Projecto de Rede da Câmara Municipal do Entroncamento IPLEIRIA CET IMRSI - PIRSI. Filipe Batista Ricardo Santos Ricardo Serra

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Projecto de Rede da Câmara Municipal do Entroncamento IPLEIRIA CET IMRSI - PIRSI. Filipe Batista 7070507 Ricardo Santos 7070665 Ricardo Serra 7070902"

Transcrição

1 Projecto de Rede da Câmara Municipal do Entroncamento IPLEIRIA CET IMRSI - PIRSI Destinatários: Prof. Leandro Romano / Prof. Renato Saturnino / Prof. Rui Silva Relatores: Filipe Batista / Ricardo Santos / Ricardo Serra Leiria, 30 de Março de 2009

2 2 Índice 1. Introdução Objectivos Ramo de Actividade Constituição do Município Historial Colaboradores por cargo Organograma Clientes, Fornecedores Tipos de Redes a Implementar Considerações Gerais Planeamento Postos de Trabalho (Computadores) Segmentação de Rede (VLAN s) Convenção de Nomes Ligação Entre Edifícios Modelo Lógico Câmara Municipal (Sede) Departamento de Urbanismo e Obras Municipais Biblioteca Municipal e Estaleiros/Oficinas Plantas Edifício Sede... 28

3 Departamento de Urbanismo e Obras Municipais Biblioteca Municipal Orçamento Equipamento Passivo Equipamento Activo Extras Total Implementação SWITCH Layer SWITCH Layer Servidor PDC (DNS/DHCP/OpenLDAP) OPENLDAP WEBMIN phpldapadmin DNS + DHCP NTP Servidor de Ficheiros Servidor de Servidor VoIP Servidor de Gestão Documental Workstation Conclusão Webgrafia... 55

4 4 Índice Anexos Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo Anexo

5 5 1. Introdução Este trabalho surge no âmbito da disciplina de Projecto Integrado de Redes e Sistemas Informáticos (PIRSI) do Curso de Especialização Tecnológica Instalação e Manutenção de Redes e Sistemas Informáticos, com o intuito de realizar um projecto de rede para Câmara Municipal do Entroncamento. Este trabalho será constituído essencialmente por três fases: Realização do Caderno de Encargos e Levantamento de Necessidades; Realização do Modelo Lógico; Implementação do Modelo Lógico em laboratório.

6 6 2. Objectivos O nosso projecto tem como objectivo a apresentação de uma infra-estrutura de rede, para Câmara Municipal do Entroncamento. Será necessária a ligação entre todos os departamentos, incluindo os que existem fora do edifício principal da câmara municipal, nomeadamente Departamento de Urbanismo e Obras Municipais (± 50m de distância), a Biblioteca Municipal (± 60m de distância) e os Estaleiros/Oficinas (± 500m de distância), iremos adequar o projecto de maneira a que estes fiquem interligados entre si. Câmara Municipal -Sede Dept. de Urbanismo e Obras Municipais Biblioteca Municipal Estaleiros/Oficinas Imagem 1 - Localização dos edifícios (Imagem retirada do Serviço de Mapas Sapo

7 7 A Câmara Municipal do Entroncamento encontra-se a funcionar num edifício cuja estrutura não foi adaptada de raiz para a rede informática (datada de 1942), como tal teremos de ter isso em conta na nossa implementação, mas sempre seguindo os aspectos das norma ISO/IEC e EN de modo a garantir a qualidade e longevidade da cablagem estruturada. Ter-se-ão em conta ainda os seguintes aspectos: Autenticação de utilizadores; Aplicação de políticas de segurança/permissões mediante o departamento; Sistema de Comunicação de Voz VoIP; Arquivo Digital de Documentos; ; Registo de domínio próprio, para uso personalizado de s; Sistema de cópias de segurança (Tapes); Implementação de Sistemas de RAID; Sistema de armazenamento de dados; Firewall; Segmentação de Redes (VLAN s); Software de Produtividade; Ligação à Internet; Solução para Fax; Solução de Impressão; Escalabilidade; 1 O ISO/IEC é um padrão internacional ISO e é especificamente utilizado em sistemas de cablagem de telecomunicações (cablagem estruturada). 2 EN é uma norma europeia semelhante há ISO/IEC em que apenas diferem em algumas especificações.

8 8 3. Ramo de Actividade Neste caso em concreto, a principal área de actividade prende-se com gestão do município a todos os níveis, prestando serviços tais como: Desenvolvimento, Inovação, Modernização, Controlo de Gestão e Turismo; Acção Social e Habitação; Planeamento e Urbanismo; Obras Municipais, Protecção Civil e Ambiente; Educação, Cultura, Desporto e Juventude; Administração e Finanças; Tesouraria. 4. Constituição do Município 4.1. Historial O Entroncamento é cidade e sede de concelho com 13,8 quilómetros quadrados e habitantes (Censos 2001). Tem duas freguesias, uma de cada lado da linha férrea que atravessa o concelho. O nome da cidade deriva do entroncamento ferroviário que aqui se formou, com a junção das Linhas do Norte e do Leste, em A estação do Entroncamento foi, durante décadas, ponto de paragem obrigatória para quem mudava da linha do Norte para a do Leste e vice-versa, quando o comboio era o meio de transporte mais utilizado. A aldeia foi crescendo, devido ao desenvolvimento dos transportes ferroviários e às respectivas estruturas de apoio aqui construídas oficinas e escritórios. A instalação de aquartelamentos militares, a partir de 1916, determinada pela situação geográfica e as acessibilidades ferroviárias, aumentou ainda mais a importância estratégica deste lugar em pleno desenvolvimento e, consequentemente, aumentou também a população. Aos ferroviários vieram juntar-se os militares e respectivas famílias. Em 25 de Agosto de 1926 a povoação foi elevada a freguesia, em 1932 a vila e em 24 de Novembro de 1945 foi promovida a concelho. Aos 20 dias do mês de Junho de 1991 o

9 9 Entroncamento é elevado a cidade. As principais actividades do concelho são agora o comércio e serviços, e indústrias ligadas à construção civil Colaboradores por cargo De seguida apresentamos uma tabela onde apresentamos a disposição dos 273 trabalhadores distribuídos pelos seus respectivos departamentos. Departamento N.º Trabalhadores Presidente 1 Gabinete de Apoio Pessoal 3 Geminação 1 Gabinete de Apoio a Órgãos Municipais 1 Protecção Civil 1 Comunicação 1 Serviço Jurídicos 3 Sistemas de Informação 3 Secção Central 6 Recursos Humanos 6 Divisão de Assuntos Sociais e Educação 5 Secção de Contabilidade e Armazéns 3 Secção de Águas e Saneamento 4 Secção de Pagamento e apoio geral 8 Secção de Licenças e Taxas 4 Tesouraria 1 Secção de Património e Notariado 2 Divisão de Desporto, Juventude e Tempos Livres 26 4 Divisão Cultura 6 3 Breve História do Concelho, in 4 Destes 26 colaboradores apenas 8 estão a trabalhar na sede, os restantes encontram-se a trabalhar na piscina municipal e polidesportivo;

10 10 DSU Divisão de Serviços Urbanos DOM Divisão de Obras Municipais 12 Secção de Apoio à DSU e DOM 4 DUOP Divisão de Urbanas e Obras Particulares 9 Secção de Apoio à DUOP 3 Biblioteca 8 Oficinas/Estaleiros 2 TOTAL 273 Tabela 1 - Listagem de trabalhadores por departamento Para melhor compreensão a estrutura funcional da Câmara Municipal do Entroncamento, apresentamos em baixo o organograma desta. 5 Destes 150 colaboradores apenas 7 estão no edifício sede a trabalhar, os restantes são trabalhadores do sector de limpeza, recolha de lixo, electricistas, etc.

11 Organograma Imagem 2 - Organograma

12 12 5. Clientes, Fornecedores Visto tratar-se de um ramo de actividade muito específica, serão considerados como clientes da Câmara Municipal do Entroncamento a população em geral e as empresas. Relativamente a fornecedores contam com empresas de produtos alimentares, material de escritório, produtos de limpeza, de manutenção, de segurança e de livros. 6. Tipos de Redes a Implementar Neste projecto iremos apresentar uma solução para a implementação de uma rede local (LAN), de modo a permitir a interligação e comunicação entre os vários departamentos da Câmara Municipal, onde será ainda incluída a ligação entre a Biblioteca Municipal, o Departamento de Urbanismo e Obras Municipais que se encontram fora do edifício sede. Todos os departamentos terão acesso à internet com as devidas restrições. De modo a permitir a mobilidade e eficiência dos colaboradores, será ainda implementada uma rede sem fios (WLAN) no edifício sede e no Departamento de Urbanismo e Obras Municipais, para que estes tenham acesso à rede local e seus recursos independentemente do local onde se situem (qualquer ponto do edifício sede) e do equipamento a utilizar (PDA, Smartphone, portátil). O recurso a este tipo de rede será ainda utilizado para situações de reuniões, concedendo acesso temporário e limitado à internet para as pessoas convocadas. Situação semelhante ocorrerá no edifício da Biblioteca Municipal, no entanto, com acesso livre à internet para os utilizadores daquele espaço. 7. Considerações Gerais Relativamente ao software a usar iremos optar ao máximo por soluções Open Source (software livre), permitindo-nos assim obter uma redução de custos com a não aquisição de licenças de software proprietário. No que diz respeito à instalação eléctrica ficará por conta de uma outra entidade, onde iremos aproveitar as calhas técnicas e esteiras (irão ter separadores de forma a prevenir a interferência electromagnética) de cabos utilizados por estes para passarmos os cabos necessários, bem como instalar as respectivas tomadas de rede.

13 13 8. Planeamento Por cada departamento existirá um telefone VoIP e uma impressora laser de rede, haverá ainda alguns departamentos que terão acesso a uma plotter para impressão de trabalhos mais específicos. Como referimos anteriormente, nem todos os trabalhadores se encontram a trabalhar na sede, muitos deles efectuam determinadas funções que não requerem a utilização de um computador. De seguida segue uma lista com o número de postos de trabalho (Computadores) necessários do cargo Postos de Trabalho (Computadores) Departamento N.º Postos de Trabalhadores Trabalho Presidente 1 1 Gabinete de Apoio Pessoal 3 3 Geminação 1 1 Gabinete de Apoio a Órgãos Municipais 1 1 Protecção Civil 1 1 Comunicação 1 1 Serviço Jurídicos 3 3 Sistemas de Informação 3 3 Secção Central 6 6 Recursos Humanos 6 6 Divisão de Assuntos Sociais e Educação 5 5 Secção de Contabilidade e Armazéns 3 3 Secção de Águas e Saneamento 4 4 Secção de Pagamento e apoio geral 8 8 Secção de licenças e taxas 4 4 Tesouraria 1 1 Secção de património e notariado 2 2 Divisão de Desporto, Juventude e Tempos 26 8 Livres Divisão cultura 6 6 DSU divisão de serviços urbanos 150 7

14 14 DOM divisão de obras municipais Secção de apoio à DSU e DOM 4 4 DUOP divisão de urbanas e obras 9 9 particulares Secção de apoio à DUOP 3 3 Biblioteca 8 8 Oficinas/Estaleiros 2 2 TOTAL Tabela 2 - Listagem do número de Postos de Trabalho por Departamento 8.2. Segmentação de Rede (VLAN s) Irão ser criadas várias VLANs de acordo com o perfil de utilizador da rede, fazendo com que apenas determinados grupos de utilizadores comuniquem entre si e ainda optimizando o tráfego da rede. VLAN ID VLAN Descrição Rede 10 AdminSec Departamento de Administração e /24 Secretariado 20 FinanMatr Departamento de Finanças e /24 Matrimónios 30 EduCult Departamento de Assuntos Sociais, /24 Educação Cultura e Desporto 40 Urbanismo Departamento de Urbanismo e Obras /24 Municipais 50 VoIP VoIP /24 60 Imp Impressão /24 70 AP Acess Points /24 80 Wautenticado Wireless com autenticação /24 90 Wlivre Wireless com acesso livre /24 99 GestaoRede Gestão de rede / Servers Servidores / Biblioteca Funcionários da Biblioteca / Interligacao Interligação /30 Tabela 3 - Listagem de VLAN's a implementar

15 15 De acordo com a tabela acima, apresentamos o seguinte esquema afim de melhor compreensão. Imagem 3 Esquema das VLANs

16 Convenção de Nomes De forma a facilitar a manutenção da rede irá usar-se uma convenção de nomes que seja de fácil memorização tanto para os administradores de rede como para os seus utilizadores. Convenção de Nomes Tipo Descrição Exemplo Utilizadores Primeiro e último nome joao.santos Workstations Workstation, Departamento e Posto WSRH-01 WSDC-02 Servidores Servidor, Tipo de Servidor, Edifício SRVPDC-SEDE SRVVOIP-SEDE Impressoras Printer, Departamento PRT-SI Plotters Plotter, Departamento PLT-CULT

17 17 9. Ligação Entre Edifícios Como referimos anteriormente, será efectuada a ligação entre os todos os departamentos existentes e inclusive os que ficam fora do edifício sede, como o Departamento de Urbanismo e Obras Municipais, Biblioteca Municipal e ainda os Estaleiros/Oficinas. Relativamente ao Departamento de Urbanismo e Obras Municipais e a Biblioteca Municipal, encontrar-se-ão ligadas ao edifício sede (Câmara Municipal) através de fibra óptica multimodo 62,5/125µ com protecção metálica. De modo a evitar abertura de novas valas e túneis para passar os cabos de fibra óptica, irão ser utilizadas as condutas pluviais existentes. Os Estaleiros/Oficinas ficarão ligados através de uma solução de redes sem fios, isto é, será colocada uma antena direccional no topo deste edifício e outra no topo da Biblioteca Municipal, onde os access points ligados a estas antenas ficarão em modo bridge, para que desta forma os Estaleiros/Oficinas fiquem com acesso à rede local da Câmara Municipal. Imagem 4 Esquema de Ligação entre Edifícios

18 Modelo Lógico Câmara Municipal (Sede) De forma a compreender melhor os serviços e equipamentos a implementar, apresentamos de seguida o modelo lógico, acompanhado de uma breve explicação. Imagem 5 Modelo Lógico da Câmara Municipal

19 19 Será neste edifício que se encontrará a maioria dos servidores, postos de trabalho e os equipamentos de rede. Acesso à Internet O acesso à internet será efectuado através de um Modem/Router ADSL RDIS Cisco 876 (Anexo 4) que fará a ligação ADSL de 24 Mbps de download e 1 Mbps de Upload e onde irá ser subscrito o serviço de ip s fixos (2 ip s). Como irá ser criado um domínio.pt, para os colaboradores poderem efectuarem o envio de s com domínio próprio da instituição, é necessário este serviço de ip s fixos para aquando do registo de domínio introduzir os endereços dos servidores de DNS. Firewall/Proxy Existirá um servidor que funcionará como Firewall/Proxy, de modo a proteger rede interna para que esta não fique exposta à internet, sofra ataques e ainda faça cache dos conteúdos da internet acedidos pelos utilizadores, podendo assim filtrar estes e ainda reduzir o uso da largura de banda. Possuirá três interfaces de rede (Interface Gigabit), em que um receberá a ligação de internet (WAN), outro ligará a rede interna (LAN) e por fim outro estará ligado a um servidor que se encontrará uma zona DMZ 6. SMTP Server (DMZ) O SMTP Server ficará na zona DMZ e fará o envio e recebimento de para os outros servidores de de destino. Switch Layer 3 Ligado então à interface da rede interna da Firewall temos um switch modular 3 COM 7757 (Chassis de 7 slots Anexo 3). Este equipamento terá ligado às suas portas Ethernet os servidores do rés-do-chão (PDC/Ficheiros/ /VoIP/Gestão Documental) e através do transceivers receberá as ligações de fibra óptica, as do Departamento de Urbanismo e Obras Publicas e Biblioteca Municipal que terminam no repartidor óptico e ainda a ligação aos switch de layer 2 do rés-do-chão e primeiro piso. Os adaptadores do repartidor óptico irão receber dois pares de fibra óptica (4 fibras) provenientes de cada edifício, dois da Biblioteca Municipal e outros dois do Departamento de Urbanismo e Obras Municipais, as restantes 6 Zona desmilitarizada, corresponde a uma zona da rede que tem as portas abertas para determinado serviço de modo a ser acedido externamente, mas que de certa forma está separada da rede local.

20 20 fibras (4 de cada edifício) serão cruzadas e fundidas (duas de um edifício com duas do outro) de forma a promover redundância. Servidores Relativamente aos servidores serão tomadas medidas de protecção de dados através da implementação de RAID (Redundant Array of Inexpensive Disks), RAID 1 para a maioria dos servidores com excepção dos servidores de Ficheiros, e Gestão Documental que será RAID 5. Os servidores são os seguintes: PDC/DNS/DHCP/RADIUS Servidor para autenticação dos utilizadores que funcionará com Primary Domain Controller e terá serviços adicionais como DNS (Domain Name Server), DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol e ainda RADIUS (Remote Authentication Dial In User Service) para o acesso sem fios com autenticação 802.1x. De referir que existirá um servidor igual no primeiro piso mas que será como Backup Domain Controller promovendo desta forma redundância e ainda distribuição de carga a nível de autenticação dos utilizadores; Ficheiros - Servidor de ficheiros que servirá para guardar os documentos de todos os utilizadores; Servidor de que permitirá guardar as contas e as caixas de correio dos utilizadores; VoIP Servidor de VoIP (Voice Over Internet Protocol) que funcionará como central telefónica e permitirá as comunicações de voz internas, bem como as externas através de uma placa PCI RDIS (Anexo 10) que possibilitará as chamadas para a rede publica; Gestão Documental Servidor de gestão documental que será para correr uma aplicação que permitirá ao utilizador o acompanhamento e resolução de documentos/processos a resolver. Switch Layer 2 Os switches de layer 2, que iremos utilizar serão switches stackable 3 COM 4500G PWR de 48 e 24 portas (Anexo 1) (uma unidade de cada) o que perfaz um total de 72 portas Ethernet que ligarão às tomadas de serviço (TO) dos postos de trabalho. No piso superior utilizaremos outro conjunto igual de 2 switches. Estes equipamentos possuem PoE (Power Over Ethernet 802.3af) o que nos permitirá ligar equipamentos que

21 21 suportem esta norma, como os telefones VoIP e access points, sem ter de recorrer as fontes de alimentação auxiliares. Estes switches ainda receberão a fibra óptica proveniente do switch de layer 3. Existirão tomadas de rede para todos as Workstations existentes em cada departamento, bem como para as impressoras laser (ou plotter no caso do Departamento de Cultura) e telefones VoIP. Relativamente aos restantes equipamentos, cada departamento terá, além dos respectivos postos de trabalho, um telefone VoIP Linksys SPA922-EU (Anexo 5) e uma Impressora HP LaserJet P2015n. Estas estarão acessíveis na rede, podendo assim ser usadas por todos os funcionários do departamento (a mesma situação ocorre na Biblioteca e Departamento de Urbanismo e Obras Municipais). Haverá duas plotters, uma situada no edifício sede, na divisão da Cultura, e outra, no edifício Departamento de Urbanismo e Obras Municipais, na Divisão de serviços urbanos. Teremos vários pontos de acesso (AP's Anexo 6) espalhados pelos edifícios, quatro no primeiro andar do edifício-sede e dois no R/C, na biblioteca (acesso livre aos frequentadores do local) e no Edifício do Departamento de Urbanismo e Obras Municipais serão dois. Existirá ainda quatro fotocopiadoras, uma em cada piso dos respectivos edifícios. Listagem de Equipamento que irá existir na zona dos bastidores do R/C e 1º piso: 2 Bastidores APC AR U; 1 UPS APC Smart-UPS VT 40KVA 400V para as Workstations; 1 UPS APC Symmetra RM 4kVA Scalable to 6kVA para servidores+switches R/C; 1 UPS APC Smart-UPS 2200VA USB & Serial RM 2U 230V para switches+servidor 1º Piso; 2 Servidores HP Proliant DL320 (Anexo 9) em RAID 1 (RC:PDC/DNS/DHCP/RADIUS e 1º Piso:BDC/DNS/DHCP/RADIUS); 1 Servidor HP Proliant DL 120 em RAID 1 (SMTP Server Anexo 7); 1 Servidor HP Proliant DL 120 em RAID 1 com placa extra PCI RDIS 8 canais (VoIP - Anexo 7 e Anexo 10); 1 Servidor HP Proliant DL 120 em RAID 1 com placa extra PCI 2 interfaces Ethernet gigabit (Firewall - Anexo 7);

22 22 3 Servidores HP Proliant DL 180 (Anexo 8) em RAID 1 para sistema operativo e RAID 5 para os dados (Ficheiros/ /Gestão Documental); 2 Switches 3COM 4500G PWR 48-Port (Anexo 1); 2 Switches 3COM 4500G PWR 24-Port (Anexo 1); 1 Switch 3COM 7557 (Anexo 3); 1 HP StorageWorks 1/8 G2 Tape Autoloader para efectuar cópias de segurança dos dados regularmente; 1 Modem/Router ADSL ISDN Cisco 876 (Anexo 4); 1 Trendnet 8 Port KVM Rack Mount Switch de modo a que se utilize o mesmo teclado/rato/monitor para os servidores existentes no R/C; 2 Módulos APC Rack LCD 15" Monitor-Teclado-Rato;

23 Departamento de Urbanismo e Obras Municipais De forma a compreender melhor os serviços e equipamentos a implementar, apresentamos de seguida o modelo lógico do Departamento de Urbanismo e Obras Municipais, acompanhado de uma breve explicação. Imagem 6 Modelo Lógico do Departamento de Urbanismo e Obras Municipais Para este departamento optou-se por fazer-se uma ligação de fibra óptica tendo como ponto de partida o edifício sede, de modo a evitar abertura de novas valas e túneis para passar os cabos de fibra óptica, irão ser utilizadas as condutas pluviais existentes. A fibra óptica entra no edifício até à zona dos bastidores, onde existirão 2 switches stackable 3 COM 4500G PWR de 48 e 24 portas (uma unidade de cada) (Anexo 1), que receberão as ligações dos cinco departamentos aí existentes (workstations, impressoras, plotters, telefones voip e uma fotocopiadora/fax a que todos terão acesso).

24 24 Neste edifício também se irá implementar 2 access points para utilizadores ocasionais e para os que não tenham local de trabalho fixo neste edifício. Também se optou por colocar 2 UPS, uma de menor capacidade para a zona do bastidor e outra de maior capacidade para as workstations. Listagem de Equipamento existente na zona dos bastidores: 1 Bastidor Bastidor NetShelter SX 24U APC AR3104; 1 Módulo APC Rack LCD 15" Monitor-Teclado-Rato; 1 UPS APC Smart-UPS 2200VA USB & Serial RM 2U 230V para os switches; 1 UPS APC Smart-UPS RT 10,000VA RM 230V para as workstations; 1 Switch 3Com 4500G PWR 48-Port (Anexo 1); 1 Switch 3COM 4500G PWR 24-Port (Anexo 1).

25 Biblioteca Municipal e Estaleiros/Oficinas De forma a compreender melhor os serviços e equipamentos a implementar, apresentamos de seguida o modelo lógico da Biblioteca Municipal e dos Estaleiros/Oficinas, acompanhado de uma breve explicação. Imagem 7 Modelo Lógico da Biblioteca Municipal e Estaleiros/Oficinas

26 26 Biblioteca A Biblioteca, tal como no Departamento de Urbanismo e Obras Municipais, irá ter fibra óptica proveniente do edifício Sede e também se irá utilizar as condutas pluviais existentes. A fibra entra no edifício da Biblioteca Municipal e vai para zona onde se encontram os bastidores. Aqui existirá um servidor que irá guardar informação relativa aos livros e documentos existentes na biblioteca. Para além de uma UPS de média capacidade para todo o equipamento informático, colocarse-á um switch layer 2 de 24 portas que irá distribuir toda a informação pelos 3 departamentos aí existentes e a zona da biblioteca, nestas divisões haverá uma impressora, telefones voip e ainda uma fotocopiadora/fax que será comum a todos. Iremos também dotar este edifício com acesso livre sem fios através de 2 access points. Estaleiros/Oficinas Relativamente aos Estaleiros/Oficinas irão estar interligados por wireless em modo bridge, para isso existirá uma antena direccional ligada a um acess point na biblioteca a enviar o sinal para este edifício que fica distanciado em linha recta a cerca de 420 metros, onde também irá estar uma antena para receber e enviar informação. Aqui irá colocar-se um bastidor mural, um switch de layer 2 com 12 portas que irá fazer a distribuição da informação para as 2 workstations, telefone voip e impressora. Listagem de Equipamento existente na zona dos bastidores da Biblioteca: 1 Bastidor Bastidor NetShelter SX 24U APC AR3104; 1 Módulo APC Rack LCD 15" Monitor-Teclado-Rato; 1 UPS APC Smart-UPS 2200VA USB & Serial RM 2U 230V 1 Switch 3COM 4500G PWR 24-Port (Anexo 1); 1 Antena Yltek 2.4 Ghz Grelha 19 Dbi; 1 Servidor HP ProLiant DL320 (Anexo 9) G5p Series Intel Xeon 3GHz 2x250GB/2GB DDR2/DVD-RW;

27 27 Listagem de Equipamento existente na zona dos bastidores da Biblioteca: 1 Bastidor Bastidor NetShelter WX 13U APC AR100; 1 Módulo APC Rack LCD 15" Monitor-Teclado-Rato; 1 UPS APC Smart-UPS 1000VA USB & Serial RM 2U 230V; 1 Switch 3Com Switch 4200G 12-Port (Anexo 2); 1 Antena Yltek 2.4 Ghz Grelha 19 Dbi.

28 Plantas Edifício Sede De seguida apresentamos as plantas do R/C e 1.º andar do edifício Sede com a respectiva localização dos departamentos, alguns dispositivos e cablagem. Imagem 8 Planta do R/C da Câmara Municipal

29 29 Imagem 9 Planta do 1.º Piso da Câmara Municipal

30 Departamento de Urbanismo e Obras Municipais De seguida apresentamos a planta do edifício do Departamento de Urbanismo e Obras Municipais com a respectiva localização dos departamentos, alguns dispositivos e cablagem. Imagem 10 Planta do Departamento de Urbanismo e Obras Municipais

31 Biblioteca Municipal De seguida apresentamos a planta do edifício da Biblioteca Municipal com a respectiva localização dos departamentos, alguns dispositivos e cablagem. Imagem 11 Planta da Biblioteca Municipal

32 Orçamento Equipamento Passivo De seguida apresentamos o orçamento do equipamento passivo. Referência Descrição Qt. Preço/Un. Total C6CPCU HB C6CPCU HB Cat6Plus Cordão Flexível UTP RJ45 - LS/OH IEC m 169 7, ,94 Cat6Plus Cordão Flexível UTP RJ45 - LS/OH IEC m 169 7, ,93 AR3350 Bastidor NetShelter SX 42U 750mm Wide x 1200mm , ,00 AR100 Bastidor NetShelter WX 13U w/threaded 1 574,80 574,80 AR3104 Bastidor NetShelter SX 24U 600mm x 1070mm , ,40 Suporte SUPORTE DE ANTENA EM L 2 12,95 25,90 CABCAT6305 UTP BOBINE CABO UTP CAT6 SOLIDO 305M , , Tomada de parede RJ-45 Categoria 6 (embalagens de 10) 17 9,05 153,82 RJ45 Ficha Blindada RJ45 + Tampa 10 0,48 4,80 HF062UNI8ST ANM Fibra optica 62,5/125µm Armadura Metálica, Unitubo - Exterior - OM1 / 8 Fibras (1 metro) 180 2,26 406,80 HOPLC LC293 Fibra optica Cordão LC - LC Duplo 62.5/125 5m 1 26,11 26,11 3CSFP91 3Com 1000BASE-SX SFP Transceiver 6 220, ,80 PK4250 Pigtail Rpsma Macho - Rpsma Femea 5m 2 19,79 39,58 MMCACCCM0 01 Painel Organizador de Cabos 19" 1U c/ Argolas 11 25,16 276,76 MMCACCCM0 02 Argolas para Organização Vertical de Cabos 6 10,63 63,78 HOPLC LC293 Chicotes opticos Cordão LC - LC Duplo 62.5/125 2m 3 21,63 64,89 FPCC1SXMM0 8LC2 Repartidor Óptico c/ 4 Adaptadores Duplos LC Multimodo - Preto 3 98,53 295,59 Fusão de 1 fibra Optica 28 9,64 269,92 CABLE264 Cabo para Data Switch 1.8m 7 9,86 69,02 P24KC6 Patch Panel UTP Cat.6 24 Portas 11 74,29 817,19 TOTAL ,03

33 Equipamento Activo De seguida apresentamos o orçamento do equipamento activo. Referência Descrição Qt. Preço/Un. Total Workstation E5200/2GB/160GB/DVD-ROM/Teclado+Rato/ASUS VW161D , ,64 SPA922-EU Telefone VoIP Linksys SPA922-EU 26 95, ,34 C7770F HP DesignJet 500 Plus , ,00 J7934G Servidor de Impressão Fast Ethernet HP Jetdirect 620n 2 510, ,00 WAP200-EU Linksys Wireless-G Access Point , ,64 AH164A HP StorageWorks 1/8 G2 Tape Autoloader , ,80 3CR Com Switch 4500G PWR 48-Port , ,60 3CR Com Switch 4500G PWR 24-Port , ,60 3CR Com Switch 4200G 12-Port 1 828,00 828,00 3C Com Switch Slot + 96Gbps Switch Fabric port 10/100/1000BASE-T - 4-port 1000BASE-X Module , ,78 ANT Yltek 2.4 Ghz Grelha 19 Dbi 2 42,46 84,92 P36586 Modem/Router ADSL ISDN Cisco ,80 400,80 B800P Placa PCI com 8 portas BRI/RDIS - OpenVox B800P 1 584,40 584,40 TK-801R Trendnet 8 Port KVM Rack Mount Switch 1 154,07 154,07 SUA2200RMI2U APC Smart-UPS 2200VA USB & Serial RM 2U 230V , ,00 SUVTP40KH4B4 /SUVTBXR6B6S APC Smart-UPS VT 40KVA 400V w/4 Batt + SUVTBXR6B6S Battery Unit , ,00 SYH4K6RMI/SYB T2/SYPM2KU APC Symmetra RM 4kVA Scalable to 6kVA N V + SYBT2 Battery Unit , ,80 SURT10000RMXL I APC Smart-UPS RT 10,000VA RM 230V , ,00 SUA1000RMI2U APC Smart-UPS 1000VA USB & Serial RM 2U 230V 1 610,80 610,80 CB449A HP LaserJet P2015n , ,00 KM-2540 KYOCERA KM-2540 C/ DUPLEX , ,60 DL320 DL120 DL120 DL180 Servidor HP ProLiant DL320 G5p Series Intel Xeon 3GHz 2x160GB/2GB DDR2/DVD-RW , ,00 Servidor HP ProLiant DL120 G5 Series Intel Pentium 1.80GHz 2x160GB/2GB DDR2/DVD-ROM , ,00 Servidor HP ProLiant DL120 G5 Series Intel Pentium 1.80GHz 2x160GB/2GB DDR2/DVD-ROM + 3 interfaces de rede ethernet gigabit , ,00 Servidor HP ProLiant DL180 G5 Series Intel Xeon 2GHz 2GB DDR2/2x160GB/3x250GB/Controlador HP Smart Array P , ,00

34 34 DL320 Servidor HP ProLiant DL320 G5p Series Intel Xeon 3GHz 2x250GB/2GB DDR2/DVD-RW , ,00 AP5015 APC 15 Rackmount Keyboard Monitor Mouse 4 936, ,52 TOTAL , Extras No orçamento que apresentamos de seguida está incluído todo software necessário, assim como também o registo de domínios e acesso à internet. Referência Descrição Qt. Preço/Un. Total Vodafone Voz Fixa Plus Mensalidade + 2 IP's Fixos + Chamadas 1 282,90 282,90 DNSpt Dominio.PT (5 anos) 1 78,00 78,00 Kaspersky Kaspersky Anti Virus + Licença de 1 ano 1 213,98 213,98 PDC(BDC)/DNS/DHCP/RADIUS Ubuntu Server Free Radius 2 0,00 - SMTP Server Ubuntu Server Post Fix 1 0,00 - VoIP Trixbox CE ,00 - Server Ubuntu Server Zarafa ,00 - GestãoDocumental Ubuntu Server Knowledgetree CE 1 0,00 - ServidorDadosBibilioteca Ubuntu Server Koha ,00 - ServidorFicheiros Ubuntu Server ,00 - ProxyFirewall Endian Firewall CE ,00 - Workstations Ubuntu Desktop ,00 - TOTAL 574,88 Como os ficheiros têm que ter alguma protecção extra, apesar do sistemas open source serem vírus-free, decidimos optar pelo Kaspersky Anti-Virus para o Servidor de Ficheiros, deste modo aumentamos o nível de protecção dos ficheiros que se encontram no servidor. Para internet escolhemos a opção Voz Fixa Plus da Vodafone com uma ligação ADSL de 24 Mbps de download/1 Mbps de Upload e ainda com opção de IP fixo. Em termos de domínio, escolhemos o registo de um domínio.pt (www.dns.pt) com um prazo de registo de 5 anos.

35 Total Apresentamos de seguida o somatório dos orçamentos anteriores. Tipo Valor Equipamento Passivo ,03 Equipamento Activo ,31 Extras 574,88 TOTAL ,21

36 Implementação SWITCH Layer 3 Relativamente a este tipo de equipamento, efectuou-se configurações a nível: Criação de interfaces VLAN s; Indicação do Helper-Address, para quando um cliente numa VLAN fizer um pedido DHCP possa saber onde está o DHCP Server; Atribuição do Hostname; Atribuição de palavras-chave aos terminais virtuais, consola e modo administrativo; Activação dos dos trunk ou access às interfaces; Configuração do protocolo VTP (Vlan Trunking Protocol) para a propagação das VLAN s; Segurança a nível de interfaces, fixando o MAC Address da primeira maquina ligada à porta do Switch; De seguida apresentamos alguns comandos para a configuração dos Switchs de Layer 3. Switch#conf t Switch(config)#hostname SW1-L3-SEDE SW1-L3-SEDE(config)#ip routing SW1-L3-SEDE(config)#enable secret cisco SW1-L3-SEDE(config)#no ip domain-lookup SW1-L3-SEDE(config)#line console 0 SW1-L3-SEDE(config-line)#password cisco SW1-L3-SEDE(config-line)#login SW1-L3-SEDE(config-line)#line vty 0 4 SW1-L3-SEDE(config-line)#password cisco SW1-L3-SEDE(config-line)#login SW1-L3-SEDE(config-line)#exit SW1-L3-SEDE(config)# service password-encryption SW1-L3-SEDE(config)#vlan 10 SW1-L3-SEDE(config)#name AdminSec SW1-L3-SEDE(config)#vtp mode server SW1-L3-SEDE(config)#vtp domain CM-ENTRONCAMENTO

37 37 SW1-L3-SEDE(config)#vtp password cisco SW1-L3-SEDE(config)#interface Vlan10 SW1-L3-SEDE(config-if)#ip address SW1-L3-SEDE(config-if)#ip helper-address SW1-L3-SEDE(config-if)#interface FastEthernet0/1 SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport trunk encapsulation dot1q SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport mode trunk SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport port-security maximum 1 SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport port-security mac-address sticky SW1-L3-SEDE(config-if)#interface FastEthernet0/2 SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport mode access SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport access vlan 100 SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport port-security maximum 1 SW1-L3-SEDE(config-if)#switchport port-security mac-address sticky SWITCH Layer 2 Relativamente a este tipo de equipamento, efectuou-se configurações a nível: Criação de interfaces VLAN s; Atribuição do Hostname; Atribuição de palavras-chave aos terminais virtuais, consola e modo administrativo; Activação dos dos trunk ou access às interfaces; Configuração do protocolo VTP (Vlan Trunking Protocol) para a propagação das VLAN s; Segurança a nível de interfaces, fixando o MAC Address da primeira maquina ligada à porta do Switch; Criação de access-lists de forma a restringir tráfego para algumas redes; De seguida apresentamos alguns comandos para a configuração (Anexo) dos Switchs de Layer 2. Switch#conf t Switch(config)#hostname SW1-L2-SEDE SW1-L2-SEDE(config)#enable secret cisco SW1-L2-SEDE(config)#no ip domain-lookup

38 38 SW1-L2-SEDE(config)#line console 0 SW1-L2-SEDE(config-line)#password cisco SW1-L2-SEDE(config-line)#login SW1-L2-SEDE(config-line)#line vty 0 4 SW1-L2-SEDE(config-line)#password cisco SW1-L2-SEDE(config-line)#login SW1-L2-SEDE(config-line)#exit SW1-L2-SEDE(config)#service password-encryption SW1-L2-SEDE(config)#vtp mode client SW1-L2-SEDE(config)#vtp domain CM-ENTRONCAMENTO SW1-L2-SEDE(config)#vtp password cisco SW1-L2-SEDE(config)#interface FastEthernet0/1 SW1-L2-SEDE(config-if)#switchport mode trunk SW1-L2-SEDE(config)#interface vlan99 SW1-L2-SEDE(config-if)#ip address SW1-L2-SEDE(config)# access-list 101 deny tcp host eq www SW1-L2-SEDE(config)# access-list 101 deny tcp host eq 443 SW1-L2-SEDE(config)# access-list 101 deny tcp host eq 22 SW1-L2-SEDE(config)# access-list 101 deny tcp host eq SW1-L2-SEDE(config)# access-list 101 deny tcp host eq 8080 SW1-L2-SEDE(config)# access-list 101 permit ip any any SW1-L2-SEDE(config)#interface FastEthernet0/2 SW1-L2-SEDE(config-if)#ip access-group 101 in

39 Servidor PDC (DNS/DHCP/OpenLDAP) De seguida apresentamos algumas das configurações efectuadas nos serviços. Após a instalação do sistema operativo (Ubuntu Server 8.10), efectuámos os seguintes passos: sudo apt-get update sudo apt-get upgrade #Actualização de repositórios #Actualiza todo o software existente OPENLDAP sudo apt-get install slapd ldap-utils #Instala o servidor OpenLDAP e utilitários sudo dpkg-reconfigure slapd #Para configurar de acordo com o domínio pretendido e a password de admin Para a configuração de esquemas adicionais no OpenLDAP (Open Lightweight Directory Access Protocol), criou-se um ficheiro ficheiro chamado schema_convert.conf e colocou-se alguns esquemas como: include /etc/ldap/schema/core.schema include /etc/ldap/schema/collective.schema include /etc/ldap/schema/corba.schema include /etc/ldap/schema/cosine.schema include /etc/ldap/schema/duaconf.schema include /etc/ldap/schema/dyngroup.schema include /etc/ldap/schema/inetorgperson.schema include /etc/ldap/schema/java.schema include /etc/ldap/schema/misc.schema include /etc/ldap/schema/nis.schema include /etc/ldap/schema/openldap.schema include /etc/ldap/schema/ppolicy.schema De seguida criar uma directoria para guardar dados temporários: mkdir /tmp/ldif_output Executar o comando: slaptest -f schema_convert.conf -F /tmp/ldif_output

40 40 Será necessário efectuar alguns ajustes no ficheiro de saída criado, para tal editamos o /tmp/ldif_output/cn=config/cn=schema/cn={8}misc.ldif alteramos as primeiras linhas para: dn: cn=misc,cn=schema,cn=config cn: misc Removemos sensivelmente as últimas 7 linhas, a começar na linha que contém structuralobjectclass: olcschemaconfig Após isto efectuamos o comando: ldapadd -x -D cn=admin,cn=config -f tmp/ldif_output/cn\=config/cn\=schema/cn\=\{8\}misc.ldif WEBMIN Após este passo inicial procedemos à instalação do WebMin, que nos permitiu o fácil controlo e configuração dos vários serviços existentes no servidor. Para efecutar a instalação adicionou-se o repositório do webmin (deb sarge contrib) ao ficheiro /etc/apt/sources.list Instalou-se a chave GPG associada ao repositório: wget apt-key add jcameron-key.asc Após isto poderemos instalar a aplicação, para tal fazemos: apt-get update apt-get install webmin Após a instalação, para efectuar a configuração dos vários módulos do Webmin, bem como a gestão do servidor apenas tivemos de abrir um browser e colocar no endereço, e colocar as credenciais no sistema de login apresentado.

41 41 Imagem 12 Webmin phpldapadmin O phpldapadmin permitiu-nos a fácil gestão do OpenLDAP, isto é, criar/remover utilizadores e grupos e ainda definir os vários atributos de cada conta. Para instalar efectuou-se o comando: apt-get install phpldapadmin Após isto é necessário alterar o memory limite do php, para tal editámos o ficheiro /etc/php5/apache2/php.ini e colocamos: memory_limit = 64M De seguida abrimos um browser e colocámos no endereço, e efectuámos o login com as credenciais de administração do OpenLdap: Login DN: cn=admin,dc=cm-entroncamento,dc=pt Password: ***** Tivemos que alterar algumas configurações do phpldapadmin manualmente, de modo a que se enquadrassem com o que pretendíamos, como por exemplo aparecer o DN correcto na página de login, atribuir o UID (User Identifier) /GID (Group Identifer) a partir de

42 42 determinado valor e ainda fazer o incremento correcto do UID/GID na criação de novos utilizadores. Para editámos o ficheiro /etc/phpldapadmin/config.php e alterámos o seguinte: $ldapservers->setvalue($i,'login','dn','cn=admin,dc=cm-entroncamento,dc=pt'); $ldapservers->setvalue($i,'auto_number','min','1020'); $ldapservers->setvalue($i,'auto_number','mechanism','search'); Imagem 13 - phpldapadmin DNS + DHCP Efectuou-se as instalações dos serviços DNS (Domain Name Server) e DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol), através do comando: sudo apt-get install bind9 sudo apt-get install dhcp3-server

43 43 De seguida foram criadas as zonas necessárias para o DNS, através do módulo BIND DNS Server do WebMin, editando ainda o ficheiro /etc/bind/named.conf.local (Anexo 11) de forma a dizer as zonas que poderão ser actualizadas dinamicamente e o campo da chave rndc-key que é instalada com o pacote Bind9. Após isto fomos configurar o ficheiro /etc/dhcpd.conf (Anexo 12) de forma a criar as pools necessárias para o DHCP, indicar quais as zonas DNS, bem como colocar parâmetros adicionais de forma a permitir os registos dinâmicos do DNS. Para que estes registos aconteçam, DHCP e o DNS têm de comunicar, para tal, utilizámos novamente a chave rndckey e que irá ser adicionada às zonas que queremos que ocorram estes registos dinâmicos NTP De modo a que as máquinas na rede possam ter o data/hora correcta em todas elas, procedemos à instalação do serviço NTP (Network Time Protocol). Para isso executámos o comando: apt-get install ntp Configurando de seguida o ficheiro /etc/ntp.conf de forma a providenciar o serviço na rede, para tal alterámos as seguintes linhas: server 2.pt.pool.ntp.org server 3.europe.pool.ntp.org server 0.europe.pool.ntp.org broadcast broadcast Estamos a utilizar a pool NTP de Portugal em primeiro lugar, seguida da Europeia e ainda activando o broadcast para as redes que pretendemos que utilizem este serviço Servidor de Ficheiros Este servidor de ficheiros irá permitir que os utilizadores, possam ter aceder ter acesso às suas pastas pessoais independentemente da máquina em que fizerem o login. Para esta funcionalidade recorremos ao LDAP em modo cliente e ainda ao NFS (Network File System). Após a instalação do sistema operativo (Ubuntu Server 8.10), procedeu-se à instalação dos seguintes pacotes:

44 44 apt-get install libpam-ldap libnss-ldap nss-updatedb libnss-db ldap-utils nfskernel-server No final da instalação foi-nos apresentado um assistente do OpenLDAP e que fomos preenchendo com as informações relativas ao nosso servidor OpenLDAP (PDC). No final da instalação dos pacotes foi necessário configurar o Name Service e o PAM (Pluggable Authentication Modules) para que o servidor reconheça os utilizadores e grupos criados no OpenLDAP. Primeiro configurámos o ficheiro /etc/nsswitch.conf de forma a ficar: passwd: group: files ldap files ldap Para verificar se o Name Service estava a funcionar correctamente executámos os comandos getent passwd e getent group, onde listou os utilizadores e grupos existentes na OpenLDAP. Procedemos de seguida à configuração do PAM editando os seguintes ficheiros, /etc/pam.d/common-account, /etc/pam.d/common-auth, /etc/pam.d/common-password e /etc/pam.d/common-session. (Anexo 13) A configuração do NFS é feita através do ficheiro /etc/exports de forma a definir quais as directorias a exportar, a permissões e parâmetros extras. /home /24(rw,no_root_squash,sync) Instalou-se ainda um serviço extra neste servidor, o de quotas, de forma a controlar o espaço disponível em disco para cada utilizador. Para tal, efectuou-se a instalação do pacote quota com o comando: apt-get install quota Após a instalação, editou-se o ficheiro /etc/fstab de forma a adicionar os parâmetros usrquota e grpquota, para activar as quotas nas partiçoes desejadas, reiniciando o servidor após as alterações de forma às efectivar Servidor de Este servidor permitirá aos utilizadores usufruírem do serviço de , podendo aceder este serviço via Web, recorrendo ao webmail, ou então utilizando a um cliente de (Thuderbird/Evolution) e por ai fazer o envio/recebimento dos seus s.

45 45 Para implementar o serviço de recorremos à solução, Zarafa, que é um groupware, uma solução semelhante ao Microsoft Exchange Server (para além do serviço de tem ainda gestão de contactos, tarefas e calendário), integrando-o com OpenLDAP para autenticação dos utilizadores e ainda ao Postfix para agente de transferência de s (MTA Mail transfer Agent). Após a instalação do sistema operativo (Ubuntu Server 8.04 devido a questões de compatibilidade do Zarafa), procedemos à instalação de alguns pacotes para resolução de dependências. apt-get install mysql-server-5.0 libmysqlclient15off apache2-mpm-prefork libapache2-mod-php5 postfix postfix-ldap Procedemos de seguida à instalação do Zarafa e posteriormente avançámos na configuração do servidor e integração deste com OpenLDAP e PostFix. Primeiro adicionámos o esquema zarafa.schema ao nosso servidor OpenLDAP. Após esta fase editámos os ficheiros /etc/zarafa/server.cfg e /etc/zarafa/ldap.cfg de acordo com os parâmetros referentes ao nosso servidor de LDAP, reiniciando no final o servidor de modo a este assumir as novas configurações. Para a integração do Postfix com o OpenLDAP e Zarafa foi necessário editar o ficheiro /etc/postfix/main.cf e colocar o seguinte: local_recipient_maps = $alias_maps alias_maps = hash:/etc/aliases ldap:ldapsrc mailbox_transport = zarafa: zarafa_destination_recipient_limit = 1 virtual_alias_maps = ldap:ldapsrc ldapsrc_server_host = ldapsrc_search_base = ou=utilizadores, dc=cm-entroncamento,dc=pt ldapsrc_query_filter = ( (mail=%s)(mailalternateaddress=%s)) ldapsrc_bind_dn = cn=admin, dc=cm-entroncamento,dc=pt ldapsrc_bind_pw = password ldapsrc_version = 3 ldapsrc_result_attribute = uid zarafa unix - n n - 10 pipe user=vmail argv=/usr/bin/zarafa-dagent ${user}

46 46 De forma assegurar a promover segurança extra, configurámos o acesso ao serviço de webmail por https, e a nível de vírus/spam, efectuou-se ainda a integração com o Postfix com Amavis-new+Spamasssassin+ClamAV. (Anexo 14)

47 47 Imagem 14 Login do sistema de webmail do Zarafa Imagem 15 Sistema de Webmail do Zarafa

48 Servidor VoIP Este servidor terá as funções de uma central telefónica, permitindo as comunicações internas como externas. Para a implementação deste serviço, utilizou-se a imagem de instalação de disponibilizada no site do Trixbox (www.trixbox.com), versão trixbox CE (stable), que não é mais que a distribuição CentOS 5.2 já com os pacotes todos instalados e necessários do trixbox. Após a instalação e configuração inicial de rede, criou-se algumas extensões de forma a poder implementar o nosso serviço. Para isso abrimos um browser e colocámos o endereço ip do nosso servidor e após o login, fomos ao menu PBX -> PBX Settings -> Extensions criar as extensões. Foi activado em cada extensão o sistema de voice de e com o envio de nova mensagem via . Para tal configurámos o serviço de no Trixbox com os dados do nosso servidor de , tendo ainda que alterar alguns parametros no Postfix do Trixbox de modo a que este pudesse fazer o envio correctamente. Para tal editámos o ficheiro /etc/postfix/main.cf e colocámos os seguintes dados: #smtp_sasl_password_maps = hash:/etc/postfix/saslpasswd #broken_sasl_auth_clients = yes #smtpd_sasl_auth_enable = no #smtp_always_send_ehlo = yes #smtp_sasl_auth_enable = yes #smtp_sasl_security_options = broken_sasl_auth_clients = yes smtpd_sasl_auth_enable = no smtp_always_send_ehlo = yes smtp_sasl_auth_enable = no smtp_sasl_security_options = Foram ainda editados os ficheiros /etc/asterisk/vm_ .inc, /etc/asterisk/vm_general.inc e /etc/asterisk/voic .conf de forma a possibilitar a personalização das mensagens enviadas de .

49 49 Imagem 16 Ecrã principal do Trixbox Imagem 17 - Exemplo de notificação de mensagem de voz d Trixbox via

50 Servidor de Gestão Documental Com o intuito de facilitar o acompanhamento e as várias fases de um documento, decidiu-se implementar um servidor que estivesse dotado de um software de gestão documental. Para a implementação desta funcionalidade utilizou-se o Alfresco, que é uma solução que permite a gestão de documentos, arquivos, conteúdos Web e sistema de colaboração. Após a instalação do sistema operativo (Ubuntu Server 8.10), procedeu-se à instalação dos seguintes pacotes, para questões de resolução de dependências: apt-get install imagemagick mysql-server 'openoffice.org-headless' xvfb swftools sun-java6-jdk sun-java6-jre nfs-common portmap Após isto efectuou-se a instalação do Alfresco Labs 3 Stable, sendo necessário após a instalação a configuração de alguns ficheiros base para a correcção de alguns parâmetros. Os ficheiros /opt/alfresco/alfresco.sh e /opt/alfresco/virtual_alf.sh : ALF_HOME= /opt/alfresco JAVA_HOME= "/usr/lib/jvm/java-6-sun /" /opt/alfresco/tomcat/shared/classes/alfresco/extension/custom-repository.properties: dir.root=/opt/alfresco/alf_data e ainda efectuar a escolha correcta da base de dados para MySQL. Este mesmo passo efectuou-se para o ficheiro custom-hibernate-dialect.properties que se encontrava na mesma directoria. Após isto efectuou-se a criação da base dados com o comando: mysql -p < /opt/alfresco/extras/databases/mysql/db_setup.sql De forma a integrar a autenticação de utilizador com o OpenLDAP, editou-se os ficheiros, /opt/alfresco/tomcat/shared/classes/alfresco/extension/ldap-synchronisation.properties e /opt/alfresco/tomcat/shared/classes/alfresco/extension/ldap-authentication.properties de acordo com os dados do nosso servidor, sendo ainda necessário renomear os ficheiros ldapsynchronisation-context.xml.sample e ldap-authentication-context.xml.sample (da mesma directoria), retirando o.sample.

51 51 Imagem 18 Ecrã de login do Alfresco Imagem 19 Conta pessoal do Utilizador no Alfresco

52 Workstation Para as workstations (postos de trabalho), optou-se pela instalação do sistema operativo Ubuntu Desktop 8.10 com autenticação dos clientes via LDAP, em que as pastas home encontram-se no Servidor de Ficheiros e são montadas via NFS. Após a instalação do sistema operativo procedeu-se à instalação dos seguintes pacotes: apt-get install libpam-ldap libnss-ldap nss-updatedb libnss-db ldap-utils nfskernel-server No final da instalação foi-nos apresentado um assistente do OpenLDAP e que fomos preenchendo com as informações relativas ao nosso servidor OpenLDAP (PDC). No final da instalação dos pacotes foi necessário configurar o Name Service e o PAM (Pluggable Authentication Modules) para que o servidor reconheça os utilizadores e grupos criados no OpenLDAP. Primeiro configurámos o ficheiro /etc/nsswitch.conf de forma a ficar: passwd: group: files ldap files ldap Para verificar se o Name Service estava a funcionar correctamente executámos os comandos getent passwd e getent group, onde listou os utilizadores e grupos existentes na OpenLDAP. Procedemos de seguida à configuração do PAM editando os seguintes ficheiros, /etc/pam.d/common-account, /etc/pam.d/common-auth, /etc/pam.d/common-password e /etc/pam.d/common-session. (Anexo 13) Por fim procedeu-se a edição do ficheiro /etc/fstab para que as pastas home sejam montadas automaticamente quando o utilizador faz o logon :/home /home nfs rsize=8192,wsize=8192,timeo=14,intr

53 53 Imagem 20 - Ecrã de login da Workstation Imagem 21 Ambiente de Trabalho da Workstation

54 Conclusão A realização deste projecto enriqueceu os nossos conhecimentos, pois foi construído de raiz desde a projecção até há implementação. O que nos levou a ter outra visão na criação de uma rede informática, tendo em conta todos os pontos de vista e a complexidade que é uma rede informática. Colocámos em prática grande parte dos conhecimentos adquiridos ao longo do último ano no decorrer do nosso CET, apesar de termos deparado com alguns dificuldades no decorrer da implementação, devido ao facto desta ser efectuada em máquinas virtuais, o que nos limitou algo a forma de implementar alguns serviços. No entanto pensamos que face ao aos recursos disponíveis conseguimos implementar um número significativo de serviços e por sua vez demonstrar as suas potencialidades. Achamos que demonstrámos que poder-se-á reduzir em muito os custos utilizando eficazmente as máquinas explorando todas as suas potencialidades e ainda recorrendo ao uso de software livre, que pode fazer as mesmas funções de um software pago. Por isso fica uma pergunta, se nós meros estudantes conseguimos implementar um projecto com software livre, para quando alguém do governo pensará em dotar os serviços públicos com estes softwares, já pensaram a nível económico no que se poupará?

55 Webgrafia Câmara Municipal do Entroncamento, consultado em 05/01/09; Entroncamento, consultado em 05/01/09; ISO/IEC 11801, consultado em 14/01/09; Cenelec, consultado em 14/01/09; Cablagem Estruturada, consultado em 14/01/09; visitado em 19/01/09; visitado em 19/01/09; visitado em 19/01/09; visitado em 19/01/09; visitado em 20/01/09; visitado em 20/01/09; visitado em 20/01/09; visitado em 20/01/09; visitado em 22/01/09; visitado em 22/01/09; visitado em 22/01/09; visitado em 26/01/09; visitado em 27/01/09; visitado em 27/01/09; visitado em 29/01/09; visitado em 29/01/09;

56 56 visitado em 29/01/09; visitado em 02/02/09; https://online.dns.pt, visitado em 02/02/09; visitado em 02/02/09; visitado em 02/02/09; visitado em 03/02/09; visitado em 03/02/09; visitado em 03/02/09; visitado em 04/02/09; visitado em 04/02/09; visitado em 04/02/09; visitado em 04/02/09; visitado em 05/02/09; visitado em 05/02/09; visitado em 05/02/09; visitado em 05/02/09; visitado em 05/02/09; visitado em 06/02/09; visitado em 06/02/09; visitado em 07/02/09; visitado em 10/02/09; visitado em 11/02/09; visitado em 12/02/09; visitado em 13/02/09;

57 57 visitado em 15/02/09: visitado em 19/02/09; visitado em 20/02/09; visitado em 20/02/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/openldap-server.html, visitado em 21/02/09; https://help.ubuntu.com/community/ldapclientauthentication, visitado em 22/02/09; https://help.ubuntu.com/community/postfixamavisnew, visitado em 23/02/09; visitado em 24/02/09; visitado em 24/02/09; visitado em 29/02/09; visitado em 1/03/09; visitado em 2/03/09; visitado em 3/03/09; visitado em 03/03/09; visitado 04/03/09; visitado em 05/03/09; visitado em 06/03/09;

58 58 visitado em 07/03/09; visitado em 08/03/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/dhcp.html, visitado em 08/03/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/ntp.html, visitado em 09/03/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/openssh-server.html, visitado em 10/03/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/dns.html, visitado em 11/03/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/httpd.html, visitado em 11/03/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/certificates-and-security.html, visitado em 12/03/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/postfix.html, visitado em 13/02/09; https://help.ubuntu.com/8.10/serverguide/c/network-file-system.html, visitado em 14/03/09; visitado em 15/03/09; visitado em 16/03/09; visitado em 17/03/09; visitado em 19/03/09; visitado em 20/03/09;

59 59 ANEXOS

60 60 Anexo 1

61 61

62 62

63 63 Anexo 2

64 64

65 65

66 66 Anexo 3

67 67

68 68

69 69

70 70 Anexo 4

71 71

72 72

73 73 Anexo 5

74 74

75 75 Anexo 6

76 76

77 77 Anexo 7

78 78

79 79 Anexo 8

80 80

81 81 Anexo 9

82 82

RELATÓRIO DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS APLICATIVOS BIND E POSTFIX

RELATÓRIO DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS APLICATIVOS BIND E POSTFIX RELATÓRIO DE INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS APLICATIVOS BIND E POSTFIX EDFRANCIS PEREIRA MARQUES SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO V INTRODUÇÃO NESTE RELATÓRIO VEREMOS A IMPORTÂNCIA DE CONHECER CADA COMANDO EXECUTADO,

Leia mais

Relató rió LikeWise, FTP e DHCP. Instalação e Configuração de Servidores de Rede

Relató rió LikeWise, FTP e DHCP. Instalação e Configuração de Servidores de Rede Relató rió LikeWise, FTP e DHCP INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO Instalação e Configuração de Servidores de Rede Trabalho realizado por: Tiago Conceição Nº 11903 Índice

Leia mais

Projecto de Cablagem Estruturada em Redes de Computadores. Proposta para o Edifício da ESTIG Piso 0 e Laboratório Piso -1(Sala 12)

Projecto de Cablagem Estruturada em Redes de Computadores. Proposta para o Edifício da ESTIG Piso 0 e Laboratório Piso -1(Sala 12) Projecto de Cablagem Estruturada em Redes de Computadores Proposta para o Edifício da ESTIG Piso 0 e Laboratório Piso -1(Sala 12) Ricardo Costa nº5963 João Caixinha nº5946 Manuel Terlica nº5968 Pedro Rodrigues

Leia mais

Relatório do Trabalho Prático nº 1. DNS e DHCP. Documento elaborado pela equipa: Jorge Miguel Morgado Henriques Ricardo Nuno Mendão da Silva

Relatório do Trabalho Prático nº 1. DNS e DHCP. Documento elaborado pela equipa: Jorge Miguel Morgado Henriques Ricardo Nuno Mendão da Silva Relatório do Trabalho Prático nº 1 DNS e DHCP Documento elaborado pela equipa: Jorge Miguel Morgado Henriques Ricardo Nuno Mendão da Silva Data de entrega: 22.10.2006 Indíce Introdução... 2 Configuração

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Projecto de cablagem estruturada Adriano Lhamas, Berta Batista, Jorge Pinto Leite Março de 2007 Projecto de cablagem Metodologia 1. Definição de requisitos 2. Planeamento 3. Projecto 2 Exemplo Empresa

Leia mais

Laboratório de Redes

Laboratório de Redes Laboratório de Redes Rui Prior 2008 2012 Equipamento de rede Este documento é uma introdução muito básica aos equipamentos de rede mais comuns, a maior parte dos quais iremos utilizar nas aulas de Laboratório

Leia mais

Empresa de Projecto e Desenvolvimento de. Engenharia Civil - EPDEC

Empresa de Projecto e Desenvolvimento de. Engenharia Civil - EPDEC Empresa de Projecto e Desenvolvimento de Engenharia Civil - EPDEC Pedido de Proposta para Implementação da Rede Informática Projecto: Rede Informática da EPDEC Novembro de 2007 Índice 1 Introdução...1

Leia mais

Comandos importantes Virtual Box Linux Compartilhamento

Comandos importantes Virtual Box Linux Compartilhamento Comandos importantes Virtual Box Linux Compartilhamento 1º passo - Acessar Virtual Box plataforma criada dispositivos pasta compartilhadas clicar no botão + no canto direito escolher destino ( Desktop)

Leia mais

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas

Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas ESCOLA PROFISSIONAL VASCONCELLOS LEBRE Curso de Instalação e Gestão de Redes Informáticas FICHA DE TRABALHO Nº3 José Vitor Nogueira Santos Topologia de Redes Fibra Óptica e Wireless - 0830 Mealhada, 2009

Leia mais

Faculdade Senac Relatório Projeto integrador SI 5

Faculdade Senac Relatório Projeto integrador SI 5 Faculdade Senac Relatório Projeto integrador SI 5 Introdução O objetivo do projeto era o de implementar alguns serviços e dividi-los em dois servidores. Os serviços são HTTP, Banco de Dados, DNS, FTP e

Leia mais

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador Viva o momento 3 4 5 5 6 6 7 8 9 12 12 14 16 17 18 19 20 21 22 22 23 23 24 24 24 25 26 27 Ligar o Router LEDs Configuração do Router Aceder à ferramenta de configuração

Leia mais

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012

Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Portfólio de Serviços e Produtos Julho / 2012 Apresentação Portfólio de Serviços e Produtos da WebMaster Soluções. Com ele colocamos à sua disposição a Tecnologia que podemos implementar em sua empresa.

Leia mais

Especificação da Appliance + SO CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server

Especificação da Appliance + SO CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Especificação da Appliance + SO CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Versão: 1.05 Data: 2010-12-15 Appliance CAMES.GT 1 ÍNDICE A Apresentação da Appliance CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server B Características

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROFESSOR: DIOGO NUNES

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROFESSOR: DIOGO NUNES FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PROFESSOR: DIOGO NUNES PREPARAÇÃO DOS SERVIDORES, CONFIGURAÇÃO DE SERVIÇOS E APLICAÇÃO DETÉCNICAS DE SEGURANÇA E HARDERING GABRIEL DUARTE THIAGO BATISTA

Leia mais

Laboratório de Redes

Laboratório de Redes Laboratório de Redes Rui Prior 2008 Equipamento de rede Este documento é uma introdução muito básica aos equipamentos de rede mais comuns, a maior parte dos quais iremos utilizar nas aulas de Laboratório

Leia mais

FIGURA 3.1 Transporte de dados através da tecnologia MIMO

FIGURA 3.1 Transporte de dados através da tecnologia MIMO COMUNICAÇÃO SEM FIOS 43 65 Mbps e os 600 Mbps, posicionando-se assim como a solução wireless para distribuição de conteúdos multimédia. Através do sistema MIMO (Multiple Input, Multiple Output), a área

Leia mais

Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma

Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma Formando-Fernando Oliveira Formador- João Afonso Mediador-Cristina Goulão Curso Técnico de Informática e Gestão de Redes ufcd / 20 11/11/2013 Turma -SDR LINUX ADMINISTRAÇÃO DNS significa (sistema de nomes

Leia mais

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius DHCP Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius Histórico O termo DHCP significa Dynamic Host Configuration Protocol Começou a se tornar popular

Leia mais

Linux Network Servers

Linux Network Servers DHCP Podemos configurar a rede de um cliente para obter IP dinamicamente ou configurar um IP estático. Encontramos configuração dinâmica em modems de banda larga, redes Wi-Fi etc, pois é mais prático para

Leia mais

MANUAL WIRELESS DOS PONTOS MUNICIPAIS DE BANDA LARGA

MANUAL WIRELESS DOS PONTOS MUNICIPAIS DE BANDA LARGA MANUAL WIRELESS DOS PONTOS MUNICIPAIS DE BANDA LARGA Introdução O Projecto Municipal dos Pontos Municipais de Banda Larga (PMBL) pretende dotar o Município de Almeida de equipamentos e infra-estruturas

Leia mais

BREVE MANUAL WIRELESS

BREVE MANUAL WIRELESS BREVE MANUAL WIRELESS Introdução O Projecto Municipal Seixal Digital pretende dotar o município do Seixal de equipamentos e infraestruturas que permitam o acesso às tecnologias de informação e comunicação.

Leia mais

Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server

Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Especificação do Sistema Operativo CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server Versão: 1.06 Data: 2010-11-15 SO CAMES 1 ÍNDICE A Apresentação do CAMES - CAixa Mágica Enterprise Server - Sistema Operativo de

Leia mais

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4

Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch de Acesso Fast Ethernet Modelo de Referência - Cisco SRW224G4 Switch Fast Ethernet com as seguintes configurações mínimas: capacidade de operação em camada 2 do modelo OSI; 24 (vinte e quatro) portas

Leia mais

Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida. Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic.

Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida. Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic. Conceptronic C100BRS4H Guia de Instalação Rápida Parabéns pela compra do seu Router de Banda Larga com 4 portas da Conceptronic. O seguinte Guia de Instalação de Hardware explica-lhe passo-a-passo como

Leia mais

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux

Curso de extensão em Administração de redes com GNU/Linux Curso de extensão em - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia Todo o material aqui disponível pode, posteriormente,

Leia mais

Laboratório de Sistemas e Redes. Nota sobre a Utilização do Laboratório

Laboratório de Sistemas e Redes. Nota sobre a Utilização do Laboratório Nota sobre a Utilização do Laboratório 1. Introdução O laboratório de Sistemas e Redes foi criado com o objectivo de fornecer um complemento prático de qualidade ao ensino das cadeiras do ramo Sistemas

Leia mais

Implementação de Asterisk (IP PBX) Henrique Cavadas 200803845 José Figueiredo 200604114

Implementação de Asterisk (IP PBX) Henrique Cavadas 200803845 José Figueiredo 200604114 Implementação de Asterisk (IP PBX) Henrique Cavadas 200803845 José Figueiredo 200604114 20 de Dezembro de 2014 Serviços de Comunicações Conteúdo 1 Introdução 2 2 Contextualização 3 2.1 PBX...................................

Leia mais

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9

Redes de Computadores. Funcionamento do Protocolo DNS. Consulta DNS. Consulta DNS. Introdução. Introdução DNS. DNS Domain Name System Módulo 9 Slide 1 Slide 2 Redes de Computadores Introdução DNS Domain Name System Módulo 9 EAGS SIN / CAP PD PROF. FILIPE ESTRELA filipe80@gmail.com Ninguém manda uma e-mail para fulano@190.245.123.50 e sim para

Leia mais

Ficha de Avaliação Sumativa

Ficha de Avaliação Sumativa Ficha de Avaliação Sumativa Nome: Nazmul alam Classificação: Nº: 11 Enc. Educação: Professor: 1. Numa LAN, qual tem melhor performance: IPX/SPX ou TCP/IP? IPX/SPX 2. Para que serve uma placa de rede? Estabelecer

Leia mais

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O

R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O INSTITUTO POLITÉCNICO DA GUARDA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO R E L A T Ó R I O D E E S T Á G I O ANTONY CARVALHO, Nº 9063 RELATÓRIO PARA A OBTENÇÃO DO DIPLOMA DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA EM

Leia mais

Redes de Computadores. Sistemas de cablagem

Redes de Computadores. Sistemas de cablagem Redes de Computadores Sistemas de cablagem Sumário! Sistemas de cablagem: Normalização Estrutura Tipos de cablagem e comprimentos Dimensionamento Componentes 2 Sistemas de cablagem! Devem ser instalados

Leia mais

Configurando um servidor DNS com atualização automática via DHCP

Configurando um servidor DNS com atualização automática via DHCP Configurando um servidor DNS com atualização automática via DHCP João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 1 Introdução Neste tutorial iremos descrever a configuração de um servidor DNS para uma rede local

Leia mais

Utilizar o Cisco UC 320W com o Windows Small Business Server

Utilizar o Cisco UC 320W com o Windows Small Business Server Utilizar o Cisco UC 320W com o Windows Small Business Server Esta nota de aplicação explica como implementar o Cisco UC 320W num ambiente do Windows Small Business Server. Índice Este documento inclui

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

Projecto Para Uma Rede de Acesso e Core de Um ISP

Projecto Para Uma Rede de Acesso e Core de Um ISP Universidade do Minho Mestrado em Engenharia Informática Tecnologias e Protocolos de Infraestrutura Projecto Integrado - TRAC/RCSFM Tecnologias de Redes de Acesso e Core Redes de Comunicações sem Fios

Leia mais

Application Notes: DHCP Relay. Funcionamento do DHCP Relay

Application Notes: DHCP Relay. Funcionamento do DHCP Relay Application Notes: DHCP Relay Funcionamento do DHCP Relay Application Notes: DHCP Relay Funcionamento do DHCP Relay. Data 29/10/2009 Parecer Introdução Desenvolvimento Funcionamento do DHCP Funcionamento

Leia mais

Instalação de um Cliente Linux em um domínio de rede Microsoft Windows NT4

Instalação de um Cliente Linux em um domínio de rede Microsoft Windows NT4 Instalação de um Cliente Linux em um domínio de rede Microsoft Windows NT4 Projeto Libertas-BR http://www.libertasbr.org.br 8 de setembro de 2005 1 Introdução Esta documentação orienta a integração de

Leia mais

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14

ETI/Domo. Português. www.bpt.it. ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 ETI/Domo 24810180 www.bpt.it PT Português ETI-Domo Config 24810180 PT 29-07-14 Configuração do PC Antes de realizar a configuração de todo o sistema, é necessário configurar o PC para que esteja pronto

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos

REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Administração de Empresas 2º Período Informática Aplicada REDES DE COMPUTADORES LAN e WAN: Topologias e Equipamentos Prof. Sérgio Rodrigues 1 INTRODUÇÃO Introdução Este trabalho tem como objetivos: definir

Leia mais

Algumas informações sobre a rede informática do ISA

Algumas informações sobre a rede informática do ISA Algumas informações sobre a rede informática do ISA Fernanda Valente Graça Abrantes A grande maioria dos computadores do Instituto Superior de Agronomia estão ligados entre si constituindo uma Intranet,

Leia mais

Servidor Proxy. Firewall e proxy

Servidor Proxy. Firewall e proxy Curso: Gestão em Tecnologia da Informação - Matutino Professor: Marissol Martins Barros Unidade Curricular: Fundamentos de Serviços IP Alunos: Matheus Pereira de Oliveira, Tárik Araujo de Sousa, Romero

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VI Programação de Sistemas de Comunicação Duração: 30 tempos Conteúdos 2 Construção

Leia mais

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS

INFORMÁTICA PARA CONCURSOS INFORMÁTICA PARA CONCURSOS Prof. BRUNO GUILHEN Vídeo Aula VESTCON MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. A CONEXÃO USUÁRIO PROVEDOR EMPRESA DE TELECOM On-Line A conexão pode ser

Leia mais

Curso Tecnológico de Informática Matriz de Exame de Equivalência de Tecnologias Informáticas Prova Prática - Código 259

Curso Tecnológico de Informática Matriz de Exame de Equivalência de Tecnologias Informáticas Prova Prática - Código 259 Curso Tecnológico de Informática Matriz de Exame de Equivalência de Tecnologias Informáticas Prova Prática - Código 259 Escola Secundária c/ 3.º Ciclo D. Dinis Ano Lectivo 2008/2009 Grupos Conteúdos Objectivos/Competências

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Redes de Computadores

Redes de Computadores Redes de Computadores São dois ou mais computadores ligados entre si através de um meio.a ligação pode ser feita recorrendo a tecnologias com fios ou sem fios. Os computadores devem ter um qualquer dispositivo

Leia mais

Instituto do Emprego e Formação Profissional

Instituto do Emprego e Formação Profissional Instituto do Emprego e Formação Profissional Curso de Instalação e Manutenção de Sistemas Informáticos/ Técnicos de Informática Módulo de Rede Local Administração (0775/RLA) Projeto de Administração de

Leia mais

Linux Caixa Mágica. Documentos Técnicos CM. Instalação por PXE Boot. Date: Pages: Issue: State: Access: Reference:

Linux Caixa Mágica. Documentos Técnicos CM. Instalação por PXE Boot. Date: Pages: Issue: State: Access: Reference: Linux Caixa Instalação por PXE Boot Date: Pages: Issue: State: Access: Reference: 02207/2005 9 Instalar e Configurar Final Público CM2005-2001 i Approved Version: RR Name Function Signature Date Paulo

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM

ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM ANO: 11º Redes de Comunicação ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/8 Componentes de um sistema de comunicações; Sistemas Simplex, Half-Duplex e Full- Duplex; Transmissão de sinais analógicos e digitais; Técnicas

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº3

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº3 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. Electrotécnica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº3 Rede Ponto-a-Ponto; Rede Cliente-Servidor; WAN básica com Routers 1 Objectivo Criar

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VIII Serviços de Redes Duração: 20 tempos Conteúdos (1) 2 Caraterizar, instalar

Leia mais

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP O Express First Net Internet Kit da D-Link permitirá que você conecte seu escritório com o mundo, compartilhe o acesso à Internet com grande

Leia mais

Servidor DHCP. Instalação e Configuração Servidores de Rede. Cet Redes, Projecto e Instalação de Redes Locais de Computadores. Docente: André Martins

Servidor DHCP. Instalação e Configuração Servidores de Rede. Cet Redes, Projecto e Instalação de Redes Locais de Computadores. Docente: André Martins Cet Redes, Projecto e Instalação de Redes Locais de Computadores Instalação e Configuração Servidores de Rede Docente: André Martins Servidor DHCP Elaborado por : João Caixinha Nº5946 Pedro Jorge Nº5979

Leia mais

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores

Capítulo 1: Introdução às redes de computadores ÍNDICE Capítulo 1: Introdução às redes de computadores Redes domésticas... 3 Redes corporativas... 5 Servidor... 5 Cliente... 7 Estação de trabalho... 8 As pequenas redes... 10 Redes ponto-a-ponto x redes

Leia mais

Aula 3 Servidor DNS BIND

Aula 3 Servidor DNS BIND 1 Aula 3 Servidor DNS BIND Um servidor DNS é responsável em responder pelos domínios e direcionar tudo que é relacionado a ele, nele por exemplo pode se apontar onde fica www.dominio.com.br, vai apontar

Leia mais

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux:

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: O LTSP (Linux Terminal Server Project) é uma solução que agrega um conjunto de serviços, de forma que máquinas clientes

Leia mais

Redes de computadores e Internet

Redes de computadores e Internet Polo de Viseu Redes de computadores e Internet Aspectos genéricos sobre redes de computadores Redes de computadores O que são redes de computadores? Uma rede de computadores é um sistema de comunicação

Leia mais

Switch>: User mode Limitado a comandos básicos de monitoramento.

Switch>: User mode Limitado a comandos básicos de monitoramento. Faculdade de Tecnologia Senac Pelotas Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Laboratório de Redes I Professor Eduardo Maroñas Monks Resumo de Comandos Cisco IOS (Switch 2960) versão 1b Modos

Leia mais

Instituto do Emprego e Formação Profissional

Instituto do Emprego e Formação Profissional Instituto do Emprego e Formação Profissional Curso de Instalação e Manutenção de Sistemas Informáticos Módulo de Rede Local - Instalação (0773 - RLI) Projeto Final Nome: N.º: Data: / / 20 Projeto de Servidores

Leia mais

E.E.P SENAC PELOTAS CENTRO HISTÓRICO

E.E.P SENAC PELOTAS CENTRO HISTÓRICO E.E.P SENAC PELOTAS CENTRO HISTÓRICO Alexsandra Corrêa da Rosa Andresa Cordeiro da Silva Gabrielly Duarte da Silveira Pamela da Silveira Barreto Pelotas, 2013 Alexsandra Corrêa da Rosa Andresa Cordeiro

Leia mais

Implementar Mediatrix 4400 Digital Gateways com o Cisco Unified Communications UC 320W

Implementar Mediatrix 4400 Digital Gateways com o Cisco Unified Communications UC 320W Implementar Mediatrix 4400 Digital Gateways com o Cisco Unified Communications UC 320W Este documento ajuda-o a configurar o Cisco UC 320W e os Mediatrix 4400 Series Digital Gateways, de forma a suportarem

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores

Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Virtualização - Montando uma rede virtual para testes e estudos de serviços e servidores Este artigo demonstra como configurar uma rede virtual para ser usada em testes e estudos. Será usado o VirtualBox

Leia mais

NetOp Remote Control. Versão 7.65. Adenda ao Manual

NetOp Remote Control. Versão 7.65. Adenda ao Manual NetOp Remote Control Versão 7.65 Adenda ao Manual Mover a perícia - não as pessoas 2003 Danware Data A/S. Todos os direitos reservados Revisão do Documento: 2004009 Por favor, envie os seus comentários

Leia mais

Sistemas Multimédia. Instituto Superior Miguel Torga. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Instituto Superior Miguel Torga. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Instituto Superior Miguel Torga Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Estrutura das Aulas 5 Aulas Aula 10 (20 de Abril) Classificação Componentes Aula 11 (27 de Abril)

Leia mais

Projecto de Redes para uma Indústria Têxtil

Projecto de Redes para uma Indústria Têxtil UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA Departamento de Engenharia Informática Projecto de Redes para uma Indústria Têxtil Engenharia de Redes 2000/2001 Ivo Alexandre Seixas Matos Esteves

Leia mais

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000 Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000 O Express First Net Internet Kit da D-Link permitirá que você conecte seu escritório com o mundo, compartilhe o acesso à Internet com grande

Leia mais

Tópicos Especiais em Informática

Tópicos Especiais em Informática Tópicos Especiais em Informática DCHP Prof. Ms.-Eng. Igor Sousa Faculdade Lourenço Filho 5 de novembro de 2014 igorvolt@gmail.com (FLF) Tópicos Especiais em Informática 5 de novembro de 2014 1 / 14 Introdução

Leia mais

1. Virtual LANs (VLANs) ISEL/DEETC Secção de Redes de Comunicação de Dados

1. Virtual LANs (VLANs) ISEL/DEETC Secção de Redes de Comunicação de Dados 1. Virtual LANs (VLANs) ISEL/DEETC Secção de Redes de Comunicação de Dados VLANS - Virtual LANs Objectivo Criação de redes locais virtuais sobre uma rede local física composta por um ou mais equipamentos

Leia mais

Claranet Service Description. Dedicated Hosting Linux

Claranet Service Description. Dedicated Hosting Linux Claranet Service Description Dedicated Hosting Linux Claranet Service Description - Dedicated Hosting Linux - 20100801.doc Página 2 de 8 Clara Dedicated Hosting Linux Pode escolher uma solução pré-definida

Leia mais

CC400020 Roubar de Modem ADSL Sem Fios Sweex

CC400020 Roubar de Modem ADSL Sem Fios Sweex CC400020 Roubar de Modem ADSL Sem Fios Sweex Introdução Antes de mais, gostaríamos de agradecer-lhe por ter escolhido adquirir o Roubar de Modem ADSL Sem Fios Sweex. Para uma utilização correcta deste

Leia mais

Manual de Configuração, Utilização e Boas Práticas para a integração de equipamentos de rede NAC em ambientes de produção empresariais.

Manual de Configuração, Utilização e Boas Práticas para a integração de equipamentos de rede NAC em ambientes de produção empresariais. NAC R1 Manual de Configuração e Utilização Manual de Configuração/Utilização Manual de Configuração, Utilização e Boas Práticas para a integração de equipamentos de rede NAC em ambientes de produção empresariais.

Leia mais

GlobalPhone - Central Telefónica. Manual de Configuração do ATA SPA3102 Linksys

GlobalPhone - Central Telefónica. Manual de Configuração do ATA SPA3102 Linksys Manual de Configuração do ATA SPA3102 Linksys Indíce 1 Introdução... 3 2 Upgrade de Firmware... 3 2.1 Verificação da Versão da FW... 3 2.2 Configuração do IP Fixo sem DHCP Server... 4 2.3 Obtenção do IP

Leia mais

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft

CPE Soft Manual. 125/400mW 2.4GHz. CPE Soft CPE Soft Manual 125/400mW 2.4GHz CPE Soft Campinas - SP 2010 Indice 1.1 Acessando as configurações. 2 1.2 Opções de configuração... 3 1.3 Wireless... 4 1.4 TCP/IP 5 1.5 Firewall 6 7 1.6 Sistema 8 1.7 Assistente...

Leia mais

Laboratório de Redes

Laboratório de Redes Laboratório de Redes Rui Prior 2012 Introdução às VLAN Este documento pretende dar uma breve introdução às Virtual LAN (VLAN), um conceito fundamental nas redes locais da actualidade. Conceito Por razões

Leia mais

Terminais LTSP com opensuse Um caso prático

Terminais LTSP com opensuse Um caso prático Terminais LTSP com opensuse Um caso prático Bruno Santos (feiticeir0@feiticeir0.no-ip.org) Caldas da Rainha, 1 de Setembro 2007 António Martins (digiplan.pt@gmail.com) Terminais LTSP com opensuse Agenda

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

VLAN - Virtual LAN. Objectivo

VLAN - Virtual LAN. Objectivo Virtual LAN (VLAN) VLAN - Virtual LAN Objectivo Criação de redes locais virtuais sobre uma rede local física composta por um ou mais equipamentos activos Vários domínios de broadcast num (ou mais) switch

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria Engenharia Informática e Comunicações

Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria Engenharia Informática e Comunicações Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Leiria Engenharia Informática e Comunicações WRAN Wireless Regional Access Network Fornecimento de Internet à população da Freguesia de Memória Orador: Tiago Mira

Leia mais

Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server

Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server Tornado 830 / 831 ADSL Router - 4 port Ethernet switch - Wireless 802.11G - Access Point - Firewall - USB printer server Tornado 830 Annex A Tornado 831 Annex B 1 1.1 Arrancar e iniciar sessão Active o

Leia mais

GlobalPhone - Central Telefónica. Manual de Configuração do ATA SPA2102 Linksys

GlobalPhone - Central Telefónica. Manual de Configuração do ATA SPA2102 Linksys Manual de Configuração do ATA SPA2102 Linksys Indíce 1 Introdução... 3 2 Upgrade de Firmware... 3 2.1 Verificação da Versão da FW... 3 2.2 Configuração do IP Fixo sem DHCP Server... 4 2.3 Obtenção do IP

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

Instituto. Rede Informática. Novembro de 2003

Instituto. Rede Informática. Novembro de 2003 Instituto Politécnico de Lisboa Rede Informática Novembro de 2003 12-20032003 1 12-20032003 2 Comunicações Ligação à Internet via FCCN (6Mbit/s utilizando ATM) Ligação a cada uma das escolas e serviços

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12

TERMO DE REFERÊNCIA. implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. 3 Módulo e cabo stack para switch de borda 12 TERMO DE REFERÊNCIA I DEFINIÇÃO DO OBJETO O presente Projeto Básico tem por objeto a aquisição de equipamentos para implantação e conectividade da rede de dados da EBSERH. ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE 1 Switch

Leia mais

GRUPO DISICPLINAR - Informática

GRUPO DISICPLINAR - Informática Curso: Tecnológico de Informática ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/8 1ª UNIDADE DE ENSINO-APRENDIZAGEM: Fundamentos de Transmissão CARGA HORÁRIA: 10 UNIDADES LECTIVAS 1º PERÍODO Noções Básicas de Transmissão

Leia mais

1.1 A abordagem seguida no livro

1.1 A abordagem seguida no livro 1- Introdução A área de administração de sistemas e redes assume cada vez mais um papel fundamental no âmbito das tecnologias da informação. Trata-se, na realidade, de uma área bastante exigente do ponto

Leia mais

25/03/2009 ERADMANAGER. Manual do Administrador Versão 2.1

25/03/2009 ERADMANAGER. Manual do Administrador Versão 2.1 25/03/2009 ERADMANAGER Manual do Administrador Versão 2.1 INDICE eradmanager Configuração Básica...3 Login Inicial...3 Ecrã Inicial...3 Gestão Básica...4 Utilizadores...4 Alteração da palavra-chave do

Leia mais

REDE DE COMPUTADORES

REDE DE COMPUTADORES UNIVERSIDADE METODISTA DE SÃO PAULO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO ÊNFASE EM ENGENHARIA DE SOFTWARE ARTHUR HENRIQUE DO PRADO FRANQUELO ALLAN ESTEVAM DE SOUZA CARLOS

Leia mais

CARDOZO, FELIPE BLANCO, THAIS COSTA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO PROJETO INTERDISCIPLINAR

CARDOZO, FELIPE BLANCO, THAIS COSTA RELATÓRIO FINAL DE PROJETO PROJETO INTERDISCIPLINAR Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial E.E.P. Senac Pelotas Centro Histórico Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego Curso Técnico em Informática ALÉCIO CARDOZO, FELIPE BLANCO, THAIS

Leia mais

Equipa de Informática. E-mail

Equipa de Informática. E-mail Equipa de Informática E-mail Conteúdo - Serviço de Email Página a. E-mail ESEL (utilizador@esel.pt) i. Outlook. Computadores da ESEL.... Computadores fora da ESEL..6. Enviar um E-mail pesquisando um contacto

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN

APRESENTAÇÃO DO CURSO. Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br. Prof. BRUNO GUILHEN APRESENTAÇÃO DO CURSO Prof. BRUNO GUILHEN www.brunoguilhen.com.br Prof. BRUNO GUILHEN MÓDULO I - INTERNET Aula 01 O processo de Navegação na Internet. O processo de Navegação na Internet A CONEXÃO USUÁRIO

Leia mais

MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS. Especificação do Projecto

MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS. Especificação do Projecto MERC 2010/11 RCM/TRC/SIRS Especificação do Projecto Grupo nº: 9 Turno (e campus): Taguspark Nome Número Luís Silva 68672 Ivo Marcelino 70684 José Lucas 70685 Nome do Projecto Enterprise Digital Content

Leia mais

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL

GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL GESTÃO DE SISTEMAS E REDES YNAMIC HOST CONFIGURATION PROTOCOL OUTLINE DHCP PROTOCOLO RELAY AGENT EXEMPLO LINUX EXEMPLO IOS DHCP Dynamic Host Configuration Protocol, ou DHCP, é um dos protocolos de suporte

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES

REDES DE COMPUTADORES REDES DE COMPUTADORES Redes de Computadores 3º Ano / 1º Semestre Eng. Electrotécnica Ano lectivo 2005/2006 Sumário Sumário Perspectiva evolutiva das redes telemáticas Tipos de redes Internet, Intranet

Leia mais

Administração de Redes 2014/15. Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP)

Administração de Redes 2014/15. Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) Administração de Redes 2014/15 Dynamic Host Configuration Protocol (DHCP) 1 Configuração de parâmetros de rede Para poder funcionar em rede e ligar-se à Internet, uma máquina precisa de ter um conjunto

Leia mais

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações

Sistemas Multimédia. Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP. Francisco Maia famaia@gmail.com. Redes e Comunicações Sistemas Multimédia Arquitectura Protocolar Simples Modelo OSI TCP/IP Redes e Comunicações Francisco Maia famaia@gmail.com Já estudado... Motivação Breve História Conceitos Básicos Tipos de Redes Componentes

Leia mais

RO002/RO002UK Sweex Broadband Router. Não existe nenhum aparelho ligado a esta porta

RO002/RO002UK Sweex Broadband Router. Não existe nenhum aparelho ligado a esta porta RO002/RO002UK Sweex Broadband Router Introdução Não exponha o Sweex Broadband Router a temperaturas extremas. Não coloque o dispositivo directamente ao sol ou perto de elementos de aquecimento. Não utilize

Leia mais