Assunto: Alteração das condições gerais de Prestação de Serviços de Pagamentos.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Assunto: Alteração das condições gerais de Prestação de Serviços de Pagamentos."

Transcrição

1 Assunto: Alteração das condições gerais de Prestação de Serviços de Pagamentos. Estimado Cliente, BANCO SANTANDER TOTTA S.A. Capital Social: C.R.C. Lisboa com o NIPC Sede Social: Rua do Ouro, n.º LISBOA Vimos por este meio comunicar as alterações regulamentares mais recentes, relativas à simplificação e transparência das transacções na Europa com vista à criação do mercado único Europeu de pagamentos, na sequência da entrada em vigor nos países membros da União Europeia, e por consequência em Portugal, de uma nova Directiva Comunitária transposta para o direito interno pelo Decreto Lei nº.317/2009 de 30 de Outubro, regulando o serviço de pagamentos, por força da qual foram alterados os termos e condições em que, até ao presente, o Banco lhe disponibilizava o serviço de pagamentos que ficará sujeito à disciplina constante do documento em anexo. As alterações mais salientes estão particularmente dependentes do tipo de produtos que utiliza e são as seguintes: A sua conta de depósitos á ordem quando utilizada no âmbito da prestação do serviço de pagamento, assume a natureza de conta de pagamentos; Os Clientes utilizadores de serviço de pagamentos, passam a receber, sem encargos adicionais, informações básicas sobre as operações de pagamento, antes e após a sua execução; Os Bancos passam a observar nas transferências internas e no espaço Europeu (27 Estados-Membros e Islândia, Noruega e Liechtenstein) sujeitas à aplicação da nova regulamentação, o seguinte: As transferências recebidas serão creditadas na sua conta no dia útil em que o Banco tenha recebido os fundos e com a mesma data valor; As transferências ordenadas terão como data valor data posterior ou igual à data do débito da sua conta, e terão em consideração a data pretendida para a sua execução e o momento da sua recepção. O período de reembolso de ordens de pagamento iniciadas pelo beneficiário ou através deste, irregularmente executadas em Débitos Directos, é prorrogado de 30 para 56 dias. Consequentemente, nas referidas circunstâncias haverá um mês adicional ao actual prazo, para que possa recuperar os pagamentos através da sua conta executados em Débitos Directos caso não concorde com o débito efectuado à sua conta; Passam a ficar definidos períodos máximos de execução de ordens de pagamento dentro do Espaço Europeu, como por exemplo acontecerá nas transferências em que montante transferido será creditado: (i) na conta do beneficiário no próprio dia, nas transferências efectuadas entre contas domiciliadas no mesmo Banco, ou (ii) na conta do Banco do beneficiário até ao final do primeiro dia útil seguinte ao da recepção da ordem de pagamento, no caso de transferências interbancárias; Como consequência da nova regulamentação é exigível ao Banco que celebre um acordo de pagamento com os seus clientes. As condições em anexo passaram assim a regulamentar a prestação de serviço de pagamentos a partir de 1 de Novembro de 2009 e serão aplicadas a todos os serviços de pagamento prestados pelo Banco Santander Totta S.A. a todos os seus clientes, sem prejuízo das condições especiais que contratualmente com eles ajuste para lhes permitir a satisfação de interesses específicos e relevantes. Caso não concorde com as condições de serviços de pagamentos poderá informar-nos, por escrito no prazo de 60 dias a contar da recepção desta carta, enviando a sua comunicação escrita para o seu Balcão. Não tendo recebido essa informação ou caso nos seja solicitada a prestação de quaisquer novos serviços ao abrigo das condições agora alteradas decorrido pelo menos um mês após recepção desta carta, assumiremos que concorda com as condições de serviços de pagamento constantes do documento em anexo. Teremos todo o gosto em lhe facultar mais informação sobre a nova legislação, caso o pretenda, para o que poderá contactar o seu Balcão ou, em alternativa, ligar SuperLinha Santander Sem outro assunto e permanecendo à sua disposição, apresentamos os nossos melhores cumprimentos.

2 VI. SERVIÇOS DE PAGAMENTO Âmbito da prestação de serviço de pagamento VI.1. O Cliente, actuando como ordenador ou beneficiário ou em ambas as qualidades, pode solicitar ao Banco a prestação de serviços de pagamento nomeadamente, a execução de operações de pagamento de depósito, de transferência ou de levantamento de fundos da sua conta de depósitos à ordem que, para estes efeitos, assume a natureza de conta de pagamento. O Banco pode, porém, recusar o pedido quando o bem ou serviço a pagar, pelas suas características, entidade beneficiária ou outra qualquer razão, não se integre em nenhum dos tipos abrangidos pelo serviço disponibilizado à generalidade dos Clientes. VI.2. Salvo se diversamente estabelecido noutras condições ou na Lei o disposto nas Cláusulas subordinadas à epigrafe VI. Serviço de Pagamentos é apenas aplicável quando o prestador de serviço de pagamentos do ordenante ou do beneficiário, conforme aplicável, esteja situado em Portugal ou noutro Estado Membro da Comunidade Europeia ou quando o Banco seja o prestador de serviços único e os serviços de pagamento sejam realizados em Euro ou na moeda de um Estado Membro não pertencente à Zona Euro. A execução das operações de pagamento, individuais e sucessivas, a utilização da conta de pagamento para esse fim e, bem assim, os direitos e deveres do Cliente e do Banco, no âmbito da prestação de serviços de pagamento, são regulados pelas condições seguintes, as quais serão aplicáveis a tudo o que não for contrariado por contratos específicos entre ambos celebrados. VI. 3. As ordens serão necessariamente dadas por quem tenha poderes de movimentação da conta de depósitos à ordem. VI.4. Os pagamentos ordenados serão feitos por contrapartida do débito dos valores correspondentes na conta de depósitos à ordem do Cliente. VI.5. O Banco não é obrigado a proceder a qualquer pagamento quando a conta de depósitos à ordem do Cliente não se encontrar suficientemente provisionada para o efeito, com fundos de que ele possa livremente dispor. VI.6. Sem embargo, se o Banco proceder ao pagamento a descoberto, é aplicável o disposto nas cláusulas Il.27, II.28, II.33 a Il.36. VI.7. Por cada operação de pagamento a Terceiros, o Cliente pagará a respectiva comissão e suportará os demais custos que se acharem fixados no Preçário em vigor no Banco para a generalidade das operações desse tipo, o qual está disponível em todos os Balcões. VI.8. O Cliente pode, ainda, autorizar o débito em conta, mediante consentimento expresso transmitido ao Banco, pelo qual permite ao credor ou a um seu representante débitos directos, de montante fixo, variável ou até um determinado valor e/ou data previamente definidos, na conta de depósitos à ordem. VI.9. São serviços de pagamento prestados pelo Banco: (i) os que permitem ao Cliente depositar ou levantar numerário duma conta de pagamento bem como todas as operações necessárias para a gestão dessa conta; (ii) a execução das operações de pagamento a seguir discriminadas, incluindo a transferência de fundos depositados na conta de pagamentos ou em igual conta de outra instituição de crédito, ou, no âmbito das quais os fundos sejam cobertos por uma linha de crédito concedida ao Cliente: a) débitos directos, nomeadamente de carácter pontual; b) através de cartão de pagamento ou de dispositivo semelhante; c) transferências bancárias, incluindo ordens de domiciliação; (iii) a emissão ou aquisição de instrumentos de pagamento e o envio de fundos; (iv) a execução de operações de pagamento em que o consentimento do Cliente para a execução da operação de pagamento é comunicado através de quaisquer dispositivos de telecomunicações, digitais ou informáticos, e o pagamento é efectuado ao operador da rede ou sistema de telecomunicações ou informático, agindo exclusivamente como intermediário entre o utilizador do serviço de pagamento e o fornecedor de bens e serviços. VI.10. Em cumprimento do nº.5 do Artigo 4º do Aviso nº.10/2005 do Banco de Portugal, o Banco informa o Cliente que é seu dever conferir, através de procedimentos electrónicos, os elementos que compõem as autorizações de débito em conta que concedeu, bem como, que constitui presunção de desmaterialização das autorizações de débito, o facto de haverem sido processadas pelo menos três instruções de débito no intervalo temporal mínimo de três anos entre a primeira e a última, sem que se tenha verificado qualquer incidente no circuito de cobrança. Recebimento e prazo de execução de operações de pagamento VI.11 Considera-se que uma ordem de pagamento foi recebida pelo Banco, no momento em que uma ordem de pagamento transmitida pelo ordenante ou indirectamente pelo beneficiário ou através deste, contendo todos os elementos convencionados entre o Banco e o Cliente e que permitam a sua regular execução, é recebida pelo Banco, sem prejuízo do disposto na condição VI.13. VI.12. As ordens de pagamento recebidas presencialmente pelo Banco após as 14 horas ou após outra hora que o Banco venha a indicar ao Cliente, consideram-se como tendo sido recebidas pelo Banco no dia útil seguinte. VI.13. Na ausência de convenção em contrário entre o Banco e o Cliente, a ordem de pagamento do Cliente não se tem por recebida pelo Banco em data anterior àquela em que o Cliente ordenante coloque fundos à disposição do Banco para permitir o seu cumprimento ou, caso essa data não seja um dia útil, no dia útil seguinte. VI.14. O Banco pode recusar a execução de ordem de pagamento autorizada que não cumpra qualquer dos requisitos convencionados com o Cliente para o seu cumprimento, independentemente de ter sido emitida pelo ordenante ou pelo beneficiário, caso em que, salvo disposição em contrário, o Banco notificará o Ciente das razões inerentes à recusa e o procedimento a seguir para rectificar os eventuais erros que tenham originado a recusa. VI.15. O Banco procederá ao crédito da conta do Banco do beneficiário até ao final do primeiro dia útil seguinte àquele em que receber a ordem de pagamento do Cliente. V.16. É de três dias úteis o prazo fixado na condição anterior, tratando-se de operações transfronteiriças realizadas até 01 de Janeiro de VI.17. Acresce um dia útil ao prazo fixado nas condições VI.15. e VI.16. no caso de operações de pagamento emitidas em suporte de papel. VI.18. Nas transferências internas entre contas domiciliadas no Banco, este creditará na conta do beneficiário as quantias em dinheiro no próprio dia em que receber a ordem de pagamento, com a data valor e a data da disponibilização do momento do crédito

3 V.19. Independentemente da moeda utilizada na operação de pagamento em beneficio do Cliente, a data valor atribuída na conta de pagamento do Cliente será, no máximo, o dia útil em que o montante da operação seja creditado na conta do Banco. VI.20 O montante da operação de pagamento ficará à disposição do Cliente beneficiário, imediatamente após o Banco ter conhecimento de haver sido creditado na sua conta o respectivo montante. VI.21. A data valor do débito na conta do Cliente ordenante não será anterior ao momento em que o montante da operação de pagamento é debitado na referida conta. Consentimento e Revogação de operações de pagamento VI.22. Ao subscrever, emitir, autorizar ou solicitar previamente à sua execução a realização de operações de pagamento na forma convencionada com o Banco para cada uma delas, o Cliente e o Banco concordam que, pela prática desses actos, o Cliente está igualmente a consentir ao Banco, pela mesma forma, a execução da respectiva operação. VI.23. A introdução do PIN ou a assinatura do original comprovativo da transacção constitui a confirmação da transacção através de instrumento de pagamento e o consentimento para a execução da operação de pagamento até ao limite convencionado entre o Cliente e o Banco no contrato de utilização do respectivo instrumento de pagamento. VI.24. O Cliente pode, em qualquer momento e através de comunicação escrita, retirar o seu consentimento para a execução de uma operação de pagamento, desde que ela seja recebida pelo Banco antes da ordem de pagamento se ter tornado irrevogável nos termos das condições seguintes. O Cliente pode retirar o seu consentimento a um conjunto de operações, caso em que o consentimento se considera retirado a qualquer operação de pagamento subsequente. VI.25. O Cliente pode revogar uma ordem de pagamento antes da sua recepção pelo Banco sem prejuízo do disposto nas condições seguintes. VI.26. Tratando-se de operação de pagamento iniciada pelo Beneficiário ou através deste, o Cliente ordenante só pode revogar a ordem de pagamento antes de ter comunicado ao beneficiário essa ordem ou o seu consentimento à execução da operação de pagamento. VI.27. Tratando-se de débito directo, o Cliente ordenante pode revogar a ordem de pagamento até ao final do dia útil anterior ao dia acordado para o débito de fundos. VI.28. O Cliente pode revogar uma ordem de pagamento até ao final do dia útil anterior à data convencionada na condição VI.7. VI.29. Decorridos os prazos convencionados nas condições VI.24., VI.25., VI.26 e VI.28, a revogação da ordem de pagamento só pode ser revogada se tal tiver sido acordada entre o Cliente e o Banco. V.30. A revogação de ordens de pagamento prevista nas condições VI.26. e VI.28 para além do acordo entre o Cliente e o Banco, só poderá ser efectuada mediante o acordo do beneficiário. Instrumentos de pagamento VI.31. O Cliente obriga-se a utilizar os instrumentos de pagamento que lhe sejam disponibilizados pelo Banco de acordo com as condições que lhe sejam aplicáveis no âmbito destas condições gerais e, bem assim, de acordo com as demais condições que regem a sua emissão e utilização. VI.32. O Cliente obriga-se a comunicar sem atrasos ao Banco ou a entidade que este tenha designado, a perda, roubo, apropriação abusiva ou qualquer utilização não autorizada, logo que delas tenha conhecimento e, bem assim, a tomar todas as medidas razoáveis, em especial ao receber o instrumento de pagamento, para preservar a segurança e eficácia dos dispositivos de segurança personalizados recebidos do Banco. VI.33. O Banco reserva-se o direito de bloquear um instrumento de pagamento por motivos objectivamente fundamentados, que se relacionem com: (i) a segurança do instrumento de pagamento; (ii) a suspeita de utilização não autorizada ou fraudulenta do instrumento de pagamento; (iii) o aumento significativo do risco do Cliente ordenante não poder cumprir as suas responsabilidades, nos casos de instrumento de pagamento com uma linha de crédito associada. O Banco comunicará por escrito ao Cliente o bloqueio do instrumento de pagamento e respectiva justificação, se possível antes do efectuar ou, o mais tardar imediatamente após o bloqueio, salvo se tal informação não puder ser prestada por razões de segurança ou for proibida por lei. O instrumento de pagamento será desbloqueado ou substituído por outro, logo que tenham cessado os motivos que tenham determinado o bloqueio. VI.34. No caso de execução de operação de pagamento não autorizada resultante de perda, roubo ou apropriação abusiva de instrumento de pagamento com quebra da confidencialidade dos dispositivos de segurança personalizados imputável ao Cliente ordenante, O Cliente suportará as perdas relativas a essas operações dentro do limite do saldo disponível ou da linha de crédito associada à conta ou ao instrumento de pagamento, até ao máximo de 150 Euro. VI.35. Não será aplicável o limite de 150 Euro à responsabilidade do Cliente, caso em que responderá pela totalidade das perdas resultantes de operação de pagamento não autorizada, caso esta seja devida a actuação fraudulenta ou ao incumprimento deliberado do Cliente de alguma das suas obrigações de utilizar o instrumento de pagamento de acordo com as condições que regem a sua emissão e utilização e das obrigações de comunicar sem atrasos injustificados ao Banco ou a entidade que este tenha designado, logo que tenha conhecimento, a perda, roubo, apropriação abusiva ou qualquer autorização não autorizada do instrumento de pagamento. Em caso de actuação fraudulenta o Cliente suportará todas as perdas e consequências financeiras resultantes da utilização do instrumento financeiro perdido, roubado ou abusivamente apropriado, após ter procedido à comunicação destes factos. VI.36. Em caso de negligência grave do Ciente, este é responsável pelas perdas resultantes de operações de pagamento não autorizadas até ao limite da linha de crédito associada à conta ou ao instrumento de pagamento, ainda que superiores a 150 Euro, dependendo da natureza dos dispositivos de segurança personalizados do instrumento de pagamento e das circunstâncias da sua perda, roubo ou apropriação abusiva. Direito de rectificação VI.37. Caso o Cliente tenha tomado conhecimento de uma operação de pagamento não autorizada ou incorrectamente executada susceptível de originar uma reclamação, poderá obter a rectificação por parte do Banco desde que lho comunique sem atraso injustificado e dentro do prazo de treze meses a contar da data do débito. VI.38. O Banco não é responsável pela não execução ou pela execução deficiente da operação de pagamento executada em conformidade com o beneficiário especificado no identificador único fornecido pelo Cliente ordenante. Informações sobre a execução de ordens e condições VI.39. As informações respeitantes a operação de pagamento individual serão prestadas ao Cliente ordenante após o débito da sua conta, uma vez por mês em papel ou noutro suporte duradouro.

4 VI.40. As informações respeitantes a operação de pagamento individual serão prestadas ao Cliente beneficiário, uma vez por mês em papel ou noutro suporte duradouro. VI.41. Por solicitação expressa do Cliente, o Banco prestará gratuitamente em suporte de papel as informações a operação de pagamento individual, uma vez por mês. VI.42. Incumbe ao Banco o dever de fornecer ao Cliente a prova de que a operação de pagamento foi autenticada, devidamente registada e contabilizada e que não foi afectada por avaria técnica ou qualquer outra deficiência, caso o Cliente negue ter autorizado uma operação de pagamento executada ou alegue que a operação não foi correctamente executada. VI.43. O Cliente tem direito a receber a seu pedido e a todo o tempo, cópia destas condições bem como as informações précontratuais do serviço de pagamentos, em suporte de papel ou em qualquer outro suporte duradouro. Reembolso de operações de pagamento VI.44. O Cliente tem direito a ser reembolsado pelo Banco, pelo montante integral de operação de pagamento executada que tenha sido iniciada pelo beneficiário ou através deste que já tenha sido executada verificadas as condições seguintes: (i) a autorização não especificar o montante exacto da operação de pagamento no momento em que a autorização de pagamento foi concedida; e, (ii) o montante da operação de pagamento exceder o montante que o Cliente poderia razoavelmente esperar com base no seu perfil de despesas anteriores nas circunstâncias específicas do caso. VI.45. Ainda que verificadas as condições referidas nas alíneas (i) e (ii) da condição anterior, o Cliente não terá direito a ser reembolsado por operações a cuja execução tenha dado o seu consentimento ou que o Banco ou o beneficiário tenham prestado ou disponibilizado ao Cliente ordenante informações sobre a futura operação de pagamento pela forma acordada, pelo menos quatro semanas antes da data de execução. VI.46. O direito do Cliente de solicitar o reembolso de operação iniciada pelo beneficiário ou através deste, cessa no termo do prazo de oito semanas a contar da data em que os fundos tenham sido debitados. VI.47. No prazo de dez dias úteis a contar da recepção do pedido de reembolso pelo Cliente de operação iniciada pelo beneficiário ou através deste, o Banco reembolsará o montante integral da operação ou apresentará justificação para a recusa, caso em que indicara os organismos para os quais o Cliente poderá remeter a questão se não se conformar com a justificação apresentada. VI.48. Sem prejuízo do disposto nas condições VI.37., o Banco reembolsará imediatamente o Cliente do montante de operação não autorizada e, se for caso disso, reporá a conta de pagamento debitada na situação em que estaria se a operação de pagamento não autorizada não tivesse sido executada. VI.49. È da responsabilidade do Banco a correcta execução de ordem de pagamento emitida pelo Cliente com todos os elementos necessários a permitir a sua completa e regular execução, sem prejuízo do direito do Cliente a proceder a rectificações ou da correcção do identificador único fornecido pelo Cliente ou dos direitos do Banco em caso de força maior. Caso a responsabilidade caiba ao Banco este reembolsará o Cliente ordenante do montante da operação de pagamento não executada ou incorrectamente executada e demais encargos, repondo, se for caso disso, a conta de pagamento debitada na situação em que estaria se não tivesse ocorrido a execução incorrecta da operação de pagamento. VI.50. Caso uma ordem de pagamento seja emitida pelo Cliente beneficiário ou através deste, cabe ao Banco a responsabilidade perante o Cliente beneficiário pela transmissão correcta da ordem de pagamento ao Banco do ordenante, sem prejuízo do direito do Cliente a proceder a rectificações ou da correcção do identificador único fornecido pelo Cliente ou dos direitos do Banco em caso de força maior. Caso a responsabilidade caiba ao Banco este garantirá que o montante da operação fique à disposição do Cliente beneficiário imediatamente após ter sido creditada a conta do Banco. Encargos VI.51. Como contrapartida da prestação do serviço de pagamentos tem o Banco o direito a receber do Cliente as comissões e encargos fixados em Preçário, disponível e afixado nos Balcões ou nos canais alternativos de que o Cliente possa servir-se para emitir as suas ordens ou iniciar as operações de pagamento. VI.52. Às comissões e demais encargos devidos acrescem os impostos previstos na lei. VI.53. O Banco pode cobrar ao Cliente as comissões ou encargos fixados no Preçário pela: (i) notificação de recusa justificada de execução de ordem de pagamento e dos motivos inerentes à mesma e o procedimento a seguir para rectificar eventuais erros factuais que tenha conduzido a essa recusa (ii) revogação de uma ordem de pagamento por acordo entre o Cliente e o Banco; (iii) esforços desenvolvido pelo Banco na recuperação de fundos envolvidos em operação de pagamento efectuada com identificador único incorrectamente fornecido pelo Cliente. VI.54. O Banco pode, a todo o tempo alterar unilateralmente o preçário, nos mesmos termos em que pode alterar as condições do contrato de prestação de serviço de pagamento constantes da condição VI.57. VI.55. A prestação de informações adicionais ou mais frequentes e a transmissão por vias de comunicação diferentes das especificadas nestas condições, a pedido do Cliente ficam sujeitas ao pagamento dos encargos e comissões fixadas em preçários, disponíveis e afixadas nos Balcões. VI.56. O Banco pode deduzir os seus próprios encargos do montante objecto de transferência antes de o creditar ao Cliente, nas ordens de transferência de que este seja beneficiário. Alterações do Contrato e Denúncia VI.57. Quaisquer alterações ao contrato de serviço de pagamentos serão propostas pelo Banco ao Cliente com uma antecedência mínima de dois meses relativamente à data em que entrarão em vigor e consideram-se aceites pelo Cliente se este não notificar o Banco de que as não aceita antes da data proposta para a sua entrada em vigor. Caso o Cliente não pretenda aceitar a proposta do Banco de alterações do contrato de prestação de serviços de pagamento, poderá proceder à sua denúncia, imediatamente e sem encargos, desde que o faça antes da data proposta para a aplicação das alterações. VI.58. O Banco goza do direito de alterar as taxas de juro acordadas com o Cliente nos contratos específicos relativos a instrumentos de pagamento e as taxas de câmbio de referência, procedendo à sua aplicação e cálculo imediata, de forma neutra e sem pré aviso, comunicando posteriormente ao Cliente tais alterações através do extracto de conta. Como base de cálculo das operações cambiais, será utilizada uma taxa de câmbio de referência acrescida de margem. Disponibilizada pelo Banco em todos os seus Balcões, definida com base no câmbio de mercado (spot) da Reuters e do fixing do BCE do dia da realização da operação cambial e aplicada em função da hora da sua efectivação. Para a realização de operações cambiais de contravalor inferior a ,00 poderá o Banco utilizar a última taxa de câmbio de referência conhecida do dia anterior VI.59. O Cliente pode denunciar o contrato de prestação de serviço de pagamentos, em qualquer momento, desde que o faça com uma antecedência não inferior a um mês relativamente à data em que a denúncia produzirá efeitos, suportando os

5 encargos que ao tempo sejam aplicáveis de acordo com a lei e se encontrem afixados no Preçário do Banco disponível em todos os seus Balcões. VI.60. O Banco pode denunciar o contrato de prestação de serviços de pagamento, em qualquer momento, desde que o faça com uma antecedência não inferior a dois meses, sem prejuízo de poder proceder à denúncia dos contratos de operações de pagamento celebrados com prazo certo no seu âmbito, com antecedência temporal diferente que tenha convencionado com o Cliente. VI.61. Os encargos facturados pela prestação de serviço de pagamento são devidos pelo Cliente na parte proporcional ao período decorrido até à data da cessação do contrato. Caso tais encargos tenham sido pagos antecipadamente, serão restituídos ao Cliente na parte proporcional ao período de tempo ainda não decorrido. VI.62 Sem prejuízo do acesso aos meios judiciais competentes, o Cliente goza do direito de aceder a meios extrajudiciais de reparação de litígios emergentes da prestação de serviços de pagamento de valor igual ou inferior à alçada dos tribunais de 1ª. instância. Cláusula compromissória - Os litígios emergentes da prestação de serviços de pagamento de valor igual ou inferior à alçada dos tribunais de 1ª. instância, serão cometidos à decisão de árbitro único designado pelo Centro de Arbitragem da Universidade Católica Portuguesa com sede nas instalações da Universidade Católica Portuguesa - Palma de Cima em Lisboa ou, no que respeita à resolução extrajudicial de litígios transfronteiras, pelo Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo de Lisboa com sede na Rua dos Douradores nº.108, 2º e 3º em Lisboa, consoante aquele a que recorra o Cliente. O local de funcionamento do tribunal arbitral, o processo de arbitragem e a remuneração dos árbitros encontra-se sujeita ao regulamento emanado pelos referidos Centros de Arbitragem.

Condições Gerais do Serviço BIC Net Empresas

Condições Gerais do Serviço BIC Net Empresas Entre o Banco BIC Português, S.A., Sociedade Comercial Anónima, com sede na Av. António Augusto de Aguiar, nº132 1050-020 Lisboa, pessoa colectiva nº 507880510, matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral. Informação pré-contratual

Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral. Informação pré-contratual A. Elementos de Identificação 1. Identificação da instituição de crédito Ficha de Informação Normalizada em Matéria de Crédito aos Consumidores, em Caso de Contratação à Distância - Geral Informação pré-contratual

Leia mais

FICHA DE ADESÃO EMPRESA

FICHA DE ADESÃO EMPRESA FICHA DE ADESÃO EMPRESA Nº CLIENTE/CONTA RELAÇÃO Nº CLIENTE/CONTA RELAÇÃO Nº CLIENTE/CONTA RELAÇÃO Nome/Denominação Social: DADOS DA EMPRESA * Morada da Empresa: Localidade: Caixa Postal: Nome do 1º Utilizador:

Leia mais

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. Intermediários Financeiros O QUE SÃO INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS? Intermediários financeiros são as empresas prestadoras dos serviços que permitem aos investidores actuar

Leia mais

Adesão ao Serviço MB WAY

Adesão ao Serviço MB WAY Adesão ao Serviço MB WAY 1) Objecto Pelo presente contrato, o Banco Santander Totta SA obriga-se a prestar ao Utilizador o Serviço MB WAY, nas condições e termos regulados nas cláusulas seguintes, e o

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta

CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET Minuta I CONDIÇÕES GERAIS DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE ACESSO À "INTERNET" Minuta O PRESENTE CONTRATO FOI APROVADO PELO INSTITUTO DAS COMUNICAÇÕES DE PORTUGAL, NOS TERMOS E PARA OS EFEITOS DO ARTIGO 9/2 DO DECRETO

Leia mais

Condições Gerais do Caixadirecta Empresas

Condições Gerais do Caixadirecta Empresas Condições Gerais do Caixadirecta Empresas Cláusula 1ª - Objecto As presentes condições gerais regulam o Caixadirecta Empresas, sem prejuízo das disposições legais aplicáveis e daquilo que for especialmente

Leia mais

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com

PT PRIME - Soluções Empresariais de Telecomunicações e Sistemas, S.A., pessoa colectiva nº 502 840 757, com Prime Soluções Empresariais SEDE: Rua de Entrecampos, 28, 1749-076 Lisboa Nº de Pessoa Colectiva 502 M 757 - N' de Matricula 08537 C.R.C.L Capital Social de EUR.; 30 000 000. I/ -I- CONTRATO DE PRESTAÇÃO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DA CONTA SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS

CONDIÇÕES GERAIS DA CONTA SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS A. DISPOSIÇÕES GERAIS Objecto 1.1. Este documento contém as Condições Gerais do Contrato de Depósito de Serviços Mínimos Bancários (SMB) acordadas entre a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, CRL, pessoa colectiva

Leia mais

CONDIÇÕES DE ENTREGA RECREAHOME B.V. COM A SUA SEDE REGISTADA EM ASTEN

CONDIÇÕES DE ENTREGA RECREAHOME B.V. COM A SUA SEDE REGISTADA EM ASTEN 1. DEFINIÇÕES CONDIÇÕES DE ENTREGA RECREAHOME B.V. COM A SUA SEDE REGISTADA EM ASTEN Abaixo Recreahome B.V. será referida como "vendedor". Cada pessoa singular ou entidade legal que adquire bens e/ou serviços

Leia mais

AVISO Nº 02/2014 de 20 de Março

AVISO Nº 02/2014 de 20 de Março Publicado no Diário da República, I Série, nº 60, de 28 de Março AVISO Nº 02/2014 de 20 de Março ASSUNTO: DEVERES GERAIS DE INFORMAÇÃO NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS E PRODUTOS FINANCEIROS Considerando a necessidade

Leia mais

CARTÃO PRÉ-PAGO VISA KANDANDU

CARTÃO PRÉ-PAGO VISA KANDANDU [Imagem] CONTRATO DE ADESÃO CARTÃO PRÉ-PAGO VISA KANDANDU Órgão Nº de Entidade (NDE) Dados do Titular Nome Nome a gravar no cartão Nº de Conta - - Declaro serem verdadeiras todas as informações prestadas.

Leia mais

Índice Artigo 1.º Objecto... 3. Artigo 2.º Contrato... 3. Artigo 3.º Obrigações principais do adjudicatário... 4. Artigo 4.º Prazo...

Índice Artigo 1.º Objecto... 3. Artigo 2.º Contrato... 3. Artigo 3.º Obrigações principais do adjudicatário... 4. Artigo 4.º Prazo... Concurso Público para a elaboração do Inventário de Referência das Emissões de CO2 e elaboração do Plano de Acção para a Energia Sustentável do Município do Funchal CADERNO DE ENCARGOS Índice Artigo 1.º

Leia mais

Índice. Introdução 3. Como devem ser efetuadas as cobranças das despesas relativas a transferências? 6. O que são transferências?

Índice. Introdução 3. Como devem ser efetuadas as cobranças das despesas relativas a transferências? 6. O que são transferências? Índice Introdução 3 O que são transferências? 3 O que distingue as transferências dos débitos diretos? 3 As transferências Multibanco são transferências? 3 Quais as formas utilizadas para ordenar uma transferência?

Leia mais

FICHA DE ABERTURA DE CLIENTE EMPRESA

FICHA DE ABERTURA DE CLIENTE EMPRESA FICHA DE ABERTURA DE CLIENTE EMPRESA AGÊNCIA Nº DE CLIENTE/CONTA DENOMINAÇÃO SOCIAL CONDIÇÕES DE MOVIMENTAÇÃO Individual: Solidária: Conjunta: Mista: ENTIDADE TIPO DOC IDENTIFICAÇÃO Nº DOC IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Condições Gerais do Contrato de Depósito Pessoas Singulares

Condições Gerais do Contrato de Depósito Pessoas Singulares Condições Gerais do Contrato de Depósito Pessoas Singulares, C. R. L., pessoa colectiva n.º, matriculada sob esse mesmo número na Conservatória do Registo Comercial de, registada junto do Banco de Portugal

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS RELATIVO A CONTRATOS DE AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS

CADERNO DE ENCARGOS RELATIVO A CONTRATOS DE AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS CADERNO DE ENCARGOS RELATIVO A CONTRATOS DE AQUISIÇÃO DE SERVIÇOS Procedimento por Ajuste Directo n.º DSTD/01/2009 Cláusula 1.ª Objecto O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas a incluir

Leia mais

Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY

Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY Cláusulas Contratuais Gerais de Adesão ao Serviço MB WAY Objeto a) Pelo presente contrato, a Caixa Económica Montepio Geral, entidade com capital aberto ao investimento do público, com sede na Rua Áurea,

Leia mais

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito

Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA. Instituição Financeira de Crédito Preçário GE CONSUMER FINANCE, I.F.I.C., INSTITUIÇÃO FINANCEIRA DE CRÉDITO, SA Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de O Preçário completo da GE Consumer Finance,

Leia mais

Não aplicável (conta não remunerada)

Não aplicável (conta não remunerada) Designação Conta 18-23 Condições de Acesso Clientes Particulares com idades compreendidas entre os 18 e os 23 anos Modalidade Depósito à Ordem Meios de Movimentação Cartão de débito, cheque, ordem de transferência,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DA CONTA SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS

CONDIÇÕES GERAIS DA CONTA SERVIÇOS MÍNIMOS BANCÁRIOS A. DISPOSIÇÕES GERAIS Objecto 1.1. Este documento contém as Condições Gerais do Contrato de Depósito de Serviços Mínimos Bancários (SMB) acordadas entre a Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, CRL, pessoa colectiva

Leia mais

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância

VENDAS Á DISTÂNCIA. Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico. Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância VENDAS Á DISTÂNCIA Enquadramento Legal Decreto-Lei n.º 7/2004 de 07 01: Comércio Electrónico Decreto-Lei n.º 24/2014 de 14-02: Vendas à Distância No que respeita à forma da contratação electrónica, estipula

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE ABERTURA DE CONTA DE DEPÓSITO À ORDEM PARTICULARES. Parte I Disposições Gerais

CONDIÇÕES GERAIS DE ABERTURA DE CONTA DE DEPÓSITO À ORDEM PARTICULARES. Parte I Disposições Gerais CONDIÇÕES GERAIS DE ABERTURA DE CONTA DE DEPÓSITO À ORDEM PARTICULARES Parte I Disposições Gerais BANCO BILBAO VIZCAYA ARGENTARIA (PORTUGAL), S.A., com sede na Av. da Liberdade n.º 222, Lisboa, com o capital

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE DEPÓSITO Caixa Central PESSOAS COLECTIVAS

CONDIÇÕES GERAIS DO CONTRATO DE DEPÓSITO Caixa Central PESSOAS COLECTIVAS A. DISPOSIÇÕES GERAIS Objecto Este documento contém as Condições Gerais do Contrato de Depósito acordadas entre a de Crédito Agrícola Mútuo, CRL, pessoa colectiva nº 501 464 301, matriculada sob esse mesmo

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO FREEPORT E FREEPORT DE REDE UNIVERSAL

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO FREEPORT E FREEPORT DE REDE UNIVERSAL CARTÃO FREEPORT CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO FREEPORT E FREEPORT DE REDE UNIVERSAL CGFREE- PRODUZIDO EM OUTUBRO 2014 1. Disposições Gerais O Contrato é constituído pelas presentes Condições

Leia mais

Condições Gerais Contrato de Depósito Pessoas Singulares

Condições Gerais Contrato de Depósito Pessoas Singulares Condições Gerais Contrato de Depósito Pessoas Singulares, C. R. L., pessoa colectiva n.º, matriculada sob esse mesmo número na Conservatória do Registo Comercial de, registada junto do Banco de Portugal

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Capítulo I Disposições gerais. Cláusula 1.ª Objecto

CADERNO DE ENCARGOS. Capítulo I Disposições gerais. Cláusula 1.ª Objecto CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Cláusula 1.ª Objecto 1 O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas a incluir no contrato a celebrar na sequência do procedimento pré-contratual

Leia mais

Contrato de Abertura de Conta Condições Gerais - Pessoas Colectivas

Contrato de Abertura de Conta Condições Gerais - Pessoas Colectivas A - CONDIÇÕES GERAIS DE DEPÓSITOS À ORDEM 1. Regulamentação Geral 1. A abertura, movimentação, manutenção e encerramento de contas de depósito à ordem junto do Banco Comercial Português, S.A., adiante

Leia mais

PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO POUPANÇA AUTO PREENCHER A CANETA PRETA

PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO POUPANÇA AUTO PREENCHER A CANETA PRETA POUPANÇA E INVESTIMENTO PROPOSTA DE SEGURO SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO PREENCHER A CANETA PRETA SEGURO DE CAPITALIZAÇÃO 3 0 ALTERAÇÃO À APÓLICE Nº (*) AGÊNCIA/AGENTE Nº FM IB CONTA COBRANÇA Nº (*) PREENCHER

Leia mais

CONDIÇÕES DE VENDA. 1. Prazo de entrega O prazo de entrega é o referido na confirmação da encomenda, salvo acordo em contrário.

CONDIÇÕES DE VENDA. 1. Prazo de entrega O prazo de entrega é o referido na confirmação da encomenda, salvo acordo em contrário. CONDIÇÕES DE VENDA A venda de produtos da Portucel Soporcel Fine Paper S.A. ( vendedor ) é regulada pelas condições abaixo descritas, em conformidade com as práticas em vigor na indústria e comércio de

Leia mais

ABERTURA DE CONTA (EMPRESAS) PÁG. 1/7

ABERTURA DE CONTA (EMPRESAS) PÁG. 1/7 ABERTURA DE CONTA (EMPRESAS) PÁG. 1/7 IDENTIFICAÇÃO (Denominação Social) (Denominação Abreviada) Residente Sim Não ( da Sede) (Localidade) (Código Postal) (País) (1º Telefone Empresa) (2º Telefone Empresa)

Leia mais

Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal

Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal Concurso público para a aquisição de redes remotas por links wireless para o Município do Funchal CADERNO DE ENCARGOS - 1 - Índice Cláusula 1ª - Objecto... Cláusula 2ª - Contrato... Cláusula 3ª - Prazo...

Leia mais

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt

Seguro Poupança Crescente. Condições Gerais e Especiais da Apólice. www.ocidentalseguros.pt Ocidental Companhia Portuguesa de Seguros de Vida, SA. Sede: Avenida Dr. Mário Soares (Tagus Park), Edifício 10, Piso 1, 2744-002 Porto Salvo. Pessoa coletiva n.º 501 836 926, matriculada sob esse número

Leia mais

1.2. Endereço Rua Áurea, 219-241: Apartado 2882: 1122-806 Lisboa

1.2. Endereço Rua Áurea, 219-241: Apartado 2882: 1122-806 Lisboa FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL (ao abrigo do artigo 6.º do Decreto-Lei n.º 133/2009, de 2 de Junho) A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE ABERTURA DE CONTA FUTUROS CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS À EXECUÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE FUTUROS

CONDIÇÕES GERAIS DE ABERTURA DE CONTA FUTUROS CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS À EXECUÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE FUTUROS BIG021C/10 CONDIÇÕES GERAIS DE ABERTURA DE CONTA FUTUROS CONDIÇÕES GERAIS APLICÁVEIS À EXECUÇÃO E LIQUIDAÇÃO DE FUTUROS número de cliente identificação a preencher pelos serviços BIGonline 1. Condições

Leia mais

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO)

CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Empresa de Seguros PROSPECTO SIMPLIFICADO (Dezembro de 2009) CAIXA SEGURO 2014 6M - ICAE NÃO NORMALIZADO / / (PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO) Data de início de comercialização a 2 de Dezembro de 2009 Nome

Leia mais

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA

MUNICÍPIO DE CONDEIXA-A-NOVA Página 1 de 10 3/2014 CP APROV CADERNO DE ENCARGOS Concurso Público para aquisição de uma desumidificadora para as Piscinas Municipais de Condeixa-a-Nova Página 2 de 10 CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO

FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição de crédito 1.1. Denominação Banco BPI, Sociedade

Leia mais

COMÉRCIO ELECTRÓNICO ELECTRÓNICO

COMÉRCIO ELECTRÓNICO ELECTRÓNICO Ficha Informativa 1 Janeiro 2015 Ordem dos Advogados Largo São Domingos 14-1º, 1169-060 Lisboa Tel.: 218823550 Fax: 218862403 odc@cg.oa.pt www.oa.pt/odc COMÉRCIO ELECTRÓNICO ELECTRÓNICO Compras na Internet:

Leia mais

http://www.bportugal.pt

http://www.bportugal.pt Os cadernos do Banco de Portugal têm por finalidade exclusiva a informação do público em geral, não se destinando a ser utilizados para dirimir eventuais conflitos emergentes das relações estabelecidas

Leia mais

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO

MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO 5910 Diário da República, 1.ª série N.º 201 17 de outubro de 2012 MINISTÉRIO DA ECONOMIA E DO EMPREGO Decreto-Lei n.º 225/2012 de 17 de outubro O Decreto -Lei n.º 27 -C/2000, de 10 de março, que cria o

Leia mais

INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P. Aluguer Operacional de Viaturas CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Clausula 1.

INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P. Aluguer Operacional de Viaturas CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Clausula 1. INSTITUTO DOS VINHOS DO DOURO E DO PORTO, I.P. Aluguer Operacional de Viaturas CADERNO DE ENCARGOS Capítulo I Disposições gerais Clausula 1.ª Objecto O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas

Leia mais

Adesão à Caixanet - Empresas Caixa Económica de Cabo Verde

Adesão à Caixanet - Empresas Caixa Económica de Cabo Verde MCP.FM.002.00 2011.10.17 1/2 Adesão à Caianet - Empresas Caia Económica de Cabo Verde Nº de cliente Relação Nº de cliente Relação Nº de cliente Relação Denominação social Denominação* Actividade principal

Leia mais

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Contrato de Prestação de Serviço por Avença, de uma Dietista, com duração de 12 meses = SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO

Leia mais

Acordo Referente aos Serviços de Pagamento do Correio

Acordo Referente aos Serviços de Pagamento do Correio Acordo Referente aos Serviços de Pagamento do Correio Os abaixo-assinados, Plenipotenciários dos Governos dos Países membros da União, face ao disposto no parágrafo 4 do artigo 22.º da Constituição da

Leia mais

CADERNO DE ENCARGOS. Identificação dos Serviços Objecto de Concurso

CADERNO DE ENCARGOS. Identificação dos Serviços Objecto de Concurso CADERNO DE ENCARGOS Objecto O presente Caderno de Encargos compreende as cláusulas a incluir no contrato a celebrar na sequência do procedimento pré-contratual que tem por objecto principal a selecção

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO SERVIÇO MB WAY

CONDIÇÕES GERAIS DO SERVIÇO MB WAY CONDIÇÕES GERAIS DO SERVIÇO MB WAY Cláusula 1ª Definições No âmbito das presentes Condições Gerais e dos Termos e Condições Gerais da App MB WAY, os termos abaixo indicados terão o seguinte sentido, quando

Leia mais

REGULAMENTO DA INTERBOLSA N.º 3/2004 Regras operacionais gerais de funcionamento dos sistemas de liquidação de valores mobiliários

REGULAMENTO DA INTERBOLSA N.º 3/2004 Regras operacionais gerais de funcionamento dos sistemas de liquidação de valores mobiliários REGULAMENTO DA INTERBOLSA N.º 3/2004 Regras operacionais gerais de funcionamento dos sistemas de liquidação de valores mobiliários Ao abrigo do disposto no artigo 269.º do Código dos Valores Mobiliários

Leia mais

Preçário CAIXA ECONÓMICA SOCIAL CAIXAS ECONÓMICAS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 01-DEZ-2015

Preçário CAIXA ECONÓMICA SOCIAL CAIXAS ECONÓMICAS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Data de Entrada em vigor: 01-DEZ-2015 Preçário CAIXA ECONÓMICA SOCIAL CAIXAS ECONÓMICAS Consulte o FOLHETO E COMISSÕES E ESPESAS ata de Entrada em vigor: 01-EZ-2015 Consulte o FOLHETO E TAXAS E JURO ata de Entrada em vigor: 16-OUT-2015 O Preçário

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA DOS PROMOTORES

CÓDIGO DE CONDUTA DOS PROMOTORES CÓDIGO DE CONDUTA DOS PROMOTORES Definições: Promotores: toda a pessoa singular que, com o Banco ActivoBank, S.A. tenha celebrado um contrato de prestação de serviços, com o objectivo de exercer, a titulo

Leia mais

CONTRATO. 2. O Fornecedor indicará ao @rmazem, durante a vigência deste Contrato, os produtos que pretende transaccionar.

CONTRATO. 2. O Fornecedor indicará ao @rmazem, durante a vigência deste Contrato, os produtos que pretende transaccionar. CONTRATO IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTES 1ª CONTRATANTE FILIPA JUNQUEIRA ARQUITECTA, LDA., sociedade por quotascom sede na Rua do Centro Cultural, nº 10, 1º andar, freguesia de S. João de Brito,

Leia mais

Cartão de Crédito Millennium bcp GO!

Cartão de Crédito Millennium bcp GO! FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES, EM CASO DE CONTRATAÇÃO À DISTÂNCIA GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação da instituição

Leia mais

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 3.1. Cartões de crédito Comissões (Euros) Redes onde o cartão é aceite 1. Anuidades 1 1.º Titular Outros Titulares 2. Emissão de cartão 1 3. Substituição de cartão 2 4. Inibição do cartão 5. Pagamentos

Leia mais

Vendas pela Internet, televisão, telefone, fax ou catálogos

Vendas pela Internet, televisão, telefone, fax ou catálogos Vendas pela Internet, televisão, telefone, fax ou catálogos Para assegurar os direitos dos consumidores relativos à informação dos produtos e identidade do vendedor, as empresas têm de cumprir regras sobre

Leia mais

Nota de Informação Preçários das instituições de crédito passam a ter novas regras

Nota de Informação Preçários das instituições de crédito passam a ter novas regras Nota de Informação Preçários das instituições de crédito passam a ter novas regras O Banco de Portugal acaba de publicar novas regras para os Preçários, que vêm reforçar e harmonizar a informação sobre

Leia mais

Artigo Preliminar... 03. Capítulo I - Definições, Objecto e Garantias do Contrato, Âmbito Territorial e Exclusões

Artigo Preliminar... 03. Capítulo I - Definições, Objecto e Garantias do Contrato, Âmbito Territorial e Exclusões ÍNDICE CONDIÇÕES GERAIS Artigo Preliminar... 03 Capítulo I - Definições, Objecto e Garantias do Contrato, Âmbito Territorial e Exclusões Artigo 1.º - Definições... 03 Artigo 2.º - Objecto do contrato...

Leia mais

Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010

Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010 Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2010 A Instrução n.º 27/2003 consagrou no ordenamento jurídico nacional os procedimentos mais relevantes da Recomendação da Comissão n.º 2001/193/CE, de 1 de Março de 2001,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO CARTÃO DE DÉBITO VISA ELECTRON

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO CARTÃO DE DÉBITO VISA ELECTRON CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO CARTÃO DE DÉBITO VISA ELECTRON O cartão de Débito Visa Electron reger-se-á pelas normas e condições constantes das presentes condições gerais de utilização, cujo conhecimento

Leia mais

INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO DE VIDA PPR PPR BIC GARANTIDO (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008 de 16 de Abril)

INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO DE VIDA PPR PPR BIC GARANTIDO (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008 de 16 de Abril) INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO DE VIDA PPR PPR BIC GARANTIDO (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008 de 16 de Abril) SEGURADOR MAPFRE SEGUROS DE VIDA S.A. Sede Social: Rua Castilho, 52, 1250-071 Lisboa N.I.P.C.

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS E ESPECÍFICAS DO CONTRATO DE ABERTURA E MOVIMENTAÇÃO DE CONTA PESSOA COLECTIVA

CONDIÇÕES GERAIS E ESPECÍFICAS DO CONTRATO DE ABERTURA E MOVIMENTAÇÃO DE CONTA PESSOA COLECTIVA O presente documento contém as Condições Gerais e as Condições Específicas do Contrato de Abertura e Movimentação de Conta para Pessoa Colectiva (doravante designado por Contrato ), celebrado entre o BNP

Leia mais

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE

BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE ANEXO III DISPOSIÇÕES ESPECÍFICAS BOLSA INTERNACIONAL DE ENTRADA MARIE CURIE III. 1 - Definições FASE DE ENTRADA Para além das previstas no artigo II.1, aplicam-se à presente convenção de subvenção as

Leia mais

Preçário. CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A. Instituição Financeira de Crédito

Preçário. CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A. Instituição Financeira de Crédito Preçário CrediAgora, Instituição Financeira de Crédito, S.A Instituição Financeira de Crédito Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo

Leia mais

Termos e Condições Especiais de Venda - Social Ads

Termos e Condições Especiais de Venda - Social Ads Termos e Condições Especiais de Venda - Social Ads Os presentes termos e condições especiais de venda (doravante Condições Especiais de Venda ou os CPV regulamentam a relação entre: A APVO, uma empresa

Leia mais

CARTÃO FREEPORT OS DESCONTOS COM MELHORES CONDIÇÕES

CARTÃO FREEPORT OS DESCONTOS COM MELHORES CONDIÇÕES CARTÃO FREEPORT OS DESCONTOS COM MELHORES CONDIÇÕES ORIGINAL ONEY PROPOSTA DE ADESÃO Documentos Entregues: Cópias de: BI NIF NIB Comprovativo Morada Comprovativo Rendimentos Condições Particulares (todos

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. 3. Os comercializadores são responsáveis pelo cumprimento das obrigações decorrentes do acesso à RNTGN por parte dos seus clientes.

CONDIÇÕES GERAIS. 3. Os comercializadores são responsáveis pelo cumprimento das obrigações decorrentes do acesso à RNTGN por parte dos seus clientes. CONDIÇÕES GERAIS Cláusula 1ª Definições e siglas No âmbito do presente Contrato de Uso da Rede de Transporte, entende-se por: a) «Contrato» o presente contrato de uso da rede de transporte; b) «Agente

Leia mais

CONTRATO DE GESTÃO DE CARTEIRA (S)

CONTRATO DE GESTÃO DE CARTEIRA (S) CONTRATO DE GESTÃO DE CARTEIRA (S) ENTRE ALTAVISA GESTÃO DE PATRIMÓNIOS, S.A., pessoa colectiva n.º 507 309 189, com sede em Matosinhos, na Rua Roberto Ivens, n.º 1280, 1.º andar sala 6 4450 251 Matosinhos,

Leia mais

Caderno de encargos. Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional, I. P.

Caderno de encargos. Instituto Financeiro para o Desenvolvimento Regional, I. P. Concurso Público Urgente para aquisição de serviços de manutenção de licenciamento Microsoft Enterprise Agreement e aquisição de licenciamento Microsoft ou equivalente e respectivos serviços de manutenção

Leia mais

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO

CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO CONTRATO DE COMPRA DE ENERGIA ELÉCTRICA UNIDADES DE MICROPRODUÇÃO Entre F.., residente em.com o número de contribuinte, [ou 1 ] F..., com sede em,, com o capital social de. euros, matriculada na Conservatória

Leia mais

Cálculo Financeiro. . Casos Reais Resolvidos e Explicados (2008) ISBN 978-972-592-234-7 Escolar Editora

Cálculo Financeiro. . Casos Reais Resolvidos e Explicados (2008) ISBN 978-972-592-234-7 Escolar Editora . Teoria e Prática 1ª edição (2004) ISBN 978-972-592-176-3 2ª edição (2007) ISBN 978-972-592-210-1 3ª edição (2009) ISBN 978-972-592-243-9. Exercícios Resolvidos e Explicados (2008) ISBN 978-972-592-233-0.

Leia mais

Título IV Ofertas públicas de transacção. CAPÍTULO I D isposições Gerais. Artigo 98 (Autoridade fiscalizadora)

Título IV Ofertas públicas de transacção. CAPÍTULO I D isposições Gerais. Artigo 98 (Autoridade fiscalizadora) (Código do Mercado de Valores Mobiliários) Título IV Ofertas públicas de transacção CAPÍTULO I D isposições Gerais Artigo 98 (Autoridade fiscalizadora) Compete ao Banco de Cabo Verde, através da Auditoria

Leia mais

SEGURO DE EMPREITADA

SEGURO DE EMPREITADA Page 1 SEGURO DE EMPREITADA Sede: Av. 25 de Setembro, n.º 1230, 2.º Andar, Porta 201, Prédio 33 Andares Assinatura:... Page 2 APÓLICE Nº. A Companhia de Seguros Indico, SA abreviadamente designada por

Leia mais

Condições Gerais.03 .03 .03 .03 .03 .03 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .05 .05 .05 .05 .05 .05 .05

Condições Gerais.03 .03 .03 .03 .03 .03 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .04 .05 .05 .05 .05 .05 .05 .05 ÍNDICE Condições Gerais.03 Artigo 1º Definições.03 Artigo 2º Objecto do Contrato.03 Artigo 3º Garantias do Contrato.03 Artigo 4º Âmbito Territorial.03 Artigo 5º Exclusões.03 Artigo 6º Início e Duração

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS CARTÃO EMPRESA

CONDIÇÕES GERAIS CARTÃO EMPRESA CONDIÇÕES GERAIS CARTÃO EMPRESA Cláusula 1ª Definição 1. O Cartão Empresa é um cartão da rede Visa emitido pelo Banco Sol em nome de uma Empresa, adiante designado Titular, que se responsabiliza pela sua

Leia mais

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS

A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS COMISSÃO DO MERCADO DE VALORES MOBILIÁRIOS A QUEM PODE DAR ORDENS PARA INVESTIMENTO COMO E ONDE SÃO EXECUTADAS NOVEMBRO DE 2007 CMVM A 1 de Novembro de 2007 o

Leia mais

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO A CURTO PRAZO NA MODALIDADE DE CONTA CORRENTE Entre: 1º BANCO SANTANDER TOTTA, S.A., com sede na Rua Áurea, nº 88, 1100-063 Lisboa e com o Capital Social de 656.723.284,00,

Leia mais

BIG Alocação Condições Gerais

BIG Alocação Condições Gerais ARTIGO PRELIMINAR Entre a, e o Tomador do Seguro mencionado nas Condições Particulares é estabelecido o contrato de seguro que se regula pelas, Especiais e Particulares da Apólice, de acordo com as declarações

Leia mais

Endereço Internet: www.millenniumbcp.pt. Cartão de crédito.

Endereço Internet: www.millenniumbcp.pt. Cartão de crédito. FICHA DE INFORMAÇÃO NORMALIZADA EM MATÉRIA DE CRÉDITO AOS CONSUMIDORES GERAL INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL Cartões de Crédito Gémeos TAP Gold VISA/American Express A. ELEMENTOS DE IDENTIFICAÇÃO 1. Identificação

Leia mais

2 TRANSFERÊNCIAS A CRÉDITO

2 TRANSFERÊNCIAS A CRÉDITO 2 TRANSFERÊNCIAS A CRÉDITO As transferências, enquanto instrumento de movimentação de fundos entre contas de depósito, a débito e a crédito, são hoje um dos mais usuais tipos de operações bancárias que

Leia mais

ADESÃO AO SERVIÇO PAGA FÁCIL

ADESÃO AO SERVIÇO PAGA FÁCIL ADESÃO AO SERVIÇO PAGA FÁCIL BALCÃO CÓDIGO DATA N.º CONTA D.O.(*) MOEDA / / A O A (*) Conta associada ao serviço Paga Fácil, usada para débito de transacções e comissões do SMS Banking IDENTIFICAÇÃO DO

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Moeda Conta Super Jovem Clientes Particulares, com idade entre os 18 e os 30 anos (inclusive). Depósito à Ordem. Esta conta pode ser movimentada

Leia mais

CARTÃO BIGONLINE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PONTOS

CARTÃO BIGONLINE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PONTOS CARTÃO BIGONLINE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PONTOS Definições: Gestor: Banco de Investimento Global, S.A., responsável pela concepção, gestão e desenvolvimento do Programa de Pontos (adiante designado

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem Designação Condições de Acesso Modalidade Meios de Movimentação Conta Completa Clientes Particulares, maiores de 18 anos, que sejam trabalhadores por conta de outrem e que aceitem domiciliar ou transferir,

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO CARTÃO AO SEU RITMO BBVA (CARTÃO REVOLVING)

CONDIÇÕES GERAIS DO CARTÃO AO SEU RITMO BBVA (CARTÃO REVOLVING) CONDIÇÕES GERAIS DO CARTÃO AO SEU RITMO BBVA (CARTÃO REVOLVING) Ao contrato de emissão do Cartão mencionado infra, celebrado entre o Titular e BANCO BILBAO VIZCAYA ARGENTARIA (PORTUGAL), SA, (doravante

Leia mais

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros

Eurovida Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Data início de comercialização: 2007/05 por tempo indeterminado Empresa de Companhia de Seguros de Vida, S.A., sociedade anónima pertencente ao Grupo Banco Seguros Popular, com sede social na - 1099-090

Leia mais

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO COM PENHOR

CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO COM PENHOR CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO COM PENHOR Entre: 1. BANCO DE INVESTIMENTO GLOBAL, S.A., com sede em Lisboa, na Av. 24 de Julho nº 74 a 76, com o capital social de EUR 104.000.000 (cento e quatro milhões

Leia mais

Condições Gerais. Condições Gerais. Condições de Gerais de Adesão

Condições Gerais. Condições Gerais. Condições de Gerais de Adesão Condições Gerais Condições de Gerais de Adesão Âmbito, objecto e legitimidade de acesso 1.1 A Vortal, Comércio Electrónico, Consultadoria e Multimédia, SA (VORTAL) é uma sociedade gestora de plataformas

Leia mais

BBVA Fundos Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A.

BBVA Fundos Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A. N.º de Processo: 2/2009 Entidade Reclamada: Identificação: Futuro - Sociedade Gestora de Fundos de Pensões, S.A. Morada: Avª. General Firmino Miguel, n.º 5, 9º B, 1600-100 Lisboa Fundo de Pensões Aberto:

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA ONLINE WWW.ZILIANCHOOSE.COM. Artigo 1.º. (Âmbito e Definições)

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA ONLINE WWW.ZILIANCHOOSE.COM. Artigo 1.º. (Âmbito e Definições) CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA ONLINE WWW.ZILIANCHOOSE.COM Artigo 1.º (Âmbito e Definições) 1 As presentes condições gerais regulam a venda, incluindo o registo e a encomenda, de produtos através da página/sítio

Leia mais

Termos e Condições de Utilização da Plataforma ComprasPT

Termos e Condições de Utilização da Plataforma ComprasPT Termos e Condições de Utilização da Plataforma ComprasPT 1. Âmbito, objecto e legitimidade de acesso 1.1. A Infosistema, Sistemas de Informação S.A. é uma consultora de sistemas de informação que gere

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 Empresa de Seguros Entidades comercializadoras Autoridades de Supervisão

Leia mais

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA

PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA PROTOCOLO FINANCEIRO ENTRE A CGD E O ICAM A FAVOR DO SECTOR DO CINEMA Considerando: A importância do sector do Cinema como vector de dinamização das expressões artísticas e de contribuição para o desenvolvimento

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual

COMISSÃO EUROPEIA Gabinete de Cooperação EuropeAid. América Latina Gestão financeira e contratual 1 Introdução ao sistema financeiro (custos elegíveis ) Custos directos elegíveis por natureza Custos não elegíveis Período de elegibilidade Repartição das despesas financeiras em conformidade com oanexo

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO AKI GOLD

CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO AKI GOLD CARTÃO AKI GOLD CONDIÇÕES GERAIS DE UTILIZAÇÃO DO CARTÃO AKI GOLD CGAKIGOLD- PRODUZIDO EM MAIO 2015 1. Disposições Gerais O Contrato é constituído pelas presentes Condições Gerais, Condições Particulares

Leia mais

PRÉVOIR PPR NOVA VERSÃO INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS ANEXO À PROPOSTA PRÉVOIR PPR

PRÉVOIR PPR NOVA VERSÃO INFORMAÇÕES PRÉ-CONTRATUAIS ANEXO À PROPOSTA PRÉVOIR PPR Este documento apresenta-se como um resumo das Condições Gerais e Especiais do seguro Prévoir PPR e não dispensa a consulta integral das mesmas. SEGURADOR FINALIDADE SEGMENTO-ALVO CONDIÇÕES DE SUBSCRIÇÃO

Leia mais

Acordo Quadro para Transacções Financeiras. Anexo de Produto para Transacções de Reporte Edição de Janeiro de 2001

Acordo Quadro para Transacções Financeiras. Anexo de Produto para Transacções de Reporte Edição de Janeiro de 2001 Acordo Quadro para Transacções Financeiras Anexo de Produto para Transacções de Reporte Edição de Janeiro de 2001 Este Anexo complementa as Condições Gerais que fazem parte de qualquer Acordo Quadro para

Leia mais

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO - APV CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO

UNIDADE ORGÂNICA DE GESTÃO FINANCEIRA E DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO - APV CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO SUBUNIDADE ORGÂNICA DE APROVISIONAMENTO - APV CADERNO DE ENCARGOS AJUSTE DIRETO Aquisição de materiais de desgaste rápido, ferramentas e utensílios para diversos serviços na área da Produção e Manutenção

Leia mais

CONTRATO DE UTILIZAÇÃO DE CARTAO MULTICAIXA

CONTRATO DE UTILIZAÇÃO DE CARTAO MULTICAIXA MINUTA CONTRATO DE UTILIZAÇÃO DE CARTAO MULTICAIXA A emissão e utilização dos Cartões de Multibanco do Banco VTB África S.A., na cidade de Luanda, contribuinte N.º 5401156537, matriculado na Conservatória

Leia mais

Não existe garantia de capital nem rendimento.

Não existe garantia de capital nem rendimento. 91-67 Informação actualizada a: 01/04/2012 Designação Comercial: Operação de Capitalização Série Nº 67 (I.C.A.E - Não normalizado) Data início de Comercialização: 07/05/2009 Empresa de Seguros Entidades

Leia mais

prodj Condições Gerais de Venda On-line

prodj Condições Gerais de Venda On-line Índice 1. Contactos da prodj... 2 2. Processo de compra na loja on line da prodj... 2 2.1. Registo introdução, correcção e eliminação de dados pessoais... 2 2.2. Segurança no registo... 2 2.2. Compra...

Leia mais