Índice. Apresentação... 4

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice. Apresentação... 4"

Transcrição

1 Manual de Segurança e Saúde nos Centros Comerciais

2 2

3 Índice Página Apresentação Riscos e Gerais - Organização e Limpeza nos Locais de Trabalho Manipulação Manual de Cargas Segurança frente a Riscos Eléctricos Ferramentas manuais Equipamentos de Trabalho Sinalização Riscos e Específicas - Nas Secções Trabalhos com permanência no interior de Câmaras Frigoríficas Monta-cargas Porta-paletes Monta-cargas Normas de Actuação em Caso de Emergências - Incêndios Evacuação Primeiros Socorros Obrigações dos Trabalhadores em Prevenção de Riscos

4 Apresentação A LEI DE PREVENÇÃO DE RISCOS LABORAIS (Lei 31/1995 do 8 de Novembro) estabelece no seu Art. 18 a obrigação do empresário de informar os seus trabalhadores sobre os riscos que possam afectar à sua saúde e as medidas preventivas que devem aplicar para os evitar. Com este objectivo, edita-se este Manual que pretende dar a conhecer aos trabalhadores do sector de Centros Comerciais os riscos mais frequentes aos quais se encontram expostos e a forma de actuar para os prevenir. A partir da Área de Prevenção de FREMAP esperamos que esta publicação contribua para o melhoramento dos níveis de segurança e saúde nesta actividade. 4

5 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS 5

6 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Riscos Organização e Limpeza nos Locais de Trabalho Quedas ao mesmo nível. Golpes contra objectos. Quedas de objectos em manipulação. Incêndios. Atropelamentos por veículos. Organização e Limpeza nos Locais de Trabalho As zonas de passagem, as saídas e vias de evacuação devem manter-se desobstruídas e livres de mercadorias. Os materiais armazenados não dificultarão o acesso e visibilidade dos equipamentos de emergências (extintores, bocas-de-incêndio, caixas de primeiros socorros ). Os amontoamentos de materiais deverão ser estáveis e seguros. Os materiais mal armazenados são perigosos e ineficazes. Utilize os recipientes destinados à recolha de lixos, cartões, desperdícios, etc. Evite a acumulação de resíduos no chão, sobre as máquinas ou sobre as mesas de trabalho. Utilize os depósitos apropriados. Os derrames de líquidos no chão limpar-se-ão imediatamente ou cobrir-se-ão com um composto absorvente. Na secção de Peixaria ou no interior das câmaras frigoríficas comprove periodicamente que os esgotos estão abertos e desobstruídos. Tanto nos armazéns quanto na zona comercial, mantenha livre de mercadorias as passagens entre estantes. 6

7 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Riscos Manipulação Manual de Cargas Lesões nas costas por sobre esforços. Quedas ao mesmo nível: Golpes contra objectos. SIM! Cortes nas mãos. Quedas de objectos em manipulação. NÃO! Manipulação Manual de Cargas Utilize sempre que for possível os meios auxiliares para transportar objectos, como carrinhos de mão, porta-paletes, etc., sobretudo se as cargas forem pesadas, volumosas ou se a frequência com a qual estas se manipulam for elevada. Se o peso da carga é excessivo ou o seu volume dificulta uma manipulação fácil, peça ajuda a outros companheiros. Antes de manipular uma carga comprove o estado da sua superfície, em especial a existência de bordos cortantes, pregos, lascas, sujidade, humidade, temperatura, etc; caso seja necessário utilize luvas de protecção. Comprove que dispõe do espaço suficiente para a manipulação da carga. Antes de iniciar o deslocamento, comprove que o percurso está livre de obstáculos. Utilize escadotes, para alcançar os objectos pequenos situados a uma altura acima dos ombros e assim evitar manipular cargas com os braços levantados. 7

8 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Manipulação Manual de Cargas Nas operações de manipulação manual de cargas, devem-se adoptar as posturas e movimentos adequados, tais como: Aproximar-se da carga o máximo possível. Assegurar um bom apoio dos pés, mantendo-os ligeiramente separados. Em caso de que o objecto esteja sobre uma base elevada, aproximá-lo ao tronco, conseguindo uma base e agarre firme e estável. Baixar-se flexionando os joelhos, mantendo as costas direitas. Levantar a carga utilizando os músculos das pernas e não com as costas. Apanhar firmemente a carga com as duas mãos. Manter a carga próxima ao corpo durante todo o trajecto, e andar dando passos curtos. Manipulação Manual de Cargas Em elevações com giro, procure mover os pés em vez de girar a cintura. Evite os movimentos bruscos das costas, nomeadamente os giros, inclusive quando manipular cargas ligeiras. SIM! NÃO! 8

9 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Riscos Segurança frente a Riscos Eléctricos Contactos eléctricos directos, com partes da instalação habitualmente em tensão. Contactos eléctricos indirectos, com partes ou elementos metálicos acidentalmente postos sob tensão. Queimaduras por arco eléctrico. NÃO! NÃO! Segurança frente a Riscos Eléctricos Não manipule as instalações eléctricas se não está formado e autorizado para isso. Faça uma revisão aos equipamentos eléctricos antes de os utilizar. As ferramentas eléctricas que se encontram húmidas ou molhadas, nunca se devem usar. Não utilize ferramentas eléctricas com as mãos ou os pés húmidos. Não ligue cabos sem tomada de conexão homologada. Não sobrecarregue as tomadas utilizando triplas ou placas de forma abusiva. Não disponha cabos em zonas de passagem. Em caso de avaria ou mau funcionamento, desligue a ferramenta ou o equipamento, assinale a avaria e avise o encarregado de manutenção. Não utilize água para apagar fogos, onde possam existir elementos com tensão eléctrica. Perante uma pessoa electrocutada, actue da seguinte forma: Em todos os casos, procure cortar a corrente. Aparte o electrocutado da fonte de tensão, sem manter um contacto directo com o mesmo, utilizando para isso elementos isolantes: varas de madeira luvas isolantes, etc. Advirta desta situação o seu superior imediato ou as pessoas mais próximas antes de iniciar os primeiros socorros em caso de emergência. Avise as equipas de urgências sanitárias e se estiver habilitado, proporcione de imediato os primeiros socorros. 9

10 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Riscos Ferramentas manuais Cortes com facas, tesouras, etc. Micro traumatismos em processos de corte repetitivos. Ferramentas manuais Seleccione a ferramenta de desenho adequada para o trabalho a realizar. Conheça as instruções de uso das ferramentas e use-as unicamente nas operações para as quais foram desenhadas. Procure manter, na medida do possível, a mão e o braço alinhado evitando flexionar o pulso. Mantenha as ferramentas em bom estado e guarde-as num lugar seguro depois da sua utilização. Revise-as periodicamente, deitando fora aquelas que se encontram em mau estado. 10

11 Riesgos RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Riscos Equipamentos de Trabalho Cortes e entalões com os utensílios das máquinas. Contactos eléctricos. Equipamentos de Trabalho Antes de utilizar uma máquina ou equipamento por primeira vez, peça e respeite a informação específica correspondente às condições de segurança relativas à utilização, ajuste e manutenção, manual de instruções, normas internas, Utilize os equipamentos só para as operações para as quais foram desenhados. Nunca utilize uma máquina que não disponha ou tenha inutilizado os meios de protecção, empurradores, guias, etc. Em operações de limpeza, ou em caso de avaria, desligue a máquina e, segundo proceda, bloqueie e assinale a situação (limpeza, avaria,...) colocando um cartaz nos órgãos de accionamento. Evite o uso de anéis, pulseiras, etc., que se possam prender com os órgãos móveis da máquina. Comunique qualquer anomalia que observe durante a utilização do equipamento. Não efectue reparações nem modificações nos mesmos, excepto se estiver habilitado e autorizado a respeito. 11

12 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Sinalização 12

13 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS 13

14 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Secção de Talho Quedas e golpes contra objectos, depositados em zonas de passagem. Cortes com facas e restantes utensílios manuais. Cortes e entalões com os mecanismos das máquinas, trituradoras de carne, serras eléctricas, etc. Projecção de fragmentos de ossos. Sobre esforços por manipulação manual de cargas (ver Normas Gerais). Hipotermia por acesso às câmaras frigoríficas. Secção de Talho Mantenha a organização e a limpeza no local de trabalho. As ferramentas manuais e os equipamentos de trabalho utilizar-se-ão conforme as indicações especificadas nos apartados correspondentes. Utilize os empurradores para aquelas máquinas que necessitem de dito utensílio para aproximar as peças aos elementos com risco de corte e entalão. Utilize os Equipamentos de Protecção Individual. (E.P.I) NÃO! OPERAÇÃO Cortes com facas Desmancha e desossa Trituraração de ossos Entrada na câmara de frio Manipulação de cargas E.P.I. Luvas de malha Peito ou avental de malha de aço Óculos de protecção Blusão isotérmico Calçado de segurança SIM! 14

15 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Secção de Charcutaria Quedas e golpes contra objectos depositados nos balcões e nas zonas de passagem. Cortes com facas. Cortes e entalões nos mecanismos das máquinas, fiambreiras, etc. Hipotermia por acesso às câmaras frigoríficas. Secção de Charcutaria Mantenha a organização e a limpeza no local de trabalho. Utilize as ferramentas manuais e os equipamentos de trabalho conforme as indicações especificadas nos apartados correspondentes e lembre-se que é obrigatório o uso dos empurradores no uso das máquinas cortadoras. Manipule as cargas de forma correcta (ver apartado específico) e distribua os produtos de forma que ao manipula-los evite as posturas forçadas. Utilize os Equipamentos de Protecção Individual. (E.P.I.) OPERAÇÃO Cortes com facas Desossa Entrada em câmaras de frío Manipulação de cargas E.P.I. Luvas de malha de aço Peito ou avental de malha de aço Blusão isotérmico Calçado de segurança 15

16 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Secção de Peixaria e Congelados Quedas por acumulação de líquidos e restos de produtos no chão. Golpes contra objectos mal distribuídos na área de trabalho. Cortes com facas e elementos de corte. Cortes de entalões com os utensílios das máquinas, serras eléctricas, etc. Picadela com espinhas e outros elementos com pontas (marisco, pregos das caixas de madeira, ). Hipotermia por acesso às câmaras frigoríficas. Secção de Peixaria e Congelados Mantenha a organização e a limpeza no local de trabalho, procure manter desobstruídas as caixas de recolha de líquidos. Utilize as ferramentas manuais e os equipamentos de trabalho conforme as indicações especificadas nos apartados correspondentes. Utilize os Equipamentos de Protecção Individual (E.P.I.). OPERAÇÃO Desmanche de peixes de tamanho grande Entrada em câmaras de frio Permanência em câmaras Manipulação de facas, tesouras e operações nas quais existam elementos com pontas aguçadas Geral E.P.I. Peito ou avental de malha de aço Blusão isotérmico Casaco isotérmico Luvas de segurança Botas de segurança 16

17 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Secção de Frutaria Quedas e golpes contra objectos, caixas mal colocadas e invadindo zonas de passagem, restos de produtos no chão. Sobre esforços por manipulação manual de caixas e adopção de posturas forçadas principalmente nas operações de colocação de mercadorias. Hipotermia por permanência prolongada nas câmaras frigoríficas. Queda de objectos em manipulação. Secção de Frutaria Mantenha a organização a limpeza no local de trabalho, retire os restos de vegetais soltos pelo chão. Utilize as ferramentas manuais e os equipamentos de trabalho conforme as indicações especificadas nos apartados correspondentes. Manipule as cargas de forma correcta (ver apartado específico) e evite as posturas forçadas. Utilize os Equipamentos de Protecção Individual (E.P.I.). OPERAÇÃO Permanência em câmaras Manipulação de cargas E.P.I. Casaco isotérmico Calçado de segurança 17

18 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Secção de Padaria e Pastelaria Quedas por acumulação de farinha, gorduras, cremes. no chão. Sobre esforços por manipulação manual de cargas e adopção de posturas inadequadas. Entalões durante a manipulação de máquinas com órgãos móveis acessíveis, amassadoras, batedoras, Queimaduras pela utilização de fornos e uso de objectos quentes. Secção de Padaria e Pastelaria Mantenha a organização e a limpeza no lugar de trabalho, limpe rapidamente os resíduos gordurosos que possam cair ao chão. Utilize adequadamente as ferramentas manuais e os equipamentos de trabalho conforme o indicado no apartado correspondente. Manipule as cargas de forma correcta (ver apartado específico) e evite as posturas forçadas. Utilize os Equipamentos de Protecção Individual (E.P.I.). OPERAÇÃO Manipulação de objectos quentes E.P.I. Luvas isolantes térmicas 18

19 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Secção de Caixas Problemas derivados de uma postura estática prolongada. Fadiga pessoal. Sobre esforços por manipulação manual de cargas e movimentos repetitivos. Secção de Caixas A caixa registradora deve-se situar de tal forma que se encontre dentro do ângulo visual reflectido no desenho. Mantenha os objectos a manipular dentro de uma área na qual os possa alcançar sem forçar a postura. Evite os movimentos repetitivos frequentes, alterne estes movimentos com os de outras operações, que, mesmo que também suponham movimentos repetitivos, sejam produzidos por outros grupos musculares (mudança de mão e de postura de forma periódica, ). Em caso de permanência prolongada no posto, é aconselhável a utilização de um apoio, banco, cadeira, apoia-pés, etc., para facilitar a alternância de posturas, de pé e sentada. Recomenda-se utilizar o assento colocado de tal forma que os movimentos se realizem sem forçar a postura. 19

20 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Trabalhos com permanência no interior de Câmaras Frigoríficas Quedas pela existência de água ou gelo no chão. Hipotermia. Perante uma hipotermia deve-se aquecer a pessoa com cobertores, banhos de água quente (de 35 a 37 C). Nunca aplicar calor directo (estufa, braseiro, etc.). Manipular com precaução a pessoa e evitar tocar nas bolhas. Trabalhos com permanência no interior de Câmaras Frigoríficas As quedas e as escorregadelas evitam-se mediante: O uso de calçado com sola anti-derrapante. Evitando a acumulação de água no chão. A hipotermia ou lesões por exposição ao frio, evitam-se: Utilizando a roupa de protecção adequada. Respeitando os tempos de descanso de recuperação em função da temperatura da câmara, segundo se reflecte na seguinte tabela: R.D. 1561/95 do 21 de Setembro, sobre Jornadas especiais de trabalho. Temp. da Câmara Entre 0 e -5 Entre -6 e -18 A partir de -18 Descansos de recuperação* 10 minutos cada 3 horas. 15 minutos cada hora. 15 minutos cada 45 minutos. * Os descansos referem-se a tempo de trabalho ininterrupto na câmara. Para temperaturas de menos de -6 a permanência máxima no interior das mesmas será de 6 horas. A diferença entre a jornada normal e as seis horas de permanência máxima no interior das câmaras poderá completar-se com trabalhos realizados no exterior das mesmas. Mantendo os dispositivos de segurança em bom estado de conservação. - Os sistemas de abertura desde o interior. Nas câmaras de congelação, com temperatura inferior a 0, além disso deverão ter: - Sinal luminoso de presença de pessoas no interior. - Alarme óptico e acústico. - Machado tipo bombeiro. 20

21 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Monta-cargas Riscos para o Condutor Golpes por queda de materiais. Choques ou colisões com outros veículos e obstáculos. Basculamento do monta-cargas. Golpes e quedas durante o acesso ou abandono do monta-cargas. Lesões por sobre esforços. Riscos para o Resto do Pessoal Atropelamentos. Golpes por queda da carga. Outros Riscos Incêndios. Monta-cargas de Carácter Geral O monta-cargas só deve ser manipulado por pessoal maior de idade, capacitado e autorizado pela empresa. Conheça e respeite as normas de segurança NÃO! específicas estabelecidas em cada zona de trabalho. Respeite e utilize as protecções e dispositivos de segurança do monta-cargas. Em nenhum caso ultrapasse a carga máxima estabelecida pelo fabricante. Em caso de anomalia ou funcionamento deficiente, comunique-o ao encarregado e, se necessário, assinale a avaria e a proibição do uso do monta-cargas. Utilize o monta-cargas única e exclusivamente nas funções e trabalhos para o qual foi desenhado. Em carga ou em vazio, não transporte nem eleve pessoas. 21

22 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Monta-cargas Arranque Antes de começar a trabalhar, verifique o estado de todos os elementos que compõem o monta-cargas (travões, direcção, circuito hidráulico, pneumáticos, iluminação, etc.) e comunique qualquer anomalia ao encarregado. Incorporação ao monta-cargas Utilize a asa, ou no seu defeito o bastidor, para aceder ao monta-cargas. Comprove e no seu caso limpe a sola do seu calçado de gordura, barro ou desperdícios. Monta-cargas Condução Manipule o volante com as mãos limpas e livres de objectos. Evite as paragens e arranques bruscos. Sem visibilidade, circule de marcha-atrás. Tanto em carregado como descarregado, circule com as forquilhas baixas próximas ao chão. Adeqúe a velocidade às condições do monta-cargas, à carga que transporta e às características das vias de circulação. Mantenha a cabeça, os braços e as pernas dentro do habitáculo do monta-cargas. Em caso de tomar medicamentos, consulte o seu médico. 22

23 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Monta-cargas Recolha, transporte e entrega da carga Comprove antes de retirar a carga, o estado da palete e da estante. Manipule a carga sem movimentos bruscos. Não levante a carga com uma só forquilha. Assegure-se da estabilidade da carga sobre as forquilhas. Transporte a carga próxima do mastro e durante as deslocações incline-o para trás. Deposite a carga sem invadir zonas de passagem, e de forma correcta nas estantes. Comprove em todo momento a ausência de pessoas na zona de manobras. Ao depositar uma carga, não obstaculize elementos de protecção contra incêndios (extintores, bocas de incêndio, ), saídas de emergências, caixas de primeiros socorros ÑAO! Monta-cargas Outras normas Estacione o monta-cargas num local seguro, fora das vias de circulação sem bloquear o equipamento e instalações de emergência e com as forquilhas baixas. Não deixe o motor a trabalhar e retire as chaves de contacto. Evite fumar quando conduz e em nenhum caso na zona de carga de baterias. 23

24 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Riscos Específicos Porta-paletes Golpes por queda de materiais. Choques ou colisões com outros veículos e obstáculos. Golpes, entalões e atropelos pelos Porta-paletes. Lesões por sobre esforços. Porta-paletes De carácter geral O uso de Porta-paletes com motor só está permitido ao pessoal autorizado pela empresa. Conheça e respeite as normas de segurança estabelecidas em cada zona de trabalho. Respeite e utilize as protecções e dispositivos de segurança do porta-paletes. Em nenhum caso ultrapasse a carga máxima estabelecida pelo fabricante. Em caso de anomalia ou funcionamento deficiente, comunique-o ao encarregado e, se necessário, assinale a avaria e a proibição do uso do porta-paletes. Utilize o porta-paletes única e exclusivamente nas funções e trabalhos para o qual foi desenhado. Em carga ou em vazio, não transporte nem eleve pessoas. Não aceda a elevadores, monta-cargas, etc. sem ter verificado que suportam o peso e volume da máquina e a sua carga. 24

25 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Porta-paletes Arranque Antes de começar a trabalhar, verifique o estado de todos os elementos que compõem o porta-paletes (travões, direcção, circuito hidráulico, rodas baterias, etc.) e comunique qualquer incidência ao encarregado. Recolha, transporte e entrega da carga Comprove que o peso da carga é adequado para a capacidade do porta-paletes. Manipule a carga sem movimentos bruscos. Evite mover ou transportar a carga com um só forquilha. Assegure-se da estabilidade da carga sobre a máquina. Porta-paletes Outras normas Ao subir uma rampa deve colocar-se sempre à frente do portapaletes. Ao descer uma rampa deve colocar-se sempre por trás do portapaletes. Adeqúe a velocidade às condições do porta-paletes, à carga que transporta e às características das vias de circulação. Deposite a carga sem invadir zonas de passagem, e de forma correcta nas estantes. Comprove em todo momento a ausência de pessoas na zona de manobras. Estacione o porta-paletes num lugar seguro, fora das vias de circulação sem bloquear o equipamento e instalações de emergência e com o puxador em posição vertical. Evite fumar quando conduz e especialmente na zona de carga de baterias. 25

26 RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS ESPECÍFICAS Monta-cargas É proibido a todo o pessoal subir ou descer em monta-cargas ou plataformas. Vigie que as portas de segurança de acesso ao monta-cargas estejam sempre fechadas. NÃO! Proibido aceder a elementos que permitam o acesso a zonas de perigo protegidas. 26

27 NORMAS DE ACTUAÇÃO EM CASO DE EMERGÊNCIAS 27

28 NORMAS DE ACTUAÇÃO EM CASO DE EMERGÊNCIAS Actuação em Caso de Incêndio Se descobrir um incêndio, mantenha a calma e dê imediatamente o alarme. Em caso de se encontrar sozinho, saia do local incendiado e feche a porta sem chave. Não ponha em perigo a sua integridade física. Comunique a emergência conforme os procedimentos estabelecidos no seu centro de trabalho. Não abra uma porta que esteja quente, o fogo está próximo; se tiver que o fazer, proceda lentamente. No caso de se incendiarem as roupas, não corra, estenda-se no chão e comece a rebolar. Se tiver que atravessar uma zona ampla com muito fumo, procure ir agachado; a atmosfera é mais respirável e a temperatura é mais baixa ao nível do chão. Ponha um lenço húmido cobrindo o nariz e a boca. Em caso de se encontrar apreso num recinto (armazém, vestuário ):» Feche todas as portas.» Tape com trapos, se possível húmidos, todas as grelhas por onde penetre o fumo.» Faça saber da sua presença (por telefone, através da janela, ). Se achar possível apague o fogo mediante extintores, utilize-os actuando preferivelmente com outro companheiro. Situe-se entre a porta de saída e as chamas. Utilize o extintor com o produto mais apropriado ao tipo de fogo. Tipos de Fogos Tipo A: Fogos de materiais sólidos. Tipo B: Fogos de combustíveis líquidos. Tipo C: Fogos produzidos por combustíveis gasosos ou líquidos sob pressão. Tipo D: Fogos produzidos por metais quimicamente muito activos (sódio, magnésio, etc.). UTILIZAÇÃO DE AGENTES EXTINTORES AGENTE EXTINTOR Água a chorro Água pulverizada Espuma física Pó polivalente TIPO A Materiais Sólidos TIPOS DE FOGOS TIPO B Combustíveis Líquidos TIPO C Combustíveis Gasosos TIPO D Metais quimicamente muito activos Pó seco Neve carbónica (anídrido carbónico) Excelente Bom Aceitável Não aceitável PRECAUÇÃO: É perigoso utilizar água ou espuma em fogos de equipamentos, em presença de tensão eléctrica ou em fogos de tipo D (metais quimicamente muito activos). 28

29 NORMAS DE ACTUAÇÃO EM CASO DE EMERGÊNCIAS Actuação em Caso de Evacuação Ao ouvir o sinal de evacuação por megafone ou através do responsável de evacuação prepare-se para abandonar o Centro. Desligue os aparelhos eléctricos a seu cargo. Se se encontra com alguma visita, acompanhe-a até ao exterior. Não utilize os elevadores. Evacue o Centro com rapidez, mas não corra. Não volte ao Centro de trabalho a recolher objectos pessoais. Durante a evacuação, siga as instruções seguintes:» Realize a evacuação de forma rápida e ordenada.» Tranquilize as pessoas que durante a evacuação, que tenham perdido a calma.» Ajude as pessoas impedidas ou deficientes» Não permita o regresso ao Centro de trabalho a nenhuma pessoa. Abandone o Centro, dirija-se ao ponto de reunião e não se detenha junto à porta de saída. Permaneça no ponto de reunião e siga as instruções dos encarregados de emergências. Actuação em Caso de Acidente 1 PROTEGER 2 AVISAR 3 SOCORRER RECONHECIMENTO DE SINAIS VITAIS A CONSCIÊNCIA B RESPIRAÇÃO C PULSAÇÃO LEMBRE QUE O ACIDENTADO DEVE SER TRATADO COM URGÊNCIA. NÃO O DESLOCADO COM URGÊNCIA 29

30 NORMAS DE ACTUAÇÃO EM CASO DE EMERGÊNCIAS Resuscitação Cardiopulmonar BOCA A BOCA MASSAGEM CARDÍACA O ritmo no boca a boca e massagem cardíaca é: 30 COMPRESSÕES E 2 INSUFLAÇÕES (100 COMPRESSÕES POR MINUTO) Assegure-se que as vias respiratórias estejam livres. Mantenha para trás a cabeça do acidentado. Mantenha para cima a sua mandíbula. Aplique os lábios sobre a boca do acidentado e insufle ar obturando-lhe o nariz. Se a boca da vítima está fechada e os seus dentes apertados, tape-lhe os lábios com o dedo polegar para evitar que o ar se lhe escape, ao ser-lhe insuflado pelo nariz. Ponto da massagem cardíaca. Posição das palmas das mãos na massagem cardíaca. 30

31 NORMAS DE ACTUAÇÃO EM CASO DE EMERGÊNCIAS Hemorragias Aplique gazes ou panos limpos sobre o ponto que sangra. Se não cede, junte mais gazes em cima da anterior e faça mais compressão. Aperte com os dedos em cima da artéria que sangra. Desloque-o ao centro médico mais próximo. Feridas Não manipule a ferida. Lave-a com água e sabão. Não use pomadas. Tape-as com gaze esterilizada. Queimaduras Aplique água abundante sobre a zona queimada num mínimo de 15 minutos. Tire a roupa, anéis, pulseiras, etc, impregnadas de líquidos quentes. Não use pomadas. Cubra-as com gaze esterilizada. Desloque-o ao centro médico mais próximo. 31

32 NORMAS DE ACTUAÇÃO EM CASO DE EMERGÊNCIAS Desmaios Deite-o com a cabeça mais baixa que o resto do corpo. Convulsões Não impeça os movimentos. Coloque-o deitado onde não se possa magoar. Impeça-o de morder a língua, pondo-lhe um lenço dobrado entre os dentes. Projecções Projecções químicas nos olhos Lavagem com água abundante a temperatura ambiente> 15. Não esfregar os olhos. Deslocamento ao Centro Médico. Corpo estranho nos olhos Não manipular. Não esfregar o olho. Tapar o olho com uma gaze limpa e desloque-o ao Centro Médico. 32

33 NORMAS DE ACTUAÇÃO EM CASO DE EMERGÊNCIAS Tóxicos Em todos os Casos: Requerer informação do produto tóxico (ficha de segurança e etiqueta). Em seu defeito, ou se requer mais informação, ligar para o Serviço de Informação Toxicológica: Tel. (+34) Se há sinais de asfixia, fazer a respiração artificial boca a boca. Colocar a vitima deitada em posição de segurança (ver figura) e evitar que se esfrie tapando-a com uma manta. Deslocar a um Centro Médico. Em Caso de ingestão: Se está consciente provocar o vómito, salvo que a informação do produto não lho aconselhe (corrosivos, hidrocarbonetos). Posição de segurança 33

34 34

35 Riesgos OBRIGAÇÕES DOS TRABALHADORES EM PREVENÇÃO DE RISCOS 35

36 Riesgos Obrigações dos Trabalhadores em Prevenção de Riscos O artigo 29 da Lei de Prevenção de Riscos Laborais (Lei 31/1995 do 8 de Novembro) atribui ao trabalhador a obrigação de zelar pela sua própria segurança e saúde no trabalho e pela daquelas pessoas às que possa afectar a sua actividade profissional. Em particular os trabalhadores com regulação no que diz respeito à sua formação e seguindo as instruções do empresário deverão: Usar adequadamente as máquinas, aparelhos, ferramentas, substâncias perigosas, equipamentos de transporte e, em geral quaisquer outros meios com os que desenvolve a sua actividade. Utilizar e manter correctamente os meios e equipamentos de protecção facilitados pelo empresário, solicitando a sua reposição em caso de deterioração. Não pôr fora de funcionamento e utilizar correctamente os dispositivos de segurança existentes. Informar de imediato o seu superior hierárquico directo sobre qualquer situação que, a seu ver, seja um risco para a segurança e a saúde dos trabalhadores. Cooperar com o empresário para que este possa garantir umas condições de trabalho que sejam seguras e não tenham riscos para a segurança e a saúde dos trabalhadores. O incumprimento das obrigações em matéria de prevenção de riscos aos quais se referem os apartados anteriores terá a consideração de incumprimento laboral aos efeitos previstos no artigo 58.1 da Lei espanhola do Estatuto dos Trabalhadores. 36

37 MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE NOS CENTROS COMERCIAIS Recebi o Manual de Segurança e Saúde que inclui os riscos e as medidas preventivas básicas do trabalho em Centros Comerciais e um resumo das obrigações dos trabalhadores contidas no Artigo 29 da Lei de Prevenção de Riscos Laborais (Lei 31/1995 do 8 de Novembro). B.I.: Data: Nome e assinatura do trabalhador. 37

38 38

39 Edita: FREMAP Mutua de Accidentes de Trabajo y Enfermedades Profesionales de la Seguridad Social Nº 61. Desenha: Imagen Artes Gráficas, S. A.

40

TRABALHO COM EMPILHADORES MANUAIS

TRABALHO COM EMPILHADORES MANUAIS TRABALHO COM EMPILHADORES MANUAIS TIPOS DE EMPILHADORES A mecanização da movimentação de cargas realiza-se, muitas vezes, com recurso a empilhadores, que estão disponíveis no mercado em vários tipos e

Leia mais

Manual de Segurança e Saúde em Trabalhos de Reposição de Mercadorias

Manual de Segurança e Saúde em Trabalhos de Reposição de Mercadorias Manual de Segurança e Saúde em Trabalhos de Reposição de Mercadorias 2 Índice Página Apresentação... 4 Perigos e Medidas Preventivas Gerais - Falta de Ordem e Limpeza nos lugares de Trabalho... 6 - Manipulação

Leia mais

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Programa de formação sobre a aplicação de MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Os são seguros se forem utilizados com cuidado, de acordo com todas as indicações

Leia mais

ARMAZENAGEM. 8 O empilhamento dos materiais obstruí a circulação nas vias. Decreto-lei 243/86 de 20 de Agosto. Foto Nº.

ARMAZENAGEM. 8 O empilhamento dos materiais obstruí a circulação nas vias. Decreto-lei 243/86 de 20 de Agosto. Foto Nº. CHECK LIST DE HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Resposta à check list. A severidade está dividida em 3 níveis, Leve, Médio e Grave Só é preenchida quando a resposta não corresponde ao que a legislação prevê.

Leia mais

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis

Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis Acidentes domésticos podem ser prevenidos. Entre pediatras e especialistas da área de cuidados com as crianças, é senso comum que, se os responsáveis tivessem mais orientações ou tomassem mais cuidado

Leia mais

Índice. Página 1 de 7

Índice. Página 1 de 7 Índice 1 - Considerações gerais...2 1.1 - Introdução...2 2 - Actuação em caso de emergência...2 2.1 - Esquema geral de actuação...2 2.2 - Procedimento gerais de actuação...3 2.2.1 - Em caso de incêndio

Leia mais

RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS

RISCOS E MEDIDAS PREVENTIVAS GERAIS Manual de Segurança e Saúde em HOTELARIA 2 Índice Página Apresentação... 3 Riscos e Medidas Preventivas Gerais - Ordem e Limpeza nos Locais de Trabalho... 6 - Manipulação Manual e Cargas... 7 - Segurança

Leia mais

Primeiros Socorros Volume I

Primeiros Socorros Volume I Manual Primeiros Socorros Volume I um Manual de Junho de 2008 Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode

Leia mais

Armazenamento Todas as matérias primas são organizadas por secções no armazém, através de prateleiras.

Armazenamento Todas as matérias primas são organizadas por secções no armazém, através de prateleiras. Recepção de matérias primas Após a chegada das matérias primas à fábrica, estas são transportadas para o armazém através do empilhador, porta paletes ou através de transporte manual. Armazenamento Todas

Leia mais

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS Os incêndios florestais e urbanos para além das consequências económicas e ambientais, representam riscos para a saúde das populações decorrentes

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA 1. Identificação da substância/preparação e da sociedade / empresa Identificação da substância / preparação Nome comercial: LUSO EXTRUDER Código do produto: TPVE 301 Utilização da substância / da preparação:

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/7 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ARMAZENAGEM DE MATERIAIS, EQUIPAMENTOS E RESÍDUOS 2 DESCRIÇÃO O trabalho preventivo no armazenamento de produtos perigosos, visa não só a protecção

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3º CEB POETA AL BERTO, SINES PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO

ESCOLA SECUNDÁRIA/ 3º CEB POETA AL BERTO, SINES PLANO DE EMERGÊNCIA INTERNO ALUNOS: Quando soar o sinal de ALARME, deve seguir as instruções do Professor. O aluno nomeado Chefe de Fila deve dirigir-se para porta de saída, procede à sua abertura, segurando-a e mantendo-a aberta.

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume IX Movimentação Mecânica de Cargas. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume IX Movimentação Mecânica de Cargas. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume IX Movimentação Mecânica de Cargas um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO AULA Nº 9 E 10 HIGIENE, SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO Papel da escola na promoção de uma cultura de HSST no trabalho PANORAMA GERAL: 330 000 acidentes de trabalho/ano 22% afecta os jovens com idade inferior

Leia mais

職 業 安 全 健 康 廳 Departamento de Segurança e Saúde Ocupacional. Lista de controle das condições de Segurança e Saúde Ocupacional para Hotelaria e afins

職 業 安 全 健 康 廳 Departamento de Segurança e Saúde Ocupacional. Lista de controle das condições de Segurança e Saúde Ocupacional para Hotelaria e afins Local de Trabalho 1 Manter o local de trabalho sempre limpo. 2 Não obstruir as vias de circulação. 3 Desimpedir as saídas de emergência e escapatórias. 4 Arrumar materiais ordenadamente e não demasiado

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA

PRIMEIROS SOCORROS. RECURSOS HUMANOS - PH/PHA Data: 28/03/2000 PESSOAS: NOSSA MELHOR ENERGIA PRIMEIROS SOCORROS CONCEITO TRATAMENTO IMEDIATO E PROVISÓRIO CARACTERÍSTICAS DO SOCORRISTA CONHECIMENTO INICATIVA CONFIANÇA CRIATIVIDADE CALMA SOLIDARIEDADE ESTADO DE CHOQUE HIPOTENSÃO COM ACENTUADA BAIXA

Leia mais

Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST

Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST Avaliação de Riscos no Laboratório de Química Orgânica do IST Apresentação do Laboratório Armazém de Reagentes aprox. 7 m 2 de armazém Escadas sem apoio e com grande inclinação Armazém de Reagentes Ventilação

Leia mais

weber.col classic plus

weber.col classic plus 1/6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1. Nome: 1.2. Aplicações: Cimento-Cola. Este produto destina-se à colagem de cerâmica. 1.2. Entidade Responsável: 1.3. Telefone de Emergência: Saint-Gobain

Leia mais

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho

Cozinha Industrial. Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Cozinha Industrial Juarez Sabino da Silva Junior Técnico de Segurança do Trabalho Serviços de alimentação Este tipo de trabalho aparenta não ter riscos, mas não é bem assim, veja alguns exemplos: Cortes

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033 / 03

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033 / 03 1/6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1. Nome: 1.2. Aplicações: Argamassa com fibras para reparação estrutural de betão. 1.2. Entidade Responsável: 1.3. Telefone de Emergência: Saint-Gobain Weber

Leia mais

BS 29. Beurer GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) Tel. +49 (0) 731 / 39 89-144 Fax: +49 (0) 731 / 39 89-255 www.beurer.de Mail: kd@beurer.

BS 29. Beurer GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) Tel. +49 (0) 731 / 39 89-144 Fax: +49 (0) 731 / 39 89-255 www.beurer.de Mail: kd@beurer. BS 29 P P Espelho de bolso iluminado Instruções de utilização Beurer GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) Tel. +49 (0) 731 / 39 89-144 Fax: +49 (0) 731 / 39 89-255 www.beurer.de Mail: kd@beurer.de

Leia mais

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.

Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas. Incêndios e Explosões Baseado no original do Instituto Nacional de Seguridad e Higiene en el Trabajo - da Espanha) - www.mtas.es/insht/ INTRODUÇÃO Os incêndios e explosões, ainda que representem uma porcentagem

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo NOÇÕES DE PRIMEIROS SOCORROS Acionamento do serviço de emergência Antes de iniciar qualquer procedimento, garanta sua segurança e acione o serviço de emergência. 193 192 Fonte:

Leia mais

Primeiros Socorros Volume III

Primeiros Socorros Volume III Manual Primeiros Socorros Volume III um Manual de Agosto de 2008 Rua Braancamp, 52-4º 1250-051 Lisboa Tel. 212476500 geral@oportalsaude.com Copyright, todos os direitos reservados. Este Manualnão pode

Leia mais

Designação do Produto

Designação do Produto Página 1 de 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO Ref.ª HSEL114_115 Designação do Produto Food Plus Aplicação O FOOD PLUS é adequado para ser empregue na Indústria Alimentar (indústria de catering, cozinhas, padarias,

Leia mais

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio

Índice geral. Apresentação. Prólogo à 2.ª edição. Sumário. Siglas. Agradecimentos. 1. Introdução. 2. O risco de incêndio Índice geral 3 Prólogo à 2.ª edição 5 Sumário 7 Siglas 9 Agradecimentos 11 1. Introdução 13 Tipificação dos incêndios... Causas de incêndio... Consequências dos incêndios... 2.3.1. Considerações gerais...

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA ORGANIZAÇÃO DO ESTALEIRO 2 DESCRIÇÃO Face à legislação em vigor, estaleiros temporários ou móveis são os locais onde se efectuam trabalhos de

Leia mais

1 Boas Práticas de Utilização 1.1 Normas de Qualidade Higiene e Ambiente - Água

1 Boas Práticas de Utilização 1.1 Normas de Qualidade Higiene e Ambiente - Água 2 Conteúdos 1 Boas Práticas de Utilização... 1.1 Normas de Qualidade Higiene e Ambiente - Água... 1.2 Normas de Segurança... 1.3 Recomendações de Ergonomia... 1.4 Normas de Utilização... 2 Resolução de

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume XIII Trabalho em Espaços Confinados um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira.

Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira. Nunca use a empilhadeira se não tiver sido devidamente instruído e autorizado para usar esse tipo particular de empilhadeira. Respeite a capacidade de carga da empilhadeira e de outras eventuais aparelhagens.

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA PROMI-FERTIL 20-20-20 + 0,5 MgO + Micros 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Uso do produto: PROMI-FERTIL 20-20-20+ 0,5 MgO

Leia mais

INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA

INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA INQUÉRITO SOBRE O ESTADO DOS LABORATÓRIOS E CONDIÇÕES DE TRABALHO E SEGURANÇA Na sequência da Circular nº04/cd/03, de 17 de Janeiro, vimos por este meio solicitar a colaboração dos Responsáveis pelos Laboratórios

Leia mais

Manual de instruções

Manual de instruções P Manual de instruções Salamandra eléctrica 100 A151.5001 V3/0211 Mantenha este manual de instruções pronto a ser utilizado com o produto! - 1 - 1. Informações gerais 3 1.1 Informações sobre o manual de

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA PROMI FERTIL Especial Hortícolas 18-8-6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Promi-Fertil Especial Hortícolas 18-8-6 Uso do

Leia mais

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS

FUNÇÃO FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADORES DE GARFOS Fonte: Acedido em http://saudeambiental13.blogspot.pt/ julho 2014 Legenda: 1. Chassis; 2. Contrapeso; 3. Eixo motriz; 4. Eixo de direção; 5. Mastro (que serve

Leia mais

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora

Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos. Câmara Municipal de Mora Pág.1/12 Identificação de Perigos, Avaliação e Controlo de Riscos Câmara Municipal de Mora 2010 Pág.2/12 Identificação da Entidade Informação da Visita Documento Entidade: Câmara Municipal de Mora Entidade:

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO 1. INTRODUÇÃO Toda e qualquer atividade prática a ser desenvolvida dentro de um laboratório apresentam riscos e estão propensas a acidentes. Devemos então utilizar normas

Leia mais

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho

6. O que indica este sinal? a) um perigo possível b) uma via de evacuação c) material de combate ao fogo d) direcção das casas de banho 1. Uma autorização de trabalho é um documento: a) que tem de promover a concertação entre todos os que tenham a ver com o trabalho. b) em que vêm estipuladas as condições relativas à maneira de trabalhar

Leia mais

Características da Lt408

Características da Lt408 Lt408 Guia Rápido Características da Lt408 A Lt408 a geração de impressoras industriais robustas de alto rendimento com alta resolução. A Lt408 é uma impressora fácil de usar, com um rendimento e velocidade

Leia mais

Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen

Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen pagina 1 van 26 Bem-vindo à Evonik Degussa Antwerpen A Evonik Degussa Antwerpen é uma empresa de químicos e parte de um grupo global. A sua segurança, assim como a nossa, é muito importante, pelo que existem

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES. SERRA CIRCULAR 1600W Refª.: 70061

MANUAL DE INSTRUÇÕES. SERRA CIRCULAR 1600W Refª.: 70061 MANUAL DE INSTRUÇÕES SERRA CIRCULAR 1600W Refª.: 70061 NOME DAS PEÇAS A G B F C D A - Punho com Interruptor B - Punho C - Interruptor para Laser D - Fixador da Paralela E - Guia Laser para Corte F - Bloqueador

Leia mais

TÍTULO: Sinalização de Segurança e Saúde. AUTORIA: Factor Segurança, Lda. PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 143 (Novembro/Dezembro de 2002) 1.

TÍTULO: Sinalização de Segurança e Saúde. AUTORIA: Factor Segurança, Lda. PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 143 (Novembro/Dezembro de 2002) 1. TÍTULO: Sinalização de Segurança e Saúde AUTORIA: Factor Segurança, Lda PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 143 (Novembro/Dezembro de 2002) 1. INTRODUÇÃO A sinalização de segurança tem por objectivo chamar a atenção

Leia mais

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança:

PRIMEIRO A SEGURANÇA. Armazenamento e Manuseamento Seguro de Produtos de Limpeza e de Desinfecção. Seguir as Regras de Segurança: Seguir as Regras de Segurança: 1. Seguir sempre as recomendações e instruções de aplicação dos produtos de limpeza e de desinfecção. 2. Observar os pictogramas de perigo, as advertências de perigo e as

Leia mais

Manual de instruções Forno para pizza Mini

Manual de instruções Forno para pizza Mini P Manual de instruções Forno para pizza Mini 203510 203500 V1/0813 PORTUGUÊS Tradução do manual de instruções original Antes de iniciar a utilização deve ler o manual de instruções e seguidamente guardá-lo

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA PROMINOL P 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Uso do produto: PROMINOL P Adubo Empresa responsável pela comercialização:

Leia mais

Ficha Dados de Segurança (FDS)

Ficha Dados de Segurança (FDS) Páginas: 1/6 Etiqueta 2.2: Gás não Inflamável e não tóxico 1. IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA / PREPARAÇÃO E DA SOCIEDADE / EMPRESA Designação Comercial: N Ficha de Segurança: Fórmula Química: Identificação

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA SIPFOL MAX 1. IDENTIFICAÇÃO DA PREPARAÇÃO E DA EMPRESA Nome do produto: Identificação: Tipo de formulação: Utilização: SIPFOL MAX Aminoácidos, magnésio e oligoelementos Concentrado

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA 2001/58/CE Data de revisão: 08/04/2014 Pág. 1 de 6

FICHA DE SEGURANÇA 2001/58/CE Data de revisão: 08/04/2014 Pág. 1 de 6 FICHA DE SEGURANÇA 2001/58/CE Data de revisão: 08/04/2014 Pág. 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Descrição do artigo: Limpa Churrasqueiras HUJE 1.2 Utilizações previstas: Limpeza de Gorduras

Leia mais

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999)

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) 1. Levantar e Sentar na Cadeira Avaliar a força e resistência dos membros inferiores (número de execuções em

Leia mais

05 Queimaduras em cozinhas

05 Queimaduras em cozinhas 05 Queimaduras em cozinhas As queimaduras mais comuns são as provocadas por líquidos e a maioria das vítimas são as crianças. O álcool líquido está envolvido em grande parte dos acidentes que provocam

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA PROFERTIL ÍNDICE 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 - COMPOSIÇÃO / INFORMAÇÃO SOBRE OS COMPONENTES

FICHA DE SEGURANÇA PROFERTIL ÍNDICE 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 - COMPOSIÇÃO / INFORMAÇÃO SOBRE OS COMPONENTES PÁGINA: 1/6 ÍNDICE 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 - COMPOSIÇÃO / INFORMAÇÃO SOBRE OS COMPONENTES 3 - IDENTIFICAÇÃO DOS PERIGOS 4 - PRIMEIROS SOCORROS 5 - MEDIDAS DE COMBATE A INCÊNDIO 6 -

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA REBOQUE DE GERADORES E SUPORTES DE BOBINAS DE CABOS 2 DESCRIÇÃO Durante os trabalhos diários de exploração e conservação das redes de distribuição

Leia mais

FICHA DE SEGURANÇA Edição revista no : 1

FICHA DE SEGURANÇA Edição revista no : 1 Página : 1 T : Tóxico F+ : Extremamente Etiqueta 2.1 : Gás inflamável inflamável. 1 IDENTIFICAÇÃO DA SUBSTÂNCIA/PREPARAÇÃO E DA SOCIEDADE / EMPRESA Designação Comercial : N Ficha de Segurança : Uso : Esterilização

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI MASTER HARD SS Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere, 198

Leia mais

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS

FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS PP. 1/5 FICHAS DE PROCEDIMENTO PREVENÇÃO DE RISCOS 1 TAREFA MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS PESADAS 2 DESCRIÇÃO A movimentação de cargas pesadas, compreende as operações de elevação, transporte e descarga de objectos,

Leia mais

Produtos químicos PERIGOSOS

Produtos químicos PERIGOSOS Produtos químicos PERIGOSOS Como podemos identificar os produtos químicos perigosos? Os produtos químicos estão presentes em todo o lado, quer em nossas casas, quer nos locais de trabalho. Mesmo em nossas

Leia mais

MG 170 P Esteira de massagem Instruções de utilização

MG 170 P Esteira de massagem Instruções de utilização MG 170 P P Esteira de massagem Instruções de utilização BEURER GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) Tel.: +49 (0) 731 / 39 89-144 Fax: +49 (0) 731 / 39 89-255 www.beurer.de Mail: kd@beurer.de Portugues

Leia mais

MG 158 P Esteira de massagem Instruções de utilização

MG 158 P Esteira de massagem Instruções de utilização MG 158 P P Esteira de massagem Instruções de utilização BEURER GmbH Söflinger Str. 218 89077 Ulm (Germany) Tel.: +49 (0) 731 / 39 89-144 Fax: +49 (0) 731 / 39 89-255 www.beurer.de Mail: kd@beurer.de Portugues

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água.

RELATÓRIO TÉCNICO. ph (Solução 0,2%) Aproximadamente 2,00. Ponto de Ebulição 110ºC Densidade 1,150 ( 20ºC ) Completamente solúvel em água. RELATÓRIO TÉCNICO I - DADOS GERAIS: Nome do Produto: ÁCIDO MURIÁTICO Composição: Água e Ácido Clorídrico Estado Físico: Líquido Cuidados para conservação: Conservar o produto na embalagem original. Proteger

Leia mais

Manual de instruções. Misturador de bar duplo V1/1013

Manual de instruções. Misturador de bar duplo V1/1013 P Manual de instruções Misturador de bar duplo 135101 V1/1013 PORTUGUÊS Tradução do manual de instruções original Antes de iniciar a utilização deve ler o manual de instruções e seguidamente guardá-lo

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA PARA PRODUTOS QUÍMICOS 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do produto: CJI URETANO AR ENDURECEDOR Nome da empresa: Endereço: Rua Hermínio Poltroniere,

Leia mais

PLANO DE HIGIENE ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO

PLANO DE HIGIENE ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO ÍNDICE 1 HIGIENE PESSOAL 2 RECEPCÇÃO DE MERCADORIAS 3 ZONAS DE ARMAZENAGEM 4 ZONAS DE PREPARAÇÃO 5 ZONAS DE CONFECÇÃO 6 REFEITÓRIO / CAFÉ 7 COPA 8 VESTUÁRIOS e / ou CASAS DE BANHO Elaborado: Aprovado:

Leia mais

Ibo hydro-stop 1/5 REGISTO FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033. Revisão 01 Data 28-11-06. Data da edição: 23-01-2008 Edição nº: 00

Ibo hydro-stop 1/5 REGISTO FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA MOD.QAS.033. Revisão 01 Data 28-11-06. Data da edição: 23-01-2008 Edição nº: 00 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA: 1.1. Nome: 1.2. Aplicações: Aditivo impermeabilizante para argamassas de cimento. 1.2. Entidade Responsável: 1.3. Telefone de Emergência: Saint-Gobain WEBER

Leia mais

Manutenção e Segurança

Manutenção e Segurança 1) Introdução Todos os equipamentos, máquinas, instalações têm um período de vida útil, ou seja, um espaço de tempo durante o qual se espera que aqueles cumpram a função para a qual foram criados. Porém,

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA BIOESTIM K 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Data de emissão: 13 / 03 / 08 Nome do produto: Uso do produto: BIOESTIM K Adubo Empresa responsável pela comercialização:

Leia mais

TÍTULO: Segurança nos Trabalhos em Altura. AUTORIA: Paula Mendes. PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 165 (Julho/Agosto de 2006) INTRODUÇÃO

TÍTULO: Segurança nos Trabalhos em Altura. AUTORIA: Paula Mendes. PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 165 (Julho/Agosto de 2006) INTRODUÇÃO TÍTULO: Segurança nos Trabalhos em Altura AUTORIA: Paula Mendes PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 165 (Julho/Agosto de 2006) INTRODUÇÃO A execução de trabalhos em altura expõe os trabalhadores a riscos elevados,

Leia mais

Security, Health and Safety

Security, Health and Safety Security, Health and Safety Conselhos para Colaboradores e Parceiros da Securitas Portugal securitas.pt As quedas, escorregadelas e os tropeçamentos são a causa de acidentes e ferimentos entre Trabalhadores.

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

Laboratório de Química Orgânica. Orgânica e Farmacêutica. Com colaboração da Dr.ª Sara Cravo QOI - 02/03 1

Laboratório de Química Orgânica. Orgânica e Farmacêutica. Com colaboração da Dr.ª Sara Cravo QOI - 02/03 1 Laboratório de Química Orgânica e Farmacêutica NORMAS GERAIS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA Com colaboração da Dr.ª Sara Cravo 1 Laboratório de Química Orgânica 2 QOI - 02/03 1 1) Não entre no laboratório

Leia mais

MÓDULO IV SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

MÓDULO IV SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Programa de formação sobre a aplicação de MÓDULO IV SEGURANÇA NA UTILIZAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS TEMA 1 ASPECTOS TOXICOLÓGICOS DA APLICAÇÃO DE PRODUTOS FITOFARMACÊTICOS TENDO EM CONSIDERAÇÃO A

Leia mais

MT-1 / MT-2. Mantas eléctricas Cobertores eléctricos. Instrucciones de uso Instruções de utilização

MT-1 / MT-2. Mantas eléctricas Cobertores eléctricos. Instrucciones de uso Instruções de utilização MT-1 / MT-2 Mantas eléctricas Cobertores eléctricos Instrucciones de uso Instruções de utilização P INSTRUÇÕES IMPORTANTES CONSERVAR PARA UMA UTILIZAÇÃO POSTERIOR 1.- Aplicações e recomendações Este aparelho

Leia mais

GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar

GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para Professores Agosto de 2009 Direcção-Geral da Saúde (www.dgs.pt) Direcção de Serviços de Promoção e Protecção da Saúde Gripe

Leia mais

TRIPOLIFOSFATO SODIO TÉCNICO

TRIPOLIFOSFATO SODIO TÉCNICO F0LHA...: 1/5 1 Identificação do Produto e da Empresa: Nome do Produto: Nome da Empresa: Endereço: Av. Gupê, 10497 Telefone: 55 11 4772 4900 TRIPOLIFOSFATO SODIO TÉCNICO Cosmoquimica Indústria e Comércio

Leia mais

Advertências. Código QR. 1 Advertências

Advertências. Código QR. 1 Advertências Advertências Como obter o manual completo Neste manual são apresentadas apenas as noções básicas necessárias para a utilização do aparelho. Para obter o manual completo com as descrições de todas as funcionalidades,

Leia mais

Anexo 3 - Questionário específico - construção

Anexo 3 - Questionário específico - construção Anexo 3 - Questionário específico - construção 85 Empresa: Morada: Localidade: Cód. Postal: Distrito: Telefone: NIF: Código de CAE-Rev. 2/92: Actividade principal da empresa: Categoria da Actividade: Número

Leia mais

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA

FICHA DE DADOS DE SEGURANÇA Página: 1 Data de compilação: 31/03/2015 Nº de Revisão: 1 Secção 1: Identificação da substância/mistura e da sociedade/empresa 1.1. Identificador do produto Nome do produto: Número CAS: 9004-96-0 Número

Leia mais

Primeiros socorros Material a ter na caixa de primeiros socorros:

Primeiros socorros Material a ter na caixa de primeiros socorros: Primeiros socorros Os primeiros socorros é o tratamento inicial dado a alguém que se magoou ou sofreu um acidente. Se o acidente for grave, não deves mexer na pessoa lesionada e chamar o 112, explicando-lhe

Leia mais

Regulamento Específico dos Grandes Campos de Jogos

Regulamento Específico dos Grandes Campos de Jogos C ONTROLO DO D OCUMENTO Ref.ª: REG-6/2010 Versão: V2 Data: 24/10/2011 Aprovado por: João Roquette Regulamento Específico dos Grandes Campos de Jogos Capítulo I Disposições Gerais Artº 1º Objecto O presente

Leia mais

CONSTRUÇÃO CIVIL E A REDE ELÉTRICA

CONSTRUÇÃO CIVIL E A REDE ELÉTRICA CONSTRUÇÃO CIVIL E A REDE ELÉTRICA O QUE É A COCEL? A COCEL leva energia elétrica a toda Campo Largo. É esta energia que permite que as fábricas, o comércio e todo o setor produtivo funcionem. É graças

Leia mais

Transporte e elevação de carga ou pessoas, através de dispositivos concebidos pelo fabricante para o efeito.

Transporte e elevação de carga ou pessoas, através de dispositivos concebidos pelo fabricante para o efeito. FICHA DE SEGURANÇA EMPILHADOR DE MOVIMENTAÇÃO DE CARGA DE ALCANCE VARIÁVEL Fonte: ACT FUNÇÃO Transporte e elevação de carga ou pessoas, através de dispositivos concebidos pelo fabricante para o efeito.

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MODELO 7901 A L F A

MANUAL DE INSTRUÇÕES MODELO 7901 A L F A ASPIRADOR SISTEMA CYCLONIC COM DEPÓSITO DUPLO Manual do utilizador MANUAL DE INSTRUÇÕES MODELO 7901 A L F A 1 As Vantagens: 1. Com o seu avançado sistema de limpeza de duplo ciclo, e além disso os 2 filtros

Leia mais

INSTRUÇÕES IMPORTANTES PARA A SEGURANÇA PERIGO: ADVERTÊNCIA:

INSTRUÇÕES IMPORTANTES PARA A SEGURANÇA PERIGO: ADVERTÊNCIA: INSTRUÇÕES IMPORTANTES PARA A SEGURANÇA A SUA SEGURANÇA E A DOS OUTROS É MUITO IMPORTANTE Este manual e o próprio aparelho possuem importantes informações relativas à segurança, que devem ser lidas e respeitadas

Leia mais

556 FL GERADOR DE VAPOR 808 250 178 I556.00. Fábrica de louças e electrodomésticos, S.A. Linha Directa Consumidor

556 FL GERADOR DE VAPOR 808 250 178 I556.00. Fábrica de louças e electrodomésticos, S.A. Linha Directa Consumidor GERADOR DE VAPOR 556 FL Fábrica de louças e electrodomésticos, S.A. Rua Alto de Mirões, nº 249 Zona Industrial Ap. 2041 3700-727 CESAR Portugal Tel. +351 256 850 170 Fax +351 256 850 179 E-Mail: info@flama.pt

Leia mais

Acidentes: como preveni-los?

Acidentes: como preveni-los? Acidentes: como preveni-los? Mónica Oliva Ilustrações de António João 31 Janeiro 2009 Oliveira do Hospital 1 Sabia que... Os acidentes são a maior causa de morte, doença a e incapacidade definitiva e temporária

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES E INCÊNDIOS DOMÉSTICOS ADULTOS Acidentes Os acidentes domésticos são muito comuns. Mesmo com todo o cuidado, há objetos e situações que podem tornar todas as divisões

Leia mais

Instrução de Trabalho IT 021. Verificação de Segurança de Equipamentos

Instrução de Trabalho IT 021. Verificação de Segurança de Equipamentos Verificação de Segurança de Equipamentos Na Presença do técnico de SHT e do Gestor da Qualidade e/ou um representante da Gerência serão verificados os equipamentos anualmente conforme o DL50/05 e deverá

Leia mais

S A D I José Rui Ferreira

S A D I José Rui Ferreira Concepção de Instalações Eléctricas S A D I José Rui Ferreira Setembro 2000 SADI - Sistema Automático de Detecção de Incêndios Índice - Introdução - Equipamento - Concepção da instalação - Instalação eléctrica

Leia mais

APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA

APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA APOSTILA PRIMEIROS SOCORROS À CRIANÇA NA ESCOLA Dra. Maria Beatriz Silveira Schmitt Silva Coordenadora do SAMU do Vale do Itajaí Coordenadora Médica do SOS Unimed Blumenau Setembro/2010 Revisado em Fevereiro

Leia mais

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca).

Tratar danos causados por produtos químicos; Tratar queimaduras; Estado de choque; Respiração de socorro (respiração boca-a-boca). Quando se trabalha ou se está exposto a substâncias perigosas no local de trabalho, na comunidade ou em casa, é importante estar tão seguro quanto possível e estar preparado para acidentes. Esta secção

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume II Locais e Postos de trabalho. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume II Locais e Postos de trabalho um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho

Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XXIX Prevenção de acidentes com veículos na Construção Civil Parte 2 um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Para: Contacto na DGS: Ondas de calor medidas de prevenção Recomendações dirigidas à população Conhecimento de todos os estabelecimentos

Leia mais

Semana da Prevenção de Resíduos - 16 a 23 de Novembro. Dicas de Prevenção e Preservação

Semana da Prevenção de Resíduos - 16 a 23 de Novembro. Dicas de Prevenção e Preservação Semana da Prevenção de Resíduos - 16 a 23 de Novembro Dicas de Prevenção e Preservação Tenha em conta Nunca comece uma reparação, por muito pequena que seja, sem antes desligara tomada do equipamento;

Leia mais

Examen de teste: Segurança Básica (BE)

Examen de teste: Segurança Básica (BE) Examen de teste: Segurança Básica (BE) Série: Examen de teste (BE) Leia atentamente as instruções apresentadas abaixo! Este exame é constituído por 40 perguntas de escolha múltipla. A seguir a cada pergunta

Leia mais

QUEIMADURAS. Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção

QUEIMADURAS. Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção QUEIMADURAS Calor Electricidade Produtos químicos Radiações Fricção GRAVIDADE DAS QUEIMADURAS DEPENDE: Zona atingida pela queimadura Extensão da pele queimada Profundidade da queimadura: - 1ºGRAU - 2ºGRAU

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104

Sistema de Gestão da Qualidade: NBR ISO 9001 Ficha de Segurança de Produto: LAB TIN 3104 Código: FSP-261 Revisão: 1 Página: 1/5 1 Informação do produto e da empresa Nome do produto: LAB TIN 3104 Nome da empresa: Lab Analítica e Ambiental Ltda. Endereço: Rodovia Geraldo Scavone, 2300 Condomínio

Leia mais