GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232"

Transcrição

1 GUINDASTE CONTROLADO POR PC ATRAVÉS DE INTERFACE SERIAL RS- 232 Carlos Renato Borges dos Santos Instituto Federal de Minas Gerais - IFMG Departamento de Engenharia Elétrica Campus Formiga MG Resumo - O objetivo deste documento é mostrar o desenvolvimento de um guindaste microcontrolado comandado por computador. Nesse projeto, são usados: microcontrolador (família 8051), motores de passo, interface serial RS-232 e software desenvolvido em Delphi. Palavras-Chave Delphi, Eletrônica, guindaste, microcontrolador, RS-232. mini-guindaste está sendo aperfeiçoado para ser conectado à porta USB. A seguir serão mostradas as partes principais do circuito eletrônico. II. CIRCUITO ELETRÔNICO DO MINI-GUINDASTE O diagrama lógico de funcionamento do circuito pode ser visto na Figura 1. CRANE CONTROLLED BY PC THROUGH RS-232 SERIES INTERFACE Abstract - The aim of this document is to show the development of a microcontrolled crane commanded by personal computer. In this project, are used: microcontroller (8051 family), step motors, RS-232 interface and software developed in Delphi. 1 Keywords crane, Delphi, Eletronic, microcontroller, RS-232. PC CI RX TX NOMENCLATURA Computador pessoal. Circuito integrado. Receptor. Transmissor. I. INTRODUÇÃO O estudo dos microcontroladores é fundamental para os estudantes de engenharia elétrica. Em um mundo digital, os microcontroladores e os microcomputadores são o centro de comando dos circuitos eletrônicos. Este trabalho mostra uma aplicação do microcontrolador da família 8051 para controlar um mini-guindaste. Dois motores de passo são usados para girar o guindaste e levantar o eletroímã. Este tem a função de capturar peças ferromagnéticas que serão movidas de um lugar para outro. Além disso, o mini-guindaste é comandado por computador, em um software desenvolvido em Delphi, especialmente para essa finalidade. A interface serial RS-232 é usada para conectar o mini-guindaste ao computador. Atualmente o Fig. 1. Diagrama lógico de funcionamento do projeto. O diagrama mostrado na Figura 1 revela como é o direcionamento do controle. O computador envia o comando (sinal) para o microcontrolador; este entende qual é o comando e o executa (virar o guindaste, subir ou descer o eletroímã, ligar ou desligar o eletroímã). Após a execução do movimento, o microcontrolador envia um sinal de volta ao computador, e este atualiza a tela do guindaste, informando ao usuário que o comando requisitado foi obedecido. O mini-guindaste pode ser visto na Figura 2. Fig. 2. Foto do mini-guindaste. A seguir serão mostrados os componentes eletrônicos principais do projeto. A. O microcontrolador O microcontrolador utilizado foi o 89C2051, que possui apenas as portas P1 e P3 do Dessa forma, a porta P1 é usada para acionar os dois motores de passo (4 pinos para cada motor); da porta P3, os pinos RX e TX são usados na

2 serial e um pino é usado para o acionamento do eletroímã, restando, ainda, 5 portas que podem ser usadas para outras finalidades. Para melhorar a taxa de transmissão tanto com relação à taxa de erro quanto à velocidade de transmissão, foi usado um cristal de 11,0592 MHz. [4]. O CI 89C2051 pode ser visto na Figura 3. velocidade. Objetivando o controle da posição, foram utilizados motores de passo para controle do ângulo de giro do mini-guindaste e da altura do eletroímã. Um dos motores de passo utilizados é visto na Figura 5. Fig. 5. Motor de passo (usado para controle de posição). B. A interface serial Fig. 3. Microcontrolador da família A conexão serial é realizada através do CI MAX232, que converte o padrão TTL (0 a 5V) para o padrão serial RS-232 (-15V a +15V). O manual do MAX232 é facilmente obtido na internet e o circuito é mostrado na Figura 4. O motor de corrente contínua também pode ser utilizado para controle de posição, mas o sistema de controle para essa finalidade é mais complexo, o que não é objetivo deste trabalho. D. Driver de potência Os pinos de saída do microcontrolador não são capazes de acionar diretamente os motores de passo ou o eletroímã. Para serem acionados, é preciso um driver de potência. No caso deste projeto, foi utilizado o IRF 540 para acionar os dispositivos citados. O IRF 540 é um transistor do tipo MOSFET canal N. O IRF 540 e seus pinos podem ser vistos na Figura 6. Fig. 6. Mosfet IRF 540. Fig. 4. Esquema de ligação do padrão TTL ao RS-232. Como visto na Figura 4, este CI pode ser utilizado em até dois canais de transmissão e 2 de recepção. Para o miniguindaste, é necessário apenas um canal TX e um canal RX. O pino 11 do MAX232 foi conectado ao TX do microcontrolador e o 14 ao RX do computador (PC, pino 2). O pino 12 do MAX232 foi conectado ao RX do microcontrolador e o 13 foi conectado ao TX do computador (PC, pino 3). A partir da transmissão do comando por parte do usuário, o microcontrolador receberá o comando, executando-o e enviando uma resposta ao computador de que o comando foi executado. A seguir será mostrado o software e suas janelas principais. III. O SOFTWARE O software que controla o mini-guindaste é de interface simplificada para que o usuário possa movimentar o guindaste através de botões que são clicados com o mouse. Este software foi desenvolvido em Delphi [3]. A. Protocolo de comunicação Na Tabela 1 são mostrados os caracteres de comunicação entre o software e o microcontrolador. C. O motor de passo O motor de passo é vantajoso em relação ao motor de corrente contínua no que tange ao controle da posição; por outro lado, o motor de corrente contínua é mais veloz. Neste projeto, o controle da posição é mais importante do que a

3 TABELA I Lista de caracteres usados para comunicação. B. Comandos manuais Para o controle manual basta clicar com o mouse nos botões mostrados na Figura 9. Esses botões controlam o movimento do braço (movimento horizontal), a altura do eletroímã (movimento vertical) e o acionamento do eletroímã (liga ou desliga). A Figura 7 mostra o software antes da conexão com o microcontrolador e a Figura 9 mostra o software após a conexão. Fig. 9. Janela do software quando conectado. Fig. 7. Janela do software quando desconectado. Inicialmente, deve-se realizar a conexão, clicando em Conectar. O botão conectar é aquele com o desenho de um telefone, que pode ser visto na Figura 7. Ao clicá-lo, o software envia um sinal (caractere E, conforme a Tabela 1) ao microcontrolador e este retorna outro sinal (caractere F, conforme a Tabela 1), habilitando os botões da janela, como mostrado na Figura 9. A cada byte enviado pelo computador deve haver um byte recebido. Dessa forma, o software tem o controle de cada movimento e pode atualizar a sua tela. Uma janela foi desenvolvida para mostrar os comandos enviados e recebidos. Essa janela é importante para solucionar problemas e pode ser vista na Figura 8. Se ocorrer algum defeito, a janela da Figura 8 ajuda a identificar se o problema ocorre na transmissão ou na recepção, agilizando a detecção do problema. O projeto descrito em [5] também utiliza esta janela para auxiliar na detecção e correção de problemas. Na janela mostrada na Figura 9 vê-se 3 áreas de controle, citadas a seguir. Na área Vista Panorâmica, tem-se a posição do braço do mini-guindaste, que pode girar quase 360 graus, sendo cerca de 180 graus para a esquerda e 180 graus para a direita (a limitação do giro se deve aos cabos que alimentam os motores). Na área Vista Lateral, tem-se o controle da altura do eletroímã. Na área Eletroímã tem-se o acionamento do eletroímã, ligando-o (ver Figura 10) ou desligando-o (ver Figura 9). Ainda olhando a Figura 9, pode ser notada a existência de uma régua, na parte de baixo da janela. Nela há o ajuste de velocidade do guindaste. Neste caso, é controlado o tempo entre a recepção e a transmissão do sinal. Há, também, a barra de menu, na parte de cima, responsável por diversas ferramentas que são mostradas a seguir. Na Figura 10 pode ser visto o eletroímã ligado. Neste caso, aparecerá linhas horizontais azuis, representando a circulação de corrente na bobina do eletroímã. Fig. 8. Janela de mensagem dos comandos enviados e recebidos.

4 Fig. 10. Janela do software com eletroímã ligado. C. Controle automático O usuário pode automatizar o mini-guindaste, programando-o para que realize movimentos automaticamente. Para isso, o usuário pode escolher duas formas de programar os movimentos do mini-guindaste. A primeira forma é mostrada na Figura 11. Fig. 11. Janela de programação automatização do mini-guindaste. Na Figura 11 é mostrada uma forma em que o usuário utiliza o mouse e o teclado para programar. Já na Figura 12, o usuário já deve ter um pequeno conhecimento de programação, pois este já utiliza a linguagem desenvolvida para o controle automático do mini-guindaste. Fig. 12. Janela de automatização mostrando a linguagem desenvolvida para automatizar o mini-guindaste. Em seguida são comentadas as conclusões do trabalho. IV. CONCLUSÕES O projeto de um mini-guindaste microcontrolado foi desenvolvido para apresentar a funcionalidade dos microcontroladores e sua possibilidade de conectar-se com o computador ou qualquer outro sistema de informação. A partir de um microcontrolador e com drivers de potência é possível realizar acionamento de máquinas de potência elevada. Através desse projeto, torna-se evidente a importância do aprendizado em algoritmos e de eletrônica digital, analógica e de potência, além do conhecimento em microcontroladores e de conceitos básicos de telecomunicações. Inúmeras melhorias podem ser implementadas, entre elas a utilização da porta USB, a inserção de mais movimentos, aumento da velocidade, comandos à distância, entre outros. Essas melhorias foram sugeridas pelas pessoas que conheceram o mini-guindaste. Dessa forma, é nítida a vontade de dar continuidade a este projeto, além de ser fonte geradora de novas idéias que utilizam os conhecimentos descritos neste artigo. Deseja-se, através deste texto, motivar os estudantes e conhecedores da área desenvolver novos projetos de eletrônica. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS [1] IRF540, N-Channel 100V W - 22AtoO-220 Low gate charge STripFET II Power Mosfet, Disponível para download em: 40.shtml [2] Adel S. Sedra; Kenneth C. Smith, Microeletrônica, 5a Ed., 2007 São Paulo. [3] Kent Reisdorph, Aprenda Delphi em 21 Dias, Editora Campus. [4] Denys E. C. Nicolosi, Microcontrolador 8051 Detalhado, Editora Érica. [5] C. R. B. Santos, Diário de Classe Eletrônico, I Conferência em Estudos de Engenharia Elétrica, Uberlândia-MG, 2003.

5 DADOS BIOGRÁFICOS Carlos Renato Borges dos Santos, graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Goiás UFG (2003) e mestrado em Engenharia Elétrica e de Computação pela Universidade Federal de Goiás UFG (2005). Atualmente é professor do Instituto Federal Minas Gerais - IFMG. Tem experiência na área de Engenharia Elétrica, com ênfase em Engenharia Elétrica, atuando principalmente nos seguintes temas: aterramento, materiais elétricos, eletrônica e microcontroladores.

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido

Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação. Resumo Expandido Pró-Reitoria de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação Resumo Expandido Título da Pesquisa: Painel Braille para deficientes visuais: interface computacional. Palavras-chave: Painel Braille, Tecnologia Assistiva,

Leia mais

TUTORIAL Arduino Nano

TUTORIAL Arduino Nano Conceito: O é uma plataforma de prototipagem eletrônica de hardware livre e de placa única, projetada com um microcontrolador Atmel AVR com circuitos de entrada/saída embutido que podem ser facilmente

Leia mais

Capítulo 12. Projeto 5 Controle de Motores de Passo. 12.1 Circuito e Funcionamento

Capítulo 12. Projeto 5 Controle de Motores de Passo. 12.1 Circuito e Funcionamento Capítulo 12 Projeto 5 Controle de Motores de Passo A crescente popularidade dos motores de passo deve-se a sua adaptação à lógica digital. Estes dispositivos são usados em inúmeras aplicações, tais como:

Leia mais

Figura 01 Visão Geral da Placa

Figura 01 Visão Geral da Placa 1. Hardware O kit de FPGA é formado por periféricos que possibilitam sua interação com sinais de áudio, display gráfico e alfanumérico, comunicação serial e USB, codec de áudio, chaves para simulação e

Leia mais

Medidor Powersave V2 USB

Medidor Powersave V2 USB Medidor Powersave V2 USB O medidor é formado por uma caixa plástica contendo uma placa eletrônica, uma tomada macho, uma tomada fêmea, um conector H, um barramento lateral, um conector USB e leds indicativos.

Leia mais

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger

Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger Gerenciamento de Entrada e Saída Hélio Crestana Guardia e Hermes Senger O controle da entrada e saída (E/S ou I/O, input/output) de dados dos dispositivos é uma das funções principais de um sistema operacional.

Leia mais

Brasil. 5. Descrição da função dos principais ícones. A. Reproduzir o arquivo.avi.

Brasil. 5. Descrição da função dos principais ícones. A. Reproduzir o arquivo.avi. Aviso importante: Instale primeiro o driver e somente então conecte a VideoCAM ExpressII à porta USB Leia este importante aviso antes da instalação 1. Instalação do software VideoCAM ExpressII 1. Insira

Leia mais

NX-MAX6 MANUAL DO USUARIO V1.1

NX-MAX6 MANUAL DO USUARIO V1.1 MANUAL DO USUARIO V1.1 NEVEX Tecnologia Ltda. Copyright 2015- Todos os direitos Reservados Atualizado em: 21/05/2015 IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex Tecnologia

Leia mais

Brasil. 5. Aspecto da câmera de vídeo. A. Modo de pré-visualização. B. Foto instantânea. C. Modo de videoclipe

Brasil. 5. Aspecto da câmera de vídeo. A. Modo de pré-visualização. B. Foto instantânea. C. Modo de videoclipe Aviso importante: Instale primeiro o driver e somente então conecte a VideoCAM Messenger à porta USB Leia este importante aviso antes da instalação 1. Instalação do software VideoCAM Messenger 1. Insira

Leia mais

NX- USB MANUAL DO USUARIO V1.2

NX- USB MANUAL DO USUARIO V1.2 NX- USB MANUAL DO USUARIO V1.2 NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2014 - Todos os direitos Reservados Atualizado em: 24/09/2014 IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex

Leia mais

Instruções para Transferência de Dados OPL9728

Instruções para Transferência de Dados OPL9728 Instruções para Transferência de Dados OPL9728 1.0 Preparação para Configuração do PC Para carregar o aplicativo nos coletores da linha OPL972X, baixe e instale o aplicativo APPLOAD e siga as instruções

Leia mais

DEPARTAMENTO DATA ABRANGÊNCIA NÚMERO REVISÃO SAT 08/01/07 GERAL 42 0

DEPARTAMENTO DATA ABRANGÊNCIA NÚMERO REVISÃO SAT 08/01/07 GERAL 42 0 INFORMATIVO TÉCNICO DEPARTAMENTO DATA ABRANGÊNCIA NÚMERO REVISÃO SAT 08/01/07 GERAL 42 0 PL-4280: PROCEDIMENTO DE ATUALIZAÇÃO DE SOFTWARE (INTERFERÊNCIA CONTROLE REMOTO SKY+) Senhores Técnicos, Efetuar

Leia mais

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com.

PROJETO. Ponte Digital. http://www.pontedigital.hpg.ig.com.br/ Luciano Daniel Amarante - carabina@pop.com.br Ricardo Watzko - rw@netuno.com. Ponte levadiça digital... Projeto semestral primeira fase de 2003 Engenharia de Computação 4 período Em breve aqui novos projetos... Página inicial Pré-projeto Projeto FOTOS e Vídeos Funcionamento Esboços

Leia mais

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008

Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Departamento de Física e Ciência dos Materiais Caixa Postal 369-13560-970 São Carlos SP Brasil e-mail : andretec@ifsc.usp.br Controle para Motores de Passo usando módulo USB-6008 Introdução Neste projeto

Leia mais

(21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br

(21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 (21) 8831-6621 Skype: cerne-tec MSN: cerne-tec@hotmail.com www.cerne-tec.com.br Manual do Usuário Placa CLPIC Índice 1. Introdução... 03 2. Chapeado da Placa... 04 3. Conector

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA MONITORAMENTO AUTOMATIZADO DE COLUNA D ÁGUA EM PIEZÔMETROS

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA MONITORAMENTO AUTOMATIZADO DE COLUNA D ÁGUA EM PIEZÔMETROS DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA MONITORAMENTO AUTOMATIZADO DE COLUNA D ÁGUA EM PIEZÔMETROS Dagmar Carnier Neto 1 & Chang Hung Kiang 2 Resumo - O crescente aumento do uso das águas subterrâneas faz com

Leia mais

NX-PLASMA MANUAL DO USUARIO V1.2

NX-PLASMA MANUAL DO USUARIO V1.2 MANUAL DO USUARIO V1.2 NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2014 - Todos os direitos Reservados Atualizado em: 23/10/2014 IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex Tecnologia

Leia mais

2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5

2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5 1 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 2. Instalação... 4 2.1 Montando o cabo serial... 4 2.2 Conectando o receptor ao PC... 5 2.3 Instalando o programa (DRU)... 5 3. Atualizando o receptor... 8 3.1 Qual o software

Leia mais

MinyScan Home. Leitor Manual de Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.0b. Data da Revisão: 26/08/05

MinyScan Home. Leitor Manual de Código de Barras. Manual do Usuário Versão 2.0b. Data da Revisão: 26/08/05 MinyScan Home Leitor Manual de Código de Barras Manual do Usuário Versão 2.0b Data da Revisão: 26/08/05 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. APRESENTANDO O MINYSCAN HOME... 4 2.1. COMPOSIÇÃO... 4 3. INSTALANDO

Leia mais

Figura 1: Interface 3G Identech

Figura 1: Interface 3G Identech Sumário 1 INTRODUÇÃO...3 2 INSTALAÇÃO NO WINDOWS XP...5 3 INSTALAÇÃO NO WINDOWS VISTA...12 4 INSTALAÇÃO NO WINDOWS 7...18 5 CADASTRANDO OPERADORA...25 6 CONECTANDO NA INTERNET...27 7 SERVIÇO DE SMS...29

Leia mais

CONFIGURAÇÃO CONVERSOR ADAM- 4571

CONFIGURAÇÃO CONVERSOR ADAM- 4571 CONFIGURAÇÃO CONVERSOR ADAM- 4571 Índice 1... Baixando o Software de configuração da ADAM 2... Configurando o Conversor ADAM 2.1... Configurando a porta Ethernet 2.2... Configurando a porta COM(RS232/422/485)

Leia mais

LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 267/269 - TELEFONE: (11) 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250

LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 267/269 - TELEFONE: (11) 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 267/269 - TELEFONE: (11) 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 1 SISTEMA HCS 2005 PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO (Baseado no Guarita Vr5.0x Última modificação:

Leia mais

Sistema de Controlo de Entrada de Viaturas SCEV

Sistema de Controlo de Entrada de Viaturas SCEV Sistema de Controlo de Entrada de Viaturas SCEV Sónia Mendes, Carla Ladeiro e Paula Pereira Abstract O controlo de acessos a instalações é uma área da segurança electrónica em franca expansão, sendo cada

Leia mais

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox

1- Scilab e a placa Lab_Uino. 2- Instalação do ToolBox 1- Scilab e a placa Lab_Uino A placa Lab_Uino, é uma plataforma aberta para aprendizagem de sistemas microprocessados. Com a utilização de um firmware especifico a placa Lab_Uino é reconhecido pelo sistema

Leia mais

Manual de Operação e Instalação. Microterminal TCP/IP MT740. versão 1.0

Manual de Operação e Instalação. Microterminal TCP/IP MT740. versão 1.0 Manual de Instalação e Operação MT740 1/16 Manual de Operação e Instalação Microterminal TCP/IP MT740 versão 1.0 Manual de Instalação e Operação MT740 2/16 Índice Descrição 3 Reconhecendo o Terminal 5

Leia mais

APLICAÇÕES E ANÁLISE DE SISTEMAS SUPERVISÓRIOS "SCADA"

APLICAÇÕES E ANÁLISE DE SISTEMAS SUPERVISÓRIOS SCADA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE GOIÁS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DEPARTAMENTO DE PESQUISA E

Leia mais

MEC1100 Manual de Instruções v2010.10

MEC1100 Manual de Instruções v2010.10 MEC1100 Manual de Instruções v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br 1

Leia mais

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI

UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL ULBRA CONTROLE DE MOTOR DE PASSO VIA PORTA PARALELA -BUILDER C++ FABRÍCIO DE MARI Canoas, junho de 2007. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO...03 1.1 Objetivo...04 1.2 Justificativa...04

Leia mais

Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br KDE50. Kit Didático de Eletrônica

Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br KDE50. Kit Didático de Eletrônica Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212 Londrina PR Brasil http://www.maxwellbohr.com.br KDE50 Kit Didático de Eletrônica MANUAL Jul / 2011 Sumário 1.Descrição Geral...2 2.Composição

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA

DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA DESENVOLVIMENTO DE EXPERIMENTOS LABORATORIAIS PARA O ENSINO DE MECATRÔNICA Gilva Altair Rossi 1 ; José Maria Galvez 2 ; Douglas Iceri Lasmar 3 Universidade Federal de Minas Gerais, Departamento de Engenharia

Leia mais

CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMAVEL

CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMAVEL CONTROLADOR LÓGICO PROGRAMAVEL Controlador Lógico Programável ( Hardware ) Para aprendermos como funciona um CLP, é necessário uma análise de seus componentes básicos, utilizados por todos os CLPs disponíveis

Leia mais

Mouse & Teclado. Mouse & Teclado

Mouse & Teclado. Mouse & Teclado Mouse & Teclado -1- ÍNDICE CAPÍTULO 1 Apresentação do Mouse...07 Como o mouse funciona...13 Os botões do mouse...16 CAPÍTULO 2 Utilizando o mouse com segurança...26 Dicas de utilização...28 Tipos de mouses...31

Leia mais

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2)

Software RedeMB5 Manual do Usuário (Ver. 2) Manual do Usuário (Ver. 2) 1. Introdução O software RedeMB5 é uma ferramenta que permite monitorar em tempo real 247 medidores de energia ou multitransdutores digitais KRON em uma rede padrão RS-485 com

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS 10ª Série Automação Industrial Engenharia Elétrica A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por meio

Leia mais

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A

Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Objetivos: Módulo de Desenvolvimento PIC16F877A Realizar programação e projetos com microcontroladores e seus periféricos, integrando sistemas analógicos e digitais com a utilização de compilador (Mikro

Leia mais

SISTEMA SUPERVISÓRIO DE CONTROLE DE UMA CENTRÍFUGA DE PROCESSAMENTO DE AÇÚCAR UTILIZANDO A BANCADA WEG

SISTEMA SUPERVISÓRIO DE CONTROLE DE UMA CENTRÍFUGA DE PROCESSAMENTO DE AÇÚCAR UTILIZANDO A BANCADA WEG Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Automação e Sistemas Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Automação e Sistemas Projeto REUNI 2010 SISTEMA SUPERVISÓRIO DE CONTROLE DE UMA CENTRÍFUGA

Leia mais

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B

Hamtronix CONTROLE REMOTO DTMF. CRD200 - Manual de Instalação e Operação. Software V 2.0 Hardware Revisão B Hamtronix CRD200 - Manual de Instalação e Operação Software V 2.0 Hardware Revisão B INTRODUÇÃO Índice...01 Suporte On-line...01 Termo de Garantia...01 Em Caso de Problemas (RESET)...01 Descrição do Produto...02

Leia mais

BANCADA DE TESTE E INSTRUMENTO VIRTUAL GENÉRICO

BANCADA DE TESTE E INSTRUMENTO VIRTUAL GENÉRICO Anais do XXXIV COBENGE. Passo Fundo: Ed. Universidade de Passo Fundo, Setembro de 2006. ISBN 85-7515-371-4 BANCADA DE TESTE E INSTRUMENTO VIRTUAL GENÉRICO Paulo S. C. Molina molina@upf.br Matheus A. C.

Leia mais

MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS

MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS MODELIX SYSTEM SOFTWARE DE PROGRAMAÇÃO DE ROBÔS A Modelix Robotics é pioneira dentre as empresas nacionais no segmento de robótica educacional (uso acadêmico e educação tecnológica) e robótica para usuário

Leia mais

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, 883 - Campinas/SP CEP 13.077-009 F.: (19) 4141.3351 / 3304.1605

Suporta os microcontroladores: R. Leonardo da Vinci, 883 - Campinas/SP CEP 13.077-009 F.: (19) 4141.3351 / 3304.1605 Suporta os microcontroladores: PIC16F877A, PIC18F452, PIC18F4520, PIC18F4550, PIC 18F876A, PIC18F252, PIC18F2550 e outros com 28 e 40 pinos O Kit de desenvolvimento ACEPIC PRO V2.0 foi projetado tendo

Leia mais

SISTEMA AUTOMÁTICO DE AQUISIÇÃO DE DADOS DE UM INCINERADOR DE RESÍDUOS

SISTEMA AUTOMÁTICO DE AQUISIÇÃO DE DADOS DE UM INCINERADOR DE RESÍDUOS SISTEMA AUTOMÁTICO DE AQUISIÇÃO DE DADOS DE UM INCINERADOR DE RESÍDUOS C.L.C. Rodrigues 1, J.E.C. Monte 1 ; P.R. Pinto 1 ; J. L. Paes 2 ; Paulo M. B. Monteiro 3 1- Instituto Federal de Minas Gerais Campus

Leia mais

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS

XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS XIX Congresso Nacional de Estudantes de Engenharia Mecânica - 13 a 17/08/2012 São Carlos-SP Artigo CREEM2012 SENSOR DE TEMPERATURA WIRELESS Antonio Carlos Lemos Júnior, Ednaldo Lopes Rosa e Leandro Aureliano

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE CÚPULA DE OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO

AUTOMAÇÃO DE CÚPULA DE OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO AUTOMAÇÃO DE CÚPULA DE OBSERVATÓRIO ASTRONÔMICO Marcella Scoczynski Ribeiro (UTFPR/UEPG) marcella_engcomp@yahoo.com.br Matheus Safraid (UEPG) msafraid@hotmail.com Resumo Este trabalho apresenta os benefícios

Leia mais

1. Informações Gerais

1. Informações Gerais 1. Informações Gerais Guia de Utilização Samsung PST TDMA 1.1 Pré-Requisitos para utilização do software 1º - Noções básicas de informática! (Manipulação de arquivos, instalação e utilização de programas)

Leia mais

Descrição do Produto. Altus S. A. 1

Descrição do Produto. Altus S. A. 1 Descrição do Produto O software MasterTool IEC é um ambiente completo de desenvolvimento de aplicações para os controladores programáveis da Série Duo. Esta ferramenta permite a programação e a configuração

Leia mais

Manual do Usuário PRELIMINAR

Manual do Usuário PRELIMINAR Manual do Usuário PRELIMINAR Introdução O conversor KR-485/USB é a solução rápida e segura para a interface entre o PC e barramentos de comunicação industrial RS-485 ou RS-422. Ao ligar o KR-485/USB à

Leia mais

Acionamento através de senha*, cartão de proximidade e biometria. Compatível com fechaduras magnéticas, eletroímãs e cancelas.

Acionamento através de senha*, cartão de proximidade e biometria. Compatível com fechaduras magnéticas, eletroímãs e cancelas. 1/8 Visão Geral: Instalação e configuração simplificada. Alta capacidade de armazenamento de registros e usuários. Acionamento através de senha*, cartão de proximidade e biometria. Compatível com fechaduras

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DOS AMPLIFICADORES MR 4.50D-XT MR 6.50D-XT MR 6.80-XT Rev. 2.3 de 29/01/2014

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DOS AMPLIFICADORES MR 4.50D-XT MR 6.50D-XT MR 6.80-XT Rev. 2.3 de 29/01/2014 PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DOS AMPLIFICADORES MR 4.50D-XT MR 6.50D-XT MR 6.80-XT Rev. 2.3 de 29/01/2014 Introdução: Este programa permite o gerenciamento dos amplificadores MR 4.50D-XT MR 6.50D-XT MR 6.80-XT

Leia mais

Informática. Tipos de Computadores CONHECENDO O COMPUTADOR E SEUS PERIFÉRICOS

Informática. Tipos de Computadores CONHECENDO O COMPUTADOR E SEUS PERIFÉRICOS CONHECENDO O COMPUTADOR E SEUS PERIFÉRICOS A Informática não é um bicho de sete cabeças. Ou é até que conheçamos e desvendemos este bicho. Tudo o que é desconhecido para nós sempre nos parece algo difícil

Leia mais

SUMÁRIO. Motivação Contextualização Objetivo Desenvolvimento. Aplicação Discussão Conclusão Perguntas. Hardware Software

SUMÁRIO. Motivação Contextualização Objetivo Desenvolvimento. Aplicação Discussão Conclusão Perguntas. Hardware Software SUMÁRIO Motivação Contextualização Objetivo Desenvolvimento Etapas de preparação Hardware Software Aplicação Discussão Conclusão Perguntas MOTIVAÇÃO Interesse em novas tecnologias Interesse no desenvolvimento

Leia mais

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br

R O B Ó T I C A. Sensor Smart. Ultrassom. Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13. www.robouno.com.br R O B Ó T I C A Sensor Smart Ultrassom Versão Hardware: 1.0 Versão Firmware: 1.0 REVISÃO 1211.13 Sensor Smart Ultrassom 1. Introdução Os sensores de ultrassom ou ultrassônicos são sensores que detectam

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA AUTOMATIZADO PARA INSPEÇÃO ULTRA-SÔNICA EM CASCO DE NAVIO

DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA AUTOMATIZADO PARA INSPEÇÃO ULTRA-SÔNICA EM CASCO DE NAVIO DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA AUTOMATIZADO PARA INSPEÇÃO ULTRA-SÔNICA EM CASCO DE NAVIO Antonio A. de Carvalho, Raphael C. S. B. Suita, Ivan C. da Silva, João M. A. Rebello Universidade Federal do Rio

Leia mais

Capítulo 5. Figura 5.2. Conector para o monitor.

Capítulo 5. Figura 5.2. Conector para o monitor. Capítulo 5 Placas de vídeo Visão geral das placas de vídeo Esta placa está presente em todos os PCs, exceto nos que possuem placas de CPU com os circuitos de vídeo embutidos. A maioria dos PCs produzidos

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS ALAMEDA DOS ANAPURUS,1939 MOEMA SÃO PAULO BRASIL

MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS ALAMEDA DOS ANAPURUS,1939 MOEMA SÃO PAULO BRASIL MANUAL DE OPERAÇÃO WCV EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS ALAMEDA DOS ANAPURUS,1939 MOEMA SÃO PAULO BRASIL TEL/FAX: (11) 535-7200 / 531-5945 / 531-8784 wcvtools@uol.com.br INDÍCE PRÓLOGO 4 REQUERIMENTO DO SISTEMA

Leia mais

CVMDDC - CONTROLE DE VELOCIDADE DO MOTOR DC

CVMDDC - CONTROLE DE VELOCIDADE DO MOTOR DC UFLA Universidade Federal de Lavras DEX Departamento de Ciências Exatas Bacharelado em CVMDDC - CONTROLE DE VELOCIDADE DO MOTOR DC Autor: Edna Mie Kanazawa Orientador: Wilian Soares Lacerda Lavras, novembro

Leia mais

GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1. NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados

GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1. NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados GX - ULT MANUAL DO USARIO V1.1 NEVEX Tecnologia Ltda Copyright 2012-2015 - Todos os direitos Reservados IMPORTANTE Máquinas de controle numérico são potencialmente perigosas. A Nevex Tecnologia Ltda não

Leia mais

Manual de Configuração e Operação

Manual de Configuração e Operação ALFA INSTRUMENTOS ELETRÔNICOS LTDA Manual de Configuração e Operação Última alteração Número do documento 21/02/2013 10:38 Este documento contém os procedimentos de configuração e operação do sistema de

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ MANIPULADOR INDUSTRIAL

DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ MANIPULADOR INDUSTRIAL 1 DESENVOLVIMENTO DE UM ROBÔ MANIPULADOR INDUSTRIAL Carlos Henrique Gonçalves Campbell Camila Lobo Coutinho Jediael Pinto Júnior Associação Educacional Dom Bosco 1. Objetivo do Trabalho Desenvolvimento

Leia mais

INTRODUÇÃO A ROBÓTICA

INTRODUÇÃO A ROBÓTICA INTRODUÇÃO A ROBÓTICA RODRIGO PENIDO DE AGUIAR COLÉGIO SÃO PAULO 2015 O que é robótica? A robótica é ciência que estuda a construção de robôs e computação. Ela trata de sistemas compostos por partes mecânicas

Leia mais

TS-12864 Display Gráfico Serial

TS-12864 Display Gráfico Serial TS-12864 Display Gráfico Serial Manual do Usuário TS-12864 - v1.1-0305 - pg 1 O display gráfico serial TS-12864 combina um módulo serial com um display gráfico de 128x64 pontos. Este conjunto recebe dados

Leia mais

Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Eletrônica Laboratório de Informática Industrial

Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Eletrônica Laboratório de Informática Industrial Universidade Federal de Minas Gerais Escola de Engenharia Departamento de Engenharia Eletrônica Laboratório de Informática Industrial 1 2 a AULA Controlador Lógico Programável: Características de software.

Leia mais

LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE : 6823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250

LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE : 6823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 1 LINEAR EQUIPAMENTOS RUA SÃO JORGE, 269 - TELEFONE : 6823-8800 SÃO CAETANO DO SUL - SP - CEP: 09530-250 O Sistema HCS 2000 é composto por: PROTOCOLO DE COMUNICAÇÃO SISTEMA HCS 2000 v6.x Receptores: dispositivos

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO SETEMBRO/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO SETEMBRO/2008 UNIVERSIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO TRABALHO DE COCLUÃO DE CURO ETEMBRO/2008 UIVERIDADE FEDERAL DE ITAJUBÁ EGEHARIA DE COTROLE E AUTOMAÇÃO PROJETO DE UM TIME DE ROBÔ AUTÔOMO Bruno Marques de Faria Paula Orientador: Prof. Carlos A. M. Pinheiro

Leia mais

LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 TELEFONE: (11) 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL SÃO PAULO CEP: 09530-250

LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 TELEFONE: (11) 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL SÃO PAULO CEP: 09530-250 LINEAR-HCS RUA SÃO JORGE, 269 TELEFONE: (11) 2823-8800 SÃO CAETANO DO SUL SÃO PAULO CEP: 09530-250 1 SOFTWARE HCS 2005 - VERSÃO 4.5 (Compatível com Guarita Vr4.03 ou superior) Recomendações Iniciais Para

Leia mais

APOSTILA DE INFORMÁTICA - INTRODUÇÃO

APOSTILA DE INFORMÁTICA - INTRODUÇÃO APOSTILA DE INFORMÁTICA - INTRODUÇÃO Profa Responsável Fabiana P. Masson Caravieri SUMÁRIO 1. CONCEITOS BÁSICOS DE INFORMÁTICA... 3 2. PRINCIPAIS COMPONENTES FÍSICOS DO COMPUTADOR... 3 2.1 PERIFÉRICOS...

Leia mais

PASSFINGER 1040. Manual de utilização

PASSFINGER 1040. Manual de utilização PASSFINGER 1040 Manual de utilização Sumário 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PASSFINGER 1040...3 2 - APLICAÇÕES...4 2.1 RECOMENDAÇÕES DE INSTALAÇÃO...5 2.1.1 Recomendações de utilização...5 3 BULA DE INSTALAÇÃO...7-4

Leia mais

Instruções para uso do peso de bater automático

Instruções para uso do peso de bater automático Este equipamento foi desenvolvido com as finalidades de: 1) Agilizar e otimizar o tempo necessário para os testes de penetração de solo; 2) Melhorar a ergonomia do procedimento, evitando esforços físicos

Leia mais

INFORmação. O que é um Computador?

INFORmação. O que é um Computador? Professor: M. Sc. Luiz Alberto Filho Conceitos básicos Evolução histórica Hardware Sistemas de numeração Periféricos Software Unidades Básicas de Medidas 2 Facilidade de armazenamento e recuperação da

Leia mais

Manual do Usuário ICCTAB 705B/W/P

Manual do Usuário ICCTAB 705B/W/P Manual do Usuário ICCTAB 705B/W/P 1. Introdução ao Tablet PC 1.1 Diagrama geral do Tablet PC Diagrama Frontal: Figura 1-1. Diagrama Lateral: Figura 1-2 Diagrama Traseiro: Figura 1-3 1.2 Tablet PC - Uso

Leia mais

DigiRail-VA. MANUAL DE INSTRUÇÕES - V1.0x B

DigiRail-VA. MANUAL DE INSTRUÇÕES - V1.0x B MANUAL DE INSTRUÇÕES - V1.0x B CARACTERÍSTICAS GERAIS... 2 ESPECIFICAÇÕES... 3 INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO... 4 INSTALAÇÃO MECÂNICA... 4 DIMENSÕES... 4 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS E OPERAÇÃO... 4 RECOMENDAÇÕES PARA

Leia mais

Enviar imagens para um computador (função Wi-Fi) PowerShot G16

Enviar imagens para um computador (função Wi-Fi) PowerShot G16 Enviar imagens para um computador (função Wi-Fi) PowerShot G16 Primeiros passos O procedimento para utilização da função Wi-Fi para enviar imagens de uma câmera para um computador é explicado nas quatro

Leia mais

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski

UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. Professor Leonardo Gonsioroski UNIVERSIDADE CEUMA CAMPUS RENASCENÇA CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO Objetivos da Aula Diferenciar automação da mecanização. Posicionar a automação industrial no contexto histórico. Classificar os tipos

Leia mais

Micro Terminal IDTECH

Micro Terminal IDTECH Micro Terminal IDTECH Versão: 5.0.8 Micro Terminal IDTECH O Micro Terminal IDTech é um equipamento que possui uma estrutura de hardware e software completa para aplicações em automação comercial. Contém

Leia mais

Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela

Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela Desenvolvimento de Módulo Wireless para Acionamento de Cargas via Porta Paralela Pedro H. M. Araújo 1, Renan P. Figueiredo 1, Douglas L. Dias 1, Sandro C. S. Jucá 1 1 Área da Telemática Instituto Federal

Leia mais

Introdução SUMÁRIO. 1. Introdução... 3. 2. Sobre este manual... 3 3. Componentes... 3 4. INSTALAÇÃO... 4. 5. Funcionalidade... 9

Introdução SUMÁRIO. 1. Introdução... 3. 2. Sobre este manual... 3 3. Componentes... 3 4. INSTALAÇÃO... 4. 5. Funcionalidade... 9 REMUX TS 9600-HD-RMX i SUMÁRIO Introdução 1. Introdução... 3 1.1 Apresentação... 3 2. Sobre este manual... 3 3. Componentes... 3 4. INSTALAÇÃO... 4 4.1 Instalação do driver usb... 4 4.2 Instalação da Máquina

Leia mais

www.lg.com Nome do modelo: LG Smart AC App. P/NO : MFL67891008

www.lg.com Nome do modelo: LG Smart AC App. P/NO : MFL67891008 MANUAL DO PROPRIETÁRIO AR CONDICIONADO Por favor, leia essas instruções completamente para a sua segurança antes de usar o aplicativo e use-o com precisão. Estes conteúdos são para evitar qualquer perda

Leia mais

Brainloop Secure Dataroom versão 8.30 App QR Code Scanner para ios e Android Guia rápido

Brainloop Secure Dataroom versão 8.30 App QR Code Scanner para ios e Android Guia rápido Guia rápido Brainloop Secure Dataroom Versão 8.30 Direitos autorais Brainloop AG, 2004-2016. Todos os direitos reservados. Versão do documento 1.3. Todas as marcas registradas, citadas neste documento

Leia mais

www.rogercom.com - Manual da placa R-CONTROL 30

www.rogercom.com - Manual da placa R-CONTROL 30 5 6 LEDs piloto: acende quando um dos Relês: RL1, RL2, RL3 ou RL4 for ativado. 4 3 7 18 8 15 16 17 14 9 2 10 1 11 LEDs indicadores de transmissão/recepção USB entre a placa e o PC. 13 12 LED indicador

Leia mais

Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas

Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas Permite a coleta de dados em tempo real dos processos de produção, possuindo, também, interfaces para a transferência dos dados para os sistemas administrativos da empresa. Nessa configuração, o PC é a

Leia mais

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP

PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP PROGRAMAÇÃO BÁSICA DE CLP Partindo de um conhecimento de comandos elétricos e lógica de diagramas, faremos abaixo uma revisão para introdução à CLP. Como saber se devemos usar contatos abertos ou fechados

Leia mais

Prof. Orlando Rocha. Qual o nosso contexto atual?

Prof. Orlando Rocha. Qual o nosso contexto atual? 1 Qual o nosso contexto atual? Atualmente, vivemos em uma sociedade que é movida pela moeda informação! No nosso dia-a-dia, somos bombardeados por inúmeras palavras que na maioria das vezes é do idioma

Leia mais

Robótica: A aplicação de um Robô em Planta Industrial

Robótica: A aplicação de um Robô em Planta Industrial UNIVERSIDADE PAULISTA CAMPUS BRASILIA Alunos das Turmas EE8P30/EE9P30 Robótica: A aplicação de um Robô em Planta Industrial Brasília 2011 SUMARIO 1 Caracterização... 3 2 Objetivo... 4 3 Metodologia...

Leia mais

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs

Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Laboratório de Processadores Confecção das PCIs Para a confecção das PCIs (Placa de Circuito Impresso) foram compiladas algumas sugestões práticas para o bom desenvolvimento das mesmas. Estas recomendações

Leia mais

Guia de Instalação rápida HD-CVI 7104SF / 7108SF / 7116MF

Guia de Instalação rápida HD-CVI 7104SF / 7108SF / 7116MF 1 Guia de Instalação rápida HD-CVI 7104SF / 7108SF / 7116MF Índice 2 1. HDD Instalação 3 1.1 Conexão de Dispositivos 3 2. Entrada 3 3. Função A gravação 3 3.1 Gravação Manual 3 4 Playback 4 4.1 Consulta

Leia mais

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E

CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E SIGMA Sistema Integrado de Combate a Incêndio CURSO OPERACIONAL TOPOLOGIA SISTEMA SIGMA 485-E CABO BLINDADO (SHIELD) 4 VIAS 2X2,50 MM + 2X0,75 MM IHM Possibilidade de até 95 loops. LOOP LOOP LOOP CABO

Leia mais

Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252. Com base no BASCOM - Teoria e Prática. Autor: Vitor Amadeu Souza

Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252. Com base no BASCOM - Teoria e Prática. Autor: Vitor Amadeu Souza Desenvolvendo Projetos em BASIC para o Microcontrolador AT89S8252 Com base no BASCOM - Teoria e Prática Autor: Vitor Amadeu Souza Dedicatória Dedico este livro a minha querida noiva Renata Leal. Que preciosos

Leia mais

Atenção ainda não conecte a interface em seu computador, o software megadmx deve ser instalado antes, leia o capítulo 2.

Atenção ainda não conecte a interface em seu computador, o software megadmx deve ser instalado antes, leia o capítulo 2. Atenção ainda não conecte a interface em seu computador, o software megadmx deve ser instalado antes, leia o capítulo 2. Interface megadmx SA Firmware versão 1, 2 e 3 / software megadmx 2.000 (Windows/MAC

Leia mais

Driver da KODAK D4000 Duplex Photo Printer para WINDOWS

Driver da KODAK D4000 Duplex Photo Printer para WINDOWS ReadMe_Driver.pdf 11/2011 Driver da KODAK D4000 Duplex Photo Printer para WINDOWS Descrição O driver da D4000 Printer é um driver da impressora MICROSOFT personalizado para uso com a D4000 Duplex Photo

Leia mais

CENTRAL GERENCIADORA DE BOLICHE PS 2009

CENTRAL GERENCIADORA DE BOLICHE PS 2009 CENTRAL GERENCIADORA DE BOLICHE PS 2009 MANUAL DE INSTRUÇÕES VERSÃO 1.10 Prezado Cliente, Preparamos este manual para que você possa conhecer cada detalhe deste produto, e assim utilizá-lo de maneira correta

Leia mais

SUMÁRIO. 1. Instalação... 1. 2. Operações... 3. 2.1 Comunicação... 4. 2.1.1 Modo... 4. 2.1.2 Ethernet... 5. 2.1.3 Serial... 6

SUMÁRIO. 1. Instalação... 1. 2. Operações... 3. 2.1 Comunicação... 4. 2.1.1 Modo... 4. 2.1.2 Ethernet... 5. 2.1.3 Serial... 6 SUMÁRIO 1. Instalação... 1 2. Operações... 3 2.1 Comunicação... 4 2.1.1 Modo... 4 2.1.2 Ethernet... 5 2.1.3 Serial... 6 2.1.4 Configurações da placa de rede... 6 2.2 Edição base... 7 2.2.1 Produto... 7

Leia mais

Introdução/Histórico da Informática. O Computador

Introdução/Histórico da Informática. O Computador Universidade do Contestado Campus Concórdia Curso de Engenharia Civil Prof.: Maico Petry Introdução/Histórico da Informática O Computador DISCIPLINA: Informática Aplicada para Engenharia Idade da Pedra

Leia mais

Leitora Perto Smart. Guia de Instalação. Leitora Perto Smart Guia de Instalação. Janeiro/2010. Instalação da leitora Perto Smart.

Leitora Perto Smart. Guia de Instalação. Leitora Perto Smart Guia de Instalação. Janeiro/2010. Instalação da leitora Perto Smart. Leitora Perto Smart Guia de Instalação Página 1 de 14 Pré Requisitos para a instalação Dispositivos de Certificação Digital (Leitora Perto) Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário

Leia mais

Capítulo 30. Quando compramos um scanner, recebemos o seguinte material:

Capítulo 30. Quando compramos um scanner, recebemos o seguinte material: Scanners Capítulo 30 O scanner e seu software Quando compramos um scanner, recebemos o seguinte material: Scanner Cabo de conexão Placa de interface* Software para captura de imagens Software para edição

Leia mais

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador

Aula 2. - Elaboração de algoritmos/fluxogramas. - Gravação do programa no microcontrolador Aula 2 - Elaboração de algoritmos/fluxogramas - Set de instruções do 8051 - Programação em Assembly - Gravação do programa no microcontrolador - Simulação Exercícios da aula passada... 1) Converta os números

Leia mais

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR

MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR MOVIMENTADOR PARA PORTAS DE ENROLAR www.mastertec.ind.br 1 ÍNDICE 1. Recursos:... 3 2. Condições de funcionamento:... 3 3. Características técnicas:... 3 4. Características construtivas:... 3 5. Diagrama

Leia mais

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO?

Figura 1: tela inicial do BlueControl COMO COLOCAR A SALA DE INFORMÁTICA EM FUNCIONAMENTO? Índice BlueControl... 3 1 - Efetuando o logon no Windows... 4 2 - Efetuando o login no BlueControl... 5 3 - A grade de horários... 9 3.1 - Trabalhando com o calendário... 9 3.2 - Cancelando uma atividade

Leia mais

Cerne Tecnologia e Treinamento (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com Skipe: cerne-tec

Cerne Tecnologia e Treinamento (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com Skipe: cerne-tec Cerne Tecnologia e Treinamento Tutorial para a USBCOM (21) 4063-9798 (11) 4063-1877 E-mail: cerne@cerne-tec.com.br MSN: cerne-tec@hotmail.com Skipe: cerne-tec www.cerne-tec.com.br Kits Didáticos e Gravadores

Leia mais

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900

MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 MANUAL RÁDIO MODEM COMPACTO 900 MHz RMC-900 Versão 1.01 Infinium Automação Industrial Ltda contato@infiniumautomacao.com.br 1. APRESENTAÇÃO O rádio modem RMC-900 foi projetado para utilização em sistemas

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO MAGNETI MARELLI EXTRA

BOLETIM TÉCNICO MAGNETI MARELLI EXTRA ASSUNTO: Equipamentos de Sistemas Eletrônicos Tester Flex. OBJETIVO: Informar procedimento para atualização de Scanners. DESTINO: Usuários de Equipamentos de diagnóstico Magneti Marelli Extra. Introdução

Leia mais