FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC"

Transcrição

1 FORMAÇÃO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE FAIXAS DE GESTÃO DE COMBUSTÍVEL FASE II ELABORAÇÃO DE PLANOS DE RPFGC Tecnologias SIG Sistemas de Informação Geográfica Centro de Operações e Técnicas Florestais COTF Lousã 14 de Abril de 2011

2 Objectivos 1 Exploração de conceitos SIG 1.1 Definição de SIG 1.2 Funções de um SIG 1.3 Componentes de um SIG 2 Discussão conjunta do guia técnico 2.1 Uniformização da base de dados da informação geográfica (IG) 2.2 Representação da informação: moldura de cartografia e simbologia Mário Pereira da Costa agricultura.pt 2

3 1 Exploração de conceitos SIG 1.1 Definição de SIG Um sistema constituído por hardware, software e um ambiente institucional (liveware), com o fim de armazenar, manipular, visualizar e analisar dados de natureza espacial (referenciados à superfície da terra). PAINHO M., 1997 Mário Pereira da Costa agricultura.pt 3

4 1 Exploração de conceitos SIG 1.2 Funções de um SIG Produção, captura e recolha Armazenamento e gestão Inquirição e validação Análise alfanumérica e/ou espacial Visualização e apresentação Output, publicação Mário Pereira da Costa agricultura.pt 4

5 1 Exploração de conceitos SIG 1.2 Funções de um SIG Produção, captura e recolha Um SIG disponibiliza métodos de introdução de dados geográficos (coordenadas) e tabulares (atributos). Quantos mais métodos e formas estiverem disponíveis, mais versátil é o SIG Armazenamento e gestão Existem dois modelos básicos para o armazenamento de dados geográficos raster e vectorial. Um SIG suporta o armazenamento de dados geográficos nos dois formatos Inquirição e validação Um SIG providencia utilitários para encontrar elementos específicos com base nas suas localizações ou nos seus valores de atributos Mário Pereira da Costa agricultura.pt 5

6 1 Exploração de conceitos SIG 1.2 Funções de um SIG Análise alfanumérica e/ou espacial Um SIG tem a capacidade de responder a questões relacionadas com a interacção das relações espaciais entre múltiplos conjuntos de dados Visualização e apresentação Existem ferramentas para visualizar os elementos geográficos usando uma variedade de simbologia Output, publicação Os resultados da visualização podem ser publicados em vários tipos de formatos, tais como mapas, relatórios e gráficos Mário Pereira da Costa agricultura.pt 6

7 1 Exploração de conceitos SIG 1.3 Componentes de um SIG RECURSOS HUMANOS SOFTWARE SIG MÉTODOS / PROCEDIMENTOS HARDWARE DADOS / INFORMAÇÃO Mário Pereira da Costa agricultura.pt 7

8 1 Exploração de conceitos SIG 1.3 Componentes de um SIG Recursos Humanos RECURSOS HUMANOS SIG Necessidade de formação e qualificação constante Elemento primordial no perfeito funcionamento de um SIG Componente mais importante de um SIG. Os recursos humanos desenvolvem os procedimentos e definem claramente quais as tarefas do SIG. Os recursos humanos conseguem muitas vezes ultrapassar lacunas das outras componentes do SIG, mas nem os melhores softwares e computadores conseguem ultrapassar a impreparação ou falta de formação dos recursos humanos Mário Pereira da Costa agricultura.pt 8

9 1 Exploração de conceitos SIG 1.3 Componentes de um SIG RECURSOS HUMANOS Métodos / Procedimentos Processos de organização para optimização de recursos SIG Conjunto de práticas através das quais uma determinada organização opera o SIG A análise requer métodos consistentes, bem definidos, aplicáveis, de forma a produzir resultados correctos e reprodutíveis Dados / Informação Representação computorizada do mundo real Recolha e aquisição são os factores que mais absorvem tempo e recursos Dados de qualidade, normalizados, são a chave do sucesso de qualquer SIG MÉTODOS / PROCEDIMENTOS DADOS / INFORMAÇÃO A disponibilidade e qualidade dos dados afecta os resultados de inquirições e/ou análises Mário Pereira da Costa agricultura.pt 9

10 1 Exploração de conceitos SIG 1.3 Componentes de um SIG RECURSOS HUMANOS Hardware Computador onde se processa o SIG e periféricos Ferramentas SIG palpáveis e visíveis SIG As capacidades do hardware afectam a velocidade do processamento, a facilidade de utilização e o tipo de output disponível Software Sistemas ou plataformas nas quais assenta o SIG Ferramentas SIG não palpáveis e invisíveis SOFTWARE HARDWARE MÉTODOS / PROCEDIMENTOS DADOS / INFORMAÇÃO Inclui não apenas o próprio software SIG, mas também o software de bases de dados, de desenho, de imagem ou qualquer outro que possa contribuir de alguma forma para o SIG Mário Pereira da Costa agricultura.pt 10

11 Objectivos 1 Exploração de conceitos SIG 1.1 Definição de SIG 1.2 Funções de um SIG 1.3 Componentes de um SIG 2 Discussão conjunta do guia técnico 2.1 Uniformização da base de dados da informação geográfica (IG) 2.2 Representação da informação: moldura de cartografia e simbologia Mário Pereira da Costa agricultura.pt 11

12 2.1 Uniformização da base de dados da IG objectivos e princípios 1. Fornecer aos técnicos locais e utilizadores a jusante uma ferramenta de armazenamento e gestão eficaz, de infra estruturas de nível estruturante 2. Fornecer aos responsáveis pela recolha, produção e tratamento de IG, um instrumento de trabalho, que defina estratégias e procedimentos a seguir para o elemento gráfico a caracterizar e representar, bem como para cada uma das fases constituintes do processo 3. Apresentar as etapas que medeiam e que devem ser cumpridas desde a identificação dos elementos até à entrega do resultado, na forma e conteúdo 4. Georeferenciar a informação produzida e tratada Mário Pereira da Costa agricultura.pt 12

13 2.1 Uniformização da base de dados da IG objectivos e princípios 4. Desenvolver metodologias que possibilitem a uniformização da informação, a produzir e a tratar, bem como a sua integração numa base de dados geográfica de âmbito nacional, garantindo a articulação entre todos os níveis de informação 5. Estruturar de forma uniforme as bases de dados, operacional e geograficamente, para armazenamento e integração da informação produzida e tratada 6. Optimizar os recursos, humanos e materiais, potenciando as capacidades físicas e técnicas, através da simplificação do processo de integração de informação 7. Compatibilizar a informação estruturada com sistemas já existentes e em utilização Mário Pereira da Costa agricultura.pt 13

14 2.1 Uniformização da base de dados da IG notas iniciais 1. Os elementos, devem ser vectorizados, quando tal metodologia se verificar, aplicando rigor e precisão [1] e reflectindo o mais fielmente possível a realidade existente no terreno, devendo incorporar aperfeiçoamentos metodológicos simples, mas que valorizam substancialmente o trabalho de produção de IG 2. Formatos admissíveis:.mdb ou.shp [1] Entende se por precisão, o desvio máximo admissível que um ponto no mapa pode ter relativamente à sua correcta posição no terreno Mário Pereira da Costa agricultura.pt 14

15 2.1 Uniformização da base de dados da IG etapas a seguir 1. Recolha, levantamento e produção da IG, com a consequente criação do elemento gráfico (shapefile) 2. Tratamento(no seguimento das normas e orientações emanadas) da IG, com a criação dos campos indicados na tabela de atributos associada ao elemento gráfico(shapefile) 3. Preenchimento da tabela de atributos associada ao elemento gráfico (shapefile), com os códigos presentes nos quadros de apoio ao preenchimento 4. Processos de análise espacial e modelação geográfica em SIG, sustentados na IG previamente recolhida, levantada e produzida Mário Pereira da Costa agricultura.pt 15

16 2.1 Uniformização da base de dados da IG formas de obtenção 1. Levantamento de campo efectuado com GPS (Global Positioning System), com posterior transferência de informação do equipamento para o computador, com a devida correcção diferencial, ou procedimento equivalente em PDA munido de GPS, sobre cartografia ou ortofotomapa digital 2. Levantamento de campo sustentado em suporte papel (carta militar, carta topográfica, ortofotomapa, outro) com posterior vectorização do elemento gráfico directamente sobre monitor, em gabinete 3. Combinação dos dois processos referidos anteriormente, em que, em primeira instância, se procede ao levantamento efectuado por GPS, ou PDA munido de GPS, com as necessárias alterações e correcções, sobre a informação cartográfica de base, em gabinete Mário Pereira da Costa agricultura.pt 16

17 2.1 Uniformização da base de dados da IG notas importantes 1. A rede viária florestal (RVF) com uma largura igual ou inferior a três metros de largura deve ser incorporada na faixa ou mosaico de gestão de combustíveis adjacente, pelo contrário, caso tenha uma largura superior a três metros de largura,deve ser individualizada num polígono distinto das áreas adjacentes a intervencionar 2. Na marcação de elementos poligonais é importante atender à inexistência de sobreposições. No caso de ocorrência das mesmas, estas devem ser eliminadas, de forma a evitar erros associados a duplicação de áreas Mário Pereira da Costa agricultura.pt 17

18 2.1 Uniformização da base de dados da IG entidades geométricas 1. Os métodos de georeferenciação, ao permitirem a definição da localização geográfica dos objectos, estabelecem simultaneamente a sua forma geométrica 2. Classicamente, no espaço a duas dimensões, os objectos espaciais simples são classificados em três categorias, de acordo com a sua forma geométrica, designadamente polígono, linha e ponto 3. Para o caso concreto, apenas devemos considerar a entidade geométrica polígono, sendo de destacar que não são admissíveis elementos constituídos por linhas para representação das áreas a intervencionar Mário Pereira da Costa agricultura.pt 18

19 2.1 Uniformização da base de dados da IG entidade geométrica polígono entidade geométrica que pode ser definida por um conjunto ordenado de pontos interligados, em que o primeiro e último ponto coincidem, utilizada quase sempre na representação de zonas que possuem uniformemente uma dada propriedade. Um polígono divide o plano em que se encontra em duas regiões (a interior e a exterior), sem conter pontos comuns. Mário Pereira da Costa agricultura.pt 19

20 2.1 Uniformização da base de dados da IG sistemas de coordenadas Mário Pereira da Costa agricultura.pt 20

21 2.1 Uniformização da base de dados da IG atributos Mário Pereira da Costa agricultura.pt 21

22 2.1 Uniformização da base de dados da IG atributos Mário Pereira da Costa agricultura.pt 22

23 2.1 Uniformização da base de dados da IG atributos Mário Pereira da Costa agricultura.pt 23

24 2.2 Representação da informação elementos das molduras de cartografia 1. Coordenadas de referência (mínimo 8 pontos) 2. Data de elaboração 3. Escala gráfica 4. Fontes 5. Legenda (especificação dos elementos) 6. Logótipo 7. Norte geográfico 8. Sistema de coordenadas e de referência 9. Título Mário Pereira da Costa agricultura.pt 24

25 2.2 Representação da informação exemplo de moldura de cartografia Norte geográfico Título Legenda Coordenadas de referência (mínimo 8 pontos) Conteúdo Sistema de coordenadas Escala gráfica Data de elaboração Fontes Logótipo Mário Pereira da Costa agricultura.pt 25

26 2.2 Representação da informação simbologia Mário Pereira da Costa agricultura.pt 26

27 a Referências e recursos ko.com/et_geowizards (software Open Source) Mário Pereira da Costa agricultura.pt 27

28 PORTUGAL SEM FOGOS DEPENDE DE TODOS

I CURSO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE DFCI. Metodologia de representação das RPDFCI

I CURSO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE DFCI. Metodologia de representação das RPDFCI Mário Pereira da Costa mario.costa@afn.min-agricultura.pt I CURSO EM TÉCNICAS DE PLANEAMENTO DE REDES PRIMÁRIAS DE DFCI Metodologia de representação das RPDFCI COTF - Lousã 11 a 13 de Maio de 2009 OBJECTIVOS

Leia mais

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG

TEMA: PDM Digital Uma metodologia para a conversão analógico-digital e integração em SIG Autores: Fernando Cruz - E-mail: f2crux@clix.pt Rui Teixeira - E-mail: rtsf@clix.pt Instituição: Câmara Municipal de Salvaterra de Magos Palavras chave: Cartografia digital, PDM, integração em SIG. Sessão

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica

Sistema de Informação Geográfica Sistema de Informação Geográfica Conteúdo Apresentação da Empresa Implementação do SIG na Prestiteca, porquê? SIG na Prestiteca Constituição do SIG Vantagens na implementação do SIG Principais dificuldades

Leia mais

GeoMob: Solução de Gestão e Controlo de Bens e Recursos Móveis

GeoMob: Solução de Gestão e Controlo de Bens e Recursos Móveis GeoMob: Solução de Gestão e Controlo de Bens e Recursos Móveis Luis Cabral IDC - Mobility & RFID, CCB 26 de Fevereiro de 2008 1 Miguel Setas GeoMob Gestão de Bens e Recursos Móveis Apresentação divida

Leia mais

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães

a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães a emergência das tecnologias open source no SIG municipal de guimarães processo de modernização administrativa prestação de um melhor serviço aos cidadãos utilização mais eficiente dos seus recursos no

Leia mais

Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical

Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical Introdução aos Sistemas de Informação Geográfica (SIG) Inês Pinto Instituto de Investigação Cientifica Tropical DEFINIÇÃO DE SIG As definições são condicionadas pelo ambiente em que surgem e pela realidade

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br]

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO. Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Profª Iana Alexandra Alves Rufino [iana_alex@uol.com.br] Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Componentes de um SIG Exemplos de aplicações Conceitos Geoprocessamento

Leia mais

A relevância da Carta do Regime do Uso do Solo no Ordenamento do Território. AFONSO, Luisa; FRANÇA, Luz;

A relevância da Carta do Regime do Uso do Solo no Ordenamento do Território. AFONSO, Luisa; FRANÇA, Luz; A relevância da Carta do Regime do Uso do Solo no Ordenamento do Território AFONSO, Luisa; FRANÇA, Luz; Ordenamento do Território Conceito História i e Desenvolvimento Enquadramento Metodologia CRUS e

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I)

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (I) UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE BIOSSISTEMAS DISCIPLINA: LEB450 TOPOGRAFIA E GEOPROCESSAMENTO II PROF. DR. CARLOS ALBERTO VETTORAZZI

Leia mais

Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa CURSO DE GPS. Módulo x. (Aula Prática) Reliance - Ashtech. Suas Aplicações Em SIG.

Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa CURSO DE GPS. Módulo x. (Aula Prática) Reliance - Ashtech. Suas Aplicações Em SIG. Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa CURSO DE GPS Módulo x (Aula Prática) Reliance - Ashtech e Suas Aplicações Em SIG (Carlos Antunes) INTODUÇÃO O Sistema Reliance baseia-se na utilização do

Leia mais

SIG - Sistemas de Informação Geográfica

SIG - Sistemas de Informação Geográfica SIG - Sistemas de Informação Geográfica Gestão da Informação Para gestão das informações relativas ao desenvolvimento e implantação dos Planos Municipais de Conservação e Recuperação da Mata Atlântica

Leia mais

Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território

Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território Aplicações SIG como Instrumento de Ordenamento e Gestão do Território Evolução da última década Manuela Sampayo Martins (Eng.ª) Sistemas de Informação Sistemas de Geográfica, Informação Lda. Geográfica,

Leia mais

O WebSig do Município de Guimarães

O WebSig do Município de Guimarães O WebSig do Município de Guimarães Pedro Pereira A Divisão SIG O SIG do Município de Guimarães Gabinete criado em 1998 (no âmbito do PROSIG) Nos 10 anos seguintes, o SIG serviu de apoio aos diversos serviços

Leia mais

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG

Introdução ao SIG. Objetivos Específicos 18/11/2010. Competência: Apresentar: Utilidade de um SIG MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE - ICMBio DIRETORIA DE PLANEJAMENTO, ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA - DIPLAN COORDENAÇÃO GERAL DE GESTÃO DE PESSOAS -

Leia mais

O GPS IKE 1000 oferece velocidade, segurança e verificação. Com este equipamento a carga de trabalho e tempo dispendidos são minimizados devido a:

O GPS IKE 1000 oferece velocidade, segurança e verificação. Com este equipamento a carga de trabalho e tempo dispendidos são minimizados devido a: Os equipamentos IKE 1000 são equipamentos GPS de elevada precisão, robustos, adequados para recolher diferentes tipos de informação no campo, tais como dados geoespaciais com informação alfanumérica associada,

Leia mais

Os Sistemas de Informação Geográfica como Ferramenta de Elaboração e Implementação dos Planos Diretores Municipais: o Caso de Icolo e Bengo, Angola

Os Sistemas de Informação Geográfica como Ferramenta de Elaboração e Implementação dos Planos Diretores Municipais: o Caso de Icolo e Bengo, Angola Os Sistemas de Informação Geográfica como Ferramenta de Elaboração e Implementação dos Planos Diretores Municipais: o Caso de Icolo e Bengo, Angola Sandra ALVES 1, Vilma SILVA 1, António RAMALHO 1, Sílvia

Leia mais

TRANSFORMAÇÃO DE COORDENADAS. PT-TM06-ETRS89 para Datum Lisboa IGeoE

TRANSFORMAÇÃO DE COORDENADAS. PT-TM06-ETRS89 para Datum Lisboa IGeoE TRANSFORMAÇÃO DE COORDENADAS PT-TM06-ETRS89 para Datum Lisboa IGeoE João Martins - Mário Pereira da Costa joao.martins@afn.min-agricultura.pt - mario.costa@afn.min-agricultura.pt 1. Abrir o ArcMap. Fazer

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA: DESENVOLVIMENTO, UTILIZAÇÃO E EVOLUÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA: DESENVOLVIMENTO, UTILIZAÇÃO E EVOLUÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA: DESENVOLVIMENTO, UTILIZAÇÃO E EVOLUÇÃO Eduardo RIBEIRO DE SOUSA (1) Ulisses; LAGES DA SILVA (2) ; José António PESTANA (3) RESUMO A crescente complexidade dos problemas

Leia mais

SIG como uma ferramenta de análise espacial Um estudo de caso da saúde no RN

SIG como uma ferramenta de análise espacial Um estudo de caso da saúde no RN SIG como uma ferramenta de análise espacial Um estudo de caso da saúde no RN Adeline M. Maciel, Luana D. Chagas, Cláubio L. L. Bandeira Mestrado em Ciência da Computação (MCC) Universidade do Estado do

Leia mais

OS SISTEMAS GEOGRÁFICA DE INFORMAÇÃO NOS NEGÓCIOS INFRA-ESTRUTURA DE INFORMAÇÃO PARA A TERCEIRA GERAÇÃO DE APLICAÇÕES NO INÍCIO DO TERCEIRO MILÉNIO

OS SISTEMAS GEOGRÁFICA DE INFORMAÇÃO NOS NEGÓCIOS INFRA-ESTRUTURA DE INFORMAÇÃO PARA A TERCEIRA GERAÇÃO DE APLICAÇÕES NO INÍCIO DO TERCEIRO MILÉNIO 22 B&S DOSSIER SIG Por Marco Painho, Professor Associado, Director do Instituto Superior de Estatística e Gestão de Informação da Universidade Nova de Lisboa. OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NOS NEGÓCIOS

Leia mais

Contributos para a. geográfica em Portugal. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt

Contributos para a. geográfica em Portugal. Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt Contributos para a reutilização da informação geográfica em Portugal Rui Pedro Julião Subdirector-Geral rpj@igeo.pt Tópicos Enquadramento Bases para a reutilização da informação geográfica Próximos passos

Leia mais

Componentes Básicos de um escritório para SIG

Componentes Básicos de um escritório para SIG Componentes Básicos de um escritório para SIG Componentes Informática Programas de aplicações Recursos humanos Componentes Informática Programas de aplicações Recursos humanos Componente de informática

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável Prof. Pablo Santos 4 a Aula SISTEMA DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA - SIG Introdução Definições Necessárias

Leia mais

Sistema Integrado de Informação Geográfica da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro

Sistema Integrado de Informação Geográfica da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro Sistema Integrado de Informação Geográfica da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro BRAVO, Nuno; SEABRA, Cristina; SILVA, Leonor Resumo No âmbito das suas competências, estabelecidas

Leia mais

CASO DE ESTUDO SOBRE SIG

CASO DE ESTUDO SOBRE SIG Laboratório Regional de Engenharia Civil Agência Regional da Energia e Ambiente da Região Autónoma da Madeira Câmara Municipal do Funchal Sistema Integrado para a Implementação de Sustentabilidade CASO

Leia mais

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de padrões espaciais; Controle e ordenação do espaço. Técnicas

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Comunicação sem fios Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Mestrado em Fisica 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes WIFI 1 Introdução Nos sistemas de comunicações

Leia mais

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos.

Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável. Conceitos Básicos. Geoprocessamento: Uma Ferramenta Para o Desenvolvimento Regional Sustentável Sistema de Informação Dados Armazenados Questão Informação Laboratório de Geoprocessamento (LAGEO) Programa de Mestrado em Ciências

Leia mais

6. AGRICULTURA DE PRECISÃO. EXEMPLO DA AVALIAÇÃO DO EFEITO DA TOPOGRAFIA E DA REGA SOBRE A VARIABILIDADE ESPACIAL E TEMPORAL DA PRODUTIVIDADE DO MILHO

6. AGRICULTURA DE PRECISÃO. EXEMPLO DA AVALIAÇÃO DO EFEITO DA TOPOGRAFIA E DA REGA SOBRE A VARIABILIDADE ESPACIAL E TEMPORAL DA PRODUTIVIDADE DO MILHO 6. AGRICULTURA DE PRECISÃO. EXEMPLO DA AVALIAÇÃO DO EFEITO DA TOPOGRAFIA E DA REGA SOBRE A VARIABILIDADE ESPACIAL E TEMPORAL DA PRODUTIVIDADE DO MILHO José Rafael Marques da Silva (1) e Luís Leopoldo Silva

Leia mais

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source

MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG. QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source MAPAS E BASES DE DADOS EM SIG QUANTUM GIS E POSTGRE SQL Operar e programar em tecnologia SIG com software open source 1 02 DESTINATÁRIOS Todos os que trabalhando ou que virão a trabalhar com tecnologia

Leia mais

Mapas. Visualização de informação geográfica; Consulta e edição (mediante permissões) de informação geográfica;

Mapas. Visualização de informação geográfica; Consulta e edição (mediante permissões) de informação geográfica; Mapas Destinado especialmente aos Utilizadores do GEOPORTAL, nele são descritas e explicadas as diferentes funcionalidades existentes no FrontOffice (GEOPORTAL). O GEOPORTAL é baseado em tecnologia Web,

Leia mais

INFORMATIZAÇÃO DO CADASTRO GEOMÉTRICO DA PROPRIEDADE RÚSTICA Henrique Freitas 1 ; Vanda Machado 2 ; Henrique Oliveira 3

INFORMATIZAÇÃO DO CADASTRO GEOMÉTRICO DA PROPRIEDADE RÚSTICA Henrique Freitas 1 ; Vanda Machado 2 ; Henrique Oliveira 3 INFORMATIZAÇÃO DO CADASTRO GEOMÉTRICO DA PROPRIEDADE RÚSTICA Henrique Freitas 1 ; Vanda Machado 2 ; Henrique Oliveira 3 1 Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Beja 2 Instituto Geográfico Português

Leia mais

TERRAMAIS. Serviço on-line de suporte à gestão agro-florestal. Gomes Aires, José Miguel; Dias, Ana Paula; Duarte, Pedro; Coucelo, Carlos RESUMO

TERRAMAIS. Serviço on-line de suporte à gestão agro-florestal. Gomes Aires, José Miguel; Dias, Ana Paula; Duarte, Pedro; Coucelo, Carlos RESUMO TERRAMAIS Serviço on-line de suporte à gestão agro-florestal Gomes Aires, José Miguel; Dias, Ana Paula; Duarte, Pedro; Coucelo, Carlos RESUMO A vantagem na utilização de Sistemas de Informação Geográfica

Leia mais

A Gisgeo. Web SIG Sistemas de Informação Geográfica via web. Geo Marketing e Geo Turismo. Localização de pessoas. Gestão de frota automóvel

A Gisgeo. Web SIG Sistemas de Informação Geográfica via web. Geo Marketing e Geo Turismo. Localização de pessoas. Gestão de frota automóvel A Gisgeo Web SIG Sistemas de Informação Geográfica via web Geo Marketing e Geo Turismo Localização de pessoas Gestão de frota automóvel App de localização para smartphones Sistemas de navegação GPS A Gisgeo

Leia mais

CADASTRO COMÉRCIO E SERVIÇOS

CADASTRO COMÉRCIO E SERVIÇOS TOPONÍMIA CADASTRO COMÉRCIO E SERVIÇOS GEOREFERENCIAÇÃO DE EQUIPAMENTOS COLECTIVOS GEOREFERENCIAÇÃO DE PATRIMÓNIO GEOREFERENCIAÇÃO DE ESPAÇOS VERDES CIRCUITOS RECOLHA SELECTIVA (ECOPONTOS) GEOREFERENCIAÇÃO

Leia mais

Palavras-chave: Dados Geográficos Digitais de Arruamentos e Endereços Postais, BGRI, Censos de 2011

Palavras-chave: Dados Geográficos Digitais de Arruamentos e Endereços Postais, BGRI, Censos de 2011 Recolha de Dados Geográficos Digitais de Arruamentos e Respectivos Endereços Postais, para actualização da Base Geográfica de Referenciação de Informação (BGRI) do Instituto Nacional de Estatística (INE),

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE Objectivos do Curso. No final deste os alunos deverão: Identificar os principais objectivos associados à implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade (SGQ) Compreender

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO SOBRE O ESTUDO DO LEITO DE CHEIA NUM TROÇO DO RIO MONDEGO

RELATÓRIO TÉCNICO SOBRE O ESTUDO DO LEITO DE CHEIA NUM TROÇO DO RIO MONDEGO RELATÓRIO TÉCNICO SOBRE O ESTUDO DO LEITO DE CHEIA NUM TROÇO DO RIO MONDEGO Instituto da Água - Direcção de Serviços de Recursos Hídricos Sónia Fernandes, Ana Catarina Mariano, Maria Teresa Álvares, Maria

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS 1 Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite

Leia mais

Anais do II Seminário de Atualização Florestal e XI Semana de Estudos Florestais. Deise Regina Lazzarotto

Anais do II Seminário de Atualização Florestal e XI Semana de Estudos Florestais. Deise Regina Lazzarotto SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS APLICADO AOS DADOS DO GRUPO DE PESQUISA BIODIVERSIDADE E SUSTENTABILIDADE DE ECOSSISTEMAS FLORESTAIS DE IRATI PR. Deise Regina Lazzarotto Departamento de Engenharia Florestal

Leia mais

VETORIZAÇÃO DO CADASTRO GEOMÉTRICO DA PROPRIEDADE RÚSTICA DO CONCELHO DE ALJUSTREL

VETORIZAÇÃO DO CADASTRO GEOMÉTRICO DA PROPRIEDADE RÚSTICA DO CONCELHO DE ALJUSTREL VETORIZAÇÃO DO CADASTRO GEOMÉTRICO DA PROPRIEDADE RÚSTICA DO CONCELHO DE ALJUSTREL Lisboa, Setembro 2015 Inês Guerreiro Sara Santos - CM Aljustrel OBJETIVOS Converter para formato vetorial, o cadastro

Leia mais

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento

Palavras chave Sistema de Informações Geográficas, Banco de Dados, Geoprocessamento IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÕES GEOGRÁFICAS PARA O MUNICÍPIO DE TERESÓPOLIS, EM LABORATÓRIO DO UNIFESO José Roberto de C. Andrade Professor do Centro de Ciências e Tecnologia, UNIFESO Sergio Santrovitsch

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA Jugurta Lisboa Filho Departamento de Informática Universidade Federal de Viçosa (MG) jugurta@dpi.ufv.br Universidade Federal de Viçosa Departamento de Informática Tópicos

Leia mais

O SIG como apoio à mobilidade intermodal

O SIG como apoio à mobilidade intermodal Especializações em Transportes Transportes e Vias de / SIG Comunicação / INSPIRE e Sistemas Painel de Lisboa Informação 6 novembro Geográfica 2012 Transportes / SIG / INSPIRE O SIG como apoio à mobilidade

Leia mais

Direcção Regional de Educação do Algarve

Direcção Regional de Educação do Algarve MÓDULO 1 Folha de Cálculo 1. Introdução à folha de cálculo 1.1. Personalização da folha de cálculo 1.2. Estrutura geral de uma folha de cálculo 1.3. O ambiente de da folha de cálculo 2. Criação de uma

Leia mais

Visão Geral. Autodesk Geospatial e Optimização de Processos de Desenho

Visão Geral. Autodesk Geospatial e Optimização de Processos de Desenho O novo AutoCAD Map 3D é a plataforma líder para engenharia, infraestruturas, cartografia e SIG. O AutoCAD MAP 3D permite efectuar a ponte entre CAD e GIS, ao permitir o acesso directo aos dados independentemente

Leia mais

António José Silva d2011090@isegi.unl.pt

António José Silva d2011090@isegi.unl.pt Integração de Dados de Geospatial Crowdsourcing em IDE's Utilizando o INSPIRE António José Silva d2011090@isegi.unl.pt JIIDE 2014 Sumário Motivação e Objectivos Utilizadores e Produtilizadores Desafios

Leia mais

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão

Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão 01 Sistemas de Informação Geográfica (SIG) para Agricultura de Precisão Rodrigo G. Trevisan¹; José P. Molin² ¹ Eng. Agrônomo, Mestrando em Engenharia de Sistemas Agrícolas (ESALQ-USP); ² Prof. Dr. Associado

Leia mais

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos

INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO GEOPROCESSAMENTO. Introdução ao Geoprocessamento. Conceitos básicos 18/06/2015. Conceitos básicos GEOPROCESSAMENTO INTRODUÇÃO AO GEOPROCESSAMENTO Prof. Esp. André Aparecido da Silva Introdução ao Geoprocessamento Conceitos básicos Conceitos básicos Componentes de um SIG Entrada de Dados em Geoprocessamento

Leia mais

3.0 Sistemas de Informação Geográfica

3.0 Sistemas de Informação Geográfica 3.0 Sistemas de Informação Geográfica Neste capítulo será feita uma revisão sobre os temas relacionados aos sistemas de informação geográfica, assim como suas aplicações a transporte. A apresentação do

Leia mais

A importância institucional da cartografia de solos e a sua evolução do analógico ao digital. António Perdigão -DGADR

A importância institucional da cartografia de solos e a sua evolução do analógico ao digital. António Perdigão -DGADR A importância institucional da cartografia de solos e a sua evolução do analógico ao digital António Perdigão -DGADR Responsabilidades da DGADR, no contexto do Despacho nº 13434/2012 de 15 de Outubro de

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Comunicação sem fios 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE

SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SISTEMA INTEGRADO DE LICENCIAMENTO DO AMBIENTE SILiAmb Felisbina Quadrado (binaq@apambiente.pt) Manuel Lacerda (manuel.lacerda@apambiente.pt) XIII CONFERENCIA DE DIRECTORES IBEROAMERICANOS DEL AGUA Foz

Leia mais

Técnicas de Cartografia Digital

Técnicas de Cartografia Digital Técnicas de Cartografia Digital Maria Cecília Bonato Brandalize 2011 Aula 8 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens 1. Vetoriais 2. Matriciais 3. Vantagens e Desvantagens Como são representados

Leia mais

No âmbito do projecto para elaboração

No âmbito do projecto para elaboração >>Boletim do IGeoE N.º 72 Novembro 2010 Levantamento de dados de aeródromos, heliportos e rádio Introdução No âmbito do projecto para elaboração do Manual VFR (Visual Flight Rules), responsabilidade do

Leia mais

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados

TerraView. O TerraView está estruturado da seguinte forma: - Modelo de dados TerraView O TerraView é um aplicativo desenvolvido pelo DPI/INPE e construído sobre a biblioteca de geoprocessamento TerraLib, tendo como principais objetivos: - Apresentar à comunidade um fácil visualizador

Leia mais

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS

GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS GEONFORMAÇÃO PARA NÃO ESPECIALISTAS - Produtos Cartográficos - Geoprocessamento - Sistemas de Informações Geográficas (GIS) - Serviços de Mapas - Demo de um GIS aplicado na PMSP CARTOGRAFIA (conceitos)

Leia mais

CÉLULAS DE PRODUÇÃO FLEXÍVEL Integração e Gestão da Produção

CÉLULAS DE PRODUÇÃO FLEXÍVEL Integração e Gestão da Produção CÉLULAS DE PRODUÇÃO FLEXÍVEL Integração e Gestão da Produção Na actual economia global, onde a concorrência surge de qualquer zona do mundo, as empresas confrontam-se com a necessidade de produzir em prazos

Leia mais

MAPEAMENTO FLORESTAL

MAPEAMENTO FLORESTAL MAPEAMENTO FLORESTAL ELISEU ROSSATO TONIOLO Eng. Florestal Especialista em Geoprocessamento OBJETIVO Mapear e caracterizar a vegetação visando subsidiar o diagnóstico florestal FUNDAMENTOS É uma ferramenta

Leia mais

Dados para mapeamento

Dados para mapeamento Dados para mapeamento Existem dois aspectos com relação aos dados: 1. Aquisição dos dados para gerar os mapas 2. Uso do mapa como fonte de dados Os métodos de aquisição de dados para o mapeamento divergem,

Leia mais

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO

INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO INQUÉRITO AOS PARQUES DE CAMPISMO Código: 426 Versão: 1.1 Agosto 2009 INTRODUÇÃO O Inquérito aos Parques de Campismo existe desde 1983 e tem como objectivo caracterizar os parques de campismo no que diz

Leia mais

RESUMO. José Rocha. Capítulo 2: Geotecnologias aplicadas à análise e gestão de riscos

RESUMO. José Rocha. Capítulo 2: Geotecnologias aplicadas à análise e gestão de riscos Cartografia Municipal de risco com recurso ao MODEL BUILDER José Rocha Departamento de Geografia, Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho jmanuelfrocha@sapo.pt RESUMO A cartografia municipal

Leia mais

EXPERIÊNCIAS EM FOTOGRAMETRIA COM VANT Terça-feira, 1 de Abril de 2014 08:48

EXPERIÊNCIAS EM FOTOGRAMETRIA COM VANT Terça-feira, 1 de Abril de 2014 08:48 EXPERIÊNCIAS EM FOTOGRAMETRIA COM VANT Terça-feira, 1 de Abril de 2014 08:48 1 comentário Eng. Manoel Silva Neto Departamento de Fotogrametria Mapeamento com VANT é amplamente aceito como um novo método

Leia mais

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE

SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene Delazari Grupo de Pesquisa em Cartografia e SIG da UFPR SIG Aplicado ao Meio Ambiente - 2011 GA020- SIG APLICADO AO MEIO AMBIENTE Prof. Luciene S. Delazari -

Leia mais

O Geoportal do projeto DESOURB. Vila Real, 18 de setembro de 2012

O Geoportal do projeto DESOURB. Vila Real, 18 de setembro de 2012 O Geoportal do projeto DESOURB Vila Real, 18 de setembro de 2012 2 Ordem do dia: 1.- O Geoportal. 2.- Breve explicação da estrutura do Geoportal. Fases de trabalho. 3.- Gestão de indicadores. Tipologia

Leia mais

CONTROLE DE QUALIDADE e VALIDAÇÃO DE PRODUTO CARTOGRÁFICO

CONTROLE DE QUALIDADE e VALIDAÇÃO DE PRODUTO CARTOGRÁFICO CONTROLE DE QUALIDADE e VALIDAÇÃO DE PRODUTO CARTOGRÁFICO Editar dados em vários formatos e armazenar estas informações em diferentes sistemas é provavelmente uma das atividades mais comuns para os profissionais

Leia mais

Cartografia. Norma Técnica da Federação Nº1. Federação Portuguesa de Airsoft - APD Apartado 526816 4251-901Porto PORTUGAL

Cartografia. Norma Técnica da Federação Nº1. Federação Portuguesa de Airsoft - APD Apartado 526816 4251-901Porto PORTUGAL Cartografia Norma Técnica da Federação Nº1 Federação Portuguesa de Airsoft - APD Apartado 526816 4251-901Porto PORTUGAL www.fpairsoft.pt geral@fpairsoft.pt 1. Introdução 1.1 Objectivo A presente norma

Leia mais

Introdução ao Geoprocessamento

Introdução ao Geoprocessamento Sistema de Informação Geográfica SIG Introdução ao Geoprocessamento Professor: Daniel Luis Nithack e Silva O processo de urbanização marcha em um ritmo mais acelerado do que as possibilidades de planejar

Leia mais

10/07/2015. Valentim Realinho C3i, Instituto Politécnico de Portalegre vrealinho@estgp.pt

10/07/2015. Valentim Realinho C3i, Instituto Politécnico de Portalegre vrealinho@estgp.pt 10/07/2015 Valentim Realinho C3i, Instituto Politécnico de Portalegre vrealinho@estgp.pt 1 Motivação O uso da biomassa com fins energéticos tende a crescer significativamente nas próximas décadas As previsões

Leia mais

MIG - Metadados para Informação Geográfica

MIG - Metadados para Informação Geográfica MIG - Metadados para Informação Geográfica Introdução à Norma ISO 19115 Henrique Silva, Instituto Geográfico Português, hsilva@igeo.pt Lisboa, 14 de Fevereiro de 2008 Metadados para Informação Geográfica

Leia mais

Na sequência da conclusão do programa

Na sequência da conclusão do programa >>Boletim do IGeoE N.º 68 Novembro 2006 Implementação do Projecto MGCP (Multinational Geospatial Co-production Program) no IGeoE > Francisco M. Sequeira Eng.º Geógrafo sequeira@igeoe.pt > João Noiva Gonçalves

Leia mais

Prof. Sandrina Correia

Prof. Sandrina Correia Tecnologias de I informação de C omunicação 9º ANO Prof. Sandrina Correia TIC Prof. Sandrina Correia 1 Objectivos Definir os conceitos de Hardware e Software Identificar os elementos que compõem um computador

Leia mais

OpenJUMP. Pontos fracos do OpenJUMP

OpenJUMP. Pontos fracos do OpenJUMP OpenJUMP No início foi chamado apenas de JUMP (JAVA Unified Mapping Platform), e se tornou popular no mundo livre de SIG(Sistema de informação Geográfica), desenhado por Vivid Solutions. Atualmente é desenvolvido

Leia mais

TECNOLOGIAS WEBSIG NO PLANEAMENTO MUNICIPAL DA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS

TECNOLOGIAS WEBSIG NO PLANEAMENTO MUNICIPAL DA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS 1 Auditório da Reitoria Universidade de Coimbra TECNOLOGIAS WEBSIG NO PLANEAMENTO MUNICIPAL DA DEFESA DA FLORESTA CONTRA INCÊNDIOS Susana CASO DE ESTUDO: CONCELHO DE GOUVEIA quinta-feira, 9 de Setembro

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA UMA FERRAMENTA DE APOIO À SIMULAÇÃO E GESTÃO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA UMA FERRAMENTA DE APOIO À SIMULAÇÃO E GESTÃO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA UMA FERRAMENTA DE APOIO À SIMULAÇÃO E GESTÃO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ÁGUA Monteiro, António ESTG Av. Dr. Francisco Sá Carneiro 6301-559 Guarda Portugal amonteiro@ipg.pt

Leia mais

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005

Estrutura da Norma. 0 Introdução 0.1 Generalidades. ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos. Gestão da Qualidade 2005 ISO 9001:2001 Sistemas de Gestão da Qualidade Requisitos Gestão da Qualidade 2005 Estrutura da Norma 0. Introdução 1. Campo de Aplicação 2. Referência Normativa 3. Termos e Definições 4. Sistema de Gestão

Leia mais

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I

Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Apostila do curso: Quantum GIS Básico Módulo I Helio Larri Vist Geógrafo Mestre em Sensoriamento Remoto Ayr Müller Gonçalves Educador Físico e Graduando em Segurança da Informação Rai Nunes dos Santos

Leia mais

Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano

Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano Telmo Cunha (1,2), Phillip Tomé (1), Sérgio Cunha (2), Jaime Cardoso (2) e Luisa Bastos (1) (1) Observatório Astronómico da Universidade

Leia mais

DIMENSÃO ESPACIAL DA INFORMAÇÃO

DIMENSÃO ESPACIAL DA INFORMAÇÃO DIMENSÃO ESPACIAL DA INFORMAÇÃO MISSÃO A Geoglobal incorpora a componente espacial dos dados nos sistemas de informação dos seus clientes. Desta forma, acrescenta valor à sua informação, permite melhorias

Leia mais

Edificação e Urbanização na Região Norte

Edificação e Urbanização na Região Norte Edificação e Urbanização na Região Norte (Mapa da Situação Urbanística Existente - MSUE) Nota MetodoLogica Última actualização: 30-NOV-2011 A Introdução e aspectos genéricos sobre o produto MSUE Categorias

Leia mais

GeoMafra Portal Geográfico

GeoMafra Portal Geográfico GeoMafra Portal Geográfico Nova versão do site GeoMafra Toda a informação municipal... à distância de um clique! O projecto GeoMafra constitui uma ferramenta de trabalho que visa melhorar e homogeneizar

Leia mais

Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários

Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários , Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários Cláudia Paixão A Ilha da Madeira apresenta um conjunto de riscos específicos entre os quais se destacam: Movimentação de Massas Cheias Rápidas

Leia mais

Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais

Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais Livro branco: PROVA DIGITAL Explicação, Vantagens e Comparação com Sistemas de Prova Tradicionais O presente livro branco introduz a prova digital e explica o seu valor para a obtenção de cores consistentes

Leia mais

Mapa do Potencial Biomássico do Alto Alentejo e Extremadura Espanhola

Mapa do Potencial Biomássico do Alto Alentejo e Extremadura Espanhola Mapa do Potencial Biomássico do Alto Alentejo e Extremadura Espanhola Valentim Realinho, Miguel Belém, Paulo Brito, Luís Baptista, Luiz Rodrigues C3i, Instituto Politécnico de Portalegre vrealinho@estgp.pt

Leia mais

O QUE É O FIBERDOC FIBERDOC

O QUE É O FIBERDOC FIBERDOC Solução para documentação de redes ópticas O QUE É O FIBERDOC FIBERDOC O FIBERDOC, desenvolvido pela Visium/Arcitech, é um sistema de documentação de redes ópticas que através de uma interface gráfica

Leia mais

AS REDES COMO UM MODELO DE DADOS GEOGRÁFICO EM EVOLUÇÃO: CASO PRÁTICO NUM SIG.

AS REDES COMO UM MODELO DE DADOS GEOGRÁFICO EM EVOLUÇÃO: CASO PRÁTICO NUM SIG. AS REDES COMO UM MODELO DE DADOS GEOGRÁFICO EM EVOLUÇÃO: CASO PRÁTICO NUM SIG. Carla Vaz Paulo 1 1. INTRODUÇÃO O rápido desenvolvimento urbano nas duas últimas décadas, desencadeou um elevado crescimento

Leia mais

LEVANTAMENTO FOTOGRAMÉTRICO DE MONUMENTOS E DE EDIFÍCIOS ANTIGOS

LEVANTAMENTO FOTOGRAMÉTRICO DE MONUMENTOS E DE EDIFÍCIOS ANTIGOS Pág.: 1 / 5 1. INTRODUÇÃO A fotogrametria é um método de levantamento baseado na observação do mesmo objecto de dois ou três ângulos diferentes, possibilitando a reconstituição de uma imagem espacial a

Leia mais

Sistemas Sensores. Introdução

Sistemas Sensores. Introdução Sistemas Sensores 5ª Aulas Introdução O sol foi citado como sendo uma fonte de energia ou radiação. O sol é uma fonte muito consistente de energia para o sensoriamento remoto (REM). REM interage com os

Leia mais

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL A profissionalização dos membros da Organização, enquanto factor determinante da sua eficácia na prevenção e no combate aos incêndios florestais, requer a criação de um programa

Leia mais

POLÍTICA DE GEOPROCESSAMENTO DA ELETROSUL

POLÍTICA DE GEOPROCESSAMENTO DA ELETROSUL POLÍTICA DE GEOPROCESSAMENTO DA ELETROSUL Abril - 2013 SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 3 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. CONCEITOS... 3 3.1. Geoprocessamento... 3 3.2. Gestão das Informações Geográficas... 3 3.3. Dado Geográfico

Leia mais

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade

Planificações 2012/2013. Tecnologias da Informação e Comunicação. 2ºAno. Escola Básica Integrada de Pedome. C E F Apoio à Família e à Comunidade Planificações 2012/2013 Tecnologias da Informação e Comunicação C E F Apoio à Família e à Comunidade 2ºAno Escola Básica Integrada de Pedome Grupo Disciplinar de Informática Planificação a Longo Prazo

Leia mais

3ª DIVISÃO DE LEVANTAMENTO PROJETO DE MAPEAMENTO DO ESTADO DA BAHIA

3ª DIVISÃO DE LEVANTAMENTO PROJETO DE MAPEAMENTO DO ESTADO DA BAHIA 3ª DIVISÃO DE LEVANTAMENTO DO ESTADO DA BAHIA 1º Ten QEM João Alberto Batista de Carvalho 1º Ten QEM Raphael Luiz França Greco ESTADO DA BAHIA População: 15.044.137 Área(km²): 564.733,177 Número de Municípios:

Leia mais

Palabras clave: recursos hídricos, Water Informatio System for Europe (WISE) e redes de trabalho.

Palabras clave: recursos hídricos, Water Informatio System for Europe (WISE) e redes de trabalho. Palabras clave: recursos hídricos, Water Informatio System for Europe (WISE) e redes de trabalho. SEGUNDA FASE DE IMPLEMENTAÇÃO DA INFRAESTRUTURA REGIONAL DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA DA REGIÃO AUTÓNOMA DA

Leia mais

A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território]

A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território] A HARMONIZAÇÃO DE DADOS ALTIMÉTRICOS SEGUNDO A DIRETIVA INSPIRE Edgar Barreira [Direção-Geral do Território] Objetivo Apresentar o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido no domínio da harmonização de

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC

TERMO DE REFERÊNCIA - TNC SERVIÇOS DE COMPILAÇÃO DE DADOS GEORREFERENCIADOS DE PROPRIEDADES RURAIS, IDENTIFICAÇÃO DE INCONSISTÊNCIAS E PROPOSIÇÃO DE AJUSTES BASEADO NA REALIDADE DE IMAGEM DE ALTA RESOLUÇÃO DO MUNICÍPIO DE PALMAS

Leia mais

Bases para um Esquema de Ordenamento do Território à Escala do Continente

Bases para um Esquema de Ordenamento do Território à Escala do Continente Bases para um Esquema de Ordenamento do Território à Escala do Continente Desenvolvimentos mais recentes SANTOS, Ana Sofia; GASPAR, Rosário; CONDESSA, Beatriz Resumo A documentação e informação existente

Leia mais

1.1. Viagens com GPS. Princípios básicos de funcionamento de um GPS de modo a obter a posição de um ponto na Terra.

1.1. Viagens com GPS. Princípios básicos de funcionamento de um GPS de modo a obter a posição de um ponto na Terra. 1.1. Viagens com GPS Princípios básicos de funcionamento de um GPS de modo a obter a posição de um ponto na Terra. O que é o GPS? Como funciona o GPS? Qual é a precisão do GPS? O sistema de satélites do

Leia mais

Soluções para Engenharia Civil. Ferramentas integradas. Resultados mais rápidos. Vantagens de que necessita.

Soluções para Engenharia Civil. Ferramentas integradas. Resultados mais rápidos. Vantagens de que necessita. Soluções para Engenharia Civil Ferramentas integradas. Resultados mais rápidos. Vantagens de que necessita. Ferramentas para o Sucesso Os engenheiros civis e os técnicos estão a descobrir formas de ajudar

Leia mais

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007

Biblioteca Virtual. BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 Biblioteca Virtual BIBLIOTECA VIRTUAL DA UNIVERSIDADE DO PORTO (BVUP) Plano de Actividades 2007 A. Introdução A Biblioteca Virtual da Universidade do Porto (BVUP) continuará no ano de 2007 com a sua missão

Leia mais

Hugo Saturnino Paulo Fernandez e José M. Monteiro Coimbra - 30 Maio de 2009

Hugo Saturnino Paulo Fernandez e José M. Monteiro Coimbra - 30 Maio de 2009 OS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA NO PLANEAMENTO ESTRATÉGICO DE INFRA- ESTRUTURAS DE PREVENÇÃO E SUPRESSÃO DE INCÊNDIOS FLORESTAIS CASO DE ESTUDO: CONCELHO DA SERTÃ Hugo Saturnino Paulo Fernandez e

Leia mais