Serviços Diferenciados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Serviços Diferenciados"

Transcrição

1 Qualidade de Serviço I Serviços Diferenciados

2 Níveis de QoS Reserva de Recursos Fim-a-Fim Protocolo de Sinalização. Priorização de Recursos de Acordo com SLAs préestabelecidos. O primeiro pacote a chegar é o primeiro a ser atendido. Redes II UNIP - Professor Renê 2

3 Serviços Diferenciados (DiffServices) DiffServ ou serviços diferenciados é um método utilizado na tentativa de conseguir qualidade de serviço em grandes redes, como a Internet. Redes II UNIP - Professor Renê 3

4 Serviços Diferenciados (DiffServices) Algumas características do método: O método DiffServ opera sobre grandes volumes de dados. Negociação para todos os pacotes de dados. Acordos resultantes chamados ''Acordos de nível de serviço'', envolvem preços $. Acordos especificam que classes de tráfego serão servidas, que garantias são necessárias para cada classe, e qual o volume de dados para elas. Redes II UNIP - Professor Renê 4

5 Serviços Diferenciados: Diff-Serv Os conceitos básicos dos serviços diferenciados (Diff-Serv) são: Divisão da rede em roteadores de borda e core SLA: Service Level Agreement DS Field: marcação de pacotes Tráfego Agregado PHB: Per-Hop Behavior Redes II UNIP - Professor Renê 5

6 Arquitetura Diffserv Redes II UNIP - Professor Renê 6

7 Arquitetura Diffserv Redes II UNIP - Professor Renê 7

8 Elementos da Rede Diffserv Domínio Diff-Serv Conjunto de roteadores que disponibilizam serviço de comunicação IP com QoS. Roteador de Borda Roteador que faz interface direta com a rede do cliente. Trata o tráfego na forma de fluxos individuais Roteador de Core (Núcleo) Roteador que faz interface entre os roteadores de borda. Trata o tráfego na forma de fluxo agregado. Redes II UNIP - Professor Renê 8

9 Agregação de Fluxo Redes II UNIP - Professor Renê 9

10 O que significa fluxo agregado? O roteador de borda deve ter uma regra para cada fluxo individual, baseada nos campos dos cabeçalhos IP e TCP. Os pacotes são associados a regras de core através da marcação dos pacotes. Redes II UNIP - Professor Renê 10

11 Marcação de Pacotes Os pacotes IP precisam ser marcados nas fronteiras de entrada na rede administrada em DS. A marcação é feita utilizando os bits TOS do IPv4. Os roteadores utilizam esses bits para identificar como os pacotes são tratados na rede. Redes II UNIP - Professor Renê 11

12 Marcação: Redefinição do Campo TOS O campo TOS (8bits) foi renomeado para: byte DS. Este campo é formado da seguinte maneira: DSCP (Differentiated Services CodePoint) 6 bits (classe de tráfego para o pacote) ECN: Explicit Congestion Notification (experimental) 2 bits (reservado) Redes II UNIP - Professor Renê 12

13 PHB: Per Hob Behavior É possível definir 64 valores distintos de DS O IETF denomina PHB o tratamento associado ao valor do campo DS Os PHBs são definidos em 3 grupos: B'xxxxx0' PHBs padronizados. B'xxxx11' PHBs de uso experimental ou local B'xxxx01' PHBs de uso experimental ou local, mas com potencial de serem agregados ao grupo de PHBs padronizados. Redes II UNIP - Professor Renê 13

14 Regra para PHBs Com carga equivalente, quanto maior o valor do seletor de classe, melhor o comportamento associado a classe. São definidos 8 códigos seletores de classe Class Selector Codepoints. Redes II UNIP - Professor Renê 14

15 BE PHB Best Effort EF PHB: b ' Expedited Forwarding AF PHB Assured Forwarding PHB s Padronizados Redes II UNIP - Professor Renê 15

16 Elementos de um nó Diffserv Redes II UNIP - Professor Renê 16

17 1. Classificador Elementos do Nó Diffserv Determina quais regras devem ser aplicadas ao pacote 1. Medidor Contabiliza as estatísticas associadas aos fluxos de pacotes 1. Marcador Determina como o tráfego será agregado 1. Formatador de Tráfego Determina a velocidade com o qual os pacotes são enviados para rede 1. Descartador Determina se um pacotes será descartado de maneira preventiva para evitar o congestionamento da rede. Redes II UNIP - Professor Renê 17

18 SLA: Service Level Agreement O SLA é um acordo entre um cliente e um provedor de serviço (Domínio DS). O cliente pode ser um usuário final (e.g. uma empresa) ou outro domínio de DS. Um SLA possui dois componentes principais: Disponibilidade: MTBF, tempo de reparo Desempenho: atraso, jitter e perda de pacotes Associa o tráfego do usuário a uma classe agregada. Redes II UNIP - Professor Renê 18

19 Avaliação do SLA Avaliação fim-a-fim Considerando o tráfego está dentro das especificações máximas Controlado pelo policiamento o e.g. r = 1 Mbps e b = 64 Kbytes Redes II UNIP - Professor Renê 19

20 Avaliação do SLA Do total de pacotes transmitidos pelo usuário: Quantos pacotes chegaram ao destino dentro dos limite máximo de atraso? o Pacotes que chegarem após o limite são considerados perdidos o e.g. Taxa máxima de perda de pacotes: 0.01% Qual foi o tempo médio de atraso dos pacotes? o e.g. Atraso médio < 50 ms Qual foi a variância (jitter) do atraso? o e.g. Variância < 5 ms o Probabilidade atraso < 75 ms é 99,9968 % Redes II UNIP - Professor Renê 20

21 Conclusão A arquitetura Diff-Serv tem por objetivo propor um método simples e escalável para implantar QoS sobre redes IP. Redes II UNIP - Professor Renê 21

22 DiffServices Dúvidas Redes II UNIP - Professor Renê 22

Serviços Diferenciados na Internet

Serviços Diferenciados na Internet Serviços Diferenciados na Internet FEUP/DEEC/RBL 2002/03 José Ruela Serviços Diferenciados na Internet O IETF desenvolveu um modelo de Serviços Diferenciados - Differentiated Services (DiffServ) - que

Leia mais

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP. condições de rede existentes em cada momento

Serviços de Comunicações. Serviços de Comunicações. Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP. condições de rede existentes em cada momento Módulo 7 Qualidade de Serviço em redes IP 7.1. O porquê da Qualidade de Serviço 7.2. Mecanismos para QoS 7.3. Modelo de Serviços Integrados - IntServ 7.4. Modelo de Serviços Diferenciados - DiffServ 1

Leia mais

1.1 Transmissão multimídia em redes

1.1 Transmissão multimídia em redes 1.1 Transmissão multimídia em redes Pode-se dividir a parte de transmissão multimídia em redes de computadores como mostra a figura 1, ou seja, a parte de conferência (que requer interatividade) e a parte

Leia mais

Qualidade de Serviços em Redes IP

Qualidade de Serviços em Redes IP Qualidade de Serviços em Redes IP Nesse módulo, veremos como a qualidade de serviço (QoS) pode ser implementada em redes IP. A implementação do QoS envolve dois aspectos: mecanismos de controle de tráfego

Leia mais

Gerenciamento de redes

Gerenciamento de redes Gerenciamento de redes Gerenciamento de Serviços Gerenciamento de QoS (Qualidade de serviço) slide 1 Qualidade de serviços: aplicações de multimídia: áudio e vídeo de rede ( mídia contínua ) QoS rede oferece

Leia mais

Avaliação de um Ambiente de Serviços Diferenciados com Tráfego de Vídeo MPEG-4

Avaliação de um Ambiente de Serviços Diferenciados com Tráfego de Vídeo MPEG-4 Avaliação de um Ambiente de Serviços Diferenciados com Tráfego de Vídeo MPEG-4 Johann M. H. Magalhães e Paulo R. Guardieiro Faculdade de Engenharia Elétrica Universidade Federal de Uberlândia 38.400-902

Leia mais

QoS for voice applications

QoS for voice applications QoS for voice applications MUM Brazil 2011 Currículo Antonio Nivaldo F. Leite Junior Graduação em Ciências da Computação; Graduação em Comunicação Social c/ ênfase em Pub. e Propaganda; Pós-graduação em

Leia mais

MODELOS DE QUALIDADE DE SERVIÇO - APLICAÇÕES EM IP

MODELOS DE QUALIDADE DE SERVIÇO - APLICAÇÕES EM IP MODELOS DE QUALIDADE DE SERVIÇO - APLICAÇÕES EM IP Nilton Alves Júnior naj@cbpf.br Kelly Soyan Pires Dominguez kelly@cbpf.br Resumo Este trabalho tem como função explicitar o conceito de Qualidade de Serviço

Leia mais

Qualidade de serviço. Determina o grau de satisfação do usuário em relação a um serviço específico Capacidade da rede de atender a requisitos de

Qualidade de serviço. Determina o grau de satisfação do usuário em relação a um serviço específico Capacidade da rede de atender a requisitos de Qualidade de serviço Determina o grau de satisfação do usuário em relação a um serviço específico Capacidade da rede de atender a requisitos de Vazão Atraso Variação do atraso Erros Outros Qualidade de

Leia mais

04.03 Quality of Service (QoS)

04.03 Quality of Service (QoS) 04.03 Quality of Service (QoS) Redes de Serviços e Comunicações Multimédia RSCM/ISEL-DEETC-SRC/2004 1 Necessidade de QoS Uma medida colectiva da qualidade de serviço Para uma aplicação Critérios: Disponibilidade

Leia mais

Além do melhor esforço

Além do melhor esforço Além do melhor esforço Redes Multimídia Prof. Emerson Ribeiro de Mello Instituto Federal de Santa Catarina IFSC campus São José mello@ifsc.edu.br 25 de agosto de 2011 1 / 42 Sumário 1 Além do melhor esforço

Leia mais

QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações

QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações QoS em Redes IP: Arquitetura e Aplicações Mário Meireles Teixeira mario@deinf.ufma.br Motivação Atualmente, funcionam sobre as redes IP aplicações cujos requisitos elas não foram projetadas para atender

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Marco Antônio da Silva

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO. Marco Antônio da Silva UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Marco Antônio da Silva Um SLA para VoIP e seu mapeamento em uma rede DiffServ/MPLS Dissertação submetida à Universidade

Leia mais

de Telecomunicações para Aplicações Multimídia Distribuídas Infra-estrutura Infra-estrutura de Telecomunicações Serviço Multicast

de Telecomunicações para Aplicações Multimídia Distribuídas Infra-estrutura Infra-estrutura de Telecomunicações Serviço Multicast Departamento de Engenharia de Telecomunicações - UFF Infra-estrutura de Telecomunicações Comunicação Multicast Infra-estrutura de Telecomunicações para Aplicações Multimídia Distribuídas Profa. Débora

Leia mais

Implementação de Serviços Diferenciados em uma Rede Local

Implementação de Serviços Diferenciados em uma Rede Local Implementação de Serviços Diferenciados em uma Rede Local César Augusto de Oliveira Soares 1 Rosivelt Alves do Carmo 1 Orientadores: Prof. DSc. Joaquim Celestino Júnior 2 Profa. MSc. Ana Luiza Bessa de

Leia mais

Qualidade de Serviço em redes IP

Qualidade de Serviço em redes IP Qualidade de Serviço em redes IP FEUP/DEEC/RBL 2005/06 José Ruela Modelos de QoS em Redes IP» Historicamente as redes IP têm baseado o seu funcionamento num modelo de serviços best effort, caracterizado

Leia mais

Qualidade de Serviço em Redes IP NURCAD/INE/UFSC

Qualidade de Serviço em Redes IP NURCAD/INE/UFSC Qualidade de Serviço em Redes IP NURCAD/INE/UFSC Slide 1 de 99 Índice Motivação Qualidade de Serviço em redes Qualidade de Serviço na Internet Abordagens para QoS na Internet A Internet2, RNP2 e QoS Projeto

Leia mais

Fig. 1: Relatório de lucratividade de setembro de 1998 a setembro de 1999 ( )

Fig. 1: Relatório de lucratividade de setembro de 1998 a setembro de 1999 ( ) 1, This article presents a purpose of QoS for IP networks. It shows how Internet Service Providers can guaranty QoS, according with the type of flow being controlled. We have described how a high speed

Leia mais

THIAGO MEREGE PEREIRA GERENCIAMENTO DE POLÍTICAS DE QUALIDADE DE SERVIÇO COM SUPORTE À MOBILIDADE

THIAGO MEREGE PEREIRA GERENCIAMENTO DE POLÍTICAS DE QUALIDADE DE SERVIÇO COM SUPORTE À MOBILIDADE THIAGO MEREGE PEREIRA GERENCIAMENTO DE POLÍTICAS DE QUALIDADE DE SERVIÇO COM SUPORTE À MOBILIDADE Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Informática da Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Qualidade de Serviço em Redes IP

Qualidade de Serviço em Redes IP Qualidade de Serviço em Redes IP FEUP/DEEC Redes de Banda Larga MIEEC 2009/10 José Ruela Modelos de QoS em redes IP O princípio básico de funcionamento das redes IP assenta na adopção do modelo de serviços

Leia mais

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito

Prof. Samuel Henrique Bucke Brito - QoS e Engenharia de Tráfego www.labcisco.com.br ::: shbbrito@labcisco.com.br Prof. Samuel Henrique Bucke Brito Introdução Em oposição ao paradigma best-effort (melhor esforço) da Internet, está crescendo

Leia mais

Capítulo IV - QoS em redes IP. Prof. José Marcos C. Brito

Capítulo IV - QoS em redes IP. Prof. José Marcos C. Brito Capítulo IV - QoS em redes IP Prof. José Marcos C. Brito Mecanismos básicos Classificação Priorização Policiamento e conformação Gerenciamento de congestionamento Fragmentação Dejjiter buffer Reserva de

Leia mais

Administração de Sistemas (ASIST)

Administração de Sistemas (ASIST) Administração de Sistemas (ASIST) Gestão de tráfego Novembro de 2014 1 Tratamento diferenciado do tráfego de rede As ligações de rede são recursos de capacidade limitada, partilhadas por um grande número

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA UMA FERRAMENTA PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO DE REDES CONVERGENTES ITALO AMARAL BRITO VINÍCIUS MACÊDO DE SOUSA ORIENTADORES:

Leia mais

Serviços Diferenciados em Sistemas Operacionais Linux

Serviços Diferenciados em Sistemas Operacionais Linux Universidade Federal de Santa Catarina UFSC Programa de Pós Graduação em Ciências da Computação PPGCC Disciplina: Sistemas Operaciaonais Aluno: Luiz Henrique Vicente Serviços Diferenciados em Sistemas

Leia mais

Engenharia de Tráfego em uma Rede de Serviços Diferenciados

Engenharia de Tráfego em uma Rede de Serviços Diferenciados Engenharia de Tráfego em uma Rede de Serviços Diferenciados Carlos Alberto Kamienski 1 cak@cin.ufpe.br Djamel Sadok jamel@cin.ufpe.br Centro de Informática Universidade Federal de Pernambuco Recife, Brasil

Leia mais

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores

Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Faculdade Integrada do Ceará FIC Graduação em Redes de Computadores Disciplina Redes de Banda Larga Prof. Andrey Halysson Lima Barbosa Aula 7 Metro Ethernet Sumário IEEE 802.3ae 10 Gbit/s Ethernet - Metro

Leia mais

Materiais utilizados. Qualidade de Serviço na Internet. O que acontece sem QoS? Problemas: Qualidade de Serviço: o que é? Sumário

Materiais utilizados. Qualidade de Serviço na Internet. O que acontece sem QoS? Problemas: Qualidade de Serviço: o que é? Sumário Qualidade de Serviço na Internet Sistemas Telemáticos LESI Grupo de Comunicações por Computador Departamento de Informática Materiais utilizados Apresentação de Jim Kurose, Department of Computer Science,

Leia mais

GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2

GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2 GT Qualidade de Serviço 2 (GT-QoS2) V WRNP2 José Augusto Suruagy Monteiro www.nuperc.unifacs.br/gtqos2 Gramado, 13 de Maio de 2004 2003 RNP GT-QoS2 Contexto Continuação das atividades iniciadas com o GT-QoS.

Leia mais

Serviços Diferenciados no NS2. Tutoriais NS2 on-line, Xuan Chen, 2002 (Adaptado)

Serviços Diferenciados no NS2. Tutoriais NS2 on-line, Xuan Chen, 2002 (Adaptado) Serviços Diferenciados no NS2 Tutoriais NS2 on-line, Xuan Chen, 2002 (Adaptado) 1 Serviços Diferenciados n Definição de um pequeno número de classes de serviço n Com requisitos de QoS associados n Com

Leia mais

Medições e Testes para Aplicações Envolvendo Mídias Contínuas em Redes IP com Serviços Diferenciados

Medições e Testes para Aplicações Envolvendo Mídias Contínuas em Redes IP com Serviços Diferenciados Medições e Testes para Aplicações Envolvendo Mídias Contínuas em Redes IP com Serviços Diferenciados Renato Donizete Vilela de Oliveira, Jean Marie Farines Departamento de Automação e Sistemas Universidade

Leia mais

Qualidade de Serviço Requisitos das aplicações Técnicas para obter boa qualidade de serviço Sobredimensionamento rede Memorização pacotes

Qualidade de Serviço Requisitos das aplicações Técnicas para obter boa qualidade de serviço Sobredimensionamento rede Memorização pacotes Qualidade de Serviço Requisitos das aplicações Técnicas para obter boa qualidade de serviço Sobredimensionamento da rede Memorização de pacotes Suavização do tráfego (Traffic shaping) O algoritmo Leaky

Leia mais

Estudo de QoS IP sobre redes ATM

Estudo de QoS IP sobre redes ATM Estudo de QoS IP sobre redes ATM Projeto REMAV-Salvador Universidade Federal da Bahia Av. Adhemar de Barros, s/n, 40170-110 Salvador-BA Gustavo Bittencourt Figueiredo 1 guto@ufba.br Daniel Macêdo Batista

Leia mais

ESTEVAO OSCAR MOGNATTO JUNIOR UM FRAMEWORK PARA CONTROLE DE ADMISSÃO UTILIZANDO O MÉTODO DE DIVERSIDADE DE CAMINHOS EM UM AMBIENTE DIFFSERV

ESTEVAO OSCAR MOGNATTO JUNIOR UM FRAMEWORK PARA CONTROLE DE ADMISSÃO UTILIZANDO O MÉTODO DE DIVERSIDADE DE CAMINHOS EM UM AMBIENTE DIFFSERV ESTEVAO OSCAR MOGNATTO JUNIOR UM FRAMEWORK PARA CONTROLE DE ADMISSÃO UTILIZANDO O MÉTODO DE DIVERSIDADE DE CAMINHOS EM UM AMBIENTE DIFFSERV Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como

Leia mais

Implantação de QoS no fone@rnp

Implantação de QoS no fone@rnp III Workshop VoIP Marcel R. Faria & Fábio Okamura Maio 2008 Agenda Introdução Backbone RNP rede Ipê QoS na rede Ipê - Serviço Premium Aplicação no fone@rnp Introdução A fim de atender a crescente demanda

Leia mais

Daniel Bitencourt Cadorin. Ferramenta para monitoramento de Redes IP com Serviços. Diferenciados utilizando SNMP

Daniel Bitencourt Cadorin. Ferramenta para monitoramento de Redes IP com Serviços. Diferenciados utilizando SNMP Daniel Bitencourt Cadorin Ferramenta para monitoramento de Redes IP com Serviços Diferenciados utilizando SNMP Florianópolis, 2003 i UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento)

Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Mecanismos de QoS em Linux DiffServ (Marcação e Policiamento) Este roteiro descreve um cenário prático que ilustra o funcionamento dos mecanismos de policiamento e marcação utilizados pela metodologia

Leia mais

1.1 Objetivos: 1.1.2 Objetivos Específicos

1.1 Objetivos: 1.1.2 Objetivos Específicos 1. Introdução Desde as primeiras implementações nas redes, os recursos de QoS Qualidade de Serviço, vem causando polêmicas para os especialistas de TI; inicialmente sob a óptica da escolha dos protocolos

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM Agenda 1.1 O que

Leia mais

Weighted Fair Queuing. Comparação dos métodos de filas

Weighted Fair Queuing. Comparação dos métodos de filas Weighted Fair Queuing Comparação dos métodos de filas Esquema de seleção de filas Controle de congestionamento RED: Random Early Detection É um mecanismo de prevenção e inibição de congestionamento, atuando

Leia mais

3 Qualidade de serviço na Internet

3 Qualidade de serviço na Internet 3 Qualidade de serviço na Internet 25 3 Qualidade de serviço na Internet Além do aumento do tráfego gerado nos ambientes corporativos e na Internet, está havendo uma mudança nas características das aplicações

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control Este módulo descreve os principais mecanismos de QoS disponíveis no kernel do Linux. Para utilizar esses mecanismos, é necessário criar uma política coerente

Leia mais

TRABALHO DE TELEFONIA IP

TRABALHO DE TELEFONIA IP 1 Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores TRABALHO DE TELEFONIA IP QoS - Serviços Diferenciados Equipe: Afonso Sousa Jhonatan Cavalcante Israel Bezerra Wendel Marinho Professor: Fabio Fortaleza/2014.1

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores. TRABALHO DE TELEFONIA IP Serviços Diferenciados - QoS

Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores. TRABALHO DE TELEFONIA IP Serviços Diferenciados - QoS Faculdade Lourenço Filho Curso de Redes de Computadores TRABALHO DE TELEFONIA IP Serviços Diferenciados - QoS Equipe: Afonso Sousa, Jhonatan Cavalcante, Israel Bezerra, Wendel Marinho Professor: Fabio

Leia mais

Aplicando políticas de QoS. MUM Brasil São Paulo Outubro/2008. Sérgio Souza

Aplicando políticas de QoS. MUM Brasil São Paulo Outubro/2008. Sérgio Souza Aplicando políticas de QoS MUM Brasil São Paulo Outubro/2008 Sérgio Souza Nome: País: Sergio Souza Brasil Tecnólogo em Processamento de Dados Consultor independente atuando há vários anos em implementação,

Leia mais

IV. Em uma rede Frame Relay o roteamento dos quadros é de responsabilidade do protocolo IP da família de protocolos TCP/IP.

IV. Em uma rede Frame Relay o roteamento dos quadros é de responsabilidade do protocolo IP da família de protocolos TCP/IP. Exercícios: Redes WAN Prof. Walter Cunha http://www.waltercunha.com/blog http://twitter.com/timasters http://br.groups.yahoo.com/group/timasters/ Frame-Relay 1. (FCC/Pref. Santos 2005) O frame-relay é

Leia mais

Universidade Santa Cecília - UNISANTA. Voz Sobre IP. Aspectos de Qualidade. Qualidade de Serviço

Universidade Santa Cecília - UNISANTA. Voz Sobre IP. Aspectos de Qualidade. Qualidade de Serviço Universidade Santa Cecília - UNISANTA Voz Sobre IP Aspectos de Qualidade Prof. Hugo Santana 2004 Qualidade de Serviço 1. Introdução: conceitos e definições. 2. Mecanismos utilizados: Classificação e priorização

Leia mais

Solução de QoS para Serviços Triple-Play

Solução de QoS para Serviços Triple-Play Solução de QoS para Serviços Triple-Play Carlos Eduardo Terra Barroso Departamento de Telecomunicações Universidade Federal Fluminense (UFF) Rua Passo da Pátria, 156 São Domingos CEP 24.210-240 Rio de

Leia mais

Protocolos Multimídia na Internet

Protocolos Multimídia na Internet Parte 3 QoS em Redes IP V4 Tópicos em Sistemas de Computação Prof. Dr. Adriano Mauro Cansian adriano@acmesecurity.org Oferecendo QoS em Redes IP q Os grupos do IETF desenvolveram propostas para fornecer

Leia mais

TP308 Introdução às Redes de Telecomunicações

TP308 Introdução às Redes de Telecomunicações Unidade IV Controle de Congestionamento TP308 Introdução às Redes de Telecomunicações 204 Tópicos Introdução QoS QoS e Controle de Congestionamento Formatação de Tráfego Gerenciamento de Buffer Descarte

Leia mais

Sumário. Protocolos em Redes de Dados- Aula 09 -Controlo da congesto e QoS p.4. Problema da congestão. Congestão e controlo de fluxo

Sumário. Protocolos em Redes de Dados- Aula 09 -Controlo da congesto e QoS p.4. Problema da congestão. Congestão e controlo de fluxo Sumário Protocolos em Redes de Dados - Aula 09 - O problema da congestão. Algoritmos e técnicas de controlo da congestão. Qualidade de serviço. Controlo da congestão e QoS Luís Rodrigues ler@di.fc.ul.pt

Leia mais

Selective packet forwarding provided by an IP-based Multimedia Gateway

Selective packet forwarding provided by an IP-based Multimedia Gateway Selective packet forwarding provided by an IP-based Multimedia Gateway Rafael Fernando Diorio (Universidade Estadual de Campinas, SP, Brasil) rafael@diorio.com.br Varese Salvador Timóteo (Universidade

Leia mais

Comutação de pacotes. Não há um estabelecimento de um caminho dedicado. Não há reserva de recursos. Compartilhamento de enlaces ou partes de enlaces

Comutação de pacotes. Não há um estabelecimento de um caminho dedicado. Não há reserva de recursos. Compartilhamento de enlaces ou partes de enlaces Não há um estabelecimento de um caminho dedicado Compartilhamento de enlaces ou partes de enlaces Não há reserva de recursos Não guarda informação de estado Informações a serem enviadas são quebradas em

Leia mais

Qualidade de Serviço na Internet

Qualidade de Serviço na Internet Qualidade de Serviço na Internet Carlos Alberto Kamienski cak@di.ufpe.br Centro Federal de Educação Tecnológica da Paraíba a Universidade Federal de Pernambuco b Resumo A Internet passou a ser uma realidade

Leia mais

Qualidade de Serviço em IP: nasce uma nova Internet

Qualidade de Serviço em IP: nasce uma nova Internet Qualidade de Serviço em IP: nasce uma nova Internet Carlos Frederico Marcelo da Cunha Cavalcanti 1 Prof. do Departamento de Computação da Universidade Federal de Ouro Preto Doutorando em Ciência da Computação

Leia mais

Uma Técnica para Avaliação do Nível de Qualidade de Voz Oferecida por uma Rede IP com Serviços Diferenciados *

Uma Técnica para Avaliação do Nível de Qualidade de Voz Oferecida por uma Rede IP com Serviços Diferenciados * Uma Técnica para Avaliação do Nível de Qualidade de Voz Oferecida por uma Rede IP com Serviços Diferenciados * Renato D. V. Oliveira 1, Rogério Maniezi 2, Roberto Willrich 1,2, Roberto A. Dias 3, Fernando

Leia mais

IPTV: Protocolos Utilizados

IPTV: Protocolos Utilizados ANAIS DO CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO INATEL - INCITEL 2012 178 IPTV: Protocolos Utilizados Bruno Reis Corrêa Marcelo Sodré dos Reis Instituto Nacional de Telecomunicações - Inatel brunorc@gec.inatel.br

Leia mais

Recomendações da Cisco para Implantação de QoS para VOIP

Recomendações da Cisco para Implantação de QoS para VOIP Recomendações da Cisco para Implantação de QoS para VOIP Consumo de Banda Codec Taxa de Amostragem (ms) Payload de voice (bytes) Pacotes por segundo Largura de banda consumida G.711 20 160 50 80 kbps G.711

Leia mais

Estudo comparativo entre roteadores Linux e FreeBSD para diferenciação de tráfego

Estudo comparativo entre roteadores Linux e FreeBSD para diferenciação de tráfego JOÃO GABRIEL SAPUCAHY CHISTE Estudo comparativo entre roteadores Linux e FreeBSD para diferenciação de tráfego Monografia apresentada como requisito parcial à obtenção do grau de Bacharel, Curso de Ciência

Leia mais

EXERCÍCIOS PROPOSTOS Desempenho de redes

EXERCÍCIOS PROPOSTOS Desempenho de redes FACULDADE PITÁGORAS Curso Superior em Tecnologia: Redes de Computadores DESEMPENHO DE REDES Prof. Ulisses Cotta Cavalca EXERCÍCIOS PROPOSTOS Desempenho de redes Data de entrega:

Leia mais

Artigo estudo de caso Qualidade de serviço em redes IPv6...

Artigo estudo de caso Qualidade de serviço em redes IPv6... QUALIDADE DE SERVIÇO EM REDES IPv6 COM TRATAMENTO JUSTO DE FLUXOS TCP E UDP 1 Ely Edson Dalbem 2 Rossano Pablo Pinto 3 RESUMO Este estudo apresenta mecanismos para provimento de qualidade de serviço (QoS)

Leia mais

Transmissão de Voz sobre IP com Taxas Variáveis

Transmissão de Voz sobre IP com Taxas Variáveis UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELETRÔNICA E DE COMPUTAÇÃO Transmissão de Voz sobre IP com Taxas Variáveis Autor: Orientador: Examinador: Examinador:

Leia mais

Os princípios da B-ISDN podem ser resumidos nos seguintes itens:

Os princípios da B-ISDN podem ser resumidos nos seguintes itens: 1 Introdução 1.1 Qualidade de serviço na Internet Ao longo das duas últimas décadas do século passado, a Internet assumiu uma posição de destaque entre os meios de comunicação e consequentemente, passou

Leia mais

Qualidade de Serviço (QoS) em Redes IP Princípios Básicos, Parâmetros e Mecanismos

Qualidade de Serviço (QoS) em Redes IP Princípios Básicos, Parâmetros e Mecanismos Qualidade de Serviço (QoS) em Redes IP Princípios Básicos, Parâmetros e Mecanismos Fonte : Prof. Dr Joberto Martins www.itelcon.com.br Por: Prof Hugo Santana Universidade Santa Cecília - Unisanta 1 1.

Leia mais

Qualidade de Serviço de Vídeo em Redes de Dados. Instituto Superior Técnico Novembro de 2004

Qualidade de Serviço de Vídeo em Redes de Dados. Instituto Superior Técnico Novembro de 2004 Qualidade de Serviço de Vídeo em Redes de Dados Mário Serafim Nunes Mário Serafim Nunes Instituto Superior Técnico Novembro de 2004 QdS em serviços de Vídeo 1 Conceitos teóricos QdS em Vídeo Streaming

Leia mais

Estabelecimento e utilização de uma plataforma DiffServ gerida por um Bandwidth Broker

Estabelecimento e utilização de uma plataforma DiffServ gerida por um Bandwidth Broker Estabelecimento e utilização de uma plataforma DiffServ gerida por um Bandwidth Broker Óscar Gama, Paulo Carvalho, Solange Lima osg@di.uminho.pt, {paulo, solange}@uminho.pt Universidade do Minho Resumo

Leia mais

Redes de computadores. Redes para Internet

Redes de computadores. Redes para Internet Redes de computadores Redes para Internet Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações distribuídas Enlaces de comunicação fibra, cobre, rádio, satélite

Leia mais

Capítulo II - Mecanismos para se prover QoS. Prof. José Marcos C. Brito

Capítulo II - Mecanismos para se prover QoS. Prof. José Marcos C. Brito Capítulo II - Mecanismos para se prover QoS Prof. José Marcos C. Brito Mecanismos para se prover QoS Dejitter buffer Classificação do tráfego Priorização do tráfego Controle de congestionamento Policiamento

Leia mais

Redes de Computadores e a Internet

Redes de Computadores e a Internet Redes de Computadores e a Internet Magnos Martinello Universidade Federal do Espírito Santo - UFES Departamento de Informática - DI Laboratório de Pesquisas em Redes Multimidia - LPRM 2010 Introdução Redes

Leia mais

IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTE DE TESTES AUTOMATIZADOS PARA AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE QoS EM REDES DE COMUNICAÇÃO DE DADOS BASEADO EM SOFTWARE LIVRE

IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTE DE TESTES AUTOMATIZADOS PARA AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE QoS EM REDES DE COMUNICAÇÃO DE DADOS BASEADO EM SOFTWARE LIVRE UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Engenharia de Computação BRUNO GALASSO MOLINARI IMPLEMENTAÇÃO DE AMBIENTE DE TESTES AUTOMATIZADOS PARA AVALIAÇÃO DE PARÂMETROS DE QoS EM REDES DE COMUNICAÇÃO DE DADOS BASEADO

Leia mais

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim

Redes TCP/IP. Prof. M.Sc. Alexandre Fraga de Araújo. alexandref@ifes.edu.br. INSTITUTO FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Campus Cachoeiro de Itapemirim Redes TCP/IP alexandref@ifes.edu.br O que é a Internet? Milhões de elementos de computação interligados: hospedeiros = sistemas finais Executando aplicações Enlaces de comunicação: fibra, cobre, rádio,

Leia mais

Uma Abordagem para Implementação de Gerenciamento de Políticas em Redes de Serviços Diferenciados

Uma Abordagem para Implementação de Gerenciamento de Políticas em Redes de Serviços Diferenciados Uma Abordagem para Implementação de Gerenciamento de Políticas em Redes de Serviços Diferenciados Elionildo da Silva Menezes 1 Djamel F. H. Sadok 2 Paulo Rogério Pereira 3 1,2 Universidade Federal de Pernambuco.

Leia mais

ANDRÉ GUSTAVO BELLER. UMA ARQUITETURA PARA GERENCIAMENTO DE QoS BASEADO EM POLÍTICAS

ANDRÉ GUSTAVO BELLER. UMA ARQUITETURA PARA GERENCIAMENTO DE QoS BASEADO EM POLÍTICAS ANDRÉ GUSTAVO BELLER UMA ARQUITETURA PARA GERENCIAMENTO DE QoS BASEADO EM POLÍTICAS Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Informática Aplicada da Pontifícia Universidade Católica do

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA -UniCEUB CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO. Rodrigo Otávio Gonçalves de Oliveira

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA -UniCEUB CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO. Rodrigo Otávio Gonçalves de Oliveira CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA -UniCEUB CURSO DE ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO Rodrigo Otávio Gonçalves de Oliveira Utilização de QoS para priorização de tráfego de voz em links WAN Orientador: Prof. Marco

Leia mais

Comunicação de Dados

Comunicação de Dados UNISUL 2013 / 1 Universidade do Sul de Santa Catarina Engenharia Elétrica - Telemática 1 Comunicação de Dados Aula 1 Agenda Apresentação da Disciplina Introdução Tipos de Redes Arquiteturas de Redes Nivelamento

Leia mais

6 Trabalhos Relacionados

6 Trabalhos Relacionados 6 Trabalhos Relacionados 55 6 Trabalhos Relacionados Para avaliar o desempenho da arquitetura DiffServ em prover qualidade de serviços em redes IP, uma série de experimentos tem sido realizados por vários

Leia mais

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Nome dos Alunos

Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour. Nome dos Alunos Exercícios de Revisão Redes de Computadores Edgard Jamhour Nome dos Alunos Cenário 1: Considere a seguinte topologia de rede IPB 210.0.0.1/24 IPA 10.0.0.5/30 220.0.0.1\24 4 5 3 1 IPC 10.0.0.9/30 REDE B

Leia mais

IPTV: Qualidade de Serviço e Experiência do Usuário

IPTV: Qualidade de Serviço e Experiência do Usuário IPTV: Qualidade de Serviço e Experiência do Usuário Este tutorial apresenta os conceitos de Qualidade de Serviço (QoS) e Qualidade de Experiência (QoE) do usuário aplicados aos serviços de IPTV, com ênfase

Leia mais

QoS em roteadores Cisco

QoS em roteadores Cisco QoS em roteadores Cisco Alberto S. Matties 1, André Moraes 2 1 Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores Rua Gonçalves Chaves 602 96.015-000 Pelotas RS Brasil 2 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC

Leia mais

Uso das ferramentas de monitoramento de gerência de redes para avaliar a QoS da rede.

Uso das ferramentas de monitoramento de gerência de redes para avaliar a QoS da rede. Disciplina: Qualidade de Serviço Prof. Dinaílton José da Silva Descrição da Atividade: Uso das ferramentas de monitoramento de gerência de redes para avaliar a QoS da rede. - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

SIMULAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES COM OPNET IT GURU ACADEMIC EDITION

SIMULAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES COM OPNET IT GURU ACADEMIC EDITION 20 de Dezembro de 2011 SIMULAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES COM OPNET IT GURU ACADEMIC EDITION José Roberto Teixeira Dias Filho SIMULAÇÃO DE REDES DE COMPUTADORES COM OPNET IT GURU ACADEMIC EDITION Aluno:

Leia mais

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.)

Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Gerencia de Rede (Desempenho) Professor: Guerra (Aloivo B. Guerra Jr.) Unidade 3 3.1 Introdução 3.2. Definições 3.3. Motivações 3.4. Problemas 3.5. Desafios 3.6. Padronização e Arquitetura 3.7. Gerência

Leia mais

Rede de computadores Protocolos IP. Professor Carlos Muniz

Rede de computadores Protocolos IP. Professor Carlos Muniz Rede de computadores Professor Carlos Muniz Protocolo de Internet IP é um acrônimo para a expressão inglesa "Internet Protocol" (ou Protocolo de Internet), que é um protocolo usado entre duas ou mais máquinas

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control Controle de Tráfego (TC) Elementos do TC Camadas Superiores (TCP, UDP) S Interface de Entrada Destino é Interno? N Rotamento Policiamento Classificação Enfileiramento

Leia mais

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços

GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços GERÊNCIA INFRAESTRUTURA Divisão Intragov - GIOV INTRAGOV Rede IP Multisserviços Julho 2013 Milton T. Yuki Governo Eletrônico (e-gov) Público Alvo Cidadão/Sociedade Órgãos de Governo Serviços e-gov para

Leia mais

Avaliação de um Algoritmo Adaptativo de Transmissão de Voz em Redes IP com QoS

Avaliação de um Algoritmo Adaptativo de Transmissão de Voz em Redes IP com QoS Avaliação de um Algoritmo Adaptativo de Transmissão de Voz em Redes IP com QoS Karina Karla C. de Oliveira 1, Djamel Sadok 1, Judith Kelner 1, Obionor Nóbrega 2 1 Centro de Informática Universidade Federal

Leia mais

Redes de Computadores I Internet - Conceitos

Redes de Computadores I Internet - Conceitos Redes de Computadores I Internet - Conceitos Prof. Luís Rodrigo lrodrigo@lncc.br http://lrodrigo.lncc.br 2012/1 v1-2012.03.29 O que é a Internet Milhões de elementos de computação interligados: Hosts,

Leia mais

QNet Um Simulador Gráfico de Tráfego IP para Redes Convergentes

QNet Um Simulador Gráfico de Tráfego IP para Redes Convergentes QNet Um Simulador Gráfico de Tráfego IP para Redes Convergentes Joseane Farias Fidalgo, Carlos Alberto Kamienski, Thiago Souto Maior Cordeiro de Farias, Kelvin Lopes Dias, Fábio Guerra de Almeida, Djamel

Leia mais

MPLS MultiProtocol Label Switching

MPLS MultiProtocol Label Switching MPLS MultiProtocol Label Switching Cenário Atual As novas aplicações que necessitam de recurso da rede são cada vez mais comuns Transmissão de TV na Internet Videoconferências Jogos on-line A popularização

Leia mais

Tópicos Especiais em Redes Alta Performance. Paulo Aguiar DCC/UFRJ

Tópicos Especiais em Redes Alta Performance. Paulo Aguiar DCC/UFRJ Tópicos Especiais em Redes Alta Performance Paulo Aguiar DCC/UFRJ Conteúdo A convergência das redes e os grandes desafios Sistemas grandes são melhores Rede IP global como solução: limitações de desempenho

Leia mais

Ramide Augusto Sales Dantas

Ramide Augusto Sales Dantas Pós-Graduação em Ciência da Computação IOPQ Uma Fila para Implementação de Serviços não- Eletivos na Internet por Ramide Augusto Sales Dantas Dissertação de Mestrado Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte?

6 de Julho de 2015. Exercício 23 Para que servem portas na camada de transporte? Lista de Exercícios Camada de Transporte GBC-056 Arquitetura de Redes de Computadores Bacharelado em Ciência da Computação Universidade Federal de Uberlândia 6 de Julho de 2015 Exercício 1 Para que serve

Leia mais

Implementação de QoS em um roteador Linux

Implementação de QoS em um roteador Linux Implementação de QoS em um roteador Linux Redes Multimídia Prof. Emerson Ribeiro de Mello Instituto Federal de Santa Catarina IFSC campus São José mello@ifsc.edu.br 28 de setembro de 2011 1 / 26 Sumário

Leia mais

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control. Edgard Jamhour

Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control. Edgard Jamhour Mecanismos de QoS em Linux tc Traffic Control Edgard Jamhour Bibliografia A maior parte das figuras desta apresentação foi extraída do tutorial: http://www.opalsoft.net/qos/ds.htm Arquitetura de Rede no

Leia mais

Avaliação de mecanismos de gestão de recursos no mapeamento entre os modelos IntServ e DiffServ

Avaliação de mecanismos de gestão de recursos no mapeamento entre os modelos IntServ e DiffServ Avaliação de mecanismos de gestão de recursos no mapeamento entre os modelos IntServ e DiffServ António Pereira 1,2 Edmundo Monteiro 2 apereira@estg.ipleiria.pt edmundo@dei.uc.pt 1 Departamento de Engenharia

Leia mais

Qualidade de Serviço na Internet

Qualidade de Serviço na Internet Qualidade de Serviço na Internet Carlos Alberto Kamienski, Djamel Sadok Universidade Federal de Pernambuco, Centro de Informática, Caixa Postal 7851, Cidade Universitária, Recife/PE, 50732-970l {cak, jamel}@cin.ufpe.br

Leia mais

Controle de Congestionamento em TCP Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama

Controle de Congestionamento em TCP Parte 2. Prof. Dr. S. Motoyama Controle de Congestionamento em TCP Parte 2 Prof. Dr. S. Motoyama 1 Controle de Congestionamento em TCP Princípios de controle de congestionamento Saber que congestionamento está ocorrendo Adaptar para

Leia mais

Inatel Instituto Nacional de Telecomunicações

Inatel Instituto Nacional de Telecomunicações Inatel Instituto Nacional de Telecomunicações Dissertação de Mestrado ALGUMAS ANÁLISES SOBRE MECANISMOS PARA PROVER QUALIDADE DE SERVIÇO EM REDES MULTIMÍDIA JOSÉ CARLOS RUELA SETEMBRO / 2006 Algumas Análises

Leia mais

Análise de Qualidade de Serviço em Redes Corporativas. Dinailton José da Silva. Dissertação de Mestrado Profissional

Análise de Qualidade de Serviço em Redes Corporativas. Dinailton José da Silva. Dissertação de Mestrado Profissional Análise de Qualidade de Serviço em Redes Corporativas Dinailton José da Silva Dissertação de Mestrado Profissional Instituto de Computação Universidade Estadual de Campinas Análise de Qualidade de Serviço

Leia mais