MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Import

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Import"

Transcrição

1 MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Import Atualizado em: Mês/ano Atualizado por: Nome do Colaborador Versão: 3.0 Manual do Sistema i-broker Import v.3

2 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 3 INTRODUÇÃO... 4 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO CADASTROS GRUPO DE USUÁRIO USUÁRIO ITENS / DESPESAS CONTA FINANCEIRA UNIDADE DE NEGÓCIO SERVIÇO CLIENTES - INFORMAÇÕES BÁSICAS CADASTRO CLIENTES INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES CADASTRO CLIENTES - CONTATOS CADASTRO CLIENTES - ACESSO CADASTRO CLIENTES - HABILITAÇÃO CADASTRO CLIENTES - SERVIÇO CADASTRO CLIENTES - DESPACHANTES RECUPERAÇÃO DE TABELAS SISCOMEX PARÂMETROS DO USUÁRIO PARÂMETROS DO SISTEMA - MÁSCARA DO PROCESSO DADOS COMPLEMENTARES VALORES E ALÍQUOTAS PARÂMETROS ITENS APLICATIVOS EXTERNOS EVENTOS ABERTURA DO PROCESSO MANUTENÇÃO DO PROCESSO FOLLOW-UP DO PROCESSO LIBERADOR / CANCELAMENTO PO (PURCHASE ORDER) - CAPA PO INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES PO - ITENS TRANSFERÊNCIA PO/LI TRANSFERÊNCIA PO/DI ESTORNO MANUTENÇÃO DA LI TRANSFERÊNCIA DA LI PARA O SISCOMEX

3 17. DIAGNÓSTICO DE LI TRANSFERÊNCIA DE LI PARA DI ESTORNO RECUPERAÇÃO DA LI DO SISCOMEX DI - CAPA ADIÇÃO ITENS TRANSFERÊNCIA DA DI PARA O SISCOMEX REABERTURA DE DI ICMS ON LINE LIBERAÇÃO DE DI S PARA O FINANCEIRO BAIXA DE DI MODELO DE NOTA FISCAL - INFORMAÇÕES BÁSICAS CONSULTA CAMPOS INFORMAÇÕES DE CAPA INFORMAÇÕES DE ITENS MONTANDO UMA NFE A PARTIR DE UMA DI CONSULTAR/IMPRESSÃO DE UMA NF MONTADA MONTANDO UMA NFF A PARTIR DE UMA NFE MONTANDO UM NFC A PARTIR DE UMA NFE NOTA FISCAL DESIGN SOLICITAÇÃO DE NUMERÁRIO CONTAS A RECEBER BAIXA CONTAS A RECEBER SOLICITAÇÃO DE PAGAMENTO MONTAGEM DE PAGAMENTO LIBERAÇÃO DE PAGAMENTO CONTAS A PAGAR / BAIXA CAIXA CONCILIAÇÃO FINANCEIRA TRANSFERÊNCIA FINANCEIRA RESUMO FINANCEIRO CONTA CORRENTE DO PROCESSO FATURAMENTO DO PROCESSO RPS GERAÇÃO E RETORNO REPORT DESIGN (DOCUMENTO DESIGN) GERA MENU REPORT FERRAMENTA TREINAR i-mantra

4 APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão de Processos para Comissárias de Despachos Sempre atenta às necessidades do mercado, a Bysoft desenvolveu o Sistema i-broker Import. Uma aplicação especialmente elaborada para o Mercado de Comissárias de Despachos, desenvolvida com tecnologia de última geração, rodando em ambiente web. Por meio do Sistema i-broker Import torna-se possível uma total gestão do Processo de Importação de Comissária de Despachos, onde esta contempla os seguintes módulos: PO/Fatura; Licença de Importação - LI; Declaração de Importação - DI; Pré-Custo; Integração com o Orientador (Siscomex); Follow-up; Gestão de Processos; Gerador de Documentos e Relatórios; Custo Final da Importação; Notas Fiscais de Entrada / Entrada Filhote; Notas Fiscais Complementares / Complementares Filhote; Integração nativa com o sistema i-trade; Integração nativa com o sistema i-import; Integração nativa com o sistema i-finance; Integração nativa com o sistema i-trade; Por se tratar de uma aplicação desenvolvida com tecnologia de ponta, multi-cliente, multi-idioma e principalmente de uma ferramenta de gestão, as empresas utilizarem o i-trade poderão não só eliminar todo e qualquer re-trabalho, mas principalmente reduzir custos, aumentar a produtividade dos departamentos envolvidos, minimizar erros, mas principalmente permitir a tomada rápida de decisões por parte do auto escalão das empresas envolvidas, por terem acesso on line as informações contidas na aplicação. 3

5 INTRODUÇÃO A implementação de um novo sistema abrange uma gama de mudança de conceitos e critérios dentro de uma organização. Para apoiar o uso de nosso produto, desenvolvemos o Manual de Operação para o Sistema i- Broker Import, que têm por objetivo determinar o macro fluxo do sistema aliado à prática de uma operação de importação. Consideramos em nossa metodologia de implementação, as etapas que você deve percorrer para obter o resultado almejado sobre o sistema. Salientamos que o objetivo focal está em prover a gestão e automatizar a operação de sua empresa. Bom Aproveitamento! Grupo Bysoft 4

6 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO Configuração mínima para a Aplicação e Banco de Dados instalado na Matriz com acesso pelas Filiais: Servidor de Aplicação - Servidor bi processado: Processador Intel Pentium 2600 ou superior. - Memória:Ao menos 2GHz da memória disponível (RAM), sendo que 1 GB é somente para o JBoss, se instalar outros aplicativos deve aumentar a memória. - Espaço em disco: 120Gb - Java JRE SDK Compilador Servidor de Banco de Dados - Banco de Dados a escolha do cliente: Oracle, MS SQL2005, PostgreSQL - Para outros Bancos de Dados contate seu fornecedor. Estação de Trabalho do usuário - Equivalente a: Pentium de Processador Intel, 1100 ou superior. - Sistema operacional Windows 2000, XP ou Capacidade de Memoria RAM Minima: 512MHz memória disponível - Capacidade de Disco Minima: 100Mb de espaço disponível de disco - Resolução de vídeo recomendada de 1024 x 768 definições do pixel ou superior - Internet Explorer (IE6.0 ou superior) - IWW para conexão com Siscomex - Java JRE Virtual Machine Link de Comunicação Independente do modelo de contratação escolhido, para que o acesso ao Sistema possa ser efetuado por WEB de qualquer ponto de internet, há a necessidade de 02 mb de link dedicado ao acesso e uso do Sistema, a fim de tornar mais rápida a consulta e movimentação de dados. 5

7 1. CADASTROS Antes de iniciar a operação é necessária a preparação da base de dados com as principais informações que serão utilizadas durante a operação. Os cadastros possuem uma função muito importante no processo de implantação; quanto mais completos estiverem cadastros, mais fácil, simples, rápida e segura será a operacionalização do sistema. Para tanto, algumas regras devem ser observadas como: - Metodologia de Organização - Padronização - Restrições aos acessos - Duplicidade de informação No i-broker Import, todos os cadastros estão dispostos num único menu denominado Tabelas - conforme figura abaixo: Para facilitar seu trabalho tomamos o cuidado em manter um mesmo padrão, tanto no layout das telas, como nas opções apresentadas. Assim que você acessar uma opção no menu, será exibida uma lista com todos os registros já cadastrados, conforme o exemplo abaixo: 6

8 Em cada tela disponibilizamos um conjunto de ferramentas trabalho: O recurso de Busca cadastrado. ajudará você na localização de um registro já Também estão disponíveis os botões de operação. Por meio deles você pode: Incluir novos registros. Consultar ou Alterar um registro já existente. Excluir um registro selecionado na lista principal. Sair da tela que está (também através do botão tela). localizado no canto superior direito da Ao incluir um novo registro ou alterar um registro existente você encontra na parte inferior da tela, os botões para: DICA! Para agilizar ainda mais o seu trabalho, criamos uma forma de pesquisa avançada, representada pelo botão. Através dele é fácil localizar um registro com maior precisão. Quando acionado o sistema abre uma tela onde é possível informar um conjunto de dados que serão utilizados na pesquisa. 7

9 IMPORTANTE! Para melhor visualização das telas do sistema, recomendamos ajustar sua resolução de vídeo para 1024 x 768. Embora os cadastros do sistema sejam auto-explicativos. Vamos visualizar abaixo alguns deles, ressaltando seus principais campos. 8

10 1.2. GRUPO DE USUÁRIO O Objetivo deste cadastro é criar um conjunto de regras para acesso ao sistema, estabelecendo grupos ou equipes de trabalho. À esquerda estão listados todos os módulos do sistema, e à direita as ações que podem ser executadas em cada módulo selecionado (como incluir, alterar, calcular, etc.). DICA! Definir com precisão os acessos para os usuários facilita controle das informações e permite uma melhor gestão das atividades da empresa. 9

11 1.3. USUÁRIO Após definir os grupos de acesso, você pode cadastrar os usuários do sistema e vincular cada um a um grupo. Segue abaixo a tela onde este cadastro é realizado e uma breve explicação dos seus campos disponíveis: Número sequêncial controlado pelo sistema para cada registro cadastrado. Nome completo que será usado principalmente na impressão de documentos. Unidade Operacional, onde se encontra o usuário. Define o seu nível de acesso ao sistema. Login utilizado para entrar no sistema A quem o usuário se reporta. Esta informação é muito importante para a gestão dos processos que o usuário irá lidar. 10

12 Quando o usuário entra no sistema são exibidas na tela principal, em forma de quadros, conjuntos de informações relacionadas às tarefas que ele executa (como a quantidade de processos em aberto, ou a quantidade de contas a pagar, etc. Existem dez opções de quadros disponíveis para exibição, sendo possível parametrizar até nove quadros simultaneamente. É preciso também vincular ao cadastro de cada usuário a(s) Unidade(s) Operacional(s) e os clientes a quem ele atende. Outra possibilidade é a de no cadastro de usuários, configurar quais serão os clientes e as unidades operacionais que irão trabalhar com o recurso do Mantra. 11

13 DICA! O sistema foi desenvolvido em tecnologia Web. Isso possibilita cadastrar os seus clientes como usuários, para que ele tenha acesso aos processos. Importante lembrar que este tipo de recurso depende de configurações no servidor (conforme manual de instalação) e hoje este controle é feito em cima de apenas alguns módulos. 12

14 1.4. ITENS / DESPESAS Neste cadastro você define todas as despesas/créditos/serviços de processos para emissão da Solicitação de Numerário, Nota Fiscal Complementar e Custeio. Caso o seu i-broker Import tenha o módulo financeiro (i-finance) você também cadastra as despesas/receitas administrativas. Deixará o registro disponível para consulta e seleção nos módulos do sistema. A que tipo de utilização se destina esta despesa. Podendo ser: - Administrativo: Não relacionadas a processos. Ex: Água, Luz, etc. - Operacional: Que fazem parte dos processos de uma comissária (Ex: Armazenagem, AFRMM, etc.) - Financeiro: Impostos e outros lançamentos gerados única e exclusivamente pelos módulos financeiros do sistema. Determina como a despesa será rateada para os itens (No módulo de Custo Final). Existem quatro possibilidades de rateio: Quantidade; Peso; Valor CIF; e Valor MLE. 13

15 Organiza as despesas separando-as em grupos (ou por departamento, ou por célula ou até mesmo por separação do organograma). Muito útil para emissão de relatórios. Indica se a despesa fará ou não parte da base de cálculo do ICMS. Indica se a despesa será somada e demonstrada na nota fiscal de entrada. Determina se a despesa deverá ou não fazer parte do valor unitário da mercadoria na nota fiscal de saída. DICA! Conforme a classificação do item despesa, o sistema habilita ou não o campo de centro de custo (forma de divisão de despesas por grupo / departamento para controle financeiro). 14

16 1.5. CONTA FINANCEIRA Este cadastro se refere às Contas Financeiras da empresa (sejam elas ou não tratadas como conta bancária) Facilita a identificação da conta na pesquisa, podendo ser o próprio número ou mesmo um apelido como, por exemplo, Praça Tereza Cristina, etc. São duas classificações possíveis: Banco: Conta que não teremos controle (apenas informativa) Caixa: Conta que teremos controle (entradas e saídas) Unidade Operacional em que a conta poderá ser utilizada. Modelo para impressão de cheques utilizado para esta conta. Caso empresa separe as movimentações administrativas e operacionais o sistema não permitirá que lançamentos não correspondentes sejam feitos na conta. 15

17 1.6. UNIDADE DE NEGÓCIO Determinar as unidades de negócio que o sistema deverá controlar (filiais). Usado para compor a referencia dos processos, caso este seja feito por unidade operacional. Para mais informações consulte o item 5 deste manual. Percentual do ISS do município em que a unidade está registrada, utilizado para emissão da nota fiscal de prestação de serviço. Já na tela de Nota abaixo você terá a possibilidade de configurar os modelos de documento para faturamento (independente se o mesmo será eletrônico ou papel) 16

18 IMPORTANTE! Assim que o sistema for instalado, uma unidade operacional (0001 Bysoft) também é instalada. Alterar os dados da unidade para a razão social da empresa. 17

19 1.7. SERVIÇO Cada Serviço é composto por um conjunto de ações que devem ser executadas para que ele seja realizado com qualidade. A estas ações chamamos de 'eventos'. Ao entrar no cadastro de serviços temos a seguinte visualização: Observe que o serviço selecionado (Importação maritima) possui uma seqüência de eventos (registro de abertura do processo, etc.) necessários à sua realização. Para configurá-la um serviço, temos que observar alguns parâmetros conforme relatamos na figura abaixo: Qual evento conclui a prestação do serviço em questão. 18

20 Controla a abertura de processos por tipo de serviço. Para mais informações consulte o item 5 deste manual. Seqüência na qual o evento deve ser executado. Impossibilita o avanço para o próximo evento antes da conclusão do atual. Em caso de atraso, o sistema envia um comunicando: - Analista do processo: O usuário que abriu o processo. - Superior: O usuário superior ao analista responsável pelo processo. - Analista + Superior: Ambos receberão o comunicado. - Não Notificar: Caso a ação venha a atrasar o sistema não irá notificar nenhum usuário. Assim como no campo anterior podemos configurar o sistema envia um porém antes do evento em questão atrasar para os seguintes usuários: - Analista do processo: O usuário que abriu o processo. - Superior: O usuário superior ao analista responsável pelo processo. - Analista + Superior: Ambos receberão o comunicado. - Não Notificar: Caso a ação venha a atrasar o sistema não irá notificar nenhum usuário. Disponibilizamos esta flexibilidade afim de usuário informar manualmente o momento deseja encerrar a consulta ao Mantra para o determinado processo, no Follow-up temos a opção ao incluir um novo Evento ou mesmo Alterar um Evento já existente; DICA! Recomendamos que, no início, os cadastros de Serviços e seus eventos sejam feitos de maneira simplificada, de modo que a empresa obtenha os benefícios que este controle oferece, sem contudo, tornar morosa e burocrática a gestão. Também que considere este controle de modo dinâmico, podendo revê-lo, alterá-lo, aprimorá-lo constantemente. 19

21 DICA! As notificações enviadas por pelo sistema, são definidas por eventos. Você deve sempre se perguntar: é necessário receber notificação para este evento específico? Evite aumentar ainda mais o seu volume de 's com informações desnecessárias. Agora que o conceito de serviço e evento foi esclarecido, vamos iniciar o cadastro de clientes. 20

22 2. CLIENTES - INFORMAÇÕES BÁSICAS De extrema importância este cadastro armazena, além do endereço, todos os dados para gestão dos processos da empresa, como as regras para o andamento dos processos, faturamento e tipos de serviços prestados. Informações Básicas onde: Ao selecionar esta opção, o sistema bloqueará a utilização deste cadastro nos módulos Operacionais. Também permite a inclusão de um possível cliente sem a necessidade do preenchimento do CNPJ. Específico para as unidades operacionais de São Paulo que utilizam o sistema de faturamento eletrônico, através do RPS. Controla a referência do processo por importador. Para mais informações consulte o item 5 deste manual. Campo utilizado para geração da Nota fiscal. Campo para emissão de relatório. 21

23 2.1. CADASTRO CLIENTES INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Veta a prestação de serviços, isto é, a abertura de processos e toda e qualquer operação que envolva dinheiro (solicitação de pagamento, solicitação de numerário, etc.) sem autorização. Se a restrição financeira estiver igual a SIM, o sistema direciona o processo para um liberador. Para emissão de Nota Fiscal de Prestação de Serviços. Atualmente o limite de faturamento para o cliente é de R$ 5.000,00. Limite para o uso dos recursos financeiros da comissária. O sistema exibirá um aviso de advertência e enviará o processo para um liberador. Impede que uma DI seja enviada para o Siscomex, se o cliente não possui crédito. 22

24 2.2. CADASTRO CLIENTES - CONTATOS Os dados informados nesta tela serão utilizados para emissão de documentos. 23

25 2.3. CADASTRO CLIENTES - ACESSO Define e limita quais usuários atenderão o cliente e quais os processos serão visualizados pelos usuários. IMPORTANTE! Como já citado anteriormente, apenas alguns módulos do sistema possuem controle para esta opção. 24

26 2.4. CADASTRO CLIENTES - HABILITAÇÃO Nesta tela é necessário estabelecer quais Unidades Operacionais prestam serviços para o cliente e, para cada Unidade relacionada deverão ser definidas as regras para faturamento, os tipos de serviços prestados e os despachantes que irão tratar dos seus processos. Qual conta será utilizada para realizar o faturamento dos processos. Regras para emissão de Nota Fiscal de Serviços: - Receitas + Despesas: Imprime na Nota tanto as despesas tributáveis como não tributáveis (utilizada, por exemplo, no município de Santos). - Apenas Receitas: Emite a Nota somente com os serviços prestados, deixando as despesas para a Nota de Despesas ou Fatura de Serviços. - RPS Receita + Despesas: Mesmo conceito do parâmetro Receitas + Despesas com exceção que este caso só pode ser utilizado em São Paulo capital e influencia não só na emissão do documento fisicamente como na geração do arquivo para integração com o Site da Prefeitura. - RPS Apenas Receitas: Mesmo conceito do parâmetro Apenas Receitas com exceção que este caso só pode ser utilizado em São Paulo capital e influencia não só na emissão do documento fisicamente como na geração do arquivo para integração com o Site da Prefeitura. 25

27 Modelo de nota fiscal de entrada, complementar e filhote que será utilizado pelo cliente. Mais informações de configuração, consulte a opção 29 deste manual. IMPORTANTE! Sem o preenchimento correto e completo o sistema não permitirá a operação. 26

28 2.5. CADASTRO CLIENTES - SERVIÇO Ao selecionar o botão cliente, por cada unidade operacional. você determinará os tipos de serviços prestados para o Informa se a Unidade de Faturamento do cliente é diferente da Unidade vinculada aos processos (Ambas devem ser cadastradas). Para débito automático dos impostos no registro da DI (pode ser alterada no momento da confecção da DI). Contrato de prestação de serviço entre despachante e importador. Data de validade do contrato de prestação de serviço (se, no momento de abrir um processo, a data estiver vencida, o sistema envia o processo para um liberador). Determinar as despesas que farão parte da solicitação de numerário do cliente. 27

29 Para casos em que o cliente solicita mais de um numerário, você pode relacionar as despesas da primeira e das despesas das demais solicitações. Refere-se às despesas e receitas que da solicitação de Faturamento do cliente. 28

30 2.6. CADASTRO CLIENTES - DESPACHANTES Informam quais despachantes podem fazer parte da distribuição do SDA. Vincula ao cliente os despachantes cadastrados no sistema. Identificação do despachante no sindicato. Local onde o registro do despachante é válido. Classificação do despachante na empresa. 29

31 3. RECUPERAÇÃO DE TABELAS SISCOMEX Esta ferramenta possibilita a extração das tabelas do seu Siscomex alimentando o sistema i-broker Import. Para realizar este procedimento basta você abrir o módulo responsável através do link: do servidor>:8080/recuperacaotabelassiscomexwebstart.jsp ou através do menu Movimentação Importação Atualização Tabela Siscomex. Uma vez acionado o sistema apresentará a seguinte tela: DICA! IMPORTANTE! Para efetuar a extração das tabelas pela primeira vez, primeiro selecione apenas a tabela de Unidade de Medida e país, em seguida recupere as demais tabelas. Este módulo só irá funcionar se os parâmetros no arquivo eglobal.dat estiverem configurados corretamente. 30

32 4. PARÂMETROS DO USUÁRIO Para facilitar as operações no sistema, alguns parâmetros do usuário ficam disponíveis para personalização. Ao acessar este menu, será exibida a seguinte tela: Somente preencherá estes campos que possui o sistema idrawback. Caminho da impressora de cheque Ex: //<IP>/<nome compartilhamento> Parâmetro exclusivo para o sistema i-export Caminho para geração do arquivo de integração com o site da Secretaria da Fazenda. 31

33 5. PARÂMETROS DO SISTEMA - MÁSCARA DO PROCESSO Neste módulo encontraremos os principais parâmetros de personalização do sistema (conforme realidade da empresa). Para facilitar seu entendimento, vamos dividir este módulo em cada uma das telas do sistema iniciando pela mascara do processo. Esta configuração tem como objetivo controlar a seqüência de abertura do processo, conforme regra pré-determinado pelo usuário. Uma vez acionado, o sistema exibirá a seguinte tela: Máscara genérica de como o sistema deverá compor a referência do processo. Através das letras que se encontram na lista de composição da referência, o usuário poderá montar sua referência informando a quantidade de letras para cada situação. Conjunto de letras que servirá para qualquer processo independente da regra determinada. Caso o embarque que está sendo aberto sofra variação sobre uma destas variáveis, o sistema deverá iniciar uma nova seqüência numérica sempre iniciando pelo número um. DICA! Para manter o campo Número do Processo aberto para digitação manter o campo em branco e o sistema não seguirá a seqüência automaticamente. 32

34 6. DADOS COMPLEMENTARES Nesta tela, você poderá personalizar o quadro de informações complementares das DI s que a empresa registra. Uma vez selecionado você visualizará a seguinte tela: Nesta coluna você terá a possibilidade de selecionar quais dados serão enviados para o quadro de informações complementares automaticamente. Para isso, basta selecionar o campo, e a informação será acrescida automaticamente no texto. Com estes 2 botões, você poderá selecionar a ordem que as informações poderão aparecer no quadro. DICA! Este recurso foi melhorado consideravelmente com o cadastro de modelo de informações complementares, sendo que esta tela só irá funcionar se nenhum cadastro foi configurado na habilitação do cliente. 33

35 7. VALORES E ALÍQUOTAS Nesta tela, todas as alíquotas poderão ser definidas para toda a empresa. Uma vez acionado o sistema você visualizará a seguinte tela: Campo utilizado para controle de radar. Campo exclusivo para iexport. 34

36 8. PARÂMETROS ITENS Essa configuração é muito importante, uma vez que, para as despesas relacionadas, o sistema irá efetuar rotinas automáticas (como o cálculo de IRRF, ou mesmo o débito de um imposto no processo). Como cada empresa pode criar um padrão de código diferenciado, é necessário identificar o código criado com a despesa relacionada. 35

37 9. APLICATIVOS EXTERNOS Todos os aplicativos externos para geração de documentos referentes aos processos. São gerados nesta tela. 36

38 10. EVENTOS A partir desses parâmetros o sistema irá efetuar rotinas automáticas como o registro da DI, ou mesmo a solicitação de numerário. Para tanto é necessário identificar o código criado com a despesa relacionada. DICA! Observe nesta tela que temos também eventos específicos para as rotinas do Mantra através do grupo. Estes eventos poderão ser preenchidos automaticamente no Follow-up do processo. 37

39 11. ABERTURA DO PROCESSO Os cadastros estando prontos e as tabelas recuperadas, podemos dar inicio aos módulos operacionais. O Primeiro passo é a abertura do processo. Uma vez acionado, você visualizará a seguinte tela: Lista de referências do importador. Número do conhecimento master da DI. Campo não obrigatório. Identificação resumida do processo. DICA! Um processo só pode ser aberto para um cliente em que a unidade operacional esteja habilitada e os serviços disponíveis para utilização. Caso esta configuração não esteja completa, o sistema não permitirá a abertura do processo. Uma vez preenchido os dados da tela, basta você selecionar o botão onde será informado o número do processo (para os casos em que o controle está sendo feito por ele) e também verificar as regras do cadastro do cliente (como validade da procuração, validade da proposta, restrições financeiras, etc.). 38

40 Efetuando o preenchimento corretamente será exibida uma mensagem Processo Aberto com sucesso caso contrário o processo será aberto, porém a seguinte tela será exibida: Para liberar o processo, consulte item 14 deste manual. 39

41 12. MANUTENÇÃO DO PROCESSO Este módulo foi desenvolvido para que você alimente as informações referentes ao processo antes da confecção da DI. Seu objetivo é antecipar as informações da geração da DI, podendo consultar os dados do processo e antecipando a digitação de algumas informações na DI onde os dados serão utilizados novamente em outro módulo. As telas variam de acordo com a via de transporte, onde você pode configurá-las e os dados facilmente reconhecidos pelo nome da janela aberta, conforme figura abaixo: Processo Aéreo Processo Marítimo No entanto, a tela de informações básicas não sofrerá variações. Motivo pelo qual o processo não foi aberto. 40

42 Usuário que abriu o processo. Usuário que liberou o processo. 41

43 13. FOLLOW-UP DO PROCESSO Conforme os eventos configurados, todo o histórico de datas e andamento do processo será exibido nesta tela. Ao acionar este módulo você visualizará a seguinte tela: Onde: São os eventos informados no serviço que o processo foi aberto. De acordo com a data da abertura do processo, o sistema monta uma previsão de realização do evento. Campo aberto para digitação da data que o evento foi realizado. Mostra qual a situação de cada evento (Atrasado, Realizado com atraso, Realizado, ETC). Caso o evento não possa ser realizado no prazo, uma justificativa pode ser informada neste campo para que todos na empresa saibam as ações que estão sendo tomadas. 42

44 DICA! O campo de Observações varia de acordo com o campo, ou seja, caso preencha uma observação no primeiro evento, quando posicionar o mouse no próximo, o sistema irá apagar o conteúdo do campo de observações. 43

45 14. LIBERADOR / CANCELAMENTO Uma vez bloqueado o processo, o sistema não permite que seja utilizado a menos que um procedimento seja executado. Este procedimento deve ser feito no módulo de Liberação. Uma vez acionado, você visualizará a seguinte tela: Motivo pelo qual o processo não foi aberto. Botão para liberar o processo ao operacional. Botão para Cancelar o processo caso tenha sido aberto por engano. DICA! No sistema não é possível excluir processo. É permitido cancelar o processo informando uma justificativa, porém o registro do erro deve ser mantido. 44

46 15. PO (PURCHASE ORDER) - CAPA Para a digitação de uma PO não é preciso haver um processo aberto, porém para dar continuidade (efetuar o registro da DI, por exemplo) é necessário criar o mesmo. Assim que abrirmos o módulo, visualizamos ferramentas novas. Sendo elas: Cálculo do PO: Assim que o PO for digitado, você será obrigado a selecionar este botão, forçando o sistema a ratear as informações da capa para os itens ou mesmo somando os itens e colocando os valores na capa. Impressão: O sistema tem a possibilidade de imprimir documentos (similar a fatura ou mesmo controles de saldo de transferência por PO). Na busca de mais agilidade nas transferências de informações entre a estação de trabalho e o servidor, ao contrário dos outros sistemas da Bysoft agora para acessar os itens da PO temos que selecionar este novo botão. Uma vez acionado o módulo o sistema exibirá a seguinte tela: O Objetivo deste campo é apenas para facilitar a digitação dos itens, repassando as informações. Caso o PO já esteja digitado e você precise alterar, basta mudar a informação na capa e selecionar o botão onde não serão gravadas na capa da PO. 45

47 O Padrão do sistema é manter o campo Número da Invoice aberto na capa da PO, porém podem existir situações que uma PO seja composta de várias invoices. Quando isso ocorrer basta selecionar este campo que o sistema irá bloquear o preenchimento da invoice na capa e liberar o campo no item. Neste campo você deverá identificar a unidade operacional que está digitando a PO. Não necessariamente quem digita o PO é responsável por ela. Por isso temos um campo para identificar também qual será a unidade responsável. Unidade Operacional responsável em dar continuidade no processo. 46

48 15.1. PO INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES Além dos dados de capa, você conta com os dados complementares da PO, que são facilitadores que permitem informar valores para cálculo. Uma vez acionado esta opção, você irá visualizar a seguinte tela: Onde: Em certos casos, você não possui os dados de peso dos itens. Para esta situação basta selecionar uma das opções deste campo sendo elas: - Quantidade: O sistema irá identificar a quantidade de cada item e ratear o valor do peso total para cada um deles. - Valor: O sistema identificará o valor de cada item e ratear o valor do peso total para cada item. - Soma dos Itens: O sistema irá manter o campo de peso fechado para edição na capa. Quando você seleciona a opção de cálculo da PO, será feita uma somatória de todos os pesos dos itens e o valor calculado será informado. e 47

49 Este campo será preenchido com a soma dos itens informados na lista logo abaixo. O objetivo é facilitar a composição do valor MLE da fatura sem que você tenha que fazer contas. 48

50 15.2. PO - ITENS Por último temos a tela de Itens onde a maioria dos campos encontra-se inteligíveis. Porém achamos importante destacar: Este campo é uma preparação para itens iguais que precisam ficar em adições diferentes quando o PO for integrado a DI. Uma vez preenchido este campo, o sistema irá colocar os itens em adições diferentes e não irá enviar esta informação para o Siscomex. À medida que a PO for integrada com a DI o saldo irá diminuindo até chegar ao valor zero. Campo meramente informativo. Um facilitador no momento de integrar a PO com a LI. O preenchimento deste campo não obriga você a fazer uma LI no sistema. DICA! Além dos dados de itens, existe uma tela de consulta que irá exibir onde este PO foi transferido, ou seja, para quais DI S / LI S este item foi enviado. IMPORTANTE! 49

51 Para alguns casos de integração e controle total dos pedidos do Importador, ao contrário dos outros sistemas da Bysoft foi criado no ibroker a possibilidade de inclusão de eventos para controle de Follow up tanto na capa do PO como para os itens e. 50

52 15.3. TRANSFERÊNCIA PO/LI Uma vez o PO digitado podemos aproveitar 100% dos dados enviando as informações para o módulo de LI. Onde exibirá a seguinte tela: Os campos da parte superior funcionam como filtros consolidadores, trazendo as PO s disponíveis, ou seja, separando os itens das faturas marítimas e aéreas. Uma vez encontrada a PO, você deve selecionar o botão de a seguinte tela: e o sistema exibirá Na coluna basta informar o valor que deseja baixar para LI e o saldo do item será abatido finalizando os itens do PO selecione o botão que automaticamente irá retornar a tela anterior, possibilitando a baixa de mais um PO ou finalizar a operação. 51

53 15.4. TRANSFERÊNCIA PO/DI 100% dos dados serão enviados para o módulo de DI. Uma vez acionado este módulo o sistema exibe a seguinte tela: Os campos da parte superior também funcionam como filtros consolidadores, para que o sistema traga apenas as PO s disponíveis. Uma vez encontrada a PO, você deve selecionar o botão de seguinte tela: e o sistema exibirá a Na coluna abatido. basta informar o valor que deseja baixar para DI e o saldo do item será Para finalizar selecione o botão um PO ou finalizar a operação. voltando assim a tela anterior possibilitando a baixa de mais 52

54 15.5. ESTORNO Independente se a PO foi transferida para a DI ou para a LI, a rotina de estorno segue o mesmo procedimento conforme tela abaixo: Uma vez informado o numero do processo, o usuário terá a visualização de todos os transmitidos. Basta selecionar o botão Estornar Itens PO. PO s 53

55 15.6. MANUTENÇÃO DA LI Uma LI pode tanto ser criada através de uma PO (como vimos anteriormente) como incluída manualmente no sistema. Porém antes de digitar uma LI temos que ter um processo Aberto. Assim que abrirmos o módulo nos deparamos com novas ferramentas Sendo elas: - Montar da LI - Desmontar LI Assim que abrirmos o módulo o que vemos na lista são os processos e não as LI s. Uma vez selecionado o processo e o botão de alteração encontramos uma tela com dados do processo e ao lado dados das LI s digitadas neste processo conforme figura abaixo: Já dos dados de LI temos outra lista com todas as LI s do processo: 54

56 O objetivo do módulo de LI não é apenas ter os dados em sistema mais sim criar um facilitador. Sendo assim, antes de iniciar a explicação dos campos do módulo, vamos entender um pouco como ele funciona. Assim que um processo de LI for incluído, você deverá se concentrar em digitar as informações dos itens como se fosse apenas uma única LI. Mesmo que os itens não estejam ordenados por NCM. Uma vez os itens digitados, poderemos observar que na lista de LI s encontraremos apenas um processo desmontado conforme figura abaixo: Note que a coluna não contém informação. Observe que além da lista conter o número do processo não contém nenhuma seqüência. Assim que você selecionar o botão para montar a LI, o sistema irá efetuar os agrupamentos dos itens dividindo conforme os fatores de quebra (NCM, Fabricante, etc.) e criando novas LI s. Assim que o processamento for finalizado, o sistema mostra a mesma tela de forma diferente conforme figura abaixo: 55

57 Note que agora a coluna encontra-se com uma informação (S) e mais de uma capa de LI foi criada. Se entrarmos nos detalhes de cada uma delas, veremos os dados separados com as LI s prontas para serem personalizadas (de acordo com a necessidade do embarque) e enviadas para o Siscomex. Em cada da LI, alguns campos precisam ser observados conforme figura abaixo: e estes campos encontram-se abertos para edição, caso você queira informar manualmente, porém existe uma rotina para recuperação deste dado. Já na tela de informações complementares, temos alguns facilitadores como, por exemplo: 56

58 Em certos casos, você não possui os dados de peso dos itens. Para esta situação basta selecionar uma das opções deste campo sendo elas: - Quantidade: O sistema irá olhar para a quantidade de cada item e ratear o valor do peso total para cada item. - Valor: O sistema irá olhar para o valor de cada item e ratear o valor do peso total para cada item - Soma dos Itens: O sistema irá manter o campo de peso fechado para edição na capa. Quando você selecionar a opção de montagem da LI será efetuado uma somatória de todos os pesos dos itens. Você pode criar um modelo de quadro das informações complementares, acessando o cadastro trazendo a informação para o campo editando apenas os dados necessários para o embarque. 57

59 16. TRANSFERÊNCIA DA LI PARA O SISCOMEX Uma vez a LI montada e personalizada, o sistema possui uma rotina de envio destes dados para o Siscomex. Acionando você visualizará a seguinte tela: As LI s são exibidas automaticamente. Para enviar a LI para o Siscomex, basta encontrar o processo desejado e selecionar o botão de transferência DICA! A transferência para o Siscomex só funciona se as configurações no arquivo eglobal.dat estiverem corretas. Além da rotina de busca no canto superior direito, o sistema também disponibiliza uma busca avançada, uma vez selecionada exibe a seguinte tela: Uma vez preenchido um ou mais campos desta tela e selecionado o OK, o sistema irá trazer apenas os processos que contiverem esta informação. 58

60 17. DIAGNÓSTICO DE LI Logo após o registro da LI no Siscomex, é possível recuperar o número e a data de registro da LI a fim de evitar falhas na digitação. Uma vez acionado o módulo, será exibida a seguinte tela: Basta selecionar a LI registrada e o botão leitura do número e da data da LI. aonde o sistema irá até o MDB do Siscomex e fará a Caso a LI não esteja registrada, o sistema irá exibir uma mensagem. 59

61 18. TRANSFERÊNCIA DE LI PARA DI Uma vez a LI registrada, é possível enviar esta LI para uma DI. Assim que o módulo é acionado, o sistema exibirá a seguinte tela: Inicialmente determinamos qual processo irá receber a LI e alguns dados de filtro. Assim que você preencher estas informações basta selecionar o botão relação de todas as LI s registradas. que o sistema trará uma Ao encontrar a LI desejada, basta selecionar o botão de a DI. e a mesma será incorporada Para baixar mais de uma LI, basta repetir o processo e quando todas as LI s estiverem baixadas, apenas selecione o botão. DICA! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 60

62 19. ESTORNO Assim como no estorno de PO para LI / DI, a rotina de estorno de LI para DI também segue o mesmo procedimento conforme tela abaixo: Uma vez informado o número do processo, você terá a visualização de todos os PO s transmitidos. Basta selecionar o botão Estornar Itens PO e tela para selecionar os itens a serem estornados se abrirá. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 61

63 20. RECUPERAÇÃO DA LI DO SISCOMEX Em algumas situações o próprio importador ou até mesmo uma filial efetua o registro da LI direto no Siscomex. Estes dados podem ser aproveitados para digitação de uma DI através do módulo de recuperação de LI. Acionando será exibida uma lista de processos para onde deseja que a LI seja recuperada. Encontrado o processo, basta selecionar o botão e o sistema exibirá a tela abaixo: Os campos da parte superior da tela são filtros para facilitar a identificação da LI desejada. Após seu preenchimento (opcional) basta selecionar o botão que o sistema se conectará na base de dados do Siscomex da maquina em questão e trará uma relação das LI s que atendem ao filtro preenchido. Encontrada a LI na lista basta preencher o campo da coluna e depois selecionar o botão onde a LI será integrada ao processo. Com este procedimento finalizado, basta transferir a LI para a DI seguindo os passos do item 16 deste manual. DICA! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 62

64 21. DI - CAPA Assim que entramos no módulo de DI, notamos que o sistema possui uma série de novas ferramentas conforme figura abaixo: Acesso aos itens da DI Acesso as Adições da DI Rotina de repasse da capa para as adições da DI Rotina de cálculo da DI Rotina de vinculação de uma DI ao módulo de Nota fiscal de entrada Consulta NCM na Tec (Fiscosoft ou InfoConsult) Tela de consulta de cálculo da DI Impressão de Documentos (Extrato da DI, Relatório de Calculo, ETC) Transferência para o Siscomex. Filtro Avançado Repasse de dados Mantra Assim que um processo é incluído na DI, o sistema automaticamente abre a Capa da DI para que você inicie a digitação. A maior parte das telas os campos são inteligíveis, por isso estaremos mostrando apenas as telas que constam campos importantes. Vamos iniciar pela tela de Transporte / Carga. 63

65 Onde: Para as situações que você não possui os dados de peso nos itens, o sistema tem a possibilidade de chegar ao valor do peso liquido retirando um percentual do bruto e este total ele rateia para os itens da DI. Com o Objetivo de chegar o mais próximo do peso real da mercadoria, você ainda poderá alterar o valor base para encontrar o peso. Hoje o sistema possibilita utilizar o valor MLE ou a quantidade. Este campo pode ser definido por você ou então pode optar pelo controle do sistema, no momento que ocorrer a distribuição do SDA, o sistema irá preenchê-lo automaticamente. Outra tela que contém dados muito importantes são as tela de Totais: 64

66 Onde: e Estes campos uma vez preenchidos irão influenciar tanto no valor MCV como também no valor dos impostos. E Estes campos uma vez preenchidos irão influenciar apenas no valor dos impostos Note que a partir desta nova versão, não temos mais os dados de repasse para as adições. Esta tela auxilia passou a ficar direto no botão que se encontra na lista da DI. Ao invés de repassar as informações automaticamente, o sistema irá repassar os dados desta tela para as adições apenas quando o botão for pressionado. Uma vez repassadas você poderá escolher quais serão as informações que deseja repassar para as adições e inclusive escolher quais as adições receberão as informações conforme tela abaixo. 65

67 DICAS! Os dados de cambio também foram migrados para a tela de repasse. Lembre-se de certificar-se que o botão esteja marcado. Uma vez a DI calculada, o sistema irá apagar este campo para que você selecione novamente caso queira que o sistema rateie novamente. Sempre que quizer repassar uma informação para as adições, não se esqueça de selecionar o botão que fica logo a frente de cada campo. Caso este campo não esteja selecionado, o sistema não irá repassar as informações. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 66

68 22. ADIÇÃO À medida que os itens da DI são digitados, o sistema automaticamente criará as adições da DI Exceto pelo fato do PIS e COFINS terem ganhado uma tela específica e os dados de rateio de câmbio não se encontrarem mais na primeira adição (para os usuários do DDGipLite) todos os campos são conhecidos. DICA! Alguns campos das adições (como quantidade estatística da adição, valores de câmbio, etc.) só serão preenchidos após o cálculo da DI. Fique atento a coluna lista de DI s se a coluna está igual a S. 67

69 23. ITENS Onde: Este campo é uma preparação inicial para itens exatamente iguais que precisam ficar em adições diferentes quando este PO for integrado a DI. Uma vez preenchido este campo, o sistema irá colocar os itens em adições diferentes e não irá enviar esta informação para o Siscomex Após a digitação das informações, podemos ainda conferir os cálculos tanto através da tela de cálculo. 68

70 Como através dos relatórios que podem ser impressos através do botão Os modelos disponíveis, tanto para criação, personalização você poderá consultar no item 46.1 deste manual. DICA! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 69

71 24. TRANSFERÊNCIA DA DI PARA O SISCOMEX Assim que a DI foi digitada, calculada e conferida, podemos enviar esta DI para o Siscomex. Uma vez acionado o módulo o sistema será exibida a seguinte tela: Uma vez encontrada a DI na lista, basta selecionar o botão de transmissão ao Siscomex. e a DI será enviada DICA! IMPORTANTE! Antes de enviar a DI para o Siscomex, é apresentado um pré-diagnóstico onde assim será exibida a opção continuar, porém recomenda-se verificar a informação, corrigi-la para que fique igual a DI registrada e assim enviar ao Siscomex. Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 70

72 25. REABERTURA DE DI Uma vez registrada a DI, o sistema oculta a exibição do processo na lista do módulo de DI. Caso você tenha que efetuar alguma modificação ou mesmo consulta em processos registrados, utilize o módulo abaixo: Note que o sistema só exibe processos com DI s registradas. Para acessar o processo, basta selecionar na lista e selecione o botão onde será exibido o processo no módulo da DI. DICA! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 71

73 26. ICMS ON LINE Assim que a DI foi registrada (para os clientes que são do estado de São Paulo), podemos gerar a guia de ICMS em conjunto com o Site da Secretaria da Fazenda. Uma vez acionado o módulo, o sistema exibirá a seguinte tela: Onde: Intervalo de data para minimizar a exibição de DI s prontas para envio ao Site. Uma vez encontrada a DI, basta selecionar o botão que o sistema irá abrir o site da Secretaria da Fazenda e você. A única ação que você executará será a de selecionar o botão para gerar a gare. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 72

74 27. LIBERAÇÃO DE DI S PARA O FINANCEIRO O objetivo deste controle é impedir que você envie a DI para o Siscomex sem que o numerário tenha sido recebido, para isso você deve parametrizar o sistema escolhendo a opção Sim. Caso você tente enviar a DI com o numerário a receber, o processo será enviado para este módulo conforme Tela abaixo: Para tanto selecione o processo e logo depois o botão de liberação. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 73

75 28. BAIXA DE DI Para DI s onde o tipo de declaração for igual a 02, existe a possibilidade de efetuarem baixas parciais conforme regra de negócio. Para isso basta você selecionar este módulo conforme tela abaixo: O processo de baixa é igual à baixa de PO para DI com a diferença que você irá pesquisar DI s registradas do tipo 2. Uma vez encontrada, basta selecionar o botão que deseja baixar para o novo processo. e os itens IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 74

76 29. MODELO DE NOTA FISCAL - INFORMAÇÕES BÁSICAS Como é do conhecimento de todos, cada importador tem um formulário de nota fiscal específico (alguns variam no tamanho, outros em formas de cálculo). Com o Objetivo de resolver este problema e tornar o sistema o mais flexível possível desenvolvemos um cadastro de Modelo de nota fiscal onde todas as personalizações podem ser feitas. Uma vez acionado, o sistema exibirá a seguinte tela: Onde: Em cada um dos campos poderemos determinar um modelo para cada tipo de nota. Com o Objetivo de utilizar o mínimo de formulários a descrição da mercadoria pode ser impressa de 3 tipos diferentes: - Trucar a descrição: Caso a descrição do item não caiba no ultimo formulário, o sistema simplesmente irá apagar os caracteres a mais e finalizar a impressão do formulário 75

77 - Continuar a descrição no próximo formulário: Caso a descrição do item não caiba no ultimo formulário o sistema não totaliza preenchendo os campos com XXXXXX e continua a impressão do item no próximo formulário. - Jogar a descrição para o próximo formulário: Caso a descrição do item não caiba no último formulário o sistema não imprime o item, deixa as linhas restantes em branco, totaliza o formulário normalmente e imprime o item inteiro no próximo formulário. O número da nota pode ser igual ao número do formulário (de forma seqüencial) ou um número por embarque (um número por nota). Para esta segunda opção, o número do primeiro formulário se repete para todos os formulários necessários para impressão dos itens do embarque mudando a numeração apenas para o próximo embarque. Certos importadores penem para que a em casos onde a alíquota de ICMS seja impressa em um único formulário mesmo que os itens tenham formulários diferentes. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 76

78 30. CONSULTA CAMPOS Neste módulo poderemos personalizar as colunas que serão impressas na nota. Uma vez acionado o módulo o sistema exibirá a seguinte tela: Note que cada coluna que será impressa está relacionada a um campo dos itens da Nota. Esta configuração serve para definir quais colunas serão impressas e também pode servir como uma coluna de consulta onde durante o ajuste da nota. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 77

79 31. INFORMAÇÕES DE CAPA Na tela de informações de capa, o sistema exibe todos os campos de totais da nota além de permitir que você monte a fórmula desejada. Note que na coluna você tem a liberdade de montar qualquer conta somando os valores calculados nos itens ou mesmo comparando valores e imprimindo hora um informação hora outro As fórmulas mais utilizadas são: SomaItens(): Esta fórmula será responsável em totalizar o valor de um determinado campo do item e salvar o valor total para posterior impressão. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 78

80 32. INFORMAÇÕES DE ITENS Na tela de informações de itens, o sistema exibe todos os campos de possíveis para cálculo de uma nota fiscal, tanto valores totalizados (CIF, por exemplo) como valores individualizados ( como valor do Frete). Note que a mesma flexibilidade existente na Capa você encontra nos itens. Uma vez personalizado o modelo, basta associá-lo ao cliente e montar uma nota conforme os procedimentos que explicaremos na sequência. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 79

81 33. MONTANDO UMA NFE A PARTIR DE UMA DI Assim que selecionamos o botão de envio da DI para o módulo de NFE o sistema automaticamente irá criar um registro na lista de notas a serem montadas conforme figura abaixo: Através do campo de busca, você poderá localizar o processo que deseja emitir a nota. Caso ele tenha notado que o processo enviado não é o desejado, ele pode utilizar o botão para eliminar o registro da lista. Uma vez eliminado o registro da lista não significa que a DI foi eliminada do banco de dados. Ela apenas retornou para seu respectivo módulo podendo ser enviada novamente. Este recurso também pode ser utilizado quando a DI passou por alguma retificação e o processo já havia sido enviado para o módulo de nota. Assim que localizar o processo, basta selecionar o botão seguinte tela: e o sistema exibirá a 80

82 Onde: Filial responsável pela montagem desta nota. Fabricante ou Exportador da DI. Uma vez informado nesta tela, o sistema irá ignorar a informação digitada no item da DI e utilizar este campo para todos os itens da nota. Este parâmetro indica qual o tipo de impressão a Nota deverá seguir sendo: - Normal: O sistema irá imprimir todos os itens da DI com suas respectivas configurações. - Quebra por adição: O sistema irá emitir uma adição por folha da nota. - Por Adição: O sistema não irá emitir nenhum item, apenas Adição 1 e o valor total da Adição. Dados da Transportadora rodoviária responsável pelo transporte da carga. Importante: O sistema permite que os dados da transportadora sejam importados do cadastro. Porém estas informações são passivas de edição para a nota que está sendo montada sem a necessidade de alteração do cadastro. Após a tela de informações básicas, o sistema apresentará a seguinte tela: 81

83 Nesta tela, você encontrará uma série de facilitadores. Em alguns casos o ICMS recolhido na DI é diferente do ICMS emitido na nota; Por exemplo: Ao invés de você alterar as alíquotas item por item, ele pode utilizar o campo e o botão para alterar todos os itens/adições da DI. Além disso, com a implementação da nota fiscal eletrônica (DANF) certos campos que não são preenchidos na DI passaram a ser obrigatório para a integração, como os campos ou necessidade e utilize o mesmo botão itens.. Preencha conforme para mandar as informações para todos os A responsabilidade de qualquer alteração é sua uma vez que o sistema traz o recurso mais não obriga sua utilização uma vez que os dados da DI são migrados para o módulo de montagem da nota. Após a tela de repasse entramos nos itens da DI com a seguinte tela: 82

84 Aqui você tem acesso às informações do item do embarque podendo alterar qualquer informação sem que a DI seja alterada. Os campos importantes que devemos destacar são: Os dados do Fabricante como citado anteriormente podem ser importados da DI, porém, caso você necessite alguma modificação o sistema permite que este campo seja editado. Seguindo o mesmo princípio dos dados do Fabricante, a descrição do produto pode ser resumida com o objetivo de utilizar menos formulários para impressão. Botões de Navegação: Utilizados para navegar entre os itens do embarque. A mudança pode ser notada se observarmos o campo. Nestes campos, você poderá informar os dados obrigatórios para a nota fiscal eletrônica para certos ramos de atividade conforme exigências governamentais. Finalizada a personalização do item partimos para a última tela de preenchimento da nota. Os dados de rodapé conforme figura abaixo: 83

85 Aqui podemos editar as últimas informações da nota, como Dados de Peso, identificação dos dados de volumes para transporte e dados adicionais. DICA! Os dados adicionais podem ser configurados para que certas informações (como número da DI, Data, etc.) sejam impressos automaticamente sem que você tenha que digitá-las. Para mais informações leia o item 46.1 deste manual. Com esta tela, temos a indicação de que a nota fiscal foi montada com sucesso. Pontos importantes a serem observados: 84

86 O sistema mostrará na lista quantas folhas serão necessárias para a impressão da nota. Além desta informação o sistema exibirá os valores totais que serão impressos na nota, como valor do ICMS, valor total da nota, etc. No início, quando estamos ajustando as fórmulas para cálculo, é muito comum que as informações programadas não atinjam a expectativa tornando difícil a identificação de qual campo encontra-se com problema. Para isso a Bysoft desenvolveu um log de cálculo. Ao selecionar este botão, o sistema exibirá uma lista com todos os campos do modelo da nota e o resultado de cada uma das contas (com suas respectivas fórmulas). Desta forma você conseguirá identificar onde está o problema, corrigir a fórmula e montar a nota novamente. Para que este botão funcione de forma detalhada, devemos configurar um parâmetro no sistema. No arquivo eglobal.dat o parâmetro MONTALOGCÁLCULOFÓRMULASINOTA tem que estar igual a S. IMPORTANTE! Este parâmetro deve sempre estar igual a N e só deverá ser alterado durante a fase de ajuste. Mantê-lo configurado como S pode comprometer a performance do sistema tornando-o mais lento. Finalizada a montagem da nota, podemos consultá-la e imprimir no formulário. Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 85

87 34. CONSULTAR/IMPRESSÃO DE UMA NF MONTADA Assim que finalizamos a montagem da nota, o sistema permite visualizá-la antes de efetuar a impressão. Uma vez selecionado o módulo o sistema exibirá a seguinte tela: Note que as informações que se encontram na tela são as mesmas que serão impressas (inclusive na quantidade de linhas de cada item, valores, etc.) Após uma análise em tela você tem a possibilidade de fazer uma última conferência antes da impressão conforme tela abaixo: 86

88 - Salvar: Antes de imprimir a nota, você tem a possibilidade de salvar os dados da nota em PDF, XLS, etc. e mandar por para o cliente. - Enviar por . Uma vez selecionado este recurso o sistema abre a seguinte tela: - Mandar a nota para a impressora configurada no eglobal.dat. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 87

89 35. MONTANDO UMA NFF A PARTIR DE UMA NFE Assim que finalizamos a montagem da nota fiscal de entrada, temos a possibilidade de emitir uma nota fiscal filhote. A Operação do módulo é similar a executada na nota de Entrada exceto pelas três telas a mais sendo elas: Tela inicial. Nesta tela você consegue visualizar todos os itens da Nota Fiscal de Entrada selecionada com saldo. Sua operação é incluir uma nova nota filhote através do botão. Uma vez selecionado, o sistema apresentará uma tela para informar qual a nota deseja incluir (primeira, segunda, terceira, etc.) Após informar qual a nota, o sistema exibirá a seguinte tela: 88

90 Note que através desta tela, você poderá selecionar os itens que compõem a nota filhote, podendo inclusive através da coluna efetuar baixas parciais dividindo a quantidade do item em varias notas. Existem 2 facilitadores nesta tela, sendo eles: Para casos que você deseja fazer apenas uma única nota filhote ou que você esteja confeccionado a última nota. Uma vez pressionado este botão o sistema irá baixar o saldo de todos os itens para nota filhote que está sendo montada. Nos itens da DI, existe a possibilidade de você informar de qual fatura este item pertence. Assim que esta rotina for acionada, o sistema irá efetuar baixa total dos itens da fatura do item que o cursor estiver posicionado para a nota fiscal filhote que está sendo montada. Após a seqüência de baixas, o sistema entra na parte dos itens da nota (exatamente igual a nota fiscal de entrada) e todas as rotinas, daí para frente (inclusive sua impressão) seguem o mesmo modelo. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 89

91 36. MONTANDO UM NFC A PARTIR DE UMA NFE Assim que finalizamos a montagem da nota fiscal de entrada, também temos a possibilidade de montar uma Nota Fiscal Complementar O Objetivo desta nota é declarar item a item as despesas que aconteceram depois da emissão da nota fiscal de entrada e por sua vez não foram tributadas. A montagem desta nota é similar a nota fiscal de entrada excerto por duas telas conforme relatamos abaixo: Assim que selecionamos o processo, ao invés dos dados básicos da nota, o sistema apresenta a seguinte tela: Nela você poderá informar as despesas não computadas na nota fiscal de entrada, sendo que para cada despesa as seguintes informações serão digitadas: O campo DATA é opcional, demais campos são de preenchimento obrigatório. Importante ressaltar o campo pois ele será responsável pela distribuição proporcional dos valores das despesas para os itens da NFC 90

92 Demais rotinas são exatamente iguais as da nota fiscal de entrada, excerto pela tela de itens que sofre uma pequena modificação conforme figura abaixo: Note que o sistema passou a exibir um novo botão sendo ele acionado, o sistema exibirá na tela o campo definidas em cada despesa.. Uma vez já calculado sobre as regras Demais rotinas (inclusive a rotina de impressão) seguem as mesmas telas da nota fiscal de entrada. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 91

93 37. NOTA FISCAL DESIGN De nada valeria todas estas rotinas se o sistema não estivesse preparado para imprimir a nota no formulário do importador. Com este Objetivo a Bysoft criou o módulo de ajuste de nota fiscal ou Nota Fiscal Design. Uma vez acionado o sistema exibe a seguinte tela: Basicamente este módulo permitirá que você configure (como em um jogo de batalha naval) qual a linha e a coluna e cada campo da nota que deverá ser impresso. Para desenhar uma nota partindo de um formulário em branco é praticamente impossível. Sendo assim a Bysoft disponibiliza modelos (XML) de vários tipos de nota. Uma vez identificado o tipo da nota que deseja trabalhar e de posse do XML basta selecionar o botão da Bysoft. que o sistema abrirá uma tela para que você possa colar o conteúdo do XML recebido Note que a tela sofrerá uma alteração enorme conforme ilustramos na figura abaixo: 92

94 Os campos e colunas pré- formatados aparecerão na tela, permitindo que você selecione cada um deles e mova (mais para cima, mais para baixo, etc.) até que o campo esteja na posição desejada na impressão do formulário. Além disso, você tem a possibilidade de incluir novos campos (Por exemplo: para a montagem de um quadro de dados adicionais automático. Para isso, basta você encontrar o campo desejado na coluna da esquerda Selecionar e instanciar no modelo da nota do lado direito da tela na linha e coluna desejada para impressão. 93

95 DICA! IMPORTANTE! A maioria dos campos encontra-se codificado (CNCC1002, CNCD2001, etc.). Para descobrir qual campo precisa ser instanciado, olhe no modelo de nota fiscal. Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 94

96 38. SOLICITAÇÃO DE NUMERÁRIO Uma vez configurado os dados no cadastro de clientes, assim que você acessar este módulo ele encontrará todos os processos liberados para solicitação. Encontrando a seguinte tela será exibida: Na tela de detalhes de cada despesa, você tem a possibilidade de editar as informações conforme os seguintes campos: Além da possibilidade de alteração do valor, para fins de arredondamento, por exemplo, você pode definir a conta que esta despesa deverá ser depositada. Uma conta pode ser classificada como conta cliente e conta empresa permitindo montar dois tipos de totais no numerário. DICA! Caso a DI esteja calculada, o sistema irá preencher o valor automaticamente, caso contrário o valor exibido será igual a zero, permitindo que você digite o valor. 95

97 Finalizada a confecção do numerário, você poderá imprimir um documento utilizando o botão. Os recursos que explicamos na prévia da impressão, são válidos para todo o sistema (salvar em arquivo, enviar por etc.). Caso tenha alguma dúvida, consulte o item 34 deste manual. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced e Standard. 96

98 39. CONTAS A RECEBER Assim que a impressão do numerário for confirmada, o sistema executa uma rotina que alimenta vários módulos como exemplificamos na figura abaixo: Vamos iniciar pela explicação do recebimento de numerário, módulo contas a receber, que uma vez acionado exibirá a seguinte tela: 97

99 Nesta tela temos todos os lançamentos a receber da empresa (independente do lançamento ser administrativo ou operacional). Para os casos de numerário o sistema automaticamente irá classificar como um lançamento operacional. Na tela de lançamentos temos os itens que correspondem a este lançamento (no caso de um numerário, o registro do processo). Porém podemos ter em uma empresa lançamentos a receber com. Sempre que você entrar no módulo de contas a receber e selecionar o botão de incluir, o sistema entenderá como um lançamento administrativo (pois o mesmo não foi gerado por uma ação operacional como uma solicitação de numerário ou uma nota fiscal de saída). Além de editar as informações este módulo também serve como uma previsão do que a empresa tem a receber e pode ser muito preciso utilizando o botão de filtro avançado. Assim que o numerário for quitado, você poderá informar o sistema através do módulo de baixa. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 98

100 40. BAIXA CONTAS A RECEBER O Objetivo deste módulo é informar ao sistema as ao valores quitados. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Através dos campos da parte superior da tela (como a Unidade Operacional Vencimento, etc.) você pode filtrar quais são os lançamentos que ainda estão em aberto. Uma vez informado basta selecionar o botão. Na coluna você poderá selecionar quais os lançamentos tem à receber, sendo que existe um facilitador. Antes de você é obrigado a informar e. Uma vez Confirmada a baixa, o sistema irá entender que os lançamentos selecionados foram recebidos e automaticamente irá atualizar o caixa da empresa. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 99

101 41. SOLICITAÇÃO DE PAGAMENTO Como vimos no fluxo, após a solicitação de numerário o sistema gera no módulo de solicitação de pagamento as despesas a serem pagas pelo despachante. O Módulo de solicitação de pagamento uma vez acionado exibirá a seguinte tela: Nela você terá acesso a todas as despesas podendo inclusive atualizar o valor e informar o fornecedor que a despesa está em aberto. Após a edição do pagamento, você terá que selecionar o botão quais as despesas devem ser quitadas. para informar ao financeiro IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 100

102 42. MONTAGEM DE PAGAMENTO Foi criado um módulo que permite a consolidação das contas a serem quitadas de um mesmo fornecedor. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Através dos campos da parte superior da tela (como a Fornecedor, Vencimento até, etc.) você poderá filtrar quais são os lançamentos, a serem quitados. Uma vez informado basta selecionar o botão. Na coluna existe um facilitador. você pode selecionar quais os lançamentos serão quitados, sendo que Finalizada a seleção, basta você confirmar a ação através do botão. DICA! IMPORTANTE! Neste momento o sistema valida as informações, havendo divergências será bloqueada a montagem do pagamento, retornando ao módulo de liberação. Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 101

103 43. LIBERAÇÃO DE PAGAMENTO Tela de liberação de pagamento. O objetivo deste módulo é controlar quais pagamentos podem e quais pagamentos não podem passar pelas regrar de gestão definidas no cadastro de clientes. Uma vez analisada a situação da montagem, um usuário com direito de acesso pode selecionar o pagamento desejado e o botão. Com esta ação o sistema irá liberar a montagem e o lançamento será criado no módulo de conta a pagar. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 102

104 44. CONTAS A PAGAR / BAIXA Assim que um pagamento é montado ele fica disponível para visualização no módulo de contas a pagar. Porém este módulo não se limita apenas a exibir os dados oriundos do módulo operacional mais também permite um controle das despesas administrativas da empresa. Assim como no módulo de contas a receber, quando você selecionar o botão, o sistema entenderá como um lançamento administrativo. Sendo assim no mesmo módulo teremos uma visão de todas as despesas a serem pagas, independente da origem. Uma vez acionado você visualizará a seguinte tela: Nela, você poderá personalizar o registro e para os casos operacionais, o sistema terá condições de informar através da tela o que está sendo pago, caso exista a necessidade de uma atualização de valor incluindo um acréscimo ou um desconto. Após a conferência, é possível efetuar a atualização do caixa através da rotina de baixa conforme tela abaixo: 103

105 Através dos campos da parte superior da tela (como a Unidade, Vencimento até, etc.) você poderá filtrar quais são os lançamentos que deseja quitar. Uma vez informado basta selecionar o botão. Na coluna você poderá selecionar quais os lançamentos serão quitados. Na parte inferior da tela é necessário preencher os dados de pagamento e de qual conta bancária valor a será abatido. Outro campo muito importante é. Pois dependendo a forma escolhida o sistema terá uma ação diferente. Ex: Caso você selecione a forma de pagamento cheque, o sistema irá solicitar a impressão da folha no mesmo momento confirme a operação. Finalizada a seleção, basta você confirmar a ação através do botão. DICA! IMPORTANTE! Caso no momento da baixa ocorra algum problema na emissão do cheque, você poderá efetuar uma nova impressão. Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 104

106 45. CAIXA Toda a movimentação financeira da empresa é consolidada neste módulo independente de ter sido gerado um crédito ou um débito. Uma vez acionada, o sistema exibirá a seguinte tela: O sistema sempre exibirá a movimentação financeira do dia, conforme podemos observar no título da janela. Caso você queira informações de outra data ou mesmo visualizar os registros de forma mais objetiva, basta selecionar o filtro avançado. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Além dos dados oriundos dos outros módulos é possível efetuar um lançamento direto no caixa (como taxas bancárias ou mesmo lançamentos não previstos) esta operação deve ser feita através do botão. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 105

107 46. CONCILIAÇÃO FINANCEIRA Como sabemos, o fato de uma conta ter sido baixada não significa que o valor foi debitado da conta da empresa. O objetivo deste módulo é informar para o sistema quando o lançamento realmente ocorreu. Para isso você deve incluir uma conciliação. Uma vez acionado o módulo o sistema exibirá a seguinte tela: Os dados a serem preenchidos referem-se ao que você está conciliando. Uma vez informado, selecione o botão e o sistema exibirá a seguinte tela: 106

108 Através da coluna você pode selecionar quais são os lançamentos que deseja conciliar. DICA! IMPORTANTE! Todo lançamento cuja forma de lançamento for diferente de cheque, o sistema trará selecionado, pois partimos do pré suposto que a operação é on line. Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 107

109 47. TRANSFERÊNCIA FINANCEIRA Em alguns casos, as empresas possuem mais de uma conta bancária e constantemente efetuam transferências bancárias. Uma vez acionado o módulo o sistema exibirá a seguinte tela: Basta você informar os dados solicitados e automaticamente o valor será debitado de uma conta e creditado em outra sem a necessidade de inclusão de lançamentos. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 108

110 48. RESUMO FINANCEIRO O sistema gera de forma resumida os dados do módulo financeiro, conforme tela a seguir: Além de visualizar os dados em tela, você poderá efetuar a impressão desse resumo. DICA! IMPORTANTE! Caso a empresa tenha mais de uma conta bancária, basta deixar o campo em branco e o sistema trará na lista de contas os dados de todas as contas que estiverem classificadas como conta empresa. Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 109

111 49. CONTA CORRENTE DO PROCESSO Nesta tela você terá acesso as despesas do processo: Além de possibilitar a consulta de qualquer despesa relacionada ao processo, o sistema também permite incluir uma despesa diretamente no processo (sendo que neste caso, nenhuma movimentação financeira será feita. Este item será apenas exibido no faturamento do processo). IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 110

112 50. FATURAMENTO DO PROCESSO Aqui, você tem a possibilidade de emitir os documentos necessários para o faturamento do processo. Uma vez acionado o sistema exibirá a seguinte tela: Note que neste módulo fomos forçados a incluir um Processo de Faturamento. O/os Processo/s que serão/ao faturado/s só iremos informar na tela de. Uma vez incluso o processo de faturamento, podemos visualizar a tela abaixo: 111

113 Aqui, você terá a flexibilidade necessária para faturar um ou mais processos (faturamento consolidado). Para que os processos sejam exibidos na lista, basta selecionar o botão. O sistema trará todos os processos abertos para faturamento bastando selecionar qual será faturado. No momento que o processo for importado, todas as despesas serão enviadas para a tela de permitindo inclusive que você inclua mais itens a serem faturados. A última tela funciona como um protocolo. Finalizada a operação, através do botão você poderá emitir os documentos necessários para o faturamento (nota de despesa / nota fiscal ou RPS). Existe ainda a possibilidade de refaturar um processo. Este caso é utilizado quando o problema foi encontrado antes de enviar a nota para o cliente. IMPORTANTE! Este recurso encontra-se disponível apenas nas versões Advanced. 112

114 51. RPS GERAÇÃO E RETORNO Para os clientes de São Paulo que trabalham com a nota fiscal eletrônica, existe a possibilidade de gerar o arquivo de envio dos RTP s emitidos no dia. 113

115 52. REPORT DESIGN (DOCUMENTO DESIGN) Para acessar a ferramenta de Report Design basta selecionar o menu Ferramentas Configurações Reports Design e o sistema exibirá a seguinte tela: Ferramentas que podem ser utilizadas: Para criação de um novo relatório: 114

116 115

117 116

118 117

119 118

120 119

121 Algumas dicas de formatação de campos: 120

122 53. GERA MENU REPORT Após a criação do documento, precisamos disponibilizá-lo no menu. Uma vez acionada esta opção, o sistema exibirá a seguinte tela: Para incluir um relatório, basta selecionar na coluna da direita qual relatório deseja imprimir e logo em seguida pressionar o botão. O sistema automaticamente passará o relatório da direita para a esquerda, finalizar a operação basta selecionar o botão. Os botões O botão permitem organizar o relatório no menu. permite que um novo subgrupo seja criado. 121

123 54. FERRAMENTA TREINAR 122

124 Nesta tela clique em Declaração - Recuperar Ao clicar em Declaração Recuperar a tela acima se abre 123

125 Clique no botão Treinar para programar a próxima ação. 124

126 Nesta tela deve ser informado um numero de DI incorreto para o sistema tratar quando for digitado um numero de registro incorreto. Não clique em OK quando a mensagem aparecer. 125

127 Clique em Treinar para ir ao próximo passo. 126

128 Nesta tela clique em OK no digito verificador invalido. Agora digite um numero de registro valido. 127

129 Ao digitar o numero de registro valido e clicar em OK ira aparecer a tela pedindo o código e a senha, não digite as informações ainda. 128

130 Agora nesta tela digite o código e a senha valida do SISCOMEX. 129

131 Ao digitar o código e a senha e confirmar a tela acima ira aparecer com os dados da recuperação, clique em Treinar para ir ao próximo passo. 130

132 Depois de realizado esse procedimento o para efetuar a recuperação das informações automaticamente a rotina está disponível em Movimentação > Importação > Declaração de Importação > Capa > Recuperação Dados Complementares. 131

133 132

134 55. i-mantra O módulo desenvolvido será responsável por realizar as consultas ao Mantra através do IWW de forma automatizada de acordo com temporizador previamente configurado, e enviar essas informações consultadas ao i-broker Import. - Tabelas i-mantra: Através do menu Tabelas / Mantra, temos os seguintes módulos que compõe a ativação do i-mantra: - Acesso Siscomex: Cadastro de usuário que será utilizado para efetuar a conexão junto ao IWW, desde que, o tipo de usuário esteja informado Mantra ; Agenda de Consulta do Mantra: Poderá ser definido os horários que serão efetuadas as consulta de processos aéreos ao Mantra, podendo ser determinado horário de inicio e termino por dia da semana; 133

135 - Avarias: Tabela de avarias com todas opções disponíveis no Mantra, tabela utilizada para identificação do tipo de avaria(s) que foi apresentada para o processo; - Embalagens Mantra: Tabela de Embalagens Mantra com todas opções disponíveis no Mantra, tabela utilizada para identificação do tipo de Embalagem que foi apresentada para o processo; - Indisponibilidade: Tabela de Indisponibilidade com todas opções disponíveis no Mantra, tabela utilizada para identificação o motivo da Indisponibilidade que foi apresentada para o processo; 134

136 - Tratamento de Carga: Tabela de Tratamento de Carga com todas opções disponíveis no Mantra, tabela utilizada para identificar o tratamento que foi apresentada para o processo; - Sistema i-mantra: o sistema i-mantra será acionado através do seguinte endereço: O caminho citado acima especifica a consulta que será aberta pelo usuário na maquina que servirá como servidora. Esta aplicação irá trabalhar em conjunto com a rotinha do i-broker Import. Configuração Parâmetros i-mantra: Ao acessar o link informado acima, temos duas guias: 135

137 - Log Consulta: onde será visualizado as informações de processos a serem consultados como: hora inicial da consulta, hora final da consulta, usuário utilizado para a consulta, House e Master que foram consultados e resultado da consulta; - Parâmetro Consulta: nesta guia informamos dados necessários para a realização junto ao IWWW: Deverá ser informado o caminho para ser executado o arquivo Consulta Mantra.exe ; Informar o tipo do IWWW instado na estação que será efetuada a consulta; Informar a Sessão IWWW instado na estação que será efetuada a consulta; 136

138 Neste campo será informado o tempo que o emulador leva em média para ser carregado e as informações serem exibidas, o tempo informado deverá ser em segundos; Caminho e arquivo onde a aplicação foi instalado; Caminho e arquivo de parâmetros do emulador; Descrição que aparece no titulo da janela do Emulador; Intervalo que a aplicação irá varrer o banco de dados procurando dados para consulta. Este intervalo deverá ser informado em minutos sendo que o intervalo mínimo será de 30 min. Os dados apresentados Dia Semana / Início e Termino neste grid será a informação cadastrada no i-broker Import na tabela Agenda de Consulta Mantra ; No módulo Manutenção do i-broker Import, quando o processo é Aéreo é habilitada uma nova guia Dados Mantra, dentro dessa guia tendo disponíveis as seguintes guias: Informações Básicas, Informações Complementares e Telas Consultadas : Informações Básicas: São apresentados dados específicos disponíveis na tela consultada no Mantra. Informações Complementares: São visualizadas as datas de eventos referentes ao andamento do processo; Telas Consultadas: São armazenadas telas referente a consulta efetuada pelo i-mantra referente ao processo solicitado. 137

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-nota

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-nota MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-nota Atualizado em: Maio/2011 Atualizado por: Carlos Valotto Versão: 1.0 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 2 1. CADATROS... 4 1.1. CADASTRO GRUPO DE USUÁRIO... 7 1.2. CADASTRO - USUÁRIO...

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Export

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Export MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-broker Export Atualizado em: Atualizado por: Maio/2011 Carlos Valotto Versão: 4.0 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1. CADASTROS... 5 1.1. CADASTRO

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-traffic Export

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-traffic Export MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-traffic Export Atualizado em: Agosto/2011 Atualizado por: Marilete Aguiar (Revisado por Carlos Valotto) Versão: 2.0 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REQUISITOS MÍNIMOS PARA

Leia mais

Manual de Operações. Versão 2.0. Junho/2011. Autor : Carlos Valotto. Página 1

Manual de Operações. Versão 2.0. Junho/2011. Autor : Carlos Valotto. Página 1 Manual de Operações Versão 2.0 Junho/2011 Autor : Carlos Valotto Página 1 Índice Sistema i-drawback Introdução... 3 01 - Cadastros... 5 01.1 - Grupo de usuários... 8 01.2 - Usuários... 9 01.3 - Item /

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-tracking

MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-tracking MANUAL DE OPERAÇÃO DO SISTEMA i-tracking Atualizado em: Novembro/2009 Atualizado por: Marcelo Gomes Versão: 1.0 ÍNDICE 1. CONFIGURAÇÕES INICIAIS... 4 2. MÓDULOS... 7 3. FERRAMENTAS... 9 4. CADASTROS...

Leia mais

Manual de Sistema - DDMantra

Manual de Sistema - DDMantra Prezado Cliente Bysoft Você acaba de adquirir um sistema de recuperação e consulta de informações automáticas do Mantra Neste material, você encontrará explicações de todos os recursos oferecidos pelo

Leia mais

LINX POSTOS AUTOSYSTEM

LINX POSTOS AUTOSYSTEM LINX POSTOS AUTOSYSTEM Manual Notas Fiscais Sumário 1 CONCEITO... 3 2 REQUISITOS... 3 3 CONFIGURAÇÕES... 3 3.1 Permissões... 3 3.2 Configurar NF-e... 4 3.2.1 Aba Geral... 5 3.2.2 Opções... 6 3.3 Processador

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

ROTEIRO SOBRE NOTAS DE IMPORTAÇÃO CONTROLLER

ROTEIRO SOBRE NOTAS DE IMPORTAÇÃO CONTROLLER Inicialmente, o mais importante O objetivo deste material é apresentar como deve-se proceder em todas as fases, o cadastramento de uma Nota de Importação no Controller. Este material abordará os tópicos

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital

Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Passo a Passo do Orçamentos de Entrada no SIGLA Digital Página 1 de 9 Este é um dos principais módulos do SIGLA Digital. Utilizado para dar entrada de produtos no estoque, essa ferramenta segue a seguinte

Leia mais

PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66

PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66 PRINCIPAIS NOVIDADES VERSÃO 8.85/1.1.66 Sumário 1. Nota Fiscal Eletrônica São Paulo... 3 2. Motivo da baixa... 9 3. Contrato Endereço para cobrança... 12 4. Vistoria... 13 5. Contas a pagar Controle de

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

NOTA FISCAL ELETRÔNICA

NOTA FISCAL ELETRÔNICA NOTA FISCAL ELETRÔNICA Í n d i c e Julho, 2010 Introdução... 2 1. Acerto dos cadastros de Clientes e de Produtos... 4 1.1. Cadastros Básicos - Cadastro de Clientes... 4 1.2. Cadastros Básicos Cadastro

Leia mais

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda

Governo do Estado do Pará Secretaria de Estado da Fazenda Manual do Usuário Sistema Notapará Programa Nota Fiscal Cidadã Objetivo: Estabelecer orientações aos usuários do sistema Notapará, tais como: usabilidade, funcionalidade e navegabilidade. Manual do Usuário

Leia mais

Manual para Transportadoras

Manual para Transportadoras Índice 1 Objetivo... 3 2 O Projeto e-suprir... 3 3 Introdução... 3 4 Informações Básicas... 4 4.1 Painel de Controle Compras... 4 5 Acessando o Pedido... 5 6 Digitando o Espelho de Nota Fiscal... 7 6.1

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB

MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB MANUAL DO PRESTADOR FATURAMENTO WEB 0 Sumário Introdução... 2 Funcionalidades... 2 Requisitos Necessários... 2 Faturamento Web... 3 Faturamento Simplificado... 4 Faturamento Detalhado... 9 Faturamento

Leia mais

Síntese de fluxo de máquinas e implementos

Síntese de fluxo de máquinas e implementos Síntese de fluxo de máquinas e implementos Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Objetivo... 3 Parâmetros para utilização do processo... 3 Cadastro

Leia mais

Manual do Módulo. MerchNotas

Manual do Módulo. MerchNotas Manual do Módulo MerchNotas Bento Gonçalves (RS), Agosto de 2010 Índice 1. Introdução... 4 2. Menu Entrada de Notas... 5 2.1. Entrada de Notas (F11)... 5 2.2. Entrada de Notas NFe (F12)... 8 2.3. Apuração

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA

MANUAL DE INSTRUÇÕES. Sistema Nota Fiscal Eletrônica. Sil Tecnologia LTDA Sistema Nota Fiscal Eletrônica Sil Tecnologia LTDA SUMÁRIO INTRODUÇÃO 4 1. CONHECENDO OS COMANDOS DO SISTEMA 5 1.1 Tela Inicial do Sistema 5 1.2 Navegador de registros 6 1.3 Filtro de Registros 6 2. TELA

Leia mais

OBS: Para auxílo na configuração de impostos e quais CFOPs(operações fiscais) usar, sempre consultar informações com o contador da empresa.

OBS: Para auxílo na configuração de impostos e quais CFOPs(operações fiscais) usar, sempre consultar informações com o contador da empresa. Como fazer uma NFe de Importação? A NFe de importação tem algumas particularidades. Resumidamente O fornecedor final precisa estar localizado em uma cidade do Exterior; Tem algumas diferenciações nos impostos

Leia mais

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin

Módulo 14. CgaInformatica. NFe. NFe para o Sistema Retwin Módulo 14 CgaInformatica NFe NFe para o Sistema Retwin 2 Sumário O que é... 3 Benefícios... 3 Requisitos para Instalação e Implantação... 3 Obrigação Backup... 4 Configuração Geral do Sistema... 5 Cadastro

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO

Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Sistema Integrado de Gerenciamento ARTESP MANUAL DO USUÁRIO SIGA EXTRANET - FRETAMENTO Versão 1.0 Julho/2012 ÍNDICE 1 REQUISITOS MÍNIMOS PARA INSTALAÇÃO... 4 1.1 Equipamento e Sistemas Operacionais 4 1.1.1

Leia mais

Manual Controle de Estoque

Manual Controle de Estoque 2014 Manual Controle de Estoque ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Manual de Utilização... 3 1 - Cadastro... 3 1.1 Cadastro de Fornecedores... 4 1.2 Grupo de Materiais... 6 1.3 Unidades

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA

MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA NOÇÕES GERAIS MANUAL DO USUÁRIO GONDOLA Para melhor compreender o ambiente de trabalho do sistema GONDOLA, é necessário que sejam apresentadas algumas noções gerais, antes de se aprofundar em cada módulo

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar

Processos de Compras. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Processos de Compras Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar 1 Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Controle de Compras... 4 Parametrização... 4 Funcionamento... 4 Processo de Controle...

Leia mais

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA...

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... Portal de Vendas Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 1.1. Guia Portal de Vendas... 7 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 8 5.

Leia mais

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk

Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP. PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk Emissão: 16/09/2010 Revisão: 23/04/2015 Revisado por: Juliana PEDIDO DE VENDAS SHP PPV0102 v. 3.2.7.39 Help Desk 1 Conteúdo Introdução:... 3 CAMINHO:... 4 Inclusão e inicio do PEDIDO DE VENDAS... 5 DETALHES

Leia mais

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria

Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Índice 1.Auditoria Financeira...2 2.Parametrizações do Sistema...3 2.1.Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Forma de controle das notas na Auditoria Financeira...4 2.1.2.Formas de Registro do Pagamento e Recebimento

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica

Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Manual do módulo Hábil NFC-e Emissor de Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica Hábil Empresarial 2014 by Ltda (0xx46) 3225-6234 I Hábil Empresarial NFC-e Índice 1 Cap. I Introdução 1 O que é... o Hábil NFC-e

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07

MANUAL DO SISTEMA. Versão 6.07 MANUAL DO SISTEMA Versão 6.07 Movimentações... 4 Movimentações de Caixa... 4 Entradas... 6 Recebimento em Dinheiro... 8 Recebimento em Cheque... 8 Troco... 15 Saídas... 17 Movimentações de Banco... 22

Leia mais

LOGÍSTICA E FATURAMENTO

LOGÍSTICA E FATURAMENTO LOGÍSTICA E FATURAMENTO 1. Geração lote de separação 1 2. Impressão Picking list 3 2.1. Por pedidos 3 2.2 Por lote 5 2.3 Controle do Picking List por Lote 7 3. Registro de operação por Caixa 10 3.1 Separação

Leia mais

APLICAÇÕES WEB GUIA DO USUÁRIO

APLICAÇÕES WEB GUIA DO USUÁRIO Parte:...................................... Gabarito Assunto:............................ Atualização: Original........................ Página: 1 SIA 7.5 - Sistema Integrado de Arrecadação APLICAÇÕES

Leia mais

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13

Visão Empresa de Contabilidade. Versão 8.1A-13 Visão Empresa de Contabilidade Versão 8.1A-13 Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

Guia Prático do Usuário

Guia Prático do Usuário Guia Prático do Usuário 3. O que esse Manual aborda Esse manual é um guia prático de utilização do sistema, ele aborda noções gerais sobre gerenciamento de sua empresa além de ter informações detalhando

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...

Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração... Índice 1.Integração Contábil...2 2.EBS Sistema Contábil...3 2.1. Parametrizando o Cadastro da Empresa...3 2.1.1.Opções de integração...3 2.1.2.Contabilização de Notas Fiscais...4 2.1.3.Agrupamento...4

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013

MANUAL DO USUÁRIO PORTAL TISS. Manual. Usuário. Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 Manual do Usuário Versão 1.3 atualizado em 13/06/2013 1. CONFIGURAÇÕES E ORIENTAÇÕES PARA ACESSO... 4 2 GUIAS... 11 2.1 DIGITANDO AS GUIAS... 11 2.2 SALVANDO GUIAS... 12 2.3 FINALIZANDO UMA GUIA... 13

Leia mais

Manual de Acesso a NF-e

Manual de Acesso a NF-e Manual de Acesso a NF-e Acesso ao Sistema para Pessoa Jurídica. 1.0 Acesso ao Sistema....1 2.0 Cadastro...2 3.0 Configuração do Perfil...8 4.0 Solicitação de Emissão de NF-e....12 5.0 Emissão de NF-e...14

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1

Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 Treinamento GVcollege Módulo Financeiro 1 2013 GVDASA Sistemas Caixa AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA MEUSOFT MEI

MANUAL DO SISTEMA MEUSOFT MEI MANUAL DO SISTEMA MEUSOFT MEI www.meusoft.com.br Indice Item Descrição Pg 1. Objetivo e Principais Funcionalidades 3 2. Para acessar e instalar a aplicação 4 3. Conhecendo o MeuSoft MEI 6 3.0 Tela inicial

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4

APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4 INDICE APRESENTAÇÃO... 3 OBJETIVO... 3 QUEM DEVE USAR... 3 CAPÍTULO 1 - INICIANDO O SISTEMA... 4 1.1 - ENTRADA NO SISTEMA... 4 1.2 - TELA DO ORGANIZADOR DO MULTICONTAS... 4 CAPÍTULO 2 - FUNCIONALIDADES

Leia mais

1 - O que é o Conectividade Social? 03. 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04

1 - O que é o Conectividade Social? 03. 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04 Conteúdo 1 - O que é o Conectividade Social? 03 2 - Qual a configuração mínima para instalar o programa?... 04 3 - O que é necessário para instalar o Conectividade Social?.... 05 4 - Como faço para executar

Leia mais

Manual de Operações. Versão 1.0. Janeiro/2009. Autor : Carlos Valotto

Manual de Operações. Versão 1.0. Janeiro/2009. Autor : Carlos Valotto Manual de Operações Versão 1.0 Janeiro/2009 Autor : Carlos Valotto 1 Informações dos Processos da Internet O DD WebTrack tem como sua principal finalidade manter Importadores e Exportadores sempre atualizados

Leia mais

Informe afill Tecnologia. afill Import

Informe afill Tecnologia. afill Import Informe afill Tecnologia afill Import 1 Objetivo Prezado(a), O objetivo e demonstrar de forma simples as funcionalidades que compõe a personalização de controle de Importação utilizando o módulo de Compras,

Leia mais

ROTEIRO NOTA FISCAL ELETRONICA A partir de Agosto/2012

ROTEIRO NOTA FISCAL ELETRONICA A partir de Agosto/2012 ROTEIRO NOTA FISCAL ELETRONICA A partir de Agosto/2012 1. INSTALAÇÃO DO GESTOR Confira abaixo as instruções de como instalar o sistema Gestor. Caso já tenha realizado esta instalação avance ao passo seguinte:

Leia mais

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076

Gestor Empresarial - Financeiro. Release Versão 1.076 Gestor Empresarial - Financeiro Release Versão 1.076 Maio/2013 Produto : AeroSoft Gestor Empresarial - Financeiro Versão : v1.076 Data Liberação : 21/04/2013 A seguir são apresentadas as novas funções

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

jfisc al Versão 3.0 - Fevereiro/2015

jfisc al Versão 3.0 - Fevereiro/2015 jfiscal Versão 3.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFISCAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfiscal... 3 3 ADQUIRIR UMA LICENÇA DO

Leia mais

Manual do Módulo de PC Online

Manual do Módulo de PC Online do Módulo de PC Online Agilis Conteúdo Introdução... 4 Acesso à Funcionalidade... 5 1. Internet Explorer 6.x... 7 2. Internet Explorer 7.x... 9 3. Netscape Navigator 7.x... 10 4. Netscape Navigator 7.2x...

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

SSPlus (8.0) REA Relatório Explicativo de Alterações. REA SSPlus 8.0

SSPlus (8.0) REA Relatório Explicativo de Alterações. REA SSPlus 8.0 1 REA Relatório Explicativo de Alterações SSPlus (8.0) Autor : Alana Trindade Criado em 08/09/2015 Impresso Arquivo REA Relatório Explicativo de Alterações Versão 8.0.114 a 2 CONTEÚDO COMPRAS...5 81872

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO NF-e CONNECT - Versão 7 - Outubro/2009

MANUAL DE INSTALAÇÃO NF-e CONNECT - Versão 7 - Outubro/2009 Simplificando processos, Dinamizando negócios OOBJ-NF-E/CT-E MANUAL DE INSTALAÇÃO NF-e CONNECT - Versão 7 - Outubro/2009 E-Sales Soluções de integração Avenida França, 1162 Porto Alegre, RS Fone: (51)

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 1-13 1-13 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05

SUMÁRIO. 1 Cadastro Empresa / Estabelecimento ----------------------------------- Pág. 05 1 Apresentação O presente manual tem o objetivo de apresentar o sistema Fortes Compras e Estoque, instruindo o usuário sobre as funcionalidades do sistema, seus benefícios e especificidades. Nele pode

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 jfinanças Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFINANÇAS PESSOAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfinanças Pessoal...

Leia mais

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços.

Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços. 1 Sumário: Tópico: Página: 2 Apresentação: O Sistema Integrado de Gerenciamento de Imposto Sobre Serviços ou SIG-ISS é um sistema para gerenciamento

Leia mais

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7

OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 OASyS Informática Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0.7 Manual desenvolvido pela OASyS Informática, baseado na versão 2.0 da Nota Fiscal Eletrônica do SEFAZ. 1 Manual da Nota Fiscal Eletrônica 2.0 Título

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE 1. PRÉ REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB 04 2. PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA 04 3. INSTALANDO O SIGEP WEB 07 4. CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA 09 COMPARTILHANDO O BANCO

Leia mais

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet www.controlenanet.com.br Copyright 2015 - ControleNaNet Conteúdo Tela Principal... 3 Como imprimir?... 4 As Listagens nas Telas... 7 Clientes... 8 Consulta... 9 Inclusão... 11 Alteração... 13 Exclusão...

Leia mais

Manual do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito

Manual do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito Manual do Hábil Enterprise NFC-e Gratuito Emissor de NFC-e Gratuito Hábil Enterprise NFC-e Gratuito 2013-2014 by Ltda. (0xx46) 3225-6234 I Hábil Enterprise NFC-e Gratuito Índice 1 Cap. I Introdução 1 O

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

Corregedoria-Geral de Justiça. Serviço Notarial e de Registro. Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO

Corregedoria-Geral de Justiça. Serviço Notarial e de Registro. Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO Corregedoria-Geral de Justiça Serviço Notarial e de Registro Manual do Sistema SISNOR CARTÓRIO Atualizado em 29/04/2015 CONTEÚDO APRESENTAÇÃO... 4 CAPÍTULO 1 DOWNLOAD DO SISNOR CARTÓRIO... 5 CAPÍTULO 2

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S

CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP COMO PROCEDER PARA FAZER BACKUP S CONHECENDO O BANCO DE DADOS DPCOMP Atualmente, a DpComp, visando ampliar a capacidade corporativa de seus clientes, acompanha a evolução tecnológica e trabalha hoje com o banco de dados MySQL, um dos bancos

Leia mais

www.gerenciadoreficaz.com.br

www.gerenciadoreficaz.com.br Fone: (62) 4141-8464 E-mail: regraconsultoria@hotmail.com www.gerenciadoreficaz.com.br Guia Prático do Usuário Manual de Instalação Gerenciador Eficaz 7 2 Manual do Usuário Gerenciador Eficaz 7 Instalando

Leia mais

Gerenciamento de importação

Gerenciamento de importação Sumário Apresentação... 2 1. Procedimentos iniciais... 2 2. Realizar Cadastros... 4 3. Gerenciar Importação com Controle de Embarque... 18 Etapa 1 Fazer o pedido de compra máster... 19 Etapa 2 Controle

Leia mais

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA Manual do Usuário SisCommercePDV NFC-e Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA MANUAL DO USUÁRIO SisCommercePDV Emissor de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) *Manual em desenvolvimento

Leia mais

TUTORIAL UTILIZAÇÃO DE FUNCIONALIDADES AUDITOR FISCAL

TUTORIAL UTILIZAÇÃO DE FUNCIONALIDADES AUDITOR FISCAL TUTORIAL UTILIZAÇÃO DE FUNCIONALIDADES AUDITOR FISCAL VERSÃO DO SISTEMA 3.0/2015 VERSÃO DO DOCUMENTO 1.0 Índice 1. OBJETIVO GERAL... 2 2. ACESSO AO SISTEMA AUDITOR FISCAL... 3 3. SISTEMA AUDITOR FISCAL

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. - INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico

e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Página1 e-nota MDF-e Manifesto de Documento Fiscal eletrônico Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa Página2 Índice 1. O que é MDF-e?... 03 2. Safeweb e-nota MDF-e... 04 3. Acesso e-nota

Leia mais

Manual Prático. Dayvison Alves dos Reis www.pgemp.com.br 25/09/2014

Manual Prático. Dayvison Alves dos Reis www.pgemp.com.br 25/09/2014 2014 Manual Prático Dayvison Alves dos Reis www.pgemp.com.br 25/09/2014 Sumário Sobre o PGAD e-credrural... 2 Baixando e instalando o PGAD e-credrural... 3 Acessando o PGAD e-credrural... 3 Entendendo

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Gestão inteligente de documentos eletrônicos

Gestão inteligente de documentos eletrônicos Gestão inteligente de documentos eletrônicos MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS VISÃO EMPRESAS - USUÁRIOS (OVERVIEW) No ELDOC, o perfil de EMPRESA refere-se aos usuários com papel operacional. São

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e

MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA. NF-e MANUAL DE INSTRUÇÃO SISTEMA EMISSOR DE NOTA FISCAL ELETRÔNICA NF-e SELECIONE A EMPRESA EMISSORA DA NFE CLIQUE EM INICIAR TELA DE AVISOS FAÇA A LEITURA DOS AVISOS E CLIQUE EM FECHAR EMISSÃO DA NOTA FISCAL

Leia mais

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município Após receber a confirmação de aceite do Credenciamento via e-mail já é possível efetuar o login no sistema

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E)

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E) Conteúdo Solicitação de Autorização...2 Numeração da NF-E...3 Emissão de NF-E...3 Pesquisa de NF-E emitida...5 Cancelamento de NF-E emitida...5 Carta de Correção...6 Envio de Arquivo de RPS...6 Número

Leia mais

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.

VESOFTWARE - DESENVOLIMENTO DE SISTEMAS E WEBSITES Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com. Fone: (11) 4036-6980 VIVO(11)9607-5649 TIM(11)7013-8480 www.vesoftware.com.br 1-15 INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS

MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS MANUAL DE UTILIZAÇÃO MASTER VENDAS 1. CONCEITO Master Vendas não é somente um sistema, e sim, um novo conceito de gestão para sua empresa. Foi desenvolvido por profissionais de informática juntamente com

Leia mais

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário

Shop Control 8 Pocket. Guia do usuário Shop Control 8 Pocket Guia do usuário Abril / 2007 1 Pocket O módulo Pocket permite fazer vendas dos produtos diretamente em handhelds Pocket PC, pelos vendedores externos da empresa. Os cadastros (clientes,

Leia mais

Menu Notas Fiscais Entradas. Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros:

Menu Notas Fiscais Entradas. Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros: Menu Notas Fiscais Entradas (não é um manual) Sugestão de Compras: 1º passo: selecionar os critérios de pesquisa e filtros: Loja desejada. Fornecedor desejado (com marcas homologadas). Filtro para ignorar

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES 1.3

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES

SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS PRÓ-REITORIA DE DESENVOLVIMENTO UNIVERSITÁRIO DIRETORIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE CONTROLE DE ESTOQUE MANUAL PARA REQUISITANTES SISTEMA 1ª EDIÇÃO SETEMBRO/2013

Leia mais

Í N D I C E A N A L Í T I C O

Í N D I C E A N A L Í T I C O EXTRATUS V1.09 PROGRAMA PARA IMPORTAÇÃO DE EXTRATOS BANCÁRIOS OFC, OFX, QIF E HTML E EXPORTAÇÃO DE LANÇAMENTOS CONTÁBEIS Stactus Informática Ltda Agosto / 2010 Í N D I C E A N A L Í T I C O 1 Introdução...1

Leia mais