Ética e formação de profissionais da educação e da investigação educacional La responsabilité dans le domaine de la recherche-action

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ética e formação de profissionais da educação e da investigação educacional La responsabilité dans le domaine de la recherche-action"

Transcrição

1 Ética e formação de profissionais da educação e da investigação educacional La responsabilité dans le domaine de la recherche-action Isabel Morais Costa (Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro) Resumo Este artigo insere-se na tendência de reforço da reflexão e da acção em torno das questões éticas, no mundo actual, desta feita, no âmbito da investigação educacional e no âmbito da formação de profissionais da Educação. A partir do julgamento de Nuremberga geralmente tido como o marco factual e simbólico da sensibilização para as questões éticas na pesquisa em ciências biomédicas e em ciências humanas em geral as questões éticas têm vindo a ser, com mais ou menos ênfase, objecto de atenção por parte dos investigadores. Na fase inicial desta tendência, respondeu-se fundamentalmente à necessidade de elaborar códigos de ética o mais possível abrangentes e passíveis de enformarem as práticas investigativas. Foi assim desde meados até à década de 80 do século XX. A partir da década de 80, parece verificar-se uma tendência para ir além dos meros embora imprescindíveis preceitos normativos em direcção a uma focalização no refinamento das apreciações sobre a ética na investigação (Costa, 2000; Lima, 2006). Esta tendência de refinamento das apreciações éticas na investigação educacional coincide, actualmente e em Portugal, com aquilo o que podemos chamar de massificação do acesso generalizado da profissão docente à investigação científica, por via da afluência dos profissionais da Educação aos mestrados em Ciências da Educação que decorrem em muitas instituições de ensino superior. Ora, as profissões ligadas à Educação cumulam, por si, uma forte componente ética, e tal tem vindo a ser cada vez mais objecto de atenção (veja-se, por exemplo: o Projecto de investigação Pensamento e Formação Ético-deontológicos de Professores, na Ui&dCE do IEUL; Caetano & Silva, 2009). Ou seja, estamos perante o cruzamento e simultaneidade de duas actividades as actividades educativas e as actividades investigativas com fortes exigências éticas, o que coloca novos desafios sobre os quais urge reflectir, de formas cada vez mais situadas e apuradas. Torna-se, então, necessário e urgente e face aos reptos colocados pelo mundo actual colocar as questões éticas no centro dos tópicos habituais da pesquisa, pois não basta a informação teórica elementar sobre as normas éticas. O presente artigo propõe-se, assim, dar contributos para promover e desocultar as reflexões, decisões e procedimentos éticos em cada dissertação de mestrado, tese de doutoramento ou projecto de investigação de qualquer outra índole. Palavras-chave: Ética; investigação educacional; formação de professores; formação de investigadores. Résumé Cet article s insère dans la tendance de renforcement de la réflexion et de l action autour des questions éthiques, au monde d aujourd'hui, en se qui concerne l investigation et la formation des professionnels de l Éducation. Dés le jugement de Nuremberg habituellement connu comme le rapport factuel et symbolique de la sensibilisation pour les questions éthiques de la recherche en sciences biomédicales et en sciences humaines en général les questions éthiques sont, avec plus au moins d accent, objet d action pour les investigateurs. À la phase initiale de cette tendance, il s est répondu principalement à la nécessité 420

2 d élaborer des codes d éthiques le plus possible englobants et passibles de donner du corps aux pratiques d investigation. Ce fut ainsi depuis la moitié du XX ème siècle jusqu à la 80 ème décade. Après la 80 ème décade, il est vérifiable que la recherche penche à aller au-delà des simples bien qu indispensables principes normatives vers une focalisation au raffinage des appréciations sur l éthique en investigation. (Costa, 2000; Lima, 2006). Cette tendance de raffinage des appréciations éthiques de l investigation éducationnel coïncide, actuellement et au Portugal, avec ce que nous pouvons appeler de «massification de l accès généralisé de la profession d enseignant à l investigation scientifique», par la quantité de professionnels de l Éducation inscrits aux Diplômes d Études Approfondies en sciences de l Éducation, qui se déroulent en de nombreuses institutions d enseignement supérieur. Alors, les professions liées à l Éducation accumulent, par elles-mêmes, un fort composant éthique, et cela est de plus-en-plus objet d attention (voyons, par exemple : le Project d investigation Pensée et Formation Éthique et Déontologique des Enseignants, à Ui&dCE du IEUL; Caetano & Silva, 2009). C est à dire, nous sommes devant le croisement et l accord de deux activités les activités éducatives et les activités de recherche avec de fortes exigences éthiques, ce qui nous présente des nouveaux défis sur lesquels il incite à réfléchir, de formes de plus-en-plus localisées et améliorées. Il se rend, subséquemment, nécessaire et urgent et face aux défis imposés par le monde actuel d établir les questions d éthiques comme le centre des sujets habituels de la recherche, car l information théorique élémentaire sur les normes éthiques ne suffisent plus. L article présent se propose, d'ailleurs, à contribuer pour promouvoir et pour démasquer les réflexions, décisions et procédures éthiques en chaque dissertation de Diplômes d Études Approfondies, de thèse de Doctorat ou de projet d investigation d autre nature. Mots-clé: Éthique; déontologique ; recherche éducationnel; formation des enseignants; formation des chercheurs. Introdução A partir do julgamento de Nuremberga geralmente, tido como o marco factual e simbólico da sensibilização para as questões éticas na pesquisa em ciências biomédicas e em ciências humanas em geral as questões éticas têm vindo a ser, com mais ou menos ênfase, objecto de atenção por parte dos investigadores. Na fase inicial desta tendência, respondeu-se fundamentalmente à necessidade de elaborar códigos de ética o mais possível abrangentes e passíveis de enformarem as práticas investigativas. Foi assim desde meados até à década de 80 do século XX. A partir da década de 80, parece verificar-se uma tendência para ir além dos meros - embora imprescindíveis preceitos normativos em direcção a uma focalização no refinamento das apreciações sobre a ética na investigação, tal como foi explicitado em Costa (2000). Veja-se o caso de Lima (2006), que é um texto emblemático da aproximação refinada às questões da ética na investigação. Ou seja, numa primeira fase, em meadas do século XX, foi necessário reconhecer, identificar e codificar as questões éticas; a partir de certa altura, porém, já não se tratava apenas de observar as normas éticas instituídas e descritas nos códigos de ética e sintetizadas na generalidade dos manuais, mas tratava-se já de um refinamento das questões éticas. Esta tendência de refinamento das apreciações éticas na investigação educacional coincide, atualmente e em Portugal, com aquilo o que podemos chamar de massificação do acesso generalizado da profissão 421

3 docente à investigação científica, por via da afluência dos profissionais da educação aos mestrados na área da educação que decorrem em muitas instituições de ensino superior. O presente artigo propõe-se contribuir para a reflexão sobre esta nova realidade. 1. A investigação educacional, os seus textos e a ética A investigação educacional, como ramo da investigação em ciências sociais, tem vindo a desenvolver um pensamento sobre as questões éticas, tal como tem acontecido em todos os âmbitos da ciências sociais em geral. Vários documentos comprovam essa tendência, que se tem corporizado na elaboração de códigos de ética em investigação, com referências concretas à investigação em ciências sociais, bem como em capítulos ou secções em textos normativos da investigação educacional. Analisando apenas obras editadas em Portugal, e relativamente recentes, é notável a atenção que é dedicada ao tema da ética pela generalidade dos textos que, de algum modo, assumem contornos de manual em investigação educacional,. Vejam-se os exemplos de Bogdan & Biklen (1994), Almeida & Freire (1997), Mateo Andrés (2000), Tuckman (2002), Bell (2004) ou Lima & Pacheco (2006), que inclui um capítulo inteiramente dedicado à ética (Lima, 2006). Sendo estas obras em língua portuguesa (originais ou traduções), e admitindo como certa a percepção de que são obras de uso frequente em muitas instituições onde se realiza formação de professores e investigação educacional, em Portugal, então, elas indiciam, pelo menos, que o tema será objeto de alguma atenção naquelas instâncias. Em Costa (2005), a análise de textos normativos foi tomada como estratégia para compreender a investigação educacional. Esta referência é trazida à colação devido a que se pode colocar como hipótese que, dada a tendência vigente de os manuais de investigação educacional não esquecerem as referências à ética na investigação, então, também os investigadores, nas suas práticas de investigação e nos respetivos relatórios, não esquecerão esse tópico. 2. Os professores-investigadores e os professores-universitários-investigadores-orientadores As profissões ligadas à Educação cumulam, por si, uma forte componente ética e, também em Portugal, tal tem vindo a ser cada vez mais objecto de atenção (vejam-se, por exemplo: o projecto de investigação Pensamento e Formação Ético-deontológicos de Professores, na UI&DCE do IEUL; Caetano & Silva, 2009; Estrela, 2008). Neste país, e antes da implementação de Bolonha, muitos dos cursos que habilitavam estudantes para a docência não exigiam a realização de projetos de pesquisa, sendo certo, não obstante, que não eram poucos os cursos que, em alguns pontos do seu percurso, estimulavam o conhecimento e o exercício da pesquisa científica. Porém, tal não fazia parte, por lei, dos requisitos necessários para a obtenção do respetivo grau académico e profissionalizante. No entanto, é certo que, com frequência, os professores usam dispositivos específicos da investigação científica, mas não fazia parte das suas obrigações a consecução de projetos de investigação científica. Por outro lado, a investigação científica em educação tendia a ser levada a cabo nas instituições de ensino superior, pelos académicos que, não raras vezes, contavam com a colaboração de docentes nos seus respetivos contextos de trabalho. Porém, a responsabilidade pela condução e pelas decisões das pesquisas pertencia, em regra, ao investigador académico, mesmo, por vezes, presumivelmente, em algumas situações de investigação-ação. Atualmente, porém, estão em pleno funcionamento distintas tipologias de mestrados em educação - os mestrados integrados (Bolonha) e os mestrados em ciências da educação - frequentados por muitos 422

4 professores no ativo e que optam pela realização de trabalhos de investigação em educação, o que conduz a que decorram e venham a decorrer vários projetos de investigação, em múltiplos contextos educacionais que não apenas escolas - ao longo do país. Temos, assim, uma quantidade inusitada de professores em docência e a realizar trabalhos de investigação, de docentes universitários a orientar dissertações de professores em docência e, não menos relevante, de contextos educativos (escolas e outros) a terem que estar disponíveis para serem palco de pesquisas de várias tipologias. Ou seja, observa-se que se alargou substancialmente a coincidência de objetivos e de atividades que conjugam a formação de professores, os professores universitários investigadores e orientadores e a investigação educacional, o que provoca uma situação inusitada, a qual pode propiciar, é de admitir, a proliferação de tensões éticas relacionadas com as várias fases e aspetos dos processos de pesquisa. Esta situação coloca, certamente, novos desafios para a ética nas especificidades e no cruzamento da formação de professores, do exercício da profissão docente (em todos os níveis de ensino) e da investigação educacional. Vejamos com mais detalhe alguns aspetos críticos relativamente a cada um destes tópicos. Assim, quanto aos professores, colocam-se questões específicas de ética e deontologia profissional, relacionadas com: os alunos; as famílias; outros membros da comunidade educativa; as escolas; outros contextos educativos; a figura do professor. Caetano & Silva (2009) abordaram as tensões e os dilemas éticos que se colocam aos professores e à sua formação, argumentando em favor de modelos integrados de formação de professores que promovam a formação ética e, citando M. T. Estrela, que tomem, por exemplo, as tensões e os dilemas éticos como ponto de partida para a análise de temas em contexto de formação. Quanto aos investigadores/académicos em trabalho no ensino superior, eles mesmos estão, com frequência, envolvidos diretamente na formação de professores. As especificidades da ética no trabalho dos professores universitários têm sido estudadas em projetos cujas conclusões permitem identificar algumas tendências da configuração ética identitária dos professores universitários (Estrela et al, 2008:98). Podem identificar-se também algumas questões específicas de ética e deontologia profissional, neste âmbito: as reflexões éticas relativas a cada contexto de pesquisa, ao concreto da formação de professores e da docência no ensino superior; as especificidades do labor investigativo dos docentes universitários; e por fim, mas não menos importante, o imperativo, por via das exigências da sua profissionalidade, de pensar os códigos de ética. Por outro lado, a nova situação de multiplicação dos professores-investigadores coloca também questões específicas de ética e deontologia profissional relacionadas com o fato de os professores: se encontrarem em situações de aprendizagem e de trabalho docente; investigarem em contexto de trabalho docente (com frequência, o seu próprio contexto de trabalho); investigarem e educarem em simultâneo; deverem observar cuidados específicos com os participantes nas pesquisas (Doyle, 2009; Hammack, 1997), ou seja, com as crianças/alunos, com as famílias, com as pessoas vulneráveis (NEE ou terceira idade, quando em contextos de trabalho na terceira idade; sobre esta última situação, ver Costa, 2009). Também, é provável que muitos dos estudos levados a cabo por estes professores-investigadores se insiram nos paradigmas interpretativo ou sociocrítico, com o que isso implica de proximidade entre os investigadores e os investigados, bem com de relações de poder cruzadas (relações professorinvestigador-aluno, professor-investigador-outros elementos dos contextos) (Costa, 2005). De resto, estes dois paradigmas de investigação tendem a ser aqueles nos quais o investigador se coloca numa 423

5 posição de maior proximidade e onde se pretende produzir conhecimento utilizando como ferramenta a compreensão empática derivada do envolvimento pessoal do investigador (Glesne & Pershkin (1992). Ou seja, estamos perante o cruzamento e simultaneidade de diversas atividades com fortes exigências éticas as atividades educativas, as atividades formativas e as atividades investigativas - o que coloca novos desafios sobre os quais urge refletir, de formas cada vez mais situadas e apuradas. Como exemplo, e relativamente às técnicas de pesquisa, destaca-se que algumas delas exigem cuidados especiais aquando da sua preparação e execução. Assim, os questionários necessitam, por vezes, de ser transmutados para formulários, para facilitar a sua aplicação com populações com menos capacidades de responder a um questionário normal; as entrevistas e as histórias de vida necessitam também de uma apreciação caso a caso das suas possibilidades de aplicação; a observação realizada por professores, por vezes ao seu próprio trabalho e aos seus próprios alunos e restantes atores no contexto de trabalho, exige também cuidados específicos, nunca isentos de decisões de ordem ética. 3. Um estudo exploratório: rigor técnico versus rigor ético Foi neste contexto de reflexões sobre a ética na investigação educacional e na formação de professores que se efetuou um estudo exploratório com o objetivo de caraterizar as perspetivas sobre ética em relatórios de investigação de licenciatura e de mestrado, tendo como hipótese que os preceitos dos manuais de investigação se espelhariam nos relatórios das pesquisas. Para tal, procedeu-se a uma análise documental sobre duas amostras deliberadas isentas, portanto, de qualquer pretensão de ver generalizados os seus resultados - de manuais de investigação dos últimos 30 anos e de relatórios de investigação. Destacou-se uma discrepância entre os relatórios e os textos normativos. Os textos normativos da investigação educacional, os manuais, tendem a referir quase sempre a ética. Quanto aos relatórios das investigações, tendem a explicitar o rigor técnico e a não explicitar, ou a referir apenas brevemente, o rigor ético, com exceções. De notar que esta constatação não supõe que não tenha havido, de facto, preocupações de ordem ética ao longo dos processos de pesquisa, apenas que não foram desenvolvidas nos respetivos relatórios escritos. 4. Em conclusão As conclusões deste trabalho vão na linha de Caetano & Silva (2009:47), quando asseveraram a necessidade de promover uma formação ética dos professores, bem como reflexão e investigação sobre o assunto. Alguns autores têm abordado também esta temática, no âmbito do ressurgimento do pensamento ético, entre eles Maia (2008), que desenvolveu as especificidades da ética profissional, em geral, partindo da singularidade da profissão docente, para justificar a necessidade de formação ética adequada às especificidades e às exigências do ofício do professor (Maia, 2008:191). Ainda no que respeita aos professores - agora também, por necessidade, investigadores - não basta também a informação teórica elementar sobre as normas éticas, e a reformulação da sua formação ética, sendo essencial, igualmente, reorganizar as condições de trabalho da profissão docente. Torna-se, então, necessário e urgente e face aos reptos colocados pelo mundo actual - colocar as questões éticas no centro dos tópicos habituais da pesquisa. Uma das formas de enfrentar este repto é desocultar e promover as reflexões, decisões e procedimentos éticos em cada dissertação de mestrado, tese de doutoramento ou relatório de investigação de qualquer outra índole. Este será, certamente, um repto para os professores nas escolas e para os professores-investigadores-orientadores nas academias. 424

6 5. Bibliografia ALMEIDA, Leandro, & FREIRE, Teresa (1997). Metodologia da investigação em psicologia e educação. Coimbra: APPORT. BELL, Judith (2004). Como realizar um projecto de investigação: um guia para a pesquisa em Ciências Sociais e em Educação (3.ª ed). Lisboa: Gradiva. BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari (1994). Investigação qualitativa em educação. Porto: Porto Editora. CAETANO, Ana Paula, & SILVA, Maria de Lurdes (2009). Professional Ethics and Teacher Education. Sísifo. Educational Sciences Journal, 08, p Consultado em Janeiro de COSTA, Isabel M. (2000). Ética em investigação em Ciências Humanas: de tema periférico a tema central. In M. VEIGA, & J. MAGALHÃES, Homenagem ao Prof. Dr. José Ribeiro Dias, p Braga: Universidade do Minho. COSTA, Isabel M. (2005). Percursos de cientificidade em educação: uma abordagem aos textos normativos. Tese de doutoramento. Vila Real: Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. COSTA, Isabel M. (2009b). Métodos de investigação em animação para a terceira idade. In J. Pereira, & M. Lopes, Animação sociocultural na terceira idade, p Chaves: Intervenção. DOYLE, D. (2010). Transdisciplinary inquiry - researching with rather than researching on. Consultado em Janeiro de ESTRELA, Maria Teresa et al (2008). Formação ético-deontológica de professores do ensino superior: subsídios para um debate. Sísifo. Revista de Ciências da Educação, 07, pp Consultado em Janeiro de GLESNE, C., & PESHKIN, A. (1992). Becoming qualitative researchers: an introduction. Londres: Longman. HAMMACK, F. (1997). Ethical issues in teacher research. Columbia University: Teachers College Records, 99 (2), p Ethical-Issues-in-Teacher-Research/. Consultado em Janeiro de LIMA, Jorge (2006). Ética na investigação. In J. LIMA, & J. PACHECO, Fazer investigação: contributos para a elaboração de dissertações e teses, p Porto: Porto Editora. LIMA, Jorge, & PACHECO, José (2006). Fazer investigação: contributos para a elaboração de dissertações e teses. Porto: Porto Editora. MAIA, Carlos (2008). Elementos de ética e deontologia profissional: um estudo alargado à educação. Chaves: Sindicato N. dos Professores Licenciados. MATEO ANDRÉS, J. (2000). A investigação educacional. In J. VIDAL, Guia do educador: enciclopédia geral da educação, p Alcabideche: MM Liarte. TUCKMAN, Bruce (2002). Manual de investigação em educação (2.ª ed.). Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian. 425

Revista Diálogo Educacional ISSN: 1518-3483 dialogo.educacional@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná Brasil

Revista Diálogo Educacional ISSN: 1518-3483 dialogo.educacional@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná Brasil Revista Diálogo Educacional ISSN: 1518-3483 dialogo.educacional@pucpr.br Pontifícia Universidade Católica do Paraná Brasil Milléo Pavão, Zélia FORMAÇÃO DO PROFESSOR-EDUCADOR MATEMÁTICO EM CURSOS DE LICENCIATURA

Leia mais

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA

TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA TRABALHO LABORATORIAL NO ENSINO DAS CIÊNCIAS: UM ESTUDO SOBRE AS PRÁTICAS DE FUTUROS PROFESSORES DE BIOLOGIA E GEOLOGIA DOURADO, LUÍS Instituto de Educação e Psicologia, Universidade do Minho. Palavras

Leia mais

Mateus Geraldo Xavier. Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral. Dissertação de Mestrado

Mateus Geraldo Xavier. Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral. Dissertação de Mestrado Mateus Geraldo Xavier Contribuição do Ensino Religioso no processo de educação da fé: um estudo teológico-pastoral Dissertação de Mestrado Programa de Pós-graduação em Teologia do Departamento de Teologia

Leia mais

Universidade Aberta. Mestrado em Supervisão Pedagógica 2007/2009. Projecto de Dissertação de Mestrado

Universidade Aberta. Mestrado em Supervisão Pedagógica 2007/2009. Projecto de Dissertação de Mestrado Universidade Aberta Mestrado em Supervisão Pedagógica 2007/2009 Projecto de Dissertação de Mestrado Aprender a «viver juntos»: Que significado curricular no 1º. Ano? 30 de Setembro de 2008 Projecto de

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Doutoramento em Educação Especialização: Formação de Professores Tema: Educação Especial 16 17 Edição Instituto de Educação da

Leia mais

A formação do engenheiro para as próximas décadas

A formação do engenheiro para as próximas décadas Seminário Inovação Pedagógica na Formação do Engenheiro Universidade de São Paulo Maio de 2003 A formação do engenheiro para as próximas décadas Henrique Lindenberg Neto Escola Politécnica da Universidade

Leia mais

43. Inovar a supervisão em Enfermagem: um projecto de investigação-intervenção

43. Inovar a supervisão em Enfermagem: um projecto de investigação-intervenção 43. Inovar a supervisão em Enfermagem: um projecto de investigação-intervenção Ana Macedo 1*, Rafaela Rosário 1, Flávia Vieira 2, Maria Silva 1, Fátima Braga 1, Cláudia Augusto 1, Cristins Araújo Martins

Leia mais

BIBLIOGRAFIA DE FORMAÇÃO EM CONTEXTOS DE TRABALHO

BIBLIOGRAFIA DE FORMAÇÃO EM CONTEXTOS DE TRABALHO BIBLIOGRAFIA DE FORMAÇÃO EM CONTEXTOS DE TRABALHO Dossier 1 Índice 1 - ARTIGOS SELECCIONADOS PARA TRABALHOS DE GRUPO (para apresentação em sala de aula) Nunes, Luisa Arsénio. (1995); As dimensões formativas

Leia mais

RESPOSTA AO RELATÓRIO de

RESPOSTA AO RELATÓRIO de RESPOSTA AO RELATÓRIO de Comissão Externa de Avaliação Comissão D. Educação Subcomissão D.4.1 Educação de Infância + 1º Ciclo Do Curso de Licenciatura de Educação de Infância Da Escola Superior de Educação

Leia mais

Curriculum vitae (resumido)

Curriculum vitae (resumido) Curriculum vitae (resumido) 1. Dados pessoais Maria da Encarnação dos Mártires da Silva Morada institucional: Escola Superior de Educação de Lisboa Campus de Benfica do IPL 1549-003 Lisboa Portugal Tel:

Leia mais

A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire.

A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire. Caros pais, A Associação de Pais do LFIP tem o prazer de vos anunciar que no dia 29 de Novembro de 2014 irá realizar-se o 3º Marché de Noël Solidaire. Esta iniciativa insere-se no âmbito de um projeto

Leia mais

UNIVERSIDADE DE CABO VERDE PROJECTO PATRIMÓNIO CULTURAL E EDUCAÇÃO EM CABO VERDE: Preservar materiais, desvendar práticas, divulgar patrimónios

UNIVERSIDADE DE CABO VERDE PROJECTO PATRIMÓNIO CULTURAL E EDUCAÇÃO EM CABO VERDE: Preservar materiais, desvendar práticas, divulgar patrimónios UNIVERSIDADE DE CABO VERDE PROJECTO PATRIMÓNIO CULTURAL E EDUCAÇÃO EM CABO VERDE: Preservar materiais, desvendar práticas, divulgar patrimónios MEMÓRIA DESCRITIVA DOA 1ª FASE DO PROJETO 1. ENQUADRAMENTO:

Leia mais

A Parte I, denominada Desenvolvimento e Educação, integra textos sobre o desenvolvimento humano e as implicações educativas de teorias e resultados

A Parte I, denominada Desenvolvimento e Educação, integra textos sobre o desenvolvimento humano e as implicações educativas de teorias e resultados Introdução Reunimos aqui, num único volume, os contributos de vários psicólogos e investigadores nacionais que desenvolvem trabalho teórico e empírico nos domínios da aprendizagem e do desenvolvimento

Leia mais

O novo regime jurídico de habilitação para a docência: Uma crítica

O novo regime jurídico de habilitação para a docência: Uma crítica O novo regime jurídico de habilitação para a docência: Uma crítica Ramiro Marques O novo regime jurídico da habilitação para a docência (Decreto Lei nº 43/2007 de 2/2), ao espartilhar o plano de estudos

Leia mais

A discussão de controvérsias sócio-científicas a partir de documentários em vídeo

A discussão de controvérsias sócio-científicas a partir de documentários em vídeo A discussão de controvérsias sócio-científicas a partir de documentários em vídeo Elisabete Linhares 1 e Pedro Reis 2 1 Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Santarém, Santarém, Portugal,

Leia mais

Carolina de Campos Borges PERMANÊNCIAS E MUDANÇAS: Individualismo, trajetórias de vida e família. Tese de Doutorado

Carolina de Campos Borges PERMANÊNCIAS E MUDANÇAS: Individualismo, trajetórias de vida e família. Tese de Doutorado Carolina de Campos Borges PERMANÊNCIAS E MUDANÇAS: Individualismo, trajetórias de vida e família Tese de Doutorado Tese apresentada ao Programa de Pós-graduação em Psicologia Clínica da PUC-Rio como requisito

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE MATEMÁTICA 11ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Formação Profissional Ficha Técnica Título Programa de Metodologia do Ensino de Matemática

Leia mais

de manuais concebidos segundo a Perspectiva Acional

de manuais concebidos segundo a Perspectiva Acional 1. NOME COMPLETO: HYANNA C. DIAS DE MEDEIROS 2. E-MAIL: hyanna.medeiros@usp.br 3. ALUNO: X EX-ALUNO: 4. PESQUISA : X INICIAÇÃO CIENTÍFICA MESTRADO DOUTORADO 5. ÁREA DE PESQUISA: X LÍNGUA, LINGUÍSTICA E

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Doutoramento em Educação Especialização: Administração e Política Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária

Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária Bienvenue au Cours Préparatoire Bemvindos à Primária Ce qui ne change pas O que não se altera entre o pré-escolar e o 1º ano no LFIP L organisation administrative/a organização administrativa -Les contacts

Leia mais

Formação de professores: constrangimentos e potencialidades

Formação de professores: constrangimentos e potencialidades Universidade do Minho Formação de professores: constrangimentos e potencialidades Maria Assunção Flores aflores@ie.uminho.pt Formação inicial: relevância e diversidade Diversidade de modelos, de contextos

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

CURSO DE GESTÃO BANCÁRIA

CURSO DE GESTÃO BANCÁRIA CURSO DE GESTÃO BANCÁRIA PLANO CURRICULAR A análise referente ao Programa de Ensino e, em particular ao conteúdo do actual Plano de Estudos (ponto 3.3. do Relatório), merece-nos os seguintes comentários:

Leia mais

II Congresso Internacional TIC e Educação

II Congresso Internacional TIC e Educação ITIC: UM PROJETO PARA CONTRIBUIR PARA O APERFEIÇOAMENTO E EMBASAMENTO DO CORPO DE PROFESSORES DO PROGRAMA APRENDIZAGEM DO SENAC NO DOMÍNIO DA UTILIZAÇÃO DAS TIC Claudia Machado, Maria João Gomes Universidade

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA Luciana Pereira de Sousa 1 Carmem Lucia Artioli Rolim 2 Resumo O presente estudo propõe discutir o contexto da formação dos pedagogos para o ensino da

Leia mais

GESTÃO EDUCACIONAL EM RIO CLARO: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CENTRADA NA ESCOLA

GESTÃO EDUCACIONAL EM RIO CLARO: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CENTRADA NA ESCOLA 1 GESTÃO EDUCACIONAL EM RIO CLARO: UMA PROPOSTA DE FORMAÇÃO CONTINUADA CENTRADA NA ESCOLA Valéria Aparecida Vieira Velis Orientador: Prof. Dr. Celso Luiz Ap. Conti Mestrado em Educação Linha de pesquisa:

Leia mais

MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITETURA NORMAS REGULAMENTARES ARTIGO 1.º. Grau

MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITETURA NORMAS REGULAMENTARES ARTIGO 1.º. Grau MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITETURA NORMAS REGULAMENTARES ARTIGO 1.º Grau 1. A ESAP confere o grau de Mestre em Arquitetura, através de Mestrado Integrado, na especialidade de Arquitetura e comprova um nível

Leia mais

Educação Formação Avançada

Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada ISEC Instituto Superior de Educação e Ciências Educação Formação Avançada Unidade Científico- Pedagógica de Ciências da Educação

Leia mais

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes

Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Iolanda Évora Apresentação do GIS - Grupo Imigração e Saúde / Parte 2: a utilidade do GIS para os imigrantes Apresentado no II Fórum Rede Portuguesa de Cidades Saudáveis Viana do Castelo25-26 de Outubro

Leia mais

Ano letivo de 2012-2013. Curso de 2º ciclo em Comunicação e Jornalismo. Diretor Prof. Doutor Carlos Camponez

Ano letivo de 2012-2013. Curso de 2º ciclo em Comunicação e Jornalismo. Diretor Prof. Doutor Carlos Camponez Ano letivo de 2012-2013 Curso de 2º ciclo em Comunicação e Jornalismo Diretor Prof. Doutor Carlos Camponez Objetivos e estrutura curricular / Caracterização do ciclo de estudos O 2.º Ciclo procura responder

Leia mais

Balanço Final - EUROPEERGUID

Balanço Final - EUROPEERGUID Balanço Final - EUROPEERGUID A Fundação Alentejo, numa perspectiva de afirmação da sua dimensão europeia e numa lógica de reflexão permanente em torno das questões associadas ao desenvolvimento da qualidade

Leia mais

O ENSINO SUPERIOR (2007) RESUMO

O ENSINO SUPERIOR (2007) RESUMO O ENSINO SUPERIOR (2007) Ana Moreira Psicóloga Clínica Email: ana_marco@hotmail.com RESUMO A ideia de que o Ensino Superior não é uma entidade puramente educativa, mas que se compõe de múltiplas tarefas

Leia mais

Plano de Actividades 2009

Plano de Actividades 2009 Plano de Actividades 2009 Introdução No prosseguimento da sua missão consultiva, instituída no quadro da Lei de Bases do Sistema Educativo de 1986, e tendo por referência a Lei Orgânica (Decreto-lei nº

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação e Formação Especialização: E-learning e Formação a Distância (Regime a Distância) 14 15 Edição Instituto

Leia mais

A ATUAL FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CONTEXTO DO PARADIGMA INCLUSIVO: ALGUMAS CONSTATAÇÕES

A ATUAL FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CONTEXTO DO PARADIGMA INCLUSIVO: ALGUMAS CONSTATAÇÕES A ATUAL FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CONTEXTO DO PARADIGMA INCLUSIVO: ALGUMAS CONSTATAÇÕES Maria Celeste de Sousa Lopes Escola Superior de Educação de Fafe Universidade Portucalense - Portugal mcsousalopes@hotmail.com

Leia mais

O estudo das Universidades da Terceira Idade, em Portugal, enquanto objecto de

O estudo das Universidades da Terceira Idade, em Portugal, enquanto objecto de O estudo das Universidades da Terceira Idade, em Portugal, enquanto objecto de análise sociológica na área da Sociologia da Educação, não tem sido uma prática comum, não o tendo sido tão-pouco noutras

Leia mais

A EPA em 20 anos uma sinopse

A EPA em 20 anos uma sinopse A EPA em 20 anos uma sinopse A Escola Profissional de Comércio de Aveiro (EPCA), iniciou a sua atividade, em instalações provisórias, no ano letivo de 1992/1993, com 2 turmas num total de 50 alunos e apenas

Leia mais

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA. Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 1029 OS SABERES NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE MATEMÁTICA Cleber Luiz da Cunha 1, Tereza de Jesus Ferreira Scheide 2

Leia mais

COOPERATIVA DE TRABALHO DOMÉSTICO: MECANISMO ALTERNATIVO DE PROTEÇÃO SOCIAL PARA OS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DIARISTAS?

COOPERATIVA DE TRABALHO DOMÉSTICO: MECANISMO ALTERNATIVO DE PROTEÇÃO SOCIAL PARA OS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DIARISTAS? COOPERATIVA DE TRABALHO DOMÉSTICO: MECANISMO ALTERNATIVO DE PROTEÇÃO SOCIAL PARA OS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DIARISTAS? COOPERATIVE DE TRAVAIL DOMESTIQUE: AUTRE MÉCANISME DE PROTECTION SOCIALE POUR LES

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 Programa da Unidade Curricular PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO Ano Lectivo 2014/2015 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Psicologia 3. Ciclo de Estudos 1º 4. Unidade Curricular PSICOLOGIA

Leia mais

PERSPETIVAS DE UM ATOR ENTRE DOIS MODELOS DE FORMAÇÃO PRÁTICA DE EDUCADORES DE INFÂNCIA

PERSPETIVAS DE UM ATOR ENTRE DOIS MODELOS DE FORMAÇÃO PRÁTICA DE EDUCADORES DE INFÂNCIA 13 PERSPETIVAS DE UM ATOR ENTRE DOIS MODELOS DE FORMAÇÃO PRÁTICA DE EDUCADORES DE INFÂNCIA Maria Cristina Parente Instituto de Educação- Universidade do Minho Centro de Investigação em Estudos da Criança

Leia mais

Ensino Secundário ofertado às comunidades rurais: Estudo comparado entre Brasil e Portugal

Ensino Secundário ofertado às comunidades rurais: Estudo comparado entre Brasil e Portugal Os (des)caminhos do direito à educação: Pontes que ligam estudos e países Ensino Secundário ofertado às comunidades rurais: Estudo comparado entre Brasil e Portugal Autor: Renilton Cruz Orientadora: Fátima

Leia mais

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A FORMAÇÃO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS

O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A FORMAÇÃO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS O ESTÁGIO SUPERVISIONADO E A FORMAÇÃO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS NATURAIS Lizandra Cristina Macedo PINTO¹ - lizacrisufpa@gmail.com Mara Jessyka Coimbra De MELO¹ - mjessykacoimbra@hotmail.com Layse Kristine

Leia mais

INVESTIGANDO O OLHAR DOS PROFESSORES EM RELAÇÃO AS PESQUISAS EM CIÊNCIAS

INVESTIGANDO O OLHAR DOS PROFESSORES EM RELAÇÃO AS PESQUISAS EM CIÊNCIAS INVESTIGANDO O OLHAR DOS PROFESSORES EM RELAÇÃO AS PESQUISAS EM CIÊNCIAS Lidiana dos Santos; Valter Costa de Vasconcelos; Vanessa Batista da Costa Universidade Estadual da Paraíba; Lidiana_santos18@hotmail.com;valteritbaiana@hotmail.com;nessa.costa@yahoo.com.br

Leia mais

Manual de Procedimentos no âmbito da Educação Especial

Manual de Procedimentos no âmbito da Educação Especial AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA NOVA DE PAIVA Escola Sede: Escola Secundária de Vila Nova de Paiva Rua Padre Joaquim Rodrigues da Cunha 3650-219 Vila Nova de Paiva Telefone: 232609020 Fax:232609021 http://esvnp.prof2000.pt

Leia mais

ISCED de Luanda FICHA DE UNIDADE CURRICULAR - 2011/2012

ISCED de Luanda FICHA DE UNIDADE CURRICULAR - 2011/2012 FICHA DE UNIDADE CURRICULAR - 2011/2012 Designação da Unidade Curricular ADMINISTRAÇÃO EDUCACIONAL Docente(s) (Indicar também qual o docente responsável pela U.C.) LUÍS LEANDRO DINIS [Instituto de Educação

Leia mais

Universidade Estadual de Santa Cruz UESC Departamento de Letras e Artes DLA CURSO DE LETRAS Manual de Operacionalização do Estágio Supervisionado I

Universidade Estadual de Santa Cruz UESC Departamento de Letras e Artes DLA CURSO DE LETRAS Manual de Operacionalização do Estágio Supervisionado I Universidade Estadual de Santa Cruz UESC Departamento de Letras e Artes DLA CURSO DE LETRAS Manual de Operacionalização do Estágio Supervisionado I DEFINIÇÃO: A disciplina Estágio Supervisionado I possui

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC)

FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) FORMAÇÃO DE PROFESSOR E AS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO (TIC) Divina Rosangela de Souza Costa UCG Joana Peixoto UCG Comunicação Formação e profissionalização docente O presente trabalho tem

Leia mais

Mestrado em Tradução. Relatório do Projecto de Tradução ANA CRISTINA LOPES SOARES. Trabalho de projecto orientado pelo PROFESSOR DOUTOR PIERRE LEJEUNE

Mestrado em Tradução. Relatório do Projecto de Tradução ANA CRISTINA LOPES SOARES. Trabalho de projecto orientado pelo PROFESSOR DOUTOR PIERRE LEJEUNE Mestrado em Tradução Tradução da primeira parte de Droit de la Famille de Dominique Fenouillet Relatório do Projecto de Tradução ANA CRISTINA LOPES SOARES Trabalho de projecto orientado pelo PROFESSOR

Leia mais

!"#$% #!$%&'()(*!#'+,&'(-.%'(.*!/'0.',1!,)2-(34%5! 6,-'%0%7.(!,!#'%8(34%! &#'(%)*%+,-.%

!#$% #!$%&'()(*!#'+,&'(-.%'(.*!/'0.',1!,)2-(34%5! 6,-'%0%7.(!,!#'%8(34%! &#'(%)*%+,-.% !"#$% #!$%&'()(*!#'+,&'(-.%'(.*!/'0.',1!,)2-(34%5! 6,-'%0%7.(!,!#'%8(34%! &#'(%)*%+,-.%! https://sites.google.com/site/grupouabpeti/ ISBN: 978-972-674-744-4! "! DIRETORES DE CURSO: PERSPETIVAS E CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE (Concepções de Ciência, Professores de Química, Educação Integrada)

PALAVRAS-CHAVE (Concepções de Ciência, Professores de Química, Educação Integrada) CONCEPÇÕES SOBRE CIÊNCIA DOS PROFESSORES DE QUÍMICA DO ENSINO MÉDIO DO IFG CAMPUS GOIÂNIA: IMPLICAÇÕES PARA A FORMAÇÃO INTEGRADA. Layla Karoline Tito ALVES, Instituto de Química,layla.quimica@gmail.com.

Leia mais

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015

I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 I SEMINÁRIO POLÍTICAS PÚBLICAS E AÇÕES AFIRMATIVAS Universidade Federal de Santa Maria Observatório de Ações Afirmativas 20 a 21 de outubro de 2015 A GESTÃO ESCOLAR E O POTENCIAL DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Debate para a Sustentabilidade

Debate para a Sustentabilidade Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Aveiro - Universidade de Aveiro Debate para a Sustentabilidade Biblioteca do ISCAA Debate para a Sustentabilidade Integrado na comemoração dos 40

Leia mais

As questões de 01 a 05, cujas respostas deverão ser redigidas EM PORTUGUÊS, referem -se ao texto abaixo.

As questões de 01 a 05, cujas respostas deverão ser redigidas EM PORTUGUÊS, referem -se ao texto abaixo. 1 2 3 4 5 Confira se os dados contidos na parte inferior desta capa estão corretos e, em seguida, assine no espaço reservado para isso. Se, em qualquer outro local deste Caderno, você assinar, rubricar,

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Psicologia e Educação Regulamento de Estágios 2º Ciclo em Psicologia da Universidade da Beira Interior Artigo 1.º

Leia mais

O Teorema de Pitágoras segundo a dialética ferramenta-objeto. Le théorème de Pythagore selon la dialectique outil-objet

O Teorema de Pitágoras segundo a dialética ferramenta-objeto. Le théorème de Pythagore selon la dialectique outil-objet O Teorema de Pitágoras segundo a dialética ferramenta-objeto Ana Paula Jahn anapjahn@gmail.com UNIBAN/SP Vincenzo Bongiovanni vincenzo.bongiovanni@uol.com.br UNIBAN/SP Resumo: neste artigo, descrevem-se

Leia mais

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma*

Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Proposta para a construção de um Projecto Curricular de Turma* Glória Macedo, PQND do 4º Grupo do 2º Ciclo do EB e Formadora do CFAE Calvet de Magalhães, Lisboa A Reorganização Curricular do Ensino Básico

Leia mais

Dissertações de Doutoramento

Dissertações de Doutoramento Revista Portuguesa de Educação, 2006, 19(1), pp. 187-198 2006, CIEd - Universidade do Minho Dissertações de Doutoramento Marlène Fernandes da Silva e Silva (2005). A Pragmática Lexicultural em Educação

Leia mais

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS

REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS REPERCUSSÕES NO ENSINO DA ENFERMAGEM: A VISÃO DOS PROFISSIONAIS À LUZ DAS SUAS EXPERIÊNCIAS CRIZÓSTOMO, Cilene Delgado MILANEZ, Maria Rosa de Morais SOUSA, Rejane Lúcia Rodrigues Veloso ALBUQUERQUE, Judith

Leia mais

A PESQUISA QUALITATIVA EM PSICOLOGIA CLÍNICA 1

A PESQUISA QUALITATIVA EM PSICOLOGIA CLÍNICA 1 A PESQUISA QUALITATIVA EM PSICOLOGIA CLÍNICA 1 Elizabeth Batista Pinto Instituto de Psicologia - USP Este artigo discute a metodologia qualitativa de pesquisa científica em psicologia clínica, considerando

Leia mais

A Educação Artística na Escola do Século XXI

A Educação Artística na Escola do Século XXI A Educação Artística na Escola do Século XXI Teresa André teresa.andre@sapo.pt Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Caldas da Rainha, 1 de Junho de 2009 1. A pós-modernidade provocou

Leia mais

GENOGRAMA DE DOUTORAMENTOS EM PORTUGAL PhD Research in Vocational Psychology

GENOGRAMA DE DOUTORAMENTOS EM PORTUGAL PhD Research in Vocational Psychology GENOGRAMA DE DOUTORAMENTOS EM PORTUGAL PhD Research in Vocational Psychology Genograma Vocacional O Genograma que a seguir se apresenta, visa dar a conhecer o desenvolvimento e o progresso da investigação

Leia mais

THEKA Gestão das Colecções

THEKA Gestão das Colecções THEKA Gestão das Colecções Manuela Silva Fevereiro 2007 THEKA Plano da sessão 1 A biblioteca Escolar e a sociedade da informação 1.1. Questões prévias - reflexão 2 A colecção na biblioteca escolar 2.1.

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Manuel Joaquim Flores Fernandes NOME

CURRICULUM VITAE. Manuel Joaquim Flores Fernandes NOME CURRICULUM VITAE NOME Manuel Joaquim Flores Fernandes Naturalidade: Rossas - Vieira do Minho Data de Nascimento: 31 de Outubro de 1969 Bilhete de Identidade Nº 8423421 - emitido em 04/07/2007 pelo Arquivo

Leia mais

Ensino Superior: O Desafio Europeu

Ensino Superior: O Desafio Europeu Notandum-Libro 13 2009 CEMOrOC-Feusp / IJI-Universidade do Porto Ensino Superior: O Desafio Europeu Prof. Dr. Marco Ferreira Instituto Superior de Educação e Ciências ISEC Mestre e Doutor em Psicologia

Leia mais

O tipo de negócio e a inserção na sociedade Andorrana do empreendedor emigrante português

O tipo de negócio e a inserção na sociedade Andorrana do empreendedor emigrante português O tipo de negócio e a inserção na sociedade Andorrana do empreendedor emigrante português Alice Virgínia Parta (1), Paula Cristina Remoaldo (2), Maria Ortletinda Goncalves (3) 1-Universidade do Minho prata.alice@hotmail.com

Leia mais

Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência

Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência Apreciação do Anteprojecto de Decreto-Lei sobre o Regime Jurídico da Habilitação Profissional para a Docência Documento elaborado no âmbito das 1ª, 2ª e 3ª Comissões Permanentes e aprovado na reunião destas

Leia mais

Reunião Nacional das Comissões de Ética PERSPECTIVAS FUTURAS DA INVESTIGAÇÃO CLÍNICA EM PORTUGAL

Reunião Nacional das Comissões de Ética PERSPECTIVAS FUTURAS DA INVESTIGAÇÃO CLÍNICA EM PORTUGAL Reunião Nacional das Comissões de Ética PERSPECTIVAS FUTURAS DA INVESTIGAÇÃO CLÍNICA EM PORTUGAL Recursos Humanos Financiamento Condições Legais: Lei de Investigação Clínica Fundo para a Investigação em

Leia mais

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA

RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA RELATÓRIO DE CONCRETIZAÇÃO DO PROCESSO DE BOLONHA 2007/2008 DEPARTAMENTO Secção Autónoma de Ciências da Saúde 1. INTRODUÇÃO Em 2003 foi criado o Mestrado em Geriatria e Gerontologia, que se iniciou no

Leia mais

Guia de Curso. Pós-Graduação em Reabilitação Sustentável de Edifícios. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância

Guia de Curso. Pós-Graduação em Reabilitação Sustentável de Edifícios. Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância Universidade Aberta Departamento de Educação e Ensino a Distância Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior de Tecnologia Coordenação do Curso José António Moreira & Ana Ferreira Ramos jmoreira@uab.pt;

Leia mais

LIDERANÇA, ÉTICA, RESPEITO, CONFIANÇA

LIDERANÇA, ÉTICA, RESPEITO, CONFIANÇA Dado nos últimos tempos ter constatado que determinado sector da Comunidade Surda vem falando muito DE LIDERANÇA, DE ÉTICA, DE RESPEITO E DE CONFIANÇA, deixo aqui uma opinião pessoal sobre o que são estes

Leia mais

Porquê respeitar a diversidade?

Porquê respeitar a diversidade? 32 Pró Inclusão ANDEE NOTÍCIAS Janeiro de 2012 (1ª Quinzena) ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE DOCENTES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL Quinta da Arreinela de Cima, 2800-305 Almada TLM: 927 138 311 - E-mail: proandee@gmail.com

Leia mais

EQUIVALÊNCIAS DE CRÉDITOS EQUIVALÊNCIAS DE CRÉDITOS E DUPLOS DIPLOMAS EQUIVALENCES DE CRÉDITS ET DOUBLE DIPLÔMES

EQUIVALÊNCIAS DE CRÉDITOS EQUIVALÊNCIAS DE CRÉDITOS E DUPLOS DIPLOMAS EQUIVALENCES DE CRÉDITS ET DOUBLE DIPLÔMES Encontros Acadêmicos de São Paulo 23/09/2005 EQUIVALÊNCIAS DE CRÉDITOS E DUPLOS DIPLOMAS EQUIVALENCES DE CRÉDITS ET DOUBLE DIPLÔMES EQUIVALÊNCIAS DE CRÉDITOS Aproveitamento de estudos realizados em outra

Leia mais

Projeto de Intervenção

Projeto de Intervenção Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Braga Projeto de Intervenção 2014/2018 Hortense Lopes dos Santos candidatura a diretora do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Braga Braga, 17 abril de 2014

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NA ABORDAGEM DA HIGIENE DO CORPO EM PORTUGAL (2009/10-2010/11): UMA PRIMEIRA ANÁLISE DE MANUAIS ESCOLARES DE ESTUDO DO MEIO

ESTUDO COMPARATIVO NA ABORDAGEM DA HIGIENE DO CORPO EM PORTUGAL (2009/10-2010/11): UMA PRIMEIRA ANÁLISE DE MANUAIS ESCOLARES DE ESTUDO DO MEIO ESTUDO COMPARATIVO NA ABORDAGEM DA HIGIENE DO CORPO EM PORTUGAL (2009/10-2010/11): UMA PRIMEIRA ANÁLISE DE MANUAIS ESCOLARES DE ESTUDO DO MEIO Marta Bigas, Braga, Portugal, mbigas@iol.pt Fernando Guimarães,

Leia mais

A FORMAÇÃO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS COM COMUNIDADES ONLINE

A FORMAÇÃO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS COM COMUNIDADES ONLINE IX CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS Girona, 9-12 de septiembre de 2013 COMUNICACIÓN A FORMAÇÃO EM DIDÁTICA DAS CIÊNCIAS COM COMUNIDADES ONLINE Rui Marques Vieira,

Leia mais

RESULTADOS E EFEITOS DO PRODOCÊNCIA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS RESUMO

RESULTADOS E EFEITOS DO PRODOCÊNCIA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS RESUMO RESULTADOS E EFEITOS DO PRODOCÊNCIA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA DOS PROFESSORES DO INSTITUTO FEDERAL DE ALAGOAS Elisabete Duarte de Oliveira e Regina Maria de Oliveira Brasileiro Instituto Federal de Alagoas

Leia mais

O ENSINO DE MECANIZAÇÃO AGROFLORESTAL APÓS O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA NO ESPAÇO EUROPEU DE ENSIO SUPERIOR

O ENSINO DE MECANIZAÇÃO AGROFLORESTAL APÓS O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA NO ESPAÇO EUROPEU DE ENSIO SUPERIOR O ENSINO DE MECANIZAÇÃO AGROFLORESTAL APÓS O PROCESSO DE CONVERGÊNCIA NO ESPAÇO EUROPEU DE ENSIO SUPERIOR (Processo de Bologna) SEIS ANOS DE EXPERIÊNCIA Almeida, Arlindo Departamento de Produção e Tecnologia

Leia mais

ESTÁGIO SUPERVISIONADO

ESTÁGIO SUPERVISIONADO FACULDADE EDUCACIONAL DE MEDIANEIRA MISSÃO: FORMAR PROFISSIONAIS CAPACITADOS, SOCIALMENTE RESPONSÁVEIS E APTOS A PROMOVEREM AS TRANSFORMAÇÕES FUTURAS. ESTÁGIO SUPERVISIONADO LETRAS COM HABILITAÇÃO EM LÍNGUA

Leia mais

EDUCAÇÃO INCLUSIVA DICIONÁRIO

EDUCAÇÃO INCLUSIVA DICIONÁRIO EDUCAÇÃO INCLUSIVA A escola regular sofreu uma importante modificação nos seus objetivos, derivada da proposta da inclusão de pessoas com necessidades educativas especiais. Essa política de inclusão, que

Leia mais

Matemática na Educação Básica II, ministrada pela Professora Marizoli Regueira Schneider.

Matemática na Educação Básica II, ministrada pela Professora Marizoli Regueira Schneider. ESTUDO DAS TENDÊNCIAS EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA 1 UTILIZADAS NA ELABORAÇÃO DOS TRABALHOS DO ENSINO MÉDIO QUE RECEBERAM DESTAQUE NA FEIRA CATARINENSE DE MATEMÁTICA ENTRE OS ANOS DE 2007 E 2011 Silvana Catarine

Leia mais

O professor que ensina matemática no 5º ano do Ensino Fundamental e a organização do ensino

O professor que ensina matemática no 5º ano do Ensino Fundamental e a organização do ensino O professor que ensina matemática no 5º ano do Ensino Fundamental e a organização do ensino Wérica Pricylla de Oliveira VALERIANO 1 Mestrado em Educação em Ciências e Matemática wericapricylla@gmail.com

Leia mais

3. Actividade Pedagógica e Cientifica. 1) Experiência no Ensino Superior Ao Nível do 2º Ciclo do Ensino Superior:

3. Actividade Pedagógica e Cientifica. 1) Experiência no Ensino Superior Ao Nível do 2º Ciclo do Ensino Superior: 1. Informação Biográfica Naturalidade: Coimbra (Sé Nova) Data de Nascimento: 10 de Fevereiro de 1970 Bilhete de Identidade: 8832094 de 12/10/2004 Coimbra Nacionalidade: Portuguesa Estado Civil: casada

Leia mais

IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA

IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA Adriana Richit, Bárbara Pasa, Valéria Lessa, Mauri Luís Tomkelski, André Schaeffer, Andriceli Richit, Angélica Rossi

Leia mais

AULA. Natércia do Céu Andrade Pesqueira Menezes UNIVERSIDADE PORTUCALENSE. npmeneses@gmail.com. Doutora Sónia Rolland Sobral

AULA. Natércia do Céu Andrade Pesqueira Menezes UNIVERSIDADE PORTUCALENSE. npmeneses@gmail.com. Doutora Sónia Rolland Sobral MOTIVAÇÃO DE ALUNOS COM E SEM UTILIZAÇÃO DAS TIC EM SALA DE AULA Natércia do Céu Andrade Pesqueira Menezes UNIVERSIDADE PORTUCALENSE npmeneses@gmail.com Doutora Sónia Rolland Sobral UNIVERSIDADE PORTUCALENSE

Leia mais

BIBLIOGRAFIA. Abrantes, P. (coord), Precatado, A.; Lopes, A. V.; Baeta, A.; Ferreira, E.; et al. (1998).

BIBLIOGRAFIA. Abrantes, P. (coord), Precatado, A.; Lopes, A. V.; Baeta, A.; Ferreira, E.; et al. (1998). BIBLIOGRAFIA Abrantes, P. (coord), Precatado, A.; Lopes, A. V.; Baeta, A.; Ferreira, E.; et al. (1998). Diagnóstico e Recomendações para o Ensino e Aprendizagem da Matemática. Relatório preliminar. Lisboa:

Leia mais

ATIVIDADES LÚDICAS PARA IDOSOS: REDISCUTINDO NA PRÁTICA O CONCEITO DE ENSINO POR COMPETÊNCIAS NA FORMAÇÃO DO TÉCNICO EM ENFERMAGEM.

ATIVIDADES LÚDICAS PARA IDOSOS: REDISCUTINDO NA PRÁTICA O CONCEITO DE ENSINO POR COMPETÊNCIAS NA FORMAÇÃO DO TÉCNICO EM ENFERMAGEM. ATIVIDADES LÚDICAS PARA IDOSOS: REDISCUTINDO NA PRÁTICA O CONCEITO DE ENSINO POR COMPETÊNCIAS NA FORMAÇÃO DO TÉCNICO EM ENFERMAGEM. Isabel Cristina Adão (1); Ernani Coimbra de Oliveira(2); (1,2,)Instituto

Leia mais

Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu

Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu 1 Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu Jorge Lima (*) Eurydice é a rede de informação sobre a educação na Europa, criada por iniciativa da Comissão Europeia

Leia mais

FORMANDOS EM MATEMÁTICA X ESTATÍSTICA NA ESCOLA: ESTAMOS PREPARADOS?

FORMANDOS EM MATEMÁTICA X ESTATÍSTICA NA ESCOLA: ESTAMOS PREPARADOS? FORMANDOS EM MATEMÁTICA X ESTATÍSTICA NA ESCOLA: ESTAMOS PREPARADOS? Arno Bayer 1 (PQ), Hélio Bittencourt 2 (PQ), Josy Rocha 3 (IC), Simone Echeveste 4 (PQ)* 1. bayer@ulbra.br, 2. heliorb@brturbo.com,

Leia mais

www.appc.pt RE PENSAR A ESCOLA PARCERIAS PARA A INCLUSÃO

www.appc.pt RE PENSAR A ESCOLA PARCERIAS PARA A INCLUSÃO Porto, 16 de setembro de 2015 Assunto: CONCLUSÕES DO SEMINÁRIO RE PENSAR A ESCOLA 1º ENCONTRO NACIONAL DE AGRUPAMENTOS DE ESCOLA/ ESCOLAS E CENTROS DE RECURSOS PARA A INCLUSÃO. RE PENSAR A ESCOLA PARCERIAS

Leia mais

Palavras-chave: Políticas Curriculares; Formação de Professores; Qualidade da Educação; Plano Nacional de Educação

Palavras-chave: Políticas Curriculares; Formação de Professores; Qualidade da Educação; Plano Nacional de Educação DEMANDAS PARA POLÍTICAS CURRICULARES DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO Ana Paula Peixoto Soares UFRJ Camila de Moraes Barbalho UFRJ Resumo Este trabalho tem por objetivo investigar

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM EM MANUAIS DIDÁTICOS DA PSICOLOGIA EDUCACIONAL

DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM EM MANUAIS DIDÁTICOS DA PSICOLOGIA EDUCACIONAL DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM EM MANUAIS DIDÁTICOS DA PSICOLOGIA EDUCACIONAL EDER AHMAD CHARAF EDDINE 2013 Eder Ahmad Charaf Eddine Direitos desta edição adquiridos pela Paco Editorial. Nenhuma parte

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Auditoria de Segurança e Higiene no Trabalho

Ficha de Unidade Curricular (FUC) de Auditoria de Segurança e Higiene no Trabalho INSTITUTO POLITÉCNICO DE COIMBRA INSTITUTO SUPERIOR DE CONTABILIDADE E ADMINISTRAÇÂO DE COIMBRA Aprovação do Conselho Pedagógico 28/10/2015 Aprovação do Conselho Técnico-Científico 16/12/2015 Ficha de

Leia mais

Agrupamento de Escolas D. Lourenço Vicente. Proposta para apoio em Terapia da Fala e Psicologia

Agrupamento de Escolas D. Lourenço Vicente. Proposta para apoio em Terapia da Fala e Psicologia Proposta para apoio em Terapia da Fala e Psicologia Centro de Apoio e Intervenção no Desenvolvimento Infantil PROJETO AIDI I. Exposição Na atualidade, os recursos técnicos disponíveis nos jardins-de-infância

Leia mais

7114 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 241 19 de Dezembro de 2005 MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL TÍTULO I. Disposições gerais

7114 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 241 19 de Dezembro de 2005 MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL TÍTULO I. Disposições gerais 7114 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 241 19 de Dezembro de 2005 Aux fins de l application de l article 6, paragraphe 5, les autorités compétentes sont le commandant en chef de la police («Komendant

Leia mais

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu.

G1 Formação de Professores. Julia de Cassia Pereira do Nascimento (DO)/ juliacpn@interacaosp.com.br Edda Curi/ edda.curi@cruzeirodosul.edu. CONTRIBUIÇÕES DO ESTÁGIO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL: INDICATIVOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE E DA ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO NUM CURSO DE PEDAGOGIA G1 Formação de Professores

Leia mais

Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015

Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015 Mestrados em Fisioterapia MÚSCULO-ESQUELÉTICA E SAÚDE PUBLICA 2013-2015 INDICE Competências a Desenvolver 5 Área de Especialização Músculo-Esquelética 5 Área de Especialização Saúde Pública 6 Condições

Leia mais

Ana Maria da Costa Salazar Braga

Ana Maria da Costa Salazar Braga Alameda Calouste Gulbenkian nº18, 2ºDt. 2770 021 Paço de Arcos P- Portugal 351-214426106/ 912336889 anasalazarbraga@hotmail.com Ana Maria da Costa Salazar Braga 1. Identificação Naturalidade: Freguesia

Leia mais

IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES?

IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? IDEIAS SOBRE INCLUSÃO NO ESPAÇO ESCOLAR: O QUE DIZEM OS PROFESSORES? Jakson Luis Galdino Dourado (UFPB) jaksonpsi@gmail.com Emília Galdino Ferraz (UFPB) emilia_271@hotmail.com Herbert Costa do Rêgo (UEPB)

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 ANÁLISE ESTATÍSTICA DE DADOS DO INEP SOBRE A CORRELAÇÃO ENTRE O PERFIL PROFISSIONAL DOS PROFESSORES DA CIDADE DE SÃO CARLOS QUE ATUAM NA EDUCAÇÃO BÁSICA E, A BUSCA POR FORMAÇÃO CONTINUADA E INOVAÇÃO EDUCACIONAL

Leia mais