PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Ivan Lira de Carvalho (convocado)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Ivan Lira de Carvalho (convocado)"

Transcrição

1 APELAÇÃO CRIMINAL Nº CE ( ) APTE : FRANCISCO CARLOS MARTINS BARBOSA ADV/PROC : BALTAZAR PEREIRA DA SILVA JUNIOR E OUTROS APTE : ESPEDITO JOSÉ PEREIRA ADV/PROC : LUIS ÁTILA DE HOLANDA BEZERRA FILHO E OUTROS APTE : MARIA CARMÉLIA PEREIRA D'ALENCAR ADV/PROC : JOSE MOREIRA LIMA JUNIOR E OUTRO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 11ª VARA FEDERAL DO CEARÁ RELATOR : DES. FEDERAL IVAN LIRA DE CARVALHO (CONVOCADO) RELATÓRIO O Exmº Des. Federal IVAN LIRA DE CARVALHO (Relator Convocado): Cuida-se de apelações interpostas contra sentença de fls. 223/245, proferida em 13 de março de 2013, que julgou procedente a denúncia para condenar Francisco Carlos Martins Barbosa, Espedito José Pereira e Maria Carmélia Pereira D'Alencar, pelo cometimento do capitulado no art. 171, 3º, do Código Penal c/c arts. 1º e 3º da Lei nº 7.134/1983, os dois primeiros às penas de 3 (três) anos e 4 (quatro) meses de reclusão e de 30 (trinta) dias-multa, cada qual valorado em 1/2 (metade) do salário mínimo e, a última, às penas de 3 (três) anos e 10 (dez) meses de reclusão e de 20 (vinte) dias-multa, cada qual valorado em 1 (um) salário mínimo, substituídas as penas privativas de liberdade impostas individualmente por duas restritivas de direitos consistentes, para todos, em prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas e em prestação pecuniária. Diz a denúncia (fls. 3/10) que em auditoria realizada pela Secretaria de Controle Externo, do Tribunal de Contas da União no Ceará, na Associação Beneficente Cearense de Reabilitação(ABCR) foram constatados procedimentos fraudulentos com relação às notas fiscais emitidas para aquisição de cadeiras de rodas com recursos de convênio celebrado com o Fundo Nacional de Saúde (FNS), ali se verificando que as datas de emissão das notas fiscais por parte da empresa Cave Comércio de Material Hospitalar Ltda., responsável por vender e entregar o material à ABCR, seriam anteriores à data de Autorização para Impressão de Documentos Fiscais (AIDF), no caso teriam sido emitidas entre os dias 3 de janeiro a 12 de maio de 2006 quando a AIDF referente às notas fiscais data de 8 de setembro de Acrescenta que Francisco Carlos Martins Barbosa consta como sóciogerente da pessoa jurídica, sendo-lhe designada a administração isolada; Espedito José Pereira como seu contador; e Maria Carmélia Pereira D'Alencar a presidente da ABCR à época dos fatos. Recebida a denúncia em 9 de maio de 2012 (fls. 11/12). ACR10171-CE/15 1

2 Nos apelos carreados aos autos aduzem, em síntese, que não restou configurado o delito de estelionato, por ausência do dolo, cabia à empresa a plena e exclusiva responsabilidade pela regular emissão das notas fiscais, ausência de comprovação da participação no crime imputado e, subsidiariamente, fixar a pena no mínimo legal (Maria Carmélia Pereira D'Alencar - fls. 273/296); ausência de prova da malversação dos recursos públicos e haver emitido as notas fiscais por determinação do representante legal da pessoa jurídica, onde prestava serviços (Espedito José Pereira - fls. 316/324); e que laudo pericial comprovou não ser sua a grafia constante nas notas fiscais apontadas como "frias"; ausência de comprovação da autoria do crime, mas tão somente da utilização de blocos de notas fiscais da empresa para o cometimento do crime imputado e. subsidiariamente, fixar a pena no mínimo legal (Francisco Carlos Martins Barbosa - fls. 329/331). Contrarrazões às fls. 300/306 e 338/344, pela negativa de provimento aos recursos interpostos. Subiram os autos, sendo conclusos por força de distribuição, em 7 de maio de 2013, ao Des. Federal Fernando Braga. O Parquet Federal, em parecer de fls. 349/359, opina no sentido de serem desprovidos os apelos. Vêm os autos, agora, em 9 de abril de 2015, a mim redistribuídos por sucessão, em um acervo superior a (quatro mil) processos, dos quais mais de duzentos em matéria penal, diante da sua posse na mesa diretora deste eg. Regional para o biênio 2015/2017. É o relatório. À revisão. ACR10171-CE/15 2

3 APELAÇÃO CRIMINAL Nº CE ( ) APTE : FRANCISCO CARLOS MARTINS BARBOSA ADV/PROC : BALTAZAR PEREIRA DA SILVA JUNIOR E OUTROS APTE : ESPEDITO JOSÉ PEREIRA ADV/PROC : LUIS ÁTILA DE HOLANDA BEZERRA FILHO E OUTROS APTE : MARIA CARMÉLIA PEREIRA D'ALENCAR ADV/PROC : JOSE MOREIRA LIMA JUNIOR E OUTRO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 11ª VARA FEDERAL DO CEARÁ RELATOR : DES. FEDERAL IVAN LIRA DE CARVALHO (CONVOCADO) VOTO O Exmº Des. Federal IVAN LIRA DE CARVALHO (Relator Convocado): Noticia a denúncia em auditoria realizada pela Secretaria de Controle Externo, do Tribunal de Contas da União no Ceará, na Associação Beneficente Cearense de Reabilitação(ABCR) foram constatados procedimentos fraudulentos com relação às notas fiscais emitidas para aquisição de cadeiras de rodas com recursos de convênio celebrado com o Fundo Nacional de Saúde (FNS), ali se verificando que as datas de emissão das notas fiscais por parte da empresa Cave Comércio de Material Hospitalar Ltda., responsável por vender e entregar o material à ABCR, seriam anteriores à data de Autorização para Impressão de Documentos Fiscais (AIDF), no caso teriam sido emitidas entre os dias 3 de janeiro a 12 de maio de 2006 quando a AIDF referente às notas fiscais data de 8 de setembro de 2006, imputando a Francisco Carlos Martins Barbosa, sócio-gerente e administrador da empresa suso referida, a Espedito José Pereira, contador da mesma, e Maria Carmélia Pereira D'Alencar, então presidente da ABCR, as sanções do art. 171, 3º, do Código Penal, restando eles, ao final, condenados, pelos crimes do art. 171, 3º, do Código Penal c/c arts. 1º e 3º da Lei nº 7.134/1983, os dois primeiros às penas de 3 (três) anos e 4 (quatro) meses de reclusão e de 30 (trinta) dias-multa, cada qual valorado em 1/2 (metade) do salário mínimo e, a última, às penas de 3 (três) anos e 10 (dez) meses de reclusão e de 20 (vinte) dias-multa, cada qual valorado em 1 (um) salário mínimo, substituídas as penas privativas de liberdade impostas individualmente por duas restritivas de direitos consistentes, para todos, em prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas e em prestação pecuniária. Em seus apelos aduzem, em síntese, que não restou configurado o delito de estelionato, por ausência do dolo, cabia à empresa a plena e exclusiva responsabilidade pela regular emissão das notas fiscais, ausência de comprovação da participação no crime imputado e, subsidiariamente, fixar a pena no mínimo legal (Maria Carmélia Pereira D'Alencar - fls. 273/296); ausência de prova da malversação dos recursos públicos e haver emitido as notas fiscais por determinação do representante legal da pessoa jurídica, onde prestava serviços (Espedito José Pereira - fls. 316/324); e que ACR10171-CE/15 3

4 laudo pericial comprovou não ser sua a grafia constante nas notas fiscais apontadas como "frias"; ausência de comprovação da autoria do crime, mas tão somente da utilização de blocos de notas fiscais da empresa para o cometimento do crime imputado e. subsidiariamente, fixar a pena no mínimo legal (Francisco Carlos Martins Barbosa - fls. 329/331). Antes de apreciar o mérito dos apelos formulados, necessária a análise de eventual ocorrência da prescrição da pretensão punitiva, notadamente ao se considerar que a corré Maria Carmélia Pereira D'Alencar, à época da prolação da sentença, em 13 de março de 2013, contava com idade superior a 70 (setenta) anos, eis que nascida em 13 de abril de 1940, e, assim, incidir a hipótese do art. 115 do Código Penal para se observar o prazo prescricional pela metade. Fixada a ela pena privativa de liberdade em 3 (três) anos e 10 (dez) meses, verificar-se-á a ocorrência da prescrição na forma do art. 109, IV, c/c art. 115, ambos do Código Penal, ou seja, se decorridos 4 (quatro) anos entre os marcos regulatórios, o que se constata entre as datas do fato (observando-se que a auditoria remonta ao ano de 2007) e do recebimento da denúncia (9 de maio de 2012), acrescentando-se ser inaplicável ao caso concreto a Lei nº /2010, por posterior ao fato delituoso e em prejuízo da parte ré. Posto isso, declaro extinta a punibilidade, pela ocorrência da prescrição da pretensão punitiva, a teor do art. 107, IV, c/c arts. 109, IV, e 115, todos do Código Penal, em relação à apelante Maria Carmélia Pereira D'Alencar, e julgo prejudicada a apelação por ela interposta. Em relação aos corréus Francisco Carlos Martins Barbosa e Espedito José Pereira, aos quais não incide a hipótese do art. 115 do Código Penal e, assim, pelas penas a eles fixadas, ambos em 3 (três) anos e 4 (quatro) meses de reclusão, observar-se na sua inteireza o lapso previsto no art. 109, IV, do Código Penal, ou seja, de 8 (oito) anos, não se verifica haver sido superado em qualquer dos intervalos, pelo que passo à apreciação dos apelos por eles manejados. 238/241): Para o deslinde da questão colho os seguintes excertos da sentença (fls. (...) observa-se que FRANCISCO CARLOS MARTINS BARBOSA e ESPEDITO JOSÉ PEREIRA atribuem reciprocamente a responsabilidade pelos fatos delitivos em questão, senão vejamos: a) FRANCISCO CARLOS afirmou que as notas fiscais fraudulentas estavam em poder do seu contador,espedito JOSÉ PEREIRA, sendo por ele emitidas sem sua autorização e prévio conhecimento. Este, por sua vez, admitiu tê-las emitido, mas que assim o fez a mando de FRANCISCO CARLOS; b) FRANCISCO CARLOS alega que os livros contábeis foram extraviados pelo contador/corréu ESPEDITO JOSÉ PEREIRA, fato por ACR10171-CE/15 4

5 este negado, inclusive afirmando não ser verdade que guardasse blocos de notas da empresa de FRANCISCO CARLOS em seu escritório. Observa-se no depoimento de FRANCISCO CARLOS MARTINS que o mesmo entra em contradição, senão vejamos. Como explicar que, apesar de familiar e de pequeno porte, sua empresa tinha intensa movimentação, chegando a vender cerca de R$ ,00 (cem mil reais) mensais em 2006, o que daria um faturamento brito naquele ano em torno de R$ ,00 (um milhão e duzentos mil reais)? Em sendo assim, como explicar o encerramento da CAVE COMÉRCIO DE MATERIAL HOSPITALAR LTDA. em razão da aplicação pelo órgão fazendário local de multa de aproximadamente R$ ,00 - inexpressiva ante o alegado faturamento -, em decorrência do extravio da documentação contábil e fiscal daquela empresa atribuído a ESPEDITO JOSÉ PEREIRA? Se realmente ESPEDITO JOSÉ PEREIRA foi o responsável pela perda da documentação que resultou, inclusive, no encerramento das atividades da CAVE, por que FRANCISCO CARLOS não procurou as medidas judiciais cabíveis? No tocante à conduta de ESPEDITO, pergunta-se: se ele sabia que a empresa de FRANCISCO CARLOS não tinha estoque de mercadorias, como anuir em emitir notas fiscais, não sequenciadas, todas em favor da ABCR, representativas de uma comercialização de um total de 160 (cento e sessenta) cadeiras de rodas, sem sequer desconfiar da idoneidade de tais transações, mesmo sendo um experiente técnico em contabilidade? Em não sendo proprietário das mercadorias (cadeiras de rodas), também não constando procuração da CAVE/contribuinte, por que emiti-las? A tais questionamentos não se pode chegar ilação outra senão a de que tanto FRANCISCO CARLOS MARTINS BARBOSA quanto ESPEDIDO JOSÉ PEREIRA participaram da fraude mediante a emissão de notas fiscais "frias", utilizadas pela corré MARIA PEREIRA D'ALENCAR para justificar a compra de cadeiras de rodas em face do Convênio nº 5631/2003 firmado entre a ABCR e FNS, restando patente que os recursos oriundos do citado Convênio foram utilizados para obtenção de vantagem ilícita, em prejuízo do erário público. A propósito, confira-se o depoimento da testemunha de defesa, JOSÉ RIBAMAR SANTOS DE RESENDE, de onde extraio os seguintes excertos (fls. 122/123): "QUE a CAVE funcionava na casa de FRANCISCO CARLOS, sendo pequena; que nunca viu cadeira de rodas na empresa; que desconhece qualquer fato que desabone a conduta do réu, tendo-o como pessoa honesta e trabalhadora; que esteve no escritório de ESPEDITO em companhia de FRANCISCO CARLOS para requerer cópias de documentos necessários à expedição de certidão negativa; que aparentemente, a documentação da CAVE ficava no escritório de ESPEDITO; QUE realizou as transações com a CAVE diretamente com FRANCISCO CARLOS, sem a intervenção de ESPEDIDO; que pelo que se recorda, os documentos recolhidos no escritório de ESPEDITO correspondiam à certidão negativa, contrato social e alvará; que FRANCISCO CARLOS entregava as mercadorias ACR10171-CE/15 5

6 diretamente aos hospitais, cabendo-lhe a emissão das notas; que pelo que se recorda o escritório de ESPEDITO era de dimensões correspondentes à desta sala de audiências; que não sabe dizer quais os documentos da empresa CAVE estavam em poder do contador; QUE nunca viu cadeiras de rodas na empresa,e o espaço físico era muito pequeno; QUE dos réus, conhece FRANCISCO CARLOS, da empresa CAVE, e ESPEDITO, esclarecendo que esteve uma vez junto com FRANCISCO CARLOS no escritório de ESPEDITO; que a empresa CAVE encerrou suas atividades, salvo engano em 2008; que já realizou algumas vendas de matérias médico-hospitalares descartáveis para a empresa CAVE; que não teve qualquer problema com tais vendas; que nada sabe sobre os fatos narrados na denúncia." (grifo nosso). Por fim, tem-se que os fatos delitivos em questão melhor se amoldam, em face do princípio da especialidade, ao previsto no art. 3º c/c o art. 1º da Lei nº 7.134/83 c/c art. 171, 3º, do Código Penal, este apenas em relação às penas da conduta delituosa. Não se trata de aplicação ao presente caso do próprio tipo penal do estelionato, mas do tipo penal próprio previsto nos dispositivos da Lei nº 7.134/83, apenas com a sujeição da respectiva conduta criminosa às mesmas penas do crime de estelionato. Nessa hipótese, estaria prejudicada a alegação da defesa do acusado ESPEDITO JOSÉ PEREIRA, em sede de memoriais, quanto à ausência de prova das elementares do tipo penal do estelionato, mais especificamente na obtenção de vantagem indevida, pois o crime previsto no art. 3º c/c art. 1º da Lei nº 7.134/83 não exige a presença dessas elementares, sendo suficiente à caracterização a ausência de prova de que as verbas do convênio foram aplicadas nas finalidades pretendidas (...). Como visto, o corréu Espedito José Pereira admitiu que emitiu as notas fiscais em comento, contudo a mando do corréu Francisco Carlos Martins Barbosa, sócio administrador da empresa Cave Comércio de Material Hospitalar Ltda. Tal situação é inusual, não cabendo ao contador da empresa a emissão de notas fiscais, tarefa essa cotidiana dos prepostos da empresa quando das operações de venda. Contudo, por ser conhecedor da situação da empresa da qual era contador tinha ele ciência da impossibilidade da aludida venda, em significativo volume de 160 (cento e sessenta) cadeiras de rodas, ou seja, tinha consciência da inexistência do estoque. E, no que se refere ao corréu Francisco Carlos Martins Barbosa, diante do pequeno porte da empresa que administrava, não há como afastar o conhecimento do seu cotidiano ou mesmo de haver o contador se apossado das aludidas notas fiscais sem que viesse a saber ou a dar falta das mesmas. Por fim, no que diz respeito ao pedido subsidiário constante do apelo formulado por Francisco Carlos de ver fixada a pena no patamar mínimo, não se apercebe um necessário suporte ao seu atendimento, tendo em vista pesar em seu desfavor os motivos, as circunstâncias e as consequências do crime, como expendido na sentença recorrida, por visar à obtenção de dinheiro fácil em detrimento do erário, ACR10171-CE/15 6

7 frustrar interesse público de regular aplicação de verbas que se destinavam à distribuição de cadeiras de rodas às pessoas carentes mediante notas fiscais fraudulentas e, com a conduta perpetrada, permitir que um considerável número de cidadãos deixasse de se beneficiar com os equipamentos a eles destinados. Posto isso, nego provimento aos apelos formulados por Francisco Carlos Martins Barbosa e Espedito José Pereira. É como voto. ACR10171-CE/15 7

8 ACR10171-CE/15 8

9 APELAÇÃO CRIMINAL Nº CE ( ) APTE : FRANCISCO CARLOS MARTINS BARBOSA ADV/PROC : BALTAZAR PEREIRA DA SILVA JUNIOR E OUTROS APTE : ESPEDITO JOSÉ PEREIRA ADV/PROC : LUIS ÁTILA DE HOLANDA BEZERRA FILHO E OUTROS APTE : MARIA CARMÉLIA PEREIRA D'ALENCAR ADV/PROC : JOSE MOREIRA LIMA JUNIOR E OUTRO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 11ª VARA FEDERAL DO CEARÁ RELATOR : DES. FEDERAL IVAN LIRA DE CARVALHO (CONVOCADO) EMENTA: PENAL E PROCESSUAL PENAL. ESTELIONATO MAJORADO. ART. 171, 3º, DO CÓDIGO PENAL. PROCEDIMENTO FRAUDULENTO DE EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS PARA AQUISIÇÃO DE CADEIRAS DE RODAS COM RECURSOS PROVENIENTES DO FUNDO NACIONAL DE SAÚDE. APELANTE COM IDADE SUPERIOR A 70 (SETENTA) ANOS QUANDO DA PROLAÇÃO DA SENTENÇA. BENESSE DO ART. 115 DO CÓDIGO PENAL. PRAZO PRESCRICIONAL PELA METADE. PENA FIXADA EM 3 (TRÊS) ANOS E 10 (DEZ) MESES DE RECLUSÃO. HIPÓTESE DO ART. 109, IV, DO CÓDIGO PENAL. DECURSO DE LAPSO SUPERIOR ENTRE AS DATAS DO FATO E DO RECEBIMENTO DA DENÚNCIA. INAPLICABILIDADE DA LEI Nº /2010, POR POSTERIOR AOS FATOS E EM PREJUÍZO À PARTE RÉ. EXTINÇÃO DA PUNIBILIDADE PELA OCORRÊNCIA DA PRESCRIÇÃO QUANTO À CORRÉ SEPTUAGENÁRIA. APELAÇÃO POR ELA INTERPOSTA PREJUDICADA. AUTORIA DELITIVA COMPROVADA. DOSIMETRIA. PENA-BASE NO MÍNIMO LEGAL. PRESENÇA DE CIRCUNSTÂNCIAS JUDICIAIS DO ART. 59 DO CÓDIGO PENAL EM DESFAVOR DO CORRÉU. IMPOSSIBILIDADE. APELAÇÃO DOS CORRÉUS IMPROVIDA. I. Noticia a denúncia em auditoria realizada pela Secretaria de Controle Externo, do Tribunal de Contas da União no Ceará, na Associação Beneficente Cearense de Reabilitação(ABCR) foram constatados procedimentos fraudulentos com relação às notas fiscais emitidas para aquisição de cadeiras de rodas com recursos de convênio celebrado com o Fundo Nacional de Saúde (FNS), ali se verificando que as datas de emissão das notas fiscais por parte da empresa Cave Comércio de Material Hospitalar Ltda., responsável por vender e entregar o material à ABCR, seriam anteriores à data de Autorização para Impressão de Documentos Fiscais (AIDF), no caso teriam sido emitidas entre os dias 3 de janeiro a 12 de maio de 2006 quando a AIDF referente às notas fiscais data de 8 de setembro de 2006, imputando a Francisco Carlos Martins Barbosa, sócio-gerente e administrador da empresa suso referida, a Espedito José Pereira, contador da mesma, e Maria Carmélia Pereira ACR10171-CE/15 9

10 D'Alencar, então presidente da ABCR, as sanções do art. 171, 3º, do Código Penal, restando eles, ao final, condenados, pelos crimes do art. 171, 3º, do Código Penal c/c arts. 1º e 3º da Lei nº 7.134/1983, os dois primeiros às penas de 3 (três) anos e 4 (quatro) meses de reclusão e de 30 (trinta) dias-multa, cada qual valorado em 1/2 (metade) do salário mínimo e, a última, às penas de 3 (três) anos e 10 (dez) meses de reclusão e de 20 (vinte) dias-multa, cada qual valorado em 1 (um) salário mínimo, substituídas as penas privativas de liberdade impostas individualmente por duas restritivas de direitos consistentes, para todos, em prestação de serviços à comunidade ou a entidades públicas e em prestação pecuniária. II. Em seus apelos aduzem, em síntese, que não restou configurado o delito de estelionato, por ausência do dolo, cabia à empresa a plena e exclusiva responsabilidade pela regular emissão das notas fiscais, ausência de comprovação da participação no crime imputado e, subsidiariamente, fixar a pena no mínimo legal (Maria Carmélia Pereira D'Alencar); ausência de prova da malversação dos recursos públicos e haver emitido as notas fiscais por determinação do representante legal da pessoa jurídica, onde prestava serviços (Espedito José Pereira); e que laudo pericial comprovou não ser sua a grafia constante nas notas fiscais apontadas como "frias"; ausência de comprovação da autoria do crime, mas tão somente da utilização de blocos de notas fiscais da empresa para o cometimento do crime imputado e. subsidiariamente, fixar a pena no mínimo legal (Francisco Carlos Martins Barbosa). III. A corré Maria Carmélia Pereira D'Alencar, à época da prolação da sentença, em 13 de março de 2013, contava com idade superior a 70 (setenta) anos, eis que nascida em 13 de abril de 1940, e, assim, incidir a hipótese do art. 115 do Código Penal para se observar o prazo prescricional pela metade, no caso concreto, diante da pena privativa de liberdade a ela fixada em 3 (três) anos e 10 (dez) meses, se decorridos 4 (quatro) anos entre os marcos regulatórios, o que se constata entre as datas do fato (observando-se que a auditoria remonta ao ano de 2007) e do recebimento da denúncia (9 de maio de 2012), acrescentando-se ser inaplicável ao caso concreto a Lei nº /2010, por posterior ao fato delituoso e em prejuízo da parte ré. IV. O corréu Espedito José Pereira admitiu que emitiu as notas fiscais em comento, contudo a mando do corréu Francisco Carlos Martins Barbosa, sócio administrador da empresa Cave Comércio de Material Hospitalar Ltda., situação essa inusual por não caber ao contador da empresa a emissão de notas fiscais, tarefa essa cotidiana dos prepostos da empresa quando das operações de venda. Contudo, por ser conhecedor da situação da empresa da qual era contador tinha ele ciência da impossibilidade da aludida venda, em significativo volume de 160 (cento e sessenta) cadeiras de rodas, ou seja, tinha consciência da inexistência do estoque. V. O corréu Francisco Carlos Martins Barbosa, diante do pequeno porte da empresa que administrava, não tem como afastar o conhecimento do ACR10171-CE/15 10

11 seu cotidiano ou mesmo de haver o contador se apossado das aludidas notas fiscais sem que viesse a saber ou a dar falta das mesmas. VI. Do carreado aos autos outra não pode ser a ilação senão a de que tanto Francisco Carlos Martins Barbosa quanto Espedido José Pereira participaram da fraude mediante a emissão de notas fiscais "frias", utilizadas pela corré Maria Carmélia Pereira D'Alencar para justificar a compra de cadeiras de rodas em face do Convênio nº 5631/2003 firmado entre a ABCR e FNS, restando patente que os recursos oriundos do citado Convênio foram utilizados para obtenção de vantagem ilícita, em prejuízo do erário. VII. Fazendo-se presentes, em desfavor do corréu Francisco Carlos Martins Barbosa, os motivos, as circunstâncias e as consequências do crime, como expendido na sentença recorrida, por visar a obtenção de dinheiro fácil em detrimento do erário, frustrar interesse público de regular aplicação de verbas que se destinavam à distribuição de cadeiras de rodas às pessoas carentes mediante notas fiscais fraudulentas e, com a conduta perpetrada, permitir que um considerável número de cidadãos deixasse de se beneficiar com os equipamentos a eles destinados, não há como conduzir a pena-base ao mínimo legal. VIII. Extinção da punibilidade, pela ocorrência da prescrição da pretensão punitiva, a teor do art. 107, IV, c/c arts. 109, IV, e 115, todos do Código Penal, em relação à apelante Maria Carmélia Pereira D'Alencar, restando prejudicada a apelação por ela interposta. IX. Apelações formuladas por Francisco Carlos Martins Barbosa e Espedito José Pereira improvidas. ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de APELAÇÃO CRIMINAL, em que são partes as acima mencionadas. ACORDAM os Desembargadores Federais da Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 5ª Região, à unanimidade, em declarar extinta a punibilidade em relação à apelante Maria Carmélia Pereira D'Alencar, pela ocorrência da prescrição da pretensão punitiva, e em negar provimento às apelações formuladas por Francisco Carlos Martins Barbosa e Espedito José Pereira, nos termos do voto do Relator e das notas taquigráficas que estão nos autos e que fazem parte deste julgado. Recife, 1º de dezembro de Des. Federal Ivan Lira de Carvalho Relator Convocado ACR10171-CE/15 11

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO ACR 12760 AL (0007902-40.2007.4.05.8000) APTE : JOSEVAL REIS LIMA REPTE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : JUÍZO FEDERAL DA 4ª VARA AL (SENTENCIANTE: DR. SÉRGIO DE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CRIMINAL Nº 7155-CE (2009.81.00.007031-1) APTE : ANA BELEN ANTERO GARCIA REPTE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 12ª VARA FEDERAL (COMPETENTE P/ EXEC. PENAIS)

Leia mais

Origem : 01920050029000 Machadinho do Oeste/RO (1ª Vara Criminal)

Origem : 01920050029000 Machadinho do Oeste/RO (1ª Vara Criminal) TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE RONDÔNIA Câmara Criminal Data de distribuição :31/07/2007 Data de julgamento :25/09/2008 100.019.2005.002900-0 Apelação Criminal Origem : 01920050029000 Machadinho do Oeste/RO (1ª

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL CID MARCONI: Embargos de Declaração desafiados por Ana Paula Dias Gomes Barbosa e Roberto Abraham Abrahamian Asfora em face do Acórdão de fls. 642/657, cuja ementa tem

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 1.ª CÂMARA CRIMINAL ACÓRDÃO

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA 1.ª CÂMARA CRIMINAL ACÓRDÃO APELAÇÃO. PENAL E PROCESSUAL PENAL. Apropriação indébita. Causa especial de aumento de pena. Sentença condenatória. Recurso defensivo que visa obter a des0classificação da conduta para a de estelionato

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta pelo Ministério Público Federal contra sentença proferida pelo MM. Juízo da 37ª Vara de Pernambuco, na

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro APELAÇÃO CRIMINAL (ACR) Nº 11023/RN (0004472-39.2010.4.05.8400) APTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL APDO : JARBAS CAVALCANTI DE OLIVEIRA ADV/PROC : JOSE ALEXANDRE SOBRINHO E OUTRO ORIGEM : 2ª VARA FEDERAL

Leia mais

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO)

AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) AÇÃO CRIMINAL Nº 231-PE (89.05.03003-3) APTE: JUSTIÇA PÚBLICA APDO: ANCILON GOMES FILHO RELATOR: DESEMBARGADOR FEDERAL ÉLIO SIQUEIRA (CONVOCADO) RELATÓRIO O EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR FEDERAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro APELAÇÃO CRIMINAL (ACR) Nº 12020/ (2007.84.00.002040-8) RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta pelo Ministério Público Federal contra sentença

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás 1 APELAÇÃO CRIMINAL Nº 512212-28.2009.8.09.0107(200995122121) COMARCA DE MORRINHOS APELANTE : VIBRAIR MACHADO DE MORAES APELADO : MINISTÉRIO PÚBLICO RELATOR : Des. LUIZ CLÁUDIO VEIGA BRAGA RELATÓRIO O

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro MANDADO DE SEGURANÇA (TURMA) (MSTR) Nº 103144/SE (0000385-44.2015.4.05.0000) IMPTTE : FERNANDO LIMA COSTA ADV/PROC : PAULO ROBERTO NERY NASCIMENTO E OUTROS IMPTDO : JUÍZO DA 6ª VARA FEDERAL DE SERGIPE

Leia mais

APELAÇÃO CÍVEL nº 458566/AL (2006.80.00.003230-6)

APELAÇÃO CÍVEL nº 458566/AL (2006.80.00.003230-6) APTE : UFAL - UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : ROBSON ANTÔNIO AMORIM CARNEIRO ADV/PROC : FELIPE REBELO DE LIMA ORIGEM : 4ª VARA FEDERAL DE ALAGOAS (COMPETENTE

Leia mais

A C Ó R D Ã O. Documento Assinado Eletronicamente SANDOVAL OLIVEIRA Relator GABINETE DO DESEMBARGADOR SANDOVAL OLIVEIRA 2

A C Ó R D Ã O. Documento Assinado Eletronicamente SANDOVAL OLIVEIRA Relator GABINETE DO DESEMBARGADOR SANDOVAL OLIVEIRA 2 Poder Judiciário da União Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios Fls. Órgão : 5ª TURMA CÍVEL Classe : APELAÇÃO N. Processo : 20130111009823APC (0026373-45.2013.8.07.0001) Apelante(s)

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA 5ª REGIÃO

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA REGIONAL DA REPÚBLICA 5ª REGIÃO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR FEDERAL RELATOR E DEMAIS INTEGRANTES DA 1ª TURMA DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO DVMF/MPF/PRR5/ /2016 Processo nº : 0006727-33.2011.4.05.8400 (ACR 13367 RN)

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Rogério Fialho Moreira APTE : JOSE EUMAR ALENCAR ROCHA ADV/PROC : AURELIO JOAO VIEIRA DE BARROS APTE : JOSE RINALDO DA SILVA SAMPAIO ADV/PROC : FERNANDO DA CRUZ PARENTE JUNIOR APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM :20ª VARA

Leia mais

Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região

Poder Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região AGRAVANTE(S): AGRAVADO(S): AGROPECUARIA NOVA TRES PONTAS LTDA. UNIAO FEDERAL (FAZENDA NACIONAL) EMENTA: AUTOS DE INFRAÇÃO LAVRADOS POR AUDITOR FISCAL DO TRABALHO. PRESUNÇÃO DE VERACIDADE. Os autos de infração,

Leia mais

JOSE BRAULIO BRITO MAIA MINISTERIO PUBLICO A C Ó R D Ã O

JOSE BRAULIO BRITO MAIA MINISTERIO PUBLICO A C Ó R D Ã O APELAÇÃO CRIMINAL. CRIME CONTRA O PATRIMÔNIO. ESTELIONATO. RECONHECIMENTO DA PRESCRIÇÃO DA PRETENSÃO PUNITIVA DO ESTADO PELA PENA EM CONCRETO. RECURSO DEFENSIVO PREJUDICADO. Transcorridos mais de 04 (quatro)

Leia mais

R E L A T Ó R I O. A inicial acusatória entendeu que a conduta do réu se adequaria ao tipo definido no artigo 312 do Código Penal.

R E L A T Ó R I O. A inicial acusatória entendeu que a conduta do réu se adequaria ao tipo definido no artigo 312 do Código Penal. AÇÃO PENAL PÚBLICA (PROCEDIMENTO CRIMINAL COMUM) 250 - CE (2002.05.99.001144-5) AUTOR : JUSTIÇA PÚBLICA INDIC : CARLOMANO GOMES MARQUES ADV/PROC : FRANCISCO MONTEIRO DA SILVA VIANA E OUTRO PROC. ORIGINÁRIO

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - L,, n ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Criminal n 200.2007.001711-2/001 8 a Vara Criminal de João Pessoa Relator : O Excelentíssimo Desembargador José Maninho Lisboa Apelante : Darcilene

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro APELAÇÃO CRIMINAL (ACR) Nº 11490/CE (0002186-09.2010.4.05.8103) APTE : MANOEL CAMELO FILHO ADV/PROC : JOSE NILSON FARIAS SOUSA JUNIOR E OUTROS APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 18ª VARA FEDERAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR ACÓRDÃO APELAÇÃO CRIMINAL (Processo n 001.2008.024234-8/001) RELATOR: Desembargador Luiz Silvio

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 599295-2 DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA 11ª VARA CRIMINAL APELANTE 1: APELANTE

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 599295-2 DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA 11ª VARA CRIMINAL APELANTE 1: APELANTE APELAÇÃO CRIMINAL Nº 599295-2 DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA 11ª VARA CRIMINAL APELANTE 1: CLEBER ALVES APELANTE 2: MARCELO FABRÍCIO PRESTES AMÉRICO APELADO: MINISTÉRIO

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0025401-51.2009.8.19.0205

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0025401-51.2009.8.19.0205 APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0025401-51.2009.8.19.0205 Apelante : Ministério Público Apelado : FABIO DE SOUZA MESQUITA Relatora : Desembargadora Maria Angélica G. Guerra Guedes APELAÇÃO CRIMINAL. FURTO TENTADO.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DA FAZENDA CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃO N oss" /2012 1 a CÂMARA DE JULGAMENTO SESSÃO DE 23/11/2011-085 a SESSÃO EXTRAORDINÁRIA PROCESSO DE RECURSO N

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2015.0000927737 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0009206-77.2014.8.26.0477, da Comarca de Praia Grande, em que é apelante MARCEL BARBOSA LOPES, é apelado MINISTÉRIO

Leia mais

Acórdão 8a Turma. V O T O CONHECIMENTO Conheço do recurso, eis que atendidos os requisitos de admissibilidade.

Acórdão 8a Turma. V O T O CONHECIMENTO Conheço do recurso, eis que atendidos os requisitos de admissibilidade. Acórdão 8a Turma PROCESSO: 0112000-70.2006.5.01.0521 RTOrd PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 1ª REGIÃO Gab Des Edith Maria Correa Tourinho Av. Presidente Antonio

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO ft' "flay, aimair.41 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO 4111 APELAÇÃO CRIMINAL N 001.2006.001528-4 / 001 RELATOR : DES. NILO LUIS RAMALHO VIEIRA APELANTE : JACKSON ISíDIO DOS

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL 2005.38.03.003936-9 MINAS GERAIS RELATÓRIO

APELAÇÃO CRIMINAL 2005.38.03.003936-9 MINAS GERAIS RELATÓRIO APELAÇÃO CRIMINAL 2005.38.03.003936-9 MINAS GERAIS RELATÓRIO O EXMO. SR. DESEMBARGADOR FEDERAL CÂNDIDO RIBEIRO: O Ministério Público Federal ofereceu denúncia contra Marcelo Henrique Belonsi, imputando-lhe

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.391.004 - GO (2013/0219024-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO MARCO AURÉLIO BELLIZZE : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS : ADEMIR NOLASCO GUIMARÃES : ACHILES

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Juiz Convocado HELVÉCIO DE BRITO MAIA NETO

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Juiz Convocado HELVÉCIO DE BRITO MAIA NETO HABEAS CORPUS Nº 0002031-78.2014.827.0000 ORIGEM: COMARCA DE PARAÍSO DO TOCANTINS 1ª VARA CRIMINAL PACIENTE: RAPHAEL BRANDÃO PIRES IMPETRANTE: ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECCIONAL DO TOCANTINS IMPETRADO:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.133.986 - RS (2009/0133788-0) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO JORGE MUSSI : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL : WILER DA LUZ DOS REIS : LÉA BRITO

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 1 SENTENÇA Processo nº: Classe - Assunto Réu: Procedimento Especial da Lei Antitóxicos - Tráfico de Drogas e Condutas Afins Juiz(a) de Direito: Dr(a). Heitor Donizete de Oliveira Vistos. XX, qualificado

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO. Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo ACÓRDÃO ACÓRDÃO Registro: 2013.0000251389 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0128060-36.2010.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que é apelante AGÊNCIA ESTADO LTDA, é apelado IGB ELETRÔNICA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRÁTICA REGISTRADO(A) SOB N i mm um li um mu mu mu um mi m *03428858* Vistos, relatados e discutidos estes

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça AgRg no RECURSO ESPECIAL Nº 1.453.802 - SP (2014/0109774-1) RELATORA : MINISTRA LAURITA VAZ AGRAVANTE : ROSEMEIRE CARFARO AGRAVADO : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO EMENTA AGRAVO REGIMENTAL.

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE BARRA DO GARÇAS GABINETE DA SEGUNDA VARA CRIMINAL S E N T E N Ç A

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE BARRA DO GARÇAS GABINETE DA SEGUNDA VARA CRIMINAL S E N T E N Ç A Código: 170741 Autor: Ministério Público Estadual Réu: Eldo Barbosa S E N T E N Ç A 1. Relatório O Ministério Público estadual ofereceu denúncia, fls. 05/08, contra Eldo Barbosa, por supostamente ter infringido

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta por Alfredo de Oliveira Santos contra sentença (fls. 455/471) da lavra do MM. Juízo da 13ª Vara Federal

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): Habeas Corpus impetrado por Anderson José Manta Cavalcanti, com pedido liminar, em favor de José Bispo dos Santos Neto, objetivando a declaração

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): Cuida-se de agravo em execução penal interposto contra sentença que declarou extinta a punibilidade de Cosme Alexandre da Silva, por entender

Leia mais

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL

DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL DÉCIMA SÉTIMA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL PROCESSO N.º 0045124-85.2009.8.19.0066 APELANTE: TATIANA PRADO MONTEIRO DA SILVA APELADA: UNIMED VOLTA REDONDA RELATOR: DES. WAGNER CINELLI DE PAULA FREITAS Apelação

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 35 Registro: 2016.0000031880 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0003042-68.2011.8.26.0003, da Comarca de, em que é apelante/apelado JOSUÉ ALEXANDRE ALMEIDA (JUSTIÇA

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal )1( oãdróca atneme537454 ER 18/10/2005 SEGUNDA TURMA RELATORA RECORRENTE(S) : MIN. ELLEN GRACIE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL (RECURSO CRIMINAL Nº 3454) CONSTITUCIONAL. PROCESSSUAL PENAL. COMPETÊNCIA DA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO 1ª CÂMARA DE DIREITO PRIVADO fls. 1 Registro: 2014.0000358062 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 1064890-68.2013.8.26.0100, da Comarca de São Paulo, em que são apelantes SEBASTIÃO MIGUEL MAÇON e NILZA

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CRIMINAL Nº 5157-PE (2006.83.00.006159-3) APTE : MALENA FERREIRA DE LIMA DEF. DATIVO : JACINTA DE FÁTIMA COUTINHO MOURA APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Origem : 4ª Vara Federal de Pernambuco

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail:

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Vara: 1ª Vara Cível Processo: 0023257-48.2012.8.22.0001 Classe: Procedimento Ordinário (Cível) Requerente: Renata Terezinha Souza de Moraes Paschoal Rodrigues Requerido: Banco Bradescard S.A; Makro Atacadista

Leia mais

RELATÓRIO. Após regularmente processados, vieram-me conclusos os autos por distribuição por sucessão, em abril de 2015.

RELATÓRIO. Após regularmente processados, vieram-me conclusos os autos por distribuição por sucessão, em abril de 2015. PROCESSO Nº: 0802480-48.2014.4.05.0000 - AGRAVO DE INSTRUMENTO RELATOR(A): DESEMBARGADOR(A) FEDERAL IVAN LIRA DE CARVALHO (CONVOCADO) - 2ª TURMA RELATÓRIO O EXMO. DESEMBARGADOR FEDERAL IVAN LIRA DE CARVALHO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CÍVEL Nº 550822-PE (2001.83.00.010096-5) APTE : INSS - INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL REPTE : PROCURADORIA REPRESENTANTE DA ENTIDADE APDO : LUZIA DOS SANTOS SANTANA ADV/PROC : SEM ADVOGADO/PROCURADOR

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): Apelação Criminal, manejada por José Jivan Andrade de Souza e Rodrigo Melo Andrade, com o objetivo de ver reformada a sentença, que, pela imputação

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL APELAÇÃO CÍVEL N.º 0003191-75.2005.8.19.0001 APELANTES : NUMA - NÚCLEO DE CULTURA E MEIO AMBIENTE E MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO APELADOS

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR

TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA VIGÉSIMA QUINTA CÂMARA CÍVEL/CONSUMIDOR APELAÇÃO CÍVEL Nº 0489078-15.2012.8.19.0001 APELANTE: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA. APELADO: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATORA:

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 129.804 - PB (2013/0300560-9) RELATOR SUSCITANTE SUSCITADO : MINISTRO REYNALDO SOARES DA FONSECA : JUÍZO FEDERAL DA 8A VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DA PARAÍBA : JUÍZO DE

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça PROCEDIMENTO DE CONTROLE ADMINISTRATIVO Nº 200910000039388 RELATOR: REQUERENTE: REQUERIDO: CONSELHEIRO JOSÉ ADONIS CALLOU DE ARAÚJO SÁ JOSÉ FERREIRA LEITE, MARCELO SOUZA DE

Leia mais

RECURSOS IMPROVIDOS.

RECURSOS IMPROVIDOS. 1 APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ORDINÁRIA. COMPRA E VENDA DE IMÓVEL NA PLANTA. ENTREGUE DA UNIDADE DENTRO DO PRAZO PREVISTO. DANO MORAL. ALTERAÇÃO DA PLANTA DO IMÓVEL, SEM O CONSENTIMENTO DOS COMPRADORES. MODIFICAÇÃO

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS Acórdão: 14.499/01/3 a Impugnação: 40.10101228-69 Recurso de Agravo: 40.30101950-35 Impugnante/Agravante: TBM Máquinas e Equipamentos Ltda Advogado: Paulo Ramiz Lasmar PTA/AI: 01.000136030-33 Inscrição

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS R E L A T Ó R I O

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS R E L A T Ó R I O RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS PROCESSO N.º : 0031/2003 CRF PAT Nº : 0190/2001-1ª. U.R.T RECORRENTE : Queiroz Oliveira Comércio e Indústria Ltda. RECORRIDO :

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO ACÓRDÃO fls. 1 ACÓRDÃO Registro: 2013.0000091762 Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0020463-94.2008.8.26.0482, da Comarca de Presidente Prudente, em que é apelante REFRIGERANTES MARAJA S

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO

PROCURADORIA-GERAL DO TRABALHO CÂMARA DE COORDENAÇÃO E REVISÃO ORIGEM: PRT 12ª Região ORGÃO OFICIANTE: Cristiane Kraemer Gehlen Caravieri INTERESSADO 1: 1ª Vara do Trabalho de Florianópolis INTERESSADO 2: ACS S/A Eletrônica e Comunicações e outros ASSUNTO: 3.2.3.

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0000740-14.2006.4.03.6115/SP 2006.61.15.000740-4/SP

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0000740-14.2006.4.03.6115/SP 2006.61.15.000740-4/SP PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0000740-14.2006.4.03.6115/SP 2006.61.15.000740-4/SP RELATOR APELANTE : Desembargador Federal MARCELO SARAIVA : Justiça Publica

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO ORIGEM : 37ª VARA FEDERAL DE PERNAMBUCO - PE RELATÓRIO O Sr. Des. Fed. FRANCISCO WILDO (Relator): Tratam-se de apelações criminais interpostas por ROMERO SANTOS VERAS e ROMERO SALES GOMES em face de sentença

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 892.964-0, DA 1ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MARINGÁ. AGRAVANTE:

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 892.964-0, DA 1ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MARINGÁ. AGRAVANTE: , DA 1ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE MARINGÁ. AGRAVANTE: FUJIFILM DA AMAZÔNIA LTDA AGRAVADAS: DISMAR DISTRIBUIDORA MARINGÁ DE ELETRODOMÉSTICOS LTDA E OUTRA RELATOR: DES. LAURI CAETANO DA SILVA AGRAVO DE INSTRUMENTO.

Leia mais

n") "'4 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. NILO LUIS FtAMALHO VIEIRA ACÓRDÃO

n) '4 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. NILO LUIS FtAMALHO VIEIRA ACÓRDÃO n") "'4 ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. NILO LUIS FtAMALHO VIEIRA 'a ACÓRDÃO APELAÇÃO CRIMINAL n o 200.2004.003640-8/002 RELATOR: Des. Nilo Luis Ramalho Vieira APELANTE: Casas Bandeira

Leia mais

Em suas contrarrazões, a Fazenda Nacional alega primeiramente que

Em suas contrarrazões, a Fazenda Nacional alega primeiramente que PROCESSO Nº: 0801606-22.2014.4.05.8000 - APELAÇÃO / REEXAME NECESSÁRIO APELANTE: SANTO ALEIXO - EMPREENDIMENTOS E PARTICIPACOES LTDA ADVOGADO: CID DE CERQUEIRA CALHEIROS APELADO: FAZENDA NACIONAL RELATOR(A):

Leia mais

:: Portal da Justiça Federal da 4ª Região :: EMENTA

:: Portal da Justiça Federal da 4ª Região :: EMENTA Página 1 de 6 CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO ESTADO DO RGS - CRC/RS D.E. Publicado em 24/11/2010 EMENTA ADMINISTRATIVO. MULTA. CENSURA PÚBLICA. CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE. DECRETO-LEI Nº

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL ROBERTO MACHADO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL ROBERTO MACHADO APELAÇÃO CRIMINAL Nº 11633 RN (0001655-28.2012.4.05.8401) APTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL APDO : VALDEREDO ROBERTO DA SILVA JÚNIOR ADV/PROC : FRANCISCO DE ASSIS DA SILVA E OUTRO ORIGEM : 8ª VARA FEDERAL

Leia mais

: MIN. GILMAR MENDES SÃO PAULO

: MIN. GILMAR MENDES SÃO PAULO RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 680.724 SÃO PAULO RELATOR RECTE.(S) ADV.(A/S) RECDO.(A/S) PROC.(A/S)(ES) ASSIST.(S) ASSIST.(S) ADV.(A/S) : MIN. GILMAR MENDES :LINO INÁCIO DE SOUZA : LUIZ GONZAGA DE CARVALHO

Leia mais

RELATÓRIO. Informações do MM. Juízo a quo, às fls. 55/56, comunicando a manutenção da decisão agravada.

RELATÓRIO. Informações do MM. Juízo a quo, às fls. 55/56, comunicando a manutenção da decisão agravada. RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL ALBERTO NOGUEIRA AGRAVANTE : FRANCISCO RECAREY VILAR ADVOGADO : MARCIO ANDRE MENDES COSTA AGRAVADO : FAZENDA NACIONAL ORIGEM : TERCEIRA VARA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (200151015086382)

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SEGUNDA CÂMARA CRIMINAL RECURSO EM SENTIDO ESTRITO Nº 0020580-32.2012.8.19.0000 ORIGEM: 19ª VARA CRIMINAL DA COMARCA DA CAPITAL RECORRENTE: MINISTÉRIO PÚBLICO RECORRIDA: MARLA DOS SANTOS MELO RELATOR:

Leia mais

Ação Ordinária nº 200.81.00.006

Ação Ordinária nº 200.81.00.006 Ação Ordinária nº 200.81.00.006 Nos autos da Ação Ordinária n 2000.81.00.006046-9, ajuizada por servidores da Justiça Federal no Ceará contra a União Federal, e que tramita na 2ª Vara da Justiça Federal,

Leia mais

Trata-se de recurso apelatório (fls. 121/131) interposto

Trata-se de recurso apelatório (fls. 121/131) interposto I) ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Gabinete do Des. José Di Lorenzo Serpa APELAÇÃO CÍVEL N. 200.2008.032017-5/001. Relator: Dr. Marcos William de Oliveira Juiz de Direito convocado em substituição

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N. 13, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1987

LEI COMPLEMENTAR N. 13, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1987 LEI COMPLEMENTAR N. 13, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1987 Dá nova redação aos artigos que menciona, entre outras providências, da Lei Complementar n. 3, de 12 de janeiro de 1981, que dispõe sobre a Organização

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho

Poder Judiciário Tribunal Regional Federal da 5ª Região Gabinete do Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho (Relatório) O Desembargador Federal Vladimir Souza Carvalho: Apelações desafiadas por Celso José Paulo de Farias e Wellington Ferreira de Lima, em contrariedade à sentença da lavra do MM Juiz Federal [Substituto]

Leia mais

GoVERNO DO EsTADO DO CEARÁ Secretaria da Fazenda CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS

GoVERNO DO EsTADO DO CEARÁ Secretaria da Fazenda CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS Processo de Recurso n 11103812007 Auto de Infração nf! 21200624408 1/6 GoVERNO DO EsTADO DO CEARÁ Secretaria da Fazenda CONSELHO DE RECURSOS TRIBUTÁRIOS RESOLUÇÃON0 ~y~ I GKJ'08 2 a CÂl\JARA SESSÃODE 17/07/2008

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS

RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA TRIBUTAÇÃO CONSELHO DE RECURSOS FISCAIS PROCESSO nº : 288285/2011-9 NÚMERO DE ORDEM : 0180/2012-CRF. PAT Nº 1179/2011-3ª URT. RECORRENTE : Sec. de Estado de

Leia mais

Decisão. Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Gabinete da Desembargadora Denise Levy Tredler

Decisão. Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Gabinete da Desembargadora Denise Levy Tredler VIGÉSIMA PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL ORIGEM: 35ª VARA CÍVEL DA COMARCA DA CAPITAL APELAÇÃO CÍVEL Nº: 0177784-10.2010.8.190001 APELANTE: CONDOMÍNIO DO EDIFÍCIO PRAIA GUINLE APELADOS: ADÃO CARVALHO RIBEIRO E OUTROS

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Primeira Câmara Cível

Poder Judiciário Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Primeira Câmara Cível M Poder Judiciário Apelação Cível nº. 0312090-42.2012.8.19.0001 Apelante: COMPANHIA ESTADUAL DE ÁGUAS E ESGOTOS CEDAE Advogado: Dr. Luiz Carlos Zveiter Apelado: ASSOCIAÇÃO DE OFICIAIS MILITARES ESTADUAIS

Leia mais

QUINTA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0362045-42.2012.8.19.0001 Relator: DES. HENRIQUE CARLOS DE ANDRADE FIGUEIRA

QUINTA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0362045-42.2012.8.19.0001 Relator: DES. HENRIQUE CARLOS DE ANDRADE FIGUEIRA QUINTA CÂMARA CÍVEL Apelação Cível nº 0362045-42.2012.8.19.0001 Relator: DES. HENRIQUE CARLOS DE ANDRADE FIGUEIRA ADMINISTRATIVO. RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO. AÇÃO DE COBRANÇA. TRATAMENTO MÉDICO PRESTADO

Leia mais

Contestação do trabalhador às folhas 85/89. Reconvenção do trabalhador às folhas 90/98.

Contestação do trabalhador às folhas 85/89. Reconvenção do trabalhador às folhas 90/98. A C Ó R D Ã O 6ª TURMA JUSTA CAUSA. MAU PROCEDIMENTO. CONFIGURAÇÃO. Ficando comprovado o uso indevido de correio eletrônico corporativo com envio de mensagem de conteúdo pornográfico, contrariando norma

Leia mais

Vistos, relatados e discutidos os autos deste Processo, etc...

Vistos, relatados e discutidos os autos deste Processo, etc... Processo nº 0019252008-3 Acórdão nº 011/2012 Recurso HIE/VOL/CRF-390/2010 1ª Recorrente: GERÊNCIA EXECUTIVA DE JULGAMENTO DE PROCESSOS FISCAIS 1º Recorrida: RAPIDÃO COMETA LOGISTICA E TRANSPORTE S/A. 2º

Leia mais

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS

CONSELHO DE CONTRIBUINTES DO ESTADO DE MINAS GERAIS Acórdão: 20.622/12/3ª Rito: Sumário PTA/AI: 01.000173236-04 Impugnação: 40.010131727-19 Impugnante: Coobrigados: Proc. S. Passivo: Origem: MRG Modas e Acessórios Ltda - ME IE: 001002176.00-55 Gustavo Oliveira

Leia mais

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO

PODER JUDICIáRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL FRANCISCO WILDO APELAÇÃO CÍVEL Nº 553789/CE (0004204-41.2012.4.05.8100) APTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL APDO : FACULDADE CATÓLICA DE FORTALEZA - FCF E OUTRO ADV/PROC : CARMEN ANDREIA PEIXOTO GURGEL ORIGEM : 4ª VARA

Leia mais

GOVERNO DA PARAÍBA. Secretaria de Estado da Receita. Conselho de Recursos Fiscais

GOVERNO DA PARAÍBA. Secretaria de Estado da Receita. Conselho de Recursos Fiscais GOVERNO DA PARAÍBA Secretaria de Estado da Receita Conselho de Recursos Fiscais Processo n 134.818.2011-9 Acórdão 083/2015 Recurso HIE/CRF-028/2014 RECORRENTE: GERÊNCIA EXEC. DE JULGAMENTO DE PROCESSOS

Leia mais

A reclamante recorrente alega, em síntese, que deve ser reformada a decisão quanto ao intervalo do digitador.

A reclamante recorrente alega, em síntese, que deve ser reformada a decisão quanto ao intervalo do digitador. Acórdão 8a Turma INTERVALO DE DIGITADOR. Cabe ao trabalhador demonstrar que realizava atividades exclusivas de digitação ou permanente de mecanografia (datilografia, escrituração ou cálculo), conforme

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO (9]WÖ1R100) PODER JUDICIÁRIO RELATOR : DESEMBARGADOR FEDERAL REYNALDO FONSECA AGRAVANTE : ERON TRADE IMPORTACAO E EXPORTACAO LTDA ADVOGADO : ERICO MARTINS DA SILVA ADVOGADO : ANDRE MOREIRA GARCEZ DORIA

Leia mais

ENGENHARIA LTDA. E RENATO LUIZ GONÇALVES CABO

ENGENHARIA LTDA. E RENATO LUIZ GONÇALVES CABO Tribunal de Justiça 12ª Câmara Cível Apelação Cível nº 0001159-62.2008.8.19.0011 Apelante 1: CARLOS ÁLVARO FERREIRA VAIRÃO Apelante 2: DEYSE LÚCIA COUTO PEREIRA DOS SANTOS Apelante 3: JOÉCIO PEREIRA DOS

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO Registro: 2015.0000045214 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0011719-29.2012.8.26.0011, da Comarca de São Paulo, em que é apelante RUBENS ARAUJO DOS REIS, é apelado EDIFICIO

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL. CRIMES PREVISTOS EM LEGISLAÇÃO EXTRAVAGANTE. ESTATUTO

APELAÇÃO CRIMINAL. CRIMES PREVISTOS EM LEGISLAÇÃO EXTRAVAGANTE. ESTATUTO APELAÇÃO CRIMINAL. CRIMES PREVISTOS EM LEGISLAÇÃO EXTRAVAGANTE. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. LEI DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS. DESCLASSIFICAÇÃO. CONDUTA ATÍPICA. SENTENÇA DESCLASSIFICATÓRIA DESCONSTITUÍDA.

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 540.048 - RS (2003/0061038-6) RECORRENTE : VALDA TEREZINHA CARBONE ADVOGADO : MARLON LEANDRO TORRES E OUTRO RECORRIDO : HOSPITAL DE BASE DO DISTRITO FEDERAL RELATORA: MINISTRA NANCY

Leia mais

Tribunal de Contas da União

Tribunal de Contas da União Tribunal de Contas da União Dados Materiais: Acórdão 291/96 - Segunda Câmara - Ata 17/96 Processo nº TC 399.124/93-4 Responsável: Sebastião Fernandes Barbosa Entidade: Prefeitura Municipal de Minas Novas

Leia mais

ACÓRDÃO 0000035-95.2015.5.04.0551 RO Fl. 1. DESEMBARGADORA MARIA MADALENA TELESCA Órgão Julgador: 3ª Turma

ACÓRDÃO 0000035-95.2015.5.04.0551 RO Fl. 1. DESEMBARGADORA MARIA MADALENA TELESCA Órgão Julgador: 3ª Turma 0000035-95.2015.5.04.0551 RO Fl. 1 DESEMBARGADORA MARIA MADALENA TELESCA Órgão Julgador: 3ª Turma Recorrente: Recorrente: Recorrido: Origem: Prolator da Sentença: NASCIMENTO CEZAR FREITAS - Adv. Vanessa

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SÃO PAULO ACÓRDÃO/DECISÃO MONOCRATICA REGISTRADO(A) SOB N ACÓRDÃO llllllllin *01368649* Vistos, relatados e discutidos estes autos

Leia mais

Tribunal de Justiça do Distrito Federal

Tribunal de Justiça do Distrito Federal Tribunal de Justiça do Distrito Federal Circunscrição :4 - GAMA Processo :2011.04.1.003085-4 Vara : 11 - TRIBUNAL DO JÚRI E VARA DOS DELITOS DE TRÂNSITO DO GAMA Autos nº: 2011.04.1.003085-4 AUTORA: JUSTIÇA

Leia mais

IV - APELACAO CIVEL 2007.51.05.000235-5

IV - APELACAO CIVEL 2007.51.05.000235-5 Relatora : Desembargadora Federal SALETE MACCALÓZ APELANTE : CARMEM LUCIA LOPES TEIXEIRA Advogado : Paulo Roberto T. da Costa (RJ141878) APELADO : CAIXA ECONOMICA FEDERAL - CEF Advogado : Gerson de Carvalho

Leia mais

REGULAMENTO PROCESSUAL DA BSM

REGULAMENTO PROCESSUAL DA BSM REGULAMENTO PROCESSUAL DA BSM O Conselho de Supervisão da BM&FBOVESPA SUPERVISÃO DE MERCADOS (BSM), no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto Social da entidade e após a autorização da Comissão

Leia mais

: Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Relatora Desa. : EUTÁLIA COUTINHO

: Ministério Público do Distrito Federal e Territórios Relatora Desa. : EUTÁLIA COUTINHO Órgão : Segunda Turma Criminal Classe : APR Apelação Criminal Nº. Processo : 2000.01.1.047761-5 Apelante : Carlos Flávio Rodrigues Freitas Apelado : Ministério Público do Distrito Federal e Territórios

Leia mais

Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. Carlos Martins Beltrão Filho

Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. Carlos Martins Beltrão Filho Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. Carlos Martins Beltrão Filho ACÓRDÃO APELAÇÃO CRIMINAL No. 200.2008.032784-0/001 ia Vara Criminal da Comarca da Capital RELATOR: Marcos William

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 3ª REGIÃO AGRAVO LEGAL EM APELAÇÃO CÍVEL Nº 0000720-74.2007.4.03.9999/SP 2007.03.99.000720-4/SP RELATOR : Juiz Federal Convocado Silvio Gemaque APELANTE :

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RELATORA : MINISTRA ELIANA CALMON EMENTA PROCESSUAL CIVIL AGRAVO REGIMENTAL MANDADO DE SEGURANÇA REQUISITOS NÃO DEMONSTRADOS INDEFERIMENTO. 1. Não restaram configurados os requisitos para a concessão da

Leia mais

Des. Federal Élio Siqueira Relator (convocado)

Des. Federal Élio Siqueira Relator (convocado) APELAÇÃO CÍVEL Nº 242884 - SE APTE: UNIÃO APDO: RENATO SILVA CORREIA REPTE: SINTSEP/SE - SINDICATO DOS TRABALHADORES DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL ADV/PROC: JOAO SANTANA FILHO E OUTROS REMTE: JUÍZO DA 2ª

Leia mais

EXTRATO DA SESSÃO DE JULGAMENTO DO PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR CVM Nº RJ2009/9443

EXTRATO DA SESSÃO DE JULGAMENTO DO PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR CVM Nº RJ2009/9443 EXTRATO DA SESSÃO DE JULGAMENTO DO PROCESSO ADMINISTRATIVO SANCIONADOR CVM Nº RJ2009/9443 Acusados: Delta Hedge Empreendimentos e Consultoria Econômico-Financeira Ltda. Ementa: Não observância aos limites

Leia mais

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO INTERNO (AC/RN: 0079391-19.2012.8.19.0021) AGRAVANTE: MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS AGRAVADA: HOCHTIEF DO BRASIL S.A.

PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO INTERNO (AC/RN: 0079391-19.2012.8.19.0021) AGRAVANTE: MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS AGRAVADA: HOCHTIEF DO BRASIL S.A. PODER JUDICIÁRIO PRIMEIRA CÂMARA CÍVEL AGRAVO INTERNO (AC/RN: 0079391-19.2012.8.19.0021) AGRAVANTE: MUNICÍPIO DE DUQUE DE CAXIAS AGRAVADA: HOCHTIEF DO BRASIL S.A. R E L A T Ó R I O Trata-se de agravo interno

Leia mais