNS, portátil com ligação à rede por cabo, cliente SSH, configuração DHCP,

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM GESTÃO DE SISTEMAS E REDES DOMAIN NAME SYSTEM OUTLINE DOMAIN NAME SYSTEM NOMES DE DOMINIO CONSULTAS DNS SERVIDORES DE NOMES NAVEGAÇÃO E CONSULTA REGISTO DE RECURSOS O DNS é um serviço de nomes, normalizado

Leia mais

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP

Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Módulo 9 Conjunto de Protocolos TCP/IP e endereçamento IP Introdução ao TCP/IP 2 Modelo TCP/IP O Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DoD) desenvolveu o modelo de

Leia mais

Universidade Católica de Brasília Pró-reitoria de Graduação Curso de Ciência da Computação

Universidade Católica de Brasília Pró-reitoria de Graduação Curso de Ciência da Computação Universidade Católica de Brasília Pró-reitoria de Graduação Curso de Ciência da Computação INTRODUÇÃO 6 LABORATÓRIO DE REDES DE COMPUTADORES Serviços Básicos de Rede DNS Para o correto funcionamento de

Leia mais

Neste apêndice mostraremos o que é e como funciona o serviço de nomes de domínio.

Neste apêndice mostraremos o que é e como funciona o serviço de nomes de domínio. APÊNDICE 10 Neste apêndice mostraremos o que é e como funciona o serviço de nomes de domínio. Infelizmente, informações sobre características mais avançadas não serão encontradas aqui. Para mais informações

Leia mais

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux

Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Redes de Computadores Protocolos, DNS, DHCP, Ethereal e comandos em Linux Escola Superior de Tecnologia e Gestão Instituto Politécnico de Bragança Março de 2006 Endereços e nomes Quaisquer duas estações

Leia mais

RELATÓRIO DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS APLICATIVOS BIND E POSTFIX

RELATÓRIO DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS APLICATIVOS BIND E POSTFIX RELATÓRIO DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS APLICATIVOS BIND E POSTFIX EDFRANCIS PEREIRA MARQUES SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO V INTRODUÇÃO NESTE RELATÓRIO VEREMOS A IMPORTÂNCIA DE CONHECER CADA COMANDO EXECUTADO,

Leia mais

Firewalls e DNS. Como e por que configurar corretamente. Hugo Koji Kobayashi. Registro.br. 30 de Junho de 2007 1/24

Firewalls e DNS. Como e por que configurar corretamente. Hugo Koji Kobayashi. Registro.br. 30 de Junho de 2007 1/24 Firewalls e DNS Como e por que configurar corretamente Hugo Koji Kobayashi Registro.br 30 de Junho de 2007 1/24 Agenda Principais características do protocolo DNS original Extension Mechanisms for DNS

Leia mais

LAB06 Configuração de um servidor de DNS Aplicação nslookup. Servidor BIND.

LAB06 Configuração de um servidor de DNS Aplicação nslookup. Servidor BIND. LAB06 Configuração de um servidor de DNS Aplicação nslookup Servidor BIND A Configuração de um PC como cliente de um servidor de DNS O ficheiro que define qual o(s) servidor(es) de DNS do domínio local

Leia mais

DNS: Domain Name System DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol. Edgard Jamhour

DNS: Domain Name System DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol. Edgard Jamhour DNS: Domain Name System DHCP: Dynamic Host Configuration Protocol Serviço DNS: Domain Name System nome - ip nome - ip Nome? IP nome - ip nome - ip Árvore de nomes br RAIZ br pucpr ufpr Pucpr Ufpr ppgia

Leia mais

Capitulo 4: DNS (BIND)

Capitulo 4: DNS (BIND) Por Eduardo Scarpellini odraude@usa.com Capitulo 4: DS (BID) 4.1 do HOSTS.TXT ao DS a década de 70, a ARPAnet era uma pequena rede de algumas centenas de computadores. Um único arquivo, chamado HOSTS.TXT,

Leia mais

Protocolo DHCP. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores

Protocolo DHCP. Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Protocolo DHCP Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Departamento de Engenharia de Electrónica e Telecomunicações e de Computadores Redes de Computadores Motivação Obtenção dos parâmetros de configuração

Leia mais

Prática DNS. Edgard Jamhour

Prática DNS. Edgard Jamhour Prática DNS Edgard Jamhour Exercícios práticos sobre DNS. Esse roteiro de prática inclui apenas aspectos básicos de configuração desses serviços. Apenas esses aspectos básicos é que serão cobrados em relatório.

Leia mais

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES

INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES INTRODUÇÃO ÀS REDES DE COMPUTADORES CAMADA DE APLICAÇÃO Teresa Vazão 2 INTRODUÇÃO Internet para todos.. 1979 Tim Burners Lee (invesngador do CERN): Inventor do conceito de navegação por hyper- texto 25

Leia mais

Instalação e Configuração Servidor DNS

Instalação e Configuração Servidor DNS Instalação e Configuração Servidor DNS Instalação e Configuração Servidor DNS Passo Nº 1 Conferir o nome da máquina ( já configurado no passo Servidor Configuração DHCP ). # nano /etc/hostname Passo Nº

Leia mais

Trabalho de laboratório sobre DNS

Trabalho de laboratório sobre DNS Trabalho de laboratório sobre DNS Redes de Computadores I - 2006/2007 LEIC - Tagus Park Semana de 2 a 6 de Outubro 1 Introdução O objectivo desta aula é a familiarização com conceitos básicos do protocolo

Leia mais

Configuração de DNS em Windows Servidor 2008

Configuração de DNS em Windows Servidor 2008 Reflexão Turma S-12-ano lectivo-2010-1011 Formador-João Afonso Formando-Pedro Gonçalves 14 Unidade: 14 Configuração de DNS em Windows Servidor 2008 Instalar o DNS 1. Abra o Servidor Manager Start\Administrative

Leia mais

Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma

Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma -SDR LINUX ADMINISTRAÇÃO DNS significa (sistema de nomes

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA. DNS Domain Name System. por

UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA. DNS Domain Name System. por UNIVERSIDADE CATÓLICA DO SALVADOR INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS CURSO DE BACHARELADO EM INFORMÁTICA DNS Domain Name System por Jamil Belo Luciano Pedreira Prof. Marco Câmara Disciplina: Teleprocessamento

Leia mais

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL

HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL REDES DE COMPUTADORES Prof. Esp. Fabiano Taguchi http://fabianotaguchi.wordpress.com fabianotaguchi@gmail.com HYPERTEXT TRANSFER PROTOCOL 1 HTTP Uma página WWW é composta de objetos e endereçado por uma

Leia mais

4 Serviços de Aplicação

4 Serviços de Aplicação 4 Serviços de Aplicação A existência de um suporte de comunicação permite a interligação de diversos dispositivos e também a disponibilização de diversas aplicações que adicionam funcionalidades ao sistema.

Leia mais

Segurança Computacional SEGC-04 - Análise de Protocolos

Segurança Computacional SEGC-04 - Análise de Protocolos Paulo Lício de Geus SEGC-04 - Análise de Protocolos 25 de junho de 2010 1 / 38 1 de 38 Segurança Computacional SEGC-04 - Análise de Protocolos Paulo Lício de Geus LAS-IC-Unicamp Laboratório de Administração

Leia mais

Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 3 - DNS

Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 3 - DNS Projeto e Instalação de Servidores Servidores Linux Aula 3 - DNS Prof.: Roberto Franciscatto Introdução O que é? Domain Name Server Introdução Domain Name Server Base de dados distribuída Root Servers

Leia mais

CONFIGURAÇÕES DE SERVIDORES DE CORREIO ELECTRÓNICO

CONFIGURAÇÕES DE SERVIDORES DE CORREIO ELECTRÓNICO CONFIGURAÇÕES DE SERVIDORES DE CORREIO ELECTRÓNICO Pedro Vale Pinheiro 1, Mário Bernardes 2 Centro de Informática da Universidade de Coimbra 3000 COIMBRA vapi@student.dei.uc.pt, mjb@ci.uc.pt Sumário Este

Leia mais

FormaçãoIPv6-RCTS. Componente Prática Parte I

FormaçãoIPv6-RCTS. Componente Prática Parte I FormaçãoIPv6-RCTS Componente Prática Parte I Parte I Introdução, Endereçamento, Autoconfiguração e DNS Prática #1 Visitar o site: http://ipv6-tracker.fccn.pt Verificar instituições com dados inseridos

Leia mais

Configuração de DNS Reverso

Configuração de DNS Reverso Configuração de DNS Reverso Nos casos em que os serviços fornecidos pela Brasil Telecom exigirem configurações de DNS Reverso, estas serão executadas de forma centralizada pelo CNRS em Brasília. As solicitações

Leia mais

DNS e Serviço de Nomes. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviço de Redes

DNS e Serviço de Nomes. Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviço de Redes Campus Cachoeiro Curso Técnico em Informática DNS e Serviço de Nomes Professor: João Paulo de Brito Gonçalves Disciplina: Serviço de Redes Pontos importantes Nomes (Ex: URLs) são ligados a objetos (Ex:

Leia mais

Resolução de Nomes e Endereços

Resolução de Nomes e Endereços Resolução de Nomes e Endereços MC833 Programação em Redes de Computadores Instituto de Computação UNICAMP Carlos A. Astudillo Trujillo Roteiro 1.Noção sobre nomes e funcionamento do DNS 2.Funções para

Leia mais