! " # $ % & ' ( ) &*+ #

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "! " # $ % & ' ( ) &*+ #"

Transcrição

1

2 ! "# $ % &'( ) &*+ #

3 ' 1 "$,!-. /! / 0*1 Coordenações Setoriais 33"-&4536 "$7 8/ # 9$-:33"-&4536"-'7 Coordenações Sistêmicas Comércio Exterior Investimento Inovação Formação e Qualificação Profissional Produção Sustentável Competitividade de Pequenos Negócios Ações Especiais em Desenvolvimento Regional Bem estar do Consumidor /*1 2 *1 Condições e Relações de Trabalho

4 "# A. Aumento da produtividade e da participação das empresas nacionais no fornecimento de bens e serviços na cadeia de petróleo, gás e naval Aperfeiçoar os regimes especiais relacionados à cadeia de petróleo, gás e naval; Reduzir os custos ao longo da cadeia; Fortalecer a engenharia nacional consultiva e de projetos; Aumentar a capacidade instalada e da produtividade nos estaleiros e EPCistas nacionais; Apoiar a formação de grandes empresas nacionais de bens e serviços para a cadeia; Aumentar a visibilidade das oportunidades da demanda e da oferta nacional de bens e serviços para a indústria brasileira.

5 "# B. Promoção da internacionalização de empresas brasileiras e atração de investimentos estrangeiros na cadeia de petróleo, gás e naval Desenvolver plano de atração de investimentos em segmentos estratégicos, com foco na transferência de tecnologia; Fomentar a formação de empresas prestadoras de serviços de manutenção e assistência técnica no País; Promover as exportações de bens e serviços para mercados potenciais, com foco no aumento da escala; Fortalecer a integração produtiva com o Mercosul e a América Latina.

6 "# C. Fomento à inovação e ao desenvolvimento tecnológico na cadeia de fornecedores Fomentar o desenvolvimento tecnológico em atividades com potencial de agregação de valor e de transbordamento para outros setores industriais; Reforçar iniciativas de fomento à inovação aplicáveis à cadeia e incentivo à cooperação entre empresas, centros tecnológicos e Universidades.

7 "# D. Desenvolvimento de polos produtivos e tecnológicos a partir das características regionais Formar e desenvolver polos empresariais voltados para a cadeia de fornecedores com foco em escala, competitividade e sustentabilidade; Estimular a melhoria contínua da gestão das empresas da cadeia; Formular políticas de acordo com a natureza das Micro e Pequenas Empresas (MPEs); Fomentar a criação, junto aos polos produtivos, de institutos tecnológicos voltados à pesquisa industrial aplicada.

8 "# E. Fomento à qualificação profissional Capacitar recursos humanos em nível técnico e superior (com foco em engenharia) para especialidades demandadas pela cadeia, em articulação e complementaridade com o Programa de Mobilização da Indústria de Petróleo e Gás Natural (Prominp).

9 &':30C < "&"!! &%"!!/!% ;! ( "$!!!! % %!"/*!! *0! %!"!" "! #! $ " "! %%!#! &%' 3'$$3 &&$" ='($& &$3 &>&&"-$&"- 9&>3 >3 &>"-? - & 3 -($($9&- 'A'(-(B9-> ),)( -!$!+!. *! "!! " "! ( " %%! &% % ")* "* +! "!&%+*! #!

10 &! 6! (0 1'!, % 2 3',)( - $!+ 4' 5'! ( 6' 7 ** 8' &! 9' :"! ;'!!!

11 & *+ C# 1) Programa BNDES P&G. 30C Vigência: 2015!)!!!#< * %%"! Orçamento: R$ 4,0 Bilhões Nível da Operação - sigla Projetos Apoio [R$ MM] Investimento [R$ MM] CONTRATADA 7 959, ,55 APROVADA 5 383,38 440,81 EM ANALISE 1 241,20 402,00 ENQUADRADA 4 693, ,27 CONSULTA PRÉVIA 8 819, ,27 Soma: , ,90

12 & *+ C# 2) Programa Inova Petro 30C! %&,= "!$ "* ( 16'>;'4>14 <!,!2 #$ 18'>?'4>14 Vigência: 2016 Orçamento: R$ 3,0 Bilhões

13 & *+ C# 3) Acordo de Cooperação Técnica MDIC-ABDI-Petrobras Desenvolvimento da Cadeia de Fornecedores. Pólos Produtivos x Desenvolvimento Regional. Planos de Negócios de Empresas-Âncoras. Acordo de Cooperação formalizado em Projeto Piloto nos estados de MG, BA e PE.

14

15 Forças Grande conhecimento das atividades de toda a vadeia de Valor (elos upstream e downstream); Experiência do CENPES é importante direcionador do desenvolvimento tecnológico; Grandes grupos nacionais e um parque industrial diversificado, que poderão migrar para o setor; Centros de pesquisa e universidades com relevante produção acadêmica e laboratórios equipados; Elevados investimentos no setor (elos upstream e downstream) das operadoras; Novas descobertas do pré e pós sal geraram uma grande demanda de embarcações e estruturas offshore; Disponibilidade de recursos suficientes de financiamento para suportar o atendimento às necessidades da indústria naval (CDFMM e Tesouro).

16 Fraquezas Cadeia de fornecedores formada por empresas de menor porte (MPMEs) e concentrada nos segmentos de menor valor-agregado; Cadeia da indústria naval ainda é muito dependente de fornecedores internacionais. Baixa internacionalização e baixos investimentos em inovação pelas empresas de capital nacional; Baixa produtividade e escala das empresas nacionais quando comparadas aos players globais da cadeia; Baixa competitividade das empresas de engenharia consultiva e de projetos; Estrutura fiscal permanece complexa e desfavorece a cadeia produtiva nacional; Custos elevados para os investimentos, insumos e matérias-primas no Brasil; Gargalos de infraestrutura no país (ex.: logística e energia); Escassez de mão-de-obra qualificada.

17 Oportunidades O Brasil será o principal mercado para E&P nos próximos anos, dando maior previsibilidade da demanda no médio e longo prazo; O Pré-sal tem o potencial de induzir o desenvolvimento tecnológico em outros setores da economia; Elevados investimentos no setor (elos upstream e downstream) das operadoras, especialmente da Petrobras

18 Ameaças Elevação das importações; Concentração maior da indústria por grandes fabricantes estrangeiros; Risco de elevação dos custos de produção.

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G Área de Insumos Básicos Novembro de 2011 1 1. BNDES e a Indústria de P&G Principais Objetivos A. Contribuir para o desenvolvimento competitivo e sustentável da Indústria

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. POLÍTICA INDUSTRIAL SETORIAL demanda induzida do setor offshore desoneração na compra de insumos/partes/ peças financiamento com

Leia mais

Os Novos Desafios do Pré-Sal Estadão São Paulo 16 de agosto de Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral da ONIP

Os Novos Desafios do Pré-Sal Estadão São Paulo 16 de agosto de Eloi Fernández y Fernández Diretor Geral da ONIP Oportunidades e Desafios da Agenda de Competitividade para Construção de uma Politica Industrial na Área de Petróleo: Propostas para um Novo Ciclo de Desenvolvimento Industrial Eloi Fernández y Fernández

Leia mais

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades Workshop sobre o Marco Regulatório do Pré-Sal CNI 01.10.2009 Mensagem Inicial Pré-sal: Grande oportunidade para o Brasil Investimentos pré-sal:

Leia mais

ROTEIRO: 1. RETROSPECTIVA 2. CENÁRIOS 3. OBJETIVO 4. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 5. AÇÕES

ROTEIRO: 1. RETROSPECTIVA 2. CENÁRIOS 3. OBJETIVO 4. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 5. AÇÕES Florianópolis, 31 de janeiro de 2013 ROTEIRO: Plano 1. RETROSPECTIVA de Ação 2. CENÁRIOS 3. OBJETIVO 4. CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 5. AÇÕES Objetivo RETROSPECTIVA Décadas de 50 e 60: Plano de Ação Indústria

Leia mais

Formação de Mão de Obra para o Brasil. Desafios na qualificação de pessoas para a Indústria de P&G

Formação de Mão de Obra para o Brasil. Desafios na qualificação de pessoas para a Indústria de P&G Formação de Mão de Obra para o Brasil Desafios na qualificação de pessoas para a Indústria de P&G Apresentado por Paulo Sérgio Rodrigues Alonso São Paulo, 19 de novembro de 2013 PLANO DE NEGÓCIOS E GESTÃO

Leia mais

INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL

INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL Innovación en mecanismos de financiamiento para la internacionalización de las MiPYMES INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL Papel da ABDI 05 de outubro de 2010 Montevidéu 1 A ABDI

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008 Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G Helena Tenório Chefe do Departamento de Programas e Políticas do 2 de julho de 2008 Parceria Petrobras INVESTIMENTO FINANCIAMENTO Desenvolvimento da

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO. Rio Grande, 29 de outubro de 2013

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO. Rio Grande, 29 de outubro de 2013 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO Rio Grande, 29 de outubro de 2013 SUMÁRIO 1) Histórico do APL, Modelo de Governança e Projetos Prioritários 2) Plano de Desenvolvimento

Leia mais

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014

BNDES e o Apoio ao Setor de P&G. André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES e o Apoio ao Setor de P&G André Pompeo do Amaral Mendes Gerente AIB/DEGAP Novembro / 2014 BNDES BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral da União Instrumento chave

Leia mais

Cadeia de Petróleo e Gás:

Cadeia de Petróleo e Gás: Contexto: Lançamento do Plano Brasil Maior Atuação da CNI, em conjunto com entidades parceiras, para o detalhamento de agendas de política industrial Parceria com a ONIP Organização Nacional da Indústria

Leia mais

Equipamentos para a IPGN O Desafio Tecnológico. Adilson de Oliveira Frederico Rocha IE/UFRJ

Equipamentos para a IPGN O Desafio Tecnológico. Adilson de Oliveira Frederico Rocha IE/UFRJ Equipamentos para a IPGN O Desafio Tecnológico Adilson de Oliveira Frederico Rocha IE/UFRJ ROTEIRO Desafio Diagnóstico Agenda de trabalho Produção de Petróleo (US-DOE ) (Milhões de Barris Diários) Mar

Leia mais

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente ENCADEAMENTO PRODUTIVO Luiz Barretto - Presidente MISSÃO DO SEBRAE Promover a competividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

Referencial Teórico. Redes de cooperação produtivas:

Referencial Teórico. Redes de cooperação produtivas: Referencial Teórico Redes de cooperação produtivas: Formas de cooperação a partir de alianças estratégicas: Complexos industriais / organizações virtuais / parques tecnológicos / incubadoras de empresas

Leia mais

DESAFIOS COMPETITIVOS E A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

DESAFIOS COMPETITIVOS E A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DESAFIOS COMPETITIVOS E A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO PDP 2011-2014 PDP 2008-2010: RESULTADOS PDP 2008-2010: RESULTADOS (1 de 2) 425 MEDIDAS IMPLANTADAS ATÉ SETEMBRO DE 2010: 99% OPERACIONALIZADAS

Leia mais

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital

Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital Departamento de Bens de Capital - BNDES O Apoio do BNDES ao Setor de Bens de capital 12º Encontro da Cadeia de Ferramentas, Moldes e Matrizes - MOLDES ABM Agosto de 2014 Importância do investimento na

Leia mais

Agenda da MEI Pedro Wongtschowski Presidente do Conselho de Administração da Ultrapar e Líder da MEI

Agenda da MEI Pedro Wongtschowski Presidente do Conselho de Administração da Ultrapar e Líder da MEI Agenda da MEI 2019-2020 Pedro Wongtschowski Presidente do Conselho de Administração da Ultrapar e Líder da MEI CT&I uma agenda fundamental para o Brasil Prioridades construídas em torno de visões de futuro,

Leia mais

Capacitação Industrial e Indução ao Fornecimento Local de Bens e Serviços: o Papel da ONIP. Oswaldo A. Pedrosa Jr. Diretor Adjunto

Capacitação Industrial e Indução ao Fornecimento Local de Bens e Serviços: o Papel da ONIP. Oswaldo A. Pedrosa Jr. Diretor Adjunto Capacitação Industrial e Indução ao Fornecimento Local de Bens e Serviços: o Papel da ONIP Oswaldo A. Pedrosa Jr. Diretor Adjunto Novembro 2004 Elementos Fundamentais para Indução ao Fornecimento Local

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G -

Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Apoio do BNDES para a Cadeia de P&G -Programa BNDES P&G - Departamento da Cadeia Produtiva de Petróleo e Gás - Área de Insumos Básicos Departamento Regional Sul Gabinete da Presidência (GP/DESUL) Abril

Leia mais

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social Área de Insumos Básicos Seminário sobre Petróleo e Gás APIMEC RIO Agosto/2012 BNDES Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade integral

Leia mais

Fórum Regional da Bacia de Santos

Fórum Regional da Bacia de Santos Fórum Regional da Bacia de Santos 1º WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS Santos 30 de Outubro de 2006 Objetivo do Prominp Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas

Leia mais

Quem somos. O SINAVAL é a instituição que representa os estaleiros brasileiros instalados em diversas regiões do país.

Quem somos. O SINAVAL é a instituição que representa os estaleiros brasileiros instalados em diversas regiões do país. Quem somos O SINAVAL é a instituição que representa os estaleiros brasileiros instalados em diversas regiões do país. A missão do SINAVAL é fomentar a expansão do setor, defender os interesses do segmento,

Leia mais

Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Inovação do Setor de Mineração e Transformação Mineral

Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Inovação do Setor de Mineração e Transformação Mineral Inova Mineral Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Inovação do Setor de Mineração e Transformação Mineral Articulação e participação MME, ABDI, MCTI, CETEM, MDIC, empresas e ICT s Crédito e renda

Leia mais

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO DOS ODS

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO DOS ODS ESTRATÉGIAS E DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO DOS ODS Seminário FIESP: Agenda 2030 e o Setor Produtivo Gustavo Fontenele Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - MDIC São Paulo, 22 de Novembro

Leia mais

O Complexo Industrial da Saúde na Inovação. "Políticas Públicas e Desenvolvimento Industrial do Setor Saúde BRITCHAM

O Complexo Industrial da Saúde na Inovação. Políticas Públicas e Desenvolvimento Industrial do Setor Saúde BRITCHAM O Complexo Industrial da Saúde na Inovação "Políticas Públicas e Desenvolvimento Industrial do Setor Saúde BRITCHAM ABIMO Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos,

Leia mais

A importância da Inovaçã. ção o para as Micro, Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M

A importância da Inovaçã. ção o para as Micro, Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas A importância da Inovaçã ção o para as Micro, Pequenas

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA E A VISÃO DA ABEMI

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA E A VISÃO DA ABEMI Painel 7 A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA BRASILEIRA E A VISÃO DA ABEMI 04 de Setembro de 2014 SÃO PAULO - SP Cristian Jaty Silva Diretor da ABEMI 8/31/2014 1 HISTÓRIA DA ABEMI Associação Brasileira de Engenharia

Leia mais

Painel 2 - Competitividade da Engenharia Nacional. "A engenharia nacional do suprimento de insumos industriais"

Painel 2 - Competitividade da Engenharia Nacional. A engenharia nacional do suprimento de insumos industriais Painel 2 - Competitividade da Engenharia Nacional "A engenharia nacional do suprimento de insumos industriais" 01 OS CAMINHOS DA ENGENHARIA BRASILEIRA A ENGENHARIA NACIONAL DO SUPRIMENTO DE INSUMOS INDUSTRIAIS

Leia mais

Oportunidades, desafios e competitividade para rede de fornecedores da indústria de O&G Eloi Fernández y Fernández

Oportunidades, desafios e competitividade para rede de fornecedores da indústria de O&G Eloi Fernández y Fernández Oportunidades, desafios e competitividade para rede de fornecedores da indústria de O&G Eloi Fernández y Fernández FIESP, São Paulo, 06 de agosto de 2013 Quem é a ONIP? A ONIP - Organização Nacional da

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior A Política Industrial Brasileira A Política industrial brasileira tem claro foco em inovação e adensamento produtivo

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 23 de novembro de 2006 Resultados Comitê Setorial de IND P&G 23 de novembro de 2006 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 CARTEIRA 2006 PROPOSTA CARTEIRA 2007 IND PG 1 IND PG 2 16 projetos IND PG 6 IND PG 8 13 projetos

Leia mais

Apresentação ao Comitê de Negócios 01/07/2004

Apresentação ao Comitê de Negócios 01/07/2004 2o. Encontro Fóruns Regionais Apresentação ao Comitê de Negócios PROMINP 07/04/2006 01/07/2004 Fórum Regional do PROMINP MG Estabelecimento da REDE PETRO-MG, como rede inicial da Rede Brasil de Tecnologia

Leia mais

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014

BNDES - Apresentação Institucional. Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 BNDES - Apresentação Institucional Oportunidades para Investimentos na Indústria Química Brasileira Sinproquim 23 de abril de 2014 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952 Empresa pública de propriedade

Leia mais

As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Campinas 26/11/2013

As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Campinas 26/11/2013 As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho Campinas 26/11/2013 Em geologia, camada pré-salrefere-se a um tipo de rochas sob a crosta terrestre

Leia mais

Referencial para Elaboração de Projetos Estruturantes

Referencial para Elaboração de Projetos Estruturantes Referencial para Elaboração de Projetos Estruturantes Rogério Allegretti rogerio.allegretti@terra.com.br Brasília, abril de 2005 Sumário Considerações Preliminares Tema Principal Mapeamento Conceitual

Leia mais

PETROBRAS EMPRESA ÂNCORA

PETROBRAS EMPRESA ÂNCORA PETROBRAS EMPRESA ÂNCORA Missão da Petrobras Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional, fornecendo produtos e serviços adequados às

Leia mais

Estudo BNDES: diagnóstico e proposta de políticas públicas para IOT

Estudo BNDES: diagnóstico e proposta de políticas públicas para IOT Estudo BNDES: diagnóstico e proposta de políticas públicas para IOT Seminário a Internet na América Latina e a Contribuição Econômica do Ecossistema Digital Painel: Políticas Públicas: Tecnológica Ricardo

Leia mais

Quem somos e o quê fazemos?

Quem somos e o quê fazemos? Quem somos e o quê fazemos? Uma entidade sem fins lucrativos dedicada a pensar estrategicamente o setor, conduzindo programas direcionados ao desenvolvimento tecnológico das empresas e a sua inserção no

Leia mais

Competitividade da Indústria Brasileira de Bens e Serviços para a Indústria de Petróleo e Gás

Competitividade da Indústria Brasileira de Bens e Serviços para a Indústria de Petróleo e Gás Competitividade da Indústria Brasileira de Bens e Serviços para a Indústria de Petróleo e Gás Equipe Coordenação Geral (Instituto de Economia UFRJ) Adilson de Oliveira Coordenações de Estudos Específicos

Leia mais

USP NA SOCIEDADE COMUNICAÇÃO/RELAÇÃO COM O GOVERNO

USP NA SOCIEDADE COMUNICAÇÃO/RELAÇÃO COM O GOVERNO USP NA SOCIEDADE COMUNICAÇÃO/RELAÇÃO COM O GOVERNO Luciano Santos Tavares de Almeida Secretário-Adjunto 04 de setembro de 2008 SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO Plano de Desenvolvimento Econômico para o Estado

Leia mais

Propostas de posicionamento estratégico para uma Política de Desenvolvimento Industrial

Propostas de posicionamento estratégico para uma Política de Desenvolvimento Industrial Documento Técnico Propostas de posicionamento estratégico para uma Política de Desenvolvimento Industrial 2º Encontro dos Representantes da Fibra em colegiados externos Brasília, 30 de agosto de 2016 Contextualização

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de TM. 3 º Workshop Nacional do PROMINP. Salvador, 17 de novembro de 2005

Resultados Comitê Setorial de TM. 3 º Workshop Nacional do PROMINP. Salvador, 17 de novembro de 2005 Resultados Comitê Setorial de TM 3 º Workshop Nacional do PROMINP Salvador, 17 de novembro de 2005 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 PROPOSTA CARTEIRA 2006 TM 1 TM 2 TM 3 TM 4 TM 5 TM 6

Leia mais

Portfólio de Projetos Brasil

Portfólio de Projetos Brasil Portfólio de Projetos Brasil Oportunidades Empresariais e Profissionais Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Associação Brasileira da Industria Têxtil e de Confecção Presidente da Cia de Fiação e Tecidos

Leia mais

CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES

CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES CADFOR São Paulo Organização Nacional da Indústria do Petróleo - ONIP CONTEÚDO LOCAL SIGNIFICA O VALOR AGREGADO NO PAÍS PARA A PRODUÇÃO DE UM BEM, SISTEMA OU SERVIÇO

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

Proposta Nova Metodologia Belo Horizonte, MG - 26/06/2017

Proposta Nova Metodologia Belo Horizonte, MG - 26/06/2017 Proposta Nova Metodologia Belo Horizonte, MG - 26/06/2017 A MUDANÇA DE METODOLOGIA Objetivos: 1.Medir de forma efetiva a penetração na cadeia de fornecedores; 2.Reduzir a sensibilidade às variações bruscas

Leia mais

Desafios Históricos P R O M I N. Fonte: PETROBRAS

Desafios Históricos P R O M I N. Fonte: PETROBRAS Objetivo do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis,, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior. Desafios

Leia mais

Pré-sal e o futuro da Indústria do Petróleo no Brasil

Pré-sal e o futuro da Indústria do Petróleo no Brasil Pré-sal e o futuro da Indústria do Petróleo no Brasil Professor Helder Queiroz Pinto Jr. Grupo de Economia da Energia Instituto de Economia / UFRJ X CBPE Gramado, 27 de Setembro 2016 Plano de Apresentação

Leia mais

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás

Capacitação da Indústria. Nacional e Perspectivas de. Ampliação do Fornecimento. Local de Bens e Serviços para o. Setor de Óleo e Gás Capacitação da Indústria Nacional e Perspectivas de Ampliação do Fornecimento Local de Bens e Serviços para o Setor de Óleo e Gás 1 Agentes Governamentais Indústria Nacional Operadoras de P&G Missão Maximizar

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO NACIONAL E INOVAÇÃO

ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO NACIONAL E INOVAÇÃO ASSOCIAÇÃO DE EMPRESAS DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO NACIONAL E INOVAÇÃO QUEM SOMOS Perfil das empresas associadas P&D Brasil R$ 16 bilhões em faturamento aa. 14% de investimento em P&D da Receita Líquida

Leia mais

Grupo de Trabalho Temático Tema: Capacitação Industrial

Grupo de Trabalho Temático Tema: Capacitação Industrial Grupo de Trabalho Temático Tema: Capacitação Industrial São Paulo, 24 de Novembro de 2006 Análise Crítica Para a realização da Análise SWOT foram considerados os seguintes assuntos relacionados a capacitação

Leia mais

V Simpósio Sindusfarma-IPS/FIP-ANVISA

V Simpósio Sindusfarma-IPS/FIP-ANVISA V Simpósio Sindusfarma-IPS/FIP-ANVISA Fomento à exportação de fármacos e medicamentos: panorama, desafios e oportunidades Bruno Duarte Coordenador-Geral do Complexo Químico e da Saúde Departamento de Investimentos

Leia mais

Espírito Santo: Oportunidades e Negócios. 19 de outubro de 2017

Espírito Santo: Oportunidades e Negócios. 19 de outubro de 2017 Espírito Santo: Oportunidades e Negócios 19 de outubro de 2017 Histórico Fundado em 1988, o Centro Capixaba de Desenvolvimento Metalmecânico, é resultado de um Convênio de Cooperação Técnica e Financeira

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação. Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação. Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer.

Leia mais

Parceria para Projetos de Inovação na Cadeia de Petróleo & Gás. abril de 2014

Parceria para Projetos de Inovação na Cadeia de Petróleo & Gás. abril de 2014 Parceria para Projetos de Inovação na Cadeia de Petróleo & Gás abril de 2014 HISTÓRICO Lançamento do Programa: 13 de agosto de 2012 Edifício Sede da Petrobras / Rio de Janeiro Presidentes da FINEP, BNDES

Leia mais

Conteúdo local no setor de P E T R Ó L E O & G Á S

Conteúdo local no setor de P E T R Ó L E O & G Á S Seminário: Conteúdo local no setor de P E T R Ó L E O & G Á S Visões das Operadoras, dos Fornecedores, das Certificadoras e das Autoridades Governamentais C o n s e l h o d e Ó l e o e G á s _ ABIMAQ São

Leia mais

Apresentação ao Comitê Diretivo

Apresentação ao Comitê Diretivo Ações de Desenvolvimento Tecnológico Industrial 31 de Março de 2011 Apresentação ao Comitê Diretivo Política Industrial Dirigida por Demanda Elementos Conceituais e Papel dos Agentes Indústria Nacional

Leia mais

CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES CADFOR MACAÉ. Organização Nacional da Indústria do Petróleo - ONIP

CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES CADFOR MACAÉ. Organização Nacional da Indústria do Petróleo - ONIP CONTEÚDO LOCAL DESAFIOS E OPORTUNIDADES CADFOR MACAÉ Organização Nacional da Indústria do Petróleo - ONIP 23.05.2012 Conteúdo Local no Setor de O&G Brasileiro Cadeia de Petróleo e Derivados no Brasil UPSTREAM

Leia mais

2.5 Desenvolvimento de Mercados

2.5 Desenvolvimento de Mercados 2.5 Desenvolvimento de Mercados Por que Desenvolvimento de Mercados? O mercado influencia a competitividade das empresas. A dimensão do mercado doméstico gera escala, permite a existência de uma base industrial

Leia mais

Inserção Competitiva e Sustentável de Micro e Pequenas Empresas na Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás. Projeto IND P&G-06

Inserção Competitiva e Sustentável de Micro e Pequenas Empresas na Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás. Projeto IND P&G-06 Inserção Competitiva e Sustentável de Micro e Pequenas Empresas na Cadeia Produtiva do Petróleo e Gás Projeto IND P&G-06 CENÁRIO (1) Setor de Petróleo e Gás no Brasil Oportunidades para MPE Superior a

Leia mais

Estudo da Competitividade da Indústria Nacional Fornecedora de Bens e Serviços para o Setor de Petróleo & GásG. Rio de Janeiro, 02 de Julho de 2008

Estudo da Competitividade da Indústria Nacional Fornecedora de Bens e Serviços para o Setor de Petróleo & GásG. Rio de Janeiro, 02 de Julho de 2008 Estudo da Competitividade da Indústria Nacional Fornecedora de Bens e Serviços para o Setor de Petróleo & GásG Rio de Janeiro, 02 de Julho de 2008 Apresentação ao Comitê Diretivo Agenda Equipe Objetivos

Leia mais

Construção de um pacto para o Plano Nacional de IoT

Construção de um pacto para o Plano Nacional de IoT Estudo IoT: Um Plano de Ação para o Brasil (2018-2022) Construção de um pacto para o Plano Nacional de IoT MEI Set 2017 Cláudia Prates (Diretora BNDES) O desenvolvimento de IoT demanda uma estratégia de

Leia mais

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 3 º Workshop Nacional do PROMINP. 17 de novembro de 2005

Resultados Comitê Setorial de IND P&G. 3 º Workshop Nacional do PROMINP. 17 de novembro de 2005 Resultados Comitê Setorial de IND P&G 3 º Workshop Nacional do PROMINP 17 de novembro de 2005 Carteira de Projetos CARTEIRA 2004 CARTEIRA 2005 PROPOSTA CARTEIRA 2006 IND PG 1 16 IND PG 2 projetos IND PG

Leia mais

Conteúdo Local. Desafios e Oportunidades. CadFor Salvador

Conteúdo Local. Desafios e Oportunidades. CadFor Salvador Conteúdo Local Desafios e Oportunidades CadFor Salvador 26.06.2012 Conteúdo Local no Setor de O&G Brasileiro Cadeia de Petróleo e Derivados no Brasil UPSTREAM MONOPÓLIO DA UNIÃO MIDSTREAM ATIVIDADES REGULADAS

Leia mais

Diretrizes da Nova Política de Comércio Exterior Medidas para Ampliar a Competitividade

Diretrizes da Nova Política de Comércio Exterior Medidas para Ampliar a Competitividade Diretrizes da Nova Política de Comércio Exterior Medidas para Ampliar a Competitividade Alessandro Golombiewski Teixeira Secretário-Executivo do MDIC Rio de Janeiro, Agosto de 2011 Introdução 1 Panorama

Leia mais

O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do MDIC

O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do MDIC O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul Marcos Pereira Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços Caxias do Sul, 02

Leia mais

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas

Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Desafios, Necessidades e Perspectivas na Formação e Capacitação de Recursos Humanos para Exportação, Refino e Distribuição de Produtos Existentes nas Reservas Petrolíferas do Pré-Sal Audiência Pública

Leia mais

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique

Desenvolvimento Industrial em. Moçambique. African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique República de Moçambique African Iron&Steel Conference, de 23 de Juhno de 2015, Hotel Avenida, Maputo, Moçambique Direcção Nacional da Industria Desenvolvimento Industrial em Moçambique Eng. Mateus Matusse

Leia mais

Ações do Governo de São Paulo para a Cadeia de Fornecedores de P&G. Subsecretaria de Petróleo e Gás

Ações do Governo de São Paulo para a Cadeia de Fornecedores de P&G. Subsecretaria de Petróleo e Gás Ações do Governo de São Paulo para a Cadeia de Fornecedores de P&G Subsecretaria de Petróleo e Gás Outubro de 2013 Ações do governo paulista para a cadeia de P&G Criação do CEPG Conselho Estadual de Petróleo

Leia mais

A Mobilização Empresarial pela Inovação: Agenda de Trabalho

A Mobilização Empresarial pela Inovação: Agenda de Trabalho A Mobilização Empresarial pela Inovação: Agenda de Trabalho Adilson Primo São Paulo - 4/2/2011 O Brasil voltou a ter uma política industrial explícita nos últimos anos Apesar da crise ter comprometido

Leia mais

Instrumentos de Apoio

Instrumentos de Apoio Instrumentos de Apoio COMPETE Healthy n Portugal Expansão do Mercado dos Cuidados Médicos e Turismo de Saúde em Portugal COMPETE EEC Conceição Moreno 08.mai.2012 Agenda Estratégias de Eficiência Coletiva:

Leia mais

Seminário: Valorização do Potencial Industrial do Alto Minho: Plano de Ação & Instrumentos de Financiamento

Seminário: Valorização do Potencial Industrial do Alto Minho: Plano de Ação & Instrumentos de Financiamento Seminário: Valorização do Potencial Industrial do Alto Minho: Plano de Ação & Instrumentos de Financiamento 2015-2020 Cluster do Conhecimento e Economia do Mar Viana do Castelo, 29 de Junho de 2015 Frederico

Leia mais

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional CAIXA Segmento Petróleo e Gás Reunião da Diretoria do SINAVAL Antonio Gil Silveira Gerente Regional Rio de Janeiro, 15 de Fevereiro de 2012 AGENDA CAIXA Resultados 2011 Experiência CAIXA Estratégia CAIXA

Leia mais

PANORAMA DA EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL NO BRASIL

PANORAMA DA EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL NO BRASIL PANORAMA DA EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL NO BRASIL Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis spg@mme.gov.br Agosto de 2014 SUMÁRIO Atividades de E&P no Brasil Contratos

Leia mais

Inovar para competir. Competir para crescer.

Inovar para competir. Competir para crescer. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 SUMÁRIO Plano Brasil Maior...7 Dimensões do Plano...8 Dimensão Estruturante...11

Leia mais

Prof. Dr. Fernando Sarti

Prof. Dr. Fernando Sarti Os Desafios do Pré-sal: Riscos e Oportunidas para o País Sessão 3: O Brasil po se tornar uma referência em petróleo em águas profundas? As Políticas Industrial e Inovação Prof. Dr. Fernando Sarti Unicamp,

Leia mais

Plano Nacional de Internet das Coisas Uma Estratégia para o País

Plano Nacional de Internet das Coisas Uma Estratégia para o País Plano Nacional de Internet das Coisas Uma Estratégia para o País Secretaria de Política de Informática SEPIN ABINEE TEC - 2017 São Paulo 28/07/2017 Internet das Coisas gera valor a partir de dados extraídos

Leia mais

Cenário, perspectivas e desafios do setor

Cenário, perspectivas e desafios do setor INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO NAVAL E OFFSHORE BRASILEIRA Cenário, perspectivas e desafios do setor SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE (SINAVAL) Sergio Leal Secretário-Executivo

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA

RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA NA GESTÃO DA CADEIA LOGÍSTICA Coordenadoria de Economia Mineral Diretoria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral Premissas do Desenvolvimento Sustentável Economicamente

Leia mais

Fórum Regional PROMINP - RN. Natal, 5 de Março de 2004

Fórum Regional PROMINP - RN. Natal, 5 de Março de 2004 Fórum Regional PROMINP - RN Natal, 5 de Março de 2004 Foco de Atuação do PROMINP Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação

Leia mais

ENCADEAMENTO PRODUTIVO Oportunidade para as pequenas empresas Bom negócio para as grandes

ENCADEAMENTO PRODUTIVO Oportunidade para as pequenas empresas Bom negócio para as grandes ENCADEAMENTO PRODUTIVO Oportunidade para as pequenas empresas Bom negócio para as grandes ENCADEAMENTOS PRODUTIVOS COMPETITIVIDADE SUSTENTABILIDADE INOVAÇÃO PRODUTIVIDADE CADEIA DE VALOR APRESENTAÇÃO O

Leia mais

Capacitação da. Indústria Nacional e. Propostas de Medidas. de Fortalecimento do. Setor

Capacitação da. Indústria Nacional e. Propostas de Medidas. de Fortalecimento do. Setor Capacitação da Indústria Nacional e Propostas de Medidas de Fortalecimento do Setor Fatores críticos de sucesso Desenvolver um ambiente adequado para atração de novos investimentos e operações Minimizar

Leia mais

Complexo Econômico-Industrial da Saúde: uma visão geral

Complexo Econômico-Industrial da Saúde: uma visão geral Complexo Econômico-Industrial da Saúde: uma visão geral Seminário sobre Complexo Econômico-Industrial da Saúde BNDES / Ministério da Saúde Carlos A. Grabois Gadelha Vice-Presidência de Produção e Inovação

Leia mais

Painel 2 - A Produtividade e a Competitividade da Indústria Nacional. Análise comparativa da fabricação de equipamentos no Brasil e no Exterior

Painel 2 - A Produtividade e a Competitividade da Indústria Nacional. Análise comparativa da fabricação de equipamentos no Brasil e no Exterior Painel 2 - A Produtividade e a Competitividade da Indústria Nacional Análise comparativa da fabricação de equipamentos no Brasil e no Exterior Rio de Janeiro, 18 de dezembro de 2013 A Empresa Empresa Brasileira

Leia mais

A VISÃO DA ABEMI SOBRE O DESENVOLVIMENTO DO PROMINP. Ricardo Ribeiro Pessôa. 17 de novembro, 2005

A VISÃO DA ABEMI SOBRE O DESENVOLVIMENTO DO PROMINP. Ricardo Ribeiro Pessôa. 17 de novembro, 2005 A VISÃO DA ABEMI SOBRE O DESENVOLVIMENTO DO PROMINP Ricardo Ribeiro Pessôa 17 de novembro, 2005 ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL ABEMI A Associação Brasileira de Engenharia Industrial - ABEMI

Leia mais

Status do Projeto Corporativo: Nova Metodologia de Credenciamento

Status do Projeto Corporativo: Nova Metodologia de Credenciamento Classificação: Documento Reservado Restrição de Acesso: BNDES Unidade Gestora: AOI/DECRED Status do Projeto Corporativo: Nova Metodologia de Credenciamento DECRED Departamento de Credenciamento de Máquinas,

Leia mais

Inovação Setorial Pedro Passos & Adilson Primo

Inovação Setorial Pedro Passos & Adilson Primo Inovação Setorial Pedro Passos & Adilson Primo Introdução Esta apresentação tem como objetivo iniciar, no âmbito da MEI, uma série de discussões acerca da possibilidade de obtermos maiores avanços na agenda

Leia mais

IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS

IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS Internet das Coisas é a infraestrutura global que possibilita a prestação de serviços de valor adicionado pela conexão (física ou virtual) de coisas com dispositivos

Leia mais

Política Industrial de Semicondutores

Política Industrial de Semicondutores ABINEE TEC SUL Seminário e Mostra de produtos Eletrônicos Dias 18 a 19 de agosto de 2004 Porto Alegre - RS Política Industrial de Semicondutores Antonio Sergio Martins Mello Diretor do Departamento de

Leia mais

Cesar Prata Presidente Conselho do Óleo e Gás

Cesar Prata Presidente Conselho do Óleo e Gás Cesar Prata Presidente Conselho do Óleo e Gás 1 Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos 2 Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos Fundação: 1937 (80 anos) Representa

Leia mais

O compromisso do Sebrae com a. Rio de Janeiro, 20 de julho de 2005

O compromisso do Sebrae com a. Rio de Janeiro, 20 de julho de 2005 O compromisso do Sebrae com a competitividade das MPEs Rio de Janeiro, 20 de julho de 2005 2 A MICRO E PEQUENA EMPRESA NO BRASIL Alta informalidade: 10,3 milhões de micro negócios informais (2005) 4,9

Leia mais

Comércio Exterior do Complexo Econômico-Industrial da Saúde

Comércio Exterior do Complexo Econômico-Industrial da Saúde Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria-Executiva Comércio Exterior do Complexo Econômico-Industrial da Saúde Ivan Ramalho Secretário-Executivo RIO DE JANEIRO, 19 DE MAIO

Leia mais

Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2016

Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2016 Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2016 PAINEL V - EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS: UM MUNDO PARA SER CONQUISTADO Edna Cesetti Departamento de Competitividade Internacional em Comércio e Serviços (DECIN)

Leia mais

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional São Paulo, 15 de Março de 2015 Agenda

Leia mais

INOVAÇÃO E BIOTECNOLOGIA NA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA. FERNANDA DE NEGRI Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

INOVAÇÃO E BIOTECNOLOGIA NA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA. FERNANDA DE NEGRI Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior INOVAÇÃO E BIOTECNOLOGIA NA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA FERNANDA DE NEGRI Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior INOVAÇÃO NO BRASIL INOVAÇÃO E P&D NA INDÚSTRIA BRASILEIRA A indústria

Leia mais

Reunião Comitê Setorial de IND P&G. São Paulo - 24 de novembro de 2006

Reunião Comitê Setorial de IND P&G. São Paulo - 24 de novembro de 2006 Reunião Comitê Setorial de IND P&G São Paulo - 24 de novembro de 2006 Proposta Carteira 2007 Ações Ações Regulação Selecionar para cada comitê um projeto piloto para aferição de conteúdo local através

Leia mais

O BNDES E O FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO. Luciano Coutinho Presidente do BNDES

O BNDES E O FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO. Luciano Coutinho Presidente do BNDES O BNDES E O FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO Luciano Coutinho Presidente do BNDES IBEF - 15 de junho de 2008 Sólidos fundamentos macroeconômicos garantem crescimento sustentado ü Grau de investimento e

Leia mais

FORUM URBANO MUNDIAL 5 Rio de Janeiro de março, 2010

FORUM URBANO MUNDIAL 5 Rio de Janeiro de março, 2010 FORUM URBANO MUNDIAL 5 Rio de Janeiro 22-26 de março, 2010 ESTUDO DE CASO: Projeto de Desenvolvimento Econômico Regional do Ceará (Cidades do Ceara Cariri Central) Emanuela Rangel Monteiro CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais