GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS"

Transcrição

1 Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS

2 INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das tarefas para identificar os riscos potenciais de cada passo. RESPONSABILIDADE DA FISCALIZAÇÃO Providenciar treinamento com a força de trabalho da empresa contratada, utilizando o impresso dos slides pertinentes à atividade de cada trabalhador; Após o treinamento, os impressos (slides) deverão ser colocados junto às frentes de trabalho; Caso na frente de serviço não haja lugar hábil para afixar os impressos, coloque-os na área de vivência.

3 OBJETIVO A APT visa facilitar a compreensão, pelos trabalhadores, do passo a passo e os pontos de atenção da tarefas a serem por eles realizadas, buscando a prevenção e riscos para o trabalho em condições seguras. A metodologia para realização da APT é feita conforme fluxograma abaixo: 1 2 Planejar Levantar as Tarefas 3 Análise da Tarefa Listando os Riscos 6 Implantação e Acompanhamento 5 Normas e Procedimentos 4 Medidas de Controle Obs.: A APT é utilizado como um complemento da AST.

4 1 PLANEJAR Nesta etapa, após a formação das equipes multidisciplinares, o líder deve organizar, em função das atividades, as tarefas que serão feitas nas APT. 2 LEVANTAR AS TAREFAS Nesta etapa, propõem-se o levantamento das tarefas mais relevantes. 3 ANALISE DA TAREFA LISTANDO OS RISCOS Nesta etapa, após o levantamento das tarefas, deve-se identificar os riscos inerentes a cada tarefa.

5 4 MEDIDAS DE CONTROLE Para cada risco listado devem ser identificados as medidas já existentes, e caso necessário devem ser determinadas medidas adicionais para controlar e neutralizar os riscos. Isto sim, possibilita um desempenho seguro do trabalho executado. É importante e essencial que as medidas de controle sejam claramente descritas, se possível com fotos, para facilitar a compreensão do trabalhador. 5 NORMAS E PROCEDIMENTOS Deve-se prestar atenção às Normas Regulamentadoras - NR, relacionadas as tarefas, bem como, normas da ABNT aplicáveis e procedimentos internos da contratada da BR. Desta forma é garantida uma ampla abordagem na eliminação dos riscos aumentando as condições seguras no trabalho.

6 APT 6 IMPLANTAÇÃO E ACOMPANHAMENTO O que foi planejado nas etapas anteriores, incluindo medidas de controle previstas, deve ser colocado em prática. A realização do trabalho nestas condições será analisada para haver propostas de medidas complementares de controle, que serão incluídas no campo CONDIÇÕES ADVERSAS.

7 LISTAS DAS APTs: 38. Atividade com Exposição à Ruído; 39. Operação que Produzem Temperaturas Elevadas ou Centelhas; 40. Serviços em Bueiros e Galerias; 41. Movimentação de Materiais por Meio de Guincho; 42. Trabalho em Altura; Obs.: As APTs anteriores já foram enviadas.

8 APT 038 TAREFA : E.P.I.s : Atividade com Exposição à Ruído Protetor auricular (dependendo da atividade outros EPI). PROCEDIMENTO PADRÃO 1) Na preparação da atividade: 1.1) Só será liberado o trabalho nesta atividade após a emissão PT, AST e LV. 1.2) O funcionário que for executar a tarefa deverá estar com todos os EPI's obrigatórios. 1.3) O executante desta tarefa deverá ser habilitado e qualificado para a atividade. 1.4) Deverá ter uma placa informativa, no local onde à exposição ao risco relatando a obrigatoriedade do uso de EPI. 1.5) Instruir os visitantes que ao entrarem na empresa, que nos locais onde os níveis de ruído forem elevado, é necessário o uso de protetor auricular bem como todos EPI adequados. 1.6) Observar os protetores auricular podem ser: inserção (plug), circum-auricular ( concha com haste). Todos são para proteção do sistema auditivo, contra níveis de pressão sonora superior ao estabelecido na NR-15, anexo I e II. Obs.: todos possuem certificado de aprovação (CA) com validade em dias. 1.7) Deve haver isolamento acústico para prevenção ao ruído. 1.8) Verificar se a área de trabalho está isolada e sinalizada, para evitar a entrada de pessoas que não estejam ligadas a tarefa. OBS: OS ITENS NÃO CONTEMPLADOS NESTA APT, QUE FIZEREM-SE NECESSÁRIOS A SUA EXECUÇÃO, DEVERÃO SER PREVIAMENTE CONSULTADOS AO SETOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO, PARA DIMENSIONAMENTO DOS RISCOS/ PERIGOS E MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM ADOTADOS. 2) Na execução do trabalho: 2.1) Verificar a exposição a níveis de ruído elevado, deverá utilizar o protetor auricular durante todo o período. 2.2) Devemos usar o protetor do tipo plug da seguinte maneira: passe uma das mãos por cima da cabeça, puxe a orelha e abra a boca afim de abrir o canal auditivo e insira o plug no canal auditivo. Recomendações: a) Não utilizar os protetores com as mãos sujas; b) Lave regularmente seu protetor auditivo com água e sabão neutro; c) Para retirar o protetor auditivo, puxe o protetor pela sua haste. Evite puxar o protetor pelo cordão. 2.3) Devemos usar o protetor tipo circum-auricular (concha com haste) da seguinte maneira: a) alinha a altura das conchas de acordo com o tamanho de sua cabeça, de modo que a conchas cubram completamente o ouvido; b) Retire o excesso de cabelo que estiver entre o abafador e o ouvido. 2.4) O colaborador deverá manter seu ASO atualizado. 2.5) Utilizar uma postura de trabalho adequada, de forma evitar lesões pessoais. ELABORAÇÃO: Carlos Henrique APROVAÇÃO Paulo Emanuel DATA/REVISÃO 24/09/2011 Rev. 00 REFERENCIA: NR-06 // NR-15 3) Finalização: 3.1) Descartar todos os resíduos, caso seja necessário, conforme legislação local vigente. CONDIÇÕES ADVERSAS:

9 TAREFA : E.P.I.s : APT 039 Operações que Produzem Temperaturas Elevadas ou Centelhas-SOLDA Máscara de solda, avental de raspa, calçado de segurança, protetor auricular e respirador contra fumo metálico. PROCEDIMENTO PADRÃO Tenha sempre extintor próximo a área de solda. 1) Na preparação da atividade: 1.1) Só será liberado o trabalho nesta atividade após a emissão PT, AST e LV. 1.2) O funcionário que for executar a tarefa deverá estar com todos os EPI's obrigatórios. 1.3) Só poderá executar esta atividade o profissional devidamente qualificado. 1.4) Verificar a existência de risco adicional a atividade a ser executada. 1.5) Verificar o estado do equipamento, bem como, sua manutenção. 1.6) O local deverá ser devidamente sinalizado e isolado. 1.7) Manter o local de trabalho limpo e organizado de forma a evitar acidentes. 1.8) Colocar uma cabana manta anti-chamas no local do serviço. 1.9) Fazer o teste no manômetro que significa: fechar a válvula e verificar se mostrador indica zero. 1.10) Os cilindros de oxi-acetileno devem estar presos com correntes, no carrinho metálico em rodas de borracha. 1.11) Aterrar os equipamentos. 1.12) Nunca lubrificar o regulador de pressão. 1.13) Verificar as mangueiras não podem apresentar rachaduras, nem ressecamento. 1.14) Deixar um extintor de PQS/ ou ABC em um ponto estratégico. \ OBS: OS ITENS NÃO CONTEMPLADOS NESTA APT, QUE FIZEREM-SE NECESSÁRIOS A SUA EXECUÇÃO, DEVERÃO SER PREVIAMENTE CONSULTADOS AO SETOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO, PARA DIMENSIONAMENTO DOS RISCOS/ PERIGOS E MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM ADOTADOS. ELABORAÇÃO: Patrícia Brito APROVAÇÃO Paulo Emanuel REFERENCIAS: DATA/REVISÃO / Rev. 00 NR-06 //NR-18 2) Na execução do trabalho: 2.1) Verificar se a válvula contra retrocesso de chama esta instalada na caneta. 2.2) Observar as peças superaquecidas que não caiam sobre as mangueiras do maçarico. 2.3) Jamais executar cortes onde a extremidade do maçarico esteja acima da altura da cabeça do colaborador, evitar acidente por postura inadequada. 2.4) Utilizar uma postura de trabalho adequada, de forma evitar lesões pessoais. 2.5) O colaborador deverá ser avaliado e aprovado clinicamente em seu ASO. 2.6) Sinalizar as peças soldadas, e ao abrir o registro nunca fique na frente do cilindro. 2.7) Comunicar imediatamente ao responsável pela atividade ou ao SMS qualquer irregularidade e só voltar a trabalhar quando sanar o problema. 3) Finalização: 3.1) Descartar todos os resíduos, caso seja necessário, conforme legislação local vigente. CONDIÇÕES ADVERSAS:

10 TAREFA : E.P.I.s : Serviços em em Bueiros Bueiros e Galerias e galerias APT 040 Capacete com jugular, calçado de segurança, óculos de segurança, luva de raspa, protetor auricular (de acordo com a atividade que será executada). PROCEDIMENTO PADRÃO OBS: OS ITENS NÃO CONTEMPLADOS NESTA APT, QUE FIZEREM-SE NECESSÁRIOS A SUA EXECUÇÃO, DEVERÃO SER PREVIAMENTE CONSULTADOS AO SETOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO, PARA DIMENSIONAMENTO DOS RISCOS/ PERIGOS E MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM ADOTADOS. 1) Na preparação da atividade: 1.1) Só será liberado o trabalho na atividade, após a emissão da PET, PT, AST e LV. 1.2) O funcionário que for executar a tarefa deverá estar com todos os EPI's obrigatórios. 1.3) Verificar a entrada de funcionário no espaço confinado. Deverá ser previamente capacitado em treinamento específico para este fim, conforme preconiza a NR ) Antecipar e reconhecer os riscos da atividade a ser executada. 1.5) Manter o local de trabalho limpo e organizado de forma a evitar acidentes. 1.6) Utilizar equipamento de leitura direta de nível de oxigênio e/ou explosividade, totalmente seguro, provido de alarme e calibrado. 1.7) Deverá ser feitas as medições no topo, no intermediário e no fundo do espaço confinado, atentando para drenos, conexões de instrumentos, ralos e saídas de esgoto. 1.8) Elaborar e implementar procedimentos de emergência e resgate adequados a NR ) Verificar se a área de acesso ao espaço confinado, está isolada e sinalizada para evitar a entrada de pessoas não autorizadas. 1.10) Manter a iluminação protegida contra impactos, e a tensão máxima é de 24v (vinte e quatro volts), fiações e tomadas em perfeitas condições. 2) Na execução do trabalho: 2.1) Os vigias não poderão se ausentar da entrada dos espaços confinados sem que seu substituto esteja devidamente preparado para rendê-lo. 2.2) Garantir a continuidade da ventilação artificial (exaustor/soprador) e ou ar mandado no interior do espaço confinado. 2.3) Deverá ter uma postura de trabalho adequada, de forma evitar lesões pessoais. 2.4) O colaborador deverá ser avaliado e aprovado clinicamente em seu ASO. 2.5) Medir a explosividade do local com o detector de gases, e só entrar quando o limite Inferior de explosividade for igual a( ZERO). LIE=0%. 2.6) É vedada a realização de qualquer trabalho em espaço confinados de forma individual ou isolada. 2.7) Comunicar imediatamente ao responsável pela atividade ou ao SMS qualquer irregularidade com a lixadeira e só voltar a trabalhar quando sanar o problema. \ ELABORAÇÃO: Patricia Brito APROVAÇÃO Paulo Emanuel DATA/REVISÃO 24/09/2011 Rev. 00 REFERENCIA: NBR NR-06 // NR-33 3) Finalização: 3.1) Descartar todos os resíduos, conforme legislação local vigente. CONDIÇÕES ADVERSAS:

11 APT 041 TAREFA : E.P.I.s : Movimento de Materiais por Meio de Guinchos Capacete com jugular, calçado de segurança, óculos de proteção, luva de raspa e protetor auricular (dependendo do local) PROCEDIMENTO PADRÃO OBS: OS ITENS NÃO CONTEMPLADOS NESTA APT, QUE FIZEREM-SE NECESSÁRIOS A SUA EXECUÇÃO, DEVERÃO SER PREVIAMENTE CONSULTADOS AO SETOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO, PARA DIMENSIONAMENTO DOS RISCOS/ PERIGOS E MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM ADOTADOS. ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO Pátricia Brito Paulo Emanuel DATA/REVISÃO 24/09/2011 Rev. 00 REFERENCIA: NR-11//NR-17//NR-18 1) Na preparação da atividade: 1.1) Só será liberado o trabalho na atividade, após a emissão da PT, AST e LV. 1.2) Antes de iniciar a tarefa, certifique-se que esteja utilizando todos os EPI`s. 1.3) O operador deverá ter habilitação para execução da atividade e ser treinado e durante o horário de trabalho portar um cartão de identificação, com o nome e fotografia, em lugar visível. 1.4) Verificar as condições do local: se solo o é resistente a carga que irá ser erguida, assegurar se está atendendo as distâncias mínimas das redes elétricas energizadas. 1.5) Manter o local de trabalho organizado de forma a evitar acidentes. 1.6) Planejar muito bem a tarefa. Caso chova, os serviços serão paralisados. 1.7) Isolar a área de trabalho, para não permitir a entrada de pessoas no local. 1.8) É necessário fazer um plano de rigging. 1.9) Deverá atender a todas as especificações da NR ) Conscientize-se de que trabalhar com segurança e concentrar-se é uma necessidade sua. As máquinas não pensam; você sim. 1.11) Verificação do check list da máquina. \ 2) Na execução do trabalho: 2.1) Providenciar um meio de comunicação entre o observador e o operador de máquina. 2.2) O rigger deverá conhecer o material a ser movimentado bem como o peso e suas dimensões, para não colocar em risco as pessoas envolvidas com a atividade. 2.3) Deverá ter uma postura de trabalho adequada, de forma evitar lesões pessoais. 2.4) Suspender os trabalhos em caso de intempéries (caso esteja ao ar livre). 2.5) O colaborador deverá ser avaliado e aprovado clinicamente em seu ASO. 2.6) Manter chave de partida travada, evitando assim que operário não habilitado utilizem a máquina, quando a mesma estiver parada. 2.7) Deve manter o equipamento em local visível a capacidade máxima da carga a ser movimentada. 2.8) Transitar com cuidado pelas áreas onde o piso é irregular de forma a manter a segurança no local do trabalho (sem acidentes). 3) Finalização: 3.1) Não haverá material a ser descartado. CONDIÇÕES ADVERSAS:

12 TAREFA : E.P.I.s : Trabalho em Altura Capacete com jugular, luvas de proteção de raspa, óculos de proteção, e calçado de segurança, cinto de segurança com dois talabartes ( quando trabalhos acima de 02 metros de altura). PROCEDIMENTO PADRÃO APT 042 OBS: OS ITENS NÃO CONTEMPLADOS NESTA APT, QUE FIZEREM-SE NECESSÁRIOS A SUA EXECUÇÃO, DEVERÃO SER PREVIAMENTE CONSULTADOS AO SETOR DE SEGURANÇA DO TRABALHO, PARA DIMENSIONAMENTO DOS RISCOS/ PERIGOS E MEDIDAS DE CONTROLE A SEREM ADOTADOS. ELABORAÇÃO: APROVAÇÃO Andrea Paiva e Sergio Luiz Machado Paulo Emanuel DATA/REVISÃO 24/09/2011 Rev. 00 REFERENCIA: NR-6 / NR-18 ITC-GESMS ) Na preparação da atividade: 1.1) Só será liberado o trabalho nesta atividade após a emissão PT, AST e LV. 1.2) O funcionário que for executar a tarefa deverá estar com todos os EPI's obrigatórios. 1.3) Só poderá executar esta atividade profissional devidamente habilitado e treinado. 1.4) Verificar a existência de risco adicional a atividade a ser executada. 1.5) O local deverá ser devidamente sinalizado e isolado, evitando acidentes por queda de materiais. 1.6) Manter o local de trabalho limpo e organizado de forma a evitar acidentes. 1.7) verificar se as tábuas dos andaimes são isentas de nos ou rachaduras sempre afixadas e com rodapés. 1.8) Planejar muito bem a tarefa. Caso chova, os serviços serão paralisados. 1.9) Verificar se os dispositivos de fixação (cadeira suspensa), devem ser montados por profissional com experiência comprovada no assunto. 2) Na execução do trabalho: 2.1) Verificar a distância mínima da rede elétrica energizada ou linha de processo. 2.2) Ao subir e ao descer esta movimentação deverá ocorrer sempre com a fixação do talabarte de forma intercalada, sempre mantendo pelo menos um talabarte enquanto o outro é deslocado para \ uma melhor fixação. 2.3) Utilizar uma postura de trabalho adequada, de forma evitar lesões pessoais. 2.4) Não é permitido subir ou descer os andaimes portando materiais ou ferramentas nas mãos, os materiais deverão ser içados. 2.5) O colaborador deverá manter seu ASO atualizado. 2.6) O colaborador deverá durante todo o tempo que estiver executando atividade manter os dois pontos do talabarte afixados na linha de vida. 2.7) As ferramentas deverão estar amarradas, evitando assim a queda das mesmas onde há o potencial para acidente por queda de materiais. 2.8) Nunca transite sobre carga elevada. 2.9) Etiquetas deverão ser utilizadas para garantir a informação de liberação ou não dos andaimes. 3) Finalização: 3.1) Descartar todos os resíduos, caso seja necessário, conforme legislação local vigente. CONDIÇÕES ADVERSAS:

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS INTRODUÇÃO Nos slides a seguir, estamos divulgando a APT que é uma ferramenta que complementa a AST, analisando o passo a passo e pontos de atenção das

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho Norma Regulamentadora 06 Segundo a NR 06, EPI é: todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS GESMS Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS GESMS Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança APT - ANÁLISE PREVENCIONISTA

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP PCMSO/GEAP 6.1.23.1 Providenciar atestados e exames Todo trabalho em eletricidade deve ser planejado, organizado e executado por empregado capacitado e autorizado. Para executar trabalhos em altura, o

Leia mais

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS

GESMS. Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança. Prevencionista da SMS EM OBRAS GESMS Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança Análise Prevencionista da Tarefa - APT SMS EM OBRAS GESMS Gerência de Engenharia, Saúde, Meio Ambiente e Segurança APT - ANÁLISE PREVENCIONISTA

Leia mais

3 Dados Técnicos Página 1 de 7 Protetores Auditivos Tipo Abafador Modelo H9A-02 e H9P3E-02

3 Dados Técnicos Página 1 de 7 Protetores Auditivos Tipo Abafador Modelo H9A-02 e H9P3E-02 3 Dados Técnicos Página 1 de 7 Protetores Auditivos Tipo Abafador Modelo H9A-02 e H9P3E-02 DESCRIÇÃO Protetores auditivos tipo circum-auriculares constituídos por: - 2 conchas em plástico ABS de cor azul,

Leia mais

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA.

RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL EM TRANSFORMADOR, EM REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para Substituição e Manutenção de Chaves Fusíveis de Transformador em rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento

Leia mais

NR 31 - NORMA REGULAMENTADORA DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS

NR 31 - NORMA REGULAMENTADORA DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS PORTARIA N.º 30, DE 22 DE OUTUBRO DE 2002 Divulgar para consulta pública a proposta de texto de criação da Norma Regulamentadora N. º 31 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados. A SECRETÁRIA

Leia mais

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim)

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PROCEDIMENTO DE SMS Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PR-99-993-CPG-009 Revisão: 00 Aprovação: 30/05/2014 Página: 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos de segurança para

Leia mais

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA.

PROCEDIMENTO. RES-227/2010 de 28/12/2010 Título: SUBSTITUIÇÃO DE CONDUTOR DE MÉDIA TENSÃO, EM VÃO DE REDE DESENERGIZADA. Página: 1/8 1. OBJETIVO Determinar a metodologia para substituição de condutor de média tensão, em vão de rede desenergizada. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição

Leia mais

ANEXO X. Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016

ANEXO X. Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016 ANEXO X Referente ao Edital de Tomada de Preços nº. 001/2016 NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Página 1 de 5 1 - CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1 As normas aplicáveis aos serviços a serem

Leia mais

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA.

MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. MEDIDAS DE CONTROLE COM NORMAS DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS QUE PRESTAM SERVIÇOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA. CLAUSULA PRIMEIRA: OBJETIVO. 1.1. Estabelecer diretrizes de

Leia mais

Higiene e segurança no trabalho

Higiene e segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com ESPAÇOS CONFINADOS LIVRETO DO TRABALHADOR NR 33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

Leia mais

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO Elaborado por Ana Karolina Kalil Visto Aprovado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 25/04/2014 - Emissão inicial 1. OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10

Avaliação Serviço em Eletricidade Básica- NR10 Empresa: Instrutor: Nome: DATA: Questões: 01- A NR10 Instalação e Serviços de eletricidade fixam as condições mínimas exigíveis para garantir a segurança dos empregados que trabalha em instalações elétricas,

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

Treinamento Multiplicadores NR 20 Segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis

Treinamento Multiplicadores NR 20 Segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis Treinamento Multiplicadores NR 20 Segurança e saúde no trabalho com inflamáveis e combustíveis Inflamáveis Características e propriedades Muitos acidentes são evitados ou atenuados quando as características

Leia mais

MESTRE MARCENEIRO. Saúde e segurança do marceneiro

MESTRE MARCENEIRO. Saúde e segurança do marceneiro Saúde e segurança marceneiro. A preocupação com o bem-estar, a saúde e a segurança do marceneiro no trabalho, vem crescendo no decorrer dos últimos anos, pois, quando o trabalho representa apenas uma obrigação

Leia mais

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1

Riscos adicionais. Riscos adicionais. Altura COMISSÃO TRIPARTITE PERMANENTE DE NEGOCIAÇÃO DO SETOR ELETRICO NO ESTADO DE SP - 1 Riscos adicionais Riscos adicionais De altura; De ambientes confinados; De áreas classificadas; De umidade; Condições atmosféricas; Ataque de animais peçonhentos/domésticos. Altura Trabalho em altura é

Leia mais

NR.35 TRABALHO EM ALTURA

NR.35 TRABALHO EM ALTURA NR.35 TRABALHO EM ALTURA Objetivo e Campo de Aplicação Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução,

Leia mais

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As empreiteiras que admitam trabalhadores deverão cumprir a Norma Regulamentadora nº

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO Ref.: IT 001/Seg PADRÕES MÍNIMOS DE SEGURANÇA PARA CONTRATADAS

INSTRUÇÃO TÉCNICA DE TRABALHO Ref.: IT 001/Seg PADRÕES MÍNIMOS DE SEGURANÇA PARA CONTRATADAS Página 1 de 13 1 Objetivo Promover a permanente melhoria e contínua compatibilização do trabalho com a prevenção da vida, integridade e patrimônio do SAAE Sorocaba, e a promoção da saúde e segurança dos

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR LOGO DA EMPRESA EMPRESA: DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: LOCAL DA ATIVIDADE: ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR FOLHA: 01 DE 10. DATA DE EMISSÃO: DATA DE APROVAÇÂO: REVISÃO: HORÁRIO: ASSINATURA DOS ENVOLVIDOS NA

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATIVIDADES INDICE 1.0 OBJETIVO... 1 2.0 DOCUMENTOS DE REFERENCIA... 1 3.0 DEFINIÇÕES... 2 4.0 RESPONSABILIDADES... 5

LIBERAÇÃO DE ATIVIDADES INDICE 1.0 OBJETIVO... 1 2.0 DOCUMENTOS DE REFERENCIA... 1 3.0 DEFINIÇÕES... 2 4.0 RESPONSABILIDADES... 5 Título LIBERAÇÃO DE ATIVIDADES Código EMAP-PC-20 Versão 0 Data 05/03/2015 Elaborado Por Aprovado por Francisco Lusivaldo M. Bezerra Daniel Aroucha INDICE 1.0 OBJETIVO... 1 2.0 DOCUMENTOS DE REFERENCIA...

Leia mais

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC)

Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC) Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e de Proteção Coletiva (EPC) PCC 2302 Gestão da Produção na Construção Civil Profº Francisco Ferreira Cardoso Juliana Bueno Silva Thales Landgraf Soraia Regina

Leia mais

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM

E NOS TRAB E NOS TR ALHOS EM SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS DEZ/2014 1 ÍNDICE Objetivo Definição... 04 Oque É Espaço Confinado... 05 Onde É Encontrado O Espaço Confinado... 06 Quais São Os Tipos De Trabalhos

Leia mais

TR Tanque Flash. 1. Termo de garantia. 2. Informações gerais de segurança. 3. Informações de segurança específicas do produto

TR Tanque Flash. 1. Termo de garantia. 2. Informações gerais de segurança. 3. Informações de segurança específicas do produto 1.753.000.080 IM-D176-01 BR Rev.00 TR Tanque Flash Manual de Instalação e Manutenção 1. Termo de garantia 2. Informações gerais de segurança 3. Informações de segurança específicas do produto 4. Informações

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI

FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI 0 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA- FATTEP FUNDAÇÃO ADOLPHO BÓSIO DE EDUCAÇÃO NO TRANSPORTE-FABET EDICLÉIA KARINE MANTHEI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Concórdia- SC 2014 1 EDICLÉIA KARINE

Leia mais

Instruções de Operação. Instruções importantes e avisos de advertência estão retratados na máquina por meio de símbolos:

Instruções de Operação. Instruções importantes e avisos de advertência estão retratados na máquina por meio de símbolos: 1 Instruções de Operação Instruções importantes e avisos de advertência estão retratados na máquina por meio de símbolos: Antes de começar a trabalhar, leia o manual de instruções da máquina. Trabalhe

Leia mais

21/05/2013. A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural. Gianfranco Pampalon. E o homem, a natureza equipou com inteligência...

21/05/2013. A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural. Gianfranco Pampalon. E o homem, a natureza equipou com inteligência... A natureza equipou os seres com Equipamento de proteção natural Gianfranco Pampalon E o homem, a natureza equipou com inteligência... 1 Definição: 6.1 EPI é todo dispositivo ou produto, de uso individual

Leia mais

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA Página: 1/11 DO-OP-01/P-2 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia na operação de chaves fusíveis e chaves facas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas

Leia mais

ANEXO IX. 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados existentes na Portaria 3214/MTB/78 deverão ser seguidas integralmente.

ANEXO IX. 1.1. As normas aplicáveis aos serviços a serem realizados existentes na Portaria 3214/MTB/78 deverão ser seguidas integralmente. ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA SERVIÇOS DE REFORMA, CONSTRUÇÃO E MANUTENÇÃO PREVENTINA DE EQUIPAMENTOS DE SUBESTAÇÃO E USINAS 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As normas

Leia mais

2 CAMPO DE APLICAÇÃO Todas as empresas contratadas para executar projetos, serviços e obras na empresa.

2 CAMPO DE APLICAÇÃO Todas as empresas contratadas para executar projetos, serviços e obras na empresa. Responsável Técnico: Eduardo Machado Homem Gerência de Segurança do Trabalho Público-alvo: Empregados próprios e prestadores de serviços das unidades da Vale Fertilizantes. 1 OBJETIVO Nº: PRO-3209-74-24-03

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Procedimento para Bancada de Serra Circular Elétrica

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional Procedimento para Bancada de Serra Circular Elétrica Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1) OBJETIVO Este procedimento estabelece os requisitos e condições mínimas para a implementação de medidas de controle e sistemas preventivos, de forma a garantir a segurança

Leia mais

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Cozinha Industrial Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Serviços de alimentação Este tipo de trabalho aparenta não ter riscos, mas não é bem assim, veja alguns exemplos: Cortes

Leia mais

Instruções para Carrinho de Bebê Multifuncional SONHO

Instruções para Carrinho de Bebê Multifuncional SONHO Instruções para Carrinho de Bebê Multifuncional SONHO Carrinho SONHO Manual Carrinho Sonho- Dardara - 2 as ilustrações são apenas representações. o design e o estilo podem variar. Antes de usar o carrinho,

Leia mais

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes?

Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Espaço Confinado o que você precisa saber para se proteger de acidentes? Publicado em 13 de outubro de 2011 Por: Tônia Amanda Paz dos Santos (a autora permite cópia, desde que citada a fonte e/ou indicado

Leia mais

FOGÃO ELÉTRICO. Manual de Instruções SIEMSEN. (0xx) 47 255 2000 LINHA DIRETA

FOGÃO ELÉTRICO. Manual de Instruções SIEMSEN. (0xx) 47 255 2000 LINHA DIRETA Manual de Instruções METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Fone: +55 (0 )47 255 2000 - Fax: +55 (0 )47 255 2020 Rua: Anita Garibaldi, nº 262 - Bairro: São Luiz - CP: 52 CEP: 88351-410 - Brusque - Santa Catarina -

Leia mais

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela.

-Só iniciar a tarefa com PT-Permissão para Trabalho,e cumpra as Recomendações de segurança contidas nela. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÂO POP 005000-OM -06 1/2 PINTURA DE PAREDE COM USO DE ANDAIME REVISÃO: 00 FOLHA 1- OBJETIVO ESTE PROCEDIMENTO ESTABELECE OS REQUISITOA MÍNIMOS DE SEGURANÇA NO TRABALHO DE PINTURA.

Leia mais

Sumário Serra Fita FAM

Sumário Serra Fita FAM Sumário Serra Fita FAM 1 Componentes... 1 Painel de controle... 1 Sensores de segurança... 2 Especificações... 2 Instalação... 3 Condições Gerais do Local... 3 Rede Elétrica... 3 Instalação da Tomada...

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS

ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS ORIENTAÇÃO PARA USO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS Anexo 3 do PRO-3209-74-24-03 Pág.: 1 de 5 RECOMENDAÇÕES GERAIS: - Não serão permitidos eletricistas da contratada intervirem nas instalações da contratante,

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Porque este assunto preocupa? Impacto dos Acidentes envolvendo Quedas - 40% das fatalidades

Leia mais

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

03/01/2015. Sumário. Trabalho em altura. Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão. Andre Cavalcanti Santos Téc. em saúde e segurança do trabalho E-mail: cavalcanti_sst@hotmail.com Sumário Trabalho em altura; EPI s para trabalho em altura; EPC s; Aplicação do conjunto x trabalho Conclusão.

Leia mais

ANEXO III - EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 7

ANEXO III - EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 7 Página 1 de 7 1. OBJETIVO 1.1. Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações e procedimentos concernentes às atividades de Segurança, Proteção ao

Leia mais

Centro de Treinamento MSA

Centro de Treinamento MSA Centro de Treinamento MSA Porque toda vida tem um propósito... Centro de treinamento MSA A MSA, empresa sediada no Brasil há 46 anos, líder em diversos segmentos de EPI e monitoramento de gases, apresenta

Leia mais

O presente resumo não dispensa a leitura atenta do Parecer anexo.

O presente resumo não dispensa a leitura atenta do Parecer anexo. Recomendações Jurídico-Trabalhistas Interessados: Federação das Associações de Arrozeiros do Estado Rio Grande do Sul Federarroz e Outros Assunto: Resumo Referente Às Obrigações Patronais Trabalhistas

Leia mais

Inclui no "Ementário - Elementos para Lavratura de Autos de Infração" as ementas referentes à Norma Regulamentadora nº 33

Inclui no Ementário - Elementos para Lavratura de Autos de Infração as ementas referentes à Norma Regulamentadora nº 33 SIT - Portaria nº 39/2008 25/2/2008 PORTARIA SIT Nº 39, DE 21 DE FEVEREIRO DE 2008 DOU 25.02.2008 Inclui no "Ementário - Elementos para Lavratura de Autos de Infração" as ementas referentes à Norma Regulamentadora

Leia mais

NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados NR.33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados O objetivo desta NR é estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento

Leia mais

SKYMSEN LINHA DIRETA. Ramais 2011 2012 2013. E-mail: at@siemsen.com.br

SKYMSEN LINHA DIRETA. Ramais 2011 2012 2013. E-mail: at@siemsen.com.br PRODUTOS METALÚRGICA SIEMSEN LTDA. Rua Anita Garibaldi, nº 262 Bairro: S o Luiz CEP: 88351-410 Brusque Santa Catarina Brasil Fone: +55 47 255 2000 Fax: +55 47 255 2020 www.siemsen.com.br - comercial@siemsen.com.br

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL- EPI Conforme Norma Regulamentadora nº.6, Equipamento de Proteção Individual EPI é todo dispositivo de uso individual utilizado pelo empregado, destinado à proteção de

Leia mais

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja-se! Itabira/2007

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja-se! Itabira/2007 Proteção Auditiva Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja-se! Itabira/2007 O Som O som é definido como qualquer variação na pressão do ar que o ouvido humano possa detectar.

Leia mais

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços

Procedimento de Segurança para Execução de Serviços Procedimento de Segurança para Execução de Serviços 1. OBJETIVO: Este procedimento tem como objetivo estabelecer requisitos básicos de segurança na execução de serviços realizados por empresa contratada

Leia mais

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS

NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS NORMAS DE SEGURANÇA ÁS PRESTADORAS DE SERVIÇOS 1 O SESMT Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho elaborou esta norma com o objetivo de estabelecer as condições mínimas no cumprimento

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Definição Conforme a NR 06: EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Item 6.1 - Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora NR 6, considera-se Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo

Leia mais

EDITAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA Nº 017/2015 ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE

EDITAL DE LICITAÇÃO CONCORRÊNCIA Nº 017/2015 ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE ANEXO Q12 DIRETRIZES DE SAÚDE, MEIO AMBIENTE E SEGURANÇA PARA CONTRATOS SERVIÇOS ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA E COMPLEMENTARES 3. NOMENCLATURA 4. DEFINIÇÕES 5. RESPONSABILIDADES 6. REQUISITOS

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa.

Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. Analise as Normas Regulamentadoras abaixo e apresente parecer sucinto comparando atendimento de cada item pela empresa. NR 01 - Disposições Gerais Descrever alguns tópicos do que cabe ao empregador. Verificar

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O Nº 02/2012

R E S O L U Ç Ã O Nº 02/2012 ÍNDICE DE REVISÕES Rev. 0 EMISSÃO INICIAL DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS Rev. 0 Rev. 1 Rev. 2 Rev. 3 DATA: 13 dez 2011 ELABORAÇÃO: Vancler Pinto Marcos Santos VERIFICAÇÃO: Élbio APROVAÇÃO: Márcia Rosa

Leia mais

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente

Vice-Presidência de Engenharia e Meio Ambiente Instrução de Trabalho de Meio Ambiente VicePresidência de Engenharia e Meio Ambiente IGR 4.4.632 ÍNDICE 1. OBJETIVO 2. REFERÊNCIAS 3. DEFINIÇÕES 4. APLICAÇÃO 5. DESCRIÇÃO DO PROCESSO 6. FLUXO DO PROCESSO 7. RESPONSABILIDADES 8. ANEXOS 9. CONTROLE

Leia mais

11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES

11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO. www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES 11/07 246-04/00 072413 REV.1 SOMENTE PARA USO DOMÉSTICO www.britania.com.br sac@britania.com.br ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR MANUAL DE INSTRUÇÕES ELIMINAÇÃO DE PROBLEMAS ASPIRADOR NÃO LIGA Verificar se a

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO MECÂNICA DMED E DMEE 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As Normas Regulamentadoras aplicáveis aos serviços a

Leia mais

Segurança com serra mármore. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Segurança com serra mármore. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Segurança com serra mármore Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Segurança da área de trabalho Mantenha a área de trabalho sempre limpa e bem iluminada. Áreas de trabalho desorganizadas

Leia mais

Importante. Sumário. Entre em contato conosco:

Importante. Sumário. Entre em contato conosco: Manual do operador Terceira edição Segunda impressão Importante Leia, compreenda e siga estas normas de segurança e instruções de operação antes de operar a máquina. Somente pessoas treinadas e autorizadas

Leia mais

0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 8h às 20h. Sábado, das 8h às 17h.

0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 8h às 20h. Sábado, das 8h às 17h. 1 ANO DE GARANTIA SERVIÇO DE ATENDIMENTO AO CONSUMIDOR Manual de Instruções L I G U E G R Á T I S 0800-55 03 93 Segunda à Sexta, das 8h às 20h. Sábado, das 8h às 17h. M.K. Eletrodomésticos Ltda. Estrada

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional

Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Gerenciamento de Resíduos Segurança Ocupacional Maio / 2016 Eng. Jose Arnaldo Acidentes envolvendo produtos químicos Em 2014, ocorreram: Mais de 83.000 óbitos e 7,4 milhões de trabalhadores feridos decorrentes

Leia mais

ELEVADOR DE TRAÇÃO A CABO E CREMALHEIRAS

ELEVADOR DE TRAÇÃO A CABO E CREMALHEIRAS 1. OBJETIVO Esta apresentação tem por objetivo estabelecer diretrizes mínimas para assegurar a implementação de medidas preventivas e de proteção para a utilização de Elevadores de Tração a Cabo e Cremalheiras,

Leia mais

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015

Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Portaria MTPS Nº 207 DE 08/12/2015 Altera a Norma Regulamentadora nº 34 - Condições e Meio Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Naval. O Ministro de Estado do Trabalho e Previdência

Leia mais

ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2. Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento.

ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2. Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento. ALISADOR DE CONCRETO MANUAL DO USUÁRIO NAC2 Por favor, leia este Manual com atenção pára uso do equipamento. Aviso Importante Certifique-se de verificar o nível de óleo como é descrito a seguir: 1. Nível

Leia mais

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES

SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PONTES ROLANTES SEGURANÇA na UTILIZAÇÃO de Objetivos Sensibilizar os operadores de Ponte Rolante quanto à necessidade de neutralizar ao máximo a possibilidade de ocorrência de acidentes. Adotar procedimentos de rotina,

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

LISTA DE CHECAGEM TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE VIDROS

LISTA DE CHECAGEM TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE VIDROS LISTA DE CHECAGEM DE TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E MANUSEIO DE VIDROS 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho.

Leia mais

WORX AEROCART MODELO WG050

WORX AEROCART MODELO WG050 WORX AEROCART MODELO WG050 Avisos Gerais de Segurança AVISO Leia todos os avisos e instruções de segurança. Não seguir os avisos e instruções pode resultar em lesão séria. Guarde todos os avisos e instruções

Leia mais

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES

ALTO POTENCIAL DE RISCOS DE ACIDENTES 1 O QUE É ESPAÇO CONFINADO? CARACTERÍSTICAS VOLUME CAPAZ DE PERMITIR A ENTRADA DE EMPREGADOS LIMITAÇÕES E RESTRIÇÕES PARA ENTRADA E SAIDA DE PESSOAL NÃO E PROJETADO PARA OCUPAÇÃO CONTÍNUA POSSUI, EM GERAL,

Leia mais

Procedimento de Operação Padrão REVISÃO N o : 01 PÁG: 1 de 6

Procedimento de Operação Padrão REVISÃO N o : 01 PÁG: 1 de 6 1 OBJETIVO PÁG: 1 de 6 Estabelecer os princípios básicos para o uso de protetores auditivos na CP SOLUÇÕES. Facilitar a administração de todas as etapas para atender ao disposto no PCA Programa de Conservação

Leia mais

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS

IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS IT - 32 SUBESTAÇÕES ELÉTRICAS SUMÁRIO ANEXO 1 Objetivo - Figuras, separações e afastamentos entre equipamentos e edificações. 2 Aplicação 3 Referências normativas e bibliográficas 4 Definições 5 Procedimentos

Leia mais

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia

TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho. 1 0 Dia TREINAMENTO NR 10 MÓDULO SEGURANÇA NO TRABALHO Engenheiro/técnico de Segurança no trabalho 1 0 Dia Realizar a apresentação dos participantes 1. Técnica de Lista de presença; apresentação e O multiplicador

Leia mais

Thiago Freitas de Oliveira Engº Segurança do Trabalho

Thiago Freitas de Oliveira Engº Segurança do Trabalho Thiago Freitas de Oliveira Engº Segurança do Trabalho Cabe ao empregador: Assegurar a realização da Análise de Risco - AR e, quando aplicável, a emissão da Permissão de Trabalho - PT; Desenvolver procedimento

Leia mais

CORTADOR DE FRIOS C-300. Manual do Usuário Instruções de uso, manutenção e limpeza do equipamento. www.elgin.com.br Suporte 0800 77 00 300

CORTADOR DE FRIOS C-300. Manual do Usuário Instruções de uso, manutenção e limpeza do equipamento. www.elgin.com.br Suporte 0800 77 00 300 CORTADOR DE FRIOS C-300 Manual do Usuário Instruções de uso, manutenção e limpeza do equipamento. www.elgin.com.br Suporte 0800 77 00 300 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 2 Descrição Geral... 2 Principais Características...

Leia mais

PROTETORES AUDITIVOS 3M MILLENIUM

PROTETORES AUDITIVOS 3M MILLENIUM PROTETORES AUDITIVOS 3M MILLENIUM C.A.: 11882 DESCRIÇÃO E APLICAÇÕES DO PRODUTO Protetor auditivo do tipo inserção pré-moldado, confeccionado em silicone, no formato cônico, com três flanges concêntricos,

Leia mais

I - PROCESSO DO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA. Os primeiros passos da equipe devem ser dados para a obtenção de informações sobre o que determina a

I - PROCESSO DO DESENVOLVIMENTO DO PROGRAMA. Os primeiros passos da equipe devem ser dados para a obtenção de informações sobre o que determina a A aplicação de uma competente estratégia pode desempenhar um papel importante no desenvolvimento de um programa de proteção contra quedas, bem como justificar o tempo investido em sua elaboração e administração.

Leia mais

Regras Básicas de Segurança Em Laboratórios de Química

Regras Básicas de Segurança Em Laboratórios de Química Regras Básicas de Segurança Em Laboratórios de Química O que deve ser sempre lembrado é que: A segurança depende de cada um. É importante que o pessoal se habitue a trabalhar com segurança fazendo com

Leia mais

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma;

a) garantir a efetiva implementação das medidas de proteção estabelecidas nesta Norma; TRABALHO EM ALTURA 36.1 Objetivo e Campo de Aplicação 36.1 Objetivo e Definição 36.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura,

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

DDS DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA. Parte 3

DDS DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA. Parte 3 DDS DIÁLOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA Parte 3 1 AUTOR HÉLIO MARCOS DA SILVA Iniciou sua carreira em 1987 como auxiliar de escritório em um Tabelionato; 1994 Formou-se em Técnico em Segurança do Trabalho e 1998

Leia mais

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 1 de 7 PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 2 de 7 PROCESSO CONSTRUTIVO 1. EECUÇÃO DE PINTURAS Esta actividade consiste nos trabalhos de pinturas nas paredes simples

Leia mais

ANEXO IV - DIRETRIZES DE SEGURANÇA, MEIO- AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO IV - DIRETRIZES DE SEGURANÇA, MEIO- AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 11 ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS A PARA LICITAÇÃO ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. F REV. G DATA 30/01/09 10/07/09 EXECUÇÃO THIAGO THIAGO VERIFICAÇÃO THIAGO

Leia mais

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja se!

Proteção Auditiva. Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja se! Proteção Auditiva Existem coisas que você não precisa perder. A audição é uma delas. Proteja se! Conhecendo o Risco O SOM O som é uma vibração que se propaga pelo ar em forma de ondas e que é percebida

Leia mais

Manual de Operação. Balança UR10000 LIGHT 300/100

Manual de Operação. Balança UR10000 LIGHT 300/100 Manual de Operação Balança UR10000 LIGHT 300/100 1 - INTRODUÇÃO Este equipamento foi projetado para atender aos mais rigorosos requisitos de precisão em pesagem, possuindo componentes de altíssima qualidade,

Leia mais

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas

Mãos e dedos. atenção. Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Mãos e dedos Risco de: Esmagamentos Escoriações Cortes Amputações Fraturas Nenhum empregado foi exposto ao perigo para produzir esse material. As fotos simulam possíveis situações de risco no seu dia de

Leia mais

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes Luciana Affonso Gerente Mkt SP, Agosto 2010 Definição EPI NR6 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção

Leia mais

Capacetes de Segurança H-700

Capacetes de Segurança H-700 Dados Técnicos Página 1 de 8 Capacetes de Segurança H-700 DESCRIÇÃO GERAL: O capacete de segurança H-700 é composto de: Casco ventilado (com ou sem tira refletiva) ou sem ventilação (com ou sem tira refletiva),

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO.PARA. PRESTADORAS DE SERVIÇOS. MANUTENÇÃO E OPERAÇÃO DE USINA 1/7 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 06)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 06) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 06) Oficina 06 Controles Operacionais de SST Regras Gerais de SST 4.4.6 Controle Operacional A organização deve determinar aquelas

Leia mais

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 Comissão: Alynne Obermüller Carolina Amaral Gabriela Silva Mariana Ribeiro Colaboração: Teresa Mate Ergonomia na prática: CARPINTEIRO 4 SUMÁRIO Apresentação...

Leia mais

P R O C E D I M E N T O

P R O C E D I M E N T O 1. Objetivo Página: 1 / 17 Definir os requisitos necessários, relativos à Qualidade, Segurança e ao Meio Ambiente, atendendo as premissas básicas de segurança a serem cumpridas por empresas que já executam

Leia mais

NR 6 E P I. Equipamento de Proteção Individual. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978

NR 6 E P I. Equipamento de Proteção Individual. Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 NR 6 E P I Equipamento de Proteção Individual Portaria 3.214 de 08 de junho de 1978 A sexta Norma Regulamentadora, cujo título é Equipamento de Proteção Individual (EPI), estabelece: definições legais,

Leia mais

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 65 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM RETROESCAVADEIRA

Coleção MONTICUCO Fascículo Nº 65 Engenharia de Segurança e Meio Ambiente do Trabalho LISTA DE CHECAGEM RETROESCAVADEIRA LISTA DE CHECAGEM DE RETROESCAVADEIRA 1 Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho. Obras de construções: Hidrelétrica;

Leia mais