SISTEMAS DE ARMAZENAGEM MANUAL PRÁTICO DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM. Um pouco da história

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMAS DE ARMAZENAGEM MANUAL PRÁTICO DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM. Um pouco da história"

Transcrição

1 SISTEMAS DE ARMAZENAGEM MANUAL PRÁTICO DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM Um pouco da história Podemos ficar surpresos ao saber que os primeiros armazéns foram construídos por volta de 1800 a.c., com José ao interpretar um sonho que o rei teve, onde haveria sete anos de abundância, seguidos por sete anos de fome em todo País. José começou a construir e a estocar um quinto da colheita de cada ano em armazéns e celeiros, em cada cidade do Egito. E o país sobreviveu, nos anos de fome, através de bons planejamentos e distribuição (SISTEMAS DE ARMAZENAGEM E LOGÍSTICA). Armazenagem Muitas das oportunidades de obtenção de maiores lucros encontram-se atualmente na esfera da administração de materiais. A melhor forma de guardar materiais é aquela que maximiza o espaço disponível nas três dimensões do prédio: Comprimento, largura e altura. Há algum tempo atrás, o conceito de ocupação física se concentrava mais na área do que na altura. Em geral, o espaço destinado à armazenagem era sempre relegado ao local menos adequado. Com o passar do tempo, o mau aproveitamento do espaço tornou-se um comportamento anti-econômico. Não era mais suficiente apenas guardar a mercadoria com o maior

2 cuidado possível. Racionalizar a altura ocupada foi a solução encontrada para reduzir o espaço e guardar maior quantidade de material. A armazenagem dos materiais assumiu, então uma grande importância na obtenção de maiores lucros. Independente de como foi embalado o material, ou de como foi movimentado, a etapa posterior é a armazenagem. Os termos Armazenagem e Estocagem são freqüentemente usados para identificar coisas semelhantes, mas alguns preferem distinguir os dois, referindo-se à guarda de produtos acabados como Armazenagem e guarda de matérias-primas como Estocagem. Os fatores básicos que determinam a necessidade de armazenagem são: 1. Necessidade de compensação de diferentes capacidades das fases de produção; 2. Equilíbrio sazonal; 3. Garantia da continuidade da produção; 4. Custos e especulação; 5. Redução dos custos de mão-de-obra; 6. Redução das perdas de materiais por avarias; 7. Melhoria na organização e controle da armazenagem; 8. Melhoria nas condições de segurança de operação do depósito; 9. Aumento da velocidade na movimentação; 10- Descongelamento das áreas de movimentação.

3 Os fatores básicos contra a necessidade de armazenagem são: 1. A mercadoria parada tem custo (como mão-de-obra, equipamentos e manutenção); 2. A mercadoria ocupa espaço em edifícios; 3. A armazenagem requer estruturas administrativas e de controle; 4. O material Envelhece (problemas com data de validade, etc.); A armazenagem é uma conveniência econômica, além de uma necessidade no sistema logístico de uma empresa nos dias atuais. Para determinarmos qual o melhor sistema de armazenagem para um determinado produto, devemos, primeiramente, observar a característica do material: Dimensões, peso e possibilidades de utilização em pallets ou não. Em segundo lugar, as condições do espaço: Pé direito, condições de piso, etc. Depois, as condições operacionais: A velocidade de estocagem, a seletividade do produto, a quantidade de itens, etc. Basicamente, as estruturas-padrão existentes no mercado são: TIPOS DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM E SUAS CARACTERÍSTICAS E APLICAÇÕES 1. Estantes (linha leve) Aparafusada e ou Multiblock 2. Estantes (linha pesada) Multiblock e de Encaixe

4 São as tradicionais cantoneiras metálicas, constituídas por colunas em Perfis de chapa de aço dobrada, perfuradas continuamente, segundo determinado passo, e por prateleiras, estas também em chapa de aço dobrada com posição regulável na altura. Estas estantes são adequadas para armazenar itens leves, manuseáveis sem a ajuda de qualquer equipamento, aparelho ou dispositivo e volume máximo de 0,5m³, sendo uniformemente distribuído. De uma forma geral, essas estantes são dispostas formando conjuntos de diversas seções, mono-frontais e bifrontais até uma altura facilmente alcançável pelo ser humano em pé, ou com o auxílio de uma pequena escada, de 2 a 3 metros, ou estruturas tipo mezanino. 2.1 Porta Pallets convencional (Estrutura Pesada) Trata-se de uma estrutura pesada, na qual as prateleiras são substituídas por um plano de carga, constituído por um par de vigas, que se encaixam nas colunas com possibilidade de regularem na altura. Os pallets são armazenados e retirados individualmente por empilhadeiras que se movimentam através de corredores ou manualmente dependendo do tipo de produto à ser estocado. As vantagens deste tipo de sistema são: Possibilita a localização e a movimentação de qualquer pallets, sem necessidade de mover primeiro os outros; Adapta-se a grande número e tipos de produtos; Possibilita rearranjos para acomodar cargas de alturas variáveis graças à

5 facilidade de se mudar os níveis de carga;

6 Adapta-se à carga de rotação relativamente alta; As estruturas podem ser facilmente montadas e desmontadas, facilitando assim futuras mudanças de layout; O sistema é compatível com a maioria dos tipos de equipamentos de movimentação e qualquer tipo de estruturas e pisos industriais; Protege as mercadorias contra a compressão e outros danos; Aproveitamento do pé-direito, uma vez que a altura é limitada apenas pelo alcance da empilhadeira. 2.2 Porta Pallets dupla profundidade (Estrutura Pesada): A estrutura porta-pallets com dupla profundidade é idêntica à anterior no que se refere à forma construtiva, diferindo unicamente quanto à sua disposição: Conjuntos mono-frontais duplos entremeados por conjuntos bifrontais quádruplos. Para este sistema, torna-se indispensável o uso de empilhadeira especial tipo deep reach (alcance profundo) com garfos pantográficos. Como é perceptível, este tipo de estrutura aumenta consideravelmente a densidade de estocagem com a diminuição do número de corredores, mas a seletividade cai a 50%, ao mesmo tempo em que a primeira carga a entrar será sempre a última a sair Drive-In e Drive-Through: Drive-In é um sistema constituído por um bloco contínuo de

7 estruturas não separadas por corredores intermediários. As empilhadeiras movimentam-se dentro da própria, ao logo de Ruas não há vigas bloqueando o acesso da máquina para depositar ou retirar as cargas. Os pallets são apoiados sobre braços em balanço, fixados nos montantes. O sistema é capaz de oferecer um bom número de vantagens: Proporciona alta densidade de estocagem, graças à eliminação de corredores, podendo estocar o mesmo número de pallets que um porta pallets convencional na metade da área; A inexistência de superposição direta de cargas evita o esmagamento acidental e o risco de quedas de pilhas; O sistema pode utilizar empilhadeiras comuns, com pequenas modificações na estrutura de proteção do operador; O sistema é particularmente indicado para os casos em que as movimentações de entrada e saída sejam feitas separadamente e em que o estoque seja movimentado de uma só vez, a intervalos prolongados. O sistema apresenta alguns inconvenientes: Para se alcançar o pallets do meio é preciso movimentar primeiro os que estão na frente. O estoque poderá ser movimentado retirando-se por último o item que entrou primeiro, o que limita a variedade dos itens a estocar. Estas desvantagens podem ser controladas transformando o sistema Drive- In (onde a empilhadeira adentra pelas ruas). No sistema Drive-Through (onde a empilhadeira atravessa toda extensão das ruas fora à fora). 3.2 Drive-In sistema dinâmico:

8 A armazenagem dinâmica trata-se de um sistema dinâmico derivado do Drive-Thru, onde os planos de carga estáticos, vigas/longarinas são substituídos por trechos de roletes ligeiramente inclinados, descendentes no sentido da entrada para a saída. A idéia de armazenagem dinâmica é simples e singular: o material entra por um lado (o do carregamento da estrutura porta pallets), movimenta-se lentamente, por força de gravidade, para o lado onde é selecionado. Conforme os itens vão sendo removidos, outros avançam automaticamente para tomar o seu lugar. Isto é o que se chama de armazenagem dinâmica é uma maneira moderna de conseguir: Rotação automática e positiva de estoques, utilização do FIFO; Entrega no ponto de consumo a baixo custo; Mais armazenagem em menos espaço, pois existem apenas dois corredores; Maior eficiência e rapidez quando se processa a separação dos pedidos. A armazenagem dinâmica elimina, a perda de tempo nas operações de separação de requisições, pela colocação de todas as peças em uma única esteira de separação curta e conveniente. Desta forma, os carregadores das prateleiras e os separadores das requisições trabalham em áreas restritas, em linha reta, facilitando a supervisão e o total controle do estoque. A armazenagem dinâmica supera o Drive-In e o Drive-Thru em todos

9 os aspectos imagináveis de funcionalidade para estocagem de alta densidade, porém o seu custo é maior devido à aplicação de transportadores e reguladores de velocidade nos planos de estocagem. 4.1 Cantilever O sistema cantilever é ideal para armazenar produtos com dimensões, formas, volumes e pesos variados, tais como (tubos metálicos ou de PVC, madeira, móveis, entre outros). No desenvolvimento de um projeto devem ser analisados vários aspectos tais como: 1. Área de pé direito disponível para projeto; 2. Forma de recebimento dos produtos: todos recebidos independentes de seu tipo deverão ser padronizados para que se projete uma estrutura adequada; 3. O tipo de equipamento a ser utilizado para movimentação. Este deve Ter uma atenção especial para se otimizar ao máximo as operações. Os equipamentos que melhor se adaptam no sistema são as empilhadeira laterais com patola retrátil e pontes rolantes, podendo também ser utilizadas as empilhadeiras frontais desde que se leve em consideração as dimensões dos pallets ou dos produtos. Para se desenvolver todo o projeto deverá existir uma integração com trocas de informações muito claras, de todas as necessidades entre fornecedores do produto à ser armazenado, o cliente do projeto, o fabricante dos equipamentos de movimentação ao fornecedor do sistema de armazenagem que irá projetar a estrutura do cantilever.

10 Com todos os dados preciosos e as informações corretas certamente o projeto terá 100% de sucesso. 5.1 Racks O emprego de racks na indústria e centros de distribuição, tem sido um fator de grande desenvolvimento, devido as suas grandes vantagens sob o ponto de vista de volume de armazenagem disponível com estas instalações. O emprego dos racks permite de fato, aproveitar a altura disponível porque este sistema pode ser dotado com facilidade, de equipamentos mecanizados para o transporte ou a elevação das mercadorias. Nos casos em que as mercadorias são particularmente resistentes onde não existe risco de deterioração das mesmas vem sendo utilizado em todo tipo de indústrias ou para qualquer matéria-prima ou produto acabado. Nos casos de utilização dos racks, resultam de uma importância básica para o projeto do sistema a determinação dos pesos unitários, a quantidade de artigos que cabem em um rack, as dimensões do produto e outras características. O fenômeno da normatização tem hoje um grande valo, pois estuda os tipos de edificação e dimensionamento dos pallets e racks, em vista do transporte externo da mercadoria paletizável. Por isso, deve ser levado em conta na fase do projeto. Podem ser empilhados uns sobre os outros com boa segurança e sem transferir o peso para as mercadorias. Há vários tipos de racks, com ou sem fechamento lateral, tendo a possibilidade de desenvolver o tipo de rack que melhor se adecue ao tipo de produto à ser estocado, facilitando o transporte de

11 itens de pequeno porte e às vezes de formato irregular. Este tipo de produto, também tem a possibilidade de ser desmontado quando não estão sendo utilizados, facilitando os transportes e mesmo, possibilitando maior espaço de utilização no setor de estocagem e ou armazém. 6.1 Mezaninos conjugados com estantes multiblock e/ou porta-pallets, monta carga e divisórias industriais: É um sistema em plataforma livre ou montado sobre suportes ou estanterias, altos e suficiente para permitir a estocagem ou outra atividade sob a mesma. Alternativamente, a plataforma metálica pode ser suportada pela própria estrutura de aço, sendo comunamente acoplada com uma escada. A sua capacidade de carga poderá variar entre 100 e Kg/m². Este tipo de equipamento aumenta a capacidade de estocagem, utilizando melhor o pé direito do prédio. Sendo a estrutura independente da construção do prédio, não é necessário investir em expansões para o aumento da área. Com essa plataforma fornece um piso adicional, esse sistema é eficiente quando é necessário restringir a altura do empilhamento dos materiais. Isso também ajuda a segregação do estoque, artigos volumosos, leves e pequenos, por exemplo podendo ser colocado na parte superior. A escolha do tipo de equipamento de estocagem para o nível de sustentação se baseia nas estruturas de mezaninos, montadas em peças, são geralmente por estanterias de aço ou estruturas porta-pallets. A escolha do tipo de equipamento de estocagem para o nível de sustentação se baseia nas características dos produtos à serem movimentados. Se tanto o piso principal

12 quanto o mezanino forem usados para itens pequenos, o mezanino sustentado em estantes é o mais prático e indicado. Podendo ser utilizados, pisos de chapa estampada, chapa corrugada antiderrapante, piso wall, outros mais a critério do cliente. Os mezaninos não se limitam necessariamente à dois níveis, foram alcançados excelentes resultados com 3 até 4 níveis de piso de mezanino em área de pé direito alto. O mais importante é fazer um estudo precioso dos produtos à serem estocados, dependendo a quantidade de níveis, poderá ser usados elevadores de carga (monta carga) para deslocamento de mercadorias entre um piso e outro. Divisórias: são utilizadas para a divisão de ambientes industriais, organizando o espaço em áreas, sendo possível a colocação de portas ou guichês para a comunicação desses ambientes. 7.1 Estruturas auto-verticalizadas: A obtenção de altas densidades de armazenagem exige a utilização de sistemas especiais, utilizando equipamentos não convencionais de movimentação, como empilhadeiras trilaterais e transelevadores capazes de operar em corredores intermediários, apenas ligeiramente mais largos que a empilhadeira. As empilhadeiras podem, por exemplo, movimenta-se em pistas delimitadas por guias laterais e vir equipadas com dispositivos especiais, capazes de girar a lança para operação lateral do pallets. Algumas instalações contam com empilhadeiras controladas por computador e são dotadas de

13 sistemas automáticos de localização das mercadorias. Geralmente, mais altas que as convencionais, estas instalações exigem tolerância mínima de fabricação. Suas vantagens são: Combinam elevada densidade de carga com rapidez de movimentação e máxima seletividade individual; Possibilitam o aproveitamento do pé direito de grandes alturas. As limitações são representadas por: Maior custo do equipamento de movimentação e de pisos, que devem ser excepcionalmente bem nivelados; Uso de empilhadeiras restrito à área de armazenagem, o que exige equipamento adicional para transportar os pallets; Exigência de estrutura mais reforçada para suportar ou escoar o equipamento de movimentação. Importante: Atualmente, já existe no Brasil uma grande tendência de utilização deste tipo de estrutura, pois em várias regiões o custo da área já supera, consideravelmente, o investimento para explorar a altura. O número de negócios com este tipo de estrutura ainda é relativamente pequeno, entretanto com forte tendência de crescimento num futuro bem próximo. 7.2 Estruturas auto-portantes:

14 Neste sistema são as próprias colunas das estruturas de armazenagem que suportam todos os esforços próprios do edifício, seja nas laterais ou na cobertura. Em função disso, a estrutura tem que ser estudada especialmente para que possa receber diretamente as paredes exteriores. É utilizado para alturas acima de 20m e há tolerância tanto no projeto quanto na fabricação das estruturas mínimas. Estas exigências são necessárias pois são utilizados transelevadores neste nível de altura. Os armazéns, com esse tipo de sistema de armazenagem podem ser automáticos ou semi-automáticos. Vantagens: Eliminação da necessidade de construção prévia de um edifício; Redução de custos para a instalação do armazém; Grande capacidade de estocagem em função da utilização de grandes alturas; Prazo de instalação da obra menor do que o convencional. 8.1 Push-Back: A utilização de estruturas para estocagem de pallets do tipo pushback permite a colocação da carga paletizada sobre uma base móvel (trilhoguia de encaixe tipo telescópio) de um lado só; o primeiro pallet colocado é empurrado pelo pallet subsequente para o interior da estrutura, que pode ter até 5 pallets na profundidade, o que propícia o Filo (First-In Last-Out), ou seja, o primeiro pallets que entra é o último a sair.

15 O equipamento de estocagem tipo push-back, quanto a movimentação da carga paletizada será feita através de uma empilhadeira frontal de contrapeso; que deposita sobre os trilhos empurrando a carga para o final da estrutura. A forma de colocação e retirada da mercadoria somente será de acesso frontal. 9.1 Sistemas de armazenagem tipo baias (exclusividade Met. Bertolini Ltda.): Sistema desenvolvido com exclusividade no Brasil pela Met. Bertolini Ltda. Esse sistema equivale-se a um auto-portante, porém para obter um resultado eficaz a empresa que optar pela nova sistemática de armazenagem, deverá fazer um investimento significativo nas estruturas de embalagens de seus produtos, tornando-os mais resistentes, pois os pallets e suas embalagens terão que ter capacidade de auto sustentação de empilhamento, tipo um mais quatro pallets. Este sistema serve como base de apoio, através de estrutura lateral, de fundos e superior dando sustentação de apoio para blocagem dos produtos sem auxílio direto de Rack ou Drive-in, tornando assim, o sistema mais ágil, eficiente e versátil. PALLETS E POSTES: Os materiais utilizados para armazenagem de produtos nas câmaras são: PALLETS ou ESTRADOS ou PALETAS, e CANTONEIRAS ou POSTES.

16 Atualmente as câmaras desenhadas e construídas pelas grandes empresas nacionais e estrangeiras, são moduladas para os pallets adotados que são do tipo ISO II (INTERNATIONAL STANDARD ORGANIZATION) que modulam também com as embalagens, bem como, as empilhadeiras, caminhões e contêineres da maioria dos fabricantes do país e do exterior, que preocupam-se com a padronização. 1. Pallet Armado ou Gaiola: As gaiolas, são destinadas a estocagem de caixas ou volumes a granel e poderão ser empilhadas em diversas camadas, dependendo da altura das câmaras. Elas são compostas de estrados, cantoneiras, gabaritos, aparas e cintas. Cada gaiola poderá receber sobre ela cargas de até Kg. 1. Pallet ou Estrados ou Paletas: Os pallets do tipo ISO II (International Standard Organizatiosn), normalmente são feitos de madeira, com a seguinte composição: Material: madeira peroba do campo ou rosa 07 tábuas de 1200 x 120 x tábuas de 1200 x 160 x tábuas de 1200 x 160 x tacos de 160 x 110 x 85 As madeiras para os pallets devem ser do tipo duro, linheira sem nós. Os cantos deverão ser chanfrados para melhor ajuste das cantoneiras. As

17 tábuas da parte inferior também deverão ser chanfradas para facilitar a entrada das rodas das paleteiras. Os pregos, de preferência, os do tipo ARDOX. 2. Cantoneiras: Postes (cantoneiras) para empilhamento Notas: - A solda externa será em toda extensão. - A interna, em 3 pontos de 25mm cada, sendo uma no vértice e as outras nas extremidades da cantoneira. Material: Chapa de ferro 1010, espessura 1/8 Tipo de Pintura Epoxi, quando em contato direto com alimentos; Galvanizado, quando não tem contato direto. Cuidados - Aparar arestas. 3. Gabaritos: São peças de madeira colocadas na parte superior das cantoneiras para evitar que elas se fechem quando cintadas. A madeira deverá ser do tipo duro, exemplo: peroba do campo ou rosa. 4. Aparas: São peças de madeira colocadas nas laterais das gaiolas para evitar que

18 as caixas ou peças pequenas caiam. A madeira deverá ser do tipo duro, exemplo: peroba do campo ou rosa. 1.5 Cintas de Aço: São feitas de aço colocadas em torno das cantoneiras pressionando-as contra o pallet e os gabaritos para manter a gaiola ramada. As fitas variam de largura e espessura. A mais usada é de largura 16mm e de espessura de 0,5mm. 2. RECOMENDAÇÕES OPERACIONAIS Dado ao grande volume e elevado custo desses materiais, recomendamos algumas medidas que podem trazer benefícios aos operadores das câmaras: Ao receber o material do fornecedor, confira cuidadosamente o material empregado e as medidas, verificando a construção e a solda, para certificar-se de que está em perfeitas condições. Devido ao grande volume de material, mantenha rígido controle daquele que é emprestado a clientes e transportadores. Dê preferência, para uma marca com o nome da empresa no material. Mantenha um esquema para fazer reparos nos pallets sempre que

19 necessário, de forma a mantê-los em ordem. Não acumule pallets danificados para não ter dificuldades nas operações no futuro, por falta de material. As cantoneiras danificadas perdem a resistência. Podem, no entanto, serem reaproveitadas para outras funções, não devendo, portanto, serem descartadas. Fonte: ABIAF Associação Brasileira da Indústria de Armazenagem Frigorificada

Verticalização dos Estoques

Verticalização dos Estoques Verticalização dos Estoques Considerações Iniciais A principal prioridade dos operadores é reduzir o tempo de ciclo dos pedidos e não economizar espaço. As soluções que permitem economizar espaço não permitem

Leia mais

SISTEMAS DE ARMAZENAGEM

SISTEMAS DE ARMAZENAGEM SISTEMAS DE ARMAZENAGEM Engº. Cláudio Sei Guerra OUTUBRO - 2006 Revisado ÍNDICE 1. Prefácio... 03 2. Sistemas de Armazenagem de Materiais... 04 3. Estruturas de Armazenagem Porta-Pallets... 06 4. Porta-Pallets

Leia mais

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM A EMPRESA NOSSAS SOLUÇÕES PARA ARMAZENAGEM 25 DE AGOSTO DE 1969 Dar continuidade ao legado do pai, exímio ferreiro e artesão. Esse foi o sonho que impulsionou os irmãos

Leia mais

MANUAL DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM. Eng.º. Cláudio Sei Guerra

MANUAL DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM. Eng.º. Cláudio Sei Guerra MANUAL DE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM Eng.º. Cláudio Sei Guerra FEVEREIRO - 2014 ÍNDICE 1. Prefácio... 03 2. Sistemas de Armazenagem de Materiais... 04 3. Estruturas de Armazenagem Porta-Pallets... 07 4. Porta-Pallets

Leia mais

Sistemas de Armazenagem de Materiais

Sistemas de Armazenagem de Materiais Sistemas de Armazenagem de Materiais Características e conceitos para utilização de Sistemas de armazenagem de materiais Objetivos Destacar a importância dos equipamentos de armazenagem de materiais na

Leia mais

Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem

Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem Os chamados Sistemas de Armazenagem fazem parte de um grupo de acessórios e equipamentos bastante utilizados na indústria como uma maneira mais simplificada

Leia mais

LEVAMOS NO PEITO A MISSÃO DE DAR SEGURANÇA, QUALIDADE E PRATICIDADE À VOCÊ!

LEVAMOS NO PEITO A MISSÃO DE DAR SEGURANÇA, QUALIDADE E PRATICIDADE À VOCÊ! CATÁLOGO DE PRODUTOS LEVAMOS NO PEITO A MISSÃO DE DAR SEGURANÇA, QUALIDADE E PRATICIDADE À VOCÊ! A EMPRESA A SA é uma empresa com 15 anos de atuação no Brasil, nascida em Belo Horizonte, Minas Gerais,

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem Tecnologia em Gestão Pública Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 9 Prof. Rafael Roesler Sumário Introdução Objetivo da armazenagem Arranjo

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM Uma abordagem multidisciplinar Prof. Fernando Dal Zot 1 Visão geral das atividades do Almoxarifado / Depósito / Armazém Início RECEBER

Leia mais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais Contextualização A transformação da matéria-prima em produto acabado requer que pelo menos um dos três elementos básicos de produção (trabalhador, máquina e material) seja movimentado. Para a maioria dos

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Seja qual for o seu produto, temos a solução ideal para o armazenar 50 anos a oferecer soluções de armazenagem 3 Presença em mais de 70 países 3 11 centros de produção 3 4 centros

Leia mais

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A CESTARI PRODUTOS GALVANIZADOS produz equipamentos para todo processamento de produtos em geral que asseguram o melhor resultado para a indústria

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL

LOGÍSTICA EMPRESARIAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL FORNECEDORES Erros de compras são dispendiosos Canais de distribuição * Compra direta - Vendedores em tempo integral - Representantes dos fabricantes Compras em distribuidores Localização

Leia mais

Block Plus sistema convencional

Block Plus sistema convencional SOLUÇÕES DE ARMAZENAGEM Block Plus sistema convencional Block Plus sistema convencional estantes convencionais Trata-se do sistema de armazenagem mais comum e generalizado, adequado para armazenagem dedicada

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Ricardo A. Cassel A movimentação de materiais é uma atividade importante a ser ponderada quando se deseja iniciar o projeto de novas instalações. Existe uma forte relação entre

Leia mais

PortaBag Rack metálico desenvolvido para acondicionar big bags.

PortaBag Rack metálico desenvolvido para acondicionar big bags. R A C K M E T Á L I C O * Pallet vendido separadamente. MPA - Módulo Padrão de Armazenagem Rack auto-empilhável, desmontável, construído em chapa de aço dobrada e soldada. Produto: O MPA tem como principal

Leia mais

www.endal.pt SISTEMAS GLOBAIS DE ARMAZENAGEM Sistemas Globais de Armazenagem Paletização Convencional

www.endal.pt SISTEMAS GLOBAIS DE ARMAZENAGEM Sistemas Globais de Armazenagem Paletização Convencional SISTEMAS GLOBAIS DE ARMAZENAGEM Sistemas Globais de Armazenagem Paletização Convencional Armazenagem Compacta Drive-ln Drive-Through Dinâmica por Gravidade Armazenagem Climatizada Picking Estantes Deslizantes

Leia mais

Armazenagem, Controle. Aula 2. Contextualização. Equipamentos de Armazenagem. Principais Atribuições. Embalagens. Instrumentalização

Armazenagem, Controle. Aula 2. Contextualização. Equipamentos de Armazenagem. Principais Atribuições. Embalagens. Instrumentalização Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 2 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Equipamentos de Armazenagem Simplicidade Barato Flexível Relação custo e benefício Principais Atribuições Peculiaridade

Leia mais

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 06 FILIPE S. MARTINS

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 06 FILIPE S. MARTINS AULA 06 FILIPE S. MARTINS ROTEIRO EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS PALETEIRA EMPILHADEIRA ESTEIRA TRANSPORTADORA TRANSPORTADOR DE ROLETES MONOVIA / TALHA ELÉTRICA TRANSELEVADORES

Leia mais

1 - MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

1 - MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS 1 - MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Introdução Para que a matéria prima possa transformar-se ou ser beneficiada, pelo menos um dos três elementos básicos de produção, homem, máquina ou material, deve movimentar-se;

Leia mais

Movimentação Paletização Armazenamento e Transporte

Movimentação Paletização Armazenamento e Transporte Movimentação Paletização Armazenamento e Transporte 0 1 INTRODUÇÃO A primeira embalagem de papelão ondulado surgiu há mais de 100 anos e percorreu um longo caminho até os dias de hoje, evoluindo gradativamente

Leia mais

Apostila Técnica de Estantes 01 de 12

Apostila Técnica de Estantes 01 de 12 01 de 12 ESTANTES METÁLICAS - Componentes Cantoneiras Perfuradas: Tipo N3, produzidas em aço estrutural de média resistência. As cantoneiras podem ser fornecidas em comprimentos múltiplos de 40 mm. 35

Leia mais

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM Os consumidores quando vão às prateleiras das lojas esperam encontrar os produtos que necessitam, não importando se os produtores estão a 10 ou 2.500 Km de distância. Este é o trabalho da logística: prover

Leia mais

Soluções de armazenagem. Seja qual for o seu produto, temos a solução ideal para o armazenar

Soluções de armazenagem. Seja qual for o seu produto, temos a solução ideal para o armazenar Soluções de armazenagem Seja qual for o seu produto, temos a solução ideal para o armazenar Software gestão armazéns Durante mais de 50 anos o Grupo Mecalux tem vindo a oferecer ao mercado soluções de

Leia mais

LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO E DISTRIBUIÇÃO - ESTUDO DE CASO PROF.ROBSON SELEME CASO 5: MARMITOU

LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO E DISTRIBUIÇÃO - ESTUDO DE CASO PROF.ROBSON SELEME CASO 5: MARMITOU CASO 5: MARMITOU A Marmitou fabrica e distribui uma gama de produtos de condimento: molhos de tomate, mostarda, condimentos, pimenta, maionese etc. Esses produtos são direcionados a clientes variando de

Leia mais

750,48. Shop 870,08 1.407,62 704,67 763,00. www.mecalux.com.br/shop

750,48. Shop 870,08 1.407,62 704,67 763,00. www.mecalux.com.br/shop Shop REF.: MC-219 750,48 REF.: MPP-15346 870,08 REF.: Nmc-1169 1.407,62 REF.: RGA-7700B 704,67 REF.: RGA-9078P 763,00 0800 770 6870 www.mecalux.com.br/shop Ligue agora e dentro de 12 dias úteis seu pedido

Leia mais

A SA Gôndolas apresenta suas novas linhas de gôndolas com produtos cada vez melhores para valorizar o seu espaço e expor os seus produtos.

A SA Gôndolas apresenta suas novas linhas de gôndolas com produtos cada vez melhores para valorizar o seu espaço e expor os seus produtos. A SA Gôndolas apresenta suas novas linhas de gôndolas com produtos cada vez melhores para valorizar o seu espaço e expor os seus produtos. Representações Técnicas Gôndola Centro Gôndola Parede A busca

Leia mais

TIPOS DE PALLETS. Imaginemos uma situação onde se precise comprar pallets para exportar em cada um, 1000 kg de papel.

TIPOS DE PALLETS. Imaginemos uma situação onde se precise comprar pallets para exportar em cada um, 1000 kg de papel. Pallets descartaveis (one way) TIPOS DE PALLETS Pallets descartáveis como a prória palavra sugere, são pallets não retornáveis ou seja, acomodam uma determinada mercadoria onde o custo do pallet está incluso

Leia mais

Armazenagem. Por que armazenar?

Armazenagem. Por que armazenar? Armazenagem Introdução Funções da armazenagem Atividades na armazenagem Objetivos do planejamento de operações de armazenagem Políticas da armazenagem Pilares da atividade de armazenamento Armazenagem

Leia mais

Automatizando a armazenagem. Armazenagem automatizada

Automatizando a armazenagem. Armazenagem automatizada Automatizando a armazenagem Armazenagem automatizada Com a verticalização da armazenagem a automatização tornou-se necessária também, pois os armazéns passaram a utilizar os espaços do piso ao teto. E

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Estantes cantoneira

Rev.1 18.01.2013. Estantes cantoneira 18.01.2013 Estantes cantoneira O sistema de estantes em cantoneira foi concebido para satisfazer as necessidades de armazenagem nas indústrias, oficinas, armazéns, etc, tendo em vista uma solução económica.

Leia mais

Sistemas de Armazenagem e Movimentação

Sistemas de Armazenagem e Movimentação Sistemas de Armazenagem e Movimentação O que é a armazenagem? Gerenciar eficazmente o espaço tridimensional de um local adequado e seguro, colocando à disposição para guarda de mercadorias que serão movimentadas

Leia mais

EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO

EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO Uma empilhadeira é uma máquina industrial utilizada para levantar e carregar materiais, normalmente através de garfos de metal que são inseridos por debaixo da carga. Geralmente,

Leia mais

Agregue Segurança produtos e a sua

Agregue Segurança produtos e a sua Agregue Segurança e Valor aos seus produtos e a sua armazenagem. Material de Manuseio e Soluções de Logística SKILL, QUALITY AND EXPERIENCE www.troax.com Líder Mundial em Produtos de Segurança para Proteção

Leia mais

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09

Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 Apostila técnica de Mezanino 01 de 09 OBJETIVO: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento básico sobre Mezaninos, seus acessórios e suas aplicações, facilitando a solução de problemas

Leia mais

Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade

Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade Estantes para paletização dinâmica por força da gravidade Ótima rotação dos produtos graças à movimentação da carga Características do sistema de paletização dinâmica As estantes dinâmicas para a armazenagem

Leia mais

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes Forma Construtiva dos Transelevadores Modo de Funcionamento dos Transelevadores Sistemas de Transferência Transelevadores para Armazém Autoportante Transelevadores para Armazém Autoportante Climatizado

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Uma solução para cada necessidade de armazenagem Cargas paletizadas Estantes para paletização convencional 3 Solução adequada para armazéns com mercadoria paletizada e grande variedade

Leia mais

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago Aula II Armazenagem; Inventário Professor Argélio Lima Paniago Armazenagem Armazenagem de matérias merece um planejamento especifico, Condições impróprias de materiais geram desperdícios, Não acrescenta

Leia mais

Catálogo Geral de Produtos

Catálogo Geral de Produtos Catálogo Geral de Produtos Especialista em soluções. Uma linha de equipamentos feita sob medida para os seus negócios. 2 A empresa Líder na fabricação de racks aramados no Brasil, a Artok possui uma linha

Leia mais

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br SOLUÇÕES PARA FACHADA metax.com.br Passarela para pedestres Estes equipamentos são utilizados em locais onde a instalação do andaime fachadeiro obstrui a passagem de via, ou seja, a fachada do prédio não

Leia mais

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LEVANTAMENTO E TRANSPORTE DE CARGAS Posição vertical: Dotar o posto de trabalho com regulagem de altura; Suporte para peças; Considerar dados antropométricos, na dúvida colocar

Leia mais

ATIVIDADE DE ARMAZENAGEM

ATIVIDADE DE ARMAZENAGEM ATIVIDADE DE ARMAZENAGEM Muitas das oportunidades de obtenção de maiores lucros encontram-se atualmente na esfera da administração de materiais, e este setor pode vir a oferecer economias significativas,

Leia mais

Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos

Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos RECEBIMENTO Quando o produto for recebido na loja ou obra, ou mesmo na entrega ao cliente, é importante que alguns cuidados sejam tomados

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Introdução Vamos abordar aqui meios de armazenagem para melhor aproveitar o Pé direito, equipamentos que facilite movimentação em armazenagem

Leia mais

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD

Rev.1 18.01.2013. Racks Paletização KD 18.01.2013 Racks Paletização KD O sistema de armazenagem KD de cargas médias e pesadas representa a melhor solução para armazéns em que é necessária uma correta armazenagem para produtos paletizados com

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Seja qual for seu produto, conhecemos a melhor solução para armazená-lo A Mecalux oferece soluções de armazenagem Experiência de mais de 50 anos Presença em mais de 70 países 11

Leia mais

SkyTrak. Manipuladores

SkyTrak. Manipuladores SkyTrak Manipuladores a a Manipuladores SkyTrak. Feitos para o Jeito que Você Trabalha. Os manipuladores SkyTrak com direção nas quatro rodas são máquinas que trabalham duro para pessoas que dão duro no

Leia mais

TRANSPORTADORES DE CORREIA

TRANSPORTADORES DE CORREIA 1. DESCRIÇÃO Os Transportadores de correia é a solução ideal para o transporte de materiais sólidos a baixo custo. Sua construção é compacta e com excelente desempenho funcional. Sua manutenção é simples

Leia mais

O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA

O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA Como obter mais resultados com menos despesas Thomas Burger - Arquiteto Burger Arquitetos Arquitetura e Gerenciamento de Projetos Porto Alegre

Leia mais

ANÁLISE DOS SISTEMAS LOGÍSTICO E DE TRANSPORTE DO CORREDOR CENTRO-OESTE

ANÁLISE DOS SISTEMAS LOGÍSTICO E DE TRANSPORTE DO CORREDOR CENTRO-OESTE ANÁLISE DOS SISTEMAS LOGÍSTICO E DE TRANSPORTE DO CORREDOR CENTRO-OESTE Aluno: Stephan Beyruth Schwartz Orientador: Nélio Domingues Pizzolato 1. INTRODUÇÃO A estabilização da economia e a eliminação do

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS

MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS 98 MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS Roberta Ferreira dos Santos Graduando em Logística do Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), Rio de Janeiro, RJ, Brasil roberta.santos94@yahoo.com.br Leandro

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTADORES CONTINUOS

SISTEMAS DE TRANSPORTADORES CONTINUOS Consiste na movimentação constante entre dois pontos pré-determinados. d São utilizados em mineração, indústrias, terminais de carga e descarga, terminais de recepção e expedição ou em armazéns. Esteiras

Leia mais

Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário.

Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário. Antes de usar os andaimes pela primeira vez, recomendamos ler minuciosamente este manual de uso, além de guardar-lo para quando for necessário. Somente trabalhadores devidamente treinados e capacitados

Leia mais

CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS LOGÍSTICA CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS A MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAL É O PROCESSO DO QUAL APRESENTA A MUDANÇA LOCAL DE UM DETERMINADO ITEM, DENTRO DE UMA DETERMINADA CIRCUNSTÂNCIA.

Leia mais

RollerForks. A nova revolução da logística: Movimentação sem paletes!

RollerForks. A nova revolução da logística: Movimentação sem paletes! RollerForks A nova revolução da logística: Movimentação sem paletes! RollerForks Os paletes revolucionaram a logística, ao unitizar as cargas e reduzir custos drasticamente. Agora, uma nova revolução tem

Leia mais

Dimensionamento de espaço

Dimensionamento de espaço Dimensionamento de espaço Definindo os volumes de produtos e os tipos de produtos que serão tratados no projeto, teremos condições, a partir de agora, de dimensionar o tamanho do armazém, suas características

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM INSTALAÇÕES DE ARMAZENAGEM Complexo de espaços de diferentes naturezas e finalidades, situados em áreas cobertas e descobertas,

Leia mais

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s

Vantagens. - A grande variedade de medidas, tipos de pisos, sistemas construtivos, etc. - M o n t a g e m r á p i d a, s i m p l e s Mezaninos Os mezaninos permitem aproveitar ao máximo a altura útil de um local, duplicando ou triplicando sua superfície e acondicionando-a como área de armazenagem, vestuário, escritórios, etc. A instalação

Leia mais

Soluções criativas em pallets plásticos para transporte e armazenamento de mercadorias.

Soluções criativas em pallets plásticos para transporte e armazenamento de mercadorias. Soluções criativas em pallets plásticos para transporte e armazenamento de mercadorias. Nossos diferenciais Pioneirismo. Em 1970, a Schoeller introduziu a garrafeira plástica no mercado nacional. Liderança

Leia mais

odutos Catálogo de Pr

odutos Catálogo de Pr Catálogo de Produtos Instalada na cidade de Itajobi/SP, em uma área de 60.000m², com 15.000m² de área construída, desde 2002 o Grupo Cristal Aço desenvolve produtos duráveis e de excelente acabamento.

Leia mais

Unidade III MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade III MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro Unidade III MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Introdução Conhecer as necessidades de gestão de armazém é fundamental; Aqui vamos conhecer os tipos de armazenagem; Tipos de armazenagens São

Leia mais

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Operações Terminais Armazéns AULA 6 PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Cargas, embalagens e unitização Modulação, Unitização, Acondicionamento

Leia mais

Aula 8. Manuseio e Movimentação de Materiais

Aula 8. Manuseio e Movimentação de Materiais Aula 8 Manuseio e Movimentação de Materiais Prof. José Fernando Pereira Jr. Manuseio de Materiais e Equipamentos Fora de Estrada 2º Semestre - 2011 Sumário 4.6 Manuseio e Movimentação dos materiais 4.6.1

Leia mais

Equipamentos de Armazenagem Como especificar

Equipamentos de Armazenagem Como especificar Equipamentos de Armazenagem Como especificar C O N S U LT O R I A Experiência e Confiabilidade Este material foi desenvolvido pelo IMAM e licenciado para a ISMA para apresentação na Movimat 2010 e divulgação

Leia mais

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO

FINALIDADE DESTA ESPECIFICAÇÃO SESC PANTANAL HOTEL SESC PORTO CERCADO POSTO DE PROTEÇÃO AMBIENTAL SÃO LUIZ BARÃO DE MELGAÇO/MT ESTRUTURAS METÁLICAS PARA COBERTURA DE BARRACÃO DEPÓSITO MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO VI 1. FINALIDADE DESTA

Leia mais

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das

Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das Este sistema de transporte busca a combinação ideal entre a eficiência dos transelevadores e os processos de entrada, expedição e manipulação das unidades de carga. Trata-se de um conjunto de elementos

Leia mais

Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar.

Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar. Catálogo Técnico Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar. m a t e r i a i s p a r a c o n s t r u i r m e l h o r. Vigas leves de alta resistência A LP Viga I é fabricada pela LP Building

Leia mais

Acessórios para empilhadeiras

Acessórios para empilhadeiras Índice: Acessórios para empilhadeiras - MSI-Forks & ATIB - Cotando acessórios - Modelos de equipamentos - Kit hidráulico e opcionais - Garantia e suporte local MSI-Forks & ATIB A MSI-Forks oferece ao mercado

Leia mais

Estantes Simplos para cargas ligeiras

Estantes Simplos para cargas ligeiras Estantes Simplos para cargas ligeiras Estantes Simplos Estantes Simplos O sistema de armazenagem Simplos proporciona a melhor solução às mais diversas necessidades de armazenagem de cargas médias e ligeiras,

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU PROJETO A VEZ DO MESTRE SISTEMAS DE ARMAZENAGEM Simone Delmondes Moreira Orientadora Professora Ms. Ana Cristina Guimarães Rio de Janeiro 2007 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 1. Contextualização. Importância da Área de Materiais. Estoque. Objetivos da Armazenagem

Armazenagem, Controle e Distribuição. Aula 1. Contextualização. Importância da Área de Materiais. Estoque. Objetivos da Armazenagem Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 1 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Entrada Estoque Nível de estoque Importância da Área de Materiais Comércio: 70 a 85% do orçamento Saída Indústria:

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DE RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Rev 02 1/5 1. Objetivo Este manual tem por objetivo orientar os usuários / clientes quanto aos itens a serem

Leia mais

UnB Universidade de Brasília. Administração de Recursos Materiais. Tema: Gestão de estoque. Alunos: - Beliza de Ávila.

UnB Universidade de Brasília. Administração de Recursos Materiais. Tema: Gestão de estoque. Alunos: - Beliza de Ávila. UnB Universidade de Brasília Administração de Recursos Materiais Tema: Gestão de estoque Alunos: - Beliza de Ávila - Felipe Jordán - Guilherme de Miranda - Jefferson Coelho O conceito de ocupação física

Leia mais

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO

ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO e MANUAL TÉCNICO ANDAIME FACHADEIRO ANDAIME FACHADEIRO Trabalho em Altura Uma das principais causas de acidentes de trabalho graves e fatais se deve a eventos envolvendo quedas de trabalhadores de diferentes

Leia mais

PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER

PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER Schoeller.indd 1 9/24/12 11:34 AM PALLET PLÁSTICO É SCHOELLER O Grupo Schoeller, referência de qualidade, está presente em mais de 50 países, em todo o mundo. O emprego da alta tecnologia e a adoção de

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidades 07 Tipos de estocagem Sistema de estocagem Principais técnicas Equipamentos de estocagem 1 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

Leia mais

Estantes para picking

Estantes para picking M7 Estantes para picking Sistema de armazenagem de produtos para picking manual que segue o princípio homem a produto. Principais vantagens: - Possibilidade de armazenar produtos de carga média e grande.

Leia mais

DIRETRIZES P/ O PLANEJAMENTO OU EXPANSÃO DAS INSTALAÇÕES 1 - Planeje o futuro layout com todos os detalhes. 2 - Projete as expansões em pelo menos

DIRETRIZES P/ O PLANEJAMENTO OU EXPANSÃO DAS INSTALAÇÕES 1 - Planeje o futuro layout com todos os detalhes. 2 - Projete as expansões em pelo menos CHECK SEU LAYOUT Com a quantidade a produzir, o planejamento do fluxo geral dos materiais, os métodos de trabalho planejados, mais o trabalho padrão especificado, nós podemos determinar e dimensionar os

Leia mais

Plataformas para Manuseio de Estoques (Stock Pickers)

Plataformas para Manuseio de Estoques (Stock Pickers) Plataformas para Manuseio de Estoques (Stock Pickers) Plataformas para Manuseio de Estoques JLG Alcance um Nível Superior de Segurança e Produtividade com as Plataformas para Manuseio de Estoques JLG (Stock

Leia mais

Papelão Ondulado. Ronildo Peroti Outubro/2012 São Paulo

Papelão Ondulado. Ronildo Peroti Outubro/2012 São Paulo Papelão Ondulado Ronildo Peroti Outubro/2012 São Paulo Ronildo Peroti Experiência no setor nas áreas de Desenvolvimento de Produtos, Produção e Manutenção; Gerente de Desenvolvimento de Produtos da Cartonagem

Leia mais

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE.

CARROS DE MÃO. Compre Produtos Certificados. Na Equipleva todos os equipamentos cumprem com as diretivas da CE. Carros de Mão Carros Ligeiros com Plataforma Carros para Cargas Médias/Elevadas Carros Armário com e sem Prateleiras Carros com Banca de Trabalho Carros de Apoio à Industria Carros de Reboque Carros para

Leia mais

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº

COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 14ª REGIÃO D.S.M.P. - SEÇÃO DE COMPRAS COTAÇÃO DE PREÇOS Nº.150/2007 PROCESSO TRT Nº 01714.2007.000.14.00-3 Solicitamos de Vossa Senhoria

Leia mais

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM Logística e Cadeia de Suprimentos UNISO Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves É a atividade que compreende o planejamento, coordenação, controle e desenvolvimento das operações destinadas

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais

E-BOOK GUIA PRÁTICO DE ARMAZENAMENTO E PRODUÇÃO SEM DESPERDÍCIOS

E-BOOK GUIA PRÁTICO DE ARMAZENAMENTO E PRODUÇÃO SEM DESPERDÍCIOS E-BOOK GUIA PRÁTICO DE ARMAZENAMENTO E PRODUÇÃO SEM DESPERDÍCIOS INTRODUÇÃO O seu estoque é organizado? Apesar de parecer algo simples, a desorganização do estoque pode gerar grandes prejuízos. A falta

Leia mais

I N S T A L A Ç Õ E S I N D U S T R I A I S C A L D E I R A R I A E Q U I P A M E N T O S

I N S T A L A Ç Õ E S I N D U S T R I A I S C A L D E I R A R I A E Q U I P A M E N T O S I N S T A L A Ç Õ E S I N D U S T R I A I S C A L D E I R A R I A E Q U I P A M E N T O S WWW.MONTEX.COM.BR Publicação: MONTEX Montagem Industrial Ltda. CNPJ: 44.700.375/0001-30 Endereço: Rua das Tulipas,

Leia mais

AVISO DE RESULTADO DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 039/2015 - SAÚDE MENOR PREÇO POR ITEM

AVISO DE RESULTADO DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 039/2015 - SAÚDE MENOR PREÇO POR ITEM AVISO DE RESULTADO DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 039/25 - SAÚDE MENOR PREÇO POR ITEM A Pregoeira Pollyanna Allen Gomes de Jesus, designado pela Portaria nº 092/24 da Prefeitura Municipal de Goiânia / Secretaria

Leia mais

EQUIPAMENTOS DE APOIO PARA OPERAÇÕES LOGÍSTICAS

EQUIPAMENTOS DE APOIO PARA OPERAÇÕES LOGÍSTICAS EQUIPAMENTOS DE APOIO PARA OPERAÇÕES LOGÍSTICAS Soluções Inteligentes para Transporte e Armazenagem de Produtos Nada Menos que Excelência Grupo Com vitalidade e sinergia, o Grupo atua em diversos segmentos

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária)

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária) MANUAL TÉCNICO (Proteção Periférica Primária e Secundária). 2 SUMÁRIO Proteção Periférica Primária e Secundária...03 Descrição Técnica...04 Sistema de Ancoragem...06 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 24/2011

SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO. Corpo de Bombeiros INSTRUÇÃO TÉCNICA Nº 24/2011 Instrução Técnica nº 24/2011 - Sistema de chuveiros automáticos para áreas de depósito 519 SECRETARIA DE ESTADO DOS NEGÓCIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DE SÃO PAULO Corpo de Bombeiros

Leia mais

Pontos consumo de vapor (economia linhas alta pressão) Almoxarifado Administração Unidade recreativa (gases de combustão) Caldeira

Pontos consumo de vapor (economia linhas alta pressão) Almoxarifado Administração Unidade recreativa (gases de combustão) Caldeira Interligação das Unidades O estudo do arranjo físico das edi cações de uma indústria gera a Planta de Locação, relacionando as várias unidades de produção entre si e vinculandoas demais unidades auxiliares,

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS 1. ESTRUTURA E BLINDAGEM DOS MODULOS 1.1 - Estruturas Laterais Externas Deverão ser confeccionadas em chapa de aço SAE1010 #18, com varias dobras formando colunas, sem quinas ou

Leia mais

Manual de Instruções Transportadores Moveflex Série B

Manual de Instruções Transportadores Moveflex Série B Manual de Instruções Transportadores Moveflex Série B Versão: 4.0 Data:01/2015 Ind. e Com. Eletro Eletronica Gehaka Ltda. CNPJ: 13005553/0001-23 Av. Duquesa de Goiás, 235 - Real Parque 05686-900 - São

Leia mais

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS

COMPONENTES PARA ANDAIMES PROFISSIONAIS Bastidores das Torres Rolantes Disponíveis em 2 larguras (0,75 e 1,35 m) de 4 degraus (1 m) e 7 degraus (2 m) Os degraus possuem uma superfície estriada antideslizante e a distância entre degraus é de

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

Diretivas de transporte, embalagem e manuseio

Diretivas de transporte, embalagem e manuseio Diretivas de transporte, embalagem e manuseio Esta diretiva compreende orientações gerais relativas ao transporte, embalagem e manuseio de máquinas e fornecimentos da empresa KraussMaffei Technologies

Leia mais