Cleiton Aguiar Dos Santos Rodrigues Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD INTRODUÇÃO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cleiton Aguiar Dos Santos Rodrigues Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD E-mail: casr0309@hotmail.com INTRODUÇÃO"

Transcrição

1 Cleiton Aguiar Dos Santos Rodrigues Universidade Federal da Grande Dourados-UFGD INTRODUÇÃO O presente trabalho, de iniciação científica, faz parte de um projeto maior intitulado Questão agrária e apropriação territorial: impasses, possibilidades e perspectivas no sul de Mato Grosso do Sul, coordenado pela professora Márcia Yukari Mizusaki. Tem como finalidade caracterizar os principais problemas vivenciados pelos povos indígenas no município de Amambai, Estado de Mato Grosso do Sul, a partir do estudo das condições de reprodução social. A população indígena do município é de habitantes e representa 20,8% do total do município. Como não se verificaram estudos sobre o tema no município, a pesquisa tem por finalidade contribuir para os estudos de Geografia Agrária no Estado. Quanto à metodologia utilizada utilizou-se inicialmente de levantamento bibliográfico e documental relacionado à temática na Biblioteca e no Centro de Documentação Regional da UFGD, bem como, em sites da internet e revistas especializadas. Foram realizadas leituras de textos acompanhados de discussões periódicas com a orientadora. O trabalho de campo ocorreu paralelamente à revisão bibliográfica, visando à coleta de material empírico, por meio de realização de entrevistas, registro de imagens, levantamento de dados junto a órgãos relacionados, como a FUNAI (Fundação Nacional do Índio), o CIMI (Conselho Indigenista Missionário), IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e outros órgãos que se fizeram necessários. Os resultados obtidos até o presente momento não fogem à expectativa sendo eles esperados visto que o conflito entre proprietários de terra e indígenas na cidade é um fato recorrente; as condições de infraestrutura oferecidas aos índios são precárias (são exemplos o posto de saúde cedido à população, a instalação e recepção dada aos índios do município quanto ao órgão responsável a FUNAI). Os dados populacionais oferecidos pelo IBGE até o momento podem ser considerados satisfatórios, com algumas ressalvas em relação a alguns itens que não constam como o número de indígenas que não reside na reserva e sim no perímetro urbano. Assim podese dizer que a pesquisa se encontra em um estágio onde estão sendo feitas as análises a

2 partir dos dados coletados até o presente momento. Sendo assim a pesquisa se encontra no meio, já que daqui para frente será realizada as analises dos dados e a elaboração dos mapas, gráficos e produção do texto que irá compor a pesquisa. CONSIDERAÇÕES SOBRE A QUESTÃO INDÍGENA NO MUNICÍPIO DE AMAMBAI-MS Devemos levar em consideração que a questão trabalhada até agora tem a finalidade de elucidar aspectos sobre os indígenas do município de Amambai, podemos considerar que a cidade localizada no cone-sul do estado de Mato grosso do sul não foge a regra em relação a outro municípios se tratando de reservas. É claro que existe suas peculiaridades das reservas como sua divisão interna e sua relação com os fazendeiros em volta e a cidade, a cultura Guarani Kaiowá frequentemente bombardeada pela cultura do não índio assimila traços perdendo sua identidade de considerável valor para entendermos como podemos ver o mundo de forma diferente. Ai entra o ponto de maior relevância para esse trabalho, a visão de mundo do Guarani Kaiowá é diferente de tudo que conhecemos até o presente momento, principalmente do modo de produção atual. Confinar aqueles que sempre foram livres é algo cruel, sim pois é confinamento o fato de isolar um grupo em uma porção de terra que sempre teve a intenção de distanciá-los o máximo da cidade, porém a cidade se aproxima daqueles que foram rejeitados lógico a cidade cresce, porém não houve a ideia de se aumentar a porção de terra daqueles já confinados, se simplesmente pensarmos na reserva indígena Amambai observamos que sua proximidade com a cidade é evidente. Porém ao questionarmos a população sobre o a presença da reserva nota-se que é como se estive-se distante e fora da realidade da maioria, mais ao andar pela cidade notamos a presença de indígenas pelas ruas na praça nos mercados nas escolas. Isto nos evidencia que o índio assim como em outras partes do nosso pais é ignorado esquecido, ao observamos o hospital indígena destinado ao cuidado dos mesmos, notamos que o descaço se encontra por parte do governo também. A também a apologia de que o índio faz o mal de que é drogado e alcoólatra que é um vagabundo que não trabalha.

3 Trabalhar sobre o assunto se torna complicado devido de que a recepção por parte de muitos que se torna em alguns casos agressiva, já que os fatos citados a cima vem sempre a mente de algumas muitas pessoas quando se fala da questão indígena. O fato do confinamento tratado e levantado por Brand em o Confinamento e Seus Impactos Sobre os Pãi/Kaiowá nos mostra que ainda mesmo com décadas depois de sue trabalho ainda entendem o índio como um empecilho ao progresso, progresso esse lógico de modo capitalista geração de dinheiro pensar que para gerar renda foi preciso tirar índios de sua terra para ser gentil quando nos referimos à questão porque não é novidade que mortes aconteceram e muitos conflitos claro sempre o mais forte venceu, logico legitimado pelo estado futuramente, sim pelo fato da construção de órgãos e instrumentos para cuidar de assuntos como a construção do Serviço de Proteção aos Índios (SPI) que tinha o papel de cuidar do índio porém em casos não o fez. Como nos revela Brand(1993): A perda da terra veio acompanhada pela interferência direta e permanente do Estado no dia a dia da vida na aldeia, com a correspondente imposição de novas chefias e, progressivamente, do nosso conceito de posse da terra mediante a divisão em lotes e a desarticulação das relações de parentesco e de solidariedade. (BRAND, 1993, p. 244) O passado nos revela que o futuro não é tão diferente assim os serviços sociais do município nos revela que o órgão maior a FUNAI (Fundação Nacional do Índio) não é tão ativa a ponto de suprir as necessidades da população como diz Aquino (2012) em sua citação: Mas com o avanço da civilização e o aumento da população começaram a haver mudanças dentro da aldeia. Depois que a Funai começou a atuar nas aldeias o panorama mudou, pois o órgão chegou apresentando o seu projeto e muitos índios se iludiram com isso. Mas a principal mudança aconteceu depois que a FUNAI levou maquinas agrícolas e sementes para as famílias, desde aquele momento a aldeia ficou dependente do órgão governamental, não conseguiram mais plantar suas roças por que um trator não dava conta de gradear todas as terras na época certa e a semente sempre chegava atrasada. Outro fator que dificultou foi que as famílias passaram a criar muita intriga por causa do trator. Então, a maioria das famílias não conseguiu mais plantar suas roças no modo tradicional (LOPES DA SILVA, apud AQUINO,2012, p.37)

4 A autora acima revela casos que não se difere muito da realidade das reservas de Amambai, a sua dimensão em consideração a terras levando em conta como a reserva Amambai com seus hectares pode se dizer que é sim uma área grande, mais sua população de quase 5 mil pessoas fica sufocada em tão pouco espaço e o pior é perceber que se torna inverso a associação a terra da reserva, já que aqueles adjetivos pejorativos o mais comum é preguiçoso, então a indagação é sempre eles querem terra para que, a resposta é simples a muito para pouco e eles não querem produzir algo como uma monocultura atividade esta muito comum se não a única, claro não devemos generalizar é claro porém a produção agrícola do município é voltada a soja, milho e pecuária, o índio quer algo para se manter ou seja é uma agricultura para manter a família mais como ele fazer isso se não lhe dão condições digo condições com terra e material. Essa ideia de monocultura fica clara no trecho de Mota (2011): Nos campos sul-mato-grossenses se delineia o avanço cada vez mais intenso do agronegócio, que também muda de lugar, muda de forma e formato, de acordo com os mandos e desmandos da lógica capitalista no sistema-mundo moderno-colonial. Adentram ainda mais intensamente os territórios Guarani e Kaiowá e de tantas outras sociedades indígenas, transformando a terra-mato em monocultivos e commodities de terra-soja, terra-cana, terraeucalipto...(mota, 211,p. 365) Outro exemplo de descaso dos órgãos responsáveis por manter o bem estar do índio em relação à agricultura é evidenciado em Oliveira; Pereira (2009), que mostra como o fator se torna mais complexo quando esses órgãos resolvem fechar seus olhos e favorecendo o capital. Constatou-se também que o conflito de interesses ora estabelecido tem sua origem em atos do próprio Estado Brasileiro, sobretudo do governo estado de Mato Grosso, quem colocou à venda terras indígenas não tituladas como sendo terras devolutas. Outrossim foi constatado que o antigo SPI, bem como a atual FUNAI, foram omissos na defesa dos direitos dos índios Kaiowá de Ñande Ru Marangatu, haja vista que desde 1952 o órgão indigenista oficial havia sido comunicado da situação conflituosa existente na região. O mesmo relato seguiu a partir da década de 1970, quando a antropóloga Lília Valle esteve na área em litígio, com vistas à realização de pesquisas acadêmicas, e elaborou um relatório que foi encaminhado à FUNAI.(OLIVEIRA;PEREIRA,2009,p. 284) O que se escuta aqui na cidade é nunca vejo o indo plantando nada, para que terra, talvez a melhor resposta seja já foi a reserva para comprovar o que fala, não é preciso ir

5 a reserva para notar que eles produzem sempre vemos alguns transitando pelo cidade vendendo seus produtos agrícolas que sobram como mandioca, milho verde, batata e obviamente suas ervas medicinais, então porque a o questionamento sempre de que não produzem nada. Uma resposta seria a influência da mídia do município, lógico ela nunca falara a favor do índio sendo que seus fiadores são grandes ruralistas, desta forma o meio mediático de massa define em parte o pensamento da maioria. Mais outro fator que contribuiria para ajudar a desmistificar o preconceito contra o índio é fazer o questionamento então como o índio planta se tudo é pago, dessa maneira a semente é paga, o insumo é pago, o material a plantar é pago, já que foi retirado do indo a oportunidade de preservar suas sementes criolas, então a solução disso seria a ajuda da instituição responsável pelo índio então dessa maneira logo notamos que tem algo errado porque quando indago sobre o material cedido para se produzir me falam que é destinado desta forma pergunto aos interessados os indígenas esses respondem que não lhes é repassado, desta maneira se observa algo de errado obviamente. Ao falar sobre o plantar notamos que existe toda uma relação por traz, porque o índio se torna refém de um órgão de órgãos de ONGs de Missões, não importa quem seja não importa o quanto queira ajudar não conseguem suprir tudo, desta maneira o índio não produz sem suplicar uma ajuda por simples sementes para se manter, ele esta perto da cidade mais o hospital que cuida dele esta longe, parece contraditório já que a reserva Amambai se localiza perto da cidade menos de 3 quilômetros a pergunta é mais e as outras duas à Jaguari e à Limão Verde, mesmo a primeira que fica menos distante, como alguém doente se move, a resposta é clara e lógica tem viaturas equipadas que vão promover o transporte dessas pessoas porém ao ver essas viaturas vemos que são sucateadas então notamos mais uma vez que o dinheiro destinado é mal utilizado. Um único aspecto que notei na pesquisa até o momento em relação ao confinamento e que me deixou mais feliz é o fato de ter escolas dentro das reservas visitadas ressalvo que infelizmente por ser distante não consegui me mover na reserva Jaguari, assim não podendo visualizar o estado da instalação de sua instituição. Mesmo assim se observa que é feito um trabalho para recuperar a identidade indígena é claro que o confinar e

6 ensinar é ruim pois como ira ensinar a uma criança sobre a história de seu povo que sempre viveu livre e se utilizando de artifícios como a caça e suas músicas para expressar sua cultura, para uma criança que fica presa a uma área restrita cercada não por mata mais sim por soja onde o máximo que conseguirá fazer é olhar um campo vazio de mata e cheio de soja, como ensinar a criança sobre seus cânticos repletos de traços culturais e emoção se ao reproduzir os mesmo fora da reserva esta sofrera uma retaliação dizendo que é macumba ou até mesmo como ensinar a cultura dos antigos a uma criança onde as igrejas dizem que só existe um Deus e é o deles, não visualizei nem soube de nenhuma casa de reza na reserva, então como destacar e resgatar a cultua se o seu traço mais forte que é a sua reza em um ambiente sagrado não esta presente no cotidiano. Religião e reserva no município de Amambai estão muito presentes estão completamente atrelados, observei varias igrejas pelas minhas caminhadas na reservas, o que chama a atenção é como elas transformam uma cultura, é relatado nos trabalhos de Brand (1993) e Langer; Chamorro (2012) a presença de missões e instituições ligadas a religião desde a colonização, aprendemos na escola que os missionários tinham o papel de ensinar e transformar o índio em um ser humano já que eram tidos como animais, cruel pois foi intencionalmente que eles removeram a cultura a reza, desta maneira hoje principalmente pode se observar que a ideia foi realizada com sucesso o problema é esse sucesso para quem ou talvez para que, talvez uma resposta seja transformar o índio em consumidor e algo que possa produzir um progresso para o modo de produção capitalista, claro que não é errado como muitos usam como desculpa o índio consumir os produtos do capital, mais quero dizer que pelo menos para o município o fato de ter índios que não creem mais no poder da sua reza e sim no poder do consumo é prejudicial. CONCLUSÃO Este trabalho de pesquisa ainda esta em andamento então as conclusões são preliminares, não tenho a finalidade de definir as características dos indígenas do município em relação ao dados fornecidos, tenho a finalidade de esboçar um dialogo

7 sobre a questão que é complexa sendo dessa maneira justifica o fato de não haver um material com a finalidade deste, a discussão levantada até o momento que é sobre como os índios estão nas reservas me fizeram chegar a conclusão até o momento de as características das reservas como grande número de pessoas em uma área pequena, dependência de órgãos, influência de instituições religiosas, assimilação da cultura do branco e perca da sua, nos da um panorama não muito diferente de outra regiões como as de Dourados, Caarapó, Antônio João, Iguatemi dentre outras áreas do estado de mato grosso do sul. Porém um ponto que pude notar é que em Amambai com algumas exceções á luta não é em si por uma porção maior de terra e sim por uma infra estrutura melhor nas que tem, se observa que houve investimentos sérios de infra estrutura como energia e água, mais outro deixam uma má impressão já que itens básicos como educação e saúde deixam ainda a desejar, claro que não podemos excluir os avanços de órgãos como a SESAI (Secretária Especial da Saúde Indígena) e avanços de instituições federais não envolvidas diretamente com a causa indígena como o MEC (Ministério da Educação) em especial, fizeram melhorias mais é óbvio que estas poderiam ser mais bem aplicadas, podem ser desenvolvidas mais vezes em prazos menores, não podemos culpar esses órgãos por uma burocracia que é nacional. Mais não podemos aceitar calados descasos com o indígena. Voltando ao ponto a cima falei que minha conclusão preliminar é que a maioria não quer terras e sim infraestrutura melhor mais como disse existe sim uma luta pela terra, claro que uma população suprimida em uma área minúscula para a quantia de gente presente iria resultar em disputas pela terra, ainda não tive oportunidade de conhecer os acampamentos então não posso concluir ou falar sobre a questão, assim como pretendo futuramente trabalhar ainda nessa pesquisa sobre o comercio e a relação com indígena. Sendo assim a conclusão parcial é que Amambai não foge a regra quanto à questão indígena discriminação e não compreensão de seu povo estão impregnados na vida da população das reservas assim como o esquecimento por parte das instituições. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

8 AQUINO, E. V. Educação Escolar Indígena e os Processos Próprios de Aprendizagem: Espaço de Inter-Relação de Conhecimentos na Infância Guarani/Kaiowá, Antes da Escola, na Comunidade Indígena de Amambai Amambai- MS f. Dissertação (Mestrado em Educação)- Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande. BRAND, A. O Confinamento e seu Impacto Sobre Pãi/Kaiowá f. Dissertação (Mestrado em História ) -Pontifícia Universidade Católica de Porto Alegre, Porto Alegre. MOTA, J. G.B. Territórios e Territorialidades Guarani e Kaiowá: da territorialização precária na reserva indígena de dourados á multiterritorialidade f. Dissertação (Mestrado em Geografia)- Universidade Federal da Grande Dourados, Dourados. OLIVEIRA, J. E. ; PEREIRA, L. M. Ñande Ru Marangatu: laudo parcial sobre uma terra kaiowá na fronteira do Brasil com o Paraguai, em Mato Grosso do Sul. Dourados: UFGD, 2009.

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver.

A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Palavras-Chaves: Território Sustentabilidade- Bem Viver. A Uwê uptabi Marãiwatsédé buscam o bem viver no território tradicional. Este trabalho tem o objetivo de discutir a sustentabilidade do território A uwe- Marãiwatsédé, mediada pelas relações econômicas,

Leia mais

Como o bullying contra jovens indígenas estudantes de escolas de branco perpetua estereótipo negativo do índio

Como o bullying contra jovens indígenas estudantes de escolas de branco perpetua estereótipo negativo do índio Universidade de São Paulo Glenda Carlos Ferreira de Almeida Nilbberth Pereira da Silva Orientador: Professor Doutor José Coelho Sobrinho Como o bullying contra jovens indígenas estudantes de escolas de

Leia mais

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui.

mundo. A gente não é contra branco. Somos aliados, queremos um mundo melhor para todo mundo. A gente está sentindo muito aqui. Em 22 de maio de 2014 eu, Rebeca Campos Ferreira, Perita em Antropologia do Ministério Público Federal, estive na Penitenciária de Médio Porte Pandinha, em Porto Velho RO, com os indígenas Gilson Tenharim,

Leia mais

INDÍGENAS NO BRASIL SITUAÇÃO DOS INDÍGENAS NO BRASIL HOJE. Capítulo 5 DEMANDAS DOS POVOS E PERCEPÇÕES DA OPINIÃO PÚBLICA

INDÍGENAS NO BRASIL SITUAÇÃO DOS INDÍGENAS NO BRASIL HOJE. Capítulo 5 DEMANDAS DOS POVOS E PERCEPÇÕES DA OPINIÃO PÚBLICA Capítulo 5 SITUAÇÃO DOS INDÍGENAS NO BRASIL HOJE Percepção de diferenças entre índios e não índios no Brasil hoje Estimulada e única, em % Base: Total da amostra (402) NÃO S/ URBANOS POPULAÇÃO NACIONAL

Leia mais

Os Kaiowá e Guarani no Mato Grosso do Sul: os conflitos de terra e as marcas do SPI

Os Kaiowá e Guarani no Mato Grosso do Sul: os conflitos de terra e as marcas do SPI Os Kaiowá e Guarani no Mato Grosso do Sul: os conflitos de terra e as marcas do SPI Eranir Martins de Siqueira 1 Orientador: Antônio Jacó Brand. 2 Introdução. O presente trabalho centra-se na análise de

Leia mais

Povos indígenas nas regiões de fronteiras Direitos à documentação e a proposta do status especial cidadão indígena Mercosul

Povos indígenas nas regiões de fronteiras Direitos à documentação e a proposta do status especial cidadão indígena Mercosul Povos indígenas nas regiões de fronteiras Direitos à documentação e a proposta do status especial cidadão indígena Mercosul Marta Maria do Amaral Azevedo Núcleo de Estudos de População Elza Berquó NEPO/UNICAMP

Leia mais

PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA PR RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA À ALDEIA TEKOHA GUARANI

PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO MUNICÍPIO DE GUAÍRA PR RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA À ALDEIA TEKOHA GUARANI PRM-GUA-PR-00002864/2013 RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA À ALDEIA TEKOHA GUARANI Aos sete dias do mês de Junho de dois mil e treze foi realizada visita técnica à Aldeia Indígena Tekoha Guarani, localizada

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

MORTE DO ÍNDIO OZIEL GABRIEL: UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA. Senhor Presidente,

MORTE DO ÍNDIO OZIEL GABRIEL: UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA. Senhor Presidente, ** Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 05/06/2013. MORTE DO ÍNDIO OZIEL GABRIEL: UMA TRAGÉDIA ANUNCIADA Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, No dia

Leia mais

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1

Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Cordel do Software Livre Cárlisson Galdino 1 Este cordel pode ser distribuído e modificado, desde que você respeite a licença Creative Commons Atribuição Compartilhamento pela Mesma Licença. Ou seja, você

Leia mais

TEIA: COMPARTILHANDO SABERES POPULARES E ACADÊMICOS

TEIA: COMPARTILHANDO SABERES POPULARES E ACADÊMICOS TEIA: COMPARTILHANDO SABERES POPULARES E ACADÊMICOS Resumo O Teia é um Programa que objetiva consolidar e articular 31 projetos de extensão que compartilham concepções, práticas e metodologias baseadas

Leia mais

se formaram, viveram, fizeram e o pouco que aprenderam ou muito foi dentro daquele órgão confuso, terrível, que talvez não seja o melhor para

se formaram, viveram, fizeram e o pouco que aprenderam ou muito foi dentro daquele órgão confuso, terrível, que talvez não seja o melhor para Sidnei Possuelo Eu em primeiro lugar queria agradecer a universidade por propiciar esse espaço hoje muito importante, muito importante, porque vivemos realmente uma crise, e esse espaço aqui é um espaço

Leia mais

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG

POVOS INDÍGENAS NO BRASIL. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG POVOS INDÍGENAS NO BRASIL Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista São José Montes Claros - MG Conhecendo os povos indígenas Para conhecer melhor os povos indígenas, é importante estudar sua língua.

Leia mais

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias

Lucas Zanella. Collin Carter. & A Civilização Sem Memórias Lucas Zanella Collin Carter & A Civilização Sem Memórias Sumário O primeiro aviso...5 Se você pensa que esse livro é uma obra de ficção como outra qualquer, você está enganado, isso não é uma ficção. Não

Leia mais

coleção Conversas #9 - junho 2014 - m i o o Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #9 - junho 2014 - m i o o Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. sou Eu Por do que coleção Conversas #9 - junho 2014 - Candomblé. tã estou sen d o o discri m i na da? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora

Leia mais

Índios do Brasil. Episódio 7: Nossas Terras. Modalidade Educação de Jovens e adultos Fundamental e Médio.

Índios do Brasil. Episódio 7: Nossas Terras. Modalidade Educação de Jovens e adultos Fundamental e Médio. Índios do Brasil Episódio 7: Nossas Terras Resumo A série "Índios no Brasil", com duração média de 20 minutos, traça um perfil da população indígena brasileira e mostra a relação dessa população com a

Leia mais

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças.

Os sindicatos de professores habituaram-se a batalhar por melhores salários e condições de ensino. Também são caminhos trilhados pelas lideranças. TEXTOS PARA O PROGRAMA EDUCAR SOBRE A APRESENTAÇÃO DA PEADS A IMPORTÂNCIA SOBRE O PAPEL DA ESCOLA Texto escrito para o primeiro caderno de formação do Programa Educar em 2004. Trata do papel exercido pela

Leia mais

Preparando meu filho para a liberdade

Preparando meu filho para a liberdade Preparando meu filho para a liberdade Marcos Rezende Fonte: www.insistimento.com.br Você parou para observar o que está passando na televisão quando o seu filho a está assistindo? Ou já parou para refletir

Leia mais

Meu nome é Elizeu Lopes, Ava Kuarahy, sou Guarani-Kaiowá, representante da

Meu nome é Elizeu Lopes, Ava Kuarahy, sou Guarani-Kaiowá, representante da Sra. Presidente do Fórum Permanente 2015 Sra. Relatora Especial para nós povos indígenas. Mba'éichapa!!! Meu nome é Elizeu Lopes, Ava Kuarahy, sou Guarani-Kaiowá, representante da Grande Assembleia Aty

Leia mais

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR

UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR UNIVERSIDADE JÁ GASTA MAIS DO QUE O MEC QUER DAR Nas contas do ex-reitor da USP, anteprojeto da reforma não atende ao acordo com os reitores REFORMA UNIVERSITÁRIA Gabriel Manzano Filho O aumento de recursos

Leia mais

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL

PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL PRÁTICAS CORPORAIS E MANIFESTAÇÕES CULTURAIS INDÍGENAS E SUAS RELAÇÕES COM OS JOGOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL Bruna Maria de Oliveira (¹) ; Elcione Trojan de Aguiar (2) ;Beleni Salete Grando (3) 1.Acadêmica

Leia mais

EDUCAÇÃO INDÍGENA INTRODUÇÃO

EDUCAÇÃO INDÍGENA INTRODUÇÃO EDUCAÇÃO INDÍGENA Gonçalves,Emily 1 Mello,Fernanda 2 RESUMO: Falar da educação dos índios nos dias atuais requer uma breve análise histórica deste povo. Precisamos reconhecer que nesses 508 anos, os povos

Leia mais

Senhoras e Senhores Deputados,

Senhoras e Senhores Deputados, DISCURSO PROFERIDO PELO DEPUTADO GERALDO RESENDE (PPS/MS), NA SESSÃO DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM 13 / 04 / 2005. Senhor Presidente Senhoras e Senhores Deputados, A tragédia que se abate sobre os índios

Leia mais

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES

MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MANUAL SERVIÇOS AMBIENTAIS NO CORREDOR ETNOAMBIENTAL TUPI MONDÉ CADERNO DE ATIVIDADES MÓDULO I Corredor Etnoambiental Tupi Mondé Atividade 1 Conhecendo mais sobre nosso passado, presente e futuro 1. No

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Os Quatro Tipos de Solos - Coração

Os Quatro Tipos de Solos - Coração Os Quatro Tipos de Solos - Coração Craig Hill Marcos 4:2-8 Jesus usava parábolas para ensinar muitas coisas. Ele dizia: 3 Escutem! Certo homem saiu para semear. 4 E, quando estava espalhando as sementes,

Leia mais

Eixo Temático ET-13-010 - Educação Ambiental CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: PROCESSO, AÇÃO, TRANSFORMAÇÃO

Eixo Temático ET-13-010 - Educação Ambiental CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: PROCESSO, AÇÃO, TRANSFORMAÇÃO 486 Eixo Temático ET-13-010 - Educação Ambiental CAPACITAÇÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL: PROCESSO, AÇÃO, TRANSFORMAÇÃO Samuel Brito Ferreira Santos 1 ; Rebecca Ruhama Gomes Barbosa 2 ; Adeilton Padre de Paz

Leia mais

Da perda à luta pela retomada do Tekoha Yvy Katu: o ciclo da erva-mate ao ciclo do soja (1940-2010)

Da perda à luta pela retomada do Tekoha Yvy Katu: o ciclo da erva-mate ao ciclo do soja (1940-2010) Da perda à luta pela retomada do Tekoha Yvy Katu: o ciclo da erva-mate ao ciclo do soja (1940-2010) Eliezer Martins Rodrigues Acadêmico do Curso de Licenciatura Indígena Teko Arandu (UFGD/FAED) Profª.

Leia mais

CULTURA AFRO CULTURA AFRO

CULTURA AFRO CULTURA AFRO CULTURA AFRO ESCOPO Apresentamos o projeto Cultura Afro com o compromisso de oferecer aos alunos do ensino fundamental um panorama completo e diversificado sobre a cultura afro em nosso país. Levamos em

Leia mais

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO

FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO FORMAÇÃO DO TERRITÓRIO BRASILEIRO É claro que o Brasil não brotou do chão como uma planta. O Solo que o Brasil hoje ocupa já existia, o que não existia era o seu território, a porção do espaço sob domínio,

Leia mais

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento.

P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. museudapessoa.net P/1 Seu Ivo, eu queria que o senhor começasse falando seu nome completo, onde o senhor nasceu e a data do seu nascimento. R Eu nasci em Piúma, em primeiro lugar meu nome é Ivo, nasci

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú Catalogação: Cleide de Albuquerque Moreira Bibliotecária/CRB 1100 Revisão: Lucimar Luisa Ferreira / Marinez Santina Nazzari Revisão Final: Elias Januário Consultor: Luís Donisete Benzi Grupioni Projeto

Leia mais

Para a grande maioria das. fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo.

Para a grande maioria das. fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo. Sonhos Pessoas Para a grande maioria das pessoas, LIBERDADE é poder fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo. Trecho da música: Ilegal,

Leia mais

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D

ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Nome: n.º 3ª série Barueri, / / 2009 Disciplina: ESTUDOS SOCIAIS 1ª POSTAGEM ATIVIDADE DE ESTUDOS SOCIAIS 3ª S SÉRIES A-B-C-D Querido aluno, segue a orientação para esta atividade. - Ler com atenção, responder

Leia mais

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI

2015 O ANO DE COLHER JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI JANEIRO - 1 COLHER ONDE PLANTEI Texto: Sal. 126:6 Durante o ano de 2014 falamos sobre a importância de semear, preparando para a colheita que viria neste novo ano de 2015. Muitos criaram grandes expectativas,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 77 Discurso na cerimónia de lançamento

Leia mais

ENTREVISTA COLETIVA. Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA. 10 de julho de 2013. Compromisso com o Brasil

ENTREVISTA COLETIVA. Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA. 10 de julho de 2013. Compromisso com o Brasil ENTREVISTA COLETIVA Senadora Kátia Abreu Presidente da CNA 10 de julho de 2013 Compromisso com o Brasil 1 Uso do Solo no Brasil Cidades e Infraestrutura 0,2% Terras Devolutas do Incra 17,6% Outros Usos:

Leia mais

A medicina da família e a humanização do atendimento ao paciente

A medicina da família e a humanização do atendimento ao paciente A medicina da família e a humanização do atendimento ao paciente por Denise Marson Apesar da implantação do programa Saúde da família, a formação de profissionais especializados na área de medicina da

Leia mais

MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP

MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP 361 MORFOLOGIA URBANA DAS ÁREAS DE FUNDO DE VALE DO CÓRREGO DO VEADO EM PRESIDENTE PRUDENTE, SP Andressa Mastroldi Ferrarezi, Arlete Maria Francisco Curso de Arquitetura e Urbanismo; Departamento de Planejamento,

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

IV SEMINARIO DE POVOS INDIGENA E SUSTENTABILIDADE SABERES TRADICIONAL E FORMAÇAO ACADEMICA ARLEM BARBOSA DOS SANTOS

IV SEMINARIO DE POVOS INDIGENA E SUSTENTABILIDADE SABERES TRADICIONAL E FORMAÇAO ACADEMICA ARLEM BARBOSA DOS SANTOS IV SEMINARIO DE POVOS INDIGENA E SUSTENTABILIDADE SABERES TRADICIONAL E FORMAÇAO ACADEMICA ARLEM BARBOSA DOS SANTOS DIAGNOSTICO SOCIO-ECONOMICO DA COMUNIDADE SÃO JORGE/RR: UMA EXPERIENCIA ACADEMICA Trabalho

Leia mais

ENTREVISTA COM DRA. MÔNICA MARIA HENRIQUE DOS SANTOS

ENTREVISTA COM DRA. MÔNICA MARIA HENRIQUE DOS SANTOS dos Santos, Coordenadora de Assistência Farmacêutica da Funasa, em Pernambuco, e do programa de assistência farmacêutica na saúde indígena. Pelo jornalista Aloísio Brandão, Editor desta revista. m programa

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS

DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS CENTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE CURITIBA COORDENAÇÃO DE ESTÁGIO CURSO TÉCNICO DE... Tema do Pôster DIVISÃO GEOGRÁFICA DE CLASSES SOCIAIS ALUNO: EXEMPLO TURMA: XXXXXXXXXXX CURITIBA 2013 SUMÁRIO

Leia mais

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO

CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO HQ se lga! i CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLITICO Defender a CONSTITUINTE é um erro! Erro, por que? A direita vai aproveitar uma Constituinte

Leia mais

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP

Depressão e Qualidade de Vida. Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP Depressão e Qualidade de Vida Dra. Luciene Alves Moreira Marques Doutorado em Psicobiologia pela UNIFESP 1 Percepções de 68 pacientes entrevistadas. 1. Sentimentos em relação à doença Sinto solidão, abandono,

Leia mais

Oficina de Roteiro - Onda Cidadã

Oficina de Roteiro - Onda Cidadã Oficina de Roteiro - Onda Cidadã ---Pesquisa Todo vídeo necessita de pesquisa para ser produzido. Isto ajuda a organizar as ideias e facilita a produção. Faça a sua própria pesquisa (...) você deve fazer

Leia mais

Seminário: Políticas de sustentabilidade nas terras indígenas

Seminário: Políticas de sustentabilidade nas terras indígenas Seminário: Políticas de sustentabilidade nas terras indígenas de Mato Grosso do Sul Os tópicos que seguem expressam algumas conclusões a que chegaram os participantes do SenÜnário, notadamente os representantes

Leia mais

A CRISE DOS ALIMENTOS EM 2007 E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O MERCADO INTERNACIONAL WALDÊNIA JANINE FERREIRA SILVA

A CRISE DOS ALIMENTOS EM 2007 E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O MERCADO INTERNACIONAL WALDÊNIA JANINE FERREIRA SILVA 1 A CRISE DOS ALIMENTOS EM 2007 E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O MERCADO INTERNACIONAL WALDÊNIA JANINE FERREIRA SILVA INTRODUÇÃO As recentes altas dos preços dos alimentos remetem a vários questionamentos de

Leia mais

CONFLITO, TERRITÓRIO E IDENTIDADE: O CASO DOS INDÍGENAS GUARANI DE GUAÍRA/PR

CONFLITO, TERRITÓRIO E IDENTIDADE: O CASO DOS INDÍGENAS GUARANI DE GUAÍRA/PR CONFLITO, TERRITÓRIO E IDENTIDADE: O CASO DOS INDÍGENAS GUARANI DE GUAÍRA/PR Cíntia Pires Inéia Acadêmica do Curso de Geografia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná- Unioeste- Campus Marechal C.

Leia mais

NOME COMPLETO DA SUA INSTITUIÇÃO. Nome completo do integrante A Nome completo do integrante B Nome completo do integrante C

NOME COMPLETO DA SUA INSTITUIÇÃO. Nome completo do integrante A Nome completo do integrante B Nome completo do integrante C NOME COMPLETO DA SUA INSTITUIÇÃO Nome completo do integrante A Nome completo do integrante B Nome completo do integrante C TÍTULO DO TRABALHO: subtítulo, se houver Santa Rita do Sapucaí 2015 Nome completo

Leia mais

Para gostar de pensar

Para gostar de pensar Rosângela Trajano Para gostar de pensar Volume III - 3º ano Para gostar de pensar (Filosofia para crianças) Volume III 3º ano Para gostar de pensar Filosofia para crianças Volume III 3º ano Projeto editorial

Leia mais

INDÍGENAS NO BRASIL DEMANDAS DOS POVOS E PERCEPÇÕES DA OPINIÃO PÚBLICA

INDÍGENAS NO BRASIL DEMANDAS DOS POVOS E PERCEPÇÕES DA OPINIÃO PÚBLICA Capítulo 14 EDUCAÇÃO INDÍGENA Conhecimento sobre o recebimento e adequação da educação regular (parâmetros nacionais de educação) nas aldeias indígenas Estimulada e única, em % MACRO REGIÕES PROXIMIDADE

Leia mais

NOME: Voluntariado Espiritano / SOLSEF Sol sem Fronteiras. EMAIL: voluntariado@espiritanos.org. WEBSITE: http://www.espiritanos.org / www.solsef.

NOME: Voluntariado Espiritano / SOLSEF Sol sem Fronteiras. EMAIL: voluntariado@espiritanos.org. WEBSITE: http://www.espiritanos.org / www.solsef. ASSOCIAÇÃO DE VOLUNTARIADO NOME: Voluntariado Espiritano / SOLSEF Sol sem Fronteiras EMAIL: voluntariado@espiritanos.org WEBSITE: http://www.espiritanos.org / www.solsef.org QUEM SOMOS: No capítulo provincial

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C CONTEÚDOS DO EXAME Líderes religiosos, Motivação e Liderança Convivência com o grupo; Amizade e sentido de grupo Os projetos Solidários; O que é um projeto? Olhares sobre

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

Ref.: Ataque à comunidade Guarani e Kaiowá Ñande Ru Marangatú e assassinato do jovem Semião Vilhalva.

Ref.: Ataque à comunidade Guarani e Kaiowá Ñande Ru Marangatú e assassinato do jovem Semião Vilhalva. Goiânia e Heidelberg, 02 de setembro de 2015 Senhora Dilma Rousseff Presidenta da República Federativa do Brasil Palácio do Planalto, Praça dos Três Poderes, Brasília DF Ref.: Ataque à comunidade Guarani

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

Palavras chave: Estágio Supervisionado. Ensino de sociologia. Discursos escolares.

Palavras chave: Estágio Supervisionado. Ensino de sociologia. Discursos escolares. REFLETINDO O ESTÁGIO SUPERVISIONADO: PERSPECTIVAS E SUPERAÇÃO DO ALUNO-PROFESSOR DE SOCIOLOGIA Maria Edilania Santos do Nascimento 1 RESUMO Este trabalho vem a expor e refletir as implicações do Estágio

Leia mais

MAPEAMENTO DE PESQUISAS EDUCACIONAIS EM TORNO DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA TEMAS E DEBATES DAS PESQUISAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (2005-2010)

MAPEAMENTO DE PESQUISAS EDUCACIONAIS EM TORNO DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA TEMAS E DEBATES DAS PESQUISAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (2005-2010) MAPEAMENTO DE PESQUISAS EDUCACIONAIS EM TORNO DA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA TEMAS E DEBATES DAS PESQUISAS DE PÓS GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO (2005-2010) Taílla Caroline Souza Menezes¹ e Ludmila Oliveira Holanda

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

A MENINA DOS OLHOS DA REPRESSÃO : DISCUTINDO DITADURA MILITAR E MÚSICA POPULAR BRASILEIRA NO ENSINO DE HISTÓRIA EM SALA DE AULA.

A MENINA DOS OLHOS DA REPRESSÃO : DISCUTINDO DITADURA MILITAR E MÚSICA POPULAR BRASILEIRA NO ENSINO DE HISTÓRIA EM SALA DE AULA. A MENINA DOS OLHOS DA REPRESSÃO : DISCUTINDO DITADURA MILITAR E MÚSICA POPULAR BRASILEIRA NO ENSINO DE HISTÓRIA EM SALA DE AULA. Autora: Mestra Rosicleide Henrique da Silva Universidade Federal de Campina

Leia mais

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele

Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele O Plantador e as Sementes Era uma vez, numa cidade muito distante, um plantador chamado Pedro. Ele sabia plantar de tudo: plantava árvores frutíferas, plantava flores, plantava legumes... ele plantava

Leia mais

Profissão: Estudantes de Jornalismo

Profissão: Estudantes de Jornalismo Profissão: Estudantes de Jornalismo Gus Vieira O jornalista tem uma função social bem clara: disponibilizar para a sociedade informação ética, de qualidade e democrática, atendendo ao interesse público.

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM GEOGRAFIA: O USO DA CHARGE COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE PARA AS NECESSIDADES ATUAIS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM GEOGRAFIA: O USO DA CHARGE COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE PARA AS NECESSIDADES ATUAIS EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM GEOGRAFIA: O USO DA CHARGE COMO INSTRUMENTO DE ANÁLISE PARA AS NECESSIDADES ATUAIS Kaio Santos Diniz Graduado em Geografia pela Universidade Estadual da Paraiba, professor da disciplina

Leia mais

OS SABERES DE PROFESSORES DA ESCOLA REGULAR ACERCA DO ENSINO COLABORATIVO: ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA

OS SABERES DE PROFESSORES DA ESCOLA REGULAR ACERCA DO ENSINO COLABORATIVO: ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA OS SABERES DE PROFESSORES DA ESCOLA REGULAR ACERCA DO ENSINO COLABORATIVO: ENTRE A TEORIA E A PRÁTICA Angélica Regina Schmengler - UFSM 1 Deisi Santos Righi UFSM 2 Grupo de Trabalho Diversidade e Inclusão

Leia mais

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados...

Apostila de Fundamentos. Arrependimento. Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... Apostila de Fundamentos Arrependimento Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados... (Atos 3:19) A r r e p e n d i m e n t o P á g i n a 2 Arrependimento É muito importante

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM SINDROME DE DOWN E SEU PROCESSO

Leia mais

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores

difusão de idéias Atenção ao olhar crítico dos professores Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias outubro/2008 página 1 Atenção ao olhar crítico dos professores Maria Malta Campos: Há uma enorme demanda reprimida por creches nas periferias das grandes cidades,

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO 5 Amanda dos Santos Galeti Acadêmica de Geografia - UNESPAR/Paranavaí amanda_galeti@hotmail.com Kamily Alanis Montina Acadêmica

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA.

FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. FORMAÇÃO CONTINUADA: MUDANÇAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA NA VIVÊNCIA DE UM PROGRAMA. Rosângela de Fátima Cavalcante França* Universidade Federal de Mato Grosso do Sul RESUMO Este texto apresenta de forma resumida

Leia mais

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA?

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? Sonhos, Execução e Responsabilidade. ROBERTO FERMINO (ROCO) Q uer saber... Esta semana você é minha prioridade! Fiquei tão movido pelas dúvidas e mensagens de apoio que o mínimo

Leia mais

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak

www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak www.jyotimaflak.com Glücks- Akademie mit JyotiMa Flak Academia da felizidade com JyotiMa Flak Entrevista com Ezequiel Quem é você? Meu nome é Ezequiel, sou natural do Rio de Janeiro, tenho 38 anos, fui

Leia mais

Trabalho Apresentado no XXV Simpósio Nacional de História, Simpósio Temático 36: Os Índios na História, 13-17 de julho de 2009

Trabalho Apresentado no XXV Simpósio Nacional de História, Simpósio Temático 36: Os Índios na História, 13-17 de julho de 2009 Terra Indígena Ñande Ru Marangatu: laudo pericial de natureza antropológica e histórica sobre parte de um território Kaiowa na fronteira do Brasil com o Paraguai Jorge Eremites de Oliveira * Levi Marques

Leia mais

ENTREVISTA PROF. DR. FABRICIO POSSEBON. Coordenador do curso de Graduação (licenciatura e bacharelado) em Ciências das Religiões da UFPB

ENTREVISTA PROF. DR. FABRICIO POSSEBON. Coordenador do curso de Graduação (licenciatura e bacharelado) em Ciências das Religiões da UFPB 5 ENTREVISTA PROF. DR. FABRICIO POSSEBON Coordenador do curso de Graduação (licenciatura e bacharelado) em Ciências das Religiões da UFPB Clarissa De Franco equipe editorial Último Andar Último Andar:

Leia mais

em sessão no dia 20.03.12 SAÚDE INDÍGENA: DESCASO E NEGLIGÊNCIA Senhor Presidente,

em sessão no dia 20.03.12 SAÚDE INDÍGENA: DESCASO E NEGLIGÊNCIA Senhor Presidente, Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 20.03.12 SAÚDE INDÍGENA: DESCASO E NEGLIGÊNCIA Senhor Presidente, Senhoras e senhoras deputados, É com profunda preocupação

Leia mais

Disciplina: construção da disciplina consciente e interativa em sala de aula e na escola *

Disciplina: construção da disciplina consciente e interativa em sala de aula e na escola * Disciplina: construção da disciplina consciente e interativa em sala de aula e na escola * Dorotéia Baduy Pires** O que seria de uma orquestra, se cada músico tocasse o que quisesse? Se não houvesse disciplina?

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 15 Discurso na cerimónia de sanção

Leia mais

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G)

MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) MATEMATICANDO, BRINCANDO, APRENDENDO E PRODUZINDO ANA PAULA TOMAZ (Finan - G) DIVA TOGNON (Finan - G) Resumo: Este artigo procurou abordar o ensino da matemática na Educação Infantil através de brincadeiras,

Leia mais

A tecnologia e a ética

A tecnologia e a ética Escola Secundária de Oliveira do Douro A tecnologia e a ética Eutanásia João Manuel Monteiro dos Santos Nº11 11ºC Trabalho para a disciplina de Filosofia Oliveira do Douro, 14 de Maio de 2007 Sumário B

Leia mais

carreira de sucesso como ter uma NA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

carreira de sucesso como ter uma NA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO como ter uma carreira de sucesso NA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Saiba os segredos do profissional que já está no mercado de TI à 10 anos e conseguiu se tornar um especialista altamente reconhecido com 23

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 PORTAL DO FÓRUM GOIANO DE EJA: INTERAÇÃO SOCIAL E EDUCAÇÃO EM AMBIENTE VIRTUAL Danielly Cardoso da Silva Karla Murielly Lôpo Leite Maria Emília de Castro Rodrigues O presente texto tem por objetivo apresentar

Leia mais

Educação escolar indígena

Educação escolar indígena Educação escolar indígena O principal objetivo desta apresentação é fazer uma reflexão sobre a cultura indígena kaingang, sobre as políticas educacionais integracionistas e sobre a política atual, que

Leia mais

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)?

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)? Entrevista concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de apresentação dos resultados das ações governamentais para o setor sucroenergético no período 2003-2010 Ribeirão

Leia mais

AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DO LAGO DE FURNAS NO MUNICÍPIO DE FAMA-MG

AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DO LAGO DE FURNAS NO MUNICÍPIO DE FAMA-MG AS TRANSFORMAÇÕES NA PAISAGEM A PARTIR DA IMPLANTAÇÃO DO LAGO DE FURNAS NO MUNICÍPIO DE FAMA-MG Tamiris Batista Diniz tamirisbdiniz@hotmail.com Discente Geografia UNIFAL-MG 349 Ana Rute do Vale ana.vale@unifal-mg.edu.br

Leia mais

Campo Grande, 08 de outubro de 2015

Campo Grande, 08 de outubro de 2015 Campo Grande, 08 de outubro de 2015 Deus enxugará toda a lágrima de seus olhos, pois nunca mais haverá morte, nem luto, nem clamor, e nem dor haverá mais. Sim! As coisas antigas se foram! (Ap. 21.4) Nhanderu

Leia mais

Desafios da maturidade

Desafios da maturidade Desafios da maturidade PATRÍCIA ESTER Ação de extensão da UFMG enfrenta contratempos após trajetória de mais de duas décadas Foto: patientsafetyauthority.org Q uando a velhice chega, poucos sabem para

Leia mais

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE.

OS 4 PASSOS ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM HIGHSTAKESLIFESTYLE. OS 4 PASSOS PARA VOCÊ COMEÇAR A VIVER EM ALTA PERFORMANCE A PARTIR DE AGORA HIGHSTAKESLIFESTYLE. Hey :) Gabriel Goffi aqui. Criei esse PDF para você que assistiu e gostou do vídeo ter sempre por perto

Leia mais

TEMPO DE APRENDER EM CLIMA DE ENSINAR: UMA PROPOSTA PARA MELHORIA DO ENSINO EM ESCOLAS PÚBLICAS

TEMPO DE APRENDER EM CLIMA DE ENSINAR: UMA PROPOSTA PARA MELHORIA DO ENSINO EM ESCOLAS PÚBLICAS TEMPO DE APRENDER EM CLIMA DE ENSINAR: UMA PROPOSTA PARA MELHORIA DO ENSINO EM ESCOLAS PÚBLICAS Taísa Das Dores Pereira; Maria Gertrudes Alvarez Justi Da Silva. Universidade Federal Fluminense, taisaddp@id.uff.br;

Leia mais

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis

Por Rogério Soares Coordenador Estadual da RCC São Paulo Grupo de Oração Kénosis Grupos de Oração sem a experiência do Batismo no Espírito Santo, exercício dos carismas e o cultivo da vivência fraterna, revelam uma face desfigurada da RCC. Reflitamos a esse respeito tendo por base

Leia mais

ÁREA E PERÍMETRO NO SÉTIMO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO PIBID. Edymara Ugarte Reges¹; Thaís de Almeida Mamoré¹; Irio Valdir Kichow²

ÁREA E PERÍMETRO NO SÉTIMO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO PIBID. Edymara Ugarte Reges¹; Thaís de Almeida Mamoré¹; Irio Valdir Kichow² ÁREA E PERÍMETRO NO SÉTIMO ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL DO PIBID Edymara Ugarte Reges¹; Thaís de Almeida Mamoré¹; Irio Valdir Kichow² UFGD Faculdade de Ciências Exatas e Tecnológicas- FACET Dourados MS, E-mail:

Leia mais

PAUTA UNITÁRIA DOS MOVIMENTOS SINDICAIS E SOCIAIS DO CAMPO

PAUTA UNITÁRIA DOS MOVIMENTOS SINDICAIS E SOCIAIS DO CAMPO PAUTA UNITÁRIA DOS MOVIMENTOS SINDICAIS E SOCIAIS DO CAMPO São Paulo, 12 de março de 2015. No consenso de nossas concepções, dos movimentos sociais do campo e das florestas, inclusive pactuadas no Encontro

Leia mais

INFLUÊNCIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS PRÁTICAS DIÁRIAS DE ALUNOS DAS ESCOLAS RADIOFÔNICAS DO RN

INFLUÊNCIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS PRÁTICAS DIÁRIAS DE ALUNOS DAS ESCOLAS RADIOFÔNICAS DO RN INFLUÊNCIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA NAS PRÁTICAS DIÁRIAS DE ALUNOS DAS ESCOLAS RADIOFÔNICAS DO RN Márcia Maria Alves de Assis UFRN marciageomat@ig.com.br Liliane dos Santos Gutierre UFRN lilianeccet@ufrn.br

Leia mais

C Por que é preciso fazer rápido o produto web?

C Por que é preciso fazer rápido o produto web? C Por que é preciso fazer rápido o produto web? Já falamos sobre algumas denições e requisitos para se ter uma startup. Depois falamos sobre como ter ideias de produtos para a startup e que essas ideias

Leia mais

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil.

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. 6. Humanização, diálogo e amorosidade. Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. Santos, Marisa Alff dos 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas docentes

Leia mais

ESVAZIAMENTO DE POPULAÇÃO JOVEM NO MUNICÍPIO DE CORUMBATAÍ DO SUL PR

ESVAZIAMENTO DE POPULAÇÃO JOVEM NO MUNICÍPIO DE CORUMBATAÍ DO SUL PR ESVAZIAMENTO DE POPULAÇÃO JOVEM NO MUNICÍPIO DE CORUMBATAÍ DO SUL PR Jaqueline T. Gouveia, (IC),UNESPAR/FECILCAM, gouveia.jaqueline@hotmail.com Fábio Rodrigues da Costa, (OR), UNESPAR/FECILCAM, fabiorcmestrado@bol.com.br

Leia mais