CADEIA GLOBAL E O COMÉRCIO EXTERIOR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CADEIA GLOBAL E O COMÉRCIO EXTERIOR"

Transcrição

1 CADEIA GLOBAL E O COMÉRCIO EXTERIOR FATEC PRAIA GRANDE Setembro de 2010

2 Comércio Exterior Conceitos Comércio Exterior ou Comércio Internacional? 2

3 Evolução do Comércio Exterior Várias fases desde o descobrimento; Proibição das Importações e a reserva de mercado; Abertura no governo Collor 1º passo para a implantação do MERCOSUL 3

4 Os Atuantes no Comércio Internacional Órgãos Intenacionais Gatt General Agreement on Tariffs and Trade Acordo Geral sobre Tarifas e Comércio OMC Organização Mundial do Comércio CCI Câmara de Comercio Internacional - INCOTERMS UNCATD United Nations Conference on Trade and Development Conferência das Nações Unidas para o Comércio e Desenvolvimento - SEBRAE OMA Organização Mundial de Aduanas Obs: Os EUA possuem seus próprios termos de Comércio Exterior denominado de RAFTD Revised American Foreing Trade Definitions Definições Revisadas do Comércio Exterior Norte Americano

5 Órgãos Atuantes Nacionais MF MDIC APEX BACEN SRF SECEX CAMEX SISCARGA DEINT DECEX DECOM DEPLA SISBACEN SISCOMEX EXPO/IMPO 5

6 AS AÇÕES GOVERNAMENTAIS Acordos de Complementação Econômica ACEs Acordo de Comércio, Desenvolvimento e Cooperação (ACDC) Barreiras Alfandegárias Tarifárias Não tarifárias Antidumping Salvaguarda Legislação 6

7 Blocos Econômicos 7

8 AS REGRAS DO COMÉRCIO INTERNACIONAL Produto ou Serviço Desenvolvimento de Mercado O Cliente A Marca BRASIL Contratos de Compra e Venda INCOTERMS > Condições Contratuais de Transporte House to House Pier to Pier House to Pier ou Pier to House Logística Global 8

9 LOGÍSTICA GLOBAL PARTICIPANTES Brokers Agentes de Carga NVOCC Freight Forwarder Agências de Navegação Armadores 9

10 LOGÍSTICA GLOBAL Canais de Distribuição Aonde se encontram as oportunidades mais rentáveis em cada mercado? Venda de Bens e Serviços Venda de Know how Exportação Direta Agente / Distribuidor Licenciamento / Franquias Adequado Inadequado Adequado Inadequado Adequado Inadequado Filial de Venda Adequado Inadequado Filial de Fabricação 10

11 LOGÍSTICA GLOBAL A CADEIA GLOBAL Desenvolvimento de Mercado Marketing Global Parceiros Modais de Transportes Capacidade de Produção Qualidade Comportamento Cultural Demanda Fluxo de Informações 11

12 LOGÍSTICA GLOBAL CASES Perdigão - Plusfood Agroarroz África SIAL Salão internacional de alimentação 2002 Nitroquímica Nitrocelulose 12

13 Participa e ou participou do corpo docente de instituições como UNISANTOS, UNIMONTE, UNIBR e SENAC. Atualmente é Coordenador do Pólo de ensino à distância da UNOPAR Universidade Norte do Paraná na baixada Santista. Graduado em Logística pela UNESP e Pósgraduado em Logística Empresarial e Supply Chain pela UNINOVE Universidade Nove de Julho, Pós-graduado em Marketing pela UNISANTOS Universidade Católica de Santos. 13

14 Muito Obrigado! Sucesso! 14

15 Referências Bibliográficas COSTA, Lígia M. Comércio Exterior Negociação e aspectos legais. Rio de Janeiro; Elsevier-Campus, FARO, Ricardo. FARO, Fátima. Curso de Comércio Exterior Visão e Experiência Brasileira. São Paulo: Atlas, 2007 KEEDI, Samir. ABC do Comércio Exterior. 3 ed. São Paulo: Aduaneiras, LARRAÑAGA, Félix A. A Gestão Logística Global. 2 ed. São Paulo: Aduaneiras, SILVA, Luiz Augusto T. Logística no Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, VAZQUEZ, José L. Comércio Exterior Brasileiro. 8 ed. São Paulo: Atlas,

órgão nacional interveniente no comércio internacional

órgão nacional interveniente no comércio internacional MDIC órgão nacional interveniente no comércio internacional CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: KEEDI, Samir. ABC DO COMÉRCIO EXTERIOR. São Paulo: Aduaneiras, 2007. www.desenvolvimento.gov.br

Leia mais

regulamentadores dos negócios internacionais

regulamentadores dos negócios internacionais 1.1 Operações e órgãos regulamentadores dos negócios internacionais DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. Atlas. São Paulo:

Leia mais

Painel 01: Sistemas e Órgãos de Defesa Comercial e de Defesa da Concorrência na União Européia e no Brasil

Painel 01: Sistemas e Órgãos de Defesa Comercial e de Defesa da Concorrência na União Européia e no Brasil MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR Painel 01: Sistemas e Órgãos de Defesa Comercial e de Defesa da Concorrência na União Européia e no Brasil Welber

Leia mais

Estrutura do Comércio Internacional Brasileiro

Estrutura do Comércio Internacional Brasileiro Estrutura do Comércio Internacional Brasileiro 1 Rápido Panorama da Globalização no Brasil Enquanto o restante do mundo abria as fronteiras e integrava as respectivas economias em blocos econômicos, o

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL. Instituições Intervenientes no Comércio Exterior do Brasil e Siscomex COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTERNACIONAL

COMÉRCIO INTERNACIONAL. Instituições Intervenientes no Comércio Exterior do Brasil e Siscomex COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTERNACIONAL Instituições Intervenientes no Comércio Exterior do Brasil e Siscomex Prof.Nelson Guerra Órgãos acima + Ministério das Relações Exteriores. Conheça cada um deles CAMEX: Objetiva a formulação, adoção, implementação

Leia mais

SISTEMA BRASILEIRO DE COMÉRCIO EXTERIOR

SISTEMA BRASILEIRO DE COMÉRCIO EXTERIOR SISTEMA BRASILEIRO DE COMÉRCIO EXTERIOR Professor: Moacir HISTÓRICO Criado no final de 1953 a Carteira de Comercio Exterior conhecida como CACEX, do Banco do Brasil, substituindo a CEXIM. Tinha competências

Leia mais

Guia Prático de Aplicação de Salvaguardas O caso CHINA Capítulo 5 O Mapa da Defesa Comercial do Brasil Aspectos Institucionais

Guia Prático de Aplicação de Salvaguardas O caso CHINA Capítulo 5 O Mapa da Defesa Comercial do Brasil Aspectos Institucionais Guia Prático de Aplicação de Salvaguardas O caso CHINA Capítulo 5 O Mapa da Defesa Comercial do Brasil Aspectos Institucionais Vera Sterman Kanas vkanas@tozzini.com. @tozzini.com.br Enquadramento institucional

Leia mais

A ESTRUTURA DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO

A ESTRUTURA DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO A ESTRUTURA DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO Este post é um pouco maior do que o habitual, mas o assunto é de interesse geral, principalmente para aqueles que estão iniciando no comércio exterior. ****

Leia mais

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Agosto de 2013 Efeitos da taxa de câmbio: Trilema: inflação, taxa de juros, taxa de câmbio Redução do superávit comercial e déficit estrutural em

Leia mais

COMERCIO EXTERIOR. Visão Macro da Exportação

COMERCIO EXTERIOR. Visão Macro da Exportação Visão Macro da Exportação COMÉRCIO INTERNACIONAL É o intercâmbio de bens e serviços entre países Tem como finalidade satisfazer necessidades, circular e distribuir as riquezas entre os países COMÉRCIO

Leia mais

Agente de Carga Internacional

Agente de Carga Internacional Agente de Carga Internacional Objetivo: Habilitar os participantes para trabalhar com o Agenciamento de Cargas Internacionais, isto é, responsável pelo planejamento e a intermediação de soluções logísticas

Leia mais

Master em Regulação do Comércio Global. Master in International Trade Regulation (MITRE)

Master em Regulação do Comércio Global. Master in International Trade Regulation (MITRE) Proposta de curso de pós-graduação Escola de Economia de São Paulo da FGV Master em Regulação do Comércio Global Master in International Trade Regulation (MITRE) OU Coordenadores: Vera Thorstensen (EESP)

Leia mais

Agente de Carga Internacional com Pós Graduação

Agente de Carga Internacional com Pós Graduação Agente de Carga Internacional com Pós Graduação Objetivo: Habilitar os participantes para trabalhar com o Agenciamento de Cargas Internacionais, isto é, responsável pelo planejamento e a intermediação

Leia mais

FORMAÇÃO Agente de Carga Internacional - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

FORMAÇÃO Agente de Carga Internacional - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Agente de Carga Internacional - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Habilitar os participantes para trabalhar com o Agenciamento de Cargas Internacionais,

Leia mais

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES

NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES NEGOCIOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÕES MSc.RICARDO LOZANO PANORAMA DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS US$ bilhões Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Exportações Brasileiras 256 243 198

Leia mais

1.8.1. Escola norte-americana 1.8.2. Escola europeia 1.8.3. Escola brasileira 1.9. Listagem de exercícios

1.8.1. Escola norte-americana 1.8.2. Escola europeia 1.8.3. Escola brasileira 1.9. Listagem de exercícios Índice Sistemático Introdução 1. Da política 2. Do direito 3. Direito público e direito privado 4. Direito objetivo, subjetivo e potestativo 5. Direito econômico 6. Objeto do direito econômico 7. Características

Leia mais

Formação de Analista em Comércio Exterior

Formação de Analista em Comércio Exterior Formação de Analista em Comércio Exterior com Pós Graduação Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Analista de Comércio Exterior e trabalhar com a análise das operações, planejamento,

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO : COMPETITIVIDADE PERENIDADE SOBREVIVÊNCIA EVOLUÇÃO orienta na implantação e desenvolvimento do seu negócio de forma estratégica e inovadora O QUE SÃO PALESTRAS

Leia mais

Capitulo 5: O Comércio Internacional

Capitulo 5: O Comércio Internacional Capitulo 5: O Comércio Internacional O comércio nacional é regido por leis e diretrizes que regulamentam as negociações de bens e serviços entre duas ou mais pessoas, sejam físicas ou jurídicas. Dessa

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação (X) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO. Clarisse de Almeida e Alvarenga

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO. Clarisse de Almeida e Alvarenga UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO Clarisse de Almeida e Alvarenga O PAPEL DO BANCO DO BRASIL NO COMÉRCIO EXTERIOR DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS BRASILEIRAS: O Papel do Programa

Leia mais

FORMAÇÃO DE TRADERS E NEGOCIADORES INTERNACIONAIS

FORMAÇÃO DE TRADERS E NEGOCIADORES INTERNACIONAIS FORMAÇÃO DE TRADERS E NEGOCIADORES INTERNACIONAIS Objetivo O objetivo deste curso é dotar o participante das competências necessárias para atuar com sucesso no competitivo mercado global, desenvolvendo

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Controle Administrativo - Definição Controle exercido por órgãos da Administração Federal

Leia mais

V Feira Internacional da Amazônia - FIAM Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA

V Feira Internacional da Amazônia - FIAM Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR A CAMEX e a Facilitação de Comércio V Feira Internacional da Amazônia - FIAM Superintendência da Zona Franca de Manaus - SUFRAMA 27 de novembro de 2009, Manaus - AM ALEXANDRE

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA Chamada Pública IPEA/PROESP nº 002/2011 Apoio a Estudos Científicos para a reflexão do Estado

Leia mais

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior O governo brasileiro possui definida uma política voltada para o comércio internacional, onde defende os interesses das empresas nacionais envolvidas,

Leia mais

Os Instrumentos de Defesa Comercial

Os Instrumentos de Defesa Comercial Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Departamento de Defesa Comercial Os Instrumentos de Defesa Comercial Marco César Saraiva da Fonseca Coordenador-Geral

Leia mais

Sumário. Capítulo 3 Dois Vetores Fundamentais da OMC: Cláusula da Nação Mais Favorecida e Tratamento Nacional 25

Sumário. Capítulo 3 Dois Vetores Fundamentais da OMC: Cláusula da Nação Mais Favorecida e Tratamento Nacional 25 Uô / Comércio erior Sumário Capítulo I Negociações Internacionais I Introdução 1 Definição: Negociação 1 Negociação Distributiva ou Posicionai 3 Negociação Cooperativa 4 Negociações Internacionais 7 Leitura

Leia mais

Órgãos intervenientes no comércio exterior brasileiro. Câmara de Comércio Exterior (Camex) 1

Órgãos intervenientes no comércio exterior brasileiro. Câmara de Comércio Exterior (Camex) 1 Órgãos intervenientes no comércio exterior brasileiro Câmara de Comércio Exterior (Camex) 1 Competências A Câmara de Comércio Exterior (Camex), órgão integrante do Conselho de Governo, tem por objetivo

Leia mais

Letra B: errada. Mesmo os países ditos liberais reconhecem a importância dos acordos regionais e

Letra B: errada. Mesmo os países ditos liberais reconhecem a importância dos acordos regionais e Prof. Rodrigo Teixeira Luz 1 Prova AFRFB/2009 - COMÉRCIO INTERNACIONAL 51- A participação no comércio internacional é importante dimensão das estratégias de desenvolvimento econômico dos países, sendo

Leia mais

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula PROGRAMA Preparando-se para exportar 6 hs Procedimentos básicos na exportação 6 hs Procedimentos básicos na importação 6 hs Câmbio

Leia mais

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37

Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Noções básicas de Comércio Exterior Professora Ana Maria Matta Walcher Skype: ana.maria.walcher37 Regimes Aduaneiros É o conjunto de procedimentos ou regras previstas em lei para efetivar uma importação

Leia mais

Comércio Exterior. Cursos Completos

Comércio Exterior. Cursos Completos Comércio Exterior Relação de Cursos Cursos Completos Curso Completo de Comércio Exterior: Este curso inclui o conteúdo de quase todos os cursos que oferecemos na área de comércio exterior. Este curso é

Leia mais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Comércio Exterior e Negócios Internacionais

CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Comércio Exterior e Negócios Internacionais CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO MBA em Gestão de Comércio Exterior e Negócios Internacionais Coordenação Acadêmica: Prof. Dr. Miguel Ferreira Lima CÓDIGO SIGA : TMBACEN*12/01 1 OBJETIVO:

Leia mais

www.caparroz.com Comércio Internacional Prova AFRFB 2009 Comentários do Prof. Roberto Caparroz

www.caparroz.com Comércio Internacional Prova AFRFB 2009 Comentários do Prof. Roberto Caparroz Comércio Internacional Prova AFRFB 2009 Comentários do Prof. Roberto Caparroz 51- A participação no comércio internacional é importante dimensão das estratégias de desenvolvimento econômico dos países,

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL Políticas Comerciais. Políticas Comerciais, Barreiras e Medidas de Defesa Comercial

COMÉRCIO INTERNACIONAL Políticas Comerciais. Políticas Comerciais, Barreiras e Medidas de Defesa Comercial Políticas Comerciais, Barreiras e Medidas de Defesa Comercial Prof.Nelson Guerra Políticas Comerciais Conceito: São formas e instrumentos de intervenção governamental sobre o comércio exterior, e sempre

Leia mais

Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral de comércio

Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral de comércio Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral de comércio Especial Perfil Wesley Robert Pereira 08 de setembro de 2005 Histórico da OMC: construção e evolução do sistema multilateral

Leia mais

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA POR REGULAMENTO TÉCNICO DO Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior Secretaria

Leia mais

O QUE EXPORTAR? PARA ONDE EXPORTAR? DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: 1) MINERVINI, Nicola. O Exportador. Ferramentas para Atuar com Sucesso nos Mercados Internacionais. 2) VAZQUEZ, José Lopes. Comércio

Leia mais

Barreiras ao comércio internacional

Barreiras ao comércio internacional Barreiras ao comércio internacional CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: KEEDI, Samir. ABC do Comércio Exterior. São Paulo: Aduaneiras, 2007. SOSA, Roosevelt Baldomir. Glossário de

Leia mais

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

- Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC FORMAÇÃO Analista de Logística em Comércio Exterior - Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Objetivo: Habilitar o participante para trabalhar com as rotinas da logística

Leia mais

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística 2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística O Grande Desafio do Supply Chain e da Logística: o limite da Infraestrutura Brasileira 23 e 24 DE MARÇO HILTON MORUMBI SÃO PAULO, Brasil WTG-World Trade

Leia mais

PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA. Planejamento. Pesquisa de Mercado. Cadastramento REI

PROCESSO DE EXPORTAÇÃO DE EXPORTAÇÃO FLUXOGRAMA. Planejamento. Pesquisa de Mercado. Cadastramento REI PROCESSO DE FLUXOGRAMA DE Planejamento Pesquisa de Mercado Cadastramento REI 1 Cadastramento do REI O registro é feito automaticamente no sistema, quando da primeira importação e exportação (Portaria SECEX

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS 1 LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material Usado Decreto nº 6.759/09

Leia mais

CAMEX- CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR

CAMEX- CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR CAMEX- CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR Anita Pereira ANDRADE 1 Carlos Augusto P. ANDRADE 2 Fellipe Oliveira ULIAM³ RESUMO: O presente trabalho aborda como tema central a Câmara de Comercio Exterior, bem como

Leia mais

Organização, Processos e Tomada de Decisão

Organização, Processos e Tomada de Decisão Organização, Processos e Tomada de Decisão Planejamento e Programação na Administração Pública Administração Estratégica Elaboração e Gestão de Projetos 59 Empreendedorismo Governamental Um plano de gestão

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR. Incoterms 2000 PROF. NORBERTO RODRIGUES

COMÉRCIO EXTERIOR. Incoterms 2000 PROF. NORBERTO RODRIGUES COMÉRCIO EXTERIOR Incoterms 2000 PROF. NORBERTO RODRIGUES Histórico 1936 - Câmara de Comércio Internacional - CCI, publicou série de normas para interpretação dos mais importantes termos utilizados no

Leia mais

CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES

CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES CONSULTORIA EM NEGÓCIOS EXTERIORES Ser Júnior é ser gigante pela própria natureza. Brasil Júnior Mensagem do presidente Capacitar membros, promover o Movimento Empresa Júnior e causar impacto da sociedade,

Leia mais

Trabalho de Iniciação Científica COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO: AÇÕES DO GOVERNO FEDERAL PARA A DESBUROCRATIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE EXPORTAÇÃO

Trabalho de Iniciação Científica COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO: AÇÕES DO GOVERNO FEDERAL PARA A DESBUROCRATIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE EXPORTAÇÃO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ JULIANA APARECIDA GOMES NATO Trabalho de Iniciação Científica COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO: AÇÕES DO GOVERNO FEDERAL PARA A DESBUROCRATIZAÇÃO DOS PROCESSOS DE EXPORTAÇÃO

Leia mais

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística

2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística 2o. Congresso Brasileiro de Supply Chain & Logística O Grande Desafio do Supply Chain e da Logística: o limite da Infraestrutura Brasileira 23 E 24 DE MARÇO HILTON MORUMBI SÃO PAULO, Brasil WTG-World Trade

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA DJALI AVELINO VALOIS

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA DJALI AVELINO VALOIS UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA DJALI AVELINO VALOIS COMÉRCIO EXTERIOR: MAPEAMENTO DO PROCESSO DE IMPORTAÇÃO DE BRINQUEDOS PARA A EMPRESA MENTES BRILHANTES Florianópolis 2013 DJALI AVELINO VALOIS

Leia mais

PROJETO INDICADORES PARA NORMAS TÉCNICAS Desenvolvido pela Secretaria do CB-10, em agosto de 2006.

PROJETO INDICADORES PARA NORMAS TÉCNICAS Desenvolvido pela Secretaria do CB-10, em agosto de 2006. PROJETO INDICADORES PARA NORMAS TÉCNICAS Desenvolvido pela Secretaria do CB-10, em agosto de 2006. I) INDICADORES PARA AVALIAR A QUALIDADE DA COLETÂNEA NACIONAL EM RELAÇAO A COLETÃNEA INTERNACIONAL Com

Leia mais

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas 3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

Formação em Gestão da Qualidade e Higiene dos Alimentos Praia 7, 8 e 9 Novembro 2011

Formação em Gestão da Qualidade e Higiene dos Alimentos Praia 7, 8 e 9 Novembro 2011 Formação em Gestão da Qualidade e Higiene dos Alimentos Praia 7, 8 e 9 Novembro 2011 Breve referência aos acordos da OMC OTC e SPS Sumário GATT Origem dos acordos OTC e SPS OMC funções e acordos Propósitos

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação São Paulo, 19 de agosto de 2013 Controle Administrativo Definição e Aspectos Gerais Controle Administrativo

Leia mais

índice PORTARIA SECEX N 2 10/10

índice PORTARIA SECEX N 2 10/10 índice Apresentação 3 PORTARIA SECEX N 2 10/10 CAPÍTULO l - IMPORTAÇÃO Seção l - Registro de Importador 11 Seção l! - Credenciamento e da Habilitação 12 Seção III - Licenciamento das Importações 12 Subseção

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MAYRA GRASSIELE FAVARETO

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MAYRA GRASSIELE FAVARETO 1 UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA MAYRA GRASSIELE FAVARETO EFEITOS PROVENIENTES DOS INCENTIVOS FISCAIS À IMPORTAÇÃO OFERECIDOS PELO GOVERNO DO ESTADO DE SANTA CATARINA Florianópolis 2012 2 MAYRA

Leia mais

Resultados Consolidados

Resultados Consolidados 1ª Consulta aos associados para identificar as dificuldades enfrentadas para exportar e sobre temas de comércio exterior Resultados Consolidados Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Maio de 2012 Total

Leia mais

www.pwc.com Restrições atualmente impostas nas operações de comércio exterior João Paulo Muntada Calvinatto

www.pwc.com Restrições atualmente impostas nas operações de comércio exterior João Paulo Muntada Calvinatto www.pwc.com Restrições atualmente impostas nas operações de comércio exterior João Paulo Muntada Calvinatto Agenda 1. Panorama acerca das importações brasileiras 2. Sistema de defesa comercial adotado

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ PAULO WILLIAN DOS SANTOS

UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ PAULO WILLIAN DOS SANTOS UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ PAULO WILLIAN DOS SANTOS Trabalho de Iniciação Científica A REGULAMENTAÇÃO DA PROFISSÃO DO DESPACHANTE ADUANEIRO: Um estudo sob a ótica da aduana, empresas importadoras,

Leia mais

2 www.iccbrasil.com. Daniel Feffer Presidente do Conselho da ICC Brasil

2 www.iccbrasil.com. Daniel Feffer Presidente do Conselho da ICC Brasil www.iccbrasil.com 1 Convidamos todas as empresas brasileiras com interesses internacionais, de todas as partes do Brasil, a juntar-se a nós, para que façamos do nosso Comitê Nacional uma força motriz da

Leia mais

Novas perspectivas e abordagens para os processos de importação e distribuição no Brasil

Novas perspectivas e abordagens para os processos de importação e distribuição no Brasil Introdução Há alguns anos as trading companies brasileiras têm se mostrado uma alternativa segura e economicamente atrativa para empresas estrangeiras que desejam exportar ou distribuir seus produtos no

Leia mais

3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C

3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C 3.4b Órgãos intervenientes no processo de regulação das atividades de negócios internacionais O M C DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo. RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria

Leia mais

Exportar e Internacionalizar, Como?

Exportar e Internacionalizar, Como? Exportar e Internacionalizar, Como? WORKSHOP Ferramentas de Apoio à Internacionalização de Empresas 13 de Junho 2012 1 António Trigueiros de Aragão Uma moda? Uma tendência? Uma estratégia? Um novo mundo?

Leia mais

LOGÍSTICA INTERNACIONAL

LOGÍSTICA INTERNACIONAL . LOGÍSTICA INTERNACIONAL Capítulo 1 O SURGIMENTO DO COMÉRCIO INTERNACIONAL A logística, apesar de ainda ser considerada por muitas pessoas algo relativamente novo e que pode ter sido emprestada dos militares,

Leia mais

CURSO CANAL DISCIPLINA: COMÉRCIO INTERNACIONAL MÓDULO: VALORAÇÃO ADUANEIRA PROF: LUIZ ROBERTO MISSAGIA LISTA DE EXERCÍCIOS DE AULA

CURSO CANAL DISCIPLINA: COMÉRCIO INTERNACIONAL MÓDULO: VALORAÇÃO ADUANEIRA PROF: LUIZ ROBERTO MISSAGIA LISTA DE EXERCÍCIOS DE AULA CURSO CANAL DISCIPLINA: COMÉRCIO INTERNACIONAL MÓDULO: VALORAÇÃO ADUANEIRA PROF: LUIZ ROBERTO MISSAGIA LISTA DE EXERCÍCIOS DE AULA EXERCÍCIOS 1 (AFRF/2002-1) Por meio dos elementos abaixo determine, com

Leia mais

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex Capítulo II TRATAMENTO ADMINISTRATIVO DAS IMPORTAÇÕES -Seção I. Licenciamento das Importações

Leia mais

CURSOS ON-LINE COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO REGULAR PROFESSORES RODRIGO LUZ E MISSAGIA AULA 07

CURSOS ON-LINE COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO REGULAR PROFESSORES RODRIGO LUZ E MISSAGIA AULA 07 AULA 07 INSTITUIÇÕES INTERVENIENTES NO COMÉRCIO EXTERIOR Olá pessoal. Esse item sempre consta nos programas de AFRF na parte de Aduana. A atividade de comércio exterior no Brasil é regulamentada e controlada

Leia mais

Formação de Despachante Aduaneiro OEA

Formação de Despachante Aduaneiro OEA Formação de Despachante Aduaneiro OEA Preparatório para o Exame de Qualificação Técnica e Operador Econômico Autorizado OEA para Despachantes Aduaneiros. Objetivo: Este curso tem como objetivo formar os

Leia mais

ESTUDO DOS PROCESSOS LOGÍSTICOS NAS IMPORTAÇÕES DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS ORIUNDOS DA CHINA EM UMA EMPRESA DA REGIÃO SUL DE SANTA CATARINA

ESTUDO DOS PROCESSOS LOGÍSTICOS NAS IMPORTAÇÕES DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS ORIUNDOS DA CHINA EM UMA EMPRESA DA REGIÃO SUL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM LINHA ESPECÍFICA EM COMÉRCIO EXTERIOR GUSTAVO DALPIAZ BAUER ESTUDO DOS PROCESSOS LOGÍSTICOS NAS IMPORTAÇÕES DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS

Leia mais

ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX).

ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX). Aula 12 ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX). Segundo LOPES VASQUES (2007) as políticas de regulamentação, normatização e execução

Leia mais

O ESTUDO DA LOGISTICA

O ESTUDO DA LOGISTICA O ESTUDO DA LOGISTICA GÓES DE SOUZA, Elvis. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG. E-mail: elvis -goes@bol.com.br JOSÉ BARBOZA, Reginaldo. Docente da Faculdade de Ciências Jurídicas

Leia mais

A CAMEX e a Facilitação de Comércio

A CAMEX e a Facilitação de Comércio CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR Secretaria-Executiva A CAMEX e a Facilitação de Comércio Ministério das Comunicações 18 de novembro 2009, São Paulo SP. MARIA FÁTIMA B. ARRAES DE OLIVEIRA Assessora Especial

Leia mais

Formação de Despachante Aduaneiro Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC

Formação de Despachante Aduaneiro Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC Formação de Despachante Aduaneiro Online Curso sob Regulamentação do Decreto 5.622 de 19/12/2005 - MEC PROGRAMA DETALHADO Carga horária: 360h/ha Modalidade Online Módulo 1: Apresentação da Profissão e

Leia mais

05/08/2015. Conceituação Globalização Comércio Exterior Brasileiro Órgãos Intervenientes e Anuentes Participação em Acordos Econômicos

05/08/2015. Conceituação Globalização Comércio Exterior Brasileiro Órgãos Intervenientes e Anuentes Participação em Acordos Econômicos Conceituação Globalização Comércio Exterior Brasileiro Órgãos Intervenientes e Anuentes Participação em Acordos Econômicos Conceituação de Comércio Atividades relacionadas a apresentação de um bem ou serviço,

Leia mais

Trabalho de Iniciação Científica A SISTEMÁTICA DA IMPORTAÇÃO DE VINHO FINO DE MESA PROVENIENTE DO CHILE: UM ESTUDO DE CASO EM UM DESPACHANTE ADUANEIRO

Trabalho de Iniciação Científica A SISTEMÁTICA DA IMPORTAÇÃO DE VINHO FINO DE MESA PROVENIENTE DO CHILE: UM ESTUDO DE CASO EM UM DESPACHANTE ADUANEIRO UNIVERSIDADE DO VALE DO ITAJAÍ GIOVANA FLACH Trabalho de Iniciação Científica A SISTEMÁTICA DA IMPORTAÇÃO DE VINHO FINO DE MESA PROVENIENTE DO CHILE: UM ESTUDO DE CASO EM UM DESPACHANTE ADUANEIRO ITAJAÍ

Leia mais

Definir embalagem de transporte. Desenvolver políticas que atendam conceitos, princípios e legislação específica a logística reversa.

Definir embalagem de transporte. Desenvolver políticas que atendam conceitos, princípios e legislação específica a logística reversa. Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de Técnico

Leia mais

CURSO CANAL MÓDULO: VALORAÇÃO ADUANEIRA PROF: LUIZ ROBERTO MISSAGIA LISTA DE EXERCÍCIOS DE AULA

CURSO CANAL MÓDULO: VALORAÇÃO ADUANEIRA PROF: LUIZ ROBERTO MISSAGIA LISTA DE EXERCÍCIOS DE AULA CURSO CANAL MÓDULO: VALORAÇÃO ADUANEIRA PROF: LUIZ ROBERTO MISSAGIA LISTA DE EXERCÍCIOS DE AULA EXERCÍCIOS 1 (AFRF/2002-1) Por meio dos elementos abaixo determine, com base no Método Primeiro, o valor

Leia mais

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento?

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 2. Quais são as características das Cotas Tarifárias concedidas sob os Acordos no âmbito 3. Quais são as características

Leia mais

Secretaria de Comércio Exterior - SECEX. Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO

Secretaria de Comércio Exterior - SECEX. Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO Entendendo os procedimentos do Drawback, um estímulo a mais para exportar.

Leia mais

Programas de Apoio à Exportação

Programas de Apoio à Exportação INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASIL / MERCOSUL Programas de Apoio à Exportação ENCOMEX JARAGUÁ DO SUL Flávio Martins Pimentel Coordenação-Geral de Programas de Apoio à Exportação MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências

A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências A Logística Brasileira Hoje e Suas Tendências Prof. Manoel A. S. Reis, PhD I SEMINÁRIO DE INFRAESTRUTURA DA BRITCHAM Segmento de Transportes no Brasil São Paulo 18 de Novembro de 2010 1. Características

Leia mais

ATA DA SEXTA REUNIÃO DO COMITÊ TEMÁTICO COMÉRCIO EXTERIOR E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL

ATA DA SEXTA REUNIÃO DO COMITÊ TEMÁTICO COMÉRCIO EXTERIOR E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL ATA DA SEXTA REUNIÃO DO COMITÊ TEMÁTICO COMÉRCIO EXTERIOR E INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL Aos doze do mês de junho de dois mil e um, reuniram-se no Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior,

Leia mais

PORTARIA MDIC Nº 251, DE 22 DE OUTUBRO 2001. Art. 2º Para os efeitos do Acordo Bilateral, e desta Portaria definir:

PORTARIA MDIC Nº 251, DE 22 DE OUTUBRO 2001. Art. 2º Para os efeitos do Acordo Bilateral, e desta Portaria definir: PORTARIA MDIC Nº 251, DE 22 DE OUTUBRO 2001. Regulamenta a execução do Trigésimo Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica nº 14, entre os Governos da República Federativa do Brasil e da

Leia mais

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA ALINE HEIDRICH ARRUDA ASSESSORIA EM COMÉRCIO EXTERIOR: IMPORTAÇÃO AÉREA DE LENTES POLARIZADAS

UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA ALINE HEIDRICH ARRUDA ASSESSORIA EM COMÉRCIO EXTERIOR: IMPORTAÇÃO AÉREA DE LENTES POLARIZADAS UNIVERSIDADE DO SUL DE SANTA CATARINA ALINE HEIDRICH ARRUDA ASSESSORIA EM COMÉRCIO EXTERIOR: IMPORTAÇÃO AÉREA DE LENTES POLARIZADAS Florianópolis 2011 ALINE HEIDRICH ARRUDA ASSESSORIA EM COMÉRCIO EXTERIOR:

Leia mais

Controle Aduaneiro das Medidas de Defesa Comercial

Controle Aduaneiro das Medidas de Defesa Comercial Controle Aduaneiro das Medidas de Defesa Comercial Oswaldo Moraes 26.09.2013 AGENDA I. Instrumentos de Controle Aduaneiro Licenciamento Não Automático Regras de Origem Não Preferencial Controle e Investigação

Leia mais

CARREIRA DE ANALISTA DE COMÉRCIO EXTERIOR (ACE) Olá, pessoal, tudo bem? É sempre uma grande satisfação estar aqui com vocês!

CARREIRA DE ANALISTA DE COMÉRCIO EXTERIOR (ACE) Olá, pessoal, tudo bem? É sempre uma grande satisfação estar aqui com vocês! CARREIRA DE ANALISTA DE COMÉRCIO EXTERIOR (ACE) Olá, pessoal, tudo bem? É sempre uma grande satisfação estar aqui com vocês! Meu nome é Ricardo Vale e, atualmente, exerço o cargo de Analista de Comércio

Leia mais

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANEXO I PROGRAMAS AUDITOR-FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL/2009 PROVA 1 - CONHECIMENTOS GERAIS LÍNGUA PORTUGUESA: 1. Compreensão Textual. 2. Ortografia. 3. Semântica. 4. Morfologia.

Leia mais

Artigo: COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO. Resumos em Inglês e espanhol BRAZILIAN TRADE

Artigo: COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO. Resumos em Inglês e espanhol BRAZILIAN TRADE Artigo: COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO Resumos em Inglês e espanhol BRAZILIAN TRADE This article aims to point out the scope of procedures and the organs involved in the processes of export and import made

Leia mais

CAPÍTULO 3 SISCOMEX SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR... 29...32 Questões de Provas...34

CAPÍTULO 3 SISCOMEX SISTEMA INTEGRADO DE COMÉRCIO EXTERIOR... 29...32 Questões de Provas...34 Sumário CAPÍTULO 1 VISÃO GERAL DE UMA IMPORTAÇÃO BRASILEIRA... 1 1.1. Escolha da Mercadoria...1 1.2. Licenciamento das Importações...1 1.3. Siscomex e Habilitação...2 1.4. Deferimento da Licença de Importação

Leia mais

Resumo dos resultados da enquete CNI

Resumo dos resultados da enquete CNI Resumo dos resultados da enquete CNI Brasil - México: Interesse empresarial para ampliação do acordo bilateral Março 2015 Amostra da pesquisa No total foram recebidos 45 questionários de associações sendo

Leia mais

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. PROF. MIGUEL FERREIRA LIMA Doutor - Universidade Federal do Rio de Janeiro 2. FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. PROF. MIGUEL FERREIRA LIMA Doutor - Universidade Federal do Rio de Janeiro 2. FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS SIGA: TMBACEN*12/03 1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA PROF. MIGUEL FERREIRA LIMA Doutor - Universidade Federal do Rio de Janeiro 2. FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS É uma instituição de direito privado, sem fins lucrativos,

Leia mais

Publicação de Legislação de Comércio Exterior Janeiro de 2016. 1- Resumo de legislação de comércio exterior no mês de Janeiro de 2016

Publicação de Legislação de Comércio Exterior Janeiro de 2016. 1- Resumo de legislação de comércio exterior no mês de Janeiro de 2016 São Paulo, 05 de fevereiro de 2016. Informativo de Comércio Exterior ICE Nº 01 Ano 02 Publicação de Legislação de Comércio Exterior Janeiro de 2016 1- Resumo de legislação de comércio exterior no mês de

Leia mais

Desenvolvimento e comércio exterior

Desenvolvimento e comércio exterior Desenvolvimento e comércio exterior A força para competir no mercado internacional A política comercial brasileira, nos últimos oito anos, passou por duas fases distintas. A primeira foi a de abertura

Leia mais

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÃO BÁSICA PARA SOLICITAÇÃO DE MODIFICAÇÕES DA NOMENCLATURA COMUM DO MERCOSUL - NCM E/OU DA TARIFA EXTERNA COMUM - TEC

FORMULÁRIO DE INFORMAÇÃO BÁSICA PARA SOLICITAÇÃO DE MODIFICAÇÕES DA NOMENCLATURA COMUM DO MERCOSUL - NCM E/OU DA TARIFA EXTERNA COMUM - TEC FORMULÁRIO DE INFORMAÇÃO BÁSICA PARA SOLICITAÇÃO DE MODIFICAÇÕES DA NOMENCLATURA COMUM DO MERCOSUL - NCM E/OU DA TARIFA EXTERNA COMUM - TEC OBS: Em caso de bens finais, de informática, de telecomunicações

Leia mais

SUMÁRIO. CAPiTULO I-INTRODUÇÃO. NOÇÕES GERAIS

SUMÁRIO. CAPiTULO I-INTRODUÇÃO. NOÇÕES GERAIS SUMÁRIO CAPiTULO I-INTRODUÇÃO. NOÇÕES GERAIS 1. A sociedade internacional. Conceito. caracteres 23 2. Direito Internacional. Conceito. caracteres 27 3. Esboço histórico 31 4. Fundamentos, autores. nomenclatura

Leia mais

Curso: ADMINISTRAÇÃO Curriculo: ADM-4/2009 DISCIPLINAS EM OFERTA 1ºº Semestre de 2016 - NOTURNO

Curso: ADMINISTRAÇÃO Curriculo: ADM-4/2009 DISCIPLINAS EM OFERTA 1ºº Semestre de 2016 - NOTURNO GR01162 GR01163 GR01184 GR01187 GR01195 GR01200 1º PERÍODO Carga Horária Docentes Desenvolvimento Pessoal e Profissional 36.00 Não ofertada no 1º semestre de 2016 Dinâmica Das Ideias Sociais 36.00 Não

Leia mais

Ferramentas Eletrônicas de Apoio ao Comércio Exterior

Ferramentas Eletrônicas de Apoio ao Comércio Exterior MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Planejamento e Desenvolvimento do Comércio Exterior - DEPLA Ferramentas Eletrônicas

Leia mais