Bases Computacionais da Ciência (BC- 0005)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Bases Computacionais da Ciência (BC- 0005)"

Transcrição

1 Bases Computacionais da Ciência (BC- 0005) 1 Base de Dados Maria das Graças Bruno Marie/o Centro de Matemá6ca, Computação e Cognição (CMCC) Universidade Federal do ABC (UFABC)

2 2 Motivação Nos tempos atuais, convivemos com a necessidade constante de interação e manipulação de dados Muitas a6vidades ro6neiras estão invariavelmente ligadas a operações diversas de gerenciamento de dados, tais como: Tratamento Armazenamento Apresentação Interpretação Geração ou recuperação Após a revolução causada pela Internet: O acesso à informação tornou- se mais fácil, amplo e democrá6co Provocou um sério e crescente problema de organização de dados Necessidade de prover melhores maneiras de tratá- los

3 3 Motivação A u6lização correta e eficiente de dados nem sempre é tarefa simples Esse raciocínio se aplica tanto a grandes quanto a pequenos conjuntos de dados A falta de planejamento e organização pode expor a base de dados a vários problemas: Ausência da coleta de dados que se mostrarão futuramente importantes Coleta de dados sem importância Presença de inconsistências sobre os dados armazenados Problemas são causados quando não há uma séria preocupação com o detalhamento dos dados que serão usados Não é uma boa polí6ca guardar dados de forma desorganizada, sem saber exatamente como serão usado

4 4 Objetivos da Aula O obje6vos desta aula são: Introduzir a idéia de bases de dados Entender a relação existente entre informação e dado Compreender a importância: da escolha das formas de representação de dados do controle de qualidade da base de dados da organização dos dados do planejamento voltado para uma correta u6lização futura Associar bases de dados com o ambiente de uso de computadores e sistemas de so0ware Construir bases de dados simples

5 5 Objetivos da Aula A obje6vo desta aula NÃO é discu6r formas mais avançadas de modelagem de dados Como por exemplo a modelagem relacional

6 6 Dados e Informações Dados e informação possuem significados diferentes do ponto de vista de processamento computacional Dado (ou dado bruto) é qualquer elemento que possa ser processado por um computador, tais como: um conjunto de números cadeias de caracteres imagens códigos de barras senhas criptografadas etc Informação é a interpretação dada a um conjunto de dados, tornando- os significa6vos para algum contexto do mundo real

7 7 Dados e Informações: Exemplo Em muitas livrarias, o processo de cobrança dos caixas é automa6zado, realizado por meio de códigos de barras A leitura do código de barras é realizada por um 6po especial de scanner, que o interpreta e mapeia para números ou letras, que serão tratados pelo sistema de computador Como os códigos de barras podem ser manipulados computacionalmente, podemos chamá- los de dados Apesar da forma válida de representação, um código de barras, isoladamente, tem pouco significado quando dissociado do objeto ]sico que representa

8 8 Dados e Informações: Exemplo O código de barra abaixo pertence a um livro específico. Dessa forma, a informação representada pelo código é, nesse caso, o livro abaixo Todas as vezes que o computador processar alguma operação relacionada ao código de barras... Estará na realidade, processando a operação para o livro Database Systems

9 9 Dados e Informações A informação é o elemento essencial e significa6vo que desejamos u6lizar e manipular dentro de algum contexto O dado é a representação computacional de alguma informação

10 10 Base de Dados Base de dados: qualquer conjunto de dados para o qual se deseja: armazenar o conteúdo recuperar o conteúdo visualizar o conteúdo Armazenamento é uma forma de preservar confiavelmente o dado em local conhecido, para alguma futura u6lização Por exemplo, uma lista de supermercado é uma base de dados, possuindo as principais caracterís6cas de toda base de dados: Armazenamento Recuperação Visualização

11 11 Base de Dados Uma base de dados permite: Armazenamento (Persistente): Listas de supermercado podem ser armazenadas tanto em mídias simples (como papel) quanto em mídias digitais gerenciadas por disposi6vos como palms, celulares, etc. O obje6vo de todas essas mídias é arquivar as informações em um local confiável para futura u6lização. Dizemos que, nessa situação, o armazenamento é persistente Recuperação: No supermercado, a lista cumpre a sua principal função; lembrar os itens que devem ser comprados. Um dos principais obje6vos de qualquer base de dados é recuperar informações previamente cadastradas de forma rápida e precisa

12 12 Base de Dados Uma base de dados permite (con6nuação): Visualização: trabalha a forma como os dados recuperados são exibidos. Imagine, por exemplo, que a lista seja mostrada em ordem alfabé6ca. Se os itens da lista forem procurados nessa ordem, o usuário provavelmente andará em círculos pelo supermercado Isso ocorre porque a lista ignora a organização dos itens em setores dentro do supermercado (setores de alimentos congelados, vestuário, bebidas, doces, etc.) Uma lista que exibe os itens agrupados nos setores do supermercado poderia melhorar sensivelmente a sua busca nas prateleiras

13 13 Base de Dados Exemplos de base de dados: Lista de clientes de uma empresa Lista de corren6stas de um banco Lista de alunos de uma universidade Lista de livros de uma biblioteca Lista de contribuintes de uma unidade governamental

14 Organização de Dados 14

15 15 Organização de Dados Existem vários modos de organizar uma base de dados: Quando representada por uma planilha, a base de dados pode ser vista como uma matriz de dados: Oferece uma forma fácil de visualização global dos dados Permite iden6ficar precisamente a posição de cada valor armazenado na base É muito comum chamar a matriz de tabela

16 16 Organização de Dados Linhas da tabela: Armazenam itens de dados Colunas da tabela: Armazenam atributos (propriedades ou caracterís6cas) vinculados a cada item de dado armazenado nas linhas

17 17 Organização de Dados - Exemplo Considere uma lista de supermercado, onde deseja- se anotar os seguintes itens: Nome do produto: Nome usado para iden6ficar o produto pesquisado Fabricante: Nome do fabricante do produto pesquisado Quan6dade: Valor numérico para quan6ficar o produto pesquisado Medida: Unidade de medida usada para classificar o produto, normalmente indicado em sua embalagem. Neste exemplo, assuma as seguintes unidades: kg (quilogramas), l (litros), g (gramas), u (unidades) e p (pacotes) Preço: Valor de compra do produto Supermercado pesquisado: Nome do supermercado onde foi realizada a pesquisa Data da pesquisa: Data de realização da pesquisa

18 18 Organização de Dados - Exemplo Dessa maneira, a base de dados poderia ser organizada com as seguintes colunas (atributos): Após uma hipoté6ca visita a vários supermercados, considere que a base de dados foi preenchida com os seguintes valores:

19 19 Organização de Dados - Características Esta tabela nos permite perceber caracterís6cas que conferem à base de dados uma boa e desejável organização: Linhas contém DADOS relacionados aos produtos (instâncias ou itens de dados) Colunas contém os principais ATRIBUTOS dos produtos que se deseja armazenar Na mesma coluna, só estão presentes DADOS relacionados ao mesmo ATRIBUTO, sem exceção Na mesma linha, só estão presentes DADOS relacionados ao mesmo PRODUTO, sem exceção

20 20 Organização de Dados - Características Cada atributo de uma linha contém apenas um valor, ao invés de poder conter uma coleção de valores (atributo monovalorado) A base de dados pode crescer em seu número de linhas indefinidamente Para cada produto pesquisado, o usuário tem consigo uma referência de quais informações são relevantes e devem ser armazenadas na base, minimizando problemas de coleta de dados

21 21 Tipos de Dados Toda a base de dados deve reservar uma especial atenção para a escolha dos 6pos de valores armazenados (6pos de dados) A escolha correta dos 6pos de dados permite elevar o nível de qualidade da base: Torna viável controlar possíveis erros de cadastramento de valores; O controle busca prevenir inconsistências: Armazenamento de letras em locais des6nados a valores numéricos Datas escritas de forma incorreta

22 22 Tipos de Dados e Domínios Dentre os 6pos de dados destaca- se: Número: Representa valores numéricos de forma geral. Ex.: - 12,3; 4; +345,1234;... Texto: Representa cadeias de caracteres (seqüências cononuas de caracteres). Normalmente apresentadas entre aspas duplas ( ), as cadeias de caracteres permitem representar informações textuais. Ex.: Joaquim José da Silva Xavier, Avenida dos Estados, 5001", 7 de setembro",... Moeda: Uma variação do 6po que representa valores numéricos, na qual existe uma parte inteira e uma fracionária com, no máximo, dois dígitos decimais. É ú6l para trabalhar com operações financeiras. Ex.: - 12,34; 56,99;...

23 23 Tipos de Dados e Domínios Dentre os 6pos de dados destaca- se: Data: Representação de uma data no calendário Gregoriano, com informações sobre dia, mês e ano. Datas não apresentam padrão de formato específico, possuindo muitas formas de apresentação em diferentes países. Por exemplo, DD/MM/AAAA, ex.: 12/12/2012; 29/02/2000;... Hora: Representa a divisão de tempo no período de 1 (um) dia. Normalmente, adota- se o formato hh:mm:ss, com dois dígitos para horas (hh), dois para minutos (mm) e dois para segundos (ss) Lógico: Representa os valores lógicos VERDADEIRO e FALSO, os únicos valores válidos para esse 6po. Muito usado quando se deseja projetar alguma operação condicional sobre os dados

24 24 Observações sobre Planilhas Planilhas eletrônicas são sistemas de so0ware que servem para: Organizar dados Proporcionar visualização e tratamento matricial Integrar com um número razoável de funções (matemá6cas, estaos6cas, etc) e sistemas geradores de gráficos Etc Mas muitas funcionalidades, principalmente as relacionadas ao controle de consistência, são menos rígidas e flexíveis do que o necessário para muitas aplicações Em sistemas de so0ware específicos para o tratamento de bases de dados, o controle de 6pos e domínios é extremamente rigoroso, obrigando a adequação dos valores a seus respec6vos 6pos e domínios

25 25 Arquivos Estruturados Arquivos estruturados (ou flat files) são arquivos de dados organizados sob uma estrutura rígida e pré- definida Os arquivos estruturados são muito usados para a troca de dados entre sistemas computacionais diferentes que não mantêm, entre si, um canal direto de comunicação Definem- se caracteres (ou seqüências de caracteres) que exercerão o papel de delimitadores de linha e de coluna

26 26 Arquivos Estruturados Por exemplo, podemos assumir O caractere ; como separador de colunas O caractere quebra de linha como separador de linhas Note que, obrigatoriamente, todas as linhas possuem cinco(5) separadores de coluna, evidenciando que a tabela possui seis(6) colunas Esse formato é uma variação do conhecido CSV (Comma- Separated Values), em que as vírgulas (,) são usadas como separadores de colunas Como nosso exemplo usa vírgulas na coluna Preço para compor o valor (fracionário), não podemos usá- las diretamente como separador

27 27 Consultas em Bases de Dados Uma seleção de linhas em uma base de dados é denominada uma consulta O usuário pode desejar fazer a seleção de linhas de uma base de dados, u6lizando diversos critérios Uma consulta é expressa por meio de um ou mais predicados, sendo que cada predicado envolve: um atributo um operador um valor Um predicado resulta em uma expressão lógica que determinará se uma linha da planilha fará parte do resultado da consulta

28 28 Consultas em Bases de Dados Dentre os operadores usados em uma consulta citam- se: Operadores lógicos AND e OR: predicado1 AND predicado2: é verdadeiro somente se ambos predicado1 e predicado2 forem verdadeiros. Caso contrário, é falso predicado1 OR predicado2: é verdadeiro se predicado1 ou predicado2 (algum dos dois) forem verdadeiros. Caso contrário, é falso Operadores relacionais: >,, <,, =,

29 Parte Prática 29

30 30 Parte Prática - BrOffice Cálculos e gráficos em programas de planilhas Todos os procedimentos apresentados aqui podem ser realizados em qualquer programa de planilha. O pacote BrOffice pode ser baixado para uso livre em casa do endereço h*p://broffice.org/ Abre (botão início): programas BrOffice.org BrOffice.org Calc

31 31

32 32

33 33

34 34

35 35

36 36

37 37

38 38

39 39

40 40

41 Atividades para Entregar 41

42 42 Atividades para Entregar Fazer os TRÊS exercícios complementares da página 136 e anexar no Tidia: O arquivo idh.csv encontra- se no Tidia anexado em Repositorio/ 4.BaseDeDados A data limite de entrega está no ambiente Tidia, na opção A6vidades USO DE BASE DE DADOS NA PRÁTICA Obter uma base de dados, relacionada a uma situação real. Citar de onde obteve esta base de dados. Esta base de dados deve ter, no mínimo, 30 linhas Descrever esta base de dados: o contexto dos dados, o que significa cada atributo, etc Trabalhar com esta base de dados na planilha BrOffice- Calc U6lizar seis (06) comandos no Calc para trabalhar com esta base de dados A entrega deve ser feita na forma de um arquivo no formato PDF ou DOC A data limite de entrega está apresentada no ambiente Tidia

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Tabelas Exportadas pelo Lúnet- Finalidade A Lúnet Soluções em Tecnologia, desenvolveu este manual técnico com a finalidade de proporcionar

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Mudanças do layout 1.04 para o Layout Registros Incluídos na Versão Marcar Clientes Como Sincronizado - (v ) Marcar Endereços Adicionais

Leia mais

Bases Computacionais da Ciência

Bases Computacionais da Ciência BC0005 Bases Computacionais da Ciência Aula 04 Noções de Banco de Dados (Base de Dados) Santo André, junho de 2010 Roteiro da Aula PARTE I Parte Teórica Definições e conceitos básicos Modelo Relacional

Leia mais

Apresentação... Nome: Vanderlei Cordeiro Frazão

Apresentação... Nome: Vanderlei Cordeiro Frazão Apresentação... Nome: Vanderlei Cordeiro Frazão Formação: - Bacharel em Sistemas de Informação (Uniguaçu) - Pós graduação em Docência no Ensino Superior (Uniguaçu) - Licenciatura em Informática (UTFPR)

Leia mais

QGIS 2.4 Estatísticas de Grupo Somatório de Áreas

QGIS 2.4 Estatísticas de Grupo Somatório de Áreas QGIS 2.4 Estatísticas de Grupo Somatório de Áreas Jorge Santos 2014 Conteúdo Sumário Capítulo 1... 3 Introdução... 3 1.1 Demanda... 3 1.2 O Complemento Group Stats...3 1.3 Instalação do Complemento Group

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 INICIANDO O EXCEL Para abrir o programa Excel,

Leia mais

PROJETO: PRODUTO 4 RELATÓRIO FINAL DO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES

PROJETO: PRODUTO 4 RELATÓRIO FINAL DO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Nome da Empresa: DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SÓCIO-ECONÔMICOS (DIEESE) PROJETO: PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA BRA/IICA/03/005 PARTICIPAÇÃO SOCIAL NÚMERO DO CONTRATO: 205037 TEMA:

Leia mais

Curso de Verão 2012 - Bioinformática

Curso de Verão 2012 - Bioinformática Curso de Verão 2012 - Bioinformática Bancos de Dados Biológicos Márcio K. Oikawa - UFABC marcio.oikawa@ufabc.edu.br Agenda Introdução: O que são bancos de dados? Por que são importantes? Bancos de dados

Leia mais

Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo.

Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo. Manual de Instruções ECO Editor de Conteúdo Bem- Vindo ao manual de instruções do ECO Editor de COnteúdo. O ECO é um sistema amigável e intui?vo, mas abaixo você pode?rar eventuais dúvidas e aproveitar

Leia mais

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE

MVREP- Manual do Gerador de Relatórios. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 CAPÍTULO 01 PREPARAÇÃO DO AMBIENTE... 2 1.1 IMPORTAÇÃO DO DICIONÁRIO DE DADOS... 2 CAPÍTULO 02 CADASTRO E CONFIGURAÇÃO DE RELATÓRIOS... 4 2.1 CADASTRO DE RELATÓRIOS... 4 2.2 SELEÇÃO

Leia mais

Comece a usar a sua Loja Inteligente BizCommerce

Comece a usar a sua Loja Inteligente BizCommerce Comece a usar a sua Loja Inteligente BizCommerce Comece a usar a sua Loja Inteligente BizCommerce Você recebeu seu login e senha de acesso à Área Administra=va da sua Loja e agora já pode começar a u=lizar

Leia mais

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista Nome: Gabarito Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista 1) O Centro das configurações do Windows, onde pode ser acessado cada um dos dispositivos componentes

Leia mais

Prof. Marcelo Moreira Curso Juris

Prof. Marcelo Moreira Curso Juris Excel/Exercícios 1 2010 SEFIN RO AUDITOR FCC 2 2010 TRE AC TEC. - FCC 2010 TRE AC ANALISTA - FCC 3 2010 BB ESCRITURÁRIO - FCC 4 2010 COMPANHIA DE GAS BA TÉCNICO - FCC 5 2010 COMPANHIA DE GAS BA ANALISTA

Leia mais

PROJETO: PRODUTO 3 RELATÓRIO PARCIAL DO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES

PROJETO: PRODUTO 3 RELATÓRIO PARCIAL DO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Nome da Empresa: DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SÓCIO-ECONÔMICOS (DIEESE) PROJETO: PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA BRA/IICA/03/005 PARTICIPAÇÃO SOCIAL NÚMERO DO CONTRATO: 205037 TEMA:

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) EntSeg INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Tabelas Recebidas pelo Lúnet- Finalidade A Lúnet Soluções em Tecnologia, desenvolveu este manual técnico com a finalidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE ESCOLA AGRÍCOLA DE JUNDIAÍ EAJ - PRONATEC / REDE etec MÓDULO III DESENVOLVIMENTO PROFESSOR ADDSON COSTA RESUMO DE AULA CRIAÇÃO E MANIPULAÇÃO DO BANCO DE DADOS

Leia mais

MÓDULO - III Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - III Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - III Manual Prático Microsoft Excel 2007 1 MÓDULO - III CÁLCULOS... 3 Fazer contas... 3 Fórmulas com operadores básicos... 3 Fórmulas com funções... 4 Funções mais usadas... 8 Soma... 8 Media...

Leia mais

Treinamento em BrOffice.org Calc

Treinamento em BrOffice.org Calc Treinamento em BrOffice.org Calc 1 Índice I. INTRODUÇÃO...3 II. NÚMEROS, TEXTOS, FÓRMULAS E DATAS...4 III. MENUS BÁSICOS...5 1. Arquivo...5 2. Editar...5 3. Formatar...5 IV. FÓRMULAS...8 V. REFERÊNCIAS

Leia mais

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico

Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Editora Carlos A. J. Oliviero Faça um Site PHP 5.2 com MySQL 5.0 Comércio Eletrônico Orientado por Projeto 1a Edição 2 Reimpressão São Paulo 2011 Érica Ltda. Noções Livrarse Preparação muitas muita Sumário

Leia mais

Manual Q-Acadêmico 2.0. Módulo Web - Professor

Manual Q-Acadêmico 2.0. Módulo Web - Professor Manual Q-Acadêmico 2.0 Módulo Web - Professor Índice 1 Acessando o sistema via internet... 3 2 Menu de Funcionalidades... 6 2.1 Acompanhamento de Calendários Acadêmicos... 7 2.2 Alterar Senha... 9 2.3

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Seg INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Mudanças do layout 1.09 para o Layout Registros Incluídos na Versão 1.09 Nenhum Registros Com Nova Versão de Layout Nenhum

Leia mais

CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES

CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES CAPÍTULO 3 - TIPOS DE DADOS E IDENTIFICADORES 3.1 - IDENTIFICADORES Os objetos que usamos no nosso algoritmo são uma representação simbólica de um valor de dado. Assim, quando executamos a seguinte instrução:

Leia mais

UNESP Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Farmacêuticas

UNESP Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Farmacêuticas CURSO DE EXCEL - 1 - ÍNDICE PLANILHAS, COLUNAS, LINHAS E CÉLULAS....3 PLANILHAS...3 COLUNAS...3 LINHAS...4 PREENCHIMENTO AUTOMÁTICO...5 REFERÊNCIAS RELATIVAS...6 REFERÊNCIAS ABSOLUTAS...7 FORMATAÇÃO DE

Leia mais

Trabalho Computacional 2. Aplicativo para Gestão Financeira. Grupos: Os trabalhos devem ser feitos individualmente ou em duplas.

Trabalho Computacional 2. Aplicativo para Gestão Financeira. Grupos: Os trabalhos devem ser feitos individualmente ou em duplas. Programação Básica de Computadores Engenharia Mecânica Prof. Filipe Mutz 2016/1 Trabalho Computacional 2 Aplicativo para Gestão Financeira Data de Entrega: 06/07/2016. Pontuação: 10 pontos. Grupos: Os

Leia mais

Sistema Banco de Preços Manual do Usuário OBSERVATÓRIO

Sistema Banco de Preços Manual do Usuário OBSERVATÓRIO Sistema Banco de Preços Manual do Usuário OBSERVATÓRIO da Despesa Pública 1 Sumário O Banco de Preços... 3 Acessando o Banco de Preços... 4 Funções do Banco de Preços... 5 Gerar Preço de Referência...

Leia mais

COMO PESQUISAR NO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UnB

COMO PESQUISAR NO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UnB COMO PESQUISAR NO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UnB No Repositório Institucional da UnB - RIUnB é possível realizar a pesquisa simples e avançada. A pesquisa é realizada nos metadados do item submetido,

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

LAYOUT FINAL DE PEDIDOS

LAYOUT FINAL DE PEDIDOS LAYOUT FINAL DE PEDIDOS Página 1 de 12 INDICE INDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 OBJETIVOS DO LAYOUT... 3 DESCRIÇÃO DOS CAMPOS... 3 PRODUTO VISA VALE... 4 ORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS...

Leia mais

Conteúdo. Manual de Cadastros Sistema Retaguarda. SIP Sistema Integrado Profissional

Conteúdo. Manual de Cadastros Sistema Retaguarda. SIP Sistema Integrado Profissional Conteúdo CADASTROS... 3 1. CADASTRO DE CLIENTE... 3 2. CADASTRO DE FABRICANTE... 6 3. CADASTRO DE FORNECEDOR... 7 4. CADASTRO DE TRANSPORTADORA... 8 5. CADASTRO DE PRODUTOS... 10 2 CADASTROS 1. CADASTRO

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO MANUAL PARA CONVERSÃO DE RECIBOS PROVISÓRIOS DE SERVIÇO EM NF-E

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO MANUAL PARA CONVERSÃO DE RECIBOS PROVISÓRIOS DE SERVIÇO EM NF-E PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE OSASCO MANUAL PARA CONVERSÃO DE RECIBOS PROVISÓRIOS DE SERVIÇO EM NF-E (Modelo IV) 1 Introdução Este manual apresenta e detalha os procedimentos para a realização do processo

Leia mais

Criare Soluções em Software. CriareSales Manual do Usuário

Criare Soluções em Software. CriareSales Manual do Usuário Criare Soluções em Software CriareSales Manual do Usuário Julho de 2015 I Sumário 1. Apresentação... 1 1.1 Mais detalhes... 1 2. Primeiros Passos... 2 3. Tela Principal... 3 3.1 Menu do Sistema... 4 4.

Leia mais

RPS Recibo Provisório de Serviços Formato para envio do arquivo com os dados

RPS Recibo Provisório de Serviços Formato para envio do arquivo com os dados Manual de envio das remessas de RPS para UPLOAD, V1.00 P a g e 1 NFWeb RPS Recibo Provisório de Serviços Formato para envio do arquivo com os dados Conteúdo do arquivo com os dados do RPS Um ou mais RPS

Leia mais

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base

15 Conceitos de Bancos de Dados com o LibreOffice Base Introdução a Informática - 1º semestre AULA 14 Prof. André Moraes Objetivos desta aula: Explorar as propriedades na criação de bancos de dados no LibreOffice Base; Criar e explorar tabelas; Criar e explorar

Leia mais

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010

Tutorial do Iniciante. Excel Básico 2010 Tutorial do Iniciante Excel Básico 2010 O QUE HÁ DE NOVO O Microsoft Excel 2010 é um programa de edição de planilhas eletrônicas muito usado no mercado de trabalho para realizar diversas funções como;

Leia mais

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice

Centro Federal de Educação Tecnológica da Bahia Curso Excel Avançado Índice Índice Apresentação...2 Barra de Título...2 Barra de Menus...2 Barra de Ferramentas Padrão...2 Barra de Ferramentas de Formatação...3 Barra de Fórmulas e Caixa de Nomes...3 Criando um atalho de teclado

Leia mais

Informática para concursos 1

Informática para concursos 1 Informática para concursos 1 BrOffice.org Calc Conhecimentos gerais (teoria) Arquivo: Pasta de Trabalho (arquivo de planilhas) Extensão: ods (podemos salvar como pdf, xls e etc) Planilhas: 3 (padrão) Uma

Leia mais

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE

Manual de Configuração e Utilização TabFisc Versão Mobile 09/2013 Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 1 MANUAL DE UTILIZAÇÃO TABLET VERSÃO MOBILE Pag. 2 INTRODUÇÃO Esse documento contém as instruções básicas para a utilização do TabFisc Versão Mobile (que permite ao fiscal a realização do seu trabalho

Leia mais

CPS FINANÇAS PESSOAIS MANUAL DO USUÁRIO

CPS FINANÇAS PESSOAIS MANUAL DO USUÁRIO APRESENTAÇÃO O CPS FINANÇAS PESSOAIS é um software desenvolvido para gerenciar a movimentação financeira de forma pessoal, rápida e simplificada fornecendo relatórios e demonstrativos. Este manual é parte

Leia mais

E- mails Inteligentes

E- mails Inteligentes E- mails Inteligentes Os E- mails automá2cos da sua Loja Virtual podem fazer mais do que informar. Podem te ajudar a vender. No BizCommerce, você tem e- mails automá2cos que oferecem novos produtos com

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

Disciplina: Unidade III: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade III: Prof.: E-mail: Período: Encontro 08 Disciplina: Sistemas de Banco de Dados Unidade III: Modelagem Lógico de Dados Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 5º. SIG - ADM Relembrando... Necessidade de Dados Projeto

Leia mais

AULA TEÓRICA 9. Tema 4. Introdução ao Microsoft Excel (cont). Funções Organização de dados Gráficos Recursos adicionais Impressão

AULA TEÓRICA 9. Tema 4. Introdução ao Microsoft Excel (cont). Funções Organização de dados Gráficos Recursos adicionais Impressão AULA TEÓRICA 9 Tema 4. Introdução ao Microsoft Excel (cont). Funções Organização de dados Gráficos Recursos adicionais Impressão 1 Funções são fórmulas predefinidas que efetuam cálculos usando valores

Leia mais

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5 Manual do usuário Softcall Java versão 1.0.5 Sumário Iniciando SoftCall...3 Tela Principal...3 Configurando o SoftCall...4 Agenda...5 Incluindo um contato...5 Procurando um contato...6 Apagando um contato...6

Leia mais

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1

Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca. melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041. www.melissalima.com.br Página 1 EXCEL BÁSICO Material desenvolvido por Melissa Lima da Fonseca melissa.mlf@gmail.com.br - (031) 9401-4041 www.melissalima.com.br Página 1 Índice Introdução ao Excel... 3 Conceitos Básicos do Excel... 6

Leia mais

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município Após receber a confirmação de aceite do Credenciamento via e-mail já é possível efetuar o login no sistema

Leia mais

Tutorial Administrativo (Backoffice)

Tutorial Administrativo (Backoffice) Manual - Software ENTRANDO NO SISTEMA BACKOFFICE Para entrar no sitema Backoffice, digite no seu navegador de internet o seguinte endereço: http://pesquisa.webbyapp.com/ Entre com o login e senha. Caso

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Sumário I. Acesso ao sistema CRMTEL II. Filtro de Clientes III. Atribuindo a Segmentação Atribuindo o Mailing VI.

Sumário I. Acesso ao sistema CRMTEL II. Filtro de Clientes III. Atribuindo a Segmentação Atribuindo o Mailing VI. Módulo Clientes 2 Sumário I. Acesso ao sistema CRMTEL... 4 II. Filtro de Clientes... 5 III. Atribuindo a Segmentação... 6 V. Atribuindo o Mailing... 10 VI. Encarteirando Clientes... 12 VII. Relatórios...

Leia mais

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce

Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Manual do usuário (v 1.2.0) E-commerce Sumário Acessando o sistema gerencial... 1 Enviando logomarca, banners e destaques... 1 Logomarca... 1 Destaques... 2 Banners... 3 Cadastrando produtos... 4 Embalagem...

Leia mais

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E)

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E) Conteúdo Solicitação de Autorização...2 Numeração da NF-E...3 Emissão de NF-E...3 Pesquisa de NF-E emitida...5 Cancelamento de NF-E emitida...5 Carta de Correção...6 Envio de Arquivo de RPS...6 Número

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À ORGANIZAÇÃO DE COMPUTADORES Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Apresentar o funcionamento do computador Apresentar a função da memória e dos dispositivos

Leia mais

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes

Treinamento Auditor Fiscal. Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Treinamento Auditor Fiscal Instrutor: Jaime Naves Gestora: Adriana Nunes Conceito: O Auditor Fiscal WEB é uma solução que permite a usuários de qualquer segmento empresarial realizar auditorias sobre os

Leia mais

INFORMÁTICA SEMANA 10

INFORMÁTICA SEMANA 10 AULA 10 PLANILHA ELETRÔNICA APLICATIVO - EXCEL QUESTÃO 1 FCC - Oficial de Chancelaria FEV/2009 Atenção: Para responder à questão considere as informações abaixo. O Diretor de um certo órgão público incumbiu

Leia mais

Tutorial contas a pagar

Tutorial contas a pagar Tutorial contas a pagar Conteúdo 1. Cadastro de contas contábeis... 2 2. Cadastro de conta corrente... 4 3. Cadastro de fornecedores... 5 4. Efetuar lançamento de Contas à pagar... 6 5. Pesquisar Lançamento...

Leia mais

Planilha Eletrônica. = Usado para iniciar fórmulas e funções. @ Somente no MS Excel permite iniciar funções. ^ Usado para expoente e raiz

Planilha Eletrônica. = Usado para iniciar fórmulas e funções. @ Somente no MS Excel permite iniciar funções. ^ Usado para expoente e raiz Planilha Eletrônica Planilha eletrônica é uma folha organizada em tabela na qual é realizado cálculos matemáticos, podendo ser simples ou complexos. A planilha eletrônica do Microsoft Office 2003 é um

Leia mais

Microsoft Access XP Módulo Um

Microsoft Access XP Módulo Um Microsoft Access XP Módulo Um Neste primeiro módulo de aula do curso completo de Access XP vamos nos dedicar ao estudo de alguns termos relacionados com banco de dados e as principais novidades do novo

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DE INVESTIGAÇÃO DE MORTE MATERNA

INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DE INVESTIGAÇÃO DE MORTE MATERNA INSTRUTIVO PARA UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DE INVESTIGAÇÃO DE MORTE MATERNA PARTE I Acesso ao módulo on line Geração de listagens Digitação de fichas com a síntese da investigação I.a Acesso ao SIM: Para acessar

Leia mais

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO

SISTEMA COOL 2.0V. (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA COOL 2.0V (Certificado de Origen On Line) MANUAL DO USUÁRIO ÍNDICE Pré-requisitos para utilização do sistema....2 Parte I Navegador...2 Parte II Instalação do Interpretador de PDF...2 Parte III

Leia mais

Sistema de Informações de Crédito SCR

Sistema de Informações de Crédito SCR Sistema de Informações de Crédito SCR às Informações do Cliente Versão 1.1 1. Os clientes do Sistema Financeiro Nacional podem acessar, pela internet, as informações sobre operações e títulos com características

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

AplusixAdmin: administração do Aplusix 3 Manual de utilização

AplusixAdmin: administração do Aplusix 3 Manual de utilização AplusixAdmin: administração do Aplusix 3 Manual de utilização Novembro de 2010 Documento redigido com epsilonwriter Tradução em português por Marilena Bittar 1. Introdução 2. Janela principal 3. Manipulação

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Ficha Complementar

AVISO. Treinamento GVcollege Módulo Ficha Complementar AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática PROJETO DA DISCIPLINA PES II Processo de

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados 1. Conceitos Básicos No contexto de sistemas de banco de dados as palavras dado e informação possuem o mesmo significado, representando uma

Leia mais

Manual do usuário SIACC CAIXA Programado 1

Manual do usuário SIACC CAIXA Programado 1 Manual do usuário SIACC CAIXA Programado 1 Índice ACESSO AO SISTEMA CAIXA PROGRAMADO PELA PRIMEIRA VEZ... 6 CONFIGURAÇÕES NECESSÁRIAS PARA ACESSAR O SISTEMA... 6 TELA DE ACESSO AO SISTEMA CAIXA PROGRAMADO...

Leia mais

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801)

GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801) GLOBAL SCIENCE AND TECHNOLOGY (ISSN 1984 3801) UTILIZAÇÃO DE APLICATIVOS BASE E CALC DO PACOTE BROFFICE.ORG PARA CRIAÇÃO DE SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE PEQUENO PORTE Wílson Luiz Vinci 1 Marcelo Gonçalves

Leia mais

Planilhas Eletrônicas EXCEL

Planilhas Eletrônicas EXCEL Planilhas Eletrônicas EXCEL Pasta de Trabalho Quando você inicia o excel ele automaticamente cria uma pasta de trabalho. Esta pasta de trabalho é um arquivo que pode ter até 255 planilhas. Cada planilha

Leia mais

VEXPRESSCRM. Manual do Usuário. Automação da força de vendas. MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2.

VEXPRESSCRM. Manual do Usuário. Automação da força de vendas. MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2. 1 Manual do Usuário VEXPRESSCRM Automação da força de vendas MR Consultoria e Assessoria em Informática Desenvolvimento de Sistemas WEB Versão 2.0 2 Acesso Para acessar o sistema VEXPRESS-CRM é necessário

Leia mais

Clique na célula sobre a qual você deseja comentar.

Clique na célula sobre a qual você deseja comentar. , *+!!!!& Um comentário é uma anotação que você anexa a uma célula, separado do restante do conteúdo da célula. Os comentários são úteis como lembretes para você mesmo, como anotar como funciona uma fórmula,

Leia mais

Manual Email marketing v.240215

Manual Email marketing v.240215 1º Passo Acessar a página www.marketing.vardigital.com.br e fazer login com os seguintes dados: Usuário: email@dominio Senha: var@emkt 2º Passo A página seguinte é o painel geral de administração, sendo

Leia mais

Módulo III. Folhas de Cálculo

Módulo III. Folhas de Cálculo Módulo III Ferramentas do Office Folhas de Cálculo Ferramentas de produtividade 1 Folhas de Cálculo O que é: Uma Folha de Cálculo é, por tradição, um conjunto de células que formam uma grelha ou tabela

Leia mais

Windows Explorer. Gerenciador de arquivos, pastas e unidades.

Windows Explorer. Gerenciador de arquivos, pastas e unidades. Windows Explorer Windows Explorer Gerenciador de arquivos, pastas e unidades. Unidades, Pastas e Arquivos CESPE - 2008 - MC Acerca de conceitos do sistema operacional Windows XP/Vista, julgue os itens

Leia mais

UFPel Departamento de Informática. Tutorial Google Docs. Profa. Lisane Brisolara de Brisolara

UFPel Departamento de Informática. Tutorial Google Docs. Profa. Lisane Brisolara de Brisolara UFPel Departamento de Informática Tutorial Google Docs Profa. Lisane Brisolara de Brisolara Sumário O que é o Google Docs Seus principais recursos Editor de textos/documentos Editor de planilhas eletrônicas

Leia mais

Manual de utilização sistema Comtele SMS

Manual de utilização sistema Comtele SMS Manual de utilização sistema Comtele SMS Login... 3 Dashboard... 4 Envio instantâneo de mensagens SMS... 5 Requisições de envio instantâneo para contatos ou grupos.... 5 Agendamento de envio d e SMS...7

Leia mais

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP)

INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) INFORMAÇÕES AO DESENVOLVEDOR (ERP) Ano: 2015 Elaborada por: A. Linguanoto Tabelas Exportadas pelo Lúnet- Finalidade A Lúnet Soluções em Tecnologia, desenvolveu este manual técnico com a finalidade de proporcionar

Leia mais

SVA - Sistema de Validação e Autenticação de Arquivos Digitais. Dúvidas Mais Freqüentes

SVA - Sistema de Validação e Autenticação de Arquivos Digitais. Dúvidas Mais Freqüentes Dúvidas Mais Freqüentes 1) Qual a função do SVA? O SVA serve para validar arquivos texto gerados no formato estabelecido pelo Manual Normativo de Arquivos Digitais - MANAD e gerar códigos de identificação

Leia mais

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios Portal Sindical Manual Operacional Empresas/Escritórios Acesso ao Portal Inicialmente, para conseguir acesso ao Portal Sindical, nos controles administrativos, é necessário acessar a página principal da

Leia mais

Leiaute-IMPORTAÇÃO-Plano de Contas - XML

Leiaute-IMPORTAÇÃO-Plano de Contas - XML Leiaute-IMPORTAÇÃO-Plano de Contas - XML DOC-IN 1.0 1 / 6 Leiaute-IMPORTAÇÃO-Plano de Contas - XML Leiaute-IMPORTAÇÃO-Plano de Contas - XML DOC-IN 1.0 2 / 6 ÍNDICE ARQUIVO DE LEIAUTE... 3 Formato... 3

Leia mais

UFPR/PROGEPE MICROSOFT EXCEL 2007

UFPR/PROGEPE MICROSOFT EXCEL 2007 Curitiba, 2012 UFPR/PROGEPE MICROSOFT EXCEL 2007 Instrutora: Andrea Roseli Moreira Cruz Jankoski 1. Conceito O Excel for Windows é uma planilha eletrônica capaz de armazenar dados, executar cálculos, gerar

Leia mais

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST

Manual do Usuário. E-DOC Peticionamento Eletrônico TST E-DOC Peticionamento APRESENTAÇÃO O sistema E-DOC substituirá o atual sistema existente. Este sistema permitirá o controle de petições que utiliza certificado digital para autenticação de carga de documentos.

Leia mais

Aula Especial Planilha de Cálculo

Aula Especial Planilha de Cálculo 01 Observe a figura do aplicativo Excel sendo executado a seguir. 03 Nesse momento, se a tecla F7 for pressionada, o Excel (A) efetuará uma verificação ortográfica no conteúdo da célula A2. (B) formatará

Leia mais

Eclipse Process Framework

Eclipse Process Framework Ins>tuto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Norte Campus Natal- Central Diretoria Acadêmica de Gestão e Tecnologia da Informação Curso de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento

Leia mais

Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios - SCBA

Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios - SCBA Sistema de Controle de Bolsas e Auxílios - SCBA Manual de Utilização Perfil Beneficiário 1. 2. Objetivo do Manual... 2 Siglas e Abreviações... 2 3. Perfil do Usuário... 2 4. Descrição Geral do Sistema...

Leia mais

2. ENTRADA DE DADOS 2.1. TEXTOS

2. ENTRADA DE DADOS 2.1. TEXTOS 2. ENTRADA DE DADOS Os dados digitados em uma célula são divididos em duas categorias principais: constantes ou fórmulas. Um valor constante é um dado digitado diretamente na célula e que não é alterado.

Leia mais

MANUAL ITCMD - DOAÇÃO

MANUAL ITCMD - DOAÇÃO MANUAL ITCMD - DOAÇÃO ACESSO AO SISTEMA ITCMD 2 CRIAÇÃO E PREENCHIMENTO DA DECLARAÇÃO 2 1º PASSO: ESCOLHA DO TIPO DE DECLARAÇÃO 2 2º PASSO: AJUDA INICIAL 3 3º PASSO: CADASTRAMENTO DE SENHA 3 4º PASSO:

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet www.controlenanet.com.br Copyright 2015 - ControleNaNet Conteúdo Tela Principal... 3 Como imprimir?... 4 As Listagens nas Telas... 7 Clientes... 8 Consulta... 9 Inclusão... 11 Alteração... 13 Exclusão...

Leia mais

CRIANDO UM BANCO DE DADOS

CRIANDO UM BANCO DE DADOS CRIANDO UM BANCO DE DADOS Bem, antes de iniciarmos propriamente no delphi, devemos aprender a usar sua ferramentas, sendo uma das mais importantes o Database Desktop, pois é com esta que construímos nossos

Leia mais

SMS Corporativo Manual do Usuário

SMS Corporativo Manual do Usuário NEXTEL SMS Corporativo Manual do Usuário Conteúdo 2 CAPÍTU LO 1 Introdução 3 CAPÍTU LO 2 Funcionalidades 1 Copyright Curupira S/A TakeNET INTRODUÇÃO A FERRAMENTA O SMS Corporativo é um serviço criado para

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Formulários HTML Aula 07: Formulários e Frames HTML Os formulários HTML são utilizados, geralmente, como entradas de dados prépreenchimento,

Leia mais

Editor de Textos Word 2003 (extensão doc) Word 2007/2010 (extensão docx)

Editor de Textos Word 2003 (extensão doc) Word 2007/2010 (extensão docx) Editor de Textos Word 2003 (extensão doc) Word 2007/2010 (extensão docx) Inserção Caso o usuário deseje inserir palavras num texto previamente produzido, basta clicar com o mouse no ponto desejado e, simplesmente,

Leia mais

Orientação para inclusão dos Anexos da DIEF (DIEF versão 2.1.2)

Orientação para inclusão dos Anexos da DIEF (DIEF versão 2.1.2) Orientação para inclusão dos Anexos da DIEF (DIEF versão 2.1.2) 1º Passo: Para as declarações com período de referência a partir de 07/2015, os contribuintes devem continuar fazendo a declaração normalmente

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1

Manual do Usuário. Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Manual do Usuário Manual do Usuário - Versão 1.0. 1 Índice 1. Visão Geral... 3 2. Acessar o sistema... 3 3. Módulo Inicial... 6 3.1. Cabeçalho do sistema... 6 3.2. Fale Conosco... 6 3.3. Meu Cadastro...

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais