negócios dos filhos dos ricos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "negócios dos filhos dos ricos"

Transcrição

1 capa negócios dos filhos dos ricos Os descendentes de empresários e gestores bem sucedidos não dormem à sombra dos pais. Dentro ou fora dos impérios familiares, conheça os trilhos seguidos pela nova geração de 15 famílias: os Amorim, Azevedo, Soares dos Santos, Espírito Santo Salgado, Mello, Guedes, Champalimaud, Roquette,Silva Matos, Rebelo de Almeida, Fesht, Santo Amaro, Fino, Alves RIbeiro e Gaspar Texto Adriano Nobre, João F. Palma Ferreira, Margarida Cardoso, Sónia M. Lourenço e Helena C. Peralta / Fotos Nuno Fox 28/ Exame /

2 / Exame/29 Foto getty images

3 capa OO mito de que a primeira geração constrói, a segunda mantêm e a terceira destrói, parece estar a cair por terra. Sangue novo, com mais qualificação, mais viajado e criativo está a procurar rejuvenescer os negócios dos seus antecessores. Herdar não significa gastar, mas tentar engrandecer. Esta é, pelo menos, a visão de alguns descendentes de empresários nacionais bem-sucedidos. 30/ Exame / Durante anos os negócios familiares eram, erradamente, vistos como sinónimo de má gestão, pouco profissionalismo e até nepotismo. Sobressaía em especial este último aspeto, já que os filhos dos empresários que iam trabalhar nos negócios paternos eram, muitas vezes, catalogados como uns incompetentes. Felizmente, aos poucos, a opinião pública começou a ver estas empresas com outros olhos. Maria da Glória Ribeiro, fundadora e managing partner da firma de executive search Amrop, refere que os temos má gestão e à beira do desaparecimento já não se aplicam às empresas familiares. Algumas das maiores companhias do mundo são familiares e até podem ser cotadas, mantendo um núcleo duro de acionistas da família, diz. Há estudos que mostram que estas sociedades, que representam 60% das empresas europeias e 40% a 60% do PIB dos Estados Unidos, têm inúmeras vantagens. Demonstram estabilidade na gestão, pensam a longo prazo, os executivos estão mais próximos da tomada de decisão e preocupam-se em deixar um legado para as gerações vindouras. Ora, para Maria da Glória Ribeiro, estes descendentes nem sempre têm as mesmas características genéticas dos pais, que foram selfmade men, mas que, como são preparados para isso, têm a obrigação de corresponder às exigências. Esta especialista fala em dois modelos de famílias: as que preparam os descendentes para serem empresários empreendedores e as que os preparam para gestores das suas empresas ou fortunas, sendo representantes dos investidores. Em qualquer dos casos os filhos têm de dar provase isso está a mudar a imagem dos filhos do patrão. Marina Sá Borges, secretária-geral da Associação das Empresas Familiares, defende que nas famílias patrimoniais infelizmente não em todas as pessoas são educadas com maior grau de exigência. Claro que há excepções. Mas hoje os clãs têm todo o interesse em ir buscar talento e já nada passa para os filhos de mão-beijada, diz. Contudo, há ainda que distinguir a dimensão das sociedades: até aos 100 funcionários a atitude do proprietário é ainda muito omnipresente e omnipotente, não abrindo mão do poder absoluto.

4 Família Amorim Paula A partir da Fashion Clinic (na foto) ergueu um império na moda. É é vice-presidente do Grupo Américo Amorim (GAA) Luísa Tem assento no GAA e é a única filha a integrar a administração da Corticeira Amorim Marta Tem cargos no GAA e desempenha funções em outras empresas detidas pela família A partir deste patamar já há mais espaço para delegar, entrando sangue novo e com ele novas ideias. Há já empresas familiares que criam fundos para a educação dos seus descendentes, refere. Algumas preocupam-se em estabelecer protocolos familiares e a exigir um mínimo de cinco anos de experiência profissional externa para ingressar na empresa dos pais ou tios, como é o caso da Aveleda. Experiência internacional é também cada vez mais valorizada pelas empresas familiares. Conheça a seguir quais os descendentes que optaram por ficar nas sociedades dos pais e os que seguiram caminhos autónomos. Foto tiago miranda Paula, empresária global É uma das filhas do homem mais rico de Portugal. Na noite de 22 de janeiro, Paula Amorim a primogénita, foi a única representante de uma sociedade detida por portugueses a ser premiada em Londres, na gala da IRF - International Financing Review. Promovida pela Thomson Reuters, a entrega dos prémios IFR de 2013 reuniu 1200 quadros de topo da banca de investimento na maior sala londrina, na Grosvenor House, em Park Lane. O galardão da IFR foi atribuído à holding Amorim Energia pela emissão de 400 milhões de euros de obrigações permutáveis em ações da Galp Energia. Como vice-presidente do Grupo Américo Amorim (GAA), Paula Amorim representou o acionista maioritário da Amorim Energia, que, por sua vez, detém 38,34% da Galp Energia. Longe vai o ano de 1992, em que Paula Amorim deu os seus primeiros passos no GAA, a cabeça dos negócios Z / Exame/31

5 capa Z individuais de Américo Amorim. Hoje, volvidos 22 anos, tem experiência firmada em seis áreas da energia à cortiça, passando pela floresta, sector financeiro, imobiliário e, sobretudo, pelo negócio dos bens de luxo. Tem o curso de Gestão Imobiliária, da ESAI - Escola Superior de Atividades Imobiliárias, mas foi ganhando experiência em cada área do GAA, embora a sua maior vocação seja a moda. Marta está nos negócios da família Embora as suas duas irmãs, Marta e Luísa, também tenham cargos no GAA e desempenhem funções em outras empresas detidas pela família, Paula destaca-se no número de negócios que acompanha. Ao todo tem 37 cargos de alta administração, dos quais seis vice-presidências, 26 cargos de administradora, três administrações únicas e duas gerências. Conhece alguns dos maiores empresários mundiais, e move-se perfeitamente em mercados como o angolano e o brasileiro, sendo reconhecida pelos principais gestores da finança internacional. Aos poucos, quase sem ter dado por isso, foi entrando no mundo dos negócios e deixou de ser só uma das filhas de Amorim. Recusa abordar o tema da sucessão porque é uma questão que não é sequer falada na família. O seu pai, será sempre o patriarca, e quem decide os seus negócios. Paula participa na gestão do GAA, mas tem vida própria. Está divorciada e a sua máxima prioridade são os dois filhos, seguindo-se o apoio à família (aos pais) e os negócios. Na moda, descreve com entusiasmo os projetos que quer desenvolver na Fashion Clinic alguns já amadureceram, outros estão a ser negociados e permanecem no segredo dos deuses, porque, em negócios, nunca se fala em nada antes de estar concretizado, diz. No entanto reconhece que tal como os espanhóis já mostraram que conseguiam erguer marcas fortes, os portugueses, com tradição no setor têxtil e na boa confeção, também podem criar marcas com produção própria, de prestígio, com bom design, a preços competitivos, adianta. Falando à margem da Gala da IFR em Londres, a empresária deixa em aberto a possibilidade da sua marca Fashion Clinic vir a ter produção própria. Pela evolução deste negócio tem duas lojas em 32/ Exame / Lisboa, ambas na avenida da Liberdade, e uma no Porto, na avenida da Boavista admite que a Fashion Clinic está madura para um novo crescimento, e esse passo deverá ser dado em breve. Outro negócio de moda em que investiu com entusiasmo foi a marca Tom Ford. Ele próprio foi o principal diretor criativo da Gucci. Trata-se de um projeto onde Paula controla 25% do capital, deixando ao ex-ceo da Gucci, Domenico De Sole uma participação de 11,25% e 63,75% à posição que o próprio Tom Ford conseguiu financiar. A primeira loja de moda masculina de luxo da Tom Ford foi inaugurada em 2007, no número 845 da avenida Madison, em Nova Iorque. Em 2011 diversificou para a alta costura feminina e em 2013 a Tom Ford tinha o objetivo ter manter uma rede global com mais de 200 lojas em todo o mundo, com destaque para Hong Kong, Xangai e Pequim, Tóquio, Nova Deli, Seoul, Sidney, Dubai, Istambul, Moscovo, Berlim e Munique, Zurique, Milão e Roma, Monte-Carlo, Madrid e Marbella, Paris, Amesterdão, Londres, Los Angeles, Dallas, Las Vegas, Toronto e Cidade do México. No mesmo sentido, Paula apostou numa loja Gucci para a qual firmou um contrato semelhante ao franchise que já se revelou um êxito em Lisboa, diz. Sabia que a marca Gucci tinha uma notoriedade forte, mas não imaginava que a loja de Lisboa viria a ser a mais rentável de todas, segundo os parâmetros que a marca utiliza para as operações em franchising, comentou, admitindo que esse êxito deve- -se ao crescimento do turismo em Lisboa, Paula, Marta e Luísa estão na gestão do império Amorim. Paula é quem se move melhor em mercados como o angolano e o brasileiro um segmento que constitui parte significativa dos seus clientes. Luisa, a executiva apaixonada pelo Douro É a filha mais nova de Américo Amorim. Trabalhadora, empenhada, muito frontal, uma verdadeira guerreira, diz quem trabalha com ela, Luísa continua a ser uma ilustre desconhecida entre a população de Covas do Douro, onde a família comprou, em 1999, a Quinta Nova de Nossa Senhora do Carmo. Mas não terá hesitado em mobilizar conhecimentos para materializar a ideia de apoiar uma região que as estatísticas europeias colocam entre as 15 mais pobres da Europa, com o índice médio do poder de compra 32 vezes inferior à média nacional, como refere a apresentação da Bagos d Ouro, instituição que criou para apoiar crianças carenciadas no percurso escolar, naquela região. Aos 40 anos, é a única filha de Américo Amorim a integrar a administração da Corticeira Amorim, onde entrou como vogal em 2013 depois de somar, desde 1998, passagens por todas as empresas do negócio familiar da cortiça. Até fiz rolhas e escolhi cortiça na prancha, disse ao Expresso, em 2010, quando apresentou no currículo um curso de Hotelaria e Marketing e alguma experiência internacional antes de encontrar no Douro uma paixão para a vida e assumir a direção geral da Quinta Nova, de alma e coração. No mundo dos negócios, a Quinta, onde entrou em 2005, é o seu cartão de visita. São 120 hectares, 85 dos quais valorizados por vinhas da letra A, uma casa senhorial oitocentista transformada em hotel vínico, uma adega que a revista da companhia aérea American Airlines considerou uma das nove adegas imperdíveis do mundo e um portfólio que abarca vinhos, tisanas, doces de fruta, mel e azeite. A produção anual de 300 mil garrafas gera um volume de negócios de dois milhões de euros, 50% do qual relativo à exportação para 25 países. Soma vários galardões internacionais na área do turismo e nos vinhos. O último foi a seleção dos tintos grandes reservas Mirabilis, Referência e Clássico de 2011 entre os Best of 2013 da revista Wine Advocate, do conceituado crítico norteamericano Robert Parker. Z

6 capa Foto rui duarte silva Foto susana rodrigues/expresso Descendentes de Belmiro têm poder Duarte Paulo, Maria Cláudia e Nuno Miguel são os filhos de Belmiro de Azevedo, quarto mais rico de Portugal, segundo a Exame, com fortuna de 1,2 mil milhões de euros. Herdeiros de um grupo que elegeu a cultura do mérito como imagem de marca, estudaram no estrangeiro, aprenderam com o pai a lição do rigor financeiro e tiverem liberdade para escolher o caminho. Nem todos estão na Sonae. Paulo é o homem Sonae, o mais conhecido. Na juventude, Paulo foi barman para ganhar uns trocos. Aos 16 anos geria o seu orçamento e nunca sentiu o impacto de ser herdeiro de um dos homens mais ricos do país. Numa entrevista ao Expresso, admitiu, no entanto, que teve grande importância ser filho do maior empresário de Portugal. Tenho muitas dúvidas de que tivesse acabado gestor se não fosse filho dele, porque via a importância e o impacto das coisas que fazia. Detesta desperdícios, tal como o pai. Na vida privada, viveu dois anos sem televisão depois de mudar de casa e recusa fazer esqui na Suíça por considerar demasiado caro. Nos negócios, o filho do meio de Belmiro revolucionou a estratégia 34/ Exame / da Sonae de forma a internacionalizar e expandir o grupo com capital light, sem grandes investimentos. Para muitos, na Sonae, é visto como humilde, discreto, intuitivo, afável, trabalhador, estratego, inteligente, ambicioso, competente, capaz de liderar equipas. Ele admite ter a estrutura de pensamento do pai. Aprendeu com ele a frugalidade, mas diz ter sido a mãe quem o tornou uma pessoa relativamente tolerante. Casado com uma alemã que conheceu na Suíça, aos 47 anos, gosta de desportos radicais, ténis e futebol. Coautor do livro Reformar Portugal, é membro do conselho geral da AEP, do Conselho de Fundadores da Casa da Música e do grupo Compromisso Portugal. Construiu um sólido currículo académico entre Portugal, um colégio interno em Inglaterra e a Suíça, onde se licenciou em Engenharia Química na Escola Politécnica Federal de Lausana. O MBA foi feito na Escola de Gestão do Porto. Acumulou formação executiva em Harvard e Stanford. Aos 21 anos quis fazer uma televisão. A opção por uma carreira de gestão na Sonae só foi tomada perto dos 30 anos e antes de suceder a Belmiro de Azevedo na presidência do grupo foi analista e diretor de projetos de investimento na Sonae Tecnologias de Informação, fundou a Optimus, desempenhou funções executivas na Sonae Indústria, Modelo Continente e Sonae SGPS, presidiu à SonaeCom. Na liderança do grupo Sonae, começou por estranhar o facto de ter de decidir o que era o seu próprio trabalho, mas rapidamente passou a apreciar a oportunidade de ter tempo para refletir, pensar o futuro da empresa, a estratégia corporativa, procurando, sempre, o equilíbrio entre a atividade de decisão, a prática e a atividade intelectual. A irmã Claúdia, aluna exemplar, andou indecisa entre a biotecnologia e a gestão. Acabou por seguir o caminho que a podia levar aos negócios da família. Licenciou-se em gestão de empresas pela Universidade Católica Portuguesa, fez um MBA no IN- SEAD, em Fontainebleau, e iniciou a carreira aos 24 anos, como gestora de produto do Banco Universo. Desde então, percebeu que para um herdeiro conseguir um cargo nas empresas do grupo precisava de ter 25 % mais de mérito, mas foi subindo na hierarquia da Sonae. Administradora da SonaeCom

7 Foto Filipe paiva/visão Clã Azevedo Paulo No cartão de cidadão é Duarte Paulo Teixeira de Azevedo, nasceu em 1965, casado, três filhos, intuitivo e frugal. É o presidente executivo do universo Sonae Cláudia É casada com Miguel Barros, duas filhas. Nasceu em Administradora da SonaeCom e ZonOptimus foi chamada a liderar a Sonae Capital e é administradora do jornal Público Nuno Nasceu em 1964, tem dois filhos e é um apaixonado pela história da Idade Média. Trabalhou dentro e fora do grupo, foi administrador delegado da Fundação Casa da Música. Vive agora um periodo sabático e da ZonOptimus, foi chamada a suceder ao pai na liderança da Sonae Capital. Tem ainda no currículo, a administração e reorganização do Público, um dos negócios mais problemáticas do grupo. Tímida, sorri pouco, não gosta de ouvir um não, é fã do humor dos Monty Phython, diz quem a conhece. É a mais parecida com o pai na fisionomia e no feitio, repetem colegas. Muito ligada à família, revelou-se uma rapariga comum, sem grandes rebeldias, que sente pelo pai uma enorme afeição, disse Magalhães Pinto, biógrafo de Belmiro de Azevedo. Cláudia é, talvez, a mais parecida comigo, a que tem mais killer instinct, admitiu o empresário num comentário sobre os filhos publicado no livro O Homem Sonae. Pelo menos, tento ser tão frontal como o meu pai. Acho que é uma virtude, confessou Cláudia à Caras em 2010, no dia em que o jornal Público celebrou 20 anos. No caso do filho mais velho, Nuno, o envolvimento com a Sonae durou 10 anos, mas mesmo fora do grupo Nuno tem seguido o famoso percurso em ziguezague, defendido pelo pai. A prova-lo, está o caminho escolhido depois de deixar, há um ano, o cargo de Administrador Delegado da Fundação Casa da Música: optou por um período sabático durante o qual se interessou pela história do monarquismo ibérico nos séculos XI e XII, é presidente do júri do prémio Partis da Gulbenkian, e está a colaborar na assessoria ao programa 25 anos do IPATIMUP. Aos 14 anos foi para Inglaterra, onde acabou o secundário. Antes de ir para a Universidade Católica de Louvaine, onde se licenciou em Ciências Políticas e Relações Internacionais, tirou um ano sabático em que andou pela Alemanha, trabalhou numa fábrica de máquinas e usou parte do primeiro salário para comprar uma estereofonia No regresso a Portugal, foi jornalista no Diário de Lisboa, então dirigido por Mário Mesquita, de quem tinha ficado amigo na Bélgica. A experiência durou um ano, tempo suficiente para Nuno se tornar o único jornalista português a cobrir a libertação de Nelson Mandela da cadeia de Robben Island, após 28 anos de reclusão. Seguiu-se o período Sonae. Foi diretor comercial da Modelo Continente, administrador da Sonae SGPS, da Sonae Indústria e da Sonae Imobiliária, mas hoje mantém, apenas, uma ligação aos negócios da família através da administração da Efanor. Paralelamente, soma ligações a instituições públicas de índole cultural e social, da Sociedade Porto 2001, à Fundação de Serralves e à Fundação Portugal - África. Envolveu-se em projetos no sector da educação e do desenvolvimento territorial em Moçambique. Aos 49 anos, acredita que uma sociedade não se pode construir só com boas empresas e a cultura é um importante para ultrapassar a crise. Gosta de viajar, faz ciclismo, joga e vê futebol. Na Casa da Música fazia questão de ser um dos primeiros a chegar e cumprimentava todos. Quem trabalhou com ele diz que defende ao limite as suas posições, é curioso, interventivo, perfeccionista, profissional em tudo, mas também sabe divertir-se. Na hora da saída, mostrou saber ser frontal, tal como o pai. Ao Expresso, disse na altura que dialogar com o Governo sobre a Casa da Música foi pior do que embater num muro, porque é um muro que não quer ver a evidência do que está a ser colocado à frente e muitas das decisões tomadas em Portugal não são verdadeiramente pensadas, resultam de uma obediência cega aos ditames europeus. / Exame/35

8 capa Os Soares dos Santos unidos na sucessão Na sucessão na liderança da Jerónimo Martins (JM), anunciada em 2013, a escolha do filho Pedro Soares dos Santos para a presidência já era antecipada pelo mercado e pela família como natural.a opção foi consensual. A família de Alexandre Soares dos Santos (pai) apoiou de forma unânime a escolha de Pedro como representante da sociedade familiar a Sociedade Francisco Manuel dos Santos (SFMS) para presidir ao Conselho de Administração da JM. E os investidores e analistas sabiam que a anterior nomeação de Pedro, em 2010, para o cargo de administrador-delegado da empresa já tinha sido o preâmbulo deste desfecho. Mas a tranquilidade deste processo não ocorreu por geração espontânea. Foi preparada. Dos sete filhos de Alexandre, Pedro, com 54 anos, foi aquele que na última década assumiu maior protagonismo, enquanto rosto do sucesso da JM na Polónia, onde é líder de mercado com a Biedronka e de onde já provêm mais de 60% das receitas globais da empresa portuguesa. Foi depois dessa aventura que o levou a viver dois anos na Polónia e a aprender polaco que o próprio Pedro assumiu o interesse em suceder ao pai na liderança da JM. Algo em que, diz, nunca tinha pensado desde que iniciou funções na empresa em 1983, na direção de operações do Pingo Doce. Para o pai, Alexandre, a solução foi a mais natural. O patriarca assume que ele e Pedro são muito pouco diferentes e que mérito foi essencial na escolha. Nunca houve nesta empresa a discussão sobre quem é que na família vai liderar a JM. Numa empresa desta dimensão, cotada em bolsa e com atividades em Portugal, na Polónia e na Colômbia, nem podia ser de outra maneira, explicou à Exame em 2013, a propósito da escolha de Pedro para administrador-delegado. Entre os filhos de Alexandre há mais dois com funções de topo em órgãos sociais da JM. José Soares dos Santos, nascido em 1962 e dois anos mais novo do que Pedro é, entre outros cargos, membro do Conselho de Administração e da Comissão de Governo da Sociedade e de Responsabilidade Corporativa. O filho mais velho, Francisco Soares dos Santos, nascido em 36/ Exame / Família Soares dos Santos Pedro 54 anos, depois de ter sido o rosto da operação da Jerónimo Martins na Polónia, tornou-se o sucessor natural no império José Dois anos mais novo do que Pedro, integra o Conselho de Administração e a Comissão de Governo da Sociedade e de Responsabilidade Corporativa Francisco É o mais velho e é presidente da sub-holding JM Restauração e Serviços 1958, é presidente da sub-holding JM Restauração e Serviços. Ambos integram ainda o Conselho de Administração da SFMS, com a maioria de capital da JM. Sobre os restantes filhos, a informação é quase inexistente. Rita, Teresa, Henrique e Maria não constam da documentação oficial da JM ou da Sociedade Francisco Manuel dos Santos como tendo cargos de topo. Sabe-se só, porque o próprio Alexandre Soares dos Santos já o revelou publicamente, que todos os filhos passaram pelo IMD para se formarem no Global Family Business Center. E que decisões fundamentais sobre o futuro da JM e sobre investimentos da sociedade familiar são objeto de discussão e ponderação entre todos. Exemplo disso foi a reunião que Alexandre promoveu em 2013, em Vila Viçosa, para anunciar a decisão de deixar a presidência. Juntou toda a família, 80 pessoas, da sua geração até ao neto mais novo, de 15 Foto alberto Frias

9 anos, para anunciar a decisão, apresentar a evolução da JM durante a sua liderança de 46 anos e debater o futuro. Uma coisa que me agradou muito foi a ideia de que a JM não é para vender. Nunca será vendida, disse ao Expresso, convicto de que o seu afastamento da liderança não poderá originar fissuras na coesão familiar. Nunca se pode dizer que não há. Mas neste momento não há. A preparação para a minha saída já vinha de alguns anos e foi feita com calma. O que é preciso é que a família continue a encontrar-se e que a informação circule. Esse é um problema comum em muitas famílias, mas que aqui está contemplado. Também foi debatido que o nome de uma casa se constrói todos os dias. E se destrói num dia. Há exemplos recentes noutras famílias, disse. O que fazem os filhos de Ricardo Salgado? Descendem de uma linhagem de banqueiros, a família Espírito Santo. Catarina Amon Salgado, 43 anos, Ricardo do Espírito Santo Bastos Salgado, 41 anos, e José Ricardo Espírito Santo Bastos Salgado, 30 anos, os três filhos de Ricardo Salgado, presidente executivo do BES têm a finança no sangue. Tal como o negócio da família. Sinal disso, os três trabalham na área financeira do Grupo Espírito Santo. E há outros pontos em comum: todos estudaram Ciências Económicas e começaram a carreira em instituições financeiras globais. Catarina tinha quatro anos quando saiu de Portugal com a família, após a nacionalização da banca, em O destino foi o Brasil. Segue-se a Suíça, em 1982, onde prossegue a escola. É neste país que estuda ciências económicas (módulo gestão de empresas, com especialização em finanças), na prestigiada Ecole des Hautes Etudes Commerciales (HEC), da Universidade de Lausanne. Em 1997 começa a trabalhar na UBS, na divisão de banca privada, e três anos mais tarde ingressa na Banque Privée Espírito Santo, que se dedica à gestão de fortunas. Desde 2008 faz parte do conselho de administração desta instituição do GES. É casada com o empresário Philippe Amon, cuja empresa de família, a Sicpa, fornece tintas de segurança para 90% das notas do mundo. Residem na Suíça, onde Catarina estuda piano no Conservatório de Lausanne, e têm três filhos: Alma, de sete anos, Benjamin, de seis, e Clara, de três. O seu irmão, Ricardo estuda Economia, na Universidade de Charlottesville, na Virginia, Estados Unidos. Em 1997 começa a trabalhar na Merrill Lynch, em Londres, no Reino Unido, como analista no Financial Institutions Group. Um ano depois regressa a Lisboa e ingressa no Banco Espírito Santo. Começa por baixo, como técnico administrativo no departamento de grandes empresas, após estagiar no balcão da Praça de Londres. Depois, foi subindo: foi subdiretor da sala de mercados; diretor do centro de empresas de Setúbal; e diretor do centro de empresas do Saldanha. Desde 2008 é diretor-coordenador do departamento de corporate banking e da Unidade Internacional Premium, sendo responsável por grandes empresas e multinacionais e apoio à internacionalização das empresas lusas. Casado com Rita Bustorff de Sousa Tavares, filha do escritor Miguel Sousa Tavares, tem três filhos. José Ricardo é o mais novo. Estudou economia, na Universidade Nova de Lisboa, fazendo um ano na HEC, Suíça, através do programa Erasmus. Em 2006 ingressou na JP Morgan, começando a trabalhar na banca de investimento. Dividiu-se entre o escritório de Londres e Madrid até 2009, quando voltou a Lisboa e entrou na ESAF Espírito Santo Ativos Financeiros (GES). Desde 2012 está na equipa de banca privada do BES, em Madrid. Praticou Muay Thai (arte marcial) e adora velejar desde os 14 anos, chegando aos campeonatos nacionais e ibéricos em 2002 e 2009, na classe Dragão. É casado, sem filhos. Os Espírito Santo Salgado Catarina, Ricardo e José Ricardo Os três trabalham na área financeira do Grupo Espírito Santo Clã Guimarães José de Mello Martim, Diana, Teresa e Mafalda seguem trilhos fora do império familiar, mas só Martim ainda não tem 27 anos, a idade exigida para poder entrar no grupo Herdeiros Mello seguem vida própria A geração mais nova da família Guimarães José de Mello segue caminhos que não se cruzam com as empresas do seu grupo. Até à data, os quatro filhos de Vasco de Mello não mostraram apetência por trabalhar na Brisa (onde o grupo controla 52,8% do capital), nem na química da CUF, nos hospitais e residências de terceira idade da José de Mello Saúde, no setor da energia da Efacec, e tão pouco na área imobiliária. Mas isso não significa que no futuro não venham a encarar essa hipótese. Se tomarem essa decisão, sabem que terão de enfrentar desafios, sobretudo se algum dos quatro quiser seguir o rumo paterno, concorrendo à liderança do Grupo do José de Mello, hoje presidido por Vasco de Mello. Ainda no tempo do patriarca José Manuel de Mello, pai de Vasco, foi criado um modelo de organização transparente que facilitará a sucessão dentro da família. Este modelo segue as regras de um Protocolo Familiar, cujo cumprimento é acompanhado no âmbito do Conselho da Família José de Mello. Desta forma, todos os membros da família estão vinculados às mesmas regras que explicitaram inclusive os procedimentos mais elementares. Por exemplo, até para seguirem uma carreira profissional dentro do grupo serão submetidos a uma triagem e só podem assumir cargos se tiverem mérito e se houver lugar vago. Mas antes de entrarem no grupo, todos terão de preencher requisitos básicos onde figuram a formação académica, uma experiência profissional mínima de cinco anos fora do grupo com bom desempenho e, ainda ter mais de 27 anos. Pela idade, apenas um dos quatro filhos de Vasco está fora destes critérios: Martim, que ainda só tem 23 anos e estuda Engenharia no Instituto Superior Técnico, pratica ténis e é um fiel sportinguista. A terceira filha, Diana, seguiu a carreira da comunicação e pertence aos quadros da Portugal Telecom, dedicando o tempo livre ao hipismo. A segunda filha, Teresa Maria vive no Rio de Janeiro, onde o marido, Miguel Garcia, desempenha o cargo de número dois na gestão do Hotel Copacabana Palace. Quanto à filha primogénita, Mafalda, é casada com Rui Guerreiro Pereira, segue a sua carreira na Cruz Vermelha, sendo licenciada em Gestão. / Exame/37

10 capa Na Aveleda Vinhos SA não entra quem quer, apenas porque é da família. Há um protocolo a seguir, importante para defender os interesses da companhia, logo de todo o clã. Na mão da mesma estirpe desde 1870, a quinta geração está já a entrar nos negócios. A holding Fernando e Irmãos SGPS, que detém a Aveleda SA e o Zoo Santo Inácio, é propriedade de Fernando, Luís, António, Maria Isabel, Maria Helena e Roberto, bisnetos do fundador, Manuel Pedro Guedes da Silva Fonseca. Apesar de serem 14 os filhos dos proprietários, apenas quatro estão a trabalhar nos negócios da holding e a sua entrada não foi facilitada. António Azevedo Guedes, 36 anos, filho de António Guedes, 76 anos, atual CEO, é administrador com o pelouro das áreas 38/ Exame / Família Guedes Martim Tem 35 anos e é administrador financeiro, comercial e marketing na Aveleda Vinhos. É filho de Roberto Guedes, que gere o grupo com António Guedes (ao meio na foto). Teresa Engenheira Zootécnica, lidera o Zoo Santo Inácio. Tem 31 anos e é irmã de Martim. Na foto recebe o abraço do tio, António, 76 anos, CEO na Aveleda Vinhos Francisco 32 anos, filho de Maria Helena, ingressou no grupo em 2006 para o marketing, após ganhar experiência fora do grupo António 36 anos, filho de António, é administrador com o pelouro da viticultura, enologia e pecuária de viticultura, enologia, produção e pecuária. São quatro os filhos do presidente, mas apenas este trabalha ao lado do pai. Licenciado em Engenharia Agrícola pela Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em Vila Real, não sabia muito bem o que pretendia seguir quando terminou o estágio. Acabou por ir para fora do país, em Estudou e trabalhou em Montpellier, onde fez uma pós-graduação em viticultura e enologia, tendo logo de seguida estagiado quatro meses em Bordéus. Em 2000 ingressa na Aveleda para um estágio entre Janeiro e Agosto e regressa à cidade francesa após esta experiência para aprofundar os conhecimentos na área industrial. Queria aprender mais sobre como fazer vinhos de qualidade, diz. Entrou na Aveleda em 2002, ao abrigo do Z

11 capa Z protocolo familiar, já com a devida experiência profissional e pronto a contribuir com inovação na sua área. Antes de vir, falei com o pai, tios e irmãos sobre a minha entrada e gostei de ouvir o que toda a família tinha a dizer. Comecei como responsável pela área de viticultura e passei depois a administrador, relembra. Sente que a geração mais jovem contribui com novas ideias, uma linguagem mais moderna, sempre num sentido construtivo, devido à educação que tiveram. Somos de uma família tradicional, onde nos foram passados bons valores. O dinheiro não era central, era apenas uma ferramenta para lutarmos, afirma. Vive no Porto e trabalha na Quinta da Aveleda, em Penafiel, e diz adorar o que faz. Sou muito irrequieto, gosto de melhorar continuamente. Somos uma boa equipa e queremos deixar esta empresa melhor, remata. Já Martim Guedes, 35 anos, filho de Roberto Guedes, que gere a empresa com António, soube sempre muito bem o que queria ser. Iniciei o meu primeiro negócio aos nove anos, com um sócio, e juntos vendíamos brigadeiros na escola, graceja. Seguiu Gestão e Finanças, no ISCEF do 40/ Exame / Os novos Champalimaud Duarte Tem 37 anos e, tal como Ana e Tomás (na foto) estão juntos no negócio do pai, Manuel Champalimaud, a holding Gestmin. Ana Foi a mais resistente aos negócios do pai, casada, 35 anos. Ex-designer gráfica, rendeu-se Tomás Tem 32 anos, é solteiro e queria ser polícia, mas acabou por se licenciar em Direiro e sonha ser empresário por conta própria Porto, sentindo-se sempre inclinado para mercados financeiros. O seu primeiro emprego, após acabar o curso, em 2000, foi na banca. Esteve dois anos no Central Banco de Investimento, na área de aconselhamento financeiro e comercial, e em 2002 fez as malas para Lisboa e abraçou novo desafio profissional no BPI Fundos. Saiu em 2006 para entrar nos negócios da família. A sua chegada à Aveleda foi preparada com antecedência, tendo iniciado as conversas com o pai e o tio quase um ano antes. Tudo foi bastante planeado: apresentou as suas intenções ao conselho familiar e optou por ir estudar um ano para Barcelona. Tirei um MBA em Marketing, pois era a área mais necessitada, e redirecionei a minha carreira. Hoje identifico-me completamente com este negócio, explica. Foi exigente, confessa, mas também foi sendo preparado para esse grau de exigência. Martim é agora administrador com responsabilidade nas áreas de controlo de gestão, administrativa e financeira, marketing e comercial. A sua irmã mais nova, Teresa, tem apenas 31 anos mas já tem responsabilidades a seu cargo. Desde que nasceu convive com a terra e a natureza, e optou por seguir engenharia zootécnica. A família do lado Van Zeller tinha uma quinta em Avintes, Vila Nova de Gaia, e foi assim que surgiu, em 2000, o Zoo Santo Inácio, o maior parque zoológico da zona norte, data que coincide com a sua entrada na universidade. Em 2006, Teresa aventura-se no negócio da família, cheia de sonhos. Um deles era fazer crescer o projeto, que conta atualmente com mais de 110 mil visitantes que procuram conhecer os cerca de 1000 animais, de 300 espécies, e usufruir de uma área de

12 sete hectares de jardins e bosque. O meu pai era diretor do zoo e eu entrei como diretora-adjunta. Era ainda uma miúda, mas o apoio do meu pai foi fundamental. Acredito que ainda posso contribuir muito para o crescimento do zoo, diz. Francisco Guedes de Almeida, 32 anos, filho de Maria Helena, é o mais viajado dos quatro primos. Com um pai diplomata, habitou-se a viver um pouco por todo o mundo, onde aprendeu cinco idiomas. Em Portugal estudou no Liceu Francês, em Lisboa, e fez uma licenciatura em Comunicação Social, na Universidade Católica. Fez Erasmus em Roma e um estágio na Rádio Vaticano. Quando voltou fez um estágio na agência de publicidade Ogilvy mas o mundo dos vinhos atraía-o. Desde os 16 anos que participava ativamente nas reuniões familiares em que se discutia a gestão da Quinta da Aveleda, e aos 23 anos já desejava fazer parte da empresa, relembra. Porém, o protocolo familiar era exigente, obrigava a uma experiência fora e teria de haver vaga para isso. Decidiu então aprofundar conhecimentos nesta área e foi fazer um mestrado em Gestão Vitivinícola, o Wine Management da OIV Organização A união dos Roquette Rita Rendeu-se à cultura do vinho graças ao pai, Jorge (na foto), dono da Quinta do Crasto. Hoje Ana lidera o projecto Roquette & Cazes Tomás 43 anos, confessa que há vantagens e desvantagens em trabalhar com o pai, mas é uma grande escola. Internacional do Vinho e da Vinha, o que lhe permitiu visitar mais de 20 países produtores de vinho. Dois anos de mestrado e dois meses de estágio na famosa adega italiana Zonin, valeram-lhe um bilhete de entrada na Aveleda. Apresentou as suas ideias à família e ingressou, em janeiro de 2006, para a área do marketing. Rebranding, representações em feiras, aposta no mercado americano, onde viveu durante um ano, tudo passou pela sua mão. Hoje tem a seu cargo a área turística, pois a aposta no enoturismo é fundamental. Recebemos cerca de 12 mil visitantes por ano. Temos jardins fabulosos, com as suas famosas estátuas, as follies, plantas raras temos grupos especializados para virem visitar a nossa flora e hectares de vinha, refere Francisco. A descendência de Champalimaud Duarte, 37 anos, é filho de Manuel Champalimaud, 67 anos, e é talvez um dos netos mais empreendedores do conceituado empresário nacional, António Champalimaud, falecido em São seis os descendentes do terceiro filho do bilionário português, mas apenas três estão ligados ao negócio do pai, a holding Gestmin, que controla a Oni, a Oz Energia, o Porto de Leixões e gere a participação na REN. Apesar de ser filho de um dos homens mais ricos do país - os pais eram divorciados e sempre viveu com a mãe a sua existência era bastante simples. Ele e os dois irmãos, Ana e Tomás, estudaram em escolas públicas e habituaram-se a uma vida austera. Nunca nos faltou nada, mas tudo o que tínhamos era uma conquista nossa. Um dos maiores ensinamentos do nosso pai foi não nos ter estragado Z / Exame/41

13 CAPA Z financeiramente, refere Duarte. Sabia que para entrar nos negócios da família teria de ter formação superior e ter experiência internacional. Por isso, aos 18 anos partiu para a Universidade de Kingston em Londres onde fez o curso de Engenharia Mecânica. Passados cinco anos, pediu ao avô para o receber como estagiário numa das suas fábricas de cimentos e aí se aguentou um ano, sem nunca ter grande proximidade com o avô. Casou aos 24 anos com uma espanhola, e como o casal não tinha grandes ligações ao país, pegam na bagagem e rumam a Barcelona. Não tinha emprego mas conseguiu instalar-se numa empresa de barcos de luxo, onde reiniciou o seu percurso profissional. Regressou três anos depois a Portugal, quando o pai o convidou a fazer parte do negócio familiar, onde esteve como executivo entre 2005 e Em 2009 sofreu um grave acidente de mota e passou imenso tempo no hospital, o que o fez parar para pensar que gostaria de ter um negócio seu. Foi em busca de felicidade, como diz, que avançou com um projeto ligado à área da saúde, o ConsultaClick. Como doente, senti a necessidade de um serviço que permitisse conciliar marcação de consultas, exames, tratamentos. Surgiu assim a ideia, explica. Trata-se de um sistema informático, baseado na Internet, que torna mais eficiente, acessível e rápido o processo de encontrar e marcar uma consulta médica. Abdicou da estabilidade financeira, hipotecou a casa e financiou o projeto, onde entrou como sócio maioritário. A plataforma dispõe de dois mil médicos e tem mais de 12 mil pacientes registados. Depois de ter saído da empresa do pai, senti maior respeito e maior confiança da parte dele, afirma. Tomás Champalimaud, de apenas 32 anos, solteiro, queria ser polícia. Continuo com um fascínio, sobretudo por aqueles que fazem a investigação de crimes de colarinho branco, relembra. Mas estudou Direito na Universidade Lusíada e Direito Financeiro e Fiscal na Faculdade de Direito de Lisboa. Diz que foi educado para escolher o caminho que entendesse, com total liberdade para seguir a sua vocação, que acabou por encontrar na advocacia. Ao contrário do que se possa pensar, não cresci com disponibilidade financeira. O 42/ Exame / No negócio familiar dos Roquette estão já os filhos Rita, de 49 anos, Miguel, de 46, e Tomás, de 43. A Quinta do Crasto é propriedade da família há mais de um século meu pai e a minha mãe asseguravam que não me faltava nada, mas nunca me proporcionaram extravagâncias. Tudo o resto foi através da meritocracia, revela. Está ligado aos negócios do pai, mas, tal como o irmão, sonha criar um negócio seu. Tenho essa vontade, mas não sei se tenho veia; não sou iluminado como alguns jovens que vendem ideias brilhantes por milhões, graceja. Para já, no horizonte está a realização de um MBA e adquirir a experiência necessária para que mais tarde se lance noutros voos. Ana, 35 anos, casada e com dois filhos, foi talvez a mais resistente aos negócios do pai. Tirou o curso de Designer Gráfica em Barcelona e trabalhou nessa área, em Lisboa, durante seis anos. Desejava criar, ser puramente designer, mas acabava por ter mais funções de gestão, na direção de projetos, do que na área criativa. Com o intuito de incutir mais responsabilidade aos seus filhos, o pai começou, aos poucos, a envolvê-la nos negócios, como acionista. E, em 2010, pediu-lhe para representar a família junto da Silos de Leixões, uma das empresas da holding, como gerente não executiva. Seguiu então para o Porto e acabou por gostar bastante do negócio. Apesar de ser um mundo muito masculino, nunca senti o ambiente hostil. De início percebia pouco do assunto, mas, como sou curiosa e nunca me coibi de fazer perguntas, fui aprendendo, refere Ana Champalimaud. Os três irmãos sentem-se bastante ligados aos negócios do pai. Roquettes unidos na produção de vinho A Quinta do Crasto, onde são produzidos vinhos de mesa, vinhos do Porto e azeite, é propriedade da família de Leonor e Jorge Roquette há mais de um século. Situada na margem direita do rio Douro, entre a Régua e Pinhão, a propriedade de 130 hectares tem cerca de 70 deles ocupados por vinhas. No negócio familiar estão já os filhos de Roquette: Rita, 49 anos, Miguel, 46 e Tomás, 43. Eram ainda crianças, entre os 5 e os 11 anos, quando, após o 25 de Abril, a família embarcou para o Brasil, tal como o tio José Roquette, também ele atualmente dono de uma marca de vinhos conceituada, o Esporão. Tomás Roquette recorda que o pai regressou a Portugal em 1981, para fundar o BPI com Artur Santos Silva. Nessa altura não exploravam ainda a quinta de uma forma profissional, embora todos gostassem de lá passar algum tempo. Jorge Roquette e Leonor começaram, então, a comprar gradualmente as participações da família mais dispersa, detendo hoje cerca de 90% da propriedade da sociedade agrícola. Tomás, atualmente seu administrador, tirou uma licenciatura em Marketing na Universidade Fernando Pessoa, no Porto, e seguiu para Oxford com o objetivo de aprender inglês, onde reforçou a sua formação com outro curso na sua área. Quando regressei, e comecei a trabalhar na quinta, disseram-me: o menino não se aguenta cá seis meses. Foi muito duro, mas aguentei até hoje, graceja. Afirma que foi um percurso com altos e baixos, mas feito com o coração e hoje não se imagina a trabalhar em outra área que não Z Os Silva Matos Pedro Tem 40 anos. Na foto, ao lado esquerdo da mãe Edite, e do pai Adelino, reunidos na metalomecânica A. Silva Matos em Sever do Vouga. É CEO da ASM Equipments, que integra o grupo Cláudia Licenciada em Engenharia e Gestão industrial, 42 anos, é responsável na ASM Metal, empresa do grupo familiar Adelino 31 anos e é o responsável pela área de energias renováveis

14 CAPA Z financeiramente, refere Duarte. Sabia que para entrar nos negócios da família teria de ter formação superior e ter experiência internacional. Por isso, aos 18 anos partiu para a Universidade de Kingston em Londres onde fez o curso de Engenharia Mecânica. Passados cinco anos, pediu ao avô para o receber como estagiário numa das suas fábricas de cimentos e aí se aguentou um ano, sem nunca ter grande proximidade com o avô. Casou aos 24 anos com uma espanhola, e como o casal não tinha grandes ligações ao país, pegam na bagagem e rumam a Barcelona. Não tinha emprego mas conseguiu instalar-se numa empresa de barcos de luxo, onde reiniciou o seu percurso profissional. Regressou três anos depois a Portugal, quando o pai o convidou a fazer parte do negócio familiar, onde esteve como executivo entre 2005 e Em 2009 sofreu um grave acidente de mota e passou imenso tempo no hospital, o que o fez parar para pensar que gostaria de ter um negócio seu. Foi em busca de felicidade, como diz, que avançou com um projeto ligado à área da saúde, o ConsultaClick. Como doente, senti a necessidade de um serviço que permitisse conciliar marcação de consultas, exames, tratamentos. Surgiu assim a ideia, explica. Trata-se de um sistema informático, baseado na Internet, que torna mais eficiente, acessível e rápido o processo de encontrar e marcar uma consulta médica. Abdicou da estabilidade financeira, hipotecou a casa e financiou o projeto, onde entrou como sócio maioritário. A plataforma dispõe de dois mil médicos e tem mais de 12 mil pacientes registados. Depois de ter saído da empresa do pai, senti maior respeito e maior confiança da parte dele, afirma. Tomás Champalimaud, de apenas 32 anos, solteiro, queria ser polícia. Continuo com um fascínio, sobretudo por aqueles que fazem a investigação de crimes de colarinho branco, relembra. Mas estudou Direito na Universidade Lusíada e Direito Financeiro e Fiscal na Faculdade de Direito de Lisboa. Diz que foi educado para escolher o caminho que entendesse, com total liberdade para seguir a sua vocação, que acabou por encontrar na advocacia. Ao contrário do que se possa pensar, não cresci com disponibilidade financeira. O 42/ Exame / No negócio familiar dos Roquette estão já os filhos Rita, de 49 anos, Miguel, de 46, e Tomás, de 43. A Quinta do Crasto é propriedade da família há mais de um século meu pai e a minha mãe asseguravam que não me faltava nada, mas nunca me proporcionaram extravagâncias. Tudo o resto foi através da meritocracia, revela. Está ligado aos negócios do pai, mas, tal como o irmão, sonha criar um negócio seu. Tenho essa vontade, mas não sei se tenho veia; não sou iluminado como alguns jovens que vendem ideias brilhantes por milhões, graceja. Para já, no horizonte está a realização de um MBA e adquirir a experiência necessária para que mais tarde se lance noutros voos. Ana, 35 anos, casada e com dois filhos, foi talvez a mais resistente aos negócios do pai. Tirou o curso de Designer Gráfica em Barcelona e trabalhou nessa área, em Lisboa, durante seis anos. Desejava criar, ser puramente designer, mas acabava por ter mais funções de gestão, na direção de projetos, do que na área criativa. Com o intuito de incutir mais responsabilidade aos seus filhos, o pai começou, aos poucos, a envolvê-la nos negócios, como acionista. E, em 2010, pediu-lhe para representar a família junto da Silos de Leixões, uma das empresas da holding, como gerente não executiva. Seguiu então para o Porto e acabou por gostar bastante do negócio. Apesar de ser um mundo muito masculino, nunca senti o ambiente hostil. De início percebia pouco do assunto, mas, como sou curiosa e nunca me coibi de fazer perguntas, fui aprendendo, refere Ana Champalimaud. Os três irmãos sentem-se bastante ligados aos negócios do pai. Roquettes unidos na produção de vinho A Quinta do Crasto, onde são produzidos vinhos de mesa, vinhos do Porto e azeite, é propriedade da família de Leonor e Jorge Roquette há mais de um século. Situada na margem direita do rio Douro, entre a Régua e Pinhão, a propriedade de 130 hectares tem cerca de 70 deles ocupados por vinhas. No negócio familiar estão já os filhos de Roquette: Rita, 49 anos, Miguel, 46 e Tomás, 43. Eram ainda crianças, entre os 5 e os 11 anos, quando, após o 25 de Abril, a família embarcou para o Brasil, tal como o tio José Roquette, também ele atualmente dono de uma marca de vinhos conceituada, o Esporão. Tomás Roquette recorda que o pai regressou a Portugal em 1981, para fundar o BPI com Artur Santos Silva. Nessa altura não exploravam ainda a quinta de uma forma profissional, embora todos gostassem de lá passar algum tempo. Jorge Roquette e Leonor começaram, então, a comprar gradualmente as participações da família mais dispersa, detendo hoje cerca de 90% da propriedade da sociedade agrícola. Tomás, atualmente seu administrador, tirou uma licenciatura em Marketing na Universidade Fernando Pessoa, no Porto, e seguiu para Oxford com o objetivo de aprender inglês, onde reforçou a sua formação com outro curso na sua área. Quando regressei, e comecei a trabalhar na quinta, disseram-me: o menino não se aguenta cá seis meses. Foi muito duro, mas aguentei até hoje, graceja. Afirma que foi um percurso com altos e baixos, mas feito com o coração e hoje não se imagina a trabalhar em outra área que não Z Os Silva Matos Pedro Tem 40 anos. Na foto, ao lado esquerdo da mãe Edite, e do pai Adelino, reunidos na metalomecânica A. Silva Matos em Sever do Vouga. É CEO da ASM Equipments, que integra o grupo Cláudia Licenciada em Engenharia e Gestão industrial, 42 anos, é responsável na ASM Metal, empresa do grupo familiar Adelino 31 anos e é o responsável pela área de energias renováveis

15 / Exame/43

16 Capa Z esta. Há vantagens e desvantagens em trabalhar com o pai, é uma grande escola. Vejo no meu pai o meu mentor, conclui. Já Miguel Roquette passou por outras experiências profissionais, na área vinícola, antes de ingressar nos negócios paternos. Estudou marketing e estagiou durante 10 meses na Sogrape, onde trabalhou com a Casa Ferreirinha e depois com os vinhos verdes. Seguiu-se um estágio na Quinta do Noval, onde trabalhava com Cristiano Van Zeller. Quando a quinta foi vendida a uma seguradora francesa saiu e foi para a Califórnia onde fez um curso de pós-graduação em Comunicação e Marketing. Entrou, como diz, pacificamente no negócio familiar, instalando-se na área do marketing. Nunca senti pressão para trabalhar com o meu pai, mas o Douro está-me no sangue, pelo que não foi difícil tomar essa decisão., diz. Rita tinha 18 anos quando o pai regressou a Portugal e foi um choque muito grande deixar o Brasil para trás. Por isso, contrariada, optou por seguir para Inglaterra à aventura, onde ainda esteve dois anos. Foi aí que conheceu o marido. De volta ao Porto, fez um curso de Administração e Turismo, mas dedicou-se à cozinha. Abriu, com mais duas sócias, um take away - pronto a comer e congelado na zona da Foz, que ainda hoje existe. Foram 18 anos dedicados a esta sua paixão, com muito trabalho à mistura, até que chegou o momento de mudar. Estava muito ligada ao restaurante, mas quando o meu pai me convidou para o projeto Roquette & Cazes, uma união entre a Quinta do Crasto e Jean Michel Cazes, do Chateau Lynch-Bages, achei que ia gostar do desafio. Vendemos o espaço e hoje estou muito contente com o que faço, diz Rita Roquette. Clã Silva Matos optou por trabalhar com o pai Também na família de Edite e Adelino Silva Matos, de Sever do Vouga, distrito de Aveiro, todos os descendentes optaram por seguir o caminho dos negócios familiares. Adelino confessa mesmo que chegou a pensar ter um parceiro exterior, ou até mesmo vender as empresas, caso os filhos não lhe dessem continuidade. Hoje peço a Deus que os ilumine, para se manterem juntos, aproveitando as sinergias de cada um. A metalomecânica A. Silva Matos 44/ Exame / A dupla Rebelo de Almeida Joana Não faz carreira no grupo Vila Galé, do pai Jorge Rebelo de Almeida. É médica e tem 32 anos Gonçalo Trabalha com o pai desde os 14 anos. Aos 39 anos é líder da área de marketing e vendas nasceu com o foco nas indústrias alimentar, química e farmacêutica, mas foi à boleia do sector energético que mais cresceu além-fronteiras, onde já realiza cerca de 55% do seu volume de negócios. É composta por seis empresas industriais, que se dividem em três unidades de negócio. Fabricam essencialmente três produtosestrela: tanques de gás, sendo líder europeu neste segmento, cisternas rodoviárias e torres eólicas. São três os descendentes deste clã: Cláudia, 42 anos, Pedro, 40 e Adelino, 31, todos a trabalhar no grupo de empresas A. Silva Matos. Adelino Silva Matos explica como os filhos se foram integrando nos negócios: Cláudia fazia, voluntariamente as férias da telefonista e outros trabalhos administrativos; Pedro aprendeu a soldar, a trabalhar com várias máquinas e até fazia porta-lápis em aço inoxidável, que depois vendia. O Adelino, uns anos mais novo, já nasceu com a obra em movimento, com outra visão, mas sempre o imaginei a trabalhar connosco. Cláudia Matos Pinheiro, a mais velha, licenciou-se em Engenharia e Gestão Industrial na Universidade de Aveiro e realizou posteriormente um MBA em Engenharia Comercial e de Gestão. É atualmente responsável pela área mais tradicional do grupo, a ASM Metal. Afirma que foi um caminho que escolheu de forma independente, por gosto pessoal e não por influência familiar. Desde pequena que trabalhava na empresa durante as férias. Quando estava no último ano da universidade, decorreu um grande projeto de reengenharia numa das empresas e os meus pais convidaram-me para participar. Deste modo, fui-me envolvendo no grupo, pelo que, quando terminei o curso, a continuidade foi natural, afirma. Relembra que os avós esforçaram-se muito para pagarem um curso superior aos seus pais e que eles sempre valorizaram este facto, dizendo-lhe que este era o maior legado que lhe poderia deixar. Fui educada com a premissa de que sem trabalho nada acontece e é essa a máxima que tento também passar aos meus filhos. Pedro Matos, 40 anos, desde criança que se ajeitava para reparar os eletrodomésticos lá de casa. Foi, talvez por isso, que achou que o curso de Engenharia Mecânica, na Faculdade de Engenharia do Porto, seria o mais acertado para o seu futuro profissional. Um MBA em Finanças veio completar a sua formação, ajudando-o a ser mais forte nas áreas de gestão de topo, que hoje ocupa, como CEO da ASM Equipments. Entrar nos negócios da família foi juntar o útil ao agradável. Eu já tinha jeito, gostava de construção mecânica e felizmente os negócios da família eram nesta área. Mas existiu sempre, ao longo dos meus estudos, quer direta quer indiretamente, a influência da família e dos seus negócios, pois procurei desenvolver projetos práticos tendo por base os produtos fabricados nas empresas do grupo. Define-se como tendo um espirito

17 empreendedor, com capacidade, predisposição e dedicação para gerir o risco associado. Já criei quatro novas empresas dentro do grupo, todas elas dedicadas às construções metálicas - duas em Portugal e duas no estrangeiro, conta. Apesar de ter começado a trabalhar num negócio familiar, sabe que tem de a conhecer muito bem, dar valor às pessoas e crescer com ela. Durante os dois primeiros anos de trabalho, passei pelas mais diversas áreas na empresa. Comecei por compreender o manual de qualidade, receber as informações de acolhimento para os novos funcionários, e passei pelo cálculo de projetos, aprovações e stocks. Por fim, estive na área da produção e comercial, o que me permitiu conhecer a dinâmica das empresas. Adelino Costa Matos, o mais novo, entrou mais tarde no grupo mas já é o responsável pela área das Energias Renováveis. Em pequeno sonhava ter uma companhia aérea até desenhou, aos 10 anos, o logotipo da mesma mas acabou por seguir também Engenharia e Gestão Industrial. Passados três anos, optou por mudar de curso e seguiu Gestão. A frequência nos dois cursos foi extremamente útil, pois apesar de ter terminado gestão, tenho uma base de Engenharia que se torna muito importante, refere, a propósito. Nunca sentiu alguma pressão para seguir as pisadas do pai, mas quando se nasce ao mesmo tempo do que a empresa é natural que se sinta parte dela. Entrou para estagiar mesmo antes de terminar os estudos e acabou por nunca trabalhar fora do universo familiar. É fundamental existir uma grande frieza para se distinguir o que é família e o que é negócio. Só correrá mal se gerimos o negócio baseado em sentimentos familiares e não no pragmatismo empresarial necessário. Felizmente, julgo que temos uma visão idêntica e uma excelente relação e as coisas acabam por fluir naturalmente, explica. Com a entrada da segunda geração, Adelino Silva Matos admite que se sentiu na empresa uma tendência para mudar métodos de trabalho, adaptação da visão e missão das empresas, mas não a filosofia da mesma. Claro que noto uma diferente na criatividade, na utilização maior de novas tecnologias, em suma, numa modernização da gestão A força das Fesht Kathy 33 anos, na foto com a mãe, Valdicea. É a única de dois irmãos que ficou nos negócios da família, em Braga. Lidera uma empresa de automação do grupo familiar, a Siroco, que detém ainda unidades de componentes e de domótica das empresas, o que acho muito bem. Também a sua formação pós-universitária lhes confere ferramentas que no meu tempo não eram utilizadas, considera. Vila Galé atrai apenas um descendente Há famílias, porém, em que nem todos os descendentes querem seguir as pisadas dos pais. No caso dos filhos de Jorge Rebelo de Almeida, sócio da rede hoteleira Vila Galé, apenas um dos filhos foi cativado pelo negócio familiar. A rede, que nasceu em 1986 com a abertura de um hotel na Praia da Galé, no Algarve, pela mão de Jorge Rebelo de Almeida, então advogado na área de turismo e projetos imobiliários, e de mais um sócio, conta hoje com 24 unidades hoteleiras, 18 em Portugal e seis no Brasil. Gonçalo Rebelo de Almeida, 39 anos, tinha apenas 14 quando o pai se lançou no sector do turismo, e atualmente é diretor de marketing e vendas do grupo hoteleiro. Quando acabou o liceu decidiu, tal como pai, seguir o curso de Direito, que frequentou na Universidade Lusíada, entre 1992 e Queria ser advogado e apesar de dar algum apoio administrativo à empresa do meu pai ainda estagiei numa sociedade de advocacia até Depois achei que era difícil conciliar os dois projetos e acabei por deixar o escritório onde estava, conta Gonçalo. Nessa altura, a cadeia estava em plena expansão, com a abertura de um hotel no Brasil e mais três em Portugal e o seu apoio na área jurídica era fundamental. Foi ainda necessário fazer toda uma reestruturação no marketing e nas vendas e desde 2002 que é a área que acompanha no dia-a-dia. Desde a minha entrada no grupo que este já triplicou de dimensão, e por isso também o vejo como um projeto meu. Não houve nenhum megaplano para transformar a empresa num grupo de sucesso, isto foi acontecendo com os Z / Exame/45

18 capa Z pés bem assentes na terra, a um ritmo sustentável, explica Gonçalo Rebelo de Almeida. Pai de três filhos, e apesar de já os levar ao trabalho, afirma que lhe dará liberdade para fazerem as suas opções, sem qualquer obrigatoriedade em seguirem os negócios da família. Liberdade de escolha também teve a sua irmã Joana, que, aos 32 anos segue o seu sonho na área da medicina. Sempre gostou muito de ciências e apesar de, a certa altura, ter tido uma inclinação para arquitetura, entrou na Faculdade de Ciências Médicas e seguiu a especialidade de Radiologia. Trabalha atualmente no Hospital Curry Cabral e considera-se muito satisfeita com a opção que seguiu. Apesar de não ser prioritário, não põe de parte a hipótese de vir a trabalhar um dia com o pai. Começa a haver hotéis que já se dedicam à saúde, por isso há sempre a hipótese de vir a trabalhar no grupo nesta área, sobretudo no check up de doenças femininas, refere. 46/ Exame / Gestão Santo Amaro Miguel 24 anos, é o novo rosto do clã portuense que, tal como o pai Luis (na foto) - que é dono da Adriparte - tem veia de empreendedor e criou a Uniplaces Genes empreendedores da família Fesht Também na família de Fesht há dois irmãos, mas apenas Kathy seguiu as pisadas do pai. O progenitor, Hatto Fesht, é alemão e sempre foi apologista de viajar pelo mundo. Veio parar a Portugal em 1981, como funcionário da Grundig, em Braga, mas sempre teve o desejo de ter um negócio seu. Essa oportunidade surgiu em 1995 quando, através de um processo de Management Buy Out (MBO), com mais três diretores, fundou a Fesht Componentes, que manteve o mesmo core business: o fabrico de componentes de injeção plástica e estampagem para auto rádios. Entretanto, os sócios foram vendendo as suas quotas e, em 2000, Hatto torna-se o único proprietário da empresa. Atualmente, com 86 colaboradores, fatura 15 milhões de euros e exporta praticamente toda a sua produção para a Alemanha. Foi na sua procura de diversificação de atividade e verticalização tinham já aberto uma empresa, a Enacer, com a marca Only, para o desenvolvimento de produtos de vanguarda na área tecnológica, na área da domótica que surgiu a possibilidade de adquirir a Siroco, empresa de automação, hoje dirigida por Katy Fesht, de 33 anos. Henning e Kathy ainda nasceram na Alemanha, mas viveram desde pequenos em Portugal. Kathy estudou no Colégio Alemão, no Porto, e ao terminar o 12º ano foi estudar Gestão Empresarial para o país germânico. O meu pai nunca me impôs o negócio da família, porém eu sabia que era um desejo dele. Sempre tive costela artística, gostaria de ser designer ou arquiteta, mas como também gostava de gestão, concordei com o seu conselho, refere Kathy Fesht. Como tinha o coração em Portugal, apenas aguentou um ano na Alemanha e quando regressou fez o curso de Filosofia e Desenvolvimento da Empresa, onde se vincava muito o fator humano. Quando completou o curso já acompanhava o pai nas viagens a clientes e recebia alguns dos visitantes que vinham a Braga. Aos

19 poucos começou a ser educada nos negócios da família, ainda que sem qualquer pressão. Foram cinco anos a percorrer departamentos, a conhecer os cantos à casa. Em 2007, o pai tornou-a gerente da Fesht e, como recorda, era uma mulher a trabalhar numa indústria masculina. Desde então tem feito imensa formação, acompanhou a criação de um gabinete na Alemanha, viaja imenso pelo mundo em visitas a clientes, e fez um MBA na Escola de Negócios Nova Galicia. Em finais de 2010 concretizou-se a compra da Siroco e hoje conduz os destinos desta empresa fundada em 1988, que se dedica a fornecer equipamentos e ferramentas de precisão para a indústria. Casada e com um filho ainda bébe, sente-se, assim, mais perto da costela criativa que diz ter. O irmão, Henning Fesht, que tal como Kathy também foi estudar para a Alemanha, onde fez Gestão Empresarial, trabalha atualmente naquele país, na multinacional Bosh. Casado e com dois filhos, não pretende deixar, para já, a sua carreira e entrar nos negócios do pai, mas, como diz a sua irmã, nada está fora de questão. O que move os Santo Amaro e os Gaspar No mundo dos negócios há ainda famílias que educam os seus descendentes no sentido do empreendedorismo. E criar o seu próprio negócio é quase uma obrigação. Foi o caso de Miguel Santo Amaro, filho de Luís Santo Amaro, dono da Adriaparte e de Paulo Gaspar, filho de Avelino Gaspar, fundador da Lusiaves. O primeiro tem apenas 24 anos e já se dedicou de corpo a um projeto próprio. É filho de um dos fundadores da construtora MonteAdriano, que entretanto vendeu a sua participação à família Monte, e que hoje se dedica aos investimentos imobiliários. Desde cedo Miguel percebeu que gostaria de fundar as suas próprias empresas apesar de ter passado por uma fase de querer ser futebolista e nadador, e ficar pelo negócio da família nunca foi opção. Ponderei entre uma carreira na área da consultadoria ou começar o meu próprio negócio, mas o mestrado em empreendedorismo incentivou-me a experimentar e concretizar alguns dos conceitos que tinha estudado. Não queria ser mais um especialista em empreendedorismo; queria antes Z Os Fino e o Alves Ribeiro Francisco Fino, Frederico Fino e Tiago Alves Ribeiro Filhos e netos de peixe sabem nadar Descendentes de empresários de topo, dão cartas na publicidade. Querem abrir no Brasil e em Angola A Oneway Group é uma agência de publicidade que atua em new media, 3D e audiovisuais. Surgiu pela mão de três amigos, dois deles são primos, todos filhos e netos de empresários de topo. Tiago Alves Ribeiro, 37 anos, neto do empresário António Mota, do lado da mãe, e com ligações à Alves Ribeiro, do lado do pai, fez o curso de Comunicação Empresarial no ISCEM, passou pelo marketing da Sony e da Ogilvy, em Nova Iorque e Young&Rubicam, em Portugal. Fez quatro anos em Direito, na Católica, mas percebeu que não era esse o seu caminho. Amigo dos primos Francisco, 32 anos, e Frederico Fino, 33 anos, netos do empresário Manuel Fino, juntaram-se, em 2004, para criar a OneWay Group. Todos tínhamos passado por agências tradicionais, tínhamos pouca experiência nestas soluções alternativas, relembra. Arrancaram sem clientes, só tinham três produtos: projeções Pani, 3D e projeções aéreas. Fomos bater à porta das várias empresas com projeções em grandes formatos, em prédios, por exemplo, fizemos uma no mosteiro dos Jerónimos, conta Frederico Fino. O grande projeto foi, logo no primeiro ano, umas projeções no palco do festival da TMN, Sudoeste. Fez o Euro 2004 e o Rock in Rio. Evoluíram para outros produtos e dois anos depois lançaram soluções interativas, hologramas, realidades virtuais - criando para o efeito a Gema, com três sócios do Porto (Luís Agrellos, Martim Pessanha e Diogo Pinto Barbosa). Cerca de 50% dos clientes são agências de meios e publicidade, e 50% são clientes diretos. / Exame/47

20 capa Z ser um empreendedor. Assim aconteceu. Fez uma licenciatura em Finanças e Gestão, na Universidade de Nottingham e um mestrado em empreendedorismo na Babson College, nos Estados Unidos. Foi nos tempos de estudante que percebeu a dificuldade que os mesmos têm em encontrar alojamento. Foi assim que surgiu a Uniplaces, uma plataforma online que põe em contacto senhorios e estudantes de todo o mundo facilitando a reserva de quartos, a operar atualmente em Lisboa e Londres. Os senhorios são criteriosamente selecionados para segurança dos estudantes que recorrem ao serviço. Os meus pais sempre apoiaram a minha decisão e até ajudaram com espaço para trabalharmos nos primeiros três meses. Tenho várias outras ideias, no turismo, imobiliário e trading, mas neste momento o meu objetivo profissional é o sucesso da Uniplaces. O seu irmão mais novo, Pedro, de 22 anos, está a terminar o doutoramento em Distribuição e Energia, em Inglaterra, e entrar no negócio do pai também não está no seu horizonte. Eu e o meu irmão optámos por seguir um caminho independente da empresa familiar, e nisso temos o apoio dos nossos pais, explica Miguel Santo Amaro. Trilhar o próprio caminho.. até um dia Paulo Gaspar partilha a mesma visão. Filho de Avelino Gaspar, empresário de Leiria, fundador da Lusiaves, empresa de produção de aves, detida a cem por cento pela família, sempre foi uma pessoa de vários interesses. Quis ser astronauta, presidente da República, hacker informático e gestor. Com apenas 25 anos já fundou vários projetos, desde os tempos de estudante. Aos 17 anos foi estudar Gestão na Universidade Nova e fundou uma empresa de eventos com um amigo. Fazíamos um evento por ano, chamado Heineken Made.Out, em Alcobaça, que cresceu até ter mais de seis mil pessoas. Ao longo de cinco anos, organizámos vários, sendo que no último ano, em 2011, produzimos três eventos para mais de 16 mil pessoas, recorda. Pelo meio, tirou um MBA Executivo, em Marketing e Gestão de Eventos, na Universidade Autónoma, e ainda consegui fundar uma agência de publicidade não convencional, chamada de Funnyhow. 48/ Exame / Aliança Gaspar Paulo Aos 25 anos não é empregado do pai, Avelino (na foto), dono da Lusiaves, mas já vai dando uma ajuda no marketing e comunicação da empresa familiar. Para já prefere apelidar-se de empreendedor por conta própria Ao mesmo tempo, terminou em Londres um mestrado em empreendedorismo. Considero a experiência internacional um requisito mínimo para qualquer bom profissional, pelo que tive que percorrer esse caminho também, afirma. Entende que há vantagens em trabalhar na empresa familiar, mas para já tem a sua própria sociedade para gerir. Não tenho nenhuma pressão para ir trabalhar de imediato para a Lusiaves. No entanto, algumas decisões, como comunicação e marketing, já passam por mim. Só vou ingressar na empresa familiar quando sentir que estou preparado, quando trouxer mais-valias e por ambição própria. Paulo Gaspar tem dois irmãos mais novos, Mariana, de 21 anos e Francisco de 13, mas que estão ainda a estudar. Nos últimos anos Paulo fez cursos intensivos que serviram para lançar um novo projecto, a start up que trabalha num sistema de controlo de fluxos de dinheiros para PME, chamada Katchiing. Seja qual for o caminho seguido pelos descendentes dos empresários de sucesso, uma coisa é certa: a aposta na educação e na formação é sempre feita em grande. Os selfmade men, que nem sempre conseguiram atingir as suas ambições pessoais na área da educação, dão às gerações seguintes todas as ferramentas possíveis para ficarem bem munidos para a selva económica e serem bem-sucedidos. O mais importante é que os filhos dos empresários sejam educados no amor e no respeito pelo próximo, e se tiverem alguma experiência internacional, tanto melhor, conclui Marina Sá Borges. E

Entrevista com FTM Holding. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso. Francisco Tavares Machado. Presidente

Entrevista com FTM Holding. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso. Francisco Tavares Machado. Presidente Entrevista com FTM Holding Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso Francisco Tavares Machado Presidente Quality Media Press quais os principais sectores de actividade do Grupo FTM? R. O Grupo

Leia mais

1. (PT) - Correio da Manhã, 20/08/2013, Escassez de efectivos 1. 2. (PT) - Diário de Notícias da Madeira, 20/08/2013, Ordem dos Engenheiros 2

1. (PT) - Correio da Manhã, 20/08/2013, Escassez de efectivos 1. 2. (PT) - Diário de Notícias da Madeira, 20/08/2013, Ordem dos Engenheiros 2 Tema de Pesquisa: Internacional 20 de Agosto de 2013 Revista de Imprensa 20-08-2013 1. (PT) - Correio da Manhã, 20/08/2013, Escassez de efectivos 1 2. (PT) - Diário de Notícias da Madeira, 20/08/2013,

Leia mais

tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O

tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O tem Soares dos Santos mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos - P3O Soares dos Santos tem mais dinheiro na bolsa que China e Angola juntos A subida das acções da Jerónimo Martins levou a família

Leia mais

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M." João Vieira Pinto

IPAM reforça no Porto. Pdg. 76. Por M. João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Pdg. 76 Por M." João Vieira Pinto IPAM reforça no Porto Afirma-se como lhe Marketing School e ambiciona ser a referência do ensino nesta área. Por isso, ejá a partir do próximo ano,

Leia mais

entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil

entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil entrevista Felipe Cavalcante, Presidente da ADIT Brasil 10 Brasil-Portugal no Ceará ABRINDO PORTAS PARA O BRASIL PRESIDENTE DA ADIT BRASIL, FELIPE CAVALCANTE DESTACA O ATUAL PANORAMA DOS INVESTIMENTOS

Leia mais

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP ****

INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** INTERVENÇÃO Dr. José Vital Morgado Administrador Executivo da AICEP **** Gostaria de começar por agradecer o amável convite da CIP para participarmos nesta conferência sobre um tema determinante para o

Leia mais

Caso de Sucesso Vinho do Porto Taylor s Port. Taylor s Port: Da vinha ao vinho com SAP

Caso de Sucesso Vinho do Porto Taylor s Port. Taylor s Port: Da vinha ao vinho com SAP Taylor s Port: Da vinha ao vinho com SAP The Fladgate Partnership Taylor s Port Sector Produção vinícola Produtos Vinho do Porto Web www.taylor.pt/pt Soluções e serviços SAP SAP Business Suite A Taylor

Leia mais

Quatro gestores e um engenheiro

Quatro gestores e um engenheiro Tiragem: 26368 Pág: VIII Área: 26,85 x 36,48 cm² ID: 30707498 22-06-2010 Universidades Âmbito: Economia, Negócios e. Corte: 1 de 2 PRÉMIOS Foto cedida Os cinco finalistas do Prémio Primus Inter Pares,

Leia mais

VINTE E OITO ANOS DE HISTÓRIA

VINTE E OITO ANOS DE HISTÓRIA CAPA VINTE E OITO ANOS DE HISTÓRIA Uma região Uma cidade Muitas vontades Alfredo da Silva 1987-1990 Luis Filipe 1991-1996 Luis Veiga 1997-2002 João Fernandes Antunes 2003-2008 Jorge Martins 2009-2011 Vitor

Leia mais

Dossier de Imprensa 2014/ 2020

Dossier de Imprensa 2014/ 2020 Dossier de Imprensa 2014/ 2020 Agência Nacional Erasmus + A Agência Nacional ERASMUS+ Educação e Formação foi criada pela Resolução do Conselho de Ministros n.º 15/2014, de 24 de fevereiro e pela Declaração

Leia mais

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5

1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1. 3. (PT) - Diário Económico, 25/09/2012, Unicer antecipa crescimento de 15% das vendas em Angola 5 Tema de pesquisa: Internacional 25 de Setembro de 2012 Revista de Imprensa 25-09-2012 1. (PT) - Turisver, 20/09/2012, Pedro Duarte 1 2. (PT) - Jornal de Negócios - Negócios Mais, 25/09/2012, Bluepharma

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Quinta-feira, 31 de Julho de 2008

RESUMO DE IMPRENSA. Quinta-feira, 31 de Julho de 2008 RESUMO DE IMPRENSA Quinta-feira, 31 de Julho de 2008 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Queda nos lucros da banca retira 80 milhões ao Fisco. Resultados dos quatro maiores bancos privados caíram mais de 40% no primeiro

Leia mais

"É possível levar energia renovável para todos"

É possível levar energia renovável para todos "É possível levar energia renovável para todos" Por Daniela Chiaretti De Nairóbi, Quênia Connie Hedegaard: "Acho que quando temos uma crise global como a que estamos vivendo, é uma oportunidade excelente

Leia mais

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade

Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade Uma conversa entre empresas e professores - os desafios da empregabilidade No passado dia 15 de Novembro, a Share Associação para a Partilha de Conhecimento e a Faculdade de Ciências da Universidade de

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Programa de Formação Avançada em COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COM O ALTO PATROCÍNIO Faculdade de Filosofia de Braga Programa de Formação Avançada em COMUNICAÇÃO ESTRATÉGICA docente mês dia horário horas ects

Leia mais

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS

ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS ASSEMBLEIA GERAL DA MARTIFER - SGPS, S.A. 10 de Abril de 2013 PROPOSTA RELATIVA AO PONTO 7 DA ORDEM DE TRABALHOS (Apreciar sobre a renúncia do Revisor Oficial de Contas e deliberar sobre a eleição do Revisor

Leia mais

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto.

Tendo isso em conta, o Bruno nunca esqueceu que essa era a vontade do meu pai e por isso também queria a nossa participação neste projecto. Boa tarde a todos, para quem não me conhece sou o Ricardo Aragão Pinto, e serei o Presidente do Concelho Fiscal desta nobre Fundação. Antes de mais, queria agradecer a todos por terem vindo. É uma honra

Leia mais

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com Clínica Maló. Paulo Maló CEO. www.clinicamalo.pt. Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com Clínica Maló Paulo Maló CEO www.clinicamalo.pt Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram em linguagem

Leia mais

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance Sobre o autor: Meu nome é Rodrigo Marroni. Sou apaixonado por empreendedorismo e vivo desta forma há quase 5 anos. Há mais de 9 anos já possuía negócios paralelos ao meu trabalho e há um pouco mais de

Leia mais

PEDRO PINTO: "A IDEIA DE QUE É TUDO FÁCIL PARA OS PROFISSIONAIS ESTÁ BASTANTE ENVIESADA"

PEDRO PINTO: A IDEIA DE QUE É TUDO FÁCIL PARA OS PROFISSIONAIS ESTÁ BASTANTE ENVIESADA PEDRO PINTO: "A IDEIA DE QUE É TUDO FÁCIL PARA OS PROFISSIONAIS ESTÁ BASTANTE ENVIESADA" 25 março 2014 Share on twittershare on facebookshare on emailshare on printmore Sharing Services0 Pedro

Leia mais

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual

0 21 anos: Fase do amadurecimento biológico 21 42 anos: Fase do amadurecimento psicológico mais de 42 anos: Fase do amadurecimento espiritual Por: Rosana Rodrigues Quando comecei a escrever esse artigo, inevitavelmente fiz uma viagem ao meu passado. Lembrei-me do meu processo de escolha de carreira e me dei conta de que minha trajetória foi

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

GESTÃO DA DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA

GESTÃO DA DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA 12ª edição PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DA DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA 2015 12ª edição Coordenação Científica Prof. Doutor José Augusto Felício direção executiva dr. José António Rousseau (Presidente do Fórum de

Leia mais

Dionísio Pestana. eleito o mais. empreendedor. Prémio da Ernst & Young distinguiu o presidente do grupo Pestana, mas também os sócios da h

Dionísio Pestana. eleito o mais. empreendedor. Prémio da Ernst & Young distinguiu o presidente do grupo Pestana, mas também os sócios da h Dionísio Pestana eleito o mais empreendedor Prémio da Ernst & Young distinguiu o presidente do grupo Pestana, mas também os sócios da h boa, como um projecto dos três amigos de longa data. "Fazer as coisas

Leia mais

XI Torneio Inter Escolas de Pista Coberta. Escola Mestre Domingos Saraiva (Lisboa) Centro de Formação EB 2;3 S. Bartolomeu dos Mártires (Viana)

XI Torneio Inter Escolas de Pista Coberta. Escola Mestre Domingos Saraiva (Lisboa) Centro de Formação EB 2;3 S. Bartolomeu dos Mártires (Viana) XI Torneio Inter Escolas de Pista Coberta Escolas Inscritas EB 2;3 de EB 2;3 Sec. Sá de Miranda Colégio Teresiano EB 2;3 Prof. G. Sampaio EB 2;3 de Externato Delfim Ferreira Escola Mestre Domingos Saraiva

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos

Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Ensino Português no Estrangeiro Nível A2 Prova B (13A2BA) 70 minutos Prova de certificação de nível de proficiência linguística no âmbito do Quadro de Referência para o Ensino Português no Estrangeiro,

Leia mais

Paula Caetano. Viúva de Horácio Roque é a rainha dos seguros

Paula Caetano. Viúva de Horácio Roque é a rainha dos seguros Paula Caetano Viúva de Horácio Roque é a rainha dos seguros ESPECIAL BILIONÁRIOS Rainha nos seguros Herdou de Horácio Roque a sexta maior seguradora em Portugal. Agora, Paula Caetano tem como principal

Leia mais

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015 CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA UMA UNIÃO EUROPEIA MAIS FORTE 22 de junho de 2015 A União Europeia deve contar com um quadro institucional estável e eficaz que lhe permita concentrar-se

Leia mais

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades Já há mais de 170 cursos superioresem Portugal que são dados só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades portuguesas já têm mais de 1 70 cursos em inglês Internacionalização. Atrair novos estudantes

Leia mais

SUCESSÃO O papel do RH e a Perpetuidade da Empresa Familiar

SUCESSÃO O papel do RH e a Perpetuidade da Empresa Familiar SUCESSÃO O papel do RH e a Perpetuidade da Empresa Familiar Por EDUARDO NAJJAR Expert em Family Business eduardonajjar@empreenda.net Ribeirão Preto 24 Março 2013 DOWNLOAD DOS SLIDES http://slides.empreenda.net

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Articles of PPOW :: PEOPLE POWER

Articles of PPOW :: PEOPLE POWER Articles of PPOW :: PEOPLE POWER Quinta dos Murças, uma nova era do Esporão 2011-10-13 07:10:24 Luiz Gastão Bolonhez O conglomerado Esporão, sucesso absoluto no Alentejo, lança vinhos de seu novo empreendimento,

Leia mais

Campus Aloysio Faria. Campus BH. Campus SP. Campus RJ. Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil

Campus Aloysio Faria. Campus BH. Campus SP. Campus RJ. Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus Aloysio Faria Av. Princesa Diana, 760 Alphaville Lagoa dos Ingleses 34000-000 Nova Lima MG Brasil Campus BH Rua Bernardo Guimarães, 3.071 Santo Agostinho 30140-083 Belo Horizonte MG Brasil Campus

Leia mais

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas?????

Onde você vai encontrar as suas futuras iniciadas????? Há 16 anos quando entrou na MK, a consagrada Diretora Nacional, Gloria Mayfield, não sabia como chegar ao topo, hoje ela dá o seguinte conselho. As lições que eu aprendi na Mary Kay para me tornar uma

Leia mais

Ecológico. Arranha-céu. O retrofit de um dos principais ícones norte-americanos. bate-papo Com Vitorio Panicucci, da Clavi Incorporações

Ecológico. Arranha-céu. O retrofit de um dos principais ícones norte-americanos. bate-papo Com Vitorio Panicucci, da Clavi Incorporações Mar/Abr 2015 ANO III Nº 16 R E V I S TA A REVISTA DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL Arranha-céu Ecológico O retrofit de um dos principais ícones norte-americanos bate-papo Com Vitorio Panicucci, da Clavi Incorporações

Leia mais

Cumprimento particular à nova Direção da AHRESP

Cumprimento particular à nova Direção da AHRESP Cumprimento particular à nova Direção da AHRESP Comendador Mário Pereira Gonçalves Minhas Senhoras e meus senhores, O Turismo é um setor estratégico para a economia nacional. Representa cerca de 9,5% do

Leia mais

Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática

Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática Para Salman Khan ensino requer menos academia e mais prática O americano Salman Khan, de 38 anos, é hoje a figura mais influente do mundo em tecnologia da educação. Ex-analista de fundo de hedge, ele criou,

Leia mais

Empreendedorismo aprende-se?

Empreendedorismo aprende-se? Empreendedorismo aprende-se? O tempo do empresário self made man parece ter os dias contados. A forte concorrência, cada 1 vez mais global, e a exigência do cliente obrigam os 'candidatos a empreendedores

Leia mais

fazem bem e dão lucro

fazem bem e dão lucro Melhores práticas de fazem bem e dão lucro Banco Real dá exemplo na área ambiental e ganha reconhecimento internacional Reunidos em Londres, em junho deste ano, economistas e jornalistas especializados

Leia mais

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução Bom dia, Senhoras e Senhores Introdução Gostaria de começar por agradecer o amável convite que o Gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa me dirigiu para participar neste debate e felicitar os organizadores

Leia mais

Pessoas: Custo ou Investimento?

Pessoas: Custo ou Investimento? Pessoas: Custo ou Investimento? Tempos exigentes Mais do que em qualquer outra época da história do nosso país, os Gestores de Ativos Humanos, têm alertado para o fato da verdadeira riqueza das nações

Leia mais

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional

90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Michael Page lança Barómetro de TI 90,5% dos perfis de TI disponível para mobilidade profissional Lisboa, 21 de Julho de 2015 A Michael Page, empresa líder em recrutamento de quadros médios e superiores,

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 7 Índice 1. Ética empresarial...3 2 1. ÉTICA EMPRESARIAL É neste contexto, e com o objetivo de o mundo empresarial recuperar a confiança, que vai surgindo a ética Empresarial.

Leia mais

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M.

PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. PROPOSTA DE PARCERIA COM A ÓBIDOS CRIATIVA E.E.M. APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Blend Point é uma empresa que engloba algumas marcas das quais, para este projecto, se destacam a CorkWay Store e a Gods From

Leia mais

I n q u é r i t o a o s J o v e n s A d v o g a d o s

I n q u é r i t o a o s J o v e n s A d v o g a d o s I n q u é r i t o a o s J o v e n s A d v o g a d o s 1) Encontra-se actualmente a trabalhar? 20% 80% Sim Não 2) Se respondeu sim, como descreveria a sua estabilidade profissional? 22% 17% 28% 33% Excelente

Leia mais

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA

PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA PRÉMIO EMPREENDEDORISMO INOVADOR NA DIÁSPORA PORTUGUESA 2015 CONSTITUIÇÃO DO JÚRI Joaquim Sérvulo Rodrigues Membro da Direcção da COTEC Portugal, Presidente do Júri; Carlos Brazão Director Sénior de Vendas

Leia mais

Em 1981, Leonor Roquette(neta de Constantino de Almeida) e o seu marido Jorge Roquette assumiram a maioria do capital e a gestão da propriedade e com

Em 1981, Leonor Roquette(neta de Constantino de Almeida) e o seu marido Jorge Roquette assumiram a maioria do capital e a gestão da propriedade e com Porto, 12 de Março de 2013 A QUINTA DO CRASTO estálocalizada na Região Demarcada do Douro, bem junto ao rio, com 130 hectares dos quais 70 hectares de vinhas da mais alta qualidade. A empresa possui outras

Leia mais

O Lado empreendedor do Desemprego. O Segredo para Mudar de Vida. O que posso esperar de um franchisador. Como selecciono a melhor ideia de negócio

O Lado empreendedor do Desemprego. O Segredo para Mudar de Vida. O que posso esperar de um franchisador. Como selecciono a melhor ideia de negócio O Lado empreendedor do Desemprego O Segredo para Mudar de Vida O que posso esperar de um franchisador Financiamento em parceria Como selecciono a melhor ideia de negócio O que devo analisar no contrato

Leia mais

MASTER em COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL

MASTER em COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL MASTER em COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL COM O ALTO PATROCÍNIO Faculdade de Filosofia de Braga MASTER em Comunicação Empresarial Luísa Magalhães Coordenadora do Master em Comunicação Empresarial É com um enorme

Leia mais

GESTÃO DA DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA

GESTÃO DA DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA 12ª edição PÓS-GRADUAÇÃO GESTÃO DA DISTRIBUIÇÃO E LOGÍSTICA 2015 12ª edição Coordenação Científica Prof. Doutor José Augusto Felício direção executiva dr. José António Rousseau (Presidente do Fórum de

Leia mais

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia:

- PERFIL DO GRUPO - O Portfólio de negócios, obedece a um critério de maturidade e geração de valor, no qual o Grupo, concilia: GRUPO FERREIRA A GFH, é um Grupo sólido e inovador, detendo um curriculum de projectos de qualidade reconhecida, com um portfólio de negócios diversificado, e que aposta no processo de internacionalização,

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

ajudam a lançar negócios

ajudam a lançar negócios Capa Estudantes portugueses ajudam a lançar negócios em Moçambique Rafael Simão, Rosália Rodrigues e Tiago Freire não hesitaram em fazer as malas e rumar a África. Usaram a sua experiência para construírem

Leia mais

Vogal do Conselho da Caixa Geral de Depósitos, S.A., desde 1 de Outubro de 2004.

Vogal do Conselho da Caixa Geral de Depósitos, S.A., desde 1 de Outubro de 2004. Norberto Emílio Sequeira da Rosa Currículo Data de Nascimento: 3 de Abril de 1955 Cargos que Exerce: Vogal do Conselho da Caixa Geral de Depósitos, S.A., desde 1 de Outubro de 2004. Membro não executivo

Leia mais

MGI Internacional. Presença em mais de 80 países

MGI Internacional. Presença em mais de 80 países MGI Internacional Presença em mais de 80 países Presente em mais de 80 países e com mais de 280 escritórios em todos os Continentes, a MGI é uma das maiores associações internacionais de empresas independentes

Leia mais

aelousada.net AE Lousada Ministério da Educação e Ciência Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2014

aelousada.net AE Lousada Ministério da Educação e Ciência Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2014 ALBERTINO CLÁUDIO DE BESSA VIEIRA Colocado em 3138 Instituto Politécnico do Porto - Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras ALBERTO RAFAEL SILVA PEIXOTO Colocado em 3064 Instituto Politécnico

Leia mais

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar

Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar Segmentos da Entrevista do Protocolo 5: Alunos do Pré-Escolar CATEGORIAS OBJECTIVOS ESPECÍFICOS S. C. Sim, porque vou para a beira de um amigo, o Y. P5/E1/UR1 Vou jogar à bola, vou aprender coisas. E,

Leia mais

A verdade vale também para a empresa familiar. O crescimento e a longevidade do empreendimento dependem da formação de herdeiros e sucessores

A verdade vale também para a empresa familiar. O crescimento e a longevidade do empreendimento dependem da formação de herdeiros e sucessores ÁRVORE BEM CUIDADA sucessão familiar A verdade vale também para a empresa familiar. O crescimento e a longevidade do empreendimento dependem da formação de herdeiros e sucessores foto: Dreamstime.com 16

Leia mais

A atratividade da Carreira Docente no Brasil. Fundação Carlos Chagas

A atratividade da Carreira Docente no Brasil. Fundação Carlos Chagas A atratividade da Carreira Docente no Brasil Fundação Carlos Chagas Questões de pesquisa Quais são os fatores relacionados à atratividade das carreiras profissionais? E especificamente da carreira docente?

Leia mais

1. Faça as perguntas sobre as partes sublinhadas.

1. Faça as perguntas sobre as partes sublinhadas. C O N H E C E R P E S S O A S U n i d a d e 1 5 U N I D A D E 1 1. Faça as perguntas sobre as partes sublinhadas. 1. Os meus colegas estão insatisfeitos com o trabalho. 2. Fui com um amigo à agência de

Leia mais

CATÓLICA PORTO BUSINESS SCHOOL Gestão de Operações

CATÓLICA PORTO BUSINESS SCHOOL Gestão de Operações CATÓLICA PORTO BUSINESS SCHOOL Gestão de Operações Member of www.catolicabs.porto.ucp.pt A Católica Porto Business School Fundada em 2002, a Católica Porto Business School é a escola de negócios da Universidade

Leia mais

Excelência em gente. Espírito de donos

Excelência em gente. Espírito de donos Excelência em gente Espírito de donos A seleção e formação de pessoas é um dos aspectos estratégicos para que a atuação da GP Investments no mercado de private equity proporcione o alcance de resultados

Leia mais

Paulo Ferreira Diretor Geral do ISE Business School EXECUTIVE MBA

Paulo Ferreira Diretor Geral do ISE Business School EXECUTIVE MBA Boas-vindas Vivemos em uma época única e extraordinária. É uma época que nos apresenta desafios importantes e precisamos de gestores capazes de assumir os novos desafios com profissionalismo, inspirando

Leia mais

AGUIRRE NEWMAN Liderança baseada na inteligência emocional

AGUIRRE NEWMAN Liderança baseada na inteligência emocional Pág: 42 empresas de excelência para trabalhar em portugal Área: 19,00 x 26,00 cm² Corte: 1 de 6 AGUIRRE NEWMAN Liderança baseada na inteligência emocional Texto: Ana Leonor Martins Foto: Vítor Gordo A«A

Leia mais

Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020

Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020 Fundos europeus: Advogados exploram oportunidades do Portugal 2020 08 Abril 2015 Há quase três décadas que Portugal recebe fundos europeus, mas o próximo quadro comunitário de apoio está a merecer uma

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Licenciado em Economia pelo ISE Instituto Superior de Economia em 1978/79. MBA em Finanças pela Universidade Católica em 1995

CURRICULUM VITAE. Licenciado em Economia pelo ISE Instituto Superior de Economia em 1978/79. MBA em Finanças pela Universidade Católica em 1995 CURRICULUM VITAE Franquelim Fernando Garcia Alves Nascido em 16/11/1954, 2 filhas Licenciado em Economia pelo ISE Instituto Superior de Economia em 1978/79 Revisor Oficial de Contas em 1987 MBA em Finanças

Leia mais

Comprometidos com o Futuro da Educação

Comprometidos com o Futuro da Educação Comprometidos com o Futuro da Educação Comprometidos com o Futuro da Educação Educação Assim se Constroem as Grandes Nações A educação é vital para criar uma cultura baseada na excelência. A demanda por

Leia mais

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO

O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO O COMPROMISSO DE UMA INSTITUIÇÃO Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG. A experiência adquirida ao longo dos anos e a atualização de conceitos, permitiu ao ISAG European Business School desenvolver

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO EMPRESARIAL INTERNACIONAL E DIPLOMACIA ECONÓMICA Gestão Empresarial Internacional e Diplomacia Económica International Management and Economic Diplomacy 2 O aumento das exportações

Leia mais

Cooperação Universidade Empresa

Cooperação Universidade Empresa INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO BARROS, NA CERIMÓNIA DE ABERTURA DO ANO LECTIVO 2010/2011, DA UNIVERSIDADE DE AVEIRO, SOB O TEMA «CONTRIBUIÇÃO DO ENSINO

Leia mais

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS

RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS RESUMO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO SUPERIOR DE EVENTOS SALVADOR 2012 1 CONTEXTUALIZAÇÃO Em 1999, a UNIJORGE iniciou suas atividades na cidade de Salvador, com a denominação de Faculdades Diplomata. O contexto

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

NEGOCIAR EM ANGOLA 6 DE MAIO 2014 EDIFÍCIO SERVIÇOS DA AEP LEÇA DA PALMEIRA

NEGOCIAR EM ANGOLA 6 DE MAIO 2014 EDIFÍCIO SERVIÇOS DA AEP LEÇA DA PALMEIRA NEGOCIAR EM ANGOLA EDIFÍCIO SERVIÇOS DA AEP NEGOCIAR EM ANGOLA NEGOCIAR EM ANGOLA A proximidade histórica, linguística e cultural entre os mercados lusófonos e Portugal traz naturais afinidades e vantagens

Leia mais

António Luis Guerra Nunes Mexia

António Luis Guerra Nunes Mexia António Luis Guerra Nunes Mexia É licenciado em Economia pela Universidade de Genebra, na Suíça (1980), onde exerceu o cargo de docente convidado no Departamento de Economia. Foi, igualmente, docente no

Leia mais

Em conversa com Rita Maia. Celorico de Basto é o meu porto de refúgio, onde me sinto bem (Rita Maia,

Em conversa com Rita Maia. Celorico de Basto é o meu porto de refúgio, onde me sinto bem (Rita Maia, Celoricenses de Sucesso Em conversa com Rita Maia Celorico de Basto é o meu porto de refúgio, onde me sinto bem (Rita Maia, 21 de fevereiro de 2015) Nascida e criada em Celorico de Basto, Rita Maia é uma

Leia mais

ELEIÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

ELEIÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS SOCIAIS ELEIÇÃO DOS MEMBROS DOS ÓRGÃOS SOCIAIS Nomes das pessoas a propor, qualificações profissionais, actividades profissionais exercidas nos últimos cinco anos, designadamente no que respeita a funções exercidas

Leia mais

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca

Orientação ao mercado de trabalho para Jovens. 1ª parte. Projeto Super Mercado de Trabalho 1ª parte Luiz Fernando Marca Orientação ao mercado de trabalho para Jovens 1ª parte APRESENTAÇÃO Muitos dos jovens que estão perto de terminar o segundo grau estão lidando neste momento com duas questões muito importantes: a formação

Leia mais

O dentista que virou dono de restaurante chinês 1

O dentista que virou dono de restaurante chinês 1 O dentista que virou dono de restaurante chinês 1 O cirurgião dentista Robinson Shiba, proprietário da rede China In Box, em 1992 deixava de exercer sua profissão como dentista para inaugurar a primeira

Leia mais

Empreender para Crescer

Empreender para Crescer Empreender para Crescer R. Miguel Coelho Chief EntusiastPersonalBrands Caros Pais e Encarregados de Educação, este ano lectivo, por iniciativa da Assoc. Pais do Colégio, vai iniciar-se em Novembro uma

Leia mais

Nuno Miguel Lopes da Silva

Nuno Miguel Lopes da Silva Nuno Miguel Lopes da Silva Data de Nascimento: 08 de Janeiro de 1974 Local de Nascimento: Portimão Nacionalidade: Portuguesa Estado Civil: Divorciado H A B I L I T A Ç Õ E S L I T E R Á R I A S Formação

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

GRADUAÇÃO FGV EM SÃO PAULO. Administração de Empresas. fgv.br/vestibular

GRADUAÇÃO FGV EM SÃO PAULO. Administração de Empresas. fgv.br/vestibular GRADUAÇÃO FGV EM SÃO PAULO Administração de Empresas fgv.br/vestibular Idealismo, Excelência e Credibilidade A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944, com o objetivo de preparar profissionais

Leia mais

Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 04: Turismo Gestor Hoteleiro

Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 04: Turismo Gestor Hoteleiro Deutsche Welle Learning By Ear Aprender de Ouvido Empregos 04: Turismo Gestor Hoteleiro Texto: Alex Gitta Redacção: Ludger Schadomsky, Sandrine Blanchard, Ulrich Neumann, Maja Dreyer Tradução: Madalena

Leia mais

Segredo 11 Como investir em ações para construir riqueza

Segredo 11 Como investir em ações para construir riqueza Segredo 11 Como investir em ações para construir riqueza Um tempo atrás, escrevi um ensaio curto sobre como Warren Buffett havia enriquecido tanto, mas não mencionei o quão rico ele havia se tornado. Com

Leia mais

Opening Remarks. Roadshow Portugal Global. Lisboa. Lisboa. Julho 15, 2015. Miguel Frasquilho

Opening Remarks. Roadshow Portugal Global. Lisboa. Lisboa. Julho 15, 2015. Miguel Frasquilho Roadshow Portugal Global Lisboa Opening Remarks Julho 15, 2015 Lisboa Miguel Frasquilho Presidente do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Senhores Empresários, Distintas Entidades aqui presentes,

Leia mais

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS

VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO FISCALIDADE PROGRAMAS EXECUTIVOS VALORES DE FUTURO INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMAS EXECUTIVOS UM COMPROMISSO DE DUAS INSTITUIÇÕES Bem-vindo aos Programas Executivos do ISAG e da IFACC. A união de sinergias

Leia mais

II Caminhada Entre Gerações

II Caminhada Entre Gerações II Caminhada Entre Gerações Âmbito: Envelhecimento Ativo e Solidariedade entre Gerações Tourigo 12 de maio de 2013 CAMINHAR ENTRE GERAÇÕES O idoso não perde talento com o tempo, não perde nada. O jovem

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010

BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado do Rio Grande do Sul SISERGS Unindo você a todos os Secretários do RS! SISERGS BOLETIM INFORMATIVO 11/2010 Dia 06 de novembro ocorreu o penúltimo treinamento

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia do Dia Nacional de Combate a Cartéis

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia do Dia Nacional de Combate a Cartéis , Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia do Dia Nacional de Combate a Cartéis Ministério da Justiça Brasília-DF, 08 de outubro de 2009. Meu querido companheiro José Alencar, vice-presidente da República,

Leia mais

Casal viaja pelo mundo na carona de Deus

Casal viaja pelo mundo na carona de Deus Casal viaja pelo mundo na carona de Deus Fábio Aguiar Lisboa Era o ano de 1873 e o escritor francês Júlio Verne lançou um livro que mexeu com a imaginação e o sonhos de inúmeras gerações de leitores de

Leia mais

Lista para os Orgãos Sociais do RCP! ( 2015 / 2016 / 2017)

Lista para os Orgãos Sociais do RCP! ( 2015 / 2016 / 2017) Lista para os Orgãos Sociais do RCP Motivações e pressupostos Uma vez mais, concorrer aos Órgãos Sociais do Rottweiler Clube de Portugal é encarado como um ato de paixão, dedicação e respeito pela raça

Leia mais

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto

Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos. Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa. Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhor Presidente do Instituto da Mobilidade e dos Transportes Terrestres Senhor Vereador da Câmara Municipal de Lisboa Senhor Vereador da Câmara Municipal do Porto Senhores representantes das associações

Leia mais

Portugal é 4 0. na criação de empresas na

Portugal é 4 0. na criação de empresas na Portugal é 4 0. na criação de empresas na Europa, mas está também no topo do 'ranking' dos países em que as empresas têm maior taxa de mortalidade, soube-se no "VIII Encontro PT Negócios/Diário Económico",

Leia mais

Assim nasce uma empresa.

Assim nasce uma empresa. Assim nasce uma empresa. Uma história para você que tem, ou pensa em, um dia, ter seu próprio negócio. 1 "Non nobis, Domine, non nobis, sed nomini Tuo da gloriam" (Sl 115,1) 2 Sem o ar Torna-te aquilo

Leia mais

II ENCONTRO INTER-ESCOLAS DE BRAGA DESPORTO ESCOLAR DE NATAÇÃO CLASSIFICAÇÕES

II ENCONTRO INTER-ESCOLAS DE BRAGA DESPORTO ESCOLAR DE NATAÇÃO CLASSIFICAÇÕES II ENCONTRO INTER-ESCOLAS DE BRAGA DESPORTO ESCOLAR DE NATAÇÃO CLASSIFICAÇÕES PROVA 25m Livres femininos Class Escola Nome Escalão Tempo Obs. EBS Vieira de Araújo Mariana Fonseca Infantis A 20:2 2 EBS

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Resultados da 2ª Fase do Concurso Nacional de Acesso de 2011 14320023 ALEXANDRE VAZ MARQUES VASCONCELOS Colocado em 1105 Universidade do Porto - Faculdade de Engenharia 9897 Ciências de Engenharia - Engenharia de Minas e Geoambiente 13840715 ANA CLÁUDIA DIAS MARTINS

Leia mais

CITIES ARE OUR CHALLENGE

CITIES ARE OUR CHALLENGE CITIES ARE OUR CHALLENGE Regeneração Urbana e Sustentabilidade Gestão de Projeto Consultadoria Estratégica em Imobiliário Desenvolvimento de Negócios ÍNDICE I II III IV V VI VII VIII IX APRESENTAÇÃO MARCA

Leia mais

Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa

Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa Securitas Parceiro da Universidade Fernando Pessoa A Securitas é o parceiro de Segurança da Universidade Fernando Pessoa (UFP), no Porto. Uma colaboração que se tem vindo a cimentar ao longo dos 14 anos

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais