VIII FEIRA HISTÓRICA E TRADICIONAL DE SERPA 21,22 e 23 de agosto de 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VIII FEIRA HISTÓRICA E TRADICIONAL DE SERPA 21,22 e 23 de agosto de 2015"

Transcrição

1 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO Entidades extra concelhias O presente normativo tem por objetivo a regulação do funcionamento da Feira Histórica e Tradicional de Serpa, ao nível da componente histórica, no que à atribuição e distribuição de stands e outros espaços a explorar pelas entidades externas ao concelho, na área adstrita ao Evento: Centro Histórico de Serpa. A Feira Histórica e Tradicional, na sua componente histórica, remete, anualmente, para diferentes épocas, mediante decisão do Município. Este ano, o Reinado em representação é o de D. Dinis ( ). 1. PERÍODO e HORÁRIO: 1.1 Período de funcionamento: - Os espaços têm de estar abertos ao público, e a funcionar plenamente de acordo com os horários de abertura e encerramento da Feira h / 01.00h. 2. PARTICIPANTES - São destinatários desta iniciativa: Os artífices, os artesãos, os mercadores, os regatões, nacionais e estrangeiros, que promovam a venda e/ou demonstração de produtos característicos da época a recriar. 2.2 As entidades singulares ou colectivas capacitadas para o exercício da atividade de produção, exposição e venda de produtos agroalimentares. 3. CONCEITO DE: 3.1 Artífices: - todos os artesãos que se enquadrem em ofícios da época recriada e que recriem o ofício durante o evento. 3.2 Artesãos: - todos os que promovam a venda de produtos/materiais de produção própria e de forma artesanal. 3.3 Mercadores: - todas as entidades, singulares ou colectivas, que promovam a venda de produtos/materiais enquadrados na época a recriar e que sejam ou não produzidos pelos próprios. 3.4 Regatões (com ponto fixo de venda): - todos os que promovam o pequeno comércio de bens alimentares de abastecimento diário com ponto de venda definido.

2 PRODUTOS E MATERIAIS a) Ossos, peles, couros de animais b) Cerâmica, vidro, madeira, cortiça, resina, vime, cestaria, madeiras, osso, anil. c) Ouro, prata, cobre, bronze, estanho, ferro forjado, aço, zinco, chumbo, latão. d) Armas e munições de temática medieval e) Vestuários/Tecidos Linho, estopa, burel, veludo, seda, algodão e lã, utilizados em vestuário de modelo medieval. f) Calçado sapatos, botas, sandálias de modelo medieval confecionados em couro, pele e tecido. g) Adereços Chapéus, toucados, colares, brincos, pulseiras, anéis, cintos, sacolas, bolsa de modelo medieval. h) Cera 4. DISTRIBUIÇÃO DOS ESPAÇOS PELOS PARTICIPANTES: - A distribuição dos espaços a utilizar pelos participantes será feita pela Organização da Feira, de acordo com critérios de optimização e harmonização do espaço disponível. 5. INSCRIÇÕES: 5.1 As inscrições decorrem de 16 de Junho a 7 de Agosto A inscrição pode ser feita pessoalmente para a produção e para os seguintes s: e/ou A inscrição deve ser instruída com os seguintes documentos: a) Ficha de inscrição com descrição do material/produtos para exposição ou venda; b) Fotografias recentes, do material a que se refere e do expositor trajado; 5.4 Os candidatos-participantes que possuam tenda própria devem enviar juntamente com os documentos as dimensões e fotografia da respectiva tenda. 5.5 A confirmação de participação, só se efetiva após comunicação por parte da Organização, por escrito. 6. DEVERES DOS PARTICIPANTES: São obrigações dos participantes na Feira: a) Comparecer devidamente trajados nas Tendas ou Bancas instaladas no espaço que lhe foi atribuído pela Organização, com a antecedência mínima de 30 minutos sobre a hora de abertura da Feira ao público.

3 b) Respeitar as instruções que lhes sejam transmitidas pela Organização. c) Usar de correcção para com os outros participantes, para com os funcionários da Organização e para com o público em geral. d) Depois do encerramento da Feira deve retirar o seu material do espaço que lhe tenha sido atribuído no prazo imposto pela Organização da Feira. e) - Não causar danos em material e equipamentos ou outros bens de natureza diversa. f) Durante o período de realização da Feira, os participantes só poderão vender ou produzir exclusivamente os materiais e os produtos que forem aprovados pela Organização. g) Os participantes têm que decorar os seus espaços e devem obedecer às seguintes orientações: Os motivos e materiais utilizados na decoração ambiente, devem recriar a época pretendida; Os vendedores têm de estar obrigatoriamente trajados nas tendas. Os trajes são da responsabilidade dos participantes sob a orientação da Organização; Cada participante é responsável pelos seus bens e pela limpeza e segurança interna do respetivo espaço; É expressamente proibido o uso de materiais plásticos, sob pena de ser excluído do Evento; Os participantes ficam obrigados a manter os espaços abertos ao público no horário de funcionamento da Feira; Na impossibilidade de cumprir o horário estabelecido, os participantes devem comunicar o facto por escrito à Organização, requerendo o horário que pretendem praticar; O incumprimento do horário estabelecido, assim como o encerramento por motivo injustificado, dão lugar à perda de lugar na próxima Feira; Os participantes devem sujeitar-se a ações de controlo e avaliação por parte da Entidade Organizadora, inclusive em espaços reservados; À organização reserva-se o direito de retirar ou mandar retirar os materiais e produtos que não sejam característicos da época recriada e que, por conseguinte, não se ajustem aos objectivos do Evento. Todos os produtos retirados serão posteriormente entregues aos seus legítimos proprietários. É da responsabilidade dos participantes, zelar pelos seus produtos e pela sua tenda;

4 Os participantes devem precaver-se com protecções para as suas tendas de modo a prevenir eventuais condições climatéricas adversas (ex.: oleados ou outros). A sua utilização deve ser limitada a casos de evidente necessidade e devem ser retirados imediatamente logo que deixe de se justificar a sua utilização ou após comunicação da Organização; Os participantes, que no decorrer do Evento sejam causadores de distúrbios no espaço público ou protagonistas em actos que atentem contra a ordem pública, serão automaticamente expulsos e responsabilizados pelos factos que lhe forem imputados; O acondicionamento e a embalagem dos produtos agro-alimentares deverão ser realizados em embalagens adequadas, limpas e de material inócuo; É obrigação respeitar as normas relativas à higiene dos géneros alimentícios, nomeadamente, no que se refere à sua confeção, conservação e manuseamento; As ementas e os respectivos preços, terão que ser obrigatoriamente afixados em lugares visíveis, utilizando, para o efeito, uma placa de lousa, madeira de pinho, carvalho ou em papel, sempre que se recorra a métodos ou utensílios que não estejam de acordo com a época, será obrigatoriamente efectuado no recuado e fora do alcance visual do público, mas observando sempre o rigor, em termos de higiene e segurança; Durante o período de realização da Feira, os participantes devem confeccionar e servir, apenas a ementa e preços apresentados; Cada expositor é responsável pela limpeza e segurança dos seus bens, assim como do espaço que lhe foi atribuído. 7. DEVERES DA ORGANIZAÇÃO 7.1 Constituem deveres da Organização: a) - Instalação eléctrica (um ponto de luz); b) Ponto de água (quando solicitado e se possível, após averiguação das condições técnicas); c) - Vigilância do espaço público no recinto ocupado pela Feira em horário a ser apresentado. Quando não houver vigilância no recinto será comunicado no ato da inscrição.

5 8. TRANSMISSÃO DE DIREITOS Os participantes cuja inscrição de participação na Feira foi aceite, não podem ceder a terceiros a sua posição no Evento, seja que título for. 9. ACEITAÇÃO DESTE REGULAMENTO O acto de inscrição ou o envio da Ficha de Inscrição e demais documentos solicitados significa a aceitação de todas as cláusulas presentes neste Regulamento. 10. RESTRIÇÕES 10.1 Não é permitida, durante o período de abertura do Evento ao público, a utilização pelos participantes de: - Telemóveis * - Relógios de pulso - Óculos escuros - Roupas desinseridas do contexto histórico. - Maquilhagem exagerada e de cores vivas. *O seu uso pode ser tolerado em espaço reservado, fora da área de exposição e de atendimento ao público. PRODUTOS QUE NÃO SÃO PERMITIDOS: a) Isqueiros, porta-chaves, esferográficas. b) Redes metálicas c) Produtos plastificados ou de plástico d) Elásticos, fechos éclair, fita-cola, cordas plásticas ou de nylon, pioneses Os casos omissos nestas normas serão resolvidos pela organização.

programa da consulta e regulamento de participação

programa da consulta e regulamento de participação viagem medieval em terra de santa maria 29.jul a 9. ago 15 santa maria da feira www.viagemmedieval.com programa da consulta e regulamento de participação para a exploração de espaços [ ] conquiste a história

Leia mais

FESTIVAL DA RAINHA II feira medieval de Estremoz

FESTIVAL DA RAINHA II feira medieval de Estremoz FESTIVAL DA RAINHA II feira medieval de Estremoz CONDIÇÕES GERAIS DE PARTICIPAÇÃO Artigo 1.º Organização 1. O Município de Estremoz e a Escola Secundária da Rainha Santa Isabel de Estremoz (Curso Técnico

Leia mais

Alvalade Medieval. 16,17 e 18 de Setembro de 2011. PROGRAMA DE CONSULTA Exploração de espaços [mercadores, artesãos, artífices e regatões]

Alvalade Medieval. 16,17 e 18 de Setembro de 2011. PROGRAMA DE CONSULTA Exploração de espaços [mercadores, artesãos, artífices e regatões] Alvalade Medieval 16,17 e 18 de Setembro de 2011 PROGRAMA DE CONSULTA Exploração de espaços [mercadores, artesãos, artífices e regatões] Alvalade Medieval é um evento promovido pela Comissão Organizadora

Leia mais

Os participantes/inscritos têm que respeitar as normas de participação, bem como os espaços antecipadamente atribuídos pela organização.

Os participantes/inscritos têm que respeitar as normas de participação, bem como os espaços antecipadamente atribuídos pela organização. II MERCADO OITOCENTISTA DE ARRUDA DOS VINHOS NORMAS DE PARTICIPAÇÃO O Mercado Oitocentista de Arruda dos Vinhos é um evento de recriação histórica com mostra de costumes, artes, ofícios e gastronomia,

Leia mais

Projeto Feira Medieval

Projeto Feira Medieval Projeto Feira Medieval Propósito da realização do evento e regulamento de participação O Agrupamento de Escolas de Miraflores irá realizar como festa final do ano letivo, um projeto aglutinador uma Feira

Leia mais

NE 01: DIAS E HORÁRIOS (ART.9º DO REGULAMENTO GERAL)

NE 01: DIAS E HORÁRIOS (ART.9º DO REGULAMENTO GERAL) NORMAS ESPECÍFICAS ÍNDICE NE 01: DIAS E HORÁRIOS (ART.9º DO REGULAMENTO GERAL)... 2 NE 02: ACESSO DE VEÍCULOS AO MERCADO (ART.11º DO REGULAMENTO GERAL)... 3 NE 03: CIRCULAÇÃO INTERNA (ART.12º DO REGULAMENTO

Leia mais

Normas de Participação Área Alimentar

Normas de Participação Área Alimentar DIVISÃO DE CULTURA BRAGA ROMANA - 2014 REVIVER BRACARA AUGUSTA 21 a 25 de Maio de 2014 Normas de Participação Área Alimentar Os mercados eram uma das expressões mais marcantes da vida das cidades do Império

Leia mais

ALPIAGRA 2010 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA REGULAMENTO GERAL

ALPIAGRA 2010 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA REGULAMENTO GERAL ALPIAGRA 2010 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA REGULAMENTO GERAL A Alpiagra Feira Agrícola e Comercial de Alpiarça é uma organização da Câmara Municipal de Alpiarça. Artigo 1º (Condições de admissão

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R7 18-03-2014 EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Lista de Distribuição: Direções e Unidades do Centro Corporativo Empresas

Leia mais

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO E FUNCIONAMENTO NA FEIRA MEDIEVAL DE TORRE DE MONCORVO 19 A 22 de Março de 2015. Preâmbulo

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO E FUNCIONAMENTO NA FEIRA MEDIEVAL DE TORRE DE MONCORVO 19 A 22 de Março de 2015. Preâmbulo REGRAS DE PARTICIPAÇÃO E FUNCIONAMENTO NA FEIRA MEDIEVAL DE TORRE DE MONCORVO 19 A 22 de Março de 2015 Preâmbulo VISITA RÉGIA DE D. DINIS Anualmente, os meses de fevereiro e março dão as boas vindas à

Leia mais

FICHA INFORMATIVA. Regulamento Municipal de Cedência e Utilização dos Espaços e Equipamentos da Fortaleza de Santiago

FICHA INFORMATIVA. Regulamento Municipal de Cedência e Utilização dos Espaços e Equipamentos da Fortaleza de Santiago FICHA INFORMATIVA Regulamento Municipal de Cedência e Utilização dos Espaços e Equipamentos da Fortaleza de Santiago LEGISLAÇÃO HABILITANTE AUDIÊNCIA DE INTERESSADOS Alíneas k) e ee) do n.º 1 do art.º

Leia mais

Normas de Utilização de Espaços e Equipamentos da. Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa

Normas de Utilização de Espaços e Equipamentos da. Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Normas de Utilização de Espaços e Equipamentos da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa O presente documento tem por finalidade definir e regular os procedimentos e normas gerais de utilização

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA FEIRA ANUAL DE SÃO JOÃO 2016

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA FEIRA ANUAL DE SÃO JOÃO 2016 NORMAS DE FUNCIONAMENTO DA FEIRA ANUAL DE SÃO JOÃO 2016 I DISPOSIÇÕES GERAIS 1.º Data e Eventos Entre os dias 22 e 26 de junho de 2016, realizar-se-á no Parque Municipal de Exposições da Lousã e ruas envolventes,

Leia mais

"CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA" CADERNO DE ENCARGOS

CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA CADERNO DE ENCARGOS "CONCURSO PÚBLICO PARA EXPLORAÇÃO TEMPORÁRIA DE LOJAS, LOCALIZADAS NO MERCADO MUNICIPAL DE AREIAS DE SÃO JOÃO, EM ALBUFEIRA" CADERNO DE ENCARGOS ARTIGO 1.º OBJETO O presente Caderno de Encargos diz respeito

Leia mais

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES 1 ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES CADERNO DE ENCARGOS Artigo 1.º Objeto A Câmara Municipal de

Leia mais

REGULAMENTO DA FEIRA DE ANTIGUIDADES E VELHARIAS DO MUNICÍPIO DE SETÚBAL

REGULAMENTO DA FEIRA DE ANTIGUIDADES E VELHARIAS DO MUNICÍPIO DE SETÚBAL REGULAMENTO DA FEIRA DE ANTIGUIDADES E VELHARIAS DO MUNICÍPIO DE SETÚBAL 1 Índice PREÂMBULO... 4 CAPÍTULO I... 5 DISPOSIÇÕES GERAIS... 5 Artigo 1.º... 5 (Âmbito)... 5 Artigo 2.º... 5 (Objectivo)... 5 Artigo

Leia mais

MUNICIPIO DE ALPIARÇA ALPIAGRA 2014 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA NORMAS

MUNICIPIO DE ALPIARÇA ALPIAGRA 2014 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA NORMAS MUNICIPIO DE ALPIARÇA ALPIAGRA 2014 FEIRA AGRÍCOLA E COMERCIAL DE ALPIARÇA NORMAS A Alpiagra Feira Agrícola e Comercial de Alpiarça é uma organização da Câmara Municipal de Alpiarça. Artigo 1º (Condições

Leia mais

Feira das Colheitas 2015. FEIRA DE ARTESANATO E ARTES - Regulamento -

Feira das Colheitas 2015. FEIRA DE ARTESANATO E ARTES - Regulamento - FEIRA DE ARTESANATO E ARTES - Regulamento - A inserida no programa da Feira das Colheitas de Arouca, irá decorrer entre os dias 24 e 27 de Setembro de 2015. 1. Objetivo 1.1. Com a, pretende-se contribuir

Leia mais

Regulamento do Fórum Municipal da Juventude

Regulamento do Fórum Municipal da Juventude Regulamento do Fórum Municipal da Juventude Capitulo I Âmbito e Estrutura Artigo 1.º Lei habilitante O presente Regulamento do Fórum Municipal da Juventude, adiante também designado apenas por Regulamento,

Leia mais

RECUPERE SEU CRÉDITO 6ª EDIÇÃO 03, 04 e 05 de dezembro de 2015 REGULAMENTO GERAL

RECUPERE SEU CRÉDITO 6ª EDIÇÃO 03, 04 e 05 de dezembro de 2015 REGULAMENTO GERAL RECUPERE SEU CRÉDITO 6ª EDIÇÃO 03, 04 e 05 de dezembro de 2015 REGULAMENTO GERAL Prezado Expositor, O Regulamento Geral é parte integrante do contrato da Campanha Recupere seu Crédito. Aqui você encontra

Leia mais

O complexo das Piscinas Municipais de Pombal inclui as seguintes instalações:

O complexo das Piscinas Municipais de Pombal inclui as seguintes instalações: I DISPOSIÇÕES GERAIS Preâmbulo O presente regulamento estabelece as normas gerais e as condições de cedência e utilização do complexo de piscinas municipais de Pombal, subordinando-se às disposições legais

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO NORMA JUSTIFICATIVA

PROJETO DE REGULAMENTO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO NORMA JUSTIFICATIVA PROJETO DE REGULAMENTO DO PAVILHÃO GIMNODESPORTIVO NORMA JUSTIFICATIVA O Pavilhão Gimnodesportivo Municipal, constituído pelo recinto de jogos principal, ginásio e sala de musculação, é propriedade da

Leia mais

Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar. Regulamento

Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar. Regulamento Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar Regulamento junho de 2011 Regulamento de Venda de Lotes na Zona Industrial de Almodôvar Projeto aprovado por Deliberação da Câmara Municipal,

Leia mais

- NORMAS DE FUNCIONAMENTO -

- NORMAS DE FUNCIONAMENTO - - NORMAS DE FUNCIONAMENTO - O Colégio Laranja e Meia destina-se a receber crianças dos 3 meses aos 6 anos. Horário - Abertura : 8.30 horas - Encerramento : 19 horas As actividades pedagógicas decorrem

Leia mais

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO

REGRAS DE PARTICIPAÇÃO REGRAS DE PARTICIPAÇÃO 1. Condições de Participação 1. Realiza-se a 26, 27 e 28 de Junho de 2015 a recriação histórica designada Os Piratas ; 2. Podem participar no certame, artesãos e mercadores individuais,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CAPITULO I DISPOSIÇÕES LEGAIS. Art.º 1.º (Definições e Objectivos)

REGULAMENTO INTERNO CAPITULO I DISPOSIÇÕES LEGAIS. Art.º 1.º (Definições e Objectivos) REGULAMENTO INTERNO CAPITULO I DISPOSIÇÕES LEGAIS Art.º 1.º (Definições e Objectivos) O CRIFZ, Centro de Recuperação Infantil de Ferreira do Zêzere, é uma Instituição de Solidariedade Social sem fins lucrativos,

Leia mais

CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO

CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO CENTRO SOCIAL E CULTURAL DE CUSTÓIAS REGULAMENTO INTERNO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIÁRIO CAPÍTULO I Artigo 1º 1.A resposta Social de Apoio Domiciliário, doravante designado por S.A.D., está situado nas

Leia mais

PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO

PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO PISCINA MUNICIPAL AO AR LIVRE DE BOQUES PROJETO DE REGULAMENTO 2 ÍNDICE CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS... 4 Artigo 1.º Destino e funcionamento... 4 Artigo 2.º Época de funcionamento... 5 Artigo 3.º Interrupção

Leia mais

Regulamento da Biblioteca Professor Morais Barbosa

Regulamento da Biblioteca Professor Morais Barbosa e Regulamento da Biblioteca Professor Morais Barbosa Capitulo I Da Biblioteca Professor Morais Barbosa Artigo 1.º Missão: A Biblioteca Professor Morais Barbosa (BPMB) tem por missão organizar, tratar,

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRÂNSITO DO CONCELHO DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA

REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRÂNSITO DO CONCELHO DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA REGULAMENTO MUNICIPAL DE TRÂNSITO DO CONCELHO DE ALJUSTREL NOTA JUSTIFICATIVA Atendendo ao aumento de número de viaturas em circulação, à alteração da circulação em algumas vias e locais, à existência

Leia mais

REGULAMENTO DO ARQUIVO HISTÓRICO DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS

REGULAMENTO DO ARQUIVO HISTÓRICO DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS REGULAMENTO DO ARQUIVO HISTÓRICO DA CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS O presente regulamento estabelece os princípios e as normas aplicáveis ao Arquivo Histórico da Caixa Geral de

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DA 9ª EXPOTAPERA PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 08 a 11 DE OUTUBRO DE 2015

REGULAMENTO GERAL DA 9ª EXPOTAPERA PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 08 a 11 DE OUTUBRO DE 2015 REGULAMENTO GERAL DA 9ª EXPOTAPERA PERÍODO DE REALIZAÇÃO: 08 a 11 DE OUTUBRO DE 2015 LOCAL: Ginásio Tenarião, situado na Rua Tiradentes,315, Bairro Centro, Tapera- RS. Art. 1º. A abertura da 9ª EXPOTAPERA

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIARIO

REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIARIO REGULAMENTO INTERNO DE FUNCIONAMENTO DO SERVIÇO DE APOIO DOMICILIARIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS NORMA I Âmbito de Aplicação O Centro Social e Polivalente de Ourentã, (C.S.P.O.) designado por Instituição

Leia mais

Normas de Funcionamento das CASAS DA JUVENTUDE

Normas de Funcionamento das CASAS DA JUVENTUDE Normas de Funcionamento das CASAS DA JUVENTUDE CJ Matosinhos: Av. D. Afonso Henriques 487 4450-014 Matosinhos / telef: 22 9398090 - fax: 22 9398099 CJ Santa Cruz do Bispo: Rua do Chouso, 277-301 4455 Santa

Leia mais

REGULAMENTO DA I FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA CIENTÍFICA DE SERRA TALHADA: UM SALTO PARA A CIÊNCIA NO SERTÃO DO PAJEÚ

REGULAMENTO DA I FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA CIENTÍFICA DE SERRA TALHADA: UM SALTO PARA A CIÊNCIA NO SERTÃO DO PAJEÚ REGULAMENTO DA I FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA CIENTÍFICA DE SERRA TALHADA: UM SALTO PARA A CIÊNCIA NO SERTÃO DO PAJEÚ Poderão participar da I Feira de Ciências e Mostra Científica de Serra Talhada estudantes

Leia mais

Festas do Barreiro 2015. Normas de Funcionamento da Mostra Empresarial e Institucional

Festas do Barreiro 2015. Normas de Funcionamento da Mostra Empresarial e Institucional Festas do Barreiro 2015 Normas de Funcionamento da Mostra Empresarial e Institucional As presentes normas de funcionamento dispõem sobre as regras da Mostra Empresarial e Institucional 2015, adiante designada

Leia mais

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP

REGULAMENTO DE SEGURANÇA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E DE SUPORTE LOGÍSTICO PARA A EDP Natureza do documento Versão Data Emissor Procedimento de Segurança (DPS) R8 12-03-2015 EDP Valor Direção de Segurança e Saúde Lista de Distribuição: Direções e Unidades do Centro Corporativo Empresas

Leia mais

REGULAMENTO DO PAVILHÃO DE DESPORTOS 1 I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DO PAVILHÃO DE DESPORTOS 1 I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DO PAVILHÃO DE DESPORTOS 1 I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º - O Pavilhão de Desportos é propriedade da Câmara Municipal de Vila do Conde e tem como finalidade a prestação de serviços à população

Leia mais

Regulamento Setembro de 2013

Regulamento Setembro de 2013 Regulamento Setembro de 2013 1. ÂMBITO E ESTRUTURA A Biblioteca da Universidade Lusíada de Vila Nova de Famalicão é uma unidade documental que adquire, processa e disponibiliza informação especializada

Leia mais

Feira de Atividades Económicas e Produtos Locais. Normas de funcionamento 2015

Feira de Atividades Económicas e Produtos Locais. Normas de funcionamento 2015 Feira de Atividades Económicas e Produtos Locais Normas de funcionamento 2015 Feira Atividades Económicas e Produtos Locais Normas de funcionamento - 07 08 09 10 Agosto 2015 DISPOSIÇÕES GERAIS Objetivo

Leia mais

EDITAL N9 15/2015 PROJETO DE ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO N~ 4/2011 REGULAMENTO DO SALÃO DE ARTESANATO

EDITAL N9 15/2015 PROJETO DE ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO N~ 4/2011 REGULAMENTO DO SALÃO DE ARTESANATO EDITAL N9 15/2015 PROJETO DE ALTERAÇÃO AO REGULAMENTO N~ 4/2011 REGULAMENTO DO SALÃO DE ARTESANATO ALBERTO SIMÕES MAIA MESQUITA, PRESIDENTE DA CÃMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA FAZ SABER, em cumprimento

Leia mais

Manual do Expositor Agronegócios Copercana 2016

Manual do Expositor Agronegócios Copercana 2016 Manual do Expositor Agronegócios Copercana 2016 Prezado expositor: Este Manual foi elaborado para orientar e regulamentar sua participação na feira promovida e organizada pela Cooperativa dos Plantadores

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE RECINTOS DE ESPECTÁCULOS E DIVERTIMENTOS PÚBLICOS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE RECINTOS DE ESPECTÁCULOS E DIVERTIMENTOS PÚBLICOS REGULAMENTO MUNICIPAL DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DE RECINTOS DE ESPECTÁCULOS E DIVERTIMENTOS PÚBLICOS PREÂMBULO O regime jurídico geral aplicável aos recintos de espectáculos e divertimentos públicos

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DE BAGUIM DO MONTE. Regulamento de Utilização dos Espaços Colectivos

JUNTA DE FREGUESIA DE BAGUIM DO MONTE. Regulamento de Utilização dos Espaços Colectivos Nota Justificativa A Junta de Freguesia de Baguim do Monte dispõe de um Auditório, duma Sala de Formação e dum Salão Polivalente, que coloca ao serviço dos cidadãos, permitindo a sua utilização, para diversos

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE CEDÊNCIA E UTILIZAÇÃO DA VIATURA DE TRANSPORTE DE PASSAGEIROS DO COMITÉ OLIMPICO DE PORTUGAL CAPITULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º Objeto 1. O Presente Regulamento estabelece as condições

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP DO CDS/PP (APROVADO EM CONSELHO NACIONAL A 24 DE NOVEMBRO DE 2007) Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º (Âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento aplica-se a todos os órgãos nacionais, regionais

Leia mais

MANUAL EXPOSITOR Última revisão: 31 de julho de 2015

MANUAL EXPOSITOR Última revisão: 31 de julho de 2015 MANUAL EXPOSITOR Última revisão: 31 de julho de 2015 1 ORGANIZAÇÃO A administração integral do certame encontra-se a cargo da AGROS União das Cooperativas de Produtores de Leite de Entre Douro e Minho

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU

PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU Cabe ao expositor regularizar seu estande perante as repartições federais, estaduais e

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA FEIRA COMERCIAL, INDUSTRIAL E DE SERVIÇOS DA FESTA DE MAIO DE TEUTÔNIA 2016

REGIMENTO INTERNO DA FEIRA COMERCIAL, INDUSTRIAL E DE SERVIÇOS DA FESTA DE MAIO DE TEUTÔNIA 2016 REGIMENTO INTERNO DA FEIRA COMERCIAL, INDUSTRIAL E DE SERVIÇOS DA FESTA DE MAIO DE TEUTÔNIA 2016 Art. 1º - LOCAL E DATA: A Feira Comercial, Industrial e de Serviços realizar-se-à no CENTRO ADMINISTRATIVO

Leia mais

Regulamento. Projeto Gouveia StartUp

Regulamento. Projeto Gouveia StartUp Regulamento Projeto Gouveia StartUp Projeto Gouveia StartUp Índice Preâmbulo 2 Capitulo I - Disposições Gerais 3 Leis Habilitantes 3 Âmbito Geográfico 3 Objeto 3 Candidatos 3 Capítulo II Gestão e Condições

Leia mais

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida.

V Inscrições 1. No acto da inscrição o participante deverá entregar toda a documentação solicitada e devidamente preenchida. I Entidade Organizadora AFUM Associação de Funcionários da Universidade do Minho (AFUM), Campus de Gualtar, 4710-057 Braga, Contribuinte n.º 503595772, número de registo 65/DRN. II Objectivo e caracterização

Leia mais

Normas de participação

Normas de participação Natal na desportiva Programa de ocupação de tempos livres Normas de participação I. Apresentação e objetivos 1. Entidade promotora e organizadora - município de Loures 1 a) O Programa de ocupação de tempos

Leia mais

TERMOS E CONDIÇÕES NEGOCIAIS LEILÕES ONLINE

TERMOS E CONDIÇÕES NEGOCIAIS LEILÕES ONLINE TERMOS E CONDIÇÕES NEGOCIAIS LEILÕES ONLINE A BIDDING LEILÕES, Lda., adiante designada e identificada, apenas por Bidding Leilões, sujeita a sua atividade leiloeira online, aos Termos e Condições Negociais

Leia mais

Regulamento de Utilização do Complexo de Hidroterapia UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC CURSO DE FISIOTERAPIA

Regulamento de Utilização do Complexo de Hidroterapia UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC CURSO DE FISIOTERAPIA Página 1 de 5 UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC CURSO DE FISIOTERAPIA REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO DO COMPLEXO DE HIDROTERAPIA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O complexo de hidroterapia

Leia mais

COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS

COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS Validade Válido JURISTA MARTA ALMEIDA TEIXEIRA ASSUNTO COMPETÊNCIAS E FUNCIONAMENTO DOS ÓRGÃOS AUTÁRQUICOS QUESTÃO A autarquia pretende que a CCDR LVT se pronuncie relativamente à possibilidade de existência

Leia mais

CAPITÚLO I. Disposições Gerais. Artigo 1.º. Objectivo e âmbito de aplicação

CAPITÚLO I. Disposições Gerais. Artigo 1.º. Objectivo e âmbito de aplicação CAPITÚLO I Disposições Gerais Artigo 1.º Objectivo e âmbito de aplicação O presente regulamento estabelece as normas a respeitar pelos empreiteiros e com coresponsabilidade do(s) responsável(eis) pela

Leia mais

Ministério dos Petróleos

Ministério dos Petróleos Ministério dos Petróleos Decreto Executivo nº 197/08 de 16 de Setembro Considerando a necessidade do estabelecimento de disposições relativas ao estatuto das entidades inspectoras das redes e ramais de

Leia mais

BAR TENDA ELECTRÓNICA FESTAS DE SÃO PEDRO 2014

BAR TENDA ELECTRÓNICA FESTAS DE SÃO PEDRO 2014 BAR TENDA ELECTRÓNICA FESTAS DE SÃO PEDRO 2014 REGULAMENTO ARTIGO 1º (Objecto e Âmbito) O presente Regulamento tem por objectivo a definição das condições de concessão e utilização do bar da Tenda Electrónica,

Leia mais

Regulamento para os Bares Profissionais das Monumentais Festas do Enterro da Gata 2016 Preâmbulo

Regulamento para os Bares Profissionais das Monumentais Festas do Enterro da Gata 2016 Preâmbulo Regulamento para os Bares Profissionais das Monumentais Festas do Enterro da Gata 2016 Preâmbulo A Associação Académica da Universidade do Minho, Instituição de Utilidade Pública, não é uma organização

Leia mais

Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal

Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal Município de Alfândega da Fé Câmara Municipal REGULAMENTO INTERNO DE USO DE VEÍCULOS MUNICIPAIS Artigo 1º Objectivo O Regulamento Interno de Uso de Veículos Municipais visa definir o regime de utilização

Leia mais

CENTRO DE FÉRIAS DESPORTIVAS DE VERÃO N OS MOCHOS

CENTRO DE FÉRIAS DESPORTIVAS DE VERÃO N OS MOCHOS CENTRO DE FÉRIAS DESPORTIVAS DE VERÃO N OS MOCHOS - 2015 - PROJETO DINAMIZADO PELA ASSOCIAÇÃO ACADÉMICA DE ESPINHO REGULAMENTO Espinho, 4 de Maio de 2015 INDICE 1. Entidade responsável pela organização

Leia mais

PROGRAMA DE CONCURSO

PROGRAMA DE CONCURSO MUNICÍPIO DE CASTRO VERDE Concurso Público ALIENAÇÃO DE LOTES DE TERRENO PARA CONSTRUÇÃO URBANA Loteamento Municipal de Castro Verde 7 Lotes Loteamento Municipal de Santa bárbara de Padrões 15 Lotes Loteamento

Leia mais

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE ESPAÇOS DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE. Introdução

REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE ESPAÇOS DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE. Introdução REGULAMENTO DE CEDÊNCIA DE ESPAÇOS DA ESCOLA SUPERIOR DE SAÚDE DA UNIVERSIDADE DO ALGARVE Introdução A Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve (ESSUAlg) dispõe de um auditório e de espaços

Leia mais

Regulamento de utilização

Regulamento de utilização ANEXO I AUDITÓRIO, SALA POLIVALENTE, ÁTRIO E JARDIM ABRIL DE 2010 2 CAPITULO I Artigo 1º Lei Habilitante O Presente regulamento é elaborado ao abrigo do disposto na alínea a) do nº 7, da alínea j) do nº1

Leia mais

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS

Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal. Capítulo I ASPECTOS GERAIS Regulamento da Biblioteca do Instituto de Seguros de Portugal Capítulo I ASPECTOS GERAIS Artigo 1.º Objecto 1. O presente Regulamento estabelece um conjunto de normas a serem observadas e cumpridas pelos

Leia mais

DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE DOCUMENTAÇÃO E ARQUIVO UNIDADE DE VALORIZAÇÃO DO TEATRO THALIA. Regulamento de cedência e utilização.

DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE DOCUMENTAÇÃO E ARQUIVO UNIDADE DE VALORIZAÇÃO DO TEATRO THALIA. Regulamento de cedência e utilização. DIREÇÃO DE SERVIÇOS DE DOCUMENTAÇÃO E ARQUIVO UNIDADE DE VALORIZAÇÃO DO TEATRO THALIA Regulamento de cedência e utilização Secção Iª Disposições Gerais Artigo 1º Objeto O presente regulamento tem por finalidade

Leia mais

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA

REGULAMENTO DA BIBLIOTECA REGULAMENTO DA BIBLIOTECA O principal objectivo deste Regulamento é salvaguardar o interesse comum de todos os utentes e permitir que a Biblioteca execute as suas funções de forma eficiente e eficaz. Desta

Leia mais

Condições gerais de venda

Condições gerais de venda Condições gerais de venda As presentes CONDIÇÕES GERAIS E PARTICULARES DE VENDA ON-LINE são acordadas livremente e de boa-fé entre Bonecas Namorar Portugal da marca Pó de Arroz e representadas pela empresa

Leia mais

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006)

Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) Regulamento Financeiro do Partido Social Democrata (Aprovado na Comissão Política Nacional de 11.12.2006) PREÂMBULO O presente regulamento define as normas relacionadas com a actividade financeira a observar

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL

REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL REGULAMENTO MUNICIPAL DE ESTABELECIMENTOS DE ALOJAMENTO LOCAL PREÂMBULO O Decreto-lei nº 39/2008, de 7 de Março, aprovou o regime jurídico da instalação, exploração e funcionamento dos empreendimentos

Leia mais

Normas de Funcionamento do Projeto FÉRIAS ATIVAS OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO

Normas de Funcionamento do Projeto FÉRIAS ATIVAS OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO Normas de Funcionamento do Projeto FÉRIAS ATIVAS OBJECTIVO E ÂMBITO DE APLICAÇÃO As presentes Normas têm por objetivo regulamentar as questões de funcionamento das Atividades a realizar nos períodos de

Leia mais

Prove Viseu Dão Lafões 2014

Prove Viseu Dão Lafões 2014 Prove Viseu Dão Lafões 2014 FICHA DE INSCRIÇÃO ORGANIZAÇÃO APOIO INSTITUCIONAL CO-FINANCIAMENTO 1/3 Prove Viseu Dão Lafões 2014 1. CALENDÁRIO HORÁRIO DO EVENTO 4 julho / 18:00 24:00 5 julho / 12:00 24:00

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA INSTITUTO POLITÉCNICO DE LEIRIA FOR.CET Centro de Formação para Cursos de Especialização Tecnológica Regulamento de Funcionamento dos CET Capítulo I Acesso e Frequência Artigo 1º (Acesso e Frequência)

Leia mais

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO REGULAMENTO Época 2015 / 2016 Informação de 1 de outubro de 2015 A Taça de Portugal por Equipas (Taça), organizado pela Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) com o apoio do Instituto Português do Desporto

Leia mais

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE REFERÊNCIA E LEITURA

REGULAMENTO DO SERVIÇO DE REFERÊNCIA E LEITURA REGULAMENTO DO SERVIÇO DE REFERÊNCIA E LEITURA O Arquivo Distrital do Porto, instituição pública empenhada na salvaguarda e conservação de um valioso património documental, faculta o acesso aos seus fundos

Leia mais

MANUAL DO EXPOSITOR. De 5 a 8 de junho, das 14h às 22h Local: Armazém Cultural Av. Calógeras, 3110 (Próximo à Feira Central)

MANUAL DO EXPOSITOR. De 5 a 8 de junho, das 14h às 22h Local: Armazém Cultural Av. Calógeras, 3110 (Próximo à Feira Central) MANUAL DO EXPOSITOR De 5 a 8 de junho, das 14h às 22h Local: Armazém Cultural Av. Calógeras, 3110 (Próximo à Feira Central) SEMADUR Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano Sumário

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DO PARQUE DE CAMPISMO MUNICIPAL

REGULAMENTO INTERNO DO PARQUE DE CAMPISMO MUNICIPAL REGULAMENTO INTERNO DO PARQUE DE CAMPISMO MUNICIPAL Os parques de campismo são empreendimentos turísticos definidos no Decreto- lei nº 39/2008, de 7 de março alterado pelo Decreto-Lei nº 228/2009, de 14

Leia mais

Avisos do Banco de Portugal. Aviso nº 2/2007

Avisos do Banco de Portugal. Aviso nº 2/2007 Avisos do Banco de Portugal Aviso nº 2/2007 O Aviso do Banco de Portugal nº 11/2005, de 13 de Julho, procedeu à alteração e sistematização dos requisitos necessários à abertura de contas de depósito bancário,

Leia mais

UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE NÚCLEO DE CULTURA GALERIA DE ARTE DA UNIVALE MOSTRA PROFISSIONAL DE DESIGN GRÁFICO EDITAL

UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE NÚCLEO DE CULTURA GALERIA DE ARTE DA UNIVALE MOSTRA PROFISSIONAL DE DESIGN GRÁFICO EDITAL UNIVERSIDADE VALE DO RIO DOCE NÚCLEO DE CULTURA GALERIA DE ARTE DA UNIVALE MOSTRA PROFISSIONAL DE DESIGN GRÁFICO EDITAL O presente edital estabelece normas e prazos para a Mostra Profissional de Design

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MONTEMOR-O-VELHO. Regulamento da Utilização do Centro de Alto Rendimento (CAR) NOTA JUSTIFICATIVA

CÂMARA MUNICIPAL DE MONTEMOR-O-VELHO. Regulamento da Utilização do Centro de Alto Rendimento (CAR) NOTA JUSTIFICATIVA Regulamento da Utilização do Centro de Alto Rendimento (CAR) NOTA JUSTIFICATIVA O Desporto de Alto Rendimento reveste-se de especial interesse público na medida em que constitui um importante fator de

Leia mais

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 95. o,

Tendo em conta o Tratado que institui a Comunidade Europeia e, nomeadamente, o n. o 1 do seu artigo 95. o, L 268/24 REGULAMENTO (CE) N. o 1830/2003 DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 22 de Setembro de 2003 relativo à rastreabilidade e rotulagem de organismos geneticamente modificados e à rastreabilidade

Leia mais

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Preâmbulo

REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO. Preâmbulo REGULAMENTO DE PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO Preâmbulo A Universidade do Porto, doravante designada UP, considera que a protecção e valorização dos resultados de I&D e de outras actividades

Leia mais

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, SA. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA CADERNO DE ENCARGOS

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, SA. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA CADERNO DE ENCARGOS ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, SA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA CADERNO DE ENCARGOS Página 1 de 9 ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA

Leia mais

MERCADO ABASTECEDOR DA REGIÃO DE LISBOA. Regulamento de Utilização de Espaços para Exposições

MERCADO ABASTECEDOR DA REGIÃO DE LISBOA. Regulamento de Utilização de Espaços para Exposições MERCADO ABASTECEDOR DA REGIÃO DE LISBOA Regulamento de Utilização de Espaços para Exposições Regulamento de Utilização de Espaços para Exposições Artigo 1.º (Objecto e Âmbito) 1. A MARL Mercado Abastecedor

Leia mais

Anexo II Programa INOV Contacto - Estágios Internacionais Edição 2015-2016

Anexo II Programa INOV Contacto - Estágios Internacionais Edição 2015-2016 Anexo II Programa INOV Contacto - Estágios Internacionais Edição 2015-2016 Protocolo de Estágio entre AICEP - Agência para o Investimento e Comércio Externo, E.P.E. e (nome da entidade) Entre PRIMEIRO:

Leia mais

HASTA PÚBLICA PARA ADJUDICAÇÃO DA CONCESSÃO DO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE BAR

HASTA PÚBLICA PARA ADJUDICAÇÃO DA CONCESSÃO DO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE BAR HASTA PÚBLICA PARA ADJUDICAÇÃO DA CONCESSÃO DO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DE BAR DAS PISCINAS MUNICIPAIS DE LAGOA, LAGOA I. CONDIÇÕES DA ADJUDICAÇÃO DA CONCESSÃO DO DIREITO DE EXPLORAÇÃO DO BAR DA PISCINA MUNICIPAL

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO DO MERCADO MUNICIPAL DE NISA

PROJECTO DE REGULAMENTO DO MERCADO MUNICIPAL DE NISA PROJECTO DE REGULAMENTO DO MERCADO MUNICIPAL DE NISA Capítulo I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1º Lei Habilitante O presente regulamento é elaborado ao abrigo do disposto no artigo 241.º, da Constituição da

Leia mais

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento

CAPÍTULO V. Da Garagem e Estacionamento CAPÍTULO V Da Garagem e Estacionamento Art 37. Cada unidade autônoma tem direito a uma vaga de estacionamento, perfazendo um total de 967 (novecentos e sessenta e sete) vagas, distribuídas de acordo com

Leia mais

REGULAMENTO DE COMBATE À VIOLÊNCIA NOS ESPECTÁCULOS DESPORTIVOS

REGULAMENTO DE COMBATE À VIOLÊNCIA NOS ESPECTÁCULOS DESPORTIVOS REGULAMENTO DE COMBATE À VIOLÊNCIA NOS ESPECTÁCULOS DESPORTIVOS 17 de Fevereiro de 2010 Página 1 de 8 Capítulo I PARTE GERAL Art.1º Objecto O presente regulamento estabelece medidas preventivas e punitivas

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO CAMPOS DE FÉRIAS

REGULAMENTO INTERNO CAMPOS DE FÉRIAS REGULAMENTO INTERNO CAMPOS DE FÉRIAS PREÂMBULO O Projeto Pedagógico da União de Freguesias de Sacavém e Prior Velho foi elaborado ao abrigo da Legislação em vigor (Decreto-Lei 32/2011, de 07 de Março),

Leia mais

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO NINHO DE EMPRESAS

REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO NINHO DE EMPRESAS REGULAMENTO DE UTILIZAÇÃO NINHO DE EMPRESAS Índice: Preâmbulo I Definições II Localização, Instalações e Serviços Artigo 1º: Localização pág. 2 Artigo 2º: Instalações pág. 3 Artigo 3º: Serviços pág. 4

Leia mais

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA. Março 2014. Página 1

REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA. Março 2014. Página 1 REGULAMENTO DA CÂMARA DE REGISTRO, COMPENSAÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CÂMBIO DA BM&FBOVESPA Março 2014 Página 1 ÍNDICE CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES... 3 CAPÍTULO II DAS ATIVIDADES DA CÂMARA... 6 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO, EXPLORAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO, EXPLORAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO, EXPLORAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM A Câmara Municipal de Óbidos, sob proposta do seu Presidente, no uso das competências que lhe são conferidas por

Leia mais

Versão Consolidada. Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio

Versão Consolidada. Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio Portaria n.º 482/2009, de 6 de Maio O Regulamento (CE) n.º 1698/2005, do Conselho, de 20 de Setembro, relativo ao apoio ao desenvolvimento rural pelo Fundo Europeu Agrícola de Desenvolvimento Rural (FEADER),

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11 MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 11 PREÂMBULO Compete ao município promover acções de interesse municipal, de âmbito cultural, social, recreativo e outros, e exercer um papel dinamizador junto

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO

CONDIÇÕES GERAIS ORGANIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS O presente programa/ catálogo é o documento informativo no qual se inserem as presentes condições gerais, dele fazendo parte integrante e que constituem, na ausência de documento autónomo

Leia mais

CONVERT DE ENTRADA. Decreto-lei 24/96 (artº.9º.ponto 4) Portaria n.º 215/2011 (art.º 15.º n.º 1.º e 2.º).

CONVERT DE ENTRADA. Decreto-lei 24/96 (artº.9º.ponto 4) Portaria n.º 215/2011 (art.º 15.º n.º 1.º e 2.º). Selecionamos as dúvidas sobre os direitos dos consumidores da Restauração, Bares e Discotecas quando frequentam esses estabelecimentos. Será que tenho de pagar o Convert de Entrada? Tenho de dar gorjeta?

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO REGIONAL Resolução do Conselho do Governo n.º 107/2010 de 14 de Julho de 2010 O Programa Estagiar, nas suas vertentes L, T e U, dirigido a recém-licenciados e mestres, recém-formados

Leia mais

REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP

REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP REGULAMENTO ELEITORAL DO CDS-PP (APROVADO A 24 DE NOVEMBRO DE 2007 E ALTERADO A 2 DE AGOSTO DE 2008, EM CONSELHO NACIONAL) CAPÍTULO I Disposições Preliminares Artigo 1º (Âmbito de aplicação) 1. O presente

Leia mais